Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Uruguai  Voltar

Uruguai

Uruguai, debruçado no Oceano Atlântico harmoniza perfeitamente as atividdes marítimas com os lugares para o lazer. Durante o verão suas praias inundam-se de gente que busca sol, praia, descanso e diversão.

Para os amantes das excursões e o contato direto com a natureza e depois desfrutar dos prazeres de uma noite nas cidades do Uruguai é uma boa opção. Os costumes do interior das zonas rurais contrastam enormemente com os costumes de origem européia da capital Montevidéu.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

O país limita-se com o Brasil pelo norte e pelo oeste está separado da Argentina pelo rio Uruguai. Ao sul encontra-se com a desembocadura do rio da Prata e a leste aparece o Oceano Atlântico. O noroeste está desenhado com amplos planaltos, montes e pequenos vales. O país está banhado pelo Rio Negro, o maior do Uruguai, que cruza o país do noroeste ao sudeste e desemboca no rio Uruguai, que separa este país da Argentina.

FLORA E FAUNA

Uruguai possui uma fauna e flora muito especial por estar no ponto certo, onde diferencia-se das regiões tropicais e temperadas, podendo se ver espécies de ambos ecossistemas.

Apesar da geografia dominante serem os prados (ocupam cerca de 80% do território nacional), a paisagem do país é muito diversificada. Contabilizam cerca de 2.500 espécies de plantas e umas 224 de árvores e arbustos, mais de 100 mamíferos, 400 aves, 60 répteis e umas 400 espécies de peixes.

Nos prados prevalecem as gramínias, numerosas aves e o ñandu, além das chamado prados arborizados, pode-se ver a ave nacional: o forneiro.

Por outro lado, as humedades, que ocupam grandes extensões de terra (especialmente nos municípios de Trinta e Três e Rocha) acolhem uma importante fauna, entre mamíferos, aves e anfíbios. Os Banhados do Leste têm sido declarado Reserva da Biosfera. Os bosques ocupam 3,5% da superfície total, sendo o habitat de numerosas espécies de animais com o peru do monte (ave selvagem), trepador grande, boyero bico de osso (ave) ou carpinteiro dos cardones.

História

Época Colonial

Foram os brasileiros que no ano de 1680 fundaram Nova Colônia do Sacramento, 200 anos depois da chegada dos espanhóis à América do Sul.

As lutas dos gaúchos pelo gado que pertencia a primeira comunidade de espanhóis marcaram uma época em que cada vez havia mais influência espanhola. Então fundou-se a cidade de Montevidéu. Já no século XIX os brasileiros não viam com bons olhos a incursão da Espanha em sua terras e as lutas pela cessão do território foram sangrentas, até que apareceu o nacionalismo uruguaio em 1800. Um dos motivos do despertar uruguaio foi a ocupação de Buenos Aires pelos ingleses. A Argentina expulsou os ingleses que tiveram que conformarem-se em tomar Motevideo. Sucessivamente, Buenos Aires logrou uma hegemônia e Montevidéu ficou na expectativa. Foi em 1827 e no ano 1830 que o Uruguai foi declarado independente e aprovada a constituição.

Crise Interna

Seguiu uma crise intensa e o país dividiu-se em dois: a parte apoiada pelo Brasil e a zona respaldada pela Argentina. O s desastres não terminaram, mas sim agravaram-se com a intervenção do Uruguai na guerra das Três Alianças.

Em 1903 ascendeu ao poder José Battle e Ordonhez quem anunciou reformas e um grande período de prosperidade interna. Apesar de seu opositor do partido conservador Battle levou sua idéias até a morte. As idéias deste presidente foram perdidas no tempo onde se criava uma prosperidade, deixando o país ver suas classes e suas diferenças sociais.

Os trabalhadores do campo viviam precariamente e sem trabalho, enquanto que na capital o luxo e a dissipação eram as protagonistas.

Do campo à cidade

Viver no campo era um problema e para as cidades recorriam os camponeses atrás de seu primeiro emprego. Assim durante os anos 60 as tensões sociais foram maiores até 1973, sobrevindo um golpe militar. Os Tupamaros, a primeira organização de guerrilha urbana, começaram a atuar a favor do povo e contra os opressores e assim ganharm a simpatia da população.

Finalmente, depois de um cruel processo social e político esta organização foi aniquilada pelo governo. Em 1984 Julio Maria Sanguinetti ocupou o poder. Apesar do governo militar a situação econômica do Uruguai na troca e o estado de bem estar seguia inexistente.

Em 1989 a vitória mediante a eleição do senador Luis Lacalle. Fez retornar o partido conservador que concedeu o respaldo de algumas iniciativas do partido liberal.

Arte e Cultura

Das expressões artísticas dos antigos habitantes do Uruguai, dos charruas ficaram muitas poucas testemunhas. Da época colonial tem que destacar os diferentes encraves militares, especialmente o baluarte da Colônia de Sacramento.

Apesar do Uruguai ser um país pequeno, conta com importantes tradiçãos artística e literárias. Basta mencionar o artista internacional Pedro Figari, que pintou belas cenas bucólicas ou o grande escritor Mário Benedetti, que goza de um grande reconhecimento na Espanha.

O teatro é muito popular enquanto que a música de candomblé (cultivada principalmente em Montevidéu) tem suas raizes nos rítmos africanos.

A arte no Uruguai está em passar as vistas nos curiosos muros de grande colorido de São Gregório de Polanco em Tacuarembó, um espaço aberto para a capacidade criativa dos uruguaios.

Locais Turísticos

Começaremos o percurso pela cidade de Montevidéu para dirigirmos depois pelos principais pontos de atração do país.

MONTEVIDEU

A capital do Uruguai foi fundada pelos espanhóis e o principal centro comercial e de operações do país. A Avenida 18 de Julho constitui a rua principal rodeada de interessantes e modernos edifícios.

As construções da corte parisiense outorgam à cidade um ar muito atrativo. Isto unido a variedade de raças, sobretudo proveniente da Europa fez dela a mais original do continente.

Ao largo do grande Râmbola (márgem arenosa dos rios) de muito interesse para o turista encontra-se grande quantidade de restaurantes e lojas de moda, onde encontra-se as casas de alta classe de Montevidéu.

A energia política de seus habitantes reflete nos movimentos de rua, sobretudo causando um conhecimento amplo dos desejos e necessidades do povo.

Um dos lugares mais interessantes é o Museu do Gaúcho situado em um edifício da República Oriental do Uruguai, sobre a esquina da Avenida 18 de Julho e a Praça de Entrevero. Aqui mostra toda a história do gaúcho, incluindo o artesanato. Nos prédios inferiores encontra-se outo museu que conta a história das cédulas e moedas do Uruguai.

Enquanto passeia-se pela cidade pode deter-se nas históricas Casa Lavalleja e Casa Rivera.

Algo que não pode deixar de ir é ao Mercado do Porto na esquina de Pedras e Castellanos do lado mais antigo da cidade. Daqui pode parar para mirar e escutar os músicos de rua e tomar vinho ou um refresco.

As velhas locomotivas também têm seu ponto em Motevideo. Assim, exibe-se um grupo de velhas locomotivas a vapor em um parque próximo ao edifício principal.

Para desfrutar das melhores vistas de Montevidéu é imprescindível acercar-se do Palácio Municipal, onde tem uma varanda ao ar livre.

A praia de Pocitos a mais próxima do centro é uma das mais populares das novas praias que encontram-se ao longo da costa da cidade.

Para hospedar-se e comer dispõe de vários hotéis e restaurantes por toda a cidade, de diferentes preços e estilos.

O RESTO DO PAÍS

COLÔNIA

É o ponto de partida de baldeação para Buenos Aires. Tem uma praça no bairro velho rodeado de casarões antigos e museus.

MERCEDES

Aqui encontra-se o escritório terminal de ônibus ETA. Para passar a noite na cidade tem hotéis e uma catedral que poderá visistar antes.

MINAS

A praça central, a estátua de Artigas e a Igreja são as atrações mais interessantes para o turismo. O Parque Salus a 20 quilômetros conta com um processo de engarrafamento de água mineral no meio do bosque. Também está aberto um albergue juvenil. Para chegar até ali existem várias companhias de ônibus que saem de Montevidéu.

TRINTA E TRÊS

A cidade de Trinte e Três, capital do estado de mesmo nome, encontra-se assentada no vale do rio Olimar. A região destaca-se por alojar os encantos naturais mais impressionantes do Uruguai, como são Quebrada dos Corvos, excelente lugar para a observação de aves ou o Arroio Yerbal Chico.

PAYSANDU

Constitui uma cidade que está perto da Argentina e conta com um catedral famosa por suas balas de canhão incrustadas em suas paredes, que datam da Guerra da Tríplice Aliança.

PUNTA DEL LESTE

Trata-se de um famoso lugar caro e acolhedor e sobretudo turístico. A capital da costa uruguaia é o centro de descanso do país. Entre as localidades mais interessantes encontra-se o Arborerum Lussich, sétima reserva florestal mais importante do mundo. Punta del Leste conta com diversos parques, bairros, jardins e imensas mansões. Para encontrar alojamento barato terá que recorrer a cidade de Maldonado, onde desfrutará a visita a uma colônia de lobos do mar.

A ilha Gorriti frente a Punta del Leste está declarada Parque Municipal, já que possui os restos das peças de artilharia militar e as construcões que protegem a ilha das possíveis invasões.

CABO POLONIO

O mais significativo estado da Rocha é o Cabo Polonio uma das áreas naturais, melhor conservadas do país. Trata-se de uma série de rochas que alojam uma importante colônia de lobos marinhos. Para chegar até elas tem que ser à cavalo, nos tradicionais "sulkis", ou bem realizar uma curta caminhada de 10 quilômetros. Sem dúvida, a maior aglomeração destes animais está na Ilha dos Lobos, a 6 quilômetros da costa, frente a Punta del Leste.

COLÔNIA DE SACRAMENTO

É a localidade que melhor conserva o passado português. Suas estreitas ruas, seus faróis e seus muros conferem-lhe um ar particular. Entre seus numerosos locais tem destacado Portón de Campo, o Bastión de São Miguel, o Convento de São Francisco Xavier ou da Casa del Virrey. Para ter uma idéia do conjunto tem que passar pelo farol da cidade (do século XIX). Em Sacramento encontra-se a igreja mais antiga do país, a Igreja Matriz do ano de 1680 e apesar de encontrar-se deteriorizada é digna de ser visitada.

SALTO

É uma das maiores cidades do Uruguai. Todos os dias tem navios que cruzam Concordina na Argentina.

Gastronomia

O prato rei da gastronomia uruguaia é a carne servida principalmente grelhada. Nestas seguem as massas, herança dos italianos. Entre os pratos mais típicos encontram-se a buseca, uma condimentada sopa da cauda de bois com ervilhas e feijão, o chivito a base de lombo de vaca, queijo, tomate, alface e ovos firmes e o churisco. O assado em tiras, a chuleta de costelas e o bife de lombo são as partes da vaca mais conhecidas e de melhor preparo nesta região.

As sobremesas são muito típicas em todo país e de muito boa qualidade. Não tem que esquecer-se que os uruguaios são muito gulosos e que o doce de leite é habitual nas sobremesas. Junto com a comida típica italiana como as pizzas e os pratos rápidos está incluida a Média lua mista.

Bebidas

O mate é a bebida tradicional que consiste em uma infusão com ervas do mesmo nome, que é consumido a todas as horas em qualquer situação. O café é outra das bebidas típicas, junto com ele o vinho e a cerveja. O clericó feito com vinho, frutas e suco de frutas, é sensivelmente deliciosa.

Compras

O mais interessante para levar do país são os artigos de couro e camurça sem esquecer das roupas de malha e de as pedras semi preciosas como as ametistas e as ágatas são também muito apreciadas pelos visitantes. O mercado do artesanato da Praça Cagancha tem muitos artigos bons e baratos, assim como o Mercado dos Artesanatos instalado no Mercado da Abundância no centro da capital.

População e Costumes

Os habitantes do Uruguai são primordialmente brancos uma grande parte descendentes de imigrantes espanhóis e italianos. Os negros e mestiços são muito raros e quase não tem indígenas. No entanto a maioria dos habitantes concentram-se em Montevidéu, uma boa parte da população habita ao longo do Rio da Prata. O espanhol é a língua que predomina juntamente com alguns movimentos e acepções portuguesas.

Os uruguaios são pessoas educadas, amáveis, formais e um pouco solenes e com um toque de nostalgia. Em alguns casos sua aparente indolência é somente o reflexo de sua grande capacidade para reflexionar e pensar. No país é chamado de "amiguismo" é uma forma de identidade coletiva, uma forma de vinculação que tem no afeto e na lealdade à família, aos amigos, aos vizinhos. E assim pode parecer inverossímel no Uruguai ainda é comum haver favores sem esperar nada em troca.

A música e as cerimonias de cancomblé formam a parte de identidade dos uruguaios de origem africana, enquanto que o futebol, o tango, a bebida mate são os sinais de identidade de todos os habitantes deste incrível país.

ENTRETENIMENTO

Se algo distingue o Uruguai são sua múltiplas possibilidades de lazer. Além do sol e da praia especialmente em Punta del Leste, podem ser praticados esportes náuticos como o windsurf e o surf.

Por outro lado as abundantes águas termais, com as que conta o país são outros dos atrativos para o turista.

As atividades ecoturísticas como caminhadas, sedentarismo ou trekking estão na ordem do dia. Para quem gosta de aves o país oferece espaços espetaculares para a observação destes belos animais.

Para os amantes dos espaços urbanos Montevidéu oferece numerosos lugares abertos, assim como locais onde nunca faltam a animação de vendedores, músicos e outros artistas de rua. Os bares, cafés e discotecas não podem faltar.

FESTIVIDADES

A maioria dos acontecimentos festivos partem das festa católicas. Celebram o ano novo, a Epifania e em março e abril o carnaval e a semana Crioula que inclui domação de animais, assados e músicas folclóricas.

Dias festivos: 1 e 6 de Janeiro, 19 e 20 de Fevereiro, 19 de Abril, 1 e 18 de Maio, 19 de Junho, 18 de Julho, 25 de Agosto (Dia da Independência), 12 de Outubro, 2 de Novembro e 25 de Dezembro.

Transportes

Avião

PLUNA é a linha áerea nacional e a que oferece vôos internacionais. A linha áerea militar TAMU oferece viagens.

Trem

Uruguai não dispõe de serviços de linha férrea para passageiros.

Ônibus

No Uruguai os ônibus são rápidos e confortáveis e oferecem um amplo serviço. A linha mais importante é a ONDA. COTA Sarandi 699 é uma companhia similar. Por último, a companhia CITA que também oferece bons serviços. Existem outros ônibus não tão luxuosos, porém de rapidez e confortabilidade iguais.

Automóveis

O aluguel de veículos tem a possibiliade de realizar-se nos terminais aéreos, portuários e nas principais cidades.

Taxi

Os táxis fucionam como um sistema muito particular: como um relógio. O tempo marcado transforma-se em dinheiro, de acordo com umas tabelas que possui o motorista. É conveniente assessorar-se e solicitar estas tabelas. Existe um suplemento por equipamentos.

Fonte: www.rumbo.com.br

Uruguai

O Uruguai é um país da América do Sul.

A capital é Montevideo. A principal religião é o Cristianismo.

A principal língua é o Espanhol.

Montevideo, fundada pelos Espanhóis em 1726 como uma fortaleza militar, logo se aproveitou de seu porto natural para se tornar um importante centro comercial. Reclamado pela Argentina, mas anexado pelo Brasil em 1821, o Uruguai declarou sua independência quatro anos depois e garantiu sua liberdade em 1828 após uma luta de três anos. As administrações do Presidente José BATLLE no início do século 20 estabeleceram grandes reformas políticas, sociais e econômicas que estabeleceram uma tradição estatista. Um violento movimento de guerrilha urbana Marxista nomeado os Tupamaros lançado no final dos anos 1960s, levou o presidente do Uruguai a ceder o controle do governo aos militares em 1973. Ao fim do ano os rebeldes haviam sido esmagados, mas os militares continuaram a expandir a sua influência no governo. O governo civil não foi restaurado até 1985. Em 2004, a coligação de centro-esquerda Frente Ampla ganhou as eleições nacionais que efetivamente terminaram 170 anos de controle político anteriormente detido pelos partidos Colorado e Blanco. As condições políticas e trabalhistas do Uruguai estão entre as mais livres do continente.

A pequena república da América do Sul do Uruguai, imprensada entre os gigantes do continente, Brasil e Argentina, tem muitas características que a tornam única entre os países Latino-americanos. Às vezes chamado de Suíça da América do Sul, o Uruguai projeta uma imagem que de muitas formas é mais Européia do que Latino-americana. O Uruguai é uma terra de planícies suaves. Praticamente toda a sua superfície é apropriada para a agricultura e habitação. Com seu clima temperado e grandes extensões de pradarias ondulantes, o Uruguai se assemelha a algumas áreas do norte do Mediterrâneo ou centrais dos Estados Unidos.

Pela última parte do século 19, os povos nativos do Uruguai foram assimilados numa população que descende principalmente de imigrantes Italianos e Espanhóis.

O Espanhol é a língua oficial, falada por todos.

Entre outras inovações, o Uruguai foi o primeiro país da América Latina a legalizar as leis do divórcio que protegem as mulheres; o primeiro a dar às mulheres o direito de voto; e o primeiro a fazer o voto obrigatório. A pena de morte foi abolida anos atrás.

População

Antes da conquista Espanhola, o território do atual Uruguai era habitado por povos indígenas (nativos). Eles deixaram poucos vestígios arqueológicos, e não se sabe muito deles. As tribos principais eram como aquelas dos guerreiros Charrúa, um povo nômade vivendo principalmente em pequenos clãs. Os homens caçavam e as mulheres trabalhavam nos campos. Por causa de sua ferocidade, os Charrúa nunca foram completamente dominados pelos Espanhóis, fato surpreendente, dada a organização superior e armas dos recém-chegados.

Aos poucos os colonos Europeus tomaram posse, embora os Charrúa continuassem a aumentar a rebelião bem no meio do século 18. Por meados do século 19, toda a população nativa havia desaparecido, seja através do casamento ou como resultado de uma política deliberada de extermínio.

Durante o século 18, com a abertura de vastas terras para a criação de gado, um novo Uruguaio surgiu, alguém que deixou marcas até mesmo no altamente sofisticado morador da cidade. Ele era o livre cavaleiro errante das planícies do Uruguai, o cowboy da América do Sul conhecido como o gaucho.

Um descendente de Espanhóis, nativos e negros, o gaúcho era caracterizado não por sua origem ou língua, mas por seu estilo de vida. Ele vivia uma vida nômade em seu cavalo, era totalmente independente, e foi um dos trabalhadores mais bem pagos do seu tempo. Ele era mestre de uma região sem fronteiras que tinha seu centro geográfico no Uruguai e se estendia da Argentina, a oeste, ao longo do Rio Uruguai para o sul do Brasil. Homens ambiciosos e aventureiros de todas as partes da região foram atraídos para esta profissão bem remunerada. Espanhóis e Guaranis, Portuguêses, e até mesmo Inglêses - esses homens formaram uma população mestiça (mistura de povos nativos e brancos) que se tornaria o núcleo do povo Uruguaio, como eles são conhecidos hoje.

O espírito gaúcho ainda está refletido na crença dos Uruguaios na dignidade do indivíduo, em seu otimismo e perseverança, e em sua vontade de enfrentar novos desafios.

Uma Terra de Promessa

Durante o primeiro terço do século 20, o Uruguai recebeu cerca de 15.000 imigrantes por ano, a maioria das regiões mais pobres da Espanha e da Itália. O Uruguai detinha muitas atrações para os Europeus. Seu clima temperado era semelhante ao de suas terras natais. Ele oferecia salários relativamente elevados para os trabalhadores agrícolas e da indústria da pecuária e possibilidades brilhantes para os comerciantes e empresários.

A ausência de distinções de classe rígidas no Uruguai foi um incentivo adicional. O Uruguai não tinha sido particularmente sujeito às influências do regime colonial da Espanha, do qual uma poderosa elite social em geral se desenvolvia. Os primeiros colonos do Uruguai eram pessoas mais humildes. Apesar de uma classe dominante desenvolver-se até o final do período colonial, ela nunca foi bem fechada às pessoas de fora.

Esta classe dominante tornou-se conhecida como o Patriciado ("os da pátria"). Isto foi devido ao papel que ela desempenhou na revolução que deu ao Uruguai a sua independência. Após a independência, o poder do Patriciado sobre a vida econômica do país diminuiu. Mas ela continuou como uma força na vida política e cultural do Uruguai.

Os imigrantes encontraram uma abundância de oportunidades. A maioria deles tendeu a concentrar-se em torno de Montevidéu, a capital do Uruguai e principal cidade. Os mais prósperos adquiriram propriedades e terrenos na cidade, bem como no campo. Os homens vieram de vários níveis sociais - comerciantes, contrabandistas e empresários, entre outros. Mas muitos deles casaram com filhas de membros do Patriciado. Eles, assim, tornaram-se parte da classe dominante. A maioria dos imigrantes não chegaram a esse nível de prosperidade. Mas eles formaram o início de uma classe média urbana.

Vida Urbana e Rural

Para alguns observadores parece que há dois Uruguays. Um deles é Montevidéu, que, com suas regiões vizinhas, é o lar de quase metade de toda a população do país. A cidade é ricamente dotada de vantagens culturais. Teatro, música, filmes e museus de arte são abundantes. Os Montevideanos desfrutam de caminhadas através dos muitos parques e avenidas da cidade, talvez parando no interior ou exterior de um café para uma xícara de café e um bate-papo com os amigos.

O outro Uruguai é o sertão. Lá a vida é cheia de dificuldades diárias. As escolas são geralmente inadequadas, e as instalações para a saúde e bem-estar rareiam.

O descendente do errante gaucho independente é hoje bastante provável que seja um trabalhador contratado vivendo em uma grande estancia, ou rancho de gado.

Montevidéu foi uma porta de entrada para os escravos negros durante o século 18 e a primeira metade do século 19. Mas depois da abolição da escravatura em 1842, os negros foram absorvidos na sociedade Uruguaia. As práticas discriminatórias são denunciadas pelas autoridades públicas e pela imprensa. Hoje o Uruguai é considerado livre de tensões raciais.

Educação

A educação pública é livre para os estudantes do ensino fundamental e através dos níveis secundário e universitário. A educação primária é obrigatória. Conseqüentemente, o Uruguai tem uma taxa de literacia elevada. Menos de 5 por cento das pessoas com idade acima dos 15 são incapazes de ler ou escrever.

A Universidade da República, em Montevidéu, foi inaugurada em 1849. O Uruguai tem duas universidades, escolas de formação de professores, seminários religiosos, uma faculdade de artes e ofícios, escolas especiais para deficientes, e cursos noturnos para adultos.

Festivais e Feriados

O Uruguai não tem religião oficial. Mas a fé predominante é o Catolicismo Romano. A liberdade religiosa é garantida pela Constituição.

A Semana Santa, na semana anterior à Páscoa, é observada no Uruguai como Semana Criolla (Semana Nativa), também conhecida como Semana dos Turistas.

A exibição das habilidades do gaúcho é uma das principais atrações. Semelhante a um rodeio, ela apresenta a cavalgada de especialistas, paradas de touro, arremesso de facas, e laçar. O laço tradicional do gaúcho são as boleadoras, uma corda de couro com bolas pesadas no final, que, quando jogadas com precisão, enredam um animal ao redor das pernas e levam-no à imobilização.

Concursos de canções e danças folclóricas também animam a Semana Criolla. Cantores folclóricos acompanhados por suas guitarras preservam as baladas tradicionais gaúchas de aventura e amor.

Outra grande atração é o Carnaval, que ocorre pouco antes da Quaresma. Em Montevidéu, a celebração dura uma semana ou mais. Desfiles, artistas fantasiados, bailes públicos, luzes coloridas, e flores transformam a cidade, que transborda com espíritos elevados. Os pontos altos do Carnaval são os entretenimentos musicais e dramáticos chamados tablados. Estes são realizados em um palco ou plataforma baixa. Existe uma concorrência feroz para os valiosos prêmios dados para o melhor desempenho entre os diversos grupos, cada um dos quais apresenta um tablado. Figurinistas, intérpretes, e músicos preparam e ensaiam meses antes do evento. A cada grupo é atribuído um ponto da rua principal para sua apresentação.

Embora os negros sejam poucos em número, eles tiveram grande influência sobre a música e as celebrações do Carnaval. Ritmos tipicamente Africanos e instrumentos carregam a atmosfera com emoção, nomeadamente sob a forma musical conhecida como o candomblé. O tango e a milonga, duas danças populares, representam uma mistura das influências Africana e Espanhola.

Alimentos

Os Uruguaios sempre comeram grandes quantidades de carne bovina. Hoje eles mantêm a distinção de serem o quarto-maior consumidor de carne per capita do mundo. Com a chegada dos imigrantes Europeus, a dieta tradicional do churrasco, bife grelhado ou assado no espeto, e alguns vegetais foi aumentada por massas Italianas e guisados Espanhóis. Mais recentemente, uma grande variedade de produtos dos Estados Unidos - de refrigerantes a jantares congelados - estão trazendo mais alterações aos hábitos alimentares do país.

A bebida nacional do Uruguai é o maté. É uma bebida feita de uma erva aromática e é semelhante em seu efeito ao café ou chá. Ela é sorvida através de uma bombilla, um tubo feito de metal, que é anexada à cabaça do mate, uma pequena embalagem em forma de bola. O puchero, um prato de origem Espanhola, foi anteriormente um básico em muitos lares. Ele é composto de carne cozida com legumes, lingüiça e outros ingredientes e aromatizado com um molho picante. O asado - o churrasco Sul-americano - é um evento popular. Muitas vezes ele apresenta o asado con cuero, um novilho gordo no churrasco com a pele, para selar os sucos.

Artes

A primeira figura literária de importância foi a do gaucho poeta do século 18 Bartolomé Hidalgo. Digno de nota no final do século 19 foram o filósofo Carlos Vaz Ferreira, autor de estudos sobre educação, e José Enrique Rodó. Seu ensaio Ariel grandemente influenciou a juventude Latino-americana no início dos 1900s.

A figura mais famosa da poesia Uruguaia do século 19 é Juan Zorilla de San Martín. No início do século 20, as obras de Julio Herrerra y Reissig influenciaram os poetas de vanguarda dos anos 1920s e 1930s. Entre a lista das distinguidas poetisas mulheres estão Delmira Agustini e María Eugenia Vaz Ferreira, que viveram no final do século 19 e início do século 20. Juana de Ibarbourou e Idea Vilariño são poetisas populares mais recentes.

Destaques entre os inúmeros escritores de ficção do século 20 são Horacio Quiroga, Emir Rodríguez Monegal, e Juan Carlos Onetti. Os populares romances e poemas de Mario Benedetti narraram a vida da classe média do Uruguai.

O melhor dramaturgo do Uruguai e um dos grandes dramaturgos do teatro Sul-americano foi Florencio Sánchez. Sua vida intensa e produtiva chegou ao fim em 1910, quando ele tinha 35 anos.

Juan Manuel Blanes e Pedro Figari estão entre os primeiros artistas importantes do Uruguai. Outro pintor de destaque é Joaquín Torres García. Suas obras podem ser encontradas em coleções da América do Norte e Européias, bem como em museus de Montevidéu. Um de seus ex-alunos, Gonzalo Fonseca, conseguiu destaque internacional pelas esculturas formadas a partir de madeiras em bruto, cimento, pedra e bronze, com as superfícies delicadamente esculpidas e feitas irregulares com bordas e depressões. Entre os trabalhos notáveis de Fonseca está uma habitável torre de concreto de 40 pés (12 m) feita para os Jogos Olímpicos de 1968 na Cidade do México.

Eduardo Fabini é o mais conhecido compositor Uruguaio. Um dos mais famosos de todos os tangos, La Cumparsita, é o trabalho do compositor Uruguaio Gerardo H. Matos Rodríguez.

Entre os proeminentes arquitetos modernos do Uruguai estão Julio Vilmajó e R. A. S. Bouret. O início conturbado da história do país não incentivou o desenvolvimento de um estilo característico de arquitetura. Mas há uma série de lindas estruturas coloniais em Colonia e também em Montevidéu e em Maldonado. De um modo geral, o Uruguai é uma criação dos séculos 19 e 20. A expansão do país está relacionada com a época do grande afluxo de imigrantes da Itália e da Espanha. A influência Italiana e Espanhola estão claramente evidentes na arquitetura do Uruguai. Muitas das melhores estruturas modernas foram construídas durante o século 20. A Escola de Arquitetura do Uruguai é considerada uma das mais avançadas da América do Sul.

Esportes

Os Uruguaios são apaixonados por futebol (fútbol), seu grande esporte nacional. O país tem duas equipes de primeira linha do futebol, o Peñarol e o Nacional.

Tem sido dito que a rivalidade entre os adeptos dos dois clubes não é menos intensa do que aquela que existe entre os membros dos dois principais partidos políticos. Basquete, ciclismo, tênis, pelota, golfe e esportes aquáticos também são populares. Mas nada evoca o entusiasmo gerado pelo futebol.

Amigos e Vizinhos

Há uma forte afinidade entre os povos do Uruguai e da Argentina. Apenas cerca de 40 minutos de Buenos Aires de avião, Montevidéu está geograficamente mais perto da capital da Argentina do que das cidades no norte do Uruguai. Os livros, revistas, rádios e programas de televisão, filmes, concertos e exposições de arte originários em Buenos Aires estão prontamente disponíveis para os de Montevidéu. Apesar de Montevidéu ter um extenso sistema cultural próprio, incluindo um número de estações de televisão e jornais diários, ela é, em certa medida, uma cidade satélite de Buenos Aires.

Não é incomum para um Uruguaio viajando para outro país de língua Espanhola ser confundido com um Argentino. O sotaque e as inflexões dos moradores de Montevideo são bastante semelhantes às dos Porteños, os habitantes de Buenos Aires. O som da fala é o distintivo yeísmo, em que ll e y são pronunciados como o s em measure ou vision. Algumas das expressões populares usadas nas duas cidades são derivadas de imigrantes Italianos. Por exemplo, ciao, uma saudação Italiana, é comumente usada em Montevidéu e em Buenos Aires, como o é em Roma.

A vida cultural da Argentina também tem sido influenciada pelos artistas, escritores e intelectuais do Uruguai que são atraídos para a agitada metrópole de Buenos Aires. Parece que um Uruguaio deve ser aceito em Buenos Aires, a fim de triunfar em seu próprio país.

A longa costa de magníficas praias do Uruguai fornece locais de férias favoritos para milhões de requerentes de férias, principalmente da Argentina e da parte do sul do Brasil. Durante os meses de verão (Janeiro a Março), o turismo oferece uma vasta fonte de renda para o Uruguai. Por sua vez, há um fluxo constante de pessoas de Montevideo para Buenos Aires durante os meses de inverno (Julho a Setembro). Esse intercâmbio contínuo de visitantes fortalece o vínculo entre as duas capitais, forjando uma unidade que tem resistido à separação de divisões políticas.

Terra

Uma das menores repúblicas da América do Sul, o Uruguai está situado na costa leste do continente entre a Argentina e o Brasil. O Uruguai foi conhecido durante a época colonial como Banda Oriental, um nome derivado de sua localização na margem oriental do Rio Uruguai. Exceto pelas fronteiras norte e nordeste, que tocam o Brasil, o Uruguai é quase completamente delimitado por corpos de água. No leste, a Lagoa Mirim separa o Uruguai da ponta do litoral sul do Brasil e do Oceano Atlântico. No sul, ele faz fronteira com a foz do Río de la Plata, e no oeste, ele é delimitado pelo Rio Uruguai, que o separa da Argentina.

O Uruguai é rico em cursos d'água. No entanto, todos os rios são curtos e de pouca importância de navegação, com as exceções da parte ocidental do Rio Negro e dos dois grandes rios que formam as fronteiras oeste e norte do país.

Fora dos planaltos do norte, que são uma continuação do planalto Brasileiro, o Uruguai é uma terra de sinuosas planícies e baixas colinas. O ponto mais alto da cordilheira da Sierra de las Animas é a Montanha Nacional do Mirador, que tem 1.644 pés (540 m) de altura. Quase 75% da área total do país de 68.037 milhas quadradas (176.215 km²) consiste em pastagens naturais. Provavelmente por causa da tonalidade azul-violeta das flores e da grama que cobrem suas pastagens ondulantes, o Uruguai foi chamado de "terra roxa", em um livro de mesmo título escrito pelo autor Britânico do século 19 William Henry Hudson.

Economia

O suprimento excelente de água do Uruguai, seu clima temperado, e as pastagens naturais combinaram para tornar a criação de ovelhas e de gado a espinha dorsal da economia nacional. As lavouras, principalmente o cultivo de cereais, frutas e legumes, são de importância secundária para a criação de gado.

A maior proporção das exportações do Uruguai são os produtos de animais - lã, carne e peles. Assistidos pela introdução de sistemas de refrigeração modernos, os frigoríficos e o processamento de alimentos tornaram-se as empresas industriais-chefe. Outras indústrias começaram a se desenvolver no século 20, entre elas a produção de têxteis, vestuário, pneus, produtos farmacêuticos e outros produtos para uso local; mas a indústria é prejudicada pela falta de matérias-primas e recursos energéticos do Uruguai. Em 2008, o governo anunciou que os testes indicaram um possível enorme campo de gás natural na costa Atlântica que converteria o Uruguai em um exportador líquido de energia.

Cidades

Montevidéu, a capital, está localizada no extremo sul do Uruguai, na margem norte do Río de la Plata. Montevidéu é uma das cidades mais densamente povoadas da América do Sul, lar de quase metade da população Uruguaia. A cidade foi fundada em 1726 e se tornou a capital da república recém-formada em 1828.

O nome da cidade é derivado de uma observação feita por um marinheiro Português.

Após avistar o Cerro, a modesta colina cônica que fica perto da capital Uruguaia, diz-se que ele gritou: "Monte vide eu! [Eu vejo um monte!]"

A Ciudad Vieja, ou Cidade Velha, perto do porto, foi o local original de Montevideo. Ela agora faz parte da área de negócios da cidade e, com suas ruas estreitas, mantém uma espécie de atmosfera colonial. A cidade moderna, com suas amplas avenidas arborizadas, praças espaçosas, parques e jardins magníficos, e belas estruturas modernas, cresceu em torno dela.

O coração de Montevidéu é a Plaza Independencia, na qual se ergue a estátua equestre de José Gervasio Artigas, herói nacional do Uruguai. A principal avenida da capital, Avenida 18 de Julio, começa na Plaza Independencia e termina no Parque da Batalha. A enorme arena de esportes, o Estádio Centenário, está localizada na extremidade do parque. Montevidéu é também o centro da vida cultural, econômica e política do Uruguai. Ela contém a principal universidade do país e outros institutos de ensino superior, a Biblioteca Nacional, e uma série de museus e galerias de arte. Ela é o centro das comunicações ferroviárias, rodoviárias, aéreas e marítimas do Uruguai. De seu porto abrigado passa cerca de 90 por cento do comércio de exportação do Uruguai.

Continuando para o leste na direção do Atlântico estão os famosos resorts de praia, dos quais Punta del Este é o mais conhecido.

Foi lá que duas reuniões históricas ocorreram: a conferência especial da Organização dos Estados Americanos (OEA) que estabeleceu o programa para ajuda da América Latina - a Aliança para o Progresso - em Agosto de 1961; e a reunião dos presidentes das nações Americanas em Abril de 1967. Punta del Este é frequentemente o palco de festivais internacionais de cinema.

Salto é a segunda-maior cidade do Uruguai. Um importante centro de comunicações com um porto fluvial, é também um centro de pecuária e agrícola, famosa por suas plantações de laranja e tangerina e uvas para vinho. Suas indústrias estão se desenvolvendo rapidamente. Salto é o lar de uma série de teatros, bibliotecas e escolas, incluindo um excelente colégio agrícola.

Paysandú, a terceira-maior cidade do país, é conhecida como a "Rainha do Norte". Fundada em 1772 por uma comunidade indígena Uruguaia Cristianizada sob a orientação de um padre Católico Romano, Paysandú deriva seu nome da palavra nativa Uruguaia ("pai"), e Sandú (o nome do sacerdote). Entre as muitas indústrias no movimentado centro comercial estão moinhos de farinha, curtumes, refinarias de açúcar, fábricas têxteis, cervejarias e fábricas de conservas. É também um centro de comunicações, com um moderno porto fluvial, aeroporto, e boas ligações ferroviárias e rodoviárias com o sul.

Outras cidades e vilas

Mercedes, na margem sul do Rio Negro, desempenha um papel importante como centro de transporte de uma rica zona agrícola. Fundada em 1781, Mercedes também é uma popular estância turística. Minas foi nomeada por suas minas e é o local de pedreiras de granito e de mármore. Historicamente, Minas é conhecida como o berço de Juan Antonio Lavalleja, um líder na luta pela independência do Uruguai.

Fray Bentos, o primeiro grande porto fluvial no Rio Uruguai, exporta produtos de carne e extratos de sua indústria frigorífica. Colonia, fundada pelos Portuguêses em 1680, é uma das cidades mais antigas do Uruguai e contém muitos marcos coloniais. Ela está localizada cerca de 100 milhas (160 km) a oeste de Montevidéu, e seu serviço de ferry para Buenos Aires torna-a um elo importante das viagens entre as duas grandes cidades. Colonia tem um aeroporto e é o ponto de partida do setor Uruguaio da Rodovia Pan-americana.

História e Governo

O primeiro Europeu a explorar o território que é agora o Uruguai foi Juan Díaz de Solís, navegador-chefe da Espanha. Em 1516, ele desembarcou em um ponto cerca de 100 milhas (160 km) a leste da atual Montevidéu. Pouco tempo depois que ele tomou posse do território para a Coroa Espanhola, ele foi morto pelos Charrúa.

A Espanha não teve interesse especial no Uruguai até o início do século 18. Durante o século 17, a principal atividade colonizadora da Espanha consistiu em introduzir cavalos selvagens e gado para fins de reprodução nas vastas pradarias do Uruguai. Estes animais seriam a futura riqueza do país, e hoje o escudo nacional do Uruguai é estampado com a imagem de um cavalo e boi como tributo aos benefícios que trouxeram a nação.

Mas no século 17, o Uruguai tinha aparentemente pouco a oferecer. Ele não tinha nem ouro nem prata, nem qualquer um dos produtos tropicais cobiçados pelos Europeus. A população do Uruguai era formada por Uruguaios nativos guerreiros que eram ferozmente protetores da sua independência. Não foi até que a produtividade das minas de ouro e prata do Peru diminuírem e a Revolução Industrial na Europa, especialmente na Inglaterra criarem um enorme mercado para as matérias-primas do Uruguai - como lã e peles - que a Espanha começou a apreciar as riquezas da região de La Plata.

De muitas maneiras, os Portuguêses foram os primeiros a reconhecer a importância estratégica do Uruguai. Em 1680, eles fundaram Nova Colônia do Sacramento (hoje Colonia) como proteção contra a penetração Espanhola de Buenos Aires. Esta localização fortificada controlava o estuário inteiro do Río de la Plata e foi o ponto onde uma lucrativa operação de contrabando foi levada adiante. De lá, prata e artigos de couro do Peru foram enviados para os mercados em Lisboa. Escravos, açúcar e produtos manufaturados da Inglaterra também secretamente passaram pelas colônias ao longo do Río de la Plata em seu caminho para o Pacífico.

Naquela época, a luta entre Espanha e Portugal pelo controle da Banda Oriental começou. Em 1726, os Espanhóis fundaram Montevidéu como uma fortaleza contra a invasão da enorme colônia Portuguêsa do Brasil. Os Espanhóis finalmente expulsaram os Portuguêses de Colonia, e em 1777, a Banda Oriental ficou sob controle Espanhol. As invasões de Buenos Aires e de Montevidéu pelos Britânicos em 1806 e 1807 demonstraram a incapacidade da Espanha para defender suas colônias e serviram como uma espécie de ensaio para o movimento de independência da América do Sul, que começou em 1810.

O Uruguai se juntou ao movimento pela independência em 1811, quando José Gervasio Artigas, herói nacional do Uruguai, e seu exército de patriotas começou sua longa luta pela liberdade da Espanha e contra as forças invasoras Portuguêsas. Mas em 1820, as tropas Portuguêsas do Brasil atacaram com sucesso o Uruguai, e a Banda Oriental foi anexada ao Brasil Português. Artigas fugiu para o Paraguai, onde passou o resto de sua vida no exílio. No entanto, seu sonho de um Uruguai livre foi finalmente realizado por seu ex-tenente, Juan Antonio Lavalleja. Acompanhado por um grupo de exilados que são hoje conhecidos como os "Trinta e três Imortais", Lavalleja secretamente cruzou da Argentina para o Uruguai em 1825 e organizou uma rebelião.

A guerra de três anos entre a Argentina e o Brasil (que até então era um Estado independente) foi iniciada. Mas a luta, tanto em terra quanto no mar, não resultou em uma vitória clara para cada lado. Em 1828, a Grã-Bretanha, preocupada em manter o Uruguai de ser absorvido pela Argentina ou pelo Brasil, interveio e conseguiu trazer os dois países a um acordo sobre um tratado. Um estado-tampão, com o nome de República Oriental do Uruguai, foi criado, e a independência do Uruguai, que tinha sido declarada em Agosto de 1825, foi reconhecida em 25 de Agosto de 1828. Graças principalmente ao apoio da Grã-Bretanha a partir desse momento através da primeira parte do século 20, a república criada artificialmente do Uruguai sobreviveu.

O Estado Uruguaio Se Esforça Pela Identidade

Apesar do tratado de 1828, o século 19 presenciou uma luta entre o Brasil e a Argentina pelo controle do destino do Uruguai. Foi um período de grande turbulência e instabilidade marcado por guerras civis, intervenções estrangeiras e revoltas. Em meados da década de 1830, essas lutas tinham aberto o caminho para o desenvolvimento de dois partidos políticos, os Blancos (brancos) e os Colorados (vermelhos). Estas foram as cores usadas pelas facções opostas durante as muitas guerras civis do Uruguai. Historicamente, os Blancos dependiam mais da Argentina, os Colorados do Brasil. Até hoje, estes dois partidos detêm a maior parte do poder nacional no Uruguai.

De 1843 até 1852, Montevidéu foi cercada pelas forças do ditador Argentino Juan Manuel de Rosas, que apoiavam o presidente Blanco Manuel Oribe. Com a ajuda do Brasil, Inglaterra e França, e do patriota Italiano Giuseppe Garibaldi e sua banda guerrilheira conhecida como os Camisas Vermelhas, Rosas foi derrotado em 1852, e os Colorados ganharam o poder. Em troca de seu apoio, o Uruguai foi obrigado pelo Brasil para se juntar com ele e a Argentina na longa e sangrenta guerra da Tríplice Aliança (1865-1870) contra o Paraguai. A derrota do Paraguai deixou os Colorados no controle do Uruguai.

Com o fim da guerra e a crescente demanda Européia por alimentos básicos da América do Sul, o Uruguai prosperou, embora a vida política tempestuosa continuasse. A economia em expansão atraiu milhares de imigrantes Europeus para as costas do país.

No entanto, o início do século 20 encontrou o Uruguai muito atrás da Argentina no desenvolvimento econômico e social. No entanto, a eleição de José Batlle y Ordóñez, em 1903, marcou o início do progresso nacional em direção a uma boa organização democrática. Presidente de 1903-1907 e novamente de 1911-1915, ele trouxe notáveis reformas econômicas, sociais e políticas que fizeram do Uruguai o primeiro estado do bem-estar social da América Latina. Um homem cuja grande estatura física era acompanhada por sua influência, Batlle dominou o Partido Colorado, bem como a vida da nação até sua morte em 1929.

O Uruguai desfrutou de um período de grande prosperidade econômica e um amplo programa de bem-estar social durante a década de 1920. A conseqüência imediata foi um aumento descontrolado de funcionários do serviço público e uma crença crescente entre os trabalhadores Uruguaios que o governo iria resolver todos os seus problemas particulares. A Grande Depressão mundial dos anos 1930s, um declínio na produtividade nacional, e os custos astronômicos de seu programa de bem-estar social aleijaram o Uruguai financeiramente. A ruinosa inflação adicionou aos clamores.

A Segunda Guerra Mundial trouxe uma maior prosperidade para o Uruguai. Mas, desde meados dos anos 1950s, o país teve longos períodos de estagnação econômica e inflação incapacitante. Uma recessão em 1998 foi ligada aos problemas econômicos na vizinha Argentina. Em 2002, o Uruguai fechou temporariamente seus bancos para conter os saques quando os trabalhadores fizeram greves violentas para protestar contra o agravamento da situação economica.

Constituição e Governo

Desde o início do século 20, as constituições do Uruguai foram projetadas para evitar o surgimento de ditaduras. A primeira Constituição, aprovada em 1830, passou por várias revisões. Em Novembro de 1966, os Uruguaios votaram para restaurar o poder executivo a um presidente. Este movimento aboliu as nove pessoas do Conselho Nacional de Governo (CNG), criado em 1951, que tinha detido as rédeas do poder administrativo nos últimos 15 anos. Era um sistema que se mostrou pesado e incapaz de fornecer a liderança forte necessária para atender os problemas econômicos da nação.

Depois de 1966, um presidente trabalhou como chefe de Estado. Eleito para um mandato de cinco-anos, o presidente foi impedido de servir mandatos sucessivos e era assistido por um conselho de ministros nomeado. A Assembléia Geral consistia do Senado e da Câmara dos Deputados. Os membros de ambas as casas eram eleitos sob um sistema de representação proporcional, por mandatos de cinco-anos. Todos os cidadãos que haviam atingido a idade de 18 anos podiam votar. (Na década de 1930, às mulheres tinha sido dado o direito de voto).

Em 1968, um grupo de guerrilha urbana de esquerda conhecido como Tupamaros começou a assediar o governo com atos de violência. Depois de repetidas ameaças de colapso econômico e grande agitação trabalhista, o Presidente Juan M. Bordaberry ficou sob crescente pressão dos militares para lidar com mais firmeza com a crise. Em 1973, rompendo com a tradição democrática do país, ele suspendeu a legislatura e substituiu-a por um Conselho de Estado. O governo foi por decreto. Em 1976, Bordaberry foi afastado do cargo pelos militares. Aparicio Méndez Manfredini foi nomeado presidente do Conselho da Nação, que substituiu o Conselho de Estado.

Em um plebiscito constitucional em 1980, os eleitores do Uruguai demonstraram seu apoio contínuo do princípio da regra democrática. Os governantes militares do país propuseram uma constituição que teria dado ao exército um papel duradouro no governo do Uruguai. Mesmo que teria permitido eventuais eleições para o presidente e o legislativo, os eleitores derrotaram a proposta de Constituição.

Com a economia da nação de volta numa base mais sólida, uma transição gradual para um regime civil foi iniciado em 1981. Julio María Sanguinetti do Partido Colorado ganhou as eleições presidenciais de 1984, e os militares devolveram o poder ao seu governo civil em Fevereiro de 1985. Sanguinetti trabalhou para melhorar a economia e ele restaurou as liberdades civis. Mas ele foi criticado por terminar os julgamentos por supostas violações dos direitos humanos cometidos pelos militares durante a ditadura.

A lei da anistia foi estreitamente aprovada pelos eleitores em um referendo de 1989. Quando o Partido Colorado dividiu-se em seus candidatos presidenciais para as eleições no final daquele ano, Luis Alberto Lacalle do Partido Nacionalista foi eleito. Lacalle enfrentou a oposição crescente pelas políticas econômicas de livre-mercado e foi derrotado por Sanguinetti nas eleições de 1994. O candidato do Partido Colorado Jorge Batlle ganhou estreitamente as eleições de 1999.

Em 2004, com o apoio de muitos ex-guerrilheiros, Tabaré Vázquez foi eleito presidente. Ele era o líder da Frente Ampla, uma coalizão de partidos de centro-esquerda. Isto marcou a primeira vitória para a esquerda política na história do Uruguai.

A Frente Ampla repetiu sua vitória de 2004 nas eleições de Novembro de 2009. José Mujica, um ex-guerrilheiro Tupamaro, derrotou o candidato do conservador Partido Nacional. A Frente Ampla ganhou também uma pequena maioria em ambas as casas da Assembléia Geral. Mujica disse que iria seguir as políticas geralmente moderadas do presidente retirante Vázquez.

Emir Rodríguez Monegal

Fonte: Internet Nations

voltar 1234avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal