Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Voleibol de Praia - Página 2  Voltar

História do voleibol de praia

História do Voleibol de Praia

O vôlei de praia tem uma tradição que remonta aos anos 30, quando foram disputados os primeiros torneios amadores do Brasil em Copacabana e Ipanema. Durante décadas, o vôlei de praia foi visto apenas como uma distração de final de semana, praticado por milhares de pessoas em toda a orla marítima, principalmente no Rio de Janeiro.

Em 1986, grandes nomes internacionais da praia foram reunidos pela primeira vez, para o Hollywood Volley, em Copacabana, no Rio e em Santos, São Paulo. A partir desta competição, o vôlei de praia começou a conquistar espaços na mídia e no coração dos torcedores.

Depois do sucesso do Hollywood Volley, o esporte foi oficializado pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB) e realizado o primeiro campeonato mundial, na praia de Ipanema, em 1987. Mais uma vez foi um sucesso retundante e, em 1989, a FIVB instituiu o Circuito Mundial Masculino - World Champion Series. Nos primeiros quatro anos, o domínio foi dos americanos mas, aos poucos, os brasileiros foram dominando e hoje são absolutos no circuito.

Em 1992, foram realizadas as primeiras competições femininas e em 1994, o primeiro circuito mundial para as mulheres. O Brasil passou a sediar uma das etapas do circuito feminino e uma do masculino, sempre no Rio de Janeiro. Nos últimos três anos, duas etapas de cada uma das categorias são disputadas no país - o feminino tem uma em Salvador e o masculino em Fortaleza.

Nas olimpíadas de de 1992, em Barcelona, o vôlei de praia apraeceu como esporte de exibição. Em 1993, o presidente do Comitê Olímpico Internacional, o espanhol Juan Antonio Samaranch, assistiu à etapa carioca do circuito mundial e deu o seu aval para a entrada do vôlei de praia no rol de esportes olímpicos.

A Olimpíada de Atlanta marcou a estréia do esporte na competição (com a disputa de medalhas valendo para o quadro geral do evento) e o Brasil teve o domínio absoluto no feminino, conquistando as medalhas de ouro, com Jacqueline e Sandra e de prata, com Monica e Adriana. No masculino, nossas duplas não foram bem. Zé Marco e Emanuel dividiram o nono lugar com os cearenses Franco e Roberto Lopes.

Nas Olimpíadas de Sydney em 2000, o esporte obteve um excelente resultado, obtendo 1/3 de todas as medalhas obtidas pelo Brasil nos Jogos.

Em 2003, o Brasil sediou o Campeonato Mundial de Vôlei de Praia, que foi disputado na cidade do Rio de Janeiro no mês de outubro (2003).

Fonte: www.volei.org.br

História do Voleibol de Praia

O volei de praia começou no Brasil na década de 50, com torneios amadores espalhados pelas praias do Rio de Janeiro, berço do esporte no Brasil. Em 1986, foi realizado o primeiro campeonato oficial chamado Hollyood Volley. Desde então, o volei de praia tornou-se o esporte que mais cresceu no mundo. Tornando-se o esporte a ingressar mais rápido nas Olimpíadas, entrando como teste em 1996, e sendo em 1997 oficializado para 2000! O Brasil já tem seu nome marcado na história do volei de praia como esporte olímpico, por ter as primeiras campeãs e vice da história. No início, o volei de praia era praticado também por duplas mistas e hoje já existe mais uma extensão do esporte: o 4 x 4.

Em 1997 o esporte foi oficializado pela Federação Internacional de Voleibol, FIVB, e foi realizado em Ipanema, Rio de Janeiro, o primeiro mundial. Em 1989 criou-se o I Circuito Mundial de Volei de Praia Masculino. Depois, as mulheres passaram também a competir em um circuito internacional - o Women's World Championship Series. O Brasil é sede de etapas dos dois circuitos.

O Brasil tem hoje, sem dúvida, alguns dos melhores atletas de volei de praia. Jacqueline e Sandra Pires: Campeãs olímpicas, são as atuais campeãs mundiais e detinham até pouco tempo a primeira colocação no ranking. Mônica e Adriana: medalha de prata em Atlanta, foram campeãs mundiais em 94, além de conquistarem a medalha de prata nos jogos de Amizade, 94. Franco e Roberto Lopes, que também representaram o Brasil em Atlanta, foram campeões do Circuito Mundial em 94 e 95. Zé Marco e Emanuel, terminaram a temporada de 96 em primeiro lugar e também representaram o Brasil em Atlanta. As campeãs brasileiras Adriana Behar e Shelda, estão em primeiro no atual ranking mundial, além de liderarem o circuito brasileiro.

A inclusão do volei de praia nos Jogos Olímpicos de Atlanta em 1996 é um marco na história do esporte. Em apenas sete anos, desde que foi oficializado pela Federação Internacional de Voleibol, FIVB, em 1988, o volei de praia alcançou o lugar mais nobre do esporte internacional. O Brasil teve uma participação decisiva para que o sonho se tornasse realidade. Afinal, em 1987 demos o saque inicial organizando o Campeonato Mundial do Brasil, na praia de Ipanema, no Rio.

O JOGO

O volei de praia é um esporte praticado por duas equipes de dois jogadores cada (tendo na atualidade um derivação, o 4x4, quatro jogadores em cada quadra), disputado em uma quadra de areia dividida em dois campos por uma rede. O jogo tem por objetivo enviar a bola por cima da rede para o solo do campo adversário, evitando que a mesma toque o solo do próprio campo. A bola é colocada em jogo pelo sacador. Este executa o saque golpeando a bola por sobre a rede em direção ao campo oponente. Uma equipe tem o direito de golpear a bola três vezes para enviá-la de volta ao campo adversário. Não é permitido ao jogador golpear a bola duas vezes consecutivamente (exceto quando no bloqueio).

Um rally - tempo em que a bola permanece em jogo - continua até que a bola toque o solo, saia "fora", ou não seja devidamente devolvida ao campo adversário por uma das equipes. No volei de praia, apenas a equipe que estiver sacando poderá marcar "ponto" (exceto no set decisivo). Quando a equipe que estiver recepcionando vencer o rally, ganhará o direito de saque, denominado "vantagem". Sempre que ocorrer uma "vantagem" os jogadores da equipe favorecida deverão mudar de posição, alternando-se no saque.

Existem duas formas de disputa de uma partida de volei de praia:

Forma de disputa A - disputa de um set

A equipe vence o set e a partida ao marcar 15 pontos com um mínimo de dois pontos de diferença sobre o placar do adversário. Na ocorrência de um empate em 16 pontos a equipe que marcar 17 pontos vence o set e a partida.

Forma de disputa B - melhor de três sets (dois sets vencedores)

A equipe vence os dois primeiros sets marcando 12 pontos com uma diferença mínima de dois pontos sobre o placar do adversário, vencendo assim a partida. Na ocorrência de um empate em 14 pontos a equipe que marcar 15 vence o set.

Set decisivo

No caso de empate de sets vencidos, 1-1, para vencer o terceiro e decisivo set, a equipe terá de marcar 15 pontos com uma vantagem mínima de dois pontos sobre o placar do adversário. O set decisivo, "tie-brake", é disputado no sistema de contagem contínua, onde um ponto é marcado a cada vez que uma equipe vencer um "rally".

PRINCIPAIS REGRAS

Posições - No momento que a bola for golpeada pelo sacador, cada jogador deverá estar posicionado em sua própria quadra (exceto o sacador). Os jogadores estão livres para se posicionarem na quadra não havendo posições determinadas. NÃO existem faltas de posição ou rodízio.

Fonte: www.geocities.com

voltar 12avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal