Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Regras do Voleibol  Voltar

Regras do Voleibol

1. ÁREA DE JOGO

A área de jogo compreende a quadra de jogo e a zona livre. Deve ser retangular e simétrica.

1.1 DIMENSÕES

A quadra de jogo é um retângulo medindo 18m x 9m, circundada por uma zona livre de no mínimo 3m de largura em todos os lados.
O espaço livre de jogo é o espaço sobre a área de jogo a qual é livre de qualquer obstáculo. O espaço livre de jogo deve medir um mínimo de 7m desde a superfície de jogo.
Para as Competições Mundiais e Oficiais da FIVB, a zona livre deve medir um mínimo de 5m a partir das linhas laterais e 8m a partir das linhas de fundo. O espaço livre de jogo deve medir um mínimo de 12,5m de altura a partir da superfície de jogo.

1.2 SUPERFÍCIE DE JOGO

1.2.1 A superfície deve ser plana, horizontal e uniforme. Não deve apresentar nenhum perigo de lesão aos jogadores. É proibido jogar sobre uma superfície rugosa ou escorregadia.

Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB, somente as superfícies de madeira ou sintéticas são permitidas. Qualquer superfície deverá ser previamente aprovada pela FIVB.

1.2.2 Em quadras cobertas, a superfície da área de jogo deve ser de cores claras.

Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB, linhas de delimitação devem ser brancas e a quadra de jogo e a zona livre devem ser, obrigatoriamente, de cores diferentes.

1.2.3 Nas quadras em recintos abertos, autoriza-se uma inclinação da superfície de jogo de 5mm por metro, para drenagem. As linhas da quadra feitas de material sólido são proibidas.

1.3 LINHAS DA QUADRA

1.3.1 Todas as linhas têm uma largura de 5cm. Devem ser de uma cor clara a qual é diferente da cor do piso da quadra e de outras linhas quaisquer.

1.3.2 Linhas de delimitação

Duas linhas laterais e duas linhas de fundo delimitam a quadra. As linhas de fundo e as laterais estão inseridas na dimensão da quadra.

1.3.3 Linha central

O eixo da linha central divide a quadra de jogo em duas quadras iguais medindo 9m x 9m, cada uma; de qualquer maneira a largura completa da linha pertence igualmente a ambas as quadras Esta linha estende-se sob a rede, de uma linha lateral até a outra.

1.3.4 Linha de ataque

Em cada quadra uma linha de ataque, cuja extremidade posterior é desenhada a 3m de distância do eixo da linha central, marca a zona de frente.

Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB, a linha de ataque é estendida além das linhas laterais pela adição de pequenas linhas pontilhadas de 15cm, com 5cm de largura, traçadas com 20cm entre elas, num comprimento total de 1,75m. A “linha de restrição do técnico” (uma linha pontilhada que se estende desde a linha de ataque até a linha de fundo da quadra, paralela à linha lateral e a 1,75m dela) é composta de pequenas linhas de 15cm, desenhadas a cada 20cm, para marcar o limite da área de operação do técnico.

1.4 ZONAS E ÁREAS

1.4.1 Zona de frente

Em cada quadra a zona de frente é limitada pelo eixo da linha central e extremidade posterior da linha de ataque.

A zona de frente é considerada como prolongada indefinidamente, além das linhas laterais até o fim da zona livre.

1.4.2 Zona de saque

É uma área com 9m de largura, situada atrás de cada linha de fundo.

É limitada lateralmente por duas pequenas linhas, cada uma medindo 15cm, traçadas 20cm atrás da linha de fundo como uma extensão das linhas laterais. Ambas as linhas estão incluídas na largura da zona de saque.

Na profundidade, a zona de saque estende-se até o final da zona livre.

1.4.3 Zona de substituição

É delimitada pelo prolongamento imaginário de ambas as linhas de ataque até a mesa do apontador.

1.4.4 Zona de Troca de Líbero

A Zona de Troca de Líbero é parte da zona livre, no lado do banco das equipes, limitada pela extensão da linha de ataque até a linha de fundo.

1.4.5 Área de aquecimento

Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB as áreas de aquecimento, medindo aproximadamente 3m x 3m, são situadas nos cantos da área de jogo, ao lado do banco, fora da zona livre.

1.4.6 Área de penalidade

Uma área de penalidade, medindo aproximadamente 1x1m e equipada com duas cadeiras, está localizada dentro da área de controle, fora do prolongamento de cada linha de fundo. Elas devem ser limitadas por uma linha vermelha de 5cm de largura.

1.5 TEMPERATURA

A temperatura mínima não pode ser inferior a 10°C (50F).

Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB, a temperatura máxima não pode exceder 25°C (77°F) e a mínima não pode ser inferior a 16°C (61°F).

1.6 ILUMINAÇÃO

Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB, a iluminação na área de jogo deve ter de 1.000 a 1.500 luxes, medida a 1m acima da superfície da área de jogo.

2. REDE E POSTES

2.1 ALTURA DA REDE

2.1.1 Colocada verticalmente sobre a linha central instala-se a rede cuja parte superior é ajustada a 2,43m para os homens e 2,24m para as mulheres.

2.1.2 Sua altura é medida no centro da quadra de jogo. A altura da rede (sobre as linhas laterais) deve ser exatamente a mesma altura e não devem exceder a altura oficial em mais de 2cm.

2.2 ESTRUTURA

A rede tem 1m de largura por 9,5 a 10 metros de comprimento (com 25 a 50cm além das faixas), feita em malhas quadradas pretas de 10cm de lado.

Na parte superior uma faixa horizontal, de 7cm de largura feita de uma tela branca dobrada ao meio, é costurada em toda sua extensão. Em cada extremidade final da faixa há uma abertura através da qual passa uma corda a fim de amarrá-la aos postes para manter a parte superior tensionada.

Dentro desta faixa um cabo flexível estica a rede nos postes e mantém sua parte superior tensionada.

Na parte inferior da rede outra faixa horizontal) com 5cm, similar à faixa superior, através da qual passa uma corda. Esta corda amarra a rede aos postes e mantém, s parte inferior tensionada.

2.3 FAIXAS LATERAIS

Duas faixas brancas são tensionadas verticalmente à rede e colocadas diretamente acima de cada linha lateral.

2.4 ANTENAS

Uma antena é uma vara flexível com 1,8m de comprimento e 10mm de Elas tem 5cm de largura e 1m de comprimento e são consideradas como parte da rede.

Uma antena é uma vara flexível com 1,8m de comprimento e 10mm de diâmetro, feita de fibra de vidro ou material similar.

Uma antena é amarrada tangenciando a parte externa de cada faixa lateral. As antenas são colocadas em lados opostos da rede.

A parte superior de cada antena estende-se além do bordo superior da rede por 80cm e é marcada com listras de 10cm de largura, em cores contrastantes, preferivelmente vermelho e branco.
As antenas são consideradas como parte da rede e delimitam lateralmente o espaço de cruzamento.

2.5 POSTES

2.5.1 Os postes que sustentam a rede são colocados a uma distância externa de 0,5m a 1m de cada linha lateral. Eles tem 2,55m de altura e preferivelmente ajustáveis.

Para todas as Competições Mundiais e Oficiais, os postes que sustentam a rede são localizados a uma distância externa de 1m das linhas laterais.

2.5.2 Os postes são redondos e polidos, fixados ao solo sem cabos. Não haverá instalação que apresente perigo ou obstáculo.

2.6 EQUIPAMENTOS ADICIONAIS

Todo equipamento adicional é determinado pelos regulamentos da FIVB

3. BOLA

3.1 CARACTERÍSTICAS

A bola deve ser esférica, feita com uma capa flexível de couro, ou couro sintético, e com uma câmara interior feita de borracha ou material similar.

Sua cor pode ser clara uniforme ou uma combinação de cores

Material de couro sintético e bolas com combinação de cores usadas em competições Internacionais Oficiais devem obedecer às especificações da FIVB

Sua circunferência é de 65cm a 67cm e seu peso é 260g a 280g.

Sua pressão interna deve se de 0,30 a 0,325 kg/cm² (4.26 to 4.61 psi) (294,3 a 318,82mbar ou hPa).

3.2 UNIFORMIDADE DAS BOLAS

Todas as bolas usadas em uma partida devem ter as mesmas características de circunferência, peso, pressão, tipo, cor, etc.

As Competições Mundiais e Oficiais FIVB, bem como Campeonatos ou Ligas Nacionais devem ser jogadas com bolas aprovadas pela FIVB, salvo consentimento da FIVB.

3.3 SISTEMA DAS TRÊS BOLAS

Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB, devem ser usadas três bolas. Neste caso, seis boleiros serão colocados, um em cada ângulo da zona livre e um atrás de cada árbitro.

4. EQUIPES

4.1 COMPOSIÇÃO

4.1.1 A equipe é constituída de até 12 jogadores, um técnico, um assistente técnico, um preparador físico e um médico.

Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB, o médico deve ser credenciado previamente pela FIVB.

Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB adultas, uma equipe pode ter, no máximo, quatorze (14) jogadores (com, no máximo doze (12) jogadores regulares).

4.1.2 Um dos jogadores, que não o Líbero, é o capitão da equipe e deve estar indicado na súmula.

4.1.3 Somente os jogadores registrados na súmula podem entrar na quadra e participar da partida. Uma vez que o técnico e o capitão da equipe tenham assinado a súmula, o registro dos jogadores não pode mais ser mudado.

4.2 LOCALIZAÇÃO DAS EQUIPES

4.2.1 Os jogadores que não estão jogando devem permanecer sentados no banco da equipe ou na sua área de aquecimento. O técnico e os outros membros da equipe sentam no banco, mas podem temporariamente deixá-lo.

Os bancos das equipes estão situados ao lado da mesa do apontador, fora da zona livre.

4.2.2 Somente aos membros da equipe é permitido sentar no banco durante a partida e de participar do aquecimento.

4.2.3 Os jogadores que não estão em jogo podem se aquecer sem bola, como segue:

4.2.3.1 Durante a partida: na área de aquecimento;

4.2.3.2 Durante os tempos e tempos técnicos: na zona livre atrás da respectiva quadra.

4.2.4 Durante os intervalos entre os sets, os jogadores podem se aquecer usando bolas na zona livre.

4.3 UNIFORME

O uniforme dos jogadores consiste em camiseta, calção, meias (o uniforme) e calçado esportivo.
4.3.1 A cor e o feitio das camisetas, calções e meias devem ser iguais para a equipe (exceto para o Líbero). Os uniformes devem estar limpos
4.3.2 O calçado deve ser leve e flexível, com sola de borracha ou composto, sem salto.
Para as Competições Mundiais e Oficiais da FIVB é proibido usar calçado com solado predominantemente preto que marque o piso.
4.3.3 As camisetas dos jogadores devem estar numeradas de 1 até 18.
Para as Competições Mundiais e Oficiais da FIVB, as camisetas dos jogadores devem ser numeradas de 1 a 20.
4.3.3.1 O número deve ser colocado no centro da camiseta, tanto na frente quanto nas costas. A cor e o brilho dos números deve contrastar com a cor e o brilho das camisetas.
4.3.3.2 O número deve ter um mínimo de 15cm de altura no peito e 20cm de altura nas costas. A faixa que forma os números deve ter um mínimo de 2cm de largura. As camisetas e calções devem estar de acordo com as especificações da FIVB.
Para as Competições Mundiais e Oficiais FIVB, o número dos jogadores deve estar repetido na perna direita do calção. O número deve ter de 4 a 6cm de altura e a faixa que forma o número deve ter no mínimo 1cm de largura
4.3.4 O capitão da equipe deve ter na sua camiseta uma fita de 8 x 2cm sublinhando o número, no peito.
4.3.5 É proibido vestir uniformes de cor diferente da dos outros jogadores (exceto para os Líberos) e/ou sem a numeração oficial.

4.4 TROCA DE UNIFORME

O primeiro árbitro pode autorizar um ou mais jogadores a:
4.4.1 jogar descalço;
Para as Competições da FIVB e nas Oficiais é proibido jogar descalço.
4.4.2 mudar uniformes molhados ou danificados, entre os sets ou após uma substituição, desde que a cor, modelo e número do(s) novo(s) uniforme(s) seja a mesma.
4.4.3 jogar com agasalhos em climas frios, desde que sejam da mesma cor e modelo para toda a equipe (exceto os Líberos) e numeradas de acordo com a Regra 4.3.3.

4.5 OBJETOS PROIBIDOS

4.5.1 É proibido o uso de objetos que possam causar lesões ou proporcionar alguma vantagem artificial ao jogador.
4.5.2 Os jogadores podem usar óculos, por sua própria conta e risco.
5. RESPONSÁVEIS PELAS EQUIPES
Ambos o capitão da equipe e o técnico são responsáveis pela conduta e disciplina dos membros de sua equipe.
Os Líberos não podem ser os capitães da equipe.

5.1 CAPITÃO

5.1.1 ANTES DA PARTIDA, o capitão da equipe assina a súmula e representa o seu time no sorteio.
5.1.2 DURANTE A PARTIDA e enquanto em quadra, o capitão da equipe é o capitão em jogo. Quando o capitão da equipe não está na quadra, o técnico ou o capitão da equipe deve designar outro jogador em quadra, mas não o Líbero, para assumir o papel de capitão em jogo. Este capitão em jogo mantém sua responsabilidade até ser substituído ou o capitão da equipe retornar ao jogo ou o set terminar.
Quando a bola estiver fora de jogo, somente o capitão em jogo, dentre todos os membros da equipe, está autorizado a dirigir-se aos árbitros:
5.1.2.1 para solicitar explicações sobre a aplicação ou a interpretação das regras e também submeter os pedidos e perguntas de seus colegas de equipe. Se o capitão não concordar com a explicação do primeiro árbitro ele deve escolher protestar contra esta decisão e imediatamente comunicar ao primeiro árbitro que ele reserva o direito de registrar um protesto oficial na súmula ao final da partida;
5.1.2.2 para pedir autorização:
a) para trocar todo ou parte do uniforme;
b) para verificar as posições das equipes;
c) para verificar o piso, a rede, a bola, etc;
5.1.2.3 Para solicitar tempos e substituições, na ausência do técnico.
5.1.3 NO FINAL DA PARTIDA, o capitão da equipe:
5.1.3.1 agradece aos árbitros e assina a súmula para ratificar o resultado;
5.1.3.2 quando ele notificou o primeiro árbitro no devido momento, pode confirmar ou registrar na súmula um protesto oficial quanto à aplicação ou interpretação das regras pelo primeiro árbitro.

5.2 TÉCNICO

5.2.1 Do começo ao fim da partida, o técnico dirige o jogo de sua equipe de fora da quadra de jogo. Ele seleciona a formação inicial, seus reservas e solicita tempos(*). Nestas funções seu contato oficial é o segundo árbitro
5.2.2 ANTES DA PARTIDA, o técnico registra ou confere os nomes e os números de seus jogadores na súmula, e a assina.
5.2.3 DURANTE A PARTIDA, o técnico:
5.2.3.1 antes de cada set, entrega ao segundo árbitro ou ao apontador a folha de formação devidamente preenchida e assinada;
5.2.3.2 senta no banco da equipe, o mais próximo possível do apontador, mas pode deixá-lo;
5.2.3.3 solicita tempos e substituições;
5.2.3.4 pode, assim como os outros membros da equipe, dar instruções aos jogadores na quadra. O técnico pode dar estas instruções estando em pé ou caminhando dentro da zona livre defronte ao banco de sua equipe desde a extensão da linha de ataque até a área de aquecimento, sem perturbar ou retardar partida.
Para as Competições Mundiais e Oficiais da FIVB, o técnico só poderá desempenhar suas funções, atrás da linha de restrição do técnico.

5.3 ASSISTENTE TÉCNICO

5.3.1 O assistente técnico senta-se no banco da sua equipe sem direito de intervir no jogo.
5.3.2 Caso o técnico tenha que deixar sua equipe por qualquer razão, incluindo sanção, o assistente técnico pode, ante o pedido do capitão em jogo e com autorização do primeiro árbitro, assumir as funções do técnico, durante sua ausência.

6. PARA MARCAR UM PONTO, VENCER UM SET E A PARTIDA

6.1 PARA MARCAR UM PONTO

6.1.1 Ponto
Uma equipe marca um ponto:
6.1.1.1 quando é bem sucedida em fazer a bola tocar a quadra adversária;
6.1.1.2 quando a equipe adversária comete uma falta;
6.1.1.3 quando a equipe adversária recebe uma penalidade.
6.1.2 Falta
Uma equipe comete uma falta ao fazer uma ação contrária às regras (ou às violando de outra maneira). Os árbitros julgam as faltas e determinam as penalidades de acordo com as regras.
6.1.2.1 Se duas ou mais faltas são cometidas sucessivamente, somente a primeira é contada.
6.1.2.2 Se duas ou mais faltas são cometidas por adversários, simultaneamente, uma FALTA DUPLA é marcada e o “rally” repetido.
6.1.3 Rally e rally completo
Um “rally” é a seqüência de ações de jogo desde o momento do golpe do saque pelo sacador até a bola estar fora de jogo. Um rally completo é a seqüência de ações de jogo, que resultam num ponto.
6.1.3.1 Se a equipe sacadora vence o “rally”, ela marca um ponto e continua a sacar;
6.1.3.2 Se a equipe receptora vence o “rally”, ela marca um ponto e deve ser a próxima a sacar.

6.2 PARA GANHAR UM SET

Um set (exceto o decisivo, 5º set) é vencido pela equipe que primeiro marcar 25 pontos com uma diferença mínima de 2 pontos. Em caso de empate em 24 x 24, o jogo continua até que uma diferença de dois pontos seja atingida (26 x 24, 27 x 25; ...).

6.3 PARA GANHAR A PARTIDA

6.3.1 A partida é vencida pela equipe que vencer três sets.
6.3.2 Em caso de empate em 2 x 2 em sets, o set decisivo (5º) é jogado até 15 pontos com uma diferença mínima de dois pontos.

6.4 AUSÊNCIA E EQUIPE INCOMPLETA

6.4.1 Se uma equipe recusar-se a jogar, após ser intimada, ela é declarada ausente e perde a partida com o resultado 0 x 3 para a partida e 0 x 25 para cada set.
6.4.2 A equipe que, sem razão justificável, não se apresentar na quadra de jogo no horário, é declarada ausente com o mesmo resultado citado na Regra 6.4.1.
6.4.3 Uma equipe que é declarada INCOMPLETA para o set ou para a partida, perde o set ou a partida. São dados à equipe adversária os pontos ou os sets necessários para vencer o set ou a partida. A equipe incompleta mantém seus pontos e sets.

7. ESTRUTURA DO JOGO

7.1 SORTEIO

Antes da partida, o primeiro árbitro realiza o sorteio para decidir sobre o primeiro saque e o lado da quadra no primeiro set.
Se um set decisivo está para ser jogado, um novo sorteio será feito.
7.1.1 O sorteio é feito na presença dos dois capitães das equipes.
7.1.2 O vencedor do sorteio escolhe:
OU
7.1.2.1 o direito de sacar ou de receber o saque;
OU
7.1.2.2 o lado da quadra;
O perdedor fica com a outra alternativa.
7.1.3 No caso de aquecimentos consecutivos, a equipe que tem o 1º saque dispõe primeiro da rede.

7.2 AQUECIMENTO

7.2.1 Antes da partida, se as equipes dispuseram previamente de uma quadra, elas terão 6 minutos de aquecimento de rede em conjunto; se não, elas podem ter 10 minutos.
7.2.2 Se qualquer capitão solicitar aquecimento de rede separado (consecutivos), as equipes podem fazê-lo por 3 ou 5 minutos cada, de acordo com a Regra 7.2.1.

7.3 FORMAÇÃO DAS EQUIPES

7.3.1 Deve sempre haver seis jogadores em jogo por equipe.
A formação inicial da equipe indica a ordem de rotação dos jogadores na quadra. Esta ordem deve ser mantida durante todo o set.
7.3.2 Antes do início de cada set, o técnico deve apresentar a formação inicial da sua equipe na folha de formação. Esta folha, devidamente preenchida e assinada, é entregue ao segundo árbitro ou ao apontador.
7.3.3 Os jogadores que não estão na formação inicial de um set são os reservas para aquele set (exceto o Líbero)
7.3.4 Após a folha de formação ter sido entregue ao segundo árbitro ou ao apontador, nenhuma mudança na formação pode ser autorizada sem uma substituição regulamentar.
7.3.5 Discrepâncias entre as posições na quadra e a folha de formação são resolvidas como segue:
7.3.5.1 quando uma discrepância é descoberta antes do começo do set a posição dos jogadores deve ser retificada para adaptar-se à folha de formação inicial - não haverá punição;
7.3.5.2 quando, antes do começo do set, há um jogador na quadra e não está registrado na folha de formação daquele set, este jogador deve ser trocado de acordo com a folha de formação - não haverá punição;
7.3.5.3 todavia, se o técnico desejar conservar tal(is) jogador(es) não registrado(s) na quadra, ele tem que solicitar substituição(ões) regulamentar(es) que será(ão), então, registrada(s) na súmula.

7.4 POSIÇÕES

No momento em que a bola é golpeada pelo sacador, cada equipe deve estar posicionada dentro de sua própria quadra na ordem de rotação (exceto o sacador).
7.4.1 A posição dos jogadores é numerada como segue:
7.4.1.1 os três jogadores junto à rede são os jogadores da linha de frente e ocupam as posições 4(frente-esquerda), 3(frente-centro) e 2(frente-direita).
7.4.1.2 os outros três são os jogadores da linha de trás ocupando as posições 5(atrás-esquerda), 6(atrás-centro) e 1(atrás-direita).
7.4.2 Posição relativa entre jogadores
7.4.2.1 cada jogador da linha de trás deve estar posicionado mais afastado da linha central do que o jogador da linha de frente correspondente.
7.4.2.2 os jogadores da linha de frente e os da linha de trás, respectivamente, devem estar posicionados lateralmente na ordem indicada na Regra 7.4.1
7.4.3 As posições dos jogadores são determinadas e controladas de acordo com as posições de seus pés em contato com o solo, como segue:
7.4.3.1 cada jogador da linha de frente deve ter pelo menos parte de seu pé mais perto da linha central que os pés do jogador correspondente da linha de trás.
7.4.3.2 cada jogador direito (esquerdo) deve ter pelo menos parte de seu pé mais próximo da linha lateral direita (esquerda) que os pés do jogador central naquela linha.
7.4.4 Após o golpe de saque, os jogadores podem deslocar-se e ocupar qualquer posição na própria quadra e na zona livre.

7.5 FALTAS DE POSIÇÃO

7.5.1 A equipe comete uma falta de posição se qualquer jogador não está em sua posição correta no momento em que a bola é golpeada pelo sacador
7.5.2 Se o sacador comete uma falta de saque no momento do golpe do saque, a falta do sacador é contada antes de uma falta de posição.
7.5.3 Se o saque tornar-se faltoso após o golpe de saque, é a falta de posição que será penalizada.
7.5.4 Uma falta de posição leva às seguintes conseqüências:
7.5.4.1 a equipe é punida com um ponto e saque para o adversário;
7.5.4.2 as posições dos jogadores são retificadas.

7.6 ROTAÇÃO

7.6.1 A ordem de rotação é determinada pela formação inicial da equipe e controlada com a ordem de saque e posição dos jogadores durante todo o set.
7.6.2 Quando a equipe receptora ganha o direito de sacar, seus jogadores rotam uma posição no sentido dos ponteiros do relógio: jogador na posição 2 rota para a posição 1 para sacar, jogador da 1 rota para a 6, etc.

7.7 FALTAS DE ROTAÇÃO

7.7.1 Uma falta de rotação é cometida quando o SAQUE não é efetuado de acordo com a ordem de rotação. Ela conduz às seguintes conseqüências:
7.7.1.1 a equipe é punida com um ponto e saque para o adversário;
7.7.1.2 a ordem de rotação do jogadores é retificada.
7.7.2 Adicionalmente, o apontador deve determinar o momento exato quando a falta foi cometida e todos os pontos marcados subseqüentemente pela equipe faltosa devem ser cancelados. Os pontos do adversário permanecem válidos.
Se aquele momento não pode ser determinado, nenhum cancelamento de ponto(s) é efetuado, e um ponto e saque para o adversário é a única punição.

8. SITUAÇÕES DE JOGO

8.1 BOLA EM JOGO

A bola está em jogo desde o momento do golpe do saque. autorizado pelo primeiro árbitro.

8.2 BOLA FORA DE JOGO

A bola está fora de jogo no momento da falta, a qual é apitada por um dos árbitros; na ausência da uma falta, no momento do apito.

8.3 BOLA "DENTRO"

A bola é "dentro" quando toca o piso da quadra, incluindo as linhas de delimitação.

8.4 BOLA "FORA"

A bola é "fora" quando:
8.4.1 a parte da bola que toca o solo está totalmente fora das linhas de delimitação;
8.4.2 toca um objeto fora da quadra, o teto ou uma pessoa fora do jogo;
8.4.3 toca as antenas, cabos de fixação, postes ou a própria rede fora das antenas/faixas laterais;
8.4.4 cruza o plano vertical da rede, total ou parcialmente fora do espaço de cruzamento, exceto no caso da Regra 10.1.2.
8.4.5 cruza completamente o espaço inferior sob a rede.

9. JOGANDO A BOLA

Cada equipe deve jogar dentro dos limites de sua própria área e espaço de jogo (exceto Regra 10.1.2). A bola pode, contudo, ser recuperada além da zona livre.

9.1 TOQUES DA EQUIPE

Um toque é qualquer contato com a bola por um jogador em jogo.

A equipe tem direito a um máximo de três toques (além do bloqueio - Regra 14.4.1) para retornar a bola. Se mais forem usados, a equipe comete a falta de: “QUATRO TOQUES”.

9.1.1 CONTATOS CONSECUTIVOS

Um jogador não pode tocar a bola duas vezes consecutivamente (exceto Regras 9.2.3, 14.2 e 14.4.2).

9.1.2 CONTATOS SIMULTÂNEOS

Dois ou três jogadores podem tocar a bola no mesmo momento.

9.1.2.1 Quando dois (três) jogadores da mesma equipe tocam a bola simultaneamente, são contados dois (três) toques (exceto no bloqueio). Se eles tentam atingir a bola, mas somente um a toca, um toque é contado. Uma colisão de jogadores não constitui falta.

9.1.2.2 Quando dois oponentes tocam a bola simultaneamente sobre a rede e a bola continua em jogo, a equipe receptora tem o direito a outros três toques. Se a bola vai "fora", é falta da equipe colocada no lado oposto.
9.1.2.3 Se ocorrerem contatos simultâneos sobre o bordo superior da rede, entre dois jogadores oponentes, o jogo continuará.

9.1.3 TOQUE APOIADO

Dentro da área de jogo não é permitido a um jogador apoiar-se em um jogador de sua equipe ou qualquer estrutura/objeto para golpear a bola.
Todavia, o jogador que estiver para cometer uma falta (tocar a rede ou cruzar a linha central, etc.) pode ser parado ou retido por um companheiro de equipe.

9.2 CARACTERÍSTICAS DO TOQUE

9.2.1 A bola pode ser tocada com qualquer parte do corpo.
9.2.2 A bola não deve ser retida nem/ou lançada. Pode ser devolvida em qualquer direção.
9.2.3 A bola pode tocar várias partes do corpo, contanto que estes contatos ocorram simultaneamente.
Exceções:
9.2.3.1 no bloqueio, contatos consecutivos podem ocorrer entre um ou mais jogadores, desde que estes contatos ocorram durante a mesma ação;
9.2.3.2 no primeiro toque da equipe, a bola pode tocar várias partes do corpo consecutivamente, contanto que os contatos ocorram durante a mesma ação.

9.3 FALTAS AO JOGAR A BOLA

9.3.1 QUATRO TOQUES: uma equipe toca a bola quatro vezes antes de retorná-la;
9.3.2 TOQUE APOIADO: um jogador apóia-se em um companheiro de equipe ou em qualquer estrutura/objeto dentro da área de jogo para golpear a bola.
9.3.3 BOLA PRESA: a bola é retida e/ou lançada; ela não é rebatida pelo toque
9.3.4 DUPLO CONTATO: um jogador toca a bola duas vezes consecutivas ou a bola toca consecutivamente várias partes de seu corpo .

10. BOLA EM DIREÇÃO À REDE

10.1 BOLA CRUZANDO A REDE

10.1.1 A bola enviada para a quadra adversária deve passar por cima da rede, dentro do espaço de cruzamento. O espaço de cruzamento é a parte do plano vertical da rede, assim delimitado:
10.1.1.1 abaixo, pelo bordo superior da rede;
10.1.1.2 lateralmente, pelas antenas e seu prolongamento imaginário;
10.1.1.3 acima, pelo teto.
10.1.2 A bola que tenha cruzado o plano da rede para a zona livre do adversário total ou parcialmente em direção ao espaço externo, pode ser recuperada dentro dos toques da equipe desde que:
10.1.2.1 a quadra adversária não seja tocada pelo jogador;
10.1.2.2 a bola, quando retornada, cruze o plano da rede novamente total ou parcialmente pelo espaço externo do mesmo lado da quadra.
A equipe adversária não pode interferir nesta ação.
10.1.3 A bola que se encaminha para a quadra adversária através do espaço inferior está em jogo até o momento de ter cruzado completamente o plano vertical da rede.

10.2 BOLA TOCANDO A REDE

Enquanto cruza a rede, a bola pode tocá-la.

10.3 BOLA NA REDE

10.3.1 A bola enviada para a rede, pode ser recuperada dentro do limite dos três toques da equipe .
10.3.2 Se a bola rasga as malhas da rede ou a derruba, o "rally" é anulado e repetido.

12
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal