Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  A Tragédia Do Rei Ricardo Ii  Voltar

A Tragédia do Rei Ricardo II

William Shakespeare

PERSONAGENS

REI RICARDO II.
JO=C3O = DE GAUNT,=20 duque de Lencastre, tio do Rei
EDMUNDO DE LANGLEY, duque de = YORK, tio=20 do rei.
HENRIQUE, cognominado Bolingbroke, duque de Hereford, = filho de=20 Jo=E3o de Gaunt, depois Henrique IV.
DUQUE DE AUMERLE, filho = do duque de=20 York.
TOMAS MOWBRAY, duque de Norfolk.
DUQUE DE=20 SURREY.
CONDE DE SALISBURY.
LORDE=20 BERKELEY.
BUSHY, do servi=E7o do rei = Ricardo.
BAGOT, do=20 servi=E7o do rei Ricardo.
GREEN, do servi=E7o do rei = Ricardo.
CONDE=20 DE NORTHUMBERLAND.
HENRIQUE PERCY, cognominado Hotspur, = seu=20 filho.
LORDE ROSS.
LORDE WILLOUGHBY.
LORDE=20 FITZWATER.
BISPO DE CARLISLE.
ABADE DE=20 WESTMINSTER.
LORDE MARECHAL.
SIR PIERCE DE=20 EXTON.
SIR STEPHEN SCROOP.
Capit=E3o de um grupo de=20 galenses.
Esposa do rei Ricardo.
DUQUESA DE = GLOSTER.
DUQUESA=20 DE YORK.
Damas de companhia da rainha.
Nobres, arautos, = oficiais,=20 soldados, jardineiros, carcereiro, mensageiro, palafreneiro e outros=20 criados.

ATO I

CENA I

Londres. Um quarto no pal=E1cio. = Entram o rei=20 Ricardo, com s=E9quito; Jo=E3o de Gaunt e outros nobres.

REI RICARDO =97 Lencastre honrado, velho Jo=E3o de = Gaunt, conforme=20 teu penhor e juramento trouxeste Henrique de Hereford, teu filho = temer=E1rio,=20 porque ele ora sustente a grave acusa=E7=E3o que n=E3o pudemos ainda = julgar e que ele=20 fez, h=E1 pouco, contra Tom=E1s Mowbray, duque de Norfolk?

GAUNT =97 Sim, veio ele comigo, Majestade.

REI RICARDO =97 Dize-me, ainda: acaso j=E1 o = sondaste? N=E3o se funda=20 em antigas desaven=E7as a acusa=E7=E3o lan=E7ada contra o duque, ou = prov=E9m essa queixa,=20 como fora de esperar de um vassalo dedicado, de provas positivas de = trai=E7=E3o?

GAUNT =97 Tanto quanto sobre isso foi poss=EDvel = examin=E1-lo,=20 trata-se, realmente, de perigo que amea=E7a Vossa Alteza, n=E3o de = mal=EDcia alguma da=20 den=FAncia.

REI RICARDO =97 =C0 nossa real presen=E7a os trazei = logo. Face a=20 face, sobrolho carregado contra sobrolho, agora nos dispomos a ouvir o = que=20 disserem livremente.

(Saem alguns homens do s=E9quito.)

S=E3o teimosos; da c=F3lera no afogo surdos s=E3o = como o mar, ardem=20 qual fogo.

(Voltam os homens com Bolingbroke e = Mowbray.)

BOLINGBROKE =97 Muitos anos de dias venturosos desejo = ao meu=20 gracioso soberano, meu senhor e meu rei idolatrado.

MOWBRAY =97 Que ultrapasse em venturas cada dia = quantos o=20 precederam, t=E9 que a inveja do c=E9u, ante a terrena e feliz sorte, um = t=EDtulo=20 imortal vos acrescente.

REI RICARDO =97 A ambos agradecemos, muito embora = seja um dos=20 dois adulador, tal como se depreende da causa que vos trouxe, a alta = trai=E7=E3o de=20 que vos acusais. Primo Hereford, que assacas contra Norfolk, Tom=E1s = Mowbray?

BOLINGBROKE =97 Primeiro o c=E9u me sirva de = testemunha! =97 =E9 como=20 devotado s=FAdito, sempre cioso da sa=FAde preciosa de seu pr=EDncipe, = liberto de=20 qualquer =F3dio baixo ou mal nascido, que no papel de acusador eu me = acho na vossa=20 real presen=E7a. Ora, Tom=E1s Mowbray, =E9 a ti que eu digo o que se = segue; observa=20 minha sauda=E7=E3o, pois tudo quanto eu disser, na terra este meu corpo = vai=20 confirmar, ou responder minha alma divina no alto c=E9u. =C9s = miser=E1vel e traidor;=20 de origem boa para seres isso, e ruim demais para viveres. Quanto mais = belo o=20 c=E9u, mais ele esplende, mais feia =E9 a nuvem que lhe o brilho ofende. = E a fim de=20 arrematar o caso, digo que =E9s traidor e que para teu castigo, se meu = rei=20 consentir, a minha espada vai logo te privar da alma danada.

MOWBRAY =97 Que minhas express=F5es pouco violentas o = zelo n=E3o me=20 acusem. Nossa causa n=E3o ser=E1 decidida pela prova de guerra entre = mulheres, por=20 grosseiros palavr=F5es de duas l=EDnguas irritadas: quente est=E1 o = sangue para que se=20 esfrie por esse meio. Mas tamb=E9m n=E3o posso de paci=EAncia = orgulhar-me assaz=20 submissa para nada falar e ficar calmo. Em primeiro lugar, o alto = respeito=20 diante de Vossa Alteza n=E3o me deixa soltar as r=E9deas e calcar = esporas em meu=20 discurso livre, que teria disparado at=E9 haver lan=E7ado ao rosto deste = homem,=20 duplicada, a felonia de que ele ora me acusa. Se de parte pusermos a = realeza de=20 seu sangue, sem que do parentesco nos lembremos que o liga ao meu = senhor, eu o=20 desafio, cuspindo-lhe no rosto: dou-lhe os nomes de covarde, de vil e=20 maldizente. Sustento quanto disse, concedendo-lhe vantagens, ainda mesmo = que eu=20 tivesse de ir a p=E9 at=E9 aos picos congelados dos Alpes, ou a qualquer = lugar=20 in=F3spito em que jamais ingl=EAs haja pisado, isto defender=E1 minha = lealdade contra=20 sua perf=EDdia e falsidade.

BOLINGBROKE =97 Eis, tr=EAmulo covarde, que te atiro, = tamb=E9m, o meu=20 penhor, pondo de lado meu parentesco real e renunciando =E0 nobreza do = sangue, que=20 teu medo, n=E3o o respeito, agora fez lembrada. Se o medo criminoso = ainda te deixa=20 for=E7a bastante para levantares o penhor de minha honra: ent=E3o te = abaixa para=20 apanh=E1-lo, que, por ele e todo rito cavaleiresco, bra=E7o a bra=E7o, = sustento agora=20 quanto aqui te disse ou o que de pior tua mal=EDcia invente.

MOWBRAY =97 Levanto-o, e juro pela minha espada que a = honra de=20 cavaleiro gentilmente nos ombros me dep=F4s, que hei de encontrar-te em = qualquer=20 condi=E7=E3o l=EDcita e justa, segundo as nobres regras dos costumes = cavaleirescos. E,=20 uma vez montado, n=E3o quero descer vivo se, em verdade, traidor eu for = ou falto=20 de lealdade.

REI RICARDO =97 Que acusa=E7=E3o levanta o nosso = primo contra=20 Mowbray? Grande =E9, decerto, para nos fazer despertar o pensamento de = algo ruim=20 por ele praticado.

BOLINGBROKE =97 Vede: o que eu vou dizer, provo-o com = a vida.=20 Digo, pois, que Mowbray recebeu oito mil nobres como empr=E9stimo do = soldo do=20 ex=E9rcito de Vossa Majestade, que ele desviou para uso inconfess=E1vel, = como biltre=20 injurioso e vil traidor. Afirmo, ainda, e o provarei na li=E7a, aqui ou = alhures,=20 ou nas mais distantes paragens que olho ingl=EAs possa ter visto, que = todas as=20 trai=E7=F5es imaginadas durante estes dezoito =FAltimos anos t=EAm no = falso Mowbray a=20 fonte e a origem. Digo mais, e pretendo sustent=E1-lo, tirando-lhe a = exist=EAncia=20 miser=E1vel, porque surja a verdade, que ele a morte deu ao duque de = Gloster, por=20 ter feito sugest=F5es aos seus cr=E9dulos inimigos, e assim, como = traidor e=20 pusil=E2nime, em sangue lhe afogou a alma inocente, sangue esse que me = grita, como=20 o sangue de Abel sacrificado, das cavernas mudas de toda a terra, = reclamando=20 justi=E7a pronta e justa puni=E7=E3o. Por meus av=F3s, eu perderei a = vida ou lhe darei a=20 pena merecida.

REI RICARDO =97 Como alto as suas decis=F5es se = elevam! Tom=E1s de=20 Norfolk, que respondes a isso?

MOWBRAY =97 Oh! que meu soberano vire o rosto e deixe = surdo o=20 ouvido alguns instantes, at=E9 que eu mostre =E0 mancha do seu sangue = como Deus e as=20 pessoas de respeito dedicam =F3dio a tais caluniadores.

REI RICARDO =97 Ouvidos e olhos imparciais eu tenho, = Tom=E1s=20 Mowbray. Se irm=E3o ele me fosse, digo mais: fosse o herdeiro da coroa = =97 com ser=20 apenas filho do meu tio =97 juro pelo respeito do meu cetro que a = vizinhan=E7a ao=20 nosso sacro sangue privil=E9gio nenhum lhe ensejaria, nem deixara = parcial a=20 inabal=E1vel firmeza de minha alma =EDntegra e justa. =C9s meu vassalo, = como ele o =E9=20 tamb=E9m; fala, pois, sem receio de ningu=E9m.

MOWBRAY =97 Ent=E3o te digo, Bolingbroke, ao baixo = cora=E7=E3o, pela=20 porta estreita e falsa dessa garganta: mentes! Pois tr=EAs partes do = pagamento de=20 Calais em tempo foram devidamente distribu=EDdas entre os homens de Sua = Majestade.=20 A outra parte eu guardei, depois de obtido consentimento do meu rei. =C9 = que ele=20 me devia ainda o resto de uma conta, do tempo em que eu =E0 Fran=E7a = fora enviado,=20 para trazer-lhe a esposa. Agora engole toda a tua cal=FAnia. Quanto =E0 = morte de=20 Gloster, n=E3o fui eu seu assassino, mas por minha desgra=E7a, neste = caso me acusa a=20 consci=EAncia de um descaso do dever. Quanto a v=F3s, meu nobre lorde de = Lencastre,=20 muito alto e venerando pai do meu inimigo, uma cilada, de fato, eu = preparei para=20 matar-vos, pecado que me punge a alma angustiada. Mas antes de tomar o=20 sacramento, n=E3o faz muito, eu contei todo o ocorrido, j=E1 tendo = suplicado a Vossa=20 Gra=E7a que me perdoasse a falta, o que, suponho, n=E3o me foi denegado. = Eis o meu=20 erro. Tudo o mais da den=FAncia nasce apenas do rancor de um vil=E3o, de = um=20 miser=E1vel, da inveja de um traidor degenerado, contra o que eu = pr=F3prio ainda hei=20 de defender-me, motivo por que jogo a minha luva, tamb=E9m, aos p=E9s = desse traidor=20 ousado para, no sangue que seu peito albergue, provar que sou um fido=20 gentil-homem. Marque, pois, Vossa Alteza, sem demora, para o nosso = recontro o=20 dia e a hora.

REI RICARDO =97 Guiai-vos por mim, fidalgos = enraivados,=20 deixando-vos placar sem perder sangue. Sem ser m=E9dico, digo que n=E3o = h=E1 de cortar=20 fundo demais vossa maldade. Sede cordatos, esquecei; que o dia, diz o = doutor,=20 n=E3o =E9 para sangria. Vamos, bondoso tio, achar um meio que ponha logo = um fim a=20 este torneio. V=F3s vos incumbireis de vosso filho; eu, de Mowbray: = sair=E3o ambos=20 com brilho.

GAUNT =97 Esse of=EDcio diz bem com a minha idade. = Vamos, filho,=20 revela urbanidade: solta o penhor do duque.

REI RICARDO =97 Faze o mesmo, Mowbray, com o = dele.

GAUNT =97 Como! Acaso, a esmo falamos, Harry? A = obedi=EAncia manda=20 que ordens eu d=EA usando de voz branda.

REI RICARDO =97 Norfolk, a luva joga; qual o dano que = disso te=20 advir=E1?

MOWBRAY =97 Meu soberano, atiro-me a teus p=E9s. De = minha vida=20 podes dispor, por=E9m n=E3o te =E9 devida minha vergonha. Devo-te a = primeira; mas meu=20 nome, que a Morte, embora o queira, jamais me apagar=E1 da sepultura, = s=F3 poder=E1=20 viver com a f=E9 mais pura. Acusado me vejo, escarnecido, tratado com = desprezo=20 imerecido, transpassado at=E9 na alma pela espada venenosa da inf=E2mia, = de que nada=20 me poder=E1 curar, sen=E3o somente todo o sangue do biltre cujo dente me = fez esta=20 ferida.

REI RICARDO =97 N=E3o devemos soltar r=E9deas =E0 = c=F3lera; os extremos=20 se destroem: le=F5es domam leopardos.

MOWBRAY =97 Mas perduram as manchas, pelos dardos = provindos da=20 cal=FAnia. Se a vergonha me tirares, prometo que a pe=E7onha n=E3o mais = me h=E1 de=20 lembrar. Meu soberano, o mais puro tesouro, o mais que humano = benef=EDcio que o=20 tempo nos concede =E9 um nome imaculado, sem que adrede lhe manchemos o = brilho.=20 N=E3o passamos. sem isso, de uma argila com recamos, simples poeira = pintada. A=20 mais preciosa j=F3ia em cofre inviol=E1vel =E9 danosa reputa=E7=E3o num = peito leal e puro.=20 Minha honra =E9 minha vida; meu futuro de ambas depende. Serei homem = morto, se me=20 privarem da honra, do conforto de um nome imaculado. Por tudo isso, meu = caro=20 rei, far-me-=E1s alto servi=E7o, se me deixares defender com a vida = minha reputa=E7=E3o=20 t=E3o bem nascida.

REI RICARDO =97 Vamos, primo, come=E7a.

BOLINGBROKE =97 Deus n=E3o queira que minha alma se = manche por=20 maneira t=E3o vergonhosa. E cr=EDvel que eu, =E0 vista de meu pai, me = rebaixe e que=20 ele assista =E0 minha humilha=E7=E3o, sem que eu me guarde de mostrar-me = inferior a=20 este covarde? Antes que a l=EDngua possa a honra ferir-me por maneira = t=E3o baixa,=20 ou que confirme minha queda, chamando a parlamento vergonhoso, = servindo-me do=20 alento que me resta, com os dentes eu cortara o =F3rg=E3o servil da = humilha=E7=E3o amara=20 e ao rosto de Mowbray o jogaria, sangrento, onde se acoita a = vilania.

(Sai Gaunt.)

REI RICARDO =97 N=E3o temos por costume pedir nada, = sen=E3o dar=20 ordens. J=E1 que n=E3o podemos vos deixar como amigos, aprestai-vos, = respondendo com=20 a vida nesse ponto, que em Coventry vos batereis no dia de S=E3o = Lambert. As=20 lan=E7as e as espadas patentear=E3o as inten=E7=F5es malvadas. J=E1 que = o n=E3o pude,=20 incumba-se a justi=E7a de fazer ressaltar a f=E9 casti=E7a. Marechal, = aos arautos=20 manda aviso para que vejam tudo o que =E9 preciso.

(Saem.)

CENA II

O mesmo. Um quarto no pal=E1cio do = duque de=20 Lencastre. Entram Gaunt e a duquesa de Gloster.

GAUNT =97 Ai, a por=E7=E3o que me tocou do sangue de = Gloster, muito=20 mais do que essas queixas, me concita a ir de encontro aos carniceiros = de sua=20 vida. Mas, como o castigo se acha nas m=E3os que a falta cometeram, que = punir n=E3o=20 podemos, =E0 vontade do c=E9u entregue fica nossa causa. Quando vir que = =E9 chegada a=20 hora oportuna sobre a terra, vingan=E7as esbraseantes ele far=E1 chover = nos=20 criminosos.

DUQUESA =97 Os la=E7os fraternais n=E3o te esporeiam = com mais vigor?=20 O amor n=E3o tira chispas desse teu sangue velho? Os sete filhos de = Eduardo, e tu=20 =E9s um deles, eram como sete vasos de seu sagrado sangue, ou sete ramos = que de um=20 tronco viessem. Destes, alguns secaram pelo pr=F3prio curso da natureza; = outros=20 cortados foram pelo destino antes do tempo. Mas Tom=E1s, minha vida, meu = querido=20 senhor, meu Gloster, vaso do sagrado sangue de Eduardo, ramo florescente = de seu=20 real tronco, foi despeda=E7ado, tendo-se derramado toda a seiva = preciosa, foi=20 cortado, emurchecendo-se as folhas estivais, pela m=E3o dura da Inveja e = a foice=20 rubra do assassino. Ah, Gaunt, era o teu sangue! O leito, o seio, o = cora=E7=E3o, o=20 molde de onde a forma recebeste, fez dele uma criatura, e, embora = estejas vivo e=20 ainda respires, nele a vida perdeste. De algum modo, concordas em que = fosse o=20 teu pai morto, vendo teu pobre irm=E3o perder a vida, ele que de teu pai = era o=20 retrato. N=E3o d=EAs, Gaunt, a isso o nome de paci=EAncia; chama-lhe = desespero.=20 Consentindo que seja teu irm=E3o assassinado, p=F5es a nu o caminho de = tua vida,=20 mostrando ao duro criminoso o modo de te matar. O que nos homens baixos = tem nome=20 de paci=EAncia, =E9 covardia p=E1lida nas pessoas de alto sangue. Como = direi? O meio=20 mais seguro para salvaguardares a tua vida =E9 vingar o assass=EDnio do = meu=20 Gloster.

GAUNT =97 =C9 de Deus a quest=E3o, porque essa morte = foi causada por=20 seu representante, o mensageiro ungido em seu conspecto. Se um crime = cometeu,=20 que Deus o puna, porque eu jamais levantarei o bra=E7o vingador para ir = contra o=20 seu ministro.

DUQUESA =97 A quem dirijo, pois, as minhas = queixas?

GAUNT =97 A Deus, amparo e defensor das vi=FAvas.

DUQUESA =97 Ent=E3o, que seja. Velho Gaunt, adeus. = Vais a Coventry=20 para ver a luta que entre Mowbray, o sanguin=E1rio, e o nosso caro primo = Hereford=20 vai ser travada. Oh, se o dano causado ao meu esposo na espada de = Hereford=20 fizesse peso porque ela o peito atravessasse ao duro carniceiro Mowbray! = Ou se a=20 desgra=E7a n=E3o o alcan=E7ar desde a primeira volta, que a culpa de = Mowbray de tal=20 maneira lhe oprima o peito, que o =E1rdego cavalo tenha o dorso quebrado = e o=20 cavaleiro ao comprido da li=E7a atirar possa, p=E1lido e tr=EAmulo o = entregando =E0=20 f=FAria de Hereford. Velho Gaunt, adeus. A esposa de teu defunto irm=E3o = vai ter na=20 vida por companheira a sua dor comprida.

GAUNT =97 Adeus, irm=E3; para Coventry eu sigo; = consolo tenhas=20 quanto vai comigo.

DUQUESA =97 Uma palavra, ainda. As grandes dores = ressaltam de=20 onde caem, n=E3o por serem vazias: pela a=E7=E3o do pr=F3prio peso. = Despe=E7o-me sem ter=20 falado nada, que o luto torna a dor mais abafada. D=E1 recomenda=E7=F5es = a Edmundo=20 York, meu caro irm=E3o. E tudo. Agora podes partir. N=E3o, n=E3o te = v=E1s! Conquanto=20 seja tudo, um consolo =E0 minha dor enseja. Ocorre-me dizer-lhe... Em = que pensava?=20 Que em Plashy me visite a toda pressa. Mas que pode o bom velho = encontrar nessa=20 morada, sen=E3o muros desornados, sal=F5es vazios, quartos sem pessoas, = caminhos n=E3o=20 pisados? Que ouvir pode, sen=E3o a dor que o peito me sacode? Que n=E3o = pense em ir=20 l=E1 buscar tristeza, pois dela em toda parte ser=E1 presa. Chorando = aceito a minha=20 triste sorte; desesperada parto para a morte.

(Saem.)

CENA III

=C1rea perto de Coventry. Li=E7a = demarcada. Um=20 trono. Arautos, etc. Entram o lorde Marechal e Aumerle.

MARECHAL =97 Milorde Aumerle, Henrique de Hereford se = acha=20 pronto?

AUMERLE =97 De todo, s=F3 deseja poder entrar.

MARECHAL =97 Cheio de aud=E1cia e afogo, Tom=E1s = Mowbray aguarda=20 t=E3o-somente o sinal da trombeta do apelante.

AUMERLE =97 Sendo assim, preparados est=E3o ambos os = combatentes,=20 dependendo o encontro da chegada de Sua Majestade.

(Fanfarras. Entram o rei Ricardo, que se assenta = no trono,=20 Gaunt, Bushy, Bagot, Green e outros; que se colocam em seus lugares. A = um toque=20 de trombeta na cena, responde outro dentro. A seguir, entra Mowbray,=20 completamente armado, precedido de um arauto.)

REI RICARDO =97 Pergunta, marechal, ao cavaleiro que = ali se=20 encontra a causa de estar ele neste lugar, armado. Qual o nome, = pergunta-lhe,=20 tamb=E9m, e o juramento lhe toma de que vem por causa justa.

MARECHAL =97 Dize, em nome de Deus e do monarca, como = te chamas,=20 porque est=E1s armado qual cavaleiro, contra quem vieste, e o motivo nos = conta da=20 penden=E7a. Pela cavalaria que professas e por teu juramento, s=EA = ver=EDdico. E assim=20 te ampare o c=E9u e o brio pr=F3prio.

MOWBRAY =97 Tom=E1s Mowbray eu sou, duque de Norfolk; = aqui me=20 encontro por haver jurado =97 Deus n=E3o permita que perjuro eu fique! = =97 lutar por=20 minha lealdade e pela f=E9 que me liga a Deus, ao rei e a sua linhagem, = contra o=20 duque de Hereford, que me acusa, e, desta arte, com o aux=EDlio de Deus = e deste=20 bra=E7o, demonstrar-lhe, ao tempo em que a mim pr=F3prio me defendo, que = ele traiu a=20 Deus, ao rei e a mim. Como estou com a verdade, o c=E9u me ampare.

(Senta-se no seu lugar.)

(Soam trombetas. Entra Bolingbroke, apelante, com = armadura e=20 precedido de um arauto.)

REI RICARDO =97 Pergunta, marechal, ao cavaleiro que = armado ali=20 se encontra, qual seu nome, por que raz=E3o aqui se acha vestido de = coura=E7a de=20 guerra e, sempre =E0s luzes de nossas leis, lhe obt=E9m o depoimento da = justi=E7a da=20 causa que defende.

MARECHAL =97 Como te chamas? Por que causa te achas = diante do rei=20 Ricardo e em sua li=E7a? Contra quem te apresentas? Qual a queixa que = aqui te=20 trouxe? Como cavaleiro, dize a verdade e o c=E9u que te defenda.

BOLINGBROKE =97 Sou Harry de Hereford, Lencastre e = Derby. Armado=20 me apresento nesta li=E7a para, com a ajuda do Senhor e minha pr=F3pria = for=E7a,=20 provar que Mowbray, duque de Norfolk, execrando e perigoso, traiu a = Deus, ao rei=20 Ricardo e a mim. Como estou com a verdade, o c=E9u me ampare.

MARECHAL =97 Pois, sob pena de morte, ningu=E9m seja = t=E3o atrevido=20 que ouse entrar na li=E7a, sen=E3o somente o marechal e quantos oficiais = ele tenha=20 designado para a alta dire=E7=E3o deste torneio.

BOLINGBROKE =97 Permiti, marechal, que a m=E3o eu = beije de Sua=20 Gra=E7a e que os joelhos dobre ante o meu rei, porque Mowbray e eu = pr=F3prio somos=20 como pessoas que se aprestam para uma viagem longa e cansativa. Permiti, = pois,=20 fa=E7amos despedida cerimoniosa e adeus muito saudoso aos amigos que = ficam=20 presentemos.

MARECHAL =97 O apelante sa=FAda com respeito Vossa = Grandeza e=20 solicita a gra=E7a de vos beijar a m=E3o e despedir-se.

REI RICARDO (descendo do trono) =97 Para = abra=E7=E1-lo, o=20 trono n=F3s deixamos. Primo Hereford, em sendo a causa justa, ampare-te = a Fortuna=20 nesta justa. Se meu sangue perderes, a departe te poderei chorar, mas = sem=20 vingar-te.

BOLINGBROKE =97 Olho nobre nenhum de mim se importe, = se a espada=20 de Mowbray me der a morte. Como o falc=E3o no v=F4o, assim, confiante, = contra=20 Mowbray me atiro, a meu talante. Meu amado senhor, eu me despe=E7o de = v=F3s e de meu=20 primo, lorde Aumerle, n=E3o abatido, ainda que a morte eu vejo, mas = mo=E7o e alegre=20 e com vigor sobejo. Como nas festas p=E1trias, eu sa=FAdo o mais doce = manjar no fim=20 de tudo: =D3 tu, autor terreno do meu sangue, cujo esp=EDrito mo=E7o, = renovado dentro=20 de mim, me empresta vigor duplo para que eu me alce =E0. altura da = vit=F3ria que,=20 airosa, plana sobre a minha fronte, com tuas ora=E7=F5es invulner=E1vel = a armadura me=20 deixa, e, com tuas b=EAn=E7=E3os, torna mais fina a ponta desta lan=E7a = porque ela possa=20 penetrar na cota de cera de Mowbray e brilho ao nome de Jo=E3o de Gaunt = ainda=20 aumentar consiga na atitude altanada de seu filho.

GAUNT =97 Deus te auxilie em tua causa justa. Como o = raio, s=EA=20 r=E1pido na luta; que teus golpes, dobrados, redobrados, qual o trov=E3o = atroador,=20 no casco de teu inimigo pernicioso caiam. Reanima o sangue jovem desse=20 peito.

BOLINGBROKE =97 Com a ajuda de S=E3o Jorge e do = Direito.

(Senta-se em seu lugar.)

MOWBRAY (levantando-se) =97 Como a Fortuna e o = c=E9u=20 determinarem, vai morrer ou viver aqui um s=FAdito fiel ao rei Ricardo, = um=20 gentil-homem honrado, leal e justo. Nenhum preso jamais com o = cora=E7=E3o t=E3o=20 levantado longe os ferros jogou do cativeiro, para abra=E7ar com mostras = delirantes a liberdade de ouro, como agora minha alma dan=E7a ao = celebrar, alegre,=20 esta festa de sangue. Poderoso monarca, companheiros de nobreza, meus = votos vos=20 dirijo com lhaneza. Como para um passeio eu me despe=E7o, confiante em = vir a obter=20 alto sucesso.

REI RICARDO =97 Adeus, milorde; nesses olhos vejo da = virtude e=20 valor forte lampejo. Dai logo in=EDcio, marechal, =E0 pugna.

(O rei e os nobres voltam para seus = lugares.)

MARECHAL =97 Henrique de Hereford, Lencastre e Derby, = recebe a=20 lan=E7a e que o Direito ven=E7a.

BOLINGBROKE (levantando-se) =97 Qual torre de = esperan=E7a,=20 =93Am=E9m=94 eu digo.

MARECHAL (a um oficial) =97 Leva ao duque de = Norfolk esta=20 lan=E7a.

PRIMEIRO ARAUTO =97 Henrique de Hereford, Lencastre e = Derby,=20 diante de Deus, do rei e de si pr=F3prio aqui se acha, sob pena de ser = tido como=20 impostor sem f=E9 e sem coragem, para trazer a prova de que o duque = Tom=E1s Mowbray=20 faltou com a lealdade ante Deus, ante o rei e ante ele mesmo, = desafiando-o, por=20 isso, para duelo.

SEGUNDO ARAUTO =97 Aqui tamb=E9m est=E1 o duque de = Norfolk, Tom=E1s=20 Mowbray, sob pena de ser tido como desleal e falto de coragem, n=E3o = somente em=20 defesa de si pr=F3prio, como tamb=E9m para trazer a prova de que Harry = de Hereford,=20 Lencastre e Derby foi desonesto a Deus, ao rei e a ele, o que faz com = vontade=20 livre e altiva, s=F3 aguardando o sinal para o combate.

MARECHAL =97 Trombetas soai! =C0 frente, = combatentes!

(Toque de ataque.)

Parai! Parai! O rei soltou o bast=E3o!

REI RICARDO =97 Pondo de lado o capacete e a lan=E7a, = voltem a=20 ocupar ambos seus lugares. Vinde conosco, e que as trombetas soem at=E9 = voltarmos=20 e trazermos nossa resolu=E7=E3o que ser=E1 dita aos duques.

(Toque demorado de fanfarra)

(Aos combatentes) =97 Aproximai-vos e ouvi o = que decidimos=20 no conselho. Porque o solo do reino n=E3o se manche com o caro sangue a = que ele=20 dera vida; por nos ser repugnante =E0 vista o aspecto cruel das civis = chagas,=20 produzidas por espadas afins; e por pensarmos que o orgulho de asas de = =E1guia e=20 os pensamentos cuja ambi=E7=E3o ao c=E9u remontam sempre, de par com a = inveja que os=20 rivais odeia foram causa de terdes despertado nossa paz que dormia = infantil sono=20 no ber=E7o calmo desta nossa terra, e que assim despertada pelo ru=EDdo = dos tambores=20 discordes, pelos gritos selvagens e estridentes das trombetas e o = =E1spero choque=20 das irosas armas, expulsar=E1, talvez, a paz formosa dos nossos quietos = lindes,=20 resultando o mal de em sangue amigo mergulharmos: vos banimos de nossos=20 territ=F3rios. Primo Hereford, sob pena de perderdes a vida, enquanto = duas vezes=20 cinco ver=F5es nossas campinas n=E3o dourarem, n=E3o saudareis nossos = dom=EDnios belos=20 mas os caminhos pisareis do ex=EDlio.

BOLINGBROKE =97 Seja como o dizeis. Minha alegria = ser=E1, t=E3o-s=F3,=20 no ex=EDlio, todo dia saber que o sol que aqui vos ilumina me dar=E1, = tamb=E9m, luz, e=20 que a ru=EDna de minha vida triste e malfadada dourar=E1, como em = f=FAlgida=20 alvorada.

REI RICARDO =97 Norfolk, =E9 mais pesada a tua pena, = digo-te a=20 contragosto: as sorrateiras horas n=E3o marcar=E3o jamais o termo do teu = ex=EDlio caro=20 e sem limite. Contra ti pronunciamos a implac=E1vel palavra =93Nunca = mais!=94 Ou isto=20 ou a morte.

MOWBRAY =97 A senten=E7a =E9 terr=EDvel, soberano = senhor. Eu n=E3o=20 contava que da boca de Vossa Majestade ela me viesse. D=E1diva mais = valiosa, n=E3o=20 t=E3o grave mutila=E7=E3o como me ver lan=E7ado na infinda vastid=E3o = que a todos cabe,=20 das m=E3os de Vossa Alteza eu merecera. A l=EDngua que durante quarenta = anos eu=20 aprendi, o ingl=EAs nativo, devo-a doravante esquecer. Vai ela, agora, = ser para=20 mim como viola ou harpa sem cordas, ou qualquer fino instrumento sempre = no=20 estojo, ou, quando fora dele, posto em m=E3os que de todo o jeito = ignoram de tirar=20 dele acordes harmoniosos. Em minha boca a l=EDngua me prendestes, = trancando-a=20 duplamente com a barreira dos dentes e dos l=E1bios e deixando que a = est=FApida=20 Ignor=E2ncia, bronca e est=E9ril, como meu carcereiro, de mim cuide. Sou = muito velho=20 para adular ama, muito avan=E7ado em anos para aluno voltar a ser. O que = =E9, pois,=20 a senten=E7a cominada, sen=E3o a morte muda, que me tira da l=EDngua = toda a ajuda?

REI RICARDO =97 Por que do teu sofrer fazer alarde? = Para=20 lamenta=E7=F5es =E9 muito tarde.

MOWBRAY =97 Ent=E3o vou procurar onde me acoite: na = treva espessa=20 da infinita noite.

(Faz men=E7=E3o de retirar-se.)

REI RICARDO =97 Espera mais um pouco e faze um voto: = ponde as=20 banidas m=E3os na real espada que aqui tendes, e pela obedi=EAncia que = ao c=E9u deveis=20 =97 convosco n=F3s banimos a por=E7=E3o que era nossa =97 prometei-nos = cumprir a jura que=20 ora formulamos: Que jamais =97 a verdade e Deus vos guiem! =97 vos = ligareis no=20 ex=EDlio pelos la=E7os da amizade, nem nunca face a face vos vereis; que = n=E3o h=E1 de=20 haver entre ambos troca de cumprimentos ou de cartas, que n=E3o = atenuareis a=20 tempestade desses =F3dios dom=E9sticos e nunca vos vereis de pensado, ou = seja para=20 tramar, ou para maquinar alguma coisa contra n=F3s pr=F3prios, nosso = Estado,=20 qualquer vassalo nosso ou nossa terra.

BOLINGBROKE =97 Juro.

MOWBRAY =97 Eu, tamb=E9m, juro cumprir tudo isto.

BOLINGBROKE =97 Norfolk, como entre inimigos se = permite: a esta=20 hora, se tivesse o rei querido, uma de nossas almas vaguearia pelo ar, = banida do=20 sepulcro fr=E1gil da nossa carne, como nossa carne banida agora se acha = da=20 Inglaterra. Confessa-te traidor, pois, antes de ires do reino. J=E1 que = partes=20 para longe, n=E3o carregues por todo o mundo o fardo, t=E3o pesado, de = uma alma=20 criminosa.

MOWBRAY =97 N=E3o, Bolingbroke; se traidor eu fosse, = quisera ver=20 meu nome derriscado do livro da exist=EAncia, e ser banido do c=E9u, = como da p=E1tria.=20 Mas o que =E9s, s=F3 Deus, tu e eu sabemos. Mas suspeito de que cedo o = rei venha a=20 arrepender-se. Adeus, meu rei; =E9 minha toda a terra, salva a estrada = que vier=20 ter =E0 Inglaterra.

(Sai.)

REI RICARDO =97 Tio, no espelho desses olhos vejo que = o cora=E7=E3o=20 te sangra. O triste aspecto conseguiu apagar quatro dos anos do = ex=EDlio.

(A Bolingbroke) =97 Decorridos seis invernos, = tragam-te a=20 este pa=EDs ventos galernos.

BOLINGBROKE =97 Que tempo enorme uma palavra encerra! = Fala um=20 monarca: quatro invernos frios ele respira e alegres quatro estios!

GAUNT =97 Agrade=E7o ao meu rei ter encurtado, por = considera=E7=E3o a=20 mim, quatro anos do ex=EDlio de meu filho. Mas =E9 m=EDnima a vantagem = que eu possa=20 auferir disso. Porque antes de mudarem os seis anos do ex=EDlio de meu = filho as=20 suas luas e o curso completarem, minha l=E2mpada sem =F3leo, minha luz = quase=20 apagada, os anos as far=E3o mergulhar cedo numa noite infinita. O meu = pequeno=20 pavio vai perder, em pouco, o brilho, sem que eu possa rever meu caro = filho.

REI RICARDO =97 Tio, ainda contas com uma longa = vida.

GAUNT =97 N=E3o, por=E9m, com uma hora mal sofrida = que um rei me=20 possa dar. Sim, poderias deixar mais curtos meus tristonhos dias, = roubar-me=20 longas noites de veladas, mas dar n=E3o podes r=F3seas alvoradas. = Ajudar=E1s o tempo=20 em seu trabalho de abrir sulcos em mim; mas ser=E1 falho qualquer = intento de deter=20 o passo das lentas rugas em t=E3o pouco espa=E7o. Podes matar-me, sim, = ningu=E9m=20 duvida; mas, morto eu, nem teu reino me d=E1 vida.

REI RICARDO =97 Teu filho foi banido ap=F3s conselho = demorado, em=20 que tua l=EDngua teve parte no veredicto. Por que causa procurar = rebaixar nossa=20 justi=E7a?

GAUNT =97 Quanto a gula insaci=E1vel mais cobi=E7a, = mais nos pesa no=20 est=F4mago. Mandaste que eu fosse juiz direito num contraste com minhas = emo=E7=F5es;=20 eu preferira que falar me deixasses sem mentira, na posi=E7=E3o de pai. = Mais=20 indulgente me teria mostrado, se na frente um estranho tivesse, n=E3o = meu filho.=20 Porque a suspeita n=E3o manchasse o brilho do meu nome, com a pecha de = parcial,=20 fui parte em minha pena capital. Esperei que um de v=F3s me reprochasse = tanto=20 rigor e me dissesse em face que eu muito exagerava por ter sido fautor = de meu=20 destino dolorido. Consentistes, assim, que minha l=EDngua venha a ser = causa de eu=20 morrer =E0 m=EDngua.

REI RICARDO =97 Adeus, primo; repete-lhe, bom tio, = que o ex=EDlio =E9=20 de seis anos; seis, a fio.

(Toque de clarins; sa=ED o rei Ricardo com seu=20 s=E9quito.)

AUMERLE =97 Adeus, primo; do ex=EDlio, por escrito, = direis o mais=20 que houver para ser dito.

MARECHAL =97 N=E3o me despedirei, =E9 s=F3 o que eu = falo; at=E9 =E0=20 fronteira iremos a cavalo.

GAUNT =97 Por que amealhas, assim, tuas palavras, = n=E3o dando uma=20 resposta aos teus amigos?

BOLINGBROKE =97 De muito poucas eu disponho agora = para me=20 despedir, quando devera pr=F3diga ser a l=EDngua em seu of=EDcio, para = exprimir a dor=20 que me angustia.

GAUNT =97 Tua dor =E9 s=F3 aus=EAncia de algum = tempo.

BOLINGBROKE =97 Sem alegria, =E9 dor todo esse = tempo.

GAUNT =97 Seis invernos que s=E3o? Passam = depressa.

BOLINGBROKE =97 Para quem =E9 feliz; mas a tristeza = transforma uma=20 hora em dez.

GAUNT =97 Pensa que te achas viajando por vontade e = com=20 proveito.

BOLINGBROKE =97 A esse nome de viagem suspirara-me o = cora=E7=E3o, por=20 oprimi-lo a ang=FAstia da peregrina=E7=E3o for=E7ada e longa.

GAUNT =97 Imagina que o c=EDrculo sombrio de teus = cansados passos=20 seja apenas o caixilho em que tens de p=F4r a j=F3ia preciosa de tua = volta para a=20 p=E1tria.

BOLINGBROKE =97 N=E3o; cada trecho que eu andar, = tedioso, lembrado=20 me far=E1 da por=E7=E3o grande do mundo que me afasta dessa j=F3ia. = Terei de entrar em=20 longo aprendizado no estrangeiro, somente para, ao cabo do meu ex=EDlio, = vir a=20 vangloriar-me de que fui oper=E1rio do infort=FAnio?

GAUNT =97 Qualquer lugar que o olho do c=E9u visita, = para o s=E1bio =E9=20 feliz enseada e porto de salvamento. Ensinar deves tua necessidade a = assim=20 julgar as coisas. N=E3o h=E1 melhor virtude do que a pr=F3pria = necessidade. Pensa que=20 n=E3o foste banido pelo rei, mas que, ao contr=E1rio, tu =E9s o que o = baniste. O=20 sofrimento pesa mais onde observa que =E9 levado com mais dificuldade. = Ora imagina=20 que eu te enviei para buscares honras, n=E3o que o rei te exilou. = Sup=F5e, ainda,=20 que em nosso ar voraz peste ora se encontra, raz=E3o de procurares = outros climas.=20 Deves pensar que o que =E0 alma te for caro se acha no ponto de chegada, = nunca no=20 lugar de onde vieste; considera m=FAsicos os canoros passarinhos, a = grama em que=20 pisares, lindo junco, belas mulheres quantas flores vires e teus passos = n=E3o mais=20 do que a cad=EAncia deliciosa da dan=E7a. Que a tristeza rosnadora com = menos for=E7a=20 morde quem com ela se p=F5e menos acorde.

BOLINGBROKE =97 Oh! Quem nas m=E3os sustentaria fogo, = imaginando=20 ser o frio C=E1ucaso? Ou embotara a ponta do apetite, pensando apenas em = manjares=20 finos? Ou, nu, passeara as neves de dezembro, evocando fant=E1sticos = calores? N=E3o!=20 A imagina=E7=E3o do que =E9 agrad=E1vel torna mais doloroso o sentimento = do que nos=20 causa dor. Nunca destila tanto veneno o dente da tristeza como quando = n=E3o mata=20 logo a presa.

GAUNT =97 Quero mostrar-te, filho, o teu caminho: se = eu fosse a=20 ti, deixara o p=E1trio ninho.

BOLINGBROKE =97 Seja assim; adeus, solo da = Inglaterra; querida=20 terra, minha m=E3e, minha ama que me nutres ainda, adeus! Eu parto e, = ufano,=20 mostrar-me-ei ao mundo inteiro, sempre ingl=EAs, muito embora no = estrangeiro.

(Saem.)

CENA IV

Londres. Um quarto no castelo real. = Entram o=20 rei Ricardo, Bagot e Green, por uma porta; Aumerle por outra.

REI RICARDO =97 Notamos, sim... Aumerle, at=E9 que = ponto do caminho=20 levaste o alto Hereford?

AUMERLE =97 Levei o alto Hereford, se vos agrada = dar-lhe esse=20 nome, at=E9 =E0 estrada pr=F3xima, onde o deixei.

REI RICARDO =97 E =E0 despedida. quantas l=E1grimas = derramaste?

AUMERLE =97 Ora, nenhuma, ou, antes, o noroeste que = soprava=20 contra n=F3s com viol=EAncia e, desse modo, me endefluxou, fez que, por = mero acaso,=20 ca=EDsse em nossa fria despedida a gra=E7a de uma l=E1grima.

REI RICARDO =97 E que disse nosso primo no instante = em que o=20 deixaste?

AUMERLE =97 =93Adeus.=94 E como o cora=E7=E3o n=E3o = me deixasse profanar=20 esse termo, arranjei for=E7as para que o abatimento simulasse tanta dor, = que as=20 palavras pareciam sepultadas na tumba da tristeza. Com a breca! Se a = palavra=20 =93Adeus=94 as horas alongasse e bastantes anos desse a esse pequeno = ex=EDlio, ele=20 teria recebido de mim muitos volumes de adeuses. Mas n=E3o tendo a = faculdade de=20 assim fazer, n=E3o recebeu nenhum.

REI RICARDO =97 E nosso primo, primo; mas chegado que = seja o fim=20 do ex=EDlio, =E9 duvidoso que o parente a rever volte os amigos. N=F3s = pr=F3prio, Green=20 aqui, Bagot e Bushy observamos como ele costumava bajular o povinho, = parecendo=20 mergulhar-lhe no peito com saudares de cortesia familiar e humilde; como = ele=20 prostitu=EDa rever=EAncias com escravos, ganhando os oper=E1rios a poder = de sorrisos e=20 fingindo paciente suportar o triste fado, como se para o ex=EDlio = carregasse a=20 afei=E7=E3o deles todos. Pois se o gorro tirou para uma vendedora de = ostras! Dois=20 carroceiros lhe gritaram: =93Possa Deus vos servir de guia!=94 Ao que o = tributo=20 receberam de seus male=E1veis joelhos com =93Meus compatriotas! = Agrade=E7o-vos de todo=20 o cora=E7=E3o, caros amigos!=94 como se por heran=E7a ele tivesse = recebido a Inglaterra=20 e da esperan=E7a dos meus s=FAditos fosse o degrau pr=F3ximo.

GREEN =97 Bem, mas j=E1 foi e com ele, esses = cuidados. Urge pensar=20 na rebeli=E3o da Irlanda. Medidas prontas devem ser tomadas, meu = soberano, antes=20 que mais descanso lhe propicie recursos que redundem em preju=EDzo de = Vossa=20 Majestade.

REI RICARDO =97 Iremos em pessoa a essa campanha. E = j=E1 que nossos=20 cofres, com t=E3o grande corte e tantas larguezas, se tornaram leves = demais,=20 seremos obrigados a penhorar nosso real dom=EDnio. Servir=E1 essa renda = para os=20 gastos do neg=F3cio imediato. Se for pouco, nossos representantes aqui = dentro=20 receber=E3o letras em branco para fazer que grandes somas de ouro = assinem as=20 pessoas de haveres, o que logo nos enviar=E3o para suprirmos nossas = necessidades.=20 Sim, que sem delongas embarcar pretendemos para a Irlanda.

(Entra Bushy.)

Bushy, que novidade?

BUSHY =97 O velho Jo=E3o de Gaunt est=E1 de cama, = milorde, muito mal.=20 Foi repentino. Mandou recado urgente porque Vossa Majestade lhe fa=E7a = uma=20 visita.

REI RICARDO =97 Onde se acha?

BUSHY =97 Em Ely House.

REI RICARDO =97 Deus, sugere a seu m=E9dico que o = ajude a baixar,=20 sem demora, para o t=FAmulo! O forro de suas arcas vai servir-nos para = enroupar os=20 homens que levarmos para as guerras da Irlanda. Gentis-homens, vinde = comigo!=20 Vamos visit=E1-lo. Ainda que no caminho n=E3o paremos, Deus queira que = cheguemos=20 muito tarde.

TODOS =97 Am=E9m.

(Saem.)

ATO II

CENA I

Londres. Um quarto em Ely House. = Gaunt, no=20 leito; junto dele, o duque de York e outros.

GAUNT =97 Dizei-me: o rei n=E3o vem? No =FAltimo = alento quero=20 conselhos ministrar =E0 sua mocidade inconstante.

YORK =97 N=E3o seja isso causa de vos ralar, porque = os conselhos=20 nem de leve lhe tocam os ouvidos.

GAUNT =97 Sim, mas dizem que a fala dos que se acham = no transe de=20 morrer a aten=E7=E3o for=E7a qual profunda harmonia. Quando poucas s=E3o = as palavras,=20 raramente ficam desperdi=E7adas. Quem respira a custo, s=F3 respira a = verdade, =E9=20 sempre justo. Mais a aten=E7=E3o nos prende o moribundo do que o jovem = est=FArdio e=20 tresloucado; o fim nos fere mais do que o jucundo passatempo da vida. O = fatigado=20 p=F4r do sol, como o fim das harmonias e as =FAltimas por=E7=F5es das = iguarias com mais=20 for=E7a nos ficam na mem=F3ria do que as coisas de fama transit=F3ria. = Espero que=20 Ricardo ora me atenda, que a voz da morte =E9 sempre reverenda.

YORK =97 N=E3o, que tem os ouvidos entupidos por sons = aduladores:=20 elogios ao seu governo, esses lascivos versos de ritmo venenoso, que = n=E3o deixa=20 de nas ou=E7as calar da mocidade; as modas da vaidosa e altiva It=E1lia, = cujos=20 costumes nosso povo tardo macaqueia, coxeando-lhe no encal=E7o com vil = imita=E7=E3o.=20 Quando no mundo surgiu qualquer frivolidade =97 mesmo que seja = desprez=EDvel, pouco=20 importa =97 que depressa aos ouvidos n=E3o lhe viessem sussurrar? Os = conselhos=20 sempre chegam retardados, se se acham desacordes a vontade e a raz=E3o. = Servir n=E3o=20 queiras de guia a quem despreza o aux=EDlio alheio; vais esgotar o = alento em v=E3o=20 torneio.

GAUNT =97 Qual profeta inspirado ora eu me sinto. Eis = o que, na=20 hora extrema, a seu respeito vou predizer: durar n=E3o pode a sua chama = impetuosa=20 de dissipa=E7=E3o, porque o fogo violento se consome depressa. As chuvas = finas duram=20 muito, mas s=E3o curtas as grandes tempestades. Quem faz imoderado uso = da espora,=20 termina por matar a montaria; quem come com sofreguid=E3o, acaba por se = asfixiar=20 com os pr=F3prios alimentos. A vaidade falaz, corvo insaci=E1vel, ap=F3s = consumir=20 tudo, se devora. Este real trono, esta ilha coroada, este solo de altiva = majestade, esta sede de Marte, este novo =C9den, este meio para=EDso, = fortaleza que=20 a Natureza para si construiu contra as doen=E7as e os bra=E7os = invasores; esta ra=E7a=20 feliz, mundo pequeno, esta pedra preciosa, colocada num mar de prata que = lhe faz=20 as vezes de muro intranspon=EDvel ou de fosso que lhe defende a casa = contra a=20 inveja das terras menos fartas; este solo bendito, este torr=E3o, esta = Inglaterra,=20 esta ama, esta matriz, sempre fecunda, de grandes reis, famosos pela = origem,=20 temidos pelo bra=E7o, celebrados por seus feitos em prol da cristandade = e da=20 cavalaria =97 t=E3o distante desta p=E1tria, qu=E3o longe, entre os = judeus teimosos o=20 sepulcro se levanta do Salvador do mundo, o santo filho de Maria; esta = terra de=20 almas caras, este pa=EDs car=EDssimo, querido pela reputa=E7=E3o de que = se goza no=20 mundo, agora se acha hipotecado =97 s=F3 de diz=EA-lo, morro! =97 como = casa particular=20 ou herdade abandonada: a Inglaterra, que o mar triunfante cinge, cujas = costas de=20 pedra inutilizam os assaltos da inveja do marinho Netuno, de ignom=EDnia = est=E1=20 coberta, pelos apodrecidos pergaminhos dos contratos e manchas de = escrituras:=20 esta p=E1tria querida, esta Inglaterra que terras outras conquistava, = agora fez a=20 triste conquista de si mesma. Ah! se poss=EDvel fosse que esse = esc=E2ndalo com minha=20 vida desaparecesse, feliz seria a morte que me adviesse.

(Entram o rei Ricardo, a rainha, Aumerle, Bushy, = Green,=20 Bagot, Ross e Willoughby.)

YORK =97 O rei chegou; poupai-lhe a mocidade, que os = potros=20 ardorosos, ao se verem espica=E7ados, mais furiosos ficam.

RAINHA =97 Como =E9 que vai passando o nosso nobre = tio=20 Lencastre?

REI RICARDO =97 Ent=E3o, homem, que =E9 isso? Que foi = que aconteceu=20 com o idoso Gaunt?

GAUNT =97 Como diz esse nome com o meu todo! Gaunt, = de fato; e=20 guante, por ser velho, s=F3 pele em cima de ossos. A tristeza dentro de = mim passa=20 um jejum for=E7ado. Quem fica sem comer, e n=E3o acaba como pele de = guante? Fiz=20 vig=EDlias longas pela Inglaterra adormecida; as vig=EDlias produzem = s=F3 magreza, e a=20 magreza =E9 s=F3 pele. Fiquei sempre jejuno do que os pais tanto se = alegram: a vista=20 de meus filhos. Desse modo, =E0 for=E7a de jejuar, tu me deixaste = reduzido a este=20 estado: ossos e pele. Pele de guante eu sou para o sepulcro, vazio como = um=20 t=FAmulo, cujo oco vai receber de mim t=E3o-somente ossos.

REI RICARDO =97 Podem doentes fazer tais trocadilhos = com o=20 pr=F3prio nome?

GAUNT =97 N=E3o; mas a mis=E9ria folga em ser = escarninha de si=20 pr=F3pria. J=E1 que o meu nome em mim matas desta arte, rio-me dele =97 = =F3 rei! =97 para=20 adular-te.

REI RICARDO =97 Adulam moribundos aos que vivem?

GAUNT =97 N=E3o, os vivos adulam os que morrem.

REI RICARDO =97 Estou vivo e me adulas: =E9 = patente.

GAUNT =97 N=E3o; tu morres, embora eu seja o = doente.

REI RICARDO =97 Estou forte, respiro; tu = definhas.

GAUNT =97 Deus, que me fez, me diz que de mezinhas tu = precisas e=20 que j=E1 te avizinhas, como eu, do fim da vida. Tens por leito de morte = a pr=F3pria=20 p=E1tria, onde agoniza tua reputa=E7=E3o. E tu, por seres um doente = negligente, o=20 ungido corpo aos cuidados confiaste dos que tantas feridas te causaram: = os=20 milhares de aduladores que se abrigam dentro da coroa, cujo =E2mbito, = contudo, se=20 mede apenas pela tua cabe=E7a. Mas, com ser t=E3o pequeno o ninho deles, = estende-se=20 a devasta=E7=E3o por toda tua terra. Ah! se teu av=F4 pudesse ter sabido = que o filho=20 de seu filho viria a ser a ru=EDna de seus filhos, longe de ti ele teria = posto tua=20 grande desonra e te haveria deposto antes de seres empossado na posse = que depor=20 te amea=E7a agora. Sim, primo, embora fosses rei do mundo, seria = vergonhoso=20 hipotecares este pa=EDs. Cingindo-se o teu mundo a ele somente, =E9 mais = do que=20 vergonha desonr=E1-lo a esse ponto. =C9s o intendente da Inglaterra, = t=E3o-s=F3, n=E3o seu=20 monarca. O Estado soberano =E0 lei se curva; mas tu...

REI RICARDO =97 ... =E9s um lun=E1tico sem miolo, que = te vales da=20 febre, como se ela te concedesse privil=E9gio para com teus glaciais = conselhos nos=20 deixares p=E1lido o rosto, o sangue real tocando, col=E9rico, de sua = resid=EAncia=20 natural. Pois pela alta majestade do meu trono, se acaso tu n=E3o fosses = irm=E3o do=20 filho do magn=EDfico Eduardo, essa l=EDngua que rolas na cabe=E7a com = tal desembara=E7o,=20 te faria tamb=E9m rolar dos ombros a cabe=E7a.

GAUNT =97 Filho do mano Eduardo, n=E3o me poupes por = eu ser filho=20 de seu pai Eduardo. J=E1 fizeste correr a jorros este sangue, tal como o = pelicano,=20 e nele te embriagaste. Meu mano Gloster, alma simples e boa =97 possas = entre as=20 almas gozar no c=E9u da bem-aventuran=E7a! =97 constitui precedente = eloq=FCent=EDssimo,=20 que a todos mostra como n=E3o te corres de derramar o sangue de Eduardo. = Alia-te=20 aos achaques que me abatem presentemente, e o teu furor transforma na = foice=20 curva que de um golpe apare esta fanada flor. Vive na inf=E2mia, mas que = a inf=E2mia=20 n=E3o morra juntamente contigo. Que te sirvam de carrasco minhas = palavras.=20 Conduzi-me logo para o leito; depois, para o sepulcro.

(Sai, carregado pelos criados.)

REI RICARDO =97 E morra quem for velho e rabugento; o = t=FAmulo j=E1=20 est=E1 de ti sedento.

YORK =97 Eu pe=E7o, instante, a Vossa Majestade que = impute essas=20 palavras =E0 velhice e =E0 doen=E7a caprichosa. Ele vos ama, por minha = vida, t=E3o=20 ardentemente como Hereford, se aqui fosse presente.

REI RICARDO =97 Como o deles =E9 o meu amor, = tamb=E9m. Lesado, assim,=20 n=E3o ficar=E1 ningu=E9m.

(Entra Northumberland.)

NORTHUMBERLAND =97 Meu nobre suserano, o velho Gaunt = se recomenda=20 a Vossa Majestade.

REI RICARDO =97 Que disse ele?

NORTHUMBERLAND =97 J=E1 disse o que restava para ser = dito. Tal como=20 instrumento sem corda, tem a l=EDngua. O pensamento j=E1 se lhe foi, = palavras, vida,=20 tudo, reduzindo Lencastre a um corpo mudo.

YORK =97 Possa ser York o pr=F3ximo a sofrer = fal=EAncia igual e, em=20 paz, adormecer.

REI RICARDO =97 No tempo certo a fruta cai, madura. E = lei geral;=20 a vida humana dura para uns curta; para outros, longa. Ao termo da = peregrina=E7=E3o=20 ele chegara; n=F3s ainda estamos longe. Mas, sobre isso basta. Agora = falemos da=20 campanha da Irlanda. E necess=E1rio dominarmos esses quernes selvagens = de cabelos=20 em desalinho, que prosperam como veneno onde veneno algum se encontra = sen=E3o=20 eles, que t=EAm o privil=E9gio de viver. =C9 de vulto o empreendimento, = mas imp=F5e-nos=20 despesas excessivas. Em vista disso, n=F3s nos apossamos da prataria, do = dinheiro=20 e rendas, acrescidas de todos os bens m=F3veis pertencentes ao nosso tio = Gaunt.

YORK =97 At=E9 quando terei de ser paciente? At=E9 = quando o respeito=20 reverente me far=E1 suportar tantas viol=EAncias? Nem a morte de = Gloster, nem o=20 ex=EDlio de Hereford, os insultos dirigidos a Gaunt, nem as queixas = intestinas da=20 Inglaterra, os motivos que frustraram o casamento ao pobre Bolingbroke, = nem as=20 minhas desgra=E7as conseguiram perturbar-me a paciente compostura, ou o = semblante=20 vincar-me, quando em frente do meu senhor. Eu sou o =FAltimo filho do = nobre=20 Eduardo, cujo primog=EAnito foi teu bom pai, o pr=EDncipe de Gales. = Nunca se viu t=E3o=20 bravo le=E3o na guerra, nem cordeiro, na paz, mais delicado do que esse = real e=20 jovem gentil-homem. Pareces-te com ele, que essas mesmas fei=E7=F5es ele = mostrava,=20 quando o n=FAmero de teus anos havia completado. Mas se o cenho fechava, = era=20 somente para os franceses, n=E3o para os amigos. Sua m=E3o nobre = conquistava quanto=20 viesse ele a gastar, mas n=E3o gastava quanto seu pai triunfante = houvesse ganho.=20 Suas m=E3os n=E3o ficaram maculadas com o sangue dos parentes, mas = vermelhas,=20 t=E3o-s=F3, com o dos inimigos da fam=EDlia. Oh Ricardo! A tristeza fez = que York fosse=20 longe demais. A n=E3o ser isso, jamais teria feito esse confronto.

REI RICARDO =97 Ora, tio; que =E9 que h=E1?

YORK =97 Meu soberano, perdoai-me se o quiserdes; do = contr=E1rio,=20 resignar-me-ei por n=E3o me ver perdoado. Como! E vossa inten=E7=E3o vos = apossardes=20 dos bens e dos direitos soberanos do banido Hereford? N=E3o morreu = Gaunt? N=E3o=20 vive, ainda, Hereford? N=E3o era honesto Gaunt, assim como leal sempre = foi Harry?=20 Herdeiro n=E3o merece ter aquele? N=E3o =E9 um filho digno o seu = herdeiro? Espoliar=20 Hereford de seus direitos eq=FCivale a tomar do tempo as cartas de = privil=E9gio e o=20 seu direito usual. Desse modo impedis que o dia de hoje tenha por = sucessor o de=20 amanh=E3. Por que sois rei, sen=E3o por descend=EAncia legal e = sucess=E3o? Digo,=20 portanto, diante de Deus =97 n=E3o queira Ele que seja verdade quanto eu = falo! =97 se=20 espoliardes, sem raz=E3o, Hereford de seus direitos, e n=E3o quiserdes = receber as=20 cartas patentes com que o seu representante reclamar sua posse e = vassalagem,=20 sobre v=F3s mesmo chamareis milhares de perigos, vireis a perder muitos = cora=E7=F5es=20 afetuosos, obrigando minha terna paci=EAncia a pensar coisas que a honra = e a=20 obedi=EAncia me pro=EDbem.

REI RICARDO =97 O certo =E9 que seus bens e sua prata = passar=E3o a=20 ser nossos nesta data.

YORK =97 N=E3o verei isso; meu senhor, adeus. As = conseq=FC=EAncias, s=F3=20 as conhece Deus; mas de ruins princ=EDpios, =E9 sabido, jamais bons = resultados t=EAm=20 sa=EDdo.

(Sai.)

REI RICARDO =97 Bushy, vai logo procurar o conde de = Wiltshire e=20 dize-lhe que venha ver-nos em Ely House para vermos isso. Amanh=E3 = partiremos para=20 a Irlanda, o que n=E3o =E9 sem tempo, e nomeamos, em nossa aus=EAncia, o = nosso tio=20 York governador do reino. =C9 leal, e sempre nos foi muito afei=E7oado. = Vinde, minha=20 rainha; =E9 inevit=E1vel separarmo-nos. N=E3o fiqueis triste, que =E9 = por pouco=20 tempo.

(Clarins.)

(Saem o rei, a rainha, Bushy, Aumerle, Green e=20 Bagot.)

NORTHUMBERLAND =97 Lordes, morreu o duque de = Lencastre.

ROSS =97 N=E3o, vive ainda, que o seu filho =E9 = duque.

WILLOUGHBY =97 Tem o t=EDtulo, apenas, n=E3o a = renda.

NORTHUMBERLAND =97 =C9 rico de ambos, se ainda houver = justi=E7a.

ROSS =97 Sinto repleto o cora=E7=E3o e a ponto de = arrebentar, se do=20 pesado fardo eu n=E3o o aliviar, falando =E0s claras.

NORTHUMBERLAND =97 Exp=F5e sem restri=E7=F5es teu = pensamento; e que=20 mudo se torne para sempre quem dano te causar, ao repeti-lo.

WILLOUGHBY =97 Quanto queres dizer-nos se refere ao = duque de=20 Hereford? Se for o caso, n=E3o te embarace o medo; presto ouvidos a tudo = quanto=20 seja em seu proveito.

ROSS =97 N=E3o se trata de bem nenhum que eu possa=20 proporcionar-lhe, a menos que tal nome d=EAs ao fato de eu ter dele = piedade por o=20 ver esbulhado de sua heran=E7a.

NORTHUMBERLAND =97 E vergonhoso que essas = injusti=E7as se pratiquem=20 com um pr=EDncipe de sangue e com outros mais de nobre nascimento nesta = terra a=20 tal ponto decadente. O rei mudou demais; guiado se acha por vis = aduladores. Tudo=20 o que estes lhe alvitram contra n=F3s, movidos de =F3dio, p=F5e em = pr=E1tica o rei,=20 severamente, contra nossa fazenda, a vida e os filhos.

ROSS =97 Sobrecarrega o povo com pesados impostos, o = que a todos=20 dele afasta; multou, por quest=F5es velhas, muitos nobres, o que todos, = tamb=E9m,=20 afasta dele.

WILLOUGHBY =97 Todos os dias surgem novas taxas, como = letras em=20 branco, dons gratuitos e coisas desse g=EAnero. Dizei-me, por Deus, que = nos vir=E1=20 de tais processos?

NORTHUMBERLAND =97 A ru=EDna geral n=E3o vem de = guerras, que ainda o=20 rei n=E3o declarou nenhuma. O que fez foi, em pactos vergonhosos, = entregar quanto=20 os seus antepassados haviam conseguido em campo aberto. Muito mais caro = a paz=20 lhe tem custado do que as grandes empresas deles todos.

ROSS =97 O reino se acha hipotecado ao conde de = Wiltshire.

WILLOUGHBY =97 O rei faliu, qual negociante que fosse = =E0=20 bancarrota.

NORTHUMBERLAND =97 O opr=F3brio e a ru=EDna pendem = sobre ele.

ROSS =97 Meios n=E3o teria para a guerra da Irlanda, = n=E3o obstante=20 seus pesados impostos, se n=E3o fosse roubar a heran=E7a do exilado = duque.

NORTHUMBERLAND =97 Seu digno primo. Oh, que monarca = abjeto! Mas,=20 senhores, o certo =E9 que escutamos roncar a tempestade amea=E7adora sem = que=20 tratemos de buscar abrigo que da procela resguardar nos venha. Vemos = for=E7ar os=20 ventos nossas velas e, sem nos decidirmos a amain=E1-las, perecemos = incautos e=20 confiantes.

ROSS =97 Temos diante dos olhos o naufr=E1gio que =E9 = for=E7a=20 padecermos; o perigo tornou-se inevit=E1vel, porque todos concordamos = com as=20 causas do desastre.

NORTHUMBERLAND =97 N=E3o =E9 assim. Percebo que at=E9 = mesmo das =F3rbitas=20 da morte a vida espia, mas n=E3o ouso dizer quanto est=E1 pr=F3xima a = not=EDcia que=20 implica salvamento.

WILLOUGHBY =97 Dize o que pensas, como j=E1 o = fizemos.

ROSS =97 Northumberland, s=EA franco em teu discurso. = N=F3s tr=EAs n=E3o=20 somos mais do que tu pr=F3prio; ser=E1 s=F3 pensamento o que disseres. = Reveste-te,=20 portanto, de coragem.

NORTHUMBERLAND =97 Eis o que soube, ent=E3o, de Port = le Blanc, ba=EDa=20 da Bretanha: Harry Hereford, lorde Reinaldo Cobham, que de pouco rompeu = com o=20 duque de Exeter, seu mano que j=E1 foi arcebispo de Cantu=E1ria, sir = Tom=E1s=20 Erpingham, sir Roberto Waterton, sir John Ramston, sir John Norbery e, = ainda,=20 Francisco Quoint, armados pelo duque da Bretanha, com oito altos navios = e tr=EAs=20 mil homens prontos para a guerra, v=EAm vindo para c=E1 com toda a = pressa,=20 calculando saltar dentro de pouco na nossa praia norte. J=E1 podiam = estar aqui=20 muito antes, mas aguardam t=E3o-somente que o rei v=E1 para a Irlanda. = Se sacudir=20 quisermos, pois, o jugo, p=F4r novas penas na asa fraturada do pa=EDs = sucumbido, da=20 hipoteca vergonhosa livrar logo a coroa, tirar o p=F3 que o ouro do = cetro encobre=20 e restituir a forma =E0 majestade, sigamos logo para Ravenspurgh. Mas se = medo vos=20 causa esse caminho, guardai reserva, que eu irei sozinho.

ROSS =97 De que ter medo? O meu corcel ligeiro!

WILLOUGHBY =97 Se o meu for bom, eu chegarei = primeiro.

(Saem.)

CENA II

O mesmo. Um quarto no pal=E1cio. = Entram a rainha,=20 Bushy e Bagot.

BUSHY =97 Senhora, Vossa Majestade se acha muito = triste.=20 Lembrai-vos da promessa, quando vos despedistes do monarca, de vos = desvencilhar=20 do abatimento prejudicial e de assumir alegre disposi=E7=E3o.

RAINHA =97 =C9 certo; mas s=F3 o disse para agradar = ao rei, que, por=20 mim mesma, n=E3o me fora poss=EDvel. No entretanto, n=E3o sei qual o = motivo por que=20 deva, como a h=F3spede, acolher o pesadume, sen=E3o por ter-me despedido = de h=F3spede=20 t=E3o suave como o meu doce Ricardo. =C0s vezes me parece ver = chegar-se-me tristeza=20 inexplic=E1vel, sazonada no ventre da Fortuna; por coisinhas minha alma = se=20 apavora, revelando maior sofrer do que o que lhe viria da despedida do = meu rei e=20 marido.

BUSHY =97 A ess=EAncia da tristeza emite vinte = sombras que com a=20 tristeza se parecem, sem que o sejam, contudo, porque os olhos do = desgosto,=20 cegados pelas l=E1grimas, dividem cada corpo em mil objetos. Como se = d=E1 com os=20 quadros que, mirados de frente, n=E3o revelam coisa alguma, mas = permitem, de vi=E9s,=20 ver a pintura: do mesmo modo Vossa Majestade, considerando de vi=E9s a = aus=EAncia de=20 vosso esposo, v=EA formas de agruras mais para lastimar do que ele = pr=F3prio, as=20 quais, vistas de frente, se revelam como sombras, t=E3o-s=F3, de coisa = alguma. N=E3o=20 choreis, pois, graciosa soberana, mais do que a aus=EAncia dele, que = s=F3 vedes=20 isso, t=E3o-s=F3. Mas se outras coisas virdes, por acaso, =E9 certeza = estardes vendo=20 pelos olhos da dor que, de ordin=E1rio, chora apenas o fato = imagin=E1rio.

RAINHA =97 =C9 poss=EDvel, embora me conven=E7a do = contr=E1rio o imo=20 peito. Esteja tudo como devera estar, deixar n=E3o posso de revelar-me = triste e,=20 de tal modo, que, se em nada eu pensar, o pensamento desse nada me tira, = quase,=20 o alento.

BUSHY =97 Pura imagina=E7=E3o, graciosa dama.

RAINHA =97 N=E3o; a imagina=E7=E3o sempre =E9 gerada = por tristeza=20 anterior. Mas no meu caso tal n=E3o se d=E1. Ou nada foi a causa da = ang=FAstia que me=20 oprime, ou alguma coisa gerou o nada que me deixou triste. Minha dor me = pertence=20 de direito. O que ela seja, ningu=E9m sabe ainda; =E9 dor sem nome, = creio, que n=E3o=20 finda.

(Entra Green.)

GREEN =97 Deus guarde Vossa Majestade! Caros lordes, = bom dia.=20 Espero que o monarca n=E3o tenha ainda partido para a Irlanda.

RAINHA =97 Por que o esperas? Melhor fora esperares = que j=E1=20 houvesse partido. Seus projetos exigem toda pressa, e a pressa =E9 = origem de=20 grandes esperan=E7as. Por que esperas que n=E3o houvesse ainda ele = embarcado?

GREEN =97 Porque nossa esperan=E7a, ele, suas = for=E7as deter pudesse=20 e reduzisse ao m=E1ximo desespero a esperan=E7a de um inimigo que acaba = de firmar-se=20 em nosso solo: Bolingbroke, o banido, a si chamou-se do ex=EDlio e acaba = de=20 chegar, com for=E7as, em Ravenspurgh.

RAINHA =97 Oh! Deus n=E3o o permita!

GREEN =97 Infelizmente =E9 certo, majestade. Mas o = pior =E9=20 ter-se-lhe juntado lorde Northumberland, seu filho Henrique Percy, = lordes de=20 Ross, Beaumond e Willoughby com todos seus amigos influentes.

BUSHY =97 Por que raz=E3o n=E3o proclamastes lorde = Northumberland=20 traidor e toda a malta de revoltosos?

GREEN =97 Fi-lo; e =E0 vista disso, o bast=E3o de = intendente o conde=20 de Worcester quebrou, abandonando logo o cargo, depois do que se foi, = com os que=20 se achavam no pal=E1cio, juntar a Bolingbroke.

RAINHA =97 Desta arte, Green, serviste-me no parto de = minha=20 m=E1goa, sendo Bolingbroke o produto horroroso. E ora que ao monstro = j=E1 deu =E0 luz=20 minha alma, como exausta parturiente eu me encontro, acrescentando dor = sobre dor=20 e ang=FAstia sobre ang=FAstia.

BUSHY =97 N=E3o percais a esperan=E7a, Majestade.

RAINHA =97 Quem mo impede? Desejo o desespero; quero = ser inimiga=20 da esperan=E7a falaz: =E9 aduladora e parasita; retarda a morte, = brandamente os=20 liames desata da exist=EAncia com fingidas esperan=E7as que a luta lhe=20 prolongam.

(Entra York.)

GREEN =97 A=ED vem o duque de York.

RAINHA =97 Traz nas velhas esp=E1duas sinais certos = de guerra; o=20 olhar traduz neg=F3cios graves. Tio, por Deus, insinuai conforto.

YORK =97 Se o fizesse, enganara-me a mim pr=F3prio. O = conforto =E9 do=20 c=E9u; somos da terra, onde s=F3 se acham cruzes e tristezas, desespero = e cuidados.=20 Vosso esposo partiu para salvar o reino longe; mas aqui mesmo outros = perder o=20 fazem. Fiquei para servir de esteio ao reino; mas a idade e a fraqueza = n=E3o=20 permitem que a mim mesmo eu sustente. Eis chegada a hora doentia que se = segue a=20 todo excesso. Agora o rei ter=E1 de p=F4r =E0 prova quantos amigos o = adulavam=20 antes.

(Entra um criado.)

CRIADO =97 Vosso filho, senhor, tinha partido antes = de eu l=E1=20 chegar.

YORK =97 Tinha ido embora? =C9 assim? Que tudo, = ent=E3o, tome o=20 caminho que entender. J=E1 fugiu toda a nobreza; frio se mostra o povo,=20 parecendo-me que ficar=E1 do lado de Hereford. Vem c=E1, maroto; vai = depressa a=20 Plashy; dize =E0 minha irm=E3 Gloster que me envie, sem demora, mil = libras. Um=20 momento: toma este anel.

CRIADO =97 Milorde, eu me esquecera de vos comunicar = que, de=20 passagem, eu cheguei at=E9 l=E1. Mas tenho medo de vos aborrecer = contando o=20 resto.

YORK =97 Que foi que houve, rapaz?

CRIADO =97 Falecera a duquesa, havia uma hora.

YORK =97 Deus nos ampare! Que ondas de infort=FAnios = se v=EAm=20 quebrar, a um tempo, nesta terra desgra=E7ada! N=E3o sei mais o que = fa=E7a. Prouvera a=20 Deus =97 assim tivesse sido poss=EDvel irrit=E1-lo sem valer-me de = falsidade =97 sim,=20 prouvera a Deus que o rei houvesse decepado a minha cabe=E7a juntamente = com a do=20 mano. At=E9 agora n=E3o foram enviados correios para a Irlanda? Como = obtermos=20 recursos para a guerra? Vinde, mana =97 prima, quero dizer; pe=E7o = desculpas. =97=20 Rapaz, vai at=E9 casa, arranja uns carros e traze as armaduras que=20 encontrares.

(Sai o criado.)

Aliciareis soldados, meus senhores? Se eu souber a = maneira de=20 p=F4r ordem nestes assuntos que em desordem vieram ter-me =E0s m=E3os, = n=E3o me deis=20 mais nenhum cr=E9dito. Ambos s=E3o meus parentes. Ao monarca me obriga a = defender o=20 juramento, como o pr=F3prio dever; o outro =E9 sobrinho, que o rei = prejudicou por=20 modo injusto, cujos direitos a consci=EAncia e os la=E7os de parentesco = mandam que=20 eu defenda. Preciso fazer algo. Vinde, prima; vou vos p=F4r em lugar de = menos=20 risco. Senhores, chamai logo os vossos homens; depois nos reuniremos no = castelo=20 de Berkeley. A Plashy =E9 necess=E1rio, tamb=E9m, que eu v=E1... N=E3o = h=E1 tempo de nada.=20 Que m=E1 sorte! Todo o mundo carece de suporte.

(Saem York e a rainha.)

BUSHY =97 Os ventos s=E3o prop=EDcios para enviarmos = not=EDcias para a=20 Irlanda, mas nenhuma de l=E1 nos mandam. Aliciar soldados em = propor=E7=E3o igual =E0 dos=20 inimigos, =E9 de todo imposs=EDvel.

GREEN =97 Al=E9m do mais, o termos nosso posto junto = do amor do=20 rei, nos deixa pr=F3ximos do =F3dio dos que o n=E3o amam.

BAGOT =97 Sim, do povo sempre mud=E1vel, cujo amor se = mede pelo=20 estado da bolsa: o esvazi=E1-la enche-lhe o cora=E7=E3o de mortal = =F3dio.

BUSHY =97 Ent=E3o por todos est=E1 o rei julgado.

BAGOT =97 Se do povo depende o julgamento, condenados = estamos,=20 visto termos sempre ficado ao lado do monarca.

GREEN =97 Vou, j=E1 j=E1, refugiar-me no castelo de = Bristol; para l=E1=20 j=E1 foi o conde de Wiltshire.

BUSHY =97 Irei convosco. Pouco obs=E9quio nos = poder=E1 prestar o povo=20 odiento, sen=E3o, como lebr=E9us, espostejar-nos. Acompanhais-nos?

BAGOT =97 N=E3o; vou para a Irlanda, para onde Sua = Majestade se=20 acha. Adeus; se o cora=E7=E3o fala a verdade, despedimo-nos para a = eternidade.

BUSHY =97 A menos que York expulse Bolingbroke.

GREEN =97 Pobre duque! A tarefa que lhe coube = eq=FCivale a contar a=20 areia infinda, ou a beber todo o mar. Por um soldado que o defenda, mil = v=E3o para=20 o outro lado. Adeus, pois, para sempre.

BUSHY =97 Ainda =E9 poss=EDvel que nos vejamos.

BAGOT =97 N=E3o; jamais. =C9 incr=EDvel!

(Saem.)

CENA III

Nas florestas de Gloucestershire. = Entram=20 Bolingbroke e Northumberland, com for=E7as.

BOLINGBROKE =97 Milorde, a que dist=E2ncia fica = Berkeley?

NORTHUMBERLAND =97 Nobre lorde, asseguro-vos, sou = estrangeiro=20 aqui em Gloucestershire. Estes caminhos rudes e as colinas selvagens e = altas=20 nossas milhas deixam mais longas e a fadiga nos apressam. Vossa prosa = agrad=E1vel,=20 no entretanto, fez o papel de a=E7=FAcar, de tal modo que ficou doce o = amargo da=20 jornada. Por isso mesmo penso nas canseiras que h=E3o de ter padecido = Ross e=20 Willoughby de Ravenspurgh at=E9 Cotswold, privados de vossa companhia, = que,=20 repito, atenuou muito a insipidez da viagem. Mas a deles, tamb=E9m, se = acha=20 atenuada pela esperan=E7a de gozarem logo da vantagem de que ora eu me = enalte=E7o. A=20 esperan=E7a de um bem =E9 pouco menos do que o bem alcan=E7ado. Por tudo = isso, aos=20 fatigados lordes h=E1 de a estrada parecer curta, como curta a achei, = por possuir=20 vossa nobre companhia.

BOLINGBROKE =97 Vale menos a minha companhia do que = essas=20 delicadas express=F5es. Mas quem vem l=E1?

(Entra Henrique Percy.)

NORTHUMBERLAND =97 Meu filho Henrique Percy, mandado, = n=E3o sei de=20 onde, com recado do mano de Worcester. Henrique, como passa o vosso = tio?

HENRIQUE PERCY =97 Esperava, senhor, que me = diss=E9sseis como ia=20 ele passando.

NORTHUMBERLAND =97 Como! Acaso n=E3o se acha com a = rainha?

HENRIQUE PERCY =97 N=E3o, milorde; abandonou a corte, = ap=F3s a vara=20 de comando quebrar e ter a casa dispersado do rei.

NORTHUMBERLAND =97 E a raz=E3o disso? Na =FAltima vez = que=20 conversamos, ele n=E3o pensava em tal coisa.

HENRIQUE PERCY =97 Por ter sido proclamado traidor = Vossa=20 Grandeza. Foi para Ravenspurgh, milorde, p=F4r-se a servi=E7o do duque = de Hereford;=20 a Berkeley me enviou para que eu visse com quantos homens conta o duque = de York.=20 As minhas instru=E7=F5es mandam que eu volte, depois, a Ravenspurgh.

NORTHUMBERLAND =97 J=E1 te esqueceste do duque de = Hereford? Que =E9=20 isso, Henrique?

HENRIQUE PERCY =97 N=E3o, meu senhor; que me esquecer = n=E3o posso do=20 que n=E3o me lembrou jamais. Suponho, at=E9, que nunca o vi em minha = vida.

NORTHUMBERLAND =97 Ent=E3o aprende a conhec=EA-lo = agora: eis o=20 duque.

HENRIQUE PERCY =97 Gracioso lorde, ponho =E0s vossas = ordens meu=20 servi=E7o, jovem embora e inexperiente, mas que os dias da idade h=E3o = de deixar=20 maduro e forte para melhor servi=E7o e maior m=E9rito.

BOLINGBROKE =97 Gentil Percy, obrigado. Podes crer-me = que nada=20 t=E3o feliz me deixa como possuir um cora=E7=E3o que n=E3o se esquece de = seus amigos.=20 Caso a minha sorte cres=E7a com teu afeto, a recompensa ela ser=E1 de = teu amor=20 sincero. Faz o peito o contrato; a m=E3o o sela.

NORTHUMBERLAND =97 Berkeley quanto dista? Que = proveito de seus=20 soldados tira o bom velho York?

HENRIQUE PERCY =97 O castelo se encontra al=E9m = daquele grupo de=20 =E1rvores, forte de trezentos soldados, me disseram. Nele se acham os = lordes de=20 York, Berkeley e Seymour. N=E3o sei que outros fidalgos l=E1 se = encontrem.

(Entram Ross e Willoughby.)

NORTHUMBERLAND =97 Ai v=EAm vindo lordes Ross e = Willoughby com as=20 esporas sangrentas e afogueados de tanta pressa.

BOLINGBROKE =97 Meus saudares a ambos, milordes. Sei = que vosso=20 amor procura somente um sublevado posto fora da lei. Minha riqueza, por=20 enquanto, s=E3o agradecimentos que n=E3o pesam, mas que ser=E3o, depois = de=20 enriquecidos, a justa recompensa dessas vossas canseiras e de vosso amor = sincero.

ROSS =97 Vossa presen=E7a nos faz ricos, muito nobre = senhor.

WILLOUGHBY =97 E com excesso paga todo o esfor=E7o = que o obt=EA-la=20 nos custasse.

BOLINGBROKE =97 Obrigado, de novo. Esse =E9 o tesouro = dos pobres,=20 que franqueado h=E1 de manter-se =E0 liberalidade que me =E9 pr=F3pria, = at=E9 crescer a=20 minha infantil sorte. Mas quem vem vindo a=ED?

(Entra Berkeley.)

NORTHUMBERLAND =97 Milorde Berkeley, segundo = penso.

BERKELEY =97 E para v=F3s, milorde de Hereford, a = mensagem que me=20 trouxe a este lugar.

BOLINGBROKE =97 S=F3 vos darei resposta como = Lencastre, nome que eu=20 procuro presentemente na Inglaterra e que hei de ouvir de vossa boca = antes que=20 possa retrucar qualquer coisa ao que disserdes.

BERKELEY =97 Senhor, n=E3o compreendais mal o que eu = disse; n=E3o=20 tencionava suprimir um t=EDtulo, ao menos, de Vossa Honra. Vim, milorde, = lorde do=20 que quiserdes, por mandado do gracioso regente desta terra, o duque de = York, a=20 fim de me dizerdes a causa que vos leva a aproveitar-vos do tempo = ausente e a=20 alvoro=E7ar, desta arte, nossa nativa paz com armas de guerra.

(Entra York, com s=E9quito.)

BOLINGBROKE =97 N=E3o vos empregarei como correio do = que eu disser.=20 Vem vindo a=ED, em pessoa, Sua Gra=E7a. Meu muito nobre tio...

(Ajoelha-se.)

YORK =97 Mostra-me o cora=E7=E3o humilde e franco, = n=E3o esses joelhos=20 de obedi=EAncia falsa e enganadora.

BOLINGBROKE =97 Meu gracioso tio...

YORK =97 Nada disso! N=E3o tenho gra=E7a alguma, nem = sou tio de=20 ningu=E9m, muito menos de um traidor. Essa palavra =93Gra=E7a=94 se = abastarda em boca=20 desgraciosa. Por que causa esses p=E9s interditos e banidos a tocar se = atreveram=20 na poeira do solo ingl=EAs? Mas ainda h=E1 mais =93Porqu=EAs=94: Por que = motivo ousaram=20 tantas milhas andar no seu pac=EDfico rega=E7o, as p=E1lidas aldeias = assustando com a=20 guerra e a ostenta=E7=E3o de armas mesquinhas? Vieste por estar longe o = rei ungido?=20 Insensato! O monarca est=E1 presente; neste leal peito o seu poder se = encontra. Se=20 eu dispusesse, ainda, da fogosa mocidade, tal como quando, ao lado de = teu=20 valente pai, o bravo Gaunt, libertamos aquele jovem Marte, que de = pr=EDncipe Negro=20 n=F3s cham=E1vamos, das filas de milhares de franceses, este bra=E7o que = preso ora se=20 encontra pela paralisia, sem demora te aplicara o castigo reclamado por = tua=20 falta.

BOLINGBROKE =97 Meu gracioso tio, revelai-me essa = falta. Em que=20 consiste?

YORK =97 =C9 das mais graves: rebeli=E3o grosseira, = trai=E7=E3o=20 abominanda. Est=E1s banido; contudo, antes do prazo aqui te encontras em = p=E9 de=20 guerra contra o rei leg=EDtimo.

BOLINGBROKE =97 Se banido eu me achava, fui banido = como Hereford;=20 mas vim, como Lencastre. Por isso, nobre tio, instantemente suplico a = Vossa=20 Gra=E7a ver com olhos imparciais meu caso: em v=F3s eu vejo meu pai, o = velho Gaunt=20 redivivo. Permitireis, ent=E3o, meu pai, que eu fique condenado a viver = qual=20 vagabundo e que as prerrogativas e os direitos do meu nome me sejam = arrancados,=20 para esbanjados serem por uns tantos perdul=E1rios mimosos do destino? = Ent=E3o, por=20 que nasci? Se o rei meu primo for o rei da Inglaterra, =E9 inevit=E1vel = que duque de=20 Lencastre eu tamb=E9m seja. Tendes um filho: Aumerle, meu parente muito = prezado.=20 Se morrido houv=E9sseis primeiro e ele se visse espezinhado como eu = agora, certo=20 ele teria um pai achado no seu tio Gaunt que as injusti=E7as lhe vingara = e =E0 malta=20 imporia respeito. Estou proibido de reclamar aqui os privil=E9gios que = por=20 cartas-patentes me couberam. Meu patrim=F4nio todo foi vendido e, como = os outros=20 bens, mal empregado. Que desejais que eu fa=E7a? Sou um vassalo; apelo = para a lei:=20 negam-me juizes. Por isso ora eu reclamo pessoalmente a heran=E7a que me = toca por=20 direito.

NORTHUMBERLAND =97 Abusaram demais do nobre = duque.

ROSS =97 Depender=E1 de Vossa Gra=E7a, apenas, = justi=E7a ora=20 fazer-lhe.

WILLOUGHBY =97 Suas rendas enriqueceram muita gente = baixa.

YORK =97 Milordes da Inglaterra, ora escutai-me: = senti tamb=E9m as=20 injusti=E7as feitas contra meu primo e procurei san=E1-las quanto me foi = poss=EDvel.=20 Mas com armas amea=E7adoras vir, desta maneira, ele pr=F3prio cortar o = seu peda=E7o,=20 abrir caminho, assim, fazer justi=E7a por meio injusto... N=E3o; n=E3o = pode ser! E v=F3s=20 que fomentais a rebeli=E3o, encorajando-o, sois tamb=E9m rebeldes.

NORTHUMBERLAND =97 O nobre duque nos jurou que veio = s=F3 para=20 reclamar o seu direito. Por nosso lado, n=F3s tamb=E9m juramos = ajud=E1-lo na empresa.=20 Que n=E3o tenha jamais prazer quem se tornar perjuro.

YORK =97 Bem, bem; j=E1 estou enxergando as = verdadeiras inten=E7=F5es=20 destas armas. Desfaz=EA-las, n=E3o me =E9 poss=EDvel, for=E7a =E9 = confess=E1-lo, que o meu=20 poder =E9 fraco e me foi tudo deixado em condi=E7=F5es mais que = prec=E1rias. Mas se eu=20 pudesse =97 pelo c=E9u o juro! =97 vos deteria todos, obrigando-vos a = implorar a=20 clem=EAncia do monarca. Mas j=E1 que me =E9 imposs=EDvel, vos declaro = que me conservo=20 neutro. E agora, adeus, salvo se entrar quiserdes no castelo, para ai=20 repousardes esta noite.

BOLINGBROKE =97 Oferta, meu bom tio, que aceitamos. = Mas Vossa=20 Gra=E7a tem de acompanhar-nos ao castelo de Bristol, que, segundo nos = disseram, se=20 encontra sob o mando de Bagot e de Bushy, com seus c=FAmplices, essas = pragas=20 nocivas =E0 rep=FAblica que eu jurei extirpar e consumir.

YORK =97 E poss=EDvel que eu v=E1: mas dai-me tempo, = que violar n=E3o=20 me agrada as leis do reino. Amigo ou inimigo, pouco importa: entrai. Em = caso=20 desses, n=E3o direi nem ai.

(Saem.)

CENA IV

Um campo no Pa=EDs de Gales. Entram = Salisbury e=20 um capit=E3o.

CAPIT=C3O =97 Milorde Salisbury, j=E1 esperamos dez = dias. Tenho feito=20 muito esfor=E7o para conter os nossos conterr=E2neos. Estamos sem = not=EDcias do=20 monarca; por isso vamos dispersar; adeus.

SALISBURY =97 Espera mais um dia, fiel galense; a = confian=E7a do=20 rei em ti repousa.

CAPIT=C3O =97 Dizem que ele morreu; n=E3o ficaremos. = Mirrados est=E3o=20 todos os loureiros de nossa terra; meteoros causam medo =E0s estrelas = fixas; sobre=20 os campos projeta luz sang=FC=EDnea a lua p=E1lida; profetas magros = falam em segredo=20 de mudan=E7as terr=EDveis; as pessoas ricas se mostram tristes, os = mendigos d=E3o=20 saltos de alegria; um, porque teme perder quanto ora goza, outro, = esperando vir=20 a gozar pelo furor da guerra. Sem erro, esses sinais nos pressagiam = morte ou=20 queda de rei. Adeus; os nossos compatriotas se v=E3o, eu inclusive, = certos de que=20 Ricardo j=E1 n=E3o vive.

(Sai.)

SALISBURY =97 Ah, Ricardo! Com os olhos da tristeza = vejo tua=20 gl=F3ria que, como uma b=F3lide, se precipita sobre a terra baixa. Teu = sol,=20 chorando, j=E1 procura o ocaso, conseq=FC=EAncia fatal do teu descaso. = Refor=E7am teus=20 amigos o inimigo; transmuda-se o teu bem, todo, em perigo.

(Sai)

ATO III

CENA I

Bristol. Acampamento de = Bolingbroke. Entram=20 Bolingbroke, York, Northumberland, Henrique Percy, Willoughby, Ross, = seguidos de=20 oficiais com Bushy e Green, prisioneiros.

BOLINGBROKE =97 Trazei-me logo os homens. Bushy e = Green, n=E3o=20 desejo atormentar-vos a alma =97 pois neste instante ireis perd=EA-la = =97=20 inquirindo-vos sobre a perniciosa vida que ambos lev=E1veis; fora falta = de=20 caridade. Mas, para lavar-me de vosso sangue as m=E3os, publicamente = darei algumas=20 das raz=F5es de estardes condenados =E0 morte: a causa fostes de se = transviar um=20 pr=EDncipe, um monarca da mais alta nobreza, um gentil-homem no sangue e = na=20 apar=EAncia, que deixastes infeliz e de todo transmudado. Com vossas = horas=20 criminosas fostes, de algum modo, os fautores do div=F3rcio entre o rei = e a=20 rainha; a legal posse do leito real rompestes; maculastes a beleza das = faces de=20 uma linda soberana, com o pranto provocado por vossas vilanias. Eu, um = pr=EDncipe=20 gra=E7as ao fado e o nascimento; eu, pr=F3ximo do meu rei pelo sangue e, = pr=F3ximo,=20 inda, pela afei=E7=E3o, at=E9 que lhe ensin=E1sseis a me compreender = mal, a cerviz tive=20 de curvar sob o peso das inj=FArias que me assacastes e de meus suspiros = ingleses=20 exalar em c=E9us estranhos, comendo o amargo e seco p=E3o do ex=EDlio, = enquanto em=20 minhas posses vos fart=E1veis, limp=E1veis as coutadas, abat=EDeis = minhas florestas e=20 at=E9 o pr=F3prio escudo de fam=EDlia tir=E1veis das janelas de minha = casa e o lema lhe=20 apag=E1veis, sinal algum deixando, afora o sangue, meu sangue vivo, e o = ju=EDzo dos=20 estranhos que ao mundo revelassem que eu sou nobre. Tudo isso e muito = mais, mais=20 de dois tantos disto tudo =E9 que =E0 morte vos condena. Levai-os logo = para a m=E3o da=20 Morte.

BUSHY =97 Acolho mais alegremente o golpe da morte do = que a=20 p=E1tria a Bolingbroke. Lordes, adeus.

GREEN =97 Consola-me a certeza de que o c=E9u vai = abrir-nos suas=20 portas e penas infernais dar =E0 injusti=E7a.

BOLINGBROKE =97 Lorde Northumberland, levai-os = logo.

(Saem Northumberland e outros, com Bushy e = Green.)

Tio, dissestes que a rainha se acha em vossa casa. = Pelo c=E9u,=20 que nada lhe falte. Transmiti-lhe os meus saudares amistosos. Deveis = p=F4r muito=20 empenho em lhe fazer chegar meus cumprimentos.

YORK =97 J=E1 lhe foi enviado um gentil-homem de = minha casa com=20 missivas cheias de express=F5es que vos pintam todo o afeto.

BOLINGBROKE =97 Caro tio, obrigado. Vamos, lordes, = lutar contra=20 Glendower e seus comparsas. Um pouco mais de esfor=E7o e folgaremos.

(Saem.)

CENA II

Praia no Pa=EDs de Gales. Ao longe, = um castelo.=20 Toque de clarins. Tambores e trombetas. Entram o rei Ricardo, o bispo de = Carlisle, Aumerle e soldados.

REI RICARDO =97 E o castelo de Barkloughly que = vemos?

AUMERLE =97 Sim, milorde. Como acha Vossa Gra=E7a o = ar, depois de=20 sofrer tantos abalos no mar revolto?

REI RICARDO =97 Bom tenho de ach=E1-lo. A alegria me = faz derramar=20 l=E1grimas por de novo pisar o solo p=E1trio. Com a m=E3o eu te sa=FAdo, = cara terra,=20 muito embora com os cascos dos cavalos os rebeldes te firam. Qual = saudosa m=E3e=20 que longe do filho tenha estado e, ao rev=EA-lo, sorri, terna, brincando = com as=20 pr=F3prias l=E1grimas: assim, sorrindo, minha terra, e chorando eu te = sa=FAdo e com=20 estas reais m=E3os te acaricio. N=E3o alimentes, minha gentil terra. os = inimigos de=20 teu soberano, nem com tuas do=E7uras satisfa=E7as seus vorazes sentidos. = Os caminhos=20 lhes enche com as aranhas que te sugam o veneno e com os sapos = vagarosos, porque=20 lhes fa=E7am mal aos p=E9s trai=E7oeiros que usurpadoramente te = machucam. Aos meus=20 inimigos d=E1 somente ac=FAleos: se de teu seio eles colherem flores, = p=F5e como=20 guarda delas, eu te pe=E7o, uma serpente cuja l=EDngua b=EDfida, de = contacto fatal, a=20 morte leve a quantos a teu rei adversos forem. Senhores, n=E3o zombeis = desta=20 insensata conjura=E7=E3o. Primeiro a terra =E9 que h=E1 de sentidos = revelar e destas=20 pedras h=E3o de sair soldados aguerridos, antes de vir seu rei a cair = vitima dos=20 golpes de uma infame rebeli=E3o.

CARLISLE =97 Milorde, n=E3o temais; a mesma for=E7a = que vos fez rei=20 ter=E1 poder bastante para vos conservar no vosso posto contra todas as = for=E7as. =C9=20 preciso n=E3o desprezar os celestiais recursos, mas saber acat=E1-los; = do contr=E1rio,=20 se o c=E9u o quisesse e n=F3s nos opus=E9ssemos aos seus intentos, = eq=FCivaleria tal=20 proceder a recusar o aux=EDlio celeste e a toda oferta de socorro.

AUMERLE =97 Milorde, ele, com isso, est=E1 dizendo = que somos=20 indolentes e que a nossa tranq=FCilidade enseja a Bolingbroke aumentar = os recursos=20 e os amigos.

REI RICARDO =97 Primo desanimado, ent=E3o n=E3o sabes = que quando o=20 olho do c=E9u fica escondido por tr=E1s do globo, e o mundo l=E1 de = baixo deixa claro,=20 passeiam sem ser vistos, por aqui, os ladr=F5es e os bandoleiros, = cometendo=20 fa=E7anhas sanguin=E1rias? Mas quando se al=E7a da terrestre esfera e os = cimos=20 orgulhosos dos pinheiros orientais ilumina, dardejando sua luz pelos = recantos=20 criminosos, as trai=E7=F5es, os pecados detestandos, todos os = assass=EDnios, porque o=20 manto da noite os deixa agora descobertos, se patenteiam, nus e, de si = pr=F3prios,=20 d=E3o mostras de pavor. Do mesmo modo, quando o ladr=E3o, o biltre = Bolingbroke =97 que=20 se entrega, no escuro, a essas orgias, enquanto n=F3s est=E1vamos no = lado dos=20 ant=EDpodas =97 vir que n=F3s surgimos em nosso claro trono do nascente, = rubra a=20 trai=E7=E3o no rosto h=E1 de ficar-lhe, sem poder suportar a luz do dia, = tremendo de=20 si mesmo e do pecado. Toda a =E1gua do mar =E1spero e selvagem o =F3leo = santo n=E3o tira=20 que foi posto na fronte de um monarca. O curto sopro de homens terrenos = =E9=20 impotente para depor um rei que foi por Deus eleito. Para cada homem = alistado =E0=20 for=E7a por Bolingbroke, para o a=E7o astucioso levantar contra a nossa = =E1urea coroa,=20 tem Deus para Ricardo um dos seus anjos gloriosos, a que d=E1 celeste = paga. Se n=E3o=20 h=E1 homem que essa for=E7a enfrente, vencer=E1 a justi=E7a = plenamente.

(Entra Salisbury.)

Sede bem-vindo. A que dist=E2ncia se acham nossas = for=E7as,=20 milorde?

SALISBURY =97 N=E3o mais longe, gracioso soberano, = nem mais perto=20 do que este fraco bra=E7o. A falta de =E2nimo me guia a l=EDngua, n=E3o = deixando que ela=20 nada anuncie sen=E3o o desespero. Um dia apenas de retardo, temo, nobre = senhor,=20 escureceu teus dias felizes sobre a terra. Chama o dia de ontem, faze = que o=20 tempo atr=E1s retorne, e doze mil soldados ser=E3o teus. Mas este hoje, = este dia de=20 amargura te destr=F3i os amigos e a ventura, pois os galenses, que te = julgam=20 morto, foram buscar abrigo noutro porto.

AUMERLE =97 Coragem! Por que causa ficais = p=E1lido?

REI RICARDO =97 De doze mil soldados aguerridos o = sangue, h=E1=20 pouco, eu tinha, na cabe=E7a; se ele me foge e fico sem sentidos, que = muito, pois,=20 que p=E1lido eu pare=E7a? Quem quiser se salvar, me deixe agora, que a = m=E3o do tempo=20 o meu bras=E3o esflora.

AUMERLE =97 Lembrai-vos de quem sois, meu = soberano.

REI RICARDO =97 Havia-me esquecido de mim pr=F3prio. = N=E3o sou rei?=20 Indolente majestade, desperta! Est=E1s dormindo. Pois n=E3o vale o s=F3 = nome de rei=20 vinte mil nomes? =C0s armas, nome! Um s=FAdito mesquinho se atreveu a = atacar tua=20 grande gl=F3ria. N=E3o prossigais olhando para o solo, favoritos de um = rei! Grandes=20 n=E3o somos? Sejam grandes os nossos pensamentos. Meu tio York, estou = certo, ainda=20 tem for=E7as para nos ajudar. Mas quem vem vindo?

(Entra sir Stephen Scroop.)

SCROOP =97 Mais sa=FAde e ventura em sorte caiba ao = meu rei do que=20 pode ser-lhe dito por minha l=EDngua que a tristeza inspira.

REI RICARDO =97 O cora=E7=E3o j=E1 tenho preparado e = abertos os=20 sentidos. N=E3o me podes anunciar sen=E3o perdas deste mundo, nada mais. = Dize, pois:=20 perdi a coroa? Era preocupa=E7=E3o. Ser=E1, ent=E3o, perda ficarmos sem = cuidados? Ora=20 entende Bolingbroke igualar-nos em grandeza? Ultrapassar-nos n=E3o = ser=E1 poss=EDvel.=20 Se ele a Deus serve, a Deus n=F3s serviremos tamb=E9m, para ficarmos ao = seu lado.=20 Revoltaram-se, acaso, os nossos s=FAditos? Nada posso fazer; o juramento = violaram,=20 feito a Deus, como o fizemos. Fala de dor, de males em porfia; o pior = =E9 a morte,=20 e essa h=E1 de ter seu dia.

SCROOP =97 Alegra-me saber que Vossa Alteza se = encontra assim=20 armado contra os golpes da adversidade. Como tempestuoso dia, fora de = tempo, que=20 os regatos cristalinos obriga a derramar-se pelos meigos verg=E9is, como = se o=20 mundo todo estivesse em l=E1grimas desfeito: desta arte os seus limites = passa a=20 raiva de Bolingbroke, vosso amedrontado pa=EDs cobrindo de a=E7o duro e = f=FAlgido e de=20 peitos mais que o a=E7o resistentes. Os barbas-brancas as cabe=E7as = calvas armaram=20 contra Vossa Majestade; meninos de vozinha efeminada, que eles procuram = deixar=20 grave, os membros gr=E1ceis agitam dentro de armaduras tesas para = atacarem-te a=20 coroa. At=E9 teus pr=F3prios capel=E3es aprendem a armar o arco de = teixo, duplamente=20 fatal, contra o teu reino; as fiandeiras deixam as rocas e, com paus = tostados,=20 avan=E7am contra ti. Mo=E7os e velhos se revoltam. =C9 grave a = situa=E7=E3o, muito mais do=20 que a minha descri=E7=E3o.

REI RICARDO =97 Contaste muito bem tua triste = hist=F3ria. Mas onde=20 se acha Green? Onde est=E1 o conde de Wiltshire? Onde est=E1 Bagot? Que = foi feito de=20 Bushy, para que eles permitissem que inimigo, desta arte perigoso, = medisse=20 nossas terras com seus passos imperturb=E1veis? Se ganharmos, todos me = pagar=E3o com=20 a vida. Aposto que eles j=E1 firmaram a paz com Bolingbroke.

SCROOP =97 Sim, milorde; =E9 verdade: j=E1 = firmaram.

REI RICARDO =97 Biltres! Serpentes! R=E9probos! = Danados sem=20 salva=E7=E3o poss=EDvel! C=E3es, dispostos sempre a rojar aos p=E9s de = todo mundo! V=EDboras=20 aquecidas no meu peito, que o cora=E7=E3o me pungem! Oh! Tr=EAs Judas, = cada um mais=20 trai=E7oeiro do que Judas! Fizeram paz? Que o inferno pavoroso a suas = almas=20 imundas fa=E7a guerra sem tr=E9guas, pela ofensa praticada.

SCROOP =97 Vejo que o doce amor, quando se altera, em = amargo e=20 mortal =F3dio se muda. Retira a maldi=E7=E3o que lhes lan=E7aste: com a = cabe=E7a a paz=20 eles fizeram, n=E3o com as m=E3os. Os que assim amaldi=E7oas, j=E1 os = visitou a Morte=20 que n=E3o erra, e em repouso se encontram sob a terra.

AUMERLE =97 Bushy est=E1 morto, e Green, e o conde = Wiltshire?

SCROOP =97 Em Bristol a cabe=E7a lhes cortaram.

AUMERLE =97 E onde est=E1 meu pai York com suas = for=E7as?

REI RICARDO =97 N=E3o importa onde esteja. N=E3o me = fale ningu=E9m mais=20 em conforto, mas em t=FAmulos, epit=E1fios e vermes. Transformemos em = papel a=20 poeira, e sobre o seio da terra as nossas m=E1goas escrevamos com olhos = inundados.=20 Aprestemos testamenteiros, e de testamento seja nossa conversa. N=E3o! = Cautela!=20 Que poder=EDamos legar? Mais nada, sen=E3o, =E0 terra, o corpo = destronado. Nossas=20 vidas, o reino, tudo, agora pertence a Bolingbroke. Nada resta a que = chamemos=20 nosso, afora a morte e esse punhado de infrutuosa argila que a nossos = ossos=20 serve de coberta. Pelo alto c=E9u, no ch=E3o nos assentemos para contar = hist=F3rias=20 pesarosas sobre a morte de reis: como alguns foram depostos, outros = mortos em=20 combate, outros atormentados pelo espectro dos que eles pr=F3prios = destronado=20 haviam, outros envenenados pela esposa, outros mortos no sono: = assassinados=20 todos! E que, no centro da vazia coroa que circunda a real cabe=E7a tem = a Morte=20 sua corte, e, entronizada a=ED, como os jograis, sempre escarnece da = majestade e=20 os dentes arreganha para suas pompas, dando-lhe exist=EAncia fugaz, = somente o=20 tempo necess=E1rio para cena pequena, porque possa representar de rei, = infundir=20 medo, matar apenas com o olhar, inflada de ilus=F3rio conceito de si = mesma, como=20 se a carne que nos empareda na vida fosse de a=E7o inquebrant=E1vel. E = ap=F3s se=20 divertir =E0 saciedade, com um pequeno alfinete ela se adianta, fura a = muralha do=20 castelo e, pronto: era uma vez um rei! Ponde os chap=E9us; n=E3o = zombeis, com=20 solenes rever=EAncias, do que =E9 s=F3 carne e sangue. Despojai-vos do = respeito, das=20 formas, dos costumes tradicionais, dos gestos exteriores, que = equivocados todos=20 estivestes a meu respeito. Como v=F3s, eu vivo tamb=E9m de p=E3o, = pade=E7o priva=E7=F5es,=20 necessito de amigos, sou sens=EDvel =E0s dores. Se, a tal ponto, eu sou = escravo,=20 como ousais vir dizer-me que eu sou rei?

CARLISLE =97 Milorde, os s=E1bios nunca se det=EAm = para chorar seus=20 males, mas atalham, resolutos, o passo =E0s amarguras. Recear um = inimigo, j=E1 que o=20 medo oprime toda for=E7a, =E9 dar mais for=E7a ao inimigo, =E0 custa da = fraqueza que=20 revelais. Assim, vossa loucura luta contra v=F3s pr=F3prio. Mostrai = medo, e morto j=E1=20 estareis. Pior n=E3o nos pode suceder num combate. Achar a morte = combatendo =E9=20 destru=ED-la por si mesma; com temor, =E9 ceder a uma avantesma.

AUMERLE =97 Meu pai disp=F5e de for=E7as: procurai-o, = para fazerdes=20 de uma chispa um raio.

REI RICARDO =97 Tens raz=E3o de increpar-me, tens. = Vaidoso=20 Bolingbroke, eis-me pronto para dar-te combate e decidir nosso destino. = O frio=20 do temor era aparente; f=E1cil coisa =E9 ganhar o que =E9 da gente. = Fala, Scroop: onde=20 se acha o nosso tio? S=EA brando, embora o olhar tenhas sombrio.

SCROOP =97 Pelo aspecto do c=E9u =F3 pastor sabe o = estado e=20 inclina=E7=E3o dizer do dia; o mesmo em meu olhar fazer vos cabe, que a = l=EDngua vos=20 falar n=E3o quereria. Sou como o algoz que a v=EDtima atormenta pouco a = pouco,=20 deixando a pior not=EDcia para o fim. Vosso tio York juntou-se a = Bolingbroke.=20 Todos os castelos do norte j=E1 ca=EDram; os fidalgos do sul, em armas, = se acham do=20 seu lado.

REI RICARDO =97 J=E1 falaste demais.

(A Aumerle) =97 Maldito sejas, primo, que = deste modo me=20 desviaste do meu doce caminho da desgra=E7a. Que ides ora dizer-me? Que = esperan=E7a=20 ainda podemos ter? Votarei =F3dio =97 pelo c=E9u! =97 para toda = eternidade, a quem me=20 vier falar ainda em conforto. Ao castelo de Flint nos recolhamos. Ali = hei de=20 finar-me; um rei, escravo da afli=E7=E3o, como rei, lhe acata as ordens. = Dispensai=20 meus soldados; a esperan=E7a da safra est=E1 perdida, a ru=EDna = avan=E7a. V=E3o todos se=20 engajar para a colheita do novo rei; a minha est=E1 desfeita. N=E3o me = retruquem=20 nada; fora em v=E3o procurar demover-me da inten=E7=E3o.

AUMERLE =97 Senhor, uma palavra.

REI RICARDO =97 Dupla ofensa me far=E1 quem mostrar = l=EDngua propensa=20 para a bajula=E7=E3o. Mandai embora todos os meus soldados, sem demora; = saiam da=20 noite de Ricardo, fria, para o de Bolingbroke excelso dia.

(Saem.)

CENA III

Pa=EDs de Gales. Diante do castelo = de Flint.=20 Precedidos de tambores e estandartes, entram Bolingbroke e suas tropas, = York,=20 Northumberland e outros.

BOLINGBROKE =97 Ficamos, pois, sabendo, pelas = =FAltimas=20 informa=E7=F5es, que o ex=E9rcito galense se dispersou e que foi = encontrar-se=20 Salisbury com o rei, chegado h=E1 pouco a estas praias, seguido de um = pequeno=20 grupo de partid=E1rios.

NORTHUMBERLAND =97 A not=EDcia, milorde, =E9 bela e = boa, que Ricardo=20 a cabe=E7a escondeu aqui por perto.

YORK =97 Seria conveniente que milorde Northumberland = dissesse:=20 =93o rei Ricardo=94. Que tempo o nosso, em que um rei ungido necessita = esconder a=20 sacra fronte!

NORTHUMBERLAND =97 Vossa Gra=E7a se engana; foi = apenas para=20 encurtar que eu lhe tirei o t=EDtulo.

YORK =97 J=E1 houve tempo em que se, assim, t=E3o = curto com ele=20 houv=E9sseis sido, ele teria sido curto convosco, por al=E7ardes a = cabe=E7a a esse=20 ponto, e vos deixara mais curto o comprimento da cabe=E7a.

BOLINGBROKE =97 N=E3o tomeis =E0 m=E1 parte, caro = tio, mais do que vos=20 compete nestas coisas.

YORK =97 N=E3o tomeis, caro primo, sen=E3o quanto vos = competir, que=20 vos seria f=E1cil esquecer que o alto c=E9u a todos cobre.

BOLINGBROKE =97 Sei-o, tio, e de forma alguma intento = opor-me a=20 seus des=EDgnios. Mas, quem chega?

(Entra Henrique Percy.)

Harry, sejas bem-vindo. Este castelo, afinal, n=E3o = se rende =E0=20 nossa for=E7a?

HENRIQUE PERCY =97 =C9 que ele est=E1, milorde, = guarnecido por modo=20 real para impedir-te o ingresso.

BOLINGBROKE =97 Por modo real! Est=E1 algum rei l=E1 = dentro?

HENRIQUE PERCY =97 Sim, meu senhor, um rei: o rei = Ricardo se=20 encontra no interior desse recinto de cimento e de pedra. Est=E3o com = ele tamb=E9m,=20 lordes Aumerle e Salisbury, sir Stephen Scroop, al=E9m de um sacerdote = cujo nome=20 n=E3o sei.

NORTHUMBERLAND =97 Ah! Com certeza =E9 o bispo de = Carlisle.

BOLINGBROKE (a Northumberland) =97 Nobre = lorde,=20 aproximai-vos do costado rude desse antigo castelo, por trombetas de = bronze=20 enviai aos seus ouvidos velhos convite a confer=EAncia e assim = dizei-lhe: Henrique=20 Bolingbroke de joelhos beija a m=E3o do rei Ricardo, fidelidade pura e = vassalagem=20 envia =E0 sua muito real pessoa. Aqui fui vindo para aos p=E9s depor-lhe = minhas=20 armas e for=E7as, admitindo-se que meu ex=EDlio seja revogado, = restitu=EDdos meus bens=20 e a posse destes reconhecida. Do contr=E1rio, =E9 for=E7a que eu = aproveite todas as=20 vantagens do meu poder e aplaque a estival poeira com torrentes de = sangue,=20 despejadas das feridas dos nossos compatriotas. Qu=E3o longe se acha do = sincero=20 anseio de Bolingbroke provocar t=E3o grande tempestade purp=FArea sobre = o verde=20 rega=E7o da apraz=EDvel propriedade do rei Ricardo, vai prov=E1-lo a = minha submiss=E3o=20 respeitosa e reverente, ide lhe declarar tudo isso, enquanto ficamos a = passear=20 sobre o tapete deste ameno relvado. Conversemos sem o barulho = amea=E7ador dos=20 nossos tambores, porque sejam compreendidas, em todo o seu valor, pelas = ameias=20 inst=E1veis do castelo as razo=E1veis propostas por n=F3s feitas. T=E3o = terr=EDvel, me=20 parece, vai ser o nosso encontro como o dos elementos, a =E1gua e o = fogo, quando=20 seu choque tonitruante as faces nebulosas do c=E9u abala e rasga. Seja = ele o fogo;=20 eu, a =E1gua que se entrega; ele, a c=F3lera, enquanto eu sobre a terra = lan=E7o minhas=20 torrentes. Sobre a terra, notai bem, n=E3o sobre ele. Avan=E7ai todos e = notai bem=20 como olha o rei Ricardo.

(Ouve-se um toque para parlamentar, respondido = logo do=20 interior. Toque de clarins. Aparecem sobre as ameias o rei Ricardo, o = bispo de=20 Carlisle, Aumerle, Scroop e Salisbury.)

HENRIQUE PERCY =97 Vede que o pr=F3prio rei Ricardo = surge como o=20 sol enfarado, que se tinge de vermelho, na porta flamejante do oriente, = ao=20 perceber que as invejosas nuvens a sua gl=F3ria empanar querem ou = macular o trilho=20 do brilhante caminho para o ocaso.

YORK =97 No entretanto, seu olhar =E9 de rei. = Vede-lhe os olhos,=20 brilhantes como os da =E1guia, ora irradiam majestade imperiosa. Oh, que = desgra=E7a,=20 tanta nobreza vir a ficar ba=E7a!

REI RICARDO (a Northumberland) Estamos = admirados. Muito=20 tempo ficamos esperando que dobrasses os tr=EAmulos joelhos, por = pensarmos que nos=20 considerasses rei leg=EDtimo. Se ainda o somos, como se atreveram teus = membros a=20 esquecer o pagamento da homenagem terr=EDvel que =E9 devida =E0 nossa = real presen=E7a?=20 Se o n=E3o somos, mostra-me a m=E3o de Deus que nos houvesse privado do = poder. Pois=20 bem sabemos que m=E3o alguma existe, de osso e sangue, capaz de nos = arrebatar o=20 cetro, sen=E3o para roub=E1-lo ou profan=E1-lo. E embora imagineis que, = a vosso=20 exemplo, todos do peito os cora=E7=F5es tirassem, para os desviar de = n=F3s, e que em=20 pen=FAria nos achamos de amigos: ficai certos de que Deus, meu senhor = onipotentes=20 para nos socorrer passa revista, neste instante, nas nuvens, em = possantes=20 ex=E9rcitos de pestes, que h=E3o de os filhos nascituros e ainda os = n=E3o gerados=20 atacar dos que a m=E3o vassala ousarem levantar contra n=F3s e se = atreverem a=20 amea=E7ar minha coroa excelsa. Dizei a Bolingbroke =97 pois parece que o = vejo ali =97=20 que cada um dos seus passos em meu reino =E9 trai=E7=E3o horripilante. = Veio ele para=20 abrir o testamento purp=FAreo de uma guerra sanguinosa. Mas antes de ele = ter, em=20 paz, na fronte a almejada coroa, dez mil outras frontes sang=FC=EDneas = de ardorosos=20 filhos h=E3o de desfigurar as r=F3seas faces da Inglaterra, mudar a cor = virg=EDnea da=20 paz em escarlate indigna=E7=E3o e umedecer os campos arrelvados da = p=E1tria com o fiel=20 sangue de seus filhos.

NORTHUMBERLAND =97 N=E3o queira o rei do c=E9u que o = nosso caro=20 senhor e rei se veja alvo das armas incivis e civis. Humildemente te = beija as=20 m=E3os teu primo muito nobre, Henrique Bolingbroke e jura pelo t=FAmulo = ilustre que=20 cont=E9m os ossos de vossos reais av=F3s, pela nobreza do sangue dele e = vosso,=20 originado da mesma fonte grata e favor=E1vel, e pela m=E3o guerreira do = defunto=20 Gaunt, bem como por sua pr=F3pria gl=F3ria, por sua honra, incluindo = tudo quanto=20 jurar possa ou dizer: que sua vinda tem por finalidade, t=E3o-somente, = reclamar=20 seus direitos e pedir-vos, de joelhos, a imediata liberdade. Se teu real = consentimento deres ao que te pede, votar=E1 as armas brilhantes =E0 = ferrugem, o=20 ajaezado ginete =E0 estrebaria e o leal peito ao servi=E7o de Vossa = Majestade. Jura,=20 como fidalgo, que isso =E9 justo; e eu, como gentil-homem, creio = nele.

REI RICARDO =97 Northumberland, transmite-lhe a = resposta do rei:=20 seu nobre primo =E9 aqui bem-vindo. Suas reclama=E7=F5es eq=FCitativas = v=E3o-lhe ser=20 concedidas sem protestos. Com o poder persuasivo que te =E9 pr=F3prio = transmite-lhe=20 aos ouvidos atenciosos sauda=E7=F5es amig=E1veis.

(Northumberland vai para o lado de = Bolingbroke.)

(A Aumerle) =97 Rebaixamo-nos, primo, n=E3o te = parece, por=20 mostrarmos tanta pobreza e usarmos de linguagem a tal ponto benigna?=20 Aconselharas chamar Northumberland e enviar por ele meu cartel ao = traidor e,=20 assim, morrermos?

AUMERLE =97 N=E3o; que valham palavras por espadas = at=E9 possuirmos=20 armas aceradas.

REI RICARDO =97 Oh Deus! Oh Deus! =C9 for=E7a, pois, = que a l=EDngua que=20 a senten=E7a ditou do amargo ex=EDlio daquele insolente homem, com = palavras brandas=20 ora a revogue! Oh! N=E3o ser eu t=E3o grande quanto a minha dor, ou, ao = menos, menor=20 do que o meu nome! Oh! Se eu pudesse esquecer o que fui, ou n=E3o = lembrar-me do=20 que preciso ser neste momento! Est=E1s inflado, cora=E7=E3o altivo? Bate = quanto=20 quiseres; dou-te plena liberdade, que os nossos inimigos t=EAm liberdade = de bater=20 em n=F3s.

AUMERLE =97 Northumberland, de volta, j=E1 vem = vindo.

REI RICARDO =97 Que =E9 preciso que o rei agora = fa=E7a? Submeter-se?=20 F=E1-lo-=E1. Deixar o trono? Ficar=E1 satisfeito o rei com isso. Perder = o titulo de=20 rei? Em nome de Deus, que seja assim. Darei as j=F3ias por um ros=E1rio; = meu pal=E1cio=20 espl=EAndido, por um eremit=E9rio; as vestes ricas, por andrajos de = pobre; minha=20 alfaia lavrada, por um prato de madeira; meu cetro, por bast=E3o de = peregrino;=20 meus vassalos, em troca das imagens de dois santos, e meu imenso reino, = por=20 sepultura ex=EDgua, pequenina sepultura, um sepulcro obscuro e humilde. = Ou me=20 inumem em meio =E0 estrada real, onde haja movimento e o povo possa = calcar com os=20 p=E9s, a todo instante, a fronte do soberano, sim, que sobre o peito = j=E1 em minha=20 vida eles est=E3o pisando. Por que n=E3o me calcar, pois, a cabe=E7a, = depois de eu=20 morto? Aumerle, est=E1s chorando, primo sentimental? Com nossas = l=E1grimas vamos=20 deixar o tempo transtornado. Nossos suspiros v=E3o fazer que o trigo do = ver=E3o=20 quebre todo, ocasionando mis=E9ria nesta terra revoltada. Ou = distra=E7=E3o faremos do=20 infort=FAnio, inventando brinquedos divertidos com nossas pr=F3prias = l=E1grimas? Desta=20 arte, por exemplo: deixarmos que elas caiam sempre no mesmo ponto, at=E9 = nos terem=20 no solo aberto um par de sepulturas, sobre as quais a inscri=E7=E3o = seria posta:=20 =93Aqui jazem dois primos que cavaram com o pranto, no ch=E3o duro, o = pr=F3prio=20 t=FAmulo=94. N=E3o nos faria bem nossa desgra=E7a? Sim, sim; mas vejo = que disserto =E0 toa=20 e que zombas de mim. Potente pr=EDncipe, lorde Northumberland, que = manda, agora, o=20 alto rei Bolingbroke? =C9 da vontade de Sua Alteza que Ricardo viva = at=E9 que venha=20 a falecer Ricardo? Dele e de v=F3s o meu destino aguardo.

NORTHUMBERLAND =97 Milorde, ele se encontra =E0 vossa = espera no=20 p=E1tio baixo. N=E3o quereis descer?

REI RICARDO =97 Descer... Descer... J=E1 vou, como o = brilhante=20 Faetonte, que n=E3o tenha mais dom=EDnio sobre os corc=E9is ind=F3ceis. = =C9 para irmos ao=20 p=E1tio baixo? P=E1tio baixo, =E9 certo, onde os reis se rebaixam, = visitando traidores=20 e ficando =E0s ordens deles. Baixa, rei, que o sinistro mocho pia onde = exultar=20 devera a cotovia.

(Retiram-se da ameia.)

BOLINGBROKE =97 Que diz Sua Majestade?

NORTHUMBERLAND =97 Os infort=FAnios fazem-no divagar = como um=20 lun=E1tico. Contudo, a=ED vem.

(Entra o rei Ricardo e s=E9quito.)

BOLINGBROKE =97 Ficai todos de parte, e respeitosos = vos mostrai =E0=20 Sua Majestade.

(Ajoelhando-se.)

Gracioso soberano...

REI RICARDO =97 Aviltais, caro primo, esses joelhos = principescos,=20 deixando que o vil solo se orgulhe de beij=E1-los. Eu quisera que o = cora=E7=E3o=20 sentisse o vosso afeto, n=E3o, como agora, p=F4r os olhos tristes em = vossa cortesia.=20 Levantai-vos! Tendes o cora=E7=E3o muito elevado, sei-o bem; pelo menos = a esta=20 altura,

(leva a m=E3o =E0 altura da cabe=E7a.)

embora calque o joelho a terra dura.

BOLINGBROKE =97 Gracioso soberano, vim somente pelo = que me=20 pertence.

REI RICARDO =97 O que for vosso vos pertence; eu sou = vosso; =E9=20 vosso tudo.

BOLINGBROKE =97 Sede meu, meu temido soberano, at=E9 = onde possa a=20 minha lealdade merecer vosso amor.

REI RICARDO =97 Pois n=E3o; soubestes merec=EA-lo; = merecem possu=ED-lo=20 quantos sabem obt=EA-lo pela estrada segura da viol=EAncia. Tio, a = m=E3o. Enxugai=20 esses olhos, porque o pranto n=E3o =E9 rem=E9dio salvador, conquanto vos = traduza a=20 afei=E7=E3o. Sou muito mo=E7o para servir de vosso pai, meu primo, muito = embora sejais=20 bastante velho para herdardes meu reino. Tereis tudo quanto quiserdes;=20 dar-vo-lo-ei de grado, que ceder =E0 viol=EAncia sou for=E7ado. Primo, = Londres vai ser=20 nossa esta=E7=E3o?

BOLINGBROKE =97 Sim, meu bom lorde.

REI RICARDO =97 Ent=E3o n=E3o direi =93N=E3o=94.

(Toque de clarins. Saem.)

CENA IV

Londres. Jardim do duque de York. = Entram a=20 rainha e duas damas.

RAINHA =97 Neste jardim que jogo intentaremos para = expulsar o=20 fardo dos cuidados?

PRIMEIRA DAMA =97 Vamos brincar com bolas, = majestade.

RAINHA =97 A imaginar o jogo me obrigara que o mundo = =E9 s=F3=20 asperezas e que a minha fortuna em v=E3o se esfor=E7a na ladeira.

PRIMEIRA DAMA =97 Vamos dan=E7ar, senhora.

RAINHA =97 Imposs=EDvel ser-me-=E1 manter no ritmo = sempre os p=E9s,=20 quando, cheio de tristeza, o cora=E7=E3o n=E3o bate certo nunca. Por = isso, em dan=E7a,=20 jovem, n=E3o falemos; outro qualquer desporto.

PRIMEIRA DAMA =97 Ent=E3o, senhora, contaremos = hist=F3rias.

RAINHA =97 As hist=F3rias ser=E3o tristes ou = alegres?

PRIMEIRA DAMA =97 =C0 vontade, senhora.

RAINHA =97 Ent=E3o, nem tristes, nem alegres, = rapariga; porque se=20 for jocosa, faltando-me a alegria por completo, mais me far=E1 lembrada = da=20 tristeza; se for um caso triste, tendo eu tantas tristezas a pesar-me, = trar=E1=20 nova tristeza =E0 minha falta de alegria. N=E3o desejo dobrar o que j=E1 = tenho; nem me=20 quero queixar do que me falta.

PRIMEIRA DAMA =97 Senhora, eu cantarei.

RAINHA =97 Se tens motivo para isso, bem est=E1; mas = preferira que=20 chorasses.

PRIMEIRA DAMA =97 Senhora, eu poderia chorar, se = algum proveito=20 ach=E1sseis nisso.

RAINHA =97 Eu chorar poderia, se com o choro me = viesse algum=20 al=EDvio e eu n=E3o tivesse necessidade de pedir-te l=E1grimas. Mas = p=E1ra a=ED; v=EAm vindo=20 os jardineiros; ponhamo-nos =E0 sombra destas =E1rvores. Aposto as = minhas amarguras=20 contra um papel de alfinetes em como eles v=E3o do Estado falar, que = todo o mundo=20 outra coisa n=E3o faz, quando h=E1 mudan=E7a; o infort=FAnio n=E3o = p=E1ra; jamais cansa.

(A rainha e as damas se retiram.)

(Entram o jardineiro e dois criados.)

JARDINEIRO =97 Olha aqueles damascos pendurados; vai = amarr=E1-los.=20 S=E3o como crian=E7as turbulentas que os pais a dobrar for=E7am sob a = opress=E3o de seu=20 pr=F3digo peso. P=F5e estacas nos ramos mais descidos. Tu a=ED, faze ao = jeito dos=20 carrascos: decapita as verg=F4nteas mais vi=E7osas, as que se sobressaem = na=20 rep=FAblica. Em nosso Estado h=E1 uma bitola apenas. Enquanto cuidais = disso, eu tiro=20 as ervas daninhas, que desviam, sem proveito, toda a seiva do solo, em = preju=EDzo=20 das flores benfazejas.

PRIMEIRO CRIADO =97 Por que causa devemos observar, = no =E2mbito=20 estreito deste recinto, a lei, a forma e todas as propor=E7=F5es, = mostrando, como=20 exemplo digno de ser seguido, o nosso Estado de fundamentos firmes, = quando =E9=20 certo que nossa terra, esse jardim cercado pelo mar, est=E1 cheio de = ciz=E2nias,=20 suas flores mais belas se estiolam, asfixiadas, as =E1rvores = frut=EDferas carecentes=20 de poda, arruinadas as sebes, os canteiros em desordem e as ervas boas = cheias de=20 lagartas?

JARDINEIRO =97 Cala-te! O causador de tal desordem da = primavera=20 j=E1 perdeu as folhas. As ervas m=E1s, que estavam protegidas por sua = fronde extensa=20 e que, tirando-lhe a seiva, pareciam sustent=E1-la, arrancadas j=E1 = foram com as=20 ra=EDzes por Bolingbroke; ao duque me refiro de Wiltshire, Bushy e = Green.

PRIMEIRO CRIADO =97 Que est=E1s dizendo? = Morreram?

JARDINEIRO =97 Sim, morreram. Al=E9m disso, = Bolingbroke apossou-se=20 do monarca dissipador. Que pena n=E3o ter este cultivado o pa=EDs como o = fazemos com=20 o jardim. Na saz=E3o apropriada fazemos incis=E3o na casca, a pele das = =E1rvores=20 frut=EDferas, por medo de que o excesso de seiva e sangue as deixe muito = orgulhosas, vindo a se destru=EDrem pela pr=F3pria riqueza. Se ele = houvesse feito=20 assim com as pessoas ambiciosas e de influ=EAncia, elas teriam tido vida = bastante=20 para dar os frutos do dever e ele enfim os gostaria. Suprimimos os ramos = parasitas para que os produtivos viver possam. Tivesse ele feito isso, e = n=E3o=20 teria perdido o cetro em tal madra=E7aria.

PRIMEIRO CRIADO =97 Acreditais que seja ele = deposto?

JARDINEIRO =97 J=E1 est=E1 abaixando; e, quanto a ser = deposto, n=E3o h=E1=20 d=FAvida alguma. Ainda esta noite chegaram cartas para um grande amigo = do bravo=20 duque de York, noticiando coisas bem negras.

RAINHA =97 Isso me asfixia, impedindo-me a fala.

(Avan=E7ando.)

=D3 tu, retrato do velho Ad=E3o, a este jardim = trazido para=20 vesti-lo, apenas: por que causa tem essa l=EDngua rude o atrevimento de = propalar=20 not=EDcias t=E3o penosas? Qual foi a Eva, revela-me, qual serpente = tentou a anunciar=20 mais uma queda do homem amaldi=E7oado? Por que dizes que o rei Ricardo = foi=20 deposto? Atreves-te, sendo pouco melhor do que esta terra, a pressagiar = sua=20 queda? Como, quando, onde obtiveste essas not=EDcias l=FAgubres? = Responde,=20 miser=E1vel.

JARDINEIRO =97 Majestade, perd=E3o. Pouca alegria me = causa propalar=20 essas not=EDcias; mas s=F3 disse a verdade. O rei Ricardo na m=E3o forte = j=E1 est=E1 de=20 Bolingbroke. J=E1 foi pesada a sorte deles ambos. No prato em que se = encontra=20 vosso esposo nada mais h=E1, sen=E3o poucas vaidades de nenhum peso, que = mais leve o=20 deixam; mas no lado do grande Bolingbroke se acham todos os pares da = Inglaterra,=20 sem contarmos com ele. Essa vantagem vai decidir a seu favor a sorte. Se = a=20 Londres fordes, sabereis de tudo quanto fala entre n=F3s o povo = mi=FAdo.

RAINHA =97 =C1gil adversidade, de p=E9s leves, tua = embaixada a mim,=20 s=F3, diz respeito, e em sab=EA-la sou a =FAltima? Deixaste-me para o = fim, para que eu=20 muito mais tempo tua dor no imo peito conservasse. Vamos a Londres, = mo=E7as, que o=20 deposto rei de Londres se fina de desgosto. Nasci, ent=E3o, para = aumentar o=20 triunfo de Bolingbroke e lhe servir de trunfo? Por tuas m=E1s noticias,=20 jardineiro, vai-te o esfor=E7o frustrar Deus verdadeiro.

(Saem a rainha e suas damas.)

JARDINEIRO =97 Pobre rainha! A praga eu aceitara, se = ela curasse=20 a tua sorte amara. Neste ponto umas l=E1grimas, donosas, ela deixou = cair. N=E3o=20 ser=E3o rosas que nele eu vou plantar, sen=E3o arruda, planta, da = compaix=E3o, da dor=20 aguda, planta amarga da gra=E7a. Aqui, asinha, ser=E1 sempre lembrada = uma=20 rainha.

(Saem.)

ATO IV

CENA I

Londres. Sala de Westminster. Os = lordes=20 espirituais se encontram =E0 direita do trono; os temporais, =E0 = esquerda; os=20 comuns, em baixo. Entram Bolingbroke, Aumerle, Surrey, Northumberland, = Henrique=20 Percy, Fitzwater, outro lorde, o bispo de Carlisle, o abade de = Westminster e=20 s=E9quito. No fundo, oficiais com Bagot.

BOLINGBROKE =97 Chamai Bagot. Agora, exprime = livremente, Bagot,=20 teu pensamento e nos revela quanto sabes da morte do altanado Gloster, = quem a=20 tramou com o rei; qual foi o bra=E7o que executou o of=EDcio = sanguin=E1rio de sua=20 morte triste e prematura.

BAGOT =97 Ponde-me em frente, ent=E3o, de lorde = Aumerle.

BOLINGBROKE =97 Avan=E7a, primo, e fita esta = pessoa.

BAGOT =97 Milorde Aumerle, eu sei que vossa ousada = l=EDngua n=E3o se=20 desdiz. No mortal tempo em que a morte de Gloster foi tramada eu vos = ouvi dizer:=20 =93N=E3o tenho o bra=E7o longo bastante para que da corte da Inglaterra = a cabe=E7a de=20 meu tio possa em Calais tocar?=94 Pela mesma =E9poca, entre outras falas = mais te=20 ouvi dizer que preferias recusar a oferta de cem mil libras a assistir = =E0 volta=20 de Bolingbroke, acrescentando, ainda, que fora sumo bem para a = Inglaterra vir=20 vosso primo a perecer no ex=EDlio.

AUMERLE =97 Nobres lordes e pr=EDncipes, dizei-me que = resposta=20 darei a este homem baixo? Rebaixarei minhas estrelas belas para, em = termos=20 iguais, dar-lhe o castigo? Sou for=E7ado a faz=EA-lo; do contr=E1rio, = terei a honra=20 empanada pela mancha de uns l=E1bios aleivosos. Eis a luva, meu sinete = manual que=20 vai deixar-te marcado para o inferno. Mentes, digo, e provarei no sangue = que te=20 corre no cora=E7=E3o que o que disseste =E9 falso, muito embora ele seja = vil bastante=20 para a espada manchar-me de fidalgo.

BOLINGBROKE =97 Bagot, n=E3o deves levantar a = luva.

AUMERLE =97 Desejara que fosse o mais not=E1vel =97 = com exce=E7=E3o de um=20 s=F3 =97 entre os presentes o que me provocou dessa maneira.

FITZWATER =97 Se o teu valor reclama paridade de = nascimento, eis=20 meu penhor, Aumerle, como resposta ao teu. Por este belo sol que ilumina = a tua=20 fronte agora, ouvi quando disseste, e com jact=E2ncia o afirmavas, que o = nobre=20 Gloster tinha sido morto por ti. Se vinte vezes negares o que afirmo, = est=E1s=20 mentindo vinte vezes. Com a ponta desta espada te enfiarei no = cora=E7=E3o a tua=20 falsidade, lugar de origem dela.

AUMERLE =97 N=E3o tens coragem de viver, covarde, = para ver esse=20 dia.

FITZWATER =97 Por minha alma, desejara que fosse = agora mesmo.

AUMERLE =97 Fitzwater, isso te condena ao = inferno.

HENRIQUE PERCY =97 Aumerle, est=E1s mentindo. Sua = honra neste=20 neg=F3cio est=E1 t=E3o pura quanto culpado tu te encontras. Como prova, = te lan=E7o o meu=20 penhor, que minha vida defender=E1 at=E9 o =FAltimo suspiro. Abaixa-te e = ergue-o, se=20 tiveres brio.

AUMERLE =97 Se o n=E3o fizer, que minha m=E3o se = estrague, sem nunca=20 mais poder brandir a espada vingadora sobre o elmo do inimigo.

OUTRO LORDE =97 Perjuro Aumerle, por igual motivo = defendo eu o=20 terreno e te espica=E7o com tantos desmentidos quantos possam ser = gritados, de sol=20 a sol, no ouvido de um traidor. Eis o meu penhor fidalgo; se te = atreveres,=20 al=E7a-o para um duelo.

AUMERLE =97 Quem mais quer provocar-me? Desafio a = todos, pelo=20 c=E9u! Meu peito abriga mil esp=EDritos, prontos para o embate resistir = de um milh=E3o=20 da vossa laia.

SURREY =97 Lorde Fitzwater, estou bem lembrado da = =E9poca em que=20 v=F3s e Aumerle conversastes.

FITZWATER =97 E certo; est=E1veis perto. Ser=E1 = f=E1cil confirmardes,=20 assim, que foi verdade quanto eu disse.

SURREY =97 Pelo alto c=E9u, t=E3o falso quanto o = c=E9u, em si mesmo, =E9=20 verdadeiro.

FITZWATER =97 Mentes, Surrey!

SURREY =97 Menino descarado, teu desmentido pesa em = minha espada=20 de tal modo que a paga ela vai dar-te, sobre vingar-me, at=E9 que o = desmentido,=20 com quem o disse, fiquem sob a terra t=E3o quietos como o cr=E2nio de = teu pai. Eis=20 meu penhor fidalgo, como prova do que afirmo; levanta-o, se te = atreves

FITZWATER =97 Como, sem tino, excitas um avalo de si = t=E3o=20 ardoroso! Se coragem n=E3o me falece para estar com vida, nem para = respirar e=20 alimentar-me, ousarei num deserto enfrentar Surrey, no rosto lhe cuspir = e dizer:=20 mentes, mentes, de novo. Eis meu fiel contrato, para deixar-te preso =E0 = minha=20 rude corre=E7=E3o. Pelo meu maior desejo de subir nesta nova ordem de = coisas,=20 Aumerle =E9 criminoso do que eu disse na minha acusa=E7=E3o. E mais: = recordo-me de ter=20 ouvido do exilado Norfolk que tu, Aumerle, havias enviado dois homens de = tua=20 casa para o nobre duque, em Calais, privarem da exist=EAncia.

AUMERLE =97 Entregue-me qualquer crist=E3o honesto = seu penhor. Como=20 prova de que Norfolk mentiu, lan=E7o o meu repto, para o caso de poder = ele vir=20 para bater-se.

BOLINGBROKE =97 V=E3o ficar em suspenso todas estas = diverg=EAncias=20 at=E9 que seja Norfolk chamado do desterro. Sim, que em breve h=E1 de = ser=20 repatriado. Muito embora seja meu desafeto, restitu=EDdo vai ter todos = os bens e=20 senhorios. Logo que retornar, aprestaremos tudo porque se batam ele e=20 Aumerle.

CARLISLE =97 Jamais veremos esse dia honroso. Muitas = vezes lutou=20 o banido Norfolk por Jesus Cristo no glorioso campo da cristandade, = desfraldando=20 a ins=EDgnia da Cruz de Cristo contra o pag=E3o negro, turcos e = sarracenos. Fatigado=20 dos b=E9licos trabalhos, retirou-se para a It=E1lia; em Veneza, essa = apraz=EDvel=20 regi=E3o, entregou o corpo =E0 terra e a alma t=E3o pura ao comandante = Cristo, sob=20 cujas cores tanto se batera.

BOLINGBROKE =97 Como assim, bispo: Norfolk est=E1 = morto?

CARLISLE =97 Sim, milorde; t=E3o morto quanto eu = vivo.

BOLINGBROKE =97 Que a doce paz conduza sua alma doce = para o seio=20 do meigo velho Abra=E3o. Senhores querelantes, vossas rixas v=E3o ficar = em suspenso=20 at=E9 que o dia determinemos para vos baterdes.

(Entra York, com s=E9quito)

YORK =97 Grande Lencastre, venho procurar-te da parte = de Ricardo=20 despojado de seus ornatos, que, de motu-pr=F3prio, te adota por herdeiro = e entrega=20 em tuas m=E3os reais o alto cetro. Sobe ao trono que te pertence por = heran=E7a=20 pr=F3xima. E viva Henrique, o quarto desse nome!

BOLINGBROKE =97 Em nome, pois, de Deus, ao trono eu = subo.

CARLISLE =97 Deus n=E3o o permita! Ainda que eu fale = mal nesta=20 assembl=E9ia de reis, dizer toda a verdade quero. Prouvera a Deus que = neste nobre=20 c=EDrculo houvesse algu=E9m bastante nobre para servir como juiz direito = e justo=20 para o nobre Ricardo. A verdadeira nobreza, ent=E3o, lhe ensinaria a = abster-se de=20 semelhante crime. Que vassalo pode julgar seu rei? E das pessoas aqui = presentes,=20 quem n=E3o =E9 vassalo de Ricardo? Os ladr=F5es s=F3 s=E3o julgados = ap=F3s serem ouvidos,=20 at=E9 mesmo quando est=E3o bem patentes seus delitos. E ora o emblema da = pr=F3pria=20 majestade de Deus, seu capit=E3o, representante por ele eleito, ungido e = coroado=20 h=E1 tanto tempo e sobre o trono posto, vai ser julgado sem presente = achar-se, por=20 um sopro inferior e dependente? Deus n=E3o permita que em pa=EDs = crist=E3o almas de=20 tal quilate a fazer venham a=E7=E3o t=E3o imoral, odiosa e negra. A = s=FAditos eu falo,=20 como s=FAdito que em prol de seu monarca Deus inspira. Milorde de = Hereford, aqui=20 presente, a que chamais de rei, =E9 um pusil=E2nime traidor ao rei do = nobre e alto=20 Hereford. Se o coroardes, fa=E7o a profecia que o sangue dos nativos vai = o solo=20 fertilizar da p=E1tria e que as idades futuras gemer=E3o por esse crime = detestando.=20 Ir=E1 a paz dormir no meio de turcos e de infi=E9is, e na sua sede = confundir=E1 a=20 guerra tumultuosa fam=EDlias e parentes. A anarquia, o horror, o medo, o = saque=20 desenfreado vir=E3o morar aqui, passando o nosso pa=EDs a ser chamado o = novo campo=20 de G=F3lgota e dep=F3sito de cr=E2nios. Se levantardes casa contra casa, = nascer=E1 a=20 divis=E3o mais desastrosa que jamais viu este pa=EDs maldito. Evitai = esses males,=20 retirando vosso apoio; se n=E3o, os vossos filhos e os filhos destes, = mesmo com=20 voz lassa, vos gritar=E3o aos t=FAmulos: Desgra=E7a!

NORTHUMBERLAND =97 Argumentastes bem, senhor. Agora, = pelo vosso=20 trabalho, vos detemos por crime de trai=E7=E3o contra a realeza. = Damo-vos a=20 incumb=EAncia, nobre lorde de Westmoreland, de o manter sob boa guarda = at=E9 o dia=20 em que houver de ser julgado. Acedeis, lordes, no que o povo pede?

BOLINGBROKE =97 Trazei Ricardo para que ele possa, de = p=FAblico,=20 abdicar. Dessa maneira, ficaremos estremes de suspeita.

YORK =97 Serei seu condutor.

(Sai.)

BOLINGBROKE =97 Lordes, que =E0 nossa ordem vos = achais presos,=20 dai-nos fian=E7a para o dia do vosso julgamento.

(A Carlisle) =97 Pouco, bem pouco, ao vosso = amor devemos;=20 por isso, n=E3o cont=E1vamos convosco.

(Volta York com o rei Ricardo e oficiais, que = trazem a=20 coroa, etc.)

REI RICARDO =97 Ai de mim! Por que frente a um rei me = chamam,=20 antes que eu me despoje das id=E9ias com que reinei? N=E3o tive tempo, = ainda, de=20 insinuar-me, saudar, dobrar os joelhos, mostrar-me adulador. Deixai que = a m=E1goa=20 me ensine a submiss=E3o. No entanto, lembro-me das fei=E7=F5es destes = homens. Meus=20 vassalos n=E3o foram todos? N=E3o gritavam: =93Salve!=94 ami=FAde para = mim? Assim fez=20 Judas com Cristo. Este, por=E9m, de doze ap=F3stolos s=F3 num h=E3o = encontrou=20 fidelidade; eu em nenhum, de doze mil vassalos. Deus salve o rei! = Ningu=E9m me diz=20 Am=E9m? Terei de ser meu pr=F3prio sacrist=E3o? Pois n=E3o faz mal; = direi Am=E9m, embora=20 rei deixasse de ser. Am=E9m, de novo, se Deus pensar como n=E3o pensa o = povo. A que=20 servi=E7o eu sou chamado agora?

YORK =97 Para fazer de motu-pr=F3prio o of=EDcio que = a lassa=20 Majestade te autoriza: teu Estado e a coroa resignares a favor de teu = primo=20 Bolingbroke.

REI RICARDO =97 Dai-me a coroa. Primo, segurai-a. = Aqui, primo.=20 Minha m=E3o deste lado; a vossa, no outro. Assemelha-se agora esta coroa = de ouro a=20 um po=E7o profundo com dois baldes que em tempo diferente se enchem de = =E1gua: dan=E7a=20 no ar o vazio; o outro, no fundo, cheio de =E1gua, =E9 invis=EDvel. O de = l=E1grimas=20 cheio, sou eu, que bebo as minhas dores; ascende o vosso: =E9 todo riso = e=20 flores.

BOLINGBROKE =97 Pensei que resign=E1veis por = vontade.

REI RICARDO =97 Sim, a coroa; n=E3o minha saudade. A = gl=F3ria me=20 tirais; mas a tristeza que me =E9 pr=F3pria, ter=E1 sempre realeza.

BOLINGBROKE =97 Ficais sem a coroa e sem pesares.

REI RICARDO =97 Talvez; mas nestes dares e tomares = nada podeis=20 fazer-me. =C9 meu cuidado n=E3o ter cuidado algum, pois quis o Fado que = todos eu=20 perdesse; mas os vossos cuidados v=E3o crescer, ainda est=E3o mo=E7os. = Livrar-me dos=20 cuidados n=E3o consigo; v=E3o com a coroa e ficar=E3o comigo.

BOLINGBROKE =97 Ficais contente em resignar o = trono?

REI RICARDO =97 Sim, n=E3o; n=E3o, sim, pois tenho de = ser nada; da=ED,=20 n=E3o dizer n=E3o, que =E9 tua a al=E7ada. Vede agora a maneira por que = eu pr=F3prio vou=20 me destruir: esta coroa inc=F4moda, retiro-a da cabe=E7a; o cetro = in=FAtil, jogo-o=20 longe, varrendo do imo peito todo o real orgulho de comando. Com as = l=E1grimas eu=20 pr=F3prio tiro o b=E1lsamo de minha fronte; o diadema entrego com minhas = pr=F3prias=20 m=E3os; com minha l=EDngua renego meus sagrados privil=E9gios; minha = palavra anula os=20 juramentos de todos os meus s=FAditos; abdico da pompa r=E9gia e toda = majestade;=20 entrego todos os meus bens, as rendas, todos os meus proventos; anulados = considero meus atos e decretos. Deus n=E3o castigue quem me for perjuro = e enseje=20 aos teus vassalos bom futuro. Tudo me tirou ele; estou contente; tudo te = deu;=20 contigo =E9 conivente. Possas ter vida longa, porque o trono conserves = de Ricardo=20 e, em abandono, possa este logo, sob a terra fria, vir a esperar em paz = o =FAltimo=20 dia. Deus salve o rei Henrique, o felizardo, lhe diz o rei deposto, o = ex-rei=20 Ricardo, e lhe conceda muitas alegrias em longos anos de brilhantes = dias. Que=20 mais falta?

NORTHUMBERLAND (Mostrando-lhe um papel) =97 = Mais nada,=20 salvo lerdes estas acusa=E7=F5es e os crimes b=E1rbaros praticados por = v=F3s e os vossos=20 c=FAmplices contra o interesse e as leis de nossa terra, porque depois = de os=20 terdes confessado, os cora=E7=F5es humanos dizer possam que fostes = destronado com=20 justi=E7a.

REI RICARDO =97 Precisarei faz=EA-lo? Ser=E1 for=E7a = que eu desfiz o=20 tecido das loucuras praticadas por mim? Dize-me, caro Northumberland, se = acaso=20 os teus deslizes anotados ficassem, n=E3o terias pejo de os ler numa = reuni=E3o como=20 esta? Mas se o fizesses, neles encontraras uma odiosa passagem sobre a = injusta=20 deposi=E7=E3o de um rei e a viola=E7=E3o dos la=E7os sacrossantos de uma = jura que no livro=20 do c=E9u est=E1 marcada de preto e condenada para sempre. E todos v=F3s = que me fixais=20 de longe, espica=E7ados pela minha pr=F3pria mis=E9ria, embora alguns, = como Pilatos,=20 lavem as m=E3os, mostrando uma apar=EAncia de compaix=E3o: Pilatos, = entregastes-me =E0=20 minha cruz de dor. Nada, nem toda a =E1gua, vos limpar=E1 deste = pecado.

NORTHUMBERLAND =97 Lede logo, milorde, estes = artigos.

REI RICARDO =97 N=E3o posso ver; as l=E1grimas o = impedem. No entanto,=20 os olhos n=E3o me deixa cegos a =E1gua salgada, a ponto de n=E3o verem = nesta reuni=E3o=20 um grupo de traidores. Sim, quando os volto para mim, percebo que eu sou = tamb=E9m=20 traidor como os demais, porque meu cora=E7=E3o foi conivente no despojar = o corpo de=20 um monarca, em deixar vil a gl=F3ria, a potestade a escrava rebaixar, do = altivo=20 mando fazer vassalo e do meu reino um r=FAstico.

NORTHUMBERLAND =97 Meu senhor...

REI RICARDO =97 Qual senhor, arrogante! Isso me = ofende. N=E3o mando=20 em mais ningu=E9m; n=E3o tenho nome nem t=EDtulo, usurpados eram todos = os meus nomes,=20 t=E9 mesmo o recebido na pia batismal. Infeliz dia! Ter eu tantos = invernos j=E1=20 vivido, sem que possa saber como me chamo! Fosse eu um rei rid=EDculo de = neve=20 posto em frente do sol de Bolingbroke, para me derreter em gotas de = =E1gua! Rei=20 bondoso, rei grande =97 no entretanto, n=E3o grandemente bom =97 se = ainda tem curso=20 minha palavra dentro da Inglaterra, manda vir um espelho, para que ele a = minha=20 pr=F3pria imagem me apresente desde que a Majestade abriu = fal=EAncia.

BOLINGBROKE =97 V=E1 buscar um espelho algu=E9m = da=ED!

(Sai um dos criados.)

NORTHUMBERLAND =97 Lede o papel, enquanto o espelho = chega.

REI RICARDO =97 Dem=F4nio! Come=E7aste a = atormentar-me antes de eu=20 estar no inferno.

BOLINGBROKE =97 Deixai isso, lorde = Northumberland.

NORTHUMBERLAND =97 Sem a leitura, n=E3o ficar=E1 o = povo=20 satisfeito.

REI RICARDO =97 Ficar=E1 satisfeito; hei de ler tudo, = depois de ver=20 o livro em que se encontram escritos meus pecados: minha pr=F3pria = pessoa.

(Volta o criado com um espelho.)

D=E1-me o espelho. Vou ler nele. Como! Sem rugas, = ainda, mais=20 profundas? T=E3o grandes bofetadas a tristeza me aplicou, sem deixar = marcas mais=20 s=E9rias? =D3 espelho adulador! Como as pessoas que na prosperidade me = seguiam, tu=20 me est=E1s enganando. Ser=E3o estas as fei=E7=F5es de quem tinha = diariamente dez mil=20 pessoas sob seu teto e a todas alimentava? Ser=E1 esta a face que, =E0 = maneira do=20 sol, deixava cego quem a olhasse de frente? Era esta a face que fez face = a=20 loucuras incont=E1veis para, afinal, ter de baixar os olhos diante de = Bolingbroke?=20 Muito fr=E1gil =E9 a gl=F3ria que irradia desta face; t=E3o fr=E1gil = quanto a gl=F3ria =E9 a=20 pr=F3pria face.

(Joga o espelho ao ch=E3o.)

Ei-la a=ED, reduzida a cem peda=E7os. N=E3o deixes de = anotar, rei=20 silencioso, a moral do meu gesto: como as m=E1goas em pouco tempo a face = me=20 destru=EDram.

BOLINGBROKE =97 Foi a sombra de vossas amarguras que = a sombra,=20 apenas, vos destruiu da face.

REI RICARDO =97 Repete-o: a sombra, s=F3, das = amarguras. Vejamos; =E9=20 verdade, as minhas m=E1goas est=E3o dentro. Estas mostras exteriores de = desespero=20 s=E3o somente a sombra da tristeza invis=EDvel que, em sil=EAncio, se = intumesce numa=20 alma torturada. Eis a sua subst=E2ncia. Eu te agrade=E7o, rei, a tua = bondade=20 incalcul=E1vel, pois tu n=E3o s=F3 me deste a causa toda do desespero, = como me=20 ensinaste, tamb=E9m, a lastim=E1-la. Vou pedir-vos um favor, = simplesmente; depois=20 disso partirei, sem vos ser mais importuno. Conceder-me-eis?

BOLINGBROKE =97 Dizei-o, belo primo.

REI RICARDO =97 =93Belo primo!=94 Maior eu sou que os = reis. Quando=20 era eu rei, os meus aduladores n=E3o passavam de s=FAditos; agora que me = tornei=20 vassalo, um rei me adula. Sendo t=E3o grande assim, n=E3o vejo causa por = que deva=20 pedir alguma coisa.

BOLINGBROKE =97 Pedi, contudo.

REI RICARDO =97 E alcan=E7arei a gra=E7a?

BOLINGBROKE =97 Sem d=FAvida.

REI RICARDO =97 Deixai-me, ent=E3o, partir.

BOLINGBROKE =97 Para onde?

REI RICARDO =97 Qualquer parte em que me encontre = longe de vossa=20 vista; isso =E9 que importa.

BOLINGBROKE =97 Conduza-o um dos presentes para a = Torre.

REI RICARDO =97 Oh, belo! Conduzir-me? Como a=E7ores = em torno a um=20 rei s=E3o vossos condutores.

(Sai o rei Ricardo, levado por um guarda.)

BOLINGBROKE =97 Marcamos para a quarta-feira = pr=F3xima a coroa=E7=E3o.=20 Milordes, preparai-vos.

(Saem todos, com exce=E7=E3o do bispo de Carlisle, = o abade de=20 Westminster e Aumerle.)

ABADE =97 Triste demais a cena a que assistimos.

BISPO =97 Mais tristes ser=E3o outras; como espinhos, = h=E3o de na=20 alma as sentir nossos filhinhos.

AUMERLE =97 Padres, n=E3o haver=E1 qualquer conjura = que a p=E1tria=20 limpe e a deixe outra vez pura?

ABADE =97 Milorde, antes de eu me expandir com = liberdade sobre=20 assunto t=E3o grave, =E9 necess=E1rio que, ao vos ser ministrado o = sacramento, jureis=20 n=E3o s=F3 guardar todo segredo sobre o meu plano, como p=F4r em = pr=E1tica quanto,=20 acaso, eu mandar. Tendes a fronte, vejo-o bem, descontente, marejados de = l=E1grimas os olhos, de tristezas o cora=E7=E3o. Vamos cear; ufano vos = deixarei, ap=F3s=20 contar meu plano.

(Saem.)

ATO V

CENA I

Londres. Uma rua que vai ter =E0 = Torre. Entram a=20 rainha e uma dama de companhia.

RAINHA =97 O rei h=E1 de passar por este ponto. Este = =E9 o caminho=20 que conduz =E0 Torre de J=FAlio C=E9sar, constru=EDda para triste = finalidade, em cujo=20 seio de pedra o meu senhor foi condenado a ficar prisioneiro pelo altivo = Bolingbroke. Sentemo-nos um pouco, caso haja nesta terra revoltada lugar = para=20 repouso da consorte de seu rei verdadeiro.

(Entram o rei Ricardo e guardas.)

Mas, cuidado! Olhai, ou antes, n=E3o olheis a minha = bela flor que=20 emurchece. Contemplai-o, sim, porque de piedade venhais todas a = r=F3ridas ficar e=20 um banho fresco lhe deis com vosso orvalho de sinceras l=E1grimas de = afei=E7=E3o. O=20 tu, modelo do lugar onde estava a velha Tr=F3ia, tu, mapa-mundi da = honra, tu,=20 sepulcro do rei Ricardo, n=E3o o rei Ricardo: =F3 templo da beleza, por = que causa=20 d=E1s abrigo =E0 tristeza repulsiva, quando o triunfo se aloja numa = tasca?

REI RICARDO =97 N=E3o te alies =E0 dor, bela = consorte, para apressar=20 meu fim. Daqui por diante, bela alma, aprende a ver em nosso estado = primitivo=20 somente um feliz sonho. Ora, despertos, vemos a verdade do que somos de = fato.=20 Boa amiga, uma jura me fez irm=E3o da feia necessidade: ela e eu somos = aliados at=E9=20 =E0 morte. Vai logo para a Fran=E7a e entra para uma casa religiosa. = Nossa vida, mal=20 gasta foi o pro=EAmio do que no c=E9u vai ser o nosso pr=EAmio.

RAINHA =97 Que vejo! O meu Ricardo est=E1 mudado na = alma e no=20 corpo, assim, e enfraquecido? Privou-te Bolingbroke do intelecto? No imo = peito=20 te entrou? Ainda nas vascas da morte, o le=E3o possante estende as = garras e, em=20 falta de outra coisa, fere a terra, na raiva de se ver, alfim, domado. E = tu,=20 agora, como um colegial aceitas o castigo, a vara beijas, humildemente o = ultraje=20 acaricias, tu, que =E9s um le=E3o e o rei das bestas feras?

REI RICARDO =97 =C9 certo: rei das feras. Se n=E3o = fosse ter sido eu=20 rei de feras, ainda estava como um feliz rei de homens. N=E3o demores, = minha boa=20 rainha de outros tempos, vai para a Fran=E7a logo; como morto me = considera, e que=20 esta despedida foi o adeus que eu te disse do meu leito de morte. No = correr das=20 longas noites do inverno senta-te =E0 lareira, ao lado de boa gente = idosa e ouve=20 as hist=F3rias que te contarem, de =E9pocas terr=EDveis, h=E1 muito = acontecidas. Como=20 paga, antes de lhes dizeres o boa-noite, conta-lhes minha hist=F3ria = lament=E1vel e=20 em l=E1grimas os faze ir para o leito. At=E9 mesmo os ti=E7=F5es sem = sentimento h=E3o de=20 simpatizar com os dolorosos acentos de tua l=EDngua comovida e de = piedade=20 extinguir=E3o o fogo, chorando =97 alguns em cinza, outros com vestes = cor de carv=E3o=20 =97 a sorte de um monarca leg=EDtimo que o trono a perder veio.

(Entra Northumberland, com s=E9quito.)

NORTHUMBERLAND =97 Milorde, Bolingbroke j=E1 mudou de = parecer:=20 ireis para Pomfret, n=E3o para a Torre. Sobre v=F3s, senhora, ficou = tamb=E9m de pouco=20 resolvido que deveis ser levada para a Fran=E7a.

REI RICARDO =97 Northumberland, escada de que o = altivo=20 Bolingbroke se utilizou para alcan=E7ar meu trono: n=E3o ficar=E1 o = tempo muitas horas=20 envelhecido antes que o teu delito vire postema e em podrid=E3o se = esfa=E7a. Ainda=20 que Bolingbroke venha a dar-te metade do seu reino, achar=E1s pouco, = porque o=20 ajudaste a conquistar o todo. Ele, tamb=E9m, sabendo que conheces o meio = de=20 implantar reis ileg=EDtimos, h=E1 de pensar que por motivos f=FAteis = achar=E1s meio de=20 jog=E1-lo abaixo do trono ilegalmente conquistado. Muda-se em medo o = amor dos maus=20 amigos; o medo em =F3dio; o =F3dio a um deles leva, ou a ambos, =E0 luta = e =E0 morte=20 merecida.

NORTHUMBERLAND =97 Que a minha falta sobre mim = recaia, e acabemos=20 com isto. Despedi-vos logo e apartai-vos, que deveis seguir.

REI RICARDO =97 Divorciado duas vezes! O homens sem = consci=EAncia!=20 Violais dois casamentos ao mesmo tempo: o meu com a coroa, e o meu com = minha=20 esposa idolatrada. Desmanchemos a jura que fizemos ao nos beijarmos. = N=E3o, n=E3o =E9=20 poss=EDvel, que um beijo a consagrou. Vem separar-nos, Northumberland: = eu sigo=20 para o norte, onde o clima =E9 agravado pelas doen=E7as e pelo frio = horr=EDvel; para a=20 Fran=E7a seguir=E1 minha esposa, de onde, em pompa, ela veio, outro maio = s=F3 de=20 flores, para em Finados retornar de dores.

RAINHA =97 =C9 certo, ent=E3o, que nos separa a = dor?

REI RICARDO =97 As m=E3os e os cora=E7=F5es, meu = grande amor.

RAINHA =97 Mandai comigo o rei para o desterro.

NORTHUMBERLAND =97 Compaix=E3o isso fora, mas grande = erro.

RAINHA =97 Deixai, ent=E3o, que eu fique, tamb=E9m, = presa.

REI RICARDO =97 Juntos, assim, os dois, uma tristeza, = somente,=20 perfar=EDamos. Na Fran=E7a, por mim, vais tu chorar; eu, em lembran=E7a = do que =E9s me=20 finarei s=F3 de cuidados. Antes longe que perto e separados. Medir=E1s = com suspiros=20 teu caminho; eu, com gemidos.

RAINHA =97 Mais pungente espinho ser=E1 a saudade em = todo o meu=20 percurso, por ser maior que o teu.

REI RICARDO =97 Mas no discurso do meu eu gemerei = mais=20 fundamente, porque mil passos minha dor aumente. Vamos logo; abreviemos = o=20 noivado da nossa dor, que vai ser demorado demais o casamento. Um terno = beijo=20 para o sil=EAncio vai nos dar ensejo. Festejamos, assim, novo himeneu; = levas meu=20 cora=E7=E3o, fico com o teu.

(Beijam-se.)

RAINHA =97 N=E3o! D=E1-me o meu de novo; cruel sorte = fora ficar com o=20 teu e dar-lhe a morte.

(Tornam a beijar-se.)

Agora, sim; =E9 meu; mais nada aspiro; vou tentar = dar-lhe a morte=20 com um suspiro.

REI RICARDO =97 Da dor esta demora nos faz presa. = Seja a =FAltima=20 palavra a da tristeza.

(Saem.)

CENA II

O mesmo. Um quarto no pal=E1cio do = duque de York.=20 Entram York e a duquesa.

DUQUESA =97 Milorde, =EDeis contar-me o que faltava = dizer do=20 encontro, em Londres, dos dois primos, quando o pranto vos fez cortar a=20 hist=F3ria.

YORK =97 Onde parei?

DUQUESA =97 Naquele ponto triste em que dissestes = como m=E3os=20 grosseiras e incivis atiravam das janelas terra e espurc=EDcias sobre o = rei=20 Ricardo.

YORK =97 Ent=E3o, como eu dizia, o grande duque, = Bolingbroke,=20 montado num fogoso e altanado corcel, que parecia conhecer o ambicioso=20 cavaleiro, devagar avan=E7ou, mas imponente, enquanto as bocas todas o = aclamavam=20 num s=F3 tom: =93Deus te ampare, Bolingbroke!=94 Direis que as janelas = tinham fala,=20 tantos olhos, ansiosos, se alongavam de seus caixilhos, de anci=F5es e = mo=E7os, para=20 seu rosto, e bem assim que todas as paredes, colgadas de pinturas, a um = s=F3 tempo=20 gritavam: =93S=EA bem-vindo, Bolingbroke! Jesus te ampare sempre!=94 Ao = que ele, para=20 todos se virando, cabe=E7a descoberta e ainda mais baixa que o colo do = cavalo,=20 respondia: =93Meus caros compatriotas, obrigado!=94 E assim passou, = fazendo sempre o=20 mesmo.

DUQUESA =97 Pobre Ricardo! E, nesse meio tempo, como = ele se=20 mostrava em seu cavalo?

YORK =97 Como os espectadores de uma pe=E7a no = teatro, ap=F3s sair o=20 ator querido, indiferentes olham para o que entra depois dele, julgando=20 insuport=E1vel sua tagarelice: desse modo, se n=E3o com mais desprezo, = os=20 assistentes zombavam de Ricardo. Ningu=E9m disse: =93Deus te salve!=94 = Nenhuma voz=20 am=E1vel lhe deu as boas-vindas; atiravam-lhe terra na fronte = consagrada, que ele=20 sacudia com gesto de tristeza t=E3o cativante, a luta revelando nas = fei=E7=F5es, entre=20 as l=E1grimas e o riso, sinais de seu pesar e de paci=EAncia, que se = Deus, por algum=20 des=EDgnio oculto, n=E3o tivesse deixado empedernido o cora=E7=E3o dos = homens, fora=20 certo ficarem comovidos e sentirem piedade de Ricardo os pr=F3prios = b=E1rbaros. Mas=20 nisso tem a m=E3o Deus poderoso, cujo alvitre acatar nos =E9 for=E7oso. = Agora=20 Bolingbroke =E9 o novo rei; obedi=EAncia e lealdade eu j=E1 jurei.

DUQUESA =97 Eis Aumerle, meu filho.

YORK =97 Aumerle, outrora; mas por ter sido amigo de = Ricardo,=20 mudou de nome. De ora em diante, minha senhora, s=F3 deveis chamar-lhe = Rutland.=20 Dei-me como fiador no parlamento de sua lealdade ao novo rei.

(Entra Aumerle.)

DUQUESA =97 Sede bem-vindo, filho. Que violetas ora o = rega=E7o=20 enfeitam da ridente primavera?

AUMERLE =97 Senhora, n=E3o me ocupou no m=EDnimo, com = isso. S=F3 Deus=20 sabe que eu n=E3o me importo de ser uma delas.

YORK =97 Sede cauto na nova primavera; se n=E3o, a = vossa vida se=20 acelera: sereis ceifado antes do tempo. E agora, de Oxford, que = novidades? Ainda=20 duram as justas e os festejos?

AUMERLE =97 Sim, milorde, pelo que me disseram.

YORK =97 Dever=EDeis comparecer =E0s festas.

AUMERLE =97 Deus querendo, essa =E9 a minha = inten=E7=E3o.

YORK =97 Que selo =E9 esse que do peito te pende? = Empalideces?=20 Deixa-me ver o escrito.

AUMERLE =97 =C9 sem valia, milorde.

YORK =97 Pouco importa; agora eu hei de saber o que = =E9; desejo ver=20 o escrito.

AUMERLE =97 Pe=E7o que Vossa Gra=E7a me perdoe, mas o = assunto carece=20 de import=E2ncia. Contudo, n=E3o quisera revel=E1-lo.

YORK =97 Pois eu quero saber de que se trata. Tenho = medo...

DUQUESA =97 De que podeis ter medo? Certamente h=E1 = de ser alguma=20 letra que ele aceitou para pagar os gastos com o vestu=E1rio da = festa.

YORK =97 Aceitou letra que ainda traz consigo? =C9s = uma tonta,=20 mulher. Rapaz, desejo ver o escrito.

AUMERLE =97 Pe=E7o que me perdoeis, mas =E9 = imposs=EDvel=20 mostrar-vo-lo.

YORK =97 J=E1 o disse: quero v=EA-lo.

(Toma-lhe, =E0 for=E7a, o papel e o l=EA.)

Trai=E7=E3o! Crime! Traidor! Escravo! Biltre!

DUQUESA =97 Que =E9 que h=E1, senhor?

YORK =97 Ol=E1! H=E1 algu=E9m a=ED dentro?

(Entra um criado.)

Sela o cavalo. Deus se apiade dele. Trai=E7=E3o = inomin=E1vel!

DUQUESA =97 Que h=E1, senhor? Que aconteceu?

YORK =97 J=E1 o disse. As minhas botas! Apronta-me o = cavalo!

(Sai o criado.)

Por meu nome, minha honra, a pr=F3pria vida, eu mesmo = quero=20 denunciar o vil=E3o.

DUQUESA =97 Mas o que =E9 que houve?

YORK =97 Sil=EAncio, mulher tonta.

DUQUESA =97 N=E3o, n=E3o hei de ficar calada. O que = foi que houve,=20 Aumerle?

AUMERLE =97 Boa m=E3e, acalmai-vos; n=E3o fiz nada = que minha vida=20 resgatar n=E3o possa.

DUQUESA =97 Resgatares com a vida!

YORK =97 Traze as botas! Vou procurar o rei.

(Entra o criado, com as botas.)

DUQUESA =97 Bate-lhe, Aumerle. Pobre menino; est=E1s=20 estupefacto.

(Ao criado) =97 Retira-te, vil=E3o, da minha = vista!

YORK =97 D=E1-me as botas, j=E1 o disse.

(Sai o criado.)

DUQUESA =97 Que pretendes fazer? N=E3o dissimulas nem = os deslizes=20 de tua pr=F3pria gente? Temos mais filhos? Porventura estamos em = condi=E7=F5es de os=20 ter? O tempo, acaso, n=E3o fez secar minha fecundidade? Tencionas a = velhice=20 despojar-me do meu =FAnico filho e do bendito nome de m=E3e deixar-me = =F3rf=E3 de todo?=20 N=E3o tem ele os teus tra=E7os? N=E3o =E9 teu filho?

YORK =97 Mulher louca, sem ju=EDzo, pretendes ocultar = essa=20 monstruosa conspira=E7=E3o? juraram doze deles, por ocasi=E3o do = sacramento, e as=20 pr=F3prias m=E3os, neste escrito, o fato confirmaram, matar o rei em = Oxford.

DUQUESA =97 N=E3o deixamos que ele v=E1; ficar=E1 = aqui conosco. Que lhe=20 importa tudo isso?

YORK =97 Sai, maluca, mulher sem ju=EDzo! Fosse vinte = vezes ele meu=20 filho e, certo, o denunciara.

DUQUESA =97 Se tivesses passado pelas dores que por = ele eu=20 passei, tu te mostraras mais compassivo. Mas somente agora compreendo o = teu=20 pensar: =E9 que suspeitas que eu n=E3o fui leal ao nosso pr=F3prio = leito. Um bastardo=20 v=EAs nele, n=E3o teu filho. Doce York, amado esposo, expunge ao = esp=EDrito t=E3o=20 suspeitosa id=E9ia! Tanto quanto poss=EDvel, ele tem tuas fei=E7=F5es. = N=E3o tem meus=20 tra=E7os, nem de meus parentes. No entanto, eu o amo.

YORK =97 Sai, mulher ind=F3cil!

(Sai.)

DUQUESA =97 Vai atr=E1s dele, Aumerle, em seu cavalo! = Apressa-te;=20 esporeia-o, porque possas chegar diante do rei primeiro que ele, para = pedir=20 perd=E3o antes de seres acusado por ele. Eu n=E3o demoro; conquanto seja = velha, n=E3o=20 duvido que possa cavalgar tanto quanto York. N=E3o me levantarei do = solo, enquanto=20 n=E3o te houver perdoado Bolingbroke. Vai logo! N=E3o demores!

(Saem.)

CENA III

Windsor. Um quarto no castelo. = Entram=20 Bolingbroke, como rei; Henrique Percy e outros nobres.

BOLINGBROKE =97 Ningu=E9m me d=E1 not=EDcias de meu = filho perdul=E1rio?=20 Tr=EAs meses j=E1 passaram da =FAltima vez que o vi. Se h=E1 malef=EDcio = que sobre n=F3s=20 impenda, =E9 ele, sem d=FAvida. Prouvera a Deus, senhores, que o = encontr=E1sseis.=20 Investigai em Londres, nas tavernas, por ser a=ED, segundo dizem, que = ele=20 diariamente se encontra, acompanhado de gente licenciosa e sem = princ=EDpios, tal=20 como essas pessoas, =E9 o que dizem, que ficam pelas vielas, procurando = bater nos=20 guardas e roubar quem passa, enquanto ele, esse mo=E7o libertino, rapaz = efeminado,=20 considera ponto de honra amparar tamanha corja de desbriados.

HENRIQUE PERCY =97 Milorde, eu vi o pr=EDncipe h=E1 = cerca de dois=20 dias e lhe disse que os festejos iriam ser em Oxford.

BOLINGBROKE =97 E que disse esse est=FArdio?

HENRIQUE PERCY =97 Disse que tencionava ir a um = alcouce para=20 tomar a luva a uma rameira, que ele, como penhor, carregaria, jurando = derrubar=20 da sela quantos ousassem desafi=E1-lo nestas justas.

BOLINGBROKE =97 T=E3o libertino quanto ousado. = R=E9stias entrevejo,=20 no entanto, de melhores esperan=E7as, que podem, de futuro, = patentear-nos dias=20 mais risonhos. Mas quem vindo a=ED?

(Entra Aumerle.)

AUMERLE =97 Onde est=E1 o rei?

BOLINGBROKE =97 Que quer o primo que olha desse = modo?

AUMERLE =97 Deus guarde Vossa Gra=E7a. Imploro a = Vossa Majestade=20 secreta confer=EAncia com Vossa Gra=E7a.

BOLINGBROKE =97 Retirai-vos todos: deixai-nos = s=F3s.

(Saem Henrique Percy e nobres.)

E agora, primo, que h=E1?

AUMERLE (ajoelha-se) =97 Desejo ter os joelhos = ao ch=E3o=20 presos, grudada a l=EDngua ao paladar. se acaso n=E3o me perdoardes = antes de me=20 ouvirdes e de eu ficar de p=E9.

BOLINGBROKE =97 Foi essa falta concebida somente ou = posta em=20 pr=E1tica? Se o pensamento mau n=E3o al=E7ou v=F4o, para ganhar-te o = afeto eu te=20 perd=F4o.

AUMERLE =97 Ent=E3o permite que esta porta eu feche, = para que=20 interromper ningu=E9m nos venha antes de eu dizer tudo.

BOLINGBROKE =97 Como queiras.

(Aumerle corre o ferrolho da porta.)

YORK (fora) =97 Cautela, meu senhor; tomai = cuidado, que=20 est=E1 um traidor junto de Vossa Gra=E7a!

BOLINGBROKE (arrancando da espada) =97 = Miser=E1vel! Vou=20 p=F4r-te em condi=E7=F5es de n=E3o me fazer mal.

AUMERLE =97 Sustai o bra=E7o vingador; nada tendes a = recear.

YORK (dentro) =97 Abre a porta, acautela-te, = rei louco!=20 Ser=E1 preciso, ent=E3o, que, por lealdade, tenha eu de ser traidor? = Abre essa=20 porta, se n=E3o a arrombarei.

(Bolingbroke abre a porta, correndo, de novo, logo = depois, o=20 ferrolho.)

(Entra York.)

BOLINGBROKE =97 Tio, que =E9 que houve? Falai; = retomai f=F4lego;=20 dizei-nos qu=E3o perto est=E1 o perigo, porque seja poss=EDvel = remov=EA-lo pelas=20 armas.

YORK =97 Ver=E1s por este escrito que perigo correste = e corres, que=20 ele est=E1 contigo.

AUMERLE =97 Lembra-te, quando o leres, da promessa = que me=20 fizeste. Estou arrependido. N=E3o leias o meu nome; divorcia-se meu = cora=E7=E3o da m=E3o=20 que isso subscreve.

YORK =97 Mas estava a ela unida, biltre, at=E9 antes = de teres=20 assinado. Eu tirei isso do peito do traidor, meu soberano. N=E3o =E9 a = dedica=E7=E3o, =E9=20 o medo, apenas, que o induz a se mostrar arrependido. N=E3o te lembres, = portanto,=20 de perdoar-lhe, porque tua piedade n=E3o se mude numa serpente que te = morda o=20 peito.

BOLINGBROKE =97 Oh, que monstruosa, enorme, = temer=E1ria=20 conspira=E7=E3o! Que pai sincero e digno de um filho falso! =D3 fonte = arg=EAntea e=20 l=EDmpida de onde prov=E9m esta corrente suja que por desv=E3os imundos = se conspurca!=20 Teu transbordante bem em mal se muda; mas h=E1 de ser o excesso de = bondade que vai=20 atenuar o mortal crime de teu transviado filho.

YORK =97 Desse modo ser=E1 minha virtude a = alcoviteira de seus=20 v=EDcios, pagando ele a vergonha com minha honra, como sempre o fazem os = filhos=20 perdul=E1rios com o dinheiro dos avarentos. Para ficar viva minha honra, = h=E1 de=20 morrer sua desonra; mas se esta n=E3o morrer, j=E1 n=E3o tenho honra. Se = o deixares=20 com vida, d=E1s-me a morte. Decide, pois, =F3 rei, da nossa sorte.

DUQUESA (dentro) =97 Deixai-me entrar, meu = caro soberano,=20 por tudo o que =E9 sagrado!

BOLINGBROKE =97 Quem suplica com voz t=E3o estridente = e assim t=E3o=20 alto?

DUQUESA (dentro) =97 Uma mulher, =F3 rei! Sou = eu, tua tia!=20 Fala-me! Tem piedade, abre essa porta! Quem te est=E1 implorando =E9 uma = mendiga que=20 nunca mendigou.

BOLINGBROKE =97 A nossa pe=E7a virou com=E9dia, = permiti que o diga, e=20 ora se chama: =93O Pr=EDncipe e a Mendiga=94. Meu perigoso primo, abri = essa porta que=20 =E9 vossa m=E3e, eu sei; mas pouco importa, que, de cansada, ela h=E1 de = vir arfando=20 para pedir por vosso crime infando.

(Aumerle abre o ferrolho da porta.)

YORK =97 Se lhe perdoardes, seja a que pedido, = maiores crimes te=20 far=E3o rendido. Para que n=E3o se perca a vida cara, corta-se o membro = podre; o=20 corpo sara.

(Entra a duquesa.)

DUQUESA =97 N=E3o o ou=E7as, rei, que o filho ele = difama; quem n=E3o=20 ama a si pr=F3prio, a ningu=E9m ama.

YORK =97 A que vens, louca? Em busca de algum meio = para p=F4r=20 novamente o monstro ao seio?

DUQUESA =97 Paci=EAncia, meu bom York.

(Ajoelha-se.)

Ouvi-me, =F3 rei!

BOLINGBROKE =97 Boa tia, de p=E9.

DUQUESA =97 N=E3o; falarei como me encontro, sem que = possa o dia de=20 calma jamais ver e de alegria, Se n=E3o me deres a certeza, agora, de = que meu=20 filho n=E3o se encontra fora de teu bom cora=E7=E3o, meu filho amado, = meu Rutland, que=20 aqui est=E1 como culpado.

AUMERLE =97 Dobro os joelhos; refor=E7o o seu = pedido

(Ajoelha-se.)

YORK =97 Pois contra ambos, senhor, meu corpo fido se = prostra=20 neste instante.

(Ajoelha-se.)

S=F3 desgra=E7as te vir=E3o da brandura; n=E3o = desfa=E7as tua=20 felicidade.

DUQUESA =97 =C9 ele sincero? Vede-lhe o rosto: acaso = est=E1 severo?=20 L=E1grimas n=E3o derrama; sua prece n=E3o vem do cora=E7=E3o; alma = refece n=E3o traduz: =E9=20 enunciada por brinquedo. Quanto ele diz, n=E3o passa de arremedo de = palavras; as=20 nossas, do imo peito se originam; s=E3o l=EDmpidas, no jeito de quem = pede com alma e=20 cora=E7=E3o. Ele pede, querendo ouvir um =93N=E3o=94. Seus joelhos se = al=E7ariam de bom=20 grado, sei-o bem; mas os nossos, com o cuidado que aqui nos trouxe, = estreme de=20 mal=EDcia, lan=E7ariam no ch=E3o raiz prop=EDcia. Sua prece revela = hipocrisia; a nossa a=20 dor e o zelo concilia. Mais do que a dele a nossa prece alcan=E7a; = dai-nos, pois,=20 o perd=E3o, sem mais tardan=E7a.

BOLINGBROKE =97 Ficai de p=E9, boa tia.

DUQUESA =97 N=E3o =93de p=E9=94; dize =93perd=E3o=94, = primeiro, e, ap=F3s, =93de=20 p=E9=94. Se a falar eu tivesse de ensinar-te, na palavra =93perd=E3o=94 = toda a minha arte=20 concentraria, para que a aprendesses em primeiro lugar. Oh! D=E1 corpo a = esses=20 meus anseios, =F3 rei! Dize: =93perd=E3o=94; seja tua mestra, nisto, a = compaix=E3o. Termo=20 curto, mas doce sem medida; quando um rei o profere, =E9 a pr=F3pria = vida.

YORK =97 Fala, rei, em franc=EAs: =93Pardonnez = moy=94.

DUQUESA =97 Ensinas ao perd=E3o a li=E7=E3o m=E1, = porque ela se destrua?=20 Oh! que marido sem alma, cora=E7=E3o empedernido, que a palavra contra = ela pr=F3pria=20 lan=E7a. Dize =93perd=E3o=94, acorde com a usan=E7a de nossa terra. A = rude algaravia dos=20 franceses inculca barbaria. J=E1 come=E7am teus olhos a falar; =E0 = l=EDngua ensina,=20 pois, o linguajar do verdadeiro amor, ou p=F5e o ouvido no cora=E7=E3o = piedoso, porque=20 o ru=EDdo possas ouvir que fazem nossas preces e o almejado perd=E3o tu = nos=20 apresses.

BOLINGBROKE =97 Ficai de p=E9.

DUQUESA =97 N=E3o vim pedir apenas para ficar de = p=E9, sen=E3o que as=20 penas me alivies.

BOLINGBROKE =97 Concedo-lhe o perd=E3o, para que Deus = tamb=E9m me=20 estenda a m=E3o.

DUQUESA =97 Oh! Quanto pode um joelho que se curva! = Mas o temor a=20 mente ainda me enturva. Torna a dizer, que repetir o mesmo voc=E1bulo = n=E3o =E9=20 perdoar a esmo, mas =E9 dar-lhe asas para excelso v=F4o.

BOLINGBROKE =97 De todo o cora=E7=E3o eu lhe = perd=F4o.

DUQUESA =97 =C9s um deus sobre a terra.

BOLINGBROKE =97 Quanto ao nosso fiel cunhado, e o = abade, e todo o=20 resto dessa malta de s=F3cios, vou soltar-lhes no encal=E7o a = destrui=E7=E3o. Bondoso=20 tio, mandai para Oxford suficientes for=E7as, ou para onde os traidores = se=20 encontrarem. Farei que sem demora o bando imundo de seu peso alivie o = nosso=20 mundo. Tio, adeus; caro primo, adeus tamb=E9m; soube tua m=E3e = interceder com=20 arte.

DUQUESA =97 Vamos, meu filho; Deus vai = transformar-te.

(Saem.)

CENA IV

Outro quarto no castelo. Entram = Exton e um=20 criado.

EXTON N=E3o prestaste aten=E7=E3o no que o rei disse? = =93N=E3o terei um=20 amigo que me livre deste receio vivo?=94 N=E3o foi isso?

CRIADO =97 Foram exatamente essas palavras.

EXTON =97 =93N=E3o terei um amigo?=94 disse; e duas = vezes o repetiu com=20 bastante =EAnfase. N=E3o =E9 verdade?

CRIADO =97 =C9 certo.

EXTON =97 Assim falando, ele me olhava fixo, como a = dizer:=20 =93Quisera que tu fosses o homem capaz de me tirar do peito semelhante = temor=94,=20 alus=E3o clara ao soberano que em Pomfret se encontra. Vou demonstrar = que sou do=20 rei amigo e que ele poder=E1 contar comigo.

(Saem.)

CENA V

Pomfret. O calabou=E7o do castelo. = Entra o rei=20 Ricardo.

REI RICARDO =97 Estive a refletir como me seja = poss=EDvel comparar=20 esta angustiosa pris=E3o ao vasto mundo. Sendo o mundo t=E3o populoso e = aqui n=E3o=20 existindo, al=E9m de mim, nenhuma outra criatura, n=E3o sei como o = consiga. Mas n=E3o=20 paro de martelar a id=E9ia: darei provas de que minha alma e o c=E9rebro = casaram e=20 que uma gera=E7=E3o de pensamentos, logo ap=F3s, conceberam. E, s=E3o = esses pensamentos=20 que o meu pequeno mundo povoaram de caprichos, da maneira por que vemos = no=20 mundo, visto como jamais os pensamentos se acomodam. Os mais graduados, = como os=20 pensamentos relativos a assuntos religiosos, de d=FAvidas se mesclam, = provocando=20 conflito entre as palavras. Por exemplo: =93Deixai que os pequeninos = venham a=20 mim=94. E ap=F3s: =93=C9 bem mais f=E1cil um camelo passar pelo buraco = de uma agulha do=20 que eles alcan=E7arem o reino de meu pai=94. Os pensamentos ambiciosos = cogitam s=F3 de=20 absurdos: como estas fracas unhas abrir possam uma passagem atrav=E9s = das p=E9treas=20 costelas deste mundo, esta minha =E1spera pris=E3o. E, porque falham, = morrem v=EDtima=20 do pr=F3prio orgulho. Os pensamentos calmos se iludem com dizer n=E3o = serem eles os=20 primeiros escravos da Fortuna, nem os =FAltimos, ainda, como certos = imbecis que,=20 no potro de supl=EDcios, se consolam do opr=F3brio, com dizerem que = outras pessoas=20 por ali passaram e outras mais passar=E3o. Com essa id=E9ia eles = experimentam certo=20 al=EDvio, jogando a desventura para as costas dos que passaram por = iguais=20 tormentos. Desta arte, eu represento ao mesmo tempo muitas pessoas, = todas=20 descontentes. Sou rei, por vezes. A trai=E7=E3o, nessa hora, me leva a = desejar ser=20 um mendigo, e mendigo me torno. Ent=E3o o peso da mis=E9ria de novo me = persuade que=20 eu estava melhor sendo monarca. Torno a ser rei; mas nesse mesmo = instante=20 ponho-me a imaginar que Bolingbroke me destronou e que eu n=E3o sou mais = nada.=20 Seja o que for, por=E9m, nem eu nem homem algum, que seja um homem, = simplesmente,=20 com coisa alguma poder=E1 mostrar-se contente, enquanto n=E3o ficar = tranq=FCilo,=20 virando nada. Mas que ou=E7o? M=FAsica?

(Ouve-se m=FAsica.)

Conservai o compasso! Como a doce m=FAsica =E9 = insuport=E1vel para o=20 ouvido, quando falha o compasso e n=E3o se observa nenhuma = propor=E7=E3o. A mesma=20 coisa se passa na harmonia da exist=EAncia dos mortais. Aqui eu tenho = ouvido fino=20 para apanhar pequena disson=E2ncia de uma corda mal posta. No = entretanto, n=E3o=20 percebi a falta de compasso que deveria haver na conson=E2ncia do meu = tempo e do=20 Estado. Malgastei todo meu tempo; o tempo ora me gasta, porque me vejo=20 transformado agora no rel=F3gio do tempo. Os pensamentos s=E3o minutos, = que com=20 suspiros batem no quadrante dos olhos, onde se acha sempre meu dedo, =E0 = guisa de=20 ponteiro para marcar as horas e limp=E1-las de l=E1grimas. Agora, meu = querido=20 Ricardo, o som que nos indica as horas s=E3o suspiros profundos que me = batem no=20 cora=E7=E3o: o sino. Assim, suspiros, l=E1grimas e gemidos, os minutos, = o tempo e as=20 horas marcam. Mas meu tempo corre atr=E1s da alegria presun=E7osa de = Bolingbroke,=20 enquanto eu, como um n=E9scio, me transformo no Jo=E3o de seu rel=F3gio. = Mas estou=20 quase louco com esta m=FAsica! Parem com isso! Embora tenha a m=FAsica = restitu=EDdo a=20 raz=E3o a muitos loucos, no meu caso, parece, deixa os s=E1bios loucos = de todo. N=E3o;=20 bendito seja o cora=E7=E3o que teve tal id=E9ia. Revela amor; e amor = para Ricardo =E9=20 como j=F3ia usada neste mundo t=E3o cheio de =F3dios.

(Entra um palafreneiro.)

PALAFRENEIRO =97 Salve, real pr=EDncipe!

REI RICARDO =97 Nobre par, obrigado. O mais barato de = n=F3s dois=20 ainda =E9 caro dez vint=E9ns. Mas quem =E9s tu, rapaz? Por que motivo = vieste at=E9 onde=20 ningu=E9m chega, afora esse sombrio c=E3o que n=E3o se esquece de me = trazer comida=20 porque possa viver minha desgra=E7a?

PALAFRENEIRO =97 Eu sou um pobre palafreneiro, =F3 = rei, de teu=20 servi=E7o no tempo em que eras rei, que, de passagem para York, ap=F3s = muito=20 trabalho, obtive permiss=E3o para o rosto contemplar do meu nobre senhor = de=20 antigamente. Como meu cora=E7=E3o ficou apertado, quando em Londres, no = dia dos=20 festejos da coroa=E7=E3o eu vi montar o altivo Bolingbroke no teu ru=E3o = Berbere,=20 justamente o cavalo em que folgavas cavalgar, o cavalo, justamente, de = que eu=20 tratava com tamanho zelo!

REI RICARDO =97 Cavalgava o Berbere? Amigo, dize: = como o animal,=20 com ele ao dorso, estava?

PALAFRENEIRO =97 De tanto orgulho, desdenhava a = terra.

REI RICARDO =97 Por carregar o altivo Bolingbroke, = mostrava-se=20 orgulhoso? Esse sendeiro j=E1 comeu p=E3o em minhas m=E3os reais; esta = m=E3o j=E1 o deixou=20 vaidoso, apenas com lhe dar palmadinhas. No caminho n=E3o trope=E7ou? = N=E3o sofreu=20 queda alguma =97 j=E1 que =E9 for=E7oso vir abaixo o orgulho =97 e o = pesco=E7o partiu do=20 homem vaidoso que lhe usurpava o dorso? Mas perdoa-me, cavalo. Por que = causa=20 repreender-te, se foste criado para ser domado pelos homens e ao dorso=20 carreg=E1-los? Eu n=E3o nasci cavalo; no entretanto, como um asno = carrego um fardo=20 ingente e me vejo esporeado, at=E9 =E0 canseira m=E1xima, pelo altivo = Bolingbroke.

(Entra o carcereiro, com um prato.)

CARCEREIRO =97 Basta, rapaz; vai logo dando o = fora.

REI RICARDO =97 Se amor me tens, n=E3o fiques; vai-te = embora.

PALAFRENEIRO =97 Nada pode dizer a alma que = chora.

(Sai.)

CARCEREIRO =97 N=E3o quereis dar in=EDcio =E0 = refei=E7=E3o?

REI RICARDO =97 Antes, por=E9m, deves prov=E1-la, = n=E3o?

CARCEREIRO =97 N=E3o me atrevo, milorde, pois sir = Pierce de Exton,=20 que veio do pal=E1cio h=E1 pouco, trouxe ordens radicais nesse = sentido.

REI RICARDO =97 O diabo leve a Henrique de Lencastre, = juntamente=20 contigo! J=E1 est=E1 gasta minha paci=EAncia; estou cansado disto.

(Bate no carcereiro.)

CARCEREIRO =97 Socorro! Socorro!

(Entram Exton e criados, armados.)

REI RICARDO =97 Que quer a Morte neste rude assalto? = Tua pr=F3pria=20 m=E3o me vai dar o instrumento, bandido, de tua morte.

(Arranca a espada de um dos criados e o = mata.)

E tu, vai logo, desce a ocupar outro lugar no = inferno.

(Mata outro criado; ent=E3o, Exton o = prostra.)

H=E1 de ficar nas chamas sempiternas essa m=E3o que = abalou minha=20 pessoa. Exton, com sangue real tua m=E3o ousada manchou a pr=F3pria = terra ao rei=20 sagrada. Des=E7a meu corpo, j=E1 de tudo falto; sobe, minha alma, teu = lugar =E9 no=20 alto!

(Morre.)

EXTON =97 Cheio de ardor como de sangue real! = Derramei ambos; n=E3o=20 redunde em mal. O diabo, que a princ=EDpio me dizia que era bem feito, = agora me=20 cicia que este meu ato se acha para eterno registado na cr=F4nica do = inferno. Vou=20 levar ao rei vivo o rei defunto; enterrai estes corpos aqui junto.

(Saem.)

CENA VI

Windsor. Um quarto no castelo. = Toque de=20 clarins. Entram Bolingbroke e York, com nobres e s=E9quitos.

BOLINGBROKE =97 Bondoso tio, as =FAltimas not=EDcias = recebidas nos=20 dizem que os rebeldes puseram fogo em Cicester, cidade de = Gloucestershire.=20 Contudo ignoro se conseguiram escapar ou n=E3o.

(Entra Northumberland.)

Sede bem-vindo. Que noticias h=E1?

NORTHUMBERLAND =97 Primeiro, votos de felicidade ao = teu sagrado=20 Estado. A outra not=EDcia =E9 a seguinte: mandei j=E1 para Londres as = cabe=E7as de=20 Spencer, Salisbury, Blunt e Kent. A maneira por que foram todos eles = vencidos,=20 neste ma=E7o de pap=E9is podeis v=EA-la mais de espa=E7o.

BOLINGBROKE =97 Gentil Percy, obrigado; a recompensa = do teu=20 trabalho n=E3o ter=E1 deten=E7a.

(Entra Fitzwater.)

FITZWATER =97 Mandei, milorde, de Oxford para Londres = as cabe=E7as=20 de Brocas e sir Bennett Seely, dois dos traidores conjurados que em = Oxford=20 intentaram derrubar-te.

BOLINGBROKE =97 N=E3o ficar=E1 teu m=E9rito = esquecido, que eu bem sei=20 qu=E3o fiel tu me tens sido.

(Entra Henrique Percy com o bispo de = Carlisle.)

HENRIQUE PERCY =97 O abade de Westminster, milorde, o = grande=20 conspirador, com o peso dos remorsos e da melancolia acabrunhante cedeu = o t=E9rreo=20 corpo =E0 sepultura. Mas Carlisle aqui est=E1, porque a senten=E7a lhe = comines de sua=20 aud=E1cia imensa.

BOLINGBROKE =97 Carlisle, vais ouvir o teu castigo: = escolhe logo=20 algum secreto abrigo, de fama religiosa mais fervente do que foi sempre = a tua, e=20 a=ED, contente, passa teus dias. Nesse calmo asilo se bem viveres, = morrer=E1s=20 tranq=FCilo. Conquanto sempre fosses meu contr=E1rio, sei bem que n=E3o = possuis peito=20 nef=E1rio.

(Entra Exton, com criados que trazem um = ata=FAde.)

EXTON =97 Grande rei, neste esquife eu te apresento = teu medo=20 sepultado. Sem perigo mais para ti, a=ED jaz teu inimigo, Ricardo de = Bord=E9us, por=20 mim trazido.

BOLINGBROKE =97 Exton, n=E3o te agrade=E7o; o = cometido feito de que=20 te orgulhas me enxovalha, cobrindo a nossa p=E1tria de mortalha.

EXTON =97 Tu mesmo, =F3 rei, me insinuaste o = feito.

BOLINGBROKE =97 Quem recorre ao veneno, s=F3 proveito = dele entende=20 tirar; =F3dio lhe vota. N=E3o te amo; muito embora eu a derrota de = Ricardo=20 almejasse, ora abomino, quanto lhe tenho amor, seu assassino. Em tua = pr=F3pria=20 consci=EAncia, que te esmaga, procura agora a merecida paga, n=E3o em = palavras de=20 agradecimento, nem em favores reais e valimento. Como Caim, passa a = vagar de=20 noite, sem jamais encontrares quem te acoite. Senhores, asseguro-vos que = da alma=20 confrangida fugiu-me toda a calma, por ver que necess=E1rio se tornasse, = para=20 minha subida, este traspasse. Vinde chorar comigo o que eu lamento e = ponde luto=20 desde este momento. =C0 Terra Santa pretendo ir, contrito, para = limpar-me deste=20 atroz delito. Solid=E1rios ficai na minha agrura, lastimando esta morte=20 prematura.

(Saem.)

Fonte: www.ebooksbrasil.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal