Breaking News
Home / Animais / Abissínio

Abissínio

PUBLICIDADE

Origem: Inglaterra 
Perfil: Curioso
Tipo de Pêlo: Curto
Tamanho: Médio
Peso Mínimo: 04 Kg 
Peso Máximo: 
05 Kg
Temperamento: Sociável
Nível de Atividade: Alto
Idade: média de 10 anos

Abissínio

Características

De porte mediano, o Abissínio é dono de uma aparência majestosa. Esta raça tem o temperamento extremamente sociável, sendo um gato brincalhão e muito curioso. Ele é muito apegado ao dono, mas sem ser dependente. Os machos são proporcionalmente maiores que as fêmeas, mas essas são mais ativas e cheias de energia.

Esta raça apresenta uma marcação da pelagem chamada ticking, caracterizada pela presença de duas ou mais faixas pequenas, com tonalidade mais escura nas pontas dos pêlos e clara na raiz. Possui ainda manchas brancas nas narinas, queixo e parte superior do pescoço. O futuro dono deve estar atento, pois marcas tigradas nas pernas e na cauda podem indicar mestiçagem, sendo falta desqualificante em exposições.

As variedades de cores dessa raça são: Sorrel, caracterizada pela cor canela com partes nas cores canela-alaranjado e marrom; Ruddy, caracterizada pela cor marrom-alaranjado com duas ou três faixas de cor preta ou marrom-escuro; Silver, caracterizada pela cor branca prateada; Blue, caracterizada pela cor cinza-azulado com partes em azul mais intenso e Fawn, caracterizada pelo tom café-com-leite claro e rosado com partes na mesma cor, porém mais intensa.

O Abissínio tem como características físicas: a cabeça triangular com contornos arredondados, testa e crânio suavemente curvos, pescoço arqueado e focinho não pontiagudo. As orelhas são grandes e levemente triangulares. Os olhos são amendoados e grandes, nas cores ouro, verde, cobre ou avelã. Suas pernas são finas e longas, os pés ovalados e compactos e o rabo longo e afinado.

Esta raça tem um temperamento extremamente sociável, sendo um gato brincalhão e muito curioso. Ele é muito apegado ao dono, mas sem ser dependente.

Como é amante da liberdade, o Abissínio necessita de grandes espaços, porém adapta-se a pequenos ambientes, desde que não se sinta sozinho e encontre entretenimento na casa.

Para uma boa convivência, é necessário que o dono aprecie sua exuberância e aceite seu forte temperamento felino. Como é um gato bastante atento, aprende com rapidez truques e utilizar a caixa de areia. Diferente da maioria dos gatos, o Abissínio geralmente convive bem com cães.

Histórico

O Abissínio tem muita semelhança com os gatos pintados nos túmulos dos templos de Núbia, no Egito e com exemplares mumificados encontrados em tumbas de 2.000 a.C.. Isso leva os historiadores a crer que ele seja descendente dos gatos sagrados do antigo Egito, que fica próximo da Abissínia, atual Etiópia e Somália.

Porém, a Inglaterra é considerada o berço dos Abissínios. Esta raça é resultado do cruzamento entre exemplares trazidos da África, por soldados, com gatos ingleses vermelhos e prata. O Abissínio foi reconhecido oficialmente em 1882, na Inglaterra. Atualmente, ela é reconhecida por todas as entidades felinas. Nos EUA, esta é a raça que mais participantes reúne em exposições, porém no Brasil o Abissínio ainda é considerado raro.

Cuidados

Para a melhor higiene do seu Abissínio, recomenda-se escovações quinzenais com escova de cerdas macias, sendo esta passada contra e depois a favor do pêlo.

A limpeza das orelhas deve ser realizada com cotonete e água boricada semanalmente até seu gato completar 8 meses de vida. Com baixa necessidade de cuidados com a beleza, os Abissínios são gatos que raramente precisam de banho. Mesmo sendo resistente, ele precisa de cuidados básicos, como a vermifugação e vacinação periódicas.

Abissínio

Fonte: www.caoeciavet.hpg.ig.com.br

Abissínio

Apesar de ser uma das raças mais antigas de que se tem conhecimento, ainda há controvérsia sobre a sua origem.

Na aparência, os abissínios lembram os gatos do Antigo Egito.

Ainda hoje, possuem uma aparência selvagem, lembrando o felis lybica, o ancestral africano de todos os gatos domésticos.

O nome Abissínio não é devido à Etiópia ou Abissínia, como se pensa, mas porque o primeiro gato dessa raça exibido na Inglaterra, foi importado desse país.

A Inglaterra é considerada o berço da raça, a qual resultou do cruzamento entre exemplares trazidos inicialmente da Abissínia por soldados britânicos, com outros gatos ingleses vermelhos, prata e tigrados. O exército inglês deixou a Abissínia em maio de 1868, época em que esses gatos entraram pela primeira vez na Inglaterra.

O Abissínio foi reconhecido oficialmente em 1882 na Inglaterra.

No livro Inglês, de Gordon Staples, “Cats, Their Points, Etc.”, publicado em 1874, há a primeira menção ao gato abissínio. Nele aparece “Zula”, propriedade da esposa do Capitão Barret-Lennard. Esse gato foi trazido após a guerra.

Infelizmente, não existem registros por escrito dos gatos Abissínios anteriores a esses importados.
Estudos recentes realizados por geneticistas, mostram que a origem mais provável do Abssínio é a costa do Oceano Índico e partes do sudeste da Ásia.

Apesar do Abissínio como raça ter sido refinado na Inglaterra, a sua introdução aquele país e outros, foi o resultado de colonizadores e mercadores que paravam em Calcutá, o maior porto do Oceano Índico.

O primeiro Abissínio a ser importado da Inglaterra para a América do Norte, chegou por volta de 1900. Somente por volta de 1930 é que Abissínios de boa qualidade foram exportados para os Estados Unidos, formando a Associação de Criadores da Raça Abissínio.

De acordo com o livro “Kitten Buyer’s Guide” de Carolyn Osier, os Abissinios são muito inteligentes, gostam de estar com o homem, curioso, leal, companheiro.

Diferente da maioria dos gatos, é apaixonado pela água, da qual se aproxima quando tem oportunidade e onde, às vezes, nada. O macho assume as tarefas com os filhotes quando a mãe se ausenta. Tem voz suave e é bastante silencioso.

A pelagem do Abissínio pode ter a coloração agouti, semelhante a cor da cotia, os olhos delineados por uma pele escura, circundados por pêlos mais claros e com uma risca superior quase vertical.

Existe ainda a cor ruddy, também chamada de lebre.

A cor silver ainda não é muito aceita pelas entidades americanas. Apesar de ser conferido o pedigree, não permitem inscrevê-la nas exposições. No Brasil, só o Clube Brasileiro do Gato, filiado á entidade européia Fife-Federação Internacional Felina, confere títulos a exemplares de cor silver.

Abissínio

Ficha

Características físicas: cabeça triangular com contornos arredondados, testa e crânio suavemente curvos; pescoço arqueado; focinho não ponte-agudo; orelhas grandes, levemente ponteagudos; olhos ouro, verdes, cobre ou avelãs, amendoados, grandes; corpo médio, musculoso, dorso levemente arqueado; pernas finas e longas; pés ovalados e compactos; rabo longo e afilado.

Pelagem: média, densa, de textura fina com 4 a 6 bandos de cores alternadas, escuras nas pontas dos pêlos e claras na raíz e subpêlo lanudo. Sem manchas brancas no corpo, exceto nas narinas, queixo e parte superior do pescoço. Marcas tigradas nas pernas e cauda podem indicar mestiçagem e são falta desqüalificante nas exposições.

Cores: ruddy (tons de abricot e preto); sorrel (mescla de vermelho e tom de abricot mais intenso); blue (tons creme com coloração cinza-claro e escuro) e beige-fawn ( tons de camurça rosado mesclado com coloração camurça mais forte) e silver (subdividida em 4 tonalidades, todas com a predominância de prata, reconhecida só na Europa).

Obs: filhotes nascem laranja-escuros com manchas pretas ou quase preto. Cores começam a surgir na 6ª semana e podem finalizar só aos 6 meses ou mais.

Cuidados: escovações quinzenais com escova de cerdas macias, contra e à favor do pêlo. Limpar orelhas com cotonete e água boricada semanalmente até os 8 meses de vida e depois só quando sujas. Corte regular só das unhas da frente (as de trás gastam naturalmente).

Ninhadas: 3 a 4 filhotes, podendo ultrapassar.

Tempo de vida: média de 12 anos.

Fonte: www.becodosgatos.com.br

Abissínio

 

Abissínio

Abissínio é considerado o Puma, uma miniatura do reino dos gatos de estimação. Não é difícil imaginar o porquê.

O corpo com musculatura bem definida, a pelagem curta e, sobretudo, a cor (chamada de ruddy, a mais comum dessa raça) e a peculiar marcação batizada de ticking, caracterizada pelo efeito pontilhado gerado pelos fios que mesclam faixas em tons claros e escuros, o tornam realmente semelhante ao grande felino selvagem. “O Puma tem exatamente essa coloração e essa marcação”, comenta a criadora Márcia Rizzi, do gatil Sathya, de São Paulo.

O Abissínio não só está entre os poucos gatos domésticos com padrão ticking de pelagem como é o único que o combina com outras características físicas que remetem ao Puma.

O visual ímpar lhe é vantajoso. “Raças de pêlo curto muitas vezes não são devidamente valorizadas por serem associadas a gatos vira-latas, mas o Abissínio escapa desse estigma”, observa o criador Ricardo Ferreira, do gatil Abcoon, do Rio de Janeiro.

“É impossível ver um Abissínio e confundi-lo com um gato sem raça definida”, concorda Márcia.

A origem da sua especial aparência não é certa. Acredita-se que a raça tenha se desenvolvido naturalmente em regiões da costa do Oceano Índico e em partes do Sudeste da Ásia.

Sua semelhança com felinos desenhados em templos de Núbia, no Egito, e com exemplares mumificados encontrados em tumbas datadas de 2.000 a.C.

levam a crer que ela descenda dos gatos sagrados do antigo Egito, do qual a Abissínia era próxima. Seja como for, o Abissínio como conhecemos hoje foi aprimorado na Grã-Bretanha.

Teria sido levado para lá por soldados ingleses que retornavam da Guerra da Abissínia, ocorrida de 1867 a 1868. No início do século 20, exemplares da raça foram exportados para os Estados Unidos, dando início à criação oficial fora do domínio britânico.

No Brasil, embora não haja registros precisos, tudo indica que a chegada da raça data da segunda metade dos anos 70.

“Em 1979, ganhei um casal de exemplares já adultos de um rapaz que os trouxe dos Estados Unidos”, conta a ex-criadora Anne Marie Gasnier, fundadora da primeira entidade nacional do segmento, o Clube Brasileiro do Gato, inaugurado em 1972. “Antes disso, não havia notícia da existência do Abissínio no País”, assegura.

POPULARIDADE

Apesar de não estar entre os gatos mais criados do mundo, o Abissínio garantiu seu espaço nas gatofilias mais avançadas.

Na Grã-Bretanha, segundo os dados da Governing Council of the Cat Fancy (GCCF), principal entidade britânica do segmento, a raça se mantém há vários anos entre as 15 que mais registram filhotes anualmente.

Nos Estados Unidos, sua popularidade é ainda mais significativa. No maior órgão gatófilo norte-americano, a Cat Fanciers’ Association (CFA), o Abissínio é há pelo menos seis anos consecutivos a 5 a raça em número anual de nascimentos declarados.

E na segunda maior entidade, a The International Cat Association (Tica), ocupa desde 1999 a 9 a posição.

Em solo verde-amarelo, já não é novidade, as organizações da gatofilia não disponibilizam seus registros de maneira sistemática, o que inviabiliza análises precisas sobre a evolução das raças no País.

De concreto, o que se sabe é que há seis anos havia um único gatil de Abissínios em atividade.

Hoje, há pelo menos cinco: o Sathya, em São Paulo; o Abcoon e o Bright Moon, no Rio de Janeiro; o Bungalow, em Belo Horizonte, e o Svasti Aby, no Maranhão.

TEMPERAMENTO

Abissínio

Carinhoso, brincalhão, dedicado e companheiro. Os criadores são unânimes em descrever o Abissínio dessa forma.

“Eles podem estar superentretidos em qualquer atividade, mas basta o dono chegar em casa para que interrompam tudo a fim de recepcioná-lo”, testemunha a criadora norte-americana Michaela Cox, presidente do Abyssinian Cat Club of America. E gostam de demonstrar seu afeto. “A gente os pega no colo, e eles literalmente nos abraçam com as patinhas”, conta Márcia.

Depois dos cumprimentos, os donos dificilmente ficam sozinhos.

“Os Abissínios seguem a gente pela casa e se acomodam onde ficamos”, observa Ferreira.

São gatos moderadamente ativos, que adoram brincar com bolinhas e fazer acrobacias. Mas não chegam a ser elétricos nem bagunceiros.

Abissínio

“A energia deles é na medida certa; dão graça à casa, mas sem causar transtornos”, define o criador. Comunicativos, miam para “conversar” com os familiares.

“Eles se aproximam da gente e dão uns miados de saudação ou para dizer alguma coisa em especial”, observa Márcia.

“Às vezes, por exemplo, a gente levanta para ver o que é, e eles nos guiam até o pote de água vazio; estão pedindo que seja reabastecido”,ilustra. Ninguém pense, contudo, que são miadores compulsivos. “Não miam exageradamente de forma alguma”, garante Ferreira.

Também costumam ser sociáveis. Geralmente não demonstram receio de visitas e, na maioria das vezes, convivem bem tanto com outros animais como com os demais gatos, sejam ou não do mesmo sexo.

Quanto aos cuidados, a raça não poderia ser menos trabalhosa.

Os criadores mais zelosos até recomendam escovação semanal, mas admitem que, se não for feita, nada acontece.

“A pelagem é curta e não fica com aspecto maltratado caso não seja penteada regularmente”, comenta Ferreira. Até mesmo a muda sazonal é pouco intensa. “O Abissínio não solta muito pêlo nem quando está trocando de pelagem”, afirma Márcia. “Tenho um gato sem raça definida que, até fora da muda, só de passarmos a mão nele já solta um monte de pêlos; isso não acontece com o Abissínio”, compara Ferreira.

Apesar de não estar entre os gatos mais criados do mundo, o Abissínio garantiu seu espaço nas gatofilias mais avançadas. Na Grã-Bretanha, segundo os dados da Governing Council of the Cat Fancy (GCCF), principal entidade britânica do segmento, a raça se mantém há vários anos entre as 15 que mais registram filhotes anualmente.

Nos Estados Unidos, sua popularidade é ainda mais significativa. No maior órgão gatófilo norte-americano, a Cat Fanciers’ Association (CFA), o Abissínio é há pelo menos seis anos consecutivos a 5 a raça em número anual de nascimentos declarados.

E na segunda maior entidade, a The International Cat Association (Tica), ocupa desde 1999 a 9 a posição.

Em solo verde-amarelo, já não é novidade, as organizações da gatofilia não disponibilizam seus registros de maneira sistemática, o que inviabiliza análises precisas sobre a evolução das raças no País.

De concreto, o que se sabe é que há seis anos havia um único gatil de Abissínios em atividade.

Hoje, há pelo menos cinco: o Sathya, em São Paulo; o Abcoon e o Bright Moon, no Rio de Janeiro; o Bungalow, em Belo Horizonte, e o Svasti Aby, no Maranhão.

Fonte: www.petbrazil.com.br

Abissínio

Abissínio
A imagem viva dos gatos sagrados do Egito

FILO: Chordata
CLASSE: Mammalia
ORDEM: Carnívora
FAMÍLIA: Felidae
NOME CIENTÍFICO: Felis catus

CARACTERÍSTICAS

Tempo de vida: até 20 anos

Sexualmente maduro: 9 ou 10 meses de idade

Os primeiros gatos domésticos apareceram no Egito por volta de 2.500 a.C. Eles foram muito importantes na caça aos ratos e aves que eram nocivos aos estoques de cereais dos egípcios. Os gatos foram tão importantes, que até um culto religioso foi instituído em sua homenagem e, como os faraós, eles eram mumificados. Existem muitas estátuas de bronze retratando a deusa-gata Bast.

Apenas uma das espécies de gato domésticos que existem atualmente tem a semelhança notável, nos hábitos e na aparência, com a deusa-gata do Egito: o gato abissínio. Essa semelhança, porém não prova que o gato abissínio seja de origem egípcia. Na verdade, ele apareceu pela primeira vez na Inglaterra, em 1868!

Talvez seja descendente de um gato levado da Etiópia por algum diplomata inglês. o gato abissínio é calmo e desconfiado, mas quando se afeiçoa ao seu dono torna-se brincalhão e até travesso.

Há duas espécies de gatos abissínios: uma é marrom-clara, quase malhada, com pelos que vão de tons bem claros a tons bem escuros. A outra espécie é castanho-avermelhada. O focinho é amarelo-alaranjado e os olhos são amarelos, verdes ou castanhos-avermelhados.

Fonte: www.visaoreal.com.br

Abissínio

Sociável e brincalhão essa raça ainda é pouco conhecida no Brasil.

Abissínio

Abissínio apresenta um temperamento extremamente sociável. É brincalhão e curioso. Apegado ao dono, mas sem ser tão dependente como o Persa, pode ficar horas procurando entretenimento na casa, como subir nos móveis, cortinas e armários e, brincar om objetos e bolas oferecidos pelo seu dono.

Esse Pet é um gato extremamente resistente e precisa apenas dos cuidados básicos, como vermifugação e vacinação. A pelagem é curta e fácil de cuidar. Bastam escovações regulares. Esta raça apresenta uma marcação da pelagem chamada ticking. Tal marcação se caracteriza pela presença de duas ou mais pequenas faixas, com tonalidade mais escura, na ponta de cada pêlo. Raramente os gatos desta raça necessitam de banhos.

Origem e História

Este felino de pêlo curto, originário da antiga região da Abissínia (atual Etiópia), chegou à Europa por volta de 1800, levado por viajantes que retornavam das colônias inglesas na África. Desde aquela época o Abissínio se manteve quase inalterado no que diz respeito à sua constituição física, com seu porte levemente robusto e ligeiramente longilíneo. Sua aparência chega a ser a de um gato selvagem, fato que o torna muito atraente em todo o mundo.

No Brasil, não é uma das raças mais populares, apesar de no estado do Rio de Janeiro possuir bons e destacados criadores de Abissínio. Em outros países a situação é um pouco diferente. Nos EUA e na Inglaterra existem clubes de criação representativos que congregam até centenas de criadores. Estes se encarregam do trabalho de criação e divulgação da raça.

O Abissínio é um gato médio, de aparência majestosa. Seu pêlo é curto do tipo exótico (foreign). Os machos são proporcionalmente maiores que as fêmeas. As fêmeas têm ossos mais delgados e são habitualmente mais ativas do que os machos.

A pelagem é iridescente, refletindo uma tonalidade quente e dando a impressão de riqueza de cores. O padrão da pelagem é geneticamente agouti, com ticado profundamente escuro e parelho, contrastando com bandas de cor mais clara e produzindo, assim, um efeito translúcido.

Fonte: www.petfriends.com.br

Abissínio

Abissínio

Aspecto Geral:

Tamanho médio: Tipo dito “oriental” ,com uma aparência “real” de pequeno animal selvagem.

Peso: 4 a 7,5 Kg

Cabeça

Em forma de cunha,com contornos ligeiramente arredondados,sem face achatada.Testa curvada.Nariz de comprimento médio,nunca reto,sem break.De perfil a cabeça apresenta uma curvatura suave.São permitidos bochechas grandes nos machos adultos.Focinho não levantado.O queixo é firme,bem desenvolvido,arredondado,nem fugidio,nem proeminente.

Orelhas

Grandes,largas na base,de extremidades ligeiramente arredondadas,moderadamente pontiagudas.Bastante espaçadas e alertas,estão cobertas por pêlos curtos e deitados.Uma marca no dorso da orelha-“marca selvagem” é desejável,assim como tufos nas extremidades

Olhos

Grandes,em forma de amêndoa,bem espaçados.Sublinhados por uma linha de maquiagem da cor da base,ele próprio envolto por uma área de coloração mais clara.Brilhantes,expressivos,de uma cor pura e intensa.Amarelo(OURO),Verde,Âmbar.

Pescoço

Bastante comprido,gracioso.

Corpo

De comprimento e corpulência médios,flexível,firme e musculoso.Caixa torácica arredondada.Dorso ligeiramente arqueado.

Patas

Longas,retas,finas e bem musculosas.Pés ovais e pequenos,compactos.O gato parece manter-se na ponta dos pés.

Cauda

Bastante longa,larga na base,afinando progressivamente.

Pelagem

Densa ,fechada,elástica ao toque,deitada sobre o corpo.Pêlo curto ou de comprimento médio,particularmente sobre a coluna dorsal.Pelagem caracterizada por um ticking( duas ou três fachas de cores alternativamente claras,com a extremidade escura)O ticking não existe nos pêlos das partes descendentes(garganta,abdômen,interior das patas.

Temperamento

Gato muito ativo,extrovertido,brincalhão,muito curioso em relação a tudo,mas bem equilibrado.Forte personalidade,independente,afetuoso e sociável.

Abissínio

Penalidades

Cabeça comprida(tipo siamês)ou redonda.Orelhas pequenas ou pontiagudas.Olhos redondos.Corpo muito maciço.Pelagem insípida,que se solta.Um medalhão branco,ou a cor branca em qualquer parte do corpo,a não ser nas narinas,queixo e garganta

Fonte: www.clubedogato.com.br

Abissínio

 

Abissínio

Origem : Grã – Bretanha / Turquia

A história dos Abissínios teria tido início em 1868, quando uma expedição militar inglesa retornou da África trazendo um gato chamado Zulu.

Em 1882, a raça já era reconhecida na Inglaterra e é a mais antiga raça felina a receber pedigree.

Alguns criadores afirmam que eles são descendentes dos antigos gatos egípcios, provenientes da Etiópia.

Os Abissínios são gatos tímidos, de miado baixo semelhante ao som de um sino.

São muito esguios, ágeis e musculosos, e se adaptam às pessoas com facilidade. Sua excelente memória o torna uma das raças mais inteligentes.

São independentes e aprendem com rapidez. Têm o andar macio, temperamento forte e comportamento ativo.

Apreciam a água e costumam conviver bem com os cães

Fonte: www.petbahia.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Leão

Leão, Animal, Características, Habitat, Família, Espécie, Reprodução, Classificação, Rei da Selva, Simba, Reino, Filo, Classe, Gênero, Dieta, Leão

Víboras, Calangos e Tartarugas

Víboras, Calangos E Tartarugas, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Víboras, Calangos E Tartarugas

Víbora

Víbora, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Vipera Latastei, Áspide, Inimigos, Gigante, Predadores, Crânio, Dentes, Animal, Réptil, Víbora

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.