Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Animais / Bengal

Bengal

O Pet Ecologicamente correto

PUBLICIDADE

Quantas pessoas, ao visitar um Zoo, não se sentem tentadas a acariciar um filhote de tigre ou de leopardo?
Possuir felinos selvagens nunca foi nem prático e nem seguro, além do que é ilegal.

Nos últimos 20 anos houve muitas tentativas de domesticar grandes e pequenos gatos selvagens. Os resultados foram desanimadores, perigosos e os animais sempre condenados à indigna condição de cativeiro.

Milhares de animais silvestres são anualmente exterminados por caçadores e comerciantes de peles.
As fêmeas são abatidas e seus filhotes, muitas vezes doentes ou feridos, são vendidos clandestinamente. Isso tem causado sério impacto na preservação de várias espécies.

A Consciência pela Preservação da Biodiversidade levou à criação de um animal doméstico, de aspecto selvagem, capaz de poupar as espécies ameaçadas em seus habitats naturais.

O Híbrido de temperamento dócil

O desenvolvimento da raça ganhou força em 1963, nos EUA com os trabalhos de Ms. Jean Mill e do Dr. William Centerwall, entretanto a hibridização de felinos já era feita pelos menos desde 1930.

O BENGAL é um felino híbrido, resultado do trabalho de seleção e de cruzamento criterioso entre espécimes de leopardos asiáticos e gatos de raça pura, o que resultou em um animal belíssimo, de aparência invulgar e temperamento totalmente confiável.

Quanto a docilidade , o BENGAL não difere de gatos domésticos de raça. Magnífico e afável, o BENGAL é a reprodução de um leopardo, em escala reduzida.

Em 1989, foi estabelecido o padrão da raça.

Em 1993 foi reconhecido como raça pura (purebreed) pela TICA.

A partir de então o BENGAL passou a ser exibido em exposições de gatos em todo o mundo .

Origem do Nome

O nome oficial de raça – BENGAL – se deve ao nome científico do Leopardo Asiático

Prionailurus bengalensis

Fonte: www.benshemesh.com

Bengal

ORIGEM

Bengal é fruto do cruzamento entre um felino selvagem, o felix prionairilus bengalesis, e um gato domestico da raça american shorthair. Este cruzamento foi feito há 35 anos pela geneticista Jean Mill na tentativa de criar um gato com o temperamento e um gato doméstico mas com a aparência de um felino selvagem. Dos amores de sua fêmea de leopardo asiático e do macho preto americano shorthair nasceram 2 filhotes, dos quais sobreviveu uma fêmea chamada Kin Kin (filhote híbrido, geração F1). Ela tinha um temperamento mais dócil que sua mãe mas com a bela marcação pintada. Esta gatinha foi colocada para mamar em uma gata da raça Himalaia. Como o leopardo asiático e o gato domestico têm o mesmo número de cromossomos Kin Kin era fértil, cruzou com seu pai e chegou a produzir uma ninhada. nasceu um gato preto com aparência de leopardo e uma fêmea tigrada bem arisca.

Infelizmente Jean Mill parou sua criação após a morte, em 1965, de seu marido e estes primeiros bengais não têm nenhuma influência na criação atual.Apenas em 1975 ela encontrou o geneticista dr. Willard Centerwall que cruzava leopardos asiáticos com gatos domésticos para encontrar o gene que imunizava o leopardo da leucemia felina. Com o fim das pesquisa, em 1980, o geneticista doou os gatos frutos do cruzamento e Jean ganhou 5 deles. Em uma viagem à Índia encontrou gatos domésticos com marcações de leopardo (mais parecidos com os Egyptian Mau) e levou um macho para os USA. Esta gato foi cruzado com suas fêmeas híbridas e duas delas tiveram filhotes (F2). São destes gatos que descendem os atuais bengais.

Bengal

Em 1985 ela apresentou os primeiros bengais em exposições da TICA. Em 1989 o padrão da raça foi redigido. A raça foi reconhecida pela TICA em 1991. Hoje, estima-se em 30.000 o número de bengais no mundo, estando mais da metade nos estados Unidos.

CARACTERÍSTICAS

O bengal é um gato robusto, de forte ossatura e musculoso. Seu peso é de 8 a 9 quilos. Seu comprido corpo termina em uma cauda espessa e anelada, de cor escura na extremidade. Uma característica marcante é o fato das patas traseiras serem mais altas que as dianteiras. Sua cabeça é pequena em relação ao corpo e tem olhos ovais que podem ser amarelos ou verdes no brown spoted tabby e azul ou azul esverdeado no snow spoted tabby.

São quatro as marcações permitidas no bengal: o brown spotted tabby, o brown spotted marble, o snow spotted tabby e o snow spotted marble. Nos bengals brown o fundo deve ser em qualquer variante do marrom mas os exemplares com o fundo de cor alaranjado ou avermelhado são mais apreciados. As manchas podem ser pretas, red chocolate ou cinnamon. A barriga tem coloração mais clara mas não são permitidas manchas brancas. O brown marble tem a marcação do classic tabby. O snow tem fundo de cor marfim com rosetas escuras, chocolate dourado ou preto, seus olhos devem ser azuis. Se tiverem olhos âmbar são denominados snow sépia e se tiverem olhos azul esverdeado são chamados de snow mink.

TEMPERAMENTO

É de opinião quase unânime que os bengais têm temperamento confiável a partir da quarta geração. Isto não quer dizer que bengais de primeira, segunda ou terceira geração não possam ser mansos e sociáveis, apenas que isto só é assegurado a partir da quarta geração.

Bengal

O Bengal é um gato independente e que guarda algumas das características de seu ancestral selvagem, como ser bom caçador e ter reflexos extremamente rápidos. Ele deve inspirar confiança nunca devendo ameaçar ou ferir seu dono. São bastante curiosos, brincalhões e ativos. Apreciam escalar coisas e a água. Se dão bem com pessoas, mesmo estranhos, e aprecia, brincar de buscar objetos.Eles miam menos que outras raças mas quando o fazem, seu miado é mais agudo, lembra o de um gato selvagem.

Bengal
Filhote do gatil Mamabê 
Rangum -15 dias

CRIAÇÃO

Dedicar-se a criação do bengal não é tarefa fácil. Os machos híbridos são estéreis assim como parte das fêmeas híbridas. Machos férteis só ocorrem a partir da quarta geração (F4), sendo necessário então, até esta geração cruzar fêmeas híbridas com machos de outras raças como o american shorthair, Egyptian Mau e Ocicat. Atualmente as manchas já estão bastante definidas e o desafio dos criadores é torná-lo ainda mais parecido com os felinos selvagens.

No Brasil temos conhecimento de dois gatis que criam o bengal. O Gatil Benshemesh (em hebraico, filhos do sol), de propriedade de Marcelo Arruda e Fabíola Dowsley, dedica-se exclusivamente ao bengal. Este gatil foi fundado em 1997 e tem seu plantel constituído de animais das melhores linhas de sangue americana. Seu objetivo é desenvolver e divulgar a raça participando de exposições. Um outro criador que se dedica a raça é Marco Antônio de Assis Beja pelo Gatil Charmant no Rio de Janeiro. Ele trouxe o primeiro casal de bengal dos Estados Unidos no ano de 1995.

Bengal

Fonte: www.animalraro.hpg.ig.com.br

Bengal

 

No Brasil estima-se que haja cerca de 30 Bengals. Esse pequeno número, deve-se ao fato de a raça ter sido introduzida no Brasil há menos de 5 anos por pessoas que mais se interessam em tê-los como animais de estimação do que por um cunho comercial. No mundo inteiro a imagem não é muito diferente: são cerca de 30.000 Bengals, sendo a maioria em gatis dos EUA e Canadá.

Iniciamos a criação em 1997, com animais importados dos EUA e logo nos vimos encantados com as características únicas da raça: Inteligência, sociabilidade, extrema facilidade em aprender comandos verbais de obediência e o que é mais fascinante – sob a aparência selvagem, a docilidade e disposição carinhosa, poderíamos dizer “canina”, de um companheiro divertido e cativante, para todos os momentos.

Bengal

Quanto aos cuidados, o Bengal em nada difere de um gato de raça de pelo curto. Alguns detalhes de comportamento apontam para a sua origem selvagem, pois adoram brincar na água.

Nossos gatos adoram os respingos dos regadores de grama do jardim.

Se você é daquelas pessoas que ainda acredita que gatos são avessos ao contato físico e têm personalidade arredia, precisa conhecer os Bengals.

ORIGEM

A raça se originou nos EUA, na década de 60, quase que de forma acidental. Ms. Jean Mill, adquiriu um leopardo asiático e o criou em ambiente doméstico. Foi surpreendida quando a sua gata American Short Hair presenteou-lhe com uma ninhada de “leopardinhos”. Ms. Mill acabara de presenciar o que ocorre com relativa frequência na natureza; a compatibilidade genética entre animais do mesmo gênero, pode resultar em criaturas completamente singulares … São os Híbridos!

O NOME BENGAL

Deriva do termo científico que dá nome ao ancestral do Bengal – o leopardo asiático – tecnicamente chamado de Felis bengalensis.

CARACTERÍSTICAS DA RAÇA

Os Bengals caracterizam-se pelo aspecto selvagem. São animais que a primeira vista passam a impressão de vigor e nobreza. São muito musculosos, atléticos; a cabeça é bem desenvolvida; o pescoço é forte; sua musculatura se desenha sob a pelagem dourada, inteiramente salpicada de marrom quase negro; seus movimentos são perfeitos como de um leopardo; seu caminhar é sinuoso, sensual. O Bengal é um caçador e pescador nato.

As cores da pelagem variam do amarelo-palha, ao vermelho-mogno, com marcações que vão do caramelo ao chocolate-amargo. Os olhos variam do amarelo-ouro ( todos os felinos selvagens possuem olhos dessa cor) ao amarelo levemente esverdeado. A esse padrão tradicional chamamos Leopard Classic. Existem variações de padrão de pelagem e de cor, nos animais com gens recessivos que basicamente dão origem a animais snow ( semelhantes aos leopardos da Sibéria) e Marble ( idênticos às panteras nebulosas, da Indo-China).

Os machos ( pesam cerca de 5,5Kg) são maiores que as fêmeas ( pesam cerca de 4 Kg).

Os filhotes, até os 6 meses, costumam apresentar um sub-pelo pardacento, que lhes empresta a aparência de filhotes de leões. Isso é típico dos gatos selvagens. É uma camuflagem temporária, que some depois que o animal ganha autonomia e passa a dominar as técnicas de caça e auto-defesa.

Bengal

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

Usamos e recomendamos rações premium para alimentar animais adultos.

As fêmeas prenhes e os filhotes, são alimentados com ração do tipo “kitten”, para animais em crescimento.

A vacinação anual é necessária, para raiva, leucemia, panleucopenia e rino-traqueíte.

Aconselhamos banhos com intervalos mínimos quinzenais, pois isso ajuda a manter a pelagem sedosa e elimina os riscos de doenças dermatológicas no animal, além do que remove o componente alergênico do pelo do gato. Os Bengals gostam do banho.

Os Bengals não são susceptíveis a nenhum tipo particular de enfermidade, nem são propensos a desenvolverem doenças genéticas. Como todo híbrido, possuem muita saúde e vigor.

TEMPERAMENTO

Bengals são gatos carinhosos participativos; interagem com seus donos como se fossem cães. A docilidade e sociabilidade aliadas ao aspecto de “fera”, encanta e desconserta os desavisados. Afinal de contas , não é todo dia que ao visitar alguém, somos surpreendidos com um leopardinho adentrando a sala, atravessando-a com porte de um legítimo rei das selvas e subitamente começa a ronronar pedindo um afago.

Os cruzamentos são rigorosamente controlados pelos criadores. Animais de padrão pet, que não preenchem todos os requisitos do standard da raça são castrados invariavelmente. Os criadores no Brasil tem o compromisso com o aprimoramento da raça.

CURIOSIDADES SOBRE A RAÇA

Os Bengals não miam. A sua voz é sui generis. Diria que é a voz da selva. É algo misto de latido…com rugido! Quando o seu Bengal “pede a palavra”, não deixa a menor dúvida…

É o Legítimo e Único Gato Herdeiro das Selvas de Bengala, Sumatra e Bornéu.

Fonte: www.petbr.com.br

Bengal

“Os Bengals são amistosos, atentos, participativos e extremamente ligados a seus donos. Aprendem com muita facilidade e respondem a comandos verbais. Todos os meus animais atendem pelos nomes.

Dependendo da linha de sangue podem ser um pouco maiores que a maioria dos gatos pêlos curtos de raça.
Quando adultos os machos costumam pesar por volta de 5 a 5,5 Kg e as fêmeas variam entre 3,5 a 4 Kg.” diz Marcelo Arruda, do gatil Benshemesh.

O CONTRASTE ENTRE A BELEZA NATURAL SELVAGEM DO LEOPARDO E A DISPOSIÇÃO AFETUOSA DOS GATOS DOMÉSTICOS, REUNIDOS NUM ÚNICO ANIMAL.

O nome deste híbrido vem do termo científico dado ao Gato-leopardo da Ásia – Felis bengalensis, que entra na origem da raça Bengal.
Através de seleção criteriosa o Bengal ganhou o aspecto de fera da sua herança primitiva, exibindo o temperamento carinhoso e sociável da sua herança doméstica.

Há 3 padrões de pelagem e cores aceitos

Leopard

Cor de fundo variando do amarelo-palha ao vermelho-mogno, com pintas variand do marrom-escuro ao negro.

Snow

Fundo branco ou marfim com pintas variando do caramelo ao castanho-médio.

Marble

As marcas se distribuem em padrão imitando as manchas do mármore.

Há variados tamanhos, formas e disposição das marcas (também chamadas “spots”) nas pelagens dos Bengals. É preferida a distribuição horizontal e aleatória com marcas escuras sobre fundo dourado.

O pêlo dos Bengals possui uma característica única, um brilho intenso – Gold Glitter – que é realçado com o animal em movimento, ao ar livre.

Os bebês Bengals possuem uma pelagem pardacenta, característica de filhotes de gatos selvagens. 
Acredita-se que sirva como forma temporária de camuflagem.

Requisitos obrigatórios à raça:

Almofadas das patas e pontas da cauda são negras.

O nariz é vermeho-tijolo, delineado em negro.

Olhos delineados em negro, podem ser verdes ou amarelos; olhos azuis são aceitos apenas nos snows.

Como se estabeleceu a raça:

Cruzamento de gatos domésticos ( de raça, como Egyptian Mau ) com Leopardos Asiáticos, pois ambos possuem cromossomos semelhantes.

Leopardos cruzando com gatos domésticos produzem filhotes com 50% de sangue selvagem. Todos os machos são estéreis.

Fêmeas F1 voltam a cruzar com machos domésticos, produzindo filhotes F2, com 25% de sangue selvagem.

Estima-se que 50 a 80% dos machos F2 são estéreis. As fêmeas F2 são férteis. Fêmeas F2 cruzam com gatos domésticos, produzindo filhotes F3 com 12,5 % de sangue selvagem.

Machos e Fêmeas F3 possuem a mesma taxa de fertilidade que os gatos domésticos. Bengals F3 cruzam com Bengals F3, produzindo F4 e assim sucessivamente.

A esta altura esses animais ( a partir de F4) já atingiram os status de raça pura.

Bengals com 3 gerações ancestrais comprovadas de cruzamentos Bengal x Bengal estão qualificados para serem registrados no Livro de Reprodutores da TICA – The International Cat Association.

Nesta condição podem ser exibidos e podem disputar em rings de exposições.

Atualmente a raça é também reconhecida pela WCF, CFA e FIFe.

Uma Raridade

No Brasil há 3 criadores da raça. Estimamos que não haja mais do que 50 ou 60 Bengals em todo o país.

Nos EUA há cerca de 5.000 criadores registrados. Estima-se em 30.000 Bengals no mundo inteiro.

Comparando-se esses números aos de outras raças, pode-se dizer que ter um Bengal é um raro privilégio.

Fonte: mypet.terra.com.br

Bengal

 

Origem e História

O Bengal desenvolveu-se a partir de um programa americano de 1963, em que a geneticista Jean Sugden cruzou um macho doméstico com uma fêmea de leopardo asiático, tentando transferir as marcas do gato selvagem para uma raça doméstica.

Assim, o Bengal é o único felino híbrido doméstico. É o resultado do cruzamento entre felinos selvagens do extremo oriente com gatos de raça pura, criteriosamente seleccionados.

O termo Bengal foi criado por William Engler, membro do Clube do Ocelote de Long Island, deve-se provavelmente ao nome científico do leopardo asiático (Felis prionailurus bengalensis).

A era do entusiasmo pela raça iniciou-se em 1985, quando Jean Mill exibiu os seus Bengalis — derivados das linhas de sangue de G. Meredith — em exposições da TICA, na categoria “New Breed and Color”. Rapidamente a raça tornou-se o pet nacional nos EUA, ganhando em popularidade mesmo de raças tradicionais como o American Short Hair e os Maine Coon.

Com a popularidade da raça e do número de criadores em ascensão, foi criada na TICA a “Secção Bengali”, para a definição dos standards da raça. Em Maio de 1992 a raça Bengali foi reconhecida pela TICA. Em 1997, foi dado o reconhecimento pela CFA.

Características e Cores

Com aparência de fera, o bengali possui porte de médio a grande. O seu corpo é musculoso e insinuante, tem os quadris levemente mais elevados do que os ombros. Além disso, sua cabeça é cuneiforme com contornos arredondados e um pouco mais comprida do que larga, exibindo um nariz largo, coxins dos bigodes e bochechas proeminentes. As orelhas, de dimensões que vão do médio ao médio a pequeno, são curtas, largas na base, com as pontas arredondadas. Os olhos são azuis.

Dependendo da linha de sangue podem ser um pouco maiores que a maioria dos gatos pêlos curtos de raça. Quando adultos os machos costumam pesar por volta de 5 a 5,5 Kg e as fêmeas variam entre 3,5 a 4 Kg.

Cores: com manchas de leopardo ou marcas em tabby castanho. .

Temperamento

O Bengal é inteligente, curioso, divertido e se relaciona bem com crianças e adultos. Também mantém um contacto bastante sociável com animais de outras espécies. Dentro de suas principais características está o facto de ser óptimo caçador e apreciar actividades na água. O seu temperamento é dócil, não desafiador, nem intimidante. Ele pode exibir temor ou impulso em fugir ou até miar alto em protesto, mas nunca demonstra receio o é ameaçador. Os Bengalis são confiantes, amistosos, curiosos e alertas. Óptimos como companhia dentro de casa.

Fonte: www.catish.com.pt

Bengal

Origem: EUA.
Perfil: Dócil.
Tipo de Pêlo: Curto.
Tamanho: Médio.
Peso Mínimo: 04 Kg – Peso Máximo: 09 Kg.
Temperamento: Independente.
Nível de Atividade: Alto.
Idade: média de 12 a 14 anos.

Características

Dono de um visual bastante selvagem, o Bengal é um gato de porte médio para grande. Bastante forte e musculoso, ele possui os quadris levemente mais elevados do que os ombros, a cabeça tem contornos arredondados, sendo um pouco mais comprida do que larga, exibindo um nariz largo e suas orelhas tem dimensões que vão do médio ao pequeno, são curtas e largas na base, com as pontas arredondadas. A TICA reconhece oficialmente para registros e exposições, 2 padrões de pelagens ( spotted e marbled ) e que podem ser encontrados nas cores brown, snow e silver.

Uma das características mais i mpressionantes dos gatos Bengals é a presença do “glitter” na pelagem. Glitter são pêlos dourados (no caso de gatos da cor brown), que cobrem a pelagem normal do gato, dando a impressão de uma “chuva de ouro” sobre ela. É uma característica bastante apreciada e que surpreende quem nunca teve a oportunidade de observar um Bengal ao vivo. A textura da pelagem de um legítimo Bengal também é única: nenhuma outra raça possui pelagem semelhante, já que é a mesma que a de um felino selvagem.

O Bengal é um gato híbrido, que surgiu do cruzamento entre o gato doméstico e um felino selvagem da Ásia, o gato leopardo asiático. Apesar da herança selvagem, ele é um gato amável, sendo muito inteligente, curioso e divertido.Adora brincar com água e aprender novos truques, como ir buscar objetos atirados e trazê-los de volta, entre outros. Alguns proprietários e criadores chamam o Bengal de “Made to play” (ou “feitos para brincar”), outros dizem que possui alguns traços de temperamento semelhante ao dos cães De qualquer forma, é impossível não se apaixonar por um Bengal.

Seu miado também é diferente do das demais raças, por ser bem mais potente. Ele não costuma sibilar como os demais gatos, se relaciona bem com crianças, adultos e com animais de outras espécies. Através de uma seleção criteriosa, o Bengal acabou ganhando uma aparência selvagem da sua herança primitiva e exibindo um temperamento carinhoso e sociável da sua herança doméstica.

O objetivo deste aprimoramento é tornar a aparência do Bengal cada vez mais próxima com a de seu ancestral, mantendo sempre a docilidade e sociabilidade necessárias a um felino doméstico.

Histórico

O Bengal originou-se de cruzamentos entre Leopardos Asiáticos (Asian Leopard Cat), como o nome já diz, originários do sudeste asiático, com gatos domésticos de raça pura, que foram criteriosamente selecionados. Entre as décadas de 60 e 70, não houve nenhum esforço para se criar uma raça de gato a partir destes híbridos, porém surgiram alguns clubes que tinham a intenção de promovê-los, sendo que eles já chamavam de Bengal os gatos domésticos derivados do leopardo asiático. Este termo se originou do nome científico dado ao leopardo asiático, Prionailurus bengalensis. No início dos anos 80, a CFA autorizou que esses gatos fossem registrados como domésticos, porém um acidente numa exposição da CFA, envolvendo um híbrido que mordeu um dos juizes, levou a CFA a cortar de seus registros todos os gatos que possuíam sangue selvagem. Nesta mesma época, surgiu uma nova linhagem de Bengals que provinha do cruzamento de leopardos asiáticos com o Mau Egípcio, que foi registrado na CFA. Muitos dos Bengals atuais descendem desta linha de sangue. A raça foi oficialmente aceita pela TICA (The International Cat Association) para registros e exposições e hoje em dia, esta raça é reconhecida pelas principais organizações internacionais de criadores e está entre as dez raças mais populares no EUA e Europa.

Os primeiros cruzamentos entre gatos domésticos e Leopardos Asiáticos produzem filhotes que se enquadram nas gerações F (F1,F2,F3), ou “foundation”. Só a partir da geração F4 (quarta geração após o cruzamento entre o gato doméstico e o ALC), o gato é considerado um Bengal. Nas gerações F é comum o nascimento de machos estéreis.

Cuidados

Manter o Bengal saudável não costuma ser difícil, exigindo apenas cuidados básicos com a alimentação e a higiene. A pelagem curta não embaraça, exigindo apenas uma ou duas escovações semanais, para retirar os pêlos mortos em excesso. Além disso, esses gatos devem ser alimentados com rações balanceadas, pois no caso de gatos de uma forma geral, o dono deve estar atento para o uso de boas rações, no intuito de se evitar o aparecimento de cálculos urinários, promovidos por alimentos de baixa qualidade. A alimentação adequada fará com que o gato cresça saudável e com a pelagem lisa e brilhante. O dono deve estar atento e realizar consultas regulares ao médico veterinário. Deve receber vacinação anual completa, como gatos de qualquer outra raça.

Bengal

Fonte: www.caoeciavet.hpg.ig.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Carotenoides

Carotenoides

PUBLICIDADE Definição Distinguidos por seus pigmentos laranja, amarelo e vermelho, os carotenoides são encontrados em muitas …

Leão

Leão, Animal, Características, Habitat, Família, Espécie, Reprodução, Classificação, Rei da Selva, Simba, Reino, Filo, Classe, Gênero, Dieta, Leão

Víboras, Calangos e Tartarugas

Víboras, Calangos E Tartarugas, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Víboras, Calangos E Tartarugas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+