Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cultura Chinesa  Voltar

Cultura Chinesa

 

A arte e a cultura chinesa estão determinadas principalmente pela sua geografía. A sua grande extensão, a variedade de nacionalidades que habitam-na ou as barreiras naturais, têm influenciado na sua cultura. Até o século II a. C. China esteve isolada do resto do mundo. Com a Rota da Seda fica aberta ao resto da Ásia.

Os chineses sempre têm considerado a arte chinesa como algo aristocrático, um privilégio destinado às classes cultas superiores e algo indispensável para a educação de um cavalheiro. Enquanto os artesãos dedicavam-se a produzir jades, porcelana e telas para a corte imperial, os eruditos compunham poesia, pintavam quadros ou desenhavam belas escritas a pincel. A influência da arte chinesa sobre o resto do Oriente foi tão importante como a arte grega para o Ocidente.

A cultura chinesa começa com a dinastia Xia que criou duas grandes civilizações: Yangshao e Longshan. Todos os conhecimentos que possuimos da antiga arte primitiva é graças as descobertas arqueológicas.

Nas jazidas funerárias do rio Amarelo têm-se encontrado recepientes utilizados nas oferendas culinárias, cujas formas têm chegado até aos nossos dias, devido ao seu caráter ritual. Os materiais que utilizam são o jade e a cerâmica. É nas dinastias Ming e Qing, quando começam a trabalhar mais o jade.

O jade encerra cinco virtudes: o amor no brilho, a verdade na transparência, a sabedoria na sonoridade, o valor na sua dureza e a justiça pela sua suavidade.

Ao longo de todo o país podemos encontrar museus e as peculiares "aldeias de hábitos e costumes", onde encontram-se as particularidades de cada região. Nelas pode-se ver cópias das antigas construções, pinturas, gravados, sedas, brocados além de artes da antiga cultura chinesa.

Durante as dinastias Shang e Zhou desenvolve-se o ajuar funerário, uma das mais importantes manifestações chinesas. O material escolhido para a fabricação destes recipientes e utensílios ritualísticos é o bronze, embora naquele momento a técnica era difícil e custosa. Com os Zhou chegam a fazer até trinta modelos diferentes. A decoração em geral é exuberante.

Pintura

Uma das artes mais importantes na China é a pintura. Os mais antigos pintavam com um procedimento de aquarela aplicada a pincel sobre seda ou papel de forma, a não ser possível a rectificação. A maior parte das pinturas adota três formas: as pequenas, chamadas folhas de álbum; as destinadas a ser penduradas; e as executadas em longos rolos.

Os temas favoritos eram a água e as montanhas; destacam os grandes paisagens da dinastia Sang, que utilizam sobre tudo, o branco e o preto (quando utilizavam a cor era para realçar o efeito decorativo). Estas pinturas eram consideradas mais objeto de ritual, que obras de arte.

A arte do pincel foi consagrado da dinastia Ham, como a arte maior por excelência. Juntam-se a ele a poesia, caligrafia e pintura para exprimir a alma do artista.

Escultura

A escultura é um arte menos apreciada que a pintura, pelo que por vezes fica em maõs dos artesãos. As primeiras esculturas monumentais em pedra aparecem durante a dinastia Han. Na realidade trata-se de baixo relevos. A escultura mais importante é a budista. Os escultores chineses têm preferido sempre trabalhar sobre materiais brandos como a laca seca, a argila, o bronze ou o estuco, mais do que sobre um material duro que dá-lhes uma menor mobilidade.

Arquitetura

A concepção da arte chinesa é diferente a da ocidental, realidade que pode-se perceber especialmente na arquitetura. Nem as duas grandes religiões, confucionismo e taoísmo, dedicam templos aos seus deuses. Não há nenhum edifício anterior ao século VI a. C., além de ser a madeira o material construtivo tradicional, também porque para os chineses tudo o que tinha um valor utilitário resta valor estético.

Por isso, dentro da mentalidade chinesa não cabe a arquitetura como arte. A arquitetura chinesa está totalmente integrada no entorno. Podemos assinalar como construções importantes os túmulos, pagodas e templos budistas. E como obras colossais a Grande Muralha e o ilustre exemplo da Cidade Imperial de Beijing.

Literatura e Música

A língua chinesa clássica escreve-se por meio de caracteres que derivam dos pictogramas e entram na sua composição, como uma forma de representação visual. Estes caracteres utilizados na literatura não eram utilizados na língua falada; a língua escrita é mais concisa e rica em vocabulário. A língua escrita clássica existe do século VI a. C.

Os heróis lendários na China não têm sido políticos ou soldados, mas sim os poetas, mestres e sábios. Acredita-se que toda a ciência dos antigos reside nos livros, pelo que os chineses mostram uma grande reverência para a escrita, mais do que para outra manifestação cultural. Segundo a lenda cosmológica chinesa, os inventores dos primeiros sinais da escrita inspiraram-se nos desenhos traçados no céu pelas estrelas e nas pegadas deixadas na terra pelos animais.

O último dos grandes sabios, Confúcio, investiu-se da sagrada missão de transmitir este tesouro cultural. Foi uma espécie de Homero chinês, que tentou compilar toda a sabedoria do passado. Segundo ele não inventou nada. "O Livro da História", uma compilação de centos de obras, marca o início da literatura chinesa.

A música chinesa é a mais antiga do Oriente com mais de 4.500 anos de história. Na Antiga China desenvolveu-se, atendo-se aos princípios da filosofia natural. Acreditavam que a música exprimi o concerto do céu e da terra e que produz a harmonia entre os homens e os espíritos. A lenda situa o começo do sistema tonal chinês no reinado do imperador Huang- ti, por volta do 2.600 a. C.; mas a época dourada da música chinesa coincide com o reinado da dinastia Tang, a qual a Orquestra Imperial contava com mais de 400 músicos.

Ópera

A ópera de Beijing ocupa um lugar preferencial na arte do teatro chinês. As suas orígens remontam-se à dinastia Yuan. Existem múltiplos tipos de óperas locais. A ópera de Beijing está baseada em quatro elementos fundamentais que são os cantos, os diálogos, as acrobacias e as artes marciais. É tudo uma arte também o maquiagem que utilizam para cobrir os rostos, as maquiagens variam em função do papel que tenha que representar a personagem.

Finalmente, há que citar como uma mostra de arte o condicionamento dos jardins, um privilégio dos altos funcionários. Neles podemos encontrar construções de todo tipo, lagos, pontes e toda classe de vegetação.

Fonte: www.rumbo.com.br

Cultura Chinesa

A cultura chinesa é um dos complexos mais antiga e nas culturas do mundo. A área em que esta cultura é dominante cobre uma grande área geográfica com uma variedade de costumes e tradições entre vilas, cidades ou províncias.

Alguns dos expoentes da cultura chinesa são a sua mitologia , sua filosofia , sua música e sua arte . Ele adotou muitos da cultura circundante e budismo na Índia , dando origem ao budismo Chán. China foi o lar de duas grandes correntes filosóficas, confucionismo e taoísmo .

Sociedade

Estrutura

A partir do período dos Três agosto e Cinco Imperadores , o príncipe era um monarca. Em diferentes períodos foram utilizados nomes diferentes para as várias posições sociais. Conceitualmente os períodos imperiais e feudais são semelhantes, com o governo e os militares, na parte superior do oficial hierarquia social , enquanto o resto da população estava sob a lei regular.

A partir da Dinastia Zhou ( 1046 - . 256 aC ) em diante, a sociedade tradicional chinesa foi organizado em um sistema hierárquico de classes socioeconômicas conhecidos como os quatro ocupações. Exemplo de costumes profundamente enraizados na sociedade são o casamento chinês e práticas sexuais.

Identidade

Atualmente, a China tem 58 grupos étnicos reconhecidos. O grupo proeminente é o Han. Ao longo da história muitos grupos foram assimilados etnias vizinhas ou desapareceram sem deixar vestígios. Ao mesmo tempo, dentro do Han manteve as tradições culturais e peculiaridades lingüísticas. O termo Zhonghua Minzu é utilizado para definir nacionalismo chinês em geral. Em grande parte da identidade cultural tradicional estava relacionada com diferentes nomes de família .

Religião

Religião na China tem sido caracterizada por pluralismo desde o início da história da China . Religiões na China são orientados para o ambiente familiar e muitas vezes não exigem o cumprimento exclusivo de membros. Alguns estudiosos duvidam da aplicação do termo "religião" ao budismo ou taoísmo, preferindo chamá-los de "práticas culturais" ou "sistemas de pensamento" O debate sobre o que deve ser chamado de religião no domínio da China está sujeita a debate. Normalmente, o número de pessoas que se referem a si mesmos como religiosa na China é um dos mais baixos do mundo.

Idioma

A linguagem escrita desde os tempos antigos foi o clássico chinês . Ele foi usado por milhares de anos, mas foi principalmente reservado para estudiosos e intelectuais. Até o século XX, milhões de cidadãos, especialmente aqueles que vivem longe da corte imperial, eram analfabetos . Somente após o Movimento de Quatro de Maio empurrou os chineses vernáculas permitindo aos cidadãos a ler porque a linguagem foi modelado de acordo com a a língua falada .

Literatura

Literatura chinesa remonta a compilações de adivinhação ossos de oráculo . A extensa coleção de livros que foram preservados desde a Dinastia Zhou demonstrar quão avançada dos intelectuais da época. Alguns dos textos antigos mais importantes são o I Ching e Shujing . Hu Shih e Lu Xun foram os pioneiros na literatura moderna no século XX.

Gastronomia

Cultura Chinesa
Comida chinesa em Suzhou que consiste em arroz , camarão , berinjela , tofu fermentado , legumes fritos , pato vegetariano carne e bambu.

A rica variedade da culinária chinesa vem principalmente de um costume da época dos imperadores da China que costumavam oferecer uma centena de pratos diferentes em cada refeição. No processo de preparação dos alimentos tornou-se inúmeras cozinheiros e envolvidos concubinas.

Ao longo do tempo muitos pratos se tornou parte da refeição diária dos cidadãos. Inquestionavelmente, toda a cozinha de Hong Kong e até mesmo a culinária chinesa-americana tem, de certa forma, enraizado na cozinha dinástico chinês.

Arquitetura

A arquitetura china, a partir do qual podem ser encontrados exemplos que remonta a mais de 2000 anos atrás, tem sido uma marca da cultura do país. Todos arquitetura tem algumas características distintas e independentes, das regiões ou a utilização dos edifícios, o mais importante é a ênfase na largura e exemplificam os amplos espaços da Cidade Proibida . Em contrapartida, arquitetura ocidental tende a enfatizar a altura embora possa haver exceções, como pagodes.

Outra característica importante é a simetria , o que implica um sentido de grandeza e aplica-se a ambos os palácios como rurais. A exceção mais notável para este recurso é o design dos jardins são geralmente assimétrica. O feng shui tem desempenhado um papel importante no desenvolvimento estrutural da arquitetura.

Referências

"Guia chinês Dynasty - The Art of Asia - História e Mapas" . Minneapolis Institute of Art Retirado 10 de outubro de 2008.
"Museu Guggenheim - China: 5000 anos" . Solomon R. Guggenheim Foundation & Solomon R. Guggenheim Museum . 6 de fevereiro de 1998 a 1998/06/03 . Retirado 10 de outubro de 2008 .
Os chineses têm qualquer palavra disponível para ele: o guia completo para o pensamento ea cultura chinesa . McGraw-Hill Professional, de 2000. ISBN 0-658-01078-6 .
ChinaTravelDepot.com. " "Cinqüenta e seis grupos étnicos na China" , o artigo 1º junho de 2009, no site Chinatrav eldepot.com.
Rodney L. Taylor: "Proposição e práxis: o dilema de neo-confucionista sincretismo" em Filosofia do Oriente e do Ocidente , vol. 32, N ° 2 (abril, 1982). pg. 187
Gunn, Torri (2011). Definindo a religião com caracteres chineses: Interrogar o Criticism da liberdade de religião na China. Ottawa, Ontario University of Ottawa.. pp. 17-50.
Ir para: um b Foong Ling KONG: A comida da Ásia . Tuttle Publishing, 2002. ISBN 0-7946-0146-4 .

Fonte: es.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal