Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Croácia  Voltar

Croácia

CROÁCIA, EM BUSCA DA NORMALIDADE

A Croácia extende-se em forma de bumerangue, desde o rio Danúbio a Istria e ao sul sobre a costa do Adriático até Dubrovnik. Como no resto da ex Iuguslávia, o recente conflito marca as circunstâncias da Croácia de hoje e ainda pode-se encontrar hotéis, que servem como alojamentos para refugiados da vizinha Bósnia ou Museus fechados. Porém, ao contrário, do que o turista poderia esperar, não se encontra como um país deprimido pela guerra.

A vida transcorre com uma perceptível normalidade, e só falando com os croatas, pode-se apreciar as sequelas da tragédia vivida: a perda de nível de vida ou o mais dramático, de parentes e amigos mortos ou deslocados pela guerra. Aliás, acima de tudo Croácia conserva em sua populção e na paisagem o atrativo que fizeram dela um dos lugares mais atrativos da Europa mediterrânea. Bernard Shaw disse que tinha descoberto o paraíso em Dubrovnik e Jeam Jacques Cousteau declarou que o mar Adriático croata era um dos mais limpos do mundo.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Croácia tem uma extensão de 56.538 quilômetros quadrados, a metade da atual Iuguslávia. Em uma particular silueta, extende-se das planícies da Eslovênia ao norte entre os rios Sava, Drava e Danúbio através da montanhosa Croácia central, até a península de Istria e para o sul seguindo a linha do Adriático.

A estreita faixa costeira mede em volta de 600 quilômetros, mas é tão acidentada, que com suas entradas e saliências, sua extensão real é de 1.778 quilômetros. Acrescentando os 4.012 quilômetros de costa das 1,185 ilhas, resulta que Croácia possui mais de 5.700 quilômetros de praias. Das ilhas e ilhotas 66 estão desabitadas e as maiores são Cres, Krk, Losinj, Dugi, Brac, Hvar, Korcula, Mljet e Vis.

FLORA E FAUNA

Croácia conta com sete Parques Nacionais, cinco na costa e dois no interior, que conformam 7,5% do território nacional, tendo proposto o atual governo croata, que ocupa até 14%. Croácia presta grande atenção à proteção e conservação da natureza e da extraordinária riqueza de sua flora e fauna.

A Ilha de Cres é um dos últimos lugares onde ainda habitam os abutres de cabeça branca. Na limitada superfície da Croácia crescem mais de 4.300 espécies de flora, enquanto que no Adriático abundam centenas de espécies de peixes e mariscos. Para o sul, as ilhas são famosas por seus cultivos, em particular, o da videiras, convertindo-as em verdadeiros oásis de vinhos de grande qualidade. Também não faltam as oliveiras, figos e ervas de cheiro, das que se obtém uma deliciosa cachaça.

História

Os romanos chegaram a instalar-se na Croácia no ano 229 a.C., onde permaneceram por volta de oitocentos anos. Quando o Império foi dividido, Croácia, junto com Eslovênia e Bósnia ficaram como parte do Império Romano de Ocidente. O imperador Diocleciano retirou-se à fortaleza que construiu em Split, que fica hoje como a maior ruina romana, na Europa do Leste. No século VII as tribos de eslavos croatas deslocaram os romanos e formaram um reino independente sob o mandato do duque Dálmata Tomislav, no século X. Perante a ameaça turca, os croatas pediram no século XVI a ajuda da Áustria, sob cujo mandato permaneceram até 1918.

Após a derrota da Áustria na Primeira Guerra Mundial, Croácia passou a ser governada por Sérbia, com a resistência enérgica dos nacionalistas croatas, que aspiravam à independência. Durante a guerra, o governo fascista do movimento Ustasa dominou Croácia e Bósnia e Herzegovina, iniciando uma devastadora campanha de extermínio contra sérvios, judeus e ciganos que habitavam a Croácia. Os massacres de croatas por parte do movimento dos sérvios Cetnik impulsionou a muitos croatas a unirem forças comunistas do Tito para fazerem frente às matanças.

Últimos Acontecimentos

Após a guerra, garantiu-se à Croácia um estatuto de autonomia, mas com o governo em Belgrado. Aproveitando os ventos de mudança que enxotaram Europa do Leste em 1989, os croatas organizaram as primeiras eleições livres em 1990, impondo-se nelas o partido da União Democrática Croata de Franjo Tudjman.

Um referendum em maio de 1991, aprovou a independência da Croácia, mas a minoria Sérvia sentiu-se ameaçada, proclamando por sua vez a independência da região de Krajina, de maioria Sérvia estourando as hostilidades, no verão desse mesmo ano.

Arte e Cultura

Provavelmente, a figura mais representativa da arte e da cultura croatas é o escultor Ivam Mestrovic (1883-1962). Sua obra pode ser vista nas praças de cidades ao longo de toda Croácia. Além de criar monumentos públicos, Mestrovic encarregou-se de desenhar imponentes edifícios, como o Museu de História Croata, em Zagreb, de andares circular. Seu estúdio em Zagreb e sua casa de retiro em Split têm sido convertidos hoje em dia em galerias, em que se exibe o seu trabalho.

Locais Turísticos

ZAGREB

Zagreb é uma atrativa cidade de pouco mais de um milhão de habitantes e tem sido a capital da Croácia desde 1557. A maior parte da Zagreb medieval permanece ainda a cidade do século XIX, situada entre a medieval e a Estação do Trem, é o atual centro comercial. A cidade está cheia de excelentes parques, galerias e museus, tanto na parte alta como baixa.

Um dos lugares que vale a pena visitar em Zagreb é Dolac, o mercado de verduras, muito colorido e típico. Funciona diariamente, mas especialmente nas sextas-feiras e sábados.

Perto encontra-se a Catedral de São Estevão. A igreja data do século passado, pois a original, do século XIII, foi destruida por um tremor em 1880. Ainda pode ser encontrado restos da antiga no interior, incluindo afrescos do século XIII, altares de mármore e, um púlpito barroco. A catedral está rodeada pelo Palácio Arcebispal e umas fortificações do século XVI construidas para a defesa contra os turcos.

Na Torre Lotrscak pode-se tomar o funicular que liga as partes alta e baixa da cidade, oferecendo impressionantes panorâmicas. A sua direita encontra-se a Igreja de Santa Catalina. Perto, o Muzejski Proctor, uma importante galeria onde se celebram soberbas exposições. Inconfundível à vista encontra-se a Igreja de São Marcos, com seu teto de azulejos pintados. Ao leste encontra-se a Assembléia Nacional Croata ou Sabor.

A parte baixa de Zagreb é basicamente uma cidade de museus, entre os que destacam a Galeria Strossmayer, que contém magníficas pinturas e a Baska Slab, da ilha de Krk, uma das inscrições mais antigas no idioma croata; o Museu Arqueológico oferece peças pré-históricas, medievais e múmias egípcias, assim como, um jardim com esculturas romanas.

Ao oeste, o Museu Mimara, é uma das melhores galerias de arte da Europa. Muito perto encontra-se um conjunto monumental, que compreende o Teatro Nacional Croata, o Museu Etnográfico, a Biblioteca Nacional e o Jardim Botânico.

ISTRIA

Istria é uma península com forma de coração, de 3.600 quilômetros quadrados, que encontra-se justo ao sul da italiana Trieste. Recebe seu nome da tribo Histri, conquistada pelos romanos na zona no 177 a.C. Os 430 quilômetros de costa istria desfrutam das paisagens e o clima, o qual o Adriático é mundialmente reconhecido. Seu longo verão de maio a outubro, atrai grande quantidade de turistas. A zona não foi tocada pela guerra, e é um lugar absolutamente tranquilo, quanto mais ao sul, pois a indústria e o turismo massivo se concentram no norte.

No meio do caminho para o sul, Porec é o maior centro turístico da ilha, cheio de vestígios de seu passado romano e um ambiente de pequena cidade, o que unido a suas cristalinas praias convertem-no em um agradável lugar de verão. Sua maior atração, aliás é a basílica do século VI, na que pode-se contemplar magníficos mosaicos bizantinos de ouro.

ROVNIJ

Rovinj é um precioso lugar para a metade da península de Istria, rodeado de colinas boscosas, cheio de pequenos hotéis de luxo e pitorescas e inclinadas ruas adornadas e com um arquipélago de 13 ilhas em suas costas que lhe proporcionam umas belíssimas paisagens. Destaca no horizonte de Rovinj a impressionante torre da Catedral de Santa Eufêmia, de 57 metros de altura.

BRIJUNI

Brijuni é o lugar ideal para visitar se está interessado na história recente do que foi Iuguslávia. Nesta cidade costeira passava o Mariscal Tito seis meses ao ano, e o lugar está cheio de edifícios, exibições e monumentos, que lembram um dos pivos do Movimento de Países não Alinhados.

GOLFO DE KVARNER

O Golfo de Kvarner extende-se 100 quilômetros ao sul de Rijeka, entre a península de Istria e o litoral croata. As ilhas que emergen no golfo são os picos de uma prolongação submergida dos Alpes, que prolonga-se para o sul até Albânia. Krk, Cres e Pag são algumas das maiores ilhas da Croácia insular.

OPATIJA

Opatija, uns quilômetros ao oeste de Rijeka, era o centro turístico por excelência do império Austro Húngaro até a Primeira Guerra Mundial, e ainda ficam em pé muitos luxuosos velhos hotéis como lembrança do esplenderoso passado.

ILHA KRK

Em Krk, a maior das ilhas, vale a pena visitar Baska, que conta com uma pitoresca vila e uma formosa praia de dois quilômetros de longitude.

DALMÁCIA

Dalmácia ocupa uma faixa de 375 quilômetros na parte central do litoral do Adriático, desde o Golfo de Kvarner até a Baia de Kotor, incluindo algumas ilhas.

Os Alpes Dináricos servem de barreira natural entre a Dalmácia e a vizinha Bósnia Herzegovina. Abundam a relíquias históricas em cidades, como Zadar, Trogir, Split, Hvar, Korcula e Dubrovnik, enquadradas por uma impactante beleza natural de verdes vales e águas cristalinas. Os vinhedos de Dalmácia fornecem a metade do vinho croata. Uma corrente quente do norte assegura um clima suave, seco no verão e úmido no inverno, sendo possível tomar banho até quase entrado o mês de outubro.

DUBROVNIK

Declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, Dubrovnik é sem dúvida a pérola do Adriático Croata. Fundada no ano 600 por refugiados de Epidauro, em Grécia, a Dubrovnik medieval foi a cidade-estado mais importante depois da Grécia. Como aquela, a velha cidade, Stari Grad, conserva uma grande quantidade de monumentos, como lembrança daquela época, e possui uma maravilhosa zona urbana, com praças pavimentadas com mármore, ruas adoquinadas e em ladeira, conventos, igrejas, fontes e museus, todos construidos com a mesma pedra de cor clara, igualmente a impressionante muralha que a rodeia.

Embora os ataques durante a guerra com Sérvia, a maioria dos edifícios permanecem intactos, salvo por alguns orifícios de metralhadoras, que aos poucos foram consertados. A lista de lugares para ver é interminável, mas destacam a Porta de PIle, a Fonte de Onófrio, o Mosteiro Franciscano, o Palácio de Sponza, o Mosteiro Dominico, a Sinagoga e é claro, a Muralha.

Gastronomia

Pela aproximidade com a Itália, a pizza é muito popular em Istria e Dalmácia, e de uma respeitável qualidade. O Adriático é rico em mariscos, incluindo camarões e amêijoas (prstaci), e o brodet, peixe guisado com arroz. Geralmente cozinha-se com azeite e acompanham-se os pratos com verduras cozidas e cogumelos. No interior vale a pena experimentar o manistra od bobica (sopa fresca de milho com feijão) ou o strukle (rolos de queijo cottage), o pecena purica u krusnoj peci, uma especialidade a base de peru ou milinci, uma modalidade local de massa.

Bebidas

Na Croácia encontrará a maioria das bebidas internacionais. Vinhos, licores, sucos e refrigerantes são algumas das alternativas.

Compras

Entre o artesanato típico da Croácia destacam os delicados trabalhos de encaixe das ilhas Dálmatas, os bordados, as talhas em madeira, artigos de pele, tapetes, olaria, joalheria e trajes típicos nacionais e tapetes. Porém, o produto mais importante é o cristal de Samobor, vila perto à capital.

Também pode adquirir jóias de ouro e prata dos atelieres de Dubrovnik, que aos poucos vão reabrindo suas portas.

População e Costumes

Dos 4.774.000 habitantes da Croácia 78% são croatas e 12% sérvios. Convivem com pequenas comunidades de mulçumanos eslavos, eslovenos húngaros, albaneses, checos e italianos. A religião dos croatas é a católica e a dos sérvios a cristã ortodoxa.

ENTRETENIMENTO

A cultura foi fortemente subsidiada sob o regime de Tito, pelo que o preço de óperas, operetas, concertos e teatros são ainda muito razoáveis. A temporada de Ópera em Rjieka, Split e Zagreb abrange de outubro a maio, deslocando-se a atividade artística no estilo dos festivais de verão.

As discotecas funcionam durante o verão na costa e o ano todo nas cidades do interior, e são uma boa oportunidade para alternar com os croatas.

Croácia é um bom lugar para os esportes aquáticos. Croácia conta com 40 portos esportivos perfeitamente equipados. Seus Parques Nacionais são o lugar ideal para o trekking e o ciclo-turismo.

FESTIVIDADES

As festas oficiais da Croácia são: Ano Novo, o Natal ortodoxo (6 e 7 de Janeiro), Segunda Feira de Páscoa, o Dia do Trabalho (1 de Maio), a festa do Estado (30 de Maio), o Dia do Levantamento Nacional (22 de Junho), a Assunção (15 de Agosto), Todos os Santos (1 de Novembro) e o Natal cristão (25 e 26 de Novembro). No dia do Estado comemora a Declaração de Independência de 1991, e o do Levantamento da resistência em 1941.

Transportes

Avião

Croata Airlines voa regularmente desde Zagreb a Amsterdã, Bruxelas, Berlim, Frankfurt, Londres, Madri, Paris, Roma e outras capitais européias. Assim mesmo, as principais linhas aéreas do mundo têm vôos regulares a Zagreb. Nos vôos desde a capital croata existem taxas de aeroporto internacionais.

Barco

Existem numerosos serviços de transbordadores que unem cidades italianas e gregas com a costa croata. Desde Itália, os serviços funcionam entre as cidades de Ancona e Ortona e Split. Os preços das passagens incrementam-se entre 25% e 50 % no verão. Desde Grécia uma linha de transbordadores une Igoumenitsa e Corfú com todos os Portos croatas do Adriático, desde Dubrovnik até Rjieka, podendo-se embarcar e desembarcar em qualquer porto intermediário sem ter que adquirir outra passagem.

Trem

As linhas férreas que unem Croácia com Bósnia e Sérvia ainda não estão totalmente reconstruidas. Dentro da Croácia pode-se viajar entre Zagreb e Koprivnica, Varazdin, Ljubljana e Rjieka. Também existe uma linha entre Ljubljana (em Eslovênia) e Rjieka e Pula. O trem é perto de 15% mais barato que o ônibus e, com frequência, mais cômodo.

Por terra

O serviço de ônibus na Croácia é excelente. Os ônibus express são bastante rápidos e unem quase todas as cidades do país. Os serviços são muito frequentes e há paradas estabelecidas para recolher e deixar passageiros ao longo de todo o percurso. Custam em volta de dois dólares por hora de trajeto, na que costuma-se cobrir aproximadamente, 40 quilômetros.

Nas principais cidades pode utilizar o sistema de transportes públicos. No relativo a taxis, alguns contam com taxímetro e no caso contrário é necessário estabelecer o preço, antes de iniciar o trajeto.

Fonte: www.genteviajera.es

Croácia

Se tivermos em conta as suas ilhas, a Croácia tem mais de 5000 km de litoral, mais de 5000 km onde pode relaxar-se, mais de 5000 km de praia para o seu gozo. Entre estas praias, destacam-se as praias de nudistas da Península de Istria e as de Kvarner, sem nos esquecermos das praias – algumas também de nudistas - da Costa da Dalmácia.

Na Croácia, o nudismo é uma forma de turismo, sendo por essa razão que são às centenas os pontos destinados à prática do nudismo nas suas praias, algo que, sem dúvida, é de salientar, mas existe também outro tipo de praias, com mais serviços, com menos serviços, mais familiares, mais concorridas...

As principais praias da Croácia são as da Costa da Dalmácia, as mais famosas de todo o país, situadas em frente ao arquipélago dálmata, com as suas encantadoras praias e ilhas alongadas.

A Península de Istria, no Norte, é também um destino preferencial da Croácia.

Regiões, Cidades e Ilhas

Os destinos da Costa são de uma importância vital, são mais de 1000 ilhas croatas, das quais aproximadamente 60 são habitadas. Hoje é um importante pólo de atração turística, algumas destas ilhas como as ilhas dálmatas, representam uma injeção econômica significativa para a Croácia pelo aumento do turismo.

A Croácia é um país com uma data de concelhos, entre os quais temos destacar as capitais e as cidades importantes, como a Zagreb, a capital, Dubrovnik, Split e Zadar. Todas com o seu encanto, o seu interesse, a sua história e sua importância.

A Croácia é um país rodeado pelo mar Adriático e encontrou mais de mil ilhas das quais cerca de 50 são habitadas.

A Croácia espera destas ilhas um grande desenvolvimento do turismo, unas praias de areia douradas, praias de areia branca , praias rochosas, águas cristalinas, a possibilidade de praticar desportos náuticos, e como um todo, essas ilhas oferecem tudo imaginável em termos de alojamento se hotéis, apartamentos, pousadas, parques de campismo e bangalows, embora nós também encontramos vilas e chalés.

Praias

Mais de 200 ilhas, mais de 50 ilhas habitadas.

A Croácia é país com uma grande riqueza insular, é um país com um turismo crescente nas suas principais ilhas. Temos todo o tipo de praias, desde praias de areia, a praias de rocha, de calhau... todas elas com um denominador comum, a transparência das suas águas e a possibilidade de praticar desportos aquáticos e mergulhar.

Praia de Zlatni Rat (Ilha de Brac)

Estamos perante uma praia muito concorrida, de ambiente familiar, na qual devemos destacar a sua mistura de areia e pedras.

Situa-se na Ilha de Brac e é constituída por um espigão natural de areia que sobressai em relação à ilha, rodeada de vegetação, onde se podem praticar diversas atividades náuticas.

Praia de Bol (Ilha de Brac)

A Praia de Bol situa-se na Ilha de Brac, que é a terceira maior ilha da Croácia. Esta praia é uma das mais - senão a mais - conhecidas e concorridas do país.

Trata-se de uma praia de areia mais ou menos grosseira, muito extensa, concorrida e com a possibilidade de praticar diversas atividades como volley de praia, mergulho e natação. O fato de ser uma praia extensa evita que nos sintamos asfixiados pela sua elevada afluência de público.

Stara Baska (Ilha de Krk)

A Praia de Stara Baska é constituída por pequenas pedras e localiza-se 10 km a Sul de Punat, na Ilha de Krk, a maior do arquipélago croata.

É uma praia com um grande ambiente, muito concorrida, e com muita diversão.

Praia de Zrce (Ilha de Pag)

Esta praia encontra-se em Novelja, um lugar muito turístico localizado na Ilha de Pag, a quinta maior da Croácia em extensão, uma ilha que conta com mais de 240 km de litoral.

Praia Klimno (Ilha de Krk)

Na Baía de Klimnom encontramos a praia com mesmo nome, uma encantadora praia de areia dourada quase branca, com grandes dunas.

Praia de Saplunara (Ilha Mjlet)

Praia de areia branca. É uma zona integrada numa paragem protegida, pelo que recomendamos que se informe antes de ir, para saber que atividades pode ou não pode desenvolver.

Fonte: croacia.costasur.com

Croácia

Nome oficial: REPÚBLICA DA CROÁCIA (Republika Hrvatska).

Nacionalidade: Croata

Data nacional: 30 de maio (Independência).

Capital: Zagreb

Cidades principais: Zagreb (706.770), Split (189.388), Rijeka (167.964), Osijek (104.761) (1991).

Geografia

Localização: centro-sul da Europa.
Hora local: +4h.
Área:
56.538 km2.
Clima: temperado continental.
Área de floresta: 26 mil km2 (1995).

População

Total: 4,5 milhões (2000)
Composição:
croatas 78,5%, sérvios 12,5%, húngaros, eslovenos, iugoslavos e outros 9% (1996).
Densidade: 79,59 hab./km2.
População urbana: 57% (1998).
População rural: 43% (1998).
Crescimento demográfico: -0,1% ao ano (1995-2000).
Fecundidade: 1,56 filho por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 69/76,5 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil: 10 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: 1,7% (2000).
IDH (0-1):
0,795 (1998).

Política

Forma de governo: República com forma mista de governo.
Divisão administrativa: 21 condados, 420 municipalidades e 61 cidades.
Principais partidos: Social-Democrata (SPH), Liberal-Social Croata (HSLS), do Povo Croata (HNS), União Democrática Croata (HDZ).
Legislativo: bicameral - Câmara dos Representantes, com 80 membros eleitos por voto direto; Câmara dos Condados, com 68 membros (5 indicados pelo presidente, os restantes eleitos por voto direto). Ambas com mandato de 4 anos.
Constituição em vigor: 1990

Economia

Moeda: kuna.
PIB: US$ 21,8 bilhões (1998).
PIB agropecuária: 9% (1998).
PIB indústria: 32% (1998).
PIB serviços: 59% (1998).
Crescimento do PIB: -0,4% ao ano (1990-1998).
Renda per capita: US$ 4.620 (1998).
Força de trabalho: 2 milhões (1998).
Agricultura: milho, trigo, beterraba.
Pecuária:
suínos, ovinos, aves.
Pesca: 19,9 mil t (1997).
Mineração: petróleo, carvão, gás natural.
Indústria: alimentícia, têxtil, vestuário, equipamentos de transporte, máquinas (elétricas).
Exportações: US$ 4,5 bilhões (1998).
Importações: US$ 8,4 bilhões (1998).
Parceiros comerciais: Alemanha, Itália, Eslovênia, Áustria, Bósnia-Herzegóvina.

Defesa

Efetivo total: 56,2 mil (1998).
Gastos: US$ 1,4 bilhão (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

Croácia

A Croácia é um país na Europa Central.

A capital é Zagreb.

A principal religião é o Cristianismo (Catolicismo).

A língua nacional é o Croata.

As terras que hoje compreendem a Croácia faziam parte do Império Austro-Húngaro até o fim da Primeira Guerra Mundial. Em 1918, os Croatas, Sérvios e Eslovenos formaram um reino conhecido depois de 1929 como a Yugoslávia. Na sequência da Segunda Guerra Mundial, a Yugoslávia tornou-se um estado independente federal comunista debaixo da mão forte do Marechal Tito. Apesar de a Croácia declarar sua independência da Yugoslávia em 1991, demorou quatro anos de esporádicas, mas muitas vezes amargas lutas contra exércitos de ocupação antes que os Sérvios fossem expelidos da maior parte das terras Croatas. Sob a supervisão da ONU, o último enclave Sérvio na Eslavônia Oriental foi devolvido para a Croácia em 1998. Em Janeiro de 2008, a Croácia assumiu um assento não-permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas para o período 2008-09, e em Abril de 2009 ela ingressou na OTAN e é um candidato para a eventual adesão à UE.

A Croácia é um país no sudeste da Europa. Antigamente, ela era parte da Yugoslávia, mas declarou sua independência daquele país em Junho de 1991.

Imediatamente depois, uma guerra eclodiu entre as milícias organizadas pela minoria Sérvia da Croácia e o recém-criado exército Croata. A guerra, em que muitos milhares foram mortos e feridos, durou até Janeiro de 1992, quando a União Europeia (UE) arranjou um cessar-fogo. A Croácia tornou-se membro das Nações Unidas naquele ano.

Terra

A Croácia é um país de forma incomum, composto por três partes distintas e muito diferentes. A maior área é o planalto do interior, que se estende a leste da capital da república, Zagreb. A menor parte é o extremo mais ocidental, a península de Istria. A terceira parte da Croácia é a extremidade longa e estreita do sul.

Ela consiste na costa Dálmata e inclui as cidades históricas de Split e Dubrovnik.

O interior da Croácia é mais de baixas colinas e vales. Suas fronteiras são formadas por rios - a fronteira com a Hungria no norte pelo Rio Mur (Mura), a fronteira com a Sérvia a leste pelo Danúbio, e a fronteira com a Bósnia e Herzegovina, ao sul pelo Sava.

O interior montanhoso e bonito da Península de Istria é coberto com aldeias medievais. Elas refletem a influência secular de Veneza e da Áustria. A longa costa da Dalmácia, e as centenas de ilhas ao longo dela, foram um local de férias preferido pelos Europeus ricos muito antes do desenvolvimento maciço do turismo após a Segunda Guerra Mundial.

O clima da Croácia varia de clima levemente continental na parte interior para agradáveis temperaturas do Mediterrâneo em Istria e Dalmácia. A refrescante brisa do mar, por vezes, se transforma em fortes ventos chamados maestral que podem acompanhar tempestades de verão ferozes mas curtas.

População

A Croácia tem uma população de cerca de 4,5 milhões. Os Croatas fazem parte do grupo étnico e linguístico dos Eslavos do Sul. Eles falam o Croata. É quase a mesma língua que o Sérvio e, portanto, já foi conhecida como Servo-Croata. Os Croatas escrevem sua versão no alfabeto Latino, enquanto os Sérvios usam o Cirílico.

Na Yugoslávia Comunista, os Sérvios representavam cerca de 11 por cento da população da Croácia. Agora, a porcentagem é muito menor. O legado do sangue ruim entre estes dois grupos tem raízes históricas profundas, com os Croatas Católicos tradicionalmente inclinados à Europa Ocidental e os Sérvios Ortodoxos em direção ao Oriente. Fortalecida durante a Segunda Guerra Mundial, essa hostilidade foi explorada por líderes nacionalistas na década de 1990, quando cerca de 1 milhão de pessoas foram expulsas de suas casas.

Em 2011, o Tribunal Penal Internacional para a ex-Yugoslávia condenou dois generais Croatas por crimes de guerra e por crimes contra a humanidade. Eles haviam sido acusados de matar civis Sérvios e forçar Sérvios fora da Croácia durante sua luta pela independência da Sérvia. A maioria dos Croatas discordaram com a decisão do tribunal. O governo Croata disse que iria apelar da decisão.

Cidades

Zagreb, a capital da república, é também a maior cidade da Croácia. Originalmente duas cidades em separado - uma sobre o cume de uma colina, e outra em uma planície abaixo - Zagreb se tornou uma cidade no século 19. A parte baixa da cidade está agora cheia de lojas e cafés, em torno da Praça da República, recentemente renovada. A universidade, teatros, óperas, galerias de arte, editoras, e estúdios de cinema contribuem para a vida cultural ativa de Zagreb.

Dubrovnik

(Anteriormente Ragusa) liderou todas as cidades da ex-Yugoslávia em popularidade. Cercada por muralhas de 1.000 anos, a cidade antiga tem edifícios de telhados vermelhos. Eles acrescentam calor para a brancura das casas da aldeia brilhando. Durante anos, Dubrovnik organizou um festival de óperas, concertos e danças. Em Setembro de 1991, a cidade foi bombardeada pelo exército Yugoslavo, mas desde então ela tem sido reconstruída.

Outras Cidades

Rijeka, conhecida antes da Segunda Guerra Mundial como Fiume, era uma cidade Italiana até 1945. Localizada na Península de Ístria, é um grande porto e centro turístico, apresentando inúmeros monumentos históricos. A cidade da Dalmácia de Split está a meio caminho entre Rijeka e Dubrovnik. Ela é famosa pelos restos do palácio do Imperador Romano Diocleciano.

Economia

A área da Croácia para o interior, com seus depósitos de carvão, petróleo e gás natural, é a região industrial e de mineração da República. As principais atividades econômicas na parte sul da Croácia são agricultura e serviços associados ao turismo. Enquanto fazia parte da Yugoslávia, a Croácia foi a segunda mais próspera república. Mas as convulsões da década de 1990 interromperam os tradicionais laços econômicos e as fábricas, pontes e linhas elétricas foram danificadas. De 2000 a 2007, a economia cresceu de forma constante, em cerca de 5 por cento ao ano. Mas problemas significativos permaneceram, incluindo o alto desemprego, um déficit comercial crescente, e o desenvolvimento regional desigual. A privatização da economia se moveu lentamente porque era impopular.

Economia - visão geral:

Embora ainda uma das mais ricas das ex-repúblicas Yugoslavas, a economia da Croácia sofreu muito durante a guerra de 1991-95. Produção do país durante esse tempo caiu e Croácia perdeu as ondas iniciais de investimento na Europa Central e Oriental que se seguiram à queda do Muro de Berlim. Entre 2000 e 2007, no entanto, as fortunas econômicas da Croácia começou a melhorar lentamente, com o crescimento do PIB moderado, mas constante entre 4% e 6% liderada por uma recuperação no turismo e crédito orientado gastos dos consumidores. A inflação no mesmo período ficou manso e da moeda, o kuna, estável.

Croácia experimentou uma desaceleração abrupta da economia em 2008 e ainda não se recuperou. Problemas difíceis ainda permanecem, incluindo uma taxa de desemprego persistentemente elevado, um crescente déficit comercial, o desenvolvimento regional desigual, e um clima de investimento desafiador. O novo governo anunciou uma abordagem mais flexível para a privatização, incluindo a venda nos próximos anos, de empresas estatais que não são de importância estratégica. Enquanto a estabilização macroeconômica tem sido amplamente conseguida, as reformas estruturais lag. Croácia vai enfrentar uma pressão significativa como resultado da crise financeira global, devido à redução das exportações e entradas de capital. Croácia reentrou uma recessão em 2012 e Zagreb cortar gastos, principalmente em programas sociais. Elevada dívida externa da Croácia, o setor de exportação anêmica, orçamento de estado tensas, e excesso de confiança em receitas de turismo irá dificultar o progresso econômico a médio prazo.

História

As tribos Eslavas conhecidas como os Croatas chegaram à região da atual Croácia nos séculos 6 e 7, e, em 924 ou 925, elas criaram seu próprio reino sob um governante chamado Tomislav. No século seguinte, a Croácia ampliou seu domínio sobre a costa da Dalmácia, e, em 1102, ela associou-se com o reino da Hungria.

Quando os Turcos invadiram a Hungria no início do século 16, a Croácia juntou-se à Áustria, mas voltou ao controle da Hungria no final do século 18. Em 1868, à Croácia foi concedida autonomia pelos Húngaros.

Como parte do Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos após a Primeira Guerra Mundial, a Croácia tornou-se um dos estados fantoches da Alemanha Nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Seu movimento Fascista, chamado Ustaši, tomou o poder em 1941, após a invasão das tropas Alemãs e Italianas, e criou um "Estado independente". Após o estabelecimento da "Segunda Yugoslávia" em 1945, a Croácia tornou-se uma de suas seis repúblicas constituintes.

Independente Croácia

Em 25 de Junho de 1991, o parlamento Croata declarou a independência, e, algumas semanas mais tarde, a violência étnica explodiu entre irregulares Sérvios e as unidades recém-formadas de guardas e policiais Croatas. A luta continuou até o final de 1991, causando grande sofrimento humano e danos físicos enormes. A então chamada República dos Sérvios de Krajina, cerca de 25% do território Croata, foi proclamada por rebeldes Sérvios em 1991. O exército Croata recuperou a área em 1995.

Em 1993, a Croácia apoiou os Croatas na Bósnia ocidental quando eles lutaram contra o governo Muçulmano. No ano seguinte, no entanto, o governo Croata tomou parte nas negociações internacionais, o que levou aos Acordos de Dayton de 1995 que puseram fim à guerra na Bósnia e Herzegovina.

O arco-nacionalista Franjo Tudjman atuou como presidente desde a independência até sua morte em Dezembro de 1999. Quando as eleições parlamentares foram realizadas no início de Janeiro de 2000, seu partido, a União Democrática Croata, foi derrotado. Um novo governo, liderado pelo ex-Comunista Ivica Racan como primeiro-ministro, tomou posse no final daquele mês. Racan se comprometeu a levar a Croácia fora do regime autoritário que caracterizou a era Tudjman. Ele também prometeu promover a cooperação com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e a União Européia, a maior área comercial do mundo.

A União Democrática Croata voltou ao poder em 2003, e Ivo Sanader se tornou o primeiro-ministro. Sanader prometeu que sua nova coalizão de centro-direita continuaria a perseguir a adesão à UE. Em Abril de 2009, a Croácia aderiu à NATO. Em Julho de 2009, Sanader demitiu-se e o parlamento nomeou seu vice, Jadranka Kosor, para sucedê-lo. Kosor foi a primeira mulher a se tornar primeiro-ministro da Croácia. (Sanader foi posteriormente acusado de corrupção). Em Junho de 2011, a UE confirmou que a Croácia tinha encontrado as condições dos seus membros e seria capaz de se unir ao órgão em 2013.

Governo

A Croácia é uma república democrática com uma Constituição aprovada em 1990. Seu governo consiste em um parlamento eleito, um primeiro-ministro que dirige o governo e um presidente que é o chefe de Estado. O presidente exerceu considerável poder até que uma revisão constitucional em 2000 fez o papel do presidente em grande parte cerimonial.

Croácia
Cachoeiras no Parque Nacional de Plitvice.
O parque é um destino turístico favorito e é composto por 16 lagos separados por barragens naturais

Croácia
Uma vista no Parque Nacional de Plitvice olhando para o desfiladeiro, onde as maiores cachoeiras do parque estão localizados

Croácia
Estátua do rei Tomislav em sua praça de mesmo nome, em Zagreb. Tomislav reinou 910-928,
primeiro como o duque da Dalmácia, e depois como o primeiro rei da Croácia

Croácia
A bela cidade murada de Dubrovnik, no Mar Adriático. Durante a Idade Média, esta marítima da cidade-estado (então chamado de Ragusa) rivalizava com Veneza pela supremacia no Adriático. Em 1979, a cidade se tornou um Patrimônio Mundial da UNESCO

Croácia
Stradun, a rua principal de Dubrovnik

Irina Rybacek

Edward W. Walker

Fonte: Internet Nations

Croácia

Capital: Zagreb

População: 5 milhões

Idioma: principalmente croata

Moeda: kuna (HRK)

A Croácia fica no sul da Europa no lado leste do Mar Adriático, ao leste da Itália. As áreas litorâneas da Croácia são especialmente impressionantes e têm uma mistura do charme do leste da Europa com o Mediterrâneo.

Há também muitos lugares históricos para visitar, como a cidade fortificada de Dubrovnik ou a capital, Zagreb, o centro cultural do país.

Características do país

O litoral e as ilhas adriáticas

O litoral da Croácia está permeado de numerosas ilhas, cravejado de lindas baías e diferenciado por suas maravilhosas penínsulas. As agradáveis temperaturas são fáceis de encontrar, principalmente na ilha de Hvar, onde o sol brilha 2.718 horas por ano. As praias limpas e brilhantes das maiores ilhas da Croácia são perfeitas para quem deseja tomar muito banho de sol. As ilhas de Krk, Cres, Brac, Hvar, Pag, Korcula, Dugi Otok, Mlijet, Rab, Vis e Kornati estão entre as maiores. Além disso, há diversas baías pitorescas. As mais conhecidas incluem a Baía de Kvarner e a Baía de Sibenik.

Uma viagem pelo litoral é uma aventura inesquecível.

Começando com Istria (a maior península croata): as ilhas de Rovinj, Pula, Brijuni e Motovun são quatro lindas paradas obrigatórias. Mais ao sul estão Opatija, Crikvenica, Zadar, Sibenik, Primosten, Trogir, Solin, Split, Makarska, Dubrovnik e Cavtat. Cada uma tem estilo e características próprias e tornarão inesquecível sua experiência no litoral.

As montanhas da Croácia

Os amantes da natureza se sentirão em casa ao visitarem a região de florestas de Gorski Kotar. As florestas de folhas e coníferas abrangem 63% dessa área e a flora é rica e de grande variedade. Dias de inverno com frio e neve e noites de verão com agradáveis temperaturas caracterizam essa região. O monte Velebit foi declarado refúgio universal da vida selvagem pela UNESCO.

Vilas da Croácia

A arquitetura rústica em um cenário natural para as pradarias, campos gramados, campos e centenárias florestas de carvalhos podem ser vistos na Eslavônia, Zagorje e Podravina. Os arredores são decorados com capelas e muralhas de
antigos castelos.

Parques naturais

A Croácia tem um total de 300 locais de proteção natural.

A Croácia tem sete parques naturais: as ilhas Brijuni, as ilhas Kornati, a ilha de MIijet, as cataratas de Krka, o cânion Pakienica, os lagos Plitvice e o monte Risnjak. Muitos parques nacionais, como os montes Velebit e Biokovo, ficam longe das cidades e rotas de transporte. Outros, como Medvednica (Zagreb) e Kopacki Rit (Osijek), estão situados próximos a áreas urbanas.

A ilha de Lokrum próximo a Dubrovnik, Rauchova lugarnica (floresta Rauch) próximo a Zagreb e o topo do monte Japetic próximo a Samobor são exemplos de florestas de vegetação localizadas próximo aos principais centros urbanos.

Fontes quentes e balneários de águas mornas

A Croácia é conhecida por suas fontes quentes de água mineral e balneários de águas mornas As pessoas as visitam de férias ou como fonte de recuperação. As fontes quentes estão localizadas em atraentes arredores naturais, como Kaprina, Stubica, Tuhelj e Varazdin em Hrvatsko Zagorje (no interior da Croácia).

Conhecidos balneários de outras regiões são Daruvar e Lipik, no oeste da Eslavônia; Bizovac, próximo a Osijek; Topusko, em Kordun; Crikvenica, Hvar, Makarska, Opatija, Umag e Veli Losinj no litoral; e Istarske Toplice, em Istria.

Monumentos culturais e históricos

A Croácia tem uma herança cultural extraordinariamente rica. Além disso, tem se exposto a muitas outras culturas com o passar da história. Isso a torna um país muito interessante para os turistas e outras pessoas interessadas em história, arquitetura e teatro.

Muitos resquícios culturais: das eras gregas, romanas e medievais podem ser encontrados em museus, igrejas e antigos objetos arquitetônicos. Na maioria das vilas, você encontrará uma antiga capela, igreja ou fortaleza medieval.

Igrejas, castelos e museus

Muitas antigas igrejas católicas romanas simbolizam a herança cultural do povo croata e exibem a beleza e o valor histórico da região. Nin, Split e Omis são apenas algumas cidades da Croácia que podem ser classificadas como museus. Essas cidades são ricas em monumentos culturais e o centro de sua urbanização é bastante antigo e bem preservado. As cidades que fazem parte dessa categoria são Pula, Motovun, Zadar, Sibenik, Split, Trogir e Dubrovnik.

Os objetos sagrados e sacros encontrados na região continental da Croácia são de especial interesse para turistas assim como para os próprios croatas. Dentre estes, podemos citar o Castelo Trakoscan, a Mansão de Miljana, o Castelo Veliki Tabor, a antiga cidade de Varazdin e seu Museu, o Museu da Revolta dos Aldeões no Palácio de Gornja Stubica, a tradicional vila de Kumrovec, igrejas em estilo barroco em Belec e Zago, a região da elite e coração da antiga Zagreb e as Catedrais de Zagreb, Dakovo e Osijek.

Carnaval na cidade de Rijeka

Rijeka é o local que mais se afirma como a cidade da cultura, dos carnavais e da diversão. O 3o. maior carnaval internacional do mundo ocorre anualmente em Rijeka, com mais de 10.000 mascarados e grupos carnavalescos. Todos eles vêm participar dos eventos carnavalescos, caracterizados por uma mistura específica das tradições carnavalescas urbanas e rurais da Europa. O programa superlotado começa no início de janeiro e dura até o final de fevereiro.

Para quem gosta da boa culinária marinha e aprecia uma bela vista, o navio Arca Fiumana ancorado no porto da cidade de Rijeka é o lugar ideal. Em breve, será o primeiro hotel flutuante da Croácia. No momento, oferece um restaurante e um bar os quais garantem a diversão de Rijeka.

Moderna Galerija Zagreb

Moderna Galerija Zagreb (a Moderna Galeria de Zagreb) abre mais uma vez após ficar fechada por 11 anos e após sua total reconstrução. Ela foi reaberta em 29 de dezembro de 2005 com o slogan '100 anos da Galeria Moderna, 200 anos de Arte Croata'. Esse slogan foi escolhido porque até então, em nenhum outro lugar da Croácia, havia uma exposição que abrangesse 200 anos de arte croata. A nova exposição celebra a arte croata com 153 pinturas.

Fonte: portugues.eurail.com

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal