Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Granada  Voltar

Granada

 

 

GRANADA, FANTASIA DA IMAGINAÇÃO

Uns dos paraísos tropicais mais acariciados pelos turistas são sem dúvida Granada. Uma sorte de combinação mágica entre as praias de águas turquesas e os bosques impregnados de vida silvestre faz-se sentir que o sonho de sua existência é produto da imaginação.

Este pequeno Estado independente está formado por uma ilha principal, escoltada pelo Caribe e umas trintas minúsculas ilhas e cavernas, parte dos meridianos de Granadadinas. A vida aqui, não está rodeada pela maioria turística, sim por, grupos especiais de gente que vem conviver com os moradores nativos. Não encontrará cassinos nem parques de atrações, nem ruas iluminadas com lâmpadas de neón cheias de gente eufórica, fazendo ruidos toda a noite. Em Granada, a diversão se vive de um modo diferente.

Granada

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Passaporte regularizado, passagem de volta, e recursos financeiros suficientes. Não há necessidade de visto para o período até 90 dias.

CLIMA

Clima tropical temperado com chuvas próprias da região, breves e intensas de junho a novembro. Possibilidades durante o período de chuvas.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Recomenda-se roupas leves de algodão, calçados confortáveis, capas de chuva, óculos de sol, protetor solar e repelentes contra os insetos.

IDIOMA

O idioma oficial é o inglês, também fala-se o inglês- crioulo.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica é de 220/240 volts a 50Hz.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é o Dólar do Caribe Oriental (XCD). Um XCD equivale a 100 centavos. Existem moedas de 1, 2, 5, 10, 25 50 centavos. Cédulas de 1, 5, 20 e 100 dólares.

EMERGÊNCIA - SAÚDE - POLICIAMENTO

Não há necessidade alguma de vacinação nem de certificado médico para ingressar a Granada, a menos que proceda de áreas infectadas. Para emergências médicas ou policiais é mais recomendável solicitar ajuda nas recepções dos hotéis. Pode-se utilizar os cartões de crédito internacionais para pagamento nos hotéis e restaurantes mais importantes.

CORREIOS E TELEFONIA

O serviço de chamadas oferece Granada Telecomunicações em Carenage, St. George está aberta de segunda a quintas-feiras das 8 às 15: 30 horas e nas sextas feiras até às 16: 30 horas. Nos povoados também pode encontrar pequenos escritórios dos correios. Para chamar a Granada tem que marcar 00-1-809 seguido pelo número desejado.

FOTOGRAFIA

É importante que leve o material necessário para tirar as fotografias. Lembre-se que para fotografar alguém em particular deve consultá-la antes.

HORÁRIO COMERCIAL

Os bancos abrem das 8 às 12 horas, de segunda à quinta-feira. As sextas-feiras têm um horário das 8 às 12 horas e de 12: 30 às 17 horas. Os comércios atendem das 8 às 12 horas.

GORJETAS

Cobra-se 19% na maioria dos hotéis e restaurantes.

TAXAS E IMPOSTOS

Existe uma taxa de aeroporto, na saída.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Ligada aproximadamente a 150 quilômetros da ilha de Trinidad, em pleno Mar Caribe, este arquipélago está composto basicamente por três ilhas, as quais Granada é a principal, com um território de 385 quilômetros quadrados. A ilha de Carriacou encontra-se aproximdamente a 25 quilômetros ao norte, com uma dimensão de 42 quilômetros quadrados; seguida pela Pequena Martinica, que conta com 200 hectares de superfície.

FLORA E FAUNA

A parte de algumas rochas ao norte, o território em sua maioria montanhoso, com muitos bosques e com numerosos rios e riachos. O canteiro central está conformado por muitos cumes, alguns dos quais contém crateras. Algumas árvores ultrapassam os 20 metros de altura e entre as mais destacadas podemos anotar as castanheiras, helechos gigantes, as caiobas vermelhas e as orquídeas. Devido as pequenas extensões de territórios que conformam as ilhas, a produção de mamíferos é quase inexistente.

Entre os animais mais representativos da fauna temos a tartaruga carey, a foca monje do Caribe, o forgeador de Semper, o cantador dourado de Barbados, o milano de Granada, o mirlo aquático de Santa Luzia, o loro ou papagaio imperial, a pomba de Granada, o papagaio variopinto e o de São Vicente.

HISTÓRIA

DADOS HISTÓRICOS

Cristovão Colombo foi o primeiro europeu a pisar em Granada em sua terceira viagem em 1498. Durante as guerras do século XVIII, em muitas ocasiões o território passou de mão em mão entre os britânicos e os franceses, até que finalmente foi cedida ao Rreino Unido em 1783.

O governo que foi instaurado seguiu o mesmo que Westminster e está formado por um Primeiro Ministro e seu Gabinete. Em 1958 a ilha ingressa a Federação das Ilhas Índias Ocidentais Britânicas e em 3 de março de 1967, entra fazendo parte dos Estados Associados as Antilhas Britânicas, em um regime aotônomo.

Seia anos depois forma uma nov nação com Guiana, Dominica, São Cristovão – Nevis, Santa Luzia e São Vicente, firmando a Declaração de Granada em 1974, obtendo a plena independência da Grã-Bretanha.

Governo de Nova Jóia

Depois de cinco anos o movimento Nova Jóia toma o poder, formando um Governo Popular Revolucionário, e nomeia como primeiro ministro Bishop, que estabelece relações diplomáticas com Cuba. Em 1980 firma-se um tratado com Moscou através do qual, permite-se que os aviões soviéticos podessem aterrisar no novo aeroporto, que foi construído com a ajuda de Cuba em Point Salinas; este feito cresceu a tensão com os Estados Unidos.

Em 1983 Bishop e três de seus ministros são assassinados pelo exército e o General Hudson Austin decreta o toque de queda, anunciando a criação de um Conselho Militar Revolucionário. Cinco dias mais tarde invandem a ilha tropas dos Estados Unidos, Antiga Barbados, Jamaica, Dominica, Santa Luzia e São Vicente e controlam a situação até a retirada do Conselho em 2 de novembro do mesmo ano.

Últimos Acontecimentos

Em 1988 Granada, Dominica, Santa Luzia e São Vicente e as Granadinas decidem seguir seus próprios planos, a unificação política e dois anos mais tarde efetiva-se a eliminação de restrições para viajar entre eles. Em 1990 o Congresso Democrático Nacional ganha as eleições parlamentares e Nicholas Brathwaite é nomeado Primeiro Ministro. Cinco anos depois, Keith Mitchell assume o cargo.

ARTE E CULTURA

A música tradicional da região do Caribe também é uma mistura de influências dos imigrantes da África e Europa, com as tradições arraigadas do ambiente tropical das Antilhas. Durante muito tempo, a música foi fonte de diálogo e expressão entre os povos, hoje, alguns mentém certos códigos entendidos pelos nativos.

O calypso nasceu na ilha de Trinidad e é uma mistura de rítmos africanos, hispânico-africano e versos em inglês com estruturs francesas. Os temas de que tratam as canções com este rítmo são cotidianos como o amor, o sexo, a política, etc.

O reggae é oriundo da Jamaica e é uma produção bastante jovem, está relaciondo ao culto religioso rastafari, cujo Messias foi o último imperador da Etiópia, Haile Selassie. Este rítmo musical desenvolveu-se de um antiga forma de música folk com elementos musicais africanos, porém com idéias trazidas da Índia e Europa. Também, tem influências tomadas da rumba, do limbo e do calypso.

A dança chamada limbo tem sua origem nos antigos ritos tribais africanos introduzidos pelos imigrantes trazidos das culturas Dahomey e os Ashanti. Com seu estabelecimento nas Antilhas desenvolveram novas formas de expressão do corpo ao rítmo da música como a rumba, o merengue ou a clenda de influência afro-francesa.

Fonte: www.rumbo.com.br

Granada

Diversão

Pode-se realizar esportes como o golfe e o tênis em instalações que encontram-se aos arredores dos principais hotéis. Também pode-se praticar os esportes aquáticos como o salto, o mergulho, o esqui ou patinação aquática.

Transporte

Pode-se realizar esportes como o golfe e o tênis em instalações que encontram-se aos arredores dos principais hotéis. Também pode-se praticar os esportes aquáticos como o salto, o mergulho, o esqui ou patinação aquática.

Gastronomia

Entre os pratos mais tradicionais da ilha destacam-se o lambi, que são caracóis preparados de diversas maneiras, também é muito popular a sopa de Callaloo, que é elaborado com folhas parecidas com espinhas. Existe também um molho muito particular que é elaborado com as patas do porco e seu nome é soue e uma variedade de sorvetes exóticos de abacate ou noz moscada.

Dinheiro

O Dólar do Caríbe Oriental, também chamado de Dólar das Caraíbas, possui código ISO 4217 XCD é a moeda corrente de oito membros da Organização dos Estados do Caríbe Oriental. Sua abreviatura é EC$, mas é informalmente abreviada apenas com o símbolo de cifrão ($).

Granada
Granada

Capital de Granada (Saint Georges)

capital de Granada chama-se Saint Georges é uma cidade que está separada por uma pequena ponta rochosa, que divide a localidade em duas partes: a Bay Town (a área do porto) e o bairro de Carenage (uma plataforma portuária, rodeada de casas velhas e construções rígidas que datam do século XVIII E XIX).

Aquí, destacam-se a visita ao Museu Nacional de Granada (antiga prisão francesa que aloja decobertas arqeuológicas de índios ciboney, arawak e caribe) e o Jardim Botânico (com um zoológico em miniatura); atravessar o Túnel Sendal (que comunica a duas partes da cidade); percorrer Bay Town pela rua comercial de Melville Street e Market Square (mercado de especiarias e artesanato), encontrar-se com a beleza de Church Street e conhecer a igreja presbiteriana Saint Andrew; admirar as instalações do Forte George’s (antigo Fort-Royal e sede da Polícia local) e Forte Frederick (1783).

Clima

Clima tropical temperado com chuvas próprias da região, breves e intensas de junho a novembro. Possibilidades durante o período de chuvas.

Idioma

O idioma oficial é o inglês, também fala-se o inglês- crioulo.

Eletricidade

A corrente elétrica é de 220/240 volts a 50Hz.

Fonte: www.souturista.com.br

Granada

Nome oficial: Granada (Grenada).

Nacionalidade: granadina.

Data nacional: 7 de fevereiro (Independência).

Capital: St. George's.

Cidade principal: St. George's (4.439) (1991).

Idioma: inglês (oficial), francês dialetal.

Religião: cristianismo 95,4% (católicos 57,8%, protestantes 37,6%), outras 4,6% (1995).

Geografia

Localização: América Central, mar do Caribe. 
Hora local: 
-1h. 
Área: 
344 km2. 
Clima:
 tropical.

População

Total: 100 mil (1998), sendo afro-americanos 82%, eurameríndios 13%, indianos 3%, europeus meridionais 2% (1996). 
Densidade:
 279,07 hab./km2. 
População urbana: 
37% (1998).
População rural: 
63% (1998). 
Crescimento demográfico: 
1% ao ano (1998). 
Fecundidade: 
3,6 filhos por mulher (1999). 
Expectativa de vida M/F: 
69/76 anos (1999).
Mortalidade infantil: 
23 por mil nascimentos (1998). 
Analfabetismo: 
15% (1992). 
IDH (0-1): 
0,785 (1998).

Política

Forma de governo: Monarquia parlamentarista. 
Divisão administrativa: 
8 conselhos locais e 1 cidade. 
Principais partidos:
 Novo Partido Nacional (NNP), Congresso Nacional Democrático (NDC), Trabalhista Unido de Granada (Gulp). 
Legislativo: 
bicameral - Senado, com 13 membros indicados pelo governador-geral (10 em consulta com o primeiro-ministro e 3 com o líder da oposição); Casa dos Representantes, com 15 membros eleitos por voto direto para mandato de 5 anos. 
Constituição em vigor:
 1974.

Economia

Moeda: dólar do Caribe do Leste.
PIB: 
US$ 343 milhões (1998). 
PIB agropecuária: 
8% (1998). 
PIB indústria:
 22% (1998). 
PIB serviços: 
70% (1998). 
Crescimento do PIB:
 5% ao ano (1998). 
Renda per capita:
 US$ 3.250 (1998). 
Agricultura: 
Principalmente noz-moscada, cardamomo, banana e cacau. 
Pecuária: s
uínos, ovinos, caprinos, aves. 
Pesca:
 1,4 mil t (1997). 
Indústria: 
alimentícia (condimentos e óleo de castanha), vestuário. 
Exportações: 
US$ 21 milhões (1997). 
Importações: 
US$ 166 milhões (1997). 
Principais parceiros comerciais:
 EUA, Reino Unido e Trinidad e Tobago.

CULTURAIS

Granada é uma país-ilha do Caribe, localizado logo a costa marítima da Venezuela, ao imediatamente ao norte da região norte do continente sul-americano.

Granada possui um povo multiétnico, com fortes raízes no continente africano.

Seu idiomo é o inglês.

Entre as suas muitas características culturais notáveis do povo granadiano estão a sua hospitalidade e alegria.

Dentro desse quadro o carnaval é celebrado anualmentee tem atingido fama internacional atraindo turistas de todo o mundo.

PAN AMERICANO

No esporte, o atletismo conquistou o reconhecimento. Futebol, tênis, basquete e críquete são esportes em ascensão na ilha. E 2007 marca, pela primeira vez na história, Granada como sede da Copa do Mundo de Críquete.

O Comitê Olímpico de Granada foi criado em 1984, mesmo ano da primeira participação nos Jogos Olímpicos de Los Angeles. No Pan, conquistou duas medalhas em toda a história. Mas Granada só abandonou a lista dos países sem pódio em Santo Domingo, em 2003, quando conquistou uma prata e um bronze, ambas no atletismo.

Mesmo com os bons resultados do atletismo e da natação nos Jogos do Caribe, o boxe é o esporte de grandes ídolos no país. Godfrey Jones e Shane Joseph estão entre os nomes mais conhecidos da ilha. Mas o principal pugilista é Andy Grant, que esteve presente em Santo Domingo. Além de ser um esportista exemplar, Grant é o principal modelo do país, e a torcida feminina está a favor dele.

Fonte: www.portalbrasil.net

Granada

Granada é um país do Caribe.

A capital é Saint-George.

A principal religião é o Cristianismo (Catolicismo e Protestantismo).

A língua nacional é o Inglês, Patois é amplamente falado.

Os Índios Caribe habitavam Granada quando Colombo descobriu a ilha em 1498, mas ela manteve-se não-colonizada por mais de um século. Os Francêses se fixaram em Granada no século 17, estabeleceram fazendas de açúcar, e importaram grande número de escravos Africanos. A Grã-Bretanha tomou a ilha em 1762 e vigorosamente expandiu a produção de açúcar.

No século 19, o cacau superou o açúcar como o principal produto de exportação; no século 20, a noz-moscada tornou-se o principal produto de exportação. Em 1967, a Grã-Bretanha cedeu à Granada autonomia sobre seus assuntos internos.

A independência completa foi atingida em 1974, tornando Granada um dos menores países independentes no Hemisfério Ocidental. Granada foi tomada por um conselho militar Marxista em 19 de Outubro de 1983. Seis dias depois a ilha foi invadida por forças dos Estados Unidos e de outros seis países do Caribe, que rapidamente capturaram os líderes e suas centenas de assessores Cubanos.

As eleições livres foram restabelecidas no ano seguinte e continuaram desde então. O furacão Ivan atingiu Granada em Setembro de 2004, causando graves danos.

"Querida Granada, um lugar encantador é Granada" são palavras de uma popular canção do Calypso, e um número crescente de turistas, bem como os Granadinos concordam que Granada é realmente um lugar encantador. Praias de areia branca, ribeiros, vales verdes, e as cores vivas das flores tropicais são parte do charme da ilha. Granada orgulhosamente se autodenomina "a ilha do tempero".

Em Setembro de 2004, no entanto, o furacão Ivan devastou a ilha idílica, matando 12 pessoas e danificando 90 por cento das casas. Os esforços de reconstrução estão bem encaminhados.

A Terra e a Economia

Granada situa-se da borda oriental do Mar do Caribe ao norte da América do Sul. É o país mais ao sul das Ilhas de Barlavento das Índias Ocidentais.

O país inclui a ilha principal de Granada, que tem uma área de 120 milhas quadradas (311 km quadrados), e Carriacou, Petit Martinica, e ilhotas menores nas Granadinas, a nordeste da ilha principal.

Granada é de origem vulcânica. A ilha é dominada por uma cordilheira de montanhas densamente florestadas correndo de norte a sul e chegando a uma altura de 2.757 pés (840 m) no Monte St. Catherine. No alto das montanhas fica o Grand Etang, um lago formado na cratera de um vulcão extinto. O tempo frio é desconhecido em Granada. Há apenas duas estações - uma úmida e uma seca. A temperatura média é de 80 °F (27 °C) e a umidade raramente atinge níveis desconfortáveis.

St. George, com uma população de cerca de 30.000, é a capital de Granada e a única cidade de qualquer tamanho. Seu magnífico porto abrigado sofreu danos enormes do furacão Ivan em 2004.

Granada é a única ilha nas Índias Ocidentais que produz a noz-moscada e maça, especiarias que são particularmente importantes para a economia da ilha. Banana e cacau também são cultivados comercialmente. Cacau, noz-moscada e bananas são as principais exportações.

Economia - Resumo:

Granada se baseia no turismo como sua principal fonte de divisas estrangeiras, especialmente desde a construção de um aeroporto internacional em 1985. Furacões Ivan (2004) e Emily (2005) danificaram severamente o setor agrícola - especialmente o cultivo de cacau e noz-moscada - que tinha sido o principal motor do crescimento econômico. Granada se recuperou dos efeitos devastadores dos furacões, mas agora está sobrecarregado com o peso da dívida do processo de reconstrução.

Da dívida pública em relação ao PIB é quase 110%, deixando a administração THOMAS espaço limitado para se envolver em investimentos públicos e gastos sociais. Forte desempenho em construção e fabricação, juntamente com o desenvolvimento do turismo e uma indústria offshore financeira, também contribuíram para o crescimento da produção nacional, no entanto, o crescimento econômico permaneceu estagnada em 2010-11, após uma contração considerável em 2009, por causa da economia global efeitos desaceleração sobre turismo e remessas.

População

Os habitantes originais de Granada eram Índios Caribenhos que foram eliminados na colonização da ilha. Hoje, a maioria das pessoas são de ascendência Africana, descendentes dos escravos trazidos para a ilha nos séculos 18 e 19. A maioria das pessoas são Católicos Romanos, embora hajam igrejas Protestantes em toda a ilha. A linguagem de Granada é o Inglês ricamente atado com expressões comuns para as Índias Ocidentais. Um patois Francês, ou dialeto, ainda é falado em alguns lugares.

História e Governo

Granada foi descoberta por Cristóvão Colombo em sua terceira viagem em 1498, mas foi mais de 100 anos depois que a primeira tentativa para colonizar a ilha foi feita por um grupo de Ingleses. Os ferozes Índios Caribe conseguiram expulsar todos os candidatos a colonos, até 1650, quando os Franceses conseguiram estabelecer uma colônia. A ilha mudou de mãos várias vezes. Em 1783, Granada, finalmente, foi cedida à Grã-Bretanha.

Granada tornou-se auto-governada internamente em 1967 e alcançou a plena independência em 1974. Eric Gairy, o primeiro primeiro-ministro, foi derrubado por um golpe de 1979 que estabeleceu um governo Marxista sob Maurice Bishop. Bishop dissolveu o Parlamento e prometeu uma nova constituição que faria de Granada um estado socialista.

Ele começou a receber ajuda ao desenvolvimento a partir de Cuba e de outros países Comunistas. Em 1983, Bishop foi preso e executado mais tarde por um golpe militar que terminou quando as forças dos Estados Unidos desembarcaram na ilha. Herbert A. Blaize tornou-se o primeiro-ministro após as eleições em 1984. Nicholas Braithwaite, que se tornou o primeiro-ministro em 1990, foi sucedido por George Brizan e depois por Keith Mitchell em 1995. Mitchell foi empossado para um imprecedente terceiro mandato em 2003.

Fotos

Granada
Foto tomada da ilha de Carriacou, parte de Granada. 
A ilha visível no horizonte é o Petit Martinique, também parte do território de Granada

Granada
Uma visão de Fort Rupert como visto de entrada para o porto de St. George

Granada
O porto de St. George

Fonte: Internet Nations

Granada

Nome oficial: Granada

Organização do Estado: Monarquia parlamentarista

Capital: Saint George’s

Área: 344 km²

Idioma: inglês (oficial)

Maiores cidades: Saint George’s

População: 89.357 (est. 2004)

Unidade monetária: East Caribbean dollar

Geografia e população: Situado no mar do Caribe, a menos de 150 km da costa da Venezuela, o país tem 90% de seu território e de sua população concentrados na ilha de Granada. Outras pequenas ilhas, conhecidas como Granadinas, são em sua maioria desabitada.

A ilha principal é montanhosa, possui lagos vulcânicos e uma densa floresta. As costas no sudeste são recortadas. O clima é tropical, com uma temperatura média de 28 °C. A população é formada por afro-americanos (82%), eurameríndios (13%), indianos (3%), europeus meridionais(2%).

Sistema Político

O território é dividido administrativamente em 8 conselhos locais e 1 cidade.

Poder Executivo: o Chefe de Estado é a Rainha Elizabeth II, representada pelo Governador Geral Daniel Williams, no cargo desde 9 de agosto de 1996. O Gabinete é nomeado pelo Governador Geral, após consulta ao Primeiro-Ministro que, por sua vez, é indicado pelo Governador Geral.

O chefe de Governo é o Primeiro-Ministro Keith Mitchell, desde 22 de junho de 1995.

Poder Legislativo: Congresso bicameral, composto pela Casa dos Representantes, com 15 membros eleitos por voto direto para mandato de 5 anos, e Senado, com 13 membros, dos quais 10 são nomeados pelo Governo e 3 pelo líder da oposição. A próxima eleição será em outubro de 2004.

Poder Judiciário: Sistema legal, baseado na Common Law britânica, exercido pela Suprema Corte de Justiça do Caribe Oriental. Há possibilidade de apelação ao Conselho Privado, em Londres.

Economia --indicadores referentes a 1999

Composição setorial do Produto Interno Bruto: agricultura (9,7%), indústria (15%), serviços (75,3%) (1996, est.).
Pauta de exportação: 
noz-moscada, peixe, cacau, vestuário.Pauta de importação: maquinaria e equipamento de transporte, alimentos, bens manufaturados, combustível.
Principais parceiros comerciais: 
EU, Reino Unido, Caricom, Japão.

Indicadores econômicos:

PIB: US$ 360 milhões (est.). 
Exportações: 
US$ 27 milhões (1998).
Importações:
 US$ 200 milhões (1998). 
Inflação:
 1,2% (1998). 
Desemprego:
 17,5% (1996).

Relações bilaterais

As relações do Brasil com Granada têm-se caracterizado pela cordialidade e, mais recentemente, têm-se pautado pelo reconhecimento mútuo do potencial para seu estreitamento. Tomados em conjunto, os países caribenhos representam um mercado bastante atraente. Tais considerações vêm conduzindo a uma análise pelo Itamaraty dos meios para adensar as relações do Brasil com os países da região, buscando estabelecer uma pauta que adote um enfoque integrado para as atividades brasileiras na América Central e no Caribe.

Dentro dessa orientação, o Brasil aderiu à Associação dos Estados Caribenhos (AEC), na qualidade de observador, e tem procurado intensificar o fluxo de visitas recíprocas. O Governo de Granada manifestou recentemente interesse em contar com a cooperação de um técnico brasileiro de futebol pelo período de um ano, a fim de treinar equipes locais.

Principais jornais na internet: Não disponível em novembro de 1999

Chancelaria de Granada: Não disponível em novembro de 1999

Governo de Granada: Não disponível em novembro de 1999

Fonte: www2.mre.gov.br

Granada

GRANADA (Antilhas)

Geografia

Na ilha principal de Granada, também estão associadas duas ilhas chamadas Granadinas (Carriacou e Pequena Martinica).

De origem vulcânica, a ilha de Granada, no coração é cortado por uma cadeia de montanhas.

Excepções à paisagem: algumas planícies estreitas ao longo da costa.

O território tem a distinção de ser a única ilha caribenha de Dominica para ter um lago (Lagoa Grande) sentado em uma cratera de um vulcão extinto.

O ponto culminante do território é o Mont Sainte Catherine (840 metros).

Países fronteiriços: Não

Independência: 07 de fevereiro de 1974 (UK)

Governo: Monarquia Parlamentar (o monarca britânico nomeia um governador)

Capital: Saint Georges

Idiomas:

Oficial: Inglês
Usual francês crioulo

Área: 344 km ²

População: 101 000 habitantes

Moeda nacional: Dólar do Caribe Oriental (XCD)

Dia Nacional: 07 de fevereiro (Proclamação da Independência de 1974)

Granada
Jardim los Alhambra

Granada
Antiga fortaleza, que está localizado na cidade de Alhambra

Clima

Submetido a um clima tropical, Granada e Pequena Martinica têm a vantagem de ter uma curta estação chuvosa (junho a novembro), com temperaturas amenas (entre 25 e 30 ° C). A estação seca que é de Janeiro a Abril é ela própria submetida a uma temperatura de entre 24 e 29 ° C. A ilha de Carriacou tem o mesmo clima, a única diferença é que ele é seco.

Saúde

Nenhuma vacina necessária. Atualizado Gerais vacinas recomendadas (poliomielite, tétano, difteria ...). E os termos e duração da estadia tifóide, hepatite B. Toque de água não potável. Cuidado com os mosquitos!

Descubra

Conhecida como a Ilha das Especiarias, Granada é a terra do cacau e noz-moscada.

A cada ano ocorre lá os "Spicemas", um festival de duas semanas com acentos crioulas e ideais Africano colorido para mergulhar na essência do país.

O turquesa águas e quentes, bem como praias são ideais para relaxar, desportos aquáticos mergulho e outros.

Amantes da história será feliz ao saber que cada ilha tem seu próprio museu histórico.

Fonte: www.continent-americain.com

Granada

A ilha de Granada tem praias paradisíacas como tantas outras do Caribe. Aqui, a vida noturna limita-se a bares tranquilos a beira-mar e as pessoas acordam com o barulho das ondas.

A capital, Saint Georges é dividida entre a área portuária Bay Town e o bairro de Carenage, plataforma portuária com antigas casas e construções dos séculos 18 e 19.

O Museu Nacional, antiga prisão francesa, aloja decobertas arqeuológicas de índios ciboney, arawak e caribe. O Jardim Botânico tem um pequeno zoológico.

O Túnel Sendal liga a duas partes da cidade. Na Bay Town, Melville Street é a rua comercial e o Market Square, o mercado de especiarias e artesanato. Church Street e Saint Andrew são belas igrrejas. Visite ainda as instalações do Forte George’s, antigo Fort-Royal e sede da Polícia, e o Forte Frederick, de 1783.

As maravilhosas Cataratas Concord estão ao norte de St. George, a 13 km da capital. Visite o povo Vendome com suas plantações de coqueiros, bananeiras, cacaus e árvores de noz moscada. Não perca uma visita ao Grande Estanque, um banho nas águas de Annandale Falls, ado rio Beausejour.

Na ilha Greenville estão as instalações de Nutmeng Factory, com flores e frutos de noz moscada armzenados por toneladas. Outros atrativos são os pequenos povoados de pescadores Marquis e o antigo assentamento de índios caribes de Vicotia.

Em A Grande Anse, próxima de St. George existem belas praias. Na Morne Rouge, ao sul da Baía de Grande Anse e Levera, além da linda praia, existe um parque nacional e reserva de pássaros.

A Ilha de Carricou (Tartaruga) é montanhosa, com uma cadeia de colinas cruzando-a de norte a sul. É a maior das Granadinas e esta a 37 km de Granada.

A pequena Hillsborough é a maior e mais importante cidade. Sandy Island, em frente a baía de Hillsborough, tem uma praia e um jardim submarinho com corais multicoloridos. No povoado de Belmont pode-se visitar o posto submarinho, instalado pelos norte-americanos.

Martinica, a menor das ilhas que compõe o estado de Granada, tem acesso por barco a partir da ilha Carricou, a 4 km. Os moradores vivem da pesca tradicional e da construção de embarcações.

Fonte: www.webatlas.com.br

Granada

Granada é uma ilha, rolamento montanhosa, coberta de árvores de especiarias aromáticas e raras flores tropicais. Rodeado por praias deslumbrantes, e salpicada com cidades pitorescas, esta ilha verde tem sido uma importante fonte de noz-moscada, cravo, gengibre, canela e cacau.

Os desvios sedutores através do colorido sábado mercados e densas florestas de Granada.

No interior desta ilha vulcânica são rios em cascata e cachoeiras, florestas exuberantes e um dos lagos de montanha mais impressionantemente belas imagináveis.

A capital, São Jorge, é amplamente considerada a mais bela cidade do Caribe.

Seu porto em forma de ferradura é cercado por um arco-íris pastel de armazéns do cais e os telhados de telhas vermelhas de lojas tradicionais e casas.

Beleza física de Granada é complementada por sua rica história e vibrante, património cultural vivo. Festas locais, feiras e mercados continuam a ser uma parte integrante da vida em Granada. Seus séculos de idade plantações de especiarias e rum destilarias ainda usam métodos tradicionais, enfatizando a qualidade em vez da quantidade. Embora a indústria do turismo tornou-se mais importante nos últimos anos, ritmos fáceis da ilha ea abertura amigável de seus moradores evocam uma atmosfera que há muito desapareceu em outro lugar.

Para muitos visitantes, é claro, a medida de qualquer ilha é tomada por suas praias e recifes de coral, e de Granada oferece abundância de ambos. A ilha é rodeada de quilômetros de imagens perfeitas vertentes, incluindo tanto fascinante preto e açúcar fino praias de areia branca. Grand Anse Beach, uma expansão suave que se estende por duas milhas ao redor da curva de uma baía gentil, é mundialmente famosa. Granada tem muito para oferecer aos interessados em lazer no mar, bem como, com recifes de fácil acesso e intocada da costa de Granada e tanto sua irmã ilha, Carriacou.

História e Cultura

Quando Cristóvão Colombo navegou por Granada, em 1498, a ilha já era habitada pelos índios Carib. O almirante apelidado de Concepcion ilha, mas que passam marinheiros espanhóis encontraram suas luxuriantes colinas verdes tão evocativas da Andaluzia que eles rejeitaram este nome em favor de Granada.

Os franceses depois adaptado para Granada Granada, eo terno britânico seguido, mudando para Granada Granada (pronunciado Gre-nay-da). Apesar de nenhuma das potências europeias teve nenhum problema de nomenclatura da ilha, eles descobriram colonização uma perspectiva muito mais difícil. Durante um século e meio, os caribes repelido todas as tentativas de colonização européia, até que uma expedição empreendedor francês da Martinica conseguiu adquirir extensas áreas de terra em troca de algumas contas, facas e machados. As hostilidades entre os caribes e os franceses começou quase imediatamente depois, como os franceses tentaram estender seu controle sobre toda a ilha. Determinado a não se submeter a dominação francesa, Caribs travaram uma sucessão de batalhas perdidas, e, finalmente, os caribes últimos sobreviventes pulou para a morte de um precipício no norte da ilha. Os franceses batizaram o local "Le Morne de Sauteurs", ou "Saltadores Hill '."

Para os próximos 90 anos, o francês lutou sem sucesso para manter a ilha de cair nas mãos do. Britânico Fort George e Frederick Fort , que ainda comando as alturas com vista para o porto de São Jorge, que são relíquias de luta. Finalmente, no âmbito do Tratado de Versalhes, em 1783, a ilha foi definitivamente cedida aos britânicos. Tendo ganhado a posse estável de Granada, os britânicos imediatamente importados grande número de escravos provenientes da África e plantações de açúcar estabelecidos. Em 1795, no entanto, o controle britânico foi seriamente desafiada mais uma vez, desta vez por Julian Fedon, um plantador de preto inspirado na Revolução Francesa. Sob a liderança do Fedon, os escravos da ilha levantou-se uma violenta rebelião, efetivamente assumir o controle de Granada. Embora a rebelião foi esmagada pelos britânicos, a tensão continuou alta até a escravidão foi abolida em 1834. O local de acampamento do Fedon , no alto de Granada belas montanhas centrais, é hoje um destino popular para os caminhantes e trekkers.

Em 1877 tornou-se uma colônia de Granada Coroa, e em 1967 tornou-se um estado associado dentro da Comunidade Britânica antes de ganhar a independência em 1974. Apesar da longa história da ilha do domínio britânico, herança francesa da ilha (ambos colonial e revolucionária) sobrevive em seus nomes de lugar, os seus edifícios, e seu catolicismo forte.

Em 1979, foi feita uma tentativa de criar um Estado socialista / comunista em Granada. Quatro anos mais tarde, a pedido do Governador Geral, os Estados Unidos, Jamaica, e Estados do Caribe Oriental interveio militarmente. Lançamento de seu agora famoso "missão de resgate", disse o aliado ordem forças restauradas, e em dezembro de 1984, uma eleição geral re-estabelecido governo democrático.

A última década tem sido um período de desenvolvimento considerável em Granada. Embora a expansão da indústria do turismo tem avançado rapidamente, a ilha tem grande cuidado para proteger seu ambiente natural magnífico. Parques Nacionais têm sido desenvolvidos, ea proteção tanto da floresta tropical e os recifes de coral continua a ser uma alta prioridade.

Geografia

Esta pequena nação é composta por três ilhas: Granada, Carriacou e Petit Martinique. Granada é de longe o maior dos três, com uma largura de 12 milhas (18 km) e um comprimento de 21 milhas (34 km). Seus 133 quilômetros quadrados (440 km ²). São terrenos, montanhosa vulcânica, atingindo alturas de mais de 2.750 pés sobre o Monte de Santa Catarina. Esta topografia fornece Granada com um dos ambientes mais bonitos e mais variado no Caribe, incluindo lagoas, bem como uma variedade surpreendente de vida vegetal e animal. Florestas anãs no alto de Mount St. Catherine descer para as florestas tropicais de altitude de altitudes médias, que dão forma em vez de as florestas secas das terras baixas. Essas florestas mudar para mangue no litoral, dando lugar a belas praias de areia branca, água azul brilhante e recifes de coral requintados.

Ilha de Granada irmã menor, Carriacou, é montanhosa, mas não montanhoso. Com mais suave do terreno, Carriacou é um destino ideal para caminhadas. Possui praias de areia fina e portos naturais, bem como oferecendo excelentes vistas sobre as ilhas do norte Grenadine. Petite Martinique, o terceiro e de longe a menor ilha no estado, consiste em pouco mais do que a ponta de um cone vulcânico cutucando através da água. É só agora está sendo desenvolvido para os visitantes.

Localização

As três ilhas de Granada estão localizados no Caribe Oriental na extremidade sul das ilhas de Barlavento, a apenas 100 quilômetros ao norte de Venezuela. Para a mentira norte de São Vicente e Granadinas; ao sul de Trinidad e Tobago.

Clima

As temperaturas médias variam de 24C/75F para 30C/87F, temperado pelos ventos alísios estáveis e refrigeração. As temperaturas mais baixas ocorrem entre novembro e fevereiro. Por causa da topografia notável de Granada, a ilha também experimenta mudanças climáticas de acordo com a altitude. A estação mais seca é entre janeiro e maio. Mesmo durante a estação chuvosa, de junho a dezembro, raramente chove por mais de uma hora a uma hora e, geralmente, não todos os dias.

Pessoas

Granada de números sobre a população, compreendendo 93.000 cidadãos de Leste-Africano, indígenas e descendentes de europeus.

A maior parte da população, cerca de 75%, é de ascendência Africano.

Atrações ecológicos

Granada começaram nos últimos anos a proteger alguns de seus mais notáveis recursos naturais através de um sistema de parques nacionais e áreas protegidas.

Que vão desde o magnífico Grand Etang Reserva Florestal à intimidade tranquila de La Sagesse estuário, estas áreas segurar atração considerável para os caminhantes e observadores de aves, bem como para aqueles que simplesmente querem conhecer melhor a beleza natural inigualável da ilha.

Grand Etang Lago e Reserva Florestal

A área mais popular em Granada para caminhadas e trekking é, sem dúvida, a floresta ao redor do Grand Etang Reserva Florestal, no alto das montanhas do interior da ilha. Altitudes variadas Grand Etang e manter vários terrenos diferentes subsistemas ecológicos, culminando nas florestas elfin alta nas encostas da região central da reserva montanhas. O ponto focal da reserva florestal é Grand Etang Lake, que enche a cratera de um dos vulcões extintos da ilha.

A floresta ao redor do lago guarda uma diversidade estupendamente rica de flora e fauna. Coloridos pássaros tropicais, sapos e lagartos, pequenas e orquídeas raras pontuam a vegetação densa floresta tropical, e meandro trilhas em torno de cachoeiras deslumbrantes da região, bem como as águas azuis do Grand Etang Lake.

Flora Grand Etang inclui mogno imponente e árvores gigantes Gommier bem como uma infinidade de samambaias, flores tropicais, e outras plantas indígenas.

A vegetação exuberante proporciona abrigo para uma grande variedade de animais, em particular para muitas espécies da ilha de aves.

O falcão largo-voado (conhecido aqui como o grau-grau), Lesser Antilhas rápida, Antilhas Euphonia, roxo-de-garganta carib, Antilhas crista beija-flor (conhecido como o pássaro médico pouco), eo menor Antilhas tanager (conhecida como a graviola) são todos os locais comuns. Além disso, o Grand Etang é preenchida por uma abundância de sapos e lagartos, bem como palco para gambás, tatus, mangustos, eo macaco mona.

Caminhadas no Grand gama Etang, de fácil 15 minutos para passeios expedições rigorosos de várias horas. As trilhas são muito bons, ea Reserva Florestal oferece excelentes guias (escrita e humano).

Caminhadas da reserva incluem:

O Morne Trail Labaye

Este passeio breve e fácil, o que leva cerca de 15 minutos e é indicado para toda a família, apresenta 12 pontos de interesse destinados a familiarizar o visitante com a ecologia da região.

O Ridge e Lake Trail Círculo

O Trail Círculo Lago, que leva cerca de meia hora, os ventos para baixo e ao redor do perímetro do Grand Etang Lake. Além de permitir uma excelente vista para o lago em si, que é tão impressionante que ele realmente não pode ser desperdiçada, essa trilha wends para baixo através das árvores enfeitadas com hibiscus e muitas variedades da ilha de orquídeas selvagens, que crescem sobre as árvores de apoio.

Mt. Qua Qua Trail

Uma das montanhas centrais da faixa interior de Granada, MT. Qua Qua sobe a uma altura de mais de 2.370 pés (720 m).

A trilha para e ao longo de seu cume passa por Grand Etang Lake e depois sobe até altitudes mais elevadas, as temperaturas mais frias, e florestas de montanha elfin das encostas superiores. Caminhando a trilha leva cerca de uma hora e meia, com seções frequentemente íngremes e às vezes escorregadia que requerem algum cuidado. Uma das principais atrações deste passeio, além de perspectivas panorâmicas disponíveis a partir de suas clareiras ocasionais, é que ele oferece uma introdução abrangente à planta variada vida animal e de ambos floresta e ecossistemas de montanha de Grand Etang.

Sete Irmãs Trail

Assim chamado porque ele passa por sete cachoeiras bonitas Grand Etang de montanha, abrigadas na vegetação profusa esmeralda da floresta tropical.

A trilha leva cerca de três horas, mesmo para os caminhantes experientes, mas para aqueles que estão prontos para ela as Sete Irmãs vale bem a pena o esforço.

A partir de uma área de cultivo de banana e noz-moscada, a trilha rapidamente mergulha em alguns da mata virgem mais atraente na ilha.

Como esta caminhada pode ser difícil, o acompanhamento de um guia é recomendado.

Montanha do Fedon & Concord Falls

Caminhantes avançados e trekkers não deve perder a oportunidade de levar estes mais dois aumentos substanciais, que ligam para o MT. Qua Qua Trail em Grand Etang. A Concord Falls ramos trilha off do Monte. Qua Qua Trail após cerca de uma hora, levando através dossel da floresta, ao longo de colinas e riachos gorgolejar, para trazê-lo para as cascatas triplo das Cataratas Concord. O menor dos três é uma área de natação muito popular, local de acampamento, e atração turística, com instalações modernas que cercam sua área de natação generoso. As quedas superiores, cerca de vinte minutos de caminhada até o rio, estão definitivamente vale a curta caminhada, como eles são muito menos visitados e ainda mais bonito. A 40 m ft/12 cascata mergulha por entre a vegetação espessa para uma convidativa piscina, que oferece um mergulho muito mais tranqüilo do que você vai encontrar nas quedas inferiores. O terceiro e mais alto dos três cascatas de Concord Falls está consideravelmente mais alto da montanha e requer cerca de duas horas de caminhada mais.

Ramificando-se a partir da Falls Trail Concord antes que ele atinja as cascatas é o caminho curto mas exigente levando até o recesso caverna-como de Camp Fedon de. O acampamento foi a base estratégica de Julien Fedon, uma Granada de origem francesa que liderou uma revolta de escravos contra os ingleses em 1765. Isso. Bem mantida, mas árdua trilha leva fundo no coração da floresta tropical Etang Grande, através de mogno bosques sombrios, teca, e muitas outras espécies de árvores de Granada Samambaias gigantes e pássaros são abundantes aqui, incluindo o carib verde-throated eo cuco amarelo-faturado.

Um guia é recomendado tanto para a Montanha Fedon e as caminhadas Concord Falls.

Levera National Park

Os 450 hectares Levera Parque Nacional detém uma forte reputação como área mais belos e espetaculares de Granada costeira. Sua praia imagem perfeita é bastante popular nos fins de semana, e sua lagoa é um dos habitats mais importantes da vida selvagem da ilha. Consistindo de um extenso manguezal, a lagoa é um refúgio para uma abundância de espécies de aves, incluindo muitos, garças de pescoço negro palafitas, narcejas comuns, e outras aves aquáticas. Áreas marinhas Levera são igualmente estimado, com recifes de coral em circulação e das algas que as lagostas e peixes de recife de abrigo bonitas. As praias também são uma incubadora para as tartarugas marinhas, que são protegidos de maio a setembro. Entre os passeios agradáveis Levera é uma trilha que circunda a lagoa.

La Sagesse Nature Centre

Este estuário de mangue calmo ao longo da costa sudoeste é um dos melhores observação de aves locais em Granada. Além do estuário, La Sagesse inclui três belas praias afiado com palmeiras, um recife de coral muito bom para snorkeling, um exemplo primitiva de arbustos espinhosos seco e floresta cacto, e um lago de sal. Claro, uma lagoa salgada bom é o equivalente aviária de uma praia deslumbrante, e este é um lago de sal muito convidativo. Ela atrai uma abundância de espécies diferentes, incluindo o papa-moscas-de-crista marrom, galeirão Caribe, verde-backed e garça azul pouco, eo jacuna norte. La Sagesse também mantém uma pequena casa de hóspedes de quatro quartos e um restaurante que serve pratos almoço muito gostoso.

Lago Antoine Turístico Nacional

Este lago cratera rasa, como Grand Etang, é anfitrião de uma grande variedade de vida selvagem. Trilha do lago de perímetro, um belo passeio em si, é outro dos excelentes atrações de Granada para observadores de aves. Entre as espécies avistadas com freqüência são o caracol pipa, a fulvous assobiando-pato, de bico grande semente-passarinho, kingbird cinza, e carão.

Explorando Granada

São Jorge

Esta cidade pitoresca, enrolada em torno do perímetro de melhor porto natural da ilha, é talvez a capital mais atraente em todo o Caribe.

Fundada no início do século 18 pelo francês, de São Jorge ainda possui algo do caráter de uma cidade francesa, particularmente nos telhados vermelhos e cores pastel da sua arquitetura tradicional. São Jorge contém uma série de sites vale a pena explorar, e do Conselho de Turismo (em Queimaduras Point) fornece um guia prático para passeios a pé.

Carenage

Porto idealmente formado St. George interior é - como tem sido nos últimos três séculos - o centro da atividade marinha na ilha. O Carenage serve como um ponto de ancoragem para cada tipo de embarcação que se possa imaginar, a partir de pequenos barcos de pesca e iates elegantes para grandes navios de cruzeiro brancos. Uma caminhada ao longo da Estrada Wharf cercando permite uma bela vista do porto e da sua generosidade de navios coloridos.

Romana de St. George Catedral Católica

A torre gótica de St. George, embora bastante modesto, é o marco mais visível na cidade. Criada em 1818, a torre empresta o capital de Granada um caráter puramente europeia.

Casa do Parlamento

Do outro lado da rua da Igreja da catedral são dois dos edifícios mais veneráveisSt. George. York House, comprado em 1801, abriga a Câmara dos Deputados, do Senado e do Supremo Tribunal Federal. Junto com a Secretaria vizinho, que foi construído em 1780, York House é um exemplo elegante de arquitetura georgiana cedo.

Praça do Mercado

Movimentado, barulhento e colorido, o mercado é o centro da vida cívica da capital, como tem sido nos últimos 200 anos. Ele é o principal local para a compra e venda de produtos locais, bem como o ponto focal para desfiles, discursos políticos, e atividades religiosas. Mais recentemente, tornou-se o ponto de partida para carrinhas para as áreas mais externas da ilha. Nenhum visitante para Granada deve perder o mercado manhã de sábado.

A Esplanada

Rua Basta descer Granby da Praça do Mercado é o Esplanade, que olha para o oeste através do Caribe. Um local bom para um passeio à noite.

Granada Museu Nacional

Embora o Museu Nacional não é grande, que abriga uma coleção fascinante de artefatos da história cultural de Granada. Sua coleção se estende desde os tempos antigos até o presente, incluindo material e exposições sobre tudo, desde os caribes aos acontecimentos políticos da década de 1980.

Túnel Sendall

Este túnel de 340 metros, ainda a conexão mais conveniente do Carenage à Esplanada, foi justamente considerado um triunfo tecnológico quando concluído no início do século 18. É nomeado para governador da ilha na época.

Fort George

Fort George está situado em uma península elevada que comanda a entrada do porto, uma posição que tem dado o forte enorme importância estratégica, pois o francês construiu na primeira década do século 18. Apesar de continuar a servir como a sede da polícia, Fort George é mais apreciada hoje para os pontos de vista que ele oferece para os turistas. Grande parte de sua estrutura elaborada colonial permanece intacta, e faz parte do prazer de uma visita é divagar por aí, entre as passagens e escadas das fortificações de pedra antiga. Fort George ainda mantém uma bateria de canhões antigos, que são usados em ocasiões especiais para disparar uma salva de retumbante.

Na década de 1980, Fort George, mais uma vez desempenhou um papel proeminente na história de Granada como o local do assassinato de Maurice Bishop, junto com vários membros de seu gabinete. Em 1983, o forte foi bombardeada por tropas americanas.

Fort Frederick

No cimo de Richmond Hill, no centro de St. George, Forte Frederick é um complemento menor e mais recente para a imposição de Fort George.

Construído pelo britânico, que foi concluída em 1791, durante a Revolução Francesa.

Cerca de St. George

Jardim Botânico

Situado a apenas cinco minutos de carro a sudeste de St. George, essas imaculadas e tranquilos jardins oferecer uma introdução encantadora para as plantas e flores naturais de Granada e do Caribe em geral.

Bay Gardens

O Jardim Bay, com seus caminhos sinuosos e cultivo cuidadoso, oferecem um bom exemplo do impulso Europeia para domar e ordenar a vegetação paradisíaca dos trópicos. Com mais de 3.000 espécies de plantas, o Jardim Bay fornecer introdução de uma vida para a flora de Granada - na verdade, de todo o Caribe.

Os jardins estão localizados atrás de São Jorge, no subúrbio de São Paulo.

Cerca de Granada

Salto Carib, ou Leapers Colina

Diretamente ao norte da cidade de Sauteurs é um penhasco íngreme que desce verticalmente no mar há mais de 100 pés. Foi a partir do topo da falésia que a última remanescente de Granada índios caribenhos lançou-se em 1651, preferindo o suicídio à dominação pelos franceses.

Gouyave

A unidade ao longo da costa ocidental de Granada de São Jorge passa por algumas das áreas mais pitorescas da ilha. Ao longo da costa de pequenas aldeias de pescadores espalhadas, situado na entrada de vales que abundam com papaia e árvores de fruta-pão.

Gouyave em si é o principal local de comemorações do aniversário do Pescador, em junho.

Dougaldston Spice Estate

Localizado nos arredores de Gouyave, este imóvel histórico ainda é o principal produtor de especiarias da ilha e do lugar onde são processadas primeiro após a colheita. Tours fornecer um vislumbre fascinante da preparação tradicional de especiarias, bem como oferecendo aos visitantes a oportunidade de provar muitas das especiarias e produtos em sua forma fresca, não processada.

Grand Etang Lago e Reserva Florestal

As montanhas vulcânicas da faixa central de Granada subir a mais de 2000 metros em alguns lugares. Algumas das montanhas conter bacias antiga cratera, um dos quais detém uma cratera grande, Grand Etang. O lago é mais de 1700 pés acima do nível do mar, e está cercado por algumas das mais belas florestas tropicais da ilha. Perto do lago é o centro de visitantes do Grand Etang Reserva Florestal, parque de Granada naturalista premier. Centro de visitantes oferece aos visitantes uma fascinante introdução à vida selvagem indígena da ilha, vegetação, manejo florestal, história e cultura. É também o ponto de partida para muitos dos passeios, caminhadas, e passeios que podem ser tomadas por esta área de incrível beleza.

Grenville

Grenville, situado a cerca de meio caminho barlavento Granada Eastern Shore, é a segunda maior cidade da ilha. Grenville é também o lar da maior fábrica de processamento de Granada noz-moscada, que oferece aos visitantes passeios extensas de todo o processo de preparação noz-moscada. Mercado Grenville sábado colorido também merece uma visita, pois os agricultores locais, pescadores e comerciantes se reúnem para vender todos os tipos de produtos frescos, bem como artesanato local.

Lago Antoine Turístico Nacional

Cerca de seis quilômetros ao norte de Grenville está Lago Antoine.

La Sagesse Nature Centre

Este centro de natureza estabeleceu recentemente tem uma grande variedade de atrações diferentes, desde a avifauna prolífico de sua lagoa salgada e estuário de mangue ao isolamento pacífica de suas três belas praias. La Sagesse também mantém uma pequena pousada e restaurante.

Levera National Park

A área costeira do parque popular é uma das áreas mais dramaticamente belas Granada, incluindo uma praia magnífica. Áreas marinhas Levera são igualmente estimado, com recifes de coral em circulação e das algas que as lagostas e peixes de recife de abrigo bonitas.

Mt. Carmelo Cachoeira

Este é o maior da ilha várias cachoeiras encantadoras. É na verdade consiste de duas quedas diferentes, que juntos tombo de mais de 70 metros para as águas cristalinas abaixo.

Mt. Ameríndia rico Remains

Os petroglifos deste site são incomparáveis para sua descrição detalhada da vida cotidiana dos primeiros habitantes de Granada.

Inúmeros artefatos foram recuperados no local, indicando seu uso prolongado, como uma solução rápida.

Rio Sallee Boiling Springs

Estas molas conhecidos estão localizados no nordeste da ilha, a cerca de uma milha e meia ao norte do Lago Antoine. As molas são observadas não só pela sua geologia única, mas, como um desejo natural bem.

Rio Antoine Rum Distillery

Não destilaria outro em todo o Caribe está em operação desde Rio Antoine, e muito poucos foram aqueles que cuidadosamente mantidos os métodos tradicionais de preparação rum. Embora a destilaria é de propriedade privada, ele permite visitas guiadas.

Os visitantes podem ver como o rum é feito em muito da mesma maneira que era no século 18, quando disparou as gargantas dos piratas reais.

Fonte: www.geographia.com

Granada

Granada ganhou as manchetes do mundo em 1983, quando uma divisão no partido governante de esquerda levou à derrubada e execução do líder carismático do país, Maurice Bishop, e desde o pretexto para uma invasão dos EUA das ilhas.

Como pano de fundo de até então Granada história pós-independência pacífica, o evento destacou caráter contraditório do país.

De um ângulo, Granada tem um sabor "exótico", que atrai especialmente para os ocidentais. Conhecido como o "Spice Island", é o maior produtor mundial é a segunda maior de noz-moscada e é um importante produtor de maça, canela, gengibre e cravo.

Granada
São Jorge é um destino turístico popular

Ele também possui belas paisagens, com vales pitorescas e férteis, florestas tropicais, caudalosos rios, fontes termais, lagos de montanha, um clima tropical e praias excelentes.

Apesar de Granada tem uma das economias de mais rápido crescimento no Caribe, a pobreza é generalizada. Crescimento do investimento e turismo, e um boom de construção, têm ajudado a reduzir o desemprego.

O país sofreu um golpe sério em 2004, quando o furacão Ivan varreu matando dezenas de pessoas, danificando 90% dos edifícios da ilha e devastando a cultura noz-moscada.

Turismo gerou seus próprios problemas, na forma de ameaças à floresta e erosão da praia causada por projetos de resorts.

Uma cronologia dos principais eventos:

1498 - Christopher Columbus vistas as ilhas, que ele chama de Granada depois que a cidade espanhola.

Granada
Trabalhadores pegar cacau na década de 1930; 
Granada é uma fonte importante para o principal ingrediente do chocolate

1650 - colonos franceses da Martinica estabelecer uma colônia e encontrou São Jorge, a atual capital.

1783 - França cede Granada para a Grã-Bretanha, de acordo com o Tratado de Versalhes; escravos africanos trazidos para trabalhar nas plantações de açúcar, algodão e tabaco.

1795 - Abortivo rebelião contra o governo britânico liderado por Julien Fedon, um plantador Africano, que foi inspirado na Revolução Francesa.

1834 - A escravidão abolida.

1885-1958 - Granada funciona como sede administrativa das Ilhas Britânicas Barlavento.

1950 - Granada Unidos Partido Trabalhista fundada por Eric Gairy.

1958-1962 - Granada é parte da Federação britânica, patrocinado das Índias Ocidentais.

1967 - Granada torna-se autônoma, com estrangeiros e defesa assuntos restantes sob controle britânico.

Revolução, independência e invasão

1974 - Granada torna-se independente com Eric Gairy como primeiro-ministro.

1979 - PM Eric Gairy deposto em golpe de Estado organizado pelo Movimento Jewel esquerdista Novo e liderado por Maurice Bishop, que passa a fortalecer os laços com Cuba e os EUA.

1983 - bispo deposto e executado por ex-aliados de esquerda liderados pelo general Hudson Austin, que se opõe às suas tentativas de melhorar as relações com os EUA; golpe fornece pretexto para uma invasão por os EUA; Austin preso; Interino do Conselho Consultivo repõe 1974 constituição.

1984 - Um Herbert Blaize torna-se primeiro-ministro depois de seu centro-esquerda Novo Partido Nacional (NNP) vence a eleição geral.

1989 - Blaize continua primeiro-ministro depois de ser substituído como chefe do PNN; mais tarde ele morre e é substituído por Ben Jones.

1991 - governo de coligação liderado por Nicholas Braithwaite, do centrista Congresso Nacional Democrático (NDC) assume o cargo após uma eleição inconclusiva em geral.

De fevereiro de 1995 - O ministro da Agricultura George Brizan torna-se primeiro-ministro após a renúncia de Braithwaite.

Mitchell vitória eleitoral

Junho de 1995 - Keith Mitchell torna-se primeiro-ministro depois de sua PNN vence as eleições gerais com confortável maioria.

1999 - PNN primeiro-ministro Keith Mitchell ganha esmagadora nas eleições gerais, tendo todos os 15 assentos no parlamento.

2000 Abril - Verdade e Reconciliação criada com ajuda do Sul Africano para examinar convulsões políticas dos "anos revolucionários", entre 1976 e 1983.

Setembro de 2000 - Três diplomatas chineses em visita privada são deportados por declarações interpretadas como uma ingerência nos assuntos internos de Granada. Eles foram convidados pela Associação de Amizade recém-formado Granada-China do líder da oposição Michael Baptiste.

2001 - Granada lista negra baseada em Paris Grupo de Ação Financeira por não fazer o suficiente para combater a lavagem de dinheiro. Governo inicia revisão de operação bancária offshore.

2001 - Oposição critica governo por estabelecer laços diplomáticos com a Líbia e para o primeiro-ministro viagem de Mitchell a Trípoli. Ele foi como parte de uma Organização de Estados do Caribe Oriental (OECS) delegação de procurar ajuda econômica depois de uma queda na ajuda de os EUA, Reino Unido.

De dezembro de 2001 - Canadá impõe regime de vistos aos detentores de passaportes Granada, que pode ser comprado, por temores de segurança após ataques de 11 de setembro. Granada já havia suspendido as vendas para evitar a concessão de cidadania para os terroristas.

De dezembro de 2001 - Underwater vulcão Kick'em Jenny na costa de Granada explode, mas não quebrar a superfície da água.

Lavagem de dinheiro abordado

Fevereiro de 2002 - com sede em Paris Força-Tarefa de Ação Financeira remove Granada a partir de lista negra de países disse não ser suficientemente cooperativa na luta contra a lavagem de dinheiro.

2002 - projeto de banana orgânica Maior lançado em um esforço para impulsionar a indústria; 150 hectares são reservados para o cultivo orgânico.

Junho de 2003 - Agência de Tesouro dos EUA, do Departamento de Crimes Financeiros retirar a sua assessoria 2002 em Granada como os esforços continuam para limpar-se a operação bancária offshore.

Novembro de 2003 - O primeiro-ministro Keith Mitchell pouco ganha um terceiro mandato.

Devastação causada pelo furacão

Setembro de 2004 - Granada tem um impacto direto do furacão Ivan - o pior furacão do país em memória viva. O primeiro-ministro Mitchell declara um desastre nacional, ele diz que a ilha é de 90% devastada.

De janeiro de 2005 - Granada restabelece relações diplomáticas com a China, favorecendo Pequim sobre seu ex-parceiro diplomático de Taiwan.

Julho de 2005 - Ainda se recuperando de 2004 do furacão Ivan, Granada é atingido pelo furacão Emily. A tempestade mata uma pessoa, destrói plantações e casas de danos.

Fevereiro de 2007 - Reino Unido regras baseadas Tribunal Privado que 14 prisioneiros que foram condenados à morte durante o golpe de 1983 deve ser re-sentenciados. Ele diz que as sentenças, proferidas em 1986, são ilegítimas.

Fevereiro de 2008 - O ex-primeiro-ministro Sir Eric Gairy é nomeado como primeiro herói nacional do país em 34 º aniversário de independência.

De julho de 2008 - O Congresso Nacional Democrático toma uma vitória clara nas eleições, tendo 11 assentos parlamentares para quatro o Novo Nacional do Partido. A vitória surpresa nega Keith Mitchell um quarto mandato no cargo, e Tillman Thomas, do NDC toma posse como primeiro-ministro.

De setembro de 2009 - O último sete dos 17 homens condenados durante o golpe de Estado de 1983 e assassinato de PM Maurice Bishop são liberados da prisão depois de cumprir as suas sentenças.

Fonte: news.bbc.co.uk

Granada

Granada foi fundada pelos mouros em 756 perto de um assentamento romano, Illiberis. Depois que parte do Califado de Córdoba, a cidade caiu para o Almorávidas em 1090, seguido por os almóadas em meados do século XII.

O esplendor de Granada nasceu em declínio Córdoba. Com efeito, após a reconquista de Córdoba em 1236 por las cristãos, uma grande parte da população fugiu para Córdoba Granada, onde Mohamed Ben Nasr fundou a dinastia Nasrid.

Um acordo entre Fernando III de Castela e Mohamed Ben Nasr, o fundador da dinastia Nasrid que reconhece vassalo do rei cristão favorece um período de paz. O econômico e artístico, a cidade experimentou uma prosperidade sem precedentes 1238-1492. Posteriormente, rivalidades internas tornar mais fácil para os Reis Católicos que são entregues as chaves da cidade por Boabdil 02 de janeiro de 1492, após um cerco de seis meses.

Diz-se que a mãe de Boabdil fez a repreensão: "Você chora como uma mulher que você não é capaz de defender como um homem." A captura de Granada marca o fim da Reconquista . Nasrid palácios, construídos principalmente a partir do século XIV, e os jardins da Alhambra (em árabe vermelho) formam uma verdadeira cidade dentro de seus muros. Emires Nasrid estão tentando criar uma imagem do céu na terra, a fim de exorcizar a dura realidade que enfrentam, o de poder político em declínio. Eles fazem isso usando materiais simples como a cerâmica, estuque, madeira e jogo sutil com espaço, luz, água e ornamentação.

Apesar dos estragos do tempo, o Alhambra, restaurado, é um monumento excepcional.

Cidade turística

A cidade de Granada está localizado na Andaluzia, no sul da Espanha. A cidade é um importante centro agrícola e comercial no coração de uma rica planície irrigada. As principais indústrias são refino de açúcar, fermentação, destilação, produtos químicos e têxteis. Uma Granada turismo é uma atividade muito importante. Granada de fato um grande número de monumentos, como o Alhambra , que é um os restos mais belas da civilização árabe. Há também uma catedral gótica e da Renascença e da capela real , que abriga os túmulos dos governantes Fernando II de Aragão e católica, a Isabella . Finalmente, a universidade recebeu o foral em 1531 o Imperador Charles Quint.

Granada
Catedral de Granada

Granada
A Alhambra

Granada
Capela Real de Granada

Fonte: colleges.ac-rouen.fr

Granada

Escavações arqueológicas em Granada em 1916 revelou que a província tem sido habitado desde o Paleolítico.

Descobertas datam do, Paleolítico Mesolítico e Neolítico estão expostas no Museu Arqueológico. Por volta do ano 1000 aC, os fenícios, que eram principalmente a faixa costeira, pequenas colônias também foram estabelecidos em Granada. Quando os cartagineses conquistaram a costa após a sua vitória sobre os fenícios, que assumiu o controle do comércio na região (550 aC) e também se estabeleceram em Granada (Elybirge chamado na época).

Granada não desempenham um papel importante na época do Império Romano, quando começou a declinar no século V, a cidade caiu para os visigodos.

Sob o domínio dos Visigodos, a cidade começou a crescer, tanto em tamanho e importância. A popularidade do cristianismo começou a se espalhar entre os seus habitantes e converte Granada, pela primeira vez em um enclave militar importante. Naquela época, uma pequena comunidade de judeus também se instalaram na região de Granada, dando o nome de al-Yahud Garnata, que é muito semelhante ao nome da cidade que hoje conhecemos.

Granada
O período visigótico - Granada

O tempo dos visigodos durou apenas 200 anos.

Este é o 711 soldados mouros da África atravessaram o Estreito, sob o comando de Tarik ibn Ziyad. Após a conquista de grandes cidades, em várias regiões da Espanha, milhares de mouros chegaram à Espanha. Reis árabes governados por vários séculos Granada, que atingiu seu pico no século XIV.

O reino árabe trouxe um boom científico, cultural e comercial. Mouros consideravelmente melhorado sistema de agricultura e irrigação, que ainda pode ser visto hoje. Eles também introduziram laranjas, limões, amêndoas, arroz, cana-de-açúcar e de papel em Espanha.

Tolerância religiosa praticada pelos mouros permitido comunidades muçulmanas, judias e cristãs vivem em perfeita harmonia.

No século IX, eles construíram a fortaleza do morro Alcazaba de Alhambra e Palácio de Alhambra, no século XV.

Granada desfrutou de uma certa independência e prosperidade, em parte graças a acordos assinados com o rei Fernando III.

O pacto estipulado o pagamento de altos impostos cristãos.

Granada
Alhambra, em Granada

Pacto ajudou a proteger os mouros, durante muitos anos uma invasão espanhola, enquanto os espanhóis empreendeu a conquista de toda a Espanha.

Os mouros foram capazes de manter em Granada até 2 de janeiro de 1492, quando a cidade foi finalmente conquistada por Fernando e Isabel, que marcou a vitória de tomar o último reino mouro na Espanha.

Granada
Universidade de Granada

Durante os primeiros anos após a conquista de Granada pelos cristãos, a grande população árabe que vivem na cidade foi respeitado e sua cultura.

Isso mudou completamente em 1499 quando o cardeal Cisneros exigiu que todos os mouros foram batizados. A população árabe vive depois disso impor o pagamento de pesados impostos e eles foram proibidos de usar árabe ou falar uma língua diferente do espanhol.

Em 1568, por causa de todas essas perseguições, os mouros que ainda viviam em Granada se rebelaram contra os espanhóis, mas derrotou os insurgentes foram expulsos da cidade. A Universidade de Granada, que hoje representa uma parcela significativa da história mais recente de Granada, também foi fundada nessa época (1531) por Charles V.

Granada
O Salão Plaza

É só no século XIX que Granada começou a sofrer transformações interessantes, quando a terra pertencente à igreja foram transformadas em parques, jardins e praças, marcadas pela influência do estilo francês e Inglês. El Salón, a Bomba e outros lugares eram o resultado dessa atividade, embora sua construção causou a destruição de uma grande parte das peças antigas da cidade. Isto pode ser visto especialmente no caso da Gran Vía, onde a antiga sede do Prefeito Mesquita foi sacrificado para a sua construção.

Granada
Camino de Ronda

Durante o século XX, Granada continuou a se expandir para o sul para a planície, mesmo que exceda os limites do princípio da camino de Ronda.

Especulação e desenvolvimento urbano descontrolado são responsáveis pelo aparecimento de enormes blocos de edifícios localizados em duas longas avenidas paralelas: el Camino de Ronda, mencionado acima, e da Calle Pedro Antonio de Alarcón.

Embora longe do plano urbano que predomina em Granada, edifícios preenchidas rapidamente novas pessoas.

Assim, a uma velocidade vertiginosa, saltou os apartamentos de estudantes.

Granada
Moderna da cidade de Granada

Hoje, Granada é mais uma cidade turística, uma cidade moderna que atrai convenções e eventos de caráter internacional, como o festival internacional de música e dança que acontece todos os anos em Granada, no final de junho.

Geografia

A diversidade de características geográficas da província de Granada explica a grande variedade de contrastes climáticos que apresenta.

Granada tem um clima continental, como mostram as temperaturas médias anuais, o que é 14,8 º C. (6 º C em Janeiro e cerca de 25 ° em agosto.)

Em julho e agosto, você pode andar em mangas de camisa 24 horas 24. O resto do ano, não se esqueça de levar um casaco à noite. Nov-abr você precisa de roupas quentes.

Granada
Tempo em Granada

Ensolarado quase todos os dias, de junho a setembro. Nunca chove. Julho e agosto são os meses mais quentes. As temperaturas diurnas chegar a 30 º C, mas pode cair para 8 º C durante a noite. Tome de manga curta roupas para o dia e, talvez, um agasalho leve à noite.

Clima apresenta contrastes de grande beleza. Assim, no inverno, dias de sol, alternando com dias nublados e frios.

À noite, a temperatura esfria consideravelmente depois do pôr do sol.

As primeiras chuvas chegam em setembro ou início de outubro, mas mais raramente duram de um dia ou dois.

No inverno, as temperaturas durante o dia pode chegar a 20 º C, mas pode cair para zero durante a noite. Você vai precisar de um casaco ou uma jaqueta durante o dia e um casaco quente, à noite, e um quarto com o aquecedor.

Há pouca chuva (474 litros por ano), principalmente de outubro a maio, mas como nunca foi.

Alhambra

Granada
Alhambra

A Alhambra foi construído em 1238 como uma área de fortaleza e residencial.

A Alhambra nome vem de uma palavra árabe que significa "castelo vermelho ou vermelho", talvez por causa da cor das paredes e as torres que cercam o morro inteiro de La Sabica que, à luz das estrelas, tem prateado, mas, à luz do sol é de cor dourada. Uma versão mais poética é sugerido por especialistas em história árabe que explicam a construção da Alhambra à noite à luz de tochas deu as paredes sua cor particular. Construído originalmente para fins militares, o Alhambra era ao mesmo tempo uma fortaleza (fortaleza), um Alcázar (palácio) e uma pequena medina (cidade). Estas três funções ajudar a explicar as muitas características que este monumento.

A principal preocupação dos arquitetos da Alhambra era cobrir todas as áreas de design, independentemente da extensão do todo. Nunca houve elementos também decorativos. Muitos dos arcos interiores são falsas, sem estrutura, eles são meramente decorativos. As paredes estão cobertas com uma abundância de bela cerâmica e gesso, e muito bem esculpida de madeira, etc.

O palácio Generalife foi construído no século XIV, ao lado do Alhambra como uma residência para o Nazaríes monarcas. O paladar mostra arquitetura árabe em todo o seu esplendor, especialmente em suas esculturas e jardins. Yannat derivado do nome de al-Arif, seu nome pode significar "jardim do arquiteto" ou "o jardim mais bonito."

Diz-se que este palácio sonho era a residência de verão dos sultões, portanto, um lugar de descanso e lazer, onde os monarcas, com suas esposas, poderia escapar da vida estressante do palácio. Os árabes, como os andaluzes de hoje, e não lutando calor buscando o exterior, mas na sombra nos terraços ou em salas isoladas.

Catedral

Granada
Catedral de Granada

A construção da Catedral de Granada foi patrocinada pelos Reis Católicos, em 1503, logo após a reconquista da cidade aos mouros. A catedral foi projetada pelo arquiteto San Juan Evangelista, em uma mistura de estilos gótico e renascentista. Mais tarde, em 1521, os Reis Católicos foram sepultados na capela real da Catedral.

Com suas naves cinco, a catedral é considerada a mais importante edifício renascentista na Espanha. Construído durante o período de transição entre gótico e renascentista, também tem elementos de estilo barroco. A capela-mor, os altares laterais e fachadas esculturas merecem menção especial. A Capela Real foi construída entre 1505 e 1521, durante o reinado dos Reis Católicos. A fachada norte foi acrescentado mais tarde.

Capela Real

Granada
Capilla Real de Granada

A capela real está localizado na parte norte da catedral foi construída ao mesmo tempo.

Os planos para a capela real começou em 1504 e foi construído entre 1505 e 1521 por Enrique Egas. Este é o lugar onde os Reis Católicos escolheu para ser enterrado. Mas Fernando e Isabel tinha morrido antes do fim da construção da capela real, eles tiveram que ser enterrado no mosteiro de São Francisco, em Alhambra. Mais tarde, quando acabou, seus restos mortais foram transferidos para a capela, e eles estão enterrados ao lado de sua filha, a rainha Juana La Loca (Joana a Louca) e seu marido Felipe el Hermoso. Embora originalmente, todos os monarcas espanhóis eram para ser enterrado, não foi, finalmente, o caso, como o Mosteiro do Escorial foi, então, o seu lugar de descanso final. Enterros em bronze foram o trabalho de escultor italiano Domenico Fancelli.

El Bañuelo (banhos árabes)

El Bañuelo data do século XI e é um dos mais antigos banhos árabes em Espanha.

El Corral del Carbón

Granada
O Corral del Carbon - Granada

El Corral del Carbón é um edifício árabe remonta ao século XIV, e depois servir de hotel e armazém comerciantes que visitam Granada. Hoje, o prédio abriga o escritório de turismo em Granada.

Mosteiro de La Cartuja

Granada
Monasterio de la Cartuja - Granada

O projeto, iniciado em 1515, é, em princípio, também queria a mesma ordem dos Cartuxos medieval. Mas os atrasos acumulados e, portanto, o trabalho durou mais de três séculos, acabou produzindo um prédio distante dos ideais dos monges fundadores da pobreza. A riqueza da decoração interior da igreja, a sacristia ea capela lateral é impressionante, com interessante arte Bocanegra, Cotan Sánchez e outros artistas, e maravilhosas obras de marchetaria embutidos artes de pedra têm uma longa tradição em Granada.

Mosteiro de São Jerómino

Granada
Monasterio de San Jerónimo

A ordem de los Jerónimos gostava de favores dos Reis Católicos e explica que a fundação do mosteiro de Santa Fé precedeu a conquista de Granada. O trabalho começou no local que ocupa hoje, em 1504, e seus dois claustros estão equipados com jardins, fontes e árvores de laranja. Parte de sua riqueza vem do fato de que a viúva de Gran Capitán escolheu este local como um cemitério para ela e seu marido galante. As casas adjacentes da igreja um altar e retábulo obras espetaculares dos maiores artistas da cidade nos séculos XVI e XVII.

Palácio de Madraza

Granada
Palacio Madraza

Este palácio foi construído pelo rei mouro Yusuf I em 1349 e foi usado na época como uma universidade. Hoje, o palácio é ocupado pela Universidade de Granada e apenas capela os restos do edifício original.

Albaicín

Granada
Distrito del Albaicin

Albaicin é o antigo bairro árabe da cidade. Esta é uma das áreas mais fascinantes da cidade, e oferece uma mistura única de estilos de arquitetura árabe e cristã. Ele está localizado em uma colina de frente para o Alhambra e você pode desfrutar de vistas espetaculares sobre famosos jardins da área Rosa de Alhambra e Generalife. Ziríes reis foram os primeiros a estabelecer a sua corte, no século X, mas há apenas alguns vestígios deste período, com algumas seções da antiga muralha de Granada (incluindo seção circundando a área de Albaicin e portas de El Arco de las pesas, Monaita e Elvira).

Museu da Alhambra

Granada
Museu da Alhambra

Localizado no Palácio de Carlos V dentro do Alhambra, Alhambra Museu ocupa a ala sul do palácio, no piso térreo. Ele está dividido em sete salas (em ordem cronológica) dedicados à arte e cultura da Espanha Moura. O museu foi criado em 1870 para mostrar as muitas descobertas arqueológicas adquiridos pela comissão provincial de proteção de monumentos. Em 1994, o museu foi doado para a fundação do Alhambra e do Generalife.

Museu de Belas Artes

Granada
Museu de Belas Artes

Museu de Belas Artes está localizado no piso superior do palácio. O museu abriga obras de arte importantes, o mais antigo datado do século XVI e incluem obras de Alonso Cano e Machuca. Não perca a escultura "El Enterro" Cristo de Jacobo Florentino. Outras obras-primas de descobrir que data do. Barroco, neoclássico e romântico, e você também vai ver as obras de artistas de Granada XIX e do século XX Devemos também mencionar Manuel Ángeles Ortiz como o museu mantém uma grande coleção de obras de sua série "Albyzín" e "Paseo de los Cipreses".

Museu da Capela Real

Granada
Museu da Capela Real

Este museu exibe obras de valor histórico e artístico, a coroa eo cetro de rainha Isabel e uma valiosa coleção de painéis da escola flamenga, um presente da rainha em Granada.

O Museu Real também engloba uma coleção de objetos relacionados à captura de Granada e da conquista das Américas. Rainha Isabella também construiu uma coleção de centenas de belas obras de arte - Napoleão quase totalmente saqueada.

Museu Arqueológico

Granada
Museu Arqueológico

O museu apresenta uma coleção de objetos da pré-história ao tempo dos cartagineses, fenícios, romanos e árabes.

Museu Parque de las Ciencias

Granada
Museu Parque de las Ciencias

O Parque de las Ciencias é um museu interativo de ciência de 70.000 metros quadrados, localizado a poucos minutos a pé do centro histórico de Granada, oferece um lazer, científico e cultural dos mais diversificados da Europa.

O museu mais visitado na Andaluzia, que oferece uma grande variedade de exposições permanentes e temporárias, onde se aprende ao participar em uma variedade de atividades.

O Parque de las Ciencias consiste em espaços diferentes:

O Macroscopio

Bandeira de Al-Andalus e Journey Ciência Pavilhão através do corpo humano, Construção cultura de prevenção, Techno-Fórum Pavilion, quarto Explore o Museu Sótão, Pavilhão de Exposições Temporárias

Edifício Pêndulo de Foucault

Sala da Biosfera, sujo Eureka, sala de Percepção, o Planetário de jantar Explora

Exteriores

Torre de observação, Tropical Butterfly Serre, voos Curso Botânico Raptors, Áreas Naturais, Pavilhão Astronomical Observatory

Edifício Via Láctea

Casa de los Tiros

O museu do século XVI é chamado de "La casa de los Tiros" por causa de armas de fogo que superam as muralhas. Além da exposição permanente dedicada à história de Granada, é um centro cultural que oferece concertos, exposições de arte moderna, leituras de poesia, etc.

O impressionante teto de caixotões la Cuadra Dorada, o primeiro andar é uma obra extraordinária de arte gráfica, com retratos muito expressivos de heróis de Espanha, datando da época da invasão muçulmana se a reconquista pelos Reis Católicos.

Casa los Pisa

Granada
Casa los Pisa

O famoso San Juan De Dios viveu nesta casa, no século XVI. A casa tem 12 quartos e 3 salas de exposições pequenas, onde você pode ver obras de arte em Espanha e no estrangeiro, como jóias, móveis e cerâmicas do século XVI.

Museu Max Moreau

Neste lugar de sonho que você pode admirar uma grande coleção de pinturas de Max Moreau. Este é um antigo estilo de casa árabe Albaicín onde viveu e trabalhou, hoje convertida em museu e galeria. Além das obras que ele legou para a sua cidade favorita, você pode ver a sua oficina e uma exposição de fotos pessoais que mostram a sua vida privada e seu amor por Granada.

Geografia

A ilha de Granada propriamente dita é a ilha maior; as Granadinas, menores, são Carriacou, Petit Martinique, Rhonde, Caille, Diamond, Large, Saline e Frigate.

A maior parte da população do país vive na ilha de Granada, e as localidades principais dessa ilha são a capital, Saint George's, e também Grenville e Gouyave. A maior localidade das outras ilhas é Hillsborough em Carriacou.

As ilhas são de origem vulcânica e o interior de Granada é relativamente montanhoso, com vários pequenos rios a descer até ao mar.

O clima é tropical: quente e húmido, e Granada sofre ocasionalmente o efeito de furacões.

Economia

A economia de Granada se baseia na produção agrícola (noz moscada, cacau, bananas) e no turismo.

A agricultura representa mais da metade das exportações, e uma grande parte da população está direta ou indiretamente empregada na agricultura.

Recentemente, o desempenho do setor agrícola foi fraco: as exportações de banana caíram significativamente em volume e qualidade em 1996, e foi posta a questão sobre o quanto o país pode depender principalmente da produção de banana.

O turismo parece ser a chave para o comércio exterior. Há também algumas poucas indústrias, principalmente de armas e alimentícias.

A mão-de-obra em geral é pouco qualificada.

Fonte: www.granadatourist.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal