Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Paraguai  Voltar

Paraguai

 

Junto com Bolívia é um dos paises mais pobres de América Latina e um dos que tem suportado por mais tempo o mesmo ditador no governo.

O Paraguai mostra-se hoje como um país misterioso para aqueles que gostam dos lugares com um rico passado indígena e com um território onde se faz o futuro a golpe de esperança.

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Passaporte legalizado, passagem de saída e recursos financeiros suficientes. Não há necessidade de visto para as estadias até 90 dias. É necessário preencher o cartão de turismo gratuito que é entregue na entrada do país.

CLIMA

Clima subtropical com temperaturas quentes no verão e temperadas nos meses de inverno. A temporada de chuvas extende-se de outubro até abril.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Recomenda-se roupas leves de algodão, calçados confortáveis, capa de chuva, culos de sol, chapéu, protetor solar e repelente contra insetos. Para quem realizar viagens pela Região do Charco é aconselhável faze-lo com as providências necessárias, assim como combustível suficiente, lanternas e ferramentas básicas.

IDIOMA

Os idiomas oficiais são o espanhol e o guarani.

RELIGIÃO

A maioria da população é católica em 96%. Outras em 4%.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica é de 220 volts a 50 Hz.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é o Guarani (PYG). UM (PYG) equivale a 100 centavos. Existem moedas de 1, 5, 10, 50 e 100 guaranis. Cédulas de 100, 500, 1.000, 5.000, 10.000 e 50.000 guaranis. O melhor é trocar nas casas de câmbio, também há cambistas frente aos escrtórios de controle de passaporte do lado paraguaio.

EMERGÊNCIA - SAÚDE - POLICIAMENTO

Precisa-se de vacinação anti-malária. É aconselhável a vacinação contra febre tifóide, tuberculose e o tétano. Não beber água da toneira nem comer alimentos crus. Para emergências médicas e policiais pedir ajuda nas recepções do hotéis.

CORREIOS E TELEFONIA

O correio é acessível e barato no escritório principal de Assunção. Para chamar o Paraguai deve-se marcar 00-595 mais prefixo da cidade, seguido do número desejado.

FOTOGRAFIA

O material fotográfico é mais caro e de menor qualidade, por isso aconselhamos viajar com o material necessário.

HORÁRIO COMERCIAL

A maioria das lojas abrem das 7 da manhã e fecham às 13 horas, o horário para descanço é das 12 às 15 horas, principalmente nos meses de verão. Logo mais tarde fecham novamente às 19 horas. Os bancos abrem das 7 às 10:30 horas no verão e de 7 às 11:30 horas no inverno.

GORJETAS

Em alguns estabelecimentos inclui 10% do total da conta, em relação aos serviços. Sem dúvida, a maioria dos prestadores de serviços esperam por alguma coisa. Se está satisfeito com o serviço recebido aconselhamos a dar gorjeta.

TAXAS E IMPOSTOS

Existe uma taxa de aeroporto.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

A República do Paraguai tem fronteiras com Bolívia, Brasil e Argentina e ocupa uma superficie de 400.000 quilômetos quadrados.

A capital, Assunção (com perto de 500.000 habitantes), localiza-se a beira do rio Paraguai que divide o país em duas regiões: a Região Oriental e o Charco Boreal também conhecido como a Região Ocidental.

FLORA E FAUNA

Sem dúvida nenhuma o rio Paraguai o terceiro mais extenso da América e que divide o país em duas zonas muito diferenciadas é o centro de todo o ecossistema.

Ao oeste do Chaco (o outro rio de importância do país), localiza-se uma extensa zona árida ocupando mais da metade do território do país. Pelo contrário no leste onde concentra-se a maior parte da população as terras são férteis inclusive em determinadas áreas podem ser vistos bosques de tipo subtropical, conretamente no curso do Rio Paraná, que marca a fronteira com Brasil e Argentina.

A fauna do Paraguai é muito diversa e rica, abundante em mamíferos (destacando onças e antas), répteis (como a cobra constritor) e aves.

HISTÓRIA

Primeiros Habitantes

Antes do descobrimento da América o Paraguai estava habitado pelos índios Guaranis, que povoaram certas zonas dos Andes e as márgens do rio Amazonas.

Os meio de vida eram a caça, a pesca e a lavoura para conseguir alguns alimentos. Quando chegaram os espanhóis em 1524 ficou fundada a cidade de Assunção e transformou-se no centro do poder hispânico no sudeste de América do Sul.

A Época Colonial

Durante o século XVII grande parte da população guaraní fugiu para os bosques não ficando sobre o domínio dos espanhóis, embora os jesuítas convenceram muitos para que ficassem nas missões.

Ali 150.000 índios costruíram as suas moradas, trabalhando a terra, fazendo artesanato e instrumentos musicais tradicionais. Mesmo asssim, ficou proibido a troca de dinheiro dentro do território de caráter religioso.

Com o tempo as organizações do norte foram prosperando, situação que não agradou aos coronéis. Tanto o poder econômico quanto o religioso ameaçaram a sua autoridade e a situação tomou outro sentido. As comunidades foram saqueadas e alguns índios voltaram de novo para a selva.

A Independência

Em 1811 Paraguai declarou-se independente. Os primeiros ditadores do Paraguai tentaram tirar o país do subdesenvolvimento evitando a ajuda do estrangeiro.

Durante um tempo foi considerado um dos paises com mais índice de analfabetismo de América Latina e avançava a passos gigantescos no setor econômico. Por não ter o Paraguai acesso ao mar, as suas exportações dependiam dos paises vizinhos, que aproveitavam a circunstância, o que revertiu, com a intervenção britânica, em sérios conflitos tanto internos como externos. Em 1852, os brasileiros derrubaram o ditador Rosas e penetraram no Paraguai. Isto provocou a guerra da Tríplice Aliança, que este país lutou contra Argentina, Uruguai e Brasil. Ao final da guerra quase toda a população paraguaia estava exterminada.

Vários ditatores chegaram ao poder até 1954, em que Alfredo Stressner ocupou o cargo supremo do país. Stressner praticou um regime brutal e repressivo, sempre dependente dos Estados Unidos. Finalmente, depois de muitos anos a pressão interna acabou com o regime, tomando a direção o general Andrés Rodríguez. A partir de então, a situação econômica melhorou a passos lentos e produziu alguma reforma, a nível político. No ano de 1993 foi eleito presidente, de forma democrática, Juan Carlos Wasmosy, que deu um certo impulso ao desenvolvimento do país.

ARTE E CULTURA

Se tem alguma coisa a destacar das manifestações culturais do Paraguai esta é a sua música. Apesar de suas origens encontrarem-se nos rítmos espanhóis, com certas influências africanas e brasileiras, a música paraguaia cativa de imediato a quem escutar. A guitarra junto com o arpa, são os principais istrumentos. Entre os compositores de importância distingue-se Agustín Barrios (falecido em 1944), com obras únicas e de grande qualidade e composiçao.

Quanto a dança tem que ressaltar as célebres polkas e a dança da garrafa chamada assim, pois os dançantes levam uma garrafa – ou copo com água – em suas cabeças.

A literatura sem desprezo para outros grandes literatos, tem o seu melhor representante no escritor Augusto Roa Bastos.

As últimas propostas da arte, escultura e pintura, podem ser admiradas em algumas das galerias, especialmente em Assunção. As obras de teatro vão em cena com relativa frequência.

Flora e Fauna

Sem dúvida nenhuma o rio Paraguai o terceiro mais extenso da América e que divide o país em duas zonas muito diferenciadas é o centro de todo o ecossistema.

Ao oeste do Chaco (o outro rio de importância do país), localiza-se uma extensa zona árida ocupando mais da metade do território do país. Pelo contrário no leste onde concentra-se a maior parte da população as terras são férteis inclusive em determinadas áreas podem ser vistos bosques de tipo subtropical, conretamente no curso do Rio Paraná, que marca a fronteira com Brasil e Argentina.

A fauna do Paraguai é muito diversa e rica, abundante em mamíferos (destacando onças e antas), répteis (como a cobra constritor) e aves.

LOCAIS TURÍSTICOS

ASSUNÇÃO

Perto de 500.000 habitantes é a capital do Paraguai. Houve um tempo em que esta cidade foi a mais importante do sul do continente, porém decaiu pela sombra de Buenos Aires. A influência da colônia espanhola ainda deixa-se ver nas ruas e prédios, especialmente nas zonas perto do rio. Como lugares dignos de serem visitados destacamos o Jardim Botânico, muito próximo de Assunção. Ali, pode-se ver insetos, cobras e outros animais e plantas. Na zona do centro tem que destacar a Catedral e o Palácio do Governo, onde pode-se desfrutar umas boas vistas do rio; a Casa de Cultura Paraguaia em um belo edifício do século XIX; a Casa da Independência, que é o edifício mais antigo da capital e o Museu do Barro, com o melhor da arte moderna.

OS ARREDORES DE ASSUNÇÃO

Para quem dispõe de pouco tempo nada melhor que acercar-se a Itauguá, onde pode adquirir os famosos ñanduti (tecidos feitos por mulheres do Paraguai) e os centros de lazer de San Bernardino e Areguá todos localizados no Lago Ypacari.

Ao oeste localiza-se Caacupé o mais importante centro religioso do Paraguai e o Parque Nacional Ybycuí onde pode-se ver impressionantes bosques pluviais.

ENCARNAÇÃO

Frente a cidade argentina de Posadas, a beira do Paraná, Encarnação é o melhor ponto de partida para descobrir a interessante Reducción Jesuíta de Trinidad, a 20 quilmetos do noroeste da cidade. Em San Ignacio de Mini, também há outra importante ruina.

Para os amantes do ferrocarril tem uma locomotiva de 1870 na estação. Por último, o Mercado do Ferry oferece outra boa distração. Ali pode-se hospedar em qualquer um dos hotéis colindantes. Esta cidade conecta-se com Posadas mediante uma ponte para pedestres.

CONCEPÇÃO

É uma cidade ao norte de Assunção as márgens do rio Paraguai. O mais interessante desta cidade é o mercado, no que pode-se adquirir artigos muito curiosos.

PEDRO JUAN CABALLERO

Marca o limite entre Brasil e Paraguai, porém nao há fronteira propriamente dita, já que o limite consiste em cruzar uma rua a Ponta Porã. Em geral, a cidade nao oferece muitas possibilidades ao turista. Mas se desejar pernoitar, poderá dirigir-se ao Hotel Eriuzo; é caro mas conta com um bom restaurante.

A REGIÃO DO CHACO

A região do Chaco é uma zona aonde prevalece uma importante população indígena.

FILADÉLFIA

É a principal cidade do centro do Chaco. O melhor é ver a atividade da cidade e escutar as histórias dos seus habitantes. Aqui se encontra uma importante comunidade de menonitas, emigrados do Canadá (as outras localidades aonde pode-se ver a este seguidores das doutrinas de Memmo Simón são Loma Plata e Neu Halbstad, onde também se pode adquirir belos trabalhos indígenas).

NOVA AUSTRÁLIA

Trata-se de uma antiga colônia australiana onde respira-se um ambiente tranquilo. Poderá desfrutar das melhores comidas no campo e conhecerá gente que desfruta do tempo de forma pausada.

GASTRONOMIA

A gastronomia paraguaia oferece um inúmero de pratos gostosos e deliciosas sobremesas. A comida típica é preparada com produtos frescos e naturais, ja que é costume consumir o que coleta-se no dia. Podem-se encontrar durante todo o ano gostosas frutas frescas.

A carne junto com os pratos "subtropicais" são os mais comuns. No Paraguai encontra-se excelentes pratos preparados com milho e mandioca. Aconselhamos provar o locro, a maazmorra e o baipy, um puré quente de milho e pedaços de carne. Quanto as sobremesas não tem melhor que o baipy he, uma deliciosa mistura de milho e leite. "mate", bebida quente preparada con ervas do mesmo nome consome em quantidades industriais.

COMPRAS

O artesanato paraguaio apresenta claramente a influência das tradições guaranis e espanholas. Encontrará o Ñanduti ou tela de aranha ou chamado também "tela do Paraguai", tecido feito à mão e desenvolvido especialmente em Itauguá, muito perto da capital. Também pode se encontrar nas pòpulações de Yatayty, Altos, Ypacaraí e Carapeguá.

O Aó Po'I é um tecido de tela fina, de trama completamente apertada, no que se bordam com linhas finas motivos vegetais. Em ocasiões incluem-se figuras feitas com "ponto de cruz". O principal centro é a cidade de Yatayty.

Com a lã se produz ponchos o "charas" de lã grossa ou "paraí" de lã fina, redes, faixas, chales, aperos, reboços, cobertas, bolsas, mantas e tapetes. Os melhores lugares para este tipo de compra são Carapeguá, Piribebuy e o Departamento de Missões.

Quanto o artesanato indígena tem a destacar as cestas, chapeús, porta-copos realizados com fibras naturais como a plama, coco, junco, palha ou cipós. Perto de Lipio, nas lojas dos índios Maká podem-se adquirir preciosos trabalhos feitos com penas.

Outro dos artigos mais procurados são os trabalhos em couro, talhados em madeira, instrumentos musicais, ourivesaria e olaria (estas últimas combinam elementos como o cacho de vaca, madeiras finas com ouro ou prata.

POPULAÇÃO E COSTUMES

Paraguai tem uma população de aproximadamente 5 milhões de habitantes os quais 95% são mestiços. As línguas oficiais são o espanhol e o guaraní. A maior parte da população é católica (97%), no entanto o resto se reparte entre menonitas e protestantes.

Se alguma coisa pode diferenciar os paraguaios do resto dos habitantes da América do Sul é a sua particular visão do tempo, na que as coisas são tomadas com toda calma. Não desespere se perceber um certo "desenfado", é que os paraguaios são pessoas para os quais o tempo não supõe um conflito essencial.

ENTRETENIMENTO

Paraguai é um paraíso para os amantes das atividades ao ar livre ou para quem procura turismo alternativo ou atividades ecoturísticas. Recomendamos as excursões a pé, especialmente na zona de Ybycui e o Parque Nacional Cerro Corá. O melhor lugar para a pesca e o camping é Villa Flórida, onde também pode-se nadar e praticar certos esportes aquáticos. Para quem busca recuperar a saúde, nada de melhor que procurar as águas do Lago Ypacarí.

Para quem gosta de expedições, o recomendável é realizar uma viagem pela região do Chaco, providos do necessário e em quantidades suficientes.

FESTIVIDADES

1 de Janeiro, 1 de Março, 4 e 5 de Abril, 1 e 14 de Maio (Dia da Independência), 12 de Junho, 15 de Agosto e 25 de Dezembro.

TRANSPORTES

Avião

As Linhas Aéreas Paraguaias operam cinco vôos semanais entre Buenos Aires e Assuncão, assim como alguns pontos do norte do país e da Região do Chaco.

Terra

Tem ônibus e trem que vão de Assunção a Buenos Aires e a Posadas. Também, pode-se viajar em ônibus desde a cidade argentina de Porto Iguassú até Porto Stroessner. No interior do país achará muitos ônibus que ligam as principais cidades.

Em Assunção e nas principais localidades encontrará muitos ônibus urbanos e táxis. Nestes últimos é conveniente combinar o preço, antes de iniciar o trajeto.

Fonte: www.rumbo.com.br

Paraguai

O Paraguai é um país da América do Sul.

A capital é Assunção.

A principal religião é o Cristianismo.

As línguas principais são o Espanhol e o Guarani.

O Paraguai conseguiu sua independência da Espanha em 1811.

Na desastrosa Guerra da Tríplice Aliança (1865-70) - entre o Paraguai e a Argentina, Brasil e Uruguai - o Paraguai perdeu 66% de todos os homens adultos e muito do seu território. O país estagnou economicamente para o próximo meio século. Após a Guerra do Chaco de 1932-35 com a Bolívia, o Paraguai ganhou uma grande parte da região da planície do Chaco. Os 35 anos de ditadura militar de Alfredo Stroessner terminaram em 1989 e, apesar de um aumento acentuado na luta política nos últimos anos, o Paraguai tem realizado relativamente livres e regulares eleições presidenciais desde então.

A área hoje ocupada pela República do Paraguai já foi o centro da enorme porção sul do continente da América do Sul conhecida como região do Río de la Plata, ou River Plate. Desde o forte Espanhol de Nuestra Señora de la Asunción, expedições de exploradores partiram para estabelecer assentamentos permanentes em Buenos Aires, Santa Fé, Corrientes, e outras cidades Argentinas. Mais tarde, quando as colônias da América do Sul pretendiam derrubar o domínio Espanhol, foi em Assunção que alguns dos gritos mais antigos e mais fervorosos pela independência emanaram. Durante 200 anos, o Paraguai foi o centro da civilização que cresceu na parte sul da América do Sul, um lugar importante em influência e poder.

Hoje o Paraguai - bastante reduzido, tanto na dimensão e no âmbito de influência - é uma pequena nação interior de apenas cerca de 157.000 milhas quadradas (407.000 km²). Completamente cercado por vizinhos maiores e mais fortes, o país está a cerca de 1.000 milhas (1.600 km) do litoral mais próximo. Sua história desde a independência tem sido marcada por guerras devastadoras e debilitantes lutas internas. Mas os Paraguaios estão orgulhosos de sua herança. A memória do seu grande passado, juntamente com os esforços determinados do presente, mantêm a promessa renovada para o futuro.

Terra

O Paraguai é completamente cercada por três países: Argentina, Brasil e Bolívia - todos os três deles consideravelmente maiores do que o Paraguai.

O único acesso do isolado Paraguai ao oceano é por meio do sistema dos Rios Paraná-Paraguai, que ele compartilha com os vizinhos Argentina e Brasil. O Rio Paraguai flui sul até que ele se junta ao Rio Paraná. O Rio Paraná, então, flui para o estuário do Rio da Prata, que separa a Argentina e o Uruguai e deságua no Oceano Atlântico.

A maioria do Paraguai está na zona temperada. Durante os meses de primavera e verão (Outubro a Março), as temperaturas em Assunção variam de 70 ° a 90 °F (21 ° a 32 °C). Durante o outono e o inverno (Abril a Setembro), o intervalo é de cerca de 50 ° a 70 °F (10 ° a 21 °C).

Cortado ao meio pelo Rio Paraguai, que corre no sentido norte-sul, o país está dividido em duas seções que são geograficamente muito diferentes umas das outras. A parte leste, chamada Región Oriental, é de longe a mais produtiva das duas, e a maioria das cidades e quase 90 por cento das pessoas estão concentradas lá. Uma área rolante montanhosa, cortada por rios e riachos, e sem montanhas excessivamente grandes para impedir a comunicação, a Región Oriental é verdadeiramente o centro da república. Novas fronteiras estão sendo abertas para o Brasil por meio de estradas relativamente novas no leste. A zona rural que faz fronteira com o Alto (superior) do Rio Paraná é de uma beleza inigualável e atrai muitos turistas todos os anos.

A flora da seção oriental é extremamente rica e colorida. Algumas árvores - tais como o lapacho, com suas flores roxas, e o ceiba - parecem brilhantes e colossais bouquets quando florescem na primavera. Uma grande variedade de pássaros tropicais, mamíferos e répteis - papagaios, tucanos, onças, macacos, queixadas, veados e muitos tipos de cobras - habitam as regiões arborizadas da Región Oriental. Jacarés, a carnívora piranha, e inúmeras variedades de peixes vivem nos rios.

No lado ocidental do Rio Paraguai estendem-se as planícies monótonas, quentes e úmidas da região do Chaco. Uma extensão do Pampa da Argentina, e possivelmente o leito de um antigo mar, as planícies cobrem a maior parte da região ocidental. Os rios salobros do Chaco causam um problema de água que tem impedido a fixação de um grande número de pessoas, e o solo é geralmente argiloso e difícil de irrigar.

Partes do Chaco são pontilhadas com palmeiras, cactos, e florestas de árvores de madeira de lei.

Durante o verão, muitas vezes há fortes chuvas, e já que não há inclinações ou ladeiras para drenar a água, vastas áreas se tornam pântanos intransitáveis; no inverno, o inverso é o caso: há pouca chuva, e a terra, com exceção de alguns brejos permanentes, torna-se rachada e poeirenta. Somente na área próxima ao Rio Paraguai a vegetação e o ambiente geral são semelhantes aos da Región Oriental, e lá enormes rebanhos de gado são criados.

Cidades

Assunção

A maioria das áreas metropolitanas do Paraguai estão na Región Oriental. A maior, a mais antiga, e de longe a mais importante cidade Paraguaia é Assunção, a capital. Maravilhosamente situada numa série de colinas em uma curva do Rio Paraguai, Assunção, com seus telhados vermelhos e árvores coloridas e flores, é uma mistura agradável de um primeiro estabelecimento colonial e de uma metrópole do século 21.

A capital é também o maior centro de transporte e industrial do país, e o tráfego criado por suas sempre crescentes atividades comerciais está rapidamente superando as estreitas ruas centrais. Das cidades vizinhas de San Lorenzo, Luque e Fernando de la Mora, milhares de pessoas se deslocam para a capital diariamente. Assunção é a casa das duas universidades do Paraguai. Há também o Museu de Godoi, o teatro municipal, e o Palácio do Governo.

Outras cidades

A cidade colonial de Villarrica está localizada a menos de 100 milhas (160 km) de Assunção. Agora, um centro têxtil e de fabricacão de calçados, o seu belo altar antigo e catedral atraem muitos turistas. Encarnación, capital do departamento de Itapúa, e Concepción, capital do departamento do mesmo nome, são centros manufatureiros e ferroviários.

População e Economia

Quando os primeiros exploradores Espanhóis chegaram à porção central do continente Sul-americano no século 16, os Índios que encontraram não eram os hostis Incas ou Quechua do norte, mas os Tupi-Guaranis. Os Guaranis habitavam grande parte da região que se estende desde a Venezuela de hoje até o Río de la Plata na Argentina e no interior tão longe quanto o Paraguai. Guerreiros e industriosos povos seminômades, eles foram finalmente subjugados pelos colonizadores, e com eles os Espanhóis foram logo aprendendo a cultivar o milho e a mandioca e a se protegerem dos Índios menos amigáveis que muitas vezes cruzavam o Rio Paraguai para saquear culturas e assediar os assentamentos.

Lado a lado, os Espanhóis e Guaranis cultivavam seus campos e colhiam suas colheitas. Juntos, eles estabeleceram assentamentos e se casaram, e no início dos primeiros anos difíceis, houve uma grande mistura entre os dois grupos. Como resultado, os mestiços, os descendentes dos Espanhóis e os Índios, logo constituíram a maior parte da população.

Durante o século 17, os Jesuítas da Espanha estabeleceram suas missões no Paraguai sobre uma ampla área, que incluía o nordeste da Argentina, o Uruguai e o sul do Brasil. Apenas um pequeno número das missões estavam dentro dos limites do atual Paraguai. Os Jesuítas converteram os Índios ao Catolicismo Romano e os ajudaram a estabelecer as reducciones, ou assentamentos comunais, onde a eles foram ensinadas as maneiras dos Espanhóis.

Ambos os assentamentos comunais e os Índios prosperaram. Mas a presença dos Jesuítas criou dissensão entre os proprietários de terras da Espanha, que se ressentiam de seu crescente poder. A rivalidade crescente entre os latifundiários e os sacerdotes convenceram a coroa Espanhola que os Jesuítas ameaçavam a paz da colônia, e eles finalmente foram expulsos do território em 1767.

Durante os próximos 200 anos, outros grupos de colonos trouxeram suas culturas e costumes para o Paraguai. Começando no século 19, grupos de imigrantes Europeus - principalmente da Itália, Alemanha e Espanha - vieram para o país. Na década de 1920, vários milhares de colonos Menonitas da Europa e do Canadá estabeleceram-se em partes da região do Chaco.

O legado dos Guaranis aos seus descendentes Paraguaios deu ao país a sua qualidade especial. De fato, hoje o Paraguai é um país bilíngüe. As línguas Guarani e Espanhol são igualmente usadas e igualmente respeitadas. Na verdade, ambas são línguas oficiais. Dialetos indígenas são falados em outros países Sul-americanos, muitas vezes por uma grande porcentagem da população. Mas em nenhum outro lugar no continente uma segunda língua é utilizada de forma tão extensa. Os estrangeiros que se instalam no país geralmente aprendem a falar ambas as línguas, e os periódicos são impressos em ambas. Este bilingüismo é um fenômeno único entre os países da América Espanhola.

Modo de Vida

A maioria dos Paraguaios estão engajados na agricultura. No entanto, o padrão de propriedade da terra está entre os mais desiguais do mundo, e as demandas pela reforma agrária estão aumentando. Muitas famílias de agricultores vivem em áreas isoladas. Então, eles não podem tirar proveito da educação primária gratuita oferecida pelo governo. Mas mais escolas estão sendo construídas nos bairros periféricos. Mais professores estão sendo treinados. E as esperanças para uma população melhor educada estão aumentando.

As culturas mais importantes que os Paraguaios crescem, além da mandioca e do milho, são o algodão, cana e frutas cítricas. A pecuária é extensiva. Grandes quantidades de carnes e couros são exportados. O tanino, um produto utilizado na curtição do couro e na fabricação de tintas e corantes, é obtido a partir da seiva de uma árvore que cresce na região do Chaco do país. A árvore é chamada quebracho (da palavra Espanhola para "quebrador de machado"), e sua madeira é tão pesada que ela afunda na água.

O petitgrain, um extrato oleoso utilizado no fabrico de perfumes e aromas, vem dos caules, folhas e frutos cozidos e secos de uma variedade de árvore laranja-amarga. O chá Paraguaio, chamado yerba maté, é uma bebida popular em vários países Sul-americanos. Ele é feito das folhas secas de uma planta Paraguaia comum. Muitos agricultores Brasileiros se mudaram para as regiões fronteiriças para cultivar a soja. Em 2008 o Paraguai se tornou o quarto maior exportador mundial de soja.

Os Paraguaios urbanos vestem-se muito da mesma maneira como as pessoas na maioria das áreas metropolitanas do mundo ocidental. Nas regiões rurais, algumas mulheres ainda usam o typoi tradicional, uma blusa de algodão costurada cruzada no pescoço aberto. Suas saias são usadas sobre saias engomadas, e seus rebozos, ou xales, são coloridos e bordados.

Alguns homens usam largas bombachas, ou calças completas, que são familiares em muitas áreas da América do Sul. Seus ponchos e fajas (cintos) são muitas vezes marrons, branco e azul (as cores nacionais do Paraguai), e seus chapéus de abas largas são aparados com flores coloridas. Em seus pés, eles usam sandálias com o solado de cânhamo chamadas alpargatas.

Os Paraguaios e seus vizinhos Argentinos provavelmente consomem mais carne do que qualquer outro povo do mundo. Um pão chamado chipá e um delicioso pão chato tipo bolo chamado mbeyú - ambos feitos de farinha de mandioca - são especialidades do Paraguai. A sopa paraguaia, o prato do feriado que todos os Paraguaios amam, é um delicioso pudim de queijo e milho cozido. Nas cidades, os alimentos Europeus, especialmente os da Itália, são populares.

As mulheres Paraguaias são famosas por seu requintado bordado à mão. A renda que elas fazem, chamada ñanduti (significando "teia de aranha" em Guarani), é conhecida em todo o mundo. O ñanduti é um laço delicado, que durante gerações tinha sido feito apenas em branco. Nos últimos anos ele tem sido produzido em uma variedade de cores para atrair um mercado ainda maior. A cidade de Itauguá (Itaguá), a cerca de 20 milhas (32 km) de Assunção, é o principal centro de rendeiras do país.

Como na maioria dos países Católicos, o Natal, a Sexta-feira Santa e outros feriados religiosos são celebrados em casas e igrejas. Em 8 de Dezembro, na festa da Imaculada Conceição, milhares de fiéis de todo o país participam de uma peregrinação à cidade de Caacupé, onde uma estátua da Virgem é venerada.

Música, Literatura e Arte

A dança nacional do país é a polca Paraguaia. Seus passos animados e galopantes são muitas vezes realizados com o acompanhamento de acordeão, harpa, e guitarra. No início dos anos 1930s, uma nova música - a recatada e nostálgica guarania nasceu. Muitas das melodias mais conhecidas da guarania, baseadas em músicas antigas, foram escritas pelo compositor José Asunción Flores.

Provavelmente por causa de seu isolamento e de suas lutas internas e externas, o Paraguai não teve a oportunidade de desenvolver uma grande tradição literária e artística. Os Índios Guaranis, agricultores produtivos ao invés de artesãos criativos, deixaram menos tesouros artísticos do que os Índios de alguns dos outros países Sul-americanos; e com exceção de um pequeno número de igrejas e prédios do governo, poucos grandes monumentos sobreviveram do período colonial.

Um dos exemplos notáveis restantes é a igreja colonial em Yaguarón, com suas portas magnificamente decoradas e o altar. Os Índios que criaram as bonitas esculturas foram ensinados por padres Espanhóis.

Os escritores e artistas do Paraguai começaram a ganhar reconhecimento além das fronteiras do país. Dois autores que exerceram grande influência na literatura atual foram Cecilio Báez e Juan O'Leary. Alguns escritores, como Julio Correa, escreveram em Guarani, enquanto outros - os novelistas Gabriel Casaccia e o falecido Augusto Roa Bastos, por exemplo, escreveram em Espanhol.

Como em muitos outros países Sul-americanos, a poesia floresce no Paraguai. Os principais expoentes desta forma de arte incluíram Herib Campos Cervera, Josefina Plá, e o poeta-crítico Hugo Rodríguez Alcalá. Herman Guggiari é provavelmente o mais conhecido dos escultores do Paraguai. O paisagista Jaime Bestard também ganhou grande aclamação.

História

No início do século 18, os Paraguaios começaram a crescer inquietos pela independência, e, em 1721, um grupo de comuneros de Assunção, ou "moradores", liderados por José de Antequera y Castro, encenou a primeira insurreição. Quase um século depois, em 1811, o Paraguai ganhou finalmente a sua independência há muito procurada, não só da Espanha, mas também do Vice-reinado do Río de la Plata. O Vice-Reino do Rio da Prata originalmente incluía o que hoje constitui os países da Argentina, Uruguai, Paraguai e seções da Bolívia.

Como uma república independente, o Paraguai teve uma história turbulenta. Em 1814, um governante despótico chamado José Gaspar Francia estabeleceu uma ditadura. Francia se chamava El Supremo, e ele governou com mão de ferro. Ele estava obcecado com a manutenção da independência de seu país a qualquer custo, e sacrificou tudo para esse fim. Depois de executar ou prender seus inimigos, ele isolou o Paraguai. Nenhuma comunicação com o mundo exterior foi permitida por mais de 20 anos. Nenhum produto moderno poderia ser importado, nenhuma idéia atravessou as fronteiras do país, e a educação foi completamente ignorada. Quando Francia andava pelas ruas, todos evitavam a sua presença, por medo de ser baleado ou preso.

Francia conseguiu sufocar o povo e reprimir o livre pensamento tão completamente que um dos raros visitantes ao país, exclamou: "Ele silenciou tudo, incluindo a guitarra, a companheira constante dos Paraguaios". El Supremo morreu em 1840, e durante vários dias o povo supersticiosamente se recusou a reconhecer a sua morte com medo que o poderoso ditador reaparecesse em carne e osso.

Após um breve período após a morte de Francia, um governo liderado por dois cônsules foi estabelecido. E uma constituição que previa um presidente e um congresso foi promulgada. O primeiro presidente eleito sob a nova Constituição era nomeado Carlos Antonio López. Quase tão ditatorial como o seu antecessor, López, no entanto, provou ser progressista em muitos aspectos. Ele abriu o país ao comércio internacional e induziu técnicos estrangeiros para vir ao Paraguai para treinar seus concidadãos. Ele enviou estudantes para a Europa, organizou escolas, e construiu a primeira estrada de ferro do país.

López governou o Paraguai durante 20 anos; em sua morte, ele foi sucedido por seu filho, o General Francisco Solano López. Infelizmente, o filho não tinha a moderação de seu pai. E ele superestimou sua habilidade e a capacidade de seu país. Impressionado com o poder militar que tinha visto em uma visita Europa, ele voltou com a idéia de fazer o Paraguai o país mais forte do Vale do Rio da Prata. Suas ações criaram a disputa com o Brasil que resultou na Guerra da Tríplice Aliança. A aliança entre o Brasil, a Argentina, e o Uruguai superava em número os Paraguaios quase em 10 para 1. Quando a guerra de cinco-anos terminou em 1870, centenas de milhares de Paraguaios - quase a metade da população - tinham perdido suas vidas. López caiu ferido na batalha final. Hoje ele é considerado um herói nacional.

A paz trouxe consigo os enormes problemas de estabilizar o país devastado pela guerra. Mal tinha o Paraguai começado a mostrar sinais reais de progresso quando o conflito com a Bolívia entrou em erupção em 1932 sobre a posse do Chaco. Quando a chamada Guerra do Chaco chegou ao fim em 1935, a região do Chaco permaneceu como parte do Paraguai, e a disputa de fronteira foi resolvida. Mas milhares de Paraguaios haviam morrido, e o país estava perto do colapso.

Após a guerra, o Paraguai foi submetido a duas décadas de instabilidade política. O governo mudou de mãos muitas vezes. O Partido Colorado finalmente emergiu como o grupo dominante, e os partidos políticos dissidentes foram suprimidos. Em 1954, o General Alfredo Stroessner foi eleito para a presidência. Ele exerceria um poder quase absoluto durante os próximos 35 anos. Ao final dos 1980s, vozes dissidentes estavam começando a serem ouvidas em toda parte. Nas eleições, os partidos de oposição foram ineficazes contra os Colorados em exercício, embora o ativismo da Igreja Católica Romana anti-Stroessner alimentasse as demandas crescentes para acabar com a ditadura.

Em 3 de Fevereiro de 1989, Stroessner (que morreu em 2006) foi deposto em um golpe que deu ao seu segundo em comando, o General Andrés Rodríguez, a presidência. A recusa de Rodríguez para perdoar os envolvidos nas atrocidades dos direitos humanos e sua investigação transparente contra a corrupção generalizada do governo foram elogiadas tanto em casa como no exterior. Em 1991, ele assinou um acordo de livre comércio (Mercosul) com o Brasil, a Argentina e o Uruguai.

Em 1993, Juan Carlos Wasmosy ganhou as primeiras eleições multipartidárias diretas do Paraguai para um presidente civil desde a independência em 1811. Seu sucessor, Raúl Cubas Grau, renunciou em Março de 1999 para evitar o impeachment durante uma luta de poder dentro do exército e do Partido Colorado. Luis Gonzáles Macchi, em seguida, chefiou um governo multipartidário de unidade nacional até as eleições de 2003. Elas foram conquistadas pelo candidato do Partido Colorado Nicanor Duarte Frutos. O candidato da oposição Fernando Lugo da Aliança Patriótica pela Mudança ganhou as eleições presidenciais de 2008. Sua inauguração, em 15 de Agosto de 2008, marcou o fim de seis décadas de governo do Partido Colorado.

Governo

A Constituição de 1967 deu poderes consideráveis para o presidente e reservou dois-terços de todas as cadeiras legislativas para o Partido Colorado. Ela foi alterada em 1977 para permitir que o presidente servisse um número ilimitado de mandatos. A nova Constituição, em vigor desde 22 de Junho de 1992, prevê um presidente e um vice-presidente eleitos por sufrágio direto e limitados a um mandato de cinco-anos. Os membros do legislativo também são eleitos diretamente.

Pablo Max Ynsfran

Fonte: Internet Nations

Paraguai

Capital: Assunção

Idioma: espanhol e guarani

Moeda: guarani

Clima: savana e tropical úmido

Fuso horário (UTC): -4 (-3)

Pontos turísticos

Missões Jesuíticas

Ruínas das antigas cidades jesuíticas da época da colonização espanhola, algumas cidades ainda conservam a arquitetura típica dessas construções, quando padres jesuítas vieram catequisar os índios e ocupar terras da coroa espanhola

Fonte:www.geomade.com.br

voltar 123456avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal