Breaking News
Home / Turismo / Bielorrússia

Bielorrússia

História

PUBLICIDADE

A Bielorrússia ou Belarus foi habitada desde tempos pré-históricos, e os primeiros assentamentos registrados datam do século 6.

Os príncipes de Kiev governaram a Bielorrússia até a invasão dos mongóis em 1240, quando maioria das cidades foram destruídas.

A região veio sob o controle dos potentes lituanos e, em 1386, sob a dinastia lituano-polonês de Jagiellonian. Durante séculos, os poloneses e os moscovitas lutaram amargamente pelo Belarus.

Em 1772, Catarina, a Grande ganhou o controle sobre parte do país, e, por volta de 1795, a Rússia decidiu ficar com a Bielorrússia.

Bielorrússia

Durante os séculos 19 e 20, o país tornou-se novamente um Campo de batalha europeu.

Napoleão passou por Bielorrússia –Belarus e lutou em 1812. Os alemães também lutaram contra os soviéticos em bielorrusso território da Primeira Guerra Mundial

Embora a República Socialista Soviética da era proclamada em janeiro de 1919, continuou lutando com a Polônia até 1921.

Belarus sofreu grandes perdas na Segunda Guerra Mundial, quando cerca de 2,2 milhões habitantes morreram.

O período do pós-guerra viu um renascimento significativo – especialmente na esfera econômica.

Em 25 de agosto de 1991, Belarus declarou sua independência da União Soviética.

Fonte: colegiosaofrancisco.com.br

Bielorrússia

A RÚSSIA BRANCA

A época imperial na que os Czares dominavam a Rússia resplandesce em nossa memória graças aos luxos das cortes.

Bielorrússia foi, ao longo da história, um dos países mais importantes da recém nascida Comunidade de Estados Independentes (CEI). Esta mixtura entre Oriente e Ocidente é, talvez, o maior atrativo da Bielorrússia.

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Passaporte em vigor com uma validez mínima de 6 meses e imprescindível visto que pode-se obter nas representações diplomáticas do país. É necessário contar com uma carta de invitação já sea de um organismo oficial ou privado.

Podem-se introduzir não país 1.000 cigarros ou 1.000 gr. de tabaco picado, 1/2 litro de bebidas alcoólicas ou dos litros de vinho e uma quantidade razoável de perfume. Estão absolutamente proibidas as armas de fogo, as drogas e a exportação de antigüidades e animais vivos.

CLIMA

Clima continental com temperaturas extremas tanto no verão, calorosas, como no inverno, muito frias. As chuvas são abundantes.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Recomenda-se levar roupa de algodão e calçado cômodo, uma capa de chuva, bom abrigo e repelente contra os insetos (para os meses mais quentes).

IDIOMA

O idioma oficial é o bielorrusso. Também fala-se o russo.

RELIGIÃO

A maioria da população é cristã (católicos e ortodoxos russos). Também existem muçulmanos e judeus.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica é de 127/220 volts a 50 Hz.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é o Rublo Bielorrusso. Pode-se cambiar nos bancos, nos hotéis e nos escritórios autorizadas.

EMERGÊNCIA – SAÚDE – POLICIAMENTO

Não se precisa nenhuma vacina nem certificado médico para entrar no país. É aconselhável não beber água do torneira nem tomar alimentos sem cozinhar.

É aconselhável levar uma farmácia bem preparada com analgésicos, antiestamínicos, antidiarréicos, antibióticos, antisépticos, repelentes para insetos, loções calmantes contra mordidas ou alergias, vendas, tesouras, pinças, termômetro e seringas hipodêrmicas.

É recomendável viajar com um seguro médico e de assistência. Para emergências médicas ou policiais se deve solicitar ajuda nas recepções dos hotéis ou no consulado ou embaixada mais próximos.

CORREIOS E TELEFONIA

Em todos os hotéis existe um serviço de correios onde podem adquirir-se os selos. Costumam dispor de serviço de telégrafos. Para telefonar pode fazê-lo desde o quarto do hotel que normalmente tem serviço direto, melhor do que fazê-lo desde os locutorios internacionais, pois comunicar com a Espanha é bastante complicado e deve pedir a chamada com antecedência. Para chamar a Bielorrússia se deve discar 00-7, seguido do prefixo da cidade e do número do assinante.

FOTOGRAFIA

Pode-se fazer todo tipo de fotografias ou filmes de vídeo em qualquer lugar sempre que não esteja proibido, através de cartões. Não pode-se fotografar ou filmar indústrias ou locais militares. Se deseja tirar fotos no interior de um estabelecimento público ou a pessoas desconhecidas, peça permissão antes.

Seguro de que aceitaram gostososamente. É preferível levar os rolos de fotos ou a filme de vídeo desde Espanha pois o sistema que eles empregam é distinto e se, não lhe fica mais remédio que utilizá-los procure revela-los, antes de sair do país. É imprescindível comprar também as pilhas para os flashes, pois é difícil encontra-las.

HORÁRIO COMERCIAL

Os estabelecimentos comerciais costumam ter o mesmo horário que os europeus e, exceto algumas lojas de alimentação, todas fecham no domingo.

GORJETAS

Proibidas durante o regime comunista, voltando a instaurar-se desde a criação da CEI. Considera-se de bom gosto deixar uma gorjeta, que pode ir entre 5% e 10 % do total das faturas. Os carregadores costumam ver com bons olhos umas quantas moedas, por maleta e, é costume dar gorjeta também às camareiras do hotel.

TAXAS E IMPOSTOS

Existe uma taxa de aeroporto.

FLORA E FAUNA

Dentro da zona européia da Comunidade dos Estados Independentes pode-se encontrar distintos tipos de vegetação e de fauna, devido aos distintos climas que encontram-se na região.

Ao norte, desde o golfo de Finlândia até os Urais, se desprega a famosa taiga com extensos bosques de pinhos, abetos, larício, freixos, álamos tembladores e bétulas. As temperaturas são quentes no verão, 16 graus centígrados e extremas no inverno com abundantes chuvas, alcançando os 15 graus centígrados abaixo de zero. A fauna desta zona é rica e variada com o urso, o lince, o lobo, a marta, a raposa comum e a cibelina como máximos representantes, junto a um inacreditável leque de espécies de aves.

Mais ao norte, na zona banhada pelo Glacial Ártico, a taiga deixa passo à tundra com seus permanentes gelos, nos quais o solo pode crescer, quando o verão está em seu apogeu, com uns 6 graus centígrados, musgos, líquens e árvores anãs, como as bétulas.

No inverno as temperaturas extremas que atingem inclusive os 40 graus abaixo de zero tornam muito difícil a sobrevivência que, sem dúvida, conseguem alguns roedores como o leming, a lebre polar, a raposa cibelina, o glotão, algumas aves e animais domésticos como a rena.

Ao sul da taiga encontramos as terras negras. É a zona mais fértil do país e está considerada como o celeiro da Rússia, pois embora os invernos continuem sendo duros, os verões são mais quentes, com frequentes precipitações.

É zona de cereais e de espécies herbáceas e halófilas. Esta zona contrasta com o sul, onde é necessário a irrigação artificial para conseguir alguma colheita, intensifica ainda mais à beira do mar Cáspio, onde os terrenos se convertem em semi desertos.

Para desfrutar plenamente com a fauna e a flora da CEI pode-se visitar alguns dos 140 zapoved-niki, parques e reservas de interesse nacional que nasceram em tempos da União Soviética, perante a necessidade de preservar as espécies em extinção, que tinham sobrevivido ao ataque incontrolado dos caçadores.

ARTE E CULTURA

A arte e a cultura da Comunidade dos Estados Independentes está fortemente marcada pelo regime comunista, que manteve unificados os critérios em todo o território (no fim deste apartado, encontrará uma lista sugestiva de museus para apreciar a arte da região).

Até o desaparecimento da URSS, pode-se diferenciar os seguintes períodos:

Da pré-história ao bizâncio

Neste período destacam os restos dos escitas e dos gregos que encontram-se na Península de Crimea.

Arte bizantina

A partir do século X a influência bizantina deixa-se sentir, em toda a rua de Kiev e Novgorod. Começa a literatura e a arquitetura propriamente russas. As construções substituem a madeira como elemento fundamental, pelo concreto.

As edificações religiosas seguem o exemplo de Santa Sofia de Constantinopla, de grande tamanho com preciosas cúpulas e fortes pilares para sustentar o peso e, com uma preferência especial pela verticalidade imposta, talvez pelo clima, pois as grandes nevadas necesitavam serem verticais para sustentar o peso.

Com o passar dos anos se tende a uma maior simplicidade nas formas. As influências ocidentais se misturam com as orientais. Aparecem os afrescos, mosaicos e os magníficos íconos, que pretendem descobrir o misticismo frente à realidade palpável.

Moscou

A importância desta cidade durante os séculos do XV ao XVIII, ficou plasmada na arte dessa época. Voltam à madeira, como principal suporte, pois sua utilização procedia tradicionalmente da Rússia Central. As construções são realizadas para deixar constância do poder dos governantes, seguindo as linhas mais tradicionais da arquitetura russa. Uma boa mostra são as igrejas votivas. Percebe-se as influências do Renascimento italiano e do barroco francês.

São Petersburgo

Com o translado da capital a esta cidade, também o epicentro artístico varia durante o século XVIII. As duas chaves da arquitetura deste período seriam simples e funcional em uma primeira parte, deixando passagem à morte de Pedro I, à grandiosidade e a decoração abundante com claras influências barrocas e rococós.

A Academia das Artes

Catalina II decide criar a Academia das Artes, na que os jovens russos com talento, podiam desenvolver plenamente sua educação. Os frutos não tardariam em chegar. Pintores da talha de Rokotov, Levicki e Briullov, entre outros, sairam dela.

Ao longo do século XIX a pintura russa consegue sair dos moldes rígidos da Academia e, embora não fosse fácil, começariam a desenvolver outros temas, como as cenas campesinas de Venecianov.

Os intelectuais e artistas se unem para acabar com o monopólio artístico da Academia, criando a Assossiação de Exposições Itinerantes que leva a arte a todo o país. A este grupo pertencem talentos como os de Perov, Kramskoi, Miasoedov, Savrasov, Dostoievski, e Tolstoi, entre outros.

A arte soviética junta os critérios artísticos em serviço da funcionalidade. O metrô, uma estação de trens ou uma indústria pode ser uma autêntica obra de arte.

Em pintura foram reprimidos em um primeiro momento, os movimentos abstratos, como o praticado por Maevich, dando passagem, ao realismo puro de Nesterov, Mashcovou Guerasimov, em pintura ou a Merkurovou Komenkov, em escultura.

A literatura russa é conhecida mundialmente, por autores da talha de Pushkin, Godol, Turguénievou Benediktov e Tiuchev, em poesia. Especial importância tem tido o realismo de Tolstoi e Dostoievski a finais do século XIX.

Em nosso século Chejov, Bunim e Gorki, em novela, Briusov, Ivanov e Block, em poesia, Comboiosiov, Zamjatim e Ivanov, em teatro e Evreinov, Stanislavski e Tairov nas vanguardas. Durante o governo de Stalim se produziu um sério retrocesso, devido à censura existente que finalizou, com sua morte e pouco a pouco foram aparecendo novas vozes dessidentes, com o sistema soviético, Ehrenburg, Nekrasov, Kazakov e Amalrik, entre outros.

A música russa tem tido excelentes compositores nos seus bens. Balakirev, Cui, Musorgski, Borodim e Korsakov, como seguidores dos regras mais tradicionais. influênciados pelo ocidente destacam Rubinstein, Chaikovski, Rajmaninov e Liapunov.

Revolucionários e originais Stravinski, Prokofiev, Kabalievski e Jachaturiam entre outros. Não podemos esquecer a bailarinos, tão maravilhosos, como Nureyev saidos da escola do Teatro do Bolshoi ou filmes tão importantes para a história do cinema, como “O Acorazado Potenkim”.

Os artistas russos que pretendiam sair-se da norma foram censurados continuamente. Muitos deles decidiram exilar-se a países ocidentais, sobretudo, os Estados Unidos, onde podiam desenvolver sem dificuldades o imenso caudal criativo, que levavam em seu interior, hoje em dia ressurgem timidamente novos movimentos, embora ainda sem muita força.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

A Bielorrússia é limitada ao oeste pela Polônia, ao noroeste pela Lituânia e Letônia, ao norte e nordeste pela Rússia e ao sul pela Ucrânia. Antes de sua independência era conhecida como a Rússia Branca. A Bielorrússia tem uma população de 10.360.000 habitantes aproximadamente, com seis estados e tem sua capital em Minsk.

O território é pelo geral plano e ondulado, a exceção das colinas, no centro do país. A Bielorrússia é percorrida pelo Dniéper e o Dvina Ocidental, cujos afluentes são utilizados para o transporte de madeira. No sul localiza-se a chamada Polésia, uma zona de pântanos dominada por pequenos montes arenosos, alguns cobertos de bosques de pinhos.

A agricultura é uma das atividades mais importantes, cultivando-se beterraba, lino e batata.

A criação da Comunidade dos Estados Independentes (CEI), em 1991 supôs a reorganização tanto geográfica, como política da antiga União Soviética. A CEI extende-se atualmente ao longo de 22, 100, 900 quilômetros quadrados, dos quais 5, 269, 100 são europeus e o resto asiáticos. A parte européia, deixando de um lado as repúblicas caucásicas, está formada por Bielorrusia com 207.600 quilômetros quadrados, Ucrânia com 603.700 e Rússia com 4.238.000.

A CEI européia está separada da asiática pelos Urais, cadeia montanhosa de mais de 2.000 quilômetros quadrados, que extende-se desde o mar de Kara até a depressão carcásica. O nível de erosão desta cadeia montanhosa é muito avançado, pois sua antigüidade se remonta em algumas zonas até o Paleolítico.

Dividem-se em Polares, Setentrionais nos que encontra-se a montanha mais alta do sistema, a Narodnaja com 1, 895 mt. Centrais e Meridionais. Ao oeste dos Urais encontramos uma enorme planície, cuja origem procede das glaciações quaternárias e que conforma o território natural de Rússia e Ucrânia. Também podemos encontrar outras montanhas nos Cárpatos Orientais, na república Ucraniana, cujo pico mais alto é o Goverla, com 2061 metros e, dividindo o Mar de Azov do Mar Cáspio, o Cáucaso.

A bacia fluvial é muito abundante e costuma ser navegável. Habitualmente os distintos rios se comunicam através de canais. Os mais importantes são o rio Dniéster, 1, 350 quilômetros, o Dinéper, 2, 200 quilômetros, o Volga, 3, 530 quilômetros, e o Ural com 2, 430 quilômetros Também são abundantes os lagos como o Ladoga com 18, 400 quilômetros quadrados, o Onega com 9, 610, o Rybins com 4, 100 e o Peipus com 3,550 quilômetros.

História

Os restos arqueológicos encontrados na zona datam do Paleolítico. Desde a pré -história, a Comunidade dos Estados Independentes tem sido um terreno habitual de passagem entre oriente e ocidente.

Têm encontrado restos de escitas, sármatas do século VII aC. godos e hunos no III dC. e membros de tribos eslavas que, no século VII, consiguem fazer, com o território que hoje ocupa, o centro de Rússia e embora tem mantido até nossos dias, tiveram que lutar com czares e vikings, que também obtiveram sua parte do terreno.

Os Eslovenos

Perante a chegada dos vikings, os eslovenos se uniram criando, no século IX, seu próprio domínio desde o que se extenderam a Kiev, ocupando as atuais Bielorrusia, Ucrânia e parte de Rússia. A Rus de Kiev foi adquirindo cada vez mais poder vencendo os czares, chegando inclusive a ameaçar o Império Bizantino.

No ano 988, a Rússia se converte ao cristianismo, propiciando o aproximamento com os estados europeus e a criação de uma autêntica cultura russa, herdeira da eslava, do alfabeto cirílico, que segue funcionando em nossos dias e das influências de Bizâncio, que decai ostenssivelmente, a partir de 1054, quando se rompem as relações entre Roma e o Império Bizantino. Esta ruptura consiguiu que o isolamento fosse maior potenciando as relações interiores entre Igreja e Estado, durante o governo de Yaroslav o Sábio. Depois do seu falecimento, se produziu uma fragmentação do poder e do território.

A Presença dos Tártaros e os Czares

Outras cidades tomam o relevo sendo Vladimir a mais importante e, desde a que se empreende a união do território russo. O príncipe governante em Vladimir, Yuri Dolgoruki, é o fundador de Moscou, no ano de 1156.

As lutas entre os russos favoreceram a invasão dos tártaros, que se instalaram em Saraj. Moscou foi um fiel aliado dos invasores, pelo que consiguiu aumentar seu poder, além de que sua situação geográfica influiu, pois se encontrava no centro, pelo que passavam todas as rotas comerciais com Ásia.

Este apoio finalizou no século XV, em que Moscou derrota às forças tártaras, se anexa Novgorod, deixa de pagar o tributo ao Kam e reconquista os terrenos ocupados pelos lituanos.

Uma vez consolidado o território, era necessário consolidar a economia, assim os camponenses tinham que pagar cada vez mais impostos e em troca obtinham leis, que concediam cada vez menos direitos, em favor de seus senhores, chegando a converter-se em servos da gleba.

Por outra parte, os governantes deixaram de lado à antiga aristocracia, para outorgar a propriedade das terras aqueles homems, que não duvidaram em combater a seu lado, acabando assim, com as heranças.

Ivan III se autoproclamou Czar no século XVI, convertendo seu reinado no último bastão ortodoxo do mundo. Seu sucessor Ivan IV, conhecido mundialmente como O Terrível, conseguiu consolidar o poder autocrático dos Czares de maneira indiscutível através de contínuas guerras e de um acaso, contra os boyardos, membros da antiga aristocracia. Com sua morte, Moscou se encontrava seriamente debilitada, em todos os aspectos.

A sucessão de Ivam o Terrível deu lugar a numerosos conflitos internos, que não se resolveram até 1613, com o nomeamento de Mijail Romanov, cujos descendentes governaram Rússia, até 1917.

Durante este período os camponenses empenharam ainda mais sua condição, se conquistou Sibéria, anexaram parte de Ucrânia e Kiev, se produziram múltiplos conflitos bélicos e religiosos e se incrementou a abertura para ocidente da mão de Pedro I o Grande, de uma maneira absolutamente sanguinária.

No interior do país se promulgaram leis, que condenavam com a morte aquelas pessoas, que não vistissem roupas ocidentais ou não aparassem suas barbas e, desapropiaram a maior parte dos bens da Igreja ortodoxa.

Transladou a capital do estado a uma cidade recentemente criada, São Petersburgo. Com a morte do Czar em 1725, chegou o conhecido, como reinado das Czarinas, que supôs, uma volta às tradições, supôs a consolidação da Rússia, como potência mundial.

O século XIX

O século XIX se inicia com o nomeamento de Alexandre I como Czar. Foi ele, quem consiguiu vencer a invasão das tropas de Napoleão, em 1812, graças ao duro inverno russo.

Seus sucessores continuaram com as guerras expansionistas, enquanto no interior, a parte de uma tentativa de abolir a servidão da gleba, por parte de Alexandre II que morreu assassinado, a situação se deteriorava cada vez mais. A princípios do século XX se sucedem as lutas revolucionárias, que obrigam a Nicolás II a outorgar uma constituição, em 1906. Ao estourar a Primera Guerra Mundial, Rússia se alia com Inglaterra e França, desde o primeiro momento, sofrendo a invasão de Polônia pelas tropas alemãs.

O Comunismo e a Segunda Guerra Mundial

Em 1917 se inicia a Revolução Russa que acabou, com o poder dos czares e a transformação do país na União de Repúblicas Socialistas Soviéticas. Com a morte de Lenim em 1924, a economia sofre um forte retrocesso, enquanto que o governo passa a manos da troika, Kamenev, Zinoviev e Stalin.

Este último consegue fazer-se com o poder, expulsando os outros dois membros da troika. Durante este período a economia russa se revitaliza através de uma forte industrialização, posta em marcha do primeiro plano quinquenal e a estabilização da relações diplomáticas, que culminaram com sua entrada na Sociedade de Nações, em 1934.

De 1936 a 1938 Stalim realiza uma minuciosa depuração do regime, acabando com qualquer mostra de dissidência para seu labor, leva a cabo o II plano quinquenal e põe em marcha o III, que é interrompido pela invasão alemã na Segunda Guerra Mundial, que ao finalizar divide o poder político mundial em dois bandos: Estados Unidos e Rússia, iniciando-se a Guerra Fria.

Depois da morte de Stalin

Com a morte de Stalim em 1953 a diplomacia russa adquire uma importância enorme, cujo objetivo é conseguir a coexistência pacífica das potências. Não foi fácil, entre outros incidentes o muro de Berlim, em 1961 e a crise de Cuba, em 1962, estiveram a ponto de ocasionar uma guerra que teria efeitos catastróficos.

Com a chegada de Brezhnev, em 1964, se inicia uma intensificação de relações com outros países do Leste, seguindo a linha marxista mais pura. A situação mundial se tensiona cada vez mais, China começa um processo de abertura para o capitalismo que não gosta nada à URSS, a invasão do Afeganistão, provoca uma séria crise com Estados Unidos, que se agrava ainda mais, com a instalação em 1983 dos primeiros mísseis em solo europeu, para potenciar a política de força comandada pelo Presidente Reagan. Andropov e Chernenko continuam na mesma linha, mas com a chegada ao governo russo de Gorvachov em 1985, tudo começa a mudar.

O princípio da mudança

Os presidentes russo e norte americano, Gorvachov e Reagan, se reunem por primeira vez, em Genebra, em novembro de 1985.

Os frutos se percebem claramente, no interior da União Soviética se produz uma clara abertura, assim como, uma menor pressão, para o resto dos países do Leste, no exterior as relações diplomáticas com ocidente melhoram notavelmente, culminando com a assinatura da eliminação dos euromísseis e a retirada das tropas russas do Afganistão.

Porém, esta abertura não foi fácil para Gorvachov, múltiplas críticas do setor mais reacionário, movimentos independentistas em distintas repúblicas e o Golpe de Estado falido de 1991, que acabou com a proibição do Partido Comunista da União Soviética, diminuiu notavelmente, sua credibilidade no interior do país, a favor de Boris Yeltsin, atual presidente russo. Gorvachov demitiu-se no dia 15 dezembro de 1991, criando-se o dia 21 desse mesmo mês a Comunidade dos Estados independentes.

A CEI está composta por 11 repúblicas da antiga URSS: Armênia, Azerbaiyão, Bielorrusia, Kazajstán, Kirguizistán, Moldavia, Rússia, Tadzhikistán, Turkmenistán, Ucrânia e Uzbekistán. Nos acordos de constituição todas elas cediaram a Rússia o controle do armamento nuclear estratégico e Bielorrusia e Ucrânia assinaram o Tratado de Não Proliferação Nuclear, comprometendo-se a eliminar as armas nucleares de seu território. A situação da CEI não está ainda claramente definida, com uma economia francamente deteriorada e problemas políticos sérios na Rússia, tudo está ainda no ar.

LOCAIS TURÍSTICOS

Bielorrússia conta com belas cidades providas de grande riqueza cultural, com numerosas igrejas e museus, interessante artesanato, impressionantes estações naturais com uma fauna e flora variadas e bosques de pinhos e pântanos, especialmente no sul.

O que há para ver em Bielorrsúsia é Minsk, a capital do país e as cidades de Mogilev, Gomel, Vitebsk, Orsha e Grodno.

GASTRONOMIA

A gastronomia da Comunidade dos Estados Independentes é realmente maravilhosa, com uma grande variedade de ingredientes e sabores e uma preparação muito cuidada. Atualmente, devido ao grave problema econômico que sofrem os restaurantes, têm problemas para abastecerem-se das matérias primas para cozinhar, mas ainda assim, podem desfrutar de uma boa comida em um ambiente acolhedor.

A gastronomia da CEI sabe misturar o melhor da cozinha oriental e ocidental. Não costumam oferecer pratos de digestão pesada, nem de sabor picante, mas a mistura de sabores agridoces é realmente magistral.

Os habitantes da CEI costumam comer copiosos desjejuns, nos que junto à tradicional papilla de sémola, kasa e o delicioso iogurte, pode-se encontrar carne, peixe e ovos; para beber café, chá e leite.

Dependendo do trabalho, a comida principal pode ser feita ao meio dia ou pela noite, porém, em qualquer caso, pode considerar-se um autêntico banquete. Para começar, as famosas entradas entre os que não faltarão o caviar e os blimis, tortas de milho, com arenques em uma molho de nata azeda, estes por si só, já poderiam servir de comida completa para um europeu, mas para um russo, um ucrâniano é, simplesmente um aperitivo.

Depois se servem as densas sopas, prove a de beterraba e a de verduras, são deliciosas. Na continuação os pratos fortes. Em relação a carnes pode-se desfrutar de bovino, novilho, vitela, enquanto que a caça tem uma preparação excelente com molhos maravilhosos de sabores suaves, que compensam perfeitamente o sabor das perdizes e faisões.

Em respeito aos peixes, o salmão e o esturião são os mais conhecidos, mas também encontram-se variedades de peixes de água doce de sabor maravilhoso. Como pratos típicos de peixe destacam o relheno, ao papilloteou em gelatina, embora seja comido assado, não se sentirá defraudado.

Como sobremesa pode comer queijos, como o tvorog, uma espécie de requeijão ou o zelenyisyr, queijo verde muito picante, cremosos iogurtes, tortas, mousses gelados elaborados artesanalmente que destacam-se pela sua variedade.

Bebidas

Para acompanhar esta abundante comida se costuma beber vodka muito fria, kvas, uma espécie de cerveja doce feita de malta de cevada, centeio e muito açúcar. Se você prefere o vinho encontrará excelentes na Ucrânia, Moldaviaou Geórgia e várias espumosas, conhecida como sampanskoe.

Também pode-se beber a cerveja local. Como licores destacam o conhaque armênio, a nevoduja, aguardente envelhecida com álcool e vodkas de ervas, limão ou vinhos antigos.

O café russo é de boa qualidade e pode –se comer, como o irlandês, somente que em lugar de whisk se acrescenta vodka. O chá é feito com uma colherada de geléia de framboesa, que lhe dá um sabor muito especial.

O que Comer

Se decidir ir jantar em um restaurante, é necessário que tenha em conta o seguinte: há que fazer reserva para poder desfrutar da mesa tanto tempo que deseje e ter muita paciência, pois pode esperar bastante tempo até conseguir sentar-se para desfrutar dos estupendos manjares. Em troca receberá um excelente serviço, enquanto saboreia a comida que estará amenizada na maioria dos restaurantes, por uma orquestra de qualidade. Lembre-se que costumam fechar às 24 horas e, não esqueça de deixar uma gorjeta de 5% a 10% do total da fatura, se ficou plenamente satisfeito. Não é obrigatório, mas é habitual.

COMPRAS

Pensar na Comunidade dos Estados Independentes e querer comprar ali, é certo que lhe vem à cabeça três coisas: vodka, caviar e matrioskas.

Efetivamente, em qualquer ponto poderá encontrar estes três produtos. As matrioskas formam parte do artesanato tradicional do talhado de madeira tão típico do centro da planície européia da CEI.

Pintados com alegres cores, entre os que primam o vermelho e o amarelo, tirar umas de dentro de outras e coloca-las por tamanho é um bom entretenimento para os crianças, além de um formoso adorno para qualquer casa.

Se comprar caviar, seja vermelho ou negro, assegure-se de sua qualidade e lembre-se que só poderá passar pela alfândega 400 gramas, apresentando as faturas. Com respeito a vodka informe-se das marcas, pois no mercado encontra-se desde a de maior qualidade até autênticas “matarratos”. Também se oferecem aromatizados com distintas ervas, limão e inclusive pimentas.

O artesanato do CEI oferece uma mostra realmente impressionante, esplêndidos lacados sobre madeira, em móveis como mesas e escritórios ou em pequenas caixas de desenhos realmente bonitos, esmaltes de grande qualidade, miniaturas maravilhosas, peças de imexorável vidro, os famosos relógios russos de grande tamanho, delicadas porcelanas de acabado perfeito.

Menção a parte valem as balalaikas, instrumentos musicais de forma triangular, os preciosos xadrez de madeira, os chales bordados de alegres cores, as encantadoras camisas ucrânianas com bordados e ribetes, os produtos realizados em pasta de papel entre os que se podem encontrar broches, piteiras, etc, adornadas com a temática dos contos russos tradicionais e todos os artigos de pele e couro, abrigos de vison, gorros de raposa ártica, cintos e sapatos de excelente qualidade. Também pode-se adquirir aromáticos perfumes de embriagadores aromas.

As repúblicas da CEI destacam-se pela sua maravilhosa joalheria. Pode-se adquirir delicadas figuras de malaquita, colares em prata ou em ouro, com brilhantes e pedras preciosas, braceletes de âmbar, broches de selenita e todo tipo de marfins.

A cerâmica costuma estar adornada em cores branca e azul, as mais conhecidas são as de Gzel. Também pode-se encontrar livros antigos, discos de música clássica dos melhores compositores russos, selos, gravados e, claro, preciosos íconos. Lembre-se que não pode exportar obras de arte anteriores a 1975, sem permissão especial outorgado pelo Ministério da Cultura.

As compras podem ser feitas em lojas nas que se paga em rublosou nas Berioska, lojas que só admitem moeda estrangeira e que estão especializadas em oferecer aos turistas qualquer produto artesanal. Os horários costumam ser os mesmos que no resto da Europa. Alguns comércios costumam abrir aos domingos.

Não esqueça de guardar todas as faturas, pois as autoridades aduaneiras podem solicitá-las.

POPULAÇÃO E COSTUMES

Os habitantes da Comunidade dos Estados Independentes são pessoas acolhedoras, hospitaleiras e risonhas, apesar dos duros históricos, que tem sofrido, este povo é de talanto nobre e sabe encarar os maus tratos, com um impressionante otimismo.

O clima, tão frio no inverno, tem reforçado o caráter familiar da sociedade. Quando as grandes nevadas tornam muito difícil o trânsito por ruas e estradas, tanto os russos como os Ucrânianos, se ficam em casa com as conversações, a rádio e a televisão, como entretenimentos.

A leitura também ocupa um lugar importante em suas preferências, de feitio, este povo está considerado desde há tempo, como um povo culto. Porém, as cidades não se vêm completamente vazias, sempre há movimento de pessoas envolvidas em pesados abrigos e calçados forrados que vão de um lado a outro e não duvidam um instante antes de manter uma conversação com um conhecido apesar do frio.

Os lugares de lazer, encontram-se repletos de gente com vantagens de passar bem. Com a mudança política, a noite tem vida própria. Nesta sociedade se madruga muito e se vai à cama muito tarde, assim, é certo de que dormirá muito pouco, se decidir seguir o ritmo.

É necessário ter em conta que um turista ou viajante sempre é considerado como uma boa fonte de informação sobre política exterior, costumes distintos e nível de vida. Curiosamente o estrangeiro não é o que mais observa nesta sociedade, a curiosidade é outro componente essencial do caráter deste povo.

Apesar de sua amabilidade e simpatia, talvez influenciados pelo clima e as transformações políticas, os habitantes da CEI são reservados, não lhe contarão facilmente sua vida, mas responderão as perguntas de um modo correto, com uma hábil troca de conversação.

Também têm fama de ser teimosos e é melhor não discutir com eles. As mulheres e os homems estão plenamente equiparados. O regime comunista não admitia diferenças e com a mudança política esta característica se tem mantido.

Os jovens têm um grande sentido de humor e é fácil relacionar-se com eles. De fato, “paquerar” é um dos alicientes da movida noturna destas cidades, isso sempre de uma maneira sana e correta. As mulheres neste aspeto também, têm se igualado aos homens.

A difícil situação econômica que atravessam tem levado a algumas pessoas ao desespero mais absoluto. O álcool tem sido a única resposta a seus problemas, pelo que não é estranho ver algumas pessoas embriagadas na rua. Recorde que está muito mal visto fotografá-los.

Também é muito frequente ver longas filas nos comércios, embora os turistas não as padecem, porque existem lojas destinadas a eles. Os habitantes da CEI, passam muitas horas nelas, mas em lugar de desesperar-se aproveitam para relacionar-se e conversar com outras pessoas. São realmente pacientes.

Também são muito respeituosos com os costumes alheios, talvez, porque desde tempos remotos têm convivido, com homems e mulheres de distintas culturas.

É importante respeitar os seus: nas igrejas os homems devem tirar os chapéus e gorros, as mulheres devem levar cobertos os ombros e nas ortodoxas, as senhoras não podem usar calças compridas. Nos transportes públicos é habitual ceder o assento aos anciãos, crianças e mulheres. Por último recorde que ninguém se senta nas escadas, umbrais, valas e sobretudo, na relva.

ENTRETENIMENTO

Se gosta de caminhar, as amplas avenidas e as formosas praças são um marco incomparável para respirar o verdadeiro movimento desta cidade e observar o comportamento de seus moradores. Também os espaços verdes oferecem um entorno muito agradável e cuidado onde dar um bonito passeio.

Além do xedrez pode-se desfrutar com esportes como o futebol, o basket, o atletismo ou a natação.

Os cafés têm merecida fama. Costumam estar decorados com um gusto excelente e na maioria de eles pode-se comer alguma coisa leve enquanto se escuta a música mais variada. Os bares também são um centro de reunião habitual para os habitantes.

FESTIVIDADES

A primeira celebração importante que celebram os habitantes da Comunidade dos Estados Independentes cavalga entre a última noite do ano, que se acaba e, o primeiro do recém estreiado. A Noite Velha, o dia 31 de dezembro, igual que na Espanha, se reunem família e amigos em copiosas ceias e alegres bailes.

No dia seguinte todas as casas despertam com as risadas e a ilusão das crianças. Por fim tem chegado a festividade da Ika, o Ano Novo, denominado assim, porque em todas as praças de todas as cidades, assim como, em todos os domicílios particulares há um precioso abeto (elka) repleto de adornos e luzes de cores.

É o dia dos presentes. O Ded Moroz (Avó Gelo) e Snegurocka (Copo de Neve), deixam os presentes para todos os membros das famílias com especial atenção às crianças.

Conta a lenda que Copo de Neve foi enviada ao bosque, para que fora devorada pelos lobos, pela sua malvada madrastra. Seus pérfidos desejos se viram desbaratados pelo Avó Gelo, que salvou à jovem que, desde então, vive feliz em sua companhia.

O dia 8 de março celebra-se o Dia da mulher trabalhadora. Neste dia as flores aparecem em todas as ruas e praças em homenagem a mães, esposas, noivas, filhas e amigas que nesse dia são tratadas com todo carinho e cheias de atenções pelos varões em reconhecimento a seu labor e valor.

Nos dias 1 e 2 de maio os habitantes da CEI saem às ruas, para comemorar a Festividade do Trabalho. Igual que em outros muitos países, incluido Espanha, se convocam manifestações populares, nas que os trabalhadores são os protagonistas.

Este mesmo mês, no dia 9, celebra-se o Dia da Vitória, com impressionantes desfiles do exército russo, que constituem todo um espetáculo. Em outubro, no dia 7, se comemora o Dia da Constituição. Estas festividades oficiais celebram-se em toda a Comunidade dos Estados Independentes. Fecham-se todas as instituições públicas e também as empresas privadas, indústrias, comércios e bares.

Porém, têm trabalho extra os meios de transporte, pois se produz muito movimento de pessoas que não querem perder os eventos.

Também celebram-se festas próprias de cada república componente da CEI. Os russos celebram o Dia de sua Independência, o dia 12 de junho saindo à rua para contemplar desfiles militares e sobretudo, para reunir-se com familiares, vizinhos e amigos.

As festividades religiosas são muito importantes e existe um amplo leque delas, pois variam dependendo de cada credo. Por exemplo, os ortodoxos se reunem para celebrar o Ano Novo no dia 7 de janeiro, enquanto que os mulçumanos, o fazem em meados de agosto e, os católicos comemoram o nascimento de Cristo nos dias 24 e 25 de dezembro. Porém, existem muitas mais festividades religiosas, armênios, georgianos e hebreus, entre outros, têm suas próprias celebrações.

Cada grupo religioso segue seu calendário pelo que não é estranho encontrar festividades durante todo o ano. Todas elas são muito atrativas, para pessoas de uma cultura diferente e lembre-se que é muito importante mostrar um enorme respeito, por estas celebrações que despertam em seus fiéis sentimentos muito profundos.

O dia 7 de novembro celebra-se o Aniversário da Revolução Russa. Os nostálgicos de tempos passados saem às ruas, para lembrar o triunfo do regime comunista. Nos últimos anos, também se manifistam pessoas sem nenhuma ideologia definida, que pedem uma melhora da difícil situação econômica destes países.

TRANSPORTES

Avião

Existem vôos desde as principais cidades européias para as capitais dos países da Comunidade de Estados Independentes.

Carro

Se vai conhecer Kiev através de um tour turístico, fixado por uma agência de viagens, não terá nenhum problema, mas se decidir fazê-lo em automóvel lembre-se, que deve passar antes por uma agência turística, para indagar as fronteiras de entrada e saída do país que vai utilizar e qual é o percurso previsto. Não terá problemas para alugar um carro, pois existem empresas de aluguél, tanto no aeroporto como nos principais hotéis. Lembre-se que deve fazer a reserva do carro com antecipação.

Transporte Público

No interior das cidades não terá nenhum problema para utilizar o transporte público. Os horários vão desde às 5.30 horas da manhã, até a uma da madrugada.

Embora os indicadores das estações, percursos e linhas estão escritos em alfabeto cirílico a verdade é que não resulta muito difícil manejar-se, sobretudo, no metrô.

As estações do metropolitano estão assinaladas com um M e a passagem é muito econômica. Na entrada encontram-se as máquinas que por uns escassos kopeks lhe permitirão o acesso a um mundo que não deve perder-se.

Se você preferir utilizar o ônibus, o transvia ou os trólebus tenha em conta, que não existe cobrador. As passagens se adquirem em umas máquinas automáticas, que estão instaladas no interior dos veículos ou bem, comprando um talão com o condutor, que perfurará um em cada viagem.

Os táxis são de várias cores; negros, verdes e amarelos, todos eles com uma linha branca e negra nas portas que imita um tabuleiro de xadrez, assim como, uma luz verde no lado direito, por cima do parabrisas.

Funcionam 24 horas do dia e, embora a maioria levam taxímetro o certo é que utiliza-se pouco. O habitual é acordar o preço da corrida antes de empreende-la e, se costuma pagar em dólares. A precária economia das repúblicas da CEI, empurra alguns taxistas a quererem abusar dos turistas pelo que se deve ter cuidado.

Fonte: www.rumbo.com.br

Bielorrússia

Capital: Minsk

Idioma: bielo-russo e russo

Moeda: rublo bielo-russo

Clima: continental úmido

Fuso horário (UTC): +2 (+3)

Pontos turísticos

Hrodna

A mais pitoresca cidade do país, conserva ainda vários prédios históricos, que não foram destruídos durante a 2a. Guerra Mundial, entre eles a Catedral Farny, o Monastério e Igerja Bernardina, e a igreja dos Santos Boris e Hlib. No entanto, o que chama a atenção para essa cidade é seu caráter cosmopolita.

Minsk

Totalmente reconsturída após 1944, é um dos mais típicos exemplos do planejamento soviético, com seus prédios com fachadas monumentais, amenizados por largas avenidas e diversos parques.

Fonte: www.geomade.com.br

Bielorrússia

Nome oficial: República da Belarus (Respublika Belarus’).

Nacionalidade: bielo-russa.

Data nacional: 27 de julho (Data Nacional).

Capital: Polaminsk.

Cidades principais: Minsk (1.725.100), Homyel (503.700), Mahilyow (371.300), Vitsyebsk (358.700), Hrodna (308.900) (1999).

Idioma: bielo-russo e russo (oficiais).

Religião: cristianismo 80% (ortodoxos bielo-russos), outras 20% (1997).

GEOGRAFIA

Localização: centro-leste da Europa.
Hora local: +6h.
Área: 207.600 km2.
Clima: temperado continental.
Área de floresta: 74 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO

Total: 10,2 milhões (2000), sendo bielo-russos 78%, russos 13%, poloneses 4%, ucranianos 3%, outros 2% (1996). 
Densidade: 49,13 hab./km2.
População urbana: 71% (1998).
População rural: 29% (1998).
Crescimento demográfico: -0,3% ao ano (1995-2000).
Fecundidade: 1,36 filho por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 62/74 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil: 23 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: 0,6% (2000).
IDH (0-1): 0,781 (1998).

POLÍTICA

Forma de governo: República com forma mista de governo.
Divisão administrativa: 6 regiões subdivididas em distritos e a capital (Minsk). 
Principais partidos: Comunista de Belarus (KPB), Agrário de Belarus (APB).
Legislativo: bicameral – Casa dos Representantes, com 110 membros eleitos por voto direto para mandato de 4 anos; Conselho da República, com 64 membros (56 eleitos por órgãos locais e 8 indicados pelo presidente).
Constituição em vigor: 1994.

ECONOMIA

Moeda: rublo bielo-russo.
PIB: US$ 22,5 bilhões (1998).
PIB agropecuária: 13% (1998).
PIB indústria: 46% (1998).
PIB serviços: 41% (1998).
Crescimento do PIB: -4,3% ao ano (1990-1998).
Renda per capita: US$ 2.180 (1998).
Força de trabalho: 5 milhões (1998).
Agricultura: batata, beterraba, cereais.
Pecuária: bovinos, suínos, aves.
Pesca: 4,8 mil t (1997).
Mineração: turfa, petróleo, gás natural, sais de potássio.
Indústria: máquinas, produção de energia, química.
Exportações: US$ 7 bilhões (1998).
Importações: US$ 8, 5 bilhões (1998).
Principais parceiros comerciais: Federação Russa, Ucrânia, Alemanha, Polônia, EUA.

DEFESA

Efetivo total: 83 mil (1998).
Gastos: US$ 452 milhões (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

Bielorrússia

Belarus é um país da Europa Oriental.

A capital é Minsk.

A principal religião é o Cristianismo (Ortodoxo).

A língua nacional é o Bielo-russo. A outra língua oficial é o Russo.

Depois de sete décadas como uma república constituinte da URSS, a Bielo-Rússia alcançou sua independência em 1991. Ela reteve mais laços políticos e economicos para a Rússia do que qualquer das outras ex-repúblicas Soviéticas.

Belarus e Rússia assinaram um tratado de uma união de 2-estados em 8 de Dezembro de 1999 prevendo uma maior integração política e economica. Embora a Bielo-Rússia concordasse com uma estrutura para realizar o acordo, a séria implementação do acordo ainda não teve lugar.

Desde sua eleição em Julho de 1994 como o primeiro presidente do país, Aleksandr Lukashenko tem consolidado firmemente o seu poder através de meios autoritários. As restrições governamentais à liberdade de expressão e de imprensa, de reunião pacífica, e de religião permanecem no lugar.

Entre 1922 e 1991, a Bielorrússia foi parte da União Soviética, como uma de suas repúblicas constituintes. Era geralmente conhecida como Bielo-Rússia ou Bielorrússia; em algumas fontes mais antigas, a região também foi ocasionalmente referida como Rutênia Branca. O terço ocidental do atual território da Bielorrússia pertenceu à Polônia de 1920-1939.

Durante os últimos anos do império Soviético, Belarus foi um bastião do Comunismo conservador. Em contraste com os Ucranianos, os Bielorrussos nunca tiveram um forte sentimento de separatividade nacional dos Russos, e, assim, o país ganhou a independência quase contra sua vontade.

No entanto, nos primeiros anos após o desaparecimento da União Soviética, havia uma certa sensação de excitação. Os novos líderes políticos aboliram a censura e derrubaram a proibição de se envolver em empreendimentos privados; vários partidos políticos foram formados; e os jornais independentes e revistas começaram a levar notícias sem censura de todo o mundo.

Então, em 1994, Belarus tomou um rumo regressivo quando em suas primeiras eleições livres nunca realizadas, os eleitores escolheram para presidente Alexandr Lukashenko, um ex-presidente de 40 anos de uma cooperativa agrícola.

Em sua campanha eleitoral, ele cativou o público com a promessa de combater a corrupção pós-Comunista e libertar o país da dominação dos antigos patrões Comunistas. Não demorou muito, no entanto, antes que Lukashenko começasse a comportar-se como um chefe supremo por si mesmo.

Terra

A Bielorrússia é um país sem litoral na Europa Oriental, fronteirando com a Polônia no oeste, Lituânia e Letonia, no noroeste, a Rússia no norte e leste, e a Ucrânia, no sul. O país é geralmente plano; mais da metade da república está em elevações de 660 pés (200 m) ou menos. Vários cumes baixos estão espalhados no centro da república e no norte.

Belarus tem mais de 20.000 córregos e mais de 10.000 lagos. O maior rio é o Dnieper, que flui através da parte ocidental do país. Seu principal afluente, o Pripyat, forma o eixo dos Pântanos do Pripyat (ou Pripet), o mangue mais extenso da Europa, com ricos depósitos de turfa. Outro dos afluentes do Dnieper é o Berezina (Byarezina em Bielorrusso). Em 1812, uma batalha de quatro dias nas margens do Berezina entre tropas Russas e o exército em retirada de Napoleão assinalou o fim da campanha Russa do imperador Francês.

Cerca de um terço da Bielorrússia é coberto por florestas. Na fronteira com a Polonia, encontra-se a Belavezhskaya Pushcha, uma enorme reserva natural que contém um único grande remanescente da floresta virgem Europeia. Esta área é administrada em conjunto com a vizinha Polônia. Dezenas de espécies de aves e mamíferos vivem na reserva, incluindo o único rebanho sobrevivente do bisão Europeu.

Belarus tem um clima continental úmido e relativamente suave, com uma temperatura média de Julho de 64 °F (18 °C). Embora a temperatura média de Janeiro seja de 21 °F (-6 °C), há muitos dias em que o termômetro se mantém acima do ponto de congelamento.

População

Belarus tem uma população de 9,6 milhões de pessoas. Cerca de 80 por cento destes são Bielorrussos, que significa “Russos Brancos”. O nome tem origem na cor da roupa tradicional. As minorias de Belarus incluem Russos, Poloneses, e Ucranianos.

A comunidade Judaica constitui cerca de 1 por cento da população; antes da Segunda Guerra Mundial, os Judeus representavam cerca de 10 por cento de todos os habitantes. A maioria dos Bielorrussos étnicos vivem no campo, enquanto a maioria das minorias vivem em cidades.

Os Bielorrussos pertencem ao grupo étnico e linguístico dos Eslavos Orientais, que inclui também Russos e Ucranianos. Suas línguas muito similares são todas escritas no alfabeto Cirílico. Até recentemente, a maioria das pessoas na Bielorrússia só falava Russo, e ainda hoje, cerca de 25% da população não consegue falar ou escrever Bielorrusso.

O Bielorrusso desapareceu completamente como língua literária entre os séculos 17 e 19, e em sua forma moderna foi padronizado somente após 1918. Houve um renascimento da literatura Bielorrussa durante a década de 1920, mas depois o regime Soviético promoveu o uso do Russo. O mais importante autor do século 20 Bielorrusso (que escrevia em Russo, no entanto) foi Vasil Bykov, cujos romances tratavam principalmente com a Segunda Guerra Mundial.

A maior denominação religiosa é a Ortodoxia Russa, mas há também mais de 1 milhão de Católicos Romanos e ainda menores minorias de Protestantes, Judeus e Muçulmanos.

A capital da Bielorrússia é Minsk, que foi quase completamente destruída durante a Segunda Guerra Mundial. Desde então ela foi reconstruída, e hoje é uma metrópole industrial movimentada de cerca de 1,7 milhões de pessoas.

Alguns edifícios antigos foram renovados, particularmente a catedral Ortodoxa do século 17, mas a maioria da cidade é nova, com ruas largas e muitos parques. Hoje, Minsk é também a capital da Comunidade de Estados Independentes, a confederação que substituiu a União Soviética em 1996.

Perto de Minsk está a infame Floresta Kuropaty, que ganhou as manchetes no final dos 1980s, quando sepulturas em massa de milhares de executados “inimigos do povo” foram descobertas lá. Estas pessoas foram vítimas do “Grande Terror” desencadeado por Stalin no final dos 1930s.

Economia

Pouco mais da metade da força de trabalho de Belarus está envolvida em produzir serviços, incluindo os relacionados com o governo, bancos e finanças, imobiliário, gestão da informação e cuidados de saúde.

Um pouco mais de 33% da força de trabalho está envolvida na manufatura, produzindo máquinas-ferramentas, veículos, produtos eletrônicos e têxteis. O restante trabalha na agricultura. As principais culturas do país incluem grãos, batatas, legumes, beterraba, e linho.

O governo tem repetidamente prometido reformas econômicas. Mas a mudança tem procedido aos trancos e barrancos e o controle central da economia continua apertado. Depois de uma crise econômica no final dos 1990s, a economia começou a melhorar.

Isto foi principalmente porque Belarus comprou petróleo e gás natural da Rússia a preços baixos e depois vendia os produtos a preços de mercado, fazendo um lucro. Em 2006, no entanto, a Rússia começou a elevar os seus preços de energia para a Bielorrússia, com a intenção de trazê-los até níveis mundiais por 2011.

Isto seriamente ameaçou o crescimento economico da Bielorrússia e levou a disputas entre os dois países. No entanto, ambos os países se juntaram com o Kazaquistão em uma união aduaneira (bloco comercial), que entrou em vigor em Julho de 2010.

História

A região da atual Belarus foi colonizada por tribos Eslavas no século 6 A.D., e várias cidades – incluindo Polotsk, Turov, Minsk e Brest – tornaram-se centros de pequenos principados. Do século 14 ao século 16, a área foi controlada pela Lituânia; foi naquele momento que uma distinta comunidade étnica Bielorrussa foi formada.

No final do século 18 A.D., Belarus se tornou parte da Rússia. Alguma industrialização ocorreu no século seguinte, mas no geral a região permaneceu subdesenvolvida. Isto, por sua vez, levou à emigração, principalmente para os Estados Unidos e Canadá, mas também para a Sibéria.

Durante a Primeira Guerra Mundial e logo depois, a Bielorrússia foi um campo de batalha, primeiro entre os exércitos Russos e Alemães, e depois entre os Soviéticos e os Poloneses. Em Janeiro de 1919, uma Bolchevique Socialista Soviética República da Bielorrússia foi proclamada, mas a guerra posterior com a Polônia levou à perda de seu terço ocidental. O Tratado de Riga assinado em Março de 1921 dividiu a Bielorrússia entre a União Soviética e a Polônia.

Pouco depois do ataque Alemão à Polônia no início de Setembro de 1939 que abriu a Segunda Guerra Mundial, tropas Soviéticas entraram na Polonia a partir do leste e ocuparam a região que haviam perdido em 1921.

Os Alemães vieram novamente em Junho de 1941, pululando ao longo de Belarus nos primeiros dias do ataque à União Soviética. Cerca de 200 campos de concentração foram criados na região, e 25% da população morreu durante a guerra.

O vencedor das eleições presidenciais de Julho de 1994 na Bielorrússia foi Aleksandr Lukashenko, que se tornou cada vez mais ditatorial. Em duas eleições manchadas por fraudes, Lukashenko ganhou um segundo mandato de cinco-anos em 2001, e um terceiro em 2006.

Após as manifestações maciças contra a fraude eleitoral em Março de 2006 e da repressão subsequente, a União Europeia (UE) impôs uma proibição de vistos a Lukashenko e mais de 30 políticos da Bielorrússia. Alguns presos políticos foram libertados no início de 2008, e a proibição de vistos foi levantada em Outubro de 2008.

Disputas crescentes com a Rússia pareceram fazer Lukashenko girar em direção ao Ocidente. No entanto, a eleição presidencial de Dezembro de 2010 mostraram que nada havia mudado. Lukashenko foi reeleito com uma vitória esmagadora alcançada por fraudes na contagem dos votos e mais uma vez reprimiu duramente aqueles que protestaram.

Como resultado, a UE e os Estados Unidos restabeleceram as sanções contra o regime. No verão de 2011 os protestos Bielorussos contra Lukashenko tomaram a forma de pessoas se reunindo para ficar de pé no centro da cidade e batendo palmas. Para o homem chamado de “o último ditador da Europa”, mesmo isso era demais. Tais manifestantes foram presos.

Governo

Uma nova constituição foi adoptada pela Bielorrússia em Março de 1994. Alterações aprovadas em um referendo de 1996 aumentaram os poderes presidenciais. O parlamento bicameral tem pouco poder.

Fotos

Bielorrússia
A Catedral Ortodoxa do Espírito Santo em Minsk era uma antiga igreja 
Católica Romana com um mosteiro Bernadine associado. 
O complexo foi construído em estilo barroco de Vilnius a partir de 1642 em 1700. 
Ele é particularmente conhecido por suas maravilhosas ícones antigos

Bielorrússia
Um painel sobre a II Guerra Mundial Monumento na Praça de Minsk da Vitória. 
Um eterno queimaduras chama na base do memorial que foi construído em 1954 para comemorar a guerra do país mortos.

Irina Rybacek

Fonte: Internet Nations

Bielorrússia

Geografia

Onde exatamente é a Bielorrússia?

Belarus está situado no centro da Europa, e tem fronteiras internacionais com cinco países:

Rússia

Ucrânia

Polônia

Lituânia

Látvia

Apesar de um Estado sem litoral, o local tem feito um importante comércio Bielorrússia e rota de transporte entre a Europa e CEI.

A área total da Bielorrússia é mais de 207.000 quilômetros quadrados.

Qual é a capital da Bielorrússia?

Minsk, capital da Bielorrússia, está localizado no centro do país.

Minsk, hoje, é uma cidade moderna internacional. A primeira menção registrada da cidade remonta a 1067.

Ao longo de sua história acidentada, Minsk foi destruído e reconstruído várias vezes, mais recentemente, após a 2 ª Guerra Mundial, quando foi quase completamente destruída.

Mais de 1,8 milhões de pessoas vivem hoje em Minsk. Tem excelentes ligações de transportes, incluindo o aeroporto de Minsk, várias estações de trem principais, a rede de metrô de Minsk, e um sistema viário bem desenvolvido.

Quais são as principais regiões da Bielorrússia?

O país da Bielorrússia está dividida em seis distritos administrativos, cada um centrado em torno de uma grande cidade:

Brest região

Gomel região

Grodno região

Minsk região

Mogilev região

Vitebsk região

Clima e tempo

As temperaturas médias em Belarus:

As temperaturas médias variam entre Bielorrússia. Em Janeiro, as temperaturas médias de -4,5 ° C a -8 ° C.

Em julho, a temperatura média é de 17 ° C a 18,5 ° C.

Algumas partes de experiência Belarus temperaturas abaixo de zero para mais de um terço do ano.

Chuva e neve na Bielorrússia:

Bielorrússia tem uma precipitação média anual de 600-700 mm. 70% da chuva cai de abril a outubro.

Belarus também gosta de 75-125 dias de neve a cada ano, com quedas que variam de 15 a 30 centímetros.

Quando é um bom momento para viajar?

Belarus raramente experimenta os extremos de temperatura que pode tornar a viagem difícil.

Na verdade, se você não se importa com o frio, então ele pode ser muito bonito para se visitar durante os meses de inverno.

Se você preferir uma viagem mais quente, então você deve ir no meio do ano (mas levar um guarda-chuva apenas no caso).

Religião

Religiões na Bielorrússia (não-ortodoxos)

Religião ortodoxa é de nenhuma maneira a religião Bielorrússia.

Muitas outras religiões também estão bem representados no país, incluindo:

Católicos (quase 400 igrejas)

Protestantes (mais de 500 comunidades, incluindo luteranos, mórmons, batistas, calvinistas)

Judeus (mais de 40 comunidades hebraicas)

Muçulmanos (27 comunidades e nove mesquitas)

Há até 25 confissões religiosas na Bielorrússia, o número de montantes comunidades religiosas para mais de 3300 (1 de Janeiro de 2012).

Religião ortodoxa

Ortodoxo é a religião principal da Bielorrússia.

Existem mais de 1000 igrejas ortodoxas na Bielorrússia e um número crescente de claustros estão sendo revivido.

Muitos dos monumentos mais famosos do país e atrações arquitetônicas são inspiradas na tradição ortodoxa.

A liberdade religiosa ea tolerância

O trabalho continua para proteger os diferentes grupos religiosos e igrejas Belarus Belarus, e de se proteger contra a influência de seitas religiosas.

A Minsk Academia Teológica, o primeiro de seu tipo na Bielorrússia, inaugurado em 1995.

História da Arte

Belarus goza de uma rica herança cultural e artística que remonta muitos séculos, levando-se em várias escolas importantes de arte e arquitetura e produção de diversos tamanhos obras musicais e literárias.

Todas as obras sobreviventes estão agora oficialmente protegida pelo Estado, e mostrou para todos a desfrutar em coleções de museus e bibliotecas.

Obras clássicas da música bielorrussa e drama são regularmente encenada em salas de concerto e teatros em todo o país.

Moderna cultura, arte na Bielorrússia é igualmente variada e dinâmica. Existem inúmeras exposições de arte, musicais, peças teatrais e festivais de cinema – que são facilmente acessíveis aos bielorrussos e visitantes.

Fine Art em Belarus

Arte na Bielorrússia varia em direção, estilo e gênero. O trabalho mais cativante por artistas Belarus em diferentes períodos podem ser vistos em museus de todo o país.

A maior coleção de obras de arte estão no Museu Nacional de Arte, que promove ativamente a arte nacional. Exposições de artistas locais são regularmente realizadas aqui. Outros museus de destaque em todo o país são o Museu de Arte de Vitebsk, Mogilev regionais Museu de Arte ea Galeria de Arte Polotsk.

A história da arte na Bielorrússia pode ser rastreada até influências bizantinas, no século 14, que viu o surgimento de iconografia e ilustração manuscrito.

Depois da Revolução de Outubro na Rússia em 1917, o norte da cidade de Vitebsk Belarus se tornou o centro para o movimento devanguarda revolucionária.

Marc Chagall , um dos bielorrussos mais famoso, nasceu em Vitebsk em 1887 e fundou uma escola de arte na cidade.

A vasta coleção do Museu Nacional de Arte em Minsk apresenta os trabalhos de artistas bielorrussos do século 17 ao século 20,bem como 15 do século iconografia.

Música

A maioria das pessoas na Bielorrússia pode jogar pelo menos um instrumento musical, e música no país hoje apresenta uma mistura de estilos e influências.

Espetáculos de música clássica ainda tirar grandes audiências.

Os mais populares são:

Orquestra Presidencial da República de Belarus

National Concert Orchestra da Bielorrússia liderado por Mikhail Finberg

Estado Academic Symphony Orchestra

GR Shirma Estado Acadêmico Coro da Bielorrússia

GI Tsitovich Nacional Coro Académico da Bielorrússia Folk

Chisty banda Gols vocal

Banda Pesnyary

Banda Syabry

Música tradicional e popular ainda tem um grande seguinte na Bielorrússia.

Música pop moderna é cada vez mais popular na Bielorrússia. Bielorrússia tem sido um entusiasmado participante do Festival Eurovisão da Canção desde 2004.

Festivais de música são muito populares na Bielorrússia. O festival internacional de artes eslavo Bazar em Vitebsk tornou-se o símbolo do movimento festival da Bielorrússia. Participar do festival são artistas populares de todo o mundo.

Teatro

Belarus teatro evoluiu de rituais folclóricos e menestréis itinerantes.

Hoje, o país dispõe de uma gama diversificada de teatro e drama:

teatros de fantoches pode ser encontrado na maioria das cidades, e são muito popular entre crianças e adultos

companhias profissionais de teatro são ativos em Belarus, muitos deles que remonta ao início do século 20

ópera – cada grande cidade tem a sua própria casa de ópera

balé tem sido muito popular na Bielorrússia desde o século 18, ea maioria das cidades têm seu próprio ballet, o National Academic Teatro Bolshoi de Ballet da República da Bielorrússia tem uma excelente reputação

Literatura

Livros e literatura têm desempenhado um papel importante entre as artes culturais da Bielorrússia por séculos.

Famosos escritores e poetas da Bielorrússia incluem:

Simeão Polotsky

Yanka Kupala

Yakub Kolas

Maxim Bogdanovich

Vasil Bykov

A turbulenta história do país se reflete nos temas recorrentes de ocupação, guerra e sofrimento na literatura bielorrussa longo dos tempos.

Inaugurado em junho de 2006 em um edifício de oi-tech, a Biblioteca Nacional, em Minsk é a biblioteca de direitos autorais para a República da Bielorrússia. Uma verdadeira fonte de orgulho nacional, que possui a maior coleção de livros de língua russa fora da Rússia.

Dia da Língua Escrita bielorrusso é um feriado anual. O conceito de férias reflete a história da língua escrita e publicação de livros na Bielorrússia, bem como o desenvolvimento da literatura e da cultura bielorrussa em um estágio presente.

2012 declarado Ano do Livro na Bielorrússia.

Culinária

A cozinha

Delicioso e aquecimento, moderna cozinha bielorrusso é uma mistura de dois fatores principais:

Relação das pessoas com os produtos da terra e local

Influências de países vizinhos e colonos migrantes

Por esses motivos, você vai descobrir que comida na Bielorrússia é bastante semelhante ao da cozinha da Rússia, Lituânia, UcrâniaPolônia.

Comunidade Europeia tem também contribuiu muito para moderna comida na Bielorrússia.

Belarus pratos são normalmente à base de legumes e cereais locais, especialmente:

Batatas

Raiz de beterraba

Cogumelos

Bagas

Cevada

Batatas merecem uma menção especial como eles formaram a base de muitos dos pratos da Bielorrússia por centenas de anos.

Os seguintes produtos são populares na Bielorrússia:

Carne de porco, salsichas de porco e salame (kolbasy), gordura de porco e sal

Carne

Frango

Peixe do rio, como a truta, perca, carpa

Leite e produtos lácteos como o queijo branco fresco (tvorog), creme de leite (Smetana), queijos fermentados (siyr)

Acepipes típicos

Saladas são populares na Bielorrússia, em particular:

Salada de repolho

Salada de beterraba

Tomates, pepinos e salada de rabanete jardim

Cebola, alho e verduras (funcho, salsa, coentro e manjericão um) são amplamente utilizados.

Sopas são um favorito firme na Bielorrússia também.

Alguns dos mais populares são:

Sopa de beterraba (borshch)

Caldo

Sopa de repolho (shchy)

Sopa gelada (khaladnik)

Aperitivos frios – rolos de carne, Balyk, presunto, saladas, molhos, etc

Os pratos são geralmente servido com pão de centeio.

Pratos principais

Muitos pratos tradicionais da Bielorrússia são batata base, incluindo:

Bolinhos de batata

Grossas panquecas de batata (draniki)

Torta de batata cozido ralado (babka)

Pratos de batata são muitas vezes recheado ou acompanhado com legumes, cogumelos ou carne.

Outros pratos populares na Bielorrússia incluem:

Guisado de carne de porco (machanka)

Frango recheado

Salsichas de carne picada (zrazy)

Local de ravioli (pelmeni)

Carne ou repolho pastéis (pirozhki)

Sobremesas

Bagas e produtos lácteos são a base da maioria das sobremesas na Bielorrússia.

As escolhas populares são:

Frutas (morangos, mirtilos, amoras)

Sorvete de creme, chantilly

Bolos doces

Vodka

Vodka (harelka) é a principal bebida consumida forte na Bielorrússia.

Vodka é largamente consumido em ocasiões especiais e feriados.

Outras bebidas populares

Cerveja, vinho, vermelho de vário países e champanhe (um vinho espumante) também são populares na Bielorrússia.

Kvas é uma bebida tradicional na Bielorrússia, feita a partir da fermentação de pão cozido com trigo, centeio ou cevada.

Kompot é um suco caseiro populares, geralmente feitos com frutas vermelhas, cozido em açúcar e uma grande quantidade de água. Este é servido frio.

História

A história de Belarus remonta à Idade da Pedra.

Esta linha do tempo mostra como os eventos históricos da Bielorrússia moldaram o país até hoje.

Bielorrússia na Idade da Pedra (100.000 – 3.000 BC)

Os primeiros sinais de assentamentos na data Belarus antiga de volta cerca de 100.000 – 35.000 anos.

Os assentamentos da Idade da Pedra mais significativas foram descobertos na região de Gomel.

Locais descobertos desde o período paleolítico, na aldeia de Yurovichi (Kalinkovichi área) existiam cerca de 26 000 anos atrás.

Locais descoberto na aldeia de Berdysh data (Chechersk área) volta 23,000-24,000 anos.

Antigas relíquias culturais também foram descobertos no Mogilev , Grodno e Minsk regiões.

Bielorrússia na Idade do Bronze (oitavo ao sexto século aC)

Artefatos que datam da Idade do Bronze foram encontrados em assentamentos em todo Bielorrússia.

Bielorrússia na Idade do Ferro ea Idade Média (século AD 8/7th aC-8)

No início da Idade do Ferro, havia três principais assentamentos na Bielorrússia em torno das bacias hidrográficas mais importantes do Dneiper, Dvina, e rios Pripyat.

Milogradskaya cultura

Pomorskiy cultura

Dneiper-Dvinskiy cultura (ancestrais dos Letts)

Primeiros estados a ser formado em território bielorrusso (7 a 13 dC)

Belarus colonização pelos eslavos começou nos séculos cedo. Ao longo dos séculos seguintes, eles se estabeleceram por toda a região, substituindo a cultura anterior Báltico.

No sexta-nona séculos Oriente eslavos formaram as primeiras associações políticas – os sindicatos de tribos.

O século 9 nos dá os primeiros relatos registrados de Polotsk e do ducado Polotsk no território de Vitebsk moderna ea parte norte das regiões Minsk.

Ele permaneceu a força dominante na região até o século 13.

O Grão-Ducado da Lituânia, Rus e Samogotia (13 a 16 Séculos)

O Grão-Ducado da Lituânia, Rus e Samogotia era um estado poderoso abrangendo Bielorrússia, Lituânia, as áreas de Kiev, Chernigov e Volyn da Ucrânia e da Rússia ocidental desde o Báltico até o Mar Negro.

O Grão-Ducado começou sua ascensão ao poder sob o reinado de Mindovg (Mindaugas) no século 13 e só começou a perder sua autoridade após uma série de guerras no século 16.

Em 1569 o Grão-Ducado e do Reino da Polônia assinaram a União de Lublin: em igualdade de condições o Ducado e os Estados Unidos da coroa em um estado federativo – Rzecz Pospolita. Significava o início de um novo capítulo na história da Bielorrússia.

Rzecz Pospolita (1569-1795)

Este foi um período particularmente turbulento na história da Bielorrússia.

O estado foi elaborado em guerras na Europa e com a Rússia, incluindo:

1654-1667 – guerra com a Rússia

1700-1721 – Guerra do Norte (Suécia e Rússia)

Rzecz Pospolita levou a longas guerras que enfraqueceram o Estado, e perdeu a sua independência.

Em 1772 as províncias ocidentais da Bielorrússia foram anexadas ao Império Russo e, em 1795 Rcecz Pospolitsa foi dividido entre Rússia, Áustria e Prússia.

O Império Russo (1772-1917)

Como resultado da divisão do Rzecz Pospolita em três partes, Belarus terra tornou-se parte do Império Russo. Nestes territórios, o governo russo começou a perseguir uma política de russificação.

1794 a Primeira Guerra Mundial – uma seqüência de conflitos, incluindo:

Revolta sob a liderança de Tadeusz Kostushko (1794)

Napoleônicas invasão da Rússia (1812)

Revolta polonês (1830 – 1831)

Grande Rebelião, liderado por Kastus Kalinovski (1863-1864)

Na década de 1880 o revolucionário organização Gomon foi estabelecida por estudantes bielorrussos em São Petersburgo. Este foi o precursor para a primeira bielorrussa política nacional do partido Gromada, formada em 1903.

Em 1906, o Stolypin reforma agrária começou deslocamento em massa das classes camponesas (1906-1916). Viu mais de 33.000 movimento do território bielorrusso para a Sibéria.

Guerra Mundial 1 (1914-1918)

1915 – 1916 – território bielorrusso foi palco de batalhas sangrentas entre forças alemãs e russas.

03 março de 1918 – Assinatura do Tratado de Brest-Litovsk, marcando a saída da Bielorrússia a partir da Primeira Guerra Mundial. Os territórios da Bielorrússia foram ocupada por forças alemãs até 1918.

Revolução na Rússia (1917-1919)

Março 1917 – Revolução na Rússia resultou na abdicação do czar Nicolau II.

Novembro 1917 – bolcheviques tomaram o poder na Rússia.

Março 1918 – a República Popular da Bielorrússia declarou independência. Isso durou até a retirada alemã mais tarde nesse ano.

01 janeiro de 1919 – criação da República Socialista Soviética da Bielorrússia.

Russo-polonesa Guerra (1919-1921)

1921 – Tratado de Paz de Riga resultou na divisão da Bielorrússia entre a República Socialista Soviética da Bielorrússia ePolônia.

1921-1941

1921-1928 – Nova Política Econômica (NEP) introduzida através da Bielorrússia.

1921 – 1930 – a parte polonesa de Belarus submetido a Polonisation.

1922 – bielorrussa SSR se tornou parte da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

1932-1933 – fome provocada pela política econômica Soviética e introdução da agricultura coletiva (Kolkhoz).

1936-1940 -. Grande Purga Mais de 86.000 bielorrussos sofreu opressão política e mais de 28.000 foram condenados à morte em um acampamento Kuropaty perto de Minsk.

2 ª Guerra Mundial

17 setembro de 1939 – duas semanas após a eclosão da Segunda Guerra Mundial, o Exército Vermelho mudou-se para Oeste Bielorrússia.

Junho 1941 – o início da Grande Guerra Patriótica na Bielorrússia.

Junho-Julho de 1941 – a resistência em Brest contra invasores alemães durou 6 semanas. A cidade foi ocupada até que as tropas soviéticas libertaram-lo em 1944.

Setembro 1941 – Belarus inteiramente ocupada pelo exército alemão. Invaders começar a estabelecer a chamada “nova ordem” baseado no terror.

Junho 1941 – alemães estabeleceram gueto de Minsk e mudou-se Bielorrusso, alemão e checo judeus dentro execuções em massa de prisioneiros do gueto de Minsk, na Tuchinki ocorrido até outubro de 1943.

Final de 1941 – o movimento Partisan começa na Bielorrússia e torna-se o maior movimento na Europa antes de 1944.

1943 – Alemão Comissário Geral Kube assassinado em Minsk.

Final de junho-julho de 1944 – Operação Bagration viu a libertação de SSR bielorrusso pelo Exército Vermelho dos invasores fascistas. Em 3 de Julho, Minsk é liberado.

Fevereiro 1945 – Conferência de Yalta expulso poloneses da região ocidental da Bielorrússia. A região foi oficialmente reconhecido como parte da República Socialista Soviética da Bielorrússia.

1945 – 1994

Maio de 1945 – A Grande Guerra Patriótica do povo soviético contra os agressores fascistas encerrados.

1945 – Belarus torna-se membro da Organização das Nações Incorporated (Nações Unidas)

1954 – Bielorrússia entra na Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência ea Cultura (UNESCO)

Abril de 1986 – o desastre nuclear de Chernobyl polui grandes áreas do território da Bielorrússia.

1991 – colapso da URSS, Belarus proclamou uma república independente.

1994 -. Eleição presidencial Primeiro na república independente Alexander Lukashenko torna-se o primeiro Presidente da República da Bielorrússia.

1997 – Assinatura da União da Bielorrússia e Rússia.

Fonte: www.belarus.by

Bielorrússia

As fronteiras atuais da Bielorrússia foram estabelecidos durante o tumulto da Segunda Guerra Mundial.

A ex-república soviética foi ocupada pelos nazistas entre 1941 e 1944, quando perdeu 2,2 milhões de pessoas, incluindo quase toda a sua grande população judaica.

A maior minoria restante é uma população polonesa de cerca de 400.000, no oeste, que também é o reduto da língua bielorrussa sitiada.

Bielorrússia tem sido governado com mão de ferro cada vez mais desde 1994 pelo Presidente Alexander Lukashenko. Figuras da oposição estão sujeitos a penas severas para organizar protestos.

No início de 2005, a Bielorrússia foi listado por os EUA como único remanescente da Europa “posto avançado da tirania”. No final de 2008, houve alguns sinais de um ligeiro abrandamento das tensões com o Ocidente, embora isso provou ser apenas um degelo temporário.

O país tornou-se independente em 1991, após o colapso da União Soviética.

Duas décadas depois, o sentimento de identidade nacional é fraco, o isolamento internacional continua ea natureza das relações políticas com a Rússia continua a ser uma questão fundamental.

Nos soviéticos pós-guerra, Belarus se tornou uma das regiões mais prósperas da URSS, mas com independência veio o declínio econômico. Presidente Lukashenko firmemente contra a privatização de empresas estatais. Empresa privada é praticamente inexistente. Os investidores estrangeiros ficar longe.

A situação econômica se deteriorou drasticamente no verão de 2011, quando uma crise do balanço de pagamentos drenado do país em moeda forte reservas.

Os esforços do governo para re-peg a taxa de câmbio oficial e congelar o preço dos alimentos básicos não conseguiu impressionar a Rússia ou o Fundo Monetário Internacional, para os quais Belarus pediu ajuda.

Para a maior parte de sua carreira, Lukashenko tem procurado desenvolver laços mais estreitos com a Rússia. Na frente política, falou-se de união, mas pouca evidência tangível do progresso, e certamente não para a união de iguais previstas pelo Presidente Lukashenko.

Bielorrússia continua fortemente dependente da Rússia para satisfazer as suas próprias necessidades energéticas, e uma proporção considerável de petróleo da Rússia e as exportações de gás para a Europa passar por ele.

O papel da Rússia como fornecedor de energia importante para o resto da posição da Europa e da Bielorrússia como país de trânsito chave estão sob os holofotes várias vezes desde 2006, quando as tensões surgiu pela primeira vez entre Moscou e Minsk sobre o preço do gás russo e de acesso privilegiado da Bielorrússia ao dever livre de óleo.

Relações com a Rússia deteriorou-se muito no verão de 2010, com disputas sobre os preços da energia, os termos da união aduaneira ea presença na Bielorrússia do deposto do Quirguistão presidente Bakiyev, levando a especulações de que Moscou breve pode mudar o apoio de Lukashenko a outro candidato liderança.

Bielorrússia
Belarus se tornou independente em 1991, após o colapso da União Soviética

Uma cronologia dos principais eventos:

1918 – No final da I Guerra Mundial, Belarus proclama sua independência como a República Nacional da Bielorrússia. Mas, com o fim da guerra, estas aspirações são de curta duração. O Exército Vermelho invade.

Bielorrússia
A agricultura é ainda uma característica importante da economia em Belarus

1919 – A República Socialista Soviética da Bielorrússia é proclamada.

1921 – O Tratado de Riga divide Belarus entre a Polônia ea Rússia Soviética.

1922 – O SSR bielorrusso torna-se membro fundador da União Soviética.

Expurgos de Stalin

1930 – Bielorrússia sofre das purgas contra intelectuais e opositores políticos ordenados por Stalin. Mais de um cem mil pessoas são executadas na Bielorrússia, milhares enviados para campos de trabalho na Sibéria.

1941 – Alemanha nazista invade durante o curso da Segunda Guerra Mundial. Mais de um milhão de pessoas são mortas durante a ocupação, incluindo muitos judeus. A capital, Minsk, é severamente danificado.

1944 – O Exército Vermelho soviético dirige os alemães para fora da Bielorrússia.

1945 – No final da guerra, a maior parte ocidental da Bielorrússia – anteriormente pertencente à Polônia – está amalgamada na República Soviética.

1960 – uma política de “russificação” é empurrado através.

1986 – Bielorrússia é fortemente afetada pela queda fora da explosão nuclear em Chernobyl, na vizinha Ucrânia. Centenas de milhares de pessoas recebem altas doses de radiação. Cerca de 20% das terras agrícolas está contaminado e inutilizados.

1988 – bielorrussa Frente Popular formada como parte do renascimento nacionalista solicitado pela política de líder soviético Mikhail Gorbachev de “abertura”.

Detalhes emergem da extensão total das execuções durante o período de Stalin.

1990 – bielorrusso se torna o idioma oficial do Estado.

1991 – Bielorrússia declara sua independência como a União Soviética se desfaz. Minsk torna-se a sede da sucessora da União Soviética, a Comunidade de Estados Independentes.

Era Lukashenko

1994 – Alexander Lukashenko se torna presidente. Ele apresenta políticas destinadas a fortalecer os laços com a Rússia.

1995 – pacto de amizade e de cooperação assinado com a Rússia. Nacional resultado referendos em uma nova bandeira quase idêntico ao da ex-república soviética, ea restauração do russo como língua oficial. Os poderes do presidente são também aumentou. Há protestos nas ruas, mas estes estão quebrados.

1996 – Um acordo sobre a união econômica é assinado com a Rússia. Lukashenko aumenta seus poderes novamente, estendendo o seu mandato.

1997 – Manifestantes contra Lukashenko assinar um manifesto pró-democracia “Carta ’97 ‘. Estatuto da Bielorrússia observador no Conselho da Europa está suspenso. Belarus e Rússia ratificar o tratado de união.

1998 – O rublo Bielorrússia vê o seu valor reduzido pela metade. Racionamento de comida é imposta. Belarus assina um acordo com a Rússia, que iria ver suas moedas e sistemas fiscais fundir.

Outubro de 2000 – As eleições parlamentares são criticadas por observadores eleitorais que dizem que não são livres e justas. O comparecimento às urnas em alguns círculos eleitorais é tão baixa que uma repetição será necessário.

De novembro de 2000 – O presidente Lukashenko eo presidente da Rússia, Vladimir Putin concordam com a introdução de uma moeda única até 2008.

Março de 2001 – As eleições parlamentares são re-correr em círculos 13, onde o número de eleitores em outubro de 2000 foi muito baixa. Funcionários Belarus declarar os votos válidos. Milhares demonstrar em Minsk contra Lukashenko.

Reeleição

De setembro de 2001 – Lukashenko reeleito para servir segundo mandato. Observadores da oposição e ocidentais dizem que eleições foram injusta e antidemocrática.

Agosto de 2002 – Lukashenko rejeita propostas russas para nova forma de união ao abrigo da constituição russa com único governo e parlamento único.

Novembro de 2002 – EUA, 14 Estados da UE impõe proibição de viagem a Lukashenko e vários ministros do governo sobre o pobre histórico de direitos humanos e, após funcionários da OSCE são instruídos a sair.

Abril de 2003 – EUA, UE proibição de viajar elevador no presidente e ministros após OSCE readmitidos. Mas eles continuam críticas de registro país dos direitos humanos.

Abril de 2004 – Conselho da Europa condena violações de direitos humanos após o relatório acusa as autoridades de investigação bloqueio sobre o destino de quatro homens com ligações de oposição que desapareceram em Minsk, em 1999 e 2000. UE impõe restrições de viagem em número de altos funcionários.

Outubro de 2004 – Referendo costas mudar permitindo presidente para servir mais do que o limite anterior de dois mandatos. Os partidos da oposição não ganhar um único assento nas eleições parlamentares realizadas ao mesmo tempo. Observadores ocidentais dizem que voto é livre nem justa.

Protestos de rua decorrentes. Manifestantes confronto com a polícia e dezenas são presos.

Novembro de 2004 – UE estende as restrições de viagem aos funcionários seniores. EUA impõe sanções.

Dezembro de 2004 – Oposição político Mikhail Marinich preso por supostamente roubar equipamentos de escritório. Ele declara a taxa a ser politicamente motivado.

Agosto de 2005 – linha diplomática com a Polônia sobre o tratamento dos poloneses étnicos acusados de agitar a agitação, em uma tentativa de derrubar o Presidente Lukashenko.

Protestos da Enquete

Dezembro de 2005 – Como de Março de aproximação das eleições, o parlamento aprova lei estabelecendo penalidades severas para os culpados de incitar manifestações ou distribuição de informação considerados nocivos aos interesses nacionais.

2006 Fevereiro / Março – Dezenas presos em manifestações da oposição em Minsk como data da eleição se aproxima.

Março de 2006 – Presidente Lukashenko declarado vencedor por esmagadora nas eleições condenadas como injusta por observadores ocidentais.

Prisões da oposição indicaram como manifestantes na capital exigido voto fresco.

Abril de 2006 – UE impõe proibição de visto em Presidente Lukashenko e vários ministros e funcionários.

Eleição presidencial derrotado candidato Alexander Milinkevich preso por 15 dias depois de participar de comício para marcar o aniversário do desastre de Chernobyl, na vizinha Ucrânia.

Julho de 2006 – O candidato eleição presidencial derrotado Alexander Kozulin condenado por vandalismo e incitação à desordem em massa. Ele está preso por cinco anos e meio.

Novembro de 2006 – oposição Juventude ativista Dmitriy Dashkevich preso por 18 meses para a adesão de uma organização não registrados.

Gás e linha de óleo

De dezembro de 2006 – Depois de tensas negociações durante o qual Moscou ameaçou cortar o fornecimento, um negócio novo gás é assinado com a Rússia, que mais do que duplica o preço e fases em novos aumentos mais de quatro anos.

De janeiro de 2007 – A Rússia corta o fornecimento ao longo de um oleoduto de exportação de petróleo para a Europa no meio de uma fileira com a Bielorrússia sobre a tributação e as alegações de desvio. A disputa termina após a Rússia concordar em cortar o dever de óleo que irá cobrar Bielorrússia.

Março de 2007 – confronto da polícia com manifestantes em Minsk como milhares de partidários da oposição têm comício pedindo o fim do regime do Presidente Lukashenko.

Humanos preocupações de direitos

Maio de 2007 – Bielorrússia falha em sua tentativa de conquistar um assento no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, um resultado considerado por grupos de direitos humanos como dar credibilidade ao conselho.

De agosto de 2007 – A Rússia diz que vai reduzir pela metade quase abastecimento de gás à Bielorrússia sobre a dívida não paga.

Outubro de 2007 – O presidente Lukashenko disse que Belarus terá que construir uma estação de energia nuclear, a fim de atender às suas necessidades energéticas.

De dezembro de 2007 – O presidente Lukashenko diz que está pronto para sediar os mísseis russos se os EUA estabelece bases na Polônia e na República Checa.

De março de 2008 – O embaixador dos EUA Karen Stewart deixa o país indefinidamente após Belarus pede para ela sair. Belarus retirou seu próprio embaixador de Washington na semana passada em uma polêmica sobre sanções dos EUA. EUA nega as acusações que diplomatas dos EUA Bielorrússia recrutados cidadãos como espiões.

Abril de 2008 – Bielorrússia recusa-se a liberar o ex-candidato presidencial Alexander Kozulin, preso sob a acusação de organizar protestos contra a eleição de 2006. Os EUA ea União Europeia fizeram libertação de prisioneiros políticos uma condição para melhorar as relações.

2008 Maio – Belarus expulsa 11 diplomatas dos EUA em disputa sobre EUA críticas de registro da Bielorrússia direitos humanos.

Mídia freios

Junho de 2008 – concurso internacional lançado para usina de energia nuclear.

Parlamento aprova lei nova mídia que os jornalistas independentes dizem que vai restringir relatórios online e meios de comunicação privados de financiamento antes das eleições parlamentares de outono.

De agosto de 2008 – O ex-candidato presidencial da oposição Alexander Kozulin e dois outros dissidentes libertados da prisão.

De setembro de 2008 – Os candidatos do governo ganhar todos os 110 assentos em eleições parlamentares; observadores europeus dizem que a votação ficou aquém dos padrões internacionais, mas melhorias de nota desde a eleição passada.

EUA levanta algumas de suas sanções, após o recente lançamento de dissidentes.

Outubro de 2008 – UE levanta a proibição de viajar ao presidente Alexander Lukashenko, em uma tentativa de encorajar a reforma democrática.

Abril de 2009 – Presidente Lukashenko visita o Vaticano, em sua primeira visita oficial à Europa Ocidental desde 1995.

2009 Maio – Presidente Lukashenko não aceita convite para participar da UE “Parceria Oriental” cimeira com seis estados da antiga União Soviética em Praga.

As tensões com a Rússia

Junho de 2009 – A Rússia impõe embargo aos produtos lácteos da Bielorrússia, aparentemente por razões de saúde. Belarus revida a instalação de um posto aduaneiro altamente simbólico na fronteira dos dois países conjunta. Ambas as medidas são depois invertidos.

De janeiro de 2010 – Bielorrússia ameaça cortar fornecimento de eletricidade a enclave báltico russo de Kaliningrado na sequência da disputa não resolvida sobre o fornecimento de petróleo russo à Bielorrússia. Os dois lados, eventualmente, chegar a um acordo sobre o montante do direito livre de óleo Rússia fornecerá à Bielorrússia.

Junho de 2010 – ordens do Presidente Lukashenko desligamento do trânsito de gás russo para a Europa, aumentando a “guerra do gás” novo depois de suprimentos barras de Moscou para Minsk em uma disputa de dívida. Gazprom da Rússia empresa estatal de gás depois retoma fornecimento após Belarus paga a dívida.

2010 Julho – sinais Belarus se prepara para a união aduaneira com a Rússia e Cazaquistão, apesar das objeções à continuou dever Rússia sobre exportações de petróleo e gás.

2010 Setembro – União Europeia Negócios Estrangeiros, Catherine Ashton, chefe pede investigação sobre morte de Oleg Bebenin, fundador do site oposição Carta 97, que foi encontrado enforcado.

Dezembro de 2010 – eleições presidenciais. Presidente Lukashenko declarou vencedor. Observadores da oposição e oeste alegam fraude eleitoral. Protestos em massa em Minsk são quebradas pela força, com 600 prisões.

Sanções internacionais

2011 Janeiro – O presidente Lukashenko é inaugurada para o quarto mandato no cargo. A UE restabelece a proibição de viajar com ele e congela seus bens, enquanto os EUA impõe controles financeiros mais estritos e amplia suas proibições de viagens a funcionários seniores.

Belarus ameaça UE com retaliação sobre as sanções e empurra em frente com planos para colocar mais de 30 ativistas políticos, incluindo quatro líderes da oposição, em julgamento sobre os protestos dezembro.

2011 Abril – Explosão atinge uma estação de metro ocupado em Minsk, matando 11. Presidente Lukashenko alega um complô de “quinta coluna” para desestabilizar o país. Dois suspeitos são presos e os promotores dizem que confessou os ataques.

2011 Maio – O líder da oposição Andrei Sannikov é condenado a cinco anos de prisão por organizar protestos sobre as eleições de dezembro. Sua esposa, a jornalista Irina Khalip, recebe uma pena de prisão suspensa para “tumultos”.

Bielorrússia corta o valor de sua moeda oficial rublo em relação ao dólar em 36%, deixando-o ainda menos da metade da taxa interbancária livremente negociadas. Isto segue o seu equilíbrio mais grave crise desde a independência pagamentos drena suas reservas em divisas.

Salvamentos

2011 Junho – Belarus pede ao FMI para um empréstimo de emergência de até US $ 8 bilhões em relação ao saldo de crise de liquidez. O governo eleva a sua principal taxa de juros de 14% para 16% e congela os preços de uma série de alimentos básicos. Pânico compra de bens básicos segue.

Rússia metades fornecimento de eletricidade para a Bielorrússia sobre contas não pagas e em um esforço para persuadir o governo a privatizar ativos lucrativos. Belarus busca um resgate liderada pela Rússia, US $ 1,2 bilhão, que é condicional em reformas.

2011 Julho – Centenas são espancados, maltratados e presos após um mês de todo o país contra o governo protestos.

2011 Agosto – Royal Bank of Scotland cessa a venda de títulos do governo da Bielorrússia depois de uma campanha por grupos de direitos humanos. RBS cita sanções internacionais, a deterioração da situação política e implementação tardia da Bielorrússia de um programa do FMI.

2011 Setembro – O rublo cai drasticamente depois que o governo permite uma flutuação limitada em sua mais recente tentativa de aliviar a crise financeira.

Os dois suspeitos do atentado de Minsk caso Metro, Dmitry Konovalov e Vladislav Kovalyov, são condenados à morte.

2011 novembro – Rússia concorda em vender gás Bielorrússia a 60% abaixo do preço cobrado para outros países europeus, em troca do monopólio de gás russa Gazprom tomar a propriedade plena do Beltranshaz empresa bielorrussa gasoduto.

Proeminente ativista de direitos humanos Ales Belyatski é considerado culpado de evasão fiscal e condenado a quatro anos e meio de prisão. A UE diz que o caso é politicamente motivado e apela à libertação imediata do Sr. Belyatski.

2012 Janeiro – A nova lei restringe o acesso a sites estrangeiros e forças de clubes e cafés de internet para informar usuários visitar sites registrados no estrangeiro. Isso leva os Repórteres Sem Fronteiras baseados liberdade de imprensa monitor, para a Bielorrússia a sua lista de “Inimigos da Internet”.

2012 Fevereiro – A União Europeia recorda seus embaixadores de Belarus depois que o governo expulsa o enviado da UE e embaixador polonês em protesto contra novas sanções.

2012 Março – Minsk bombardeio Metro suspeita Dmitry Konovalov e Vladislav Kovalyov são executados, o que causou protestos por parte da União Europeia.

2012 Abril – Ativistas da oposição Andrei Sannikov e Dmitry Bondarenko são liberados da prisão mais cedo, mas outros permanecem na cadeia.

2012 Agosto – Presidente Lukashenko substitui longa ministro das Relações Exteriores, Sergei Martynov, um dos poucos funcionários que a União Europeia estava preparado para conversar, com um assessor próximo. No início do mês, ele saqueou a defesa aérea e os comandantes da guarda de fronteiras e expulsou o embaixador sueco após ativistas de direitos humanos sobrevoaram o espaço aéreo da Bielorrússia a cair ursinhos de pelúcia com mensagens pró-democracia.

2012 Setembro – Major oposição boicote fase partidos das eleições parlamentares, reclamando que eles estão armadas. Organização para a Segurança e Cooperação na Europa observadores queixam de que a eleição não pode ser considerado livre, e expressa preocupação com os procedimentos de contagem.

Fonte: news.bbc.co.uk

Bielorrússia

Continente: Europa

Nome Completo: República da Belarus

Localização: Europa Oriental, a leste da Polônia

Coordenadas: 53 00 N, 28 00 E

Limites: Países limítrofes: Letônia, Lituânia, Polônia, Rússia, Ucrânia

Capital: Minsk

Governo: República Presidencialista Ditatorial

Moeda: Rublo Bielo-russo

Área: 207.600 km2

Nacionalidade: Bielo-russo / Bielo-russa

População: 10.335.382 (julho/2002)

Mortalidade: 14,12 mortes a cada 1.000 nascidos vivos (2002)

Vida: 68,28 anos

Ponto Culminante: Pico Dzyarzhynskaya Hara, 346 m

Religiões: Cristianismo Russo Ortodoxo 95%, Outras 5%

Idiomas: Bielo-russo, Russo

Analfabetismo: 2%

Renda: US$ 2.620 (2001)

Fonte: www.libreria.com.br

Bielorrússia

Bielorrússia ou Byelarus, ex-Bielo-Rússia, oficialmente República da Bielorrússia, República (2005 pop 9.799.000.), c.80, 150 sq mi (207.600 km ²), Europa central.

Às vezes é chamado Rússia Branca.

Fronteiras Belarus sobre a Polônia, no oeste, na Lituânia e na Letônia, no norte, a Rússia, a leste, e sobre a Ucrânia no sul. Minsk é a capital e maior cidade.

História

História precoce, através da Era Soviética

A região agora constituindo Bielorrússia foi colonizada por tribos eslavas do Leste de 5 ª a 8 cêntimos. Caiu (9 cento.) Sob a influência de Rus e foi posteriormente (séc. 12). subdividida em vários principados bielorrussos que fazem parte do estado de Kiev. Destruição de Kiev pelos mongóis no 13 cêntimos.

facilitou a conquista (14 cento mais cedo.) da Bielorrússia pelos duques da Lituânia. A região tornou-se parte do Grão-Ducado da Lituânia, que em 1569 se fundiu com a Polônia. A grande população judaica (mais tarde dizimada pelos alemães durante a Segunda Guerra Mundial) estabeleceu-se em Belarus no cento 14. A região floresceu sob lituano regra, mas após o Polaco-Lituana união Bielorrússia perdeu sua importância relativa, e suas classes dominantes se tornou completamente Polonized.

Através das partições polonesas de 1772, 1793, e 1795, todos Belarus passou para o Império Russo. Ele sofreu muito durante as guerras (16o ao 18o cento.).

Entre a Polônia ea Rússia e na invasão napoleônica de 1812 (durante a qual foi assolada por retirada das forças russas). Grande pobreza sob o domínio russo, nomeadamente entre os judeus, levou à emigração em massa para os Estados Unidos no cento 19. Um campo de batalha na Primeira Guerra Mundial e na Guerra soviético-polonesa de 1919-20, Bielorrússia experimentou grande devastação.

Em março de 1918, o Nacional da Bielorrússia, em Minsk Rada proclamou a região uma república independente, mas em janeiro de 1919, o governo soviético proclamou a República Socialista Soviética da Bielorrússia em Smolensk, e logo o Exército Vermelho ocupou toda a Bielorrússia. Em 1921, o Tratado de Riga, que terminou a guerra soviético-polaca, concedido W Belarus para a Polônia. A parte oriental e maior formaram a SSR Belorussian quando a URSS foi criada formalmente em 1922.

Em setembro de 1939, o exército soviético invadiu E a Polônia ea Bielorrússia W incorporado no SSR Belorussian. Ocupados (1941-1944) pelos alemães durante a Segunda Guerra Mundial, Bielo-Rússia foi uma das áreas mais devastadas da URSS.

Sua grande população judaica (que data do 14 cent.) Foi dizimada, e muitos não-judeus foram sistematicamente assassinados também. Por mais que a metade da população da região, morreu ou foi deslocado durante a guerra.

Em 1945 sua fronteira ocidental foi ajustada ligeiramente a favor da Polônia, mas a fronteira 1939 permaneceu essencialmente inalterada. O país teve um assento separado nas Nações Unidas desde 1945.

O acidente nuclear em massa (26 de abril de 1986) no Chernobyl usina, na fronteira com a Ucrânia, teve um efeito devastador sobre a Bielorrússia, como resultado da liberação de radiação, a agricultura em grande parte do país foi destruída, e muitas aldeias foram abandonadas. Custos de reassentamento e médicos eram enormes e de longo prazo.

Pós-soviética

A República de Belarus declarou sua independência da URSS em 25 de agosto de 1991. O reformista Stanislav Shushkevich tornou-se chefe de Estado e, junto com a Rússia, Ucrânia, Bielorrússia foi um dos signatários originais do tratado que institui a Comunidade de Estados Independentes .

No início de 1994, ex-comunistas no parlamento votou para substituir Shushkevich com Mechislav Grib, um oficial da polícia nacional anterior; Aleksandr Lukashenko foi eleito para o cargo em julho de 1994. As eleições parlamentares foram realizadas em 1995, ea maioria dos lugares foram preenchidos por ex-comunistas.

Em 1996, a Rússia ea Bielorrússia assinaram um acordo para formar um “estado da União” que, completamente sem fusão dos dois governos, reforçaria os laços econômicos, culturais e políticos.

Tratados adicionais assinado em 1997, 1998 e 1999, incluiu o desenvolvimento de costumes comuns e tributação, uma moeda única, uma política de defesa comum, e outros itens destinados a integrar as duas nações, mas o progresso em direção à integração real tem sido lenta, como a Rússia como insistiu em implementação gradual da união e da Bielorrússia mostrou relutante em ceder qualquer poder real para seu maior vizinho.

Em setembro de 2003, Belarus, Cazaquistão, Rússia e Ucrânia assinaram um acordo para criar um espaço econômico comum, mas os costumes estabelecimento sindicato foi adiada até julho de 2010, e a Ucrânia não era parte do acordo de 2009 que estabeleceu os costumes união.

Um referendo realizado em 1996, o aumento do poder de Lukashenko, à custa do parlamento e estendeu seu mandato presidencial por dois anos (até 2001).

Um novo parlamento posteriormente foi formada por membros escolhidos a dedo do velho. Governo de Lukashenko tem sido criticado por abusos de direitos humanos, inclusive sendo responsável pelo desaparecimento de seus adversários políticos.

Eleições parlamentares realizadas em 2000, que foram boicotadas pela oposição democrática pequeno, preservado espera Lukashenko no poder. Lukashenko foi reeleito se em 2001, em um concurso que a maioria dos observadores, como nem livres nem justas.

Um referendo em 2004 removeu o limite de dois mandatos na presidência, mas observadores independentes e as sondagens indicam que os resultados foram fraudulentos. As eleições para o parlamento, em que nenhum candidato da oposição ganhou um assento, foram realizadas ao mesmo tempo e foram igualmente equivocada.

Após a chamada Revolução Laranja (outubro-dezembro de 2004), na Ucrânia, onde as manifestações finalmente forçou o partido governante do poder, o governo bielorrusso aumentou seus esforços para silenciar seus oponentes. Em 2005, tornou-se particularmente tensas relações com a Polônia, que Lukashenko acusado de conspirar com a minoria polaca da Bielorrússia para derrubá-lo.

Lukashenko foi reeleito por uma margem desequilibrada em março de 2006. A campanha rigidamente controlado e posterior votação foi criticada pela União Europeia, os Estados Unidos, e outros, mas elogiou pela Comunidade de Estados Independentes. Após a campanha, os adversários montou uma série de protestos contra o presidente que, embora não grande, no entanto foram mais sustentado do que manifestações anteriores. Muitos líderes da oposição foram detidos e presos, incluindo o candidato presidencial da oposição 2006 Aleksander Kozulin.

Relações com a Rússia tornou-se tensa no final de 2006, quando a Rússia de propriedade gigante de energia Gazprom insistiu Belarus pagar mais (embora ainda menos do que as taxas de mercado) para o gás natural, a Rússia também insistiu que a Bielorrússia pagar o imposto integral do petróleo bruto da Rússia (que Belarus processados e exportado).

Bielorrússia respondeu a estes aumentos de preços através da imposição de um imposto sobre o trânsito do petróleo russo exportado através de gasodutos na Bielorrússia, mas a Rússia se recusou a pagar.

Rússia posteriormente suspendeu o transporte de petróleo através da Bielorrússia, acusando-o de desviar o petróleo como pagamento para o fiscal de trânsito, e depois de ameaças de retaliação da Rússia, Belarus concordaram em revogar o imposto.

Em agosto de 2007, a Gazprom ameaçou reduzir o fornecimento de gás à Bielorrússia por causa de pagamentos atrasados, e nos anos subsequentes, não houve sinais de tensão nas relações com a Rússia, principalmente após a Bielorrússia não reconhecer Abkházia e Sul Ossétia como independente depois que a Rússia fez ( 2008).

Nas eleições parlamentares de setembro de 2008, que foram denunciados como manipulado pela oposição e criticado pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, nenhum candidato da oposição ganhou um assento.

As relações entre a Bielorrússia ea Rússia foram novamente tenso em janeiro de 2010, desta vez sobre a quantidade de petróleo que a Rússia vende à Bielorrússia com desconto. Rússia se recusou a vender petróleo mais Bielorrússia descontado do que necessário para atender suas próprias necessidades; Belarus foi ganhando receita de exportação por refinação de óleo de desconto adicional e vendê-lo no mercado internacional.

A Rússia fez concordar com um aumento de taxas de trânsito pagas por petróleo canalizado através da Bielorrússia para outros países, mas as mudanças agravou os problemas econômicos da Bielorrússia. A disputa sobre pagamentos devidos Gazprom levou a uma breve redução nas vendas de gás russo à Bielorrússia, em junho de 2010, e as relações com a Rússia manteve-se periodicamente com raiva.

A dezembro de 2010, a eleição presidencial foi uma repetição do won anterior em muitos aspectos, com Lukashenko ganhar cerca de 80% dos votos em meio a acusações de fraude.

Manifestações de protesto na capital após os resultados foram anunciados foram divididos com força pela polícia, e um número de candidatos da oposição, ativistas e jornalistas foram presos em seguida, e nas semanas subseqüentes.

A eleição e os movimentos do governo contra a oposição foram denunciados por europeus (OSCE) observadores. Em abril de 2011, um atentado do metrô em Minsk matou 15 e feriu cerca de 200.

Dois homens foram mais tarde condenados (novembro de 2011) do ataque, mas no momento em que muitos dentro e fora Bielorrússia especulado que o governo pode estar por trás do ataque, em uma tentativa de distrair os cidadãos do país crescentes problemas econômicos.

Belarus vendido Gazprom sua participação no gasoduto empresa Beltranshaz em novembro de 2011, em troca de redução temporária preços do gás natural e um empréstimo de bilhões.

Terra e Povo

Grande parte da Bielorrússia é uma planície montanhosa, banhada pelo rio Dnieper, Western Dvina, e rios Neman. O clima é moderado continental úmido, com verões quentes e invernos frios.

Mais de um terço da terra é coberta com turfa e outros solos pantanosos, nomeadamente nos Pântanos Pripyat, no sul. Além da capital, outras cidades importantes são Gomel (em bielorrusso, Homyel), Vitebsk (Vitsyebsk), Mogilev (Mahilyow), Bobruysk (Babruysk), Grodno (Horodna), e Brest.

Cerca de 80% da população são bielorrussos; russos, poloneses e ucranianos são maiores minorias da República. Desde a separação da URSS, Bielorrússia experimentou um declínio lento na população.

Cerca de 80% da população pertence à Igreja Ortodoxa, e não são católicos romanos, protestantes, judeus e minorias muçulmanas.

Os grupos religiosos que ganharam converte mais recentemente sofreram desestímulo oficial e perseguição desde a independência, uma política que foi transformado em lei em 2002. Ambos bielorrusso e russo são línguas oficiais, mas o russo é o mais utilizado.

Economia

Desde que ganhou a independência da União Soviética em 1991, a Bielorrússia tem avançado lentamente na privatização e reformas no mercado de outros, enfatizando, em vez de relações econômicas estreitas com a Rússia.

Cerca de 80% de toda a indústria permanece nas mãos do Estado, e do investimento estrangeiro tem sido dificultada por um clima hostil para as empresas privadas. Os bancos, que haviam sido privatizadas após a independência, foram renacionalização depois que o presidente Lukashenko tomou posse em 1994.

Produção econômica, que diminuiu durante vários anos, reviveu um pouco no final dos anos 1990, mas a economia manteve-se dependente de subsídios russos.

Em 2011, no entanto, o aumento do custo do combustível importado minaram a economia, levando a uma queda acentuada no valor do rublo bielorrusso, uma incapacidade de comprar importações e dívida pública enorme.

Turfa, recurso mineral do país mais valioso, é usado como combustível e fertilizantes e na indústria química. Bielorrússia também tem depósitos de granito, dolomita sal, giz, areia, argila, pedra e e potássio.

As florestas cobrem cerca de um terço da terra, e desajeitado é uma profissão importante. Batatas, linho, cânhamo, beterraba, centeio, aveia e trigo são os principais produtos agrícolas. Lácteos e carne de gado, porcos e galinhas são levantadas.

Belarus tem apenas pequenas reservas de petróleo e gás natural e importa a maior parte de seu petróleo e gás da Rússia. Os principais ramos da indústria de produção de tratores e caminhões, motores de terra para uso na construção e mineração, ferramentas de corte de metal da máquina, motocicletas, produtos químicos, fertilizantes, têxtil e bens de consumo.

A Rússia é, de longe, o mais importante parceiro comercial, outros incluem a Holanda, Ucrânia e Alemanha.

Governo

Bielorrússia é governada sob a Constituição de 1994, conforme alterada. O presidente, que é o chefe de Estado, é popularmente eleito para um mandato de cinco anos, não há limites de prazo. O primeiro-ministro, que é o chefe de governo, é nomeado pelo presidente.

A legislatura, ou Assembleia Nacional, é dividido em Conselho superior da República e do menor Câmara dos Deputados. Dos 64 membros do Conselho da República, 56 são eleitos pelos conselhos regionais e oito são nomeados pelo presidente.

Os 110 membros da Câmara dos Deputados são eleitos pelo povo. Todos os legisladores mandatos de quatro anos. Administrativamente, o país é dividido em seis províncias, ou oblasts, e um município.

Bibliografia

Veja N. Vakar, Bielorússia: The Making of a Nation (1956); É Lubachko, Bielorússia Sob Soviética regra, 1917-1957 (1972); Holdings Collet, Belorussian SSR: Fatos e Números (1984).

Fonte: www.infoplease.com

Veja também

Hino Nacional da República Democrática do Congo

Debout Congolais PUBLICIDADE Debout Congolais (Levanta congolês) é o hino nacional da República Democrática do …

Locais Turísticos da República Democrática do Congo

BRAZZAVILLE PUBLICIDADE É um lugar muito interessante, muito verde, com uma Basílica, Mercados e o …

República Democrática do Congo

PUBLICIDADE O território que hoje leva o nome de República Democrática do Congo tem sido habitada por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.