Breaking News
Home / Turismo / Locais Turísticos da Noruega

Locais Turísticos da Noruega

PUBLICIDADE

Começaremos o percurso pela capital, Oslo, para depois percorrer os Arredores da capital. De aqui viajaremos para o Sul, para trasladarmos com posterioridade à zona Centro do país, fazendo Finca pé na bela cidade de Bergen e na Costa e nos Fiordes. De aqui viajaremos para o Interior para continuar pelo Norte da Noruega. Destacam nesta zona as Ilhas Lofoten, Tromso e Laponia.

Oslo

Entre o fiorde que leva seu nome e as montanhas, encontra-se Oslo, a capital da Noruega. Chegando por barco, se desfrutará de uma viagem especialmente atrativa ao longo do Fiorde de Oslo. Ali vivem 736.000 pessoas, além das centenas de pequenas ilhas cobertas de bosques, a cidade oferece edifícios, pitorescas ruas para fazer compras, parques, restaurantes e uma oferta cultural impressionante.

Oslo está cheia de veleiros sulcando continuamente as águas do fiorde. Para conhecer as raízes culturais do país e também as façanha de seus intrépidos exploradores há que acudir ao Museu do Barco Viking, que alberga três barcos Viquingues encontrados no Fiorde de Oslo; e ao Museu Kon-Tiki, que acolhe a balsa com a que o explorador norueguês Heyerdhal navegou desde o Peru até a Polinesia no ano de 1947.

Depois desta introdução cultural nada melhor que caminhar pelas ruas para perder-se e ir descobrindo preciosos monumentos como a Catedral de Oslo (Domkirke), do século XVII; o Parlamento (Stortinget), de cor amarelo; a Praça da Cidade (Eidsvollsplass), cheia de fontes e estatuas; o Teatro Nacional, com um precioso vestíbulo de estilo rococó; o Museu Histórico, que exibe uma coleção de antigüidades, moedas e uma sala dedicada à etnografia; a Galeria Nacional, com a maior coleção de arte norueguesa e com os melhores trabalhos do pintor Munch; e o Palácio Real, no alto de uma pequena colina, rodeado de belos jardins e residência oficial dos Reis da Noruega.

Na frente do porto se ergue o majestoso Radhus, as torres gêmeas de tijolo vermelho da Prefeitura, rodeado de estátuas muito bem trabalhadas. Destacam-se os trabalhos de relevo em madeira que descrevem cenas da mitologia norueguesa.

Não se pode deixar de visitar o Castelo e a Fortaleza de Akershus do ano 1300. Estas construções, estrategicamente situadas, foram edificadas pelo rei Hakom V e desde elas se obtêm excelentes vistas do Fiorde de Oslo.

Quando se atravessa a fortaleza, se entra em outra dimensão. O Castelo de Akershus foi renovado no século XVII tomando o edifício de um palácio renascentista. A capela ainda se utiliza para eventos importantes, especialmente os que têm que ver com a presença do rei.

Por outro lado, lhe aconselhamos uma visita ao Museu da Resistência Noruega, que é para muitos a experiência mais inesquecível e o Museu de Edward Munch, onde se expõe grande parte da obra deste artista falecido no ano de 1944.

Visite obrigatoriamente, o Parque Vigeland, uma enorme área onde se exibem 200 esculturas em bronze e granito de Gostav Vigeland. Trata-se de um precioso espaço verde, próprio para o descanso, passeios e também para desfrutar da observação da vida quotidiana dos habitantes da capital.

A peça mais impressionante do parque é o alto monólito de pedra, onde surgem inumeráveis figuras humanas, que descrevem a história da humanidade. O Museu de Vigeland, antigo taller do artista, exibe as peças e instrumentos do célebre escultor.

Arredores de Oslo

Diz-se que as melhores vistas dos fiordes do leste se divisam em Tyrifjord, ademais, em Hadeland pode-se visitar a fábrica de vidro com museu e loja.

O Fiorde de Oslo está rodeado de prósperas cidades, enriquecidas na época da industria ballenera. Hoje são lugares escolhidos pelos veraneantes. Destacam Drammen, uma cidade industrial situada na desembocadura do rio Simoa. Dispõe de um museu para visitar e um túnel que é toda uma atração pela sua forma de espiral.

Viajando para o sul encontra-se Horten, onde também pode-se ver alguns museus importantes, assim como uma sepultura viquingue, Borrehaugene. A seguinte paragem é Tonsbergb, um dos lugares mais antigos do país. São dignas de ver as ruínas de Slottsfjellet e o museu que guarda os restos de um barco viquingue.

Seguindo a rota sul, a uns 25 quilômetros, aparece Sandefjord, famosa cidade na época do comércio balljaneiro. O museu da cidade mostra a história de sua industria.

Outra rota parte de Oslo para o sul, rumo à fronteira sueca. Ostfold encontra-se ao leste do Fiorde de Oslo. Trata-se de uma pitoresca região que combina paisagens de granjas e pequenos povoados industriais. O mais destacado é Fredrikstad, uma cidade fortificada e construída no ano de 1567 para defesa dos ataques.

Está situada no fim do rio Glomma, o mais longo do país. Sua parte antiga e suas muralhas encontram-se entre as mais antigas da Noruega. vale a pena dar-se uma volta por suas ruas e admirar seus antigos edifícios, além de visitar o museu e o forte.

Pronto se descobre a cidade de Halden, onde pode-se ver o Forte Fredrikstad, do século XVII, em cujo interior encontra-se uma posada típica.

O Sul da Noruega

No sul do país encontra-se a região chamada Sorlandet, que supõe para os noruegueses um importante centro magnético quando as temperaturas sobem alguns graus.

Trata-se de uma costa, basicamente rochosa com algumas ilhas de pedra, muito procurada pelos habitantes da capital durante os fines de semana. É ideal para os que gostam navegar em seu próprio bote.

Na zona há encantadores povoados como Stavanger, a quarta cidade do país e importante centro pesqueiro.

Destacando a Catedral Domkirke, uma impressionante construção de pedra do século XII, o Museu da Cidade e o Púlpito da Roca, Prekestolen, que pode-se chegar depois de uma bela caminhada de duas horas. Um transbordador cruza o Hildefjorden.

Outra excursão interessante é a que vai a Ullandhaug, uma granja da idade do ferro, que encontra-se a poucos quilômetros de Stavenger em direção oeste.

Seguindo a rota sul e beirando a costa chega-se a Orre, onde pode-se visitar uma igreja medieval de pedra. Muito cerca, na lagoa pode-se contemplar aves. A seguinte paragem é o faro de Obrestad.

Para o interior, em Jaeren encontram-se sepulturas do ano 500 d.C. que valem uma vista. No extremo sul encontra-se Mandal. Bem vale a pena dar-se uma volta pela sua parte histórica repleta de casinhas de madeira, admirar a igreja do ano 1821, a maior igreja de madeira estilo Impérial da Noruega, e depois dar-se um respiro em sua praia.

Kristiansand, é a capital da região e o lugar preferido pelos noruegueses, pois se está constituíndo num importante centro de recreio. Desta cidade há que ressaltar o Forte Christiansholm, a Catedral e os cruzeiros que pode-se realizar no verão.

Ao norte, beirando a costa, queda Grimstad, onde viveu o famoso dramaturgo Henrk Ibsen. Pode-se visitar sua casa. Um pouco mais ao norte de volta para Oslo, destaca a cidade de Arendal com suas casinhas brancas. Uma barca lhe levará até a ilha de Merdoy.

Outras cidades de certa importância nesta região são: Risor, Telemark, Rjukan, Kragero e Kongsberg, esta última fundada no século XVII, depois da descoberta de um dos depósitos de prata mais importantes do mundo. E por último Larvik, um porto de grande atividade. Pode-se visitar na localidade o manancial do rei Olav, a fazenda Herregardem que pertencia a uma nobre família e a poucos quilômetros, o centro de vela Stavern.

O Centro da Noruega

Esta espetacular região, que compreende desde o oeste de Oslo, passando pela histórica cidade de Bergen, até o povoado de Andalsnes, acolhe às impressionante montanhas, glaciais e aos belos fiordes. Sem dúvida este é o princiapl destino para todos os viajantes.

Bergen

Bergen constitui a porta de entrada à natureza e ponto de partida para a descoberta dos Fiordes de Nordfjorf, Hardanger fjord e Sognefjord e do Parque Nacional de Jotunheimen.

Fundada no ano 1070 pelo Rei Olaf III, é hoje, uma cidade muito bem conservada e uma das mais limpas da Europa. Se distingue por suas numerosas casinhas de madeira de diferentes cores em meio de uma vegetação próxima ao paraíso.

O percurso pode começar em Torget, o mercado de peixe, um animado centro comercial em outros tempos. No bairro de Brygen, no velho porto, o visitante pode caminhar pelo Paseo Marítimo Tyskebriggen e admirar as construções de madeira do século XVII, consideradas patrimônio da Humanidade.

Também ali encontram-se a Igreja de Maria, do século XII de estilo românico; a Fortaleza do século XIII; o Museu Hanseatico, num edifício de madeira do século XVI e com a melhor coleção de móveis de época; o Museu Theta, num antigo refugio da resistência; a Torre Rosenkrantz, do século XVI; o Museu Bryggens e o Hakonshallen, impressionante construção de cerimonias construído pelo rei Hakom no ano de 1260.

Não se pode deixar de visitar os museus de Historia, Marítimo, de Arte e a Coleção de Rasmus Meyer´s. E para quem gosta de animais, nada melhor que visitar ao Acuarium, onde pode-se ver pingüins e diferentes exemplares de fauna marinha.

Para subir a qualquer das sete colinas da cidade pode pegar o Floibane, funicular ou Ulriksbane, teleférico.

A Costa e os Fiordes

Desde Bergen partem as excursões para os fiordes mais impressionantes da Noruega. Nos estreitos ramais dos fiordes coincidem altos picos de 2.000 metros de altitude com profundidades marinhas de 1.300 metros.

Existem centenas de fiordes, grandes e pequenos que serpenteiam quilômetros após quilômetros, terra adentro, abrindo-se passo entre as montanhas. Desde abaixo se assomam os picos, alguns deles com neves perpétuas.

Os fiordes, rios de gelo, assombram a todos os viajantes de espirito aventureiro. Por isso é recomendável subir a um dos muitos barcos costeiros locais que levam a lugares inacessível por estrada.

O fiorde mais próximo a Bergen é o de Hardangerfjord, em meio de uma natureza inacreditável. Porém, entre os fiordes mais populares encontra-se o de Sognefjord, o fiorde norueguês mais longo do país, com 200 quilômetros de longitude.

A experiência de navegá-lo se volta inesquecível. Na travessia pode-se visitar pequenas e pitorescas cidades como Flam, Vangsnes, Baistrand, Fjaerland, Sogndal e Nigarsbreen.

O Fiorde Nordfjord, é para muitos viajantes, o fim da viagem. Com mais de 100 quilômetros de longitude. Seu principal atrativo, além da insólita natureza, é o Glacial Briksdal, braço de gelo do Glacial Jostedal. É também, a entrada ao Parque Nacional de Jotunheimen, que compreende mais de 60 glaciais, os picos mais altos do país, assim como belos vales com lagos e cascatas.

Andalsnes encontra-se no fim do Fiorde Romdalsfjord, depois de deixar Alesund, e constitui a entrada aos fiordes do oeste.

A cidade conta com um pequeno museu, más seu principal atrativo é ser o ponto de partida para as excursões e para as ascensões. Para estes últimos é aconselhável contactar com o centro de montanhismo Aak Fjllsportsenter.

Para quem quer visitar o Geirangerfjord, de 16 quilômetros de longitude, o mais recomendável é viajar até a pequena cidade de Geiranger, em meio de cascatas muito belas como a de Storseter.

Ao norte de Alesund encontra-se Molde. O mais destacado da localidade é seu Festival de Jazz, que celebra-se no verão. Kristiansund, um histórico porto, é outra das paradas obrigatórias nesta rota pelos fiordes centrais.

O Interior da Noruega

Além dos fiordes a região central, Noruega oferece como atrativo suas montanhas e vales cobertos de bosques, rios e lagos.

Não muito longe de Oslo encontra-se Skien, a capital da região de Telemark, berço de Ibsen, o famoso autor de teatro. Poderá visitar o museu da localidade, que guarda alguns de suas recordações e a poucos quilômetros a casa de sua família em Venstop, que faz parte do museu.

A cidade industrial de Kongsberg é famosa por sua prata. Pode-se visitar sua igreja, o Museu da Mineria e o Museu do Esqui. Não muito longe estão as minas de prata de Solgruvene.

A 35 quilômetros em direção oeste encontra-se Heddal, que possui a maior igreja de madeira do país. A próxima parada é a localidade de Morgedal, onde se diz que nasceu o esqui moderno. Pode-se visitar o Museu de Bjaland, que conta como evolucionou o esqui na região.

A meio caminho entre Bergen e Oslo encontra-se Geilo, uma ativa estação invernal que atrai a numerosos turistas. Ali encontra-se o Parque Hardangervidda, o mais importante do país.

Nele habitam renas, numerosas espécies de aves e outros animais em extinção. As estações de esqui se repartem entre as montanhas da região. Não deixe de visitar a Igreja de Torpo.

Outra rota pelo interior parte de Oslo para o norte atravessando o vale de Gudbrandsdal até Andalsnes. Começamos o percurso pela localidade de Eidsvoll, situada ao pé de um lago. Foi sede dos Jogos Olímpicos de 94 e também é o lugar histórico onde se firmou a Constituição de 1814.

O seguinte destino é Hamar, onde há uma interessante catedral e um museu para visitar.

Lillehammer é uma pequena vila com apenas 24.000 habitantes, é o centro de esqui mais importante do país. Não há que esquecer que aqui se celebraram as Olimpíadas de inverno do ano 1994. Além de desfrutar da neve e da velocidade, lhe convidamos que visite a Cidade Olímpica.

A parte de ser um centro de esportes invernais de grande atividade, também está considerado um importante lugar cultural. Ali encontra-se o Museu Norueguês da História do Transporte e o Museu de Arte, que guarda uma das melhores coleções do período romântico nacionalista, o Museu Folclórico de Maihaugen, com uma exibição de casas de madeira, e o Centro Cultural Kulturhuset Banken, alojado num antigo banco.

Em Gausdal, mais ao norte, há uma estrada que corre entre colinas que toma o nome de um dos personagens de Ibsen, Peer Gynt. Seguindo o caminho para o norte pelo desvio a Lom, uma pitoresca vila de casas de madeira com uma curiosa igreja, encontra-se o Parque Nacional de Jutunheimen.

Retomamos a estrada principal para chegar a Lesja, rodeada de paisagens admiráveis que incluem um formoso lago. Para contemplar a parede rochosa mais alta da Europa, Trollveggen, há que acercar-se a Horgheim.

No extremo norte oriental da região central da Noruega encontra-se Roros, um povoado minero. Pode-se visitar sua parte antiga com as típicas casas dos trabalhadores das minas de cobre que povoavam o lugar (todavia pode-se ver alguma). Também poderá visitar sua igreja e o museu da cidade.

O Norte da Noruega

A impressionante região do norte do país se caracteriza por uma vasta extensão, a maior parte dentro do Círculo Polar Ártico. Sua geografia compreende desde as majestosas montanhas da costa até as pequenas vilas de pescadores.

Entre os lugares mais relevantes encontra-se Trondheim, a terceira cidade do país, com interessantes lugares para visitar como a Catedral, a construção medieval mais importante de Escandinávia, o Palácio Arzobispal, o edifício secular mais antigo do país, assim como diferentes museus.

Numerosos fiordes estendem-se sobre a costa antes de chegar ao Círculo Polar Ártico. Ali encontra-se o Polarsirkelsenteret, onde se oferecem documentais sobre o país.

Por encima desta linha encontra-se a cidade de Bodo, um importante lugar da zona norte. A poucos quilômetros localiza-se Saltstraumen, um lugar único onde a água e a terra se misturam oferecendo um espetáculo de grande beleza.

Ilhas Lofoten

Se é você um viajante aventureiro tem que fazer uma visita às Ilhas Lofoten, pequenos pontos do planeta com um encanto especial por suas construções e sua ancestral forma de viver. São, ademais, a capital da pesca nos meses de inverno, pois devido a sua localização e a diferentes correntes de ar, encontram-se em meio de um microclima.

Só é necessário dizer que aqui as temperaturas nunca descendem em abaixo dos 3 graus centígrados. Por outro lado, as ilhas constituem o ponto de partida para a observação das baleias que emigram para esta zona desde primeiro de junho até finais de setembro.

As quatro ilhas principais (Austvagoy, Vestvagoy, Flakstade e Moskenes), são irremediavelmente formosas. Estão unidas por pontes e túneis, onde transcorre o tráfico terrestre.

Vá depois a Narvik para visitar o Museu da Guerra, que recorda a invasão que sofreu Noruega durante a Segunda Guerra Mundial. Ao norte das ilhas Lofoten estão outras ilhas, as Ilhas Vesteralen, com pitorescas aldeias de pescadores. Harstade encontra-se situada na maior ilha da Noruega, Hinnoya, que conta com um importante festival cultural que celebra-se em verão.

Tromso

A Tromso, capital do norte da Noruega, é chamada “o País do Norte”. Além de ser formosa tem-se convertido num dos centros mais importantes de pesquisa, pois ali encontra-se o Radar Eiscat, o mais potente do mundo. Desde ali realizam-se importantes estudos das zonas altas da atmosfera, enquanto que o Instituto de Geofísica, conta com um observatório especial para o estudo da Aurora Boreal, ao lado do Lago Prestavnet.

Laponia

Em Finnmarksvidda, na Laponia Noruega encontra-se Nordkapp, o Cabo Norte, o teto da Europa. Mais além é difícil chegar. Aqui vivem 20.000 lapones dedicados em parte ao pastoreio dos renas. Outra atividade econômica, muito recente, é o turismo.

Sem dúvida, a chegada de viajantes está transformado o lugar e os costumes, pois antes se vivia fundamentalmente da pesca. Muito perto está Honningsvag, onde pode-se ver uma curiosa igreja de madeira.

A uns 640 quilômetros de Cabo Norte encontram-se as Ilhas Spitzberg, um território virgem, ideal para montar em trenó, praticar o esqui ou a moto de neve. Pode-se ir em avião saindo desde Tromso até a capital, Longyearbyen, cujo entorno goza de uma fauna fascinante, entre a que se incluem baleias brancas, focas, morsas e diferentes tipos de aves.

A cidade pesqueira de Hammerfest é a mais setentrional do mundo. Nela encontra-se a Real Sociedade do Antigo urso Polar.

Alta é um dos principais portos do norte. Ali poderá admirar importantes gados rupestres, que formam parte do museu da cidade (se localizam em Hjemmeluft, às aforas de Alta).

Ao outro lado da meseta lapona acha-se Karasjok, sede do Parlamento lapão. A cidade possui um museu onde se conta a história e tradições desta interessante cultura. Desde aqui pode-se atingir Lakselv.

Vale a pena visitar, antes de deixar Noruega, a Linha de Flamsbana, uma obra de engenharia, com uma longitude de 20 quilômetros para salvar um desnível de 865 metros, sem esquecer o Novo Norsk Villakssenter, Centro Norueguês do Salmão Silvestre.

No extremo norte da Noruega, quase na fronteira fino-rusa encontra-se a Península de Varanger. É uma das zonas mais remotas da Noruega, território sami, onde os lapones vivem da cria de renas.

Os fiordes chegam até o mar, tapizados com um frondoso céspede onde anidam aves maravilhosas. Kirkenes, que foi invadida muitas vezes dada sua posição, surpreende pela sua exuberante vegetação.

O clima é mais bem seco e em verão pode-se chegar aos 30 graus centígrados graças à influência da corrente do Golfo.

Muito perto está o Parque Nacional Ovre Pasvik, que possui também uma exuberante vegetação.

Fonte: www.rumbo.com.br

Noruega

Capital: Oslo
Idioma: Norueguês
Moeda: krone norueguês
Clima: continental úmido e tundra
Fuso horário (UTC): +1 (+2)

Pontos turísticos

Bergen

Segunda maior cidade do país, essa cidade histórica possui uma atmosfera cultural com telhados vermelhos e é um dos pontos de partida para os fiordes, como o Sognefjord, o maior e mais profundo; o Hardangerfjord, com a melhor paisagem, o glaciar Jostedalsbreen e as quedas d´água de Geirangefjord.

Hammerfest

Cidade pesqueira de 10.000 habitantes, é considerada por muitos como a cidade mais ao norte do mundo. É um dos destinos para os que querem ver a Aurora Boreal.

Fonte: www.geomade.com.br

Veja também

Hino Nacional da República Democrática do Congo

Debout Congolais PUBLICIDADE Debout Congolais (Levanta congolês) é o hino nacional da República Democrática do …

Locais Turísticos da República Democrática do Congo

BRAZZAVILLE PUBLICIDADE É um lugar muito interessante, muito verde, com uma Basílica, Mercados e o …

República Democrática do Congo

PUBLICIDADE O território que hoje leva o nome de República Democrática do Congo tem sido habitada por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.