Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Peru  Voltar

Peru

 

 

Não sabemos ao certo quão longe podemos traçar a história da humanidade no Peru como novas descobertas estão empurrando para trás no passado muito distante do início da habitação humana nestas terras.

Até recentemente, só pensei que a vida civil humana começou cerca de 7000 anos atrás ..... Chilca foi habitado cerca de 4000 aC, e os outros dois sites de cerca de 2000 aC. Os habitantes pescados com redes ou com anzóis de osso e mariscos coletados como caranguejos e ouriços do mar.

Várias culturas foram cultivadas, incluindo o algodão, que apareceu cedo (cerca de 3000 aC), bem como pimentas chili, abóboras e feijão ", cerca de 1400 aC, o milho. O algodão foi usado para fazer roupas, principalmente com as técnicas simples de entrelaçamento e mais tarde pela tecelagem.

Aproximadamente contemporâneo com esses assentamentos costeiros foi o local enigmático de Kotosh perto Huanuco - uma das primeiras ruínas no planalto do Peru. Pouco se sabe sobre as pessoas que viveram aqui, mas seus edifícios foram os mais desenvolvidos para esse período, e fragmentos de cerâmica encontrados aqui são anteriores por várias centenas de anos os encontrados em outras partes do Peru.

Por volta de 1250 aC a 850 aC, são restos do Vale Viru e área Guanape, cerca de 50 km ao sul de Trujillo, na costa norte, que mostram que, durante este tempo, a cerâmica desenvolvida a partir de rudes potes undecorated para esculpido, potes incisas e simplesmente colorida de alta qualidade.

Tecelagem, pesca e horticultura também sem comprovação e oferendas funerárias simples foram encontrados. Após estes primeiros tempos que começar a ter um melhor conhecimento dos primeiros habitantes do Peru.

A faixa costeira em torno de 4000 aC foi mais úmido do que deserto de hoje e uma série de pequenos assentamentos foram estabelecidos, alterando assim o estado do povo de caçadores e coletores nômades para agricultores assentados e pescadores.

Vários desses assentamentos foram escavadas, com os montes de lixo que rendem as melhores informações sobre a vida naquela época. Alguns dos melhores sites conhecidos são Huaca Prieta, no Vale Chicama perto de Trujillo, Chilca e Ásia, ao sul de Lima.

As pessoas viviam em um quarto primitivas habitações, revestido com pedra em Huaca Prieta, ou tinham cabanas ramo ou junco como na Ásia. Cerâmica e metais ainda eram desconhecidos, embora jóias feitas de osso e concha foi usado.

Peru

HISTÓRIA: MÉDIO OU PERÍODO CHAVIN

Este período é chamado depois que o site de Chavin de Huantar, 40 km a leste de Huaraz no Departamento de Ancash. Ele também é conhecido como o período formativo médio e durou de cerca de 850 aC até 300 aC.

Ele é considerado um "horizonte", porque suas influências artísticas e religiosas pode ser visto em várias culturas contemporâneas, incluindo a cerâmica Cupisnique da região de Lambayeque (norte de Trujillo) e da cerâmica precoce de Paracas Cavernas (ao sul de Lima). Assim, a influência Chavin foi sentido em uma área enorme cobrindo a maior parte do norte de dois terços dos altiplanos do Peru ea costa.

Cerca de 300 aC, o estilo Chavin de repente e inexplicavelmente desapareceu e houve pouca unidade nas culturas encontradas no Peru durante os próximos 500 anos. Embora nenhuma dessas culturas foram individualmente excelente ou generalizada, vários foram importantes no local.

Os mais conhecidos são a cultura Salinar da área do Vale Chicama perto de Trujillo e da Necrópole de Paracas sul de Lima.

Cerâmica Salinar mostrar avançou disparando técnicas, enquanto os têxteis da Necrópole de Paracas são aumentadas e diferente das Cavernas anteriores Paracas: esses tecidos são considerados os melhores pré-colombianas têxteis ter sido produzido em qualquer lugar das Américas.

Mais importante, este período representa o maior desenvolvimento inicial em tecelagem, cerâmica, agricultura, religião e arquitetura - em uma palavra, a cultura. Muitos arqueólogos ver o horizonte Chavin como o desenvolvimento cultural mais importante do Peru pré-colombiano.

A particularidade da influência Chavin é a representação repetida de um jaguar estilizado, daí a Chavin é muitas vezes chamado de um culto de adoração jaguar.

HISTÓRIA: PERÍODO REGIONAL - Wari EMPIRE

Este período durou de cerca de 100 dC a 700 dC e, como o nome sugere, não foi marcado por nenhum horizonte unificador, mas pelo desenvolvimento local em várias regiões. Metalurgia, cerâmica e tecelagem chegou a um auge de desenvolvimento tecnológico em todo o Peru e, portanto, este período é muitas vezes referida como quer o.

Fluorescente ou Classic Duas culturas distintas deste período são particularmente notado por sua cerâmica excepcional - o Moche da área de Trujillo e as pessoas de Nazca da costa sul. Estas culturas registradas suas formas de vida em intrincados detalhes em suas cerâmicas e assim oferecer arqueólogos com um valor de referência inestimável. Muitos dos principais museus do Peru tem boas coleções de Nazca e cerâmica Moche.

Logo depois encontramos os sinais de uma nova cultura na cidade serrana de Wari (Huari), cerca de 25 km ao norte de Ayacacho. Wari foi a capital do império expansionista primeiro conhecido nos Andes. Ao contrário do anterior Horizon Chavin, a expansão não se limitou à difusão da influência artística e religiosa.

Os Wari eram vigorosos conquistadores militares que construíram e mantiveram postos importantes durante a maior parte do Peru. Estes incluíram Pikillacta perto de Cuzco, Cajamarquilla perto de Lima, perto Wilcahualn Huaraz, perto Wariwillka Huancayo, Wiracochapampa perto Huamachuco e Paredones Los perto Cajamarca.

A cultura Wari foi a primeira cultura fortemente militarista e urbana do Peru. Além disso, ele foi influenciado pela religião Tiahuanaco da região do Lago Titicaca.

Os Wari tentou subjugar as culturas que eles conquistaram por fazer valer os seus próprios valores e suprimir locais tradições orais e regionais auto-expressão.

As culturas Moche e Nazca deixou alguns sites interessantes que valem a pena visitar: a Moche construíram pirâmides enormes como os Templos do Sol e da Lua perto de Trujillo e do Nazca fizeram suas enigmáticas petroglifos gigantes no deserto.

Estes últimos são conhecidos como as Linhas de Nazca e são melhor apreciadas pelo ar em um dos sobrevoos muitos pequenos aviões disponíveis na cidade de Nazca. Assim, a partir de cerca de 700 dC a 1100 dC, a influência Wari é observado na tecnologia, arte e arquitetura da maioria das áreas no Peru.

Mais significativamente, a partir de um ponto de vista de arqueólogo, as tradições locais orais que podem ter existido foram proibidos pelos conquistadores e lentamente esquecido. Sem linguagem escrita e não tradições orais, os arqueólogos devem confiar totalmente na análise dos artefatos escavados para ter uma idéia de como era a vida nas primeiras culturas peruanas. Os Wari também por sua vez, foram derrotados e sua cultura destruída.

História: o período regional dos Estados

Estes estados separados regionais prosperou durante os próximos 400 anos, sendo o mais conhecido o reino Chimu na área de Trujillo. Sua capital era a cidade grande adobe de Chan Chan, que é muitas vezes referida como a maior cidade de adobe do mundo.

Aproximadamente contemporâneo com o Chimu era a cultura Chachapoyas do Rio Utcubamba bacia do Departamento de Amazonas. Seu povo construiu Kuelap, um dos mais misteriosa das ruínas montanhosas.

Também contemporâneo com o Chimu foram as pessoas Chancay do Vale Chancay ao norte de Lima. A melhor coleção de artefatos Chancay é no excelente Museu Amano, em Lima. Mais a sul, foi a cultura Ica-Chincha cujo artefatos podem ser vistos no Museu Regional de Ica.

Havia também várias pequenas tribos que viviam altiplano, perto do Lago Titicaca e eram freqüentemente em guerra um com o outro. Eles deixaram impressionantes, torres funerárias circulares que pontilham a paisagem desoladora - os melhores são para ser visto em Sillustani.

Havia também o Chanka que viveu na área de Ayacucho-Apurfmac e, claro, não era o reino de Cuzco, que foi o antecessor do maior império pré-colombiano no continente. Por causa de sua dominação cultural e opressão, não é de estranhar que os Wari não foram geralmente bem recebida, apesar de suas melhorias no desenvolvimento urbano e organização. Por volta de 1100 dC que tinha sido derrubado, não por uma nova força conquistas, mas por grupos individuais em suas áreas locais.

HISTÓRIA: O Império Inca

O Império Inca, por sua grandeza, existe há apenas um século. Os incas não tinham linguagem escrita e sua história era totalmente oral, passada de geração a geração. Manco Capac foi o primeiro dos governantes incas. Os reinados dos incas sete que conseguiram Manco Capac atravessou um período de todo o século 12 ao início do século 15.

A pequena tribo eles governaram foi um dos vários grupos que vivem no planalto andino durante os séculos 13 e 14. Estes Incas deixaram poucos sinais de sua existência, embora os restos mortais de alguns dos seus palácios ainda pode ser visto em Cuzco.

O Inca 9, Pachacutec, começou a grande expansão do império. Até seu tempo, os incas tinham dominado apenas uma pequena área perto de Cuzco, freqüentemente com escaramuças, mas não conquista, várias tribos montanhosas outros. Uma tribo tal, os Chancas expansionistas. ocuparam a região, cerca galinha LS0 leste de Cuzco e, por 1438 estava à beira de Cuzco conquistar.

Viracocha Inca e seu filho mais velho, Urcon, acreditavam que seu pequeno império foi perdida, mas o terceiro filho de Viracocha Inca recusou-se a desistir da luta. Com a ajuda de alguns dos generais mais velhos, ele reuniu o exército Inca e, em uma desesperada batalha final, conseguiu derrotar os Chancas.

Segundo a lenda, a inesperada vitória foi ganha, porque as pedras no campo de batalha se irritou em guerreiros e lutaram ao lado do Inca. O filho mais jovem vitorioso mudou seu nome para Pachacutec e proclamou-se o novo Inca sobre o seu pai e irmão mais velho. Estimulado por sua vitória sobre os Chancas ele começou a primeira onda de expansão que era para, eventualmente, criar o Império Inca.

Durante os próximos 25 anos, ele conquistou a maior parte dos Andes central entre os dois grandes lagos Titicaca e de Junin. Huayna Capac, o Inca 11 foi o último a governar um império unificado. Por esta altura, os europeus tinham descoberto o novo mundo e várias epidemias começou a varrer para baixo sobre o Império. Um civil foi também entrou em erupção.

Em 1532, após vários anos de guerra, batalha-endurecido Atahualpa tropas venceu a grande batalha da guerra civil e capturou Huascar fora Cuzco. Atahualpa, o Inca novo, retirou-se para Cajamarca para descansar. Enquanto isso, Francisco Pizarro desembarcou no norte do Equador e marchou para o sul, na esteira das conquistas de Atahualpa.

Embora Atahualpa foi, sem dúvida ciente da presença espanhola, ele estava muito ocupado lutando contra a guerra civil que se preocupar com um pequeno grupo de estrangeiros. Expansão principal do império ocorreu nos 100 anos ou mais, antes da chegada dos conquistadores. Nosso conhecimento de sua história remonta aos "crônicas", que incluía contas da história Inca como relacionado pelos incas para os cronistas espanhóis.

Como uma figura poderosa militar, os historiadores têm frequentemente comparado Pachacutec aos gostos de Alexandre, o Grande e Genghis Khan. Ele também era um grande desenvolvedor urbana. Pachacutec concebeu forma da cidade puma famoso e desviada dos rios Sapphi e Tullumayo em canais que atravessaram a cidade, mantendo-o limpo e fornecendo-o com água.

Ele construiu terraços agrícolas e muitos edifícios, incluindo o templo Coricancha famoso e seu palácio no que hoje é o canto ocidental da Praça de Armas de Cusco.

HISTÓRIA: A CONQUISTA

No outono de 1532, no entanto, Pizarro foi no norte do Peru, Atahualpa derrotou Huascar e um fatídico encontro foi arranjado entre o Inca e Pizarro. O encontro, que teve lugar em Cajamarca em 16 de Novembro de 1532, foi o de mudar o curso da história sul-americana.

O Inca foi emboscado por uma dúzia de conquistadores armados, que conseguiram capturar Atahualpa, matando milhares de índios desarmados e encaminhamento de dezenas de milhares de pessoas. A conquista dos Incas tinha começado.

Após a realização de Atahualpa prisioneiro e depois assassiná-lo, ele marchou para Cuzco e foi aceito pelo povo, porque sua lealdade estava mais com o Huascar derrotado do que com Atahualpa. A segunda razão foi a armamentos superiores espanhol. Montado a cavalo, protegidos por armaduras e espadas de aço balançando a cavalaria espanhola era praticamente imparável.

Os espanhóis invadido dezenas de desprotegidos índios guerreiros até a morte durante uma batalha. Os índios responderam com suas armas habituais - clubes, lanças, estilingues e flechas - mas estes eram raramente letal contra o montado, blindadas conquistadores. Pizarro próprio entrou em Cuzco 08 de novembro de 1533, depois de vencer uma série de batalhas na estrada de Cajamarca.

Por esta altura, Atahualpa foi morto e Pizarro nomeou Manco, um irmão com de Huascar, como um fantoche Inca. Por quase três anos, o império se manteve relativamente pacífica sob o domínio de Manco Inca e Pizarro.

Em 1536 Manco Inca percebeu que os espanhóis estavam lá para ficar e decidiu tentar expulsá-los do seu império. Ele fugiu do espanhol e levantou um enorme exército, estimada em mais de 100.000. Ele cercou os espanhóis em Cuzco e quase conseguiu derrotá-los. Apenas um desesperado, fuga de última hora de Cuzco e uma batalha violenta em Sacsayhuaman salvou o espanhol da completa aniquilação.

Manco Inca recuou para Ollantaytambo e depois para a selva em Vilcabamba. A conquista teve sucesso por duas razões principais. Em primeiro lugar, Pizarro percebeu que a emoção da recente guerra civil ainda estava alta e decidiu transformar isso em sua vantagem.

Nas primeiras batalhas, os índios foram pavor de cavalos dos espanhóis e armas de fogo primitivas, nenhum dos quais tinha sido visto nos Andes. Demorou Pizarro quase um ano para chegar a Cuzco após a captura Atahualpa.

Em uma tentativa de recuperar sua liberdade, o Inca ofereceu um resgate de uma sala cheia de ouro e duas salas de prata. Este era para ser trazido de Cuzco. Para acelerar o processo, Pizarro enviou três soldados para Cuzco no início de 1533 para tirar Coricancha ou o "Pátio de Ouro", de sua rica ornamentação.

História do Peru

Falar da história do Peru, assim como do resto da américa latina, é importante diferenciar duas grandes épocas, a anterior à chegada de Colombo, em 1492, a a posterior, sem bem a história anterior a Colombo goza de grande importância, sobretudo por Machu Picchu, uma obre arquitetônica Inca que se converteu numa das sete maravihas do mundo.

Os primeiros indícios de vida humana no que hoje conhecemos com Peru encontramo-os no 17500 antes de Cristo, época em que os primeiros homens chegaram a este território. Um pouco mais tarde, se nos basearmos na antiguidade, encontramos os primeiros vestígios de agricultura, concretamente na Gruta do Guitarrero, hà masi de 12,000 anos a.C.

Já no III milénio antes de Cristo instalaram-se nestes territórios as priemiras grandes cidades estado, a civilizaçao de Caral assentou-se nesta zona, esta populaçao é considerada das mais antigas do continente americano.

Devemos destacar aqui a cultura wari, a pirmeira que desenvolveu um modelo de estado andino, com o nascimento de cidadesimperialistas, destacando os incas, que anexou diversas povoaçoes da regiao sul americana, criando o primeiro grande império, o Império Inca. É nesta época quando se constroi a pequena cidade de Machu Picchu, atualmente uma das seta maravilhas do mundo.

Em 1492, Cristóvao Colombo chegou à América, e a regiaoa começou um processo de colonizaçao. No caso do Peru, por ficar na costa oeste latino americana, esse momento nao chegou até ao século XVI, quando até estas terras chegou Francisco Pizarro, quem conquistou estas terras com o apoio dos incas.

É a partir deste momento quando a fisionomia, a forma de vida, a política e as costumes muda no Peru, com o Virreinato, mas também nescem os primeiros movimentos separatistas e independentistas, como o de Túpac Amaru com a insurgência separatista indígena, ou a insurgência criola. Em príncipio foram calados rapidamente, mas em 1821, o Peru conseguiu a sua idenpendência de Espanha.

Em 1821 o movimento independentista do general argentino José de San Martín, e em 1824 o general venezuelano Simón Bolívar conseguiram a independência di país, uma independência que trouxe consigo uma luta interna na recente criada República do Peru, uma luta pelo poder, uma luta entre o exército unido Restaurador e a Confederaçao Peru-Boliviana, que perdeu contra os primeiros na batalha de Yungay.

O priemiro governo constitucional foi de Ramón Castilla,com anos de guerras, batalhas como a que tiveram com Espanha pela Ilha Chincha, logo veio a guerra com o Chile, em que o Peru caiu derrotado na recordada Batalha de Arica.

Na atualidade, o Peru é um país que vive evoluindo, e deixando para trás episódios negros como o de Sendero Luminoso, ou o MRTA, movimentos que surgiram nos anos 80 pela crise econômica que se vinha arrastando pelo país.

Dados de interesse:

Nome: Peru. República do Peru.
População: 29 milhões de habitantes.
Localização: costa oeste da América do Sul. Oceano Pacífico.
Língua: Castelhana, Quíchua, aimara.
Religião: Cristianismo, Católica. Há também os protestantes, ateus e aqueles que professamo Islã.
Forma de Governo: República Presidencialista. Desde 1821. Independência da Espanha.
Costa: com cerca de 3.000 km do litoral do Oceano Pacífico.
Moeda: Nuevo Sol ou PEN. 1 £ = 3 PEN.
Nativos: peruano / a.
Pico mais alto: Huascarán com cerca de 6 768 metros de altura.
Natureza: o Parque Nacional de Paracas é o enclave principal do país é natural. Com mais de 335.000 hectares.
Regiões ou departamentos: 24, 10 de costa e 14 de interior.
Atrações: Turismo de desportos, turismo de natureza, turismo de cultura e turismo de sol e praia.

Fonte: colegiosaofrancisco.com.br

Peru

Peru é um país da América do Sul.

A capital é Lima.

A principal religião é o Cristianismo.

As principais línguas são o Espanhol e o Quechua.

O antigo Peru foi sede de várias proeminentes civilizações Andinas, especialmente a dos Incas, cujo império foi capturado pelos conquistadores Espanhóis em 1533. A independência Peruana foi declarada em 1821, e as demais forças Espanholas derrotadas em 1824.

Depois de uma dúzia de anos de regime militar, o Peru voltou à liderança democrática em 1980, mas experimentou problemas econômicos e o crescimento de uma insurreição violenta. A eleição do Presidente Alberto Fujimori em 1990 marcou o início de uma década que viu uma reviravolta dramática na economia e progressos significativos na redução da atividade guerrilheira.

No entanto, a confiança crescente do presidente em medidas autoritárias e uma crise econômica na década de 1990 geraram crescentes insatisfações com o seu regime, o que levou à sua expulsão em 2000. Um governo provisório supervisionou novas eleições na primavera de 2001, que marcaram o início de Alejandro Toledo Manrique como o novo chefe de governo - o primeiro presidente democraticamente eleito do Peru da etnia Americana Nativa.

A eleição presidencial de 2006 viu o regresso de Alan García Pérez, que, após um decepcionante mandato presidencial de 1985 a 1990, tem supervisionado um sólido desempenho macroeconomico.

O Peru é o terceiro maior país da América do Sul (depois do Brasil e da Argentina). Ele está localizado na costa ocidental do continente. Grande parte do país encontra-se nos imponentes e nevados Andes, a grande cordilheira que percorre toda a extensão da América do Sul.

O Peru foi o centro do vasto Império Inca. Conquistado pelos Espanhóis nos 1500s, ele foi uma fonte de grande riqueza para a Espanha. Por quase 300 anos, a Espanha governou o Peru como parte de seu império colonial Sul-americano.

Forças comandadas por José de San Martín, da Argentina, declararam a independência do Peru da Espanha em Lima, em 28 de Julho de 1821. O General Venezuelano Antonio José de Sucre levou as tropas rebeldes à vitória sobre as forças Espanholas em Ayacucho em 1824.

Terra

Situado na costa oeste da América do Sul, o Peru é delimitado por Equador e Colômbia ao norte; o Brasil e a Bolívia, a leste; o Chile, ao sul; e o Oceano Pacífico, a oeste. As três principais subdivisões geográficas do Peru são as planícies da costa e do litoral, o planalto Andino (conhecido como Sierra), e os sopés e planícies do leste (conhecidos como Montaña).

Da Costa

A costa e as planícies costeiras ocupam uma estreita faixa de terra entre o Oceano Pacífico e as encostas ocidentais dos Andes. Esta área estende o comprimento do país da fronteira do Equador junto à fronteira do Chile. Esta faixa de terra, variando consideravelmente em largura, é a principal área produtora de riquezas do país.

Ela contém os portos marítimos, a cidade capital, campos de petróleo importantes, o local da indústria de pesca, e o centro das atividades culturais do país.Embora a região represente apenas cerca de 11 por cento da área total do Peru, ela contém talvez 33% da população total.

Esta faixa costeira é uma extensão norte do Atacama, o deserto mais seco do mundo. Embora esta região pode não ver chuva por anos, um sistema de irrigação tornou-a a área agrícola mais produtiva do país. Algodão, cana, arroz, verduras e uvas e outras frutas são cultivados.

Apesar da proximidade do Peru ao equador, o clima do deserto costeiro é geralmente frio e úmido. Isto é devido em parte à fria Corrente do Peru (originalmente chamada de Corrente de Humboldt para o cientista Alemão que a estudou), que esfria o vento predominante sudoeste quando ele sopra em direção à terra. Durante os meses de inverno, de Junho a Outubro, a formação da nuvem que obscurece o Sol a cada dia causa uma névoa fina chamada garúa ou llovizna.

A Sierra

A região montanhosa do Peru, a Sierra, contém três grandes cadeias dos Andes. Elas formam uma barreira enorme entre o deserto costeiro do Peru e as planícies do oeste da Amazônia. As montanhas são habitualmente divididas em Cordilheira Oriental, Central e Ocidental. Estas montanhas são talvez melhor descritas como uma massa complexa de cumes desconectados, em vez de uma faixa contínua.

A Sierra ocupa mais de um terço da área do país. Ela detém cerca de 60% da população. É uma região de altos planaltos, canyons íngremes, e picos montanhosos, o maior dos quais é o Huascarán perenemente coberto de neve.

Formas vulcânicas são encontradas ao longo da parte sudoeste do planalto.

O clima da Sierra varia de temperado a frígido. Ele depende da altitude. No altitudes mais elevadas, a faixa de temperatura entre dia e noite pode ser muito grande, variando até 50 °F (30 °C). A estação chuvosa se estende de Outubro até Abril, fazendo com que os rios da área inchem. Às vezes os leitos dos rios enchem com grandes massas de pedra e barro, chamados huaycos, que podem destruir aldeias inteiras.

Os tipos de culturas cultivadas também dependem em grande medida da altitude. Nos níveis mais baixos, as culturas incluem algodão, cana de açúcar, cacau, arroz, milho e coca. Esta área agrícola é a mais densamente povoada. Acima de 8.000 pés (2.400 m), o milho, trigo, cevada, quinoa (cereal), e as batatas são cultivados.

Nos vales mais baixos, vacas, ovelhas e cabras pastam; mas as pastagens pobres das altas montanhas e planaltos fornecem quase exclusivamente para a família do camelo Americano - a lhama, alpaca, guanaco, e vicunha. As regiões Andinas também contêm os principais depósitos da riqueza mineral do Peru.

A Montanha

A Montaña compreende as encostas mais baixas do leste da Cordilheira dos Andes e as planícies no leste dos Andes, uma região muito pouco desenvolvida de selva imensa e numerosos rios conhecida como a selva, ou floresta tropical. Há poucas estradas, e os rios oferecem praticamente o único meio de transporte através da selva. A Montaña cobre mais da metade da área total do Peru. Mas é pouco povoada.

Os ricos e bem irrigados solos do setor ocidental da Montaña oferecem excelentes condições de crescimento. Arroz, tabaco, e uma variedade de frutas e vegetais são cultivados. No entanto, a dificuldade de transportar esses produtos para as grandes cidades do Peru tem limitado o desenvolvimento da área. As principais fontes de riqueza no momento são as florestas da Montaña. Eles produzem principalmente mogno e cedro, cultivados para fins comerciais.

O clima na Montaña é quente e úmido. Há chuva considerável. O mais pesado das chuvas ocorre de Dezembro a Abril. O calor, as chuvas e o crescimento pesado da selva tornam-na uma área pouco atraente para estabelecimento. Ela é habitada principalmente por povos indígenas.

Rios e lagos

Os principais rios do Peru são todos afluentes do Rio Amazonas. O Marañón é uma das cabeceiras principais do Rio Amazonas e é por vezes considerado a sua extensão superior. Subindo cerca de 85 milhas (136 km) do Oceano Pacífico, o Marañón é unido com o Rio Ucayali (outra nascente do Amazonas) e o Rio Huallaga, no curso das mais de 3.000 milhas (4.800 km) de fluxo para o leste do continente, para finalmente formar a Bacia Amazônica e desaguar no Oceano Atlântico.

Dos cerca de 50 rios e córregos que fluem da Sierra em direção oeste ao Pacífico, muito poucos contêm água todo o ano. As bocas dos maiores rios formam oásis nas areias do deserto ao longo da costa, onde floresce uma cidade, vila ou porto.

O Lago Titicaca, localizado no canto sudeste do Peru, na fronteira da Bolívia, é o maior lago da América do Sul e, à mais de 12.500 pés (3.800 m), o lago navegável mais alto do mundo. O serviço de vaporeto torna-o uma artéria principal do transporte entre o Peru e a Bolívia.

A localização do Peru na esteira do terremoto que margeia toda a costa oeste da América do Sul, tem, ao longo dos anos, dado ao país um número recorde de catástrofes, que deixaram um rastro de morte e destruição. Um dos piores terremotos da história do Peru aconteceu em 31 de Maio de 1970.

Dezenas de milhares de pessoas foram mortas, e muitas cidades grandes, de Iquitos no interior às cidades em ou perto da costa, sofreram diferentes graus de danos. A explosão das barragens transformou vales inteiros em rios furiosos, lavando centenas de casas, e os deslizamentos de terra enterraram as estradas sob toneladas de terra e pedras.

População

Quase a metade das pessoas do Peru são nativas do país. Aproximadamente 33% das pessoas são mestiças, descendentes dos Espanhóis e os povos nativos.

Não houve imigração cedo em larga escala para o Peru. Mas desde meados do século 19, pessoas de muitas nacionalidades - entre elas Indianos, Alemães, Chinêses e Japonêses se instalaram lá.

O Espanhol é uma das línguas oficiais do Peru. O Quechua, que era a língua do Império Inca, é a outra. O Aymara, e um grande número de outras línguas Amazônicas também são faladas. No passado, a maioria da população do Peru viveu na Sierra. Mas os moradores da cidade agora compõem cerca de 70 por cento da população do Peru. Mais de 20 por cento do total da população vivem na área metropolitana de Lima-Callao.

O afluxo das pessoas para as cidades criou problemas. Destreinados e em muitos casos de língua não-Espanhola, muitos imigrantes acham que trocaram sua vida de pobreza na montanha pela vida em barriadas. Barriadas são as enormes favelas que expandiram ao longo das encostas circundantes de algumas das maiores cidades do Peru. Alguns imigrantes, no entanto, encontram emprego e tornam-se parte da crescente classe média do Peru.

A vida nos Andes

Os séculos não alteraram profundamente o padrão básico de vida dos milhões de Peruanos nativos vivendo nas comunidades remotas das altas regiões dos Andes.

Os agricultores destas áreas, os campesinos, possuem pouco: uma cabana apertada de pedra ou de barro, um pequeno lote de terreno em que eles cultivam batatas, milho, quinoa, e feijão; e alguns animais. Eles ainda cultivam e irrigam suas terras usando métodos e equipamentos muito parecidos com os dos primeiros Incas.

A sua principal preocupação é manter-se com alimentos. Além de serem agricultores independentes, eles podem trabalhar como pastores, como mineiros, como servos nas grandes haciendas da Sierra, como trabalhadores migrantes, ou como meeiros sem terra. A maioria vive em nível de subsistência. Os períodos de prosperidade do Peru não têm sido compartilhados pela maioria do povo da montanha.

O contato com o resto do mundo fez as roupas mais uniformes em todo o Peru. Mas nas terras altas, as pessoas nativas podem muitas vezes ser vistas em seus trajes tradicionais. Suas roupas multicoloridas fornecem uma nota brilhante contra o pano de fundo da paisagem montanhosa, algumas delas áreas de neves perpétuas.

As mulheres usam volumosas saias varrendo chão e chapéus de feltro cuja forma e decoração indicam o lugar de origem do utente. Xales são pendurados sobre os ombros para transportar uma carga de milho ou de lã ou talvez um bebê dormindo.

Os homens usam o chullo, o distintivo boné de malha com protetores de orelha. O poncho de lã em cores sombrias ou vivas serve como sobretudo e teto para o morador Andino. As crianças são vestidas como seus pais.

Durante as festas, os povos nativos do Peru vestem suas roupas brilhantes, apresentam danças tradicionais, e bebem a chicha, uma cerveja nativa normalmente feita de milho fermentado. Outra bebida popular é o pisco, uma aguardente feita a partir de um tipo especial de uvas cultivadas na região de Pisco.

A Herança Peruana

A partir da mistura dos povos nativos do Peru e os Espanhóis vieram o folclore, a arquitetura, música, comidas, festas, e artes do Peru. Uns 80 por cento dos Peruanos são Católicos Romanos; cerca de 10 por cento são Evangélicos Protestantes. Todos são livres para seguir a fé de sua escolha.

As observâncias do Catolicismo Romano são diferentes em todo o país. Na maioria das aldeias montanhosas, as numerosas festas e dias santos são uma mistura das crenças pré-Cristãs e Católicas e dos costumes. As formas mais tradicionais e rituais do Catolicismo são observadas nas cidades costeiras e nas grandes cidades do interior.

Festivais, danças e música

Outubro em Lima é a hora da Feira de Outubro e da procissão de Nosso Senhor dos Milagres, o padroeiro de Lima. De origem Africana, o festival começou no momento do terremoto de 1746 em Lima. Uma parede em que uma cena da crucificação de Cristo tinha sido pintada permaneceu de pé, enquanto tudo sobre ela caiu a escombros.

A pintura tinha sido um objeto de adoração para um grupo de escravos de Angola. Desde então, em três dias diferentes em Outubro, uma reprodução da pintura tem sido carregada pelas ruas em uma maca pelos adoradores vestindo hábitos roxos brilhantes.

2 de Novembro é o Dia de Finados, quando as pessoas visitam seus cemitérios locais. Eles trazem presentes de flores e de alimentos que colocam nos túmulos de seus entes queridos.

O Natal é uma ocasião alegre em todos os lugares. O Carnaval antecede a Quaresma, culminando na Terça-feira de Carnaval, que também é aguardada com grande expectativa. Os preparativos para este feriado são iniciados um ano antes.

Os conjuntos, ou bandas nativas, são uma parte importante de cada festa. A música sempre foi parte integrante da vida dos povos nativos do Peru. Através dela, eles expressam seus sentimentos mais profundos - seja sobre religião, amor, ou esperanças e sonhos.

A herança musical indígena do Peru é caracterizada pela escala pentatônica ou de cinco-tons, e uma variedade de instrumentos de percussão e de sopro. Estes incluem a antara, flautas de pã; a quena, uma pequena flauta feita de um osso do animal; o pincullo, um apito ou piccolo com um tom de perfuração; e o tinya, um pequeno tambor. Os instrumentos de corda, tais como a harpa, violino e guitarra, vieram dos Espanhóis e foram adaptados pelos Peruanos.

A música do Peru é altamente regionalizada e difere de lugar para lugar. Em Cuzco, durante as festas do Inti Raymi (oferenda ao Sol), em Junho e em La Situa na época da colheita, bailarinos e cantores de todo o país reúnem-se para competir, cada um com suas próprias canções e danças típicas. Entre essas danças estão a relojera de Huancayo; a sana dos antigos escravos de Lima; e a de agua nieves dos negros Chinchano.

Arte e Arquitetura

Muitas das grandes igrejas coloniais, edifícios públicos e privados e mansões do Peru refletem a influência Moura que fazia parte do patrimonio cultural que os Espanhóis trouxeram para o Novo Mundo. O Mudéjar, ou estilo Mourisco Espanhol, é visto hoje nos afrescos, azulejos, varandas esculpidas e fechadas, e o trabalho de filigrana delicada que decora os edifícios.

Cuzco foi o grande centro da arquitetura colonial, escultura em madeira, e escultura e pintura. Os estilos tradicionais de arte Europeus foram grandemente influenciados pela escola de Cuzco, nos séculos 17 e 18. Os assuntos religiosos eram de interesse particular. No século 19, Francisco Lazo ganhou fama por seus retratos, e José Luis Montero é bem conhecido por sua grande pintura intitulada Funeral de Atahualpa.

Os artistas contemporâneos do Peru são amplamente conhecidos pela originalidade de seu trabalho. Começando nos 1930s, o distinto estilo Peruano foi liderado por José Sabogal e Julia Codesido, entre outros. Entre a nova geração de pintores talentosos está Fernando de Szyszlo, que avançou a arte da pintura abstrata na América Latina.

Artesanato

A habilidade dos Peruanos em tecidos e cerâmicas é outro legado indígena. Em todo o Peru, certas cidades ou áreas são conhecidas por seu artesanato especializado. Os artesãos em Huancayo, Puno, e Cuzco produzem bonecas da moda e lhamas de brinquedo. E eles usam a lã da alpaca, lhama, e vicunha para a tecelagem de tapetes, vestuário, e outros têxteis altamente coloridos. Objetos de cerâmica - tais como taças, utensílios e estatuetas - são feitos em todas as províncias. Os mais famosos são os touros Pucará e as reproduções Ayacucho de igrejas e altares.

Literatura

O do século 16 Cuzco-nascido Garcilaso de la Vega, também conhecido como "o Inca", foi chamado o primeiro grande escritor da America. Garcilaso de la Vega era filho de uma princesa Inca e de um conquistador Espanhol.

Ele representava uma fusão entre as culturas da Indo-América e a Europa. Em seus Comentários Reais do Peru, ele preservou para a posteridade um autêntico relato das lendas, costumes e instituições do grande império de seus antepassados.

Em 1584, a chegada da primeira prensa de impressão no Peru estimulou os esforços literários. Além de literatura eclesiástica, a maioria dos livros do século 16 eram contos ou diários escritos por oficiais Espanhóis, soldados, padres e outros.

O romance surgiu muito mais tarde por causa da rígida censura imposta às obras de ficção. Um lojista de Lima chamado Juan del Valle y Caviedes, autor de A Touch of Parnassus, ganhou reconhecimento por sua poesia.

A segunda metade do século 19 produziu dois dos maiores escritores do Peru. Ricardo Palma foi notado por seus 10 volumes das Tradições Peruanas. As novas formas de prosa e poesia de Manuel González Prada trouxeram realismo na literatura Peruana. O jornalista José Carlos Mariátegui analisou os problemas políticos e sociais do Peru em seu famoso volume de sete ensaios, Siete Ensayos.

Muitos notáveis escritores Peruanos do século 20 ganharam elogios por seus romances. Entre eles estão Ciro Alegría, que escreveu Broad and Alien is the World, e Mario Vargas Llosa, cujos trabalhos mais conhecidos incluem Conversa na Catedral, A Guerra do Fim do Mundo, e A Festa do Bode. Em 2010, Vargas Llosa recebeu o Prêmio Nobel de Literatura.

Alimentos

A culinária do Peru representa uma mistura de ingredientes e métodos Espanhóis e nativos. Nos domicílios mais prósperos do Peru, a principal refeição é comida geralmente no meio do dia. A maioria das lojas e escritórios em Lima e outras grandes cidades próximas fecham ao meio-dia e reabrem às três horas, permitindo o tempo para as pessoas irem para casa para uma refeição substancial.

Um prato popular em todo o Peru é o anticuchos. Ele é composto de pequenos pedaços de coração de boi marinado e grelhado no espeto sobre o carvão vegetal. O seviche é um prato de origem Inca. Ele é composto por cubos de peixe cru marinado em suco de limão e limão, temperado com cebola fatiada e temperos, e acompanhado por batata doce e milho verde na espiga.

Muitos aperitivos e pratos principais Peruanos apresentam uma variedade de frutos do mar. Frango, pato, e cuy (cobaia) são preparados de várias maneiras deliciosas. Há uma infinidade de frutas - manga, mamão, abacaxi, figo, melancia, abacate, marmelos, goiabas, laranjas, toranjas, e uvas - e muitos bolos e doces.

O alimento básico da Sierra é a batata resistente. A chamada "batata Irlandesa" provavelmente se originou nos Andes Peruanos ou Bolivianos, e acabou encontrando o seu caminho ao redor do mundo.

A batata pode ser cozida ou talvez comida com um pouco de ají - um tipo de pimenta usada extensivamente na culinária Andina. Existem muitos tipos de ají, variando de vermelho escuro e muito quente para amarelo-dourado e suave no sabor. As batatas são comumente servidas com um molho espesso de queijo, aji, e especiarias locais.

Educação

O governo tem sido responsável pela educação pública desde 1905. A educação é gratuita e obrigatória para todas as crianças entre as idades de 6 e 12. Desde 1963, o ensino secundário tem sido livre. Mas não é obrigatório. Para o ensino superior, bolsas de estudo são ajustadas de acordo com a renda. Elas são inteiramente dispensadas para quem não pode pagar.

Apesar do aumento no número de escolas públicas e professores ao longo das últimas décadas, o nível educacional entre muitas crianças e adultos continua a ser baixo. Estima-se que uns 92 por cento da população da nação podem ler e escrever.

Mas algumas instalações primárias e do ensino secundário não cumprem as exigências do crescimento rápido da população do Peru, especialmente nos assentamentos difíceis de alcançar na Sierra. A falta de educação é um dos principais obstáculos para elevar o padrão de vida da população nativa.

O Peru tem uma longa tradição de educação Católica privada em um nível avançado. Pelo final do século 17, o Vice-Reinado do Peru tinha estabelecido universidades em Lima, Cuzco, Trujillo, e Charcas, no Alto Peru (hoje Bolívia). A Universidade de San Marcos, em Lima foi fundada em 1551. É a universidade mais antiga do continente Sul-americano. A Pontifícia Universidade Católica do Peru em Puno foi fundada em 1917. O Peru tem universidades públicas e privadas.

Cidades Principais

Lima

Lima, capital do Peru, foi fundada às margens do Rio Rimac, em Janeiro de 1535 e foi nomeada Ciudad de los Reyes, "Cidade dos Reis", por Francisco Pizarro.

A cidade se tornou a capital mais rica e importante da Espanha no continente Sul-americano. Ela ainda mantém muito de sua herança Espanhola na arquitetura e costumes.

Hoje a Grande Lima tem uma população de vários milhões e é a principal zona industrial do país. Entre muitos outros produtos, Lima produz pneus de automóvel, fios e tecidos, produtos químicos e farmacêuticos, móveis, cimento e materiais de construção.

A praça principal da cidade é a Plaza de Armas, faceada de um lado pelo imponente Palácio do Governo. Lá a troca da guarda do palácio tem lugar a cada dia, com os participantes resplandecentes em emplumados capacetes medievais, túnicas brancas e botas de cano alto.

Também de frente para a praça estão o Palácio do Arcebispo e a catedral, em que os alegados restos de Francisco Pizarro repousam em uma caixa de vidro. Lima possui muitos museus contendo tesouros históricos e arqueológicos, e um importante arquivo nacional.

As praias do Pacífico estão por perto, e não é incomum para os Limeños, como os habitantes da cidade são chamados, tirar proveito de seus longos períodos de tempo na hora do almoço durante o verão para ir dar um mergulho. Lima afirma a primeira praça de touros nas Américas, a Praça de Acho, construída em 1763 e ainda em funcionamento.

A pista de San Felipe é palco de corridas de cavalos durante a semana. Lutas de galos também atraem espectadores interessados. O fútbol (futebol) é o esporte nacional, e tênis, golfe, polo, e alpinismo são populares entre os Limeños.

Callao

Callao é o principal porto marítimo do país, bem como a porta de entrada para Lima. Durante a era colonial, suas muralhas protegiam a cidade dos ataques de piratas e inimigos da Espanha. Foi lá que em 1824 as últimas batalhas para libertar o Peru da Espanha tiveram lugar. As maiores concentrações de estabelecimentos de fabrico do Peru estão contidas dentro da área metropolitana de Lima/Callao. A cidade também tem uma escola naval e uma base de submarinos.

Arequipa

Arequipa, o centro comercial do sul do Peru, está situada na base do nevado vulcão El Misti. A cidade é muitas vezes chamada de Cidade Branca por causa de seus muitos edifícios feitos da pedra vulcânica branca da área. Situada a uma altura de cerca de 8.000 pés (2.400 m), esta agradável cidade tem um clima ameno e sol perpétuo.

As ricas regiões agrícola e pecuária em torno de Arequipa provêm o importante tingimento e a indústria do couro com peles para calçado e outros artigos de couro, lã para a fabricação de têxteis e alimentos para processamento.

Trujillo

Trujillo, a cidade da capital do Departamento de La Libertad, foi fundada em 1534. No ano seguinte, Francisco Pizarro nomeou esta cidade costeira após sua terra natal, na Espanha. Os Espanhóis ergueram uma cidade bonita modelada após a Trujillo da antiga Espanha, e muitas das graciosas igrejas e mosteiros coloniais que eles construíram ainda estão em uso.

Lá Simón Bolívar fundou a Universidade de La Libertad, em homenagem aos bravos filhos da área. Trujillo é o centro das grandes fazendas de açúcar. Suas indústrias incluem fábricas de malharia, curtumes, e processamento de alimentos vegetais.

Iquitos

Iquitos, capital do departamento de Loreto, é a principal cidade e centro comercial da vasta região da selva do Peru - o Oriente. A posição estratégica de Iquitos sobre o Rio Amazonas tem-lhe dado importância como uma cidade portuária.

Fundada em 1863, a sonolenta cidade portuária desfrutou de um breve período de prosperidade durante o boom da borracha pré Primeira Guerra Mundial. Por causa da densidade da área de floresta que circunda a cidade, nenhuma estrada ou ferrovia conecta Iquitos com o mundo exterior.

Para além de um pequeno aeroporto próximo à cidade, a única linha de vida de Iquitos com o resto do mundo é o Rio Amazonas e seus afluentes. Entre os produtos que são a base do comércio de exportação de Iquitos estão a madeira e finas madeiras de gabinetes, a leche caspi (base da goma de mascar), peles de animais, peles de jacaré, e plantas medicinais e corantes.

Cuzco

Cuzco, a antiga capital Inca, é considerada a capital arqueológica da América do Sul. Séculos de terremotos destrutivos não têm perturbado as paredes de pedra esculpida dos palácios Inca sobre as quais os conquistadores Espanhóis erigiram igrejas e mansões. A catedral de Cuzco e numerosas igrejas e conventos contêm obras de arte criadas por artistas Espanhóis e nativos.

Machu Picchu

Cerca de 50 milhas (80 km) ao norte de Cuzco está Machu Picchu, os restos do que se acredita ter sido uma cidade fortaleza Inca. No alto de uma rocha em um vale entre duas montanhas, as ruínas apresentam um panorama de casas sem teto (muitas das quais têm vários andares), e dos templos, praças e pátios ligados por escadas de pedra esculpida. Hiram Bingham, um arqueólogo dos EUA, reintroduziu a cidade para o mundo em 1911; ela tinha sido escondida pelo crescimento da selva e esquecida durante séculos.

Huancayo

Huancayo, situada no Rio Mantaro, a uma altitude de quase 11.000 pés (3.353 m), é a capital do departamento de Junín. Um importante centro de comércio e uma cidade progressista, Huancayo é conhecida principalmente por suas feiras coloridas de Domingo.

Sua Calle Real fazia parte do sistema rodoviário imperial do Império Inca, sobre o qual passaram Pizarro, Bolívar, Sucre, e outros que moldaram o curso da história Peruana. Pouco antes do amanhecer a cada Domingo, as pessoas nativas de milhas ao redor se reúnem na Calle Real para comprar e vender e para encontrar seus amigos na maior das feiras semanais ao ar livre da América do Sul.

Cajamarca

A cidade de Cajamarca, um centro agrícola e mineiro, está localizada nos Andes do noroeste do Peru. As ruínas históricas do palácio e fortaleza onde o imperador Inca Atahualpa foi preso e executado são de interesse.

Economia

Sob os imperadores Incas, o Peru foi um país agrícola com uma pequena indústria mineira. Hoje, cerca de 60 por cento dos trabalhadores Peruanos estão engajados em produzir serviços, incluindo aqueles relacionados ao governo, finanças, e comércio. Cerca de 33% estão empregados na fabricação e os restantes na agricultura.

No setor agrícola, aspargos, café, cacau, algodão, cana, arroz e batata estão entre as culturas mais importantes. O país também produz uma variedade de frutas, incluindo as uvas, laranjas, abacaxis, goiabas, bananas, maçãs, limões, e pêras.

A indústria do gado do Peru fornece couros, peles e lã para exportação. Entre os principais recursos minerais da nação estão o ferro, cobre, chumbo, carvão, zinco e petróleo. Ouro e prata têm sido minados desde os tempos dos Incas.

O primeiro barril de petróleo do continente Sul-americano é dito ter vindo de um campo de petróleo descoberto na costa norte do Peru em 1865 - que ainda está produzindo petróleo hoje. A principal zona de petróleo é encontrada ao longo da árida plataforma do Pacífico e em parte da região Amazônica.

A abundância de peixes nas águas costeiras do Pacífico e nas águas interiores da região Andina e no sistema do Alto Amazonas é outro recurso valioso. De acordo com muitos biólogos marinhos, a Corrente do Peru é a mais rica fonte de alimento do oceano no mundo.

De primordial importância está a anchova, o que faz o Peru líder mundial na produção de farinha de peixe, utilizada na alimentação de aves. Recentemente, no entanto, mudanças nas correntes oceânicas levaram ao desaparecimento periódico da anchova nas águas Peruanas.

Durante séculos, a anchova forneceu alimento para as muitas aves marinhas que freqüentam a costa equatorial e as ilhas, especialmente as do Peru. Ao longo dos anos, os excrementos dos pássaros, conhecidos como guano, tornaram-se preservados no clima seco e quente e provaram ser um valioso material fertilizante. No final do século 19, o guano era a mais importante exportação do Peru; a produção atual de guano é usada exclusivamente pela agricultura local.

As principais indústrias de fabricação do Peru estão envolvidas no processamento das matérias-primas do país em produtos acabados. O algodão e a lã domésticos são a base da importante indústria têxtil do Peru. As fundições produzem cobre refinado, chumbo, zinco e outros metais. As refinarias de petróleo produzem produtos petrolíferos.

O fabrico e a transformação de alimentos, como açúcar, farinha, óleo de cozinha e outros produtos são as principais atividades industriais. Em 2007, um acordo de livre-comércio entre os Estados Unidos e o Peru foi aprovado. Em 2008, o Peru assinou um acordo de livre-comércio com a China, que prometeu investir pesadamente no setor de mineração.

História

Arqueólogos descobriram recentemente o que se acredita ser uma das cidades mais antigas das Américas perto da costa do Peru. Esta cidade, Caral, remonta a cerca de 2000 aC, mais de 1.000 anos antes do que a vida urbana no Hemisfério Ocidental foi pensada ter começado. Ela foi seguida por outros grupos, tais como a cultura Chavín, a Moche (Mochica), a Tiahuanaco, e a Chimú, cuja capital em Chan Chan perto da moderna Trujillo foi uma das maiores cidades pré-Colombianas da América do Sul.

O reino Chimú caiu aos Incas algum tempo depois de 1450 AD. Pouco se sabe sobre estas primeiras civilizações, porque elas não tinham um sistema de escrita e, em qualquer caso, haviam sido eclipsadas pelos Incas antes da época da conquista Espanhola.

O Império Inca

Muito antes da chegada dos Espanhóis, e muitos séculos antes do Império Inca ser criado, os habitantes dos Andes Peruanos viviam em grupos comunais conhecidos como ayllus. A terra, o trabalho e a riqueza eram divididos proporcionalmente. Havia um número de civilizações altamente desenvolvidas compostas por povos pacíficos e trabalhadores.

Já em 500 aC, esses povos da planíce se tornaram construtores qualificados, entalhadores de pedra, e oleiros. A cultura Chavín com seu famoso templo remonta a antes do tempo de Cristo. Na costa estava a cultura Paracas, que produziu têxteis que eram obras-primas na textura e no design.

Os povos Chimú eram grandes construtores da cidade, como evidenciado pelas ruínas dos palácios de adobe de sua capital, Chan Chan. Outros povos, como os Moche ao norte, criaram finas esculturas e pinturas. Muito tem sido aprendido das antigas civilizações das pinturas e decorações em maravilhosamente elaboradas cerâmicas.

Os Incas eram um grupo relativamente pequeno e altamente organizado, que subjugou o resto do Peru, fundando assim um dos impérios mais notáveis da história do mundo. Fundado no final do século 11, ou, possivelmente, no século 12, o império se estendia de Cuzco ao norte pelo que é agora o Equador e ao sul pelo Rio Maule no centro do Chile e incluía o atual território da Bolívia e a parte norte da Argentina. Os Incas dividiram seu território em quatro províncias e chamaram a vasta área de Tahuantinsuyo, que significa "terra das quatro seções" em Quéchua.

Segundo a lenda, o Império Inca foi fundado por Manco Capac, um membro da família Ayar, que tinha sido ordenado por seu pai, Inti (o Sol), para encontrar uma terra digna deles. Cuzco ou Cusco, que significa "umbigo" em Quéchua, se tornou a capital e o centro do universo dos Incas. Quilômetros de estradas Incas se espalhavam de Cuzco para todas as partes do império. Partes destas estradas ainda permanecem hoje.

O trabalho era a palavra de ordem do império, e sua saudação ritual manifestava o seu princípio orientador: Manan sua, manan lluclla, manan quella ("Não roubar, não matar, não seja preguiçoso").

O Senhor Inca era supremo; após a sua morte, ele era sucedido por um outro todo-poderoso Senhor Inca. Acredita-se que o império era governado por uma sucessão de 13 líderes. Cada súdito leal desde o início até o final de sua vida vivia e trabalhava de acordo com os ditames do Senhor Inca.

O terreno pertencia à comunidade e era distribuído pelo estado de acordo com as necessidades dos seus membros. A maior divisão da terra era reservada para o Senhor Inca, outra parte para os villacs (sacerdotes), e outra dividida entre o povo. Não havia dinheiro nem necessidade para isso. Homens capazes trabalhavam a terra atribuída às viúvas e órfãos.

Os Incas baseavam sua economia na agricultura. Eles cortavam em terraços o terreno montanhoso para o plantio, efetuavam a rotação das culturas, e criaram um avançado sistema de irrigação. Eles entenderam o uso do guano como fertilizante. Eles eram mestres da marmoraria, da cerâmica e da tecelagem.

Os fortes de pedra em pé até hoje são monumentos ao gênio dos Incas na construção. Ainda é um mistério como eles transportavam os blocos de granito, alguns com mais de 20 pés (6 metros) de espessura e pesando várias toneladas, para seus locais de construção.

Igualmente intrigante é como, sem torres e com apenas ferramentas simples, eles foram capazes de encaixar os blocos juntos perfeitamente, um em cima do outro, sem argamassa ou cimento. Os Incas também eram qualificados em metalurgia, mineração e construção de pontes e estradas.

A roda, o alfabeto, e um sistema de escrita eram desconhecidos. Os Incas mantiveram suas histórias oficiais e registros por um dispositivo especial conhecido como um quipu. Ele consistia de uma série de seqüências de várias cores e números em que nós eram amarrados em diferentes formas e tamanhos para lembrar os quipucayocs, guardas dos quipus, dos números e estatísticas, eventos e fatos.

Em 1995, três bem preservadas crianças Incas mumificadas que tinham sido sacrificadas aos deuses foram descobertas. A descoberta tem dado aos arqueólogos novas informações sobre a religião Inca e sobre como os Incas a utilizaram para fortalecer o seu império.

A Conquista Espanhola

Depois que Vasco Núñez de Balboa descobriu o Oceano Pacífico em 1513, os Espanhóis no Panamá começaram a ouvir rumores de um poderoso reino ao sul, que foi chamado, por razões que ninguém conhecia, "Pelú", "Pirú", ou "Birú". Intrigado com as perspectivas de grandes riquezas, Francisco Pizarro, um dos companheiros de Balboa, contou com a companhia de Diego de Almagro, um soldado aventureiro como ele, e um padre Espanhol chamado Hernando de Luque.

Depois de duas tentativas frustradas de chegar ao seu destino, eles fizeram uma aterragem bem-sucedida no Golfo de Guayaquil em 1532. Com eles havia um grupo de menos de 200 homens.

Nesse ponto, o Império Inca estava mal preparado para resistir aos invasores Espanhóis. Uma luta pelo poder entre o Inca Atahualpa, que governava o reino do norte, e seu meio-irmão, Huáscar, governante da parte sul, tinha esvaziado o império de grande parte da sua força. Os Espanhóis e seu pequeno exército marcharam interior para Cajamarca, nos Andes, onde os esperava Atahualpa em sua sede.

Os povos nativos estavam admirados por sinais que eles nunca tinham visto antes: homens brancos, os cavalos, armas de fogo, e armaduras de aço. Os Espanhóis capturaram Atahualpa e massacraram milhares de seus soldados e seguidores.

Embora Atahualpa atendesse a demanda de seus captores pelo resgate mais estupendo da história - uma sala cheia de ouro e prata - ele foi, todavia, condenado à morte em Agosto de 1533. Sem uma liderança forte, o Império Inca se desintegrou. Dentro de três anos, Pizarro ocupou Cuzco e fundou Lima como a nova capital.

A posse da terra rica em metais preciosos causou intensa rivalidade entre os conquistadores Espanhóis. A ganância e a inveja se estabeleceram um contra o outro, e as guerras civis e a morte para os líderes resultou. Diego de Almagro foi executado por ordem de Francisco Pizarro em 1538. Em 1541, Pizarro teve o mesmo destino nas mãos dos seguidores de Almagro.

Eles por sua vez foram derrubados pelos representantes da Coroa Espanhola no ano seguinte. Em 1548, as ambições do irmão de Francisco, Gonzalo, para tornar-se rei do Peru foram terminadas com sua execução. Daquele tempo até o movimento de independência em 1820, o poder da Espanha manteve-se praticamente incontestado no Peru.

O Vice-reinado

O Peru cresceu para se tornar o mais rico e mais poderoso dos vice-reinados da Espanha na América. Sua jurisdição se estendia ao longo de quase toda a América do Sul. O vice-reino foi dividido em audiencias, similar aos distritos judiciais, e as províncias.

Havia rígidas distinções de classe durante o período colonial. Os criollos, nascidos na América Espanhola, foram excluídos de todas as posições importantes oficiais. Em vez disso, tais cargos foram dados aos membros da aristocracia Espanhola, nomeados do monarca em Madrid. Os mestiços estavam abaixo do criollos nas esferas econômica, social e política.

O povo nativo formava ainda uma outra classe separada, que foi escravizada pelos conquistadores e forçada a trabalhar nas minas. O trabalho forçado, as más condições de vida e a exposição às doenças Européias causaram grandes danos aos povos nativos do Peru.

O sistema de encomienda de distribuir aos aristocratas Espanhóis enormes extensões de terra e povos indígenas para trabalhá-las estabeleceu um padrão que deu origem aos sérios problemas que têm persistido até o presente momento.

Durante a era colonial, o comércio do Peru foi confinado à Espanha. Suas principais exportações foram de ouro e prata, das quais o rei afirmava seu "quinto real" (20%). Os navios carregados com ricas cargas com destino a Europa atraíram os piratas e corsários às águas Peruanas.

A insatisfação com o poder Espanhol cresceu entre os longamente explorados criollos e mestiços. Lentamente, um movimento revolucionário começou a enraizar-se. Pessoas em toda parte estavam proclamando seu direito de governar a si mesmos. O sucesso da Revolução Americana de 1776 e da Revolução Francesa em 1789 encheu o ar com os pensamentos de liberdade.

A Guerra da Emancipação

A primeira grande revolução contra o domínio Espanhol teve lugar em 1780. Ela foi liderada pelo chefe nativo José Gabriel Condorcanqui, que assumiu o nome do último imperador Inca, Tupac Amaru. O levante foi provocado pela raiva ao longo dos muitos atos opressivos cometidos contra o povo nativo.

Ele coincidiu com as revoltas dos moradores de Nova Granada. Ambas as revoltas foram duramente reprimidas. Embora o movimento revolucionário da época não tinha uma forte liderança, o cenário estava sendo estabelecido para o início formal da revolução na América Espanhola em 1810.

O Peru foi a última das colônias à obter a independência da Espanha, pois, como o centro do poder Espanhol, ele continha o maior e melhor exército da Espanha. A liberdade finalmente foi conquistada com a ajuda de forças que vieram de fora do país.

Duas figuras dominaram este período. Um foi o General José de San Martín, que, com um navio carregado de soldados Chilenos e Argentinos, partiu de Valparaíso, Chile, para libertar o Peru. Os patriotas Peruanos reuniram-se a San Martín, e a independência foi proclamada em 28 de Julho de 1821.

San Martín se recusou a tornar-se o chefe da nação, mas concordou em aceitar o título de protetor. Assolado por muitos problemas, ele solicitou a colaboração do libertador Venezuelano, o General Simón Bolívar, a outra grande figura do período. San Martín não conseguiu chegar a um acordo com Bolívar em uma reunião histórica realizada em Guayaquil, Equador.

Em Julho de 1822, San Martín abandonou o poder e, alguns meses mais tarde, deixou o país. Ele ainda é homenageado pelo Peru como seu libertador. Bolívar assumiu a liderança indiscutível do Peru em 1823, mas ele devolveu o poder ao Congresso em 1825.

O domínio Espanhol na América chegou ao fim com a batalha travada pelas forças de Bolívar sob o comando do General Antonio José de Sucre em Ayacucho em 9 de Dezembro de 1824. Após esse evento, a República de Bolívar (hoje Bolívia) foi proclamada. Bolívar voltou para Lima, mas seu reinado no Peru foi abruptamente terminado no ano seguinte por forças Peruanas que se opunham a ele.

Da República

O Peru, como as outras novas nações Sul-americanas, não estava preparado para a mudança repentina de auto-governo. Facções dentro do governo competiam entre si pelo poder político. A luta trouxe consigo uma série de constituições e governantes, revoltas internas e guerras com as repúblicas vizinhas durante as duas primeiras décadas da independência.

O primeiro período de progresso social e econômico aconteceu quando Ramón Castilla tomou o poder em 1844. O país prosperou a partir de suas vendas do guano e do nitrato de sódio (fontes de fertilizantes e da pólvora) extraídos no deserto árido do sul. Em 1862, a Espanha tentou reconquistar suas ex-colônias na América, e as tropas Espanholas tomaram as desabitadas e ricas em guano Ilhas Chincha. No decorrer do conflito, Callao foi bombardeada. A guerra da Espanha contra o Peru durou até 1866.

A disputa Tacna-Arica entre a Bolívia e o Chile sobre as terras dos nitratos do Deserto de Atacama culminou em 1879 com a desastrosa Guerra do Pacífico. Por causa de uma aliança defensiva com a Bolívia, o Peru foi arrastado para a guerra contra o Chile. A vitória Chilena deixou o Peru à falência.

A guerra terminou em 1883 pelo Tratado de Ancón, que criou problemas territoriais que turvaram a vida da América do Sul e perturbaram as relações Peruano-Chilenas por meio século. O impasse sobre os termos do tratado foi finalmente quebrado em um tratado de 1929. As fronteiras do Peru foram oficialmente fixadas em 1941, mas uma fronteira ainda é disputada com o Equador, levando a confrontos militares periódicos.

A história política do Peru continuou a ser marcada pela inquietação e o desconforto com a política dos rebocadores-de-guerra entre regimes civis constitucionais e regimes militares extra-constitucionais. Em 1924, um movimento político significativo foi organizado no México por Victor Raúl Haya de la Torre, um estudante que fundou a Alianza Popular Revolucionaria Americana (APRA).

Na eleição nacional de 1956, o povo Peruano elegeu um civil, Dr. Manuel Prado y Ugarteche, como presidente-executivo pela segunda vez (seu primeiro mandato foi 1939-45), mas o seu governo foi derrubado em 1962 por uma junta militar.

Eleições livres foram realizadas novamente em 1963 e foram vencidas por Fernando Belaúnde Terry. O mandato de seis-anos de Belaúnde foi interrompido por um golpe militar que assumiu o governo em 3 Outubro de 1968.

O governo militar que tomou o poder em 1968 dissolveu o Congresso e governou por decreto. Eleições foram realizadas em 1978 por uma assembléia constituinte que escreveu uma nova constituição. Eleições presidenciais e parlamentares foram realizadas em 1980, e um governo civil foi restaurado.

A disputa fronteiriça de 165-anos entre o Peru e o Equador irrompeu em combate em 1981. A guerra foi curta, e, após o cessar-fogo, o Equador declarou que não estava interessado em ganhos territoriais, mas sim no acesso ao Rio Amazonas para que pudesse enviar bens através do Peru aos portos do Brasil e do Atlântico.

Quando o Presidente Alan García Pérez tomou posse em 1985, ele foi confrontado com inúmeros problemas econômicos, sociais e políticos. Durante seu mandato, a inflação atingiu níveis assombrosos. O desemprego e a deterioração urbana que assolou o país foram intensificados pela alta taxa do crescimento da população do Peru e a limitação funcional da terra.

Outra grande preocupação nacional foi a violência política, especialmente quando colocada pelo grupo terrorista chamado de Sendero Luminoso, uma guerrilha Maoísta radical que defendia a destruição do capitalismo e da classe média.

Desacreditados com as forças políticas e os interesses elitistas, os eleitores Peruanos em 1990 elegeram presidente Alberto Fujimori. Sua falta de experiência política, sua ascendência Japonesa, e seu passado como um engenheiro agrícola atraíram os votos dos mestiços Peruanos das classes média e baixa. Após a eleição, Fujimori se aliou com os militares e criticou o Legislativo por sua resistência aos seus esforços para revitalizar a economia e combater a corrupção, o tráfico de drogas e a violência terrorista.

O número de mortos e o impacto político do Sendero Luminoso cresceu quando o grupo terrorista mudou seus ataques para as ruas de Lima. Em 5 de Abril de 1992, Fujimori encenou um auto-golpe, suspendendo a Constituição e as liberdades civis, dissolvendo o Legislativo e os tribunais, e concedendo-se o poder de governar por decreto.

Muitos Peruanos pareciam favorecer a ação de Fujimori, e a resposta internacional ao auto-golpe foi silenciada. A credibilidade de Fujimori foi reforçada em Setembro de 1992, quando as forças do governo prenderam o líder do Sendero Luminoso Abimael Guzmán Reynoso.

Em 1995, Fujimori foi esmagadoramente eleito para um segundo mandato de cinco-anos. Sua eleição para um terceiro mandato em 2000 foi muito controversa.

Em Novembro de 2000, depois que seu chefe de segurança foi pego subornando um legislador, Fujimori fugiu para o Japão. A legislatura se recusou a aceitar sua renúncia e votou maciçamente para expulsá-lo do cargo.

Um governo interino foi então instalado pendente de novas eleições em que o líder da oposição Alejandro Toledo derrotou o ex-presidente García no segundo turno; ele assumiu o cargo em 28 de Julho de 2001.

Embora a popularidade de Toledo posteriormente diminuísse, ele foi elogiado por estabelecer uma comissão para investigar a violência política. Estima-se que 69.000 pessoas morreram ou desapareceram durante a agitação política do Peru entre 1980 e 2000.

Em um segundo turno presidencial de 4 de Junho de 2006, o ex-presidente García derrotou o populista Ollanta Humala. Humala, que defendia a causa dos povos pobres nativos e da maioria mestiça do Peru, tinha ganho a maior parte dos votos no primeiro turno. Fujimori foi finalmente extraditado para o Peru em 2007. Ele então se tornou o primeiro ex-chefe de Estado Peruano, a ser condenado por crimes cometidos durante seu mandato.

Humala concorreu à presidência novamente em 2011. O primeiro turno da votação, em Abril, não conseguiu produzir um vencedor, levando à uma eleição presidencial de segundo turno em Junho. Nessa disputa, Humala derrotou com sucesso a desafiante Keiko Fujimori, filha de Alberto Fujimori.

Governo

A Constituição de 1979 foi suspensa em Abril de 1992 quando o presidente do Peru assumiu poderes ditatoriais. Uma nova Constituição aprovada pelos eleitores em Outubro de 1993 fortaleceu os poderes do governo central.

O Congresso bicameral foi substituído por uma legislatura de câmara única, cujos membros foram eleitos pelo voto popular. A nova Constituição também eliminou 12 regiões semi-autônomas que tinham sido criadas para aumentar a participação política dos povos nativos do Peru.

Luis Alberto Sanchez

Fonte: Internet Nations

Peru

Alfândega e Documentação

Para os cidadãos espanhóis só é preciso apresentar o passaporte em vigor com mínimo de 6 meses de validade. No momento da chegada, precisa preencher um questionário de entrada que deverá conservar-se até a saída. O oficial de migração colocará o carimbo, pelo qual será autorizado até o máximo de 90 dias.

Pode-se alongar a estadia nos locais da direção de Migração até um máximo de 180 dias.

Depois de passar os trâmites de imigração tem de passar à Alfândega, preenchendo um outro questionário de Declaração de Bens, o qual devem especificar-se os objetos de grande valor (por exemplo, jóias ou artigos sujetos à impostos).

O visitante decide se declara ou não os artigos importados em excesso. As pessoas que declaram suas importações são revisadas para a cobrança das taxas correspondentes. Os que não declaram, têm de passar por um aparelho e puxar um botão. Se a luz for verde, pode seguir sem maior trâmite; se for vermelha, terá de passar por um controle para verificar se sua declaração é correta (o aparelho funciona de forma aleatória).

Caso não seja correta, sofrerá uma forte multa e, de acordo com a gravidade da infração, pode até dar cadeia. Podem ser introduzidos, livres de impostos, 400 cigarros ou 250 gramas de tabaco ou 50 charutos, 3 garrafas de bebidas alcólicas (não mais de 2 litros e meio), material esportivo (exceto arpões para pesca), câmara de fotos e vídeo, e presentes (máximo 5).

CLIMA

Peru possui duas estações claramente diferenciadas: A estação úmida e a estação seca. A úmida vai dos meses de outubro a maio, com temperaturas muito altas, enquanto a estação seca vai dos meses de maio a setembro, com temperaturas baixas, especialmente nas zonas da serra. Ao encontrar-se no hemisfério sul, a primavera vai de setembro à dezembro, o verão de dezembro a março, o outono de março à junho e o inverno de junho á setembro.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Convém levar roupas para todo tipo de clima (devido às particulares condições geográficas do país) e sobretudo, sapatos confortáveis. Se viajar na temporada das chuvas, uma capa de chuva é imprescindível. Nas zonas da selva recomendam-se as roupas de manga comprida, calças compridas, botas e repelente para insetos (para evitar o possível as ferroadas).

Se viajar nas zonas montanhosas será necessário chapéu e óculos escuros, pois o sol é deslumbrante, e de um bom casaco para a noite, quando descem as temperaturas. Calção curto nos homens só é normal nas praias peruanas, nas outras zonas não é frequente. Se pensar em visitar clubes noturnos ou lugares de espetáculos, uma veste casual é bem aceita e não precisa de gravata.

Idioma: Os idiomas oficiais são o espanhol e o quechua. Existem, além destes, bom número de expressões nacionais e regionais que fazem do espanhol uma língua muito rica. Nas zonas da serra fala-se o qechua, enquanto que em volta do Lago Titicaca fala-se aymará, principalmente pelos Uros.

Religião: O 95% da população é católica. Existem, porém, numerosas manifestações nativas, misturadas com os ritos católicos.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica alterna entre 220 volts á 60 ciclos. As tomadas são planas do tipo americano.

Leve adaptador, se carregar aparelhos elétricos, embora em muitos lugares as tomadas estejam preparadas para os dois tipos.

Moeda e Câmbio

No ano 1991 entrou em vigor a nova moeda do Peru que substituiu os tradicionais intis: o Novo Sol (S/.), igual a 100 centavos. Existem moedas de 1, 5, 10, 20 e 50 centavos e de 1 Novo Sol. Notas de 10, 20, 50 e 100 S/. O câmbio, especialmente dólares, cheques-viagem e euros, não tem problema, por existir numerosos bancos, casas de câmbio e cambistas nas ruas. Com os últimos, precisa-se ter alguma precaução, de contar primeiro o dinheiro que vai ser entregue, contá-lo e só depois entregá-lo.

Em numerosos estabelecimentos aceitam-se cheques-viagem, assim como, a maioria dos cartões de crédito, com incremento no valor total da fatura. O melhor é levar dólares americanos em líquido.

Correios e Telefonia

O serviço de correios é econômico, porém, muito vagaroso. O horário de atendimento é das 9.00 ás 20.00 h. de segundas à sextas. Os sábados das 9.00 ás 13.00 h. Domingos está fechado. Nas mesmas oficinas dos correios existe o serviço de telegramas e telex.

As ligações locais são relativamente baratas. Existem cabines públicas nas principais cidades, porém, nas povoações rurais precisa recorrer aos locutórios públicos da ENTEL, a companhia de telefones do Peru, com participação da Telefônica de Espanha (abertos em todas as cidades das 9.00 ás 20.00 h.). As ligações internacionais podem ser feitas desde cabines, com moedas ou cartão, porém, o melhor é fazê-lo à cobrar, pois é muito mais econômico.

Para ligar ao Peru marque 00-51, com o prefixo da cidade e o número desejado.

Fotografia

É conveniente viajar com suficientes filmes, sobretudo se, utiliza slides, pode ter dificuldade em consegui-los. Se comprar um filme, assegure-se da data de validade do mesmo. Na zona de montanhas é conveniente utilizar o polarizador, já que a luz é muito forte e direta. Nos museus está proibido fazer fotografia. Fotografar os indígenas pode resultar difícil e, aconselhamos pedir licença.

Horário Comercial

O horário de escritórios é das 9.00 ás 13.00 h. e das 15.00 ás 19.00 h. As lojas costumam estar abertas de segundas a sábados das 9.00 às 20.00 h. Domingos fecham. Os centros comerciais costumam abrir as 10.00 h. e fechar às 20.00 h. (alguns abrem nos domingos). Os bancos abrem de segundas a sextas das 9.00 às 17.00 h. (alguns até as 18.00 h.).

Gorjetas

A Gorjeta não está muito extendida ao Peru. Em muitos restaurantes e bares somam ao total da fatura 10% do serviço. No caso contrário, pode deixar entre 10% e 15 % de gorjeta, se ficar satisfeito com o serviço. Portadores de malas e prestadores de serviços também esperaram uma gorjeta. O equivalente a um dólar é o apropriado. Não é costume dar gorjeta aos taxistas.

Taxas e Impostos

A maioria dos preços incluem o imposto geral de venda. Existe uma taxa para os vôos nacionais e os internacionais.

Localização Geográfica

Peru é o terceiro país da América do Sul com uma superfície de 1.285.215 km quadrados. Tem fronteiras ao norte com Equador e Colômbia, ao leste com Brasil e Bolívia e ao sul com o Chile.

São três as regiões correndo de norte à sul, que compõem o território nacional: a faixa costeira, a serra e a selva. A Costa frente ao Pacífico, é uma faixa de 60 à 170 km de comprimento, arenosa e árida, exceto algumas zonas onde costuma chover.

A célebre estrada Panamericana, que cruza de norte à sul o Peru todo, descorre por esta zona, sendo uma das principais vias de comunicação. Nesta faixa encontram-se cidades importantes como Lima, Trujillo ou Nazca, no meio de uma paisagem que as vezes resulta intimidante.

A Serra que representa quase 28% da superfície total do Peru está constituída pelos Andes. Estes, a segunda cadeia montanhosa mais alta do mundo atravessa o país de norte à sul, formando a Cordilheira Ocidental, Central e Oriental, com altitudes que oscilam entre os três mil e quatro mil metros acima do nível do mar.

No extremo sul o pequeno planalto enlarguesse e penetra na Bolívia dando lugar ao planalto, lugar onde encontra-se o Lago Titicaca, o lago mais alto do mundo.

Nestas cordilheiras destacam-se os cumes dos altos Andes como o Huascarán, na Cordilheira Branca que, com seus 6.768 metros é a montanha mais alta do Peru. No sul alcançam-se vulcões como o Misti (5.822 m), o Chachani (6.075 m) e o Picchu-Picchu (5.486 m).

A Selva que ocupa todo o extremo oriental, está determinada, principalmente, pela Bacia Amazônica, formada por zonas bem diferenciadas como são a Sobrancelha de Selva, Selva Alta e Selva Baixa. Entre seus inumeráveis rios destacam-se o Ucayali, Apurimac, Maranhão e o Putumayo. Entre as regiões mais salientes destaca-se O Manu, importante Reserva Mundial da Biosfera.

Peru está dividido administrativamente em 24 regiões, cada uma delas subdivididas em províncias (150 no total) e estas em distritos (1.322). A capital do país é Lima, com uma população de 9.000.000 de habitantes aproximadamente.

Flora e Fauna

A flora e fauna do Peru são muito variadas, em dependência clara com as distintas zonas climáticas que apresenta o país. Na zona costeira o clima é desértico e para o interior prevalecem as estepes cheias de árvores de alfarrobeiras, especialmente nos oásis.

Mais para a costa aparecem as formações de cactus e na época da "garúa" (marezia marinha), aparece uma efêmera vegetação conhecida com o nome de "loma". Conforme a subida a vegetação é rica e nos vales mais úmidos aparece a flora ribeirinha como são os álamos. Entre os mil e três mil metros acima do nível do mar dominam a selva úmida e a vegetação subtropical, onde abundam as plantas de coca, quina, salsa-parrilha, baunilha, borracha, cedro ou acajú.

Nas regiões bem irrigadas e a determinadas altitudes têm cultivos de algodão, batata-doce, arroz ou cana de açúcar. Acima dos três mil metros abunda a vegetação propriamente andina. A selva carateriza-se por acolher uma rica flora, sobretudo de fetos e árvores de madeira dura como o cedro, acajú ou ébano. É, em uma palavra, um paraíso de plantas tropicais.

Quanto à fauna está determinada pelas três regiões que apresentam o país:

Nas regiões das costas abundam as tartarugas, veados, calangos, iguanos, lobos, lontras, golfinhos, baleias, peixe-agulha, arraias, peixe. rei, meros, cabrilhas, sardinhas, etc, assim como uma rica e variada ornitofauna como pelicanos, cormorães, gaivotas, pinguins de Humboldt, pariguanas, guanay, chuitas, águias pescadoras, chorlos, playeritos, etc.

Na região andina são as alpacas, lamas e guanacos os camélidos mais numerosos. As vicunhas podem ser vistas, especialmente, nas zonas onde tem planalto.

Destacam-se também na região andina, diversas qualidades de raposas, chinchilas, tarucos ou vizcachas. Quanto às aves, predominam as águias, urubus e em determinadas zonas, o místico condor.

Por outro lado, a selva peruana acolhe uma rica e variada fauna como onças, porcos, veados, queixadas, ocelotes, tamanduás, macacos, jacarés, jibóias, sucuris, numerosas espécies de cobras e insetos, tucanos, araras, louros, garças, beija-flores, golfinhos rosados, piranhas, douradas, tartarugas e um longo etcétera.

Dados Históricos

Período Pré-hispânico

Segundo algumas descobertas, a presença do homen nas terras peruanas data do ano 14.000 a. C. Em volta do 10.000 a. C. e de acordo às pinturas rupestres que foram encontradas, diversos grupos nômades assentaram-se nas costas e em determinadas zona da serra.

A agricultura faz sua aparição por volta do ano 4.000 a. C. , junto a alguns animais. Atividades que transformaram os pequenos grupos nômades em grupos sedentários. Este fato favoreceu o surgimento dos primeiros tecidos feitos com algodão, mecheu na arquitetura, dando lugar à casas mais sólidas e a cerâmica viu a luz.

Período Formativo

No chamado Período Formativo, do 1250 ao 850 a. C. faz seu aparecimento a Cultura Chavín, que constitui o primeiro passo para a unificação cultural, por meio de estilos artísticos e não por incursões militaristas.

O sítio arqueológico Chavín de Huantar, na região de Ancash, é um claro exemplo do poder que os Chavín exerceram nos pequenos grupos do Vale de Lambayeque e na posterior Cultura Paracas. Os Chavín caraterizaram-se pela arte religiosa simbólica, a arquitetura na pedra, a sociedade estratificada e os belos trabalhos em ouro e prata.

Período Formativo Tardio

No Período Formativo Tardio do século III a. C. até o século IV d. C. produz-se uma liberação da cultura Chavín, provocando a aparição de novas teconlógias e estilos artísticos, o que possibilitou e fortaleceu as culturas regionais, ressaltando o final do Período, as culturas urbanas, conhecidas também, como culturas clássicas.

Na costa norte destacou a Cultura Moche, com excelentes trabalhos iconográficos e uma agricultura baseada nos canais de irrigação. Construiram diversas pirâmides, empreendendo uma tímida expansão militar.

A Cultura Nazca desenvolveu-se nos desertos do Sul do Peru destacando-se pelos trabalhos em cerâmica e o desenho das "Linhas de Nazca", que segundo alguns teóricos eram observatórios astronômicos.

A Cultura Tiahuanaco surgiu no planalto boliviano, com importantes centros cerimoniais e construções megalíticas. Com uma organização estadual influiu consideravelmente, até alcançar terras chilenas. Por outro lado, nas imediações da atual Lima surge a cultura Pachacamac, enquanto no Ayacucho surge a Cultura Wari, o primeiro estado militar que realiza incursões até Cajamarca, Lambayeque, Cusco e Arequipa. Foi um importante império que dominou grande parte do território, desde o ano 700 ao 1.100 d. C.

Período Intermediário Tardio

Por volta do ano 1.100 d. C. abandonam-se os centros Wari, enquanto minguavam Tiahuanaco e Pachacamac, dando passo ao Período Intermediário Tardio caracterizado pela instabilidade política e a aparição da Cultura Chimú, com capital em Chan-Chan, nos arredores de Trujillo. A Cultura Chimú representa, sem dúvida, um dos máximos expoentes da arquitetura pré-colombiana.

Durante este Período firmam-se outros grupos, como os senhorios Wanka no Vale do Mantaro, a Cultura Chancay, ao norte de Lima, a Cultura Chincha e Ica, nas zonas costeiras do sul, Lupakas, Pacajes, Collas, Titicaca e Chankas, nos antigos territórios Wari. Durante este Período começam a formar-se no Cusco os primeiros reinados incas que constituiram posteriormente, um dos maiores impérios pré-colombianos da América.

Os Incas

Embora sua importância possa parecer surpreendente, o império inca apenas teve uma duração de um século. Antes do ano 1430 os incas governavam só o Vale do Rio Vilcanota, com capital em Cusco (Qosqo), que em quechua quer dizer "umbigo do mundo". O início da capital e do império foi no século XII com a coroação de Manco Capac, primeiro Inca.

As seguintes dinastias seguiram-se em pequenos reinados até o ano de 1438, quando Pachacútec, filho de Viracocha, vence os chankas. Este fato possibilitava uma grande expansão militarista, incorporando a maioria dos grupos culturais da zona, e dando lugar o Tahuantinsuyu, o Império Inca. Os incas implantaram o seu estilo de vida e à chegada dos espanhóis, o império estava muito homogenizado.

A sociedade inca estava bem hierarquizada, cada um tinha o seu papel e lugar. A vida não era fácil, porém a comida não faltava e todos eram alimentados. A grande complexidade do sistema favorecia a proliferação de funcionários públicos, entre os que destacavam-se os Quipucamayoc, encarregados de registrar o movimento das pessoas e mercadorias nos quipus, à falta da escrita, cordas com um complicado sistema de nós, que servia para memorizar os dados. Cusco era a capital do império e no seu centro alçava-se o Templo do Sol, que na época do governo do imperador Pachacuti tinha implantado ao anterior deus, Viracocha.

De lado levantava-se o Coricancha (atual igreja de Santo Domingo).

A Chegada dos Espanhóis

No mês de setembro de 1532 Francisco Pizarro, junto a Diego de Almagro, Hernando de Luque e 164 homens fundam São Miguel de Piura, a primeira cidade do Peru e desde que realizam-se as incursões à terras incas.

Surpreende a facilidade com que os conquistadores espanhóis dominaram os incas, porém, foram vários fatores, entre eles a fatalidade que facilitou o fim do império. Provavelmente, a chegada dos espanhóis trouxe uma epidemia de varíola, que tinha acabado com a vida do inca Huayna Capac. Porém, seus filhos Huáscar com residência em Cusco e Atahualpa em Quito (no atual Equador), cairam em uma cruel guerra civil pelo domínio do império.

Deste duro confronto saiu vitorioso Atahualpa, porém foi derrotado por Pizarro no dia 16 de novembro de 1532 em Cajamarca, depois de liquidar dos mil quechuas assombrados pela presença dos espanhóis, identificados com o deus Viracocha. Outro fator que ajudou à desarticulação do império inca foi a cooperação de alguns pequenos povos como os Chimues, que viam nos espanhóis os seus libertadores.

Pizarro entrou em Cusco no ano 1533, pondo fim ao império e nomeando rei à Manco Inca, irmão de Atahualpa. Os primeiros anos desta aparente regência transcorreram com normalidade, porém Manco Inca no ano 1536 chefia uma insurreição em Sacsahuaman, na que saiu derrotado, fugindo para a selva. Daqui, realizou vários ataques, mas nenhum com sucesso até o ano da sua morte em 1544.

A instabilidade no Peru prolongar-se ia até o ano de 1572, devido aos contínuos ataques de pequenos grupos incas. A última rebelião foi no ano de 1572, quando é executado o líder Tupac Amaru.

A Colônia

Francisco Pizarro fundou Lima no ano 1535, para manter as comunicações com Espanha. Lima transformou-se na capital do vice reinado do Peru, que nos séculos seguintes iria converter-se no principal centro político e comercial da zona andina.

No começo a economia baseava-se no desfrute das riquezas acumuladas pelos indígenas e nas licenças outorgadas para procurar ouro nas numerosas "huacas", templos sagrados de adobe. Esgotados estes recursos inicia-se a exploração dos minérios e os corregimentos, territórios gestionados pela Coroa, sentando as bases para a exploração indígena. O Vice reinado, no seu máximo esplendor extendia-se entre os territórios compreendidos entre Panamá e Argentina.

Ordenou-se por decreto real, que todo o comércio da América do Sul fosse feito através de Lima, situação que alongaria-se até fim do século XVIII, quando tem lugar as primeiras rebeliões independentistas. O mais saliente destas revoltas foi a chefiada por Tupac Amaru II.

No dia 26 de junho de 1541, Francisco Pizarro era assassinado por um grupo de sicários, no seu luxuoso palácio.

A Independência

A princípios do século XIX os habitantes andinos, que suportavam uma grande pressão por parte da coroa espanhola, começam a tomar conciência da sua relidade deixando passar um sentimento nacionalista. Antes da invasão de Napoleão em Madrid, a coroa espanhola enfraquecia-se aos poucos nas diferentes colônias da América e com a queda de Fernando VII iriam chegar as primeiras mundanças no Peru, de duas frentes.

O general argentino José de San Martín invadia o Chile, enquanto Alfred Lord Cochrane desembarcava em Paracas, nas costas do Peru. No ano seguintea armada dos rebeldes atacava Lima espalhando as tropas realistas. No dia 28 de julho de 1821 o general San Martín entra em Lima e proclama a independência, abolindo o sistema de encomendas, decretando o fim da escravatura e declarando aos descendentes dos incas cidadãos peruanos.

O Peru Contemporâneo

Depois da independência seguiram-se, entre os anos de 1825 e 1865, diversos confrontos, governando 35 presidentes muitos deles militares. No ano de 1868 faz aparição o Partido Civil, ascedendo ao poder Manuel Pardo. Nesta época aparece uma nova fonte de riqueza, o guano, excremento de numerosas aves depositado nas costas e ilhas.

No ano de 1879 Peru entra em guerra com o Chile e depois de 4 anos de batalhas, perde a província de Tarapacá. Este fato provoca o aparecimento de novas ondas de governos militaristas, com breves períodos de administração civil. O mais recente teve lugar com a eleição do presidente Belaunde Terry em 1980.

Quando o país gozava da estabilidade econômica e política, começam os ataques guerrilheiros do Sendeiro Luminoso, provocando graves problemas. Alan García chega ao poder em 1985 e com ele inicia-se um dos períodos mais críticos do país, colocando a nação em uma hiper-inflação e corrupção até então nunca imaginadas.

Desde 1990, Alberto Fujimori (conhecido popularmente como "o chinês") governa o país, introduzindo numerosas reformas, especialmente no relativo ao controle dos preços e a implantação de uma nova moeda sujeita às variações do dólar norte americano, assim como, suas acertadas estretégias frente à guerrilha, desarticulada por completo.

Depois do famoso auto-golpe ao Congresso, Fujimori saira vitorioso nas últimas eleições celebradas no ano de 1995. As espectativas de futuro no país são positivas, graças a estabilidade econômica e social e ao ressurgimento do turismo.

Arte e Cultura

Antes da Colônia

O Horizonte Chavín, considerado como o início da Alta Cultura no Peru, distinguiu-se pela edificação de centros de poder em volta à impresionantes templos. O mais saliente é o que encontra-se em Chavín de Huantar, no região de Ancash. Nele destaca-se o templo O Castelo, de imponentes muros de pedra, enfeitado com formas de cabeças humanas e onças.

Salientam, também, a sua escultura, os relevos, a cerâmica e os trabalhos de ourivesaria em ouro, os mais antigos de toda América. Por outro lado, os Paracas distinguiram-se pelos belos e elaborados tecidos, e pelos trabalhos em cerâmica, considerados entre os mais belos da América pré-colombiana.

Os chimúes, que possuiam uma organização social bem desenvolvida e coesa, destacaram-se pelos excelentes trabalhos de arquitetura, cerâmica, tecidos e metalúrgica, assim como pela construção de terraços para o cultivo e pelo particular traçado das urbanizações.

Os trabalhos em cerâmica realizados com molde salientam-se pela riqueza de formas, enquanto os tecidos mostram um alto grau de técnica. Copos de prata e ouro, diversa joalheria e instrumentos em cobre são o mais salientados da ourivesaria chimú.

Foram os incas quem sobressairam pelas construções arquitetônicas. Precisa-se esclarecer que os incas herdaram muitos dos marcos culturais dos chimúes, a quem dominaram no ano de 1470.

O material mais utilizado pelos incas nas construções foi a pedra: sem talhar para as moradas, ciclopea para templos e fortalezas, com formas geométricas e polidas nas construções urbanísticas. As moradas incas possuiam um desenho de planta quadrada com um pátio central no que davam todos os quartos. Entre os templos mais destacados encontra-se o Coricancha ou Templo do Sol, em Cusco.

Os incas, também, fizeram grandes fortalezas em pontos estratégicos do império, como a fortaleza de Sacsahuaman, desde a que dominavam as vias de comunicação, quer dizer, os famosos caminhos incas. Construiram numerosas rotas, entre as que destacam a rota que segue a costa do Pacífico e que percorria os vales e planaltos dos Andes, ligando estas duas rotas por caminhos perpendiculares.

O Período Colonial

Durante a época colonial prevaleceram os estilos arquitetônicos hispânicos, especialmente os renascentistas e barrocos com uma clara aportação indígena, dando por resultado uma arquitetura muito definida e especial. Nas zonas costeiras utilizaram-se materiais como o tijolo e adobe, dada a frequência dos tremores.

Predomiaram os desenhos de construções muito baixas, fachadas largas, torres robustas e bóvedas de creceria gótica, permitindo uma maior elasticidade nas estruturas. Nas zonas de montanha a pedra, graças a sua abundância, foi o material mais utilizado. Nos desenhos, predominaram as altas e estreitas, ricamente trabalhadas, tradição herdada dos antigos incas, especialistas no talhado em pedra. As esculturas para a decoração das edificações, durante este período (séculos XVI à XVIII) procediam a maioria da Espanha.

Por outro lado, destacam os belos trabalhos de madeira policromada como altares, cadeiras e púlpitos de artistas anônimos, assim como, os trabalhos da Escola Cusquenha, onde percebe-se claramente a mestiçagem entre a influência espanhola e indígena.

Durante o século XIX a arquitetura peruana sofreu duas correntes antagonicas. Por um lado, a influência da Europa, especialmente os desenhos franceses que plasmou-se nas construções de carácter civil e pelo outro, a influência mestiça, de desenhos hispânico-indígenas que prevaleceu sobretudo nas moradias.

Durante o século XX a arquitetura do Peru foi influenciada, no primeiro momento, pelos desenhos modernistas, presentes em quase o mundo todo, até que, nos anos recentes, surgiram as propostas nativas que harmonizam a forma com a função.

Fonte: www.rumbo.com.br

Peru

Capital: Lima
Idioma: espanhol, quêchua e aimará
Moeda: nuevo sol
Clima: tropical úmido, árido e polar de altitude
Fuso horário (UTC): -5

Pontos turísticos

Machu Pichu

Cidade maia localizada nos Andes, está em bom estado de conservação.

Estima-se que ela nunca tenha sido efetivamente utilizada como cidade e sim como centro religioso e econômico. Como foi abandonada por motivos desconhecidos antes da chegada dos espanhóis, foi esquecida, sendo descoberta somente em 19

Iquitos

Um dos portões de entrada da Amazônia, usado principalmente por turistas que pretendem conhecer os rios formadores do Rio Amazonas e entrar em contato com índios e população ribeirinha.

Nazca

Cidade que possui fabricação de uma cerâmica elaborada e colorida, é mais conhecida pelas famosas Linhas de Nazca, enormes desenhos geométricos, na maioria animais e pássaros, que foram feitos entre 900 a.C. e 600 d.C. Os desenhos só são visíveis a partir de uma certa altura, mas pequenos aviões fazem vôos panorâmicos pela região. Embora vários pesquisadores tenham explorado o local, ainda não se chegou a uma conclusão mais apurada de por quem e por que foram construídas as linhas.

Lago Titicaca

É o lago que está localizado na maior altitude do mundo. Além disso, possui ilhas (algumas artificiais) com populações indígenas, e cidades ribeirinhas com populações características.

Fonte: www.geomade.com.br

Peru

Geografia

Situada a oeste do Oceano Pacífico, o litoral peruano, rochosa e estéril, é seguido quando entramos na terra de montanhas (Andes). O resto do país, a leste, está coberto de densa floresta tropical (La Selva), e, portanto, pouco povoada.

Países fronteiriços:

Oriente: Brasil
Sudeste Bolívia
Norte do Equador e da Colômbia

Independência: 28 de julho de 1821 (da Espanha)
Governo: República
Capital: Lima
Idiomas:

Oficial: Espanhol
Quechua e Aymara: Usual

Área: 1285220 km ²
População:
 27.968.000 pessoas
Moeda Nacional: Nuevo Sol (PEN)
Feriado nacional: 28 de Julho (Proclamação da independência de 1821)

Clima

O Peru está sujeita a um clima semi-tropical. A estação chuvosa, quente (cerca de 35 ° C) e úmido é de dezembro a abril.

No inverno, o clima raramente cai abaixo de 25 ° C durante a maior parte do território. Exceto nas montanhas, onde as noites são mais frias (19 ° C) e da costa (10 ° C entre junho e agosto).

Saúde

Nenhuma vacina necessária. Atualizado Gerais vacinas recomendadas (poliomielite, tétano, difteria ...).

E os termos e duração da estadia, a febre tifóide, a hepatite B ea raiva. Evite beber água da torneira e cuidado com os mosquitos!

Confira

O Peru é famosa por sua antiga cidade inca de Machu Picchu imperdível.

O local, situado nas montanhas é ótimo!

A cidade de Lima é também a pena visitar: tem museus interessantes (Museu do Ouro, o Museu de Pedro de Osma ...) e alguns monumentos que valem a pena visitar a catedral da cidade eo Convento de São Francisco.

Fonte: www.continent-americain.com

Peru

Peru, "terra da abundância" em Quechua, está localizado na costa oeste do continente sul-americano, encontrando Equador e Colômbia ao norte, Brasil e Bolívia à leste e Chile ao sul, apresenta três regiões distintas. A costa do Pacífico, rica em peixes, é árida e concentra as maiores cidades, como a capital Lima.

A Cordilheira dos Andes possui riquezas minerais e sua população rural mantém-se com a economia de subsistência. A terceira região é a Amazônia peruana, onde nascem os rios que formam o Amazonas. Sua economia, baseada na agricultura e na extração de minérios, sofre com a falta de infra-estrutura. Lugares como Cuzco e as famosas ruínas de Machu Picchu testemunham a grandeza do antigo Império Inca e têm grande potencial turístico.

O Peru foi coração do antigo Império Inca, mas entre 1531 e 1533, o espanhol Francisco Pizarro chefia uma expedição que destrói a sua capital, Cuzco.

Em 1819, o argentino José de San Martin inicia a luta pela independência. Os espanhóis são derrotados em 1824 pelas tropas de Antonio Jose Sucre. O novo país mergulha numa sucessão de conflitos com os vizinhos. É derrotado pela Grã-Colômbia (1828-1829) e pela Argentina e Chile (1839). Na Guerra do Pacífico, Lima é ocupada por chilenos e o país perde a província de Trapaca.

Entre 1931 e 1945, uma seqüência de regimes conservadores impede a ascenção da Aliança Popular Revolucionária Americana (Apra), organização nacionalista e anticapitalista que conta com forte influência da população indígena. Em 1945, a Apra ajuda a eleger José Bustomante (deposto em 1946 por golpe militar) e, em 1956, Manuel Prado.

As eleições de 1963 foram vencidas por Fernando Belaunde Terry que fez concessões a empresas americanas de petróleo e foi abalado pela crise econômica. Em outubro de 1968, o general Juan Velasco Alvarado lidera em golpe militar. O novo governo expropria as empresas norte-americanas e aplica uma reforma agrária que beneficia 375.000 famílias.

Em 1975, Velasco Alvarado é deposto pelo general Morales Bermudes. Uma nova constituição devolve o poder aos civis e estende o direito de voto aos analfabetos. Belaúde Terry é reeleito presidente. O grupo Sendero Luminoso, surgido em 1980, amplia suas atividades em Ayacucho. Em 1985, Alan Garcia torna-se o primeiro presidente eleito pela Apra e estatiza 33 bancos privados (projeto retirado em seguida). É um governo tumultuado.

Alberto Fujimori vence as eleiçoes de 1990 e impõe um pacote econômico recessivo, aumentando em 3.000% - sim, três mil por cento - as tarifas públicas, além de outorgar aos militares amplos poderes na repressão ao terrorismo. Em abril de 1992, Fujimori fecha o Congresso, intervém no Judiciário e suspende as garantias constitucionais.70% dos peruanos apóiam o presidente. Em setembro de 1992, o governo prende o líder máximo do Sendero, Alumael Guzman. Em 1994, voltam a registrar-se atentados a bomba em Lima atribuídos a setores do Sendero.

Em janeiro de 1995, conflitos na fronteira com o Equador terminam em guerra. Desde 1942, quando o Peru ocupou grande parte da Amazônia equatoriana, o Equador contesta os limites na Cordilheira dos Andes. Um cessar-fogo foi estabelecido no Protocolo do Rio de Janeiro (Argentina, Brasil, Chile e EUA foram os mediadores). Em outubro de 1998, em Brasília, o Peru assina um acordo de paz com o Equador. Em setembro de 1994 Fujimori é reeleito. 

Em dezembro de 1996, na tentativa de libertar 468 membros do grupo guerrilheiro Movimento Revolucionário Tupac Amaru (MRTA), um comando do grupo invade a ambaixada japonesa tomando mais de 500 reféns. Em abril de 1997 (depois de 126 dias) a embaixada foi invadida pela polícia, que libertou os 72 reféns restantes.

No ano 2000 Fujimori foi eleito pela terceira vez para um mandato de 5 anos, depois de seu oponente, Alejandro Toledo, renunciar à disputa alegando fraudes.

Em setembro daquele ano o chefe de inteligência, Vladimiro Montesinos, foi filmado subornando um deputado. Fujimori anunciou então que acabaria com o Serviço de Inteligência, mas dois meses depois, em visita ao Japão, renunciou ao cargo.

Revelações de que Fujimori tinha cidadania japonesa e, por isso, não poderia ser extraditado para responder às acusações de corrupção enfureceram o povo. Em 2001, Toledo acabou sendo eleito, iniciando um mandato controverso, em que a promessa de reestabelecer a confianço do povo no governo passou bastante longe de ser cumprida.

Diversas ações, destacando-se a privatização da companhia de energia (sendo que Toledo havia prometido especificamente não privatizar esta companhia nas eleições), fizeram com que sua popularidade despencasse a menos de 10% em um certo momento.

Nas eleições de 2006, o ex-presidente Alan Garcia foi reconduzido ao poder, com a promessa de não cometer os mesmos erros de sua primeira gestão, que deixou o país afundado em uma grave crise econômica. De 1985 a 1990, época em que esteve na presidência, sua política econômica de estatizações fez a hiperinflação peruana passar de 7.500% ao ano.

Geografia

Localização: oeste da América do Sul, na orla do Oceano Pacífico, entre o Chile e o Equador. 
Área:
 total - 1.285.220 km²  terra - 1.280.000 km²  água - 5.220 km²  
Comparativo: 
pouco maior que o estado do Pará 
Litoral:
 2.414 km 
Fronteiras:
 Brasil - 2.995 km, Colômbia - 1.800 km, Equador - 1.420 km, Bolívia - 1.075 km, Chile - 171 km 
Clima:
 varia de tropical no leste a desértico no oeste. 
Elevação:

Ponto mais baixo - 0m Litoral pacífico      
Ponto mais alto -
 6.768m Nevado Huascarán

Recursos naturais: cobre, prata, ouro, petróleo, madeira, peixe, minério de ferro, carvão e fosfato 
Uso da terra:
 arável 2,88%
Cultivo permanente: 
0,47%
Outros: 
96,65% (2005)

Fonte: www.geocities.com

Peru

Peru localiza-se no oeste da América do Sul e possui fronteira com os Estados do Acre e do Amazonas.

Seu território equipara-se àrea do Estado do Pará e é caracterizado por três regiões distintas: o litoral desértico, onde se concentra a maior parte das cidades e das indústrias; o altiplano da cordilheira dos Andes, marcado pela agricultura; e as selvas da Amazônia peruana na região leste.

A população do país soma quase 26 milhões de habitantes, mas o crescimento demográfico é lento e estima-se que esse número não dobre antes de 2050.

Pouco mais de um terço da população peruana possui idade inferior a 15 anos. A composição étnica dos peruanos é marcada pela presença de ameríndios, eurameríndios e mestiços. Aproximadamente 72% da população concentra-se nas áreas urbanas, onde Lima, a capital, é a maior cidade, com mais de cinco milhões de habitantes.

A maioria dos peruanos é alfabetizada e possui educação formal, mas também é pobre e afetada pelo desemprego. Devido à recessão econômica, às ações guerrilheiras e às doenças epidêmicas, o Peru já foi considerado um dos países com maior risco para investimentos em todo o mundo.

O governo ganhou a luta contra a hiperinflação ao longo da última década, mas o nível de desemprego continua apresentando taxas elevadas, que chegam a mais de 50% quando se inclui a parcela da população que se encontra subempregada.

O Peru obteve sua independência da Espanha em 1824 e, desde então, sua história está repleta de regimes militares e ditatoriais. Infelizmente, a tentativa de estabelecer um governo democrático falhou na década de 80, pois os governantes foram incapazes de lidar com a guerrilha e com os graves problemas econômicos.

As operações guerrilheiras foram responsáveis por vinte anos de guerra que custaram 26 mil vidas e US$ 10 bilhões ao Peru. Em 1992, o presidente Alberto Fujimori, eleito dois anos antes, fechou o Congresso do país, suspendeu as garantias constitucionais e passou a dirigir o país ditatorialmente, em uma tentativa de promover mudanças. Embora o terrorismo tenha sido controlado com a prisão de seus principais líderes, ainda há ações na zona da selva.

No ano 2000, Fujimori venceu as eleições presidenciais e habilitou-se para governar o país por mais cinco anos em seu terceiro mandato consecutivo. No entanto, denúncias de corrupção em seu governo forçaram Fujimori a renunciar e exilar-se no Japão.

Embora a imensa maioria da população peruana seja cristã, cerca de 2% dos peruanos seguem crenças indígenas tradicionais. Além disso, um terço dos que professam o catolicismo possui uma postura um tanto sincretista, pois segue ritos e superstições tradicionais, embora, exteriormente, revista-se da máscara do cristianismo.

A Igreja

Os primeiros padres católicos chegaram ao Peru em 1536 trazidos pelos exploradores espanhóis. Em 1845, o catolicismo foi declarado a religião oficial do país.

Mais de 97% da população peruana professa o cristianismo e 89% são católicos.

O cristianismo no Peru atravessa uma grande crise neste momento, mas ainda tem um grande potencial para o futuro. A maioria do clero é constituída por estrangeiros e seus membros discutem incessantemente a teologia da libertação. O discipulado tem sido difícil em função da falta de pastores e padres treinados, razão pela qual o sincretismo ligado às crenças tradicionais tem crescido.

Ao mesmo tempo, no entanto, as dificuldades enfrentadas pelo povo peruano têm despertado um tremendo interesse no cristianismo e desencadeado um processo de crescimento nas igrejas evangélicas, que vêm, por sua vez, desempenhando um importante papel nos processos de desenvolvimento social do país.

Da mesma forma, o movimento carismático também tem provocado um grande impacto, mas, infelizmente, muitos dos envolvidos desligam-se das denominações tradicionais para formar congregações pequenas e independentes que não possuem poder ou influência relevantes.

A Perseguição

Quando a Igreja Católica Romana foi declarada a religião oficial do país, os estrangeiros receberam permissão para a realização de cultos protestantes, mas sem a presença de cidadãos peruanos. A liberdade religiosa foi assegurada na constituição de 1978, mas os católicos continuam a exercer uma grande influência no governo e na sociedade.

Na década de 80, a perseguição aos cristãos por guerrilheiros e soldados do governo tornou-se severa e, segundo estimativas, pelo menos 800 líderes cristãos foram assassinados e muitas congregações foram massacradas. De maneira especial, os missionários que trabalham nas áreas de conflitos ou de produção de drogas vivem sob risco constante.

Entre as milhares de vítimas dos violentos anos de guerra civil entre o exército e os guerrilheiros do Sendero Luminoso está a família Sauñe-Quicana, que pagou um preço muito alto por causa do Evangelho de Jesus Cristo. Justiniano Quicana, o patriarca da família, tornou-se cristão quando ouviu uma pregação. Como resultado, toda a família aceitou a Jesus Cristo como Salvador, submetendo-se completamente ao seus mandamentos.

Um dos netos de Justiniano, Romulo Sauñe, cuja história de vida foi relatada no livro One Bright Shining Path,* também foi dominado pela paixão a Cristo. Sua breve vida é um exemplo da misericórdia de Deus. Após traduzir a Bíblia para o quíchua de Ayacucho, Romulo viajou a lugares muito perigosos apenas para transmitir o Evangelho ao povo que tanto amava. Donna, sua viúva, e seus quatro filhos – Romi, Cusi, Qori e Tawa – são os responsáveis pelo trabalho de Deus na cidade peruana de Chosica.

Romulo, seu irmão Ruben e dois de seus primos foram mortos em uma emboscada preparada pelos guerrilheiros do Sendero Luminoso em setembro de 1992, quando viajavam para Ayacucho para visitar o túmulo de seu avô, Justiniano, também brutalmente assassinado pela guerrilha não muito tempo antes.

Josué, outro irmão de Romulo, vivia nos Estados Unidos quando ocorreu o assassinato. Assim que recebeu a notícia, seu coração se encheu de ódio e desejo de vingança, e ele retornou ao Peru com o firme propósito de vingar as mortes de seus irmãos após o enterro.

No entanto, enquanto Josué acompanhava os funerais, Deus agiu em seu coração e seu ódio foi substituído pelo perdão de Deus e pela visão de servir ao seu povo. Josué vive atualmente no Peru com sua esposa norte-americana, Missy, e seus dois filhos. Ele está completamente compromissado em viajar pelos Andes para anunciar o Evangelho ao seu povo, os quíchuas, em sua própria língua.

Ele já foi ameaçado de morte e advertido a não viajar para certas áreas, mas as palavras de seu irmão, Romulo, ainda ecoam claramente em sua mente: "Somos imortais até que o Senhor nos chame para estar com Ele."

Quando Romulo pregou o Evangelho na vila de Ayacucho, em 1979, todos os habitantes, pertencentes ao clã dos Sauñe, aceitaram a Cristo. Um deles, Juan – que participou de um seminário de treinamento em Vinchos –, disse que somente ele e seus pais sobreviveram à fúria do Sendero Luminoso, que assassinou cerca de 40 de seus parentes mais próximos entre 1979 e 1988.

É fácil constatar que o sofrimento da família Sauñe tem sido enorme. Alguns foram vitimados pelos violentos anos de guerra civil, porém a maioria morreu por seu amor e comprometimento a Jesus Cristo. Ainda assim, eles continuam acreditando de todo o coração que sua missão em vida é levar o cristianismo ao maior número possível de pessoas do povo quíchua.

Enrique Sauñe, pai de Romulo e já idoso, expressou isso muito bem ao lhe perguntarem quando se aposentaria de suas constantes viagens de vila em vila para pregar o Evangelho e batizar novos convertidos: "Se eu não o fizer, quem o fará?", respondeu o patriarca.

O Futuro

A igreja peruana continuará crescendo em um ritmo semelhante ao crescimento demográfico do país. O domínio católico persistirá, mas a igreja protestante avançará de maneira significativa. É muito provável que o tormento da perseguição também persista.

Motivos de Oração

1. A igreja peruana desfruta de uma posição majoritária no país. Ore para que os líderes desenvolvam programas eficazes de treinamento e discipulado que possam combater o nominalismo e o sincretismo religioso.

2. A indústria da droga é poderosa no país e a igreja sofre as conseqüências. Ore para que os cristãos desenvolvam respostas adequadas ao narcotráfico, incluindo a evangelização e a conversão de sua liderança.

3. A igreja peruana sofre em meio às tensões que afligem o país. Ore para que os cristãos atuem como força de paz e reconciliação, ajudando a erradicar os onerosos conflitos. Peça a conversão dos guerrilheiros, especialmente sua liderança.

4. Os cristãos peruanos também são atingidos pelas dificuldades econômicas. Ore pelos ministérios cristãos e peça que eles sejam capazes de implantar programas de desenvolvimento econômico em benefício do povo.

Fonte: www.portasabertas.org.br

Peru

História

Quando chegaram os primeiros conquistadores espanhóis, já existia no Peru uma civilização muito adiantada. O país era habitado por chinchas, quéchuas e huancas. A primeira monarquia peruana se estabeleceu no século XI com Manco Cápac, fundador do Império Inca, cuja capital foi Cuzco.

Esse império chegou a ser muito poderoso e alcançou um alto grau de cultura, mas já tinha iniciado sua decadência depois do reinando de Huaina Cápac (morto em 1525), quando os espanhóis desembarcaram em Tumbes com Pizarro em 1527.

O reinato do Peru, organizado por Francisco de Toledo em meados do século XVI, converteu-se durante os seguintes 200 anos na principal fonte de riqueza para Espanha graças, entre outras coisas, às minas de prata de Potosí.

1810-1824: A INDEPENDÊNCIA

Peru foi o principal bastão do poder espanhol durante o processo de independência das colônias americanas, devido a que do *virrey Abascal à frente do governo de Lima conseguiu acabar com as tentativas independentista de Equador, o Alto Peru e Chile, bem como conter ao sul da atual Bolívia aos exércitos revolucionários enviados desde Buenos Aires.

Mas a marcha de Abascal, unida aos conflitos internos desatados a raiz da implementação das reformas liberais em Espanha e a ofensiva do general San Martín desde Chile desgastaram o poder espanhol. Depois de um breve encontro em Guayaquil San Martín se retira a Buenos Aires e Simón Bolívar finaliza sua campanha militar com a batalha de Ayacucho (1824) que pôs ponto final ao domínio espanhol em Sudamérica.

1824-1844: O PERÍODO DA ANARQUÍA

Os confrontos regionais e entre caudilhos não permitiram a constituição de um poder central forte que unificasse ao país. As guerras civis se sucederam e inclusive Peru foi invadido pelo presidente Boliviano, Andrés de Santa Cruz, que integrou a Peru numa Confederação Peruano-Boliviana (1836-1839) dissolvida depois da guerra com Chile.

1844-1879: A ÉPOCA DO GUANO

(Excremento de aves marinhas que se encontra acumulada em grande quantidades nas costas peruanas)

Esse período de instabilidade chegou a seu fim quando surgiu a figura de do general Ramón Castilla, quem dominou a política peruana entre 1844 e a década dos anos 60. Ao descobrir-se os jazigos de guano a economia peruana se transformou e este produto se converteu na principal riqueza exportável do Peru. Os rendimentos procedentes do guano possibilitaram a construção de uma maquinaria política ao serviço de Castilla que deu estabilidade ao regime.

A morte de Castilla, o esgotamento dos jazigos de guano e os excessivos gastos do Estado conduziram à bancarrota, pese às tentativas reformistas implementados pela elite durante a presidência de Manuel Pardo (1872-1876).

A guerra do Pacífico contra Chile (1879-1883) evidenciou a profunda crise pela que atravessava o país: as tropas chilenas ocuparam Lima e Peru deveu ceder as províncias de Tacna, que depois recuperaria, e Arica, de maneira definitiva.

1884-1895: O CACERISMO

Uno dos heróis militares da guerra contra Chile, o general Andrés Avelino Cáceres se fez com o poder e durante uma década instaurou um regime autoritário sob o qual o país se foi recobrando da derrota sofrida e pondo as bases para a recuperação econômica.

1895-1919: A REPÚBLICA ARISTOCRÁTICA

Depois de uma breve guerra civil, os partidos Civil e Democrático expulsaram a Cáceres e instauraram um regime liberal sob o qual a elite civil assumiu o controle político. Baseado numa economia agro-exportadora e na alternância pacífica entre partidos, Peru viveu um período de grande estabilidade.

1919-1930: O REGIME DE LEGUÍA

As divisões internas na elite e os confrontos entre os partidos propiciaram o surgimento da figura de Augusto B. *Leguía, quem estabeleceu um regime de corte autoritário que se sustentou graças ao auge econômico dos anos 20. Neste período nasce o primeiro partido de massas da história do Peru, o APRA (Aliança Popular Revolucionária Americana), de corte reformista, socialista e indianista, fundado e dirigido por Víctor Raúl Tenha da Torre.

1930-1980: ANOS DE INSTABILIDADE POLÍTICA

Durante esses 50 anos se sucederam regimes civis e militares que não conseguiram dar continuidade institucional ao sistema político peruano.

As ditaduras de corte corporativista de Luis Sánchez Cerro (1930-1933) e a conservadora de Óscar Benavides (1934-1939) foram seguidas por períodos de maior abertura: as presidências de Manuel Pardo (1939-1945) e de J.L. Bustamante (1945-1948).

O APRA, derrotado eleitoralmente promoveu uma insurreição armada em 1932 que foi violentamente reprimida. Estes fatos determinaram o veto do exército, que excluiu ao APRA do governo durante décadas, criando um clima de instabilidade política que desembocou na ditadura do general Manuel Odría com quem a direita atingiu em 1948 o poder que lhe negavam os eleitores.

Os fracassos reformistas experimentados durante as presidências de Manuel Prado e Fernando Belaunde Terry nos ano sessenta conduziu à instauração do regime militar encabeçado por Juan Velasco *Alvarado de tendência esquerdista que acentuou o intervencionismo estatal.

1980-2005: O PERÍODO DEMOCRÁTICO

O fracasso econômico da ditadura e o desgaste ao que se viu submetida deram passo à transição para a democracia que encarnou Fernando Belaunde Terry (1980-1985). Seu governo padeceu a forte atividade guerrilheira do grupo Sendero Luminoso, que progressivamente foi aumentando suas ações, sobretudo durante o período presidencial de Alan García (1985-1990) quem, ademais, teve do que defrontar a uma profunda crise econômica devida a um processo inflacionário.

Seu sucessor, Alberto Fujimori, conseguiu conter a crise econômica com um conjunto de medidas de corte neoliberal e conseguiu a detenção do líder do Sendero Luminoso, Abimael Guzmán. Apoiado nestes sucesso deu um autogolpe de estado em 1993 e estabeleceu um governo de corte autoritário apoiado nas Forças Armadas e no aparelho de inteligência dirigido por Vladimiro Montesinos.

A corrupção e fraude conduziram a sua queda no meio de grandes protestos depois da tentativa de conseguir uma segunda reeleição por meios fraudulentos.

Depois de um período de transição encabeçado por Valentín Paniagua (2000-2001), celebraram-se eleições democráticas, resultando eleito presidente uno dos lideres que dirigiu a oposição a Fujimori, Alejandro Toledo para o período compreendido entre 2001 e 2006.

Recursos naturais

Os recursos minerais peruanos compreendem depósitos de petróleo na costa noroeste e na zona amazônica e cobre no sudoeste; em diferentes pontos da cordilheira andina existem diferentes centros minerais de extração de prata, ferro, ouro, chumbo e zinco.

Também é importante sua reserva de bosques, especialmente cedro, roble e caboa.

Agricultura e pecuária

Os principais produtos agrícolas são a cana de açúcar, a batata, o arroz, o milho, o algodão, o café e o trigo.

O Peru é o principal produtor mundial de coca, de cujas folhas, depois de um longo processo de refinagem, se obtêm a cocaína.

Segundo dados de 2003, o país possui 5 milhões de cabeças de gado, 1,95 milhões de caprinos, 2,86 milhões de ovinos, 720.000 cabeças de cavalos, 280.000 de mulas e 95 milhões de aves.

Silvicultura e pesca

Nos bosques peruanos, que cobrem 51% do território nacional, se encontram pau de balsa, caucho e uma grande variedade de espécies medicinais, como a árvore da quina, a cinchona, que se obtém a quinina.

A indústria pesqueira é de grande relevância na economia do país e constitui um importante segmento das exportações. Mais de 3/5 das capturas são de boqueirão, destinados a transformar-se em farinha de pescado, produto que o peru é o maior produtor mundial.

Indústria

Muitas das manufaturas produzidas no país são de pequena escala, mas a partir de 1950 se estabeleceram várias indústrias modernas na costa do Pacífico.

Os artigos tradicionais são: têxteis, roupa, produtos de alimentação e artesanato.

Os produtos manufaturados em grandes e modernas instalações são: aço, petróleo, refinado, produtos químicos, tratamento de minerais, veículos de motor e farinhas de pescado.

Energia

No começo da década de 90 o Peru contava com instalações elétricas de aproximadamente 3,7 milhões e kWh de potencia. Em 2001 a produção anual de energia foi de 20.590 milhões de kWh. Cerca de 85% do total da eletricidade produzida foi gerada em instalações hidroelétricas.

Transporte

Desde a II Guerra Mundial o Peru aumentou e melhorou o sistema de suas vias ferroviárias, rodovias e aeroportos. A pesar disso, a morfologia montanhosa do país torna difícil o transporte de superfície.

A principal artéria é a auto-estrada Pan-americana, que cobre uma distancia de 2.495 km, que atravessa o território peruano desde Equador e continua até o Chile.

A mais importante via fluvial é o rio Amazonas, onde navega barcos de todos os calibres desde o Oceano Atlântico a Iquitos, principal porto amazônico do Peru.

Também o lago Titicaca é navegável unindo Peru com Bolívia.

O principal aeroporto internacional é o de Jorge Chávez, localizado entre Lima e Callao. Outros aeroportos importantes são os de Cuzco, Juliaca, Piura, Arequipa, Trujillo, Puerto Maldonado e Iquitos. Aeroperú é a linha aérea nacional com vôos nacionais e internacionais.

Fonte: www.ciberamerica.org

Peru

Localização

O Peru é um país da América do Sul, limitado a norte pelo Equador e pela Colômbia, a leste pelo Brasil e pela Bolívia ao sul pelo Chile e a oeste pelo Oceano Pacífico Sul. Está entre o Chile e o Equador. A capital do país é a cidade de Lima. O Peru é um país membro da Comunidade Andina.

As planícies costeiras ocidentais (conhecidas como costa) estão separadas pelas terras baixas orientais cobertas pela selva da bacia do Amazonas (a selva) pelas altas e escarpadas montanhas dos Andes (a sierra). Na fronteira com a Bolívia situa-se o lago Titicaca, o lago navegável de maior altitude do mundo, a 3.821 m.

Fronteiras

Peru é o terceiro maior país da América do Sul com uma área de 1.285.216 km2. Limita com o Equador e a Colômbia ao norte, o Brasil e à Bolívia ao leste, o Chile ao sul e é banhado no oeste pelo Oceano Pacífico.

População

De acordo com estatísticas recentes (2007),o Peru tem uma população estimada de 28,220,764 milhões de habitantes e uma taxa média de crescimento de 1,13% ao ano.

O 50,3% da população são mulheres, o 75,9% da população vive nas áreas urbanas e a densidade da populacional é de 20 hab/km quadrado.

Geografia

O país está dividido em três regiões topográficas e climáticas distintas:

A Costa, uma área litoral estreita

a Serra, uma zona central montanhosa "Cordillera de los Andes" e

a Selva, a bacia superior da Amazônia.

A Costa é o centro da atividade industrial, comercial e agrícola do país. Lima, a capital política é o centro econômico do Peru. Tem mais de sete milhões de habitantes. O clima litoral é quente no norte e temperado no centro, e o sul é caracterizado por a falta de chuvas.

O verão vai de dezembro a março e a inverno de maio a agosto.

A Serra abrange as montanhas dos Andes, platôs e vales elevados que cobrem 27% da área. Dependendo da altura, o clima varia do temperado a muito frio, com chuvas que excedem 100 polegadas anualmente em algumas áreas.

Nesta região há cidades construídas a mais de 3.800 metros acima do nível do mar; Puno, no lago Titicaca está acima dos 3.850 metros acíma do nível do mar; e Cerro de Pasco 4.302 metros acima do nível do mar.

A Selva é a região mais extensa e menos povoada do Peru. É a Floresta Amazônica que cobre uma área equivalente a 60% do território nacional. O clima é tropical, isto é, quente, úmido e chuvoso. A Selva, onde a flora e a fauna são consideradas as mais ricas do mundo, é cruzada pelo rio Amazonas, o rio o mais caudaloso do mundo, que nace da união dos ríos Marañón e Ucayali perto da cidade de Nauta no Departamento (Estado) de Loreto.

Divisão Política

Peru
Divisão Política - Peru

O Peru está dividido em 24 Departamentos (Estados) e uma Provícia Constitucional (El Callao).

Moeda – A moeda oficial do país é o Novo Sol.

Sistema de Governo – O Peru é uma república democrática.O presidente e os membros do congresso são eleitos a cada cinco anos por votação universal.

As línguas oficiais são o Espanhol e o Quechua, o último falado pelas populações da Serra. Do mesmo modo, em outras áreas geográficas (isto é Puno), o Aymara é falado. Há muitos outros dialetos falados nas comunidades nativas da Selva.

Economia

economia do Peru tem as mesmas características apresentadas pelos países em desenvolvimento. De sua população ativa, cerca de 45% se dedica à agricultura e à criação de gado. Calcula-se que a produção de alimentos dê para alimentar 60% de sua população sendo o restante completado com alimentos importados. Seus principais produtos de exportação são algodão, pescado, açúcar e café e, entre os minerais, cobre, ferro, prata, zinco e petróleo.

Criação de gado

A criação de animais é praticada paralelamente à agricultura. Na costa norte destaca-se a criação de caprinos bem como a criação de animais de estábulo, sendo que essa zona registra uma elevada produção de carne e leite. Na região andina, da Cordilheira dos Andes, a criação é praticada em zonas onde existem pastos naturais e nos vales. A criação de gado zebu é importante na região amazônica, que tem excelentes condições ecológicas para seu desenvolvimento.

Mineração

A mineração é a principal fonte de divisas do país, gerando oportunidades de empregos para um importante setor da população. O país tem uma grande variedade de metais, dos quais os mais importantes são o cobre, o ferro, o ouro, chumbo, mercúrio e zinco enquanto os minerais não metálicos são representados pelo fosfato, utilizado nas atividades agrícolas, e por alguns materiais de construção como areia, pedra calcária e concreto.

No setor de combustíveis destaca-se a produção de carvão, petróleo e gás natural.

Indústria

A indústria no país vem aumentando há algumas décadas, com uma política de descentralização, através dos parques industriais implementados no interior do país com linhas de especialização. Deve-se destacar a produção de alimentos, como por exemplo azeites, massas, queijos, conservas, bebidas, pães e biscoitos.

A indústria têxtil está concentrada em Lima.

A indústria siderúrgica transforma o aço em arames, canos, tubos e laminados. Outras indústrias produzem bebidas gasosas e alcoólicas como cerveja, pisco, vinho e champanhe, além da produção de batatas e da indústria naval através do Serviço Industrial da Marinha.

Agricultura

A agricultura no país é altamente influenciada pela diversidade climática, pela distribuição dos solos e pelo relevo de seu território. É costa e nos vales que se obtém a mais alta produção agrícola, pois conta com mecanização, orientação técnica e grandes investimentos.

A região andina se caracteriza por uma agricultura extensiva, que utiliza ferramentas tradicionais, sem nenhuma assistência técnica e sem linhas de crédito. Além do mais, como as terras são de baixa qualidade produtiva, o cultivo principal é de plantas alimentícias tais como batata, trigo e milho.

A selva é uma área de colonização e, portanto, abrigo de populações errantes que vêm introduzindo o cultivo de arroz com excelentes resultados

Religião

A maior parte da população é Católica, mas a constituição do país permite qualquer religião. Os índios freqüentemente misturam o Catolicismo com suas crenças tradicionais.

As influências são muitas. Há, por exemplo, as Linhas de Nazca (gigantescas figuras gravadas na superfície do deserto peruano, representando peixes, aranhas, figuras geométricas e outras figuras não identificadas que só podem ser vistas de cima).

Há resquícios do antigo Império Inca na cidade de Cusco e a misteriosa cidade perdida de Machu Picchu. Há ainda a influência da Pacha Mama, Mãe Terra, que é considerada, até hoje, uma importante fonte de energia com poder de cura (índios católicos a identificam com a Virgem Maria).

Conta a lenda que quando os incas chegaram pela primeira vez a Cusco, os pulmões cheios de ar de um lhama foram erguidos acima da cidade como símbolo da deusa. Depois disto, os lhamas passaram a ser sacrificados à Pacha Mama. Uma outra forma de agradar à deusa é oferecer folhas de coca para garantir que os campos produzam boas safras e para trazer sorte aos que constroem suas casas pela primeira vez.

A bruxaria é muito popular e está espalhada por toda parte do país. É muito comum encontrar pessoas que combinam estas duas religiões. Há mercados especiais que vendem poções mágicas e ervas. Os curandeiros ou bruxos, como são chamados, usam os poderes de cura de Pacha Mama para curar seus pacientes.

Eles curam também doenças mais complexas como mal de amor, problemas de falta de sorte e males da alma. Ervas especiais e poções são combinadas com rituais em lagos que, acreditam, têm poderes curativos.

Pessoas das mais diversas classes sociais e do mundo todo vêm se tratar com os curandeiros.

Os peruanos se consideram “Filhos do Sol”, uma mitologia herdada pelos seus descendentes incas. Para os Incas, Inti, o Deus Sol, enviou para a terra seu filho Manco Cápac, que se tornou um rei e passou a ensinar a arte da civilização às pessoas. Todos os reis incas posteriores se diziam descendentes de Manco Cápac e eram também adorados como parte da família do próprio sol.

Clima

O clima do Peru varia do tropical na montanha ao ártico nas montanhas mais elevadas dos Andes. Como o Peru tem sete pisos ecológicos (segum o geógrafo Pulgar Vidal) pode por isso ter a maioria dos climas do mundo.

Na Serra, as escalas de temperatura variam de aproximadamente -7 a 21º C. O periodo das chuvas é de outubro a abril. Em Cuzco, na Serra do sudeste, as precipitações anuais calculam-se em uma média de 81,5 mm.

A Selva é extremamente quente e úmida. Os ventos do leste que passam através dessa região recolhem a umidade que é depositada mais tarde nas inclinações orientais andinas. As precipitações anuais em alguns distritos calcula-se em uma média de 3,810 mm. A maioria desta chuva, que cai principalmente de novembro a abril, drena eventualmente à montanha.

Na planície litoral a temperatura é normalmente uniforme, com uma média de aproximadamente 20º C durante todo o ano. O clima litoral é moderado pelos ventos que vem da corrente fria no Mar Peruano conhecida como a Corrente de Humboldt que registra uma temperatura média anual de 19 º C o que possibilita que o Peru seja um dos maiores paises pesqueiros do mundo.

Fauna e Flora

A vegetação é muito variada. Na costa, há a presença de vegetações sazonais que se limitam aos meses chuvosos. A serra registra a presença de arbustos, cactos e pequenas plantas resistentes à aridez. A vegetação da selva é representada pelos bosques tropicais, onde se alternam as árvores de madeira e as de úteis resinas, com a presença de palmeiras e plantas orquidáceas.

A fauna peruana está representada por animais nativos que estão em risco de extinção, apesar das medidas que vêm sendo tomadas contra isso. A costa é pobre em espécies, destacando-se o veado, a iguana, o gambá e a tartaruga gigante.

Os rios registram uma enorme diversidade de peixes, sendo muito abundantes os camarões. A serra se caracteriza pela presença de alpacas e vicunhas, cuja utilidade econômica é suprir a população de carne e lã. Nesta região também são registradas as presenças de veados e chinchilas. Nos lagos se encontram aves como as gaivotas e flamingos, dentre outras.

A selva tem uma fauna bastante diversificada, destacando a presença do jaguar, grandes serpentes, crocodilos, javalis, papagaios e outras aves. Nos rios é possível a pesca de caimãs (espécie de jacaré americano) e tartarugas, e o mar peruano se destaca pela presença de corvinas, linguados, anchovas, bonitos, crustáceos e mariscos.

Além disso, há também tubarões, cachalotes e baleias. As aves têm uma grande importância econômica devido ao guano que depositam no litoral. Os depósitos de guano são utilizados como fertilizante na agricultura.

Biodiversidade

O Peru é um dos países com uma das maiores diversidades ecológicas na Terra. Seus recordes mundiais são inumeráveis.

Os desertos costeiros, a imponente geografia andina e a exuberância da selva amazônica abarcam 84 dos 103 ecossistemas existentes, 28 dos 32 diferentes climas e a maior diversidade de plantas e animais do mundo.

Um dos exemplos que mostram esta diversidade ecológica diz respeito aos pássaros. Mais de 1701 espécies de pássaros do mundo vivem no Peru. A Reserva de Tambopata, localizada na região amazônica, abriga o maior número de mamíferos do mundo, além de borboletas, libélulas, besouros e pássaros, tudo em apenas 5,5km2.

Na Reserva Nacional de Paracas, localizada na costa, a fauna é abundante em peixes, tartarugas, pingüins e leões marinhos. Na elevação andina, as espécies são representadas pelas vicunhas, pumas, lobos andinos e pelo impressionante condor andino, entre outros. Na região amazônica podem ser encontradas 90 espécies de orquídeas, samambaias, palmeiras e árvores de cedro.

Quanto à fauna, registra-se a presença de um grande número de aves de pequeno porte, além do “frango das pedras" ou "tunqui", que é considerada, pomposamente, a ave nacional do Peru.

Línguas

As línguas oficiais são o Espanhol e o Quechua, o último falado pelas populações da Serra.

Do mesmo modo, em outras áreas geográficas (isto é Puno), o Aymara é falado.

Há muitos outros dialetos falados nas comunidades nativas da Selva.

Cultura

O relacionamento entre o hispânico e as culturas índias determina muito da expressão cultural da nação. Durante a época pré-colombiano, o Peru era um dos centros principais da expressão artística na América. As culturas Pré-Incas, tais como Chavín, Paracas, Nazca, Chimú, e Tiahuanaco, desenvolveram uma cerâmica de qualidade elevada, têxteis e escultura.

Os Incas continuaram a manter estes ofícios alcançando realizações ainda mais impressionantes na arquitetura. A cidade de Machu Picchu e os edifícios em Cuzco são exemplos excelentes do desenvolvimento da arquitetura Inca.

O Peru passou por vários estágios intelectuais - da cultura colonial hispânica ao romantismo europeu após a independência. O princípio do século trouxe o "Indígenismo" expressado em uma consciência nova da cultura indígena.

Desde a II guerra mundial, os escritores, os artistas, e os intelectuais peruanos participaram em movimentos intelectuais e artísticos ao redor do mundo, influenciados especialmente por tendências americanas e da Europa.

Durante o período colonial, o barroco espanhol fundiu-se com a rica tradição Inca para produzir o arte mestiça. A escola Cuzquenha seguiu a tradição barroca espanhola com influência das escolas italianas, flamengas e francesas.

O pintor Pancho Fierro fez uma contribuição distinta com suas pinturas de eventos, de maneiras e de costumes típicas do Peru de meados do século XIX. Francisco Lazo, precursor da escola indígena de pintura, conseguiu também a fama por seus retratos. A arte peruana do século 20 é conhecido extensamente por sua variedade extraordinária de estilos e originalidade.

Na década após 1932, "a escola indígena" de pintura dirigida por José Sabogal dominou a cena cultural no Peru. Não obstante, uma reação entre os artistas peruanos originou à pintura peruana moderna. A renúncia de Sabogal como diretor da Escola Nacional de Belas Artes em 1943 coincidiu com o retorno da Europa de diversos pintores peruanos que revitalizaram os estilos "universal" e internacionais de pintura.

Durante os anos 60, Fernando de Szyszlo, um artista peruano internacionalmente reconhecido, transformou-se no principal representante da pintura abstrata e empurrou o arte peruano rumo ao modernismo.

O Peru continua a ser um centro produtor de arte com pintores tais como Gerardo Chávez, Alberto Quintanilla, e José Carlos Ramos, junto com o escultor Víctor Delfín, ganhando estatura internacional. Novos artistas promissores continuam seu desenvolvimento, entretanto a economia peruana permite na atualidade mais promoção das artes.

Historia

As culturas pré-incas se assentaram no litoral e nos Andes do Peru. Algumas alcançaram grande poder e influencia no território que originaram pequenos centros regionais. Todas se caracterizam pela sua cerâmica, manejo dos recursos naturais e outras características que as diferenciaram umas das outras.

As principais culturas pré-incas são: Chavín, Paracas, Moche, Tiahuanaco, Nasça, Wari, Chimú e Chachapoyas.

A Cultura Inca (1200-1500 d.C) foi a civilização mais importante de América do Sul. Sua organização econômica, suas manifestações artísticas e sua arquitetura impressionaram aos primeiros cronistas. O Tahuantinsuyo ou Império Inca se estendeu ate os atuais países de Colômbia pelo Norte e Chile e Argentina pelo Sul, incluindo na sua totalidade os territórios da Bolívia e do Equador.

O encontro entre a cultura Inca e a cultura espanhola iniciou-se com a conquista espanhola no século XVI. Em 1532 as hostes de Francisco Pizarro capturaram a Atahualpa em Cajamarca. Em 1542 criou-se o Virreinato do Peru.

O processo de assentamento espanhol se consolidou no século XVI com o Virrey Francisco de Toledo, que através das ordenanças, assentou as bases da economia colonial: o sistema de controle de mão de obra indígena (mita) para o minério e a produção artesanal. Até o século XVII o Virreinato do Peru abarcou o território que se estendia desde Panamá ate Terra do Fogo.

O Peru foi declarado país independente por don José de San Martín em 1821. A partir da metade do século XIX o país começou a exportar o guano, algodão e açúcar, prescindido dessa maneira da contribuição indígena e da escravidão.

O inicio do século XIX foi caracterizado por uma abundante criação intelectual, simbolizada pelo fundador do APRA, Vitor Raul Haya dela Torre y José Carlos Mariátegui, criador do pensamento socialista peruano.

As condições de navegação no rio Amazonas motivaram acordos com o Brasil, e em 1909 se finalizou a determinação das fronteiras entre ambos os países. O tratado de fronteiras com a Colômbia foi aprovado pelo Congresso Nacional em 1927. Em 1929, Tacna retorna ao Peru. A demarcação com a Bolívia definiu-se em 1932, e finalmente em 1999 se resolveu a disputa territorial com o Equador, prevalecendo o "Protocolo de paz, amizade e limites", assinado em 1942.

Em 1968, as Forças Armadas, depuseram ao Presidente Fernando Belaúnde, quem foi eleito novamente em 1980. Em 1985 o doutor Alan García foi eleito presidente, seguido do Presidente Alberto Fujimori, quem governou por dez anos.

Depois da sua segunda reeleição, no 2000, o povo peruano reclamou novas eleições, e estabeleceu-se um governo de transição democrática com Valentim Paniagua. Em julho de 2001, o doutor Alejandro Toledo Manrique assumiu o mandato presidencial. Atualmente, o Presidente Constitucional do Peru é o senhor Ollanta Humala Tasso.

Principais Cidades

LIMA (capital)

Lima é a capital e a maior cidade do Peru situada perto da costa do Pacífico. Igualmente foi capital do Vice-Reinado do Peru na época colonial. Lima é também a capital da província de Lima.

História - Foi fundada por Francisco Pizarro em 18 de janeiro de 1535 com o nome em espanhol de Ciudad de los Reyes (Cidade dos Reis). No entanto, com o tempo persistiu seu nome original, que vem provavelmente do idioma aimará (lima-limaq, ou flor amarela) ou do quíchua, por causa de seu rio, Rímac. Nos primeiros mapas do Peru se podem ver conjuntamente os nomes Lima e Ciudad de los Reyes. Foi a capital do Vice-Reino do Peru até a independência.

Em 1746 boa parte da cidade foi destruída por um terremoto. Entre 1881 e 1883 foi ocupada pelo Chile durante a Guerra do Pacífico.

Lima atualmente tem cerca de 8,4 milhões de habitantes (cerca de um terço da população peruana), e é o centro econômico e político do país, concentrando mais de 70% de sua indústria (as principais são as têxteis, papel, alimentos e tintas) e comércio. Tal crescimento foi produto principalmente do êxodo rural e migração urbana (saindo de cidades menores do país) das últimas décadas, especialmente desde os anos 50 do século XX.

A Grande Lima se estende por mais de 100km ao longo da costa, abrangendo também o porto de Callao, o principal do país, e compõe-se de 43 distritos. A modernização do comércio nos últimos anos dotou a capital peruana de funcionalidades dignas de qualquer metrópole tais como shopping centers, multinacionais, chegada de grandes marcas, locais de comércio 24 horas que funcionam todos os dias, principalmente nos bairros mais nobres. Por outro lado, a cidade sofre consideravelmente com a poluição, provocada por milhares de veículos, principalmente a frota circulante mais antiga.

AREQUIPA (centro industrial)

Peru
Arequipa, Catedral de San francisco

Arequipa (A Cidade Branca) é a segunda cidade do Peru conhecida pela sua atividade cultural e econômica. É conhecida no país como "Cidade Branca" devido à cor da lava vulcânica, utilizada na construção de numerosos edifícios.

Está situada perto da base do Misti (5.821m), um vulcão que se encontra adormecido e que domina por completo a paisagem da cidade, com o seu cume coberto de neve. Ao lado desta montanha, encontra-se outro vulcão chamado Chachani (6.075m) e o Pichu-Pichu (5.425m).

A cidade foi fundada em 1540, mas as suas principais igrejas e mansões surgiram nos séculos XII e XIII, numa altura em que prosperou a agricultura e os benefícios derivados da sua situação no comércio de minerais, que iam de Potosi (Bolívia) para Espanha.

Arequipa é o centro mais importante da industria têxtil de lã de Alpaca do país.

Entre os lugares mais pitorescos encontram-se a catedral, construída no século XIX, a Igreja de la Merced, a Igreja de San Agustín, e o Mosteiro de Santa Catalina, fundado em 1580. Este mosteiro esteve até 1970 vedado ao mundo. Hoje em dia, algumas freiras ainda mantêm o voto de clausura. As famílias ricas espanholas enviavam para este Mosteiro as suas filhas. É como uma cidade dentro de outra cidade, onde as suas estreitas ruas mantêm nomes espanhóis.

TRUJILLO (atividades comerciais)

Peru
Catedral Amarela, em Trujillo

Trujillo é a maior cidade do norte do país, capital do departamento La Libertad e da província de Trujillo. Tem cerca de 747 mil habitantes.

Localizada na costa de norte do Peru, Trujillo foi fundada em 1534 por Don Diego de Almagro que, ao parar no vale do rio Moche, em sua marcha para Pachacamac (Lima), "achou um lugar lucrativo e conveniente para fundar uma cidade", a qual batizou com o mesmo nome da cidade espanhola onde nasceu.

Desde sua fundação, a cidade mostrou um desenvolvimento expresso devido à fertilidade do vale e ao esforço de seus moradores em construírem casas grandes e elegantes, nas quais podemos ver artísticas grelhas de ferro forjado que definitivamente fazem parte da arquitetura da cidade.

No vale de Moche, localiza-se a cidade de Chan-Chan, capital do Reino dos Chimús, considerada como a maior cidade de lama do mundo (20 quilômetros quadrados de superfície) e que apenas é comparável aos restos arqueológicos de Teotihuacan, no México, ou às antifas cidades do Egito.

Na Huaca do Sol, uma pirâmide 20 metros de altura, são apreciados murais que representam os rituais dos Mochicas, e o Complexo de EL Brujo onde localiza-se uma pirâmide de 30 metros de altura e mais de 15 séculos de existência. Essas construções comprovam a grandeza dos primeiros habitantes da costa norte do Peru.

CUZCO (cidade turística)

Peru
Cuzco, Peru

Cuzco (do Quíchua Qusqu, em espanhol Cuzco) é uma cidade no Peru situada no sudeste do Vale de Huatanay ou Vale Sagrado dos Incas, na região dos Andes, com população de 300.000 habitantes. É a capital do departamento de Cuzco e da província de Cuzco.

Cuzco é uma cidade de grande altitude (3400 metros acima do nível do mar). Seu nome significa "umbigo", no idioma Quíchua. Era o mais importante centro administrativo e cultural do Tahuantinsuyu, ou Império Inca. Lendas atribuem a fundação de Cuzco ao inca Manco Capac no século XI ou XII. As paredes de granito do palácio inca ainda estão lá, bem como monumentos como o Korikancha, ou Templo do Sol.

Depois do outono do Império, em 1532, o conquistador espanhol Francisco Pizarro, invadiu e saqueou a cidade. A maioria dos edifícios incas foi arrasada pelos clérigos católicos com o duplo objetivo de destruir a civilização inca e construir com suas pedras e tijolos as novas igrejas cristãs e demais edifícios administrativos dos dominadores, desta forma impondo sua pretensa superioridade européia.

A maioria dos edifícios construídos depois da conquista é de influência espanhola com uma mistura de arquitetura inca, inclusive a igreja de Santa Clara e San Blas. Freqüentemente, são justapostos edifícios espanhóis sobre as volumosas paredes de pedra construídas pelos incas.

De forma interessante, o grande terremoto de 1950, destruindo uma construção de padres dominicanos, expôs que esta fora erigida em cima do Templo do Sol Korikancha, que curiosamente resistiu firmemente ao terremoto.

Esta teria sido a segunda vez que aquela construção dos dominicanos fora destruída, sendo que a primeira vez fora em 1650 quando a construção espanhola era bem diferente.

Outros exemplos da arquitetura inca são: a fortaleza de Machu Picchu que se situa no final da Estrada Inca, a fortaleza Ollantaytambo, e a fortaleza de Sacsayhuaman que fica aproximadamente a dois quilômetros de Cuzco.

A área circunvizinha, situada no Vale de Huatanay, tem uma agricultura forte, com o cultivo de milho, cevada, quinoa, chá e café, além da mineração de ouro.

O Peru declarou sua independência em 1821 e a cidade de Cuzco manteve sua importância dentro da organização político-administrativa do país. De fato, criou-se o departamento de Cuzco que abrangia inclusive os territórios amazônicos até o limite com o Brasil. A cidade foi a capital deste departamento e a cidade mais importante do sudeste andino.

A partir do século XX, a cidade iniciou um desenvolvimento urbano num ritmo maior que o experimentado até esse momento. A cidade estendeu-se aos vizinhos distritos de Santiago e Wanchaq.

Em 1911, partiu da cidade a expedição de Hiram Bingham que o levou a descobrir as ruínas incas de Machu Picchu.

Em 1933 o Congresso de Americanistas realizado na cidade de La Plata, Argentina declarou a cidade como "Capital Arqueológica da América". Posteriormente, em 1978, a 7ª Convenção de Prefeitos das Grandes Cidades Mundiais, realizado na cidade italiana de Milão declarou Cuzco como a "Herança Cultural do Mundo". Finalmente, a UNESCO em Paris, França declarou a cidade e especialmente seu centro histórico como "Patrimônio Cultural da Humanidade" em 9 de dezembro de 1983.

O governo do Peru, em concordância, declarou Cuzco em 22 de dezembro de 1983, mediante a Lei Nº 23765 como a "Capital Turística de Peru" e "Patrimônio Cultural da Nação". Atualmente, a Constituição Política de 1993 declara Cuzco como a Capital Histórica do país.

IQUITOS (recursos naturais)

Peru
Cidade de Iquitos, Peru

A floresta densa do Peru deve seu nome a um imenso gerador de vida, ilusões e lendas: o rio Amazonas que foi descoberto em 1541 pelo espanhol chamado de Francisco de Orellana.

Nas beiras do Amazonas, cidades como Iquitos foram fundadas.E Iquitos se tornou a capital do departamento de Loreto. Comunidades nativas, como os Cocamas, os Witotos, os Boras e os Ticunas, herdaram segredos e costumes milenares.

Iquitos foi fundada em 1747 pelo jesuíta José Bahamonde, e é rodeada pelos rios Nanay, Itaya e Amazonas. Quente, exótico e com um verde impressionante, a maior cidade da floresta peruana é a porta de entrada para navegar para o Amazonas.

A região fica no meio da selva amazônica peruana, distante 1.859 km de Lima. Com mais de 650 mil habitantes, Iquitos é ponto de partida para inúmeras aventuras na selva amazônica.

Na praça das Armas, a principal da cidade, os heróis peruanos que lutaram na guerra contra o Chile, em 1879, são lembrados num monumento.

Estima-se que antes da chegada dos espanhóis, em 1542, 300 mil índios habitavam a selva peruana. A população foi quase toda dizimada por doenças como varíola, difteria, malária e febre amarela, adquiridas após o contato com o homem branco. Por muitos anos, jesuítas e franciscanos trabalharam na evangelização dos índios peruanos de várias aldeias.

Em 1757, Iquitos foi escolhida como local estratégico para a unificação e a formação de um só grande povoado. Às margens do Amazonas, Iquitos hoje sobrevive da exploração de petróleo e de diversos projetos de utilização de recursos florestais.

Fonte: Embaixada do Peru

Peru

Patrimônio rico e variado do Peru inclui a capital inca de Cuzco e antiga da cidade perdida de Machu Picchu. O país possui um cenário espetacular, incluindo o Lago Titicaca, o lago navegável mais alto do mundo.

Um número crescente de visitantes estão sendo atraídos para a sua variedade de atrações, como os seus tesouros arqueológicos, a Cordilheira dos Andes e da floresta amazônica, o que representa cerca de metade do país.

É rico em cobre, prata, chumbo, zinco, petróleo e ouro.

O país experimentou um crescimento econômico na década de 2000, e em 2011 o Peru foi dito ter um do mundo o mais rápido crescimento economias.

Os investidores estrangeiros, atraídos pelo governo e incentivado por condições favoráveis, têm-se esforçado para se envolver em explorar a riqueza mineral do país.

Mas as autoridades têm enfrentado oposição em áreas rurais para os projetos extrativistas que os moradores locais dizem que vai causar poluição, utilizar-se escassas reservas de água e deixar de levantá-los da pobreza.

Grupos indígenas da Amazônia e as montanhas andinas argumentam que as minas, barragens e campos de petróleo estão destruindo suas terras ancestrais e eles tornaram-se mais assertivo na exigência de maior reconhecimento e proteção.

O país ainda está tentando entrar em acordo com o trauma de um conflito de duas décadas - cerca de 1980-2000 - entre o Estado e os grupos guerrilheiros de esquerda, o Sendero Luminoso eo Movimento Revolucionário Tupac Amaru.

A guerra é pensado para ter custaram cerca de 70 mil vidas, a maioria deles camponeses andinos. É crueldade foi em grande parte devido ao seguinte fanático do líder do Sendero Luminoso, Abimael Guzmán, cuja captura, em 1992, em vigor dissolveu o movimento guerrilheiro.

No entanto, o Sendero Luminoso continua a ter uma sequência pequena política.

E ramificações do grupo estão a ser dito envolvidos no comércio de cocaína.

A ONU acredita que o Peru se tornou o maior produtor mundial de folha de coca, e agora rivais Colômbia para produção de cocaína.

Os críticos da guerra contra as drogas argumentam que apertar a produção em um país - como a Colômbia - apenas faz os traficantes transferir suas operações em outros lugares, como o Peru.

Embora o tráfico de drogas fez uma grande contribuição para a economia - quase 17% do produto interno bruto do país doméstico em 2009, de acordo com o governo peruano - os ambientalistas estão preocupados com o impacto o cultivo de coca ea produção de cocaína está a ter sobre as florestas tropicais, tanto por causa da desmatamento e do despejo de produtos químicos envolvidos na fabricação da droga.

Peru teve períodos de regime militar, mas nas últimas décadas os governos foram democraticamente eleitos e seus dirigentes responsabilizados por suas ações.

Alberto Fujimori, que foi presidente de 1990 a 2000, agora está servindo uma pena de prisão de 25 anos em humanos acusações de abuso de direitos.

Peru
As alturas espetaculares dos Andes, bem como as florestas densas, 
quentes do Amazonas estão ambos a ser encontrado no Peru

Uma cronologia dos principais eventos:

1532-1533 - conquistadores espanhóis liderados por Francisco Pizarro derrota os incas cujo império posteriormente torna-se parte do Vice-realeza de Peru com capital em Lima.

1780 - fracassada revolta contra a espanhola liderada por Tupac Amaru II, que dizia ser descendente do último imperador inca.

1821 - o general José de San Martin Lima captura do espanhol e proclama Peru independente.

1824 - O Peru é última colônia na América do Sul a conquistar a independência da Espanha.

1836-1839 - Peru e Bolívia participar de curta duração confederação.

1849-1874 - Alguns 80.000-100.000 trabalhadores chineses chegaram ao Peru para fazer trabalhos braçais, como coleta de guano.

1866 - peruano-espanhol guerra.

1879-1883 - Peru e Bolívia são derrotados pelo Chile durante a Guerra do Pacífico, em que o Peru perde território no sul do Chile.

Peru
Machu Picchu, ou a Cidade dos Incas, foi trazido a atenção 
do mundo em 1911 e foi parcialmente restaurada. 
É uma grande atração turística

1924 - Victor Haya de la Torre Raul configura nacionalista Aliança Popular Revolucionária Americana (APRA) no exílio no México.

1941 - breve guerra fronteiriça com o Equador. Sob o protocolo 1942 Rio Equador cede algum território disputado no Peru.

Política gangorra

1945 - O governo civil liderado pelo centro-esquerda APRA chega ao poder depois de eleições livres.

1948 - O governo militar liderado pelo general Manuel Odría instalado golpe seguinte.

1963 - retorna Peru para o governo civil com centrista Fernando Belaunde Terry como presidente.

1968 - O governo civil derrubado em golpe de Estado liderado pelo general Juan Velasco Alvarado, que apresenta programa de reforma populista terra e realiza grandes nacionalizações.

1975 - Velasco deposto em golpe de Estado liderado pelo general Morales Bermúdez.

1980 - Peru retorna para o governo civil, com a reeleição de Fernando Belaunde como presidente.

Sendero Luminoso, ou Sendero Luminoso, a guerrilha começa a luta armada.

1981 - Peru guerra de fronteira com o Equador sobre lutas Cordillera del Condor, que um protocolo de 1942 tinha dado para o Peru.

1982 - Mortes e "desaparecimentos" começam a se multiplicar repressão do exército seguinte em guerrilhas e traficantes de drogas.

1985 - APRA candidato Alan Garcia Perez vence eleição presidencial e começa a campanha para remover militar e policial "velha guarda".

1987 - movimento liderado pelo Libertad New escritor Mario Vargas Llosa blocos planeja nacionalizar bancos como o Peru enfrenta a bancarrota.

1988 - Peru busca a ajuda do Fundo Monetário Internacional; campanha de guerrilha Sendero Luminoso se intensifica.

Era Fujimori

1990 - Mais de 3.000 assassinatos políticos relatados.

Independente de centro-direita Alberto Fujimori eleito presidente em anti-corrupção plataforma.

Severa austeridade e programas de privatização lançado como inflação atinge 400%.

1992 - Fujimori suspende Constituição com o apoio do exército.

Líder do Sendero Luminoso preso e condenado à prisão perpétua.

Legislativo de câmara única novo eleito.

1993 - A nova Constituição adotada, possibilitando que Fujimori para buscar a reeleição.

1994 - Cerca de 6.000 guerrilheiros do Sendero Luminoso entregar às autoridades.

1995 - Fujimori reeleito para segundo mandato, as pessoas condenadas por abusos dos direitos humanos perdoados.

1996 - Guerrilheiros Tupac Amaru aproveitar reféns na residência do embaixador japonês em um cerco de quatro meses.

1998 - acordo de fronteiras com o Equador.

Escândalo de suborno

Setembro de 2000 - chefe da Inteligência Vladimiro Montesinos envolvido em escândalo após ser capturado em vídeo aparentemente tentando subornar um político da oposição.

De novembro de 2000 - escritório peruano ombudsman de direitos humanos diz que 4.000 pessoas haviam "desaparecido" desde 1980, em guerra contra os rebeldes de esquerda.

De novembro de 2000 - sacos Congresso Fujimori e declara-o "moralmente inaptos" para governar; cabeça do Congresso Valentin Paniagua empossado como presidente interino.

Março de 2001 - Juiz ordena o ex-presidente Fujimori, que desde então fugiu para o Japão, para enfrentar acusações de abandono do dever.

Abril de 2001 - novas cabeças do, Força Aérea do Exército e da Marinha empossado após renunciar os seus antecessores em links ao ex-presidente Fujimori.

2001 Maio - O presidente do Supremo Tribunal e nove juízes seniores demitido por supostas ligações com o ex-chefe de inteligência fugitivo Vladimiro Montesinos. Vice-ministro da Fazenda se demite por alegações de que ele foi fundamental em pagar US $ 15 milhões Montesinos para deixar o Peru.

Toledo eleito

Junho de 2001 - Eleições presidenciais: de centro-esquerda economista Alejandro Toledo derrotas ex-presidente Alan Garcia. Toledo é o primeiro presidente do Peru, de origem indígena.

Junho de 2001 - O ex-chefe de inteligência Vladimiro Montesinos é apreendido na Venezuela, levado de volta para o Peru e mantido em uma prisão de segurança máxima.

De setembro de 2001 - juiz do Supremo Tribunal questões mandado internacional de prisão para o ex-presidente Alberto Fujimori, que está em auto-exílio no Japão.

Março de 2002 - Nove pessoas mortas pela explosão de uma bomba perto de embaixada dos EUA em Lima - visto como tentativa de perturbar a próxima visita do presidente George W Bush.

Comissão da Verdade

De abril de 2002 - Verdade e Reconciliação começa audiências públicas sobre supostas atrocidades cometidas durante a guerra civil de 1980 e 1990.

Junho de 2002 - Protestos violentos contra a privatização de duas empresas de energia. Presidente Toledo coloca a venda em espera.

Julho de 2002 - Os parlamentares acusam exilado ex-presidente Alberto Fujimori de traição.

O ex-chefe de inteligência Vladimiro Montesinos condenado a nove anos de prisão por corrupção.

2003 Março-Maio - Vladimiro Montesinos condenado a mais cinco frases e oito anos de prisão por abuso de peculato, poder.

Agosto de 2003 - Verdade e Reconciliação Comissão de inquérito sobre as atrocidades durante 20 anos de guerra contra rebeldes do Sendero Luminoso conclui que cerca de 69.280 pessoas foram mortas.

Toledo sob pressão

Junho de 2004 - O ex-chefe de inteligência Vladimiro Montesinos condenado a mais 15 anos de prisão por corrupção, peculato conspiração.

Agosto de 2004 - Inauguração do grande projeto do gasoduto ligando campo de gás de selva com Lima.

De janeiro de 2005 - Quatro dias de levante fracassado por reservistas do exército nacionalistas do sul: seis pessoas são mortas e demite o ministro do Interior sobre o incidente.

Maio de 2005 - Congresso de comissão encontra presidente Toledo culpado de fraude eleitoral. Os promotores dizem que seu partido forjado muitas das assinaturas que costumava registrar para a votação de 2000. Congresso vota mais tarde para não acusar o presidente.

Julho de 2005 - Governo começa a compensar as vítimas da guerra de guerrilha; US $ 800 milhões são destinados para o efeito.

Novembro de 2005 - O ex-presidente Fujimori é preso no Chile, depois de chegar do Japão, na pendência de processo de extradição.

Dezembro de 2005 - Peru e os EUA chegar a um acordo de livre comércio.

Presidente declara estado de emergência em seis províncias centrais após suspeita de guerrilheiros do Sendero Luminoso mata oito policiais.

Vitória eleitoral de Garcia

Junho de 2006 - Eleições presidenciais: Alan Garcia, um ex-presidente, comemora vitória após uma segunda rodada de votação. Seu rival, o candidato nacionalista Ollanta Humala, emergiu como o principal candidato no primeiro turno.

Outubro de 2006 - O ex-líder rebelde Sendero Luminoso Abimael Guzmán é condenado à prisão perpétua.

Abril de 2007 - os poderes do Parlamento subsídios de emergência para o presidente García, que lhe permite governar por decreto em questões relacionadas ao tráfico de drogas, o crime organizado.

De agosto de 2007 - Terremoto atinge áreas costeiras, matando centenas de pessoas e destruindo igrejas e casas.

De setembro de 2007 - Chile extradita ex-presidente Alberto Fujimori ao Peru para enfrentar os direitos humanos e corrupção.

De dezembro de 2007 - Fujimori vai a julgamento pelo assassinato de 25 pessoas mortas por um esquadrão da morte do Exército durante o seu governo. Em um caso separado, ele é condenado a seis anos de prisão por ordenar ilegalmente a procura de um apartamento.

Outubro de 2008 - Gabinete renuncia após membros do governante Partido Apra estão implicados em um escândalo de corrupção envolvendo subornos para contratos de petróleo. Presidente Garcia nomeia Yehude Simon, um governador de esquerda regional de fora do partido do governo, como o novo primeiro-ministro.

Abril de 2009 - O ex-presidente Alberto Fujimori é condenado a 25 anos de prisão por ordenar assassinatos e sequestros por parte das forças de segurança.
Confrontos da Amazônia

Junho de 2009 - Pelo menos 54 pessoas são mortas em confrontos na Amazônia entre forças de segurança e os povos indígenas que protestavam contra as leis de propriedade da terra que se abrem recursos de petróleo e gás para empresas estrangeiras.

PM Yehude Simon se demite em resposta à violência, depois de conversas de intermediação com os manifestantes que levem à revogação das leis de terra.

De julho de 2009 - Os sindicatos e grupos de esquerda de oposição realizar protestos em todo o país contra as políticas do governo pró-livre comércio.

Presidente Garcia nomeia um novo primeiro-ministro, Javier Velásquez Quesquén, e substitui sete outros ministros em uma remodelação do gabinete destinado a restabelecer a confiança no governo.

Outubro de 2009 - Relações com o Chile estão tensas por um exercício militar chileno encenado perto da fronteira entre os dois países em disputa.

Novembro de 2009 - Laços com o Chile se tornar ainda mais tensa depois de um oficial da força aérea peruana é acusada de espionar para os militares chilenos.

Peru pede desculpas pela primeira vez aos seus cidadãos de origem Africano de séculos de "abuso de exclusão e discriminação".

2010 Maio - líder indígena peruano Alberto Pizango é liberado em julgamento fiança até um dia depois que ele foi detido em sua casa de retorno de quase um ano de exílio. Ele é acusado de incitar protestos contra óleo planejada e exploração de gás na floresta do Peru que virou mortal.

2011 Janeiro - Inauguração da estrada de ligação controversa Atlântica do Brasil costa do Pacífico do Peru com costa.

2011 Junho - Ollanta Humala vence as eleições presidenciais no segundo turno.

2011 Dezembro - Emergência declarado nos protestos contra o norte a seguir uma proposta de projeto de mineração de ouro.

2012 Fevereiro - Shining rebelde Caminho camarada Artemio - uma do comitê central original - é capturado.

2012 Abril - Sendero captura de rebeldes, e mais tarde livre, cerca de 36 trabalhadores de gás no sul.

2012 Maio - Estado de emergência declarado no sul da província de Espinar, perto de Cusco, depois de anti-mineração protestos se tornar violenta.

Julho-Setembro 2012 - Emergência declarado nas províncias do norte para reprimir protestos violentos contra o projeto de mineração Conga, que os oponentes argumentam vai causar poluição e destruir o abastecimento de água. Presidente Humala nomeia ministro da Justiça, Juan Jimenez prefeito primeiro-ministro depois de Oscar Valdés encerra com a morte de cinco manifestantes Conga. Emergência é a caducar em setembro, mas as forças de segurança permanecem em alerta.

2012 Novembro - O último dos artefatos retirados de Machu Picchu pelo arqueólogo Hiram Bingham EUA são devolvidos ao Peru sob um acordo de 2010. Sr. Bingham levou o site a atenção internacional em 1911.

Fonte: news.bbc.co.uk

Peru

Introdução

Podemos assegurar sua majestade que é tão bonito e tem esses belos edifícios que seriam mesmo notável na Espanha.Francisco Pizarro, descrevendo Cuzco, em uma carta ao rei Carlos V de Espanha.

O Peru é o terceiro maior país da América do Sul, cobrindo 1285215 quilômetros quadrados., E pode ser dividido em três regiões geográficas distintas. O mais conhecido deles é o centro de alta serra dos Andes, com seus picos enormes, gargantas íngremes, e extraordinárias pré colombianas sítios arqueológicos.

Os Andes são ainda uma das faixas do mundo da montanha mais instáveis, com freqüentes terremotos, deslizamentos de terra e inundações.

Apesar dessa instabilidade, os Andes são também o local das mais fascinantes cidades pré-colombianas da América do Sul-como a grande cidade das nuvens, Machu Picchu.

Os Andes são de modo algum a única região a visitar no Peru. Também de grande interesse é estreita do Peru, de várzea região costeira, uma extensão do norte do deserto de Atacama. Embora o Atacama é geralmente conhecido como a região mais árida do planeta, o clima ao longo das costas do Peru é feita mais frio e menos seco por La Garu & ugravea, uma densa névoa criada pela colisão das águas frias da corrente de Humboldt com as areias quentes de o Atacama. Lima, Trujillo, Chiclayo e, três dos grandes centros populacionais do Peru, estão localizados ao longo deste deserto costeiro.

Terceira região do Peru é grande a densa floresta que rodeia as nascentes do Amazonas sob as encostas orientais da Cordilheira dos Andes.Esta parte do país é tão inacessível que só os viajantes mais aventureiros e intrépido deve tentar penetrar suas profundezas esmeralda misteriosas. Na verdade, a capital da região de Iquitos, uma cidade de 400 mil, é acessível somente por via aérea ou de barco até a Amazônia.

Peru
Clima do Peru

Clima

O clima do Peru varia consideravelmente por região, de janeiro a março, embora em todos os lugares tende a ser a estação chuvosa. As zonas costeiras, que são bastante quente e úmido durante esses meses, são resfriados durante o resto do ano por La Garuùa. O nevoeiro não penetra muito longe para o interior, no entanto, e do lado ocidental dos Andes são muito claras, quente e seco durante a maior parte do ano. Como uma move-se para as montanhas, temperaturas nocturnas tornaram-se consideravelmente mais frio. A encosta oriental dos Andes, como a bacia amazônica, experimenta chuvas muito fortes durante a estação chuvosa, que vai de janeiro até o fim de abril.

História e Cultura

Peru é mais conhecido como o coração do império Inca, mas foi o lar de muitas diversas culturas indígenas muito antes dos incas chegaram. Embora haja evidências de ocupação humana no Peru como há muito tempo como o oitavo milênio aC, há pouca evidência de vida da aldeia organizada até cerca de 2500 aC. Foi nessa época que as mudanças climáticas nas regiões costeiras solicitado primeiros habitantes do Peru para se mover em direção aos vales dos rios mais férteis do interior. Para os próximos 1500 anos, a civilização peruana desenvolvido em um número de culturas organizadas, incluindo a Chavin ea Sechin. O Chavín são mais conhecidos por sua iconografia religiosa estilizada, que incluiu marcantes representações figurativas de vários animais (onça-pintada, em particular) e que exerceu considerável influência sobre toda a região costeira. O Sechin são lembrados mais por sua hegemonia militar do que para a sua realização cultural.

Peru
Arquitetura Chavín

O declínio das culturas Chavín e Sechin em torno do século 5 aC deu origem a uma série de distintas culturas regionais. Alguns deles, incluindo o Saliner e Paracas, são celebradas para avanços artísticos e tecnológicos, tais como forno movidas a cerâmica e sofisticadas técnicas de tecelagem. A partir dos Paracas surgiu a Nazca, cujo legado inclui as Linhas de Nazca imensas e enigmática. No entanto, as realizar-mentos destes e de outros primeiros civilizações peruanas parecem hoje para pálido em comparação com a civilização pré-colombiana robusta do Inca.

A característica mais surpreendente do grande império inca foi sua brevidade. Em 1430, o reino do Inca consistia em pouco mais do que o vale do rio em torno de Cuzco. Menos de um século mais tarde, através da conquista e uma política prudente de incorporar as melhores características das sociedades que subjugados, os incas controlava um vasto território de quase 1 milhão de quilômetros quadrados - um domínio que se estendia desde a noroeste da Argentina para o sul da Colômbia. A capital inca, em Qosqo, foi sem dúvida a cidade mais rica em todas as Américas, com templos, literalmente, envolto em placa de ouro pesado. Embora a arquitetura Qosqo permanece apenas em fragmentos e fundações, a realização arquitetônica dos Incas sobreviveu intacto no centro surpreendente cerimonial de Machu Picchu.

Em 1532, no auge de seu poder, o império inca foi impulsionado por uma guerra de sucessão. Em uma das grandes tragédias da história, foi precisamente no momento em que este Francisco Pizarro e sua banda de espanhol conquis-tadors chegaram ao local. Mostrando uma incrível capacidade de transformar as circunstâncias para sua própria vantagem, Pizarro usou engano e astúcia para ganhar um encontro pessoal com Atahualpa, o governante Inca, a quem ele friamente assassinado. Diante da feroz resistência, Pizarro e seus homens apreenderam Cuzco e saquearam a cidade. Apesar de os incas continuaram a lutar para os próximos anos, o império tinha terminado e domínio espanhol tinha começado.

População

Peru população de cerca de 23 milhões é dividido quase igualmente entre as montanhas e os centros populacionais do litoral, ea divisão cultural marca uma nítida, bem como divisão geográfica. O interior peru regiões são marcadas pela pobreza extrema e da agricultura de subsistência, enquanto os vales férteis das planícies ter produzido um mais rico, mais cultura cosmopolita. Quase metade das pessoas do Peru são indianos, enquanto outro um terço ou assim que são mestiços.

Cerca de dez por cento são de origem européia, e há significativas minorias africanas e asiáticas. Embora o espanhol é a língua oficial do Peru, uma multidão de línguas indígenas continuam a dominar nas terras altas.

Explorações

O Peru pode ser dividido em três grandes regiões: central altiplano andino, o longa, faixa baixa litorânea, ea vastidão remoto leste da Bacia Amazônica. O mais conhecido destas regiões, a Cordilheira dos Andes, é também a casa de Huascarán, parque mais famoso do país e montanhismo primeiro da América do Sul e destino trekking. As montanhas são o lar de o condor andino, gansos andinos, puna ibis, e muitos tipos de beija-flores, além de lhama, alpaca, guanaco, vicunha, paramo. Várias espécies de plantas resistentes também prosperar, incluindo Polylepis, um pequeno arbusto que cresce a uma elevação maior do que qualquer outro no mundo.

Qosqo (Cuzco)

Esta cidade, colorido pitoresco foi o centro do Império Inca, e com cerca de 300.000 residentes continua a ser uma cidade importante. Embora Qosqo foi fortemente danificada pelos espanhóis (cuja arquitetura legado é óbvio), a cidade inca ainda está muito em evidência. Paredes, portas, fundações, arcos, e pedras decorativas ainda são encontrados em toda a cidade, incorporado em estruturas mais recentes, como fragmentos de um mosaico quebrado. Qosqo também contém algumas ruínas incas mais amplas, incluindo os Templos do Sol e da Lua. A cidade é também o ponto de aclimatação para a caminhada altitude célebre alta ao longo da trilha dos incas.

A Trilha Inca Machu & Piccu

Peru
Ruínas de Macchu Picchus

Esta jornada de 3-5 é amplamente considerada como a mais espetacular experiência de trekking no continente. O seu percurso passa por um passe Andina 13.000 metros além do qual se encontram alguns dos artefatos mais impressionantes da civilização Inca. A maioria destas atrações, ao contrário da maioria das grandes estruturas pré-colombianas, estava completamente em repouso por centenas de anos, e muito do fascínio a caminhada é transmitida pela sensação de trekking em uma região isolada do tempo. Começando com o posto de sentinela de Runkuraqay, os caminhantes passam por ruínas cada vez mais esplêndidas, cercado o tempo todo por nevados montanhas e florestas.

A trilha termina na cidade surpreendentemente bem preservada sagrada de Machu Picchu, tendo refez a rota pela qual os incas próprios ascendeu a este centro cerimonial. Olhando através das ruínas, com suas escadarias perfeitamente definidos, habitações, fontes e aquedutos ainda funcionais, é uma experiência assustadora, assim intacta é a cidade que às vezes parece seus moradores só recentemente se afastou. Como legecy Machu Picchu terminou é um grande mistério. Era uma vez cheio de sacerdotes, artesãos e os mamacunas, um grupo de virgens selecionados que dedicaram suas vidas ao deus sol. O espanhol não tem registros da cidade e, quando foi redescoberta em 1911, suas paredes invadido pela selva nas proximidades, apenas 173 esqueletos foram encontrados no local.

Parque Nacional Huascarán

Muito ao norte de Lima, este parque ocupa um trecho de uma cem milhas da Cordilheira Branca, uma área da Cordilheira dos Andes, que é conhecida como uma das regiões mais interessantes de trekking da América do Sul. Parte da razão para isso é emoção incrível concentração da área de obras dramáticas, montanhas cobertas de neve - mais de 25 de seus picos exceder 19.500 pés. O centro de trekking atividade no parque, e na sua região, é a modesta cidade de Huaraz. Caminhadas de todos os tipos, para iniciantes, bem como para os especialistas, e duram de um dia a 10, são facilmente arranjado. Huascarán, a montanha mais alta do Peru em 22.200 pés, é a peça central do parque e é um destino desafiador montanhismo e comemorou. Na parte sul do parque encontra-se a Puya, ou Cunco, uma das plantas mais fascinantes do mundo. Um fóssil vivo, o Puya é uma bromélia enorme pensado para ter primeiro crescido nos pântanos baixos que ocuparam a região muito antes dos Andes foram formados. Como as montanhas cresceu, ao longo incontáveis milênios, a puya cresceu com eles, evoluindo para enormes, 30 metros de altura, árvore-como habitantes do Andes. São plantas dramáticas, explodindo em flor, com um pico enorme que carrega até 8.000 brilhantes flores verdes. As folhas espinhosas que coroa o puya são requently espalhados com as carcaças de aves canoras empaladas desatento.

Arequipa

Arequipa é a segunda maior cidade do Peru, a maior cidade da região sul do país, e, na mente de seus moradores orgulhosos, praticamente uma cidade-estado independente. É também conhecida como a cidade branca, tanto de sua arquitetura é con instruídos de sillar, uma rocha vulcânica de cor clara. Arequipa está em um pitoresco vale cercada por belas montanhas, in-cluindo o cone vulcânico do snowcapped El Misti. A área é conhecida por elevada atividade sísmica, que tem sido suficientemente frequentes para apagar todos os primeiros estruturas de Arequipa. Embora as evidências de pré-colombiana solução existe, até mesmo os edifícios construídos pelos "fundadores" espanhóis em 1540, há muito que desapareceu. No entanto, se Arequipa perdeu seus edifícios muito mais rapidamente, que ainda goza de uma abundância de muito finas edifícios do século XVII e XVIII. A mais notável delas é o Convento de Santa Catalina, que quando aberto ao público em 1970, revelou um mundo de reclusão de luxo que tinha sido isolada do mundo por quase quatro séculos.

Colca Canyon

Para este dia, não há acordo quanto ao fato de Colca Canyon é o mais profundo abismo terrestre no mundo, mas ninguém contesta o fato de que é um dos mais da natureza inspiradoras vistas. Em pé na borda do cânion, a grande extensão de espaço oprime os sentidos, inspirando respeito para as forças criativas da natureza. Esculpido ao longo de eras pelo rio Colca, estende-se cerca de 60 quilômetros a partir de sua extremidade oriental na cidade de Chivay para Cabanaconde, no oeste. Até o momento o rio chega Cabanaconde, que caiu cerca de 1.300 metros de altitude.

Peru
Colca Canyon

Embora o canyon recebeu surpreendentemente pouca atenção de exploradores ocidentais até este século, era conhecido mesmo antes dos Incas. Em alguns lugares, pedra-suportado terraços construídos pelos incas e seus antecessores escorrer pelas encostas do cânion, muitos deles ainda funcional. Pequenas cidades e aldeias sentar em cima dos bancos da garganta de ambos os lados, começando com Chivay, que é conhecida por suas fontes termais e como o portal principal para explorar o abismo. Movendo para o oeste na margem sul do cânion, os viajantes encontram as aldeias de Achoma e Maca, onde as mulheres usam vestidos locais montanha intrincados e colorido idênticos aos de seus antepassados. Na próxima ruz Mirador del Condor, os visitantes são muitas vezes abençoado com visões de raros, condores andinos gigantes como eles montam as térmicas nascer no chão do cânion.

Trekking no Vale do Colca

As nove aldeias revestem as bordas do canyon fornecer trekkers com uma série de ligar os pontos de rotas, permitindo uma grande dose de improviso em um de itinerário. Há inúmeros pontos de descida para o cânion, embora a sua acessibilidade, muitas vezes depende da quantidade de chuva. Quando viajar ing no cânion, é essencial que os trekkers trazer a abundância de água, como a desidratação pode ocorrer rapidamente aqui.

Fonte: www.geographia.com

Peru

Geografia e ambiente

Localização e coordenadas geográficas: País situado na região ocidental da América do Sul, entre os 10 00º a Sul e os 76 00 a Oeste.

Superfície: 1.285.216 km2

Fronteiras: Está limitado a norte pelo Equador e pela Colômbia, a sul pelo Chile, a este pelo Brasil, a sudeste pela Bolívia e, a Oeste e sudoeste pelo Oceano Pacífico.

Descrição física do território e clima

O Peru divide-se em três regiões geográficas: a costa do Pacifico, uma estreita faixa desértica repleta de oásis; os Andes Peruanos, cercado por cordilheiras cujos cumes estão a mais de 6.000 m de altitude e as florestas e colinas da Bacia Amazônica que ocupam 60% do território.

A Cordilheira dos Andes e as correntes da costa têm uma grande influência sobre a variação climatérica.

Na realidade, todas as estações estão marcadas pela pluviosidade. O clima, segundo as distintas regiões, permite confirmar a diversidade geográfica e biológica existente no Peru. Poderia resumir-se dizendo que o Peru usufrui de um clima temperado e húmido ao longo da Costa; fresco, frio e chuvoso, sendo também seco no alto das Serras, enquanto que nas terras baixas situadas a este do país, na Selva, o clima apresenta-se caloroso e húmido com fortes precipitações durante a temporada das chuva.

Na capital, Lima, as temperaturas médias são de 26º Centígrados nos meses de Janeiro/Fevereiro, e de 18 º Centígrados nos meses de Julho/Agosto. Esta região recebe menos de 51 mm de precipitações anuais. Na zona da Serra a temperatura varia de acordo com as estações e as horas do dia, alcançando a média de 21º Centígrados a meio do dia e os 7 º ao entardecer.

As estações determinam-se mais pelo regime de chuvas do que por uma mudança de temperaturas; assim a época de grandes precipitações estende-se de Outubro a Abril. No Cusco, cidade situada nos Andes, a média anual de chuvas é de cerca de 600mm.

Na região da Selva, a temperatura é extremamente calorosa e húmida. A média anual de precipitações em algumas zonas estima-se em 3.180 mm. Grande parte destas chuvas ocorre entre Novembro e Abril. Em suma o clima no Peru é variado, oscilando entre as temperaturas tropicais na Selva e o frio árctico na cordilheira dos Andes. Na região da Costa a temperatura é constante quase todo o ano, com uma média de 20º Centígrados. O clima não sofre alterações bruscas graças aos ventos que sopram do Pacífico.

Rede Hidrográfica: Os rios peruanos que se estendem através da vertente ocidental e que desaguam no oceano Pacífico nascem a pouco mais de uma centena de quilómetros da costa, sendo por esta razão mais curtos e torrenciais do que aqueles que terminam no oceano Atlântico, através do sistema fluvial Ucayali-Marañón-Amazonas; estes são bastante mais largos e caudalosos

Os mais importantes, atendendo à sua longitude, são o Ucayali (1.771 km), o Marañón (1.414 km), o Putumayo (1.380 km), o Yavari (1.184 km) e o Huallaga (1.138 km). O Peru tem três grandes bacias hidrográficas.

A primeira compreende cerca de 50 rios que nascem na La Sierra e descem até à região de La Costa; a segunda, engloba o rio amazonas e os seus afluentes na região de La Selva; e a terceira abraça a bacia do lago Titicaca, compartilhada com a Bolívia. Os rios Napo, Tigre e Pastaza nascem no Equador e integram o Peru; o Napo desagua diretamente no rio Amazonas e os outros são afluentes do rio Marañón.

O rio Putumayo delimita a fronteira entre este país e a Colômbia.

Elevações: No Peru existem cinquenta picos que se elevam acima dos 6.000 metros, distribuídos pelas cordilheiras que atravessam alguns dos seus departamentos.

As elevações principais neste país são: o Huascarán, ponto mais elevado de todos com 6.768 metros de altitude (cordilheira Blanca, departamento Ancash), o Yerupaja (6.632 metros, cordilheira Huayhuash, entre os departamentos de Ancash e Huánuco) e o Coropuna (6.425 metros, na cordilheira Ampato, entre os departamentos de Arequipa e Ayacucho).

Peru
Pico de Huascarán, o mais alto do Peru

Catástrofes naturais: Tsunamis(ondas gigantes), terramotos, inundações, desmoronamento de terras, atividade sísmica.

Problemas ambientais: Desflorestação; o excesso de pastagens nas encostas das zonas costeiras e serras provocam a erosão dos solos; poluição do ar em Lima; poluição de rios e da costa devido a resíduos municipais; desertificação.

Acordos Internacionais Ambientais: Protocolo Ambiental para a Antárctica; Protecção dos Recursos Marítimos da Antárctica; Protecção das Baleias da Antárctica; Tratado da Antárctica; Tratado da Biodiversidade; Tratado para a protecção das Mudanças Climáticas; Tratado para suster a desertificação; Tratado que protege as espécies em vias de extinção; Tratado para as Modificações Ambientais; Tratado do Mar; Tratado contra a Poluição Marítima; Tratado de Proibição dos Testes Nucleares; Tratado para a protecção do Ozono; Tratado da Poluição dos Navios; Tratado para prevenção da pesca à Baleia; Tratado sobre as Terras Férteis; Tratados de 1983 e 1994 para protecção da Madeira Tropical; Tratado sobre os Desperdícios Químicos.

Cultura e Sociedade

Língua oficial: Existem duas línguas oficiais: o Espanhol e o Quechua.

Línguas e idiomas: Para além das duas oficiais existem alguns idiomas, tais como: o Aymara (Puno), e línguas das minorias da selva amazônica.

Taxa de literacia: 88.7% (CIA Fackbook de 2001).

População: 26.1 milhões de habitantes (O.N.U.).

Densidade populacional: 19 habitantes por km2.

Cidades mais populosas: Lima com 6.022.213 habitantes em 1993, Arequipa com 752.838, Le Callao com 684.135, Chiclayo com 668.066 e Trujillo com 622.553 habitantes.

Estrutura etária e Rácio de comparação sexual: Abaixo dos 14 anos cerca de 34% da população, havendo 1.03 homem por cada mulher. Dos 15 aos 64 anos cerca de 61.1% da população, havendo 1.01 homem por cada mulher. Acima dos 65 anos cerca de 4.9% da população, havendo 0.85 homens por cada mulher e no total da população há 1.01 homens por cada mulher (estimativas de 2002).

Crescimento natural anual: 1.66% (estimativa de 2002).

Taxa de natalidade: 23.36 nascimentos por 1.000 habitantes (estimativa de 2002).

Taxa de mortalidade: 5.74 mortes por 1.000 habitantes (estimativa de 2002).

Taxa de mortalidade Infantil: 38.18 mortes por 1.000 nados vivos (estimativa de 2002).

Taxa de expectativa de vida: 68.18 anos para os homens e 73.18 anos para as mulheres (estimativas de 2002).

Religião: 92% da população é católica, a restante professa religiões com origem nas culturas pré-colombianas.

Política e Governo

Independência: Desde o dia 28 Julho de 1821, libertando-se da conquista, ocupação e colonização de Espanha. (CIA Fackbook de 2001).

Nome oficial: República do Peru.

Capital: Lima.

Peru
A capital Lima

Constituição: De 31 de Dezembro de 1993. (CIA Fackbook de 2001).

Caracterização generalista do sistema legal: Baseado no sistema da lei civil; não aceita a jurisdição do Tribunal Internacional de Justiça.

Divisões administrativas: 1 província constitucional Callao, e 24 departamentos Amazonas, Ancash, Apurimac, Arequipa, Ayacucho, Cajamarca, Cusco, Huancavelica, Huanuco, Ica, Junin, La Libertad, Lambayeque, Lima, Loreto, Madre de Dios, Moquegua, Pasco, Piura, Puno, San Martin, Tacna, Tumbes, Ucayali.

Feriado nacional: 28 Julho - Dia da Independência.

Tipo de governo: República Presidencialista.

Sufrágio: A partir dos 18 anos, universal.

Poder executivo: O poder executivo é constituído pelo Presidente, que é quem desempenha as funções de Chefe de Estado. Ele simboliza e representa os interesses permanentes do país. Por sua vez, enquanto Chefe de Governo, dirige a política governamental, apoiado pela maioria político-eleitoral. Num regime presidencial, como é o caso, o Poder Executivo e Legislativo são eleitos por sufrágio popular. O sistema presidencial é uma forma de governo representativa na qual cada um dos três poderes é autônomo e independente.

Poder legislativo: Com o golpe de estado ocorrido em Abril de 1992, alguns aspectos da Constituição democrática de 1979 foram anulados, e o Congresso Nacional, até então formado por um Senado e uma Câmara de Deputados, foi dissolvido. A nova Constituição de 31 de Outubro de 1993, ratificada através de um referendo, estabeleceu um sistema legislativo unicameral, denominado de Congresso da República, composto por 120 membros, que surgiu em substituição ao Congresso Nacional.

Poder Judicial: A instância máxima do poder judicial peruano é o Tribunal Supremo de Justiça. A magistratura é composta também por tribunais superiores e inferiores de primeira instância, assim como pelo "Tribunal de Garantías Constitucionales".

Partidos Políticos:

Acción Popular (AP)

Alianza Popular Revolucionaria Americana (APRA)

Cambio 90 (C90)

Confluencia Socialista

Acción Politica Socialista (APS)

Movimiento de Acción Socialista (MAS)

Movimiento No Partidarizado (MNP)

Partido Mariateguista Revolucionario (PMR)

Coordinación Democrática (CODE)

Frente Independiente Moralizador (FIM)

Fuerza Democrática

Izquierda Nacionalista

Izquierda Socialista

Unidad Democrática Popular

Izquierda Unida (IU)

Frente Nacional de Trabajadores y Campesinos (FNTC/ FRENATRACA)

Partido Comunista Peruano (PCP)

Unión de Izquierda Revolucionaria (UNIR)

Libertad en Democracia Real (Lider)

Movimiento de Bases Hayistas (MBH)

Nueva Mayoría

Partido Aprista Peruano (PAP)

Partido Demócrata Cristiano (PDC)

Partido Obrero Revolucionario Marxista-Partido Socialista de los Trabajadores (PORM-PST)

Partido Popular Cristiano (PPC)

Partido Revolucionario de los Trabajadores (PRT)

Partido Socialista del Peru

Peru Posible (PP)

Proyecto País

Renovación Solidaridad Nacional (SN)

Solución Popular

Somos Peru

Unidad Nacional

Unión Nacional Odriísta (UNO)

Unión por el Perú

Vamos Vecino

Acción Socialista Revolucionario (ASR)

Partido Comunista del Peru--Bandera Roja

Partido Comunista del Peru--Patria Roja

Movimiento de Izquierda Revolucinaria (MIR)

Vanguardia Revolucionaria

Movimiento Democrático Peruano (MDP)

Frente Obrero Campesino Estudiantil y Popular (FOCEP)

Partido Comunista Revolucionario (PCR)

Partido Integración Nacional (PADIN)

Partido Socialista Revolucionario (PSR)

Partido Unificado Mariateguata (PUM)

Frente de Liberación Nacional (FLN)

Movimiento Obras Civica (MOC)

Frente Popular Agrícola del Perú (Frepap)

Renacimiento Andino

Todos por la Victoria

Organizações Sociais:

Confederacion General de Trabajadores del Peru - CGTP

Participação em Organizações Internacionais: Cooperação Econômica da Ásia e do Pacifico; Conselho de Cooperação das Alfândegas; Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e Caribe; Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura; Grupo dos 11 das Nações Unidas; Grupo dos 15 das Nações Unidas; Grupo dos 19 das Nações Unidas; Grupo dos 24 das Nações Unidas Grupo dos 77 das Nações Unidas; Banco Inter Americano de Desenvolvimento; Agência Internacional de Energia Atómica; Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento; Organização da Aviação Civil Internacional; Centro Internacional de Computação das Nações Unidas; Confederação Internacional das Centrais Sindicais Livres; Associação Internacional de Desenvolvimento; Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola ; Corporação Internacional de Finanças; Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho;

Organização Mundial de Saúde; Organização Internacional do Trabalho; Fundo Monetário Internacional; INMARSAT; INTELSAT; Organização Internacional de Polícia Criminal; Comité Olímpico Internacional; Organização Internacional das Migrações; Organização Internacional de Standarização; União Internacional das Telecomunicações; Associação de Integração Latino-Americana; Movimento dos Não Alinhados; Organização dos Estados Americanos; Missão de Observadores das Nações Unidas na Republica Democrática do Congo;

Agência para a Proibição das Armas Nucleares na América Latina e Caribe; Tribunal Permanente de Arbitragem; Grupo do Rio; Organização das Nações Unidas; Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento; Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura; Missão das Nações Unidas na fronteira da Etiópia/ Eritréia; União Postal Universal; Confederação Mundial do Trabalho; Federação Mundial das Uniões de Comércio; Organização Mundial de Saúde; Organização Mundial de Propriedade Intelectual; Organização Meteorológica Mundial; Organização Mundial do Turismo; Missão das Nações Unidas em Timor-leste.

Economia

Recursos Naturais: Cobre, prata, ouro, petróleo, madeira, peixe, ferro, carvão, fosfato, potássio, hidroenergia.

Uso da Terra: 3% da terra é arada, desta 21% tem pastos permanentes, 66% são explorações florestais e 10% enquadram-se adstritos a outros usos indiferenciados (estimativas para 1993 - CIA Fackbook de 2001).

Principais produtos agrícolas: Café, algodão, cana-de-açúcar, arroz, trigo, coca, batatas; aves domésticas, carne de vaca, produtos frescos, lã; peixe (2000 - CIA Fackbook de 2001).

Terra Irrigada: 12.800 Km² (estimativas para 1993 - CIA Fackbook de 2001).

P.N.B. per capita: 2.610 USD (1997).

Taxa de crescimento médio anual do P.N.B.: 4.6% (entre o período de 1990 a 1997 - Guia do Mundo).

Produto Interno Bruto: 63.849 Milhões de USD (1997 - Guia do Mundo).

Crescimento médio anual do P.I.B.: 6.2% (entre o período de 1990 a 1997 - Guia do Mundo).

Estrutura da Produção: Agricultura - 6.9%; Industria - 36.4%; Serviços - 56.7% (1997 - Guia do Mundo).

Estrutura da Procura: Consumo Público - 11.7%; Consumo Privado - 67.5%; Investimento Bruto - 24.6%; Poupança Bruta - 20.8%; Exportações - 12.8% (1997 - Guia do Mundo).

Balança Comercial:

Total das Exportações: 8.182,0 Milhões de USD (1997 - Guia do Mundo).

Crescimento anual das exportações: 11.1% (entre o período de 1990 a 1997 - Guia do Mundo).

Principais produtos exportados: Produtos agrícolas e alimentares, combustíveis, minerais e metais, produtos químicos e produtos manufaturados (1996 - Guia do Mundo)

Total das Importações: 10.616,8 Milhões de USD (1997 - Guia do Mundo).

Crescimento anual das importações: 19.7% (entre o período de 1990 a 1997 - Guia do Mundo).

Principais produtos importados: Produtos importados, produtos alimentares, combustíveis, produtos químicos, máquinas e material de transporte, outros produtos manufaturados (1997 - Guia do Mundo).

Saldo: -2.434,8 de USD (1997).

Principais parceiros Iberófonos: Nas exportações (por ordem de importância) EUA, Portugal e Espanha (UE), Comunidade Andina e Mercosul - E nas importações (por ordem de importância) EUA, Portugal e Espanha (UE), Comunidade Andina e Mercosul - (1999).

Grau de abertura econômica: 29.4% (1997 - Guia do Mundo).

População ativa e emprego:

População ativa estimada: 9.017 mil habitantes (1997 - Guia do Mundo).

Taxa de atividade da população ativa estimada: 37% (1997 - Guia do Mundo).

Distribuição do Emprego: Agricultura - 36%; Industria - 18%; Serviços - 46%.(1997 - Guia do Mundo).

Taxa de Desemprego: 7.7% (1997 - Guia do Mundo).

Peru
Uma das avenidas de Lima

Energia:

Produção total de energia comercial: 12.4 milhões de toneladas de equivalente de petróleo (E.P.) (1996 - Guia do Mundo).

Produção total de eletricidade: 18.886 Biliões kWh (1999 - CIA Fackbook de 2001)

Consumo total de energia: 13.9 milhões de toneladas (1996 - Guia do Mundo).

Consumo total de eletricidade: 17.565 Biliões kWh (1999 - CIA Fackbook de 2001).

Consumo per capita de energia: 581.8 quilos de E.P. (1996 - Guia do Mundo).

Importação liquida de energia: 11.3% do consumo total de energia. (1996 - Guia do Mundo).

Percentagem da produção interna de eletricidade com utilização de energias renováveis: Combustíveis fósseis - 23.04%, Hidroeléctrica - 76.43%; Nuclear - 0% e 0.53% outras (1999 - CIA Fackbook de 2001).

Receitas públicas em relação ao P.N.B.: 16% (1996 - Guia do Mundo).

Despesas públicas em relação ao P.N.B.: 15.5% (1996 - Guia do Mundo).

Despesa pública em saúde: 2.2% do P.I.B. (1997 - Guia do Mundo).

Despesa pública em educação: 2.9 do P.I.B. (1997 - Guia do Mundo).

Ultima taxa média anual da inflação disponível: 3.7% (estimativa para 2000 - CIA Fackbook de 2001)

Moeda: Nuevo sol (PEN).

Transportes, Comunicações e Multimédia

Extensão dos caminhos-de-ferro: 1.988 km (1995 - CIA Fackbook de 2001)

Extensão e tipo de estradas: Total da extensão - 72.900 Km; Pavimentadas - 8.700 Km; Não pavimentadas - 64.200 Km (1996 - CIA Fackbook de 2001)

Cursos de água navegáveis: 8.808 km.

Extensão e tipo de gasodutos e oleodutos: Crude 800 km; gás natural e gás líquido 64 km.

Portos, cais e marinas: Callao, Chimbote, Ilo, Matarani, Paita, Puerto Maldonado, Salaverry, San Martin, Talara, Iquitos, Pucallpa, Yurimaguas.

Marinha Mercante: 6 navios igual ou acima de 1.000 GRT (5 de carga e 1 petroleiro); Total de tonelagem de 40.623 GRT/61.769 DWT (estimativa de 2000).

Número e tipo de aeroportos, aeródromos e pistas de aviação locais: 46 aeroportos com pistas pavimentadas, sendo que 6 têm pistas pavimentadas com comprimento acima dos 3.047 m, 18 pistas pavimentadas com comprimento entre 2,438 e os 3,047 m, 13 pistas pavimentadas com comprimento entre os 1.524 m e os 2.437 m, 8 pistas pavimentadas com comprimento entre os 914 m e os 1523 m e 1 pistas pavimentadas com comprimento abaixo de 914 m ; 187 aeroportos com pistas não pavimentadas, sendo 1 pista não pavimentada com comprimento acima de 3.047 m, 1 pista não pavimentada com comprimento entre 2.438 e os 3.047 m, 25 pistas não pavimentadas com cumprimento entre 1.524 e os 2.437 m, 65 pistas não pavimentadas com comprimento entre os 914 m e os 1523 m e 95 abaixo dos 914 m (estimativa de 2000 - CIA Fackbook de 2001)

Número de linhas telefônicas em uso: 1.509 Milhões (1998 - CIA Fackbook de 2001).

Número de telefones móveis: 504.995 Milhões (1998 - CIA Fackbook de 2001).

Indicativo internacional de telefone e fax: 0051 (Lista telefônica)

Número e tipo de jornais: 48 jornais diários (1997 - Guia do Mundo).

Tiragem média dos jornais: 43 exemplares por 1000 habitantes (1997 - Guia do Mundo).

Número e tipo de estações de rádio: Estações de rádio transmitindo 472 em A.M., 198 em FM e 198 em onda curta (1999 - CIA Fackbook de 2001)

Número de aparelhos de rádio: 6.65 Milhões (1997 - CIA Fackbook de 2001)

Número de estações de televisão: 13 (1997 - CIA Fackbook de 2001)

Número de televisores: 3.06 milhões (1997 - CIA Fackbook de 2001)

Número de fornecedores de acesso à internet: 10 (2000 - CIA Fackbook de 2001)

Número de utilizadores de internet: 400.000 (2000 - CIA Fackbook de 2001)

Domínio internacional da internet: .pe

Investimento nacional aeroespacial: Não existem dados.

Número e tipo de satélites em órbita: Não existem dados.

Defesa Nacional

Despesa pública militar: 1.7% do P.N.B. (1996 - Guia do Mundo).

Gastos militares em percentagem do P.N.B.: 1.9% (1999 - CIA Fackbook de 2001)

Gastos efetivos militares:

Em Dólares: 1 Bilião de USD (1999 - CIA Fackbook de 2001).

Idade mínima de incorporação: 20 anos (CIA Fackbook de 2001)

Sistema Militar: Obrigatório

Divisão das Forças Armadas em ramos: Exército, Marinha, Força Aérea, Polícia Nacional.

Número de homens incorporados nas Forças Armadas: Não temos dados.

Divisão das Forças Militarizadas em ramos: Não temos dados.

Número de homens incorporados nas Forças Militarizadas: Não temos dados.

Homens disponíveis para ingressarem nas forças armadas: 4.944.952 entre os 15 e os 49 anos (estimativa de 2002).

Homens disponíveis para o serviço militar: 7.356.395 entre os 15 e os 49 anos (estimativa de 2002).

Homens que chegam anualmente à idade da incorporação: 276.458 (estimativa de 2002).

Peru
Machu Piccho, uma cidade Inca

Formalidades gerais de entrada: A maioria dos viajantes não necessitam de um visto; é permitida a estadia durante 90 dias podendo esta ser prolongada.

Os perigos para a saúde são: o mau estar devido à altitude, cólera, hepatites, malária (nas terras baixas), raiva e febre tifóide; a vacinação contra a febre-amarela é essencial para quem planeia visitar a zona Este dos Andes ou a Bacia Amazônica.

Formalidades de entrada especiais para o espaço Iberófono: Não existem.

Feriados nacionais importantes: 1 de Janeiro - Ano Novo; Feriados que variam - Sexta-Feira Santa e Páscoa; 1 de Maio - Dia do Trabalhador; 28 de Julho - Dia da Independência; 8 de Outubro - Batalha de Angamos; 1 de Novembro - Todos os Santos; 8 de Dezembro - Imaculada Conceição; 25 de Dezembro - Natal.

Pesos e medidas: Sistema métrico; Corrente eléctrica de 220V, 60Hz.

Fonte: www.geolingua.org

Peru

O Peru fica na parte central e ocidental de América do Sul.

País localizado na América do Sul, o Peru oferece experiências de viagem verdadeiramente inesquecíveis.

O mítico Lago Titicaca, a histórica cidade de Cuzco e as ruínas de Machu Picchu, as misteriosas figuras de Nazca, a alegre capital Lima, a pérola colonial de Arequipa, o Rio Amazonas, Iquitos e a Amazônia peruana, a cultura andina, lugares como Chiclayo, Huaraz ou as praias de Máncora - motivos de sobra para viagens ao Peru.

A extensão dele é de 1´285,215 km2 e tem uma população estimada de de 23´500,000 habitantes, enquanto sendo a maioria de origem andina no serranías e mestiço na costa, com uma considerável influência europeia, principalmente espanhola.

País de geografia vasta, o Peru possui 28 tipos de climas e 84 das 103 áreas ecológicas que existem no mundo.

O seu território é distribuído em três regiões naturais guiadas longitudinalmente de norte para o sul: a costa, faixa estreita e desértica onde fica a capital do pais a cidade de Lima e as cidades principais do Peru; a montanha, ou as serra, de paisagens montanhosas impressionantes e cidades coloridas, e a floresta, de verdura exuberante e grande variedade de flora e fauna.

Lima, a capital do Peru, foi fundada em 18 de janeiro 1535 pelo conquistador espanhol Francisco Pizarro.

A chamada "Cidade dos Reis" é, na atualidade, uma cidade que mistura o esplendor do passado dela com os avanços dos tempos modernos.

Localizada às margens do rio Rímac e ao lado do Pacífico, Lima é a sede do governo e das instituições mais importantes da República.

De acordo com o Censo Nacional de 1993, a capital do Peru tem uma população de ao redor de 6´386,308 habitantes, o que transforma isto na cidade mais povoada no país e a cidade mais movimentada nos setores econômicos e industriais.

De Lima, uma metrópole carregada de caráteres vice-reais, o senhor pode começar a aventura fascinante de conhecer o Peru, um país de mitos e tradições que nasceram com o tempo, de paisagens bucólicas e esplêndidas e de restos arqueológicos impressionantes que mostram a antiga grandeza dos primeiros homens que habitaram nesta terra, os arquitetos autênticos da cultura e a grandeza de civilização andina.

ALFANDEGA

Bagagem descarregada do pagamento de direitos de alfândegas:

Peças de roupa;
Artigos de vestiário em quantidade razoável para o uso pessoal;
Obejtos de uso e decoração pessoal;
Um secador ou escova portátil de cabelo;
Uma máquina rasuradora elétrica;
Uma máquina fotográfica e 5 rolos de filmes.;
Uma filmadora ou máquina fotográfica profissional ou de vídeo-cassete e 5 rolos de fita;
Discos de Phonographic, fitas para gravadoras, discos laser ou cassetttes, até um máximo de 10 unidades;
Uma calculadora eletrônica portátil;
Medicamentos de uso pessoal;
Livros, revistas e documentos;
400 cigarros ou 50 cigarros ou 250 gramos de tabaco; 3 litros de bebidas alcoólicas ou 3 litros de vinho (exclua esse menor que 18 anos);
Até 300 dólares americanos em artigos diversos para uso ou o consumo do viajante ou pára presente que, pela sua quantidade, natureza e variedade, eles não serão dedicados ao comércio e sempre que o valor unitário destes artigos não exceda dos cem dólares americanos.
Uma máquina de escrever mecânica portátil, elétrica ou eletrônica;
Um instrumento musical de vento ou corda portátil;
Um receptor de rádio ou um radiograbadora ou registrador ou um tocacassette ou um tocacintas ou um jogador de registro convencional ou de disco laser ou um time que os contém no grupo, sempre que seja portátil, com sua fonte própria energia;
Malas, bolsas ou outros recipientes de uso comum que contenham os objetos que constituem a bagagem do viajante;
Um animal vivo como mascote, sem dano de exigir a execução dos regulamentos sanitários correspondentes e sempre que chegue como bagagem acompanhada;
As visitantes poderão entrar no Peru, sob a apresentação prévia de uma "Declaração de Entrada temporal", bens e artigos para a prática de esporte de aventura, como asa de delta, andinismo, caiaque, caças, surfe, wind surfing, etc. Tem a mesma autoridade alfandegária de tratamento o laptop de computadores e os telefones celulares;
No caso de os viajantes desvantajosos ou doentes, será considerado como bagagem os meios auxiliares e times necessários para a sua mobilização (assento de rodas, macas, muletas entre outro);

Os viajantes poderão trazer como bagagem, artigos não compreendidos na relação, enquanto pagando uma taxa sem gual de 20 por cento do valor CIF, para a soma de artigos cujo valor não exceda dos mil dólares americanos.

CLIMA

Lima é uma cidade de clima temperado, sem fortes chuvas no inverno nem calor excessivo no verão.

A média de temperatura no verão - da segunda semana de dezembro até a segunda semana de março - é de 25 °c. No inverno que é caracterizado pelos dias cinzas, úmidos e nublados, a média de temperatura flutua entre o 12 e 15 °c.

Em geral as condições do clima variam nas regiões diferentes do Peru. Na costa, é variado, com um inverno úmido e nublado que estende-se de junho a setembro. Em média a temperatura mínima é de 14°C. Em verão temperaturas são superiores aos 28°C.

Na montanha, o sol brilha o ano inteiro pelas manhãs, mas a temperatura desce à noite, chegando a uma média de 10°C. Na floresta, o clima é tropical durante o ano inteiro. Nestes duas regiões, o tempo de chuva começa em dezembro e acaba em abril.

IDIOMA

Os idiomas oficiais do Peru são o castelhano (Espanho) e o quíchua. O castelhano é falado em quase todas as cidades e povos do país, enquanto o quíchua é falado apenas na região andina.

No altiplano (departamento de Puno), também é falado o aymara, embora não é considerado como idioma oficial.

Fonte: www.enjoyperu.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal