Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Letônia

Letônia

História

PUBLICIDADE

A História da Letônia começou quando a área que é hoje Letônia foi resolvida após o fim do último período glacial , em torno de 9000 aC.

Antigos povos bálticos apareceram durante o segundo milênio aC, e quatro diferentes reinos tribais em territórios da Letônia eram identificáveis no final do primeiro milênio dC.

O principal rio da Letônia, o rio Daugava, estava à frente de uma rota importante do continente região do Báltico através da Rússia para a Europa do Sul e do Oriente Médio usado pelo Vikings e mais tarde nórdicos e alemão comerciantes.

Letônia

No início do período medieval, os povos da região resistiu cristianização e tornou-se alvo de ataques nas Cruzadas do Norte.

Capitais de hoje, Riga, fundada em 1201 pelo Teutônicos colonos na foz do Daugava, tornou-se uma base estratégica na conquista papally sancionada da área pela Irmãos Livônios da Espada.

Era para ser a primeira grande cidade do sul do Báltico e, depois de 1282, um centro comercial principal na Liga Hanseática. Até o século 16 o domínio germânico na região foi cada vez mais desafiados por outros poderes.

Devido à localização estratégica e a próspera cidade da Letônia, os seus territórios foram um ponto focal para o conflito frequente e a conquista entre pelo menos quatro grandes potências, o Estado da Ordem Teutônica (mais tarde a Alemanha ), a Comunidade Polaco-Lituana, Suécia e Rússia.

O período mais longo de externa hegemonia no período moderno começou em 1710 quando o controle sobre Riga comutada da Suécia para a Rússia durante a Grande Guerra do Norte.

Sob controle russo, Letônia estava na vanguarda da industrialização e da abolição da servidão de modo que no final do século 19 tornando-se uma das partes mais desenvolvidas do Império Russo. O descontentamento aumentava os problemas sociais e crescente levou Riga também a desempenhar um papel de liderança na Revolução Russa de 1905.

Um sentimento crescente de nacionalismo letão a partir de 1850 deu frutos após a Primeira Guerra Mundial, quando, após dois anos de luta na Guerra Civil Russa, a Letônia finalmente ganhou soberana independência reconhecida pela Rússia em 1920 e pela comunidade internacional em 1921.

O estatuto independente da Letônia foi interrompido no início da Segunda Guerra Mundial, em 1940, quando o país foi incorporado à força da União Soviética, invadido e ocupado pela Alemanha nazista em 1941, em seguida, retomado pelos soviéticos em 1944, depois que a Alemanha se rendeu.

Desde meados dos anos 1940 o país estava sujeito a controle econômico soviético e viu a considerável russificação dos seus povos, mas a cultura letã e as infra-estruturas sobreviveram a tal que, durante o período de liberalização Soviética sob Mikhail Gorbachev, a Letônia, mais uma vez tomou um caminho para a independência que, eventualmente, conseguiu, em agosto de 1991 e foi reconhecida pela Rússia no mês seguinte.

Desde então, sob independência restaurada, Letônia tornou-se membro da Organização das Nações Unidas, entrou para a NATO e entrou também para a União Europeia.

Fonte: colegiosaofrancisco.com.br

Letônia

LETÔNIA, A PÉROLA DO BÁLTICO

O turista encontrará numerosos atrativos neste pequeno país báltico, desde cidades tão animadas e vibrantes, como Riga, até um cenário natural impressionante tanto na costa, como na montanha. As excursões que poderá realizar são inumeráveis assim como todo tipo de esportes aquáticos e de montanha.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Letônia, situada no Golfo de Riga, no mar Báltico tem uma superfície de 63.700 quilômetros quadrados. A maior parte do seu território é plano, coberto por depósitos de morrenas e com grandes zonas ocupadas por bosques de coníferas, landas e pântanos. O rio mais importante é o Daugava, que procede de Bielorrússia e desemboca nas proximidades de Riga, a capital.

FLORA E FAUNA

As quatro regiões principais de Letônia (Zemgale, fértil e baixa, Kurzeme no oeste, Vidzeme, uma planície de bosques e zonas cultiváveis, incluindo a colina de Gaizina, com 311 metros de altitude e Latgale, com numerosos lagos), caracterizam-se pela sua diversidade, quanto fauna e flora. Porém, pode-se incluir dentro das espécies próprias dos estados bálticos.

História

Tribos que denominaram-se bálticas ocupavam estas terras 2000 anos a.C., procedentes provavelmente do sudeste do Báltico.

O país foi conquistado no século XIII pelos Cavaleiros da Ordem Teutônica e em 1629 ficou incorporado aos territórios bálticos de Suécia. Converteu-se em posse russa, no século XVIII, após um breve período de independência entre 1918 e 1940 e viu-se de novo ocupada pelas tropas russas incorporando-se à antiga União Soviética.

Entre 1941 e 1944 esteve invadida pelos alemães. Após a Segunda Guerra Mundial, converteu-se em uma República Federativa da URSS.

O primeiro protesto público significativo, para conseguir a independência foi em 1987. Umas cinco mil pessoas manifestaram-se frente ao monumento da Liberdade em Riga. Em 1991, o Conselho Supremo proclama a total independência da Letônia, renconhecida mais tarde pela antiga União Soviética.

Arte e Cultura

Na arte de Letônia destacam as canções folclóricas tradicionais e os contos e lendas antigas, que inspiraram a muitos artistas. Nos princípios do movimento nacionalista de 1988 foram acompanhados por uma ópera roque, escrita por Janis Rainis escritor do século passado.

O genial bailarino Mikhail Baryshnikov nasceu em Riga, em 1948. Seu balé é famoso no mundo inteiro. Em relação ao mundo do cinema, o famoso diretor Eisensteim, também nasceu em Riga e é o autor de uma das obras mais importantes do cinema “O Acoraçado Potemkim”. Outra das figuras deste país é Juris Podnieks.

Gastronomia

A cozinha letônia consome abundante peixe, tanto de mar quanto de rio (carpa, tímalo do Lago Ladoga ou truta). Entre os pratos mais conhecidos estão os arenques, as sardinhas, o lúcio e o salmão, sem esquecer o maravilhoso caviar. Também pode-se comer pratos de carne muito bem preparados nos restaurantes.

Os pratos frios têm grande popularidade entre os letônios, sendo as bagas e os cereais, alimentos também muito consumidos.

Bebidas

A grande especialidade em Letônia é Melnais Balzams, que segundo dizem tem propriedades medicinais. Pode-se misturar com chá ou café. Consomem sucos de fruta e cerveja local. Tome cuidado com a água da torneira.

População e Costumes

Em Letônia vivem 2.472.000 pessoas, as quais os letônios são minoria. Há russos, bielorussos e ucranianos, maioritariamente. Os letônios e lituanos são os únicos que sobrevivem das etnias bálticas pertecentes à linha indo-européia, embora não eslava, cuja terceira linha os antigos prussianos foram exterminados pelos cavaleiros teutônicos.

Os letônios comparados com os estônios são mais emotivos e românticos, embora menos que os lituanos. É muito difícil definir um caráter típico nacional do país, devido à quantidade de imigração.

ENTRETENIMENTO

Ciclismo

O cicloturismo é muito popular neste país, pelo que é muito fácil alugar uma bicicleta.

Atividades nos Lagos

Nos rios Gauja, Salaca e Avara, assim como na região dos lagos pode-se praticar o remo em canoa.

Esportes do inverno

O Vale de Gauja é o centro dos esportes de inverno. Poderá esquiar em Valmiera.

FESTIVIDADES

Os dias festivos oficiais são: 1 de Janeiro Ano Novo, Sexta Feira da Paixão, 1 de Maio Dia do Trabalho, o segundo domingo de Maio Dia das Mães, 23 de Junho Ligo (Festival), 24 de Junho Dia de São João, 18 de Novembro Dia Nacional que lembra a proclamação da República de Letônia, no ano 1918, 25 e 26 de Dezembro Natal e o 31 de Dezembro Fim do Ano.

Entre os eventos culturais mais importantes destaca-se o Festival Pop Jurmala, com o melhor do canto da zona, o Festival de Roque em Liepajas Dzintars no mês de agosto e em setembro o Festival de Cinema (nos anos impares).

Transportes

Avião

Letônia Airlines voa diariamente a Copenhagen, Estocolmo e Moscou. Três vezes por semana a Helsinki, Viena e Varsóvia e duas a Lanarka e Minsk. Baltic International Airlines comunica Riga com Londres.

Barco

Pode-se viajar em barco aos países nórdicos e inclusive para a Alemanha.

Trem

Os trens comunicam as principais capitais.

Ônibus

Os ônibus comunicam as cidades e os povos. Não são muito cômodos, mas são uma boa forma de descobrir o país.

Carro

O carro é a melhor opção para percorrer o país. Não duvide em alugar um veículo ou viajar com o próprio. Lembre da Carta Verde e um bom seguro de assistência.

Fonte: www.genteviajera.es

Letônia

História Antiga

Os letões e lituanos são os dois povos sobreviventes do ramo Balt do grupo indo-europeu etnolinguístico. Os bálticos são pensados para ter espalhado na região do Báltico sudeste volta de 2000 aC na região que hoje é Belarus e partes vizinhas da Rússia . (O Balt prazo, que foi derivado do Mar Báltico, foi usado pela primeira vez no século 19.) Aquelas pessoas que ficaram para trás foram assimilados, muito mais tarde, por eslavos bielorrussos ou russo (que são etnicamente os bálticos “parentes mais próximos). Até o século 13 os bálticos foram divididos em um número de reinos tribais.

Os letões são descendentes daquelas tribos que se estabeleceram no território da Letônia moderna, como o Letts (ou Latgals), o Selonians, o Semigallians eo Cours.

O Latgals, Semigallians e Cours deram seus nomes para as regiões da Letônia: Latgale, Zemgale e Kurzeme.

O Selonians resolvido entre o rio Daugava e norte da Lituânia . Durante séculos seguintes de domínio estrangeiro, essas tribos (e em grande medida os Livs fino-úgricas que habitavam as regiões costeiras do norte da Letônia) perderam suas identidades separadas e tornou-se fundiram em um letão, ou letão, identidade.

Os primeiros missionários cristãos chegaram na Letônia em 1190 e tentou persuadir a população pagã para converter.

Foi uma batalha difícil: logo que os missionários deixaram, os novos convertidos pulou no rio para lavar o seu batismo. Nos anos subsequentes, mais missionários chegaria, e letões mais iria apresentar e, em seguida, renunciar ao cristianismo.

Em 1201, a mando do papa, alemão cruzados, liderada pelo bispo Von Buxhoevden de Bremen , conquistou Letônia e fundou Riga . Von Buxhoevden também fundou os Cavaleiros da Espada, que fez Riga sua base para subjugar Livonia.

Colonos do norte da Alemanha seguiu, e durante o primeiro período do governo alemão, Riga tornou-se a grande cidade do Báltico alemão, próspera do comércio entre a Rússia eo Ocidente, e se juntar à Liga Hanseática (uma guilda mercante medieval) em 1282. Peles, couros, mel e cera estavam entre os produtos vendidos para o oeste a partir da Rússia através de Riga.

Lutas pelo poder entre a igreja, cavaleiros e autoridades da cidade dominou a história do país entre 1253 e 1420. Riga ‘s bispo, elevado a arcebispo, em 1252, tornou-se o líder da igreja em terras alemãs conquistaram, governando uma boa fatia de Livonia direta e outras áreas de Livonia e Estônia indiretamente através de seus bispos.

A igreja chocaram constantemente com cavaleiros, que controlavam a maior parte do restante da Livônia e Estônia , e com autoridades alemãs comerciante dominadas da cidade que conseguiram manter um grau de independência 1253-1420.

Letônia foi conquistada por Polônia em 1561 e catolicismo era firmemente enraizado. Suécia colonizado Letônia em 1629 e ocuparam o país até que a Grande Guerra do Norte (1700-1721), após o que se tornou parte da Rússia.

Ocupação soviética começou em 1939 com o Pacto Molotov-Ribbentrop, nacionalização, assassinatos em massa e cerca de 35, 000 deportações, 5000 dos quais eram judeus, a Sibéria.

Letônia foi então ocupada pela Alemanha nazista 1941-1945, quando cerca de 75, 000 letões foram mortos ou deportados. A população judaica sofreu muito durante este período. Os alemães capturaram Riga em 1 de julho de 194.

No final da Segunda Guerra Mundial os soviéticos recuperado Letônia e ocuparam o país por mais 40 anos.

Fonte: www.lonelyplanet.com

Letônia

Letonia é um país da Europa Oriental.

A capital é Riga.

A principal religião é o Cristianismo (Catolicismo e Protestantismo).

A língua nacional é o Letão. A outra língua principal é o Russo.

O nome “Letonia” origina-se dos antigos Latgalianos, uma das quatro tribos orientais do Báltico, que formaram o núcleo étnico do povo Letão (do século 8 ao século 12 dC). A região posteriormente ficou sob o controle dos Alemães, Poloneses, Suecos e, finalmente, os Russos.

Uma república Letão surgiu após a Primeira Guerra Mundial, mas foi anexada pela URSS em 1940 – uma ação nunca reconhecida pelos Estados Unidos e muitos outros países. A Letonia restabeleceu sua independência em 1991 após a dissolução da União Soviética. Embora as últimas tropas Russas deixassem em 1994, o status da minoria Russa (cerca de 30% d

a população) continua a ser motivo de preocupação para Moscou. A Letonia aderiu à NATO e à União Européia na Primavera de 2004.

A Letonia é um dos Estados Bálticos. A área da atual Letonia não se tornou uma entidade separada nacional até o século 20, e até hoje, os Letões representam apenas pouco mais da metade da população do país.

Entre 1920 e 1940, a Letonia foi uma república independente, aproveitando a fraqueza das duas grandes potências que tradicionalmente competiam sobre seu território, a Rússia e a Alemanha.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Letonia foi invadidoapelos Soviéticos, e depois pelos Alemães. Mais tarde ela tornou-se uma das repúblicas Soviéticas.

A Letonia e seus vizinhos Bálticos moveram-se em direção à independência na década de 1980; a Letonia foi reconhecida como independente em 1991. Os esforços para descartar seu passado Comunista culminaram com a sua admissão na Organização do Tratado do Atlantico Norte (OTAN) e a União Europeia (UE) em 2004.

Terra

A maioria da Letonia é uma planície, com exceção de pequenas colinas que se erguem na elevação Vidzeme leste de Riga e no extremo sudeste. Cerca de 66% do país são cobertos com florestas, prados, pastagens e pântanos.

O rio principal é o Daugava, que flui da Rússia e da Ucrânia. O país também contém cerca de 4.000 pequenos lagos.

A Letonia fronteira a Estonia ao norte; a Rússia ao leste; a Bielorrússia a sudeste; a Lituânia ao sul; e o Mar Báltico a oeste. O Golfo de Riga é uma reentrância profunda que é geralmente confinada por gêlo de Dezembro a Março. Os principais portos na costa do Báltico são o Ventspils e o Liepaja.

O clima é úmido, e o céu é geralmente nublado – a Letonia se beneficia de apenas cerca de 30 a 40 dias de sol por ano. As temperaturas de Janeiro variam de 28 °F (-2 °C) na costa a 19 °F (-7 °C) no leste, enquanto a temperatura média em Junho é de 63° F (17 °C ).

População

A Letonia tem uma população de mais de 2 milhões. Os Letões, ou Letts, são o principal grupo étnico, mas eles representam menos de 60 por cento da população. Outras nacionalidades incluem os Russos, Bielorrussos, Ucranianos, Poloneses e Lituanos.

Os Letões são descendentes dos povos do Báltico conhecidos como Latgalls (Latgallianos), que viviam na área desde o início da era Cristã. Os Letts também absorveram posteriormente vários outros povos, incluindo os Kurs, os Livs, os Selonianos e os Semigallianos.

Hoje os Letões, juntamente com seus vizinhos os Lituanos são os únicos membros sobreviventes dos povos do Báltico, um grupo distinto linguística e étnicamente. Na família Indo-européia de nações, os Bálticos estão mais próximos dos Eslavos e dos Alemães.

A maioria dos Letões são Luteranos, devido à histórica influência Alemã; no entanto, a prática religiosa foi severamente silenciada durante a era Comunista e está só lentamente a reviver. Uma pequena comunidade Católica Romana também tem se mantido ao longo dos anos.

Linguagem

O Letão, a língua oficial do país, é falada pela maioria do povo. O Russo é a segunda língua mais popular. Quase 40 por cento dos Letões falam Russo.

Cidades

Riga

Riga, capital da Letonia, é a maior metrópole da região do Báltico. A cidade foi seriamente danificada em ambas Primeira e Segunda Guerra Mundial, e relativamente poucas construções antigas ainda estão de pé.

A cidade data de 1158, quando foi fundada como um depósito para os comerciantes de Bremen.

No século seguinte, Riga tornou-se um porto fortificado, e logo depois se juntou à Liga Hanseática.

Posteriormente, sob controle Polonês, Sueco e Russo, Riga continuou a ser um posto avançado Alemão. Pelo início do século 20, ela era um grande porto industrial e comercial com cerca de 500.000 pessoas.

Durante a era Soviética, Riga tornou-se um dos maiores produtores de motores ferroviários, bondes, microônibus, motocicletas, máquinas de lavar, e gravadores de fita do país, e foi também o segundo mais importante porto da União Soviética depois de Leningrado (agora São Petersburgo).

Riga é também o centro cultural da Letonia, abrigando muitos eventos musicais, museus e cafés animados.

Outras cidades da Letonia

A segunda-maior cidade é Daugavpils, onde a maioria da população é Russa. Jurmala tem sido um resort desde o século 19 e atraiu um grande número de visitantes durante o período Soviético. Por um tempo a poluição da água impediu de se nadar no mar, mas muitas das praias já foram limpas. Liepaja é outro importante centro industrial e porto.

Economia

A industrialização da Letonia começou no século 19. Durante o período Soviético, a república se tornou a parte mais industrializada da União Soviética, um processo que tem levado a sérios problemas ambientais. Cerca de metade da energia teve que ser importada, mas grandes hidrelétricas foram construídas no Rio Daugava. Uma densa grade de linhas férreas e rodovias atravessa o país.

As grandes indústrias, centradas em Riga, incluem a manufatura de equipamentos de transporte e eletrônicos, e também produtos químicos e papel. A criação de gado leiteiro e a produção de carne são importantes.

Na década de 1990, a independência da Letonia abriu as portas do país para o mundo, e as ruas medievais de Riga estão agora repletas de carros ocidentais trazidos pelos diplomatas, empresários e investidores que a visitam (muitos deles emigrados Letões).

No entanto, a Letonia ainda depende economicamente da Rússia, e as taxas de trânsito para o transporte do petróleo e gás Russo representam 60 por cento de toda a renda estrangeira.

Em Março de 1992, o Conselho Supremo da Letonia votou por retornar aos proprietários originais as suas propriedades comerciais que haviam sido nacionalizadas pelo regime Soviético.

Estas propriedades consistiam em quase 5.000 empresas privadas que operavam na Letonia em 1940, antes que o país fosse tomado pela União Soviética. O governo ainda tem participação considerável em algumas grandes empresas.

A Letonia aderiu à Organização Mundial do Comércio (OMC), em Fevereiro de 1999.

A economia da Letonia experimentou um crescimento muito forte entre 2004 e 2007. Mas entrou em uma recessão severa em 2008, parcialmente em resposta à crise financeira mundial e à recessão economica.

Com a sua moeda sob ameaça, o governo solicitou ajuda ao Fundo Monetário Internacional e outras agências de empréstimo. Em troca de empréstimos, ele prometeu cortes enormes nos gastos públicos e aumentos de impostos crescentes.

No decorrer de 2009, a economia da Letonia contraiu 17,5 por cento. No início de 2010, o desemprego atingiu mais de 22 por cento, mas uma recuperação começou naquele ano.

Economia – visão geral:

Letonia é uma economia pequena e aberta com as exportações contribuindo com quase um terço do PIB. Devido à sua localização geográfica, serviços de trânsito são altamente desenvolvida, juntamente com a madeira e produtos de processamento de madeira, agricultura e alimentos, e fabricação de máquinas e indústrias de eletrônicos.

A corrupção continua a ser um impedimento para atrair o investimento estrangeiro direto e taxa da Letônia ao nascer e diminuir população são grandes desafios para a sua vitalidade econômica de longo prazo.

Economia da Letônia experimentou um crescimento do PIB de mais de 10% ao ano durante 2006-07, mas entrou em grave recessão em 2008, como resultado de um déficit em conta corrente insustentável e exposição grande dívida em meio à economia mundial de amolecimento.

Desencadeada pelo colapso do segundo maior banco, o PIB caiu 18% em 2009. A economia não voltou a níveis pré-crise, apesar do forte crescimento, principalmente no setor de exportação em 2011-12.

O FMI, UE e outros doadores internacionais, desde uma ajuda financeira substancial para a Letônia como parte de um acordo para defender peg da moeda ao euro em troca do compromisso do governo de medidas de austeridade severas.

O programa do FMI / UE concluiu com sucesso, em dezembro de 2011. O governo do primeiro-ministro Valdis DOMBROVSKIS permaneceu comprometida com a prudência fiscal e reduzir o déficit fiscal de 7,7% do PIB em 2010, para 2,7% do PIB em 2012.

A maioria das empresas, bancos e imóveis foram privatizadas, embora o Estado ainda detém participações consideráveis em algumas grandes empresas, incluindo a propriedade de 99,8% da companhia aérea nacional da Letônia.

Letônia aderiu oficialmente à Organização Mundial do Comércio, em fevereiro de 1999, e à UE em Maio de 2004. Letônia pretende aderir à zona euro em 2014.

História

Quando os cruzados e comerciantes Alemães chegaram à região do Báltico no século 12, eles chamaram a área ao redor de Riga de Livonia (ou Livland), segundo a tribo dos Livs. Para o próximo século, as tribos locais resistiram ferozmente aos esforços para introduzir o Cristianismo, mas finalmente sucumbiram.

Os Alemães, em seguida, formaram a Confederação da Livônia, que consistia em três entidades – a Ordem Teutônica, o arcebispado de Riga, e a cidade livre de Riga.

A população local sofreu muito: a nobreza local foi vencida ou Germanizada, e os camponeses foram escravizados.

Após o período de dominação Alemã, Poloneses, Suecos, e Russos governaram em sucessão. No início do século 19, o czar Russo Alexandre I concedeu a liberdade pessoal para os camponeses da Letonia, o que por sua vez levou a um crescimento economico na área. Jovens intelectuais começaram a formular idéias políticas de auto-governo, autonomia nacional, e até mesmo a independência.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a Letonia foi ocupada pelos Alemães por três anos, e perdeu mais de 33% de sua população, seja através da morte ou emigração. No final da guerra, uma Rússia enfraquecida estava ansiosa por retirar-se da luta, e ela renunciou à sua reivindicação sobre a região do Báltico em Março 1918.

A Alemanha logo estaria de joelhos, rendendo-se aos Aliados, em Novembro. Em 1920, após luta prolongada no solo da Letonia, o país se tornou independente, e, para as próximas duas décadas, foi uma república com um parlamento unicameral.

A estabilidade da república foi minada, no entanto, pela ascensão de grupos Nazistas e Fascistas locais.

Em Junho de 1940, a Letonia foi invadida pelo Exército Vermelho. No mês seguinte, ela foi incorporada à União Soviética. Cerca de 35.000 intelectuais Letões foram deportados, principalmente para a Sibéria.

Após a invasão Alemã da União Soviética, a Letonia tornou-se parte da província Alemã de Ostland, que também incluía a Estonia, a Lituânia e Belarus. Um certo número de campos de concentração foram criados, o mais infame deles em Salaspils.

Quando o Exército Vermelho começou a avançar pelo leste, em perseguição aos Alemães, os Estados Bálticos foram reocupados em 1944.

Cerca de 175.000 Letões foram mortos ou deportados, de modo a suprimir a resistência ao regime Soviético e todo o país foi aos poucos incorporado à União Soviética.

Uma intensa campanha de Russificação foi travada durante décadas.

Independência e Eventos Recentes

A Letonia tornou-se independente em Setembro de 1991. A grande minoria Russa, a quem ainda não foi concedida a cidadania, representa uma carta importante no tratamento de Moscou com a Letonia.

De fato, a Rússia continua a lançar uma sombra sobre a Letonia, apesar de a última de suas tropas se retiraram em Agosto de 1994. No ano de 2004 o país ingressou na OTAN e na UE. Recentemente, as relações com a Rússia têm acalmado.

O cenário político da Letonia tem sido marcado por muitas partidos, alguns deles extremistas. Isto levou a uma sucessão de governos de coalizão rebeldes e de curta duração. O governo mudou nove vezes durante os primeiros 10 anos de independência.

Em Junho de 1999, Vaira Vike-Freiberga, uma acadêmica e uma candidata sem filiação partidária, foi eleita presidente. Reeleita para um segundo mandato em 2003, ela é creditada por ter ajudado a estabilizar a situação política.

Em 2007, Valdis Zatlers, um médico e um outro candidato não-político, foi escolhido para suceder a presidente Vike-Freiberga.

Em 2006, o governo de coalizão liderado pelo primeiro-ministro Aigars Kalvitis do Partido Popular de centro-direita se tornou o primeiro governo pós-Comunista Letão à garantir a reeleição.

Kalvitis foi forçado a renunciar como primeiro-ministro em Dezembro de 2007, mas seu sucessor, Ivars Goldmandis, formou seu governo de centro-direita com a mesma coligação de partidos.

O programa de severa austeridade financeira de Goldmandis em resposta à crise econômica da Letonia levou a tumultos no início de 2009. Ele demitiu-se como resultado, mas o próximo primeiro-ministro, Valdis Dombrokvskis, seguiu as mesmas políticas.

No terceiro trimestre de 2010, a economia Letã pegou. Parecia que o profundo corte de gastos públicos tinha ajudado o país a recuperar alguma da competitividade economica. Tanto a produção industrial e as importações aumentaram.

No entanto, alguns Letões continuaram a ressentir-se das duras condições econômicas criadas pelas medidas de austeridade. Tais sentimentos contribuíram para o surgimento de um novo partido de esquerda pró-Russo chamado Centro da Harmonia.

Quando uma eleição geral foi realizada em Outubro de 2010, no entanto, ele ficou em segundo lugar para o partido de Dombrovskis, a Coligação da Unidade. Dombrovskis formou um novo governo em coligação com o seu parceiro anterior, um grupo agrário conservador chamado ZZS.

No verão de 2011, a coalizão fraturou-se. Enquanto fazia campanha para a reeleição, o Presidente Valdis Zatlers, que tinha o apoio de Dombrovskis, acusou o parlamento de corrupção. Ele pediu por um referendo sobre a dissolução da legislatura.

O ZZS então nomeou um outro candidato presidencial em oposição a Zatlers, e seu candidato, Andris Berzins, foi eleito. No referendo, no entanto, os eleitores aprovaram a dissolução do parlamento, e uma nova eleição geral foi convocada.

Aquela eleição ocorreu em 17 de Setembro de 2011. O Centro da Harmonia ficou em primeiro lugar, com 28,4 por cento dos votos. Muitos Letões porém, não queriam ver o partido pró-Russo no governo.

Em última instância, o Presidente Berzins pediu a Dombrovskis para formar outro governo. Embora ele tentasse incluir o Centro da Harmonia, no final seu novo governo consistiu no segundo, terceiro e quarto partidos na eleição.

Estes foram, respectivamente, o recém-fundado Partido Reformista de Zatler (RPZ), a Coligação da Unidade, e a Aliança Nacional de direita. Esta última havia se recusado a servir em um governo com o Centro da Harmonia.

Governo

Em 1991, o parlamento renovou a constituição de 1933 do país da era pré-Soviética. O legislativo nacional é um parlamento unicameral de 100-assentos (Saeima); seus membros servem mandatos de quatro-anos.

O chefe de governo é o primeiro-ministro, que deve comandar o apoio da Saeima. O chefe de Estado é o presidente, que é eleito pela Saeima para um mandato de quatro-anos.

Os poderes do presidente são em grande parte cerimoniais, mas ele ou ela podem exercer uma influência não-oficial considerável.

Letônia
A Casa dos Blackheads localizados na cidade velha de Riga foi construída no século 14 para a Irmandade do Grêmio Blackheads, uma guilda de comerciantes solteiros alemão na cidade. O edifício foi bombardeado pelos alemães em 1941 e demolida pelos comunistas em 1948. Reconstrução ocorreu entre 1995 e 1999, o edifício serve atualmente como um museu e sala de concertos

Letônia
Igreja de São Pedro em Riga foi construído em 1209 e ampliado no século 15. Sua torre atual foi concluída em 1746 e restaurada em 1973, quando um elevador foi instalado. As pessoas podem agora ver Riga, de uma altura de cerca de 72 m (236 pés)

Letônia
A vista lateral da Igreja de São Pedro em Riga

Letônia
Praça da Câmara Municipal é o centro oficial de Riga. 
Visto aqui é a Casa Blackheads, bem como a torre da Igreja de São Pedro

Letônia
Este café ao ar livre é em Dome Square, no coração da velha de Riga. 
A praça é nomeado após a Riga Catedral Dome situado ao lado dele

Letônia
A Estátua da Liberdade de Riga está em uma praça no centro de Riga, perto da cidade velha. Que honra os soldados mortos na Guerra da Independência da Letônia (1918-1920). O monumento, construído no início da década de 1930 e inaugurada em 1935, é de 42 m (138 pés) de altura e é construída em granito, travertino e cobre. No topo da coluna é uma figura de cobre da Liberdade, as esculturas e baixos-relevos da base retratam cultura letã e história. A Guarda de Honra está presente em todos os momentos

Irina Rybacek

Edward W. Walker, Ph.D.

Fonte: Internet Nations

Letônia

Uma Breve Cronologia

400 milhões de anos atrás a terra que está Letônia hoje está localizado perto do equador, antes deriva continental placas norte.

10. 000 geleiras BC que havia sido abrangendo toda a região norte começar a recuar, tornando a habitação humana possível.

2000 aC Antepassados letões resolver na costa do Báltico. Couronians, Latgallians, Semgallians e fino-úgricas Livs mais tarde a tornar-se assimilar letões.

1190 Os primeiros missionários cristãos persuadir alguns letões para converter. Mas assim que os alemães deixaram, os letões, por uma conta, pulou no rio para lavar o seu batismo. Logo, letões submetidos novamente, então novamente renunciaram ao cristianismo. Alemães conseguiu converter letões para bons 20 anos mais tarde.

1201 AD Um ponto decisivo na história da Letônia: A pedido do Papa, alemão cruzados, liderada pelo Bispo Albert von Buxhoevden de Bremen, conquistar Letônia; Riga é fundada e se torna uma ponte para outras conquistas alemãs nos países bálticos. Domínio alemão continua por 700 anos.

Riga 1282 junta-se à Liga Hanseática, bloco da Europa de negociação poderoso.

1561 Sul Letônia é conquistado pela Polônia; catolicismo torna-se entrincheirado.

1629 Parte da Letônia, Riga, incluindo, é conquistado pela Suécia, que promove reformas sociais. Letões agora referem-se a essa época como os bons tempos suecos. Riga torna-se a maior cidade do Reino da Suécia.

1640 letões fundos Duke Jacob uma expedição colonizadora Tobago no Caribe em 1600; 2000 letões lá se estabeleceram.

1710 Letônia cai para a Rússia; polaco-governado Letônia cedida à Rússia 80 anos depois. Alemães recuperar privilégios perdidos sob suecos.

Em 1812 uma manobra defensiva, temendo um ataque de Napoleão, a fim de que funcionários subúrbios de Riga ser queimada.

1816 sistema antigo de servidão é abolida.

1860-1885 consciência nacional entre os aumentos letões. Políticas de russificação.

1.905 camponeses pobres desabafar sua raiva contra proprietários de terras do Báltico alemães; manifestantes letões matar 600 pessoas, incluindo 100 nobres alemães. Polícia czarista conter a violência, e deportar milhares de pessoas que participaram.

1918 letões foi empurrando principalmente de autonomia dentro do que eles esperavam que seria uma Rússia democrática orientada. Mas depois Soviética mão pesada, declaram independência. Letões derrotar exércitos alemães e soviéticos. Eles são auxiliados por Grã-Bretanha; estonianos também ajuda.

1920 Contra todas as probabilidades, Letônia ganha independência. No meio do pós-guerra miséria econômica e destruição, a terra é tomada de nobreza alemã e redistribuído aos pobres.

1921-1940 prospera Letônia, tornando-se um grande exportador de produtos agrícolas. Riga torna-se um lugar de encontro favorito dos espiões ocidentais e soviéticos.

1939, Hitler e Stalin esculpir a Europa, com os países bálticos a ser dito na esfera soviética. Antes, os países bálticos foram capazes de reproduzir a Alemanha ea Rússia fora de si, mas agora eles estão praticamente dentro das garras da Rússia, com a aquiescência da Alemanha.

1940 como nazistas garra França, soviéticos ocupam Letônia. Deportações começararam.

1941 Primeiras deportações em massa por parte das forças stalinistas, visando a nata da sociedade. Outros arrastado para fora das células de detenção e tiro. No final do ano, a Alemanha nazista ocupa Letônia; letão judeus são massacrados, incluindo cerca de 25.000 em dois dias fora de Riga, na Rumbula.

1944 soviéticos ocupam Letônia novamente. Milhares, incluindo mais de 2/3 dos intelectuais do país, fugir para o Ocidente.

1949 Outra onda de deportações. Entre 1940-1949, Letônia perde 35 por cento de sua população ao assassinato guerra, deportação exílio, e de massa.

1987 Primeiras manifestações abertas contra o domínio soviético.

1990 legislatura Soviética Letônia declara uma transição para a independência.

Em janeiro de 1991, soviéticos repressão sobre os países bálticos.

Agosto 1991 um golpe de Estado no Kremlin desfaz tão rapidamente como começou. Dois dias antes, parecia que o pior absoluto estava prestes a acontecer. Mas, de repente, com a autoridade de Moscou ter desmoronado, o sonho impossível de restaurar a independência se torna realidade.

1999 Letônia empossa sua primeira presidente mulher, Vaira Vike-Freiberga. Antiga lenda dizia que a nação prosperar uma vez uma mulher governou; saltos de crescimento anual de cerca de 0 a mais de 5 por cento.

2001 Riga comemora o aniversário 800.

29 de março de 2004 a Letônia é aceito na OTAN.

01 de maio de 2004 Letônia aderir à União Europeia.

Fonte: www.balticsworldwide.com

Letônia

História

A República da Letônia pode se gabar de uma cultura e tradições que são séculos de idade, mas os registros de habitantes da área são um milênio de idade.

O território que é hoje Portugal foi habitada primeiramente logo após a Idade do Gelo, em cerca de 9000 aC.

Ancestrais dos povos do Báltico Finn viviam na área desde aproximadamente 3000 a C, mas durante a primeira metade do segundo milênio a C os primeiros proto-bálticos tribos entrou na área e da cultura do Báltico (Selonians, Semgallians, Couronians, Latgallians) e fino -úgricas (Livian) tribos foi formado.

No século 12, a evolução independente das tribos e comunidades que vivem ao longo do Mar Báltico na área da atual Letônia foi reduzido com a chegada de europeus ocidentais (principalmente alemão) cruzados viajando para o leste para difundir a fé católica e da expansão do feudalismo.

A cidade de Riga foi fundada em 1201. Até o 1270, o cruzados tinham estabelecido o estado de Livonia, uma união política dos territórios pertencentes à Ordem da Livônia de Cavaleiros e para a Igreja Católica, que abrange as terras do Couronians, Semgallians, Latgallians, Selonians e fino-Ugrians (estonianos e Livs) no território da atual Letônia e Estônia.

Regulares laços econômicos e culturais foram desenvolvidos entre Livonia e os territórios vizinhos da Europa.

Em 1282 Riga foi admitido na Liga Hanseática no norte da Alemanha, assumindo assim um papel central na mediação leste-oeste comércio. No entanto, enquanto Riga começou a florescer como um centro comercial de grande porte, os direitos comerciais e de propriedade de não-alemães em Riga foram severamente restringidos.

Ao mesmo tempo, deve-se notar que a unidade política e econômica da ordem Livônia eventualmente estimulado a unificação das tribos locais em uma comunidade (letão) linguística.

Após a Guerra da Livônia (1558-1583), que foram iniciadas pelo estado de Moscou, que queria acesso ao mar Báltico, Livonia foi dividido entre a Suécia e a Polônia e Lituânia.

No século 17 o Ducado de Kurzeme, um tributo estado semi-independente pagando a Polônia, se tornou tão bem sucedido que por um curto enquanto segurava colônias na África, em Gâmbia e na ilha caribenha de Tobago, onde as pessoas com letã, de semi- letões nomes ainda podem ser encontrados hoje.

A adição de territórios da Letônia para o Império Russo começou com a nova onda de expansão russa em 1700, principalmente após a Guerra do Norte Grande (1700-1721).

O período de mudança do feudalismo para o capitalismo industrialismo começou no final do século 18, e com a abolição da servidão, a indústria começou a se desenvolver rapidamente ea população cresceu.

Letônia
Riga antiga

O início do século 19 marcou o início da consolidação da nação letã, quando letões começaram a se consideram membros de uma nação viável separado. Os primeiros jornais de língua letões foram publicados.

Um grupo da intelligentsia letão, referindo-se a theselves como os letões “jovem”, foi fundamental no desenvolvimento do estilo letão literário, e cultura letã, e um despertar nacional em meados do século 19 pode ser ligado a seus esforços para alcançar a a nação letã, os mesmos direitos de outras nações apreciado.

Esses esforços também marcou o início de uma luta para a auto-determinação nacional. Começando na década de 1880 o governo russo começou um programa de russificação deliberada nas províncias do Báltico, que punham em perigo a autonomia das províncias Balto-germânicas, bem como os movimentos nacionalistas crescentes dos povos do Báltico.

Religião

Durante os últimos séculos, não houve graves conflitos sociais na Letônia baseada na diferenciação étnica ou religiosa. A vida religiosa na Letônia tem sido única para a sua variedade de séculos de crenças religiosas, com muitos ramos funcionando pacificamente lado a lado.

Própria religião mais antiga da Letônia é baseada em uma crença de deidades naturais. Estas tradições antigas são preservadas em canções populares da Letônia e lendas, assim como em festivais como “Jani”, que marca o solstício de verão e ainda é um feriado nacional.

O cristianismo chegou na Letônia através dos missionários e cruzados nos séculos 12 e 13.

A Reforma teve um impacto significativo sobre a Letônia, excepto a parte oriental da Letônia, que na época era parte do Império polonesa e católica, desde o século 17, a principal religião da Letônia é visto como o luteranismo.

A primeira Bíblia a ser impressa em letão, traduzido pelo Rev. Ernest Glueck, foi publicado em 1689, com o apoio da coroa sueca.

Ortodoxia Russa espalhou na Letônia como parte das políticas de russificação dos 18, séculos 19 e 20.

Paróquia mais antigas Antigos Crentes no mundo tem a sua casa na Letônia; Antigos Crentes podem traçar suas origens na Letônia de volta ao século 18.

Independente Letônia (1918-1939) ofereceu a liberdade religiosa extensa. A Universidade da Letônia Escola de Teologia Luterana educado e clero católico, enquanto Luterana, Católica e as Igrejas Ortodoxas todos tinham arcebispos autônomos, como fez um separado Igreja Luterana Alemã.

Com o advento da Segunda Guerra Mundial, e da ocupação soviética em 1940, a importância ea influência da igreja foi grandemente diminuído como as autoridades soviéticas vistos religião como manifestação de anti-comunismo, houve perseguição extensa do clero, bem como a nacionalização e confisco de propriedades da igreja.

Com muitos letões fugir para o oeste durante a guerra, igrejas distintas letões luteranos e católicos foram estabelecidas por letões na diáspora.

Ao longo dos anos de ocupação soviética, as organizações religiosas estavam sujeitas a uma supervisão estrita por parte do Estado, e os crentes religiosos foram hostilizados e perseguidos.

Ao mesmo tempo, uma campanha de propaganda de base ampla contra a religião foi feita através do sistema educacional, muitas igrejas foram fechadas e atividades de adoração foram severamente restringidos.

Letônia
Apriki Igreja

Letônia
Basílica Aglona

Principais igrejas em grandes cidades na Letônia foram transformadas em museus ou salas de concerto, enquanto pequenas igrejas regionais foram autorizados a se deteriorar, o colapso ou transformadas em armazéns, silos e outras instalações.

No fim da cauda da década de 1980, muitas das restrições foram levantadas, mas com o restabelecimento da independência da Letônia em 1990, a restauração das liberdades religiosas se seguiu.

Nos últimos anos, as congregações ter recuperado o uso de antigas propriedades, muitas igrejas estão passando por reformas e os direitos das organizações religiosas são mais uma vez garantido por lei. Atualmente, existem cerca de 30 confissões religiosas ativos na Letônia.

Clima, localização e população

A República da Letônia está situado no nordeste da Europa. Faz fronteira com a Estônia para o norte, pela Lituânia para o sul e oeste, enquanto no leste há uma fronteira com a Federação Russa e para o sul-leste com a Bielorrússia.

Território da Letônia de 64.000 km ². é maior do que a Dinamarca, Holanda, Bélgica e Suíça, e está dividido em quatro distritos históricos: Kurzeme (oeste Letônia), Zemgale (sul da Letônia), Vidzeme (norte da Letônia) e Latgale (leste da Letônia).

Clima

Devido à influência de fatores marinhas, o clima é relativamente temperado mas com variações de temperatura consideráveis. O verão é quente e os padrões climáticos relativamente suaves existem na primavera e no outono. Inverno, que vai de novembro a meados de março pode ser muito frio.

População

No início de 1996, havia 2.496.981 pessoas que vivem na Letônia, com 1.764.968 indivíduos, ou 70,684%, sendo os cidadãos da Letônia.

Leis da Letônia garante direitos iguais para todos os grupos étnicos, independentemente de sua cidadania.

Os últimos números oficiais do censo listar as maiores cidades da Letônia como segue: Riga (910.455 habitantes), Daugavpils (124.910), Liepaja (114.486), Jelgava (74.105), seguido de Jurmala, Ventspils, Rezekne, Jekabpils, Valmiera e Ogre.

População da Letônia é composta de diversos grupos étnicos. Em termos de etnia, enquanto que o último censo dados antes da Segunda Guerra Mundial letões listado como compreendendo 77% da população total, de acordo com a Comissão de Estatística do Estado em abril de 1995, letões compõem 56,65% da população, os russos 30,33%, 4,33% bielorrussos, ucranianos 2,73%, 2,58% e poloneses Outros grupos étnicos incluem os lituanos, os judeus, os ciganos, os estonianos e alemães.

Sistema político

Letônia é uma república parlamentar. Este sistema foi inicialmente estabelecida em 18 de novembro de 1918.

Sua soberania e independência de fato terminou com a invasão da URSS em junho de 1940, que foi seguido pela anexação ilegal Soviética da Letônia como uma república da URSS, a ocupação nazista (1941-1945) e mais de 46 anos de ocupação soviética (1945 -91).

Tanto a Declaração de Renovação da Independência da República da Letônia datado 4 de maio de 1990 e 21 de agosto de 1991 declaração de restabelecer a independência de fato, proclamou a autoridade do Satversme (Constituição). O mais alto órgão legislativo na Letônia é o Saeima um câmaras (Parlamento), cujos 100 deputados são eleitos por três anos, em eleições diretas, proporcionalmente representativos de cidadãos de 18 anos de idade ou mais.

As primeiras eleições verdadeiramente democráticas desde 1930 – eleições para o Saeima 5 – foram realizadas em junho 5-6, 1993. O Satversme, iniciado em 15 de fevereiro de 1922, foi totalmente re-instituído em 6 de julho de 1993, quando o Saeima convocada após as eleições.

Em 7 de julho de 1993, o Saeima eleito Guntis Ulmanis para ser o Chefe de Estado – isto é, o Presidente da República da Letônia.

Fonte: www.randburg.com

Letônia

História

Letônia foi estabelecido originalmente pelos povos antigos conhecidos como bálticos. No século 9 os bálticos veio sob a soberania do Varangians, ou Vikings, mas um domínio mais duradouro foi estabelecido sobre eles por seus vizinhos de língua alemã para o oeste, que cristianizado Letônia, nos séculos 12 e 13.

Os Cavaleiros da Espada, que se fundiu com os cavaleiros alemães da Ordem Teutônica em 1237, conquistou toda a Letônia por 1230, e soberania alemã da área continuou durante três séculos, com uma classe latifundiária dominante alemã sobre um campesinato enserfed letão.

Desde meados da década de 16 ao início do século 18, a Letônia foi dividida entre a Polônia ea Suécia, mas até o final do século 18 toda a Letônia tinha sido anexada pela Rússia expansionista.

Latifundiários alemães conseguiram manter sua influência na Letônia, mas o nacionalismo letão indígena cresceu rapidamente no início do século 20.

Após a Revolução Russa de 1917, Letônia declarou sua independência em 18 de novembro de 1918, e, depois de um período confuso de luta, a nova nação foi reconhecida pela Rússia Soviética e na Alemanha em 1920.

Independente Letônia foi governado por coalizões democráticas até 1934, quando a regra authocratic foi estabelecido pelo Presidente Karlis Ulmanis.

Em 1939, a Letônia foi forçado a conceder bases militares em seu território para a União Soviética, e em 1940, o Exército Vermelho soviético mudou-se para a Letônia, que foi logo incorporado à União Soviética.

Alemanha nazista realizada Letônia a partir de 1941 a 1944, quando foi retomado pelo Exército Vermelho.

Fazendas da Letônia foram forçados coletivizada em 1949, e sua economia florescente foi integrada a da União Soviética.

Letônia permaneceu uma das partes mais prósperas e altamente industrializados da União Soviética, no entanto, e de seu povo mantido fortes lembranças de seu período de 20 anos de independência breve.

Com a liberalização do regime soviético empreendida por Mikhail Gorbachev na década de 1980, os letões começaram a procurar Letônia declarou a restauração da sua independência em maio de 1990 e alcançado a plena independência da União Soviética em 21 de agosto de 1991.

Os letões constituem uma divisão proeminente do antigo grupo de pessoas conhecidas como os bálticos.

A primeira conexão historicamente documentadas entre os bálticos ea civilização do mundo mediterrâneo foi baseada no comércio âmbar antigo: de acordo com o historiador romano Tácito (1 º século dC), o Aestii (antecessores dos prussianos) desenvolveu um importante comércio com o Império Romano.

Durante os séculos 10 e 11 terras letões foram sujeitos a uma dupla pressão: de leste houve penetração eslavo; do oeste veio o impulso sueca para as margens do Curlândia.

Domínio alemão Durante o período das cruzadas, Alemão -., Ou, mais precisamente, Saxon – expansão no exterior atingiram as costas orientais do Báltico.

Porque as pessoas que ocupam a costa da Letônia foram os Livs, os invasores alemães chamado Livland país, um nome traduzida em latim como Livonia.

Em meados do século 12, os comerciantes alemães de Lübeck e Bremen estavam visitando o estuário do Dvina Ocidental; estas visitas foram acompanhadas pela chegada de missionários alemães. Meinhard, um monge de Holstein, aterrou lá em 1180 e foi nomeado bispo de Üxküll (Ikskile) em 1186.

O terceiro bispo, Alberto de Buxhoevden, com o Papa Inocêncio III permissão, fundou a Ordem dos Irmãos da Espada em 1202. Antes de se fundiu em 1237 com os cavaleiros da Ordem Teutônica, que tinha conquistado todos os reinos da Letônia tribais.

Após a conquista, os alemães formaram a chamada Livônia confederação, que durou mais de três séculos. Esta organização feudal não foi feliz, seus três componentes – a Ordem Teutônica, o arcebispado de Riga, e da cidade livre de Riga – estar em constante disputa com o outro.

Além disso, a vulnerabilidade das fronteiras terrestres envolveu a confederação em freqüentes guerras estrangeiras. Os letões, no entanto, beneficiou de Riga ingressar na Liga Hanseática em 1282, como o comércio da liga trouxe prosperidade.

Em geral, no entanto, a situação de acordo com a regra do Latvians alemã era a de qualquer nação assunto.

A nobreza indígena foi extinta, além de alguns de seus membros que mudaram sua lealdade e da população rural foi forçado a pagar dízimos e impostos para os seus conquistadores alemães e fornecer corvéia ou trabalho estatuto.

Polônia e Lituânia, Suécia, e a invasão da Rússia em 1561 o território letão foi particionado: Curlândia, sul do Dvina ocidental, tornou-se um ducado autônomo sob a suserania do soberano da Lituânia, e Livonia norte do rio foi incorporada Lituânia.

Riga também foi incorporada no Commonwealth Polaco-Lituana em 1581, mas foi tomada pelo rei sueco Gustav Adolf II em 1621; Vidzeme – isto é, a maior parte da Livônia norte do Dvina ocidental – foi cedido para a Suécia por a Trégua de Altmark (1629), embora Latgale, a região sudeste, permaneceu sob o domínio lituano.

Os governantes da Moscóvia até agora não conseguiram chegar às margens do Báltico do país letão, embora Ivan III e Ivan IV tentou fazê-lo. O czar russo Alexis renovada a tentativa sem sucesso em suas guerras contra a Suécia e Polônia (1653-1667).

Finalmente, no entanto, Pedro I, o Grande, conseguiu “quebrar a janela” para o Mar Báltico: no curso da Grande Guerra do Norte tomou Riga dos suecos em 1710, e no final da guerra, ele garantiu Vidzeme da Suécia sob a Paz de Nystad (1721). Latgale foi anexada pelos russos na primeira partição da Polônia (1772), e Curlândia na terceira (1795). Até ao final do século 18, portanto, toda a nação letã foi sujeito a Rússia.

Dominação russa

No período imediatamente após as guerras napoleônicas, o imperador russo Alexandre I foi induzido a concessão de liberdade pessoal para os camponeses da Curlândia em 1817 e aos de Vidzeme em 1819.

Isso não implica em qualquer direito do camponês para comprar a terra que seus antepassados tiveram lavrados por séculos.

Consequentemente, houve tumultos nas terras da Letônia até a emancipação dos servos durante todo o Império Russo (1861) trouxe o direito de comprar terras de propriedade do Estado e dos latifundiários, que ainda estavam em sua maioria alemã.

Em sintonia com a crescente força econômica do campesinato local veio um revival do sentimento nacional. Educativas e outras instituições nacionais foram estabelecidas.

A idéia de um Estado independente da Letônia foi abertamente apresentadas durante a Revolução Russa de 1905.

Esta revolução, evocado como era simultaneamente social e por grupos nacionais, testemunhou mais a força da reação da Letônia de pressão econômica e política alemão e russo.

Independência. Após a Revolução Russa de Março de 1917 a Conferência Nacional da Letônia Político, convocada em Riga, pediu autonomia política completa em julho. Em 3 de setembro, no entanto, o exército alemão tomou Riga.

Após o golpe bolchevique de novembro de 1917 em Petrogrado, Conselho Popular da Letônia, representando camponês, burguês, e grupos socialistas, proclamou a independência em 18 de novembro de 1918.

Um governo foi formado pelo líder da União dos Agricultores, Karlis Ulmanis. O governo soviético estabeleceu um governo comunista para a Letônia em Valmiera, liderado por Peteris Stucka.

O Exército Vermelho, que incluiu unidades da Letônia, Riga levou em 3 de janeiro de 1919, eo governo Ulmanis mudou-se para Liepaja, onde foi protegido por um esquadrão naval britânico.

Mas Liepaja ainda estava ocupada pelas tropas alemãs, que os aliados queriam defender Prússia Oriental e Curlândia (Kurzeme) contra o Exército Vermelho avançar.

Seu comandante, o general Rüdiger von der Goltz, destinado a construir um Letônia alemã controlada e para torná-lo uma base alemã de operação na guerra contra os soviéticos.

Esta intenção causou um conflito com o governo da Letônia independente apoiado pelos Aliados.

Em 22 de maio de 1919, von der Goltz tomou Riga. Empurrando o norte, os alemães foram parados perto Cesis pelo exército da Estônia, que incluiu 2.000 letões.

Os britânicos obrigou os alemães a abandonar Riga, em que o governo Ulmanis retornou em julho. Enquanto isso, o Exército Vermelho, encontrando-se atacado a partir do norte pelos estonianos, tinha retirado Letônia.

Em julho, o britânico exigiu que as tropas alemãs recuar para a Prússia Oriental. Mas von der Goltz agora levantou uma “West russo” exército, sistematicamente reforçados por unidades de voluntários alemães.

Estas forças, liderados por um aventureiro, coronel Pavel Bermondt-Avalov, estavam a lutar contra o Exército Vermelho, cooperando com os outros “brancos russos” exércitos de Kolchak, Denikin, e Yudenich, apoiados pelos Aliados.

Mas em 8 de outubro Bermondt-Avalov atacaram os soldados letões e ocuparam os subúrbios de Riga sul do rio.

Até 10 de novembro, no entanto, os letões, auxiliados pela artilharia de um esquadrão naval anglo-francesa cooperando com as forças da Estônia, derrotou von der Goltz e tropas Bermondt-Avalov de, finalmente atacou também pelo lituanos.

Por dez 1919 todas as tropas alemãs haviam abandonado Letônia e Lituânia. Apenas Latgale permaneceu em mãos vermelhas, mas esta província foi logo apagada de tropas vermelhas.

A assembléia constituinte letão, eleito em abril de 1920, reuniu-se em Riga, em 01 de maio e em 11 de agosto um tratado de paz letão-soviético, assinado em Riga, o governo soviético renunciando todas as reivindicações para a Letônia.

A constituição letão de 15 de fevereiro de 1922, previa uma república com um presidente e um parlamento unicameral, a Saeima, de 100 membros, eleitos por três anos.

A multiplicidade de partidos na Saeima (22 em 1922 e 24 em 1931) tornou impossível a formação de um governo estável, e em 1934 Ulmanis, primeiro-ministro pela quarta vez desde 1918, propôs uma reforma constitucional.

Este foi com raiva oposição pelos social-democratas, os comunistas, e as minorias nacionais.

A minoria alemã tornou-se nazificado, e Ulmanis teve de reprimir o ramo da Letônia Bruderschaft Baltischer (“Baltic Brotherhood”), cujo programa foi a incorporação do país báltico no Terceiro Reich, mas uma organização fascista letã chamado Perkonkrust (“Thundercross” ) desenvolveu propaganda feroz.

Em 15 de maio de 1934, Ulmanis emitiu um decreto declarando estado de sítio. Saeima e todos os partidos políticos foram dissolvidos.

Em 11 de abril de 1936, no término do segundo mandato do presidente Kviesis Alberts, Ulmanis sucedeu. Situação econômica do país melhorou consideravelmente.

A ocupação soviética e incorporação

Quando a Segunda Guerra Mundial começou em setembro de 1939, o destino da Letônia já havia sido decidido no protocolo secreto do chamado Pacto Germano-Soviético de Não Agressão de 23 de Agosto.

Em outubro Letônia teve de assinar um tratado de assistência mútua ditada pelo qual a URSS obteve militares, bases navais e do ar em território letão. Em 17 de junho de 1940, a Letônia foi invadido pelo Exército Vermelho.

Em 20 de junho a formação de um novo governo foi anunciado; em 21 de julho Saeima novo votou a favor da incorporação da Letônia na URSS, e em 5 de agosto a URSS aceitou essa incorporação.

No primeiro ano da ocupação soviética cerca de 35.000 letões, especialmente os intelectuais, foram deportados para a Rússia.

Durante a invasão alemã da União Soviética, de julho de 1941 a outubro de 1944, a Letônia era uma província de um maior Ostland, que incluiu Estônia, Lituânia e Bielorússia.

Cerca de dois terços do país foi ocupado pelo Exército Vermelho em 1944. os alemães estendeu em Kurzeme até o final da guerra. Cerca de 100.000 fugiram para a Suécia e Alemanha, antes da chegada das forças soviéticas.

A primeira década do pós-guerra revelou-se particularmente difícil. O esforço intransigente do regime de transformar o país em uma típica Soviética bailiwick agravado a devastação da guerra.

Repressão política severa acompanhada mudança socioeconômica radical. Russificação extrema anestesiada vida cultural nacional. Várias ondas de deportação em massa para o norte da Rússia e na Sibéria – ao todo, envolvendo pelo menos 100 mil pessoas – ocorreu, principalmente, em 1949, em conexão com uma campanha para coletivizar a agricultura. Imigração em larga escala da Rússia e de outras partes da União Soviética começou e continuou durante todo o período do pós-guerra.

Em pouco mais de 40 anos, a proporção dos letões na população caiu de cerca de três quartos para pouco mais de metade.

O Partido Comunista foi desproporcionalmente composta por imigrantes. Um esforço feito para nativize o partido e, especialmente, a sua decisão quadros desencadeou uma purga no atacado em 1959 de indígenas funcionários de alto nível.

O elemento imigrante chefiada pelo primeiro secretário Arvids Pelse e dos seus sucessores Augusts Voss e Pugo Boriss permaneceu entrincheirado em posições de poder durante as três décadas seguintes.

Restauração da independência

Um renascimento nacional desenvolvida no final de 1980 em conexão com as campanhas soviéticas para glasnost (“abertura”) e perestroika (“reestruturação”).

Manifestações de massa sobre questões ecológicas, em 1987 foram o primeiro não-oficialmente encenado reuniões políticas no país em tempos de pós-guerra.

Em 1988 a Frente Popular da Letônia surgiu em oposição à criação dirigente. Ele triunfou nas eleições de 1990.

Em 04 de maio de 1990, o legislador letão aprovou uma declaração sobre a renovação da independência. Um período de transição foi fornecida.

Esforços soviéticos para restaurar a situação anterior culminou com incidentes violentos em Riga, em janeiro de 1991. No rescaldo do golpe fracassado em Moscou, em agosto do mesmo ano, o legislador letão declarou a independência plena.

Fonte: www.latvia-usa.org

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+