Breaking News
Home / Biologia / Filo Chordata

Filo Chordata

PUBLICIDADE

Definição

Um filo é uma classificação de taxonomia que vem em terceiro lugar depois de domínio e reino na hierarquia da classificação.

Os organismos pertencentes a um filo compartilham características comuns que os tornam distintos de outros organismos de outro filo.

Chordata refere-se a um grande filo de animais que inclui vertebrados, bem como lanceletas e ascídias. Vários vertebrados bem conhecidos, como répteis, peixes, mamíferos e anfíbios estão incluídos no filo Chordata.

Representantes desta classe apresenta os caracteres essenciais dos cordados apenas na fase larval. Nos adultos, a notocorda desaparece, enquanto o tubo nervoso dorsal se reduz a um gânglio.

Todos os seus representantes são marinhos, sendo que as larvas são de vida livre, semelhantes a um girino, enquanto que os adultos são encontrados fixos às rochas ou outros suportes submarinos.

Uma acídia adulta apresenta o corpo saculiforme coberto por uma substância muito resistente denominada tunicina, que é um isômero da celulose.

Qualquer um dos numerosos animais do filo Chordata, tendo em algum estágio de desenvolvimento um cordão nervoso dorsal, uma notocorda e fendas branquiais, incluindo todos os vertebrados, os peixes-bruxa e certos animais marinhos, como as lanceletas e os tunicados.

O que são cordados?

Os cordados incluem os vertebrados e alguns primos próximos, os tunicados (ascídias) e as lanceletas, animais aquáticos primitivos.

Na classificação científica, Chordata é um dos 38 filos de animais, um dos “nove grandes” junto com Mollusca, Porifera, Cnidaria, Platyhelminthes, Nematoda, Annelida, Arthropoda e Echinodermata.

A origem precisa dos cordados é desconhecida, mas fósseis semelhantes a peixes ou lancetas do Cambriano mostram que eles existiram pelo menos 530 milhões de anos atrás, durante a chamada explosão cambriana da biodiversidade.

As características definidoras dos cordados são um cordão nervoso dorsal oco, uma notocorda, fendas/bolsa faríngea, um endóstilo e uma cauda.

Os primeiros cordados são encontrados na fauna de leitos fósseis de Chengjiang na China, datada de 520 a 530 milhões de anos atrás. Oito cordados possíveis são encontrados nessas camadas de fósseis.

O mais famoso é Myllokunmingia, um peixe primitivo, provavelmente agnathan (sem mandíbula), o primeiro vertebrado a aparecer no registro fóssil. Ele possuía uma caveira e o que parecia ser um notocord primitivo.

Vagamente parecido com um peixe-bruxa moderno, Myllokunmingia tinha cerca de 2,8 cm (1,1 pol.) De comprimento e 6 mm de altura, bem pequeno. Um cordado relacionado é Haikouichthys ercaicunensis, outro animal primitivo semelhante a um peixe. Outro fóssil enigmático, Yunnanozoon lividum (“Animal Vivo de Yunnan”) é um cordado ou um hemicordado, um filo intimamente relacionado.

Os cordados passaram a se tornar um dos mais bem-sucedidos de todos os filos animais, colonizando a terra e o mar e se tornando o quarto filo mais diverso, depois dos artrópodes, nematóides e moluscos, com mais de 100.000 espécies. A inovação primária dos cordados foi um cordão nervoso central, que evoluiu para uma espinha dorsal. Isso forneceu uma estrada designada para os nervos, permitindo maior complexidade neurológica e controle motor. A espinha dorsal forneceu uma maneira de os animais se tornarem mais robustos sem usar um exoesqueleto.

Alguns cordados familiares incluem peixes e enguias, incluindo peixes sem mandíbula, como lampreias, tubarões, raias e patins, anfíbios, répteis, pássaros e mamíferos, incluindo humanos.

Existem vários grupos extintos no filo Chordata, incluindo tubarões espinhosos, peixes blindados chamados placodermos, os dinossauros e vários tetrápodes antigos, incluindo alguns dos primeiros animais a colonizar a terra, e então os primeiros animais a colonizar o interior do continente.

O que são Filo Chordata?

Filo Chordata inclui os vertebrados conhecidos (peixes, anfíbios, répteis, aves, mamíferos).

Os vertebrados e Mixinas juntos compõem o unidade taxonômica Craniata.

Os restantes dos cordados são os tunicados (Urochordata), lancelets (Cephalochordata), e, possivelmente, alguns grupos estranho extintos.

Com poucas exceções, os cordados são animais ativos com corpos bilateralmente simétricos que são longitudinalmente diferenciadas em cabeça, tronco e cauda.

As características morfológicas mais marcantes do cordados são a notocorda, cordão nervoso, e fendas viscerais e arcos.

1. Filo Chordata – Animais

Os cordados constituem um filo bastante heterogênio, abrangendo animais adaptados para a vidana água doca e salgada, na terra e no ar. São animais dotados de simetria bilateral, celomados, triblãsticos e segmentados.

Os cordados possuem características diferenciais e exclusivas que permitem o enquadramento de um animal neste grupo e que são encontradas pelo menos nos primeiros estágios de desenvolvimento as estruturas abaixo:

Notocorda ou córda dorsal: consiste em um bastão fibroso que confere sustentação ao corpo.

Fendas branquiais: São pequenos oríficios localizados na faringe e que se prestam à filtração de alimentos ou à respiração.
Tubo nervoso dorsal:
 O sistema nervoso ocupa posição dorsal e apresenta-se como um tubo nervoso longitudinal e único.

2. Origem

Um estudo comparativo entre invertebrados e protocordados mostrou que as formas larvais dos equinodermos (invertebrados) e dos hemicordados (protocordados) são, extremamente, parecidas, fato que serviu de argumento para se considerar os hemicordados aparentados com os equinodermos.

Portnato, os equinodermos devem ter dado origem aos hemicordados, e estes, por sua vez, podem ter originado os demais protocordados, que evoluíram até os vertebrados, segundo o esquema:

3. Divisão do Filo Chordata

O filo Chordata divide-se em quatro subfilos:

Hemichordata
Urochordata ou Tunicata
Cephalochordata
Euchordata ou Vertebrata

Os três primeiros subfilos( hemicodados, urocordados e cafacordados) correspondem aos cordados primitivos e, por isso, são considerados integrantes do grupo Protochordata( protocordados).

Os eucordados(vertebrados) dividem-se em dois grupos: Agnatha e Gnathostomata.

Os agnatos apresentam apenas uma classe: Cyclostomata;

Os gnatostomatos apresentam duas superclasses: Pisces (que compreende as classes Chondrichthyes ou peixes cartilaginosos e Osteichthyes ou peixes ósseos) e Tetrapoda (que compreende as classes Amphibia, Reptilia, Aves e Mammalia).

Protocordados

Os protocordados (cordados inferiores) constituem um grupo de pequenos animais exclusivamente marinhos, que são considerados um elo de ligação entre os invertebrados e os vertebrados.

Os protocordadados têm certas características que permitem estabelecer diferenças entre eles e os vertebrados:

Não apresentam crânio (Acraniata) nem encéfalo
Não possuem coluna vertebral

Considerando o desenvolvimento da notocorda, os protocordados são divididos em três subfilos:

Hemichordata
Urochordata
Cephalochordata

Eurocordados

Filo Chordata
Eurocordados

Os eurocordados ou vertebrados têm como principal característica distintiva a presença da espinha dorsal ou coluna vertebral, formada por diversos segmentos ósseos chamados vértebras. Além disso, os vertebrados possuem um esqueleto compreendendo uma caixa craniana que envolve e protege o encéfalo (massa nervosa situada na cabeça e integrante do sistema nervoso central); daí o nome Craniata (craniados) que é aplicado aos animais desse grupo.

Subfilo Agnatha

São os vertebrados sem mandíbula. Os únicos representantes vivos pertencentes à classe Cyclostomata, na qual estão incluídas as lampréias.

Os ciclostomados apresentam muitas características consideradas como primitivas, ou seja, as características que estavam presentes nos remotos ancestrais dos vertebrados.

Uma lampréia possui o corpo alongado e circular, comprido lateralmente na parte caudal. Lembra muito uma enguia, mas é necessário não confundir os dois tipos de animais.

As lampréias apresentam notocorda durante toda a vida.

Sua respiração é branquial.

Apresentam uma boca circular e carecem de mandíbula. Vivem tanto em água doce como salgada. São na maioria dos casos parasitas de peixes, nos quais aderem à pele através da boca e sugam sangue.

Reproduzem-se nos rios com forte correnteza e passam por um estágio larval denominado “Ammocoetes”.

Subfilo Gnathostomata

São vertebrados com mandíbula, mais evoluídos que os agnatas.

Este grupo compreende as mais importantes divisões dos vertebrados, que podem ser resumidas em:

Superclasse Pisces

Animais com nadadeiras pares, respiração branquial e pele com escamas.

São os peixes.

Divididos em duas classes mais importantes:

Classe Chondrichtyes

Peixes com esqueleto cartilaginoso, pele com escamas placódes e cinco a sete aberturas branquiais. Seus representantes são os tubarões, cações e raias.

Filo ChordataTubarão

Classe Osteichtyes

Peixes com esqueleto ósseo, pele com escamas ciclóides ou ctenóides e quatro pares de brânquias dentro de uma cavidade única, coberta pelo opérculo. Seus representantes são na maioria dos peixes viventes, por exemplo, sardinha, lambari, dourado, tainha, etc.

Tetrapoda

Vertebrados com quatro patas.

Apresentam pulmões, pele corneificada e esqueleto ósseo.

Divididos em quatro classe:

Classe Amphibia

Animais com pele úmida, fina e sem escamas. A maioria apresenta uma fase larval aquática e seus representantes são os sapos, rãs, salamandras, etc.

Filo ChordataSapo

Classe Reptilia

Animais com pele seca, escamosa ou com placas córneas.

Seus representantes são os répteis: lagartos, cobras, jacarés, taratarugas, etc.

Classe Aves

Animais cobertos por penas. Seus membros anteriores são transformados em asas. Animais de sangue quente. Seus representantes são as aves, pássaros e passarinhos.

Classe Mammalia

Animais cobertos por pêlos; os filhotes mamam logo que nascem. Animais de sangue quente.

Seus representantes são os mamíferos, por exemplo: gato, ursos, boi, baleia, etc.

Características dos Cordados

O filo Chordata é um filo grande e diversificado de animais marinhos, dulcícolas e terrestres, que inclui ascídias, peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Todos possuem um notocórdio dorsal, semelhante a uma haste, um cordão nervoso dorsal e fendas faríngeas.

Em muitos cordados, algumas destas características são encontradas apenas nos estágios de seu desenvolvimento. O filo Chordata contém uma diversidade de animais, unidos por possuírem. pelo menos em alguma fase de sua vida, fendas faríngeas, um notocórdio e um cordão nervoso dorsal. Embora a maioria dos cordados pertença ao subfilo Vertebrata, em que um esqueleto vertebral envolve ou substitui o notocórdio, existem dois subfilos de cordados invertebrados.

Aos cordados (gr. chorda = cordão) pertence uma enorme variedade de organismos, sendo este o terceiro filo animal em número de espécies, com cerca de 40000, embora tal apenas represente cerca de 5% do reino animal. Este é o maior e o ecologicamente diversificado filo da linha deuterostómica.

Não foram encontrados fósseis de cordados no Câmbrico, altura em que os restos animais se tornam comuns, pelo que se pensa que os primeiros animais deste grupo seriam de corpo mole, pouco adequados a uma boa preservação. Os primeiros vertebrados são peixes do Silúrico e Ordovicíco, após o que os vertebrados se tornaram comuns e frequentemente dominantes no registo fóssil.

Os anfíbios surgem no Devónico e florescem no Carbonífero, surgindo as salamandras no Jurássico. Répteis surgem no Pérmico e expandem-se grandemente na era Mesozóica, tendo-se extinguido na sua maioria no fim do Cretáceo. As aves e mamíferos surgiram no Jurássico e Triássico, respectivamente, a partir de répteis, tendo-se diferenciado no início do período Terciário.

Tal como outros filos bem sucedidos, como os moluscos ou os artrópodes, ocorre em todos os habitats, marinho, água doce e terrestre, e inclui todos os grandes animais actualmente presentes na Terra (talvez excluindo os cefalópodes), pelo que o homem está muito bem familiarizado com ele.

Devido ao tipo de animais que possui e pelo próprio Homem nele se incluir, foi alvo de um interesse desproporcionado dos zoólogos durante muito tempo, sendo provavelmente o filo mais conhecido deste reino.

No entanto, esta especulação não permitiu esclarecer rapidamente a origem dos cordados, devido á enorme diferença morfológica entre estes e os restantes filos de invertebrados, bem como a completa ausência de formas fósseis intermédias.

Das teorias propostas para a origem filogenética dos cordados, duas merecem destaque:

Teoria dos anelídeos

Esta teoria considera que os cordados e os anelídeos apresentam simetria bilateral e segmentação, órgãos excretores segmentados, cordão nervoso e vasos sanguíneos longitudinais. Invertendo o anelídeo, o seu cordão nervoso passaria a dorsal em relação ao tubo digestivo e a circulação do sangue seria semelhante à do cordado. Este facto provocaria, entre outros problemas, uma boca dorsal, facto que os cordados não apresentam. Além disso, os anelídeos não apresentam nada semelhante a uma notocorda ou a fendas branquiais, sendo protostómios e não deuterostómios.

Por este conjunto de argumentos esta teoria tem sido desacreditada;

Teoria dos equinodermes

Esta teoria baseia-se principalmente nos padrões de desenvolvimento embrionário semelhantes. As larvas de alguns cordados inferiores e dos equinodermes são extremamente semelhantes morfologicamente, a ponto de terem inicialmente sido confundidas. No entanto, devido á falta de fósseis, esta teoria não pode ser comprovada.

Dos cordados fazem parte, na realidade, dois grupos importantes de animais, os cordados inferiores, todos marinhos, pequenos e sem vértebras, e os vertebrados ? peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos -, o grupo maior e o verdadeiro responsável pelo sucesso evolutivo deste filo.

Origem filogenética dos cordados

Nos filos estudados, a uniformidade de padrão corporal permitia definir características gerais do filo. No caso dos cordados, no entanto, os principais aspectos que os definem são embrionários, pois o filo inclui seres muito diferentes uns dos outros na sua forma adulta.

Assim, as características que distinguem os cordados em geral de todos os outros filos animais são:

Filo Chordata
Características gerais de um cordado típico

Caracterização

Notocorda dorsal

Estrutura semelhante a um bastonete de células contendo uma matriz gelatinosa envolvida por tecido conjuntivo fibroso, presente pelo menos durante parte do ciclo de vida.

A notocorda é a primeira estrutura de sustentação do corpo de um cordado, formando-se no embrião acima do intestino primitivo. Esta estrutura é flexível mas rígida, sendo sobre ela que os músculos locomotores actuam.

Nos vertebrados acaba por ser substituída pela coluna vertebral;

Notocorda

Tubo nervoso dorsal

Tubo oco, ao contrário dos invertebrados onde o cordão nervoso era maciço, presente pelo menos durante parte do ciclo de vida.

Forma-se no embrião jovem na superfície dorsal através de uma invaginação da ectoderme localizada acima da notocorda. A sua extremidade anterior, principalmente nos vertebrados, diferencia-se em encéfalo, protegido pelos ossos do crânio;

Tubo nervoso dorsal

Fendas branquiais

Fendas localizadas na região faríngica, geralmente em número de sete, presentes pelo menos durante o desenvolvimento embrionário a partir de uma evaginação da endoderme da faringe e de uma invaginação correspondente da ectoderme da parede do corpo.

As fendas são suportadas e mantidas abertas por arcos esqueléticos entre elas ? arcos branquiais. Em vertebrados superiores, que respiram por pulmões, estas fendas apenas existem durante o desenvolvimento embrionário.

Nos peixes os arcos branquiais vão originar as brânquias funcionais do adulto, enquanto noutros vertebrados nunca são funcionais e acabam por fechar e originar estruturas completamente diferentes, como as da mandíbula, cartilagens da faringe ou ossículos do ouvido;

Fendas branquiais: Cauda

Todos os embriões cordados apresentam uma região do corpo posterior ao orifício retal, cujo desenvolvimento varia com os diferentes grupos. A cauda pode servir para a locomoção, apoio do corpo, defesa, para agarrar ou para espantar insectos.

Fonte: br.geocities.com/www.pucrs.br/curlygirl.no.sapo.pt/www.wisegeek.org/www.geocities.com/bio.libretexts.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Estrogênio

PUBLICIDADE Estrogênio – Definição O estrogênio é um dos dois principais hormônios sexuais das mulheres. O outro …

Axônio

PUBLICIDADE Definição de Axônio Um axônio é uma fibra longa de uma célula nervosa (um neurônio) que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.