Breaking News
Home / Biologia / Classe Echinoidea

Classe Echinoidea

PUBLICIDADE

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

A Classe Echinoidea abrange os ouriços-do-mar (chamados de equinóides regulares) e as bolachas-da-praia (chamadas de equinóides irregulares). É a última classe de equinodermos.

Estes animais são equinodermos, então eles estão relacionados com estrelas do mar (estrela do mar) e pepinos do mar.

Vivem sobre substratos duros ou na areia ou lodo, podendo até enterrar-se, cobrir-se com fragmentos de conchas e escavar rochas.

Vivem em profundidades variadas, mas são muito abundantes em águas rasas e até em poças de marés. O corpo geralmente é arredondado e não apresentam braços.

Seus espinhos são longos e móveis.

Ao redor da carapaça existem cinco regiões ambulacrárias (de onde partem os pés ambulacrários) que se alternam com cinco regiões interambulacrárias (de onde partem os espinhos), sendo que ambas estruturas são utilizadas para a locomoção.

Alimentam-se de algas e matéria orgânica morta. Suas ovas servem de alimento para o homem em várias partes do mundo.

Classificação:

Reino: Animalia
Filo: Echinodermata
Classe: Echinoidea

Os Equinóides

Os Equinóides, de que fazem parte os ouriços-do-mar, são equinodermes sem braços e que uma carapaça espinhosa (com espinhos móveis e pedicelários), formada por placas esqueléticas muito fundidas, em forma de globo, de disco ou vagamente cilíndricos.

Os ouriços-do-mar (equinóides regulares, ouriços regulares) têm uma forma hemisférica, arredondados no topo e planos na superfície inferior.

Possuem longos espinhos proeminentes e têm frequentemente colorações garridas.

O globo de um ouriço-do-mar é dividido em dez segmentos, de pólo a pólo, como se fossem os gomos de uma laranja; cinco destes “gomos” são chamados ambulacrais, com aberturas para os pés-tubo (como os das Asteroidea); estes ambulacrais são alternados com outros cinco “gomos” que não têm pés ambulacrários, chamados interambulacrais. No entanto, quer espinhos quer pedicelários estão presentes sobre toda a superfície da carapaça.

Os ouriços movem-se empurrando-se através do substrato com os espinhos e estendendo os pés ambulacrários na direção do movimento. Se forem virados ao contrário podem endireitar-se através da ação dos pés ambulacrários situados na superfície aboral. Dentro da boca encontra-se um elaborado conjunto de cinco dentes chamado “Lanterna de Aristóteles” (mais acerca deste termo num texto complementar mais abaixo), e esta está no centro da superfície inferior do animal, sendo circundada por uma zona espessada com cinco pares de pés ambulacrários curtos e fortes, e em alguns casos, por cinco pares de brânquias ramificadas.

A Lanterna de Aristóteles pode ser parcialmente extrusada da boca e é capaz de agarrar e quebrar as partes calcárias dos exoesqueletos de plantas de animais. O orifício retal está no centro da superfície aboral é rodeado por uma área com a parede muito mais fina, sem placas esqueléticas.

Os equinóides irregulares têm uma densa cobertura de espinhos curtos, e são os movimentos destes que atuam em exclusivo na locomoção do animal. Estes animais têm no entanto dois grupos de poros ambulacrários, um na superfície superior, em forma de pétala, em que os pés que deles saem atuam como órgãos respiratórios, e outro grupo na superfície inferior, dispostos num padrão semelhante, especializados na recolha de partículas de alimento, que dirigem à boca. Em algumas espécies, que são extremamente achatadas e de forma oval, o orifício retal fica na superfície oral, noutras que são menos achatadas e (vagamente) em forma de coração, fica na superfície aboral.

Classe Echinoidea – Bolacha da Praia

Reúne espécies apresentando forma hemisférica globosa, representado pelos ouriços-do-mar, e pelas formas discóides achatadas como a bolacha-do-mar.

Distribuem-se desde a região entremarés até cerca de 4.800 m de profundidade.

Os ouriços regulares vivem especialmente sobre fundos consolidados, mas ocorrem, também, em fundos não consolidados.

Já os irregulares são típicos de fundos não consolidados, existindo, inclusive, algumas espécies que vivem enterradas na areia.

Classe Echinoidea
Bolacha da Praia

Classe Echinoidea
Bolacha da Praia

Nos ouriços do mar, o corpo é formado externamente por uma grande carapaça dividida em uma parte central, denominada roseta apical, situada no dorso do animal, e a corona que compreende o resto da carapaça.

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

A roseta apical é formada por numerosas placas organizadas, distinguindo-se uma central onde se abre o orifício retal do animal, e cinco placas genitais onde se abre o orifício externo de cada gônada. Uma dessas placas é mais desenvolvida constituindo a placa madrepórica que corresponde à abertura externa do sistema ambulacrário.

Por entre as placas genitais, existem 5 pequenas placas intergenitais. De cada placa da roseta apical, parte perfeitamente delimitada que caminhando pela corona, vai terminar na face ventral, junto à boca.

Essas áreas são divididas em dois tipos de zonas: temos 5 zonas ambulacrais, cada partindo de uma placa intergenital; nessas zonas se localizam os chamados pés ambulacrários. De cada placa genital parte uma zona inter-ambulacraia, onde se acham localizados os espinhos do animal.

A boca dos equinóides está situada na superfície ventral e é circundada por dentes de vértices voltados para baixo. Estes dentes são suportados por uma estrutura muscular complexa de cinco lados dentro da carapaça, que é conhecida como “Lanterna de Aristóteles”.

Os ouriços vivem em rochas, cavando-as através de um desgaste provocado por um contínuo movimento rotatório dos espinhos.

Podem ainda ser encontrados no lado das praias e no fundo do mar, alimentando-se de plantas marinhas, matéria animal morta e matéria orgânica contida na areia.

Os ouriços fornecem o material preferido para experiências embriológicas, pois o desenvolvimento desses animais podem ser facilmente acompanhados desde a forma do ovo até a fase de larva.

Ouriços-do-mar e Bolachas-da-praia

Classe Echinoidea
Bolacha da praia

Os membros desta classe têm o corpo arredondado (forma: hemisférica ou ovóide, nos ouriços-do-mar; disciforme, nas bolachas-do-mar) sem braços ou raios livres, mas possuem espinhos delgados e móveis.

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

Em um ouriço-do-mar comum as vísceras estão encerradas em uma carapaça. Cinco áreas (ambulacros), correspondem aos braços da estrela-do-mar, são perfuradas para uma série dupla de pés ambulacrários.

Nas placas há tubérculos baixos, arredondados, nos quais os espinhos se articulam.

Entre os espinhos há pedicelárias, as quais mantêm o corpo limpo e capturam pequenas presas. Boca e orifício retal são centrais, mas em pólos opostos.

Ouriços alimentam-se de plantas marinhas, matéria animal morta e pequenos organismos.

Bolachas-da-praia alimentam-se de partículas orgânicas da areia ou do lodo através de ingestão direta ou por meio de rede de muco.

Fonte: www.ucmp.berkeley.edu/www.vivaterra.org.br/educar.sc.usp.br/dive.nautilusdive.com.br

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

A Classe Echinoidea abrange os ouriços-do-mar (chamados de equinóides regulares) e as bolachas-da-praia (chamadas de equinóides irregulares). É a última classe de equinodermos.

Estes animais são equinodermos, então eles estão relacionados com estrelas do mar (estrela do mar) e pepinos do mar.

Vivem sobre substratos duros ou na areia ou lodo, podendo até enterrar-se, cobrir-se com fragmentos de conchas e escavar rochas.

Vivem em profundidades variadas, mas são muito abundantes em águas rasas e até em poças de marés. O corpo geralmente é arredondado e não apresentam braços.

Seus espinhos são longos e móveis.

Ao redor da carapaça existem cinco regiões ambulacrárias (de onde partem os pés ambulacrários) que se alternam com cinco regiões interambulacrárias (de onde partem os espinhos), sendo que ambas estruturas são utilizadas para a locomoção.

Alimentam-se de algas e matéria orgânica morta. Suas ovas servem de alimento para o homem em várias partes do mundo.

Classificação:

Reino: Animalia
Filo: Echinodermata
Classe: Echinoidea

Os Equinóides

Os Equinóides, de que fazem parte os ouriços-do-mar, são equinodermes sem braços e que uma carapaça espinhosa (com espinhos móveis e pedicelários), formada por placas esqueléticas muito fundidas, em forma de globo, de disco ou vagamente cilíndricos.

Os ouriços-do-mar (equinóides regulares, ouriços regulares) têm uma forma hemisférica, arredondados no topo e planos na superfície inferior.

Possuem longos espinhos proeminentes e têm frequentemente colorações garridas.

O globo de um ouriço-do-mar é dividido em dez segmentos, de pólo a pólo, como se fossem os gomos de uma laranja; cinco destes “gomos” são chamados ambulacrais, com aberturas para os pés-tubo (como os das Asteroidea); estes ambulacrais são alternados com outros cinco “gomos” que não têm pés ambulacrários, chamados interambulacrais. No entanto, quer espinhos quer pedicelários estão presentes sobre toda a superfície da carapaça.

Os ouriços movem-se empurrando-se através do substrato com os espinhos e estendendo os pés ambulacrários na direção do movimento. Se forem virados ao contrário podem endireitar-se através da ação dos pés ambulacrários situados na superfície aboral. Dentro da boca encontra-se um elaborado conjunto de cinco dentes chamado “Lanterna de Aristóteles” (mais acerca deste termo num texto complementar mais abaixo), e esta está no centro da superfície inferior do animal, sendo circundada por uma zona espessada com cinco pares de pés ambulacrários curtos e fortes, e em alguns casos, por cinco pares de brânquias ramificadas.

A Lanterna de Aristóteles pode ser parcialmente extrusada da boca e é capaz de agarrar e quebrar as partes calcárias dos exoesqueletos de plantas de animais. O orifício retal está no centro da superfície aboral é rodeado por uma área com a parede muito mais fina, sem placas esqueléticas.

Os equinóides irregulares têm uma densa cobertura de espinhos curtos, e são os movimentos destes que atuam em exclusivo na locomoção do animal. Estes animais têm no entanto dois grupos de poros ambulacrários, um na superfície superior, em forma de pétala, em que os pés que deles saem atuam como órgãos respiratórios, e outro grupo na superfície inferior, dispostos num padrão semelhante, especializados na recolha de partículas de alimento, que dirigem à boca. Em algumas espécies, que são extremamente achatadas e de forma oval, o orifício retal fica na superfície oral, noutras que são menos achatadas e (vagamente) em forma de coração, fica na superfície aboral.

Classe Echinoidea – Bolacha da Praia

Reúne espécies apresentando forma hemisférica globosa, representado pelos ouriços-do-mar, e pelas formas discóides achatadas como a bolacha-do-mar.

Distribuem-se desde a região entremarés até cerca de 4.800 m de profundidade.

Os ouriços regulares vivem especialmente sobre fundos consolidados, mas ocorrem, também, em fundos não consolidados.

Já os irregulares são típicos de fundos não consolidados, existindo, inclusive, algumas espécies que vivem enterradas na areia.

Classe Echinoidea
Bolacha da Praia

Classe Echinoidea
Bolacha da Praia

Nos ouriços do mar, o corpo é formado externamente por uma grande carapaça dividida em uma parte central, denominada roseta apical, situada no dorso do animal, e a corona que compreende o resto da carapaça.

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

A roseta apical é formada por numerosas placas organizadas, distinguindo-se uma central onde se abre o orifício retal do animal, e cinco placas genitais onde se abre o orifício externo de cada gônada. Uma dessas placas é mais desenvolvida constituindo a placa madrepórica que corresponde à abertura externa do sistema ambulacrário.

Por entre as placas genitais, existem 5 pequenas placas intergenitais. De cada placa da roseta apical, parte perfeitamente delimitada que caminhando pela corona, vai terminar na face ventral, junto à boca.

Essas áreas são divididas em dois tipos de zonas: temos 5 zonas ambulacrais, cada partindo de uma placa intergenital; nessas zonas se localizam os chamados pés ambulacrários. De cada placa genital parte uma zona inter-ambulacraia, onde se acham localizados os espinhos do animal.

A boca dos equinóides está situada na superfície ventral e é circundada por dentes de vértices voltados para baixo. Estes dentes são suportados por uma estrutura muscular complexa de cinco lados dentro da carapaça, que é conhecida como “Lanterna de Aristóteles”.

Os ouriços vivem em rochas, cavando-as através de um desgaste provocado por um contínuo movimento rotatório dos espinhos.

Podem ainda ser encontrados no lado das praias e no fundo do mar, alimentando-se de plantas marinhas, matéria animal morta e matéria orgânica contida na areia.

Os ouriços fornecem o material preferido para experiências embriológicas, pois o desenvolvimento desses animais podem ser facilmente acompanhados desde a forma do ovo até a fase de larva.

Ouriços-do-mar e Bolachas-da-praia

Classe Echinoidea
Bolacha da praia

Os membros desta classe têm o corpo arredondado (forma: hemisférica ou ovóide, nos ouriços-do-mar; disciforme, nas bolachas-do-mar) sem braços ou raios livres, mas possuem espinhos delgados e móveis.

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

Classe Echinoidea
Ouriço do mar

Em um ouriço-do-mar comum as vísceras estão encerradas em uma carapaça. Cinco áreas (ambulacros), correspondem aos braços da estrela-do-mar, são perfuradas para uma série dupla de pés ambulacrários.

Nas placas há tubérculos baixos, arredondados, nos quais os espinhos se articulam.

Entre os espinhos há pedicelárias, as quais mantêm o corpo limpo e capturam pequenas presas. Boca e orifício retal são centrais, mas em pólos opostos.

Ouriços alimentam-se de plantas marinhas, matéria animal morta e pequenos organismos.

Bolachas-da-praia alimentam-se de partículas orgânicas da areia ou do lodo através de ingestão direta ou por meio de rede de muco.

Fonte: www.ucmp.berkeley.edu/www.vivaterra.org.br/educar.sc.usp.br/dive.nautilusdive.com.br

Veja também

Algas Dinophytas

Algas Dinophytas

PUBLICIDADE O que são algas dinophytas? As algas dinófitas, pertencem ao Filo Dinophyta e a …

Endoderma

PUBLICIDADE Definição de endoderma Endoderma ou Endoderme é a mais interna das três camadas germinativas, …

Alelos Múltiplos

PUBLICIDADE O que são alelos múltiplos? Os alelos múltiplos ou polialelia são casos em que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.