Breaking News
Home / Biologia / Classe Holothuroidea

Classe Holothuroidea

PUBLICIDADE

As Holotúrias (Pepino do Mar ) são equinodermes de corpo alongado, com a boca num extremo, ou perto dele, e o orifício retal noutro extremo, ou próximo dele.

Dado o alongamento do seu corpo segundo o eixo oral-aboral, elas assentam sobre um dos seus lados, em vez o fazerem sobre a sua face oral.

Em quase todas as Holotúrias o esqueleto encontra-se reduzido a ossículos microscópicos que estão embebidos na pele coriácea.

As holotúrias não têm braços, no entanto os pés ambulacrários em redor da boca modificaram-se para formar um círculo de 10 a 30 tentáculos de várias formas e dimensões que atuam na recolha de alimento a partir do fundo do oceano.

O estômago das holotúrias termina numa câmara chamada cloaca que se abre no orifício retal.

Duas estruturas únicas chamadas árvores respiratórias estão presentes na maioria das espécies, e também terminam na cloaca. Estas árvores respiratórias são sistemas de canais muito ramificados que se prolongam um de cada lado do corpo.

O animal bombeia água para a árvore respiratória através da contração da cloaca e o oxigênio difunde-se através das paredes dos tubos desta para o fluido presente na cavidade corporal. A madreporite da maioria das holotúrias abre-se para a cavidade corporal, em vez de se abrir para o exterior e recebe o fluido a partir da mesma cavidade.

Em algumas espécies de holotúrias existe uma massa de túbulos na base da árvore respiratória que podem ser disparados a partir do orifício retal do animal, se este for incomodado (tubos de Cuvier). Estes tubos, que podem englobar o atacante e incapacitá-lo, rasgam-se e são depois regenerados pela holotúria.

Noutras espécies as próprias árvores respiratórias, as gônadas e parte do aparelho digestivo são explusos através do orifício retal; esta evisceração voluntária é depois seguida por regeneração dos órgãos que foram perdidos.

Classe Holothuroidea – Corpo

Os membros da classe Holothuroidea distinguem-se pelo corpo cilíndrico no qual o eixo oral-aboral é grandemente alongado, pela redução do esqueleto a ossiculos microscópicos e pelos pés ambulacrários anais tentaculares.

Como conseqüência do alongamento do eixo oral-aboral, os holotúrias deitam-se de lado.

Como a maior parte das espécies deita-se sobre os mesmos três ambúlacros (sola), esta postura levou a alguma simetria bilateral. Os ambúlacros ventrais nas formas bilaterais têm pés ambulacrários bem desenvolvidos; os ambúlacros demais têm pés ambulacrários reduzidos.

Classe Holothuroidea
Pepino do Mar

Algumas holotúrias são habitantes da superfície, algumas vivem sob rochas ou alojam-se em fendas, algumas cavam e outras (principalmente as formas de águas profundas) são pelágicas. Os pés ambulacrários são usados para arrastar-se e agarrar a superfície. Um grupo de cavadores vermiformes perdeu seus pés ambulacrários locomotores e se move por contrações peristálticas.

As holotúrias são comedoras de suspensões e de depósitos. A superfície tentacular coberta de muco capta partículas quando varre o fundo ou quando se estende n’água. O material celerado é removido pela ação sugadora da faringe quando os tentáculos são colocados na boca.

O sistema hidrovascular é peculiar por possuir um madreporito no celoma. Evaginações internas ramificadas da parede posterior do intestino (árvores respiratórias) são órgãos para as trocas gasosas. O fluido celomático contribuiu para o transporte interno mas muitas holotúrias possuem também um bem desenvolvido sistema hemal.

Os gametas provenientes da gônada única saem através de um gonóporo intertentacular. O desenvolvimento leva a uma larva doliolária em forma de barril. A metamorfose ocorre antes da instalação.

Classe Holothuroidea – Equinodermos

O Holothuroidea, comumente chamado de pepinos do mar, são um grupo muito original de equinodermos.

Os Holothuroidea são encontrados tanto em praias rasas como em profundidades de até 10.200 m. Apenas algumas espécies da ordem Apodida são habitantes permanentes da meiofauna. A maioria é bentônica, encontrada em fundos não consolidados de areia e argila, mas algumas espécies vivem em substratos constituídos por rochas, seixos, cascalho, ou sobre animais ou vegetais. Algumas espécies de Aspidochirotida são pelágicas.

São conhecidos popularmente como “pepinos-do-mar“.

Ao contrário dos outros equinodermatas, eles apresentam o corpo cilíndrico e alongado, com tegumento mole abaixo do qual se acham espalhadas placas calcárias microscópicas que funcionam como endoesqueleto.

A boca é situada numa das extremidades do corpo e é rodeada por tentáculos ramificados que são modificações dos pés ambulacrários.

O orifício retal situa-se na extremidade oposta.

Na parte posterior do intestino encontramos formações características que são os hidropulmões ou árvore respiratória que se estende para frente da cloaca.

Admite-se que exerçam funções respiratórias e excretoras.

Certas espécies de holotúrias, algumas das quais existem no Brasil, quando molestadas, eliminam pela cloaca uma porção de filamentos brancos e viscosos (órgão de Cuvirer) que são segregados por glândulas próximas ao orifício retal.

Esse comportamento representa um meio de defesa.

Nos “pepinos-do-mar” o lado dorsal é representado por duas zonas longitudinais, enquanto que o lado ventral apresenta três zonas longitudinais(pés ambulacrários).

Os adultos alimentam-se de detritos orgânicos ou plâncton que o animal captura em mucos existentes nos tentáculos.

Classe Holothuroidea
Pepino do Mar

Classe Holothuroidea
Pepino do Mar

Classe Holothuroidea
Pepino do Mar

Classe Holothuroidea
Pepino do Mar

Holotúrias

Em oposição aos outros equinodermos, as holotúrias têm o corpo delgado, alongado em um eixo oral-aboral. A boca é circundada por 10 a 30 tentáculos que são modificações de pés ambulacrários bucais encontrados em outros equinodermos.

Algumas holotúrias apresentam 2 zonas longitudinais de pés ambulacrários na região dorsal, de função táctil e respiratória. O lado ventral tem tipicamente três zonas de pés ambulacrários, com ventosas, que servem para a locomoção.

As holotúrias movem-se como lesmas no fundo do mar ou cavam no lodo ou areia da superfície deixando somente as extremidades do corpo expostas, quando perturbadas, contraem-se lentamente.

O alimento é de material orgânico dos detritos do fundo, que é empurrado para a boca ou de plâncton aprisionado em muco nos tentáculos.

As holotúrias frequentemente são os invertebrados dominantes nas partes mais profundas dos oceanos e muitos taxa são restritos a águas profundas.

Exemplo

Classe Holothuroidea
Pepino do Mar

Classe Holothuroidea
Pepino do Mar

Classe Holothuroidea
Órgão Cuvier (Sistema de Defesa do Pepino do Mar)

Fonte: www.geocities.com/www.vivaterra.org.br/educar.sc.usp.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Terra Primitiva

Terra Primitiva

PUBLICIDADE O que é terra primitiva? A história da Terra diz respeito ao desenvolvimento do …

Respiração Branquial

Respiração Branquial

PUBLICIDADE O que é respiração branquial? As brânquias ou guelras são órgãos da respiração, são …

Mecanismos de Feedback

Mecanismos de Feedback

PUBLICIDADE O que são mecanismos de feedback? Um mecanismo de feedback é um processo que usa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.