Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Quadro  Voltar

Quadro

1. O desenho de uma moldura deve ter relação com o tema e o “peso” da obra.

Exemplo

Um quadro simples e “leve” combina com uma moldura reta e pequena.

2. Uma moldura côncava aumenta a impressão de perspectiva sugerida em uma obra.

3. Uma pintura sem perspectiva pede uma moldura convexa que a solte da parede.

4. Trabalhos densos pedem molduras de linhas fortes para conter a imagem.

5. Trabalhos delicados pede molduras simples e leves.

6. Deve-se sugerir molduras com linhas para telas lineares.

7. Cores marcantes no passe-partout ajudam a separar a imagem da moldura, criando uma sensação de perspectiva.

8. Tonalidades claras – como o bege – devem ser usados para acentuar as cores.

9. Quando for necessário o uso do vidro – caso dos trabalhos em papel -, deve-se pensar na utilização de vidros anti-reflexo.

10. Para pintura com cores quentes – vermelho, marrom e amarelo – predominantes, o apropriado é usar molduras de cores igualmente quentes; quando elas forem de cores frias - azul, verde e branco -, o correto é a utilização de molduras prateadas ou de cores similares.

CUIDADO COM TELAS E MOLDURAS

1. Para limpar molduras, comece tirando o pó com um pano ou pincel – se ela for trabalhada. Na parte de trás da moldura, faça uma revisão mais detalhada e periódica para preserva-la de traças e insetos.

2. Para evitar que os quadros marquem a parede, cole em cada canto interno da moldura uma rodelinha de cortiça.

3. Os quadros à óleo pedem limpeza cuidadosa, duas vezes ou mais ao ano, caso fiquem expostos à poeira.

4. Nunca use aspirador de pó em nenhum dos lados do quadro. A sucção pode estalar a pintura.

5. Da mesma forma, diga não ao espanador, que também pode danificar a tela.

6. Evite que o sol bata diretamente sobre as telas.

7. Leve os quadros ao moldureiro pelo menos uma vez por ano. Assim, ele poderá fazer uma limpeza completa e cuidadosa no objeto e aplicar um remédio para que ele fique livre dos cupins.

8. Observe periodicamente se existe mofo ou algum tipo de infiltração na parede. Qualquer descuido neste sentido pode danificar o quadro.

9. Não passe cera na moldura. Normalmente ela já é colocada na tela quando já está encerada.

10. Se tomar muito sol o quadro pode até empenar. Por isso, o controle da quantidade de luz é fundamental.

O QUADRO NA DECORAÇÃO

1. As cores do quadro devem estar presentes em algum móvel ou objeto de decoração, como tapetes e almofadas.

2. O tom da moldura também deve acompanhar alguma das cores existentes na tela.

3. Quem gosta de uma decoração moderna deve optar por quadros “clean”.

4. Não se deve exagerar na quantidade e no tamanho dos quadros em cômodos pequenos, principalmente se eles já têm muitos móveis.

5. Não existe quadro indicado para este ou aquele ambiente. Entretanto, o estilo do quadro pode acompanhar o estilo da decoração. Por exemplo, se a sua sala de jantar é clássica, uma boa pedida é um quadro de natureza morta. Na sala de estar do mesmo estilo, telas de paisagem caem bem.

6. Ambientes modernos pedem quadros com texturas ou gravuras. Existem reproduções de bom preço no mercado.

7. As molduras são dispensáveis em muitos quadros. Entretanto, se a tela for a óleo é indicado o uso da moldura.

8. Para realçar a beleza dos quadros, pode-se optar por luzes direcionadas embutidas em gesso.

9. Se for uma gravura protegida por vidro, tenha cuidado para que o vidro seja anti-reflexo. Caso contrário, o quadro vira um espelho.

10. Antes de pendurar os quadros na parede, faça a composição que você imaginou no chão. Assim você terá uma idéia de como vai ficar, sem correr o risco de furar a parede desnecessariamente.

DICAS ÚTEIS

1. O quadro é considerado elemento da decoração. Assim, o bom senso é o melhor aliado do gosto pessoal. Além de combinar cor e estilo, os quadros devem ser bem posicionados. O melhor é coloca-los sempre no nível da linha do olhar. Assim, se ele estiver acima de um móvel, a distância do quadro para o móvel é de 30 centímetros. Se a distância for contada do chão, a altura ideal é de 1,50 metro.

2. Para não errar recomenda-se não misturar os estilos. Tapeçaria combinada com quadros, por exemplo, não é uma opção feliz.

Fonte: www.moldunet.com.br

Quadro

A colocação de quadros na parede pode valorizar a decoração da casa ou acarretar um desastre visual. “Telas mal fixadas ou em excesso acabam com o equilíbrio de qualquer ambiente”, é o que nos ensina o decorador Paulo Galvão.

As principais dicas a serem seguidas para evitar erros e garantir o sucesso da sua decoração são as seguintes:

Observe a altura do teto e dos móveis antes de escolher o local para colocar os quadros. Não precisa centralizá-los. O importante é observar o equilíbrio da composição.

Antes de furar a parede, teste a posição dos quadros no chão. Meça a distância entre eles e só depois dê continuidade ao serviço.

Use pregos de aço ou parafusos número 6. Outros materiais podem estragar a parede, além de fazer um furo muito grande, que impede que a tela fique firme na parede.

Fonte: www.prevcon.com.br

Quadro
 

Luminária na sala de jantar

Se, numa sala de jantar, não há como o lustre ficar centralizado com a mesa, o que fazer?

'Uma luminária articulada, como a Tolomeu Decentrato, é uma ótima escolha', diz Diego Revollo. A peça possui braço articulado para poder ajustar a posição do ponto de luz em relação ao centro da mesa. Há outros modelos no mercado que oferecem o mesmo recurso. 'Se a proposta for mais moderna, não vejo problema em ter um lustre totalmente assimétrico em relação à mesa. Ele pode estar exageradamente deslocado para um dos extremos, caso a mesa seja retangular, por exemplo', diz o arquiteto. E alerta: 'Seja cuidadoso na escolha do lustre e da mesa para que a solução reforce o caráter intencional da proposta'.


O arquiteto Marcelo Rosset, responsável pelo projeto de iluminação desta cozinha, optou por colocar dois pendentes articuláveis de teto Tolomeu, da La Lampe, sobre a mesa

Quadros famosos recriados com Lego

Quadro em Lego

Quadro em Lego

Quadro em Lego

Quadro em Lego

Quadro em Lego

Quadro em Lego

Quadro diferente na parede

Quer saber mais uma maneira de inovar na hora de compor uma parede com quadros? Você pode emoldurar imagens de reprodução de livros, o desenho que o seu filho te deu e até alguns rabiscos feitos por você. Fica um charme!

Quadro

Quadros de pratos na parede

Prato na parede não é mais sinônimo de decoração da casa da vovó. Prova disso é a decoração da cozinha deste apartamento. Além de ser supercolorida e moderna, tem pratos de todos os tipos e formatos expostos no pilar central. Projeto da arquiteta Tieko Matsuda e equipe.

Quadro

Mãos de tesoura

O administrador de empresas baiano Nivaldo Salles gasta perto de 20 horas para cortar artesanalmente, com uma tesourinha, os pequenos pedacinhos de papel recortados de revistas que usa em suas telas. E não é só isso: depois cola um a um para montar o seu mosaico com paisagens brasileiras incríveis. O hobby foi aprendido com o pai, seu Nivaldo, já falecido, que realizava a mesma técnica com selos brasileiros.

Quadro

Talheres emoldurados decoram a parede

Sabe aquele faqueiro querido (ou nem tanto), que está desemparelhado? Para não deixá-lo guardado, a dica é montar um quadro com as peças. Fica criativo e decora a parede com originalidade.

Quadro

Madeira de demolição e rolhas usadas viram quadro de avisos

Quadro

Além de funcionar como peça decorativa, um quadro de avisos é útil porque ajuda a lembrar tarefas e facilita a comunicação entre os moradores da casa. Dá para ter um desse na parede sem gastar muito dinheiro e, ainda, colaborando para a conservação do meio ambiente.

O Wine Corkboard, da marca americana TerraCycle, é feito com rolhas de garrafas de vinho usadas fixadas sobre um quadro de madeira de demolição. Objetos que teriam como destino certo a lata do lixo acabam sendo reutilizados, de uma maneira criativa.

Nem só de quadros se faz uma parede

Quem disse que na parede só podem ser pregados quadros, fotografias, gravuras? Os noivinhos de tecido ficaram o máximo em meio às obras. Abaixo, a moradora decorou o quarto da filha com postais das bonecas Blythe, comprados em viagens.

Quadro

Quadro
Ao lado do gancho, os quadrinhos sao postais de bonecas Blythe, trazidos de viagens pela moradora

Quadro
A moldura na parede colorida destaca as formas de sapatinhos e os cordões com fotos

Parede como um quadro

A parede descascada serviu de moldura para a porção central, pintada de verde. Parece um quadro, no qual a pintura retrata a TV e o rack.

Quadro

O que você precisa saber antes de furar a parede

Existe alguma outra forma de decorar a casa com quadros sem que eles sejam pendurados na parede?

Laura Villas Boas

Os quadros podem ser apoiados em uma estante, em um móvel ou em uma prateleira. Já fiz alguns projetos colocando quadros em prateleiras, sobre bancadas de home theaters, por exemplo. Você também pode fazer uma brincadeira e deixar alguns pendurados e outros apoiados. O importante é fazer uma composição que dialogue com a decoração da casa e que tenha um movimento legal.

Só pinturas e móveis podem ser emoldurados ou outros objetos também podem ser utilizados como quadros?

Edu Castello

Todos os objetos que você quiser pendurar podem ser emoldurados. Relíquias, pequenos objetos que sejam importantes que tenham algum valor afetivo para os moradores da casa. É só você pensar na forma como vai pendurar essa peça, para não ficar uma coisa jogada.

A partir de que altura os quadros devem ser dispostos na parede? Existe alguma regra?

Fabiana Tovani

Na verdade, sou honestamente contrário a regras. O que precisa existir é uma relação entre o que existe no ambiente e o que você vai colocar ali. Então, por exemplo, se você tem um sofá mais baixo, o quadro tem que vir um pouco para baixo também. O quadro deve ficar a uma distancia não muito grande da peça já existente da decoração, porque senão dá a impressão de que ele está solto, voando.

O mesmo vale para quem tem pé-direito alto?

Andréa Leandro

Vale a mesma dica. Por mais alto que seja o pé-direito, tem um sofá ou outro móvel embaixo. Os quadros devem começar a ser colocados a partir da peça já existente. Eles podem ocupar a parede inteira ou podem ficar só na parte de baixo. Não necessariamente a pessoa vai ocupar toda a altura da parede com quadros. Então, isso não faz diferença, a não ser que você tenha a intenção de colocar um quadro maior, que ocupe mais espaço nessa parede, ou de colocar vários quadros e fazer como se fosse uma parede toda recoberta de quadros e, aí sim, atingir pontos mais altos do pé-direito. A relação não muda porque ela começa de baixo e não de cima. O quadro não precisa ter uma distância certa do forro e do teto.

Existe alguma parede mais indicada da casa para colocar quadros? De frente para a porta de entrada? Na escada? No corredor?

Marta Gonçalves

Acho difícil regrar sobre isso. Em algumas casas, é legal abrir a porta e dar de cara com um quadro, mas, eventualmente, pode não fazer sentido, dependendo do restante da decoração. Vale colocar quadros – ou fotos, gravuras, posteres, objetos... – onde você sente falta de alguma coisa bacana ocupando espaço na parede. Fotos, por exemplo, são mais indicadas para corredores e escadas, pois esses ambientes são um pouco mais íntimos. Ainda assim, acho que é uma decisão pessoal. Não existe uma regra. Eu, particularmente, não gosto de fotos na minha sala, mas conheço quem gosta. Eu também acho mais legal, em vez de colocar porta-retratos sobre os móveis, pendurá-los na parede.

Qual tipo de moldura é mais indicado? As molduras podem ser diferentes entre si, em cores, formatos, tamanhos?

Fátima Amorim

É mais interessante quando há uma riqueza de materiais, formatos e informações nas molduras. Gosto da mistura de trabalhos. Você pode ter uma foto, ao lado de uma tela e de objetos. Aí, dá para usar molduras diferentes para cada tipo de trabalho. Acho legal, por exemplo, ter um trabalho mais rebuscado com uma moldura mais simples, como uma caixa de acrílico, e um trabalho mais simples com uma moldura mais rebuscada. Isso dá uma riqueza ao ambiente, a composição fica com uma cara mais complexa.

Com o que os quadros devem combinar? Com as paredes, com os móveis da sala?

Beate Rosecker

Essa é uma pergunta meio clássica. A minha resposta sempre é a seguinte: quadro não combina. Por mais que a gente fale sobre as peças com função decorativa, os quadros não são, originalmente, uma decoração. Eles são expressões artísticas. Então, você não precisa combinar um quadro com objetos da sala, assim como você não precisa mudar alguma coisa na sua sala para que o quadro fique bem. Mas é há uma relação. Se você tem tons mais escuros, tente fazer alguma relação disso com os quadros. É questão de sensibilidade: você olha e vê se aquilo dialoga com o ambiente. Se para você aquilo faz sentido, acho que para os outros vai fazer sentido também porque aquilo vai ter a tua cara.

Quadro
A mistura de molduras deixa a composição mais rica

O mesmo vale para quem tem pé-direito alto?

Vale a mesma dica. Por mais alto que seja o pé-direito, tem um sofá ou outro móvel embaixo. Os quadros devem começar a ser colocados a partir da peça já existente. Eles podem ocupar a parede inteira ou podem ficar só na parte de baixo. Não necessariamente a pessoa vai ocupar toda a altura da parede com quadros. Então, isso não faz diferença, a não ser que você tenha a intenção de colocar um quadro maior, que ocupe mais espaço nessa parede, ou de colocar vários quadros e fazer como se fosse uma parede toda recoberta de quadros e, aí sim, atingir pontos mais altos do pé-direito. A relação não muda porque ela começa de baixo e não de cima. O quadro não precisa ter uma distância certa do forro e do teto.

Existe alguma parede mais indicada da casa para colocar quadros? De frente para a porta de entrada? Na escada? No corredor?

Acho difícil regrar sobre isso. Em algumas casas, é legal abrir a porta e dar de cara com um quadro, mas, eventualmente, pode não fazer sentido, dependendo do restante da decoração. Vale colocar quadros – ou fotos, gravuras, posteres, objetos... – onde você sente falta de alguma coisa bacana ocupando espaço na parede. Fotos, por exemplo, são mais indicadas para corredores e escadas, pois esses ambientes são um pouco mais íntimos. Ainda assim, acho que é uma decisão pessoal. Não existe uma regra. Eu, particularmente, não gosto de fotos na minha sala, mas conheço quem gosta. Eu também acho mais legal, em vez de colocar porta-retratos sobre os móveis, pendurá-los na parede.

Qual tipo de moldura é mais indicado? As molduras podem ser diferentes entre si, em cores, formatos, tamanhos?

É mais interessante quando há uma riqueza de materiais, formatos e informações nas molduras. Gosto da mistura de trabalhos. Você pode ter uma foto, ao lado de uma tela e de objetos. Aí, dá para usar molduras diferentes para cada tipo de trabalho. Acho legal, por exemplo, ter um trabalho mais rebuscado com uma moldura mais simples, como uma caixa de acrílico, e um trabalho mais simples com uma moldura mais rebuscada. Isso dá uma riqueza ao ambiente, a composição fica com uma cara mais complexa.

Com o que os quadros devem combinar? Com as paredes, com os móveis da sala?

Essa é uma pergunta meio clássica. A minha resposta sempre é a seguinte: quadro não combina. Por mais que a gente fale sobre as peças com função decorativa, os quadros não são, originalmente, uma decoração. Eles são expressões artísticas. Então, você não precisa combinar um quadro com objetos da sala, assim como você não precisa mudar alguma coisa na sua sala para que o quadro fique bem. Mas é há uma relação. Se você tem tons mais escuros, tente fazer alguma relação disso com os quadros. É questão de sensibilidade: você olha e vê se aquilo dialoga com o ambiente. Se para você aquilo faz sentido, acho que para os outros vai fazer sentido também porque aquilo vai ter a tua cara.

Tenho um sofá de dois lugares na sala e quero dispor um quadro grande atrás dele, com outros, menores, em volta dele. Isso é permitido?

Milene Peixoto

Claro. Fica muito bacana. A pessoa pode fazer uma parede cheia de quadros, onde há um quadro principal, que é o eixo. Esse quadro provavelmente vai ficar centralizado sobre o sofá e ela pode colocar uma série de quadros periféricos ao redor dele. Apenas preste atenção, porque se você fizer um quadro muito grande, com outros quadros muito pequenininhos, pode ficar um contraste esquisito. É legal ter um quadro grande, com alguns médios e outros pequenos, para fazer uma composição rica em dimensões.

A imagem retratada no quadro deve se relacionar com um ambiente? Existem quadros que ficariam bons em um quarto, mas horríveis na sala?

Geovana Costa

Antigamente, existiam algumas regras: quadro de natureza morta tinha que ficar na sala de jantar, os de paisagens iam para os quartos e assim por diante. Hoje, isso caiu um pouco em desuso. Temos uma grande mistura de temas e formas de arte, como a fotografia, a gravura, a tela... De novo, vale o bom-senso de cada um.

Todas as paredes da casa devem ter quadros? Existe algum limite de peças para uma mesma parede?

Marcelo Souza

Se você tem paredes muito brancas, é possível ter quadros em todas as paredes, mas é preciso evitar o excesso. Não é legal ter composições muito pesadas ou quadros requintados em todas as paredes, mas não há um limite. Tudo depende da dimensão dos quadros. Já visitei casas onde todas as paredes tinham quadros e os ambientes eram bacanas e também vi outras onde tudo era mais minimalista, com menos quadros, e o resultado também era legal. Tudo tem a ver com a pessoa que vive naquele lugar. Se o morador coleciona quadros ou gosta de muitas referências visuais, há uma tendência a ter mais peças nas paredes, mas não há regras.

Ao mudar a disposição dos quadros na parede, existe algum truque para disfarçar os buracos feitos anteriormente?

Vania Porto

O truque mais clássico é colocar um quadro em cima do furo. É preciso refazer a composição de modo que todos os furos sejam cobertos por quadros novamente. Quando você tem muitos quadros, com tamanhos muito diversos, isso fica mais difícil, mas é um como um quebra-cabeças. Você consegue fazer. Se a parede for branca, dá para disfarçar com uma massa cobrindo os furos. Agora, se a parede for colorida, não tem jeito: ou você chama um pintor ou distribui os quadros de forma que os furos sejam todos recobertos.

É possível ter vários estilos de quadros numa mesma parede?

Ivete Souza

Totalmente. Tanto você pode ter diferentes meios de arte, como gravuras, fotografias e objetos, como pode ter quadros de estilos diferentes: um figurativo, com outro abstrato, um mais construtivista... Tudo funciona. O importante é que a pessoa se sinta à vontade com aquilo que está colocando na parede.

Quadro
Aqui, retalhos de tecidos foram emoldurados e pendurados na parede,
acima do sofá

Dicas para pendurar quadros

Qual é a altura ideal para se pendurar quadros?

Quadro

"Não acredito em regras para quadros e, sim, no equilíbrio do conjunto", comenta Diego Revollo. Para ele, o quadro deve complementar o ambiente, levando em conta todas as interferências que já existem no local. Além disso, deve-se ter em mente qual a intenção e qual o resultado que se pretende. Ele pode ser a principal estrela e ponto focal de uma parede ou simplesmente contracenar com outras peças do mobiliário: pendurado próximo a outros elementos, apoiado no chão ou em aparadores. Mas Diego dá uma colher de chá: "De maneira geral, os quadros ficam mais elegantes quando estão da linha dos olhos para baixo, mas, novamente, deve-se estar atento ao conjunto e aos elementos ao redor."

Organize os quadros na parede

Como organizar quadros na parede?

Quadro

A dica é da designer de interiores Naomi Abe. "Para quem possui vários quadros, de diversos tamanhos e linguagens diferentes, o ideal é colocá-los no chão, à frente do espaço onde você gostaria de pendurá-los. Lá mesmo, no piso, faça a composição e os alinhamentos, criando assim uma harmonia entre eles." Lembrando que não precisam ter molduras iguais. A graça, o dinamismo, estão em usar modelos de diferentes texturas em harmonia.

Dicas para decorar a parede

Quadro

O que pode ser colocado na parede quando não se tem dinheiro para investir em obras de arte?

Prefira boas fotos ou gravuras. Os mais moderninhos podem apostar nos adesivos ou até numa composição formada por molduras trabalhadas vazias. Se preferir, tente emoldurar um tecido de estampa bonita. Outra possibilidade são os papéis de parede, mas, como a maioria é importada, pode sair caro. Apesar de todas essas sugestões, a arquiteta Consuelo Jorge ainda prefere as obras de arte e dá a dica: 'Procure artistas que estão começando ou os que imprimem seus desenhos originais'. Ela também indica o uso de espelhos, de cima a baixo numa parede, que ainda têm a vantagem de 'ampliar' o ambiente.

uadro

Fonte: revistacasaejardim.globo.com

Quadro

Como pendurar quadros na parede: dicas de quem entende

O arquiteto Gustavo Calazans respondeu dúvidas de leitores da revista Casa e Jardim sobre como pendurar quadros em paredes, e deu algumas dicas valiosas que conto pra vocês aqui.

Existe alguma outra forma de decorar a casa com quadros sem que eles sejam pendurados na parede?

Os quadros podem ser apoiados em uma estante, em um móvel ou em uma prateleira. Já fiz alguns projetos colocando quadros em prateleiras, sobre bancadas de home theaters, por exemplo. Você também pode fazer uma brincadeira e deixar alguns pendurados e outros apoiados. O importante é fazer uma composição que dialogue com a decoração da casa e que tenha um movimento legal.

A partir de que altura os quadros devem ser dispostos na parede? Existe alguma regra?

Na verdade, sou honestamente contrário a regras. O que precisa existir é uma relação entre o que existe no ambiente e o que você vai colocar ali. Então, por exemplo, se você tem um sofá mais baixo, o quadro tem que vir um pouco para baixo também. O quadro deve ficar a uma distancia não muito grande da peça já existente da decoração, porque senão dá a impressão de que ele está solto, voando.

Quadro
A diversidade de molduras enriquece a composição

Qual tipo de moldura é mais indicado? As molduras podem ser diferentes entre si, em cores, formatos, tamanhos?

É mais interessante quando há uma riqueza de materiais, formatos e informações nas molduras. Gosto da mistura de trabalhos. Você pode ter uma foto, ao lado de uma tela e de objetos. Aí, dá para usar molduras diferentes para cada tipo de trabalho. Acho legal, por exemplo, ter um trabalho mais rebuscado com uma moldura mais simples, como uma caixa de acrílico, e um trabalho mais simples com uma moldura mais rebuscada. Isso dá uma riqueza ao ambiente, a composição fica com uma cara mais complexa.

Com o que os quadros devem combinar? Com as paredes, com os móveis da sala?

Essa é uma pergunta meio clássica. A minha resposta sempre é a seguinte: quadro não combina. Por mais que a gente fale sobre as peças com função decorativa, os quadros não são, originalmente, uma decoração. Eles são expressões artísticas. Então, você não precisa combinar um quadro com objetos da sala, assim como você não precisa mudar alguma coisa na sua sala para que o quadro fique bem. Mas é há uma relação. Se você tem tons mais escuros, tente fazer alguma relação disso com os quadros. É questão de sensibilidade: você olha e vê se aquilo dialoga com o ambiente. Se para você aquilo faz sentido, acho que para os outros vai fazer sentido também porque aquilo vai ter a tua cara.

Tenho um sofá de dois lugares na sala e quero dispor um quadro grande atrás dele, com outros, menores, em volta dele. Isso é permitido?

Claro. Fica muito bacana. A pessoa pode fazer uma parede cheia de quadros, onde há um quadro principal, que é o eixo. Esse quadro provavelmente vai ficar centralizado sobre o sofá e ela pode colocar uma série de quadros periféricos ao redor dele. Apenas preste atenção, porque se você fizer um quadro muito grande, com outros quadros muito pequenininhos, pode ficar um contraste esquisito. É legal ter um quadro grande, com alguns médios e outros pequenos, para fazer uma composição rica em dimensões.

Quadro
O quadro principal como ponto de partida para os outros

É possível ter vários estilos de quadros numa mesma parede?

Totalmente. Tanto você pode ter diferentes meios de arte, como gravuras, fotografias e objetos, como pode ter quadros de estilos diferentes: um figurativo, com outro abstrato, um mais construtivista… Tudo funciona. O importante é que a pessoa se sinta à vontade com aquilo que está colocando na parede.

Fonte: www.fotonaparede.com.br

Quadro

Os quadros e as fotos emolduradas espalhadas pela casa são mais importantes na decoração de interiores do que se imagina. Estes pequenos aspectos podem acentuar uma boa decoração ou criar um ambiente excelente. Portanto, devemos ter claro uma boa distribuição de quadros e fotos por toda a casa.

Para uma disposição correta dos quadros na decoração, existe um grande número de truques essenciais que há que respeitar. Se seguirmos todos estes conselhos, conseguiremos esse resultado harmonioso que procuramos.

O erro principal que há que evitar, mas que é bastante comum, é colocar os quadros num mau lugar. Não devemos colocá-los nem demasiado altos nem demasiado baixos. A colocação correta é a seguinte: a parte superior do quadro deve estar ao nível da vista. A explicação é lógica: os quadros estão colocados para serem observados, sem terem que forçar o pescoço a adoptar posições incómodas.

Claro que o ponto de referência deve ser à de uma pessoa de estatura média. Se tem vários quadros que quer colocar, a colocação em grupo de todos também é importante. Deves ter em conta a harmonia entre eles.

Quadro

Para a sua utilização correta podem seguir estes três princípios básicos:

Estabelece uma harmonia utilizando os mesmos tipos de quadros: quadros antigos, de estilo contemporâneo, moderno, etc.

Reagrupa os quadros segundo a sua temática. Todos os quadros da mesma temática se agrupam juntos.

E por último, colocá-los seguindo uma ordem global: podes fazê-lo em circulo, em triangulo, em retângulo vertical ou horizontal ou mediante uma alinhamento virtual.

Para este tipo de agrupamentos, deves respeitar a minha regra que a te explicámos para um único quadro: os quadros devem situar-se ao nível da visão.

Fonte: www.i-decoracao.com

Quadro

Quadro
O quadro branco se destaca sobre a parede verde-musgo

“Qual é a maneira adequada de pendurar quadros na parede?”

O centro do quadro deve estar a 1,40 m do chão, para que fique na altura dos olhos do observador.

Se o quadro vai ficar sobre uma cama ou sofá, deixe uma distância livre de 25 cm entre o objeto e o móvel.

Centralize o quadro de acordo com o principal objeto do cômodo. Por exemplo: no caso da sala de jantar, use a mesa como ponto de referência.

Antes de furar a parede, marque com um lápis o ponto exato onde a furadeira irá atuar.

Para não estragar a pintura com a broca da furadeira, cole uma fita crepe no local do furo. Para não sujar todo o ambiente, antes de fazer o furo coloque um pano úmido no chão, na direção do ponto marcado.

Fonte: mdemulher.abril.com.br

Quadro

O Quadro na decoração

Os quadros são o acessório mais importante e comum num interior. A escolha e colocação de quadros é bastante difícil, devendo-se por isso dar a máxima atenção a esse problema.

É muita conhecida a frase "Diga-me o que o homem lê e eu lhe direi que homem ele é"; assim também, pelos quadros usados em uma casa, pode-se julgar os habitantes, pois refletem seu gosto, cultura e educação.

Os quadros são algumas vezes escolhidos somente por agradar de relance ao comprador, que rapidamente os adquire, sem ponderar que um objeto que às vezes agrada à primeira vista, quando contemplado mais demoradamente mostra defeito de desenho, colorido, anatomia, ou perspectiva. Um quadro é comprado para muito tempo, para toda a vida mesmo, não se devendo, portanto, ser obrigado a contemplar sempre aquilo que realmente não agrada. Ao contrário, um bom quadro, que como uma boa música, quanto mais se ouve, mais se aprecia, é fonte de prazer espiritual.

Isto não quer dizer que só os quadros caros sejam usáveis, mas é preciso que uma pintura qualquer tenha certo valor decorativo. Assim, aquarelas, guaches e bicos de pena de flores, pássaros etc., feitas por artistas desconhecidos, alguns quadros decorativos modernos, e boas reproduções, são ótimas, desde que bem feitas e agradáveis ao comprador, pelo motivo e colorido.

Outro fator importante é a adaptabilidade do quadro à sala em que será colocado. Esta adaptabilidade compreende não somente o assunto, mas é preciso também que suas dimensões estejam em proporção com as paredes, mobiliário e tamanho da sala. Um bom quadro é desperdiçado quando colocado em sala errada ou lugar mau. É melhor não ter quadros a tê-los mal colocados, apertados entre portas ou entre outros quadros de menor importância.

Por isto, deve-se colocar e mesmo comprar os quadros, somente depois que a sala está pronta e mobiliada, pois o instinto sugerirá quais paredes necessitam decoração. Naturalmente, quando as cores do quadro e suas dimensões fornecem a combinação das cores da sala, este tem que ser comprado antes. Os quadros nunca devem ser comprados somente para encher uma parede vazia, mas deve haver da parte do ocupante habitual da sala, satisfação pessoal na contemplação de cada quadro.

É difícil fixar regras quanto aos motivos próprios para cada sala, mas não há dúvidas de que o motivo deve estar em acordo com o caráter geral da sala. Por exemplo, quadros em carvão, bico de pena, e gravuras em preto e branco são ótimos para quarto de homem, hall, ou qualquer outro lugar onde se necessita uma marca e contraste forte. Devem, no entanto, ser usadas sem outra espécie de pintura do lado. Óleos ou aquarelas desmerecem ser colocadas ao lado de pinturas em preto e branco. Flores decorativas e outros motivos de vistas, tanto podem ser usados em hall, sala de jantar, como living. Aquarela de flores, pássaros, e reproduções de damas antigas são para quartos femininos e "boudoirs". Retratos de família, pinturas, são valiosos e muito decorativo em hall, sala de jantar ou living. Já fotografias de família nunca devem ser dependuradas na parede, mas usadas em cima de mesas, em porta-retratos.

Em salas de estilo, naturalmente, para bem conseguir a atmosfera, é necessário usar originais ou reproduções semelhantes às usadas na época.

Outro ponto importantíssimo em quadros é a escolha da moldura, que deve estar perfeitamente de acordo com o quadro em proporção e ornamento. Vários artistas, acertadamente, desenham molduras para cada um de seus quadros, de modo a obter o acordo absoluto.

As molduras mais belas foram feitas durante a Renascença, reinado de Luís XIV e princípios do século XVIII. Em meados do século XVIII começou-se a fabricar molduras de massa em vez de madeira entalhada. Essas molduras, muitas pesadas e enfeitadas, obscureciam e depreciavam os quadros nelas colocados. Hoje molduras antigas são muito procuradas, para pinturas e reproduções de quadros antigos. Procura-se novamente atingir a beleza das molduras do século XVIII, baseando-se na adaptabilidade ao quadro e harmonia com todo o ambiente.
Pinturas a óleo devem ser emolduradas em "passe-partout" ou vidro. Pinturas antigas pedem moldura rica, sendo a moldura dourada a mais usada, pois o dourado ajuda a harmonizar as cores sem com elas competir.

Deve haver muito cuidado com a moldura, pois nada mais feio, por exemplo, do que um dourado brilhante que em vez de realçar, ofusca o quadro. Também, o motivo da pintura a óleo, sendo pesado e rico em contrastes, pede uma moldura mais pesada e rica, enquanto que uma pintura mais leve pode ter moldura mais delicada.

Desenhos em bico de pena e aquarelas devem ter "passe-partout" e vidro; usando-se em geral moldura preta lisa ou com pequeno risco dourado, para os bicos de pena. Pinturas feitas em papel necessitam vidro para proteção, e a não ser que tenham grande espaço em torno do desenho, levam sempre "passe-partout". É comum as aquarelas levarem moldura branca, prateada ou de madeira natural, mais do que as molduras para quadro a óleo.

Reproduções são raramente usadas hoje em dia, em interiores bem decorados. Em todo caso, se alguém tem uma predileção toda especial por um quadro de um dos mestres, não há razão para que não possa usá-lo e deve ser emoldurado como se emolduraria o original, somente devem ser evitados quadros conhecidos demais e reproduzidos até em folhinha como a Mona Lisa, de Da Vinci, o Angelus, de Millet, etc.

Quadros em pastel, seguindo o gosto francês, são em geral emoldurados com moldura dourada.

As molduras modernas são feitas em enorme variedade de materiais: vidro, espelho, cromo, madeira, cortiça e até fazenda, vendo-se no desenho das molduras inovações audaciosas.

Salas com papel de parede ou pinturas murais, não necessitam quadros, pois as paredes já estão decoradas. Os quadros devem ser dependurados à altura da vista. Quando o quadro é muito grande, deve ser dependurado mais alto para maior horizonte visual. Quadros importantes devem ser colocados na parede principal e necessitam uma área em torno livre, de modo a poderem ser apreciados. Um quadro deve ser dependurado absolutamente encostado à parede, sendo para isso necessário pendurá-lo bem em cima, ou ficará inclinado prejudicando a beleza da pintura. Quando vários quadros são dependurados numa parede, eles não devem ser arranjados indiscriminadamente, mas formando um grupo geométrico como um retângulo, linha reta ou triângulo. Se os quadros são de diferentes tamanhos e feitios, deve-se agrupa-los de modo a contarem como uma composição só. Quadros a óleo não devem ser usados ao lado de aquarelas, a não ser que a técnica do óleo seja muito semelhante à da aquarela.

Deve haver relação de proporção entre o quadro, parede e móveis colocados diretamente sob o quadro.

Os armes ou argolas por onde os quadros são dependurados não devem aparecer.

Também a iluminação para quadros é muito importante. Os quadros a óleo exigem a iluminação natural, ou a artificial com técnica irrepreensível, por isso, é preciso estudar de onde vem a luz e como incide no quadro. Pinturas grandes e importantes pedem uma iluminação com lâmpada colocada por cima do quadro, como se vê em exposições.

Alayde Pariso

Fonte: www.areliquia.com.br

Quadro

Como fixar quadros

Quadro

O quadro é considerado elemento da decoração. Assim, o bom senso é o melhor aliado do gosto pessoal. Além de combinar cor e estilo, os quadros devem ser bem posicionados.

O melhor é coloca-los sempre no nível da linha do olhar. Assim, se ele estiver acima de um móvel, a distância do quadro para o móvel é de 30 centímetros.
Se a distância for contada do chão, a altura ideal é de 1,50 metro.

O local para a fixação de um quadro deve levar em conta aspectos básicos de decoração, como:
visibilidade, luminosidade, volume e harmonia.

Visibilidade

O quadro deve estar numa altura suficiente para que seja facilmente visualizado.

Luminosidade

Ele deve estar num local com bastante luminosidade, de modo a dispensar luz artificial, a não ser que a intenção do decorador seja exatamente usar esse recurso.

Volume

Colocar um quadro grande numa parede relativamente pequena ou vice-versa, desequilibra o ambiente, deixando o ambiente desconfortável.

Harmonia

O quadro deve ter uma relação com o ambiente e não o ambiente com o quadro. É certo que, nesse caso, a relação vai depender muito da imaginação do decorador.

Para não errar recomenda-se não misturar os estilos. Tapeçaria combinada com quadros, por exemplo, não é uma opção feliz.

A arte de fixar quadros

As principais dicas a serem seguidas para evitar erros e garantir o sucesso da sua decoração são as seguintes:

Observe a altura do teto e dos móveis antes de escolher o local para colocar os quadros. Não precisa centralizá-los. O importante é observar o equilíbrio da composição.

Antes de furar a parede, teste a posição dos quadros no chão. Meça a distância entre eles e só depois dê continuidade ao serviço.

Use pregos de aço ou parafusos número 6. Outros materiais podem estragar a parede, além de fazer um furo muito grande, que impede que a tela fique firme na parede.

Veja mais dicas para a decoração com quadros e gravuras

Antes de furar paredes, busque fazer no chão uma composição daquilo que você imaginou. Se o resultado não agradar, o trabalho terá sido bem menor.

É importante combinar as cores do quadro com as cores de algum móvel ou objeto de decoração do cômodo.

Deve-se tomar cuidado com a poluição visual. Se o ambiente já possui muitos móveis, a colocação de um quadro pode não apresentar resultados satisfatórios.
Outro risco é que, no meio de muitos outros objetos, o quadro "suma".

Ambientes modernos combinam mais com pinturas abstratas e "cleans".

Adequar o tema da pintura ao cômodo é muito bem vindo. Salas de jantar, por exemplo, combinam com naturezas mortas.

Molduras côncavas combinam com pinturas em perspectiva.

Molduras convexas são indicadas para quadros sem profundidade.

Desenhos e artes menos rebuscadas dispensam moldura.

Iluminação é importante. Se possível, utilize luzes direcionadas aos quadros. Se não, cuide para que a iluminação ambiente não cause sombras e nem modifique os tons da pintura.

Nada de torcicolo: quadros devem ficar a uma altura próxima à dos olhos. Geralmente, entre 1,60 m e 1,70 m.

Definido o local, pode-se optar por dois tipos de fixação:

Com pregos ou com buchas e parafusos.

A primeira é recomendada para quadros não muito pesados.

Já a segunda, buchas e parafusos, para paredes de blocos ou tijolos tipo baiano, onde o prego não tem resistência.

A Bemfixa dispõe de um produto exclusivo para fixação de pregos em qualquer superfície: o Bateprego. Trata-se de um produto inteligente que, além de dar firmeza ao prego para sua correta fixação, protege as mãos dos golpes do martelo.

O Bateprego é um produto bastante conhecido e utilizado por decoradores e profissionais, pela sua praticidade e segurança.

Colocação dos quadros

Ambientes Diversos

Quarto

Normalmente quadros na posição horizontal decoram melhor este ambiente, usualmente os quadros são colocados sobre a cama, o ideal é que o quadro fique 20cm acima do centro da cabeceira da cama

Sala de Jantar

Pode ser utilizado um único quadro na horizontal ou optar-se por três quadros ou mais, dependendo do espaço de parede disponível.

Espelhos

Espelhos devem ser colocados sempre a uma altura em que uma pessoa consiga visualizar seu corpo todo, ou no mínimo da cintura pra cima.

A limpeza dos vidros deve ser feita com pano úmido, em movimentos circulares e abrangendo toda a área do quadro de maneira uniforme.

Colocação sobre sofá

Escolhido o local a ser pendurado o quadro, defina a altura adequada e a centralização da obra.

Dica

Pressione a parte superior do quadro (onde estão os ganchos) contra a parede, de forma a deixar as marcas a serem furadas.

Regra

O ideal é a obra fique na altura do campo de visão de uma pessoa de estatura mediana(1,70m).

Meça o tamanho total do sofá.

Para facilitar, coloque a tela (quadro) sobre o sofá e verifique as distâncias laterais.

Com um lápis, faça uma marca na posição do pendurador ou, caso não seja possível, flexione a parte da obra que contém o pendurador contra a parede, o que resultará em uma da posição onde será feito o furo.

Definidos o local e a posição, inicia-se a furação da parede.

Antes de começar a furar a parede, para se evitar sujeira desnecessária, esta dica cai bem:

Com um pedaço de fita adesiva, prenda um saco plástico logo abaixo do ponto onde será feito o furo.

Assim, todo o pó cairá dentro do saco e o ambiente ficará limpo.

Após pendurada a tela, confira a distância entre ela e o encosto do sofá.

Colocação sobre a cama

Escolhido o local a ser pendurado o quadro, defina a altura adequada e a centralização da obra sobre a cama. Dica: Pressione a parte superior do quadro (onde estão os ganchos) contra a parede, de forma a deixar as marcas a serem furadas.

Primeiro, meça a distância do centro de um gancho ao aoutro.

Exemplo

De um centro ao outro a distância é de 0,70 m.

Aproveitando a marcação feita anteriormente, meça a distância entre a base da parede e a primeira marca feita.

Lembrando-se que a distância entre um gancho e outro é de 0,70 m.

Agora, faça uma marcação de 0,70 m desta até a outra marca feita na parede.

Definidos o local e a posição, inicia-se a furação da parede.

Após pendurar o quadro, confira a distância entre ele e o encosto da cama.

Perguntas

COMO FAÇO PARA FIXAR O MEU QUADRO CORRETAMENTE ?

Cada ambiente um caso diferente:

Na sala

Deverá estar acima de 15 a 20 cm do sofá.

No quarto

Acima de 20 a 30 cm da cama.

No Corredor

Como irá ser olhado de pé, o centro do quadro deve ficar na altura da visão de uma pessoa de 1,70m.

COMO INSTALO MEU QUADRO PERFEITAMENTE ?

Marque com um lápis o local a ser furado. Para evitar que o reboco se quebre, coloque uma fita transparente no local a ser fixado.

É recomendada a utilização de uma bucha e furadeira, pois dessa maneira é menor o risco de danificar a sua parede. Mas não esqueça de verificar se aonde pretende furar não passa nehum cano .

Tipos de Molduras

Como posso fazer a melhor escolha para moldura de um quadro ?

Quando se fala de moldura, as palavras-chave são: adequação, qualidade e elegância. A moldura é a continuação da pintura; ela veste a tela, pode realçá-la ou prejudicá-la irremediavelmente.

Um conselho profissional: procurem trabalhar com moldureiros competentes, com longa experiência de mercado. Moldura não é coisa simples, requer cuidados, até para a conservação das pinturas.

O emolduramento de papéis é dos mais complicados, exigindo materiais adequados e muitos recursos técnicos, para evitar os diversos tipos de poluição, poeira e, principalmente, fungos, provenientes de umidade. Assim, procurando um bom moldureiro, já é meio caminho andado para fazer a melhor escolha para a moldura do seu quadro.

Como posso fazer a melhor escolha para moldura de um quadro ?

Quando se fala de moldura, as palavras-chave são: adequação, qualidade e elegância. A moldura é a continuação da pintura; ela veste a tela, pode realçá-la ou prejudicá-la irremediavelmente.

Um conselho profissional: procurem trabalhar com moldureiros competentes, com longa experiência de mercado. Moldura não é coisa simples, requer cuidados, até para a conservação das pinturas.

O emolduramento de papéis é dos mais complicados, exigindo materiais adequados e muitos recursos técnicos, para evitar os diversos tipos de poluição, poeira e, principalmente, fungos, provenientes de umidade. Assim, procurando um bom moldureiro, já é meio caminho andado para fazer a melhor escolha para a moldura do seu quadro.

Um pouco de conhecimento sobre Molduras

Laca

Proporciona acabamento uniforme e possibilidades ilimitadas de composições de cores em relação à obra, além das variações entre o fosco, brilhante e degrade. É importante observar bem a diferença que existe entre o esmalte sintético e a laca.

Decape Policromia

Permite a aplicação na moldura das várias cores e tonalidades que compõem a obra, evidenciando o tom predominante ou contrastante. Para sua confecção são empregadas várias aplicações de tinta, e sua posterior remoção parcial.

Folheação a Ouro ou Prata

A moldura recebe finíssimas lâminas de ouro ou prata, de origem alemã ou italiana. Sua aplicação, em função de sua espessura, exige condições ambientais muito especiais, bem como mão de obra especializada. A folheação pode ser utilizada em pequenos detalhes ou de forma predominante na moldura, proporcionando muito requinte ao trabalho.

Madeira

Natural com aplicação de cêra ou verniz poliuretano. Entalhada-confeccionada sob encomenda, de acordo com a época e valor pictório da obra. Folheada-molduras lisas ou entalhadas podem receber detalhes em ouro ou prata. Existe os mais variados tipos de madeiras e tonalidades, criando um equilíbrio perfeito entre a obra e a moldura.

Metal

Existe uma vasta gama de perfis, tonalidades e espessuras, permitindo inúmeras composições.

Passe-Partout

Em muitos casos valoriza a obra que será emoldurada. Para tanto existe grande variedade de materiais, formas e acabamentos possíveis.
Formas
As molduras podem ser confeccionadas nas mais diversas formas geométricas, como as ovais, redondas, oitavadas, sextavadas, entre muitas outras.

O quadro e a decoração

As cores do quadro devem estar presentes em algum móvel ou objeto de decoração, como tapetes e almofadas.

O tom da moldura também deve acompanhar alguma das cores existentes na tela.

Quem gosta de uma decoração moderna deve optar por quadros “clean”.

Não se deve exagerar na quantidade e no tamanho dos quadros em cômodos pequenos, principalmente se eles já têm muitos móveis.

Não existe quadro indicado para este ou aquele ambiente. Entretanto, o estilo do quadro pode acompanhar o estilo da decoração. Por exemplo, se a sua sala de jantar é clássica, uma boa pedida é um quadro de natureza morta. Na sala de estar do mesmo estilo, telas de paisagem caem bem.

Ambientes modernos pedem quadros com texturas ou gravuras. Existem reproduções de bom preço no mercado.

As molduras são dispensáveis em muitos quadros. Entretanto, se a tela for a óleo é indicado o uso da moldura.

Para realçar a beleza dos quadros, pode-se optar por luzes direcionadas embutidas em gesso.

Se for uma gravura protegida por vidro, tenha cuidado para que o vidro seja anti-reflexo. Caso contrário, o quadro vira um espelho.

Antes de pendurar os quadros na parede, faça a composição que você imaginou no chão. Assim você terá uma idéia de como vai ficar, sem correr o risco de furar a parede desnecessariamente.

Os 10 Mandamentos para emoldurar

1. O desenho de uma moldura deve ter relação com o tema e o “peso” da obra.

Exemplo

Um quadro simples e “leve” combina com uma moldura reta e pequena.

2. Uma moldura côncava aumenta a impressão de perspectiva sugerida em uma obra.

3. Uma pintura sem perspectiva pede uma moldura convexa que a solte da parede.

4. Trabalhos densos pedem molduras de linhas fortes para conter a imagem.

5. Trabalhos delicados pede molduras simples e leves.

6. Deve-se sugerir molduras com linhas para telas lineares.

7. Cores marcantes no passe-partout ajudam a separar a imagem da moldura, criando uma sensação de perspectiva.

8. Tonalidades claras – como o bege – devem ser usados para acentuar as cores.

9. Quando for necessário o uso do vidro – caso dos trabalhos em papel -, deve-se pensar na utilização de vidros anti-reflexo.

10. Para pintura com cores quentes – vermelho, marrom e amarelo – predominantes, o apropriado é usar molduras de cores igualmente quentes;
quando elas forem de cores frias - azul, verde e branco -, o correto é a utilização de molduras prateadas ou de cores similares.

Cuidados com telas e molduras

Para limpar molduras, comece tirando o pó com um pano ou pincel – se ela for trabalhada. Na parte de trás da moldura, faça uma revisão mais detalhada e periódica para preserva-la de traças e insetos.

Para evitar que os quadros marquem a parede, cole em cada canto interno da moldura uma rodelinha de cortiça.

Os quadros à óleo pedem limpeza cuidadosa, duas vezes ou mais ao ano, caso fiquem expostos à poeira.

Nunca use aspirador de pó em nenhum dos lados do quadro. A sucção pode estalar a pintura.

Da mesma forma, diga não ao espanador, que também pode danificar a tela.

Evite que o sol bata diretamente sobre as telas.

Leve os quadros ao moldureiro pelo menos uma vez por ano. Assim, ele poderá fazer uma limpeza completa e cuidadosa no objeto e aplicar um remédio para que ele fique livre dos cupins.

Observe periodicamente se existe mofo ou algum tipo de infiltração na parede. Qualquer descuido neste sentido pode danificar o quadro.

Não passe cera na moldura. Normalmente ela já é colocada na tela quando já está encerada.

Se tomar muito sol o quadro pode até empenar. Por isso, o controle da quantidade de luz é fundamental.

Fonte: www.fazfacil.com.br

Quadro

Como colocar quadros em paredes

Quadro

Regras básicas para a colocação de quadros em paredes:

Dois ou mais quadros, em uma mesma parede, devem ser alinhados pela base

Quadros em um mesmo ambiente, estando em paredes diferentes, devem ter seu alinhamento na parte superior

Quando o quadro ou os quadros estiverem colocados sobre algum móvel, devem distanciar deste trinta centímetros. Nesta regra, a relação da proporção deve estar presente, quadros muito grande às vezes precisam de maior distância

Quando tivermos quadros grandes e pequenos, em uma mesma parede, o menor deve vir sempre abaixo do maior

Paredes rentagulares pedem um quadro ou grupo de quadros na mesma forma.

Acredito que essas regras apesar de serem classificados como básicas é de grande importância na hora de colocar quadros na parede. São pequenos detalhes que podem fazer uma grande diferença.

Fonte: www.fernandorigotti.com

Quadro

Decorar paredes e móveis com quadros

Os ambientes abaixo apresentam algumas formas possíveis de decoração com quadros nas paredes e móveis. Estas composições se juntam a móveis e outros objetos de decoração para compor um todo equilibrado, proporcionando um bem estar visual. Decorar uma parede com quadros, às vezes pede alguns cuidados como levar em conta sua dimensão, o tipo de motivo utilizado, moldura, e etc.

Você pode criar sua composição, principalmente, observando exemplos e adotando pequenas regras que lhe serão muito úteis e fundamentais na realização desta tarefa.

Alguns exemplos foram deixados acima e algumas das regrinhas, apresento a seguir:

Faça sua composição no chão antes de fixa-la à parede. Desta forma, por antecipação, você pode ter uma idéia do efeito que ela transmitirá após estar na parede.

A escolha dos quadros na composição, também é fundamental. Assim, para obter uma maior sensação de equilíbrio a distribuição de tamanhos deve ser mais ou menos uniforme. Caso a diferença entre eles seja grande você pode dispô-los: de forma a que os maiores podem estar ao centro cercados uniformemente pelos menores; de forma que os maiores estejam afastados entre si e cercados, ambos, pelos menores; Caso haja um móvel encostado à parede os quadros maiores devem ser dispostos mais próximos a ele, e o restante de uma maneira uniforme ao redor dos maiores. Enfim, não há apenas esta abordagem. Use sua criatividade e descubra outras formas.

A composição deve adotar um tema. Ele pode ser a adoção de um simples tipo de moldura, estilo da pintura ou gravura, as cores envolvidas, data e características estéticas da obra ou até mesmo uma combinação harmônica de todas elas.

Um único quadro ou uma composição deles, deve ter seu ponto central na altura média dos olhos das pessoas (Aproximadamente 1,60m). Também devem ser mantidos a uma altura de 30 a 50 cm acima de um sofá ou cadeira para que não ocorra o risco de que alguém encoste a cabeça.

Crie composições em que a distância entre eles não passem de 7 ou 8 cm e de preferência, mantenha-as uniforme.

Se caso for usar gravuras, utilize aquelas que apresentam molduras semelhantes seja na cor ou tamanho. Se for enquadra-las, escolha molduras nesta mesma condição.

Finalizando, seja persistente! Olhe mais e mais exemplos. Aprenda os segredos de cada um. Para todos nós sempre restará coisas a aprender. Há sempre um segredo a mais neles pois todos eles são resultado de criação. Assim, crie e planeje sua composição, com muita dedicação e chegará ao resultado esperado.

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro


Aparentemente simples, este é o tipo de tarefa que requer vários cuidados para que a decoração do ambiente não perca o equilíbrio. Segundo a arquiteta e urbanista de Belo Horizonte, Catherine Fonseca Alves Horta, não existe receita de bolo, mas algumas dicas básicas garantem o bom resultado.

No caso dos quadros que são pendurados acima de sofás, por exemplo, ela diz que é preciso utilizar como referência a medida de 25 ou 30 centímetros em relação à porção superior do móvel, o suficiente para que a pessoa sentada não encoste a cabeça no quadro.

Quanto à centralização, tudo depende da quantidade de quadros pendurados. “No caso de um único quadro, é importante levar em consideração o tamanho do sofá, pois se o móvel for muito grande e o quadro muito pequeno, o efeito será negativo. Neste caso, sugerimos um quadro de tamanho maior, no sentido horizontal”.

Se quiser pendurar três quadros, por exemplo, acima do sofá, o ideal é usar a liberdade a favor da decoração, principalmente se as peças tiverem medidas diferentes. “Agrupe por exemplo, os menores à esquerda e, na outra extremidade do sofá, o quadro maior, o que permite uma leitura crescente do conjunto. O alinhamento não é uma regra assim como o tamanho idêntico das peças”.

Já para o quadro único pendurado acima da cama de casal, no quarto, a dica é: centralize-o em relação à cama e não à parede. A altura em relação à cabeceira é a mesma em se tratando de um sofá, ou seja, tome como referência 25 ou 30 cm. Se a cama não possuir cabeceira, lembre que o quadro deve ficar na altura dos olhos de uma pessoa, ou seja, use como média 1,60m do piso ao centro do quadro.

Para corredores, diz Catherine, não há dicas diferenciadas, lembrando sempre que esta é uma área estreita e não permite distância para serem observados. “Dê preferência a uma composição de mais peças penduradas e, em caso de um único quadro, analise a proporção do corredor, ou seja, largura e altura da parede.

Para corredores ou em qualquer situação diferente, antes de pendurar os quadros, o ideal é colocar todos os elementos que vão para a parede no chão e tentar todas as possibilidades até chegar a uma combinação ideal para sua decoração”.

Um detalhe importante refere-se à mistura de molduras. Sim, elas são permitidas assim como a mistura de estilos, cores e tamanhos. “Entretanto, lembre-se que a colocação da moldura pode valorizar o desvalorizar a obra, já que o importante não é a moldura, mas sim a obra e seu autor. Procure por sua vez, adequar o estilo do quadro à moldura para que haja harmonia. Neste caso, não existe moda”.

Fonte: vilamulher.terra.com.br

Quadro

Parede e quadros

Transforme paredes neutras no centro das atenções – você pode usar madeira, pedra ou tecido. Prefere quadros? Então, atenção: um dos maiores problemas de decoração está na colocação de quadros de proporções erradas ou alturas incorretas. Leia as lições e acerte em tudo.

Qual parede mudar?

Quadro

Seu exercício de hoje: olhar as paredes nuas e imaginar como elas ficarão com alguma das tantas alternativas que as lojas oferecem. Ao observar o ambiente, perceba que apenas algumas paredes devem ficar em destaque. Para o designer de interiores Roberto Negrete, a parede da sala que fica atrás do sofá é a melhor opção. “Mudar uma parede é transformá-la em foco de atenção.

Quadro

A parede que tem a ‘tarefa’ de comportar o sofá é a que melhor se presta a essa alteração”. No quarto, vale o mesmo para a parede onde fica encostada a cabeceira da cama. Áreas de passagem, os corredores podem ficar mais charmosos com uma parede cheia de quadros. É um bom lugar para as fotos da família.

O lavabo permite brincadeiras: como o espaço costuma ser pequeno e geralmente usado mais por visitantes do que por moradores, pode ser munido de paredes bem coloridas e revestimentos diferentes (se fossem uma área usada pelos moradores e, portanto, vista e revista todos os dias, talvez o excesso de cores pudesse cansar).

Quadro
A loira da tela M-Maybe, obra de 1965 do artista pop americano Roy Lichtenstein (1923-1997), foi escaneada de um livro, sendo impressa digitalmente sobre um adesivo vinílico que ocupa a parede logo na entrada do apartamento. Para colá-la, foi preciso deixar a parede lisa e impermeabilizada com seladora, já que a aplicação é feita com água.

Quadro
Nesta composição de quadros, repare na mistura de elementos, formas, cores e materiais: pelo arranjo seguir um alinhamento simétrico, as tiras de quadrinhos, a gravura, a pintura à óleo e as pequenas esculturas prateadas convivem em harmonia.


Faixas de diferentes larguras e tons rejuvenescem o tradicional papel de parede listrado. A presença marcante do lustre de cristal é rejuvenescida pelo revestimento descontraído das paredes

Quadro
Sóbrios tons monocromáticos imperam neste quarto: o floral cinza e branco do papel de parede aplicado onde a cama recosta, se harmoniza com o arranjo de fotografias em preto e branco ao lado do criado-mudo e com os tons básicos da roupa de cama, cortinas e tapete.

Quadro
É preciso olhar a parede de perto para perceber que as folhagens na parede da cabeceira da cama não se tratam de uma pintura. O adesivo vinílico foi a solução encontrada para a falta de espaço no quarto, pois uma cabeceira roubaria muitos centímetros do quarto, que mede apenas 13 m2. Traçada no computador, a figura foi materializada por uma empresa especializada em comunicação visual


Parece um papel de parede – mas não é. Tons de vinho e lilás se sobrepõem nas listras que percorrem o trecho de 3 m de extensão, no quarto da empresária Rosangela Bianco. O prédio, de linhas modernistas, tem esse desenho arredondado, que dificulta a distribuição tradicional de móveis. A pintura foi uma saída para preencher a parede. Executado por um pintor experiente, o trabalho levou dois fins de semana. Isoladas por tiras de fita crepe, cada linha foi pintada separadamente. Para obter esse resultado, o pé-direito, de 2,48 m foi dividido em faixas de alturas variadas, preenchidas com cinco tons de tinta acrílica fosca.

Quadro
Neste hall de entrada, um mosaico de espelhos em meio a duas arandelas com cúpulas ovais cria um efeito visual interessante e impressiona quem entra na casa.

Quadro
Nesta sala, o centro das atenções é o nicho na parede oposta à porta de entrada, que comporta um arranjo de flores secas fixadas diretamente na parede.


Neste quarto de casal, as paredes receberam uma camada de tinta látex em tons de terra, deixando um pano de fundo neutro para que o biombo em marchetaria – que toma o posto de cabeceira da cama –, roube para si toda a atenção. Para encaixá-lo atrás da cama, foi bolado um nicho, que também abriga velas e arranjos florais.

Quadro
Neste quarto de hóspedes, foram aplicados lambris de madeira pintados de azul na parede onde recostam as cabeceiras das camas, em estilo campestre. Tanto as cortinas quanto o arranjo de quadros harmonizam entre si, em se tratando de combinação de tons de azul e branco, e também, em relação ao alinhamento – na altura dos olhos, logo acima dos lambris.

Quadro
Uma outra idéia para dispor quadros na parede sem pendurá-los, é lançar mão de nichos e prateleiras para apoiá-los. Neste ambiente, cartazes antigos de filmes foram emoldurados com molduras de espessura igual e mesmo tipo de madeira, alinhados em sequência.


Sem um tema comum, obras de amigos compõem a decoração desta sala de jantar. Os pratos da artista Isabelle Tuchband chegaram primeiro, alinhados nas laterais e no centro da mesa. Quando chegou a tela de André Wagner, com 92 cm largura, ela foi encaixada no vazio entre o móvel e as cerâmicas. No mesmo nível, ficou a placa com o dizer “Motel”

Quadro
Entre as salas de estar e jantar, num local de fácil acesso, o espelho em forma de lâmina de barbear não passa despercebido. Com 4 milímetros de espessura, o espelho confere destaque ao bar, composto pelo bufê em estilo retrô.

Opções para mudar a parede

Ao pensar em mudar uma parede, respeite a função de cada cômodo. Isso significa, por exemplo, que um vermelho vivo pode não ser a melhor opção para um quarto de casal, se o que você procura é um ambiente relaxante para descansar. Além do mais, respeite os moradores. Crianças em casa não combinam com as texturas muito ásperas e com os lambris de gesso, que podem quebrar. Sua preocupação maior é com o meio ambiente? Há papéis de parede reciclados e recicláveis

Se você quer apenas pintar a parede, as orientações sobre cores estão na aula 3 do Curso de Decoração (LIKN), mas se quer ousar nos revestimentos, seguem algumas opções:

Lambris, o útil e o agradável

Os lambris são um clássico. Nascidos com as construções de madeira como um acabamento mais fino para os espaços internos, ele também funcionava como isolante térmico. Hoje, pode ser de madeira, gesso e PVC.

É a espessura das réguas que determina a finalidade. Para manter os cômodos aquecidos, elas devem ter entre 10 e 20 mm. Menos que isso, só para proteger contra arranhões e batidinhas ou embelezar a parede. Já a largura depende do gosto de cada um. A altura, também livre, pode seguir certos padrões – entre 0,70 e 0,90m, se junto à mesa; entre 1,80 e 1,90, em paredes em que a porta tem 2,10m; entre 1,90 e 2m, quando a porta é de 2,40m. Capriche no acabamento com vernizes, tinta esmalte, pinturas especiais ou laqueação (processo de pintura automotiva, aplicada com compressor).

Texturas: efeito visual

A maioria das massas texturizadas já vem pronta, mas requer aplicadores especializados. Os habilidosos até podem aplicar sozinhos as massas industrializadas que não exigem treinamento – basta dominar os instrumentos necessários, como desempenadeira e rolos de lã. Há também receitas com massa corrida e massa acrílica – e os desenhos podem ser feitos com vassoura de piaçava, colher e outros utensílios domésticos.

Alguns avisos

1) Texturas muito ásperas em corredores ou áreas de passagem podem fazer com que as pessoas se machuquem.

2) As ranhuras das texturas podem acumular pó. Aspirador, escova com cerdas macias e pano úmido devem ser usados na limpeza.

3) Mesmo que você se apaixone por uma textura, deve-se usá-la com parcimônia – nada de fazer um ambiente inteiro texturizado; escolha as paredes para as quais quer dar destaque.

4) Paredes com bolor não devem receber textura. Primeiro descubra o motivo pelo qual a superfície ficou manchada.

Papel de parede: charme retrô

Ele é comprado por rolo – um rolo padrão tem 10 m por 53 cm.

Cinthia Francisco, da Coelho Decorações, explica que há basicamente dois tipos de papel de parede: o que é papel mesmo e o papel vinílico, que possui plástico por cima e, por isso, é lavável. Eles podem ter acabamentos diferenciados como pedrinhas, partículas de vidro, fundo metálico, detalhe aveludado...

Há também tecidos que fazem as vezes de papel de parede, mas descobrir se o tecido que você achou maravilhoso poderia ser aplicado na parede é tarefa para profissionais (muitos tecidos só podem ir à parede se aplicados em painel com espuma por baixo, pois desfiam com facilidade). Isabel Coelho, consultora da Luri Decoração recomenda que só pessoas que tenham muita, mas muita habilidade manual mesmo, arrisquem-se a aplicar papel na parede. Já tecido, nem as mãos mais habilidosas devem se arriscar. Se você enjoou do papel e quer tirá-lo, vai precisar apenas de água morna e uma espátula. No caso do papel vinílico, antes desse procedimento, é necessário tirar a parte plástica.

Adesivos: escolha jovem e moderna

Hoje, há diversos tamanhos e desenhos. Normalmente, é uma película autocolante, que não pede mão-de-obra especializada para aplicação. Antes de colar a imagem, certifique-se de que a superfície está limpa, lisa e seca.

Use uma espátula para eliminar bolhas. Alguns modelos permitem diversas composições na parede – então o melhor é que você copie os desenhos, recorte em outro papel e pregue com fita crepe na parede para experimentar a melhor composição. Uma das principais vantagens do adesivo é que, quando você enjoar do desenho, basta descolar com pano úmido (e um pouco de paciência – em alguns casos, o adesivo descolado pode deixar marcas na pintura).

Fonte: casa.abril.com.br

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Fonte: marcoscesarinteriores.com.br

Quadro

Como compor quadros na parede

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Não existem regras para montar uma composição de quadros ou posicionar uma única tela na parede. Existe, porem, dicas que ajudam a chegar a um resultado mais harmonioso.

A primeira dica é verificar o tamanho do quadro e relacioná-lo com as dimensões do espaço. Não adianta pendurar uma tela grande, se não temos perspectiva para admirá-la.

Os quadros maiores devem ficar em baixo, se forem usados em composição, porque normalmente têm maior peso visual.

Deve-se deixar um espaço de aproximadamente 10 a 12cm entre uma obra e outra.

A iluminação, a decoração do ambiente e a cor da parede são itens a serem observados.

Veja a linguagem das obras. Não se deve misturar quadros de arte com fotografias ou gravuras.

A altura do ponto médio de um quadro deve ser mais ou menos a dos olhos de uma pessoa de estatura média, por volta de 1,60m. Quando o quadro é vertical, ou tem mais de 1,00m de altura, a altura media cai um pouco – eu particularmente não gosto quando o quadro fica muito alto.

A melhor maneira de escolher a posição certa é pedir a ajuda de alguém que possa segurá-lo para que você veja e analise de longe.

Pense sempre que uma obra de arte, seja ela pintura, gravura ou fotografia, precisa de um lugar especial para estar em harmonia com o espaço e trazer sofisticação ao ambiente.

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Quadro

Fonte: www.casosdecasa.com.br

Quadro

Quadro

Um quadro pode modificar o visual das paredes da sua casa ou escritório, mas não vale sair pendurando imagens em qualquer parede. Se colocados em locais estratégicos, os quadros são capazes de dar um efeito surpreendente ao ambiente.

De maneira geral, os quadros ficam mais bonitos e com melhor visualização quando são pendurados da linha dos olhos para baixo. Mas, apesar disso, não existem regras para colocar os quadros na parede. É preciso levar em conta o equilíbrio do ambiente, considerando que o quadro deve complementar os elementos que vão ficar ao redor dele e deve ter personalidade. Ele pode ser destaque em uma parede ou simplesmente ficar próximo a outros objetos de decoração e móveis.

Para não se arrepender depois de perfurar a parede, a dica é planejar e testar a composição desejada antes de colocar os quadros definitivamente na parede. Você pode espalhar as obras pelo chão, em frente à parede escolhida e verificar se o resultado fica exatamente como você havia imaginado.

A disposição clássica para pendurar um quadro é centralizado acima do sofá, da cama de casal ou até mesmo de um aparador. Se quiser seguir essa tendência clássica, centralize o quadro tanto na largura como na altura em relação ao móvel. Para saber a posição ideal, divida ao meio o espaço entre o topo do móvel e o teto. Se preferir uma disposição mais moderna, fixe a tela a 5 cm da lateral do sofá, por exemplo.

As paredes livres, sem móveis encostados ou outros objetos interferindo, são ótimos locais para brincar com a composição de vários quadros. Você pode fixá-los em alturas diferentes, inclusive próximos ao piso.
Para causar uma boa primeira impressão nos visitantes, a dica é colocar um quadro no hall de entrada da casa. Fixe o quadro de maneira que fique centralizado e alinhado com o batente superior da porta. É possível ainda pendurar vários quadros em sequência na horizontal. Alinhe todos eles pelo alto da moldura e deixe de 8 a 10 cm de distância entre cada quadro.

Essa composição de quadros em sequência também pode ser usada em corredores, que inclusive, ficam muito bem com os quadros dispostos da mesma maneira que as paredes livres.

Cuidados com os quadros

Os quadros são objetos de decoração que merecem muitos cuidados. Por isso, se você mora em locais onde há bastante umidade, a atenção precisa ser redobrada. Fique atenta se ao retirar o quadro existem manchas na parede, pois isso é sinal de concentração de umidade. A umidade pode surgir também de infiltrações. Cuidado ao pendurar os quadros em paredes que recebem luz do sol diretamente, isso pode provocar o desbotamento das cores e ressecamento das tintas.

Fonte: www.dicasdemulher.com.br

Quadro

Toda parede merece um quadro

Aprenda a decorar com arte

Quadro

Os quadros são uma alternativa bastante conhecida na hora de decorar a casa. Por possuírem diversos tamanhos, estilos, referências e molduras ganham a preferência das paredes, tornando-se aliados importantes na decoração independente do estilo, que deve sempre estar adequado ao ambiente.

A única regra existente ao utilizá-los é em relação à disposição dos mesmos na parede. Aprender a colocá-los de forma correta é saber aproveitar espaços, valorizando as obras e o ambiente de forma geral. Para não errar, anote aí: basta recortar um pedaço de papel do mesmo tamanho da moldura e aplicá-lo na parede com fita adesiva.

Quadro

Alguns locais também são sucessos garantidos na hora de escolher onde colocar o quadro: na parede atrás do sofá, em outra parede livre, no hall de entrada, corredor, acima do aparador, na sala de jantar, no quarto de casal... Basta deixar a imaginação fluir. Em qualquer uma das opções listadas, fica difícil errar a mão.

A atenção nestes casos fica por conta da colocação do material na parede. Nunca se esqueça de medir a altura e demais proporções antes de usar o prego e o martelo. Assim, evita-se estragar a parede e aproveita-se o melhor dela, com muita beleza e simplicidade.

Fonte: revistazunca.net

Quadro

Dicas para pendurar QUADROS

Quase tudo é permitido na hora de pendurar os quadros nas paredes, misturar estilos, molduras, cores e variar tamanhos , sendo que a sua colocação pode valorizar a decoração da casa ou acarretar um completo desastre visual. “Telas mal organizadas ou em excesso acabam com o equilíbrio de qualquer ambiente” segundo a artista C.Santiago.

As principais regras a serem seguidas para evitar erros e garantir o equilíbrio em sua decoração são:

Observe o pé direito (altura do teto) e a dos móveis antes de escolher o local para colocar o quadro. Não precisa centralizá-lo, o importante é observar o equilíbrio da composição.

Veja o exemplo :

Quadro

O quadro não está no centro da distância entre a cabeceira e o teto e sim 20cm acima da lateral da cama, e nesta altura ele dá uma perfeita sensação de harmonia, calor e vida ao ambiente.

Planejar a composição é como montar um quebra cabeças. O ideal é colocar primeiro todos os elementos que vão para a parede no chão e testar as possibilidades até chegar a combinação que você considera ideal para a sua decoração .

No caso acima, meça a distância entre os quadros no chão , levando em conta como os mesmos serão fixos e só depois com estas medidas comece a furar a parede.

Use parafusos com bucha ou pregos de aço, não faça furos muito largos para que o quadro tenha firmeza na fixação.

Preste atenção aos quadros com moldura, pois diferentemente dos painéis eles necessitam de arame preso aos pitões o que dará uma diferença de altura quando preso à parede, devendo-se aparafusar os pitões na altura de um terço de cima para baixo do quadro e ajustando o arame de acordo com a altura desejada. Atente para que o mesmo não sofra inclinação demasiada para frente.

Outras regras muito importante são:

Ao se pendurar os quadros, eles devem ficar mais ou menos na altura do olhar. Ou seja: levando-se em conta um observador de 1,70 m de altura, o centro do quadro deve ficar a mais ou menos 1,60 m do chão;

Se o quadro vai ficar em cima de um sofá, ele deve ficar pelo menos 20cm acima da altura em que uma pessoa de 1,80m encostaria a cabeça caso sentasse neste sofá e de preferência centrado com o mesmo e não com a parede onde ele é colocado;

Se o quadro for para cima da cabeceira de uma cama de casal, caso a cama não tenha espaldar o quadro deve estar a no mínimo 60 cm do colchão, e caso tenha a 20 cm do espaldar da mesma;

No caso de um ambiente que tenha um elemento marcante, como por exemplo uma mesa de jantar, o quadro deve ser centralizado pelo elemento e não pela parede.

Veja os exemplos abaixo:

Quadro
A altura esta perfeita e o quadro esta centrado com o elemento cama e não com a parede.

Quadro
O quadro esta centrado com o sofá e com altura suficiente para que a pessoa ao sentar não bata com a cabeça.

Depois destas pequenas regras, o mais importante é:

Compre o que você gosta, pois um quadro é para ser visto por muitos e muitos anos. Exponha o mesmo de uma forma que lhe dê prazer.Painéis abstratos em sua maioria não se assinam na frente para que você possa pendurá-lo na posiçào que mais lhe agradar, com uma infinidade de posições. Lembre-se, a sua casa é seu espaço e quem faz as regras é você!!

Fonte: www.decorecomarte.com.br

Quadro

Organize os quadros na parede

Como organizar quadros na parede?

Quadro

A dica é da designer de interiores Naomi Abe. "Para quem possui vários quadros, de diversos tamanhos e linguagens diferentes, o ideal é colocá-los no chão, à frente do espaço onde você gostaria de pendurá-los. Lá mesmo, no piso, faça a composição e os alinhamentos, criando assim uma harmonia entre eles." Lembrando que não precisam ter molduras iguais. A graça, o dinamismo, estão em usar modelos de diferentes texturas em harmonia.

Quadros no chão

Quadro

Se forem de tamanho grande, telas, gravuras e fotografias enquadradas podem ser colocadas no chão, encostadas na parede, em vez de serem penduradas. Mas tome cuidado para, no lugar do despojamento, a ideia não remeter à bagunça e à falta de organização. Outra opção é apoiar o quadro em um aparador ou usar um exemplar pequeno sobre livros, na estante.

Fonte: revistacasaejardim.globo.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal