Breaking News
Home / História do Brasil / Hidrografia de Limeira

Hidrografia de Limeira

PUBLICIDADE

Rio Jaguari

O município de Limeira tem como manancial de abastecimento o Rio Jaguari, que nasce na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais, passa pela grande São Paulo e vem para o interior passando por Jaguariúna, Bragança Paulista e Pedreira até chegar na Estação de Captação Jaguari, que fica entre os municípios de Cosmópolis e Americana. Depois da Captação, o Jaguari encontra-se com o Rio Atibaia, , formando assim o Rio Piracicaba.

Limeira é uma cidade privilegiada, pois além do rio Jaguari conta ainda com o Ribeirão Pinhal, manancial alternativo de abastecimento de alta qualidade, dentro dos padrões vigentes estabelecidos.

Ribeirão Pinhal

Esse Ribeirão também abastece a cidade de Limeira, ele nasce na divisa de Araras com Limeira onde é formado pelos Ribeirões Barreiro, Tabajara e Pires. Após a sua formação, ele passa pelo Bairro do Pinhal e vai se juntar ao Jaguari em Cosmópolis / Americana, na Estação de Captação.

Fonte: www.aguasdelimeira.com.br

Hidrografia de Limeira

Bacia do Ribeirão Tatu

Bacia hidrográfica é uma área de terra na qual as águas escorrem para a parte mais baixa, que é o fundo do vale, por onde correm os rios, ribeirões e córregos. Uma bacia hidrográfica é formada por sub-bacias menores, as microbacias.

A bacia do ribeirão do Tatu cobre 75% da área urbana de Limeira, num total de 40,68 km² de área, compreende o ribeirão do Tatu com 6,5 Km de extensão e mais 14 afluentes. Nasce na zona rural de Cordeirópolis e desagua no rio Piracicaba.

Possui inúmeros problemas como falta de tratamento de esgoto, poluição urbana e industrial, além de ausência quase total de matas ciliares. Sem a proteção da mata ciliar ocorre o assoreamento, isto é, vão se acumulando sedimentos como areia e terra no leito dos rios.

Como conseqüência, ocorrem a diminuição da capacidade de armazenamento de água e as enchentes na cidade.

Ribeirão Pinhal e Represa Tatu

APA – Área de Proteção Ambiental

A tentativa de criação da APA do Ribeirão do Pinhal, abrangendo toda sua sub-bacia, foi uma iniciativa para a preservação deste, uma vez que é o único manancial alternativo para captação de águas para o abastecimento urbano.

Através do COMDEMA de Limeira (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente), foram realizados, no início dos anos 90, levantamentos para a criação de uma Unidade de Conservação Municipal. Porém, a APA – Pinhal não chegou a ser criada por falta de recursos e pouco interesse político.

Ribeirão Tatu desembocando no Piracicaba

O ribeirão do Pinhal ainda não está poluído, contudo, o desenvolvimento da cidade, a ocupação inadequada do solo, a urbanização das cabeceira dos mananciais que alimentam esse ribeirão poderão comprometê-lo, como também o rio Jaguari e o rio Piracicaba.

O Consórcio Intermunicipal das bacias do Rio Piracicaba e Capivari do qual fazem parte 39 municípios, entre eles Limeira, e 20 empresas, tem como objetivo planejar atividades conjuntas entre os municípios e lutar para a recuperação e a proteção dos mananciais.

Águas na Cidade

O município de Limeira localiza-se na Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba.

A cidade situa-se, principalmente, na Bacia do Ribeirão do Tatu, mas espalha-se ainda por outras bacias limítrofes tais como: Ribeirão da Graminha, Ribeirão da Água da Serra, Ribeirão da Lagoa Nova, Ribeirão dos Pires.

hidrografia-de-limeira-4

O Ribeirão do Tatu, apesar de ser o principal curso d’água da cidade e atravessar a área urbana totalmente canalizado, encontra-se altamente poluído em decorrência do esgoto despejado diretamente em suas águas.

Em meados da década de 80, foi realizada a retificação e canalização do Ribeirão, obra que prometia sua despoluição como também acabar com as freqüentes inundações em seu curso.

Porém, devido a não conclusão do emissário de esgoto de sua margem direita o Ribeirão Tatu continua poluído e as inundações são freqüentes ainda hoje, causadas principalmente pela não remoção de uma unidade industrial no uso do canal, próximo à avenida Laranjeiras.

Um de seus principais afluentes é o Córrego da Barroca Funda com 5km de extensão e tem como afluentes os córregos do Grota e da Bovinha.

O Córrego da Bovinha localiza-se no Parque Ecológico Fausto Esteves dos Santos.

Este parque, situado entre os bairros da CECAP e do Parque das Nações, contém uma reserva significativa de vegetação, mas encontra-se abandonado pelo Poder Público. O córrego da Bovinha recebe ainda todo despejo de resíduos domiciliares, estando hoje bastante poluído.

O Ribeirão dos Pires é o principal afluente do Ribeirão do Pinhal que é manancial alternativo para a captação de águas para distribuição à população de Limeira.

Nasce ao norte da cidade e estende-se junto a área urbanizada, paralelamente à Via Anhanguera e abrange os bairros Egisto Ragazzo e Nova Limeira. Neste trecho está poluído devido ao lançamento de esgoto sem tratamento em suas águas.

Áreas de Risco Ambiental

O município de Limeira está localizado na unidade hidrográfica do Rio Piracicaba. A cidade encontra-se na Bacia do Ribeirão do Tatu. Este, percorre a área urbana no sentido noroeste – sudeste.

A rede de galerias existente na área urbana capta e direciona o escoamento superficial das águas das chuvas para pontos de lançamento, nos córregos e fundos de vales da Bacia do Tatu. Alguns desses locais são críticos, devido a problemas de erosão, inexistência de rede de drenagem ou pavimentação das ruas, que provocam constantes inundações.

Na rede de drenagem da bacia do Ribeirão do Tatu ocorrem problemas como :

* Assoreamento dos córregos por entulho, lixo, árvores e galhos;

* Falta de limpeza e proteção das margens e da mata ciliar;

* Estrangulamento da calha dos córregos, pela construção de pontes, canalização e travessia de tubulações.

Tudo isso cria diversos pontos de risco no ambiente urbano.

O Lixo e a sujeira jogados nas ruas entopem os bueiros e causam alagamento das ruas e avenidas.

É comum ver lixo no Ribeirão, arrastado pela enxurrada durante as chuvas fortes, causando inundações.

A acentuada declividade em direção às margens do Ribeirão Tatu ocasiona enxurradas fortes, colocando em risco automóveis e pedestres.

Saneamento Básico

Captação e tratamento de água

Águas de Limeira S. A é uma empresa que tem o compromisso durante 30 anos de tratar a água e o esgoto de nossa cidade, com a supervisão do Serviço Autônomo de Águas e Esgotos. Após esse tempo, os serviços e todas as melhorias realizadas voltam para o município.

Limeira é abastecida de água pelo Rio Jaguari (o Ribeirão do Pinhal é usado como alternativa). A água captada do Rio Jaguari é bombeada por mais de 15 quilômetros, através de adutoras, até a E.T.A. (Estação de Tratamento de Água) , onde é tratada e, depois, encaminhada para os reservatórios distribuídos pela cidade .

O maior reservatório é o do Jardim Mercedes (Recalque Mercedes), com a capacidade de 7 120 m3, que abastece diversos bairros e auxilia o abastecimento da área central. Há ainda captação de água através dos poços São João e Tatu, que é tratada através de sistema de cloração.

O abastecimento de água potável atinge 100% de Limeira.

Coleta e tratamento de esgoto

Limeira conta atualmente com três tipos de estações de tratamento de esgoto. A ETE do bairro da Graminha e dos Lopes funcionam através de lagoas de estabilização.

A ETE Nova Limeira será desativada e seu esgoto bombeado para a ETE Tatu , que usa processos mais modernos de tratamento .

O trecho do Ribeirão do Tatu, que atravessa a área urbana de Limeira, ainda recebe uma carga poluidora de rejeitos urbanos e industriais, tornando-se um esgoto a céu aberto. Está em andamento a implantação do Projeto da ETE Tatu.

Já existe um interceptor na margem esquerda do ribeirão que leva os esgotos até a ETE, onde recebem tratamento biológico e são novamente despejados no Tatu.

Está em construção o interceptor da margem direita. Quando o Projeto da ETE Tatu estiver concluído a redução da carga orgânica dos esgotos será de 80%, recuperando a qualidade da água do ribeirão.

Hoje, a coleta de esgoto atinge 99% dos bairros de Limeira.

Saneamento Básico – Distribuição e Reservação de Água

A Estação de Tratamento de Água (E.T.A.) , situada na Via Anhanguera, recebe água bruta do Rio Jaguari que passa pelo processo de tratamento de água convencional.

A água tratada é encaminhada para dois reservatórios semi-enterrados e , a partir destes, vai para o sistema de distribuição. Da E.T.A., a água é recalcada (bombeada) para os reservatórios do Olga Veroni, Jardim Hortência, Mogi Mirim e Parque Egisto Ragazzo.

A água chega ao reservatório do Jardim Mercedes por gravidade, e deste é recalcada para outros reservatórios. Existem 21 Centros de Reservação de Água distribuídos pelos bairros da cidade .

Uma parte da água tratada alimenta a rede, outra parte é recebida pelos reservatórios, que irão abastecer a rede nas horas de muita demenda.

Fonte: www.limeiraonline.com.br

Veja também

Presidentes da Câmara Municipal de Limeira

PUBLICIDADE A partir de 22 de julho de 1844 DATA(S) NOME(S) 1844/1845 Cap. Manoel José …

Personagens da História de Limeira

PUBLICIDADE Capitão Luiz Manoel da Cunha Bastos O fundador de Limeira nasceu em Portugal, na …

Hino da Cidade de Limeira

PUBLICIDADE Música: Prof.ª Dyrcéia Ricci Ciarrochi Letra: Dr. Guilherme Mallet Guimarães Harmonização: Mário Tintori Chão …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.