Breaking News
Home / Esportes / Nado de Peito

Nado de Peito

PUBLICIDADE

Nado Peito é um dos quatro estilos competitivos.

É também um valioso estilo de sobrevivência. Ao nadar o nado peito, o nadador está de frente na água e as ações de braço e perna são simétricas. O nadador inspira no início de cada braçada.

Nado Peito é o único estilo competitivo em que o retorno do braço é condusido sob a água e em que uma grande quantia de resistência frontal é experimentada.

A ação do braço é um movimento para fora, movimento para baixo e movimento para cima com retorno em uma posição alongada.

A batida de perna do nado peito é provavelmente a mais difícil de todas as pernadas para os nadadores dominarem e pode levar algum tempo. A ação da perna é simultânea e às vezes é descrita como “chicotada”. Além da respiração, a sincronia correta dos braços e pernas é muito importante.

Nadadores são estimulados a desenvolverem boas habilidades de alongamento ao realizarem o estilo peito e viradas e chegadas corretas precisam ser reforçadas.

O ensino de uma “braçada parcial” nas etapas de início e virada da natação é muito importante.

Um pouco de história

Antes de 1960, a pernada de peito era ensinada como uma ação de cunha.

Os nadadores estendiam suas pernas num V invertido e, em seguida, tentavam esguichar uma cunha de água para trás, ao juntarem firmemente as pernas. Coulsilman (1968) apresentou a pernada em cunha , a qual ao comprimir as pernas porvocava maior deslocamento. Na época, o treinador James Coulsilman e o nadador Chet Jastremski, praticante do nado de peito, revolucionaram a pernada deste nado com uma ação das pernas num estilo de chicotadas estreitas.

Pernada fases:

Cunha
Chicotada
Hélice

Nado de Peito
Pernada do nado peito

Propulsão de Pernas

Recuperação: aproximação dos pés até os glúteos.
Movimentação diagonal das pernas (semelhante a uma hélice) na qual os pés palmateiam para fora, para baixo, para dentro e para trás.
Sola dos pés são propulsivas deslocando água pra trás.
Varredura para fora
: movimento circular para fora e para trás até o agarre, havendo flexão da coxa estando os pés flexionados e voltados para fora.

Fase não propulsiva e de baixa velocidade.

Varredura para dentro: movimento para baixo, para trás e para dentro até que estejam completamente estendidas e unidas.

Fase propulsiva (durante a fase descendente) e de velocidade alta.

Sustentação e deslize

No fim do seu trajeto interior, os pés deixam de exercer pressão na água com a face plantar, uma vez que os músculos responsáveis pela sua flexão se descontraem. Os pés retomam assim, uma posição de flexão plantar, mais propícia em fases não propulsivas, prosseguindo o seu trajeto para dentro e para cima, até as pernas estarem completamente juntas e alinhadas com o tronco.

Este curto momento de deslize permite uma boa sincronização entre os ciclos de braços e de pernas, decorrendo nesta fase a totalidade do trajeto propulsivo dos membros superiores.

Nado de Peito
Nado de Peito

Bruços ou de peito é o mais antigo dos estilos de natação. Já no século XVI, havia uma maneira de nadar com os movimentos dos braços parecidos com o estilo atual. Naquele período, no entanto, os pés ainda eram batidos alternadamente (semelhante a um pontapé). Desse método é que originou o nado de peito. Em 1798, o nado de peito já era o estilo mais praticado em toda a Europa.

A Saída

A saída do nado de peito é feita do bloco de partida. Em comparação com os nados crawl e borboleta, o mergulho da saída do nado peito é um pouco mais profundo, para que o nadador aplique a braçada e a pernada ainda durante o mergulho, o que é chamado de filipina e garante melhor desenvoltura do nado. O nadador deve observar com atenção o posicionamento dos joelhos. Eles não podem estar muito a frente na preparação da pernada.

Isso gera uma falha: o quadril sobe, o que produz atrito e enfraquece a potência da pernada.

O Estilo

Para os iniciantes, recomenda-se, em primeiro lugar, o aprendizado correto da batida de pernas. Esse movimento é de grande importância para a sustentação, o equilíbrio e a impulsão do nadador. Inicialmente, as pernas devem ser estendidas fortemente para trás. No momento em que as pernas são esticadas, o corpo tende a ficar na horizontal.

Braçada

No início da primeira braçada após a saída e a cada volta, o nadador deve estar sobre o peito. Ocasionalmente, o nadador pode ter um braço ligeiramente mais alto que o outro, mas se os movimentos dos braços são simultâneos e no mesmo plano horizontal, o estilo está correto. A chave para observar os braços é estar certo que se movimentam simultaneamente. A maioria das infrações ocorre com nadadores jovens, que ainda não tem uma boa coordenação.

As mãos devem ser lançadas juntas para a frente a partir do peito, abaixo ou sobre a água. Os cotovelos devem estar abaixo de água exceto para a última braçada antes da volta, durante a volta e na braçada final da chegada. As mãos devem ser trazidas para trás na superfície ou abaixo da superfície da água. As mãos não podem ser trazidas para trás além da linha dos quadris, exceto durante a primeira braçada após a saída e em cada volta.

Durante cada ciclo completo de uma braçada e uma pernada, nesta ordem, parte da cabeça do nadador deve quebrar a superfície da água, exceto após a saída e após cada virada, quando o nadador poderá dar uma braçada completa até as pernas e uma pernada enquanto completamente submerso. A cabeça tem que quebrar a superfície da água antes que as mãos virem para dentro na parte mais larga da segunda braçada.

Pernada

Todos os movimentos das pernas devem ser simultâneos e no mesmo plano horizontal, sem movimentos alternados. Os pés devem estar virados para fora durante a parte propulsiva da pernada. Não são permitidos movimentos em forma de tesoura, pernada vertical alternada ou de golfinho. É permitido quebrar a superfície da água com os pés, exceto seguido de uma pernada de golfinho.

A Virada

Para virar, o nadador precisa tocar a borda com as duas mãos, ao mesmo tempo e na mesma altura. Depois disso, o braço do lado para o qual o corpo vai virar é lançado de volta à piscina acima da cabeça. A outra mão empurra a borda para jogar a cabeça em sentido contrário. Ao mesmo tempo, os joelhos são direcionados para a borda até que os pés consigam tocá-la. Nesse momento, as mãos já devem estar juntas a frente, preparando-se para a retomada dos movimentos.

A Respiração

No momento em que o nadador estende as pernas, o corpo sobe, o que possibilita a elevação dos quadris. Com isso, automaticamente, o nadador retira a cabeça da água para respirar, do meio para o final da braçada. No início da propulsão, quando os braços ficam estendidos, o rosto do nadador está submerso, tendo a linha da água na altura da testa. Durante os movimentos dos braços, o nadador, lentamente, começa a expirar pela boca.

IMPORTANTE: A respiração muito adiantada diminui o ritmo do estilo. O peito é o nado mais difícil por causa de tantas respirações.

Ensinando Nado Peito — Batida de Perna

Pratique a batida de perna do nado peito no deque da piscina

Pontos de Ensino

1. Nadador fica com o rosto para baixo no deque da piscina.
2. As pernas estão totalmente alongadas e tornozelos juntos, dedos apontados.
3. Puxe os calcanhares para cima em direção aos glúteos.
4. Vire os dedos do pé para fora.
5. Mantenha os calcanhares mais ou menos ma mesma direção dos quadris.
6. Chute para trás.
7. Finalize com os dedos apontados.

Pratique a batida de perna do nado peito na borda da piscina

Pontos de Ensino

1. Faça o nadador sentar na borda da piscina com as pernas juntas, calcanhares na parede.
2. Nadador vira o pé para fora, fazendo um formato em “V” — dorsi-flexionado.
3. Mantendo os joelhos juntos, mova os calcanhares pela parede.
4. Faça os nadadores baterem as pernas — “chicotar” — até ambos os pés estarem alongados na frente, dedos apontados para cima.
5. Retorne os calcanhares para a parede.

Dicas de treinamento

Quando o nadador estiver sobre sua barriga no deque da piscina, isto evitará que os joelhos subam sob a barriga.
Inicialmente, você pode ter que segurar os pés para que os dedos fiquem flexionados; traga os calcanhares até os glúteos.
Ajude o nadador a manter um ângulo de 90 graus nos joelhos.

Pratique a batida de perna de nado peito enquanto está na água

Pontos de Ensino

1. Em pé com água na altura do peito, agarre a lateral da piscina, no nível da água se possível.
2. Segurando na lateral da piscina, alongue o corpo para a posição frontal.
3. As pernas estão alongadas, joelhos e pés juntos.

Nado de Peito

Nado de Peito

4. Leve os calcanhares até os glúteos.
5. Vire os pés para fora, com calcanhares quase da mesma altura dos quadris.
6. Chute para trás, mantendo os calcanhares próximos à superfície da água.

Dicas de treinamento

Nadador fica em pé com água na altura da cintura, agarra a lateral da piscina, segurando na calha.
Auxilie o nadador, se necessário, a manter o quadril para cima ao praticar a batida.
Certifique-se de que os joelhos não estão subindo abaixo da barriga trazendo os calcanharem até os glúteos.
Vire os dedos do pé para fora. Segure os pés, se necessário, auxiliando o nadador a sentir os dedos dos pés apontando para fora.
Com os calcanhares nos glúteos, separados aproximadamente na altura dos quadris, chute para trás até que os pés estejam juntos com as pernas completamente alongadas.
Certifique-se de não rodar demais os joelhos ao ajudar o nadador a virar os pés para fora.

Pratique a batida de perna de peito por 15 metros

Pontos de ensino

1. Nadador fica com a água na altura do peito.
2. Nadador segura um kickboard com uma mão de cada lado, braços completamente alongados.

Nado de Peito

3. Nadador realiza batida de perna de peito por 15 metros.

Nado de Peito

4. Nadador executa de dois a três batidas em seqüência com seu rosto na água.

Nado de Peito

Dicas de treinamento

Nadador fica com a água na altura do peito.
Nadador segura um kickboard com as mãos em ambos os lados, mantendo os braços retos.
Nadador pratica batida de perna de peito por 15 metros.
Siga atrás do nadador, segurando seus pés e guiando-os no movimento adequado, se necessário.
Nadador faz de duas a três batidas em seqüência com seu rosto na água.
Dois kickboards podem ser usados, um sob cada braço para melhor equilíbrio.
O nadador pode segurar uma prancha contra seu peito. Isto ajudará na flutuação, mantendo as pernas juntas.
Em uma posição alongada, faça o nadador empurrar a parede, fazer duas a três batidas de perna de peito, e depois retornar para a posição em pé.
Com as mãos do nadador em seu lado, faça o nadador empurrar a parede nas suas costas e realizar batida de perna de peito nas costas. Isto também é chamado de batida de perna nado peito de sobrevivência.

OU

Faça o nadador dobrar os joelhos trazendo os calcanhares de volta em direção aos glúteos.
Vire os pés para fora.
Mantendo os joelhos juntos, realize uma “chicotada”, unindo os pés novamente e terminando com o corpo em uma posição alongada.

Pratique a braçada de nado peito em terra

Pontos de Ensino

1. Em pé no deque da piscina, dobre até a cintura e estenda os braços na frente da cabeça. Mantenha as palmas das mãos para baixo.
2. Flexione levemente os pulsos, dedos apontando levemente para baixo.

Nado de Peito

3. Comece a braçada com os braços pressionando para fora e para baixo.
4. À medida que a pressão continua, os cotovelos se dobram para estabelecer uma posição de cotovelo mais elevada.

Nado de Peito

5. Empurre os braços e mãos longe dos ombros. As mãos são lançadas para dentro e pressionadas juntas.
6. Com os braços e mãos apertados juntos, os braços são alongados para frente, o mais longe possível, em uma posição alongada.

Nado de Peito

Dicas de treinamento

Nadador alonga os braços totalmente para frente em uma posição alongada.
Fique em pé no deque atrás do nadador. Mova seus braços através do padrão de braçada adequado diversas vezes.
Ênfase é dada a manter os cotovelos altos e próximos do corpo durante a pressão para trás.
As mão vão para frente para a posição de retorno, prontas para a próxima puxada.
Nadador fica com a água na altura do peito e pratica a técnica acima. Estimule o nadador a “sentir a água” a cada puxada de braço.

Pratique a puxada do nado peito em água na altura do peito sem a pernada

Pontos de Ensino

1. Nadador fica com a água na altura do peito e coloca um kickboard ou pull buoy entre as pernas.
2. Assume a posição frontal de flutuação.
3. Nadador realiza puxada do nado peito.
4. Pressione o corpo para frente com as mãos.
5. Quando as mãos estiverem nos ombros, “solte” a água e “atire” as mãos para frente para a posição inicial.
6. Conforme o corpo desliza para cima e para frente, contato visual é feito com o final da piscina.
7. Ao término da braçada, os olhos olham de novo o fundo da piscina.
8. O queixo é impulsionado para frente para respiração.

Empurre as mãos para fora, levemente mais amplas do que os ombros.

Nado de Peito

Leve as mãos para baixo, impulsionando o corpo para frente e para fora.

Nado de Peito

As mãos se juntam, voltadas uma para outra, completando a fase propulsora da braçada.

Nado de Peito

Dicas de treinamento

Para auxliar no desenvolvimento da ação de braço correta, faça o nadador usar pés de pato e use uma batida voadora bem suave em vez de uma batida de nado peito. Pés de pato podem ser usados em exercícios de nado peito onde a ênfase é colocada no desenvolvimento e manutenção de boa técnica de braçada.
Nadador assume a posição de flutuação frontal com um dispositivo de flutuação entre as pernas.
Braços estão completamente alongados, pressionando as orelhas com as costas das mãos juntas; corpo está alongado.
Olhos estão focados no fundo da piscina.
O nadador pressiona as mãos para fora, para baixo e para dentro, levando os cotovelos para a lateral do corpo, depois empurrando os braços para frente, alinhados com os ombros, para uma posição alongada.
O nadador pode usar uma pequena pernada de borboleta, usando pés de pato, se disponíveis, para manter o equilíbrio.
O técnico pode também manter o nadador suspenso na cintura, ou fazê-lo usar um dispositivo de flutuação.
Estimule o nadador a fazer de três a cinco puxadas par ajudar a desenvolver ritmo e “sentido pela água”.
Cotovelos tocam as laterais do corpo ao puxar para frente.
Estimule a concentração em pressionar com as mãos, não liderar com os cotovelos.
Tente fazer o nadador “sentir a água”.

Ensinando Respiração Nado Peito — Tempo

Pratique o nado peito com respiração regular por 15M

Pontos de Ensino

1; Fique em pé na água na altura do peito, dobrando na cintura.
2. Respire.
3. Coloque o rosto na água e fique em posição alongada.

Nado de Peito

4. À medida que começa a braçada, empurre o queixo para frente o bastante para que a boca limpe a superfície e respire conforme as mãos ficam abaixo dos ombros.

Nado de Peito

5. “Salte” as mãos para frente para o retorno.

Nado de Peito

6. Realize o nado peito, respirando a cada braçada, conforme descrito acima, por 15 metros.

Nado de Peito

Dicas de treinamento

Faça o nadador assumir uma posição de flutuação frontal.
Comece com os braços alongados completamente sobre a cabeça — alongados.
Olhos estão voltados levemente para frente no fundo da piscina.
Comece a braçada com as costas das mãos juntas e as palmas das mãos para baixo.
As palmas são pressionadas para fora e para cima para começar, junto com a dobra dos cotovelos.
“Salte” as mãos para frente para o retorno.
Os calcanhares começam sua batida no ponto em que as mãos começam a pressionar.
Conforme as mãos “saltam” para frente, os pés são impulsionados (“chicoteados”) para trás.
O ritmo do tempo é — puxar — chutar — deslizar com mãos para frente.

Gráfico de faltas e posições

Erro Correção Referência de treino / teste
Respiração/braçada no
momento incorreto.
• Verifique a posição dos
braços do nadador na
puxada.
• Geralmente, o tempo de
respiração será incorreto
porque as mãos/braços
estão sendo puxados para
os quadris e não abaixo do
peito.
1) Usando pés de pato,
pratique ação correta do
braço.
2) Use batida voadora
suave ao realizar este
exercício.
Respiração no momento
incorreto.
Verifique a posição da cabeça
durante o retorno.
1) Enfatize a importância
de colocar o rosto na
água somente na linha
do cabelo.
2) Não molhe o topo da
cabeça.
Posição do corpo angulada ou
puxando para um lado.

Verifique se braçadas e
batidas de perna são
simultâneas e a mesma
quantia de puchada/batida
está sendo realizada de cada lado
1) Pratique batida de
perna com/sem prancha;
introduza exercícios específicos de batida de
perna.
2) Pratique puxada
correta do braço
com/sem pés de pato.
O corpo não se move
rapidamente ou suficientemente
longe sob a água na
largada/virada. Braços serão
separados.
Assegure que o nadador está
em uma posição alongada.
1) Pratique muitas flexões
na parede em uma
posição alongada.
2) Tente fazer o nadador
ver o quão longe ele/ela
pode ir sob a água.
Batida de perna desigual/ou
quadril mais alto de um lado
durante a natação.
Assegure que ambos os pés
estejam virados para fora
corretamente e que a batida
de perna seja uniforme e
simultânea.
Pratique exercícios
específicos para estimular
batida de perna e
posicionamento do corpo
corretos.

Dicas dos Técnicos para Nado Peito — Imediatas

Dicas de treinos

1. Assegure que o nadador pode manter uma boa posição corporal alongada.
2. Verifique se o nadador é capaz de virar os pés sem se machucar.
3. Verifique se o nadador tem boa rotação dos joelhos.
4. Use pés de pato para ajudar a desenvolver e manter boa ação dos braços.
5. Introduza exercícios específicos para ajudar com batida de perna, ação de braço e todo o estilo.
6. Decomponha a habilidade.
7. Verifique o momento correto da batida de perna/ação de braço e respiração.
8. Estimule o nadador a sempre terminar na parede tocando com ambas as mãos.

Dicas de competição

1. Pratique muitas largadas e chegadas.
2. Assegure que o nadador pode realizar uma braçada parcial; se não, estimule bom alongamento.
3. Sempre pratique a chegada em batida completa e tocando a parede com ambas as mãos.
4. Lembre o nadador de não olhar em volta ao competir. Fazer isso pode causar desclassificação e fazer os quadris caírem para um lado.

REGRAS – FINA

NADO DE PEITO SW 7

SW 7.1 – Após a saída e em cada volta, o nadador pode dar uma braçada completa até as pernas, enquanto o nadador estiver submerso. Uma única pernada de golfinho é permitida durante a primeira braçada, seguida de uma pernada de peito.

SW 7.2 – A partir da primeira braçada após a saída e após cada virada, o corpo deve ser mantido sobre o peito. Não é permitido ficar na posição de costas em nenhum momento. A partir da saída e durante a prova, o ciclo do nado deve ser uma braçada e uma pernada, nessa ordem. Todos os movimentos dos braços devem ser simultâneos e no mesmo plano horizontal, sem movimentos alternados.
SW 7.3 – As mãos devem ser lançadas junto para frente a partir do peito, abaixo ou sobre a água. Os cotovelos deverão estar abaixo da água exceto para última braçada antes da volta, durante a volta e na última braçada antes da chegada. As mãos deverão ser trazidas para trás na superfície ou abaixo da superfície da água. As mãos não podem ser trazidas para trás além da linha dos quadris, exceto durante a primeira braçada, após a saída e em cada volta.
SW 7.4 – Durante cada ciclo completo, alguma parte da cabeça do nadador deve quebrar a superfície da água. A cabeça tem que quebrar a superfície da água antes que as mãos virem para dentro na parte mais ampla da segunda braçada. Todos os movimentos das pernas devem ser simultâneos e no mesmo plano horizontal sem movimentos alternados.
SW 7.5 – Os pés devem estar virados para fora durante a parte propulsiva da pernada. Não são permitidos movimentos em forma de tesoura, pernada vertical alternada ou golfinho, exceto o descrito na SW 7.1 . É permitido quebrar a superfície da água com os pés, exceto seguido de uma pernada de golfinho.
SW 7.6 – Em cada virada e na chegada da prova, o toque deve ser feito com as duas mãos simultaneamente, acima, abaixo ou no nível da água. A cabeça pode submergir após a última braçada anterior ao toque, contanto que quebre a superfície da água em qualquer ponto durante o último completo ou incompleto ciclo anterior ao toque.

Fonte: specialolympics.org/files.ctagd.webnode.pt

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Arremesso de Peso

Arremesso de Peso

PUBLICIDADE O arremesso de peso é uma prova de atletismo moderno. A pessoa impulsiona uma …

História das Olimpíadas

História das Olimpíadas

Os Jogos Olímpicos começaram em 776 a.C. em Olímpia, na Grécia antiga, e duraram por mais de mil anos.

Rivellino

Rivellino

Rivellino, Roberto, Jogador, Futebol, Clubes, Títulos, Seleção Brasileira, Gols, Faltas, Cobrador de Faltas, Corinthians, Vida, Carreira, Rivellino

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.