Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Mumificação  Voltar

Mumificação

 

Os egípcios não viam a morte como um fim, mas como o início de uma nova existência. Para a viagem ao Além, cercavam-se de tudo o que tinham usado em vida. Móveis, alimentos e jóias eram colocados nos túmulos junto ao corpo mumificado.

Os egípcios acreditavam que o corpo era constituído de diversas partes: O bá, ou alma, o ka, ou a força vital, o akh, ou força divina inspiradora de vida.Para alcançar a vida depois da morte, o ka necessitava de um suporte material, que habitualmente era o corpo (khet) do morto.

Este deveria manter-se incorrupto, o que se conseguia com a técnica da mumificação.

Os sacerdotes funerários encarregavam-se de extrair e embalsamar as vísceras do corpo.

O tipo de mumificação variava conforme a classe social a que o defunto pertencia.A técnica de embalsamar era muito complicada, e os sacerdotes deviam ter conhecimentos de anatomia para extrair os órgãos sem danifica-los.

Durante o processo de mumificação, os sacerdotes colocavam uma série de amuletos entre as ataduras com que envolviam o cadáver, nas quais estavam escritas fórmulas destinadas sobrevivência dos mortos.

Uma vez preparado o cadáver e depositado no sarcófago, fazia-se uma procissão que o conduzia ao tumulo. Abrindo o cortejo ia o sacerdote funerário, a qual se seguiam vários pertences ao morto.Esses objetos tinham a missão de lhe proporcionar comodidade no além.

O sarcófago era conduzido por um trenó , em quanto outro levava os vasos canopos (explicados mais a frente).

Quando a procissão chegava ao túmulo, o sacerdote realizava o ritual de abrir a boca da múmia, com qual se acreditava que ela voltava a vida.

Todo o material funerário, juntamente com o sarcófago e as oferendas, era depositado no túmulo,que a seguir, era selado para que nada perturbasse o repouso do defunto.

Assim o morto iniciava um novo percurso pelo mundo além do túmulo. Anupu, guardião das necrópoles e Deus da mumificação, levava-o perante OSÍRIS, soberano do reino dos mortos, o qual, juntamente com outros Deuses, realizava o chamado piscicostasia, em que o coração do defunto era pesado.

Se as más ações fossem mais pesadas que uma determinada pena, o morto era devorado por um monstro.

Se passasse satisfatoriamente por essa prova, podia percorrer o mundo subterrâneo, cheio de perigos, até o paraíso.

VASOS CANOPOS

Mumificação
Vasos Canopos

As vísceras, depois de extraídas do corpo do defunto, eram lavadas e embalsamadas.A seguir, eram depositadas em quatro vasos, representando divindades chamadas FILHOS DE HÓRUS, que as protegiam da destruição.

Esses vasos, com tampas em forma de homem, de macaco, de chacal e de falcão, são conhecidos como vasos canopos, ou simplesmente vasos de vísceras.Seu nome talvez se deva à cidade de Canopos, perto de Alexandria, onde Osíris era adorado com o vaso com cabeça humana.Segundo outra versão, canopo era um personagem mitológico grego, piloto de Menelau, que morreu de forma trágica e foi enterrado no Egito.Os vasos canopos eram introduzidos em uma caixa que, durante o cortejo fúnebre, era conduzida por um trenó.

MÁSCARAS FUNERÁRIAS

Mumificação
Máscara de uma Princesa do Médio Império

O defunto devia ser reconhecido no além. Por isso, por cima das ataduras do corpo mumificado, colocava-se uma máscara com o retrato idealizado do morto.As máscaras dos faraós eram feitas de ouro e de lápis-lazúli.Segundo a lenda, a carne dos deuses era de ouro, seu cabelo de lápis-lazúli, e os ossos de prata, material muito raro no Egito.

Os faraós eram representados como o deus Osíris, soberano dos mortos.Na cabeça, levavam o nemes , adorno listrado enfeitado na parte da frente, com a serpente protetora dos faraós.Os braços ficavam cruzados sobre o peito.Numa das mãos seguravam o centro real e na outra um chicote.(veja em sarcófagos).

ANUPU, DEUS DA MUMIFICAÇÃO

Mumificação

O Deus Anupu era o guardião das necrópoles e,segundo alguns egípcios, estava presente na processo de mumificação.Sua cabeça em forma de chacal, que representava o seu animal favorito, evocava os animais que vagueavam pelos túmulos.

Os sacerdotes embalsamadores tinham-no como patrono e, quando organizavam o ritual da mumificação, colocavam uma máscara de chacal, adotando o papel de Anupu.

Nesta pintura do túmulo de Sennedjen, em Tebas,vê-se o deus Anupu, com corpo de homem e cabeça de chacal , junto do defunto já mumificado.

Para cobrir a cabeça e os ombros da múmia,colocava-se uma máscara funerária, que representava o retrato do morto.Habitualmente , ultilizavam materiais preciosos.

O leito sobre qual a múmia repousa têm forma de um leão.Esse animal é um motivo muito comum na decoração de mobiliário funerário.

Anupu coloca as mãos sobre o defunto ara tirar o seu coração e leva-lo para o tribunal, onde será pesado.no seu lugar, põe um amuleto em forma de escaravelho.

Depois de mumificado, o corpo era envolvido com ataduras espargidas com resinas e óleos.Foram encontradas múmias com até 20 camadas de ataduras.

ESCARAVELHO DO CORAÇÃO

Entre as camadas de ataduras eram colocados vários amuletos.Alguns tinham forma de escaravelho, de olhos ou de pilares, e eram autenticas jóias.Destinavam-se a protegero defunto contra os perigos que o esperavam no outro mundo.UM escaravelho, como o que parece na imagem,, era colocado no lugar do coração.Na sua face posterior, tinha gravado um capítulo do LIVRO DOS MORTOS, que fazia referência a psicostasia.Nele, o defunto pedia a seu coração que não o contradissesse e que não o desmentisse diante dos Deuses.

OS UCHEBTIS

Mumificação

Os uchebtis, palavra que significa "os que respondem", eram pequenas estatuetas colocadas no túmulo para servir o defunto no além.Os mais valiosos eram feitos de ouro e lápis-lazúli, mas também havia os fabricados em terracota, madeira,pedra ou faiança..Muitas vezes, eram figuras masculinas, com um arado um uma enxada e um cesto às costas.Na parte da frente, escrevia-se um capitulo do LIVRO DO MORTOS.Ao recitar esse texto, ganhavam vida e podiam trabalhar no lugar do morto.Em alguns túmulos, encontraram-se 365 uchebtis, cada um correspondendo a 1 dia do ano.Nos túmulos dos faraós , o número de uchebtis pode ser até superior.

SARCÓFAGOS

Mumificação

A múmia era colocada em um sarcófago ,que podia ser em pedra, de madeira com materiais preciosos , ou simplesmente de madeira.Inicialmente, os sarcófagos, eram retangulares , porém, mais tarde foram construídos com o formato de ser humano, como o que se pode ver na imagem , que servia para guardar as víceras de Tutancâmon e faz parte do tesouro desse faraó

SELO DO TÚMULO

Mumificação

Depois de o defunto ser colocado no túmulo, este era fechado e selado para que ninguém entrasse.Os selos eram de argila e tinham gravado o nome do personagem, assim como várias imagens que faziam referência à necrópole.

Dentro da câmara funerária de Tutancâmon , Carter encontrou quatro santuários.O primeiro tinha sido arrombado, mas o segundo ainda continha o selo.Nele vê-se um chacal, que representa o Deus Anupu,guardião das necrópoles, e nove personagens cativos, ajoelhados e com as mão atadas nas costas

CORTEJO FÚNEBRE

Mumificação
Esta pintura é proveniente do túmulo de Ramose ou Ramés, vizir da cidade de Tebas, e data do Novo Império.

Os objetos que os criados levavam nos cortejos fúnebres permitem-nos conhecer vários aspectos do dia-a-dia no Antigo Egito.Nas representações dos cortejos, podemos ver jarras, cofres, cadeiras, camas roupas, alimentos e muitas outras coisas.

Esses objetos tinham a missão de lhe proporcionar comodidade no além.
Cofres em forma de sarcófago destinados a guardar objetos feitos de materiais valiosos.
Cadeira do defunto ricamente decorada, com pernas em forma de garras de leão.
Jarras com óleos perfumados destinados ao defunto.
Saiote de linho branco plissado e preto á cintura. No novo império, usava-se uma túnica sobre esse saiote.
Instrumento de escrita (na mão do 5º criado. Pode-se observar uma paleta com orifício para as para as tintas vermelhas e preta, cálcamos para escrever e alguns papiros. O fato de se representarem esses instrumentos não implica que o fefunto fosse escriba, pois o material funerário dos Faraós também incluía paletas e cálcamos.

Fonte: geocities.yahoo.com.br

Mumificação

A necessidade de preservar o corpo após a morte era central para antigas crenças religiosas egípcias.

Mumificação era uma técnica de preservação complicada que levou até 70 dias para ser concluído.

Para evitar que o corpo a partir de decomposição rápida, muitos dos órgãos internos foram removidos.

Os pulmões, estômago, fígado e intestinos foram depositam um canopo com uma cabeça em forma diferente, como a tampa, cada um representando um dos quatro deuses egípcios.

Estes eram conhecidos como os Filhos de Horus e cada filho olhou depois de uma parte diferente do corpo.

A cabeça de falcão Qebhsnuf cuidava dos intestinos, o Duamutef cabeça de chacal protegida do estômago e do Hapi com cabeça de babuíno cuidavam dos pulmões. Tampas com cabeça de humanos representam Imsety, que era o guardião do fígado.

No entanto, acredita-se esta parte do processo de mumificação pode ter dado os egípcios algum conhecimento dos órgãos internos, embora as pessoas carregando-o para fora, sacerdotes ou os seus agentes, não estudou os órgãos, mas simplesmente colocou no frasco apropriado.

O corpo foi depois preservado com natron, uma mistura natural de carbonato de sódio e bicarbonato de sódio.

Pacotes de natrão foram colocados no interior do corpo, que foi então envolto em linho embebido de natrão.

Após o natrão tinha absorvido os fluidos do corpo, que foi removido, o corpo foi lavado e da cavidade do corpo cheio de maços de linho embebido em resina.

Estava embrulhado em seguida, em até 20 camadas de roupa antes de serem colocados em um de madeira, muitas vezes elaboradamente pintados, caixão para o enterro.

Mumificação
Anúbis, um deus associado com a vida após a morte tendendo uma múmia

Mumificação
Múmia

Fonte: www.sciencemuseum.org.uk

Mumificação

Os primeiros egípcios enterravam seus mortos em pequenas covas no deserto.

O calor ea secura da areia desidratavam os corpos rapidamente, criando "múmias" realistas e naturais.

Mais tarde, os antigos egípcios começaram a enterrar seus mortos em caixões para protegê-los de animais selvagens no deserto.

No entanto, eles perceberam que os corpos colocados em caixões deteriorado quando eles não foram expostos a areia quente e seco do deserto.

Durante muitos séculos, os antigos egípcios desenvolveram um método de preservação de corpos para que pudessem permanecer realistas.

O processo incluiu embalsamar os corpos e envolvendo-os em tiras de linho.

Hoje chamamos isso: processode mumificação.

O que é

Mumificação é o nome do processo aprimorado pelos egípcios em que retiram-se os principais órgãos, além do cérebro do cadáver, dificultando assim a sua decomposição.

Geralmente, os corpos são colocados em sarcófagos e envoltos por faixas de algodão ou linho. Após o processo ser concluído são chamadas de múmias.

Embalsamando o corpo

Parte 1

Mumificação

Primeiro, o corpo era levado para um local conhecido como 'ibu' ou o 'lugar da purificação'. Lá os embalsamadores lavavam o corpo com essências aromáticas, e com água do Nilo.

Parte 2

Mumificação

Um dos embalsamadores fazia um corte no lado esquerdo do corpo do embalsamado e removia os órgãos internos. Isso era importante porque essas partes do corpo são as primeiras a entrar em decomposição.

O coração - reconhecido como o centro da inteligência e força da vida - era mantido no lugar mas o cérebro era retirado através do nariz e jogado fora. - No passado, os órgãos internos eram armazenados em jarras canópicas.

Mumificação

Em seguida, o corpo era empacotado e coberto com natro, um tipo de sal, e largado para desidratar durante 40 dias. Após esse período era empacotado com linho ensopado de resina, natro e essências aromáticas e as cavidades do corpo eram tampadas.

Finalmente, ele era coberto de resina e enfaixado, com os sacerdotes colocando amuletos entre as camadas. Todo o processo - acompanhado de orações e encantamentos - levava cerca de 70 dias mas preservava os corpos durante milhares de anos.

Mumificação

Uma haste comprida em forma de anzol era usada para fisgar o cérebro e puxá-lo através do nariz.

DADO CURIOSO

Egípcios comuns não eram mumificados, mas enterrados em sepulturas, onde as condições do deserto quente e seco mumificavam os corpos naturalmente.

Parte 3

Mumificação

O corpo era empacotado e coberto com natro, um tipo de sal, e largado para desidratar durante 40 dias. Os órgãos remanescentes eram armazenados em jarras canópicas, para serem sepultados junto com a múmia.

Parte 4

Mumificação

Após 40 dias o corpo era lavado com água do Nilo. Depois era coberto com leos aromáticos para manter a pele elástica.

Parte 5

Mumificação

Os órgãos internos desidratados eram enrolados em linho e recolocados na múmia. O corpo também era recoberto com serragem e folhas secas.

Mumificação

Parte 6

Mumificação

Os deuses dos órgãos das múmias

No passado, os órgãos internos retirados das múmias eram armazenados em jarras canópicas.

Muitos anos depois a prática de embalsamamento foi mudada e os embalsamadores começaram a recolocar os órgãos no corpo do falecido após terem sido desidratados em natro.

Mumificação
Imsety o deus com cabeça de humano velava pelo fígado.

Mumificação
Hapy o deus com cabeça de babuíno guardava os pulmões.

Mumificação
Duamutef o deus com cabeça de chacal tomava conta do estomago.

Mumificação
Qebehsenuef o deus com cabeça de falcão vigiava os intestinos

Enrolamento da múmia

Parte 1

Mumificação
Primeiro a cabeça e o pescoço eram enrolados juntamente com tiras de fino linho. Em seguida os dedos e o restante do corpo individualmente.

Parte 2

Mumificação
Os braços e as pernas eram enrolados separadamente. Entre as ataduras do embalsamado eram colocados amuletos para proteger o corpo na sua jornada no outro mundo.

Mumificação
"Laço de Ísis" amuleto para proteger o corpo.

Mumificação
"Prumo ou Nível", amuleto que mantinha o equilíbrio na próxima vida

Parte 3

Mumificação
Uma sacerdotisa proferia encantamentos enquanto a múmia ia sendo enrolada. Esses encantamentos ajudavam o morto a se livrar dos espíritos malignos na outra vida.

Parte 4

Mumificação
Os braços e as pernas eram amarrados juntos. Um rolo de papiro com encantamentos do Livro dos Mortos era colocado entre as mãos.

Parte 5

Mumificação
Mais tiras de fino linho são enroladas no corpo. As bandagens eram embebidas num tipo de cola para mantê-las unidas.

Parte 7

Mumificação
Finalmente, uma outra túnica envolve inteiramente a múmia, que é enlaçada com tiras de linho dos pés até a cabeça, e cruzada sobre o tórax.

Uma capa de madeira pintada protege a múmia antes de ela ser posta no sarcófago; e o primeiro sarcófago é colocado dentro de um segundo sarcófago.

Parte 8

Mumificação
O funeral é presidido pelos familiares do morto

Parte 9

Mumificação

É realizado um ritual chamado "Abertura da boca", enquanto os familiares do morto comem e bebem. Anúbis segura a múmia por trás.

Finalmente, a múmia e colocada dentro de um amplo sarcófago de pedra na tumba. Mobílias, roupas, objetos de valor, alimento e bebida são postos na tumba para o falecido.

Agora o morto está preparado para a sua jornada ao desconhecido. Lá seu coração (alma) será julgado pelas boas ou más ações na terra. Se seu coração for julgado puro ele será enviado para viver por toda eternidade na beleza dos "Campos de Caniços".

O processo da Mumificação

Mumificação

Os Egípcios Antigos acreditavam que o corpo e a alma eram separados após a morte. A sobrevivência do corpo era necessária para a sobrevivência do ka,do ba e do akh.

Os Egípcios acreditavam que mantendo o corpo bem preservado haveria sempre uma morada para onde a alma poderia voltar.

A mumificação era um processo bastante demorado e trabalhoso e exigia pessoas qualificadas para tal processo.

A palavra múmia

O processo da mumificação consiste em cobrir o corpo com uma substância negra conhecida como betume. A palavra persa para betume é moumia de onde derivou o termo múmia.

As primeiras múmias

Elas surgiram há cerca de 3.000 anos na 1a. dinastia. A princípio as técnicas eram rudes mas foram se aperfeiçoando com o tempo.

A profissão de Embalsamador

Embalsamadores era a profissão de quem produzia as múmias , era um cargo de grande importância e prestígio no Antigo Egito. Haviam lugares especialmente construidos para tal finalidade aonde os embalsamadores trabalhavam, conhecido como a Casa da Purificação.

O processo da Mumificação

O processo era levar a múmia para a Casa da Purificação ou Per-nefer, aonde o corpo era preparado. Primeiramente o cérebro era extraído pelas cavidades nasais a partir do uso de finas pinças de ferro. Alguns embalsamadores preenchiam a cavidade do cérebro com betume. O cérebro não era preservado.

O próximo passo era remover os órgãos internos a partir de uma incisão no flanco esquerdo aonde , com uma faca de silex, eram retirados os pulmões, o fígado, estômago e intetinos. O coração era deixado no lugar, pois, segundo a tradição o coração era o lugar aonde residiam as emoções e não podia ser retirado.

Após a remoção dos órgãos o corpo erra coberto por um sal conhecido como Natrão, nome dado a proveniência deste sal, Wadi El-Natrun. O corpo então permanecia assim por cerca de 40 dias para desidratar.

Na próxima etapa o corpo era lavado e tratado com óleos aromáticos, bálsamos , goma arábica e cominho. Em certas épocas os órgãos internos eram embalsamados separadamente e colocados em vasos conhecidos como vasos canopos.

Também era de acordo com a época , os olhos eram cobertos com bolas de linho ou então eram extraídos e substituídos por olhos de vidro pintados.

Para manter a firmeza da pele uma camada de betume era aplicado sobre ela. Após esta fase o corpo estava pronto para ser coberto com bandagens de linho fino. Eram gastos entre 300 e 500 metros de linho por múmia.

O processo da Mumificação foi amplamente descrito no Textos Antigos das Pirâmdes.

Com a morte de Osíris, Deus da Morte, o cosmos se transformou em um caos, e as lágrimas dos deuses tornaram-se materiais usados na mumificação de seu corpo. Estes materiais incluiam mel, resinas e incensos.


Mumificação
Vasos Canopos

Fonte: www.starnews2001.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal