Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Penas das Aves  Voltar

Penas das Aves

 

Toda ave passa por períodos de mudança de penas durante toda sua vida.

Nesse processo, as penas velhas são empurradas para fora e no mesmo local surgem as novas.

A maioria das espécies muda de penas uma vez ao ano, logo após a estação de reprodução, mas há espécies onde esse processso ocorre por duas ou mais vezes, ou até são contínuos todo ano.

Penas das Aves

As penas são únicas das aves, e é o que distingüe as aves de outros animais. Outras criaturas podem voar, cantar, fazer ninhos, migrar e até colocar ovos, mas apenas as aves têm penas. Um típico pássaro que canta tem entre 2000 e 4000 penas no total. 30 ou 40% das quais são encontradas na cabeça e no pescoço.

Pássaros que vivem em climas frios podem ter mais do que isso, e algumas espécies como o cisne tundra tem mais de 25.000 penas no total.

As penas evoluíram de escamas encontradas em répteis e dinossauros.

As aves têm vários tipos de penas, cada uma com sua estrutura especializada dependendo de sua função. Elas dependem destas penas especializadas para propósitos cruciais. Sua habilidade de voar, em particular, depende das penas de contorno e de vôo. As penas de contorno são encontradas na superfície do corpo e ajudam a fazer com que a ave fique aerodinâmica e plana, e reduz a turbulência. As penas grandes de vôo nas asas e cauda atuam como um leme no vôo, dando controle aerodinâmico.

Penas macias oferecem calor às aves mantendo ar perto do corpo, isolando e prevenindo que eles percam calor para o meio-ambiente - uma característica que os humanos vêm utiizando durante anos para se manter aquecidos em roupas de invernos e cobertores.

As penas têm uma estrutura própria, sem coluna central e protuberâncias cobertas de penugem que ajudam a manter o ar.

A maioria dos filhotes é coberta de penas macias, mas quando o animal chega a idade adulta elas ficam escondidas atrás das penas de contorno.

As penas são muito importante no comportamento das aves.

Os machos de muitas espécies têm penas coloridas e vibrantes elaboradas em cristas e nas caudas, que são usadas como sinais durante o acasalamento.

O pavão é um dos exemplos mais conhecidos, graças à sua cauda colorida.

Em contraste, as penas das fêmeas são freqüentemente de cores apagadas, provavelmente para ajudar na camuflagem, evitando chamar a atenção de predadores para os seus ninhos e sua prole.

Tipos de Penas

Penas vêm em muitas formas diferentes, mas todas elas podem ser classificados em seis tipos diferentes de penas.

As penas que estamos acostumados a ver são vôo e contorno.

Penas para baixo são o que nós usamos em travesseiros, mantas e casacos.

Os outros três penas, semiplume, filoplume, e cerdas, não são tão comuns, mas ainda útil para as aves.

Penas de vôo

Penas das Aves

São encontrados em dois lugares nos pássaros: as asas e cauda.

Penas de vôo são longas, e nas asas, tem um lado da palheta mais larga do que a outra.

Eles também têm bárbulas mais fortes que lhes dão mais força para o vôo.

Penas de contorno

Penas das Aves

Dão forma e cor para o pássaro.

Eles são encontrados em todos os lugares, exceto o bico, pernas e pés.

Penas de contorno são coloridas apenas nas extremidades (a única parte que vemos).

Na sua base, uma pena contorno torna-se macio que ajuda a isolar o pássaro.

Baixa penas

Penas das Aves

Tem pouco ou nenhum eixo. Eles são macios e fofo.

Baixa penas ajudam a isolar as aves por aprisionamento de ar. Algumas aves, como garças, têm penas especiais para baixo chamados para baixo em pó que se divide em um pó fino. O pássaro então se espalha este pó fino todo o seu corpo para atuar como um repelente de água.

Penas Semiplume

Penas das Aves

São um cruzamento entre plumas e penas de contorno. Ao contrário de baixo, eles têm um eixo bem formado. No entanto, eles não têm barbicels bem desenvolvidos que os tornam macia. Semiplume penas encontram-se por baixo e penas de contorno são utilizados para o isolamento.

Cerda penas

Penas das Aves

São muito duras com apenas alguns dentes encontrados na base. Cerda penas são encontrados ao redor da boca de aves que se alimentam de insetos onde atuam como um funil. Eles também podem ser encontrados ao redor dos olhos onde eles funcionam como cílios.

Penas Filopluma

Penas das Aves

São incrivelmente pequenas. Eles têm um tufo de farpas na extremidade do eixo. Ao contrário de outras penas que estão ligados ao músculo para o movimento, penas filoplume estão ligados a terminações nervosas. Estas penas enviar mensagens ao cérebro que dão informações sobre a colocação de penas para voo e isolamento

Os pássaros

Os pássaros são os únicos animais que têm penas e eles vêm em muitos tamanhos, cores e formas. Eles também servim a muitos propósitos.

As penas são estruturas epidérmicas peculiares, constituídas por um revestimento do corpo leve e flexível, mas resistente com inúmeros espaços aéreos úteis como isolante.

Protegem a pele contra o desgaste e as penas finas, achatadas e sobrepostas das asas e da cauda formam superfícies para sustentar a ave durante o vôo.

O crescimento de uma pena começa, com uma papila dérmica local, forçando para cima a epiderme sobreposta. A base deste primórdio de pena aprofunda-se em uma depressão circular, o futuro folículo, que manterá a pena na pele.

As células epidérmicas mais externas do primórdio formam uma bainha lisa cornificada, chamada periderme, dentro da qual outras câmaras epidérmicas dispõem-se em costelas paralelas, uma maior mediana formando a futura ráquis e as outras produzindo as barbas.

O pigmento para a coloração é depositado nas células epidérmicas durante o crescimento no folículo, porém não depois. Quando o crescimento termina, rompe-se a bainha e é retida por alisamento com o bico, aí a pena distende-se em sua forma completa.

A coloração variada das penas resulta principalmente de pigmentos depositados durante o crescimento e características estruturais que causam reflexão e refração de certos comprimentos de onda, cores estruturais.

O conjunto de todas as penas de uma ave é chamado de plumagem e o processo de substituição das penas é conhecido como muda. As penas das aves que vivem na água são impermeabilizadas através de um óleo lubrificante que elas próprias produzem e espalham com o bico, em uma glândula especial chamada uropigiana, próxima da região da cauda.

Todas as aves têm penas?

Sim, todas as aves têm penas. Aliás, as penas são uma característica específica do grupo das aves. No entanto, já houve dinossauros com penas, como o Archaeopterix que viveu durante o Jurássico, há 190-136 milhões de anos. Possuia também uma estrutura óssea com algumas características das aves e media 40 cm. Por estas razões, alguns cientistas pensam que este seja um antepassado das aves.

Porque é que as aves têm penas?

As penas têm várias funções. Permitem o voo, são uma proteção contra a dissecação e outras agressões, protegem do frio e do calor excessivo e baixam o centro de gravidade das aves. Algumas aves, como a narceja, produzem sons com as penas e os cortiçois carregam água para as crias nas penas.

Que tipos de penas existem?

Existem quatro tipos de penas:

1. Penas: São as penas típicas usadas para voar e dão cobertura ao corpo.
2. Plúmulas:
São as penas que fornecem insulação ao corpo da ave. São as penas que as crias possuem quando nascem. Os edredons e casacos de penas são feitos com estas penas porque protegem eficazmente do frio.
3. Filopluma:
São penas sensoriais que desempenham um papel fundamental no voo das aves, pois permitem às aves sentir as variações nas correntes de vento.
4. Penas especializadas:
Algumas aves têm penas especializadas ao pé do bico que funcionam como órgãos tácteis, da mesma maneira que os bigodes dos gatos. Outras aves, como as garças, têm penas que se desintegram em pó ao passar com o bico e esse pó, quando distribuido pelo corpo, aumenta a repelência à água.

Quantas partes tem uma pena?

Uma pena típica é constituida pela quilha e a bandeira. A quilha divide-se no canhão (parte oca que prende a pena à pele) e o raquis no meio da bandeira. A bandeira compôe-se de muitas barbas que saem da raquis. Por sua vez, de cada barba saiem pequenas bárbulas que estão fixas às bárbulas da barba adjacente por pequenos ganchos.

Quantas penas existem numa ave?

Embora este número possa variar, um pássaro normal pode ter entre 1500 a 3000 penas (7% do peso total). Os cisnes podem ter até 25216 (40% no pescoço e cabeça). Algumas aves de climas mais frios têm mais penas no Inverno e no Verão perdem penas.

O que é que dá a cor às penas?

Existem penas de muitas cores e padrões. Estas são usadas, entre outras funções, para a côrte das fêmeas, camuflagem ou para repelir inimigos.

As cores das penas são formadas por duas maneiras:

1. Pigmentos coloridos: As melaninas e os lipocromos. As melaninas produzem o preto, castanho e amarelo. Os lipocromos produzem o amarelo, laranja, vermelho, azuis e verdes. Estes são menos resistentes que as melaninas, gastando-se mais depressa. Os pigmentos protegem as penas dos raios ultravioletas e aumentam a resistência das penas. Por isso é que somente as penas expostas ao sol têm pigmentos.
2. Fenómenos estruturais especiais:
Estes podem ser classificados em iridescentes e não iridescentes. Os patos e alguns colibris têm zonas do corpo, que vistas de um certo ângulo, revelam cores iridescentes resultado da reflexão da luz. As cores não iridescentes podem ser vistas de qualquer ângulo e são atribuidas à reflexão da luz pelo ar existente nas penas. É o mesmo processo que faz com que o céu seja azul.

Que casos anormais existem?

Em alguns casos, existem plumagens diferentes do normal que podem ter origem genética. Geralmente isso traduz-se em diferenças na quantidade e localização dos pigmentos.

O melanismo acontece quando há excesso de pigmentos pretos ou castanhos, tornando espécies de plumagem clara em aves pretas. O flavismo acontece com excesso de pigmentos amarelos. A ausência de pigmentos dá o albinismo, podendo haver casos de melros completamente brancos. Outro caso chamado ginandromorfismo acontece quando uma ave tem metade da plumagem característica de macho e metade da plumagem característica de fêmea.

Alguns casos anormais são resultado de má alimentação. Os flamingos, quando não comem crustáceos, perdem a cor rosa. Quando as penas estão a mudar, se houver variações na dieta, pode haver barras de crescimento nas penas de muitos pássaros.

Fonte: www.animalplanetbrasil.com/kidwings.com/www.cantodasaves.hpg.ig.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal