Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Biologia / Bicos das Aves

Bicos das Aves

PUBLICIDADE

Um aspecto fascinante do bico de um pássaro ou Ave é a anatomia.

Para começar, é importante notar que o bico é tecnicamente apenas a superfície externa da boca de um pássaro.

Dependendo das espécies, um bico de ave cresce a partir de 1 a 3 polegadas por ano.

Morfologia e Função

O Bico é a proeminência córnea da boca das aves, composto por uma estrutura óssea fundamental na vida de um pássaro, é o elemento coletor e selecionador dos alimentos, bem como separador das impurezas, preparando-os para ingestão.

Possui forma cônica nos granívoros, a exemplo dos Curiós, onde a sua robustez e tamanho depende exclusivamente do regime alimentar que o meio ambiente lhes oferece.

Responsável pela apanha e preparo dos alimentos, o bico exerce diversas funções vitais, indo desde a função de defesa e ataque constituindo-se numa poderosa arma, a função de manter a plumagem em ordem e articulação do canto.

Partes Integrantes do Bico

Bicos das Aves

Estrutura e Composição

O Bico é composto por duas mandíbulas que se articulam dando origem a uma poderosa estrutura capaz de esmagar as mais duras sementes em suas maxilas, em forma de prensa, de fechamento em Torquês.

Esta estrutura é constituída de um núcleo ósseo recoberto por uma substância córnea denominada queratina ou ceratina, substância protéica do grupo das proteínas ou albuminas que dão ao bico a dureza necessária a exercer as suas funções.

Esta substância também está presente nas unhas e na composição das penas.

A queratina se apresenta na cor preta, branca e amarelada sendo mais resistente a de cor preta e mais frágil a de cor branca.

O Bico possui um funcionamento semelhante ao de um alicate articulado dotado de maior força na sua base e formato cônico próprio para a quebra de sementes que após esmaga-las nas suas maxilas “prensa” (base do bico) utiliza as facas com o auxilio da língua para descasca-las e remover a sua polpa com as quais se alimentam.

Os bicos não possuem dentes para triturar os alimentos, utilizam a Moela para esta função, bolsa musculosa pertencente ao aparelho digestivo que utiliza em seu interior pedriscos no auxilio a trituração dos alimentos exercendo a função de verdadeiros dentes mediante movimentos de contração da Moela.

Desgaste Mecânico do Bico

Com o uso freqüente o bico apresenta um desgaste no revestimento queratinoso, em especial na linha de comissura.

Este desgaste evita o crescimento exagerado do revestimento protetor da estrutura óssea do bico.

Entretanto, alguns Curiós por serem submetidos a regimes alimentares com sementes muito duras apresentam um acentuado desgaste, dificultando o processo de esmagamento e descascagem das sementes acarretando uma deficiência alimentar por não serem capazes de executarem convenientemente as suas funções.

É muito comum verificarmos no comedouro das nossas gaiolas a presença de sementes parcialmente esmagadas. Quando tal fato ocorre observamos que o tegumento das sementes encontra-se semi-abertos sem, contudo, sofrerem o descascamento habitual.

Este fato é sem dúvida um forte indicador de acentuado desgaste no revestimento queratinoso do bico, por serem estas sementes muito duras ou por acentuado desgaste da queratina na linha de comissura acarretando deficiência na função esmagadora da prensa, ou descascamento das sementes pelas facas.

Quando ocorrerem sinais de ineficiência na descascagem das sementes, cumpri-nos efetuar uma análise detalhada da estrutura do Bico e seu revestimento queratinoso, pois, as mandíbulas são dotadas de um revestimento foliado dispostos em camadas sucessivas que cressem a partir da base do bico revestindo-o totalmente.

Quando observamos este comportamento geralmente as camadas foliadas se descolam na linha de comissura, sofrendo segregação, perdendo a sua eficiência mecânica e causando a deficiência de descascagem das sementes.

Aí, dizemos que o Curió está fazendo a “Muda de Bico”.

Muda de Bico

A muda de Bico é o processo pelo qual as aves substituem o revestimento Queratinoso do bico, gasto pelo tempo e pelo uso por um revestimento novo.

Muitas vezes esta muda ocorre em uma época determinada do ano, conhecida como “Época da Muda” que normalmente coincide com a muda anual da plumagem. O processo de muda de bico é bastante complexo ao entendimento mediante a simples observação visual, contudo, temos observado o desprendimento da velha camada de revestimento queratinoso mediante a ação da nova camada que surge como elemento impulsor do processo de perda do velho revestimento que esfolia e se desprende do bico para dar lugar à nova camada que surge.

A nova camada cobre uniformemente todo o bico, e segrega a camada gasta por uma nova camada especial de células que surge sob a camada velha como se fosse uma espécie de liquido que ao contato com o ar endurece expulsando a camada residual ao mesmo tempo em que toma o seu lugar como revestimento novo.

Todo o processo completa-se em torno de cinco a seis semanas, e proporciona ao pássaro uma debilidade alimentar, conseqüência da perda de parte da eficiência de algumas funções vitais do Bico.

Neste período devemos fornecer aos Curiós alimentos de consistência branda, buscando facilitar as operações de esmagamento e descascagem das sementes oferecidas. Recomenda-se neste período em que os Curiós sofrem restrições alimentares, por terem reduzido a eficiência mecânica do seu bico um regime alimentar rico em proteínas, destinadas a reporem as reservas do organismo, gastas com a Muda de Penas e Bico.

Costumamos ministrar no bebedouro um complexo vitamínico aliado a uma mistura de sementes a base de Painços com o intuito de minimizar os problemas nutricionais provocados pela Muda em questão. A Muda de Bico normalmente ocorre conjuntamente com a Muda anual de penas. Entretanto, alguns Curiós as fazem de forma tão gradual que não chega a ser notada pelo criador, outros Curiós não seguem esta regra.

Atribuímos este comportamento à presença de deficiências nutricionais que termina por canalizar as reservas protéicas para a Muda de Penas obrigando-os a efetuar a Muda de Bico em período distinto. Alguns Curiós antecipam a Muda de Bico em relação à de penas, que só terá início alguns meses depois da conclusão desta.

Nestes casos o criador geralmente observa a presença das sementes esmagadas no comedouro, e este fato indica a presença da muda, que, quando isolada, apresenta-se bem mais forte que a muda combinada com a de penas.

Quando a Muda de Bico apresenta-se isolada, é comum a observação por parte do criador de áreas do bico com coloração diferenciada mostrando claramente o surgimento do novo revestimento queratinoso.

Quando a muda de penas ocorre, e as penas caem uma após a outra, em uma sucessão uniforme e regular, sendo que na medida em que caem são substituídas em ordem igualmente regular por penas novas, e a muda é espaçada de forma harmoniosa, os Curiós conservam a sua capacidade de voar durante este período e apresentam uma muda de bico imperceptível aos olhos do criador, sendo este comportamento muito comum aos Curiós criados em viveiros.

Comportamento contrário verifica-se nos Curiós de Gaiola que perderam ao longo do tempo esta capacidade, ficando incapacitados de voar durante a muda combinada de penas e bico exigindo do criador cuidados especiais de manejo.

A camada queratinosa tem vida e esta vida é limitada, quando a camada superficial morre é substituída por uma nova e o seu ciclo de vida é anual.

Bicos das Aves – Formas

Devido ao fato de os seus membros anteriores estarem totalmente adaptados ao voo – com a importante excepção das aves de rapina e papagaios – a maior parte das aves apanha e segura os seus alimentos com o auxílio do bico.

O bico das aves diferenciou-se numa grande variedade de formas especializadas que lhes permitem apanhar diferentes tipos de alimentos, desde animais grandes a minúsculos componentes de plâncton.

Esta especialização foi recentemente evidenciada pelo hui da Nova Zelândia. Nesta notável espécie, infelizmente hoje extinta, o bico do macho era curto e direito para sondar, enquanto o da fêmea era longo e curvo para apanhar insetos.

Bicos que quebram sementes

O bico das aves exerce a maior força junto à base. Aves como os tentilhões, que vivem de sementes duras, têm bicos curtos e cónicos, conseguindo assim quebrar a casca das sementes de que se alimentam. A seguir removem habilmente o que se encontra no seu interior.

Bicos das Aves

Uma ave aquática em terra

O bico excepcionalmente longo da galinhola é típico das aves aquáticas – grupo de aves que inclui os borrelhos e o maçarico-das-rochas. Mas em vez de utilizar o bico para se alimentar de animais costeiros como fazem muitas aves aquáticas, a galinhola utiliza-o também eficazmente em terra «seca». O seu principal alimento é constituído por minhocas e larvas de insetos e o bico comprido permite-lhe extraí-las do fundo do lodo.

Bicos das Aves

A pinça do maçarico

O maçarico mergulha o comprido bico na vasa para dela extrair vermes e moluscos que estão fora do alcance de outras aves.

Bicos das Aves

Uma peneira subaquática

O flamingo tem provavelmente o bico mais extraordinariamente especializado de todas as aves. Com a cabeça virada para baixo, o flamingo introduz o bico na água servindo-se dele para «coar» os animais e plantas aquáticas de que se alimenta. A parte inferior do bico movimenta-se para cima e para baixo para bombear a água contra a parte superior onde uma franja de lemelas retém os alimentos.

Bicos das Aves

Um bico de carnívoro

O bico do francelho termina num gancho, o que é uma característica das aves de rapina. O gancho serve para estas aves dilacerarem animais demasiado grandes para serem engolidos inteiros.

Bicos das Aves

Bico em pinça

O melro-preto tem um formato de bico que é partilhado por milhares de espécies de aves de tamanho médio. É afilado para que o animal possa apanhar pequenos objetos, como sementes, mas o seu comprimento permite à ave apanhar presas maiores, como minhocas. O bico amarelo-alaranjado do melro-preto macho é também utilizado como sinal destinado às fêmeas.

Bicos das Aves

Um pato com dentes

Ao contrário dos mamíferos e dos répteis, as aves não têm verdadeiros dentes, que são elementos ósseos. Contudo, algumas aves desenvolveram estruturas que são muito semelhantes a dentes. Os mergansos, por exemplo, têm bicos serrilhados para segurar os peixes tando em água doce como no mar.

Bicos das Aves

Um bico para «chapinhar»

Muitos patos alimentam-se apanhando alimentos à superfície ou abrindo e fechando o bico enquanto percorrem com ele a superfície das águas. A água entra por entre as duas metades achatadas do bico e tudo o que nela estiver em suspensão é «espremido» e engolido. Este processo é semelhante ao da filtração do flamingo, embora um bico de pato esteja muito menos especializado e possa ser utilizado para outros tipos de alimentação.

Bicos das Aves

Um bico para todos os fins

Os bicos das gaivotas são compridos e terminam num gancho que é mais pequeno mas em muitos aspectos semelhante ao das aves carnívoras. Este formato de bico não só lhes permite caçar e segurar presas como peixes, ao longo do comprimento do bico, mas também as ajuda a dilacerar os alimentos.

Bicos das Aves

Bicos das Aves – Tipos

A função mais importante do bico de um Pássaro ou Ave é a alimentação, e é moldado de acordo com o que eles comem.

 

Bicos das Aves
Tipo de Bico Comum

Bicos das Aves
Bico para Captura de Insetos

Bicos das Aves
Bico para Comer Milho

Bicos das Aves
Bico para comer sementes de coníferas

Bicos das Aves
Bico para Nectar

Bicos das Aves
Bico para Comer Frutas

Bicos das Aves
Bico para Escarificação

Bicos das Aves
Bico para Compensação de Mergulho

Bicos das Aves
Bico para Superfície de Desnatagem

Bicos das Aves
Bico para Filtro de Alimentação

Bicos das Aves
Bico para Pesca

Bicos das Aves
Bico para Exercício de Pesca

Bicos das Aves
Bico para Lavar

Bicos das Aves
Bico Raptorial

Fonte: www.ccpp.com.br/www.avespt.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Replicação Viral

Replicação Viral

PUBLICIDADE Definição Como o vírus não possui estrutura celular, o processo de reprodução em vírus …

Gêmeos Fraternos

Gêmeos Fraternos

PUBLICIDADE O que são gêmeos fraternos? Os gêmeos fraternos ou dizigóticos são provenientes de óvulos diferentes. …

aspirina

Antipirético

PUBLICIDADE Antipirético: Algo que reduz a febre. Existem 3 classes de medicamentos antipiréticos vendidos sem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+