Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Ácaro  Voltar

Ácaro

 

Ácaros, juntamente com carraças, são pequenos artrópodes pertencentes à subclasse Acari (também conhecido como Acarina) e da classe dos aracnídeos.

Ácaro
Ácaro

O ciclo de vida de um acaro, desde o ovo ate adulto leva aproximadamente um mes para se completar.

As Femeas adultas botam de 1 a 2 ovos por dia. Acaros adultos vivem em media 2 meses, mas isto depende do nivel de umidade e temperatura ambiente de onde estao alojados.

Os acaros sao minusculos, muito pequenos, de 0.2 a 0.3 mm de comprimento e sao translucentes.

Virtualmente invisivel ao olho nu. Eles tem oito pernas e nao tem olhos. Femeas botam de 40 a 60 ovos durante a vida. Estes microscopicos seres causam alergias e asma o ano todo. Infelizmente, eles podem causar muito dano a sua saude.

Ácaro
Ácaro

Nos humanos e muitos animais, perdemos muita pele, e a comida formidavel para os acaros, quase 80% dos materiais vistos flutuando quando voce olhar o que e refletido pelo sol, no ar, e pele, e o restante sao outros objetos. Um colchao comum pode ter de 100,000 a 10 milhoes de acaros.

Os acaros vivem em colchoes, travesseiros, roupa de cama, roupas, tapetes e carpetes, tambem nos moveis. Eles sao chamados de comedores de pele (Dermatophagoides Farinae) e normalmente se alimentam do mesmo. Mais de 80% das pessoas que sofrem com alergias e asma, testam positovo a alergia de acaros, nos testes de pele.

Para Controlar e previnir contra alergias a acaros, lave sua roupa de cama uma vez por semana em agua quente. Use uma capa anti-alergica para seu colchao e travesseiros para evitar a alergia aos acaros.

Fonte: niposulinternational.com

Ácaro

Os ácaros medem apenas uns 0.2 a 0.5mm sendo muito difíceis de ver a olhos nu. Os ácaros são parentes das aranhas e escorpiões, pertencendo à classe dos aracnídeos.

Milhões de ácaros habitam as nossas casas alimentando-se de escamas de pele humana e animais. Por dia, o Homem perde 1 grama destes pedaços de pele.

Estes habitam em colchões, mantas de lã, almofadas de penas, tapetes, alcatifas, sofás e bonecos de peluche. Uma cama de casal contém em média 2 milhões de ácaros de várias espécies.

Os ácaros desenvolvem-se em condições óptimas de humidade superior à média de 70 a 80% e de temperatura superior a 20°C. O seu clico de vida é de 2 a 3 meses acasalando 1 a 2 vezes dando origem a uma postura de 20 a 50 ovos.

Os corpos mortos e seus excrementos podem provocar reações alérgicas. Os grupos mais sensíveis as estas alergias são as pessoas que sofrem e.g. de asma, bronquite, alergias nasais…

Gênero de aracnídeos acarinos, muitas vezes ectoparasitos, e agentes patológicos de acaríase e outras lesões cutâneas. Geralmente vivem em comunidades microscópicas, têm oito pernas, alimentam-se de restos de células da pele humana e de excreções como o suor.

A maioria das pessoas, vive sobre uma colônia de ácaros de poeira. Numa cama de casal pode chegar existir cerca de dois milhões de ácaros.

Habitat do Ácaro

Rodapés, frestas de assoalho, carpetes, tapetes, colchões, roupas, cobertores, lençóis, sofás, almofadas, bonecos e brinquedos de pelúcia, tatames, artefatos de palha e outros ambientes em que o acúmulo de poeira aconteça. Em 1 g de poeira podem ser encontrados até 3.000 ácaros.

Os colchões constituem microsistemas ideais para reprodução e sobrevivência desses parasitas, pois reúnem quase sempre condições favoráveis e mais constantes ao longo do dia, graças à transpiração e descamações naturais do corpo dos usuários. Colchões podem ser comparados a cemitérios de gerações e gerações de ácaros.

O ciclo de vida de um acaro, desde o ovo ate adulto leva aproximadamente um mes para se completar.

As Femeas adultas botam de 1 a 2 ovos por dia. Acaros adultos vivem em media 2 meses, mas isto depende do nivel de umidade e temperatura ambiente de onde estao alojados.

Os acaros sao minusculos, muito pequenos, de 0.2 a 0.3 mm de comprimento e sao translucentes.

Virtualmente invisivel ao olho nu. Eles tem oito pernas e nao tem olhos. Femeas botam de 40 a 60 ovos durante a vida. Estes microscopicos seres causam alergias e asma o ano todo. Infelizmente, eles podem causar muito dano a sua saude.

Nos humanos e muitos animais, perdemos muita pele, e a comida formidavel para os acaros, quase 80% dos materiais vistos flutuando quando voce olhar o que e refletido pelo sol, no ar, e pele, e o restante sao outros objetos. Um colchao comum pode ter de 100,000 a 10 milhoes de acaros.

Os acaros vivem em colchoes, travesseiros, roupa de cama, roupas, tapetes e carpetes, tambem nos moveis. Eles sao chamados de comedores de pele (Dermatophagoides Farinae) e normalmente se alimentam do mesmo. Mais de 80% das pessoas que sofrem com alergias e asma, testam positovo a alergia de acaros, nos testes de pele.

Para Controlar e previnir contra alergias a acaros, lave sua roupa de cama uma vez por semana em agua quente. Use uma capa anti-alergica para seu colchao e travesseiros para evitar a alergia aos acaros.

Os ácaros do pó da casa são considerados em todo o mundo, particularmente nos países ocidentais e industrializados, como a principal causa de alergias do aparelho respiratório.

Os ácaros são animais de dimensões microscópicas que vivem no pó existente nas nossas casas.

A causa mais comum dos sintomas de alergias é as fezes do ácaro. No entanto, também se encontra presentes nas alcatifas e outros revestimentos têxteis, como os cobertores, almofadas, colchões, tapetes e bonecos de peluche.

Sintomas

Os sintomas são o nariz entupido, espirros, olhos lacrimejantes, comichão, tosse ou chiado no peito.

Cuidados para evitar os ácaros

Várias medidas devem ser tomadas, particularmente no quarto de dormir:

Devem ser eliminados os capachos e tapetes grossos. O pavimento deve ser liso, por exemplo em madeira ou vinilo e fácilmente lavável
As paredes devem ser lisas e o papel de parede deve ser retirado
Não usar reposteiros. Preferir cortinas simples e em material sintético
Preferir móveis lisos e pouco trabalhados para não acumularem pó
Não ter aparelhagens de música, televisão e computadores no quarto
Não guardar livros, discos, CD´s, brinquedos e bonecos de peluche no quarto de dormir

Cuidados a ter com a cama

Os ácaros instalam-se entre as fibras naturais e sintéticas. A lavagem frequente dos lençóis não consegue eliminá-los.

Encontram-se principalmente nos colchões, seja qual for o material de que são feitos. Os colchões velhos (mais de oito anos) constituem um problema, dado que no seu interior se depositaram tantos ácaros e alergenos que é praticamente impossível a sua eliminação.

Devem ser utilizados preferencialmente edredons de material sintético (não usar os de penas) no lugar dos cobertores
Utilizar almofadas de espuma ou outro material sintético. Devem ser substituídas periódicamente (por exemplo de 3 em 3 anos)
Evitar os lençóis de flanela, optando pelo algodão
Os cobertores felpudos não devem ser usados. Quando usar cobertores preferir os de fibras sintéticas, e usar por cima deles uma coberta, colcha lisa ou edredon.
Os lençóis, fronhas da almofadas e edredons deve ser lavados a temperaturas superiores a 60ºC, pois só assim é possível a remoção eficaz dos ácaros e das suas partículas.
A utilização de coberturas anti-ácaros para almofadas e colchões é considerado um método muito eficaz na redução dos níveis de ácaros na cama e assim devem ser recomendadas aos doentes alérgicos aos ácaros. No entanto, nem todas as coberturas comercializadas possuem igual eficácia.

Cuidados na cozinha

Mantenha os alimentos bem fechados.
Mantenha a cozinha sempre bem ventilada e limpa especialmente panos de pratos e armarios.
Um pano húmido com vinagre passado regularmente no chão e nas paredes, é um grande desinfetante, barato e eficiente contra os acaros.

O ácaro que vive na cozinha também provoca as reações alergicas (dermatites, rinites e asma) mas é bem diferente do encontrado nos outros ambientes da casa, (o acaro de cozinha alimenta-se de restos de comida).

Cuidados na casa de banho

Mantenha o banheiro ventilado e seco
Elimine focos de infiltração e manchas de bolor
Coloque as toalhas diariamente para secarem ao sol e as troque duas vezes por semana.
Deixe os pacotes de algodão e cotonetes bem fechados.
Passe um pano húmido com vinagre (duas colheres de sopa de vinagre para cada litro de água) na bancada, na privada, no chão e nas paredes.

Eliminação do pó: o uso do aspirador

O quarto de dormir é considerado como local de eleição para a limpeza do pó. No entanto as outras dependências da casa não devem ser esquecidas, particularmente aquelas onde os doentes alérgicos passam mais tempo.

A limpeza regular (pelo menos duas vezes/semana) e cuidadosa do quarto (pavimento, tapetes, sofás, colchão e estrado) com aspirador é importante. Já a aspiração dos capachos é pouco eficaz na redução dos ácaros que vivem no seu interior.

Os aspiradores com filtro HEPA (high efficiency particulate air) são mais eficazes que os aspiradores clássicos na luta anti-ácaros e devem ser recomendados.

A utilização de aspiradores dotados de sistemas de lavagem a água ou a vapor de água, que nalguns casos podem também utilizar acaricidas e/ou detergentes tem apresentado resultados divergentes.

Medição

Os ácaros são os responsáveis pela maioria dos casos de rinite e asma alérgica perene, tendo também um papel importante na dermite atópica.

A forma de "medir" a saúde de um local é através de exames microbióticos de placas de "Petri", as quais são espalhadas pelo ambiente, ou então através de amostragem usando um aparelho chamado Impínger. No entanto, para a realização de tal estudo é necessária a ajuda de um profissional competente, o que leva ao aumento do custo. Assim, só é feito em indústrias que precisam de um controle rigoroso do ar.

A utilização do aparelho chamado "Sterilair" é uma outra maneira de se combater os ácaros, sendo que o problema apresentado por este método é a área do local. Isto é, dependendo do ambiente será necessário mais de um destes aparelhos para que se chegue ao resultado desejado.

O que são ácaros?

Os ácaros não transmitem qualquer tipo de doença.

Contudo, a exposição (sobretudo através das vias respiratórias) a determinadas proteínas que existem no seu corpo e excrementos, pode causar o aparecimento de doenças alérgicas.

Algumas alergias respiratórias, como a asma e a rinite alérgica, bem como dermatites alérgicas, podem ser provocadas por esses minúsculos ácaros ou por seus produtos (dejetos, secreções, fragmentos de ácaros mortos, etc.). Quando encontrados no meio ambiente, suspensos no ar com as poeiras, são inalados por pessoas que desenvolvem reação de hipersensibilidade a tais materiais.

Nas habitações, os ácaros alimentam-se de escamas de pele humana e de animais.

Por dia, o homem perde 1g destes pedaços de pele. De acordo com alguns estudos internacionais, a presença de 500 indivíduos por grama de poeira é suficiente para causar crise alérgica numa pessoa, com sintomas como a falta de ar.

"A concentração de 100 ácaros por grama de poeira já é o bastante para provocar alergia, embora não gere crise".

Picadas de ácaros

As infestações por ácaros são muito comuns. Por exemplo, a que é provocada por Tunga penetrans (que origina uma erupção que provoca prurido intenso e é causada por larvas do ácaro localizadas por baixo da pele), pela sarna e por outras afecções.

A gravidade dos efeitos sobre os tecidos que rodeiam a picada é muito variável.

As infestações por ácaros são tratadas aplicando cremes que contenham permetrina ou uma solução de lindano.

Depois do tratamento com permetrina ou lindano, em determinados casos são utilizadas pomadas com corticóides durante alguns dias, com o fim de aliviar o prurido (comichão) até que todos os ácaros tenham sido eliminados.

Esconderijo Os estudos concluíram, ser impossível livrar as residências desses animais microscópicos, responsáveis pelo surgimento ou agravamento de alergias respiratórias no homem. Segundo os pesquisadores, porém, é recomendável a adoção de práticas higiênicas capazes de reduzir a população desses parentes do carrapato, minimizando assim os problemas de saúde que eles podem causar.

O colchão, objeto com o qual as pessoas mantêm um contato mais prolongado no ambiente doméstico, é o local onde existe a maior concentração de ácaros em uma casa. De fato, passamos um terço de nossas vidas na cama, deixando lá resíduos de pele, numa temperatura sempre aconchegante, e transpirando, gerando alta umidade... É TUDO O QUE O ÁCARO PRECISA PARA SOBREVIVER CONTINUAMENTE !

Após 6 anos de uso de um mesmo travesseiro, 10% de seu peso é constituído de ácaros e fezes de ácaro! Em um colchão com 10 anos, estima-se que vivam 1 trilhão de ácaros!

O que mais chamou a atenção dos pesquisadores foi o fato de o colchão ser o predileto dos acarídeos. "A concentração de ácaros na parte de baixo do colchão, que fica em contato com o estrado, é três vezes maior do que na de cima".

Em seguida, no ranking de preferência dos bichinhos, aparecem:

O sofá,
O tapete
A dispensa
E a cortina

Eles alimentam-se normalmente de fungos e das escamas da pele humana. Uma pessoa adulta libera algo como cinco gramas de escamas por semana, um banquete e tanto para os bichinhos.

Os pisos frios são mais saudáveis que carpetes?

Erroneamente se afirma pisos frios não causam alergias. A verdade é que carpetes são mais saudáveis do que pisos frios e duros, porque eles, pelo menos retém as fezes que ficam em suspensão em menor número! Superfícies duras permitem que as fezes fiquem em circulação constantemente!

Prevenção

As medidas preventivas de evicção para os ácaros domésticos reduzem os sintomas clínicos e são o primeiro passo no tratamento de doentes alérgicos aos ácaros.

Destas medidas fazem parte:

Arejamento diário dos quartos;
Exposição ao ar e ao sol dos colchões, edredons e almofadas;
Lavagem frequente a 60°C dos colchões, edredons e almofadas;
Aspiração regular e frequente dos colchões e tapetes com aspiradores munidos de filtros HEPA;
Tratamento de colchões e tapetes com acaricidas;
Utilização de coberturas anti-ácaros nos colchões, edredons e almofadas;
Evicção de animais domésticos;
Remoção de alcatifas;
Lavagem semanal dos bonecos de peluche;
Manutenção de uma atmosfera seca no interior das habitações (humidade relativa a 50 a 60 % e temperatura entre 18 e 20°C);
Controle das medidas de evicção com o Acarext test (R), o qual estima o número de ácaros existentes.

Fonte: espectrodesomas.weebly.com

Ácaro

Ácaro
Ácaro

Os ácaros, ordem Acarina, são artrópodes que pertencem à classe dos aracnídeos (têm, por isso, oito patas).

Existem mais de 30.000 espécies descritas, sendo que acredita-se existirem muitíssimas mais espécies que ainda não foram classificadas no mundo inteiro.

Os ácaros do pó doméstico são visíveis apenas ao microscópico e têm um tamanho que varia entre 200 e 500 micrômetros.

Há ácaros nos meios terrestres e aquáticos, inclusive marinhos.

São em sua maioria predadores, mas há os fitófagos, detritífagos e os parasitas. Na ordem Acarina estão os carrapatos ou carraças.

Ácaro
Ácaro

Habitat e reprodução

Nas habitações, os ácaros alimentam-se de escamas de pele humana e de animais. Por dia, o homem perde 1g destes pedaços de pele. Os ácaros abundam nos colchões, mantas de lã, almofadas de penas, tapetes, alcatifas, sofás e bonecos de peluche, desenvolvendo-se em condições ótimas de umidade superior a 70 a 80% e de temperatura superior a 20ºC. Em altitudes superiores a 1200 m, os ácaros deixam de ter boas condições de vida. Por este motivo, a estadia em regiões montanhosas pode conduzir ao alívio de certas alergias. Vivem 2 a 3 meses, durante os quais acasalam 1 a 2 vezes, dando origem a uma postura de 20 a 40 ovos. O período mais propício para o acasalamento é a Primavera e o Outono.

Alergologia

Os excrementos dos ácaros e os ácaros mortos dispersam-se em poeira fina, sendo inalados e podendo provocar alergias.

Os alergénios dos ácaros são bem conhecidos. Os antigénios major são Der p1 (D. pteronyssinus), Der f1 (D. farinae) e Eur m1 (Euroglyphus maynei).

Para que se dê a sensibilização aos ácaros é necessária uma taxa de antigénio Der p1 superior ou igual a 2 micra por grama de pó doméstico. Calcula-se que a prevalência da sensibilização aos ácaros na população geral seja de cerca de 10 a 20%. São os responsáveis pela maioria dos casos de rinite e asma alérgica perene, tendo também um papel importante na dermite atópica. Têm sido descritos alguns casos raros de anafilaxia após ingestão de alimentos contaminados por grandes quantidades de D. farinae (farinha, pizzas, peixe e legumes, entre outros).

Prevenção

As medidas preventivas de evicção para os ácaros domésticos reduzem os sintomas clínicos e são o primeiro passo no tratamento de doentes alérgicos aos ácaros.

Destas medidas fazem parte:

Arejamento diário dos quartos
Exposição ao ar e ao sol dos colchões, edredons e almofadas
Lavagem frequente a 60ºC dos colchões, edredons e almofadas
Aspiração regular e frequente dos colchões e tapetes com aspiradores munidos de filtros HEPA
Tratamento de colchões e tapetes com acaricidas
Utilização de coberturas anti-ácaros em poliuretano nos colchões, edredons e almofadas
Evicção de animais domésticos
Remoção de alcatifas
Lavagem semanal dos bonecos de peluche
Manutenção de uma atmosfera seca no interior das habitações (humidade relativa a 50 a 60 % e temperatura entre 18 e 20ºC);
Controle das medidas de evicção com o Acarext test (R), o qual estima o número de ácaros existentes.

Não está demonstrada a eficácia dos ionizadores e purificadores de ar, nem da ventilação mecânica.

A imunoterapia específica com vacinas está indicada nos doentes sensibilizados quando os sintomas clínicos não são controlados com a evicção e com o tratamento farmacológico dos sintomas.

Acaricidas

Acaricidas são substâncias químicas , não tóxicas para o homem, com capacidade para eliminar os ácaros domésticos.

Em Portugal, existem vários produtos acaricidas para o tratamento de alcatifas, tapetes, colchões, sofás e outros produtos têxteis, como o Acarosan (R) (benzoato de benzilo), Allersearch (R) ou NK neutro (R) (ácido tânico).

Acarex test

Acarex test é um estrangeirismo que designa um teste que permite avaliar a concentração de ácaros no pó de um ambiente . Baseia-se na determinação semi-quantitativa , pelo método colorimétrico, da guanina contida nas fezes dos ácaros.

Bibliografia

OLIVEIRA, Carlos. Ácaro da leprose dos citrus. São Paulo: Editora Unesp, 1999.

Fonte: www.megaclima.pt

Ácaro

A Importância do Revestimento dos Colchões e Travesseiros

Ácaro
Ácaro

Ácaro
Ácaro

É consenso entre os profissionais médicos a recomendação para que seus pacientes portadores de alergias, principalmente respiratórias, encapem seus colchões e travesseiros com materiais impermeáveis, tais como plásticos e napa para evitar o contato com os ácaros e seus derivados. Esta prática, extremamente importante, no entanto é pouco seguida em conseqüência do desconforto ocasionado pelo calor, barulho e tato desagradável provocado por estes materiais de revestimento. Em razão disto, foi desenvolvido um material de revestimento com propriedades adequadas para minimizar e mesmo eliminar o desconforto decorrente do uso de outros materiais.

Os ácaros são microscópicos, praticamente invisíveis a olho nu. Cada espécie vive de 2 a 4 meses sendo que as fêmeas colocam entre 50 a 100 ovos mensalmente. Preferem ambientes úmidos e escuros e se alimentam de restos de comida, insetos, fungos e dos resíduos da descamação de pele humana e de animal. Um homem adulto perde cerca de 1,5 gramas de pele diariamente, o que serve de alimentação para cerca de um milhão de ácaros. Não é sem razão, que a espécie mais numerosa das diversas famílias de ácaros tem o nome científico de dermatophagoides que literalmente significa comedor de pele.

Cada ácaro, produz cerca de 35 bolotas fecais diariamente e durante sua vida o total de suas excreções pode ultrapassar 200 vezes o seu peso. A matéria mucosa dessas fezes entranha-se nos materiais porosos e com o tempo decompõe-se em partículas de tamanho extremamente reduzido presentes abundantemente na poeira doméstica. Com a movimentação natural do ar ou quando se usa ventiladores e espanadores de poeira, uma parte destas partículas é lançada no ar ambiente, permanecendo em suspensão por muitas horas e desta forma atinge facilmente a mucosa respiratória dos humanos. Os ácaros são encontrados em grande quantidade impregnados em tecidos tais como cortinas, carpetes, sofás e principalmente nos colchões e travesseiros, onde encontram as melhores condições para a proliferação. Dados estatísticos revelam que um colchão sem proteção pode aumentar até 20% no seu peso no período de quatro anos, em decorrência da proliferação e do acúmulo de dejetos dos ácaros.

O Dr. Brum Negreiros, um dos mais conceituados alergologista brasileiro, percussor das medidas de profilaxia ambiental, no seu trabalho publicado em A FOLHA MÉDICA de novembro/dezembro de 1990, registra que já em 1928 na Alemanha, Dekker H. publicou um trabalho empírico porém pioneiro (1), definindo os “ácaros do colchão” como o principal causador da asma. A partir da monografia elaborada por Voorhost em 1969 (2) identificando e classificando os ácaros presentes na poeira de muitas localidades, desenvolveram-se testes de suscetibilidade, verificando-se que extratos de pó doméstico especialmente preparados sem ácaros eram muito menos alergênicos dos que os extratos comuns, com ácaros. Os extratos comuns (com ácaros) nos testes cutâneos em pessoas portadoras de alergias respiratórias apresentaram uma incidência positiva entre 40 a 80%, muito superior aos indivíduos não asmáticos cuja incidência situou-se entre 5 a 20%, provando definitivamente ser o ácaro o principal agente causador das alergias respiratórias.

De fato, o ácaro não produz nem conduz doenças. São proteínas presentes no seu corpo, cutícula e fezes que desencadeiam as crises alérgicas que são reações exarcebadas do sistema imunológico dos indivíduos. A presença do ácaro só é prejudicial para pessoas alérgicas ou passíveis de sensibilizarem-se.

O Dr. Negreiros registrou ainda no artigo mencionado que Vervloet e Charpin, em trabalho publicado em 1982 (3), correlacionaram a quantidade de ácaros encontrados na poeira com a altitude do local e a incidência de asma. Em locais elevados, onde o clima é mais seco e consequentemente a presença de ácaros é muito reduzida, como por exemplo em Davos/Suíça, praticamente não existiam asmáticos, exatamente ao contrário do observado em locais mais úmidos, próximos do nível do mar. Em 1985, Woolcook publicou um trabalho (4) sobre o aumento alarmante de asma na Nova Guiné, onde foi encontrada uma alta infestação nos colchões da população (1.300 ácaros por grama de poeira). Finalmente, estudos dinamarqueses registrados por Korgaard em 1983 (5) mostraram que a presença de mais de 100 ácaros por grama de poeira deve ser vista como “condição de risco ambiental”. A sensibilização ao ácaro é um elemento essencial não só no aparecimento de crise de asma, mas também na manutenção de uma hiper-reatividade exagerada na mucosa respiratória, como revelado no trabalho de Platts-Mills (6).

Por razões semelhantes, também a presença de mofo, fungos e outros micro-organismos pode ser prejudicial a determinadas pessoas, por nelas desencadearem crises de alergia.

Compreende-se portanto a importância para os indivíduos asmáticos ou portadores de outras alergias respiratória do controle ambiental onde é fundamental a redução da sua exposição aos ácaros. Os ambientes utilizados por estas pessoas devem ser providos de superfícies (chão, paredes, cortinas...) móveis, objetos, utensílios e itens de decoração com materiais impermeáveis e facilmente limpos. É importante portanto evitar o uso de tapetes, cortinas de pano, estofamentos etc.

As recomendações profiláticas são perfeitamente exeqüíveis na sua maioria – assim é possível eliminar do ambiente quase todos os objetos cujas superfícies favorecem a proliferação dos ácaros e/ou a impregnação da matéria mucosa de suas fezes. O problema principal reside nos locais destinados ao descanso (cadeiras, sofás..) e sono (colchão, travesseiro, cobertores, edredons, mantas...) dos indivíduos, locais onde a necessidade de conforto demanda superfícies aconchegantes, macias e de contato agradável.

Tendo em vista estes problemas e no propósito de superá-los, foi desenvolvido um tecido especial com o qual se confecciona capas anti-ácaros para colchões, travesseiros, cobertores, edredons, almofadas ou qualquer outro produto destinado ao uso de pessoas alérgicas ou passíveis de serem sensibilizadas pelo contato com ácaros, mofo, fungos e outros micro-organismos.

Este tecido é preparado a partir de tecidos convencionais elaborados em puro algodão ou em composição mista de poliéster e algodão. Em uma das faces deste tecido convencional é tratada com uma fina camada de material impermeabilizante tal como o policloreto vinilico, o qual através de processos de calandragem ou extrusão, promove a sua aderência no tecido, formando um conjunto único que conserva as propriedades de maciez e flexibilidade do tecido original. Com este produto confeccionam-se as capas anti-ácaros de forma que a face não tratada do tecido fique voltado para fora afim de proporcionar ao usuário do objeto revestido uma sensação de conforto praticamente idêntica ao objeto não revestido. Uma pequena redução da capacidade do tecido em transmitir o calor do corpo humano, em face da sua impermeabilidade é admitida pela contrapartida dos benefícios a saúde e qualidade de vida do usuário. A presença do tecido convencional no entanto, garante a absorção da transpiração humana em um nível nada comparável ao que poderia ser conseguido com o uso de uma capa feita somente com um material impermeável, como plásticos em geral. Todo o processo de tratamento impermeabilizante do tecido é controlado e periodicamente inspecionado para que seja assegurado o bloqueio da passagem dos ácaros e de seus derivados. Com isto reduz-se extraordinariamente a possibilidade de contato dos usuários destas capas com os micro-organismos presentes no produto protegido.

As capas são feitas de forma a envolver completamente o artigo protegido. No caso de colchão, a capa pode também ser confeccionado com elásticos, de forma a somente cobrir somente um dos seus lados, o que lhe daria mais praticidade de uso, embora tenha a sua eficiência diminuída. Esta versão de cobertura parcial é indicada para usuários que precisam mudar a hospedagem com frequência, por exemplo viajantes, a quem seria difícil o encapamento do colchão cada vez que houvesse mudança de hotel. Este modelo também pode ser usado por portadores de diurese noturna tendo em vista a impermeabilidade da cobertura.

O fechamento das capas sobre os diversos objetos pode ser por costura ou, o que lhes daria mais praticidade de uso, com a utilização de zíper, velcro ou similares. Ainda que exista uma reduzida passagem dos ácaros por estes itens de fechamento ou mesmo pelos orifícios da costura utilizada na confecção das capas ou de seu fechamento, o nível de concentração destes organismos por grama de poeira será muito inferior aos índices considerados como representativos de risco ambiental. Vale dizer que a possível passagem destes seres microscópicos é muito inferior a quantidade existente no resto do ambiente, sendo portanto desprezível.

Encape seu colchão e travesseiro como medida número um de profilaxia ambiental porém não deixe de considerar outras medidas complementares tais como a retirada de carpetes, cortinas de tecidos, estofados ou qualquer outro objeto de difícil limpeza cotidiana. Além disto evite procedimentos que possam agitar o ar ambiente como por exemplo o emprego de espanadores para limpeza ou mesmo de ventiladores os quais provocam a suspensão dos ácaros, que como visto permanecem por muitas horas no ar, facilitando a sua inspiração.

Em casos de manifestações alérgicas mais graves podem também ser recomendados purificadores do ar ambiente e até mesmo o emprego de desumidificadores já que estes micro-organismos necessitam de umidade relativa elevada para a sua proliferação.

REFERÊNCIAS

1) Dekker H. – Asthma und Milben, Munh Med Wochenschr, 1926; 1928; 75:515. Apud J. Allergy Clin Immunol, 1971; 48:241
2) Voorhost R. et al. – House Dust Atopy and House Dust Mite. Leyden Staflen Cientific Publixhing Co., 1969
3) Vervloet D., Charplin J. – Altitude and Dust Mites. J. Allergy Clin Immunol, 1982; 69:290
4) Woolcock AJ et al. – The Association Between Dermotophagoides Mites and the Increasing Prevalence of Asthmain Village Comunities within the Papua New Guinea Highlands. J. Allergy Clin Immunol, 1985; 75
5) Jorgaard J. – Mite Asthma and Residency: A Case Control Study on the Impact of Exposure to House dust in Dwellings. Am Ver Resp Dis, 1983; 128:231
6) Platts-Mills J.A.e. et al. - Reductions of Bronchial Hyperreactivity During Prolonged Allergen Avoidance. Lancet, 1982; 2:675.

Fonte: www.alergohouse.com.br

Ácaro

Ácaro
Ácaro

Os ácaros do pó da casa são considerados em todo o mundo, particularmente nos países ocidentais e industrializados, como a principal causa de alergias do aparelho respiratório.

Os ácaros são animais de dimensões microscópicas que vivem no pó existente nas nossas casas.

A causa mais comum dos sintomas de alergias é as fezes do ácaro. No entanto, também se encontra presentes nas alcatifas e outros revestimentos têxteis, como os cobertores, almofadas, colchões, tapetes e bonecos de peluche.

Sintomas

Os sintomas são o nariz entupido, espirros, olhos lacrimejantes, comichão, tosse ou chiado no peito.

Fonte: clientes.netvisao.pt

Ácaro

Ácaro
O ácaro microscópico Lorryia formosa (Tydeidae)

Ácaro
Fotografia tirada através de um Microscópio eletrônico de varredura (SEM - scanning eletron micrograph) de um ácaro (em inglês: dust mite) (Dermatophagoides pteronyssinus)

Disseminados por todo o mundo, os ácaros são encontrados desde as profundezas marinhas até altitudes que ultrapassam cinco mil metros e sobrevivem tanto no frio quanto em temperaturas elevadas.

Ácaro é o nome geral dos aracnídeos da ordem Acarina, com quatro famílias de maior expressão e milhares de espécies e subespécies, muito freqüentes nas regiões tropicais e subtropicais. Das formas parasitas, umas atacam as plantas, outras os animais e o homem. Há ainda os ácaros que se distinguem por serem parasitas no estado larvar e livres depois de adultos.

Os ácaros da família dos ixodídeos, que incluem os carrapatos, são vetores de diversas formas de tifo exantemático, como o das montanhas Rochosas, o neotropical ou o paulista, e incomodam e intoxicam profundamente como parasitas da pele. Além das dermatoses, às vezes intoleráveis, que sua presença na pele do hospedeiro provoca, costumam transmitir, não poucas vezes, microrganismos como filárias, babésias e leishmânias.

Os argasídeos escondem-se em geral durante o dia em fendas ou fissuras escuras e só de noite avançam sobre seus hospedeiros para chuparem sangue. Muitos argasídeos são vetores e transmissores de espiroquetas, como os das febres recorrentes. Alguns parasitam pombos e outros são encontrados sobre aves domésticas, principalmente galinhas.

Os sarcoptídeos, ou ácaros da sarna, são, na maioria dos casos, parasitas da pele. A espécie Acarus siro, difundida em todo o mundo, já era conhecida na antiguidade como causadora da sarna humana. As fêmeas fecundadas penetram na pele humana e atravessam o estrato córneo até a camada de Malpighi. Aí se alimentam de células epiteliais, cavando um corredor, paralelo à superfície da pele, com quatro ou cinco centímetros de extensão. Durante sua progressão, depõem de vinte a trinta ovos. O corredor é tão estreito que os parasitas não podem se virar; morrem em cerca de três meses. A intensa coceira faz com que as vítimas passem as unhas sobre esses corredores, dilacerando ainda mais a pele e provocando pústulas e eczemas, muitas vezes infectadas por estafilococos e estreptococos.

Os demodicídeos também são importantes como parasitas. Entranham-se em geral nas glândulas sebáceas do rosto e, mais raramente, em outros lugares do corpo. Muitas inflamações em volta dos olhos são devidas a esses ácaros. Há variedades que parasitam animais domésticos como o cavalo e o cão. A sarna vermelha, em volta dos olhos deste último, é não raro causada por um Demodex.

Fonte: biomania.com

Ácaro

Ácaro
Ácaro

Ácaro da poeira

Classe: Arachnida
Família: diversas
Nome vulgar: Ácaro da poeira

BIOLOGIA

Tamanho 0,05mm
Coloração Esbranquiçado
Postura 50 ovos durante a vida
Reprodução Sexuada
Alimentação Pele descamada (seca), fibras de tecidos, pólen e fungos presentes no ambiente

ABRIGOS

Colchões
Travesseiros
Tapetes
Carpetes
Cortinas
Roupas
Ambientes úmidos, etc.

PROBLEMAS RELACIONADOS AOS ÁCAROS

Alergias respiratórias e cutâneas promovidas pelas fezes dos ácaros e pela pele que soltam quando sofrem muda. A muda, ou troca de pele, permite o crescimento do ácaro.

PREVENÇÃO

Consertar vazamentos
Abrir janelas nas horas mais quentes do dia
Usar desumidificadores
Usar capas para travesseiros e colchões confeccionados em tecido totalmente de algodão, lavando-as periodicamente.

MÉTODOS DE CONTROLE

Higienizar o ambiente periodicamente
Eliminar carpetes, cortinas e tapetes
Abrir as janelas diariamente para permitir a entrada de sol
Não usar roupas de lã ou com pêlos
Evitar animais com pêlos dentro de casa

Fonte: www.pragas.com.br

Ácaro

Os Ácaros fazem parte do nosso dia !

O que são bactérias ?

Micro-organismo primitivo unicelular que se multiplica muito rápido (pode dobrar sua quantidade a cada 20 minutos) que causa mal odor e algumas doenças. O mal cheiro verificado em tecidos úmidos são devido a proliferação rápida de bactérias.

O que são fungos ?

Mais complexos que bactérias, e existem como filamentos ou na forma unicelular (germes). Causam manchas escuras e mal odor. Também conhecido popularmente como mofo. Se reproduzem por esporos, tipos de sementes que ficam em suspensão e podem causar alergias se inalados. Seu ciclo de crescimento é de 7 dias. a

O que são ácaros?

Os ácaros do pó da casa são considerados em todo o mundo, particularmente nos países ocidentais e industrializados, como a principal causa de alergias do aparelho respiratório.

O ciclo de vida é de 2 a 3,5 meses e o seu habitat é doméstico especificamente nas fibras naturais como nos carpetes, tapetes e roupas de cama. A temperatura e umidade são igualmente importantes e justamente nos climas tropicais as condições são as mais favoráveis (temperatura entre 10-32 Celsius e umidade relativa entre 60-70%) para o seu desenvolvimento.

Alguns ácaros são parasitas, mas os mais importantes para a patologia humana são espécies de vida livre comumente encontrados na poeira de colchões, travesseiros, móveis e pisos das casas. Seu desenvolvimento é favorecido pela umidade relativa do ar (ótima em torno de 75%), pela reduzida ventilação e o acúmulo de poeiras.

Os ácaros não transmitem qualquer tipo de doença.

Contudo, a exposição (sobretudo através das vias respiratórias) a determinadas proteínas que existem no seu corpo e excrementos, pode causar o aparecimento de doenças alérgicas

Algumas alergias respiratórias, como a asma e a rinite alérgica, bem como dermatites alérgicas, podem ser provocadas por esses minúsculos ácaros ou por seus produtos (dejetos, secreções, fragmentos de ácaros mortos, etc.). Quando encontrados no meio ambiente, suspensos no ar com as poeiras, são inalados por pessoas que desenvolvem reação de hipersensibilidade a tais materiais.

Nas habitações, os ácaros alimentam-se de escamas de pele humana e de animais.

Por dia, o homem perde 1g destes pedaços de pele. De acordo com alguns estudos internacionais, a presença de 500 indivíduos por grama de poeira é suficiente para causar crise alérgica numa pessoa, com sintomas como a falta de ar.

"A concentração de 100 ácaros por grama de poeira já é o bastante para provocar alergia, embora não gere crise".

Picadas de ácaros

As infestações por ácaros são muito comuns. Por exemplo, a que é provocada por Tunga penetrans (que origina uma erupção que provoca prurido intenso e é causada por larvas do ácaro localizadas por baixo da pele), pela sarna e por outras afecções.

A gravidade dos efeitos sobre os tecidos que rodeiam a picada é muito variável.

As infestações por ácaros são tratadas aplicando cremes que contenham permetrina ou uma solução de lindano.

Depois do tratamento com permetrina ou lindano, em determinados casos são utilizadas pomadas com corticóides durante alguns dias, com o fim de aliviar o prurido (comichão) até que todos os ácaros tenham sido eliminados.

Esconderijo

Os estudos concluíram, ser impossível livrar as residências desses animais microscópicos, responsáveis pelo surgimento ou agravamento de alergias respiratórias no homem. Segundo os pesquisadores, porém, é recomendável a adoção de práticas higiênicas capazes de reduzir a população desses parentes do carrapato, minimizando assim os problemas de saúde que eles podem causar.

O colchão, objeto com o qual as pessoas mantêm um contato mais prolongado no ambiente doméstico, é o local onde existe a maior concentração de ácaros em uma casa. De fato, passamos um terço de nossas vidas na cama, deixando lá resíduos de pele, numa temperatura sempre aconchegante, e transpirando, gerando alta umidade... É TUDO O QUE O ÁCARO PRECISA PARA SOBREVIVER CONTINUAMENTE !

Após 6 anos de uso de um mesmo travesseiro, 10% de seu peso é constituído de ácaros e fezes de ácaro! Em um colchão com 10 anos, estima-se que vivam 1 trilhão de ácaros!

O que mais chamou a atenção dos pesquisadores foi o fato de o colchão ser o predileto dos acarídeos. "A concentração de ácaros na parte de baixo do colchão, que fica em contato com o estrado, é três vezes maior do que na de cima".

Em seguida, no ranking de preferência dos bichinhos, aparecem:

O sofá,
O tapete
A dispensa
E a cortina

Eles se alimentam normalmente de fungos e das escamas da pele humana. Uma pessoa adulta libera algo como cinco gramas de escamas por semana, um banquete e tanto para os bichinhos.

Os pisos frios são mais saudáveis que carpetes?

Erroneamente se afirma pisos frios não causam alergias. A verdade é que carpetes são mais saudáveis do que pisos frios e duros, porque eles, pelo menos retém as fezes que ficam em suspensão em menor número! Superfícies duras permitem que as fezes fiquem em circulação constantemente!

Como evitar!

Tenho alergia aos ácaros do pó da casa. Será possível diminuir a exposição aos ácaros?

A diminuição do número de ácaros no interior da casa, é um fator decisivo no tratamento do doente alérgico ao pó da casa. O combate a estes animais deverá incidir primáriamente no quarto de dormir e depois, tanto quanto possível, estender-se ao resto da casa.

Algumas medidas trazem bons resultados.

Desumidificação do ambiente, quer pela ventilação ampla dos locais, quer por meio de aparelhos desumidificadores ou aparelhos de ar condicionado, a diminuição da umidade desfavorece o crescimento de fungos e ácaros.
Remoção freqüente da poeira, utilizando aspiradores de pó, lavagem do piso ou sua limpeza com pano úmido.
Troca freqüente e lavagem de fronhas, lençóis , cortinas, roupas, toalhas, etc.
Uso de filtros no sistema de ventilação central, quando existente.
Utilização de colchões e travesseiros de espuma ou uso de coberturas de plástico para colchões e travesseiros.
Utilização de coberturas anti-ácaros em poliuretano nos colchões, edredons e almofadas.
Rigorosa higiene pessoal e ambiental, inclusive dos animais domésticos (cuja presença deve ser evitada no interior das habitações).

E mais...

Virar o colchão a cada 15 dias e envolvê-lo com uma capa emborrachada internamente, fechada por zíper, são duas delas. Exposição ao ar e ao sol dos colchões, edredons e almofadas.
Lavagem frequente a 60ºC dos colchões, edredons e almofadas.
Aspiração regular e frequente dos colchões e tapetes com aspiradores munidos de filtros HEPA.
Ttratamento de colchões e tapetes com acaricidas
Remoção de capachos
Também é recomendável não usar tapetes e cortinas. No lugar das cortinas é preferível optar por persianas plásticas.
Manter a casa sempre arejada e iluminada é indispensável para combater os ácaros. Arejamento diário dos quartos. Além disso, é preciso que as pessoas mantenham os alimentos bem fechados nas despensas e evitem fazer refeições na cama ou no sofá.
Lavagem semanal dos bonecos de pelos
Controle de animais domésticos.
Manutenção de uma atmosfera seca no interior das habitações (humidade relativa a 50 a 60 % e temperatura entre 18 e 20ºC)

Fonte: www.unicamp.br

Ácaro

Cuidados para evitar os ácaros

Várias medidas devem ser tomadas, particularmente no quarto de dormir:

Devem ser eliminados os capachos e tapetes grossos. O pavimento deve ser liso, por exemplo em madeira ou vinilo e fácilmente lavável
As paredes devem ser lisas e o papel de parede deve ser retirado
Não usar reposteiros. Preferir cortinas simples e em material sintético
Preferir móveis lisos e pouco trabalhados para não acumularem pó
Não ter aparelhagens de música, televisão e computadores no quarto
Não guardar livros, discos, CD´s, brinquedos e bonecos de peluche no quarto de dormir

Cuidados a ter com a cama

Os ácaros instalam-se entre as fibras naturais e sintéticas. A lavagem frequente dos lençóis não consegue eliminá-los.
Encontram-se principalmente nos colchões, seja qual for o material de que são feitos. Os colchões velhos (mais de oito anos) constituem um problema, dado que no seu interior se depositaram tantos ácaros e alergenos que é praticamente impossível a sua eliminação.
Devem ser utilizados preferencialmente edredons de material sintético (não usar os de penas) no lugar dos cobertores
Utilizar almofadas de espuma ou outro material sintético. Devem ser substituídas periódicamente (por exemplo de 3 em 3 anos)
Evitar os lençóis de flanela, optando pelo algodão
Os cobertores felpudos não devem ser usados. Quando usar cobertores preferir os de fibras sintéticas, e usar por cima deles uma coberta, colcha lisa ou edredon.
Os lençóis, fronhas da almofadas e edredons deve ser lavados a temperaturas superiores a 60ºC, pois só assim é possível a remoção eficaz dos ácaros e das suas partículas.
A utilização de coberturas anti-ácaros para almofadas e colchões é considerado um método muito eficaz na redução dos níveis de ácaros na cama e assim devem ser recomendadas aos doentes alérgicos aos ácaros. No entanto, nem todas as coberturas comercializadas possuem igual eficácia.

Cuidados na cozinha

Mantenha os alimentos bem fechados.
Mantenha a cozinha sempre bem ventilada e limpa especialmente panos de pratos e armarios.
Um pano úmido com vinagre passado regularmente no chão e nas paredes, é um grande desinfetante, barato e eficiente contra os acaros.
O ácaro que vive na cozinha também provoca as reações alergicas (dermatites, rinites e asma) mas é bem diferente do encontrado nos outros ambientes da casa, (o acaro de cozinha se alimenta de restos de comida).

Cuidados no banheiro

Mantenha o banheiro ventilado e seco
Elimine focos de infiltração e manchas de bolor
Coloque as toalhas diariamente para secarem ao sol e as troque duas vezes por semana.
Deixe os pacotes de algodão e cotonetes bem fechados.
Passe um pano úmido com vinagre (duas colheres de sopa de vinagre para cada litro de água) na bancada, na privada, no chão e nas paredes.

Eliminação do pó: o uso do aspirador

O quarto de dormir é considerado como local de eleição para a limpeza do pó. No entanto as outras dependências da casa não devem ser esquecidas, particularmente aquelas onde os doentes alérgicos passam mais tempo.

A limpeza regular (pelo menos duas vezes/semana) e cuidadosa do quarto (pavimento, tapetes, sofás, colchão e estrado) com aspirador é importante. Já a aspiração dos capachos é pouco eficaz na redução dos ácaros que vivem no seu interior.

Os aspiradores com filtro HEPA (high efficiency particulate air) são mais eficazes que os aspiradores clássicos na luta anti-ácaros e devem ser recomendados.

A utilização de aspiradores dotados de sistemas de lavagem a água ou a vapor de água, que nalguns casos podem também utilizar acaricidas e/ou detergentes tem apresentado resultados divergentes.

Medição

Os ácaros são os responsáveis pela maioria dos casos de rinite e asma alérgica perene, tendo também um papel importante na dermite atópica.

A forma de "medir" a saúde de um local é através de exames microbióticos de placas de "Petri", as quais são espalhadas pelo ambiente, ou então através de amostragem usando um aparelho chamado Impínger. No entanto, para a realização de tal estudo é necessária a ajuda de um profissional competente, o que leva ao aumento do custo. Assim, só é feito em indústrias que precisam de um controle rigoroso do ar.

A utilização do aparelho chamado "Sterilair" é uma outra maneira de se combater os ácaros, sendo que o problema apresentado por este método é a área do local. Isto é, dependendo do ambiente será necessário mais de um destes aparelhos para que se chegue ao resultado desejado.

Fonte: www.cecae.usp.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal