Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Formigas  Voltar

Formigas

 

As formigas são insetos sociais, o que significa que eles vivem em grandes colônias ou grupos, com estratégias complexas de sobrevivência. Por isso a sua permanência no ambiente até os dias de hoje.

A maioria das pessoas não sabe, mas muitas espécies de formigas em jardins são extremamente benéficas ao meio ambiente, por promoverem a aeração do solo, introduzirem nutrientes a este, controlar espécies de artrópodes, pragas ou peçonhentos e controlar a população de outras formigas. Desta forma, deve-se avaliar a necessidade de um controle da espécie de formiga em questão, ou seja, se ela está realmente ocasionando algum dano às plantas ou oferecendo risco de acidentes às pessoas.

Saint Hilare, naturalista francês que visitou o nosso País na época do império, já dizia: "ou o Brasil acaba com a saúva a saúva acaba com o Brasil".

O poder de ataque e organização destes insetos é tão grande que forçavam as nossas populações indígenas a serem nômades. Os índios se estabeleciam e começavam o cultivo de suas roças, até que a Saúva (nome de origem indígena) começassem a atacar, forçando a migração das tribos.

As espécies consideradas pragas em jardins e hortas são compostas pelas formigas cortadeiras: saúvas e quenquéns.

Estas cortam material vegetal e levam para dentro do ninho, onde cultivam um fungo do qual se alimentam. O material vegetal é picado em pedaços bem pequenos e incorporados neste fungo.

Os ninhos das saúvas são facilmente observados por apresentarem um monte de terra solta. Já o das quenquéns são mais difíceis de serem visualizados, pois escondem-se sob pedras, montes de palha, ou apresentam somente um orifício pelo qual entram e saem as operárias.

Não existe ainda uma forma eficaz de se controlar naturalmente formigas cortadeiras. Alguns pesquisadores têm realizado pesquisa no sentido de manipular extratos vegetais tóxicos às formigas e seu fungo para controlá-las.

As iscas tóxicas (formicidas) são as mais eficientes no mercado, são fáceis de aplicar, são pouco tóxicas ao homem e de preço acessível. Sua utilização deve ser feita seguindo-se criteriosamente as instruções contidas no rótulo. Deve-se ainda respeitar a indicação de iscas para jardinagem amadora e para a agricultura.

Esta última não pode ser utilizada na área urbana

Como controle, estratégias simplistas não têm efetividade de controle por alguns motivos:

1 ) Tamanho de ninhos

Um ninho de saúva adulto pode atingir 5 a 8 m de profundidade. Com isso, as técnicas preconizadas de uso de Pó e Fog (aparelho que gera uma fumaça tóxica com inseticida) não são efetivos, pois controlam as primeiras camadas do formigueiro, provocando uma paralisação apenas temporária (geralmente 3 meses) da atividade de corte das formigas saúvas.

Devido à profundidade do ninho, muitas vezes podem ocorrer problemas de afundamento de terrenos. Há pouco tempo, foi realizamos um trabalho em um condomínio onde foi identificado um ninho com 650 M2 de área e, pela idade, deveria possuir 6 metros de profundidade. O proprietário da área pretendia construir uma piscina no lugar. Imagine o prejuízo.

2 ) Espécies

Dentro do grupo conhecido como das Saúvas existem pelo menos 28 espécies descritas, adaptadas a diferentes ambientes e com diferentes hábitos de coletas de plantas. Por causa disso, o simples uso de iscas pode não ser efetivo, pois são desenvolvidas para o controle de formigas que ocorrem principalmente em laranjeiras. Assim, sua base atrativa é a base de polpa de laranja, não sendo muitas vezes efetivo no controle de outras espécies.

3 ) Inter-relações

Embora seja sempre citado o problemas com saúvas, na natureza existem inter-relações entre as saúvas e um outro grupo de formigas cortadeiras, as quenquéns, formigas de colônias pequenas e discretas que cortam à noite.

Em uma área, geralmente existem poucos ninhos de saúva, e vários de quenquém que, devido à competição alimentar, não se proliferam muito. Como sempre nos chamam a atenção os ninhos de saúva pelo seu tamanho, desenvolvemos o controle somente dessas formigas. Com a sua morte, existe uma intensa proliferação das quenquéns, que agravam o problema, fazendo com que este pareça estar vindo de fora da área.

OBS: Quando as formigas cortam uma planta, pode-se protegê-la por meio de um cone invertido, atado ao caule. No interior do cone deve ser utilizada graxa, para impedir a subida das formigas

Formigas - Insetos

Formigas
Formigas

As formigas existem há 100 milhões de anos e constituem a maior população de insetos do planeta. Distribuídas em países temperados e tropicais, elas agrupam-se em 18 mil espécies, sendo que só no Brasil há três mil delas.

Toda formiga é extremamente dedicada ao trabalho e à organização. Elas podem ser vegetarianas ou carnívoras. As vegetarianas cortam as folhas, carregam-nas e transformam-nas em fungos, que são o seu alimento; as carnívoras alimentam-se de baratas e de pequenos lagartos.

Em uma colônia, há três grupos de formigas: rainhas, machos e operárias.

As formigas são surdas e comunicam-se pelo cheiro: é liberada uma substância química denominada feromônio (que nós, seres humanos, não conseguimos sentir).

Constituição física das formigas

O corpo de uma formiga possui o chamado exoesqueleto, que é dividido em três partes: cabeça, tronco e metasoma. A cabeça abriga os olhos, que servem para detecção de movimentos, as antenas (olfato) e duas garras fortes para carregar a comida, cavar a terra e se defender. Já o tronco é onde estão fixadas as seis pernas.

Na ponta de cada perna há uma garra que ajuda a formiga a escalar objetos e a se pendurar sobre eles. O metasoma é um depósito de veneno utilizado para defesa contra os predadores.

As formigas não têm pulmões. O oxigênio entra através de minúsculos buracos do corpo que, em compensação, liberam dióxido de carbono. Não há nenhuma veia sangüínea. O coração é um tubo longo que jorra sangue incolor por todo o corpo.

As formigas pertencem à ordem Hymenoptera, Classe Insecta e Família Formicidae.

Acasalamento

A rainha é a essência do formigueiro e pode viver até 20 anos. Tudo é feito para ela, que só faz botar ovos. As operárias vivem de seis meses a um ano e trabalham para manter o formigueiro na mais perfeita ordem.

O destino do macho não ultrapassa o pós-acasalamento: após garantir a perpetuação da espécie, morre logo em seguida.

Tudo acontece assim: os machos e as fêmeas nascem com asas. No verão, tanto a rainha quanto o macho saem em revoada. Pronto. Voando acontece o acasalamento. Depois de fecundada, a rainha aterrissa, perde suas asas, cava o solo e constrói uma câmera por baixo dele, formando uma nova colônia.

Tudo o que existe na natureza tem importância. As formigas não fogem à essa regra. Apesar de muitas vezes ameaçarem lavouras, como as saúvas, ou atacarem animais e até mesmo pessoas, como as formigas carnívoras chamadas lava-pés, o mundo sem elas poderia virar um caos, já que muitos ecossistemas seriam prejudicados e algumas espécies que delas se alimentam, como o tamanduá, deixariam de existir.

As árvores também não escapariam, pois ao fornecerem néctar às formigas recebem de volta sua proteção contra predadores.

Um outro ponto: ao construírem seus formigueiros, elas remexem o solo fertilizando-o. Além disso, as formigas, no seu ir e vir, espalham sementes, garantindo a reprodução de algumas plantas e controlando a população de muitos insetos.

Acredite, se quiser...

Não é de hoje que as formigas fazem o maior sucesso como animais de estimação. E a procura por elas é intensa. Nos Estados Unidos, por exemplo, há até empresas que fabricam formigários altamente sofisticados, com direito a lente de aumento para podermos enxergá-las melhor. Aqui no Brasil, a clientela cresce dia a dia.

As formigas

Formigas
Formiga

As formigas vivem em todos os cantos, ela ajuda a equilibrar o meio ambiente.

As formigas existem desde o tempo dos Dinossauros. Sabemos disso porque, até hoje, fosseís de formigas são encontrados na resina endurecida de pinheiro daquela época.

Dentre os animais terrestres, as formigas são os mais numerosos e ocupam quase todos os ambientes. Isso só se tornou possível poque elas vivem em sociedade.

Cada agrupamento de formigas é uma colônia, formada pela mãe e suas filhas. A mãe só bota ovos, enquanto as filhas ampliam e limpam o formigueiro, defendem a colônia de invasores, coletam alimento, limpam e alimentam a mãe e as larvas. As filhas são operárias e a mãe é a rainha. Os machos só nascem na época da reprodução e logo morrem. Portanto, a sociedade das formigas é feminina.

Na colônia de formigas, cada operária trabalha para o bem de todas as irmãs e juntas trabalham para a sobrevivência da rainha e das larvas. Mesmo com a morte de muitas operárias, a colônia continuará viva se restarem apenas a rainha e umas poucas operárias.

As formigas operárias não desenvolvem asas, pois estão sempre muito ocupadas trabalhando. Nas formigas a asa serve para a época de acasalamento, passado isso elas caem, ou seja, são asas temporárias.

As formigas operárias vivem até 7 anos. As rainhas 14. Elas ouvem atrás das pernas.

Sua importância

Aquelas que vivem na terra cavam túneis e trazem terra do fundo para a superfície. Ajudam na reciclagem natural do solo, assim como as minhocas; as formigas carnívoras comem aranhas, grilos, lagartas e outros animaizinhos que aumentariam sua população se não houvesse predador.

Algumas formigas protegem as plantas do ataque de outros animais e ajudam a polinizar as flores. Muitas dessas ajudam a germinar as sementes e acabam contribuindo para o surgimento de novas plantas.

São poucas as espécies de formigas que cortam folhas, brotos, flores e carregam para o formigueiro. Elas também adubam o solo, mas como prejudicam as plantações são perseguidas pelos agricultores. No Brasil a mais prejudicial é a SAÚVA.

Seus predadores

As formigas são alimento para lagarto, aranhas, besouros e outros animais, incluindo nós.

Como é a formiga ?

A formiga não tem ossos mas seu corpo é firme porque a última camada da pele é dura e forma uma carapaça. Com as antenas ela percebe ao redor como mudanças de temperatura, os sabores e osa cheiros. Os olhos captam a luz.

Os pêlos captam as vibrações do ar.

A formiga tem seis pernas, tres de cada lado do tronco, como todos os insetos.

Somente as rainhas e os machos tem quatro asas no tronco e ambos voam na época da reprodução.

Como ela vive ?

Cada formiga desempenha um papel como a rainha que dá continuidade a espécie, a função das operárias caçadoras ou coletoras é a de buscar alimentos líquidos, como néctar das flores e as fezes dos pássaros, são sugados no próprio local em que sào encontrados.

Os alimentos sólidos, como insetos, sementes, folhas e flores, são carregados para o formigueiro e lá são triturados pelas coletoras até se tornarem líquidos.

A digestão começa na boca passa para o papo, do papo um pouco do alimento segue para o intestino, onde a digestão continua. Partículas digeridas atravessam a parede do intestino, entram no sangue e chegam a todas as células do corpo da formiga. O que não é digerido sai pelo orifício retal.

O ar entra por orifícios da carapaça e segue por tubos muito finos. Deles, passa para as células onde é usado na respiração, produzindo a energia de que o inseto precisa para viver.

Além de aparelhos digestivos e respiratórios, a formiga tem cérebro e nervos, rim e a glândula de veneno localizada no fim do abdome para sua defesa. Em algumas espécies o veneno sai pelo ferrão; em outras, ele é esguichado.

As formigas também dividem o alimento e são muito limpas.

Em formigueiros de certas espécies vivem apenas algumas formigas. Em outras espécies há milhões delas.

As formigas se comunicam através de cheiros e este cheiro com todas juntamente caracteriza a colônia. Caso houver um intruso, mesmo que a colônia seja gigantesca, as formigas percebem e ficam alertas, pois elas o identifica porque seu cheiro é diferente.

O Nascimento de uma Colônia

Formigas
Formigueiro

Na época da reprodução nascem os macho e fêmeas reprodutoras. Os machos de uma colônia se acasalam com as fêmeas de outra colônia e não com as próprias irmãs. Após o acasalamento, o macho morre, mas seus espermatozóides continuarão vivos dentro da fêmea por muitos anos e fecundarão muitos óvulos.

A fêmea prepara o ninho para seus filhotes, bota os primeiros ovos. Passado algum tempo, os ovos formam larvas brancas sem pernas. Essas primeiras larvas do formigueiro são alimentadas pela rainha. As larvas comem e crescem, passam para o estágio conheciod como pupa depois vira operária ou um macho.

A mãe dessas formigas não faz mais nada além de botar ovos e pedir comida. Tona-se assim a rainha da colônia que está nascendo.

A rainha nunca sai do formigueiro, e é protegida pelas filhas. Por isso, vive entre cinco e dez anos. A rainha da saúva chega a viver 30 anos. Durante esse tempo, bota cerca de 150 milhões de ovos. As operárias vivem bem menos.

Predadores e Convidados

As formigas são alimentos para aves, lagartos, rãs, sapos, besouros, aranhas, tamanduás e até para plantas carnívoras.

A formiga se defende de três modos: através de mordidas, ferrão com veneno, e as que não possuem ferrão esguichão veneno.

As formigas não aceitam estranhos no formigueiro e quem não têm o cheiro da colônia é atacado. Mas exitem besouros que ficam com o cheiro da colônia e são alimentados e limpos pelas formigas, do mesmo modo como elas alimentam e limpam suas irmãs.

Há predadores que são tão parecidos com as formigas que conseguem entrar facilmente no formigueiro.

As Espécies de Formiga

São conhecidas cerca de 10 mil espécies de formiga pelos cientistas. Mas devem existir muito mais em regiões pouco exploradas da Terra.

As formiga-cortadeira corta e transporta folhas, galhos flores para seu formigueiro. Os vegetais são picados e triturados até formarem uma pasta no chão do formigueiro. Sobre a pasta cresce uma espécie de fungo, que é alimento dessas formigas.

Já a formiga-colhedeira leva as sementes para o formigueiro, tira a casca e corta a ponta por onde nasceria a raiz. Desse modo, as sementes não germinam e podem ser guardadas (antes do inverno essa espécie de formiga estoca muito desse alimento). As cascas e as pontas são levadas para fora.

Na América do Sul e Central vive a formiga-caçadora. Também é chamado de correição, pois correm pelas matas carregando a rainha e as larvas. Ela não constrói formigueiro.

Outra espécie conhecida é a formiga-costureira. Ela é chamada assim por usar a larva de formiga para costurar folhas. Essa espécie vive na África e na Ásia.

Há também a espécie de formiga-garrafão que armazenam enormes quantidades de alimento no papo, localizado na trazeira. Vivem em desertos da América do Norte.

Os Parentes da Formiga

As formigas não tem coluna vertebral. Portanto, sào animais invertebrados.

No grupo dos insetos elas estão entre os himenópteros, palavra de origem grega que significa 'asa com membranas'.

(muitas pessoas acham que os cupins são parentes das formigas porque eles também vivem em sociedade, constroem ninhos no solo e saem em revoada na época da reproduçào. Mas eles pertencem a outro grupo de insetos.)

Danos Causados ao Homem

As formigas que ocorrem em residências usam geralmente em sua alimentação o alimento desperdiçado pelos seres humanos (açúcares, bolos, bolachas, cereais, frutas, etc), que caem no chão. Além disso, outros insetos, vivos ou mortos, podem complementar a dieta.

As formigas cortadeiras impõem sérios danos à agricultura, apresentando um controle difícil e oneroso. Elas se caracterizam por cortarem as plantas e transportarem os pedaços para o interior do ninho, onde serão utilizados como substrato para o cultivo do fungo, do qual todos os membros da colônia se alimentam.

As formigas urbanas ou andarilhas vivem em íntima associação com o ser humano. Estas causam sérios problemas em estabelecimentos comerciais e de pesquisa, residências, e principalmente em hospitais, onde funcionam como vetores mecânicos de microorganismos patogênicos.

Métodos de Prevenção

Os três fatores básicos que levam a qualquer praga urbana a invadir uma residência são: alimento, água e locais para construção de ninhos. Assim, a limpeza dos ambientes (por exemplo, restos de alimento derrubados no chão), e a remoção de entulhos deve ser feita de maneira constante. Além disso, a eliminação das cavidades, que poderiam servir como ninhos, e a sua correta vedação podem diminuir a quantidade de formigas.

Ciclo de Vida

São insetos holometábolos, ou seja, apresentam metamorfose completa (ovo, larva, pupa e adulto).

Alimentação

A dieta das formigas é bastante diversificada, abrangendo os onívoros (maioria), carnívoros (animais vivos ou mortos), secreções açucaradas de outros insetos (pulgões, cochonilhas e cigarrinhas), seiva e néctar de plantas, e fungos (formigas cortadeiras). O alimento é ingerido pelas operárias e armazenado no papo, distribuído para os demais membros da colônia, sendo este processo chamado de trofalaxia.

Existem casos em que as larvas recebem o alimento na forma sólida e repassam para os demais integrantes do ninho na forma líquida, devido ao fato dos adultos não serem capazes de digerir o alimento sólido.

Formigas - O que são

Formigas
Formiga

Formigas são himenópteros, juntamente com as vespas e abelhas.

Formigas são a família Formicidae, apenas uma das cerca de 91 famílias da ordem Hymenoptera. E identificá-las não é um grande problema.

A princípio todas têm a mesma cara, e até uma criança sabe olhar para elas e dizer: uma formiga.

Mas para tirar qualquer dúvida, basta olhar a forma da sua cintura, os dois segmentos abdominais que unem o tórax ao abdômen.

O primeiro segmento abdominal (ou os dois primeiros segmentos abdominais) são em forma de nódulo, ou com uma corcunda, diferindo dos demais segmentos.

Antenas com 6 a 13 segmentos, com uma forte angulação em forma de cotovelo, pelo menos nas fêmeas. O primeiro segmento da antena bastante longo. Insetos sociais, com diferenciação de castas. Rainhas e machos em geral têm asas, pelo menos em um período da vida. Venações das asas normais ou muito reduzidas.

E em termos práticos, apenas poucos artrópodos têm a cara de formiga. Alguns percevejos e aranhas mimetizam formigas, mas fica fácil distingui-los pois o primeiro têm aparelho bucal sugador e não mandíbulas e o segundo não é um inseto, têm 8 patas e tórax emendado com a cabeça. Uma vespa áptera (sem asas) chamada Velvet Ant, ou formiga veludo, parece com uma formiga, mas ela é colorida de amarelo ou vermelho e nenhuma formiga têm aquelas manchas. E a cintura e as antenas são bem diferentes.

Identificar a formiga já é outra história. Existem quase 9000 espécies descritas em pouco menos de 300 gêneros.

A importância das formigas

Formigas estão por toda parte, mas só eventualmente são percebidas. Elas percorrem boa parte do ambiente terrestre como principais revolvedoras de solo, canalizadoras de energia e dominadoras da fauna de insetos, apesar de só serem mencionadas brevemente nos livros-texto de ecologia. Elas empregam as mais complexas formas de comunicação química entre os animais e sua organização social fornece um esclarecedor contrasteàquela dos seres humanos.

Medidas recentes sugerem que cerca de um terço de toda a biomassa animal da floresta Amazônica de terra firme é composta de formigas e cupins, com cada hectare de terra contendo mais de 8 milhões de formigas e um milhão de cupins. Estes dois tipos de insetos, juntamente com abelhas e vespas correspondem a algo em torno de 75% da biomassa animal. Formigas e cupins, de modo semelhante, dominam as florestas e savanas no Zaire. Apesar de medidas de biomassa não terem sido feitos em nenhum outro lugar, nossa impressão subjetiva, é de que os insetos eussociais, principalmente as formigas, são comparativamente abundantes na maioria dos principais ambientes ao redor do mundo.

Por exemplo, na savana da Costa do Marfim, a densidade de colônias de formigas é de 7000 colônias e 20 milhões de indivíduos por hectare, com a espécie Camponotus acvapimensis chegando a ter 2 milhões. Tais hábitats africanos são freqüentemente visitados por formigas de correição, cuja colônia pode chegar a ter 20 milhões de operárias. E as formigas de correição estão longe de ser o máximo. A 'supercolônia' da formiga Formica yessensis, na Costa Ishikari de Hokkaido já foi reportada com 306 milhões de operárias e 1 milhão de rainhas, vivendo em 45000 ninhos interligados em um território de 2.7 quilômetros quadrados.

A diversidade local das formigas também é substancial, excedendo e muito a dos outros insetos sociais, refletindo a maneira pela qual as espécies de formigas evoluíram saturando uma ampla gama de nichos de alimentação no solo e na vegetação. No Rio Basu, na floresta tropical úmida baixa da Papua Nova Guiné, Wilson coletou 172 espécies de formigas, pertencendo a 59 gêneros em uma área de uma milha quadrada (2.6 km2). Outro pesquisador registrou 219 espécies em 63 gêneros em uma milha quadrada em uma plantação de cacau e floresta em Tafo, em Ghana, enquanto outro achou 272 espécies, em 71 gêneros em uma área comparável em Agudos, São Paulo, Brasil. Em dois anos de trabalho de campo no rio Yayapichis no Perú, um pesquisador encontrou 350 espécies em 71 gêneros. Wilson identificou 43 espécies em 26 gêneros em apenas uma árvore na Amazônia Peruana.

O impacto das formigas nos ambientes terrestres é igualmente grande. Na maioria dos hábitats elas estão entre as maiores predadoras de outros insetos e pequenos invertebrados. Formigas cortadoras de folhas são um dos principais herbívoros e são pragas destrutivas na América Central e do Sul. Pogonomyrmex e outras formigas estão entre os principais predadores de sementes, competindo efetivamente com mamíferos por esta fonte de alimento nos desertos do sudoeste dos EUA. Em outra zona adaptativa, formigas são suficientemente densas para reduzir a densidade de aranhas de solo e besouros carabeídeos, especialmente quando estes artrópodos são especializados a viver no chão ou na vegetação baixa. Onde montanhas são frias o bastante para inviabilizar a persistência de formigas, a população destas aranhas e destes besouros aumenta enormemente.

Não é nenhuma surpresa que as formigas alteram seu ambiente profundamente. Nas florestas da Nova Inglaterra elas revolvem a mesma quantidade de solo que minhocas e superam estas em florestas tropicais. Nas florestas temperadas de Nova York elas são responsáveis pela dispersão de cerca de 1/3 das espécies de plantas herbáceas, que representam cerca de 40% da biomassa sobre o solo. Elas ajudam a ampliar a floresta em rocha nua na Finlândia e vegetação de restinga em lagos de água salgada na Rússia. Como as formigas carregam para o ninho restos de animais e plantas, misturando este material com o solo escavado, a terra ao redor destes ninhos apresenta maior índice de carbono, nitrogênio e fósforo.

O chão então fica repartido em áreas com variação de nutrientes, criando um gradiente de ocupação de diferentes espécies de plantas. Os grandes ninhos de algumas formigas cortadeiras como o gênero Atta, têm um grande impacto nos ambientes locais. Nas florestas tropicais, onde menos de 0.1% dos nutrientes permeia mais que 5 cm abaixo do solo, cortadeiras carregam grandes quantidades de material vegetal fresco para as câmaras do ninho as vezes até 6 metros abaixo do chão, aumentando entre 16 e 98 vezes a entrada de 13 elementos através do solo em comparação com áreas não perturbadas pelas formigas cortadeiras. Este enriquecimento resulta em um aumento de 4 vezes no crescimento de raízes finas nestas áreas.

Finalmente, a abundância e a dominância ecológica das formigas se equivale a sua enorme distribuição geográfica. Várias das 8800 espécies descritas são encontradas do círculo polar ártico as áreas mais austrais da Tasmania, Terra do Fogo e África. Não são encontradas apenas na Antártica, Groelândia, Islândia, Polynesia a leste de Tonga e outras poucas ilhas remotas no Atlântico e no Índico. Algumas espécies se adaptaram muito bem também a ambientes perturbados.

A maioria das cidades nos trópicos são residência de espécies invasoras, levadas pelo homem em seu comércio mundial. A pequena myrmecine Tetramorium simillimum pode ser facilmente encontrada na Alexandria como nas praias do Taiti, assim como várias outras espécies cosmopolitas.

Formigas: em casa

No Brasil é muito comum encontrar formigas andando dentro de casa. Elas atacam o açucareiro, ou outro doce que fique dando sopa na cozinha, atacam a comida do cachorro ou do gato, e até o sabonete, em situações mais extremas. Nos quintais podemos encontrar ninhos de lava-pé, cuja picada coça bastante e centenas delas, quando pisamos no formigueiro, coçam mais ainda. O jardim também pode sofrer algum estrago com as formigas cortam as folhas e as carregam para dentro de seus ninhos para criar o fungo que cultivam. É fácil encontrá-las quando fazem uma trilha cheia de folhinhas verdes andando como se estivessem sozinhas.

Mas apesar de incômodas, as formigas não fazem tanto mal assim. Elas são predadoras vorazes de insetos, livrando nossa casa da presença destes. E lembre-se que baratas e traças são insetos e estão entre pratos favoritos de várias das formigas domésticas.

Sempre que eu vejo formigas em casa e penso em acabar com elas eu lembro: onde tem formigas costuma não ter baratas. Então elas ficam.

E quando elas estão perturbando muito o açucareiro, sempre há alternativas para parar este ataque.

Colocar o açucareiro em um prato com água, fazendo um tipo de calabouço medieval é uma boa solução, apesar de não ser muito prático: Me passa o açucareiro, mas cuidado para não derramar a água do prato.

Mesmo assim, funciona. E para aumentar a eficiência, um pouco de detergente na água ajuda muito. Formigas não passam por detergente pois dissolve sua carapaça. Isto me lembra que para desviar uma coluna de formigas, basta fazer uma barreira de detergente líquido. Colocar o açucareiro sobre um tape-ware com louro também ajuda. Formigas têm horror a louro. Já as formigas no quintal, não há muito que fazer.

Uma boa perturbada de vez em quando pode fazer elas se mudarem. Fazer isto até que a mudança seja para fora do quintal, ou pelo menos para longe da área de circulação. E para acabar com o ataque das cortadeiras, um anel de graxa em volta do tronco impede que as formigas subam. Dai basta não deixar a planta protegida encostar em nada que faça a 'ponte' para as formigas.

Formigas - Origem

Operária de formiga "falsa-tocandira" (Dinoponera).

Observe os caracteres que diferenciam as formigas dos outros insetos da ordem Hymenoptera: primeiro segmento da antena mais cumprido do que a cabeça e um segmento com forma de "cintura" entre o tronco e o gáster.

Formigas
Formiga

As formigas surgiram há cerca de 100 milhões de anos, quando a América do Sul e a África ainda estavam unidas. Os fósseis mais antigos foram descobertos em depósitos sedimentares da Formação Santana, que fica na fronteira entre o Ceará e Pernambuco.

Todas as formigas pertencem a uma só família (Formicidae). Das 16 subfamílias, sete ocorrem no Brasil, país onde se registrou maior número de espécies.

Atualmente, cerca de 10 000 espécies são conhecidas, mas acredita-se que esse número deve dobrar quando as faunas das copas das árvores e do folhiço das florestas tropicais forem mais bem estudadas.

Rainha (esquerda) e operária de formiga arborícola (Cephalotes). Ao tocarem as antenas, que são muito ricas em receptores mecânicos e olfativos, estabelecem uma forma de comunicação.

Formigas
Formiga

Dois detalhes anatômicos podem distinguir as formigas de outros insetos da ordem Hymenoptera ápteros. Um deles é o primeiro segmento da antena, que em geral é mais comprido do que a cabeça. O outro é um pecíolo, segmento que une o tronco ao gáster.

As formigas são insetos terrestres, encontrados desde o Equador até aproximadamente latitudes de 50 graus, do nível do mar a altitudes de cerca de 3 mil metros. Elas vivem exclusivamente em colônias. A vida em sociedade possibilita o cuidado cooperativo à prole e a divisão de trabalho reprodutivo, com fêmeas férteis (rainhas) e estéreis (operárias).

Operária de Camponotus carregando ovos colocados pela rainha da colônia

Em geral, as colônias são fundadas por apenas uma fêmea alada. Depois de fecundada por um ou mais machos, ela desce à terra, perde as asas e procura ou escava um abrigo, onde coloca os primeiros ovos.

Em algumas espécies, as colônias são fundadas por diversas rainhas, mas apenas uma mantém o posto: a rainha vencedora repele ou mata as outras.

Em colônias maduras, a população pode chegar a milhões de indivíduos.

Pequeníssima parte de uma colônia madura de Camponotus, que pode atingir dezenas de milhares de indivíduos.

Depois que os ovos eclodem, cabe à rainha fundadora alimentar as larvas. Para isso, ela busca alimentos ou regurgita os que estocou em seu tubo digestório. O alimento das larvas deve ser rico em proteínas, porque essa é a fase de crescimento. As larvas transformam-se em pupa e depois nascem as primeiras operárias.

Então, a rainha reduz bastante suas atividades, praticamente limitando-se a botar ovos.

As operárias assumem as demais tarefas: busca de alimentos, cuidado da prole, manutenção e ampliação do ninho e defesa da colônia. Depois de atingir a fase adulta, as formigas param de crescer. Por isso elas precisam ingerir açúcares apenas para repor os gastos energéticos. Ovos e pupas não se alimentam.

A maioria das espécies de formigas tem hábitos oportunistas e dieta generalista. Isso sugere uma ampla distribuição pelos ecossistemas. Entretanto, com base no conhecimento sobre os padrões de distribuição, grande parte das espécies vive em regiões restritas.

Nos trópicos, vivem as formigas-de-correição, em colônias com milhares de indivíduos. Essas formigas têm hábitos nômades. Na verdade, elas alternam períodos estacionários (quando se reúnem em acampamentos temporários) e períodos de deslocamento, em que toda a colônia se transfere de lugar. Durante os ciclos de deslocamento, acontecem os ciclos de produção de novos indivíduos.

Operária de Camponotus em posição típica de defesa. As formigas dessa espécie não têm ferrão. Para afastar os eventuais predadores, esguicham veneno no ar.

As formigas são responsáveis por uma parcela significativa da reciclagem de nutrientes e aeração das camadas superficiais do solo.

Algumas espécies mantêm associações simbióticas com plantas: as formigas "protegem" essas plantas contra a ação de herbívoros, em troca de alimentos (em geral néctar). Diversas espécies bebem líquidos açucarados produzidos por pulgões, cochonilhas e outros insetos aparentados.

Há espécies de formigas que predam outros artrópodes. As saúvas e quem-quens criam fungos, dos quais dependem exclusivamente para se alimentar. Algumas cortam folhas e outras partes de plantas que servem de substrato para o crescimento do fungo.

Pupa de uma rainha de formiga. Essa fase é a última antes de atingir a fase adulta e representa a metamorfose completa entre a larva, que é a fase de crescimento, e a fase adulta

Muitas formigas possuem, na parte final do abdômen, um ferrão que é ligado a glândulas. Com o ferrão elas injetam substâncias que paralisam suas presas; outras utilizam substâncias produzidas nessas glândulas para marcar trilhas, que serão usadas por suas companheiras.

A vida em colônias e a dominância comportamental no solo e na vegetação tornaram as formigas responsáveis pelo controle da população de outros insetos, além de serem os primeiros decompositores a atacar carcaças de animais mortos nas matas tropicais.

Como são muito abundantes, as numerosas colônias desfolham a vegetação, sendo consideradas as principais pragas agrícolas no Brasil, com prejuízos estimados em milhões de reais.

Com poderosas mandíbulas em forma de foice, este soldado de formiga-de-correição (Eciton) defende a colônia e ataca as presas.

Anatomia das Formigas

Formigas
Esquema anatômico de uma formiga

Formigas

Fonte: animals.nationalgeographic.com/www.portalobjetivo.com.br/www34.websamba.com/www.escolavesper.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal