Breaking News
Home / Química / Cálcio

Cálcio

Definição de Cálcio

PUBLICIDADE

cálcio é o mineral mais abundante encontrado no corpo humano.

Os dentes e ossos contêm mais cálcio.

As células nervosas, tecidos corporais, sangue e outros fluidos corporais contêm o restante do cálcio.

cálcio é um mineral encontrado nos alimentos, especificamente lácteos, e armazenado nos ossos e dentes do nosso corpo.

É essencial para o crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, pois mantém ossos e dentes fortes, ao mesmo tempo que auxilia nas contrações musculares, estímulos nervosos e na regulação da pressão arterial.

Um elemento básico encontrado em quase todos os tecidos organizados. É um membro da família dos metais alcalino-terrosos com o símbolo atômico Ca, número atômico 20 e peso atômico 40.

O cálcio é o mineral mais abundante no corpo e se combina com o fósforo para formar fosfato de cálcio nos ossos e dentes.

É essencial para o funcionamento normal dos nervos e músculos e desempenha um papel na coagulação do sangue (como o fator IV) e em muitos processos enzimáticos.

Seu símbolo é: Ca.

O que é cálcio?

cálcio é um elemento químico metálico que aparece em grande abundância em vários compostos da crosta terrestre.

É um dos minerais mais abundantes na Terra, na verdade, e também é um componente vital de muitos organismos vivos, tornando o cálcio um elemento muito importante para uma nutrição saudável.

O cálcio dietético pode ser encontrado em vários alimentos e também na forma de suplementos vitamínicos e minerais para pessoas que correm o risco de ter deficiência. Além de ser importante para o corpo saudável, também tem uma ampla gama de utilizações industriais, tanto na forma pura como em diversos compostos.

Muitas culturas antigas usavam compostos de cálcio para um grande número de coisas, embora o elemento não tenha sido isolado em 1808.

Sir Humphrey Davy, um químico conhecido, conseguiu extraí-lo do cloreto de cálcio ao passar uma corrente elétrica pelo composto. O nome do elemento é retirado do latim calx, para “calcário”, uma referência a um composto abundante encontrado em muitas partes do mundo.

Em sua forma pura, o cálcio é um elemento firme e prateado, que é bastante maleável. É classificado com os metais alcalino-terrosos, embora seja menos reativo do que alguns de seus parentes.

símbolo Ca é usado para identificá-lo na tabela periódica dos elementos, e o elemento tem um número atômico de 20. Quando queimado, o cálcio emite uma chama amarela a vermelha, e a forma elementar criará uma espécie de pátina quando exposta ao ar.

Embora não seja tão reativo quanto alguns metais alcalino-terrosos, ele se combina facilmente com uma ampla gama de substâncias. Algumas coisas comuns que contêm esse mineral incluem calcário, gesso, plantas e animais. O cálcio nunca é encontrado em uma forma elementar naturalmente; em vez disso, aparece em uma ampla variedade de compostos. O mineral puro é frequentemente extraído do cloreto de cálcio, usando praticamente a mesma técnica que Sir Davy empregou em 1808.

Carbonato de cálcio, um composto abundante, é usado para fazer materiais como concreto, cal virgem e cimento. Outros compostos são usados em ligas, inseticidas, desodorantes, fertilizantes, produção têxtil, cosméticos, iluminação e em flores. Nos organismos vivos, esse mineral faz parte dos ossos, dentes e conchas, entre outras partes rígidas do corpo. Também é transportado no sangue, desempenhando um importante papel metabólico no corpo. A maioria dos animais se esforça para garantir que receba cálcio suficiente, combinando seu consumo com a vitamina D para absorção máxima.

Cálcio – Mineral

Cálcio
Cálcio

Nos seres humanos, o cálcio é o mineral mais abundante e constitui cerca de 2% do peso corporal total. Quase tudo isso de cálcio encontra-se no esqueleto e o restante encontra-se nos dentes, o plasma do sangue, tecidos moles do organismo e o fluido extracelular.

O principal papel do cálcio no organismo é proporcionar estrutura e resistência ao esqueleto. Esta estrutura é fornecida, principalmente, por uma forma de fosfato de cálcio hidroxiapatite chamados cristais, os quais são encontrados no colágeno. Os íons de cálcio sobre as superfícies ósseas interagir com as presentes nos fluidos corporais, por conseguinte permitindo a troca de iões.

Isto é essencial para a manutenção do equilíbrio do cálcio no sangue e osso. Cálcio no sangue é um importante regulador de processos corporais fundamentais, tais como a contração do músculo, nervo sinalização impulso, sinalização hormonal e coagulação do sangue.

O cálcio, como o magnésio, é um macroelemento.

É o mineral mais abundante do organismo: 1100 a 1200 g de cálcio, dos quais 90% está no esqueleto. O resto é repartido entre os tecidos (músculos sobretudo) e o plasma sangüíneo. Neste nível, o cálcio se apresenta ligado às proteínas, como também na forma ionizada indispensável às numerosas funções das células.

É um elemento primordial da membrana celular na medida em que ele controla sua permeabilidade e suas propriedades eletrônicas. Está ligado às contrações das fibras musculares lisas, à transmissão do fluxo nervoso, à liberação de numerosos hormônios e mediadores do sistema nervoso, assim como à atividade plaquetária (coagulação do sangue).

As trocas entre o tecido ósseo e o plasma sanguíneo se fazem nos dois sentidos, de maneira equilibrada nos indivíduos normais.

A quantidade de cálcio presente no sangue(calcemia) resulta de vários movimentos: duas entradas (a absorção do cálcio no intestino delgado e a reabsorção óssea) e duas saídas (depósito nos ossos e perdas através da urina). A calcemia não é um espelho fiel destes movimentos e não pode ser o único parâmetro para identificação de uma patologia cálcica.

Pode-se observar uma redução do mineral ósseo (osteoporose) ou uma anomalia do metabolismo cálcico (doença de Paget) sem que seja modificada a taxa de cálcio no sangue.

Os principais fatores de regulação do metabolismo cálcico são o paratormônio secretado pelas glândulas paratireoides (que tendem a liberar o cálcio a nível ósseo e favorece a reabsorção a nível renal ) e a vitamina D, que é indispensável a uma mineralização correta.

Enquanto que dificilmente se podem administrar os fatores interiores(equilíbrio hormonal) que intervém na fisiologia do cálcio, é possível atuar sobre os fatores externos, o aporte de cálcio e da vitamina D, a relação do cálcio com o magnésio e o fósforo ou ainda a composição da ração alimentar. Assim, por exemplo, o excesso de proteínas na refeição aumenta a eliminação urinária do cálcio (atenção aos regimes hiperprotêicos). Da mesma forma a ingestão de alimentos ricos em ácido oxálico (por exemplo, espinafre) ou em ácido fítico (pão integral) faz diminuir a disponibilidade do cálcio em razão da formação de sais insolúveis. A cafeína, o álcool e diversos medicamentos são fatores desfavoráveis para a disponibilidade do cálcio.

As carências profundas em cálcio (hipocalcemias) são bastante raras. Ao contrário, as carências moderadas são frequentes.

Elas provocam os sintomas de hiperex-citabilidade neuromuscular: formigamentos, agulhadas, entorpecimento dos membros e contrações musculares.

Ao nível dos ossos, a redução da taxa de cálcio no organismo pode traduzir-se por sinais de descalcificação: raquitismo, retardamento do crescimento e osteoporose.

As hipocalcemias são devidas mais frequentemente ao déficit de vitamina D e também à falta de aporte de cálcio. Mais raramente uma insuficiência renal, uma pancreatite aguda ou um excesso de fósforo podem estar em jogo.

Quanto às hipercalcemias (aumento do cálcio no sangue), elas se manifestam sob formas diversas: poliuria (necessidade frequente de urinar), formação de cálculos renais, perda de apetite, sonolência, fraqueza muscular e palpitações. Os hipercalcêmicos revelam, ou uma patologia subjacente como o câncer com metástase óssea, hiperparatireoidia, insuficiência renal, ou um incidente iatrogênico como nos casos de utilização prolongada de grandes doses de vitamina D ou de certos diuréticos.

Fontes de cálcio

Símbolo do Cálcio
Símbolo do Cálcio

cálcio deve ser obtido da dieta, uma vez que não é produzido pelo organismo.

As principais fontes de cálcio na dieta são: o leite, produtos lácteos e outros alimentos ricos em cálcio, como peixes com ossos comestíveis (por exemplo, sardinhas e anchovas), feijão, tofu, espinafre, agrião e brócolis.

Alguns alimentos também são enriquecidos com cálcio, como leite, iogurte, cereais de pequeno almoço, arroz e até mesmo biscoitos.

O cálcio também pode ser tomado como um suplemento e pode ser prescrito para mulheres lactantes ou crianças em crescimento, por exemplo, para evitar deficiências.

Deficiências de cálcio

deficiência de cálcio conduz a uma má saúde dos ossos e pode ser causada pela ingestão insuficiente de cálcio, má absorção de cálcio ou a perda de cálcio em excesso, os quais podem reduzir a mineralização óssea.

Condições ósseas tais como a osteoporose e raquitismo são causados por uma deficiência de vitamina D, o que prejudica a absorção intestinal do cálcio e, por sua vez, conduz a uma baixa taxa de mineralização óssea.

Os ossos, portanto, tornar-se macio, maleável e propenso a deformidade.

Por que a saúde óssea é importante?

O osso é um tecido vivo que está constantemente se decompondo e sendo substituído.

Ao longo da vida, seu corpo equilibra a perda de osso com a criação de um novo osso. Você atinge sua maior massa óssea (tamanho e força) por volta dos 30 anos, geralmente entre 20 e 25 anos. Depois disso, você começa a perder massa óssea.

Com o tempo, a perda óssea pode causar osteopenia (baixa massa óssea) e, em seguida, osteoporose, uma condição na qual os ossos se tornam fracos e têm maior probabilidade de quebrar (fratura).

As fraturas podem causar sérios problemas de saúde, incluindo invalidez e morte prematura.

Obter vitamina D e cálcio suficientes é importante para manter os ossos saudáveis e reduzir as chances de desenvolver osteopenia ou osteoporose.

Exercícios regulares com levantamento de peso também ajudam a manter os ossos fortes.

Fonte: cdn.nof.org/medlineplus.gov/healthy-kids.com.au/www.webmd.com/www.news-medical.net/www.wisegeek.org/www.hormone.org/www.hsph.harvard.edu/www.oligopharma.com.br/foodinsight.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Bico de Bunsen

Bico de Bunsen

PUBLICIDADE O que é um Bico de Bunsen? Um bico de Bunsen é um dispositivo de laboratório …

Teoria atômica

Teoria atômica

Teoria atômica – Definição PUBLICIDADE John Dalton (1766-1844) é o cientista creditado por propor a teoria …

Noradrenalina

PUBLICIDADE Noradrenalina – Definição Produto químico produzido por algumas células nervosas e na glândula adrenal. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.