Breaking News
Home / História Geral / História da TV Record

História da TV Record

PUBLICIDADE

1950: Começo

A TV Record iniciou suas transmissões em 27 de setembro de 1953. Foi fundada por Paulo Machado de Carvalho, em São Paulo, como um concorrente para o dominante-Rede Tupi de Diários Associados. Ele quebrou os três anos de monopólio da estação tinha na cidade. Ele originalmente transmitido shows, esportes, jornalismo, comédias e peças teatrais.

Na década de 1950, a TV Record passou a ser reconhecido por suas transmissões esportivas.

Em 1959, ele começou a ser exibido shows com figuras de entretenimento internacionais, como Charles Aznavour, Nat King Cole, Ella Fitzgerald, e Marlene Dietrich.

Idade Dourada da Record: 1960

Os anos 1960 foram considerados “Idade de Ouro” da Record.

O pico dos ratings da ficha estavam no período de 1965-1970, quando se tornou conhecida por seus programas musicais apresentando Bossa Nova e artistas da Jovem Guarda, e seus Festivais de Música de MPB, que abriu as portas para a Tropicália. Foi também durante a década de 1960 que foi ao ar a sua série de comédia Família Trapo, criado em 1967. Naquele ano, começou a liderar o recém-fundado Rede de Emissoras Independentes (Redes de Independente e Radiodifusão ), cujas estações foram ao ar Gravar programas e foram os seus primeiros afiliados.

Em 1968, a fortuna de registro começou a mudar, por causa de uma série de incêndios que prejudicado sua capacidade de produção. Gostos públicas brasileiras começaram a ser atraídos para as novelas da Rede Globo.

1970: Nova década, novos problemas

A estação vendeu 50% de suas ações para Silvio Santos em 1972, mas a ficha não recuperou seus ratings mais elevados. Foi a primeira televisão a transmitir em cores em 1972, durante a Festa da Uva (Festa da Uva), em Caxias do Sul, juntamente com a TV Rio e TV Difusora. Ele viria a ser transmitido em full-color, em 1974. Antes disso, as transmissões em cores desde 1962 foram experimental. TV Record tinha uma programação baseada em séries de TV, filmes e desenhos animados e programas de TV, bem como a sua programação de notícias.

1980: O declínio se agrava

A formação do SBT, em 1981, marcou mais concorrência e para o aprofundamento do declínio da Record. Na maior parte da década de 1980, Record sofria de audiência muito baixos, não há estrelas em seus elencos, e uma falta de programação atraente, além de ele ser a estação oficial do Programa Silvio Santos (que duraria até 1987) e outros programas do SBT. No entanto, o canal obteve uma vitória em 1984, com 2 horas de transmissão televisiva do Jornal da Record (a primeira estação a fazê-lo), transmitido em algumas cidades brasileiras, bem como na promoção da música sertaneja apesar de Marcelo Costa Especial Sertanejo. Record também iniciou a sua transição para uma rede nacional com a abertura de 1982 da sua estação de Rio.

Ressurgimento da Record: 1990

Em 1989, Sílvio Santos e família vendeu a ficha de Paulo Machado de Carvalho para Edir Macedo e sua Igreja Universal do Reino de Deus. No ano seguinte registro se tornou um canal nacional, em conjunto com o seu 37º aniversário de radiodifusão, estreando seu logotipo atual, e nesse mesmo ano começou transmissões via satélite. Ana Maria Braga se juntou a estação em 1993, permanecendo lá por 6 anos.

Em 12 de outubro de 1995, a rede se tornou famoso em todo o país por causa do “chute na santa” episódio, exibido durante o programa tarde da noite da igreja.

De acordo com Macedo, os novos proprietários começaram a reconstruir Registros imagem pública, identificando como Rede Record e assinar afiliadas de radiodifusão em todo o Brasil.

Durante a maior parte da década de 1990 e na primeira metade da década de 2000, Record investiu na programação popular, assinando estrelas como Ana Maria Braga (que deixou de ir a Globo) e Carlos “Ratinho” Massa (atualmente no SBT). Ele mudou sua programação de várias maneiras, adicionando mais cobertura de esportes (por exemplo, transmitir a Copa do Mundo de 1998); jornalismo investigativo.

Acrescentou várias séries dos Estados Unidos, tais como Star Trek, The X-Files, Millennium e Os Três Patetas (incluindo também, em anos posteriores, House, MD, Monk e CSI: Crime Scene Investigation e seus spin-offs). Ele também acrescentou programas infantis educativos, e desenhos animados dos mercados mundiais, como o Laboratório de Dexter e o anime Pokémon.

Década de 2000: No caminho para a liderança

Em 2003, a TV Record comemorou o seu 50º aniversário de seu lançamento, em São Paulo, assim, com este disco conquista é hoje o mais antigo e mais antiga rede de televisão brasileira existente. Em 2004, ele começou a usar um novo slogan, A Caminho da Liderança (“No caminho para a liderança”), e lançou nova programação (entre eles era Domingo Espetacular, que logo iria passar por uma concorrência séria ao Fantastico longo dominante da Rede Globo). Apesar das críticas, o canal tem tomado uma página de sucesso da Globo e passou a investir pesadamente em telenovelas, como Essas Mulheres e Ribeirão do Tempo. Ele também tentou fazer com que seus locutores e jornalistas parecem mais com o seu principal concorrente. Ele não renovar o contrato de sua âncora, Boris Casoy, que se mudou para a Rede Bandeirantes, como resultado.

Em 2007, Record, pela primeira vez, ocupou o 2º lugar na classificação de São Paulo.

Seu objetivo era assumir a liderança na década de 2010

Dois anos depois, em 2009, o recorde de público no Rio superou a da Globo após a transmissão do blockbuster filme de ação brasileiro Tropa de Elite. Ao mesmo tempo, a rede logo estreou seu próprio canal de notícias, Record News, e começou seu serviço internacional também.

2010: Rede Record de hoje

Em uma primeira vez para a rede, Record assinado com o Comitê Olímpico Internacional para os direitos exclusivos para a televisão-a livre de ar para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2010 e os Jogos Olímpicos de Verão de 2012. [3] [4] A rede também detém, até 2019 , os Jogos Pan-Americanos transmissões direitos.

Pesquisas IBOPE confirmou que a Record teve um aumento de 101% em sua audiência em São Paulo, (de 2003) e um aumento de 270% surpreendente em sua audiência no Rio de Janeiro (a partir de 2002). Na mesma pesquisa, em São Paulo, a Globo sofreu uma queda de 26% em sua audiência, enquanto o SBT perdeu 37% de seu público, enquanto no Rio de Janeiro, a audiência da Globo caiu em 30%, ao passo que o SBT perdeu 17%.

2014 marcou a primeira vez tanto Rede Record e Record News transmitirá os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 em conjunto.

Rede Record de Televisão

Rede Record de Televisão, também conhecido simplesmente como Record, é uma rede de televisão brasileira, fundada em 1953 por Paulo Machado de Carvalho, também fundador da Rádio Record.

Atualmente é de propriedade do empresário brasileiro Edir Macedo, que também é fundador e bispo da Igreja Universal do Reino de Deus.

Desde 2007, é a rede de televisão de segundo mais popular no Brasil, depois de ter estado em último lugar das redes de televisão desde a década de 1980. Com 61 anos de contínuos de transmissão, é também a mais antiga rede de TV no país.

História da TV Record
Logo da TV Record

História da TV Record

História da TV Record
Versões em Preto e Branco

Fundação da TV Record no Brasil – 27-09-1953

A TV Record, fundada em 1953, vira Rede Record, após o bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, assumir o controle do grupo.

No dia 27 de setembro de 1953, às 20 horas, entrava no ar a TV Record, no canal 7. Atualmente, a emissora é a mais antiga em atividade no país e também a segunda rede em faturamento e audiência do Brasil. Quando foi fundada, o dono da emissora era Paulo Machado de Carvalho. No final da década de 80, a TV Record foi comprada foi Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.

No dia de sua estreia, a emissora transmitiu um programa musical apresentado por Sandra Amaral e Hélio Ansaldo. Nos primeiros anos, além da música, a Record investiu em esporte e em entretenimento. Nos anos 90, a mudança do controle acionário da emissora trouxe grande ampliação na programação e manteve o jornalismo como carro-chefe.Fundação da TV Record no Brasil

Década de 50

Às 20 horas do dia 27 de setembro de 1953, a TV Record entrou no ar com a exibição de um programa musical apresentado por Sandra Amaral e Hélio Ansaldo. A sorte estava lançada e a história da emissora que mais contribuiu para a evolução da música popular brasileira estava apenas começando.

Equipada com a tecnologia mais avançada para a época, a chegada da TV Record causou impacto na imprensa.

O jornal “O Estado de S. Paulo”, por exemplo, publicou uma matéria de página inteira com o título: “Entra no ar em São Paulo uma das maiores tevês do mundo”.

Estava provado que a ousadia dos proprietários, a família Machado de Carvalho, valeria a pena.

Nos primeiros anos, a emissora dedicou-se aos programas musicais como “Grandes Espetáculos União”, apresentado por Blota Jr. e Sandra Amaral, tornando-se líder de audiência em pouco tempo. Além de shows, a TV Record investiu em telejornais. Mas foi a programação esportiva que acabou sendo um dos grandes trunfos da emissora. Programas como o famoso “Mesa Redonda” (link), criado em 1954 e apresentado por Geraldo José de Almeida e Raul Tabajara, fizeram escola na televisão.

A emissora também resolveu sair a campo e transmitir, ao vivo, partidas de futebol. A partir daí, tornou-se pioneira na cobertura esportiva, transmitindo quase todos os acontecimentos esportivos em São Paulo como, por exemplo,lutas do Campeonato de Pugilismo. A Record foi a primeira emissora a transmitir, ao vivo, o Grande Prêmio de Turfe do Brasil, em 1956, direto do Jóquei Clube do Rio de Janeiro.

Década de 60

O primeiro passo foi investir na expansão da TV, visando a cobertura total do Estado de São Paulo. Estrearam novos programas como a reedição de “Almoço com as Estrelas”, agora apresentado pelo casal Lolita e Ayrton Rodrigues, o infantil “Bozo”, “Sala Especial”, o humorístico “Dercy aos Domingos”, com a irreverente Dercy Gonçalves e o “Perdidos na Noite”, com Fausto Silva.

Em 1983, estreava o programa feminino “A Mulher dá o Recado”, que passou a se chamar “Nova Mulher”, apresentado pela jornalista Beth Russo. Em 1985 a atriz Dina Sfat, que tinha participado do elenco das primeiras novelas do Canal 7 na década de 60, voltou à emissora com o programa de variedades chamado “Dina, Mil e Uma Noites”.

O programa “Especial Sertanejo”, com Marcelo Costa, passou a fazer parte da grade de programação da TV Record em 1984.

O jornalismo também ganhou força: Danti Matiussi assumiu a direção do departamento e colocou no ar o “Jornal da Record”, comandado por Paulo Markun e Silvia Poppovic. Mais tarde, o programa seria apresentado por Carlos Nascimento.

Década de 70

Nos anos 70, a emissora deu ênfase também ao jornalismo. Além do programa “Dia D”, que semanalmente mostrava entrevistas com personalidades internacionais e reportagens especiais, a emissora colocou no ar o “Jornal do REI”, com transmissão simultânea entre o Rio de Janeiro e São Paulo, e o “Jornal da Record, depois chamado de Jornal da Noite. Em 1972, o jornalista Hélio Ansaldo estreou o telejornal “Tempo de Notícias” que, além de informar, debatia os temas com a participação de especialistas em diversas áreas. Anos depois, o programa passaria a se chamar “Record em Notícias”, sendo apresentado por Murillo Antunes Alves até 1996.

O Canal 7 inovou também na cobertura esportiva. Entre os lançamentos, o programa “O Melhor do Jogo”, no qual Randal Juliano mostrava osprincipais lances do Campeonato Paulista, “Desafio ao Galo”, que abriu espaço para o futebol de várzea, e Cartão Vermelho, uma mesa redonda com a participação de cronistas especializados.

Em 1977 a Record contrata o comentarista Sílvio Luiz e coloca no ar o bem sucedido “De Olho no Lance”, um debate já transmitido em cores.A programação de shows também foi reformulada. Entre as estréias, o “Quem Tem Medo da Verdade”, um programa de entrevistas, e “É proibido Colar Cartazes”, com humor e calouros. A Record também contratou o comunicador Edson Bolinha Cury que estreou seu programa “Hora do Bolinha”.

Em 1971, é a vez de Ronald Golias fazer sucesso com o humorístico Bronco Total.

Em 1973, estréia Os Insociáveis, que ficou conhecido como Os Trapalhões, com Renato Aragão, Dedé Santana e Mussum, e são contratados outros comunicadores que também passam a integrar a linha de shows da Record: Flávio Cavalcanti e Raul Gil. A primeira transmissão em cores foi realizada oficialmente pela TV Record em 19 de fevereiro de 1972. Com imagens geradas pela TV Difusora de Porto Alegre, a emissora mostrou a Festa da Uva, na Cidade de Caxias do Sul.

Mas o Canal 7 só entrou para valer na era das cores quando passou a exibir a série UFO, uma produção americana de filmes de ficção. Apesar da concorrência e das dificuldades técnicas provocadas pelos diversos incêndios que atingiram a RECORD no final dos anos 60, a emissora crescia e mantinha o segundo lugar em audiência. Foi nessa época que o empresário e comunicador Sílvio Santos passou a fazer parte da TV Record. Surgia, então, uma nova fase na história da emissora.

Década de 80

O primeiro passo foi investir na expansão da TV, visando a cobertura total do Estado de São Paulo. Estrearam novos programas como a reedição de Almoço com as Estrelas, agora apresentado pelo casal Lolita e Ayrton Rodrigues, o infantil Bozo, Sala Especial, o humorístico Dercy aos Domingos, com a irreverente Dercy Gonçalves e o Perdidos na Noite, com Fausto Silva.

Em 1983, estreava o programa feminino A Mulher dá o Recado, que passou a se chamar Nova Mulher, apresentado pela jornalista Beth Russo.

Em 1985 a atriz Dina Sfat, que tinha participado do elenco das primeiras novelas do Canal 7 na década de 60, voltou à emissora com o programa de variedades chamado Dina, Mil e Uma Noites.

O programa Especial Sertanejo, com Marcelo Costa, passou a fazer parte da grade de programação da TV Record em 1984.

O jornalismo também ganhou força: Danti Matiussi assumiu a direção do departamento e colocou no ar o Jornal da Record, comandado por Paulo Markun e Silvia Poppovic. Mais tarde, o programa seria apresentado por Carlos Nascimento.

Década de 90

Em 1991, a mudança do controle acionário deu início a uma nova fase. A RECORD ampliou sua programação, mantendo o jornalismo como carro-chefe e iniciou a formação de uma rede nacional de emissoras. Em 1993 surgiu um grande nome na televisão brasileira. Ana Maria Braga, com o “Note e Anote”, conquistaria o fiel público feminino.

A emissora mudou-se para a sede do bairro da Barra Funda em 1995, e no final do mesmo ano estreou o telejornal “Cidade Alerta” que, desde os primeiros meses emplacou como sucesso do jornalismo popular. Já em 1996, a emissora consolidaria o terceiro lugar em audiência e passaria a disputar a vice- liderança. “REDE RECORD, A NOVA FORÇA DO ESPORTE” tornou-se o slogan da emissora. A cobertura dos Jogos Olímpicos de 1996, em Atlanta, marcaria o espaço do esporte na programação. Em 1997, a credibilidade de Boris Casoy reforçou o jornalismo, impondo seriedade e imparcialidade. Carlos Massa, o Ratinho, veio para a RECORD no segundo semestre e criou um estilo novo de fazer televisão.

Outro avanço, ainda em 97, foi a implantação do Núcleo de Teledramaturgia, que produziu minisséries e a novela “Canoa do Bagre”. No segundo semestre foi criada a parceria com a VTM Produções. Mais seis minisséries foram ao ar, além da superprodução “Desafio de Elias”, vendida para vários países. “REDE RECORD – TODO MUNDO VÊ” foi o slogan da emissora em 98. Em parceria com a produtora VTM foi produzida a novela “Estrela de Fogo”. A Copa do Mundo de 1998 foi um marco para a emissora em coberturas esportivas. No mesmo ano foram lançados o telejornal “Fala Brasil” e o “Repórter Record”. Outro grande lançamento daquele ano foi o infantil Vila Esperança.

Em outubro de 1998, a Rede Record adquiriu sua primeira unidade móvel totalmente digital: um caminhão com quatro câmeras, um switcher (aparelho que muda as imagens das câmeras no ar) e 3 aparelhos de edição vídeo-tape com slow-motion. O ano de 1999 foi marcado por novidades, com mais contratações e criação de novos programas.

Para substituir a novela “Estrela de Fogo”, entrou no ar “Louca Paixão”. Na esteira das mudanças vieram o programa “Sem Limites Pra Sonhar”, apresentado semanalmente por Fábio Júnior, e o humorístico “Escolinha do Barulho”. O gênero infantil não ficou desfalcado. A Record adquiriu novos desenhos, entre eles o “Laboratório de Dexter”, A Vaca e o Frango”, e o polêmico “Pokémon”.

O Departamento de Jornalismo passou a ser dirigido por José Luiz Gonzaga Mineiro, que teria como prioridade a remodelação do setor e a implantação de uma cobertura internacional com correspondentes. O Note e Anote, passou a ser comandado por Cátia Fonseca, que imprimiu o estilo próprio descontraído de apresentar o programa.

Ano 2000

Em 2000, a RECORD lançou novos talentos. Entre eles Ed Banana, apresentado por Edilson Oliveira, que até então só atuava como ajudante de palco de Eliana como o personagem Chiquinho. A produção ficou no ar até abril do mesmo ano para, posteriormente, ser reformulada. Na programação infantil, o Eliana e Alegria teve sua audiência ampliada em 100%, consolidando-se como o programa que mais cresceu no ano. A produção de novelas continuou a todo o vapor com a estréia de Marcas da Paixão, estrelando Irene Ravache, Cláudio Cavalcanti e Nathália Thimberg.

Também em 2000, Claudete Troiano chegou à Record para dar cara nova ao Note e Anote. A jornalista trouxe com ela novos quadros e culinaristas, além de lançar o “Plantão Médico”, sucesso entre as telespectadoras que tiram suas dúvidas ao vivo com profissionais renomados. Outra estrela que chegou à Record em 2000 foi Adriane Galisteu, para comandar o programa de variedades É Show.

Chegada ao século XXI

Em 2001, a novidade foi o slogan: “Record, a TV que todo mundo pode ver”.

Em março do mesmo ano, o cantor e apresentador Netinho estreava, com grande sucesso, o “Domingo da Gente”. A teledramaturgia também foi destaque. Três novelas conquistaram o público. A primeira foi “Vidas Cruzadas”. Na seqüência, foi produzida a novela “Roda da Vida”, de Solange Castro Neves.

Para as crianças, foi produzida a série educativa “Acampamento Legal”. Neste ano, Raul Gil conquistou o Brasil com seus calouros. A fórmula do concurso tornou-se o grande fenômeno do ano na televisão brasileira, conquistando a liderança de audiência nas tardes de sábado. O esporte ganhou peso com a contratação de Milton Neves.

O jornalista lançou dois programas de sucesso na Emissora: o “Terceiro Tempo” – aos domingo à noite – e o “Debate Bola”, no ar todas as tardes com discussões descontraídas sobre a paixão dos brasileiros, o futebol.

Ainda em 2001, a novidade foi o slogan: “Record, a TV que todo mundo pode ver”.

Em setembro de 2002 estreou o programa “A Noite É Nossa”, apresentado por Mara Maravilha, que mais tarde passaria o comando a Isis Regina. No jornalismo, Paulo Henrique Amorim foi mais um reforço contratado e trouxe sua Conversa Afiada para o Jornal da Record – 2ª edição e para o Fala Brasil. A Sony Pictures em parceria com a Record lançou sob o comando de Milton Neves, o Roleta Russa, game de sucesso em vários países Netinho de Paula emplacou a série brasileira Turma do Gueto com elenco predominantemente negro.

Em 2003 a Record comemora 50 anos e torna-se a rede de televisão mais antiga em operação no país. Uma série de cinco programas especiais que contou a história da emissora foi apresentada por Adriane Galisteu com a presença de convidados como Hebe Camargo, Jô Soares, Ronald Golias, Francisco Cuoco, Chico Anysio e Renato Aragão, contou a história da Emissora. Ainda neste ano retorna a Record o locutor Luciano do Valle, Eliana estréia o infantil Eliana na Fábrica Maluca e Wagner Montes, o Verdade do Povo. Milton Neves e Oscar Roberto Godoy assumem, por alguns meses, a apresentação do Cidade Alerta.

2004 marca o retorno da teledramaturgia a Record. O sucesso de A Escrava Isaura impressiona nos números de audiência e a novela ganha o gosto do público.

Marcelo Rezende chega para comandar o Cidade Alerta. Um salto na qualidade do jornalismo é marcado com as estréias do Domingo Espetacular (apresentado por Celso Freitas, Lorena Calábria e Amália Rocha) e o Tudo a Ver (com Paulo Henrique Amorim e Janine Borba, depois Patrícia Maldonado assume a bancada no lugar de Janine). Marcos Hummel assina com a Record para apresentar o novo Fala Brasil ao lado de Janine Borba. Chitãozinho e Xororó trazem a música sertaneja no Raízes do Campo.

,br> O reality show com perguntas e respostas Sem Saída estréia no comando de Márcio Garcia. Outro reality que chegou a Record e bateu excelentes índices de audiência foi O Aprendiz, apresentado pelo empresário e publicitário Roberto Justus. Sônia Abrão, uma autoridade no universo de variedades, estréia o Sonia e Você nas tardes da emissora. Tom Cavalcante chega como um presente para a Record.

Exatamente no aniversário da emissora, o humorista traz o Show do Tom para animar as noites. Para fechar o ano, Netinho aposta na Mais Bela Negra do Brasil. O concurso inédito na televisão brasileira alcançou altos índices de audiência, principalmente na sua final, exibida, ao vivo, no domingo.

Em 2004 foram 12 estréias, além de bater o maior faturamento da história da Record: R$ 500 milhões, 41% superior ao ano anterior.

A audiência também cresceu: 19% na média diária e 37% no horário nobre, segundo dados do Ibope.

Fonte: en.wikipedia.org/rederecord.r7.com

Veja também

Populista

Populista

PUBLICIDADE Definição Populista, em geral, é uma ideologia ou movimento político que mobiliza a população …

Corrida Espacial

Corrida Espacial

PUBLICIDADE Definição A corrida espacial da Guerra Fria (1957 – 1975) foi uma competição na exploração do …

Caso Watergate

Caso Watergate

PUBLICIDADE Watergate Watergate pode ser a história mais famosa na história americana de jornalismo investigativo. Isso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.