Breaking News
Home / História Geral / Televisão em Cores

Televisão em Cores

PUBLICIDADE

 

1951 – TV a Cor

Desde a sua criação no final de 1940, em que forma a televisão teve um impacto na sociedade moderna?

A televisão é a forma mais comum de comunicação no mundo de hoje. O uso mais comum de tv é como uma fonte de informação e como entretenimento para os telespectadores em suas casas.

Embora os primeiros televisores práticos começou a operar no final de 1940, alguns dos primeiros trabalhos ocorreu em 1884, quando Paul Nipkow, um engenheiro alemão, projetado um disco de digitalização em que a luz que passa através das imagens de televisão bruto disco criado. Um método eletrônico de varredura foi desenvolvido pelo físico americano nascido na Rússia Vladimir Zworykin em seu tubo de câmera iconoscope da década de 1920.

Na década de 1930, os raios catódicos, ou feixes de elétrons em tubos de vidro evacuados, foram desenvolvidos para uso em televisão por Allen Dumont, um engenheiro elétrico americano. Seu método de reprodução de imagem é essencialmente o mesmo que o usado ainda hoje. A primeira televisão em casa, foi demonstrada em Schenectady, Nova Iorque, em 1928, por Ernst FW Alexanderson. As imagens foram pequenos, pobre e instável, mas o conjunto pode ser utilizado em casa.

Um boom de radiodifusão televisiva começou após a Segunda Guerra Mundial, e da indústria cresceu rapidamente. No início, o desenvolvimento da televisão a cores ficou para trás porque era tecnicamente mais complexo. Mais tarde, foi adiada porque os sinais de televisão a cores tinha que usar os mesmos canais como a televisão preto e branco, que também tinha que estar a receber em preto e branco em conjuntos monocromáticos. TV em cores Compatível foi aperfeiçoado em 1953.

A televisão é um sistema de envio e recebimento de imagens e som por meio de sinais eletrônicos transmitidos através de fios e fibras ópticas ou por radiação eletromagnética. Estes sinais são geralmente emitidos a partir de uma estação de televisão central para dispositivos de recepção em aparelhos de televisão nos lares ou para retransmitir estações utilizadas por provedores de televisão por cabo.

Uma câmara de televisão transforma a luz a partir de uma cena num sinal de vídeo eléctrico. Estes sinais são processados e combinado com outros sinais de vídeo e áudio para fornecer um programa de televisão. Sinais eletrônicos do programa são então enviados para um transmissor, que os amplifica e combina-los com ondas portadoras (correntes elétricas oscilantes que carregam a informação). As ondas portadoras são enviados através do ar através de uma antena de transmissão. As ondas causam correntes elétricas a se formar em antenas de recepção de televisão dentro de seu alcance. Um receptor na televisão traduz o sinal de volta para imagens e sons.

As ondas de alta frequência irradiada por antenas de transmissão pode viajar apenas em uma linha reta. Por esta razão, antenas de transmissão devem ser colocadas em edifícios ou torres. TV a cabo foi desenvolvido pela primeira vez no final de 1940 para servir as áreas que estão impedidos de receber sinais. O sinal é captado por um receptor e redistribuído por cabo.

O receptor de televisão traduz os pulsos de corrente elétrica da antena ou cabo em imagens e sons. Uma vez que o espectador selecciona um canal, o sinal recebido é amplificado, e os sinais de vídeo, de áudio e de verificação estão separadas das ondas portadoras. O sistema de áudio traduz a parte de áudio da transportadora acenar de volta em som, executando-o através de um amplificador e um sistema de alto-falante. O tubo de imagem de televisão recria a imagem original usando um canhão de elétrons, que dispara um feixe de varredura de elétrons para a parte traseira da tela da televisão. A tela é revestida com fósforo, uma substância que brilha quando é atingido por elétrons.

Na televisão a cores de uma porção do sinal de vídeo é usado para separar os três sinais de cor. A tela é revestida por minúsculos pontos organizados em grupos de três (azul, verde e vermelho). Antes de cada feixe de luz atinge a tela, que passa através de uma camada de material opaco que bloqueia parcialmente o feixe correspondente a uma cor e impede-o de bater pontos de outra cor. O espectador vê uma imagem que tem todo o espectro de cores.

As cores que deram vida à telinha

As transmissões regulares em cores, começaram no ano de 1954, nos Estados Unidos.

Mas Hebert Eugene Ives realizou em 1929, em Nova Iorque, as primeiras imagens coloridas com 50 linhas de definição por fio.

O invento mecânico foi aperfeiçoado por Peter Goldmark, que fez demonstrações com 343 linhas em 1940.

Surgiram vários sistemas, mas nenhum explicava o que fazer com os aparelhos antigos preto e branco, que já eram cerca de 10 milhões no início dos anos 50.

Televisão em Cores

Foi criado nos Estados Unidos o National Television System Committee (ou National Television Standards Committee), um comitê para, literalmente, colocar cor no sistema preto e branco.

As iniciais desse comitê deram nome ao novo sistema, NTSC, que acrescentava a crominância ©, ou seja a cor, aos níveis de luminância (Y) do padrão preto e branco.

A Alemanha colocou em funcionamento, em 1967, uma variação do sistema americano, que recebeu o nome de Phase Alternation Line, dando as iniciais para o sistema PAL; resolvendo algumas debilidades do primeiro sistema.

Nesse mesmo ano, entrou na França o SECAM (Séquentielle Couleur à Mémoire), não compatível com o sistema preto e branco francês.

A TV Tupi de São Paulo fez diversas experiências a partir de 1963, com documentários, episódios da série americana “Bonanza” e até um discurso do presidente João Goulart. No mesmo ano, a TV Excelsior também fez transmissões em cores, experimentalmente. A Globo e a Bandeirantes iniciaram seus testes nos anos seguintes.

Mas a primeira transmissão oficial em cores no Brasil ocorreu em 19 de fevereiro de 1972, com a cobertura da “Festa da Uva”, na cidade gaúcha de Caxias do Sul, autorizada pelo Ministério das Comunicações.

Em 31 de março de 1972, as principais emissoras brasileiras inauguraram oficialmente suas programações coloridas.

Fonte: novaonline.nvcc.edu/www.tvgazeta.com.br

Televisão em Cores

Televisão a cores teve o seu início no final de 1940 ao lado de televisão a preto e branco. Não era uma opção viável comercialmente até o início dos anos 1950.

Televisão em cores refere-se à tecnologia de radiodifusão de sinal de televisão e respectiva reprodução de imagens em movimento a cores.

Na forma básica, a difusão de cor pode ser criada pela emissão combinada de três imagens monocromáticas, uma em cada banda de vermelho, verde e azul (RGB).

Quando em rápida sucessão, estas cores misturam-se para produzir um cor tal como apreciado pelo sentido da visão das pessoas.

Um dos grandes desafios técnicos na introdução de cor era o desejo de reduzir a elevada largura de banda, três vezes superior à padronizada para a televisão a preto e branco, para algo mais aceitável que não utilizasse a maior parte do espectro de rádio.

Após pesquisas, a NTSC introduziu um sistema de codificação da informação de cor de forma separada do brilho, e reduziu a resolução da informação sobre cor para conservar a largura de banda.

Introduzida nos Estados Unidos na década de 1950, apenas alguns anos depois das emissões a preto e branco estarem padronizadas, os altos preços dos televisores e a falta de material para aproveitar a nova tecnologia fizeram demorar a sua aceitação no mercado.

Só em finais da década de 1960 é que os televisores a cores se começaram a impor no mercado, sobretudo devido ao sistema Porta-Color da General Electric em 1966. Na década seguinte os televisores a cores tornaram-se os mais comuns, tendo havido a padronização do sistema.

Na Europa, a padronização pelo sistema PAL só estaria feita na década de 1960, e as emissões começaram em 1967. Por esta altura muitos dos problemas nos televisores mais antigos já estavam resolvidos, e a divulgação do sistema de cores na Europa foi bastante rápida.

A mais recente mudança para sistemas puramente digitais na difusão nos Estados Unidos fez terminar a compatibilidade dos televisores mais antigos, que durou cerca de 60 anos.

Fonte: wapedia.mobi

Televisão em Cores

Princípios de Cor na Televisão

Oconhecimento das características físicas das cores ajuda a prevenir problemas de produção e podem somar pontos à sua reputação como profissional.

Na realidade, este conhecimento lhe será útil no cumprimento de diversas funções, desde o balanço de cor da câmera até à seleção das cores do guarda-roupa do programa.

A televisão colorida é baseada no princípio físico da adição de cores. Este princípio é essencialmente oposto ao processo de subtração de cores, que é mais conhecido (e determina a mistura de tintas e pigmentos ), e isto acaba criando confusão e dificultando o entendimento do assunto.

Televisão em Cores

Televisão em Cores

Cores Subtrativas

A cor de um objeto é determinada pela cor da luz que ele absorve e da cor da luz que ele reflete. Quando uma luz de cor branca atinge um objeto vermelho, o objeto aparece vermelho porque ele subtrai (absorve) todas as cores exceto a vermelha, que ele reflete.

A luz que é absorvida (subtraída) é transformada em calor. Isto explica porque um objeto preto que absorve todas as cores que o atingem, fica mais quente sob a luz do sol, do que um objeto branco que reflete todas as cores.

Q uando misturamos os pigmentos cores primárias subtrativas – magenta, cian e amarelo — o resultado é preto — ou, devido à impurezas nos pigmentos, uma sombra escura semelhante à lama. Toda a cor é essencialmente absorvida.

Observe na ilustração acima o que acontece quando misturamos o pigmrnto das três cores primárias subtrativas (amarelo, cian e magenta). Você pode ver que amarelo e cian produzem verde; magenta e cian produzem azul, etc.

Quando um filtro colorido ou uma gelatina é colocada na frente da lente da câmera ou de uma lâmpada, o mesmo tipo de subtração de cor acontece.

Por exemplo, um filtro vermelho 100% colocado na frente da lente de uma câmera absorverá todas as cores de luz exceto o vermelho. Muita gente pensa que o filtro vermelho simplesmente “tornou a luz vermelha” , o que como você pode ver, não é bem o caso.

Cores aditivas

A té agora falamos sobre o resultado da mistura de tintas ou pigmentos que absorvem (subtraem) luz.

Quando misturamos luzes coloridas, o resultado é aditivo em lugar de ser subtrativo. Por exemplo, quando misturamos luzes de cores primárias (vermelho, azul e verde) o resultado é branco.

Isto pode ser demonstrado facilmente com três projetores de slides, se um filtro colorido é colocado em cada uma das três lentes — um vermelho, um verde e um azul.

Quando todas as três cores primárias se sobrepõem (se somam) o resultado é luz branca.

Note na ilustração acima, que quando duas cores primárias se sobrepõem (por exemplo, vermelho e verde) o resultado é uma cor secundária (neste caso, amarelo).

A roda de cores é a chave para entendermos muitas coisas sobre a televisão colorida.

Vermelho, azul e verde são cores primárias em televisão e amarelo, magenta e cian são consideradas cores secundárias. (Procure memorizar a roda de cor, isto lhe será útil em muitas áreas — não só em Televisão).

Quando misturamos duas cores exatamente opostas na roda de cores. Note bem, em vez de cancelar uma a outra como nas cores subtrativas, estas cores complementares se combinam em um efeito aditivo. (Uma sinônimo de “complementar” é “fazer inteiro”.)

Cores opostas na roda de cores tendem a se “exagerar” (saturar) mutuamente quando vistas juntas. Por exemplo, os azuis aparecerão mais “azuis” próximos do amarelo e os vermelhos “mais vermelhos” próximos do cian (o que pode explicar por que os ruivos preferem usar roupas de cor azul ou verde).

Neste momento, fica fácil de entender que misturando a quantidade certa de luzes vermelha, azul e verde podemos reproduzir qualquer cor do arco-íris. Por isso, na televisão colorida são necessárias apenas três cores (vermelho, azul e verde) para produzir o todo o espectro de cores de uma imagem de Televisão.

Em resumo, o processo de cor da Televisão é baseado no processo de separação (na câmera de televisão) e combinação (em um aparelho de TV) das cores vermelho, azul e verde. Vejamos como uma câmera de TV funciona.

“Televisão em cores” ou “televisão a cores”?

Qual a forma certa: “televisão em cores” ou “televisão a cores”?

Essa pergunta é muito freqüente.

A televisão é em preto-e-branco.

A televisão é em cores.

Isso é indiscutível. Há um ou outro autor que argumentam que “a cores” se impõe pelo uso.

Se você não quiser gerar discussão, opte por televisão “em cores”, forma absolutamente correta.

O filme é em preto-e-branco.
O filme é em italiano.
O filme é em preto-e-branco.
O filme é em cores.

Lembremos que, se fosse aceita a forma “a cores”, jamais esse “a” poderia receber acento indicador de crase porque “cores” está no plural e, portanto, o “a” é tão-somente preposição, e não preposição acompanhada de artigo.

Seja como for, a expressão considerada pela quase totalidade dos gramáticos é “televisão em cores“.

Fonte: www.cybercollege.com

 

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Políticas Sociais

Políticas Sociais

PUBLICIDADE Definição Política social é um termo que é aplicado a várias áreas da política, geralmente …

Políticas Públicas

Políticas Públicas

PUBLICIDADE Definição A política pública é o guia de princípios para a ação tomada pelos poderes executivos …

Gerontocracia

Gerontocracia

PUBLICIDADE Definição Um estado, sociedade ou grupo governado por pessoas idosas. O que é uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.