Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / História Geral / Televisão Digital

Televisão Digital

PUBLICIDADE

 

A transmissão digital permite as estações de TV oferecer uma melhor qualidade de imagem e som.

Televisão Digital é uma tecnologia avançada de radiodifusão que transformou a experiência de visualização de televisão.

A Televisão Digital permite as empresas de radiodifusão oferecerem televisão com melhor qualidade de imagem e som, e vários canais de programação.

Desde 13 de junho de 2009, as estações de televisão com força total em todo o país foram obrigadas a transmitir exclusivamente em formato digital.

A transição do analógico para transmissão de televisão digital é conhecida como a transição da televisão digital.

Em 1996, o Congresso autorizou a distribuição de um canal de transmissão adicional para todas as estações de televisão de plenos poderes para que cada estação poderia lançar um canal de transmissão digital ao mesmo tempo continuar a transmissão analógica. Mais tarde, o Congresso definir 12 de junho de 2009 como data limite para as estações de televisão todo o poder para parar a transmissão de sinais analógicos.

Um benefício importante da mudança para all-digital de radiodifusão é que partes do espectro de transmissão valioso foram liberados para comunicações de segurança pública por grupos tais como a polícia, bombeiros e equipes de resgate. Além disso, parte do espectro tem sido leiloadas para empresas que será capaz de oferecer aos consumidores serviços sem fio avançados, como a banda larga sem fio.

Como funciona a tv a plasma?

A grande inovação desse tipo de aparelho está na forma como são ativados os pixels, os pequenos pontos luminosos que formam a imagem na tela.

Na televisão tradicional, isso é feito por um feixe de elétrons, que é emitido dentro de um grande tubo -por isso o aparelho tem muita profundidade.

Já no novo modelo, os pixels são minúsculas lâmpadas fluorescentes que contem em seu interior plasma, um gás carregado eletricamente que da nome ao aparelho .

Como as micro lâmpadas tem espessura equivalente a um fio de cabelo, o aparelho tem uma estrutura extremamente compacta, parecendo um quadro para pendurar na parede.

Alem de reduzir a profundidade para poucos centímetros, a nova tecnologia ainda aumenta a resolução da imagem em quase sete vezes outras vantagens são a tela plana, que evita distorções, e as imagens com mais cores e brilho, alem de menos problemas de reflexo.

Entretanto, o principio usado para formar as imagens é basicamente o mesmo nas duas televisões Os pixels distribuídos em linhas horizontais, da esquerda para direita, e de cima para baixo, não são ativados todos de uma só vez.

Assim cada quadro da tela leva pouco mais de um milésimo de segundo para ser completado. E é exatamente essa seqüência de surgimento dos quadros que cria a ilusão de movimento.

O que é TV digital?

Sistema de transmissão de dados por meio de um código binário (a transmissão analógica é feita por ondas eletromagnéticas). O som e imagem são digitalizados, ou seja, transformados em séries que combinam os dígitos 0 e 1, mesma linguagem utilizada por computadores.

Quais são as vantagens?

Transmissão sem interferências, melhor qualidade de imagem e som, maior variedade de canais (até 150 podem ser recebidos), possibilidade de usar recursos interativos, como fazer compras em supermercados, acessar contas bancárias, escolher o ângulo de visão em partidas de futebol, acessar cenas de capítulos anteriores etc. O aparelho de televisão também pode ser utilizado para mandar e receber emails e acessar a Internet.

Quanto deve custar um aparelho digital?

Os primeiros aparelhos digitais serão caros. As previsões indicam que não devem custar menos de US$ 2,5 mil. O decodificar deve custar cerca de US$ 500.

Com o tempo os preços devem baixar.

A qualidade da imagem é melhor?

Sim. A TV digital não tem transmissão falha. Ou o sinal chega bem ou não chega. É diferente da televisão atual, a analógica, que pode ter transmissão com fantasmas ou chuviscos.

Como é um aparelho de TV Digital?

Além das diferenças técnicas de recepção, o formato do aparelho digital é diferente do analógico. A tela da TV digital tem uma proporção de 16×9, mais horizontal e próxima do cinema. A atual é mais quadrada, com proporção 4×3.

Será preciso comprar um aparelho novo?

Não necessariamente. No período de transição, as emissoras devem ser obrigadas por lei a transmitir em digital e analógico. Há duas possibilidades de assistir

TV digital: comprar um aparelho digital ou um decodificador que pode ser acoplado a qualquer aparelho analógico. Este aparelho transforma sinal digital em analógico para ser recebido pelo seu aparelho. Nesse caso, perde-se qualidade.

Como é a transmissão?

As informações digitalizadas são transmitidas por via aérea (com uso de satélite) ou terrestre (por ondas ou cabo). Depois serão decodificadas por uma caixa retangular conectada à televisão, chamada set top box.

Transmissão digital é sinônimo de alta definição?

Não.Todas as produções serão feitas em câmeras digitais, mas nem todas em alta definição (HD ou high definition). A imagem em HD se aproxima do cinema, sendo melhor que a simplesmente digital.

Tipos de TV Digital

Há mais de um tipo de serviço de televisão digital. Aqui está uma breve tudo sobre os tipos que você é provável encontrar.

Digital terrestre

Esta é uma forma popular de televisão digital para as pessoas que estão atualizando a partir de serviços analógicos para os digitais. Relativamente livre de problemas, TV digital terrestre é recebido através de sua TV existente aéreo, garantindo o mínimo de interrupção para a sua visualização de televisão e pouco custo extra.

TDT é a forma mais comum de TV digital terrestre e é acessado através de uma set top box simples, que podem ser comprados com um pagamento único em muitas lojas de rua. Estes podem custar tão pouco quanto £ 15.

TDT dá-lhe acesso a 50 canais de televisão digital e 20 canais de rádio digital, dando-lhe uma grande variedade de programação digital para escolher. Se você preferir ainda mais escolha, Top-Up TV Sempre que dá acesso a estes canais e muito mais com uma pequena taxa de inscrição.

TV via satélite Digital

Como você provavelmente pode imaginar, este refere-se a televisão digital que é recebido através de uma antena parabólica e é uma opção popular para aqueles cuja propriedade já tal um prato montado. Se você não tem um prato existente em sua propriedade, é necessário ter um instalado antes que você possa receber TV digital por satélite, embora você deve primeiro obter a permissão de seu senhorio se você está alugando.

Não há restrições geográficas sobre este serviço como o sinal de TV digital é transmitido diretamente dos satélites que orbitam em cima. Como resultado, este serviço é útil se você não conseguir obter um sinal TDT forte em sua área.

Freesat é o satélite equivalente a TDT e exige um pagamento para uma caixa de Freesat e antena parabólica. Como este tende a ser um pouco mais caro do que simplesmente comprar uma caixa de TDT, Freesat jogar em um lote inteiro mais canais para o seu dinheiro, mais de 140 no total.

Tal como acontece com TDT, este pacote não inclui qualquer um dos principais canais de esportes.

Você também pode receber TV digital por satélite da Sky. Serviço da Sky requer uma assinatura, embora essa assinatura, muitas vezes, incluem a instalação de uma antena parabólica, se você não tiver um, e a prestação de um Box Sky.

Os três tipos de Sky Box são a versão standard – permitindo que os telespectadores para assistir e gravar TV – o Sky + Box – que permite pausar e rebobinar de TV ao vivo e maior capacidade de armazenamento para os programas gravados alta definição e o dobro da capacidade de armazenamento- eo HD Box Sky +, que oferece todos os benefícios de Sky + com um sinal de . .

TV a cabo digital

TV a cabo digital é entregue através de uma rede de cabos de alta velocidade de fibra óptica. O provedor mais popular de TV a cabo digital é Virgin Media, cujo caixa TiVo causou uma tempestade, permitindo que as pessoas muito mais liberdade para escolher como assistir TV do que nunca.

TiVo permitiu aos usuários pausar e rebobinar TV ao vivo, bem como dar-lhes acesso a conteúdos on demand e capacidade criar seus próprios canais “ensinando” TiVo, que tipos de programas que eles gostam de assistir.

Embora a qualidade da imagem é fantástica, os serviços inovadores e da gama de canais de circulação, este método de receber TV digital ainda não está disponível em todos os lugares. Virgin Media está rolando seus serviços para uma proporção crescente do país, mas é provável que isso levará algum tempo.

Linha telefônica TV digital

Este refere-se simplesmente a televisão digital entregue a um usuário através de uma linha telefônica. BT Vision é um excelente exemplo disso, embora este serviço só é oferecido a clientes de telefonia BT ou de banda larga existentes.

Enquanto BT Vision oferece menos canais do que um serviço como o Freesat, é, sem dúvida, oferece uma seleção muito melhor, especialmente para os fãs de esportes. O pacote básico BT Vision possui 70 canais e os usuários têm a opção de receber Sky Sports 1 + 2, por um custo extra. Há também um pay per view opção para novos filmes e para a televisão não mostra disponível nos canais fornecidos.

Visão + box digital da BT – necessário para aceder a serviços de BT Vision – também atua como um dispositivo de gravação de disco rígido, permitindo a pausa, gravação e reprodução de televisão ao vivo.

Fonte: www.fcc.gov/www.independent.co.uk/www.mundodatv.com.br

Televisão Digital

TV Digital é uma tecnologia de transmissão avançada que permite que as emissoras para transmitir programas de TV com melhor imagens, som e interatividade.

A Televisão Digital suporta dois formatos, ou seja, definição padrão (SD) e Alta Definição (HD).

Sobre TV Digital

TV Digital é uma tecnologia de transmissão avançada que permite que imagens de qualidade superior e som. Esta tecnologia suporta dois formatos de transmissão, ou seja, Definição Padrão TV (SDTV) e TV de Alta Definição (HDTV).

Comparado a TV analógica convencional, TV digital permite experiências mais ricas de áudio-visual e oportunidade para os serviços mais interativos.

TV Digital proporciona imagens de alta resolução que são mais nítidas e claras, e livre das imagens distorcidas que estão associados com TV analógica.

HDTV, por exemplo, aumenta a experiência de visualização com uma resolução de tela de 1920 (horizontal) por 1080 pixels (vertical) e 16: 9, enquanto que a TV analógica tem uma resolução máxima de 720 (horizontal) por 576 (vertical) pixels e 4 : 3 relação de aspecto.

(FTA) canais de televisão free-to-ar de Cingapura começou a transmitir em digital no 16 dezembro de 2013 usando o DVB-T2 (Digital Video Broadcasting – Terrestrial Second Generation) padrão de transmissão.

Por que mudar para a radiodifusão digital

O conteúdo é cada vez mais sendo produzido em formato digital. Singapore precisa mudar para radiodifusão digital full nos próximos anos, de modo a garantir que os consumidores possam continuar a usufruir dos seus programas de TV favoritos de todo o mundo.

Nossa indústria também precisa manter-se atualizado com a evolução de todo o mundo de radiodifusão digital para aproveitar as oportunidades em conteúdos e serviços digitais.

Benefícios para os Consumidores

Bem como uma melhor qualidade de imagem e som, e mais canais, a televisão digital tem muitas outras vantagens em relação a seu antecessor analógico.

Uma das vantagens é a natureza interativa do serviço. TV Digital permite aos usuários acessar mais informações inserindo menus e interagir com a sua televisão de uma forma que nunca tinha sequer sonhado antes. Além disso, os telespectadores podem ouvir canais de rádio via seus televisores e até mesmo assistir a programas arquivados através de serviços digitais “on-demand”.

Mais serviços de TV modernos digitais também irá permitir que você acesse a internet através de seu aparelho de televisão.

TV Digital oferece:

Imagens de melhor qualidade (por exemplo, televisão de alta definição);
Som Superior;
As legendas em vários idiomas; e
Guias electrônicos de programas que vai contai n obter mais informações sobre os programas de TV

Benefícios para a Industria

A transmissão digital usa menos freqüências do que a radiodifusão analógica.

Simplificando, a TV digital é uma forma de receber o seu sinal de televisão em um formato digital. Isso permite que as empresas de TV a transmitir melhor qualidade de som, uma imagem maior definição e uma ampla gama de canais do que nunca.

TV digital o que é?

A TV aberta (terrestre) transmitida para os televisores existentes em 90% das residências brasileiras utiliza canais analógicos com largura de banda de 6 MHz.

Na TV digital a transmissão do áudio e do vídeo passa a ser feita através de sinais digitais que, codificados, permitem um uso mais eficiente do espectro eletromagnético, devido ao aumento da taxa de transmissão de dados na banda de freqüências disponível.

É possível desta forma transmitir:

Som e imagem de melhor qualidade viabilizando a Televisão de Alta Definição (HDTV). A resolução da imagem na TV analógica que é de 400 x 400 pixels poderá ser de até 1920 x 1080 pixels.

Mais canais (até 4) na mesma faixa de freqüências utilizada por um canal analógico.

A TV digital apresenta algumas funcionalidades que permitem uma interatividade entre o telespectador e a emissora possibilitando:

O acesso à informações adicionais como por exemplo o menu de programação.

A interação do usuário com a emissora, através de um canal de retorno via linha telefônica por exemplo, possibilitando a este votar ou fazer compras.

Televisão Digital

O que é a TV digital aberta?

Da mesma forma que a TV analógica aberta, a TV digital aberta transmitirá sons e imagens por ondas de radiofreqüência a partir de emissoras de TV para os receptores dos telespectadores. Esse será o novo sistema a ser utilizado no Brasil, e esse serviço básico também não terá nenhum custo para os seus usuários.

Essa tecnologia transforma tanto os sons como as imagens em códigos digitais semelhantes aos encontrados em computadores, e depois os transmite através de antenas para os receptores dos usuários finais.

Esses códigos digitais pode ser processados nos sistemas da emissoras permitindo que eles possam ser comprimidos e transmitidos com maior economia tanto de faixa de ondas de radiofreqüência como de sistemas de energia, e com uma qualidade muito superior, permitindo inclusive o uso de receptores de TV que apresentam telas com formato de cinema, com a resolução de TV digital de alta definição.

Além disso, o sistema permitirá também que novas funcionalidade possam ser oferecidas, tais como imagens de vários ângulos e outros serviços adicionais que podem ou não promover a interação entre o usuário final e a emissora.

A TV aberta por satélite, acessada através de antenas parabólicas, terá o mesmo padrão da TV digital aberta?

A TV por satélite era usada inicialmente para as emissoras transmitirem a programação para as repetidoras ou para as suas afiliadas, sem contudo ter por objetivo enviar sinal para os telespectadores propriamente ditos.

Entretanto, alguns fabricantes desenvolveram sistemas de recepção do sinal de satélite (antena parabólica + conversor) para vender aos telespectadores que habitavam em regiões onde o sinal da TV aberta não chegava e, como o preço desses sistemas caiu muito, atualmente existem cerca de 12 a 15 milhões de usuários desses sistemas.

Hoje as emissoras de TV têm um problema sério, pois devem começar a transmissão de TV digital, e o uso do satélite pode não ser feito da mesma forma, já que em alguns casos os sinais poderão ser transmitidos por outros tipos de redes.

Desta forma, não existe nenhuma decisão ainda sobre o que acontecerá com as transmissões via satélite. Por enquanto, será transmitido o sinal no padrão atual, que é o da TV analógica.

Ao se aproximar o fim da transmissão de TV analógica, a grande probabilidade é que o sinal digital seja transmitido e que o conversor usado nesse tipo de recepção seja alterado para o novo padrão.

A TV por assinatura terá o mesmo padrão da TV digital aberta?

A TV digital por assinatura, seja ela usando as tecnologia DTH, MMDS ou Cabo, não deverá ficar sujeita a uma padronização oficial no Brasil. Esse serviço já tem sido oferecido pelas prestadores que operam no país e as operadoras vêm trabalhando para oferecer programação com melhor qualidade de imagem para permitir que os seus assinantes possam usufruir dos benefícios dos receptores de TV de alta definição disponíveis no mercado.

Quando serão iniciadas as transmissões de TV digital no Brasil?

No dia 2 de Dezembro de 2007 foram iniciadas as primeiras transmissões TV digital no Brasil, na cidade de São Paulo.

Algumas emissoras também já estão transmitindo a sua programação de TV digital nas cidades de Belo Horizonte e Rio de Janeiro desde o início de Abril de 2008.

Para as demais cidades brasileiras a previsão é que isto ocorra até 2011.

O que é o set top box?

O set top box ou, como vem sendo chamado no Brasil, o conversor de TV digital é o equipamento responsável pela conversão do sinal da TV digital aberta para o sinal de TV analógica compatível com os receptores existentes.

Ele permite que o usuário final possa receber um canal de TV digital e assistir na sua TV analógica. Entretanto, a qualidade da imagem e do som será limitada pela TV desse usuário, embora a transmissão no formato de TV digital ajude a diminuir os efeitos causados por interferências que ocorrem na TV analógica aberta.

Em que faixa de freqüências vai operar a TV digital?

A TV analógica opera tanto nas faixas de VHF (canais 2 a 13) como de UHF (canais 14 e acima). A TV digital vai operar apenas na faixa de UHF, usando canais diferentes dos canais da TV analógica.

Desta forma, o usuário final deverá ter também, além da antena de VHF, uma antena de UHF para receber o sinal de TV digital.

O televisor para o novo sistema de transmissão deve ser “pronto para HDTV” ou “compatível com TV Digital”?

Para o novo sistema de transmissão deve-se procurar um televisor que seja “compatível com TV Digital”. Esta característica irá habilitá-lo para receber o sinal de TV digital, pois o sintonizador da TV (seletor de canais) será compatível com o novo sistema.

A tendência é que inicialmente sejam usados os conversores (ou set top boxes), embora os fabricantes já ofereçam televisores compatíveis com o sinal de TV digital e que não necessitam de conversor.

Já, se o televisor for do tipo “pronto para HDTV”, isto significa apenas que ele pode apresentar imagens com a resolução de Alta Definição de TV, ou seja, de 1280 x 720p ou 1920 x 1080i.

Para aproveitar plenamente a nova tecnologia de TV digital, o ideal é que o televisor seja “pronto para HDTV” e “compatível com TV Digital”.

Será possível assistir a TV digital pelo celular?

O padrão de TV digital adotado no Brasil permite a transmissão de programação também para os celulares que possam receber esse tipo de sinal de TV. Esses celulares especiais e outros tipos de receptores pequenos de TV são chamados de dispositivo portáteis para recepção de TV digital.

Já existem celulares no mercado mundial que podem receber o sinal de TV digital para os diversos padrões em uso. Normalmente são celulares compatíveis com a tecnologia 3G de telefonia celular, e que possuem maior capacidade de processamento e telas de maior tamanho com o formato 16×9 (cinema) para apresentar o novo formato de imagens da TV digital. Esses celulares deverão ser compatíveis com a tecnologia OneSeg de apresentação de conteúdo de TV digital.

Desta forma, será possível assistir a programação de TV digital pelo celular, desde que as emissoras também transmitam esse sinal. O receptor de TV incorporado ao celular permitirá que o usuário receba o sinal de TV digital aberta direto da emissora, sem ter que pagar nenhum centavo por isso.

Entretanto, o usuário provavelmente terá que arcar com um custo maior para ter esse celular especial com receptor de TV incorporado.

Até quando continuará a ser transmitida a TV analógica no Brasil?

O período de transição da TV analógica para a TV digital definido é de 10 anos a partir de 2006. Desta forma, o sinal de TV analógica será transmitido até 2016.

Será possível usar uma TV digital americana ou européia sem conversor (set top box) no Brasil?

Não. O sintonizador de uma TV digital americana é compatível com o padrão ATSC e o sintonizador de uma TV digital européia é compatível com o padrão DVB. Esses padrões não são compatíveis como o padrão definido para o Brasil, que é baseado no ISDB japonês.

Entretanto, essas TV’s poderão ser usadas no Brasil se forem conectadas a um conversor de TV digital brasileiro (set top box) usando as entradas de áudio e vídeo normalmente disponíveis, e que são usadas também para conectar aparelhos de DVD.

Caso essas TV’s sejam compatíveis com HDTV, será possível também assistir programas de TV de alta definição, aproveitando ao máximo as características inovadoras da TV digital.

Será possível receber a TV digital em sistemas de antena coletiva de condomínios?

Para receber a TV digital os sistemas de antena coletiva dos condomínios devem estar preparados para receber canais na faixa de UHF (canais 14 e acima), ou seja, devem ter antena UHF ligada ao sistema de distribuição de sinais de TV.

Desta forma, os canais de TV digital, que foram todos alocados pela Anatel na faixa de UHF, poderão ser recebidos sem problema tanto pelo conversor de TV digital (set top box) como pelas TV’s prontas para TV digital, que já têm o conversor incorporado.

Deve-se observar entretanto, que a qualidade do sinal recebido e do sistema de antena coletiva (antena, amplificadores, cabos e conectores) serão determinantes para uma boa recepção dos canais de TV digital.

Se a recepção não estiver boa, será necessário realizar uma revisão geral no sistema para que o sinal possa ser recebidos em todos os pontos com boa qualidade.

Como será a interatividade na TV digital?

A interatividade da TV digital ocorrerá, basicamente, a partir do conversor de TV digital (set top box) e do controle remoto. Além disso, ela poderá ser local ou com canal de retorno.

A interatividade local será feita a partir de informações enviadas pelas emissoras de TV e armazenadas no conversor, e que o telespectador selecionará através do controle remoto.

Exemplos de interatividade local são:

Guia eletrônico de programação, onde o telespectador poderá pesquisar a programação dos diversos canais e a sinopse de programas, entre outras opções, a partir das informações recebidas das emissoras.

Jogos de Futebol com seleção de câmeras ou informações, onde o telespectador poderá selecionar qual a imagem (câmera) a ser visualizada ou informações sobre os times, estatísticas e outros detalhes, a partir das informações recebidas das emissoras.

A interatividade com canal de retorno utilizará, além das informações enviadas pelas emissoras de TV, o canal de retorno, que enviará as informações geradas pelo telespectador.

O canal de retorno será obtido conectando o conversor de TV digital às redes de telefonia fixa, de telefonia celular, ou qualquer outro tipo de rede de serviços de telecomunicações. O envio de torpedos através do celular também pode ser uma forma de viabilizar o canal de retorno.

Exemplos de interatividade com canal de retorno são:

Programas de Venda ou Comércio Eletrônico, onde o telespectador poderá selecionar opções para ver detalhes sobre determinados produtos ou classes de produtos a visualizar, poderá realizar a compra ou solicitar informações sobre produtos e serviços, sempre a partir das informações recebidas das emissoras e das informações enviadas pelo telespectador através do canal de retorno.

Programa Educativos ou de Perguntas e Respostas, onde o telespectador visualiza o material educativo ou as perguntas enviados pela emissora, e responde através do canal de retorno usando o controle remoto do conversor ou outro tipo de dispositivo semelhante.

Quais as melhorias que a TV digital vai permitir para quem tem um receptor de TV analógica?

Um telespectador que tenha uma TV analógica terá que comprar um conversor de TV digital e uma antena de UHF (caso não a tenha) para usufruir das melhorias da TV digital.

Instalados esses equipamentos, será possível obter as seguintes melhorias:

Melhor qualidade de imagem: nas áreas cobertas pelas emissoras que transmitem o sinal de TV digital será possível obter imagens de boa qualidade, sem chuviscos ou fantasma. Em alguns casos, mesmo onde o sinal de TV analógica seja de qualidade ruim, haverá uma chance de receber imagem de melhor qualidade a partir do sinal de TV digital. Entretanto, é aconselhável fazer um teste antes de comprar o conversor.

Interatividade local: será possivel usufruir desse tipo de interatividade que o conversor e o seu controle remoto propiciam , sempre que a emissora estiver transmitindo programas que tenham essa facilidade.

Programas em alta definição (HDTV): será possível assistir programas em alta definição transmitidos pelas emissoras, porém a imagem apresentará faixas pretas nas partes superior e inferior para adequar o formato 16:9 (retangular como no cinema) para o formato 4:3 (quase quadrado da TV convencional) do receptor de TV analógica). Caso o conversor permita, também será possível eliminar essas faixas.

A recepção de TV digital no celular inclui também os canais de TV paga?

Não. A TV digital aberta é um serviço gratuito ofertado pelas emissoras de TV aberta (radiodifusores). Essas emissoras, assim como as emissoras de rádio, têm suas receitas (ganhos) baseados em publicidade e não no pagamento do serviço pelos telespectadores.

Desta forma, o sinal gratuito de TV aberta que será apresentado pelos celulares é o mesmo que é apresentado pelos receptores de TV convencionais, que usam o conversor de TV digital acoplado.

Entretanto, no futuro o conceito de TV por Assinatura (paga) poderá ser estendido ao celular. Nesse caso, as operadoras desse tipo de serviço deverão implementar redes dedicadas que utilizarão tecnologias especificamente desenvolvidas para essa aplicação (por exemplo, o MediaFLO), e serão oferecidos serviços de TV paga também para os usuários de celular.

As operadoras de TV por assinatura já oferecem programação com qualidade de imagem de alta definição (HDTV)?

Sim. A Net e a Globosat iniciaram no dia 6 de Maio de 2008 a transmissão de programação com qualidade de imagem de alta definição (HDTV) no serviço de TV por assinatura digital.

A Net oferece os serviços Net digital HD, que permite assistir programação de canais com qualidade de alta definição (HDTV), e Net digital HD Max, que além de exibir programação de canais com qualidade de alta definição (HDTV) ainda permite gravar essa programação usando um gravador digital pessoal (DVR).

A Globosat HD reúne a programação do Multishow, GNT, Telecine e SporTV com conteúdo 100% produzido e exibido em HD no Brasil.

A operadoras Sky e TVA também anunciaram que disponibilizarão conversores e programação com qualidade de alta definição ainda em 2008, mas sem data prevista.

Receptores de TV

Com a introdução da tecnologia digital na radiodifusão de TV (TV digital Terrestre), o usuário poderá optar por uma das seguintes situações:

Continuar a receber a TV aberta da forma atual utilizando a sua TV analógica.
Adquirir um conversor (set top box) que permitirá receber o sinal digital e convertê-lo para um formato de vídeo e áudio disponível em seu receptor de TV
Adquirir uma TV nova que já incorpore o conversor.

Fabricantes de Conversores no Brasil

Os fabricantes de conversores externos (Set Top Box) e de conversores embutidos em TVs, fazem parte da Eletros (Associação Nacional dos Fabricante de Produtos Eletrônicos).

Abaixo estão relacionadas as empresas que já estão fabricando seus modelos:

Samsung
Sony
Panasonic
CCE
Gradiente
LG
Semp Toshiba
Positivo

Preço do Set-Top-Box

As empresas avaliam que o set-top-box terá um preço médio de R$ 700,00 a R$ 800,00 para o consumidor final. Para alcançar o valor de R$ 200,00, expectativa do governo brasileiro, as empresas precisam de apoio fiscal diminuindo os impostos pelo produto.

Em 09/10/07, foi publicado no Diário Oficial da União o Decreto nº 6227 reduzindo para zero as alíquotas do IPI dos equipamentos da TV digital.

Como ficam os receptores de TV atuais com a TV Digital?

Inicialmente, enquanto os televisores preparados para a recepção de TV digital ainda não estiverem em todos os domicílios, será necessário utilizar os seguintes equipamentos, conforme mostra a figura abaixo:

Televisão Digital

Antena: será necessário ter uma antena para a faixa de UHF (canais 14 e acima), a mesma que é usada para TV analógica. Não será possível usar uma antena na faixa de VHF (canais 2 a 13).

Conversor para TV Digital: fará a recepção do sinal de TV digital, seleção dos canais e conversão do sinal para uso em televisores convencionais, compatíveis com a TV analógica atual.

Receptor de TV convencional: para apresentação dos programas do canal selecionado. Poderão ser usados tanto os televisores convencionais analógicos, mais comuns e mais baratos, como os televisores convencionais digitais. Continuará sendo possível conectar o recetor de TV à equipamentos de DVD ou conversores de TV a cabo ou satélite como já ocorre hoje.

Atualmente já é possível encontrar no mercado nacional alguns modelos de receptores de TV mais sofisticados e de maior dimensão que incorporam o conversor de TV Digital.

Conversor para TV digital

O conversor, também conhecido como set-top-box ou terminal de acesso, será responsável pela recepção do sinal dos canais de TV digital. Nos modelos iniciais mais simples, ele será composto pelo sintonizador de canais, e pelo processador de vídeo e áudio.

Devido aos vários tipos de televisores existentes, ele deverá ter pelo menos 3 tipos de saídas:

RF, canal 3: sinal de saída compatível com a TV analógica convencional, que poderá ser conectado na entrada da antena da TV convencional e que será recebido no canal 3.
Vídeo:
sinal de saída de vídeo, que poderá ser conectado em TV convencionais que tenha esse tipo de entrada disponível.
Áudio:
sinal de saída de áudio, que poderá ser conectado em TV convencionais que tenha esse tipo de entrada disponível, ou em aparelhos de som e sistemas de home theater.

Outras funcionalidades de interatividade poderão ser incorporadas em versões posteriores, que permitirão interação local com os usuários ou até interação remota com programas ou facilidades de internet, através de conexões por modem ou acessos de banda larga.

Especidicações do Padrão Brasileiro de TV digital

O Sistema de TV digital Terrestre Brasileiro está sendo definido, com base no padrão ISDB-T japonês e terá como base as seguintes características:

Transmissão Padrão japonês ISDB-T
Áudio Dolby 5.1, equivalente aos melhores filmes em DVD
Resolução
de Vídeo
HDTV: 1080i (linhas entrelaçadas) e 720p (linhas progressivas) para qualidade de alta definição.
SDTV: 480p (linhas progressivas) para qualidade padrão, equivalentes aos DVD’s atuais,
Compressão
Vídeo
O padrão japonês adotou o MPEG-2, mas o padrão brasileiro pretende adotar o MPEG 4, que permite transmitir no mesmo canal um programa com qualidade de alta definição (HDTV), informações de interatividade e programas adicionais com qualidade de definição padrão (SDTV).

Dentre as características apresentadas, vale observar que as resoluções de vídeo definidas já levam em consideração as características de apresentação de imagens detalhadas a seguir.

Técnicas de apresentação de imagens

Linha entrelaçadas (do inglês: interlaced): técnica de apresentação de imagens mais antiga, onde são apresentados 2 campos (quadros parciais) sucessivos, o primeiro com as linhas pares e o segundo com as linha limpares, para compor 1 quadro do sinal de vídeo recebido. Como o sinal de TV convencional apresenta 30 quadros por segundo, são necessários 60 campos por segundo para compor as imagens finais. Esta técnica apresenta alguns problemas de qualidade de imagem que se refletem principalmente em imagens de movimento ou com objetos muito pequenos.

Linhas progressivas (do inglês: progressive scan): técnica de apresentação de imagens mais moderna, que faz uso de circuitos mais complexos que melhoram a qualidade das imagens, tanto nas cenas em movimento, como em cenas com objetos muito pequenos, e que tem sido adotada nos equipamentos de apresentação de imagens, tais como televisores ou aparelhos de DVD, e também nos equipamentos de captação de imagens, tais como câmeras amadoras e profissionais.

Devido ao uso da técnica de apresentação de imagens por linhas progressivas, mesmo equipamentos com resolução menor podem ter qualidade igual a equipamentos com melhor resolução que adotam a técnica de linhas entrelaçadas.

Tipos de Receptores de TV

Os tipos principais de TVs existentes atualmente são:

Tubo de Raios Catódicos (CRT)

Usado tanto em computadores como em televisores, são os dispositivos mais antigos, embora tenham evoluído bastante. Sua resolução é medida em número de linhas, e apresentam 480 linhas por quadro, para compatibilidade com os sinal de TV analógica atual.

Possuem resolução compatível com a definição padrão (SDTV), têm brilho, contraste e tempo de apresentação de boa qualidade, mas podem apresentar, no máximo, 480p linhas, se o televisor tiver um circuito progressive scan incorporado.

Apresentam consumo médio de energia e tamanho grande principalmente em telas maiores, fazendo com que os seus gabinetes ocupem bastante espaço devido a profundidade do CRT.

LCD (Liquid Cristal Display)

Adotado inicialmente para computadores, seu uso tem sido difundido para televisores digitais, que normalmente já possuem incorporados também os circuitos progressive scan.

Esses dispositivos podem ter as seguintes resoluções: [480×240] para definição padrão 480i, [640×480, 800×600, 1024×768, 1024×1024] para definição padrão melhorada 480p, [1280×720, 1280×768, 1280×1024, 1366×768, 1440×900] para alta definição 720p, e [1920×1080] para alta definição melhorada 1080p.

Possuem bom brilho, contraste de menor qualidade que os dispositivos de plasma (embora ainda tenham muito espaço para aperfeiçoamentos), e tempo de apresentação de imagens mais lento, compensado por circuitos específicos para esse fim para adequarem-se as imagens de movimento.

Seu consumo de energia é bem inferior aos dispositivos de plasma e o tamanho bem inferior ao dos gabinetes com CRT’s, principalmente na sua profundidade. Atualmente existem dispositivos LCD de 15 a 40 polegadas.

Plasma

Seu uso aplica-se principalmente aos televisores digitais de maior porte, que normalmente já possuem incorporados também os circuitos progressive scan.

Esses dispositivos podem ter as seguintes resoluções: [640×480, 852×480, 1024×720, 1024×768, 1024×1024] para definição padrão melhorada 480p, e [1280×768, 1366×768] para alta definição 720p. Possuem bom brilho, contraste e tempo de apresentação de imagens, embora apresentem burn-in (marcas permanentes na tela) elevado, dependendo do uso.

Seu consumo de energia é superior aos dispositivos de LCD e o tamanho, como no caso dos LCD’s, é bem inferior ao dos gabinetes com CRT’s. Atualmente existem dispositivos de plasma a partir de 42 polegadas, podendo chegar até 70 polegadas.

Retroprojeção

Sua aplicação inicial deu-se em TV’s analógicas de grande porte, e hoje existem também dispositivos de retroprojeção digitais. A técnica consiste em ter um “display” interno de pequeno porte que projeta a imagem na tela frontal do televisor.

Estes televisores normalmente possuem incorporados também os circuitos progressive scan. Podem ser encontrados dispositivos com as seguintes resoluções: [1280×720, 1366×768, 1388×788] para alta definição 720p e [1920×1080] para alta definição melhorada 1080p. Possuem bom brilho, contraste e tempo de apresentação de imagens.

Seu consumo de energia é compatível com os dispositivos de LCD e o tamanho é bem superior ao dos gabinetes com LCD’s e Plasma. Atualmente existem dispositivos de retroprojeção partir de 40 polegadas, e sua aplicação principal está voltada para TV’s de grande porte.

E como fica a TV Aberta via Satélite?

A TV aberta via satélite tem uma configuração parecida com a apresentada anteriormente, ou seja, para ter acesso ao sinal de TV é necessário ter um conversor de acesso por satélite. Esse conversor recebe o sinal do satélite, sintonizando o canal desejado, e depois converte para o sinal de TV analógica compatível como os televisores convencionais.

A TV por satélite era usada inicialmente para as emissoras transmitirem a programação para as repetidoras ou para as suas afiliadas, sem contudo ter por objetivo enviar sinal para os telespectadores propriamente ditos.

Entretanto, alguns fabricantes desenvolveram sistemas de recepção do sinal de satélite para vender aos telespectadores que habitavam em regiões onde o sinal da TV aberta não chegava e, como o preço desses sistemas caiu muito, atualmente existem cerca de 15 milhões de usuários desses sistemas.

Hoje as emissoras de TV têm um problema sério, pois devem começar a transmissão de TV digital, e o uso do satélite pode não ser feito da mesma forma, já que em alguns casos os sinais poderão ser transmitidos por outros tipos de redes.

Desta forma, não existe nenhuma decisão ainda sobre o que acontecerá com as transmissões via satélite. Por enquanto, será transmitido o sinal no padrão atual, que é o da TV analógica.

Ao se aproximar o fim da transmissão de TV analógica, a grande probabilidade é que o sinal digital seja transmitido e que o conversor usado nesse tipo de recepção seja alterado para o novo padrão.

Levando-se em consideração que o processo atual já faz uso de um conversor para receber o sinal de TV analógica, para o caso da recepção de sinal de satélite de TV digital o sistema usará os equipamentos apresentados na figura a seguir:

Televisão Digital

Antena Parabólica: deve ser o mesmo tipo de antena usada para recepção de TV analógica convencional;

Conversor para TV Digital: assim como no caso da TV digital terrestre, o conversor de TV digital via satélite fará a recepção do sinal de TV digital, a seleção dos canais e conversão do sinal para uso em televisores convencionais, compatíveis com a TV analógica atual. Os conversores avançados devem ter, além da saída RF – canal 3, as saídas de Vídeo e Áudio digital para os televisores digitais mais avançados, usando padrões compatíveis com a TV digital aberta, ou seja, áudio no formato Dolby 5.1 e vídeo no formato MPEG 4.

TV convencional: deve ser usado para a apresentação dos programas do canal selecionado. Poderão ser usados tanto os televisores convencionais analógicos, mais comuns e mais baratos, como os televisores convencionais digitais.

Tecnologias

Existem em todo o mundo três sistemas de TV digital o sistema americano (ATSC), o sistema europeu (DVB) e o sistema japonês (ISDB).

TVA lança conversor HD 25/07/2007

A TVA lançou hoje seu novo conversor de alta-definição (HD) para tecnologias cabo e MMDS (Multipoint Multichannel Distribution System). O conversor está disponível para São Paulo e será lançado no Rio de Janeiro depois das olímpiadas. O produto é fabricado em Taiwan e o processo de importação é demorado, por isso será destinado primeiro ao mercado paulista depois para o Rio de Janeiro.

TV digital terá conversores populares em 30 dias

Nesta terça-feira (15/07/08) a Proview confirmou que em 30 dias colocará a venda uma linha com três conversores populares para TV digital com preço sugerido de 299 reais. Os conversores serão vendidos nas lojas de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte com interface HDMI e conexão web.

A figura a seguir apresenta o modelo de referência para os padrões de TV digital Terrestre.

Televisão Digital

Existem em todo o mundo três sistemas de TV digital o sistema americano (ATSC), o sistema europeu (DVB) e o sistema japonês (ISDB).

ATSC DVB ISDB
Digitalização de Vídeo MPEG-2 MPEG-2 MPEG-2
Digitalização de Áudio DOLBY AC-3 MPEG-2 ACC MPEG-2 AAC
Multiplexação MPEG MPEG MPEG
Transmissão dos Sinais Modulação8-VSB Modulação COFDM Modulação COFDM
Middleware DCAP MHP ARIB

Estes padrões são utilizados também em TV digital via cabo ou satélite com especificações para transmissão dos sinais diferentes das apresentadas na tabela acima, válida para radiodifusão terrestre.

Está também em discussão, no contexto da convergência das redes de telecomunicações, a adoção destes padrões para a transmissão da TV digital para telefones celulares, através da rede celular ou sendo captados diretamente pelo telefone celular.

Implantação da TV digital no Brasil

Em Jun/06 o Brasil adotou o padrão japonês (ISDB) para a TV digital terrestre.

A definição ocorreu através do Decreto 5.820. Os principais pontos definidos no decreto são:

O decreto definiu que o Sistema Brasileiro de Televisão digital Terrestre (SBTVD-T) adotará, como base, o padrão de sinais do ISDB-T e possibilitará transmissão digital em alta definição (HDTV) e em definição padrão (SDTV); transmissão digital simultânea para recepção fixa, móvel e portátil; e interatividade.

Ás emissoras de TV receberão um canal de radiofreqüência com largura de banda de 6 MHz para cada canal analógico que possuam.

A transmissão analógica continuará ocorrendo, simultaneamenteà digital, por um período de 10 anos até 29/06/2016. A partir de Jul/2013 somente serão outorgados canais para a transmissão em tecnologia digital.

Deverão ser consignados pelo menos quatro canais digitais para a exploração direta pela União Federal como canal do Poder Executivo, Canal de Educação, Canal de Cultura e Canal de Cidadania.

Em Out/06 foram definidas as etapas a serem cumpridas por cada Emissora de TV analógica para implantação da TV digital no Brasil (Port MC 652).

O início das transmissões de TV digital terá início na cidade de São Paulo e se estenderá depois para as demais capitais e principais cidades, até atingir todo o país.

Normas aplicáveis a TV digital no Brasil

Os equipamentos utilizados para a transmissão de TV digital no Brasil devem ser homologados pela Anatel atendendo os requisitos da Norma:

Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e retransmissores para o SBTVDT, Anexo à Resolução Anatel Nº 498, de 27/03/2008.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), publicou em novembro de 2007, homologou as Normas Brasileiras relacionadas ao padrão de transmissão de televisão digital adotado no Brasil, desenvolvidas pelo Fórum do Sistema Brasileiro de Televisão digital (SBTVD).

Referência Título
ABNT NBR15601 Televisão digital terrestre – Sistema de transmissão
ABNT NBR 15602-1 Televisão digital terrestre – Codificação de vídeo, áudio e multiplexação – Parte 1: Codificação de vídeo
ABNT NBR 15602-2 Televisão digital terrestre – Codificação de vídeo, áudio e multiplexação – Parte 2: Codificação de áudio
ABNT NBR 15602-3 Televisão digital terrestre – Codificação de vídeo, áudio e multiplexação – Parte 3: Sistema de Multiplexação de sinais
ABNT NBR 15603-1 Televisão digital terrestre – Multiplexação e serviços de informação (SI) – Parte 1: Serviços de informação do sistema de radiodifusão
ABNT NBR 15603-2 Televisão digital terrestre – Multiplexação e serviços de informação (SI) – Parte 2: Sintaxes e definições da informação básica de SI
ABNT NBR 15603-3 Televisão digital terrestre – Multiplexação e serviços de informação (SI) – Parte 3: Sintaxe e definição da informação estendida do SI
ABNT NBR 15604 Televisão digital terrestre – Receptores
ABNT NBR 15606-1 Televisão digital terrestre – Codificação de dados e especificações de transmissão para radiodifusão digital Parte 1: Codificação de dados
ABNT NBR 15606-2 Televisão digital terrestre – Codificação de dados e especificações de transmissão para radiodifusão digital Parte 2: Ginga-NCL para receptores fixos e móveis – Linguagem de aplicação XML para codificação de aplicações
ABNT NBR 15606-3 Televisão digital terrestre – Codificação de dados e especificações de transmissão para radiodifusão digital Parte 3: Especificação de transmissão de dados
ABNT NBR 15606-5 Televisão digital terrestre – Codificação de dados e especificações de transmissão para radiodifusão digital Parte 5: Ginga-NCL para receptores portáteis – Linguagem de aplicação XML para codificação de aplicações
ABNT NBR 15607-1 Televisão digital terrestre – Canal de interatividade – Parte 1: Protocolos, interfaces físicas e interfaces de software

Fonte: www.mda.gov.sg/www.teleco.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Políticas Sociais

Políticas Sociais

PUBLICIDADE Definição Política social é um termo que é aplicado a várias áreas da política, geralmente …

Políticas Públicas

Políticas Públicas

PUBLICIDADE Definição A política pública é o guia de princípios para a ação tomada pelos poderes executivos …

Gerontocracia

Gerontocracia

PUBLICIDADE Definição Um estado, sociedade ou grupo governado por pessoas idosas. O que é uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+