Breaking News
Home / História Geral / Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças

Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças

31 de Maio

PUBLICIDADE

Calvário, Efeso, Rosário, Lepanto, Pio VII, Aparecida, Dogma da Imaculada, Guadalupe, Lourdes, Fátima, e tantos outros títulos que lembram um passado de fatos e vitórias das quais depende a sorte da humanidade inteira.

Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças
Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças

Mas os triunfos da humilde Virgem não terminaram. Enquanto houver gerações sobre a terra, de continente a continente, de país a país, de cidade a cidade, de povoação a povoação, pelo futuro além, ressoarão os hinos da vitória da Grande Mãe de Deus.

Ainda chegam até nós os hinos de júbilo do magno dia 08 de dezembro de 1854 e da solene definição dogmática da Assunção e Mediação Universal da Virgem Senhora!

A doutrina de Mediação universal de Maria Santíssima compreende duas partes: A Co-redenção ou a associação da Virgem Senhora à Redenção do gênero humano, e a mediação ou intercessão necessária para obtermos qualquer graça de Deus.

Que a Virgem Senhora tenha sido associada à Redenção do gênero humano, não cabe a menor dúvida. O padre José Bover, S. J. (membro da então comissão pontifícia de estudos preparatórios para a dogmatização) alega para provar esta verdade, inúmeros testemunhos dos Santos Padres, doutores, pontífices, bispos, teólogos, exegetas e da sagração da liturgia.

Eis o que diz no seu livro “A Mediação Universal de Maria”:

Pelo que toca à tradição dos Santos Padres, são inúmeros os seus testemunhos.

Santo Irineu, o padre por excelência da tradição cristã, escrevia: “O gênero humano, sujeito à morte por uma virgem, foi salvo por outra Virgem”.

Santo Efren fala inúmeras vezes da parte que Maria teve na Redenção dos homens.

Diz, por exemplo: “Eva contraiu o pecado; à Santíssima virgem ficou reservado pagar a dívida de sua mãe e rasgar a escritura de condenação que oprimia todas as gerações”. E não duvida de chamar a Maria “redenção dos nossos pecados – preço do resgate dos cativos – paga dos nossos delitos”.

Na idade média encontramos uma série de teólogos que falam explicitamente da co-redenção da Virgem Senhora.

Arnaldo diz que no Calvário “havia dois altares: Um no coração de Maria, outro no coração do corpo de Cristo. Cristo imolava sua carne, e Maria sua alma.

Santo Alberto Magno assim se expressa: “Companheira na Paixão, Maria tornou-se cooperadora na Redenção”.

“Deus, querendo resgatar o gênero humano, depôs o preço do resgate nas mãos de Maria”, afirma são Bernardo. Santo Antônio ajunta que Maria foi dada a seu Filho como cooperadora na redenção mediante a sua participação suma na Paixão.

Jesus Cristo, para honrar sua mãe, determinou que todas as graças que Ele nos mereceu, não fossem comunicadas aos homens, senão por meio d’Ela. Junto da cruz constituiu-a nossa Mãe para que dispensasse seus maternais desvelos para com todos os viventes. Este Decreto Divino, porém, não exclui a invocação de intercessão de Santos; mas se por meio deles obtemos favores, não é sem a Mediação da Virgem Senhora. É Mãe e, por isso não é sempre necessário recorrer a Ela para se alcançarem graças. Vela por todos, mesmo não sendo invocada.

O domínio da Mediação de Maria SS. Se estende sobre todas as graças conquistadas por Jesus Cristo. Depende diretamente de uma Mediação tudo quanto é objeto imediato da prece precatória, como são os auxílios de que carecemos para atingir nosso fim último, auxílios internos e externos, naturais e sobrenaturais, principalmente as graças atuais.

Indiretamente depende a graça santificante, tanto sua primeira infusão como o seu aumento. Indiretamente, pois, a graça santificante e seu aumento são frutos das boas obras e dos sacramentos. Mas tudo para a boa obra como para a digna recepção dos santos sacramentos, precisamos de inúmeras graças atuais e estas nô-las obtém a intenção de que em nós aumente a graça santificante.

Este ofício de Medianeira de todas as graças, a Virgem Senhora o está exercendo desde a sua gloriosa Assunção.

Para provar esta segunda parte não há mister de muitos textos. A começar de Santo Efrem até Pio XII, todos são unânimes em aclamar a grande Mãe de Deus.

Fonte: www.paginaoriente.com

Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças

31 de Maio

Trata-se de um título litúrgico, celebrado a 31 de maio.

Sabemos que Jesus Cristo é o nosso único Salvador e o nosso único mediador principal e necessário. Contudo, Maria Santíssima, em sua missão materna, é “membro supereminente e absolutamente único da Igreja” (LG 53) e sua missão “em favor dos homens de modo algum obscurece nem diminui a mediação única de Cristo; pelo contrário, até ostenta sua potência, pois todo salutar influxo da bem-aventurada Virgem (…) deriva dos superabundantes méritos de Cristo, estriba-se na sua mediação, dela depende inteiramente e dela aufere toda a sua força” (LG 60).

Consumando Jesus Cristo, com sua morte, o mistério de nossa Redenção, abriram-se para todos os homens as portas do céu; faltava, porém, a aplicação dos merecimentos da vida, paixão e morte do Salvador às necessidades de todas as almas e de cada alma em particular, para que pudéssemos de fato entrar na pátria celeste.

Essa aplicação da Redenção seria feita pelo próprio Jesus Cristo, que, indo para o Pai, estaria sempre a interceder por nós.

Sim, Jesus Cristo é mediador entre Deus e os homens, conseguindo-nos, do Eterno Pai, os frutos da Redenção.

Contudo, mediador único, Jesus Cristo estabeleceu que outros cooperassem com ele na obtenção e distribuição dos dons sobrenaturais; assim o justo, já mesmo neste mundo, vem a ser um desses mediadores e, uma vez no céu, com maior eficácia intercederá por nós, diante do trono de Deus; são, pois, muitos os mediadores a interceder por nossa salvação.

Portanto, se todo cristão pode e deve cooperar, por suas orações, à salvação dos homens, por que Maria, a mais perfeita das criaturas e a mais unida a Nosso Senhor, não será a mediadora por excelência na obra da Redenção?

“Era desígnio de Deus”, diz Leão XIII, que, após ter Maria servido de intermediária no mistério da Redenção, “continuasse igualmente a ser intermediária das graças que esse mistério faria correr em todos os tempos”.

Sim, convinha que aquela que fora nossa co-redentora, merecendo-nos, com a graça da Redenção, todas as demais graças, interviesse na dispensação e distribuição de todas as graças e méritos.

Somente assim é que a Imaculada Maria teria sobre o demônio perfeita e completa vitória, como se esperava fosse a vitória sua, completa e perfeita, segundo o justo entendimento daquele texto marial e messiânico: “Porei inimizade entre ti e a mulher”…

“De fato, na cooperação com o novo Adão, Jesus Cristo, é que estava a razão da vitória da nova Eva, Maria. Que Maria, portanto, cooperasse também com ele, dignamente, plenamente, na obra da distribuição dos frutos da Redenção depois de haver com ele cooperado na aquisição do nosso resgate.”

Mas é especialmente da maternidade espiritual da Santíssima Virgem Maria que decorre essa verdade de sua mediação universal, verdade já admitida nos primeiros séculos do cristianismo, pois sempre entenderam os cristãos que, se Maria estava sempre com Jesus como, por exemplo, em Nazaré, em Caná, no Calvário, e, depois da morte de seu Divino Filho, com os apóstolos e discípulos, a aconselhá-los e a dirigi-los, e sempre a interceder pelos homens era porque Jesus Cristo a queria corno medianeira de todas as suas graças.

E, portanto, porque de fato Maria coopera na salvação das almas, obtendo-lhes as graças necessárias para perseverarem no bem ou para restaurar-lhes a vida da graça, quando perdida pelo pecado, é por isso que Maria granjeou o título tão consolador para nós pobres mortais: Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças.

A devoção a Nossa Senhora Medianeira de todas as Graças é muito presente em Santa Maria, no estado do Rio Grande do Sul, iniciada com a chegada de um santinho vindo da Bélgica. O então Pe. Inácio Valle S.J. introduziu esta devoção entre os seminaristas, no Seminário São José, em 1928. A devoção adquiriu novo impulso em 1930, quando a cidade de Santa Maria foi preservada de um iminente confronto armado entre as unidades militares locais. Um grupo de pessoas dirigiu-se até a Capela do Seminário São José para agradecer a Nossa Senhora, por ter evitado o confronto e ter preservado incólume a cidade. Assim, tivemos início as Romarias.

A Romaria Estadual da Medianeira que se realiza anualmente no segundo domingo do mês de Novembro é a mais tradicional Romaria do Estado do Rio Grande do Sul, sendo também a mais antiga e a que reúne maior número de participantes.

Bibliografia

Edésia Aducci, “Maria e seus títulos gloriosos”, Ed. Loyola, 1998, pp. 27-28

Fonte: www.geocities.com

Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças

31 de Maio

Padroeira Do Rio Grande Do Sul

“Medianeira de todas as graças que na terra derramam os céus, esperamos em ti que nos faça ó Maria subir até Deus” (D. Aquino Corrêa).

Sempre que professamos a nossa fé rezando a oração do Creio, proclamamos que Jesus Cristo, filho de Deus, nasceu da virgem Maria.

Queremos por ventura, nos referir a duas pessoas diversas: a pessoa do filho de Deus e daquele que nasceu da virgem Maria? Absolutamente não!

Trata-se de uma só e mesma pessoa a qual, sendo Deus e Homem, é filho de Deus segundo a natureza divina e é filho de Maria, segundo a natureza humana. Foi baseado nesta verdade que os santos Padres ensinam que a virgem é mãe de Deus.

É bom sempre lembrar que, Deus querendo resgatar o gênero humano, depôs o preço do resgate nas mãos de Maria.

Santo Alberto Magno nos diz que: “Maria companheira na paixão tornou-se cooperadora na redenção”.

Na idade média encontramos uma série de teólogos que falam explicitamente na mediação e na corredenção de Nossa Senhora.

Um experiente teólogo conhecido apenas por Arnaldo nos diz que no calvário “Havia dois altares: um no coração de Maria e outro no corpo de Jesus. Enquanto o Cristo imolava sua carne, Maria imolava sua alma”.

No dia 22 de março de 1918, o então Papa Bento XV classicamente expressa a doutrina da corredenção de Maria na encíclica “ Intersodalícia”, que diz: “de tal modo Maria padeceu e quase morreu com seu filho paciente e moribundo; de tal modo renunciou ao seus direitos maternos, e, para aplacar a justiça divina, concorreu quanto estava ao seu alcance para a imolação de seu filho, que justamente se pode dizer que com Cristo resgatou o gênero humano”.

Alguns anos antes, ou seja, em 08 de setembro de 1894 o Papa Leão XIII, usando a frase de São Bernardino de Siena, assim concluiu a sua encíclica, “Incunda Semper”:

“Toda a graça que se concede a este mundo tem uma tríplice procedência: pois numa belíssima ordem, do Pai é passado ao Filho, do Filho à Santíssima Virgem e dela, por fim, para nós”. É uma mediação por meio de intercessão.

Diz-se que Jesus Cristo para honrar sua mãe determinou que todas as graças que ele nos mereceu, não fossem dispensadas a humanidade senão por meio dela.

Concluímos que o Espírito Santo desceu sobre a Virgem Maria e os apóstolos, quando estavam em oração no cenáculo, momento solene do nascimento da Igreja. Assim por sua maternidade divina, Maria se tornou co-redentora, obteve a função de medianeira e se tornou Mãe da Igreja, da qual ela é o modelo perfeito.

A festa de Nossa Senhora Medianeira de todas as graças, foi instituída pelo Papa Bento XV em 1921, e sua data 30 de maio.

O QUADRO DA MEDIANEIRA

O cardeal Primaz da Bélgica idealizou o ícone que hoje conhecemos, e para tanto buscou na Sagrada Escritura os símbolos nele apresentados.

Dom Mercier encontrou no livro do profeta Ezequiel uma visão que fala:

“A glória de Deus enchia todo o templo”. No quadro vemos a trindade santa, onde Deus Pai é um ancião (eternidade de Deus), coroado (todo poderoso) que recebe o sacrifício de Jesus na cruz. Único sacrifício agradável a Deus q eu seria oferecido do nascer ao por do sol, como profetizou Malaquias. O Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, está entre os dois, em forma de pomba. Aos pés de Deus, seis querubins de seis asas, conforme o profeta Isaías: “ Querubins com seis asas esvoaçavam no templo, dizendo: Santo, Santo é o Senhor Deus dos exércitos.”

As letras Alfa e Ômega, a primeira e a última do alfabeto grego, nos lembram que Deus é o princípio e o fim de todas as coisas. Todos os privilégios de Nossa Senhora vêm dos merecimentos de Jesus na cruz. Por isso, as graças como raios, descem do crucificado sobre Maria e dela sobre o mundo.

Lembra-nos a frase de São Bernardo: “A vontade de Deus é que recebamos tudo por Maria”.

Percebemos Nossa Senhora de braços abertos, posição de oração intercedendo por nós, dia e noite, levando a Jesus nossos anseios e nos trazendo as bênçãos e graças divinas. O ícone foi pintado pela irmã franciscana Angelita Stefani.

NO RIO GRANDE DO SUL

A devoção foi trazida no ano de 1928, pelo Jesuíta Frei Inácio Valle da Bélgica e introduzida no seminário São José, na cidade de Santa Maria. Dois anos depois, ou seja, em 1930, a cidade estava sendo ameaçada por uma luta armada, quando um grupo de romeiros foi ao seminário rezar a Medianeira. Os ânimos serenaram e a paz voltou a reinar.

Num gesto de gratidão, um grupo bem maior voltou ao seminário para agradecer a intercessão da Virgem Medianeira.

Desde aquela época um número cada vez maior, até os dias de hoje participa da romaria estadual de Nossa Senhora Medianeira, no segundo domingo de novembro. O povo do Rio Grande manifesta sempre mais o seu amor e sua gratidão a padroeira do estado.

Maria Imaculada, Medianeira de todas as graças, rogai por nós que recorremos, a vós.

NOVENA À MEDIANEIRA

Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças
Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças

1º. Dia

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nós vos veneramos como Medianeira no Mistério da Anunciação, por que foi por vosso meio que Deus veio ao mundo.

Ó Senhora e Mãe nossa, concedei-nos a graça (…) e mostrai que vos aprazeis de ser venerada como Medianeira de Todas as Graças. Amém! (Rezar 5 Ave-Marias)

D.: Rogai por nós, Medianeira nossa poderosíssima!

T.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS: Senhor Jesus, Medianeiro nosso junto ao Pai, que vos dignastes constituir a vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, também nossa Mãe e Medianeira junto a vós, concedei benigno que todo aquele que suplicante se vos dirigir, se alegre de ter alcançado por meio dela tudo o que pediu, Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

2º. Dia

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nós vos veneramos como Medianeira no Mistério da Visitação, porque foi por vosso meio que Deus santificou a São João Batista. Ó Senhora e Mãe nossa, concedei-nos a graça (…) e mostrai que vos aprazeis de ser venerada como Medianeira de todas as Graças. Amém!

D.: Rogai por nós, Medianeira nossa poderosíssima!

T.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS: Senhor Jesus, Medianeiro nosso junto ao Pai, que vos dignastes constituir a vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, também nossa Mãe e Medianeira junto a vós, concedei benigno que todo aquele que suplicante se vos dirigir, se alegre de ter alcançado por meio dela tudo o que pediu, Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

3º. Dia

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nós vos veneramos como Medianeira no Mistério do Nascimento porque fostes vós que gerastes, na gruta de Belém, o Salvador do mundo e o mostrastes aos pastores. Ó Senhora e Mãe nossa, concedei-nos a graça (…) e mostrai que vos aprazeis de ser venerada como Medianeira de todas as Graças. Amém!

D.: Rogai por nós, Medianeira nossa poderosíssima!

T.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS: Senhor Jesus, Medianeiro nosso junto ao Pai, que vos dignastes constituir a vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, também nossa Mãe e Medianeira junto a vós, concedei benigno que todo aquele que suplicante se vos dirigir, se alegre de ter alcançado por meio dela tudo o que pediu, Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

4º. Dia

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nós vos veneramos como Medianeira na Adoração dos Reis Magos, porque fostes vós que lhes apresentastes o Menino Jesus. Ó Senhora e Mãe nossa, concedei-nos a graça (…) e mostrai que vos aprazeis de ser venerada como Medianeira de Todas as Graças. Amém!

D.: Rogai por nós, Medianeira nossa poderosíssima!

T.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS: Senhor Jesus, Medianeiro nosso junto ao Pai, que vos dignastes constituir a vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, também nossa Mãe e Medianeira junto a vós, concedei benigno que todo aquele que suplicante se vos dirigir, se alegre de ter alcançado por meio dela tudo o que pediu, Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

5º. Dia

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nós vos veneramos como Medianeira no Mistério da Apresentação, porque fostes vós que oferecestes a Deus o Menino Jesus e o colocastes nos braços do Santo velho Simeão. Ó Senhora e Mãe nossa, concedei-nos a graça (…) e mostrai que vos aprazeis de ser venerada como Medianeira de todas as Graças. Amém!

D.: Rogai por nós, Medianeira nossa poderosíssima!

T.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS: Senhor Jesus, Medianeiro nosso junto ao Pai, que vos dignastes constituir a vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, também nossa Mãe e Medianeira junto a vós, concedei benigno que todo aquele que suplicante se vos dirigir, se alegre de ter alcançado por meio dela tudo o que pediu, Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

6º. Dia

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nós vos veneramos como Medianeira nas Bodas de Canaã, porque foi por vosso meio que Jesus fez o primeiro milagre. Ó Senhora e Mãe nossa, concedei-nos a graça (…) e mostrai que vos aprazeis de ser venerada como Medianeira de Todas as Graças. Amém!

D.: Rogai por nós, Medianeira nossa poderosíssima!

T.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS: Senhor Jesus, Medianeiro nosso junto ao Pai, que vos dignastes constituir a vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, também nossa Mãe e Medianeira junto a vós, concedei benigno que todo aquele que suplicante se vos dirigir, se alegre de ter alcançado por meio dela tudo o que pediu, Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

7º. Dia

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nós vos veneramos como Medianeira no Calvário, porque fostes vós colocada entre Deus e os homens declarando-vos Jesus nossa Mãe. Ó Senhora e Mãe nossa, concedei-nos a graça (…) e mostrai que vos aprazeis de ser venerada como Medianeira de todas as Graças. Amém!

D.: Rogai por nós, Medianeira nossa poderosíssima!

T.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS: Senhor Jesus, Medianeiro nosso junto ao Pai, que vos dignastes constituir a vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, também nossa Mãe e Medianeira junto a vós, concedei benigno que todo aquele que suplicante se vos dirigir, se alegre de ter alcançado por meio dela tudo o que pediu, Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

8º. Dia

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nós vos veneramos como Medianeira na vinda do Divino Espírito Santo porque fostes vós que o atraístes mais abundante à terra. Ó Senhora e Mãe nossa, concedei-nos a graça (…) e mostrai que vos aprazeis de ser venerada como Medianeira de todas as Graças. Amém!

D.: Rogai por nós, Medianeira nossa poderosíssima!

T.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS: Senhor Jesus, Medianeiro nosso junto ao Pai, que vos dignastes constituir a vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, também nossa Mãe e Medianeira junto a vós, concedei benigno que todo aquele que suplicante se vos dirigir, se alegre de ter alcançado por meio dela tudo o que pediu, Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

9º. Dia

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, nós vos veneramos como Medianeira no céu, porque temos certeza de que Deus não concede nenhuma graça senão por vosso meio. Ó Senhora e Mãe nossa, concedei-nos a graça (…) e mostrai que vos aprazeis de ser venerada como Medianeira de todas as Graças. Amém

D.: Rogai por nós, Medianeira nossa poderosíssima!

T.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS: Senhor Jesus, Medianeiro nosso junto ao Pai, que vos dignastes constituir a vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, também nossa Mãe e Medianeira junto a vós, concedei benigno que todo aquele que suplicante se vos dirigir, se alegre de ter alcançado por meio dela tudo o que pediu, Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

Fonte: marcioreiser.blogspot.com.br

Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças

31 de Maio

O título de Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças tem um fundamento especial.  Sendo Jesus Cristo o único Salvador, Deus concedeu a alguns o dom de interceder pela humanidade junto a Deus Pai.  A fé na comunhão dos santos nos dá desde já a certeza de que alguns já intercedem por nós.

No caso de Maria, o papel de intercessora tem proporções maiores e diferenciadas daquele dado aos santos.  Desde seu ”sim”, Ela desempenha um papel especial na história da redenção humana.  Quando, na cruz, Jesus entrega Maria ao discípulo amado, é à humanidade toda que Ele A entrega, proclamando-A com seu gesto, Mãe de todos nós.

A cooperação de Maria na salvação de almas e na maternidade espiritual de homens e mulheres a torna a grande mediadora não só de nossos pedidos junto ao Pai e ao Filho, mas sobretudo das graças de Deus derramadas sobre toda a humanidade.

Oração à Nossa Senhora Medianeira

(31 de Maio)

Ó MARIA, MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS.
Oferecei a Deus o Brasil e todo o gênero humano.
Ó MARIA, MEDIANEIRA DA PAZ,
Dai a paz aos corações e a todas as nações.
Ó MARIA, RAINHA DO FOYER,
Reinai em nossa casa e em todos os lares que vos amam.
Ó MARIA, RAINHA DOS CORAÇÕES,
Reinai em todos e em cada um de nós.
GLÓRIA AO PAI, GLÓRIA AO FILHO, GLÓRIA AO ESPÍRITO SANTO, GLÓRIA A VÓS, Ó SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA,
Mãe de Deus e nossa Mãe, Rainha do céu e da terra, agora, sempre, e na eternidade dos séculos.
Amém.
Escolho-vos, hoje, ó Maria, em presença de toda a Côrte Celeste, por minha Mãe e Mestra. Entrego-vos e consagro-vos, na qualidade de escravo de amor, o meu corpo, a minha alma, os meus bens interiores e exteriores, e mesmo o merecimento das minhas ações boas, passadas, presentes e futuras, deixando-vos um inteiro e pleno direito de dispôr de mim e de tudo quanto me pertence, sem exceção de coisa alguma, segundo o vosso agrado, para a maior glória de Deus, no tempo e na eternidade.
Amém.

(Oração utilizada pelos irmãos do Foyer de Charité)

Fonte: www.astrologosastrologia.com.pt

Veja também

Populista

Populista

PUBLICIDADE Definição Populista, em geral, é uma ideologia ou movimento político que mobiliza a população …

Corrida Espacial

Corrida Espacial

PUBLICIDADE Definição A corrida espacial da Guerra Fria (1957 – 1975) foi uma competição na exploração do …

Caso Watergate

Caso Watergate

PUBLICIDADE Watergate Watergate pode ser a história mais famosa na história americana de jornalismo investigativo. Isso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.