Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Valência

Valência

PUBLICIDADE

Cidade das Artes em Valencia na Espanha

Valência

Localizado no antigo leito do Rio Turia, se ergue um dos complexos científico – culturais mais importantes do mundo europeu: a Cidade das Artes e Ciências, construída por Santiago Calatrava e Felix Candela.

A construção do conjunto se inicia em 1990, quando a “Generalitat Valenciana”(prefeitura de Valencia) promove toda uma série de intervenções urbanísticas para a incorporação de Valencia ao Terceiro Milênio, e como meio de recuperação da área urbana localizada entre o antigo leito do Turia e a autopista de Saler.

O projeto estava inicialmente composto por uma Torre de Telecomunicações, um planetário (o Hemisferic) e o Museu das Ciências Príncipe Felipe. Posteriormente o projeto foi alterado, substituindo a construção da Torre pelo Palácio das Artes, ainda em execução.

Os Setores de Complexo são:

Valência

1 – O Hemisferic (planetário) é um dos edifícios fundamentais do projeto e foi o primeiro a ser inaugurado. Construído a modo de um olho aberto que tudo vê, está concebido como uma sala de projeções audiovisuais que permite oferecer aos seus 300 espectadores por sessão as mais inovadoras sensações audiovisuais, obtidas pelo melhor suporte tecnológico do mundo.

Valência

2 – O Museu das Ciências Príncipe Felipe, inaugurado no mês de novembro passado, foi concebido como um museu aberto e dinâmico onde o lema principal é “é proibido não tocar”. Ao longo dos seus 4.000m² o visitante passa pelas diferentes áreas que cobrem uma ampla gama de temas científicos, desde biologia e física até as mais avançadas tecnologias aplicadas à comunicação, construção , esportes, etc.

Valência

3 – L’Umbracle é a porta de entrada para a Cidade das Artes e das Ciências, constituída por uma área verde de 7.000m², com 300m de comprimento e 60m de largura.

Valência

O Palácio das Artes, ainda em fase de construção, será o centro artístico e cultural mais importante do mundo: arquitetura, engenharia e tecnologia de vanguarda para a criação de um espaço onde haverá lugar para todos os estilos desde os clássicos até as últimas tendências em ópera, teatro, musica e dança, contando com três auditórios:

Sala principal com capacidade para 1.800 pessoas

Sala de câmara para 400 pessoas

Auditório ao ar livre, situado a grande altura, para 2.500 pessoas.

Valência

Finalmente, o conjunto completa-se com o Parque Oceanográfico, projetado por Félix Candela, uma autentica cidade submarina de 80.000m², com túneis envidraçados e réplicas perfeitas de setores costeiros com águas de diferentes qualidades, que permitem conhecer os animais representativos de cada zona da Terra.

Conta com uma zona recreativa composta por um restaurante flutuante submarino, uma fonte para espetáculos de luz – som – água, e o maior aquário da Europa para espetáculos. Possui também de áreas envidraçadas para observar o trabalho dos mergulhadores e um túnel submarino de 70m de comprimento.

Valência

Fonte: metalicashopping.com.br

Valência

Valência, Comunidade Valenciana

Valência é a capital da Comunidade Valenciana, que é formada por Castellón, Alicante e a própria Valência. Esta cidade costeira é a terceira maior da Espanha em termos de população, depois de Madrid e Barcelona, com cerca de um milhão de habitantes.

O turismo em Valência é sinônimo de Comunidade Valenciana, de municípios como Benidorm, Gandia ou Denia e sinónimo de praias, de lazer, de entretenimento e de férias.

Se a capital de turismo é a Comunidade Valenciana, Valência é a Capital da Comunidade autónoma, uma cidade com um grande Porto Industrial (o segundo na Espanha por trás do Porto de Algeciras).

Valência oferece ao visitante um grande número de possibilidades de entretenimento, de lazer, de cultura e uma série de questões turísticas para desfrutar durante a sua estadia, bem como as suas vastas e belas praias de areia dourada e nas montanhas no interior para os de terra seca.

Não podemos ignorar uma forma muito positiva, na maioria das praias de Valência possuem um dispositivo para portadores de deficiência, o acesso, dando a estas pessoas a oportunidade de desfrutar um mergulho nas águas quentes do Mediterrâneo.

Valência também oferece facilidades para a prática de desportos ao ar livre, como o golf, a vela, windsurf, kitesurf ou o novo circuito urbano de Fórmula 1 … Valência tem também um calendário festivo intenso e festivais culturais, bem como os festival do fogo (Fallas), as instalações turísticas para todos os gostos.

Para além disto, oferece uma gastronomia saborosa e cozinha mediterrânica, instalações apropriadas para realizar conferências, espaço de lazer e cultura como a cidade das artes e das ciências de Valência.
A capital de Turias é uma cidade completa para comnhecer e desfrutar de todas as suas facilidades.

A capital Valência é também uma cidade com quase um milhão de habitantes, uma cidade de grandes temas, a luz se funde com a lua, cheiro de pólvora, paella, flores. Todos estes ingredientes são fundamentais na tentativa de explicar o que não pode confiar nas palavras. Precisamos de conhecer e visitar Valência, destinada a comprovar que tradições centenárias convivem com a modernidade.

História e Cultura de Valência

Valência tem 22 séculos de história que se refletem na sua cidade velha, no Museu da História de Valência, e nas suas ruas. Aqui nós fazemos um breve resumo do que é Valência e os principais expoentes do seu legado.

Valência é a capital da Comunidade Autónoma Valenciana, e como tal, acolhe uma riqueza cultural digna de destacar. Esta cidade, para além de falhas sismicas e futebol, é arte, é ciência, é uma mistura de culturas.

Iniciaremos o nosso passeio cultural em Valência pelo Palácio das Artes Reina Sofia, um marco de referência para as artes do espectáculo em todo o mundo. Nas suas instalações destacam-se espectáculos de ópera, dança, ou teatro. As obras vão da arte clássica á arte contemporânea, todas concebidas para não deixar para trás qualquer corrente.

Por outro lado, não podemos esquecer o local de nascimento de São Vicente Ferrer, santo nascido em Valência e por causa dele na cidade de Turia existe uma grande devoção.

Se continuarmos o nosso passeio cultural, encontraremos a Plaza del Tossal, onde se encontra a Galeria del Tossal, sede de exposições temporárias, e algumas ruínas do século XI da nossa era que estão muito bem preservados.

Temos que destacar também o Palácio da Música de Valência, localizado ao lado do rio Turia. O Palácio da Música de Valência é um dos pontos nevrálgicos da música em Valência. Ele foi projetado pelo arquiteto José Maria Paredes.

Mas acima de tudo o que foi anteriormente referido, devemos referir a Cidade Velha, centro histórico, a origem daquilo que Valência é hoje. A totalidade do perímetro da antiga cidade, a muralha árabe que a delimita, inúmeros restos arqueológicos encontrados. Tudo isto explica o que um dia foi Valência.

De certa forma, a história desta cidade é tida em conta no Museu de Historia de Valência, um lugar onde em algumas horas pode viajar por 22 séculos de história.

Valencianos famosos, Valência

Valência é uma cidade antiga, e ao longo da história muitos Valencianos fizeram história em diversas áreas como arte, literatura, política, desporto …

Historicamente Valência soube manter o seu espírito, geralmente, eles não têm migrado para outras latitudes, excepto após a Guerra Civil, o fim da democracia e a chegada da ditadura e tem desenvolvido o seu trabalho neste lugar.

Personalidades de todos os tempos, destacando os escritores do século XV da estatura de Joanot Martorell ou de Isable Villegas, Lluis Dalmau e escultores ou arquitetos de nosso tempo como Santiago Calatrava, também atletas como Ricardo Tormo, David Albelda e Juan Carlos Ferrero ou escritores como Blasco Ibáñez.

Festas

Falar de férias em Valência é, acima de tudo, falar do festival do fogo de Valência (fallas), falar do creme e falar da cera no centro histórico da cidade. Depois, uma vez deixado claro quais as festas de Valência, pode-se falar do Natal, na noite de San Juan ou as festividades da Páscoa, entre outros. Veja abaixo algumas das principais datas do ano de Valência.

Las Fallas de Valência (festival do fogo) são realizadas todos os anos no dia 19 de Março, o grande dia desta cidade. Este festival que acolhe a primavera, com muito humor e um tom satírico, as irmandades e confraternizares constroem as suas figuras de cera, representando personagens do mundo da política, do desporto, entretenimento, tanto nacionais como internacionais, e todos menos um é erva das chamas.

Durante as fallas de Valência (festival do fogo), o cheiro de pólvora invade todos os cantos da cidade.

A margem do festival do fogo, e tal como acontece no resto do País, no Natal, também são realizadas festas em Valência, com os dias de Natal e Ano Novo muito marcados, e também a 5 de Janeiro para os mais pequenos com as suas Majestades a chegada dos Magos do Oriente.

Las Cruces de Mayo, o Noche de San Juan (noite de 23 para 24 de Junho), o Corpus Christi (19 de Junho), ou na Semana Santa são algumas das datas no calendário de Valência, tal como o Carnaval, que variam dependendo da data da sua Semana Santa, uma festa, esta última, com muita tradição em Espanha, especialmente na Andaluzia.

Outro destaque a vermelho em Valência é o dia da Comunidade Valenciana, quando ela comemora o aniversário da reconquista da cidade de Valência por Jaume I El Conquistador. Nesta jornada tem lugar a um desfile cívico presidida pelo “Real Senyera “, que é a bandeira da comunidade valenciana.

Coisas para fazer em Valência

Agora os nossos 10 conselhos para que desfrute a sua estadia em Valencia, coisas para fazer durante as suas férias em Valência.

1. Ir a praia em Valência

2. Excursões a outros municípios

3. Saboreie uma boa paella

4. Aproveite as Falhas sísmicas de Valência

5. Vá ao Oceanográfico

6. Explore o Museu de História de Valência

7. Vá ao Teatro

8. Aproveite os acontecimentos desportivos de alto nível

9. Visita ao Museu de Artes e Ciências

10. Visite o Zoológico de Valência

Fonte: valencia.costasur.com

Valência

Valência é uma cidade mediterrânica pela luz, pelo clima e pelo modo de viver e sentir das suas gentes. Moderna na expressão arquitetônica de vanguarda, conserva ao mesmo tempo um centro histórico carregado de sinais de um passado ligado aos tempos da Reconquista. Relato de uma bela viagem a Valência.

VALÊNCIA, A FLOR DA LUZ LEVANTINA

A capital da Comunidade Valenciana tem sido notícia nos últimos anos pela renovação urbana que ao longo do rio Túria dotou a cidade de notáveis exemplares de arquitetura vanguardista, como a Cidade das Ciências e das Artes, uma estrutura polivalente que tem objetivos lúdico-culturais e integra um Museu das Ciências, um Planetário, um Palácio das Artes e um Museu Oceanográfico.

Uma das imagens mais recentes acrescentadas à paisagem urbana dessa zona da cidade é precisamente o Palácio de Artes Rainha Sofia, assinado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava.

Valência
Valência, Espanha

Mas de Valência há também que lembrar alguma história, dessa com maiúscula, para que se faça um pouco de luz sobre a sua identidade.

O animado passado de Valência pede, por exemplo, uma visita ao Museu do Ayuntamiento para observar de perto a espada de D. Jaime I, pousada junto do estandarte içado na Torre Isab-El-Shaddar pelos mouros em sinal de rendição às hostes cristãs, no ano de 1238. Muita da memória de Valência passa exatamente pelos tempos turbulentos da Reconquista.

A cidade foi arrebatada ao domínio muçulmano por El Cid, voltando a cair de novo nas mãos dos Almorávidas, antes de regressar à posse dos cristãos.

Da Valência árabe muito pouco ficou, destruídas que foram as mesquitas para sobre elas se implantar templos cristãos.

As muralhas árabes tiveram o mesmo destino e apenas noutros lugares da Comunidade Valenciana encontramos vestígios significativos de fortificações: as de Morella, que El Cid também conquistou para a coroa castelhana, e as de Xátiva, terra natal de Ribera. O Almudín, que se sabe ter sido armazém de cereais, pode ser um resquício do antigo Alcázar de Valência, mas esta é, de momento, apenas uma hipótese adiantada pos historiadores e arqueólogos.

CALEIDOSCÓPIO MONUMENTAL

Em Valência os passos do viajante perdem-se também com prazer pelo centro histórico, um espaço de mil rostos que refletem o percurso histórico de uma cidade mediterrânica. É uma zona caracterizada por um verdadeiro caleidoscópio de estilos arquitetônicos, desde as medievas torres da Porta de Serranos até ao edifício modernista do Banco de Valência, com bela azulejaria local na fachada.

Valência
Valência, Espanha

Catedral de Santa Maria, de raiz medieval, é um edifício compósito, tal como outros templos da cristandade. Ergueu-se primeiro sobre uma mesquita que ao tempo da conquista de Valência aos muçulmanos El Cid decidiu consagrar a São Pedro ou à Virgem Maria, não se sabe bem.

O templo acabou por incorporar elementos arquitetônicos românicos, góticos, renascentistas e barrocos. A grande nave central filia-se no gótico cisterciense, como gótica é também a torre-campanário, ex-libris da Valência antiga e ícone de postais.

Belas são também as três portas do templo: a gótica Puerta de los Apóstoles, a Puerta de la Almoina, românico-bizantina, e a Puerta de los Hierros, de perfil barroco.

Vale a pena circular também, com tempo, pela curiosíssima Praça Redonda, uma praça fechada que desde manhã cedo se anima com um mercado de livros usados e pássaros. E finalmente, a concluir este breve périplo pelo centro histórico, não se pode perder pelo menos uma passagem sob o arco da réplica valenciana da Ponte dos Suspiros.

“LO QUE EXISTE EN VALENCIA ES EL AIRE”

Em expressão estereotipada, fogo e pólvora estão no sangue dos valencianos.

As tradições festivas são desse fato um eloquente testemunho, sublinhado ainda por uma expressão que registei precisamente por aquelas bandas: “Quando nasce uma criança valenciana, fazem-lhe uma transfusão e metem-lhe 5% de pólvora nas veias”. E a dita substância far-se-á companhia de toda uma vida, uma vez que petardos e foguetes são ali os primeiros convidados de qualquer celebração.

Não há noivos que não partam para a lua-de-mel a cheirar a pólvora: nenhum enlace valenciano tem validade sem o rebentamento nesse dia de uma vigorosa “mascletá”.

Valência
Valência, Espanha

Entre as festas mais agitadas, como são todas as da Comunidade Valenciana, as Fallas serão talvez as mais conhecidas. Mas há outros momentos igualmente significativos da folia valenciana que inundam de pólvora os dias festivos, como as festas de Moros y Cristianos, encenações das velhas lutas entre cristãos e sarracenos na época da Reconquista. A mais impressionante de todas tem lugar alguns quilómetros a sul de Valência, em Alcoy.

Todos os anos, em Abril, milhares de figurantes representando ambos os exércitos, cristão e muçulmano, saltam para a rua, envolvendo-se em “batalhas urbanas” com arcabuzes e muita pólvora seca.

A cidade mediterrânica raramente perde a sua proverbial claridade, e um passeio até ao litoral, à emblemática praia de Malvarosa, reforça a imersão nessa luz tão magnificamente pintada pelos pintores valencianos. Azorín, que viveu algum tempo em Valência (e publicou as suas impressões dessa experiência num volume memorialístico intitulado Valencia y Madrid) assinalou justamente que “Valencia es la tierra de los pintores. Y de los pintores desposados con la luz”.

Azorín conheceu na intimidade essa luz que ilumina tantos quadros de Sorolla (visitáveis nos acervos museológicos da cidade), e foi certamente nessa luminosidade tão serena quanto sensual que terá pensado quando escreveu que “no la color, sino el aire es lo qua ha pintado Sorolla”. E porquê? Ele mesmo esclarece. Por uma razão tão elementar como a de que “lo que existe en Valencia es el aire”.

FOGO E PÓLVORA

As Fallas são uma da festas mais conhecidas e populares de Espanha, o que não é dizer pouco a propósito do calendário festivo de um país que acumula, precisamente, um “excesso” de festas que se afirmam, por sua vez, por uma certa “excessividade”.

As Fallas é uma das que mais gente atrai, e todos os anos, em Março, Valência é o destino de milhares de turistas em busca da vertigem de uma celebração que mergulha as suas raízes em ritos ancestrais.

Valência
Valência, Espanha

O registo mais próximo assinala o ano de 1889 como o de início da tradição. A coisa pode ter tido origem na queima pública de madeira velha, numa grande fogueira em honra de S. José, patrono dos carpinteiros. A relação com as fogueiras pagãs do solstício de verão, associadas pelo cristianismo ao culto dos santos, é também evocada para explicar a génese das Fallas.

Atualmente, as fogueiras consomem muitas dezenas de enormes estruturas, as «fallas», rodeadas por figuras modeladas em cartão, os «ninots». O conjunto caricatura de forma satírica personagens e acontecimentos públicos.

Algumas das «fallas» chegam a ter quase vinte metros de altura e podem pesar mais de oito toneladas. Há em Valência dezenas de oficinas de produção de fallas» e conta-se em cerca de três centenas os artistas consagrados à sua idealização e execução.

A «nit del foc» (noite do fogo) constitui o clímax da semana «fallera». À meia-noite do dia 19 de Março tem início a grande imolação das peças, entre explosões dos petardos e música das bandas. A última «falla» a arder é a que se ergue na praça do município. É aí que se assiste ao culminar desse delírio pirotécnico, uma espectacular apoteose de fogo e pólvora.

Valência
Valência, Espanha

Valência
Valência, Espanha

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DE VALÊNCIA

Valência é a terceira maior cidade espanhola (com cerca de milhão e meio de habitantes em toda área metropolitana) e fica situada na costa Mediterrânica, a cerca de 400 quilómetros de Madrid.

O QUE VISITAR EM VALÊNCIA

Centro histórico, à volta da Plaza de la Reina; Bairro del Carmen; Calle Caballeros e Carrer dels Cadirers duas das ruas mais características e animadas; Catedral de Santa Maria; El Miguelete; Torres de Serranos; Torres de Quart; Lonja de la Seda; Mercado Central; Museu Nacional de Cerâmica; Museu de Belas Artes San Pio V; Instituto Valenciano de Arte Moderno (arte moderna e contemporânea); Museu Etnológico; Museu Fallero; Estação Ferroviária do Norte (arte nova); Praias de Malvarosa, El Saler e Pinedo; La Albufera.

Fonte: www.almadeviajante.com

Valência

Com uma população de 2008, 810 mil, Valencia está localizado na costa do Mediterrâneo central de Espanha e é a terceira maior cidade do país. Desde o século 13 tem sido uma das principais cidades do Mediterrâneo, e teve uma grande influência sobre o destino da Espanha.

Catedral gótica, com a sua torre sineira octogonal foi concluída no século 15. Se você está à altura da tarefa, suba a 207 passos para a melhor vista do Valencia na cidade. Plaza de la Reina é a Praça da Cidade Velha, e tem muito caráter histórico.

O gótico Lonja de la Seda de câmbio (de seda) foi construída entre 1482 e 1548, e é um Patrimônio Mundial da UNESCO e é uma das principais atrações turísticas em Valência. Por outro lado gosto muito do património Valencia, caminhar pelas ruas sinuosas antigas do Barrio del Carmen e você verá muitos edifícios antigos, bem como a experiência do Valencia agitada de hoje.

Hoje, o Valencia é mais elogiado e visitado por seu destino turístico moderno “A Cidade das Artes e das Ciências”, que foi construído no final do leito do rio Turia idade. Após a grande enchente de Valencia, em 1957, o rio foi ignorada, e este novo complexo cultural e arquitetônico foi posteriormente localizado aqui, início da construção em 1996.

A primeira estrutura ultra-moderna a céu aberto foi L’Hemisferic, um Teatro Imax, laserium e Planetário. Foram um museu interativo de ciência, um passeio paisagístico modernista com plantas indígenas, que também possui uma galeria de arte, L’Oceanographic, que é o maior aquário oceanográficas na Europa, bem como uma moderna ponte e da praça principal.

Também de interesse são as pontes que cruzam o resto do leito do rio seco, bem como a fonte musical na Plaza del Cordillo, que é um hub central da vida de Valência. E não deixe de experimentar o prato nacional paella espanhola, que se originou de Valência.

Valência é uma das capitais do turismo do mundo e tem uma história muito interessante que as datas de todo o caminho de volta para quando era o Antigo Reino de Valência. Agora é uma província de Espanha e tem um capital com o mesmo nome e se você estiver interessado em visitar algumas das áreas mais belas do mundo, então Valencia precisa definitivamente de ser uma parte de suas experiências de viagem.

Valência é uma das capitais do turismo do mundo e tem uma história muito interessante que as datas de todo o caminho de volta para quando era o Antigo Reino de Valência. Agora é uma província de Espanha e tem um capital com o mesmo nome e se você estiver interessado em visitar algumas das áreas mais belas do mundo, então Valencia precisa definitivamente de ser uma parte de suas experiências de viagem.

Isso é porque ele é uma das cidades mais antigas do mundo, mas em muitas outras maneiras também é um dos mais novos. Pessoas que estejam interessadas em visitar Valência, naturalmente, ter visto cartões postais que mostram que a arquitetura da cidade é secular, mas algo que eles podem não saber bem como é que o Valencia tem uma relação com a cidade recém-construída de Artes e Ciências.

É em um dos centros do pensamento moderno do mundo de hoje e este em combinação da sua hospedagem da Copa América de 2007 mostra o quão comprometido o governo de Valência é a modernização da cidade. É esta fusão do velho e novo mundo que faz Valência um lugar encantador para visitar.

Se você está interessado em visitar Valência, então você deve visitar em qualquer primavera ou o outono. Valencia tende a ter temperaturas mais extremas nas outras duas temporadas e as temperaturas extremas também tendem a eliminar a possibilidade de uma série de atividades que você pode ser capaz de fazer na primavera meses / outono.

Isto inclui coisas como banhos de sol (muito frio no inverno, a possibilidade de queimaduras solares maciças no verão) e caminhada (muito frio no inverno, maior possibilidade de golpe de calor no verão) e geralmente outras atividades ao ar livre tipo. Estar ao ar livre é uma parte grande de começar a experiência de Valência cheio assim, por esse motivo é melhor para visitar fora dos meses de Verão e de Inverno.

Existem duas línguas falada na área e estas são Valenciana e em espanhol. Se você estiver nas áreas urbanas da província como a cidade de Valência, então você pode se safar de língua espanhola e, em certa medida Inglês na maioria das vezes.

No entanto, se você estiver nas áreas rurais da província de Valência, em seguida, é a língua de preferência e alguns locais será mesmo ofender se você enfrentá-los em espanhol. Portanto, é uma boa idéia para aprender algumas Valência antes de acontecer a visitar esta zona do mundo. A geração mais jovem de valencianos não falam Inglês, mas se você visitar Valencia no próximos cinco a dez anos, provavelmente você vai ser chamado em algum ponto para usar suas habilidades no idioma valenciano.

Em suma, esta é uma cidade muito bonita, com uma história muito rica que dá origem a muitas atrações turísticas que você vai gostar. A viagem a Valência é definitivamente vale o preço que você paga por isso e muitas pessoas acabam fazendo voltar, porque eles têm a primeira vez tanto.

Valência – Uma boa escolha para uma férias em Espanha

Valência é a terceira maior cidade da Espanha e está cheio de arquitetura barroca flamboyant. Trata-se da costa, o que significa que você pode desfrutar das maravilhosas e animação noturna de Valência tem para oferecer e você pode passar momentos relaxantes na praia também.

Os principais locais a visitar em Valência estão na parte velha da cidade, o Barrio del Carmen com muitas ruas estreitas em torno de amble e absorver a atmosfera. A praça principal é a Plaza del Ayuntamiento, e é aqui que você pode admirar a maravilhosa arquitetura exuberante, barroca do Palacio del Marques de Dos Aquas.

A Catedral de Valência casas que se diz ser o Santo Graal, o cálice de Santo Caliz. Suba a torre da catedral de Miquelete de excelentes vistas da cidade.

Outro dos tesouros que a cidade tem para oferecer é a troca de 15 do século seda gótico, La Lonja, com sua incrível Salão das Colunas. É considerado um dos melhores exemplos da arquitetura gótica da Espanha. Ele carrega uma semelhança impressionante a uma fortaleza medieval.

Embora repleta de história Valencia também é uma cidade próspera, moderna e em nenhum lugar isso é mais evidente do que na sua nova “Cidade da Arte e da Ciência incrível” Ciudad de Las Artes Y Las Ciencias. Este fabuloso complexo tem um olhar maravilhoso futurista e contém um museu de ciência, um cinema IMAX e um aquário e muito mais. Um ótimo lugar para visitar, mas essencial para todos, se tiver filhos.

Valencia é também muito rica em cultura e tem uma excelente seleção de museus, espaços musicais, cinemas e teatros.

Transportes

Valencia não é tão grande em comparação com outras importantes cidades europeias e espanholas, e graças ao serviço de transporte público grande é muito fácil de se mover. Metro, autocarros e elétricos podem ajudá-lo a chegar ao centro da cidade.

VALENCIA METRO

O metro de Valência é moderno e muito fácil de usar: é uma tima maneira de se locomover pela cidade. Um único bilhete custa 1,70 €. A catenária é grande, uma vez que liga a praia ao norte de Valência.

O metro é também muito importante, porque agora liga o aeroporto ea cidade do Porto (Linha 5): é tão fácil de chegar à cidade agora.

VALENCIA TRAM

O bonde é uma grande alternativa para o ônibus (ou carro), como você pode evitar totalmente a ficar preso em engarrafamentos. Os custos são os mesmos para um bilhete de metro (1,70 € para um bilhete de ida). Se quiser chegar praia, pegue a Linha 4, o novo que vem do aeroporto.

VALENCIA ÔNIBUS

Localizado na Avenida Menedez Pidal você pode encontrar a principal estação de ônibus Valencia, na esquina do Hotel Expo.

O ônibus é uma boa maneira para se deslocar de Valência e há realmente muitas linhas que você pode tomar: 91 por dia, 7 da noite.

VALENCIA TAXIS

Você também pode pensar em tomar um táxi, isso é muito barato e, obviamente convenientes. As duas principais áreas para encontrar um táxi são Plaza del Ayuntamento e perto da Estacion de Norte.

RENFE VALENCIA TRAINS

A estação de comboios da cidade é a Estação do Norte (Estació del Nord) e é realmente a primeira coisa a visitar em Valência. É um maravilhoso exemplo da arquitetura modernista você pode encontrar na cidade, especialmente a estação de trem tem uma frente muito reta no interior layout.

Outras maneiras de se mover ao redor VALENCIA

Outros meios alternativos para se deslocar na cidade são motos e scooters. Valência é uma cidade anda de bicicleta e é bastante comum entre os turistas usando este meio de transporte para visitar a cidade. Há muitas vias para bicicletas também cruzam os parques que estão situados perto da praia. Aluguel de bicicletas também é muito barato. Se você preferir a solução scooter, a cidade é ainda mais acessível.

Em todo o caso, considerar a possibilidade de comprar o cartão de viagens disponíveis Valencia como você pode economizar dinheiro e facilmente se deslocar na cidade.

Onde Comer paella em Valência

Não é uma surpresa que Valencia é o melhor local para ir para a paella. A receita original vem daqui e este prato é o grande símbolo culinário da cidade. Em Valência, há muitos bons restaurantes, frequentemente situada junto à praia ou perto da “Cidade Velha”.

Não é uma surpresa que Valencia é o melhor local para ir para a paella.

Não importa o que você vai fazer em Valência: você tem de provar paella pelo menos uma vez durante a sua estadia. Verifique estes 3 restaurantes de modo que você pode comer a melhor paella da cidade.

Restaurante La Ruia

Provavelmente é o melhor lugar para comer, se você está procurando um restaurante tradicional genuína de Valência.

Ele oferece uma ampla gama de escolhas local: mais de 15 tipos tradicionais de paellas e arroz (é difícil encontrar essa oferta em qualquer outro restaurante da cidade), pratos de peixe e da carne local. O interior é típico de Valência com cerâmica e meborabilia nas paredes.

La Riua é realmente uma lenda: é um lugar amado e respeitado e por isso há geralmente um monte de convidados. Você pode ligar e reservar uma mesa ou também encomendar a sua paella, enquanto você estiver chegando. Comer paella custa quase 15 €, carne 7, 10 peixes e mariscos.

Tapelia Restaurante

Este restaurante é um restaurante Arroceria “real” (“ricery”) com uma ampla oferta de pratos de arroz (15 – 20 tipos diferentes de paella). Você ainda pode saborear a paella original com veados. Também pode encomendar algumas boas carnes criativo, entradas e saladas grande.

Também é possível ter paella para take away. A faixa de preços varia entre os 15/20 euros para uma paella, 07/05 para os pratos de carne, 12 de saladas. O ambiente é muito acolhedor, com paredes de pedra, a iluminação intimista, obras de arte com uma trilha sonora jazz, muitas tabelas pequenas juntas e algumas pessoas. Há outros dois restaurantes de “Tapelia” da cidade, perto de uma praia e outra perto da Cidade das Artes e das Ciências.

Taverna Alkazar

O Alkazar Taverna é um restaurante histórico localizado no centro de Valência com 50 anos de história. É um dos mais populares, até mesmo para os valencianos. Provavelmente não é barato, mas o grande nível de qualidade, combinada com a idéia de simplicidade faz dele um dos melhores lugares para comer.

Oferece temas espanhol nas paredes e um terraço grande jantar para o verão que é compartilhado com dois restaurantes vizinho, talvez um pouco mais barato (por que não fazer check-out também Givera eo Palacio de Bellota). Você pode ter luxo tradicional peixe, mariscos e carnes mais uma feira de variedades paella poucos. O peixe / mariscos pode custar cerca 15/20 euro, a carne 10.

Valência, a Cidade das Luzes

Valência é a terceira maior cidade da Espanha, depois de Madrid e Barcelona. Tem um dos maiores fluxos turísticos em Espanha e é famosa em todo o mundo por causa do festival Las Fallas. Tem 470 quilômetros de costa com belas praias e um clima mediterrâneo agradável durante todo o ano.

Valência é a terceira maior cidade da Espanha, depois de Madrid e Barcelona. Além disso, sempre foi uma cidade cheia de arte, deixando-nos o legado de grandes artistas como Ribera, Sorolla, Calatrava ou Marshal.

Cada esquina, em Valência, é encantador, especialmente o famoso bairro de El Carmen.

El Carmen é o centro histórico da cidade: nas ruas das tradições mais Bohemian são misturadas com as últimas tendências. Para aqueles que adoram festas, bairro

El Carmen está cheia de lugares para ir: curtir a noite de Valência sob o luar em um de seus belos terraços, tomar um café no meio da tarde, rodeado de amigos, satisfaça o seu apetite em um dos deliciosos restaurantes na área ou dançar toda a noite em uma boate de vanguarda.

Além do bairro El Carmen, existem outras áreas para desfrutar da noite de Valência: a Avenida de Aragón, La Plaza de Canovas, a Avenida Blasco Ibáñez, a Plaza de Honduras, o Xúquer Plaza ou no Plaza Juan Llorens. No verão, a festa muda-se para o Paseo Neptuno e as áreas de praias.

Nós não podemos falar sobre as férias em Valência, sem mencionar Las Fallas. Eles são uma das mais famosas e vibrantes, curiosos e ruidosos festivais em Espanha.

Os incêndios, junto com os fogos de artifício e foguetes tomar as ruas com força como se fosse. As origens do festival Fallas remonta a uma antiga tradição de carpinteiros da cidade, que antes da Festa de seu padroeiro São José, queimados na frente de seus workshops nas ruas, as suas coisas inúteis durante o inverno.

Esta é a razão pela qual a noite do Crema (em que os monumentos Fallas queimar) é sempre a 19 de Março, a Festa de San José. Durante cinco dias, os castelos, os monumentos e os Falleros Mascletàs, misturado com o cheiro de pólvora e aromas doces de flores. Las Fallas são um dos festivais de rua mais importante e espectacular do mundo que ninguém deve perder.

Para os amantes da boa comida, Valencia é um paraíso. A famosa Paella vem do Valencia! Os comensais não será melhor sabor do arroz do mundo! Outros pratos tradicionais são o arroz cozido, arroz a la banda “(com peixe), arroz preto (com lula em sua tinta) e Fideuá (feita com macarrão). Para uma bebida sabor, “el agua de Valencia” (suco de laranja com champagne). E para sobremesa, uma bebida refrescante com Horchata fartons (biscoitos).

“La Ciudad de las Artes y las Ciencias” é uma obrigação.

É o ponto de referência para o turismo cultural: a música, as novas tecnologias, as ciências, a ecologia, a educação, o cinema ou a arte de vanguarda são algumas das propostas que poderá encontrar neste espaço exclusivo. Esta incrível coleção de edifícios mostra habilidade excepcional Calatrava para expressar o que está dentro de um edifício através de seu design exterior. É 350,000 metros quadrados de superfície tornaram-lo em centro cultural de maior da Europa.

Você vai perder todas estas maravilhas? Eles estão todos juntos em Valência! Come on! Viajar para Valência, descobri-lo, e se apaixonar por ela. Dê uma olhada a estes Apartamentos em Valencia para encontrar as melhores acomodações da cidade!

Fonte: www.trip-advice.com

Valência

Valência representa perfeitamente o que a Espanha realizou no decorrer dos últimos vinte anos de história. Passos extraordinariamente importantes tanto do ponto de vista empresarial, como turístico. Estamos na presença de uma cidade completamente revolucionada no que diz respeito aos serviços, estruturas, infra-estruturas e, de certa maneira, à própria configuração da cidade, com grande abertura para o turismo.

Se para Madri a grande ocasião foi o extraordinário impulso criado pela atividade política, enquanto para Barcelona o evento divisor foram as Olimpíadas, Valência criou a sua própria ocasião a cada vez, participando do sucesso das celebrações colombianas de 1992 e acolhendo a partir daquele momento, numerosas manifestações culturais, esportivas e de espetáculo. Não último, o Grande Prêmio de Motociclismo que encerra todos os anos a estação do campeonato mundial.

A cidade representa a extraordinária alegria de viver dos valencianos, que se exprime na gastronomia, acurada e genuína, no esporte e na música. Passeando pelo centro da cidade, é normal encontrar, a qualquer hora do dia ou da noite, locais abertos onde comer, beber e ouvir música ao vivo.

Para uma análise da bela vida valenciana, começamos da sua cozinha, que é natural, simples e tradicional. O prato mais conhecido, como não poderia deixar de ser, é a Paella, o característico prato à base de arroz, peixe, carne e verdura, que se tornou o símbolo da cidade no mundo todo. Mas não se podem esquecer as especialidades à base de carne, como o Arroz al Horno ou o Arroz a Banda, que se saboreia com um abundante prato de peixe. Uma variação do tema da Paella, deliciosa, é a Fideua, que substitui o arroz pelo espaguete.

O culto da culinária é sublinhado na delicadíssima escolha dos vinhos. Brancos, como o Alto Turia e o Serranda, ou tintos típicos das regiões de Requena, Utiel e Campo de Lliria.

Os doces completam o cardápio valenciano com uma vasta gama de propostas e receitas absolutamente incríveis:rosetones, arrop i talledetes e o arnadi são as bases de uma mesa de doces regionais realmente de grande efeito.

Mas não vale a pena se fechar num restaurante durante toda a permanência em Valência (mesmo se quem o fizer dificilmente conseguirá esquecer as delícias da região). De fato, Valência também é uma cidade absolutamente esplêndida pelo seu contexto cultural e arquitetônico, graças às suas raízes históricas.

Valência, capital da província autônoma que tem o seu nome, surge na foz do Turia. Os primeiros que a colonizaram foram os romanos, enriquecendo-a, durante o império de Augusto, de numerosíssimas estruturas e palácios maravilhosos. As incursões provenientes do norte, sobretudo dos Visigodos, foram imediatamente suplantadas pela chegada da cultura árabe.

Os árabes conquistaram Valência no ano 714 e a cidade, a partir deste momento, conhece uma fase de esplendor extraordinário, capitalizando o desenvolvimento agrícola de toda a região. Com a queda do império árabe, Valência conhece o domínio aragonês sob o qual se torna reino autônomo.

Valência expande-se ainda mais e enriquece-se, tornando-se uma cidade de governo iluminado, cultural e juridicamente muito evoluída. Destas bases chegaram amplos testemunhos até os nossos dias. Não é por acaso que Valência acolhe grandes estudiosos e literatos, como Joanot Martorel, provavelmente o primeiro romancista europeu, e também Ausias March, Roig de Corella e Isabel de Villena.

Valência, próprio pelo fato de representar uma cidade de enorme importância no imaginário político de cada época, foi o centro de ásperas controvérsias. O advento dos Borbones, a aliança com o arquiduque da Áustria na guerra de secessão, destruíram os equilíbrios de Valência e de sua região até alcançar um outro período de renascimento cultural que perdurou até todo o século XVIII.

A Guerra de Independência, a Guerra Civil, que viu Valência capital do governo republicano por três anos, 1936-1939, a desastrosa enchente de 1957… Valência consegue se reforçar algumas vezes, e outras consegue até mesmo renascer de todo drama até se tornar a cidade que é hoje.

Uma metrópole cosmopolita, mas humana, aberta a toda novidade e a todo contato e relação internacional, sem nenhum tipo de preconceito ou impedimento. Uma cidade extraordinária de enorme potencial, que se tornou, inevitavelmente, um modelo turístico e cultural para a Espanha.

Fonte: www.costacruzeiros.com

Valência

As rivais Madri e Barcelona são os destinos turísticos mais importantes da Espanha.

Mas a ensolarada Valência, a exemplo de Sevilha, corre por fora e já vem recebendo um crescente número de visitantes.

A metrópole valenciana tem indiscutível peso nacional. Afinal, é a terceira maior cidade espanhola, bem como a maior praia urbana da Europa – com sete quilômetros de enseada mediterrânea. Graças à população repleta de jovens, vindos de todas as partes do mundo para estudar ou trabalhar, o clima de festa paira no ar. Não falta gente bonita, alegre e receptiva.

Famosa ainda por ser a terra da paella, Valência revitalizou áreas antes degradadas e investiu forte em construções futuristas, sem perder o encanto das típicas ruelas e praças românticas.

Seus charmosos bares, restaurantes e museus, agora fortalecidos com a moderna Cidade das Artes e das Ciências (leia mais abaixo), transformaram-na em verdadeiro polo de cultura e entretenimento. Os viajantes, que desejam realmente conhecer as diferentes faces da Espanha, não podem deixar de passar em Valência.

Cultura

A cidade valenciana agrega arte, cultura e história. Uma mostra disso é o seu charmoso centro antigo, uma área rica em patrimônio gótico arquitetônico. Em meio a praças e ruelas, há construções majestosas e seculares.

Na Plaza (praça) de la Reina, por exemplo, ficam a Catedral, datada do século 13, e a Miguelete, torre inacabada de 47 metros de altura. A paisagem de Valência também é marcada pelos imponentes palácios, como o Maques de Aguas Poeta, na Praça Pinazo. Já na tradicional Praça del Ayuntamiento eis o imponente conjunto de prédios que forma a Prefeitura.

Entre os acervos de maior relevância, estão o Instituto Valenciano de Arte Moderna, o Museu de Belas Artes San Pio e a Casa Blasco Ibáñez, nome do escritor mais famoso da cidade. Nada, porém, é comparável à Cidade das Artes e das Ciências, obra do famoso arquiteto Santiago Calatrava.

O ultramoderno complexo é o mais novo polo cultural da cidade. Abriga um planetário, museu interativo de ciências, casa de ópera, aquário, cinema 3D e Jardim Botânico.

No quesito música erudita, os concertos fazem sucesso por lá. O Palau de la Música é palco de 200 apresentações anuais da renomada orquestra da cidade.

Enquanto no campo acadêmico, o destaque vai para a tradicional Universidade de Valência, procurada por muitos estudantes estrangeiros.

Passeios

Sem dúvida, a grande atração é a Cidade das Artes e Ciências, construída na parte nova de Valência, em uma área de 350 mil metros quadrados, o equivalente a dois estádios do Maracanã. Sua obra custou mais de R$ 1,5 bilhão.

O megacomplexo de arquitetura futurista rende programa por vários dias. Pois reúne um grande jardim público, planetário com cinema 3D, museu interativo de ciências, o maior aquário da Europa e uma Casa de Ópera.

Na litorânea Valência, aproveite o sol e as águas transparentes do Mediterrâneo. A praia Malvarrosa é umas das mais badaladas. Lá, como parte da onda de revitalização futurista na cidade, foi construído do zero um gigantesco porto.

O lugar foi concebido para sediar uma edição da America’s Cup, o mais importante evento de iatismo do mundo, realizado pela primeira vez em solo europeu desde sua criação, em 1851. A zona portuária conta ainda com uma marina para mais de 600 barcos e um moderno prédio beira-mar, cheio de lojas e restaurantes.

Para sair da maresia e curtir um pouco de verde, vá ao Jardim dos Turias, um imenso parque público que corta toda a cidade. No passado, esse espaço pertencia ao leito do rio Turia, que precisou ser aterrado após uma grande enchente na década de 1950.

Assim, o local virou uma área de lazer ótima para atividades físicas e passeios. Outra boa opção em meio à natureza é o Jardim Botânico da rua Quart, dono de mais de 45 mil espécies de plantas do mundo todo.

Por fim, nas andanças pelas ruelas do centro histórico, visite a Praça de Touros valenciana (rua Xátiva), uma das maiores de toda aEspanha. No verão, o local recebe um grande número de eventos, sempre concorridos.

Noite

A cidade tem muitos bares para fazer happy hour, comer tapas e curtir música ao vivo. O Barcas é bem tradicional e fica no meio do centro comercial. O bairro do Carmen, na área histórica, é o principal point de bares, pubs e boates lotadas. As baladas na beira-mar são outra boa opção. O bar-danceteria Akuarela, perto da praia Malvarrosa, fica apinhado no verão.

O espírito jovem e festeiro da cidade se traduz bem nas Fallas, espécie de carnaval valenciano, sempre em março. A folia, a mais popular da cidade, é famosa por sua espetacular queima de fogos (chamada de mascleta) e pelos bonecões gigantes de personalidades mundiais.

Comida

Um dos principais símbolos da gastronomia espanhola vem de Valência, a terra original da paella. O arroz é ingrediente obrigatório em quase todos os pratos da região. A paella valenciana leva carne de coelho, frango e caracóis.

No cardápio de muitos bares e restaurantes, as tapas (tira-gostos) ratificam sua fama nacional e saem bastante como entrada. Para beber, as tradicionais horchata de chufas (leite batido com amêndoas e avelã) e o limão granizado (espécie de raspadinha) fazem sucesso no verão. Muitas casas servem ainda a combinação perfeita entre queijos e vinhos. Quanta fineza!

Anote na agenda: no começo de julho, acontece sempre o festival Valencia Cuina Oberta (“Valência Cozinha Aberta”). Na ocasião, os melhores restaurantes da cidade servem menus promocionais no almoço e na janta, com direito à entrada, prato principal e sobremesa. Uma delícia ao paladar e ao bolso!

Compras

As melhores lojas de Valência espalham-se pela Praça del AyuntamIento e ruas Don Juan de Áustria e Cólon, no centro. Bem perto fica a Avenida Suécia, onde rola uma feira da pechincha dominical ao ar livre. No mesmo estilo, têm o restaurado Mercado Central (na Praça do Mercado), o Mercado da Praça Redonda e o Mercado de Colón, que abriga os principais cafés e restaurantes.

Os coloridos produtos de cerâmica, porcelana e artesanato, frutos da influência árabe na região, também são famosos por lá. Outro centro comercial importante está ao redor da futurista Cidade das Artes e Ciências, na avenida Autopista del Saler.

Transporte

A apenas três horas de trem de Madri e Barcelona, a cidade valenciana ostenta um transporte público bem funcional e compatível ao seu tamanho de médio porte. Valência é, por exemplo, menor que Campinas (SP).

Com isso, o metrô não precisa mais do que quatro linhas, que vão do aeroporto praia. Os bondes, ônibus e táxis completam o sistema. Há até uma linha noturna de busão, em operação das 23h às 3h.

Para quem alugar carro, as avenidas são largas e bem sinalizadas. Mas se a rota for pelo centro histórico, o ideal mesmo é andar a pé ou de bike.

Informações Gerais

Idioma: Espanhol

Moeda: Euro

Clima: Ensolarado na maior parte do ano, fazendo mais de 40º C entre julho e agosto. Já o inverno tem temperaturas amenas, com média de 12º C a 20º C.

População: Cerca de 820 mil habitantes.

Fuso: + 4h

Voltagem: 220V

Código: 96

Fonte: www.ci.com.br

Valência

A cidade de Valencia apresenta uma grande curiosidade a de estar imersa nas grandes tradições e ao mesmo tempo associada às vanguardas mais transgressoras. 

Valencia é terceira cidade da Espanha por número de habitantes, com aproximadamente 750 mil, um grande centro em constante transformação.

Valência

Apesar de ter sua origem associada aos romanos, a ocupação árabe a converteu em uma cidade de importância mundial, graças a potencializarão da agricultura y da introdução de produtos dos mais comuns na atualidade, como a laranja, o arroz. 

Outro elemento importante na economia valenciana introduzido pelos árabes foi a indústria têxtil, que colocou a cidade como um dos centros mais renomados da Europa.

Conquistada por Rodrigo Dias de Vivar, el Cid, no ano de 1094, e reconquistada novamente por Jaime I em 1238, Valencia foi testemunho direto dos episódios históricos importantes como o desembarque de Alfonso II no ano de 1875 ou o seu apoio al bando republicano na Guerra Civil, assistindo as mudanças do seu próprio destino, devido às perigosas águas do Rio Túria, hoje transformado em um imenso parque que atravessa toda a cidade e a embeleza com seus magníficos jardins e fontes.

Em uma das extremidades do parque nasceu a Ciudad de las Artes y de las Ciências, um projeto arquitetônico altamente arrojado, que dá reconhecimento internacional cidade, alem da sua festa tradicional das Fallas, que inicia em comemoração abertura da primavera, fechando no dia 19 de março, dia de São José.    

Cultura

O centro histórico da cidade possui edifícios significativos da arquitetura civil e religiosa, exemplares que datam do renascimento ao art déco e que guardam acervos dos mais importantes da arte produzida na região, entre pintura, escultura, cerâmica, têxteis e outros objetos de arte decorativa.  Valencia preserva ainda duas torres que permitiam, na época medieval, o acesso à cidade. 

As Torres de Serranos, considerada a porta urbana mais importante do gótico europeu, erguidas no século XIV, e as Torres de Quart, datadas do século XV, um dos principais acessos à cidade para as pessoas originárias dos Caminhos de Castilla.

A cidade de Valencia possui um porto marítimo que foi considerado uma das principais ligações de transporte entre a península e o restante dos países do Mediterrâneo, e que continua ainda hoje, tendo grande atividade comercial.

As praias de Las Arenas e de Malva Rosa são bastante procuradas pelos turistas que buscam o sol do mediterrâneo durante os meses tórridos do verão valenciano, e que ocupam os pitorescos restaurantes localizados na orla marítima para saborear a característica Paella e tomar a refrescante Água de Valencia, bebida típica à base de laranjas.

Valência

Os principais pontos turísticos são:

Ciudad de las Artes y las Ciencias: complexo arquitetônico, cultural e de entretenimento, desenhado por Santiago Calatrava e inaugurado em 1998.

Divide-se em: L’Hemisfèric: planetário e cinema

IMAX – L’Oceanogràfic: maior aquário da Europa

Palácio das Artes Reina Sofía

A Ponte de l’Assut de l’Or

Museu das Ciências Príncipe Felipe e L’Umbracle, complexo de jardins.

Valência

 Lonja de La Seda, antigo mercado de seda, monumento declarado patrimônio da humanidade.

Catedral de Valencia

Valência

Torres de Serranos e Torres de Quart

Basílica da Virgem dos Desamparados

Vida noturna

A cidade é conhecida por sua agitada noite, é possível degustar excelentes pratos até altas horas da noite, ouvir musica ao vivo, e encontrar diversos bares, pubs e boates, em sua maioria na região do centro.

Trabalho

Valencia é um destino turístico em ascensão, que cresce a cada dia. A demanda do ramo de hotelaria é grande na cidade, é a maneira mais fácil de encontrar trabalho é deixando currículos nos bares, restaurantes, hotéis, etc.

Transporte

É fácil se locomover na cidade, que conta com várias linhas de ônibus, uma linha de tranvia (bonde) e um bom sistema de metrô, que liga inclusive o aeroporto e cidades da área metropolitana à cidade.

Gabriel Fernandes

Fonte: www.queromorarfora.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+