Breaking News
Home / Turismo / Turquia

Turquia

Um país para todos os gostos

PUBLICIDADE

A Turquia tem muito a oferecer seus visitantes: belezas naturais deslumbrantes, importantes sítios históricos e arqueológicos, melhorando continuamente seus hotéis e a infra-estrutura turística oferecendo uma tradição e hospitalidade a preços competitivos.

Portanto, não é de estranhar que este país tornou-se recentemente um dos principais destinos turísticos do mundo.

Devido à geografia diversificada da Turquia, pode-se experimentar quatro climas diferentes em um único dia.

O país está em forma retangular rodeada em três lados por três mares diferentes. Suas margens são atados com praias, baías, enseadas, portos, ilhas e penínsulas. Os verões são longos e duradouros, chegando até a oito meses em algumas áreas.

Turquia também é abençoada com majestosas montanhas e vales, lagos, rios, cachoeiras e grutas perfeitas para o inverno e verão turístico e os esportes de todos os tipos.

Turquia

Os adeptos do esqui, montanhistas, caminhantes, e caçadores podem desfrutar experiências novas e inesquecíveis na Turquia.

Turquia é, acima de tudo, é um enorme museu ao ar livre, um repositório de todas as civilizações alimentada pelos solos da Anatólia.

A enorme quantidade de riqueza histórica e arqueológica na Turquia parece mais apropriado para um continente inteiro de um único país.

Recentemente, um novo campo de turismo abriu: turismo de saúde.

O país é de fato rico em fontes termais, águas curativas e lamas de cura, que são altamente recomendados pelas autoridades médicas como um remédio para muitas doenças.

Durante séculos, a Turquia também tem sido uma encruzilhada de religiões, não só do Islã e do Cristianismo, mas também de muitos outros agora esquecidos pela história.

Muitos devotos religiosos podem encontrar um lugar, um santuário, um monumento, um túmulo ou uma ruína conectado com a sua fé ou crença.

Fonte: www.colegiosaofrancisco.com.br

Turquia

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Para entrar na Turquia é necessário apresentar o passaporte com uma validez mínima de três meses e visto que se obtém quando chega à fronteira pagando 10 dólares aproximadamente.

É necessário declarar os objetos de valor para evitar contratempos na hora de efetuar o controle de saída.

Estão livres de impostos os objetos pessoais, uma televisão à cores, câmara de vídeo e 5 cassetes, filmadora, máquina fotográfica e 5 filmes, computador pessoal, rádio portátil, binóculos, um máximo de 3 instrumentos musicais, equipamento de esporte, medicamentos de uso pessoal, uma bicicleta, 200 cigarros, 50 charutos, 200 gr de tabaco, 1.5 kg. de café, 1 quilo de chocolates, 5 litros de vinho, cinco garrafas de álcool de um litro e cinco frascos de perfume.

Os artigos que excedam os 15.000 dólares devem ser declarados no momento de entrada. Arpões pesqueiros, facas para acampar e outras armas são proibidas. É conveniente conservar os comprovantes das compras importantes e dos câmbios de divisas já que podem ser solicitados no momento da saída. É muito importante não tentar entrar ou sair com drogas, nem consumi-las no interior país, já que as penas impostas pela lei são extremamente duras.

CLIMA

Nas costas o clima é agradável durante o ano inteiro exceto no verão quando as temperaturas sobem consideravelmente. A zona do Mar Negro está bem mais úmida e costuma chover freqüentemente. Turquia Oriental é extremamente fria nos meses de inverno. Em Mersin e Antakya o calor é muito úmido.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

É conveniente levar roupas de algodão e calçado confortável. Se visita a zona do Mar Negro a capa de chuva é indispensável. As roupas devem ser frescas se viaja no verão que faz muito calor, enquanto que se visita a região asiática no inverno é aconselhável ir bem abrigado. Não esqueça de levar um forte protetor solar se pensa desfrutar das praias de Turquia, repelente para os mosquitos e medicamentos contra os transtornos gástricos, embora as farmácias turcas normalmente sejam bem providas.

IDIOMA

O idioma oficial é o Turco. Se fala inglês, francês e alemão nas principais zonas turísticas.

RELIGIÃO

A grande maioria dos turcos é muçulmana. Existem também cristão, ortodoxo e yezies, seguidores de uma religião muito antiga próxima à fronteira com o Iraque.

ELETRICIDADE

A tensão elétrica é de 220 V. As tomadas são de tipo continental com duas cavilhas redondas, como as utilizadas nos países da Europa.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é a Lira turca. Se encontram moedas de 10.000 e 20.000 liras e notas de 50.000, 100.000, 500.000, 1.000.000 e 5.000.000 de liras turcas. Os câmbios de moeda podem ser feitos nos bancos cujo horário é de 8.30 h às 12.00 h e de 13.30 h às 17.00 nos dias úteis.

Fechado nos fins de semana e feriados. Existem várias casas de câmbios nos hotéis e aeroportos. Embora nas cidades principais está cada vez mais freqüente a aceitação de cartões de crédito não é aconselhável depender deles. O mais aceitado é o cartão Visa

EMERGÊNCIA – SAÚDE – POLICIAMENTO

Não se exige nenhuma vacina para entrar no país, a menos que proceda de áreas infetadas. É importante fazer um seguro médico que cubra a assistência tanto na Turquia européia como na asiática. Para urgências hospitalares se pode contatar com o Hospital Americano em Istambul, ou no centro médico associado à Universidade de Hacettepe em Ancara.

No caso de roubo ou perda de documentação vá até a polícia e contate o consulado mais próximo. Lembre-se que nas cidades rurais a polícia (vestida de paisano), é substituída pela " jandarma ", uma seção do exército.

CORREIOS E TELEFONIA

As agências postais turcas estão sinaladas com grandes cartazes amarelos nos que podem conter as letras "PTT".

Os horários são amplos: de 8.00 da manhã à 12 da noite de segunda-feira à sexta-feira. Sábados e domingos de 9.00 às 19.00 h.

Para as chamadas em telefones públicos são necessárias fichas ou cartões telefônicos que podem ser adquiridos nas agências de correios. Para as chamadas internacionais há que marcam 00, depois prefixo do país e da cidade, seguido do número do assinante.

FOTOGRAFIA

Somente poderá introduzir no país cinco rolos de filme ainda que não terá problemas para comprar nas lojas de Istambul. Lembre-se que é indispensável pedir permissão para fotografar as pessoas, estamos seguros que consentirão agradavelmente.

HORÁRIO COMERCIAL

As lojas normalmente abrem diariamente de 9.30 h. às 13.00 h e de 14.00 às 19.00 h. menos nos domingos. O Bazar de Istambul abre ininterruptamente de oito e meio à sete da noite. Nos domingos estão fechadas.

GORJETAS

As gorjetas normalmente funcionam como em muitos países. Elas não são obrigatórios mas é habitual deixar 10% do total da fatura se está satisfeito com o serviço recebido. Não é costume deixar gorjeta para os taxistas.

TAXAS E IMPOSTOS

Não existem taxas nos aeroportos turcos (estão incluídas no preço das passagens), nem objetos gravados com impostos especiais

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Turquia está situada entre dois continentes, sendo o lugar natural de encontro entre Ocidente e Oriente. Conta com um superfície total de 814.578 quilômetros quadrados dos que 23.764 estão situados na zona européia. Seus limites estão delimitados, na parte européia (Tracia) ao sul, com o estrito de Dardanelos, o Mar de Mármara e o famoso bósforo, enquanto que ao noroeste como Mar Negro. Na zona asiática (Anatólia) com o Mar Negro e o Mar Mármara ao norte, com o Egeu ao oeste e com o Mediterrâneo ao Sul. Tem fronteiras ao noroeste com Grécia e Bulgária, ao leste com Georgia, Armênia e Irã e ao sul com Iraque e Síria.

Mesetas e Montanhas

A maior parte do território se localiza numa grande meseta, rodeada por cadeias de montanhas. Ao norte os Montes do Ponto e ao sul os Montes de Tauro que continua, até o Leste unindo-se com o Monte Agri (Ararat) e no que se desenvolvem diferentes formações vulcânicas.

Rios e Lagos

A rede fluvial de Turquia conta com vários rios de importância como o Kizilirmak, o Yesilimak e o Sakarya que desembocam no Mar Negro; o Gediz e o Buyuk

Menderes que o fazem no Egeu e os históricos Eufrades e Tigris cujo o leito continua até o Golfo Pérsico.

Turquia conta com mais de cinqüenta lagos, a maioria de águas salgadas, que ocupam aproximadamente de 9.000 quilômetros quadrados do total do território. Os mais conhecidos são o Iznik, ao sudoeste de Izmir, entre montanhas, Manyas, o mais ocidental, Van, Tuz, Beysehir, ou o Egridir, entre outros.

Clima

O clima apresenta variações que dependem da zona: é do tipo mediterrâneo nas zonas costeiras com temperaturas suaves durante todo o ano que pode oscilar entre os 11 graus centígrados em pleno inverno e 30 graus no verão; continental na parte asiática com uma grande diferença entre os três graus centígrados que chegam a alcançar no inverno e os vinte no verão e; o alpino, no Monte Agri (Ararat), com temperaturas própria de alta montanha. As chuvas costumam ser escassas no interior, enquanto que na costa, sobretudo na zona do Mar Negro, são muito freqüentes.

FLORA E FAUNA

Turquia oferece incríveis contrastes em sua flora e fauna de acordo com as diferente zonas do país.

Costas

As costas de Turquia, sobretudo as do Mar Negro, são a parte mais fértil do pais e também na que se encontra uma abundante vegetação muito variada. As costas, recortadas, costuma estar povoadas de bosques frondosos com abundantes fetais e coníferas, sendo o pino calabrês (ou Aleppo) seu máximo expoente. Na costa ocidental abundam as oliveiras, laranjeiras, limoeiros, figueiras, romãzeiras, videiras e campos cultivados com cereais, algodão e bananas.

Nas costas turcas pode-se contemplar aproximadamente 400 espécies de aves ao longo de todo o ano já que Turquia é uma passagem habitual para as aves migratórias. Destacam entre estas os pardais de manx, os corys, aves zancudas e as gaivotas mediterrâneas. Também pode-se encontrar outras espécies tão chamativas como ursos, chacais, hienas listadas, javalis, porcos espinho, os peculiares geckos turcos (espécie de lagartixa) e com um pouco de sorte leopardos.

O Bósforo

O Bósforo é o verdadeiro paraíso Ornitológico. Durante a primavera e o outono pode-se encontrar aves de numerosas espécies aninhando em lugares de incomparável beleza. Refletidos na água deste canal podem-se ver facilmente andorinhão alpino, pombos, milhanos negros, gaviões, pardais levantinos, falcões de pata vermelha, águias ratoeiras, aves de rapina, alcaudones e cegonhas brancas e negras. Um espetáculo completo.

Zonas de Montanhas

Nas zonas de montanhas os animais habituais são urso pardos, abutres, águias douradas, calhandras, xofrango, cervos, grifones, javalis, chukars (parecida a perdiz), estorrinho azuis e de rocha e lobos.

Os bosques de Turquia costumam estar formados por carvalhos, nogueiras, hayas, pinheiros, abetos e freixos, entre outras variedades. Quanto a fauna distinguem-se as numerosas e belas borboletas Cleopatras, ruisenhores, melros, verdilhões, águias ratoeiras do mel, cervos, ursos, lobos e javalis.

A Campanha Turca

Em todo os país durante a primavera os campos se enchem de bonitas flores com calêndulas, flores do espinho e amapolas entre as que revoam sem parar borboletas muticoloridas de grande beleza. As cabras costumam aparecer também neste ambiente no que as oliveiras centenárias são as rainhas da paisagem.

É nesta zona onde habitam repteis de diferentes espécies como lagartixas e belas tartarugas moras ou da terra que produzem muito barulho ao mover-se entre a vegetação, é claro, também existe uma grande variedade de aves como escribanos de cabeça negra, coladas, águias ratoeiras e canários de cabeça escura com crista vermelha da Ásia, entre outras espécies.

ARTE E CULTURA

Numerosas culturas deixaram mostras de sua passagem pela República de Turquia. Do Paleolítico até o tempo de máximo esplendor, durante o Império otomano, a arte turca foi refletida em numerosas e estupendas obras.

Nas cavernas de Antalya foram encontradas pedras esculpidas e foram esmaltadas, pinturas rupestres e relevos de mais de 8.000 anos atrás, enquanto em Catal Huyük uma escavação arqueológica descobriu uma pequena cidade com casas e câmaras religiosas que datam dos 6.500 a.C.

Hititas, Urarteos, Frigios, Lidios e Carios

Também são conservadas construções impressionantes erguida. pelos hititas nos anos 1750-1450 a.C. como castelos, muralhas e templos. Foram resgatados textos cuneiformes que uma vez estudados oferecem uma marca de referência incomparável sobre a sociedade hitita na qual se falavam dois idiomas.

Os restos dos urarteos confirmaram o caráter independente e criativo deste povo. Chegaram até nossos dias ruínas de edifícios construídos em barro, sepulcros, objetos de cozinha, jóias e armas. Também estão conservados restos arqueológicos do frigios cujas inscrições não foram possíveis decifrar na sua totalidade; dos lidios com um excelente cerâmica e dos carios com um mausoléu funerário em estado bastante bom erguido em Milas.

Arte Grega e Romana

Os gregos influenciaram notavelmente a Ásia Menor. A maioria das cidades foram construídas seguindo o plano das acrópoles e foram encontradas grandes quantidades de estátuas, cerâmica, sarcófagos, etc. Os romanos, por sua vez, revestiram estas acrópoles asiáticas de grandes luxos, mas principalmente, levantaram impressionantes obras funcionais que encontram-se em numerosos lugares do país, como são aquedutos, pontes, banhos térmicos, circos e teatros entre outros.

Manifestações Artísticas Bizantinas

O Império Bizantino construiu um dos monumentos mais importantes na República da Turquia, a Igreja de Santa Sofia. As igrejas bizantinas se levantaram orgulhosas em todo território como amostra de uma arte majestosa e colorida. No interior delas estão bonitos afrescos e mosaicos de grande beleza.

Grandeza dos Selyúcidas

Em contraste com a arte bizantina, a arte dos selyúcidas se distingue por ter assumido grande parte dos elementos árabes e soube misturar com características persas conseguindo uma característica de estilo de grande originalidade. Por exemplo, as mesquitas construídas com uma colunaria aberta tipicamente árabe, acrescentando o característico pórtico abobadado persa. Os selyúcidas se destacaram, também, no tecido de tapeçarias, no esculpido de materiais diferentes e na produção de louça. Mas não só desenvolveram a arte como foram também excelentes impulsores da cultura e da educação com importantes centros educacionais, filosóficos e religioso.

O Império Otomano

A arte e a cultura da Ásia Menor alcançaram seu máximo esplendor com o Império Otomano. Os edifícios mais bonitos erguidos neste período são as mesquitas que têm uma distribuição interior realmente espetacular. As mesquitas grandes têm um lugar no qual estão as fontes para lavar-se antes de iniciar os ofícios religiosos, dali passa-se ao oratório, sempre orientado para A Meca, no qual estão localizados o mihrab ou nicho de orar, o mimbar desde do qual o imam pronuncia o sermão de sexta-feira, a tribuna dos cantores e o palco para as máximas autoridades da cidade.

Ao lado das mesquitas encontram-se normalmente outros edifícios como escolas, farmácias, hospitais, refeitórios para pobres e sepulcros de especial beleza. Além das mesquitas os otomanos construíram palácios impressionantes com o mármore como principal material de construção. Neles podem ser vistos bonitos azulejos, abóbadas impressionantes e marquises em forma de estalactites.

Outro elemento tipicamente otomano são as fontes que podem estar em qualquer praça ou rua das diferentes cidades de Turquia. Estas fontes são adornadas ricamente e freqüentemente podem ser vistas inscrições nelas. As casas otomanas foram distribuídas em andares diferentes, no térreo estava o recepção e no primeiro andar os quartos. O material de construção destas moradias era a madeira.

O Império otomano conseguiu desenvolver uma caligrafia excelente. Os peças mais conhecidas são o “turgra” e o monograma do sultão nos diplomas.

Arte Popular

Verdadeiras obras de arte são as tapeçarias e os tapetes turcos. Podem ser encontrados nas mais variadas cores e diferentes desenhos e tecidos mas todos de uma beleza e uma qualidade dificilmente superáveis.

GASTRONOMIA

A gastronomia turca é simplesmente deliciosa. Um desdobramento maravilhoso de sabores e aromas conseguirá despertar o apetite de qualquer pessoa que decida a provar esta cozinha estupenda.

Os pratos são preparados com ingredientes básicos da gastronomia mediterrânea: legumes frescos, frutas, azeite de oliva, carnes, pescados e molhos excelentes.

Como primeiro prato pode-se degustar uns variados aperitivos à base de frios como o salsichão e salsichas com alho como principal especialidade. Também se consome saladas, queijo de ovelha, ervilhas e sarma, arroz em pâmpanos, os dolma cuja base são verduras como tomates, pimentões ou berinjelas recheadas de arroz, pinhões e passas, os zeytinyagli, verduras frias com azeite de oliva e o imam bayildi, berinjelas recheadas com tomate frito, cebola e alho. As berinjelas são muito apreciadas na culinária turca, de fato, existem 40 maneiras diferentes de prepará-las. Também são muito apreciadas as empadas recheadas de carne ou queijo conhecido como borek.

Também como primeiro prato podem-se tomar as consistentes sopas turcas, não duvide em provar a tavuk suyu à base de frango, mercimek corbasi de lentilhas, iskembe corbasi com tripas que se prepara com farinha, molho de vinagre e alho (o mais parecido com as sopas espanholas), sehriye corbasi, ou a deliciosa yayla corbasi cozida com iogurte, farinha e tomate vermelho.

Os pratos principais da comida turca normalmente combinam as verduras com carnes e pescados. As ervilhas verdes e brancas, tomates, berinjelas e os pimentões servem de acompanhamento às carnes de cordeiro, vaca, terneira e frango em guisados estupendos. Porém, também pode-se comer a carne em deliciosas brochetas conhecidas como kebab ou como recheada numa tortas feitas com pão de pita.

O porco não se come na Turquia já que é proibido seu consumo para os muçulmanos. Realmente saboroso resulta o Doner Kebab, cordeiro assado num forno giratório e o Kofte, com a carne picada como ingrediente principal. Normalmente, o peixe é muito fresco, as espécies mais consumidas são salmonetes, imperador, rodovalho e robalo. Se paga tendo em conta seu tamanho, quanto maior, mais caro.

A sobremesa na Turquia tem uma ampla gama de produtos. Desde frutas da época de sabor primoroso como ameixas, morangos, damascos, pêssegos, etc., até deliciosos doces que se desfazem na boca nada mais que provar. Prove o baklava, pedaços de bolo de massa folhada compostos por nozes e calda de açúcar, os tulumba, bem parecido ao churros espanhol, os kadayif como o macarrão italiano mas com um doce sabor já que costumam ir empapado em calda de açúcar, o Muhallebi, um pudim de excelente sabor, o sütlac, leite de arroz, o komposto, compota da saborosa fruta turca ou os dondurma, sorvetes de todos os sabores.

São deliciosos também os burma, pastéis de canela, os ekmek kadayifi, fatias de pão banhadas em calda de açúcar parecidas com as torrijas espanholas, os revani, pastéis de sêmola e os lokma, rosquinhas turcas.

As comidas podem ser desfrutadas em cantinas pequenas que servem um único prato que é cozido em fogo à lenha durante o dia inteiro, em restaurantes de todos os tipos e preços, ou na rua. É habitual encontrar postos de rua que vendem o simit, rolos de pão, sanduíches, macarrões e doces, kebab e maçaroca de milho.

Bebidas

Para acompanhar a esta comida estupenda se bebe a suave cerveja turca, vinhos brancos e tintos de excelente qualidade e o raki, a bebida nacional, uma espécie de aguardente. Mas aparte destas bebidas pode-se tomar o ayran, iogurte diluído em água, o salep que é servido quente, a boza, à base de almorejo (planta gramínea) fervido e como refresco, deliciosos sucos de frutas. Mas uma das bebidas mais populares na Turquia é o chá.

Costuma ter um sabor forte e é servido quente em xícaras, nunca se toma misturado com leite. Porém, a bebida por excelência é o café turco, Kahve, de excelentes aroma e sabor servidos também em xícaras. Nenhuma comida turca, que normalmente dura horas, finaliza até que se tome o café. A água é de boa qualidade na Turquia, não há nenhum problema em bebe-la na torneira embora sempre é preferível beber água engarrafada.

COMPRAS

Em qualquer lugar da Turquia encontrará objetos interessantes para comprar. Tanto nas áreas rurais como nas cidades pode-se visitar bazares multicores, mercados repletos de especiarias, pequenas lojas de grande encanto ou centros comerciais modernos com artigos de desenho com preços mais altos.

Exceto nas lojas que mantêm preços fixos e que figuram claramente visível, nos outros estabelecimentos é indispensável entrar no jogo da pechincha. É fundamental entender que para os Turcos é tão importante a relação que se estabelece entre o comprador e o vendedor como para conseguir vender os artigos.

A pressa não tem espaço nos bazares e mercados, conhecidos como um lugar de reunião no que a conversa e as risadas criam um jovial alvoroço característico deste ambiente. Uma vez no seu interior é aconselhável caminhar admirando os objetos diferentes que se podem encontrar. Uma vez escolhido um objeto não há que iniciar a compra diretamente mas uma conversação com uma saudação decorada com um bom sorriso. Depois é conveniente perguntar pela saúde, a família, o andamento do negócio e, por último, pelo preço do produto.

Seguramente lhe dirão um preço muito alto enquanto o convidam a se sentar e servir um estupendo café turco. Desfrute do café e ofereça algo menor que a metade do preço que o vendedor lhe propôs, a partir de aí qualquer preço que é alcançado será aceitável, se também foi adquirido um ambiente agradável e uma conversa interessante, as duas partes ficarão completamente satisfeitas.

A oferta do mercado é realmente ampla: belos jogos de café ou chá de metal, preciosas bandejas de cobre de todos os tamanhos com inscrições em árabe, cerâmica e porcelana pintadas à mão de cores vivas com um preço muito acessível, além de uma grande variedade de artigos tão diversos como pratos, luminárias, palmatórias, vasos, caixas e jarros, objetos de ônix, maravilhosos cachimbos e boquilhas de espuma de mar que conseguem que fumar seja todo um deleite.

Os tapetes e os tapetes de parede merecem menção separada. Embora sejam elaborados industrialmente, ainda restam peças feitas artesanalmente. Os tecidos e desenhos são muito variados conseguindo peças únicas que obtiveram merecida fama mundial. É indispensável uma visita a algum tear onde é mostrado como se realizada o trabalho atualmente e como se realizava no passado. Depois lhe farão uma “passagem” de tapetes no qual apresentam o mostruário e explicam as características e o preço dos mesmos. Habitualmente, enquanto se realiza a exibição do gênero, se costuma convidar os turistas para um chá. Não há problemas para transladar o tapete até a casa já que as fábricas principais contam com um estupendo serviço de envio a qualquer país do mundo. Normalmente são admitidos cartões de crédito.

Também podem ser adquiridos azulejos típicos da cultura árabe com uma ampla gama de cores, desenhos e tamanhos, narguilas, as famosas pipas de água que podem ser provados antes do café de toda a Turquia, babouches, os chinelos de couro tão usado no países árabes e preciosas chilabas para homens ou mulheres em tecidos diferentes e com bordados excelentes. As de homem são normalmente lisas ou com estampas de linhas verticais enquanto que as de mulher têm uma cor mais viva, além de levar flores bordadas ou letras árabes.

Os artigos de couro são bem baratos mas é necessário ter cuidado com a qualidade já que nem sempre é o melhor. Destacam pela relação preço-qualidade as jaquetas e os casacos. Os artigos de vestuário de algodão que imitam as marcas mais conhecidas na Europa têm muita aceitação e resultam muito acessíveis, principalmente, as camisetas com logotipos tão na moda no resto dos países europeus. Podem encontrar desenhos únicos em tecidos de qualidade nas boutiques dos centros comerciais.

As jóias de ouro e prata são artigos muito buscados pelos turistas. Podem ser adquiridos peças originais adornadas com brilhantes pedras preciosas de preços não excessivamente caro. Outra alternativa são os lotes de jóias de ouro e prata misturada que são vendidos por peso.

Os mercados de especiarias são um dos lugares mais exóticos em qualquer país árabe. Antes de entrar nele já se percebe uma grande profusão de cheiros que provocam sensações das mais variadas.

No seu interior, nos distintos postinhos, pode-se contemplar dentro de caixas e sacos de serapilheira uma ampla gama de cores que correspondem a especiarias de todos os lugares do mundo: açafrão cujo preço é muito mais barato que no resto de Europa, menta, alcarabea, tomilho, orégano, curry, pimentas malaguetas, pimentão, canela, baunilha e um longo etc.. Não se esqueça de comprar o excelente café turco, chá, pistaches e hena natural para tingir cabelo.

Por último, não deixe de visitar os mercadinhos de qualquer cidade ou pequenos povoados onde, com um pouco de sorte, poderá achar verdadeiros tesouros escondidos entre um montão de quinquilharias. Se acontece o contrário, não se desanime já que desfrutará imensamente com a confusa e o colorido que se respira neles.

Nas lojas e centros comerciais não terá problemas na hora de pagar já que admitem as principais divisas, como também cartões de crédito. Nos bazares e mercados é necessário pagar com dinheiro, em liras turcas ou em dólares.

Quanto ao problema do idioma, os turcos têm uma grande facilidade para falar um pouco dos idiomas principais da comunidade européia. Não espere manter conversações a um grande nível mas para vender seu artigos, fixar o preço, se interessar por sua saúde, família e modo de vida, a maioria dos vendedores normalmente não tem nenhum problema. Os idiomas que mais conhecem são o francês e o inglês.

POPULAÇÃO E COSTUMES

Turquia tem uma população aproximada de 61 milhões de habitantes. Se algo pode caracterizar ao povo turco é de proceder de uma variada mistura de raças, culturas e religiões. Provavelmente esta seja a razão de sua tolerância, ao longo da história, com as crenças ou os modos de vida alheios ao seu, convivendo pacificamente com “o outro” sem perder para isto a própria identidade.

Geralmente os turcos, de belos olhos, sorriem continuamente, porém há uma condição indispensável para manter a cordialidade com eles e o respeito profundo por sua religião e por seus costumes, que não são outros que esses que regem a qualquer país islâmico. Se respeita as normas não terá nenhum problema já que, além de seu sorriso, os turcos são muito comunicativos, abertos e hospitaleiros.

Na hora de estabelecer uma relação é importante não ter pressa, não ir diretamente para o grão, saudar cortesmente e perguntar pela família antes de qualquer outra questão. Os turcos gostam de prólogos para criar uma atmosfera agradável e acolhedora para fundamentar uma relação. Não esqueça que para saudar basta um aperto de mão firme e um sorriso sincero.

Nas cidades não terá problemas para entender um ao outro já que muitos deles falam, mesmo com dificuldades, idiomas diferentes como inglês, francês, espanhol, italiano até mesmo japonês. É freqüente escutar nos mercados expressões em espanhol como “mais barato que em Pryca” ou “melhor que o Corte Inglês”. Para comunicar-se com os turcos não é necessário nada mais que uma boa disposição e, principalmente, educação. Os descendentes dos otomanos mantêm escrupulosamente as normas de cortesia e esperam que o visitante faça o mesmo.

Se deseja que sua viagem seja enriquecedora, deverá ter em conta diferentes normas de conduta, especialmente no que se refere ao respeito pelas cerimônias religiosas. Se pretende visitar uma mesquita procure faze-lo em horas que não está destinadas à oração e lembre-se de deixar os sapatos fora, como também vestir-se adequadamente, não usar bermudas, camisetas sem mangas ou decotes marcados. Lembre-se que se vai entrar na casa de algum turco também deverá tirar os sapatos. Não se pode fumar em cinemas, teatros nem nos transportes públicos.

Para fotografar os turcos é necessário ter em conta o lugar em que se encontra o mesmo. Se trata-se de cidades, é conveniente pedir permissão. Com segurança eles consentirão agradavelmente para serem fotografados. Por outro lado, nas áreas rurais é aconselhável, antes de tirar fotos, estabelecer uma conversação.

Respeite também as proibições dentro dos edifícios, principalmente, se são religiosos (geralmente é indicado com cartazes a proibição de fazer fotografias ou tomar imagens em vídeo).

A família é talvez a instituição com mais força da República Turca. Os turcos mantêm um sólida relação com os membros do núcleo familiar em qualquer grau, pais, mães, filhos, tios, sobrinhos, primos e avós. Os homens velhos são adorados e costumam ser o cabeça da família, enquanto as crianças desfrutam uma grande liberdade embora ao mesmo tempo sejam os membros mais protegidos.

Curiosamente para um povo que respeita o Islã a igualdade entre os homens e mulheres está legalmente garantida pela Constituição. Ambos os sexos podem votar (as mulheres de 1927), trabalhar em qualquer ocupação, estudar qualquer profissão, divertir-se em lugares públicos e, em definitivo, participar em qualquer aspecto da vida tanto política, econômico e social. É conveniente advertir que são várias as mulheres que participam ativamente no Parlamento e no Governo.

ENTRETENIMENTO

Turquia oferece uma grande quantidade de entretenimentos para os turistas que decidem visitar este país exótico. Depois de viajar aos locais turísticos, pode-se realizar numerosas atividades para ocupar o tempo livre. Por exemplo, depois de um dia exaustivo pode relaxar o corpo nos famosos banhos turcos. Estes banhos públicos são divididos em áreas para homens e áreas para mulheres ou, se não é muito grande, intercalam os dias da semana, uns dias para homens outros para mulheres.

De origem medieval, os banhos turcos normalmente dispõem de várias estancias, a primeira está repleta de vapor e a temperatura é muito alta, a segunda a água está moderada e a temperatura e menor na última, a água é fria. Estas mudanças de temperatura provocam um efeito relaxante verdadeiramente agradável. É importante informar-se de qual banho reúne as melhores condições de higiene já que nem todos estão limpos como deveriam.

Outras das alternativas, menos conhecida, são as estupendas praias de Turquia. Os principais centros turísticos têm praias com areia branca muito fina e contam com instalações adequadas. Ademais não há nenhum problema para praticar esportes próprios da costa como o windsurf, esqui aquático, vela ou mergulho entre outros esportes marinhos. Destacam como centros litorais de importância Marmaris, Bodrum, Ilica, Dalyan, Kusadasi e Foca. Nos últimos anos o governo turco está levando a cabo um esforço importante para modernizar as cidades e povoados costeiros com o propósito de atrair o turismo. Também pode-se encontrar povoados pesqueiros repletos de encanto com restaurantes nos que o pescado é de excelente qualidade.

Os cruzeiros para o Mediterrâneo e o Mar Egeu são muito estimulantes. O queches, barcos de madeira típicos de Turquia, navegam ao longo das costas que mostram a paisagem de uma outra perspectiva. É habitual que durante a viagem é dado aos turistas um excelente café, chá ou um refresco e, em alguns casos, com algum espetáculo de folclore popular turco, sejam danças típicas ou simplesmente música.

Se gosta da natureza Turquia que não lhe defraudará. Kemer e Alanya são dois lugares ideais para praticar o trekking ou senderismo. A paisagem é tão bela que os quilômetros andados valem a pena para desfrutar de um bonito ambiente. Os pássaros são outro grande incentivo. Turquia é visitada todos os anos por milhões de pássaros durante o período de migração, ou melhor, durante a primavera e verão. Gaviões de levante, águias ratoeiras do mel, milanos negros, falcões de pata vermelha, cernícalos, cegonhas brancas e negras, chukars, abutres de três espécie diferente, zorzales, cotovias e pássaros carpinteiros entre muitos outros, oferecem um dos espetáculos mais bonitos e impressionantes que podem ser contemplados neste país.

Outra opção para desfrutar da tranqüilidade, num ambiente agradável, são os famosos balneários turcos como os de Bursa, Cesme, Pamukkale e Yalova, nos quais as águas termais de efeitos curativos são muito apreciadas, até mesmo pelos próprios turcos. Estes balneários normalmente estão localizados em antigos palácios luxuosos de grande beleza e belos jardins repletos árvores, flores e preciosas fontes.

Dentro dos povoados, os cafés são o principal lugar de reunião. Neles além de degustar da densa bebida turca pode-se fumar um narguila, pipa de água, enquanto conversa com pessoas do local e escuta a música que soa sem parar através dos alto-falantes situados no interior e exterior dos locais.

A noite turca não tem uma grande vida, comum nos países islâmicos. Nos últimos anos, antes da grande afluência de turistas, abriram algumas discotecas, principalmente no interior dos hotéis. Outra alternativa são os restaurantes ao ar livre nos que além de degustar a excelente gastronomia turca pode-se desfrutar imensamente com as atuações de grupos folclóricos e de ágeis damas que dançam a sensual dança do ventre (a origem desta dança se encontra nos movimentos que realizavam as gestantes na hora do parto).

Para desfrutar do alegre caráter turco a melhor coisa será integrar-se completamente nos múltiplos festejos que acontece na Turquia durante o ano inteiro. A música, a dança, as risadas e, principalmente, a hospitalidade desta cidade consegue que qualquer estrangeiro se sinta como estivesse no seu próprio país.

FESTIVIDADES

Os turcos são um povo alegre amante da diversão. Durante todo ano celebram distintas festividades todas de grande colorido e beleza. O ano começa em 1 de janeiro, quando os turcos celebram o Dia de Ano Novo. De 19 à 12 deste mês, acontece o Festival da Luta de Camelos em Selcuk. Nesta festa os camelos demonstram toda sua rapidez e força. O espetáculo é realmente impressionante.

De 16 à 31 de março tem lugar o Festival Internacional de Cinema em Istambul. Durante esses 16 dias pode-se desfrutar com o melhor dos filmes internacionais.

Abril conta com várias celebrações de interesse: 12, o Festival de Kelaynak em Birecik, de 21 à 28 a Festa do Mesir em Manisa, 23 o Dia do Menino em Ancara e a Independência Nacional celebrada com impressionantes desfiles e belos fogos de artificio. Também neste mês pode-se desfrutar com o Festival Internacional de Nysa em Sultanhisar e o Festival Internacional de Arte em Ancara.

Em maio os principais festejos são o Festival Internacional da Cultura e Arte que se celebra de 4 à 12 de maio em Selcuk, a Festa de Yunus Emre de 6 à 10 de maio em Eskisehir, o Festival Internacional de Iatismo em Marmaris de 6 à 12 de maio, o Festival de Aksu em Giresun de 20 à 23 de maio e o Festival Internacional de Música e Folclore em Silifke de 20 à 26 de maio. Galgando entre maio e junho acontece de 20 de maio à 20 de junho a Kermese de Bergama e a excelente Bienal Internacional de Arte da Ásia e Europa em Ancara.

Junho também tem importantes celebrações começando com o incrível Festival Internacional do Paraíso dos Pássaros de 2 à 7 em Barndirma e continuando com a Festa de Nasreddin Hoca de 8 à 10 em Eskisehir, a Semana de Cultura e Arte de Atatürk em Amasya de 12 à 22 e para finalizar a Festa do Mar e Concurso Internacional de Música em Cesme e o Festival de Kafkasor de Artvin.

São vários os festivais que acontecem entre os meses de junho e julho o Festival Internacional da Cultura e Arte de Izmir de 10 de junho à 10 de julho e o Festival de Arte e Cultura em Istambul de 15 de junho à 15 de julho, são os mais destacados.

Os motivos das celebrações em julho são muito variados, de 1 à 7 se celebra em Edirne um espetáculo realmente curioso, a Festa da Luta Tradicional, de 5 à 10 o Festival Internacional de Iskenderum, de 14 à 17 pode desfrutar imensamente da mostra dos azulejos fabricadas no país com o Festival de Azulejos em Kütahya, de 16 à 21 se lembra os ancestrais no Festival Internacional Hitita que acontece em Corum. O colorido e a diversão são elementos fundamentais do Festival Internacional de Bailes Folclóricos que acontece em Samsun de 23 à 31 de julho, e para terminar o mês não pode perder o Festival Internacional de Antakya de 21 à 23 e o Festival Internacional de Arte e Cultura de Bursa.

Agosto tem somente quatro festividades mas são tão importantes que compensa a quantidade com a qualidade. De 2 à 4 se pode degustar a melhor comida turca no Festival de Gastronomia e Turismo de Mengen. De 16 à 18 tem lugar uma das festas que desperta maior popularidade no povoado turco, as Cerimônias de Comemoração de Haci Bektas Veli em Nevsehir. Por último destaca-se o Festival de Troya de Canakkale e o Dia de Vitoria.

A Feira Internacional que se celebra em Izmir acontece nos últimos dias de agosto e princípio de setembro. De 2 à 29 de setembro se desenvolve o Concurso “Laranja de Ouro” de Filmes em Antalya no qual pode ser visto o filme mais atual do país. Os dias 3 e 4 deste mês se celebram as encantadoras Festas de Siva.

Também são muito populares a Festa Cultural de Seyh Edebali que acontece em Bilecik os dias 6 e 7 de setembro, a Comemoração de Ertugrul Gazi e Festa de Sogut celebrada em Bilecik de 8 à 10 de setembro, o belíssimo Festival Internacional de Ouro Branco de Eskishir de 21 à 24 e os festivais de Mersin de 21 à 20 e o de Taskopru em Kastamonu.

Outubro caracteriza-se por ser o mês no qual tem lugar o Festival de Urgup 5 e 6, a Festa de Ahí na cidade de Kirsehir e o Dia da República em 29.

Em dezembro são duas as celebrações mais importantes, o Festival de São Nicolás de 4 à 8 em Antalya e a Cerimônia de Comemoração de Mevlana de 10 à 17 em Konya com bonitas danças rituais dos Derviches Dançantes como máximo atrativo. Como festas religiosas mais importantes destacam o Seker Bayrami conhecido como a Festa do Doce porque os doces são o que mais se come para celebrar o fim do Ramadán e o Kurban Bayrami ou Festival do Sacrifício.

Durante os quatro dias de duração da festa numerosos animais são sacrificados, principalmente ovelhas, distribuindo sua carne entre os pobres. Estas festividades não acontecem num dia fixo já que dependem do calendário muçulmano.

TRANSPORTES

Avião

Turquia tem boas comunicações aéreas, que comunicam os principais povoados. Os vôos diretos, desde diferentes cidades da Europa e Ásia, à Istambul são freqüentes e as linhas aéreas mais importantes oferecem serviço em vôos regulares. Os vôos charter aumentaram notavelmente nos últimos tempos e cada vez está mais fácil chegar à outras cidades como Esmirna, Dalaman, Bodrum e Antalya, centros turísticos de grande importância. Os vôos normalmente têm uma duração de umas quatro horas.

Barco

O mar é outra via de acesso importante. Nos portos de Istambul, Esmirna, Antalya, Marmaris, Bodrum, Trabzon, Sam, Dikili, Izmir, Cesme, Bodrum, Alanya, Mersin e Kusadasi estão presentes nas principais companhia de navios do mundo inteiro oferecendo um serviço regular de entradas e saídas. Também nestes portos atracam os grande transatlânticos que viajam pelo Mediterrâneo oferecendo todas as comodidades. Os cruzeiros normalmente têm piscina, restaurantes, discoteca, bar, salão de jogos, biblioteca e alguns com quadra de tênis. Ademais as Linhas Marítimas Turcas, através de seus ferrys, mantêm um serviço semanal com a Itália desde finais de março à princípios de novembro, como também com outras cidades européias.

Trem

As vias férreas turcas mantêm linhas regulares com as principais capitais européias. Também, o interior do país, conta com uma rede estupenda que comunica às populações mais importantes no país. Os trens são normalmente pontuais e eles não são muito caros, embora têm a inconveniência de ser bastante lento. A maioria conta com vagões com cama, e vagão com restaurante, como também primeira e segunda classe.

Ônibus

Os ônibus são o meio de transporte mais utilizado na Turquia tanto para mover de uma cidade à outra como para viajar pelo interior das mesmas. São muito econômicos e contam com serviço dia e noite embora não tenham um horário fixo. Normalmente vão bastante cheios pelo que é aconselhável adquirir os bilhetes com antecedência e apresentar-se com tempo suficiente antes da saída.

Carro

Se decide viajar para a Turquia em carro deve ter em conta que, além da distância, é necessário cruzar a Iugoslávia. A situação na qual a guerra deixou este país supõe um sério inconveniente. Lembre-se que, no caso de viajar com veículo próprio, a permissão de circulação só tem uma duração de três meses. O registro do carro se realiza no momento de entrada na Turquia. Se planeja estar mais de três meses, é necessário pedir uma permissão à Associação Turca de Automóveis e Viagens. Se pertence a algum clube automobilístico a Associação se encarregará das despesas e da repatriação do veículo, do contrário o motorista terá que responder pelas mesmas. No caso de algum incidente é indispensável notificar à polícia.

As principais empresas de aluguel têm escritórios no aeroporto e nas principais cidades da Turquia. Para saber o custo final do aluguel deve-se ter em contar que ao orçamento inicial é necessário somar 10 porcento do total da fatura. É necessário ser maior de 21 anos de idade e é muito aconselhável ir provisto de uma permissão para conduzir internacional, além da licença nacional para evitar problemas. Se durante a viagem sofre algum acidente vá até a Associação Turca de Automóveis e Viagens.

Os motoristas devem possuir a seguinte documentação: passaporte, permissão para conduzir internacional, documentos da motocicleta, carta verde de seguro e a “Licença de Passagem”, para aqueles que procedam de países de Oriente Médio.

As estradas turcas estão asfaltadas e se encontram em bom estado, mas é necessária extrema precaução quando se conduz à noite já a iluminação é bastante defeituosa. Na Turquia se circula pela direita e o código de circulação não difere excessivamente do resto de países europeus. Os limites de velocidades são 50 km/h no perímetro urbano e 90 km/h nas estradas.

Táxis

Os táxis têm um letreiro luminoso na parte superior do carro. Normalmente não se tem nenhum problemas para conseguir um já que são numerosos. Todos contam com um taxímetro que marca o preço com relação aos quilômetros percorridos. Este serviço também conta com os dolmus, um táxi compartilhado por várias pessoas que tem um itinerário estabelecido pela cidade.

Fonte: www.rumbo.com.br

Turquia

Curiosidades sobre a Turquia

A Ásia menor ou Anatólia se localiza onde hoje é a Turquia.

Muitas nomes de cidades tal como: Filadélfia, Paris, Tróia e o nome do continente Europeu formam originários da Anatólia.

Moedas feitas de eletro foram usadas pela primeira vez na história pelos Lídios em 640 AC.

A mais antiga pintura da história mostrando um vulcão em erupção se localiza em Catalhoyuk, na Turquia e tem 8000 anos.

Turquia
Templo de Artemis – Uma das 7 maravilhas do mundo

O rei Midas era da Anatólia

Alexandre o grande cortou o nó de Górdio perto de Ancara. O nó duplo de tapeçaria leva o nome Górdio e você poderá também comer o famoso “Iskender kebap”, ou seja churrasco do Alexandre.

Duas das sete maravilhas do mundo se localiza na Turquia: o templo de Artemis em Éfeso e o mausoléu de Halicarnasus em Bodrum.

Júlio César pronunciou as seguintes palavras: “Eu vim, eu vi, eu conquistei” perto de Ancara em 47 AC.

Anatólia foi o mair berço do Cristianismo. No Gêneses, no jardim de Éden você encontrara o rio Tigre e Eufrates. Estes rios são chamados hoje “Dicle” e “Firat” respectivamente e são localizados no oeste da Turquia.

As sete igrejas do apocalipse são localizadas onde se encontra hoje a Anatólia: Éfeso, Izmirna, Pergamundo, Tiatira, Sardis, Filadélfia e Laodicea.

Turquia
Templo de Halicarnasus
Uma das 7 maravilhas do mundo

O monte Ararat se encontra na Anatólia. Ararat é o lugar onde a Arca de Noé aportou.

São Paulo nasceu no sudeste da Turquia, em Tarso.

São Nicolau, o famoso papai Noel viveu como um bispo de Myra em Demre, na Turquia.

O Sultão Beyazit II aceitou a comunidade Judaica expulsa da Espanha em 1492 e despachou a força naval Otomana para trazê-los a Turquia.

As tulipas foram introduzidas na Holanda através da Anatólia.

O primeiro homem a voar foi Turco no século sete.

Fonte: www.business-with-turkey.com

Turquia

A Turquia é um país entre a Europa e a Ásia. A capital é Ankara.

A principal religião é o Islamismo (Sunita). A língua nacional é o Turco.

A outra língua principal é o Kurdo. No sudeste da Turquia existe uma forte minoria Kurda com uma forte tendência separatista.

A moderna Turquia foi fundada em 1923 com os remanescentes da Anatólia do derrotado Império Otomano pelo herói nacional Mustafa Kemal, que mais tarde foi homenageado com o título Ataturk ou “Pai dos Turcos”.

Sob sua liderança autoritária, o país adotou amplas reformas sociais, jurídicas, e políticas. Após um período de um partido-único, uma experiência multi-partidária levou à vitória eleitoral em 1950 da oposição do Partido Democrata e a transferência pacífica do poder. Desde então, os partidos políticos Turcos se multiplicaram, mas a democracia tem sido fraturada por períodos de instabilidade e intermitentes golpes militares (1960, 1971, 1980), que em cada caso, acabaram resultando em um retorno do poder político para os civis.

Em 1997, os militares novamente ajudaram a tramar a expulsão – popularmente apelidada de “golpe de estado pós-moderno” – do então governo Islâmico-orientado.

A Turquia interveio militarmente em Chipre em 1974 para evitar uma tomada Grega da ilha, e desde então tem atuado como estado patrono da “República Turca do Chipre do Norte”, que só a Turquia reconhece. Uma insurgência separatista iniciada em 1984 pelo Partido dos Trabalhadores do Kurdistão (PKK) – agora conhecido como o Congresso do Povo do Kurdistão ou Kongra-Gel (KGK) – tem dominado a atenção dos militares Turcos e custou mais de 30.000 vidas.

Após a captura do líder do grupo em 1999, os insurgentes se retiraram da Turquia principalmente para o norte do Iraque. Em 2004, o KGK anunciou um fim para o seu cessar-fogo e os ataques atribuídos ao KGK aumentaram. A Turquia aderiu à ONU em 1945 e em 1952 tornou-se um membro da NATO; ela deteve um assento não-permanente no Conselho de Segurança da ONU de 2009-10. Em 1964, a Turquia tornou-se um membro associado da Comunidade Europeia. Durante a última década, ela tem empreendido muitas reformas para fortalecer sua democracia e economia; ela começou as conversações de adesão com a União Europeia em 2005.

“Quem é o mestre de Constantinopla é o dono do mundo”. Estas palavras foram pronunciadas por Napoleão Bonaparte da França no final dos anos 1700s. No tempo de Napoleão, Constantinopla era a capital do Império Otomano, antecessor da Turquia moderna. Mas o grande império dos Otomanos há muito se foi.

Constantinopla, conhecida desde 1930 por seu nome Turco, Istambul, permanece uma grande cidade. Mas não é mais a capital da Turquia, e a Turquia não tem interesse em controlar o destino do mundo.

No entanto, a Turquia continua a ser um dos locais mais importantes do globo. Ela é uma porta de entrada para o Sudoeste Asiático, e controla o vital estreito que liga o Mar Negro com o Mediterrâneo.

Transpassando a Europa e a Ásia, a terra que hoje é a Turquia tem sido importante desde o início da história registrada. Por volta de 1600 aC, uma das primeiras civilizações do mundo, aquela dos Hititas, floresceu na Anatólia, a parte da Turquia que está na Ásia. Os Hititas estavam entre as primeiras pessoas a trabalhar o ferro e a usar uma forma de escrita.

A lendária cidade de Troia estava localizada na costa do Mar Egeu da Turquia, e ao longo dessa mesma costa o gênio da Grécia antiga floresceu. A região tem sido um campo de batalha de impérios. Alexandre, o Grande tornou-a o pivô de suas vastas conquistas. Os Romanos, já mestres da maior parte da Europa, fizeram de Constantinopla sua capital no Oriente.

Os primeiros Turcos, entre eles os Seljúcidas, migraram para a Turquia de além dos Montes Urais, adquirindo a religião Muçulmana ao longo do caminho. O império dos Seljuks foi sitiado do oeste pelos Crusados e do oriente pelos Mongóis de Genghis Khan. Finalmente, a região caiu para outro ramo dos Turcos, os Osmanlis, ou Otomanos, os ancestrais dos Turcos de hoje. Os Otomanos capturaram Constantinopla e construíram um império que se tornou uma das grandes potências do mundo.

Como todos os impérios, o dos Otomanos caiu também. Ele perdeu a maioria de suas possessões Européias no final dos 1800s e início dos 1900s. Ele perdeu suas possessões Árabes após a derrota na Primeira Guerra Mundial. O império entrou em colapso em 1923, e para fora das ruínas a República da Turquia nasceu. Hoje, a Turquia é uma das nações mais desenvolvidas do Sudoeste da Ásia, e ela tem fortes laços militares e econômicos com o Ocidente.

Terra

A Turquia moderna, cobrindo cerca de 301.380 milhas quadradas (780.580 km²), é cerca de duas vezes o tamanho da Califórnia (EUA). Noventa e sete por cento do que é na Ásia. A parte Asiática, a enorme península da Anatólia, também chamada de Ásia Menor, e a parte Européia, chamada Trácia, são separadas por uma série de três cursos de água interligados – o Estreito de Bósforo, o Mar de Mármara, e o Estreito de Dardanelos – que liga o Mar Negro com o Mediterrâneo.

As regiões costeiras da Turquia desfrutam de verões quentes e invernos suaves com chuvas suficientes para permitir o cultivo intenso. Ao longo da costa norte, no Mar Negro, as principais culturas incluem o mundialmente famoso tabaco Turco, avelãs, e chá. Uma das áreas mais prósperas da Turquia é encontrada no oeste, ao longo da costa do Mar Egeu, um braço do Mediterrâneo. O Mar Egeu tem alguns dos melhores portos; suas cidades são centros de comércio e finanças; e o solo ensolarado fornece uma abundância de algodão, tabaco, uvas e figos. A costa sul, ou do Mediterrâneo, produz algodão e frutas cítricas e tem várias praias com resorts atraentes.

A maioria da área de terra da Turquia consiste no Planalto de Anatólia, uma vasta região serrana emoldurada por montanhas. Os verões ali são quentes e secos.

Os invernos são severamente frios. Grande parte do solo é estéril, e as chuvas são limitadas. Embora a maioria das grandes cidades da Turquia estejam localizadas nas regiões costeiras, Ankara, a capital, está no Planalto da Anatólia.

Pastagens e pradarias cobrem a maior parte do planalto. Cerca de 30 por cento do que é cultivado, e outros 25 por cento são floresta. As culturas principais são o tabaco, algodão, grãos, azeitonas, beterraba, leguminosas e frutas cítricas. Uma parte das terras é dedicada aos vinhedos. Ovinos e caprinos são criados tanto para alimento como para a sua lã e pêlos.

O Planalto da Anatólia é rico em recursos minerais, com grandes depósitos de cromita (óxido de cromo), cobre e minério de ferro. A Turquia também tem ricos veios de carvão e alguns de antimônio, mercúrio e petróleo. Grande parte da riqueza mineral do país ainda não foi totalmente explorada.

População

Ao longo da história, a terra que hoje é a Turquia tem tido uma população diversificada. Mais de 80 por cento das pessoas são Turcos hoje. O próximo grupo maior são os Kurdos, a maioria dos quais vivem nas montanhas do sudeste perto das fronteiras do Iraque, Irã e Síria. Durante o final dos anos 1980s e 1990s, suas demandas por autonomia levaram à violência. Há também uma grande minoria Árabe e um número menor de Circassianos, Gregos, Armenios, Georgianos, e Judeus.

Embora quase 100 por cento da população seja Muçulmana, a Turquia não é oficialmente um país Muçulmano. A República Turca tem sido uma nação secular desde 1923. O primeiro primeiro-ministro Islâmico da Turquia nos tempos modernos foi forçado a demitir-se em Junho de 1997, após menos de um ano no cargo. Outro partido com tendências Islâmicas chegou ao poder em 2002. Desde aquela época, a divisão entre aqueles que procuram preservar o carácter secular da Turquia e aqueles que querem restrições à expressão religiosa aumentou. Muitos Turcos olham, vestem, e pensam em si mesmos como Europeus do sudeste.

Linguagem

A língua Turca, no entanto, difere da maioria das línguas da Europa. O Turco não pertence à família Indo-Européia. Ele pertence ao grupo Altaico, que derivou seu nome da região das Montanhas Altai, no coração da Ásia. Outras línguas Altaicas incluem o Mongol, o Usbequi, e o Turco. O Turco é a língua oficial, mas os Kurdos e os Árabes falam o Kurdo e o Árabe em suas próprias comunidades.

Modo de Vida

A Vida da Aldeia

Sobre 70 por cento de todos os Turcos vivem agora nas cidades. Dos restantes 30 por cento, a maioria são agricultores que vivem nas aldeias tradicionais. Alguns são pastores que criam ovinos e caprinos.

A tradicional aldeia de fazenda Turca é composta de casas construídas de tijolos de barro secados ao sol sem qualquer adorno. Porque a Anatolia era uma grande rota de invasão ao longo dos séculos, os moradores muitas vezes construíram suas casas entre montanhas ou em depressões na terra para que eles não pudessem ser facilmente vistos. As casas são geralmente austeras e funcionais no interior e para fora. Elas contêm poucos utensílios de cozinha, o tradicional mangal, ou grelhador a carvão, e o mobiliário e a roupa de cama essenciais. As cores vivas dos tapetes Turcos iluminam os quartos.

Quase todas as aldeias geralmente têm algumas casas de pedra maiores. Estas podem incluir as casas de eminentes famílias locais, uma casa de aldeia em separado usada para ocasiões sociais, e, talvez, um café onde os homens podem se reunir na hora do crepúsculo, após o dia de trabalho. As aldeias maiores – normalmente aquelas com acesso às estradas – tem um sinema, ou cinema.

Visitas dos ursos dançarinos são um entretenimento popular. A luta é um esporte favorito entre os homens, enquanto o futebol (soccer) é muito popular entre os meninos, assim como os homens. A monotonia da vida cotidiana também é quebrada por festas de circuncisão nas comunidades Muçulmanas e por casamentos nas comunidades Cristã e Muçulmana.

Vida nas Cidades

A vida nas grandes vilas e nas cidades é, naturalmente, bastante diferente. Tais grandes cidades como Istambul, Ankara, e Izmir têm uma variedade de instituições sociais, educacionais e culturais – teatros, orquestras, museus, universidades, exposições de arte – como fazem as grandes cidades em quase toda parte. A diferença entre a cidade e o campo é visível na vestimenta do povo.

As roupas ocidentais são geralmente usadas por pessoas da cidade. Nas áreas rurais tradicionais, as mulheres usam pijamas floridos, geralmente durante o trabalho nos campos. Embora o uso de véus pelas mulheres foi proibido, as mulheres do interior muitas vezes ainda cobrem seus rostos com lenços soltos na abordagem de estranhos adultos do sexo masculino.

Bebidas e alimentos

Exceto para a carne suína, que é proibida pela lei Islâmica, a carne é normalmente uma parte básica das refeições Turcas. Os Turcos não gostam do peru Americano, que eles chamam hindi, porque eles acreditam que se originou na Índia. Em vez disso, eles preferem carne de carneiro, cordeiro e carne bovina.

O Shish kabob – pedaços de cordeiro assado no espeto, com cebola e pimentão verde é muito popular. O Döner-kabob – fatias do lado de um carneiro assado no espeto também é um favorito. Outro alimento popular é o pilaw, que é um prato de arroz feito com carne ou peixe. Alguns dos doces Turcos são famosos em muitas partes do mundo, particularmente o halvah (feito com sementes de gergelim moído) e a baklava (um bolo normalmente preenchido com nozes e mel). O café Turco também adquiriu fama bem merecida, e o chá é uma bebida popular.

Cidades Principais

Istambul

A maior e mais conhecida cidade da Turquia está localizada na parte mais estreita de uma série de estreitos – Dardanelos, o Mar de Marmara e o Bósforo – ligando o Mediterrâneo e o mar Negro. Por mais de 1.600 anos, a estratégica cidade, a única no mundo a abranger dois continentes, foi conhecida como Constantinopla. Antes disso, ela era chamada de Bizâncio, o nome dado a ela por seus fundadores Gregos em 667 aC. De AD 330-1453, ela foi a capital do Império Romano (Bizantino) do Oriente e foi uma das cidades mais ricas e mais magníficas do mundo. Ao longo dos séculos, suas fortes muralhas habilitaram a lendária cidade de resistir a muitos cercos. Mas, finalmente, ela caiu para os Turcos Otomanos em 1453, e serviu como a capital do Império Otomano até 1923.

Muitos esplendores de seus passados Bizantino e Otomano podem ser vistos na moderna Istambul. Estes incluem um aqueduto Romano construído pelo Imperador Valente, em AD 378, e as muralhas de barro, construídas em torno de 413, que resistiram a inúmeros cercos.

A Santa Sophia (ou Hagia Sophia, que significa “Santa Sabedoria”, em Grego), uma catedral de proporções colossais, é considerada o maior exemplo da arquitetura Bizantina. Concluída em 537, ela foi transformada em mesquita pelos Turcos e convertida em museu nos 1930s. A segunda mais famosa estrutura da cidade é a magnífica Mesquita Azul. As centenas de mesquitas de Istambul lembram os visitantes que eles estão em uma terra Muçulmana. Os serralhos (palácios e haréns) dos antigos sultões lembram os dias do Império Otomano.

A moderna Istambul é dividida por água em três setores distintos: Istambul e Beyeglou do lado Europeu do Bósforo, e Uskudar, no lado Asiático.

Istambul é a parte mais antiga da cidade. A maioria dos edifícios e monumentos do período Bizantino da cidade estão lá, e assim estão as mesquitas mais antigas, palácios e bazares do período Otomano. Istambul está separada de Beyeglou ao norte pelo Chifre Dourado, uma larga entrada do Bósforo. Beyeglou, uma vez um posto avançado de comércio Genovês, é agora um centro de comércio. Ela contém comunidades dos Gregos, Armênios, Judeus e outras minorias. Istambul e Beyeglou estão ligadas por três pontes sobre o Chifre Dourado.

Uskudar, no lado Asiático do Bósforo, é o mais novo setor de Istambul. Um distrito se alastrando que se desenvolveu durante os 1800s e 1900s, ele estava distante do centro da cidade até 1973, quando uma ponte foi concluída através do Bósforo. Agora as ruas ligam todos os três setores desta grande cidade. Istambul é o porto principal da Turquia e o centro comercial, financeiro e cultural da nação. Ela sofreu grandes danos a partir de um terremoto de 1999 que matou mais de 18.000 pessoas.

Ankara

A capital da Turquia e segunda maior cidade é Ankara. Embora a cidade remonta a tempos antigos, a moderna Ankara data de sua criação como a capital em 1923. A parte mais antiga da cidade tem pistas sinuosas e bazares lotados, enquanto a parte mais nova possui edifícios modernos e largas avenidas. Além de ser a sede do governo, Ancara é uma cidade industrial importante e o coração da região que produz a famosa cabra Angora, cujos longos cabelos sedosos são conhecidos como mohair.

Izmir

Um porto marítimo na costa do Mar Egeu, Izmir (anteriormente conhecida como Smyrna) é uma das mais importantes cidades comerciais da Turquia. Ela foi uma das antigas cidades Gregas ao longo do mar Egeu oriental e é dita ser o berço do poeta Homero. Izmir é particularmente popular entre os turistas. Outras importantes cidades Turcas incluem Adana, Bursa, Zonguldak, Samsun, e Trabzon.

Economia

Até os anos 1980s, a maioria dos Turcos estavam empregados na agricultura e no processamento de alimentos. Grande parte da produção industrial do país era provida por empresas estatais e controladas pelo Estado. O aumento do preço do petróleo e uma recessão economica generalizada durante a década de 1970 forçou muitas destas empresas a reduzir as suas operações. Milhares de Turcos foram para a Europa Ocidental em busca de emprego.

Durante o início dos anos 1980s, a Turquia começou a colocar uma maior ênfase no crescimento e desenvolvimento das empresas de propriedade privada. O governo terminou algumas restrições às importações, reformou o sistema bancário, reduziu muitos impostos, cortou os subsídios agrícolas, suspendeu os controles de preços, e vendeu muitas empresas estatais. Como resultado, as indústrias manufatureiras e de mineração da Turquia cresceram rapidamente, e assim o fizeram as exportações.

A abertura em 2005 de um oleoduto do Azerbaijão para a costa da Turquia aumentou as esperanças da Turquia de se tornar um importante ponto de trânsito para a energia do Mar Cáspio para a Europa Ocidental. Um gasoduto de gás natural, a partir do Mar Cáspio para a Europa através da Grécia e da Turquia, foi inaugurado em 2007. Em 2009, a Turquia assinou acordos sobre novos gasodutos com a Rússia e um outro acordo com quatro países Europeus.

Um dos principais objetivos do país é reduzir o fosso economico que existe entre a Turquia e a Europa Ocidental. Ela tem procurado por muito tempo a associação completa na União Europeia (UE), mas sua entrada foi atrasada devido a preocupações sobre a economia da Turquia, sua disputa territorial com a Grécia sobre Chipre, e questões de direitos humanos. No início de 2005, a Turquia foi convidada para iniciar as conversações de adesão que poderiam torná-la um membro pleno da União Européia dentro de 10 anos.

História e Governo

O Império Otomano

Os Otomanos eram membros de uma tribo Turca da Ásia Central nomeada para o lendário fundador da sua dinastia, Othman ou Osman. Nos séculos seguintes a sua chegada na Turquia, eles expandiram-se rapidamente, atravessaram o Bósforo para a Europa, e conquistaram a maior parte do território do decadente Império Bizantino. Somente Constantinopla, por trás de suas fortes fortificações, se manteve.

Em 1453, após um cerco durante o qual os Turcos moveram parte de sua frota por terra pelo Chifre Dourado, a cidade caiu, e os Turcos Otomanos fizeram dela a capital de seu império. A partir da localização estratégica de Constantinopla sobre os estreitos, os Turcos Otomanos empurraram a oeste para a Europa, ao sul para a África, e a leste em direção ao Oceano Índico.

Os Turcos Otomanos foram bem sucedidos nos 1400s e 1500s, porque eles eram um povo militar, rigidamente controlados e habituados a dificuldades. Acima de tudo, eles eram unidos. Seus inimigos, muitas vezes não eram. Durante o reinado de Suleiman, o Magnífico (1520-1566), o império se estendia desde as muralhas de Viena ao Mar Cáspio e do sul da Rússia ao norte da África.

Após a morte de Suleiman em 1566, o Império Otomano declinou lentamente devido à derrota da marinha Otomana por uma frota combinada Cristã em Lepanto em 1571, à desunião causada pela ascensão do nacionalismo entre os povos não-Turcos do Império, e aos governos de vários corruptos e ineficientes sultões.

Ciúmes, conspirações e suspeitas atormentaram o governo e o exército Otomano nos 1700s e 1800s. A uma-vez elite de Janízaros, que tinham servido como tropas de choque do exército Otomano, dedicava mais tempo para intrigas palacianas do que lutando contra os vários inimigos externos do império. Finalmente, em 1826, o Sultão Mah mut II ordenou o massacre de 6.000 Janízaros. Por esse tempo, o Império Otomano estava enfrentando a falência.

A Rússia estava pressionando para obter o controle dos estreitos de Bósforo-Dardanelos e, assim, o acesso ao Mediterrâneo. Somente a intervenção pela Grã-Bretanha e a França, que temiam o poder Russo, frustrou esta ambição. No entanto, durante os anos 1800s e início dos 1900s, os Otomanos perderam a maior parte de seu território Europeu. Em 1909, oficiais reformistas do exército conhecidos como os Jovens Turcos depuseram o Sultão Abdülhamit II e forçaram seu sucessor, Mohammed V, a aceitar um governo constitucional e reformas modernas. Isso retardou o declínio, mas não conseguiu pará-lo.

A Criação da República

O colapso final do Império Otomano veio após a Primeira Guerra Mundial. Durante a guerra, os Turcos tinham sido aliados das derrotadas Potencias Centrais – Alemanha, Áustria e Bulgária. As vitoriosas forças Britânicas e Francesas ocuparam Constantinopla e impuseram o punitivo Tratado de Sèvres sobre o sultão derrotado. Como resultado, o Império Otomano perdeu o seu território não-Turco restante, incluindo as terras Árabes do Sudoeste da Ásia. Os estreitos foram colocados sob controle internacional, e a área de Izmir foi ocupada por tropas Gregas. O tratado previa uma Armênia independente e um Kurdistão independente.

Nacionalistas Turcos liderados pelo General Mustafa Kemal se opuseram ao tratado e reuniram unidades do exército Turco no planalto da Anatólia. As forças de Kemal derrotaram os Armênios e Kurdos no leste e os Gregos no oeste. Os Aliados foram forçados a sair, e Mohammed VI, o último sultão Otomano, foi deposto. Em 1923, a República da Turquia foi fundada com Kemal como seu primeiro presidente. O Tratado de Sèvres foi substituído pelo Tratado de Lausanne (1923), o que colocou os limites atuais da Turquia no lugar.

As Reformas de Kemal Atatürk

A Turquia que Kemal assumiu sofria de doença, pobreza e ignorância. Ele imediatamente lançou uma série de reformas que abrangiam todo o espectro da vida Turca. Um programa intensivo em saneamento e educação foi iniciado. A terra foi tomada das fundações religiosas e dos grandes proprietários e distribuída entre os camponeses. Um ambicioso programa de industrialização foi iniciado.

Sob o sistema Otomano, o chefe de Estado, o sultão, era também o chefe religioso, ou califa. Kemal separou a Igreja e o Estado, fazendo com que a Turquia se tornasse uma nação secular. Ele substituiu o turbante e o fez, que estavam associados ao antigo regime, com chapéus do estilo ocidental. Ele fez o ter mais de uma esposa ao mesmo tempo ilegal e deu às mulheres os mesmos direitos que os homens. Sob o domínio Otomano, muitas das leis da terra eram baseadas no Korão, o livro sagrado do Islã.

Kemal mudou isso com a introdução de um sistema legal baseado nas leis mais progressistas dos países Europeus. Para incentivar a alfabetização e para trazer o seu país mais próximo do Ocidente – um de seus principais objetivos – ele substituiu o alfabeto Árabe com o Romano. Ele também estabeleceu uma legislatura, a Grande Assembleia Nacional (GNA). Seu partido, o Partido Popular Republicano, governou pelos 1950s.

Kemal assumiu o nome Atatürk – “pai dos Turcos”. O “Atatürkismo” tornou-se o rótulo para a maneira pró-ocidental de pensar que Kemal introduziu através de suas reformas. O Atatürkismo defende o secularismo, o nacionalismo, e uma grande parte da economia estatal. Embora o assunto de muito debate, ele ainda guia muito da tomada de decisão na Turquia hoje.

Kemal Atatürk morreu em 1938, um ano antes do início da Segunda Guerra Mundial. A Turquia foi neutra durante a maior parte da guerra, mas se juntou aos Aliados em 1945. Mais tarde, a Turquia tornou-se membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO).

No final de 1974, a Turquia reviveu as hostilidades com a Grécia e invadiu a nação vizinha da ilha de Chipre, ocupando a metade norte da ilha. A corrupção, a inflação, e o faccionalismo ascendente levou a um golpe militar em 1971. O governo democrático foi restaurado em 1973, e uma série de fracos governos de coalizão seguiram-se até 1980, quando as Forças Armadas deram um golpe novamente.

Eventos recentes

Em Novembro de 1982, os eleitores Turcos aprovaram uma nova Constituição que preservava uma forma secular, democrática e parlamentar de governo com um parlamento unicameral, o GNA, e uma presidência reforçada. O poder executivo é compartilhado pelo presidente e o primeiro-ministro. A GNA de 450-membros escolhe o presidente, que detém um mandato de sete anos. O primeiro-ministro, chefe do bloco do GNA de maior votação, administra o governo.

Os candidatos ao GNA podem ser eleitos apenas se seus partidos ganharem 10 por cento dos votos nacionais.

O Partido Pátria dominou as eleições de 1983 e 1987. Em 1989, Turgut Özal, então primeiro-ministro e líder do Partido Pátria, foi eleito para a presidência. Özal era apenas o segundo presidente da Turquia desde 1923 à vir de um fundo civil ao invés de um fundo militar. Depois que Özal morreu em Abril de 1993, o Primeiro-ministro Suleyman Demirel do Partido Caminho Verdadeiro (TPP) foi escolhido presidente.

Demirel, um veterano político moderado, tornou-se primeiro-ministro depois que o Partido Pátria perdeu sua maioria parlamentar nas eleições de 1991. Tansu Ciller do TPP tornou-se a primeira mulher primeiro-ministro da Turquia em Junho de 1993. O Partido Islâmico do Bem-Estar (Rafeh) ganhou o maior número de assentos nas eleições de 1995, mas não o suficiente para governar sozinho.

Em Julho de 1996, depois que um governo de coalizão formado pelo Partido Pátria e o TPP desabou, o líder do Partido Islâmico do Bem-Estar Necmettin Erbakan tornou-se o primeiro ministro Islâmico da Turquia desde a independência. Muitos temiam que as políticas de Erbakan estavam minando a democracia secular da Turquia, e ele foi forçado a renunciar em Junho de 1997. Um governo secular de coalizão, em seguida, assumiu o poder. Ahmet Necdet Sezer sucedeu a Demirel em Maio de 2000.

Quando foram realizadas eleições antecipadas em Novembro de 2002, no meio de uma profunda recessão, o Islâmico-orientado Partido para a Justiça e o Desenvolvimento (AKP) venceu 363 dos 550 assentos parlamentares. O líder do AKP Recep Tayyip Erdogan, que se tornou primeiro-ministro em Março de 2003, prometeu provar que o Islã e a democracia podiam coexistir.

O parlamento Turco se recusou a permitir que tropas dos EUA estabelecessem uma segunda frente na Turquia pela Guerra do Iraque em 2003, mas permitiu a utilização do espaço aéreo Turco pelas forças da coalizão. Reformas democráticas impulsionaram as esperanças da Turquia de ser admitida na UE como primeiro membro Islamico daquela organização. A derrota de um referendo sobre a nova Constituição da UE pela França e pela Holanda em 2005 foi, em parte, um reflexo das reservas desses países sobre a admissão da Turquia.

A crescente divisão interna sobre o futuro político da Turquia se refletiu no bloqueio da eleição do candidato do AKP para presidente em Junho de 2007. Na esperança de resolver a crise, Erdogan mudou a data para as eleições gerais adiante para 22 de Julho. O AKP venceu 341 dos 550 assentos parlamentares. O ex-primeiro-ministro e praticante Muçulmano Abdullah Gul foi então eleito presidente.

Os militares tinham há muito se oposto a governos Islâmicos na Turquia. Erdogan tinha começado a limitar o poder dos militares logo depois de se tornar primeiro-ministro em 2003. Em 12 de Setembro de 2010, mais de dois terços dos eleitores aprovaram um referendo AKP-apoiado sobre as mudanças constitucionais. As mudanças reduziram ainda mais a influência dos militares. Elas também pavimentaram o caminho para que o presidente e o Legislativo nomeassem os juízes para tribunais superiores. No início do ano, 33 policiais militares tinham sido presos e acusados de conspirar para derrubar o governo.

Erdogan começou um terceiro mandato em Junho de 2011, após uma vitória legislativa para o AKP. Um mês depois das eleições, os principais comandantes militares da Turquia foram demitidos. Pela primeira vez, o governo civil, em vez de os militares designaram os sucessores dos comandantes.

Fonte: Internet Nations

Turquia

Istambul é uma das cidades mais importantes da história.

Istambul, a antiga capital do Império Bizantino, hoje é uma metrópole com mais de 12 milhões de habitantes (a maior cidade da Turquia).

Turquia

Cortada pelo Estreito de Bósforo (que separa Europa da Ásia), Istambul é uma cidade pra lá de exótica, abrigando palácios suntuosos e igrejas grandiosas, símbolos de uma das cidades mais antigas do planeta, com mais de 7.000 anos.

Turquia

As principais atrações estão concentradas na parte européia de Istambul, enquanto a maior parte da população vive no lado asiático da cidade.

Canakkale

Turquia

Canakkale é situada no Estreito de Dardanelos. Çanakkale é a melhor cidade para se hospedar para ir a Tróia. Çanakkale é a menor cidade da Turquia.

Pérgamo

Turquia

Séculos antes de Cristo, Pérgamo foi a maior cidade da Ásia Menor. Suas ruínas guardam um passado grandioso, em que a cidade era um importante centro cultural e político do Oriente Médio, hoje Turquia.

Éfeso

Turquia

No séc. primeiro D.C. Éfeso era a quarta maior cidade do Império Romano, centro do comércio marítimo da região, repleto de construções grandiosas, como teatros, prédios públicos e santuários religiosos. Uma das idades históricas mais bem conservadas da Turquia.

Pamukkale

Turquia

Sua principal atração são as piscinas termais de origem calcaria, que com o passar dos séculos formaram uma bacia gigantesca de águas que descem em cascata por uma colina. Atração imperdível na Turquia.

Capadócia

Turquia

Uma das regiões mais impressionantes do planeta, repleta de formações vulcânicas espetaculares que brotam do meio do deserto e verdadeiras cidades subterrâneas, construídas pelos hititas no interior das grutas da região, para serem utilizadas como esconderijo. Essa região serviu de abrigo para os primeiros cristãos da Turquia.

Fonte: www.viabrturismo.com.br

Turquia

TURQUIA, a antiqüíssima Anatólia ou Ásia Menor, é um país lendário, misterioso e esquisito, enfim, fascinante.

Ora, muitos nomes de cidades famosas, como Filadélfia, Paris, Tróia e mesmo o nome do continente europeu, originaram-se na Anatólia, berço do maravilhoso rei Midas. Alexandre o Grande cortou o célebre nó górdio próximo de Ancara, a atual capital turca.

Júlio César proferiu suas palavras famosas: «Veni, vidi, vici», perto também de Ancara, no ano 47 a.C.

Duas das sete maravilhas do mundo antigo estavam localizadas em Anatólia: o Templo de Diana em Éfeso e o Mausoléu em Halicarnasso (Bodrum).

Em Anatólia se desenvolveu a cultura hitita, contemporânea com a egípcia na idade de bronze. Essas terras foram o principal lugar do cristianismo e no livro Gênese localiza-se ali o Jardim do Éden. O Monte Ararat, onde nasceu a Arca de Noé, encontra-se na Anatólia, São Nicolau, o inefável Papai Noel, viveu como bispo de Myra em Demre, Turquia.

Nesse país ha pessoas que falam em espanhol antigo, pois o sultão Beyazit II enviou a marinha otomana para trazer de volta a comunidade judaica, expulsa da Espanha, em 1492, para a Turquia. Qual foi o motivo?

Nas cidades mais importantes da Turquia, Ancara e Istambul, há uns dias, efetuou-se a Semana de Solidariedade, organizada pela Sociedade de Amizade com Cuba. Por que ambos os países sentem simpatia crescente um pelo outro?

UM POUCO DE HISTÓRIA

A Anatólia tem sido historicamente testemunha de confrontos entre povos ancestrais como hititas, frígios, galeses, romanos, bizantinos, seldjúquidas e otomanos, onde conquistadores como Alexandre Magno e Tamerlão estabeleceram ou tencionaram estabelecer ali seus domínios. O Império Otomano dominou a parte mais importante do mundo durante mais de 400 anos.

No século XI, os turcos do Leste ocuparam o planalto, pois lhes interessava estar próximos da rota comercial da seda e das especiarias.

Depois da Primeira Guerra Mundial, no século 20, Ancara, nesse momento um povoado, converteu-se no centro de resistência turca contra os ingleses e franceses. Mustafá Kemal, ao sair vitorioso no campo de batalha, com o codinome de Atatürk, líder da resistência, transformou o sultanato em república, passando Ancara a ser capital, em lugar de Istambul. Iniciou uma revolução nacional, em 1923, e adotou medidas que favoreceram a modernização. Atatürk quer dizer «pai dos turcos».

Atatürk proibiu o fez e o véu na mulher, bem como o célebre barrete, característico dos turcos. Os vestes da mulher muçulmana são agora novamente motivo de polêmica, quando o governo atual baniu a proibição de os usar, sendo assustador para muitos, que temem que nesta nação vire obrigatório, como noutros países da mesma confissão religiosa, onde 90% dos 70 milhões de turcos são islamitas.

Kemal estudou em academias militares e foi oficial do Exército no Império Otomano. Na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) obteve a patente de tenente-coronel da Infantaria, sendo sua maior façanha a grande vitória contra as tropas britânicas, francesas, italianas e gregas, entre outras batalhas, na defesa de Gallipoli e no cerco de Istambul, resgatada em 1922.

O Império Otomano via nele um indivíduo perigoso devido às suas idéias e popularidade. Com poucos recursos e grandes perigos, comprometeu-se a mudar o país, focalizando-o na transformação das ruínas do Império. A República foi estabelecida em 29 de outubro de 1923. Atatürk foi o primeiro presidente e morreu em 10 de novembro de 1938, no Palácio de Dolmabahce.

Ele tem o mérito de ter fomentado grandes reformas na Turquia, algumas delas, muito importantes: modificou o alfabeto árabe para o latino; a fundação de um Estado secular ou leigo (afastando a religião e o Estado); a introdução de um novo Código Civil, inspirado no Suíço; a abolição da poligamia; a substituição do calendário árabe pelo gregoriano; o direito da mulher de eleger e ser eleita, antes de se conceder em muitos países ocidentais; implantação do domingo como dia de descanso semanal.

A capital da Turquia é hoje uma cidade moderna de 3,5 milhões de habitantes, pequena se for comparada com Istambul e seus mais de 11 milhões de habitantes.

O primeiro contato da delegação cubana depois de se alojar no pequeno e populoso hotel Turdkiye Bellediyeler Birligi (União de Municipalidades da Turquia), em Selanik, Cadessi, nº 57, foi com o antigo castelo entre os outeiros do belíssimo bairro antigo de Ancara, o qual conserva seu sabor antigo com a remodelação de muitos imóveis tradicionais turcos, atualmente moradias, comércios, galerias de arte ou restaurantes. Esse centro é cercado pelo antigo Hisar ou cidadela, cujos alicerces os galeses deixaram num promontório de lava, completados pelos romanos, bizantinos e seldjúquidas.

Junto à porta da cidadela temos o Museu das Civilizações Anatólicas. Os visitantes cubanos desafiaram a temperatura de menos de zero grau e desfrutaram de uma lição de história desde a Idade de Bronze. A característica oriental mais predominante de Ancara e de todo este país eurasiático talvez seja a profusão de mesquitas com minaretes esguios, que podem ser apreciados na cidade quando se desce e sobe pelas inclinadas ruelas com pequenas lojas de antiguidades.

Comerciantes espertos e políglotas oferecem nelas panelas e outros objetos de cobre, alcatifas, rendas, mobílias e vestes folclóricos. Em muitas bancas vendem-se frutos secos, especiarias e outros produtos propensos para ao regateio, prática da qual gosta a maioria dos turistas que visitam anualmente o país. No ano passado beirou nada mais nada menos que US$ 17,5 milhões.

Os naturais de Ancara abundam mais no bulevar Atatürk, onde muito perto dali se encontra, no quarto andar de um prédio, a sala de festas Cubanas, superlotada fundamentalmente à noite, e onde o trovador Manuel Suárez Argudín, tornou ainda mais crioulas do que o Havana Club as noites ancarenses, para deleite do público. Dias depois, esteve na Universidade Técnica do Oriente Médio e na Faculdade das Ciências Sociais, da Universidade de Ancara. A delegação acompanhou vocalmente os aficionados Iván Barberis e Gladis Hernández, representantes do grupo do Instituto Cubano de Amizade com os Povos e do Centro de Estudos da Economia Mundial, respectivamente.

DE BIZÂNCIO A ISTAMBUL PASSANDO POR CONSTANTINOPLA

A lendária Istambul foi o centro mais poderoso do Império Romano oriental, depois da queda de Roma. Nesse tempo, era conhecida como Bizâncio e mais tarde foi denominada Constantinopla.

Istambul é a única cidade no mundo que divide dois continentes: Ásia e Europa. Foi palco, durante centenas de anos, de combates sangrentos e revoltas pela conquista do poder.

No início, limitada entre os muros de Septimus Severus, a cidade cresceu e se estendeu às muralhas de Theodosius. Como a Roma antiga, foi uma cidade estabelecida em sete outeiros.

Situada no extremo noroeste do país, a uns 450 km de Ancara, caminhando pelas ruas da costa, desfruta-se do estreito geológico que divide a porção européia e a asiática de Istambul. É o estreito de Bósforo que liga o mar de Mármara ao mar Negro.

Taksim é o centro comercial principal de Istambul, que se localiza, se não houver engarrafamento, a 30 ou 40 minutos do belíssimo aeroporto. Com certeza, numa cidade tão grande e antiga há muitos outros centros comerciais com algumas estradas tão superlotadas habitualmente que é necessário evadi-las para caminhar. A maioria vive na porção asiática de Istambul e trabalha na européia. Duas pontes unem ambas as porções da cidade, mas é recomendável evitar as pontes na hora do rush. É melhor deslocar-se nos largos e abundantes navios que atravessam o Bósforo, de onde se podem avistar palácios maravilhosos.

A cozinha turca é conseqüente com sua cultura milenar. Rica e muito variada. As receitas turcas passam de uma geração para outra.

Em Ancara degustamos cafés-da-manhã muito orientais: pão, azeitonas, tomates, ovos passados, manteiga ou creme fresco, purê de frutas, queijo branco e mel, acompanhando uma xícara de chá negro ou café turco (que é consumido com as borras). Em Istambul, no entanto, o café-da-manhã no hotel Sidonia, era mais europeu, isento de lingüiça de porco.

Nos restaurantes do tipo fast food, a gente pode deparar com pratos típicos turcos e pedi-los, embora não fale nessa língua. O inglês tem-se estendido muito, mas nem sempre achamos uma pessoa que o fale.

Os turcos gostam muito das sopas de iogurte, como o cacik; as de lentilhas vermelhas, de tomate, de carne de ovelhas. Durante o verão, comem muitos pratos frios que têm comumente diversos legumes frescos, como cenouras, berinjelas, pimentões verdes recheados com arroz, feijão verde fresco, saladas de iogurte, frango com nozes. Você pode comer berinjela frita com carne, espinafre com iogurte, carne coberta com iogurte, com uma base de fino pão oriental; sis kebap (carne em espeto de pau) com carne de ovelha ou frango e também de vaca. Nunca com carne de porco, repudiado, como nos países árabes, por motivos religiosos recomendados por Maomé.

O doner kebap, que quer dizer «carne que gira» — porque se amontoa e gira à volta de si própria ao ser cozinhada — é um delicioso prato típico turco que invadiu o resto da Europa, nomeadamente a Alemanha e a França. Pode se comer com batatas fritas e saladas ou como sanduíche.

Dentre as bebidas com álcool, os turcos preferem o raki, de anises, e é servido em copos altos com água e gelo, como os franceses do Sul. O segundo é o consumo de cerveja.

Desde o primeiro dia, ficamos sabendo do típico amuleto original turco contra o mau-olhado, popular no país todo. O amuleto é azul e se parece com um olho que pode ser adquirido em qualquer loja ou banca de lembranças. São usados pelas mulheres em pulseiras, brincos ou colares; também em chaveiros ou pendurados em qualquer canto da casa, escritório ou carros, mesmo nas roupas de bebês. O nome desse amuleto em turco é boncuk nazar. É feito de vidro ou material sintético e de diversos tamanhos, mas os mais comuns medem entre 3 e 4 cm.

CUBA SIM, IANQUES NÃO

Durante essa semana, a delegação se reuniu com parlamentares e teve entrevistas coletivas nos jornais e na televisão, palestras, particularmente sobre os Cinco heróis prisioneiros nos Estados Unidos, ministradas por Roberto González, irmão de René. Além disso foram exibidos filmes, se ofereceram concertos, encontros com estudantes e trabalhadores, exposições de fotos, se assinaram convênios para a edição do Granma Internacional na língua turca e outro entre a União dos Jovens Comunistas de Cuba (UJC) e a Liga Juvenil do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (do governo), assinado por Dámara López e Mesui Balli para apoiar o Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes, que terá lugar em agosto em Caracas, Venezuela.

Realizou-se um ato de massas com cerca de 4 mil vozes gritando constantemente «Cuba Sim, Ianques Não!», onde se evidenciou tudo aquilo que nos junta e o desejo de apoiar Cuba, nas palavras de Ozlem Sen, presidenta da Sociedade de Amizade; do embaixador Ernesto Gómez Abascal e de Abelardo Curbelo, chefe da seção Europa, do Departamento Internacional do Partido.

A Semana de Solidariedade a Cuba abriu caminho para continuar ampliando as relações entre ambos os países que lutam para que sejam respeitadas suas soberanias.

Uns dias depois, sem relação aparente com este evento, viajou a Ancara o ministro do Comércio Exterior de Cuba, Raúl de la Nuez, para participar da 6ª sessão da Comissão Mista entre os dois países.

Ao concluírem as conversações, assinou um protocolo com o ministro da Justiça turco, Cemil Cicek, a fim de ampliar as relações econômico-comerciais: Pela primeira vez, foi acertado um crédito bancário a Cuba de US$ 10 milhões, que permite a aquisição de produtos turcos sob condições vantajosas e de ajuda ao desenvolvimento do intercâmbio comercial entre ambas as nações. Da mesma maneira, foi assinado um documento de entendimento para a cooperação agrícola.

O ministro De la Nuez foi recebido pelo primeiro vice-ministro e ministro das Relações Exteriores, Abdullah Gul, com quem se avistou e dialogou sobre o desenvolvimento das relações bilaterais. Em 7 de abril, em Havana, o governador de Ancara, sr. Kemal Onal, foi declarado Hóspede Ilustre, pelo presidente da Assembléia Provincial do Poder Popular na capital cubana, Juan Contino Aslán.

Onal afirmou que conheceu as instituições culturais, científicas, turísticas, com as quais haverá intercâmbios de cooperação entre Ancara e Havana, além de assuntos dos transportes e da educação.

O embaixador Ernesto Gómez Abascal nos advertiu a respeito do «crescente sentimento de amizade pelo povo cubano».

A advogada Ozlem Sen, presidenta da Sociedade de Amizade reafirmou-o falando: «O povo turco ama e respeita Cuba, mesmo aqueles que não a conhecem muito, por sua posição e depoimentos políticos, pela liderança de Fidel Castro e de Che Guevara. Entre outras razões, porque os turcos também são contra a política do governo de Bush em relação à Turquia». Pudemos constatar isso.

Uma enquête recente da BBC de Londres, revelou que «a oposição ao sr. Bush no mundo é mais forte que o antiamericanismo em geral» que a Turquia é o país com opiniões mais desfavoráveis sobre os Estados Unidos da Europa toda.

Fonte: www.granma.cu

Turquia

Sistema político: República

Capital: Ancara

Superfície: 775 000 km²

População: 70,2 milhões de habitantes

Moeda: lira turca

Situada na encruzilhada entre a Europa e a Ásia, a Turquia possui uma grande diversidade cultural e étnica.

A sua história remonta às civilizações antigas, tais como a dos hititas, passando pelas épocas grega e romana (quando São Paulo propagou o cristianismo na região) e os impérios bizantino e otomano.

A república moderna da Turquia foi fundada em 1923 segundo o modelo de Estado secular ocidental. Cerca de 98% da população é muçulmana. No sudeste da Turquia existe uma importante comunidade curda.

No ano de 330, Constantinopla (hoje Istambul) situada nas margens do Bósforo, entre o Mar Negro e o Mar Mediterrâneo, tornou-se a capital do Império Bizantino, a parte oriental do Império Romano.

O patrimônio arquitetônico turco inclui obras-primas tais como as mesquitas de Selimiye (do Sultão Selim) e Suleymaniye (do Sultão Solimão) e a Igreja de Santa Sofia mundialmente famosa, que foi transformada em mesquita sob o domínio otomano, sendo atualmente um museu. O vasto patrimônio arqueológico do país é também uma importante atração turística. No seu apogeu, o Império Otomano era a potência dominante no Mediterrâneo oriental e meridional.

A cozinha turca tem por principais ingredientes a carne de borrego, sendo também muito apreciado o iogurte de leite de cabra, misturado com pepino, alho ou hortelã. O café é uma bebida com uma longa tradição na Turquia, onde os cafés são locais de convívio muito apreciados.

Entre os turcos mais célebres destaca-se o fundador da Turquia moderna, Mustafa Kemal Atatürk.

Fonte: europa.eu

Turquia

Uma vez que o centro do Império Otomano, a república secular moderna foi criada em 1920 por líder nacionalista Kemal Ataturk.

Ocupando os continentes da Europa e da Ásia, local estrategicamente importante da Turquia tem dado grande influência na região – e controle sobre a entrada para o Mar Negro.

Os progressos da Turquia na via da democracia e da economia de mercado foi parar nas décadas após a morte do presidente Ataturk, em 1938. O exército viu-se como o garante da Constituição, e derrubou governos em um número de ocasiões em que pensei que eles estavam desafiando os valores seculares.

Os esforços para reduzir o controle estatal sobre a economia também enfrentou muitos obstáculos. Depois de anos de crescentes dificuldades que levaram o país perto de colapso econômico, um programa de recuperação dura foi acordado com o FMI em 2002.

As medidas de austeridade impostas em seguida, fez com que no momento em que a crise financeira mundial deu a volta, em 2008, a Turquia estava em melhor posição para enfrentar a tempestade do que muitos outros países.

O nível da dívida pública já era relativamente baixo e, embora os efeitos da recessão ainda sentia, até 2010, a economia turca começou a se recuperar – na medida em que, no início de 2011, as preocupações foram levantadas sobre se o boom era sustentável.

Ascensão do AKP

Preocupações sobre o potencial de conflito entre um estabelecimento secular apoiado pelos militares e uma sociedade tradicional profundamente enraizado no Islã ressurgiu com a vitória eleitoral esmagadora da Justiça islâmico baseado eo Partido para o Desenvolvimento (AKP), em 2002.

A oposição secularista tem em várias ocasiões desde então desafiou o direito constitucional do AKP ser o partido do governo. Em março de 2008, o Tribunal Constitucional rejeitou por pouco de uma petição do procurador-chefe de proibir o AKP e 71 dos seus funcionários, incluindo o presidente Abdullah Gul eo primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan, por supostamente tentar estabelecer um Estado islâmico.

O governo acusou os militares de conspirar para derrubá-lo através de uma organização secreta chamada Ergenekon alegada (Marreta), o que levou à prisão de três generais para 20 anos e menores frases contra mais de 300 outros oficiais, em 2012, bem como a divisão de público opinião. Os policiais envolvidos acusam o governo de um julgamento para neutralizar a influência anti-islâmico das forças armadas na política.

Os chefes de equipe se demitiu no verão de 2011, em protesto pela detenção de oficiais, e que o governo, em vez de os militares nomeados seus sucessores, pela primeira vez.

Relações exteriores

Turquia se tornou um país candidato à UE em 1999 e, de acordo com os requisitos da UE, passou a introduzir substanciais dos direitos humanos e das reformas econômicas. A pena de morte foi abolida, medidas mais duras foram trazidos contra a tortura e do código penal foi refeita.

Reformas foram introduzidas nas áreas de direitos das mulheres e da cultura curda, língua, educação e radiodifusão. Ativistas dos direitos das mulheres disseram que as reformas não vão longe o suficiente e acusaram o governo de não ter pleno compromisso com a igualdade e de agir apenas sob pressão da UE.

Depois de intensas negociações, negociações de adesão da UE foram lançadas em Outubro de 2005. As negociações de adesão devem demorar cerca de 10 anos. Até agora, as coisas não tem sido fácil.

Turquia tem sido em desacordo com o seu vizinho próximo, a Grécia, a ilha dividida de Chipre e as disputas territoriais no Mar Egeu.

O avanço em suas negociações de adesão da UE veio poucas semanas depois de a Turquia concordou em reconhecer o Chipre como um membro da UE – embora qualificados nesta etapa conciliatória, declarando que não era o mesmo que o reconhecimento diplomático.

Vários países europeus continuam a ter sérias dúvidas sobre a adesão da Turquia à UE, e da Alemanha e da França pediram a ele para ter uma “parceria privilegiada” com a UE, em vez de uma adesão plena.

Turquia longo viu-se como o baluarte leste da aliança da Otan, e sublinhou este por ter laços estreitos com Israel. Mas sob Erdogan Turquia adoptou uma abordagem pró-palestinos e abertamente confronto com Israel, contando com o seu prestígio novo em países árabes para impulsionar sua posição regional como um corretor de poder.

A eclosão da guerra civil na vizinha Síria tem visto movimento da Turquia postura de distensão com o governo Assad para abrir apoio para os rebeldes, embora parando curto de assistência militar. Isto tem a Turquia esquerda exposta dentro da aliança da Otan, que continua a manter o conflito sírio no comprimento dos braços, mas tem prestígio Turquia reforçada na opinião pública árabe.

A questão curda

A Turquia é o lar de uma minoria curda considerável, que segundo algumas estimativas constitui até um quinto da população. Os curdos há muito se queixam de que o governo turco estava tentando destruir a sua identidade e que eles sofrem de desvantagem econômica e violações dos direitos humanos.

O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), o mais conhecido e mais radical dos movimentos curdos, lançou uma campanha de guerrilha em 1984 por uma pátria étnica no coração curda no sudeste. Milhares de pessoas morreram e centenas de milhares de pessoas tornaram-se refugiados no conflito que se seguiu com o PKK, que Turquia, os EUA ea União Europeia consideram uma organização terrorista.

Guerrilha curda ataques brevemente diminuiu após a captura 1999, de líder do PKK, Abdullah Ocalan, mas logo começou a aumentar novamente.

Em parte, em uma tentativa de melhorar as chances de adesão à UE, o governo começou a aliviar as restrições sobre o uso da língua curda a partir de 2003.

Como parte de uma nova “iniciativa curda”, lançado em 2009, que se comprometeu a estender os direitos linguísticos e culturais e reduzir a presença militar no principalmente curda do sudeste do país.

No entanto combate continuou. Uma oferta PKK em julho de 2010 para considerar uma trégua se o governo de estender os direitos civis curdos foi recebido com uma recusa oficial para responder a “terroristas” declarações.

Uma cronologia dos principais eventos:

1923 – Assembléia declara Turquia uma república e presidente Kemal Ataturk.

 

Turquia
Istambul

Istambul – Antiga capital de impérios Bizantino e Otomano

1930: Constantinopla oficialmente renomeada Istambul

1928 – A Turquia se torna secular: cláusula de retenção Islã como religião do Estado removido constituição.

1925 – Adopção de calendário gregoriano. Proibição de o fez.

1938 – O presidente Ataturk morre, sucedido por Ismet Inonu.

1945 – Neutro para a maioria da Segunda Guerra Mundial, a Turquia declara guerra à Alemanha e Japão, mas não toma parte em combate. Junta das Nações Unidas.

1950 – Primeira República de eleições abertas, ganhou pelo Partido Democrático, de oposição.

Golpes militares

1952 – A Turquia abandona a política neutralista de Ataturk e junta-se a Otan.

1960 – Exército golpe contra o Partido Democrata.

1961 – A nova Constituição estabelece duas câmaras do parlamento.

1963 – Acordo de Associação assinado com a Comunidade Econômica Europeia (CEE).

1965 – Suleyman Demirel torna-se primeiro-ministro – uma posição que é a realização de sete vezes.

1971 – renúncia Exército forças Demirel, depois espiral de violência política.

1974 – Tropas turcas invadem o Chipre do Norte.

1976 – Terremoto mata mais de 5.000 pessoas no oeste da província de Van.

1978 – EUA embargo comercial resultante de invasão levantada.

1980 – Golpe militar segue impasse político e distúrbios civis. Imposição da lei marcial.

1982 – A nova Constituição cria de sete anos presidência, e reduz o parlamento única casa.

1983 – eleição geral vencida por Pátria Turgut Ozal do Partido (ANAP).

PKK guerra

1984 – A Turquia reconhece a “República Turca do Norte de Chipre”.

Partido dos Trabalhadores do Curdistão lança guerrilha separatista no sudeste.

1987 – A Turquia se aplica a adesão à CEE completo.

1990 – A Turquia permite coalizão liderada pelos EUA contra o Iraque para lançar ataques aéreos a partir de bases turcas.

1992 – 20.000 tropas turcas entrar paraísos seguros curdos no Iraque em anti-PKK operação.

Turquia junta aliança do Mar Negro.

1993 – Tansu Ciller se torna o primeiro da Turquia mulher primeiro-ministro e presidente eleito Demirel.

Cessar-fogo com PKK quebra.

1995 – grande ofensiva militar lançada contra os curdos no norte do Iraque, envolvendo cerca de 35 mil soldados turcos.

Coalizão Ciller desmorona. Pró-islâmico Partido do Bem-Estar ganha eleições, mas não tem apoio para formar governo – dois grandes partidos de centro-direita anti-islâmico formar coalizão.

Turquia entra UE união aduaneira.

1996 – Centro-direita coalizão cai. O líder do Partido do Bem-Estar Necmettin Erbakan chefes de governo pró-islâmico pela primeira vez desde 1923.

1997 – Coalizão renuncia após campanha liderada pelos militares, substituída por uma nova coalizão liderada pelo centro-direita Partido Pátria do primeiro-ministro Mesut Yilmaz.

1998 Janeiro – Festa do Bem-Estar – a maior do parlamento – banido. Yilmaz renuncia em meio a acusações de corrupção, substituídos por Ecevit Bulent.

1999 Fevereiro – líder do PKK, Abdullah Ocalan capturado no Quênia.

Julho de 1999 – Ocalan recebe sentença de morte, depois comutada para prisão perpétua.

Agosto de 1999 – devastador terremoto, com epicentro em Izmit, no noroeste povoada da Turquia mata 17 mil pessoas.

1999 novembro – segundo abalo na mesma região mata centenas mais.

Para o novo milênio

2000 – Ahmet Necdet Sezer assume o lugar de Suleyman Demirel como presidente.

2001 Janeiro – linha diplomática com a França após Assembleia Nacional francesa reconhece as mortes de armênios sob o Império Otomano como genocídio.

2001 Maio – Tribunal Europeu dos Direitos Humanos encontra Turquia culpado de violar os direitos dos cipriotas gregos durante sua ocupação do norte de Chipre.

Junho de 2001 – Tribunal Constitucional proibições oposição Partido da Virtude pró-islâmico, dizendo que havia se tornado foco de atividades anti-laicas. Saadet novo partido pró-islâmico é criado por ex-membros do Partido Virtude em julho.

Novembro de 2001 – British construtora Balfour Beatty e Impregilo da Itália sair do polêmico projeto da barragem de Ilisu. O banco suíço UBS segue o exemplo em fevereiro de 2002.

Janeiro de 2002 – os homens turcos não são mais consideradas por lei como chefe da família. O movimento dá às mulheres igualdade jurídica com os homens, 66 anos depois de os direitos das mulheres foram colocadas nos livros de leis.

Março de 2002 – os governos turco e grego concorda em construir um gasoduto ao longo do qual a Turquia abastecimento da Grécia com gás.

Julho de 2002 – Pressão de eleições antecipadas como oito ministros, incluindo o chanceler Cem demitir mais doente recusa PM Ecevit de renunciar em meio à crescente crise econômica, política. Cem lança novo partido comprometido com a democracia social, a adesão à UE.

Agosto de 2002 – O Parlamento aprova reformas destinadas a assegurar a adesão à UE. Sentença de morte ser abolida, exceto em tempos de guerra e proibição de curda educação, transmitindo a ser levantada.

Partido islâmico vitorioso

Novembro de 2002 – islâmico baseado Partido Justiça e Desenvolvimento (AK) ganha vitória eleitoral esmagadora. Partido promete manter os princípios seculares da Constituição. Vice-líder, Abdullah Gul, nomeado primeiro-ministro.

De dezembro de 2002 – alterações constitucionais permitem que a cabeça de governar AK, Recep Tayyip Erdogan, para executar para o parlamento, e assim tornar-se primeiro-ministro. Ele havia sido barrado do cargo público por causa de condenação criminal anterior.

Março de 2003 – AK líder Recep Tayyip Erdogan ganha cadeira no parlamento. Dentro de dias, Abdullah Gul, renuncia como primeiro-ministro Erdogan e assume.

Parlamento decide não permitir o envio de forças norte-americanas antes da guerra no Iraque, mas permite que EUA utilização do espaço aéreo turco. Ela autoriza envio de forças turcas em áreas curdas do norte do Iraque.

Maio de 2003 – Mais de 160 pessoas, muitas delas estudantes presos em um dormitório, morrem em um terremoto na área de Bingol.

Junho-Julho de 2003 – De olho futura adesão à UE, o parlamento aprova leis a flexibilização das restrições à liberdade de expressão, direitos língua curda, e na redução do papel político do militar.

Ataques Istambul

Novembro de 2003 – 25 pessoas morrem e mais de 200 ficaram feridas quando dois carros-bombas explodem perto de sinagoga principal de Istambul. Dias depois, dois atentados suicidas coordenados no consulado britânico e um banco britânico na cidade matar 28 pessoas.

Janeiro de 2004 – A Turquia assina protocolo que proíbe pena de morte em todas as circunstâncias, uma atitude recebida nos círculos da UE.

Fevereiro de 2004 – Mais de 60 pessoas morreram quando bloco de apartamentos na cidade de Konya desmorona.

Março de 2004 – Pelo menos duas pessoas mortas em um ataque suicida suspeita em um edifício de uma loja maçônica, em Istambul.

2004 Maio – PKK afirma que pretende acabar com um cessar-fogo por causa do que ele chama de operações de aniquilação contra suas forças.

Junho de 2004 – Programa Estadual de transmissões de TV curdo-primeira língua.

Quatro ativistas curdos, incluindo o ex-MP Leyla Zana, libertado da prisão.

Chefes de Estado da Otan se reúnem para cúpula em Istambul.

Julho de 2004 – Três morrem em ataque com carro-bomba na cidade do sudeste de Van. Autoridades acusam o PKK de envolvimento que ele nega.

Setembro de 2004 – O Parlamento aprova reformas penais que estabelece medidas mais duras para prevenir a tortura e violência contra as mulheres. Controversa proposta de criminalizar o adultério caiu.

UE fala

2004 dezembro – os líderes da UE concordam em abrir negociações em 2005 sobre a adesão da Turquia à UE. A decisão, tomada em uma cúpula em Bruxelas, segue um acordo sobre uma demanda da UE que a Turquia reconheça Chipre como membro da UE.

De janeiro de 2005 – A moeda lira Nova introduzido como seis zeros são removidos lira velho, terminando uma era em que as notas eram denominados em milhões.

Maio de 2005 – O Parlamento aprova alterações ao código penal novo após denúncias de que a versão anterior restringiu a liberdade de imprensa. A UE saúda o movimento, mas diz que o código ainda não cumprir todas as suas preocupações sobre os direitos humanos.

Junho de 2005 – O Parlamento veto capota por Sezer Presidente secularista sobre o governo apoiado pelos emenda a flexibilização das restrições sobre o ensino do Alcorão.

Julho de 2005 – Seis mortos em ataque a bomba em um trem no leste. Funcionários culpa o PKK.

Outubro de 2005 – as negociações de adesão da UE oficialmente lançadas após intensas negociações.

Novembro de 2005 – Multi-bilhões de dólares gasoduto Blue Stream transporte de gás russo sob o Mar Negro para a Turquia abre no porto de Samsun.

Abril de 2006 – Pelo menos uma dúzia de pessoas são mortas em confrontos entre manifestantes curdos e as forças de segurança no sudeste. Várias pessoas são mortas em distúrbios relacionados em Istambul.

Maio de 2006 – Pistoleiro abre fogo em supremo tribunal da Turquia, matando um juiz proeminente e ferindo outros quatro. Milhares protestam contra o que eles percebem como um ataque fundamentalista islâmico.

Junho de 2006 – O Parlamento aprova lei anti-terror novo, que preocupa a UE e que grupos de direitos humanos criticam como um convite à tortura.

Julho de 2006 – Baku-Tbilisi-Ceyhan abriu a cerimônia, na Turquia.

2006 Agosto-Setembro – Bombardeiros alvo resorts e Istambul. Sombria grupo separatista Liberdade do Curdistão Falcons (TAC) reivindica a responsabilidade por alguns ataques e avisa que vai se transformar “a Turquia no inferno”.

2006 30 de Setembro – grupo separatista curda, o PKK, declara um cessar-fogo unilateral em operações contra os militares.

De dezembro de 2006 – UE congela parcialmente negociações de adesão da Turquia por causa da falha de Ancara de abrir os seus portos e aeroportos aos cipriotas tráfego.

2007 Janeiro – O jornalista e líder da comunidade armênia Hrant Dink, é assassinado. O assassinato provoca indignação na Turquia e Armênia. O primeiro-ministro Erdogan diz que uma bala foi disparada a democracia ea liberdade de expressão.

Protestos secularistas

Abril de 2007 – Dezenas de milhares de simpatizantes do rali secularismo em Ancara, com o objetivo de pressionar o primeiro-ministro Erdogan para não concorrer nas eleições presidenciais por causa de seu passado islâmico.

Partido governista AK apresenta chanceler Abdullah Gul como seu candidato após Erdogan decide não ficar de pé. Ele quase não consegue vencer no primeiro turno.

Maio de 2007 – Parlamento antecipa eleições nacionais a 22 de julho para tentar acabar com o impasse entre secularistas e islâmicos sobre a escolha do próximo presidente.

Parlamento dá aprovação inicial a uma mudança constitucional permitindo que o presidente a ser eleito pelo voto popular, mas a alteração é vetado pelo Presidente Sezer.

Tensão aumenta na fronteira Turquia-Iraque em meio a especulações de que a Turquia pode lançar uma incursão para combater rebeldes curdos.

Explosão de bomba em Ancara mata seis e fere 100. PKK nega responsabilidade.

Julho de 2007 – Partido AK ganha eleições parlamentares.

De agosto de 2007 – Abdullah Gul é eleito presidente.

Outubro de 2007 – linha diplomática com os Estados Unidos após uma comissão do Congresso dos EUA reconhece as mortes de armênios sob o Império Otomano como genocídio.

Parlamento dá luz verde para operações militares no Iraque em busca de rebeldes curdos.

Os eleitores em um referendo volta planeja ter futuros presidentes eleitos pelo povo, em vez de pelo parlamento.

De dezembro de 2007 – Turquia lança uma série de ataques aéreos contra combatentes do movimento PKK curdo no Iraque.

Disputa véu

Fevereiro de 2008 – Milhares de protesto em planos para permitir que as mulheres a usar o véu islâmico para a universidade.

Parlamento aprova alterações constitucionais que abrirão caminho para as mulheres serem autorizados a usar o véu islâmico nas universidades.

De julho de 2008 – Petição para o Tribunal Constitucional para que o governante Partido AK banido por supostamente prejudicar a constituição secular falhar por uma margem estreita.

Outubro de 2008 – Julgamento começa de 86 supostos membros de um grupo Ergenekon sombrio ultra-nacionalista, que é acusado de planejar uma série de ataques e provocar um golpe militar contra o governo.

De fevereiro de 2009 – Manifestantes marcam o 10 º aniversário da detenção de Abdullah Ocalan, o líder do movimento proibido PKK curdo, confronto com a polícia no sudeste da Turquia.

Proeminente político curdo Ahmet Turk desafia a lei turca, dando discurso ao Parlamento curdo em sua nativa. Cortes de TV estatal com transmissão ao vivo, como a língua é proibido no parlamento.

Junho de 2009 – Julgamento começa de mais 56 pessoas em conexão com a trama Ergenekon alegada ultra-nacionalista para derrubar o governo.

De julho de 2009 – O presidente Abdullah Gul aprova legislação proposta pelo Partido AK dando tribunais civis o poder de tentar o pessoal militar para ameaçar a segurança nacional ou envolvimento com o crime organizado.

PM Tayyip Erdogan tem um raro encontro com o líder do partido pró-curdo Partido da Sociedade Democrática, Ahmet Turk, como parte dos esforços para resolver o problema curdo politicamente.

Outubro de 2009 – Os governos da Turquia e Arménia concorda em normalizar as relações em uma reunião na Suíça. Ambos os parlamentos terão de ratificar o acordo. Turquia diz que a abertura da fronteira dependerá dos progressos para resolver a disputa de Nagorno-Karabakh entre a Arménia eo Azerbaijão.

2009 Dezembro – O governo introduz medidas no parlamento para aumentar os direitos língua curda e reduzir a presença militar no sudeste principalmente-curdo como parte de sua “iniciativa curda”. O Tribunal Constitucional considera a possibilidade de proibir o Partido da Sociedade Democrática sobre supostas ligações com o PKK, em um movimento que poderia inviabilizar a iniciativa.

2010 Janeiro – Jornal carrega relatório sobre alegada “Sledgehammer” 2003 complô para desestabilizar país e justificar golpe militar. Chefe das Forças Armadas, o general Ilker Basbug, insiste em que os golpes são uma coisa do passado.

Fevereiro de 2010 – Cerca de 70 membros do Exército são presos por alegada “Sledgehammer” enredo. Trinta e três oficiais são acusados ??de conspirar para derrubar o governo.

Março de 2010 – EUA Câmara dos Representantes “Comitê de Assuntos Exteriores passa assassinato resolução descrevendo de armênios por forças turcas na Primeira Guerra Mundial como genocídio, o que levou Ancara a chamar seu embaixador brevemente.

Reforma constitucional

Abril de 2010 – O Parlamento começa a debater as mudanças constitucionais propostas pelo governo com o objetivo declarado de tornar a Turquia mais democrática. O Partido Popular Republicano oposição diz que o partido islâmico está buscando mais controle sobre o Judiciário secular com algumas das propostas.

2010 Maio – Relações com Israel estão sob forte tensão depois de nove ativistas turcos foram mortos em um ataque de comandos israelenses em uma flotilha de ajuda a tentativa de chegar a Gaza bloqueada.

2010 Julho – Istambul tribunal acusa 196 pessoas, incluindo serviço e ex-altos oficiais militares, acusados ??de conspirar para derrubar o governo como parte da organização Ergenekon alegado anti-islâmico.

Líder do PKK, Murat Karayilan diz que está disposto a desarmar em troca de maiores direitos políticos e culturais para os curdos da Turquia. Turquia recusa-se a comentar.

2010 Setembro – Referendo sobre reforma constitucional faz alterações para aumentar o controle sobre o exército parlamentar e judiciário. Os críticos vêem como tentativa do governo pró-islâmico de nomear juízes simpatizantes.

2010 novembro – A denúncia de irregularidades site Wikileaks publica cabos confidenciais que revelam que a França ea Áustria foram deliberadamente bloqueando as negociações de adesão da Turquia da UE.

2011 Junho – Justiça e Desenvolvimento (AKP) ganha retumbante vitória na eleição geral. Embarca PM Erdogan sobre terceiro mandato.

Milhares de refugiados que fogem da agitação na Síria fluxo em Turquia. Ancara exige reformas na Síria.

2011 Agosto – O presidente Gul nomeia principais líderes militares depois de seus antecessores renunciar em massa. Esta é a primeira vez que um governo civil decidiu que comanda as poderosas forças armadas.

2011 Outubro – rebeldes do PKK mata 24 soldados turcos perto da fronteira iraquiana, o ataque mais mortífero contra os militares desde os anos 1990.

Irã, Turquia concordam em cooperar para derrotar os militantes curdos.

As tensões com a França

2011 Dezembro – Relações com Paris são azedou após os deputados franceses passam lei tornando crime negar que os assassinatos em massa de armênios durante o Império Otomano foi de genocídio. Mais tarde, o projeto de lei é atingido por Tribunal Constitucional da França.

2012 Janeiro – Um tribunal prisões três pessoas por incitamento pela morte de 2.007 proeminente jornalista turco-armênio Hrant Dink, um deles para a vida.

2012 Março – O ex-chefe das Forças Armadas Gen Ilker Basbug vai a julgamento sob a acusação de tentar derrubar o governo, o que ele nega como “tragicômico”.

2012 Junho – Turquia permite que escolas ofereçam a língua curda como um curso opcional. As forças armadas de greve bases rebeldes do PKK no Iraque após oito soldados turcos são mortos em um ataque do PKK no sul da Turquia. Há greves mais em setembro.

2012 Julho – Turquia muda suas regras de engajamento depois que a Síria atira em um avião turco, dizendo que as tropas sírias será visto como uma ameaça militar, se eles se aproximarem das fronteiras da Turquia.

2012 Setembro – A prisões judiciais três generais para 20 anos para traçar a alegada Operação Sledgehammer golpe (Ergenekon) contra o governo islâmico em 2003. Outros 330 funcionários recebem penas menores. Todos manter sua inocência.

2012 Outubro – Tensão aumenta com Damasco. Fogo de morteiro sírio em uma cidade de fronteira turca mata cinco civis e morteiros de rua continuam a cair dentro da Turquia. Parlamento autoriza ação militar na Síria, e as forças armadas responder com fogo de artilharia para a Síria. Ancara proíbe vôos sírias do seu território depois de interceptar um avião sírio alegou estar transportando munições russas.

Fonte: news.bbc.co.uk

Veja também

Hino Nacional da República Democrática do Congo

Debout Congolais PUBLICIDADE Debout Congolais (Levanta congolês) é o hino nacional da República Democrática do …

Locais Turísticos da República Democrática do Congo

BRAZZAVILLE PUBLICIDADE É um lugar muito interessante, muito verde, com uma Basílica, Mercados e o …

República Democrática do Congo

PUBLICIDADE O território que hoje leva o nome de República Democrática do Congo tem sido habitada por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.