Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia do Repórter  Voltar

Dia do Repórter

16 de Fevereiro

Ele fareja a informação, sempre em busca de uma boa reportagem. Para a tarefa, não mede esforços.

Com a pauta na mão, entrevista as fontes, pesquisa os dados e checa tudo o que pode servir na hora de redigir a matéria.

Dia do Repórter

Já adivinhou de quem estamos falando? Não? Então vamos dar mais uma dica. No início de carreira, ele é chamado de "foca", que significa profissional inexperiente no cargo, novato, recém-saído da faculdade.

Aquele que se deslumbra com as primeiras tarefas que recebe; que deixa passar detalhes importantes.

Com o tempo ele vai largando aos pouquinhos a vida de "foca" para se aventurar na profissão com as próprias pernas.

Estamos falando do repórter, responsável pela elaboração das notícias que serão veiculadas em jornais, revistas ou em programas jornalísticos de rádio e televisão. Desde a fase de pesquisa até a redação.

Tem também o repórter que não redige as matérias, mas se encarrega de abastecer o veículo de comunicação com imagens do fato a ser noticiado.

É ele o repórter fotográfico, se trabalha em jornal impresso, e cinematográfico, caso atue em televisão.

E o repórter de internet, responsável por escrever para sites de conteúdo.

Para ser um repórter, é necessário primeiramente cursar a faculdade de Jornalismo. Depois, é pernas pra que te quero e bom trabalho.

Fonte: www.ibge.br

Dia do Repórter

16 de Fevereiro

Quando Gutenberg inventou a imprensa há mais de 500 anos, por certo não imaginava o quanto revolucionaria o mundo. Com o advento dos tipos móveis, os livros começaram a sair da clausura dos mosteiros e passaram a ser impressos (daí o nome) em uma escala cada vez maior.

Dia do Repórter

Ao longo dos anos, com o conhecimento se tornando acessível a um número maior de pessoas, começaram a surgir também outros formatos narrativos. Assim, os livros contariam as histórias, o passado. O jornal surge para relatar os acontecimentos mais recentes. O termo imprensa deixa de ser apenas a "máquina impressora" e passa a designar os meios de comunicação de massa.

Dentro deste contexto, a figura do repórter merece destaque. Personagem que surge com os jornais impressos, o repórter é o responsável por trazer aos leitores as últimas notícias. Hoje eles estão em todas as mídias, seja o jornal, a TV, o rádio, e até mesmo a Internet.

Na busca pela verdade, o repórter desempenha o trabalho de um verdadeiro investigador. Mas não basta descobrir a informação. É preciso saber contá-la através de uma linguagem clara, objetiva e acessível ao seu público.

Fonte: www2.portoalegre.rs.gov.br

Dia do Repórter

16 de Fevereiro

A informação é um bem público e, por isso, deve passar por uma triagem que garanta a sua plena veiculação, atendendo a interesses públicos. Por isso, o repórter deve ser um profissional guiado pela ética e preocupado com a veracidade das notícias que circulam.

O processo de criação de uma reportagem, além de criativo, tem uma técnica que parte do princípio de um público diverso terá contato com tais informações. Dessa maneira, o repórter deve escrever de maneira simples, que se aproxime de uma população inteira, mas que não seja simplista, respeitando as regras gramaticais e semânticas.

O jornalismo nasceu na mídia impressa, mas hoje se estabelece em diversos meios de mídia eletrônica. Portanto, o repórter pode trabalhar tanto no rádio como na televisão e, ultimamente, até mesmo na internet.

Na elaboração de notícias para divulgação, o repórter deve priorizar a atualidade da notícia, assim como divulga-la com objetividade, desvinculando o jornalismo da literatura. A ética do repórter não está ligada somente com a precisão e veracidade da informação, mas também com o respeito à privacidade, intimidade, honra e imagem das pessoas.

Documentos como a Declaração da Unesco sobre os Media (1983) proclamam os princípios essenciais em que assentam a liberdade de imprensa e o direito à informação.

Neles se reconhece que o direito à informação, à livre expressão e à crítica fazem parte das liberdades fundamentais do ser humano; que o direito dos cidadãos à informação precede o conjunto dos deveres e direitos dos jornalistas; que a responsabilidade dos jornalistas para com o público se sobrepõe a qualquer outra responsabilidade, em particular perante os seus empregadores e os poderes públicos, e que a missão de informar comporta limites que os próprios jornalistas devem, espontaneamente, impor a si próprios.

Fonte: UFGNet, CEDI, Soleis

Dia do Repórter

16 de Fevereiro

O repórter, jornalista ou correspondente de notícias é o reponsável por coletar informações, elaborar histórias e fazer transmissões que informam ao público sobre eventos locais, estaduais, nacionais e internacionais; pontos de vista atual sobre temas atuais e relatório sobre as ações dos funcionários públicos, executivos de empresas , grupos de interesse, e outros que exercem o poder.

Como se tornar um Repórter

A maioria dos empregadores preferem contratar repórters com diploma em jornalismo ou comunicação, mas algumas empresas também contratam profissionais formados em outras áreas.

Essas empresas procuram por repórter com experiência em jornais ou emissoras de rádio, e estágios em organizações de notícias. Jornais de grande circulação também podem preferir candidatos com um diploma de formação em um assunto específico como economia, ciência política, ou de negócios.

Alguns grandes jornais e as emissoras podem empregar apenas repórteres experientes.

Mercado de trabalho

Emprego deverá diminuir moderadamente nos próximos anos. A concorrência continuará a ser acirrada para trabalhos em grandes estações de transmissão, jornais nacionais, redes, e revistas.

Pequenas estações , publicações e jornais e revistas online, devem fornecer as melhores oportunidades.

Jornalistas talentosos que podem escrever sobre assuntos científicos e técnicos altamente especializados terão uma vantagem na hora de conseguir um emprogo como repórter.

Fonte: www.profissao.org

Dia do Repórter

16 de Fevereiro

O repórter é uma das mais importantes pessoas que trabalham nos meios de comunicação. Ele pode exercer a função de locutor, enviado especial ou mensageiro.

O repórter é a testemunha ocular de um acontecimento. Mediante sua atuação, podem ser vivenciadas as emoções do fato que está acontecendo.

Dia do Repórter

Ele busca a informação, colhe os dados, verifica as fontes, entrevista ou confronta as pessoas. Depois apura e organiza esses dados, para que se transformem em matéria viável.

O repórter que está no início de carreira, ou recém-formado, é chamado de "foca".

Os repórteres fotográficos e cinematográficos não redigem a notícia, mas fornecem as imagens documentais do fato. Seu trabalho, é necessário e importante, às vezes é premiado pela originalidade ou mesmo pela audácia da imagem gravada.

Esses profissionais se complementam dentro da redação.

Alguns coletam os dados e verificam as fontes, outros escrevem e revisam o texto final; os demais documentam os acontecimentos em imagens, sejam fotos ou vídeos.

Tudo isso faz da profissão do jornalista-repórter um leque de oportunidades e especializações que abrigam todos os talentos.

Para ser repórter, é necessário ter o curso superior de jornalismo, dentro da área da Comunicação Social. As atividades dos repórteres e jornalistas, na verdade, se confundem e respeitam a mesma ética e os mesmos objetivos.

Fonte: www.paulinas.org.br

Dia do Repórter

16 de Fevereiro

Entre as primeiras formas de jornalismo escrito destaca-se a transmissão de notícias em cartazes colocados nos lugares públicos, sistema encontrado nas antigas civilizações egípcia, babilônica, grega e romana, e que sobrevive ainda hoje nos jornais murais da China ou no Jornal do Poste, em São João Del Rei, Minas Gerais. Entre os escritos mais antigos com as características jornalísticas de variedade, atualidade e periodicidade, aparece o Acta Diurna Populi Romani, um boletim oficial criado por Caio Júlio César (100-44 a.C.), que mostrava notícias sobre jogos, batalhas, cerimônias religiosas, atividades no Senado, incêndios e outros assuntos, e era afixado em uma tábua branca - o álbum - no muro da residência de César.

Em 1440, Johannes Gensfleisch Gutenberg (1394-1468), tipógrafo alemão, inventou os tipos móveis, revolucionou o processo de comunicação em uma época de crescimento acentuado de cidades e desenvolvimento do comércio por toda a Europa.

Entretanto, ele jamais poderia imaginar que o seu invento beneficiaria o mundo da forma tão marcante como aconteceu, porque a partir do momento em que a impressão de livros se tornou mais fácil, a publicação de obras científicas, culturais, políticas, religiosas e de outros gêneros, cuja leitura ficara até então restrita à clausura dos mosteiros, permitiu que o conhecimento chegasse a um número cada vez maior de pessoas, o que, por sua vez, acabou fazendo surgir a necessidade de que outras formas de narrativa escrita fossem criadas.

Como os livros tratavam do passado, do que havia ficado para trás, criou-se então o jornal, veículo informativo usado para relatar acontecimentos recentes, ligados ao dia-a-dia das pessoas. A partir daí, o termo imprensa deixou de ser apenas a "máquina impressora" e passa a designar os meios de comunicação de massa.

Como no início do século 17 o número de pessoas interessadas nas notícias havia aumentando consideravelmente, os impressores da Inglaterra, da Alemanha e Países Baixos combinaram a troca, entre si, de notícias desses lugares, como forma de atender a seus clientes, de modo que as publicações começaram a aparecer regularmente em diversas cidades européias.

Em 1650, mais de 150 anos depois da invenção de Gutenberg, surgiu na Antuérpia o primeiro semanário regular, o Nieuwe Tydingen, mas os primeiros jornais, propriamente dito, foram o semanário Frankfurter Journal, fundado em 1615, a Gazette van Antwerpen, em 1619, o Weekly News, em 1612, e a Gazette de France, em 1621.

Daí em diante a imprensa cresceu sempre mais, desdobrou-se em segmentos que hoje mantém o público inteirado dos acontecimentos ocorridos no mundo praticamente no momento em que eles acontecem, adquiriu personalidade própria tanto em sua forma austera como sensacionalista, sempre amparada no trabalho desenvolvido pelos repórteres, aqueles que procuram as notícias onde elas estejam, e sem os quais desapareceria o que de mais importante existe nos agrupamentos sociais, que é a informação atual sendo transmitida de maneira correta e confiável.

Para homenagear os valorosos e nem sempre valorizados caçadores de fatos, foi instituído o Dia do Repórter, cuja data de comemoração é 16 de fevereiro.

Em seu livro Elementos do Jornalismo, editado em 2003, seus autores, Bill Kovach e Tom Rosenstiel, elaboraram uma lista com nove itens considerados fundamentais para o exercício da profissão de jornalista:

A primeira obrigação do jornalismo é a verdade.

Sua primeira lealdade é para com os cidadãos.

Sua essência é a disciplina da verificação.

Seus profissionais devem ser independentes dos acontecimentos e das pessoas sobre as que informam.

Deve servir como um vigilante independente do poder.

Deve outorgar um lugar de respeito às críticas públicas e ao compromisso.

Tem de se esforçar para transformar o importante em algo interessante e oportuno.

Deve acompanhar as notícias tanto de forma exaustiva como proporcionada.

Seus profissionais devem ter direito de exercer o que lhes diz a consciência.

Dentro deste contexto, a figura do repórter merece destaque. Personagem que surgiu com a chegada dos jornais impressos, o repórter é o responsável por trazer aos leitores as últimas notícias do que acontece aqui, ali e acolá. Hoje eles estão presentes em todas as mídias, seja o jornal, a TV, o rádio, e até mesmo a Internet.

FERNANDO KITZINGER DANNEMANN

Fonte: www.fernandodannemann.recantodasletras.com.br

Dia do Repórter

16 de Fevereiro

Repórter é aquele que ama ver, ouvir, ler tudo o que é notícia!

Gosta muito de fazer entrevistas e aparecer na telinha...

Acompanha de pertinho todas as novidades que acontecem no dia a dia do seu país e do mundo.

O repórter pode trabalhar tanto no rádio como na televisão e, ultimamente, até mesmo na internet.

Pegue um bloquinho de papel, uma caneta e faça uma entrevista com alguém que você admira.

Experimente ser repórter por um dia!

Fonte: www.smartkids.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal