Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Turbo  Voltar

Turbo

 

Turbo - O que é

Se você for comprar um carro e ver o termo "turbo" ou "motor turbo", isso significa que o motor utiliza um dispositivo chamado um turbocompressor.

Um turbocompressor é uma parte adicionada que utiliza gases de escape reciclados para aumentar a potência.

Um turbo pode aumentar significativamente a potência de um motor sem aumentar significativamente o seu peso, que é a isso que os torna tão populares.

Turbocompressor é um dispositivo que fornece ar para um motor a uma pressão mais elevada do que o normal para aumentar a potência do motor.

Um turbo pode aumentar significativamente a potência de um motor sem elevar muito seu peso, e é isso que os torna tão populares.

Aplicações do turbo

Podem ser aplicados apenas em motores de explosão 4 tempos, pois motores 2 tempos exigem a transferência de ar pelo virabrequim, com o turbo isso fica impossível pois a quantidade de ar seria muito grande e impossibilitaria a explosão, pois a mistura ficaria pobre. Em caso de turbos adaptados, o ganho excessivo de potência (acima de 50%) pode acarretar em diminuição da vida útil do motor.

O exagero no aumento da força pode fazer necessárias alterações estruturais em outras parte do motor e até no chassis no veículo, que pode vir a sofrer torção.

O uso do turbo compressor está associado a um maior consumo de combustível erroneamente, pois o sistema apresenta uma correta optimização da alimentação do motor, por muitas vezes a forma desportiva inconsequente de condução do veículo é de fato a verdadeira causa do maior gasto.

A História do turbo Compressor

Turbocompressor, superalimentador de ar e turbina são apenas alguns dos nomes mais utilizados para o sistema que foi inventado pelo suiço Alfred Büchi em 1905, na busca por melhorar a performance de motores a combustão interna.

Sua primeira aplicação foi em locomotivas à diesel e, em 1920, a companhia norte-americana General Eletric passou a aplicar a tecnologia em aviões com motores Pratt&Whitney, evidenciando o desenvolvimento de equipamentos militares.

A partir da década de 30, vários outros motores de aviões militares passaram a utilizar o turbocompressor, o que permitiu vôos mais altos, antes impossibilitados justamente pela falta de pressão do ar. A turbina utiliza a energia cinética oriunda dos gases de escape do motor para acionar o compressor.

Esta, por sua vez, através de um eixo, transfere esta energia ao compressor localizado na admissão do motor. Ao atingir determinada rotação e carga, o compressor começa a gerar pressão positiva no coletor de admissão. Ou seja, ele aumenta a massa de ar que o motor admite por ciclo, fazendo isso ao comprimir o ar.

Entrentanto, esta compressão do ar, o faz aquecer (e muito). Com o ar quente, a densidade do oxigênio diminui. E todo a potência de um motor é gerada basicamente da mistura de combustível e oxigênio. Dado este problema, do desenvolvimento de sistemas superalimentadores criou-se o dispositivo chamado de Intercooler, que nada mais é do que um radiador que resfria o ar entre o compressor e a admissão, aumentado novamente a quantidade de oxigênio (ou sua densidade).

O constante desenvolvimento deste equipamento ao longo de mais de 100 anos, torna possível prever-se que o futuro dos motores à combustão interna esteja cada vez mais ligado ao turbo, pois esse equipamento permite o desenvolvimento de motores cada vez menores e, ao mesmo tempo, mais potentes. Uma tendência já denomidada downsizing que pode ser aplicada tanto em motores de ciclo Otto (gasolina, álcool, gnv, etc.) como de ciclo Diesel, buscando cada vez mais potência com menos consumo e emissão de poluentes.

Como turbinar seu carro

Na década de 80 no Brasil, o turbo compressor era um item pouco conhecido e poucas pessoas tinham acesso a este item tão popular e acessível nos dias de hoje. Naquela época, a colocação de um kit turbo exigia grande investimento e poucas eram as oficinas capazes e qualificadas a instalação e acerto do motor.

Com o passar dos anos e com uma legislação mais flexível para importação, o turbo, passou a ser cada vez mais acessível para um crescente número de pessoas.

A partir daí as "antigas" receitas de preparação começaram a perder espaço para uma solução bem mais simples do ponto de vista de alterações mecânicas e que sobretudo produzia resultados mais expressivos.

Na mesma medida, a procura por oficinas de preparação para a colocação do famoso turbo cresceu muito. Paralelamente a este crescimento, empresas nacionais começaram a produzir seus próprios kits, adequando de uma forma mais precisa seu produto aos veículos brasileiros.

Atualmente instalar uma turbina em um motor, constitui a principal forma de preparação quando se pensa em extrair maiores doses de potência, sem que se tenha que lançar mão de muitas modificações. Com esse equipamento é possível dobrar a potência de um motor sem fazer nenhuma alteração na sua parte interna.

Obviamente que em situações como esta, a durabilidade das peças móveis internas (e mesmo algumas fixas) do motor pode sofrer uma redução considerável, particularmente determinada pela forma como o "novo" motor for tratado.

Parte importante do resultado, vai depender do bom acerto do motor para que você não tenha quebras ou desgaste prematuro e fique na mão. A escolha de um bom profissional, também é um aspecto crucial.

Sendo bastante generalista, a princípio existem duas maneiras de extrair potência extra de um motor.

A primeira se dá por meio de artifícios diversos, como: aumento da cilindrada, trabalho no cabeçote, comando de válvulas, remapeamento de injeção (ou afinação da carburação), ignição, etc. A utilização destas "receitas" - combinadas ou individualmente - produzem também resultados mas a custo de mais trabalho, às vezes investimento e ainda requer maior especialização e conhecimentos técnicos.

Antes de mais nada - e como é comum a praticamente qualquer outra receita - uma adequada e responsável instalação, requer uma prévia checagem do estado geral do motor. Se o mesmo não estiver 100%, esqueça. O primeiro passo neste caso é deixá-lo em boas condições. Não bastasse isto, é preciso conscientizar-se que todas as peças e sistemas de seu veículo irão sofrer uma redução em sua vida útil e que os prazos e o rigor na manutenção deverão ser mais intensos e freqüentes. O passo seguinte é definir qual será o uso que se vai fazer do automóvel, ou seja, predominantemente em estrada, em cidade ou uso misto?

Verificados estes requisitos, o que se segue é determinar o tamanho da turbina, já que existe uma variada gama de tamanhos, de acordo com o comportamento que se quer. Mesmo os menos leigos, é conveniente que tenham ajuda de um bom profissional, para que não se coloque uma turbina com especificações inapropriadas ao seu equipamento e ao que você quer em termos de desempenho. Uma turbina de dimensão errada pode trazer uma série de inconvenientes.

Por exemplo, vamos supor que seu carro tenha um câmbio com relações curtas e que seu motor não atinja regimes de rotações elevadas e que você decidiu-se pela colocação de uma turbina muito grande, como a .70. Sabe o que vai acontecer? A turbina não vai conseguir encher, ou seja, quando você esticar uma determinada marcha até o limite de troca, a turbina ainda não estará em funcionamento pleno e, portanto, não vai comprimir a quantidade ideal de ar é preciso.

Entendeu? Você não vai ter um aproveitamento da turbina e conseqüentemente seu desempenho será abaixo do possível.

Veja que esse é só um exemplo. Esta situação ocorre com razoável freqüência, quando o "profissional" que realizou o serviço, não tem o conhecimento necessário para tanto. É comum encontrar pessoas rodando por aí dessa maneira, sem saberem da verdadeira causa do problema. Este é apenas um dos muitos "problemas" que um dimensionamento e instalação incorretos do sistema pode provocar.

Mas afinal, qual a "mágica" por detrás do turbo? O seu princípio e funcionamento, são bastante simples.

A princípio podemos dizer que ele é composto de duas partes: os caracóis. O primeiro, consiste de uma carcaça, comumente chamada de parte "quente", ou simplesmente turbina. Na parte quente, há uma hélice que é movimentada pelos gases de escape.

Essa hélice é ligada a um eixo que aciona uma segunda hélice na carcaça ou caracol adjacente (na parte fria ou compressor) que utilizando uma geometria de pás apropriada, aspira grande quantidade de ar para seu interior. O papel do compressor é como o próprio nome sugere, injetar o ar comprimido dentro do motor. É justamente neste ponto que ocorre a "mágica". Com maiores quantidades de ar, pode-se ter também mais combustível e, portanto explosões mais poderosas dentro de cada cilindro, gerando assim a tão desejada potência extra.

As turbinas dependem de um certo giro do motor (regime de atuação) para começar a pressurização. Isso está ligado novamente ao tamanho da turbina. Não quer dizer que uma turbina pequena seja melhor. Com já dissemos, isso vai depender do tipo de motor e do câmbio que seu carro tem. Turbinas pequenas tem uma resposta mais rápida, ou seja, elas enchem mais rápido e em uma rotação mais baixa. Em contrapartida, não são apropriadas quando se quer pressões elevadas.

Outra consequência de usar um turbo pequeno, que em uma viagem, por exemplo, elas estão sempre acordadas (cheias). Em uma possível situação, o motorista não conseguiria andar em uma rotação compatível com o trânsito. Com isso o consumo de combustível aumenta consideravelmente e diminui muito a durabilidade da turbina, pois ela está sempre atuando em regime máximo.

Bem resolvida a questão tamanho, vamos definir que pressão utilizar. Aqui novamente os sedentos por potência, vão querer andar com o máximo de pressão possível. Mas não é bem por aí. A pressão é um item IMPORTANTÍSSIMO e é ele que determina não apenas a potência final como a durabilidade de todo o conjunto.

Para um motor original a gasolina e em perfeitas condições pode-se utilizar uma pressão de até 0.8 bar sem maiores problemas. Já em um motor a álcool original, a pressão não deve exceder 0.4 bar. Isso se explica, uma vez que o motor a álcool é muito taxado, ou seja, tem uma taxa de compressão muito elevada em relação aos motores a gasolina. Observe que estes valores, são parâmetros para uma utilização menos sujeita a problemas e sem que seja necessário realizar outras alterações mecânicas. São números bastante confiáveis para uso quotidiano.

No caso de se empregar pressões mais elevadas, são necessárias uma série de modificações. A principal delas é a troca do conjunto de pistão e bielas por outro de materiais mais resistentes para suportar altas pressões e temperaturas. Quanto maior for a pressão maior será a temperatura no interior dos cilindros e maior a pressão exercida sobre o pistão e biela.

Com essas alterações você vai poder utilizar pressões bem maiores. Mas lembre-se que essas regras valem para motores a gasolina. Motores a álcool mesmo com as partes baixas forjadas, correm sério risco de estourar por causa da alta taxa. O ideal é utilizar um motor originalmente que utiliza gasolina e utilizar álcool como combustível. Isso porque o álcool tem uma melhor queima e é menos propenso a detonação (batida de pino).

O fato de motores sobre-alimentados passarem a operar com temperatura no interior do cilindro muito alta, faz com que as velas também tenham que ser revistas e substituídas por velas mais frias. Para pressões ainda mais altas, alguns outros itens têm que ser revistos e substituídos A embreagem é o primeiro item a ser substituído.

Com o aumento de potência provavelmente ela vai começar a patinar e com isso a potência não vai ser totalmente transferida. O câmbio, freios, coxins, enfim tudo precisará ser redimensionado. Suspensão, pneus e rodas também vão sofrer mais solicitações com o aumento de potência. Rodas e pneus de diâmetro maior podem ajudar na hora de tracionar.

Afinal, como já dizia o velho" comercial de pneus: "De nada adianta potência sem controle".

Turbo - Motor

Motores com kit turbo compressor se alimenta também com dois tipos de alimentação, aspirado ou injeção eletrônica.

O motor turbo compressor ele trabalha pressurizado, ou seja, ele trabalha com pressão no cilindro. Diferente de motores aspirados que aspira o ar, o turbo compressor empurra o ar para dentro do cilindro que é feito por uma peça semelhante a um ventilador. Porque a vantagem em motores turbo compressor ao aspirado? Isso acontece porque o turbo compressor está sempre mandando o ar para dentro dos cilindros aproveitando a queima e gerando mais potência em relação a motores aspirado (puxa o ar).

E é muito fácil ganhar potência em motores com kit turbo compressor fazendo ajuste na válvula de alívio (westgate ou pop-off). Recomendado até 0.8kgf/cm² para preservar a vida útil do motores de uso diário.

Turbo
kit nitro

NITRO

nitro (NO2) a injeção de nitro é feito em sitema de caburador ou injeção eletrônica. Ele é usado mais em carros que já tenha uma preparação elevada, pois o uso errado na dosagem do nitro pode causar quebras no motor. Sendo preciso o nitro é um equipamento que garante uma potência em torno de 70 a 90 cavalos de acordo com a preparação que é feita. Geralmente o uso do nitro é feito em rotações altas, mas ele garante a potência até o final do tanque onde fica armazenado o Nitro, e dependendo de como for a "dosada" ele rende numa média de 10 dosagem de nitro.

ASPIRADO

Motores aspirado se alimenta em dois tipos de alimentação (carburador e injeção eletrônica). Mas porque o nome aspirado? O próprio nome já diz, ele aspira (puxa) o ar para que seja feito a queima dentro do cilindro do motor. Assim definimos um motor aspirado. E quando se trata de um motor modificado (preparado) a tendencia do motor aspirado é trabalhar com trocas de marchas mais elevado, ou seja, as trocas de marchas é feita em rotações mais elevada (RPM). Portanto um motor aspirado trabalha com rotações mais alta, mas ele perde força em velocidade final pelo fato do motor não conseguir mais força para aspirar (puxar) o ar dentro do cilindro. Para se conseguir uns cavalos a mais nos motores aspirado é muito mais trabalhoso elevando seu custo e beneficio, diferente de carros turbo. Veja abaixo o porque desse custo e beneficio.

BLOWER

Blower, também conhecido como compressor volumétrico, superchager ou kompressor (nome utilizado pela Mercedes) nada mais é que uma bomba de ar ligada ao virabrequim do motor por correia que, utilizando a força motriz do mesmo, "empurra" mais ar que o motor aspiraria normalmente. Um compressor eficiênte é aquele que desloca maior quantidade de ar, aquecendo o mínímo possível e com menor esforço. Resumindo, é aquele que possuí melhor eficiência volumétrica e térmica.

São classificados em 3 tipos:

Centrífugo
Tipo roots
Tipo parafuso

Como montar seu carro turbo

Suspensões (retrabalho no curso e pressão do sistema);

Freios (o carro vai passar a atingir velocidades maiores, e as freadas passam a ser mais exigentes, é importante rever o sistema de freios);
Pneus
(você sabia que todos pneus têm um limite de velocidade e ela está indicada visivelmente na faixa do pneu? O seu agüenta chegar a 200km por hora sem explodir?);
Embreagem
(não pense que a original pode quebrar um galho, ela quebra antes disso);
Segurança reforçada
(barra anti-torção, reforços no chassi e até chassi tubular, ótimos para não quebrar o carro no meio);
Acessórios
(manômetros, marcadores, RPM e tudo isso não servem como enfeite, alguns são feios, mas são úteis pra kct);
Volante
(será que os volantes de competição são apenas “bonitinhos”? ou garantem manobras em situações que exigem respostas rápidas?);
Bancos e cintos de segurança
(alguns são duros mas ajudam seu corpo a não deslizar pelo carro em alguma curva ou ultrapassagem);
Utilitários para vida útil do motor
(intercooler, filtros e algumas dicas básicas para não danificar o motor e a turbina);
Condutibilidade
(essa palavra parece estranha? Então esqueça, você não merece um carro turbo. Seu modo de conduzir o carro que vai garantir sua segurança e a de outros bem como a vida útil de seu motor);
Paciência
(não tenha pressa em montar o carro);
E por fim, cabeça no lugar, quem monta um carro forte pensando em aparecer consegue isso (inclusive costuma sair em boletins de ocorrência, jornais, lista de óbitos etc).

Motor

Todo motor aceita turbo, seja ele 1.0 ha 4.2 etc. A diferença sera os kits que você deve usar em cada caso, e qual a pressão que você busca.
Para quem quer dar apenas uma pequena envenenada no carro, apenas aumentar a potencia é indicado usar pressão de 0.6, na qual não ha necessidade de mecher no motor( forjado).
Para quem busca acima de 1.0 ha 1.2 pressão, precisa trocar cabos de velas, velas, mudar filtros, mudar combustivel(carros no flex) passar para alcool.
Para quem busca pressão acima de 1.2 pressão, precisa mecher no motor, neste caso deve se fazer pequenas modificações, neste caso fica ha criterio do quanto você quer gastar e de quanto seu motor aguenta( trocar bielas, pistões, rebaixar cabeçote etc, como falei, fica criterio do dono). Motores AP 1.6 e 1.8, aguentam pressão de 1.5 sem precisar mecher.
Pressão acima de 2.0, precisa usar motores ja preparados para tal turbina, nste caso, pode se comprar o motor ja com a turbina, as lojas pegam o seu original e você o motor com a turbina, tem as vantagens e desvantagens neste caso. Vantagem é que você faz esta troca no mesmo dia, ja sai com o carro pronto.
Desvantagem, não pode ser retirado a turbina, quer voltar ao motor original, vai ter que comprar outro.
Booster, um mecanismo usado para mudar a pressão da trubina, você regula ha pressão conforme sua necessidade, deixa ela para 0.6 e com booster ligado joga para 1.2, neste caso ha um grande cuidado, pois se estiver numa rotação errada do motor, a quebra do mesmo é inevitavel. Outra coisa, não espero um arranque brusco usando o booster como o do nitro, ele vai te dar a resposta assim que encher a pressão marcada na turbina. Outra coisa é odesgaste trazido para o motor por seu uso é o da maior carga exigida pela maior potência produzida.

Freios

Se não for mecher nos freios, nem pense em colocar turbo no carro, pois o carro vem de fabrica com freios preparados para tal potencia, mudou esta potencia, deve-se mudar todo o jogo de freio, pense bem, um carro que não tem final acima de 150km e com turbo chega ha 220km, como parar isso.
Buscar saber detalhes dos seus freios originais, e buscar em lojas especificas o melhor freio para seu carro, lembrando que preço neste caso faz diferença sim, afinal é de segurança que estamos falando.
Buscar pastilhas esportivas, modelos de ceramica, na qual tem uma aderencia muito maior na freagem.
Discos perfurados(ventilados), para uma maior refrigeração, de preferencia discos importados, pois são proprios para carros de competições.
Lembre-se freio novo, requer oleo novo, use oleos que o fabricante indique, pois não é qualquer oleo recomendado, pois o aquecimento de um freio de carro turbo é maior do que original.
Discos traseiros é fundamental, e segue mesmo principio do dianteiro, o que vai la vem aqui tambem, pois o carro precisa de mais precisão para frear, afinal a potencia subiu.
Uma coisa super importante quando se diz na freagem é, você com carro original segira o carro na marcha(reduzida) carro turbo NUNCA se reduz marcha, NUNCA, pois a pressão que vai surgir, vai fazer seu motor partir no meio, lembre-se, ele precisa de pressão para dar potencia, e quando se reduz na marcha, a pressão gerada no motor, vai fazer faltar espeço para sair, e quando isso acontece, não ha parafuso que aguente. Por isso, nunca reduza carro na marcha.

Suspensão

A suspensão original foi projetada e desenvolvida para oferecer conforto, segurança e estabilidade para determinado tipo de veículo com sua configuração original, peso, pneu e capacidade de carga. Logo um carro que pesa 1,2 toneladas com motor 1.8 e potência de 100cv teve sua suspensão projetada para essas medidas.

Agora imagine que você instalou um kit turbo básico neste mesmo carro, e que dos normais 100cv o motor renderá 160cv. Pronto, 160cv não é nada assustador, mas em um carro de 100cv é um ganho de 60% a mais de potência! E o kiko? Simples!
Vamos exemplificar: imagine-se no seu joguinho de futebol de final de semana com os amigos, bom né? Agora imagine que no próximo domingo você estará com suas perninhas 60% mais fortes, apenas os músculos mais fortes. Não acha que seus tornozelos de frango e joelhos de pato também precisariam estar mais fortes para suportar a carga das novas panturrilhas de elefante? Pois é, se você não fortalecer suas juntas e ligamentos você não irá render a força descomunal que tem nas pernas e ainda corre o risco de sofrer uma séria lesão. Ta Dr., mas e o carro turbo?
O mesmo principio se aplica ao carro, se ele tiver uma potência de motor 60% maior que a potência original e não estiver bem calçado ele não irá fazer uso desta potência pois haverá um grande desperdício, ele pode quebrar facilmente a suspensão original e o pior de tudo ele não estará seguro.
Então quer dizer que eu só preciso rebaixar o carro? NÃO!
Você precisa adequar toda o seu conjunto de suspensão a nova realidade do carro, e isso inclui retrabalhar amortecedores em sua pressão e curso, inclui escolher molas adequadas e buchas também. Talvez você não tenha grana para colocar todas as buchas em material especial e molas altamente preparadas, mas elas precisam ser novas jamais use molas ou buchas gastas e danificadas, os amortecedores obrigatoriamente precisam passar por um novo acerto de pressão e curso. Para isso procure empresas sérias que estão no mercado há tempo ou que tenham profissionais experientes, vá a provas de arrancada e escolha entre os patrocinadores dos melhores carros.

Rebaixar carros está muito ligado a alta performance, pois quando bem feito o rebaixamento de suspensões garante maior estabilidade em uma tocada esportiva. Mas FIQUE ESPERTO fuja dos caras que anunciam que encolhem mola com calor, com grampos, com amarrações ou mandingas/urucubacas.
Isto é sério, carros rebaixados que apenas cortam as molas são perigosos para andar e ainda por cima ficam tudo arrebentados, pois todo o impacto que deveria ser recebido na suspensão do carro é passado para o chassis e isto vai causar trincas, rachaduras além de rangidos. Isso sem contar que uma encrenca rebaixada sem critérios nunca vai estar alinhada (adeus pneus...).
Converse com preparadores de carros, conheça as leis sobre modificação de suspensões, avalie o uso que você irá fazer do carro, lembre da cidade de São Paulo que tem vias maravilhosas para estourar amortecedores e fuja das fórmulas mágicas.
carro rebaixado é muito bonito e anda melhor, isso ninguém nega, mas essa regra se aplica somente em carros que tem suspensões preparadas. O resto? O resto só serve para queimar o filme de quem realmente quer um carro bom e não está tão preocupado em aparecer nas portas de baladinhas na Vila Olímpia com carros socados.
Para carros preparados você pode optar por suspensões fixas com trabalho nos telescópios, amortecedores e molas, e também existe a opção da suspensão de rosca, onde você pode definir a altura do veículo sempre que desejar (manualmente), mas nesta opção fique sempre atento se não houve alteração no alinhamento e cambagem.
Você também pode instalar a suspensão a ar e seguir os mesmos cuidados recomendados da rosca. E já tem no Brasil algo muito louco que é a suspensão hidráulica, mas esta opção já não está ligada a preparação é outro esquema...
Só para lembrar: Já vi muitos carros fortes serem espancados por carros mais fracos em motor, onde algumas vezes a suspensão fez a diferença.

Óleo

Carro turbo, usa uma queima muito maior do oleo, no caso deve ser feito a troca em media com 1000 a 3000 mkm.
Carros com pressão até 0.6, pode usar a troca de 3000mkm.
Carros acima de 0.6, deve ser feito a troca a cada 1000mkm, pois a queima é muito maior, e a lubrificação ja acabou.
Busque o melhor oleo com o modelo que você instalou no seu carro, neste caso o seu preparador sabera te dizer.
Filtros de oleo, gasolina, Ar, deve ser feito junto com o oleo, nunca tente economizar nestes requisitos, afinal é do seu motor e da sua segurança que estamos falando, por isso todas as peças devem trabalhar na mesma sintonia. Oleo novo, filtros novos.
Aditivos para agua deve ser colocado constantemente, pois é ela a responsavel pela (saude) do seu motor, ele precisa ser refrigerado, e para isso precisa de agua limpa. Hoje varias lojas vendem aditivos proprios para motores turbos, veja com seu preparador, qual o melhor a ser usado no seu carro.

Turbo Timer sensor

Este equipamento é o maior avanço para quem usa turbo-Compressor, pois evita o desgaste prematuro da turbina, causado pela interrupção do fluxo do oleo quando o motor se encontra em rotação elevada.
Ele manter ligado a turbina por cerca de 40s, depois que é desligado a ignição, neste caso, ele faz a baixa da pressão, evitando assim uma possivel quebra.

Acessórios

O que usar de acessorios no carro turbo. Ai fica a seu criterio do que você esta usando de potencia.
O mais usado hoje é um conjunto de manômetros com 3 relogios nos quais são. Temperatura oleo(pressão oleo), misturador gasolina, pressão do turbo.
Nos carros acima de 1.0, é muito usado o Hallmeter, na qual mostra pressão ar/combustivel.
Contagiros vai de cada um, alguns usam os originais do carro para pressão 0.6, quando usa pressão acima de 1.0, coloca um a parte, pois precisa de um maior giro, no caso é mais usado os de 10.000rpm, com shift-light. Varios modelos vem com computador nos CG, você pode programar 3 niveis de pressão para acender o SL.
Todos estes acessorios podem ser usados de diversas maneiras nos carros, ai vai do gosto de cada um, os relogios podem ser colocados nas colunas, ou no centro do painel. Abaixo vou colcar alguns modelos que retirei do ML. Fica ai umas dicas.

Embreagem

Carro turbo pede nova embreagem, então abra a carteira, aumente o limite do cartão.
Nada de usar embreagem original ela não aguenta e vai te deixar na mão, use sempre embragem de ceramica, pois ela ja é para esta finalidade. Hoje tem diversos modelos, diversos preços, ai vai do seu bolso e da sua necessidade. carro potente pede embreagem potente.

Custos

Para um carro que vai manter 0.6, tera o custo do kit turbo, e da manutenção que tera que ser feita mais regurlamente, no caso limpeza e ajuste da turbina.
Para carros com pressão acima de 1.0, precisa de uma manutenção mais especial, pois a turbina deixa o motor com lenta mais baixa, precisa de regulagem da injeção e carburador com mais atenção, no caso carburador a quantidade de sujeira é muito grande, e precisa sempre de uma limpada em todos os comandos.
Consumo de combustivel varia muito da pressão do kit, e do pé do motorista, no caso elevasse um consumo de 30 a 100%. Como disse, vai do kit e do pé. Pisou, bebeu mais.
Tem que estar seguro que se não souber andar, a chance de quebrar é alta e claro, o custo vai subir nas nuvens.
O desgaste das peças para pressão acima de 1.0 é muito mais alta, e quando precisar trocar, nunca use peças paralelas(baixo custo) pois elas vão quebrar com mais facilidade, use sempre peças originais, ou esportivas, que ja foram feitas para isso.
Trabalha na Pirelli ? não. Então não tem necessidade de ficar (fritando) pneu, alem de ser uma burrice, a chance de quebrar seu carro é muito grande, pois se não souber manter a pressão exata, ela vai fazer seu motor abrir em dois.
Nenhuma seguradora esta fazendo seguro em carro turbo, cuidado nesta hora. Pense bem se vai valer a pena. Se ja tiver seguro e colcoar turbo, caso haja um incidente, suas chances de ter outro carro é zero.

Legalizar

A grande duvida hoje é, pode legalizar carro turbo ?

Pode.

Para fazer isso, na oficina credenciada pelo Detran, faça todos os testes especificos, pegue a carta de autorização e va até o Detran mas proximo. De entrada no processo e na vistoria. Atenção, cuidado com o misturador de combustivel, ele não pode estar desrregulado, pois se marcar excesso de gases poluentes, esqueça.

Não tenho os valores exatos aqui, mas vai gastar em media uns R$200.00 reais com testes e novos documentos.

Atenção, isso tambem vale para suspensão, tem que ser molas e amortecedores esportivos(molas cortadas, torres, susp.ar) não passa na vistoria.

Fonte: www.bf2brasil.com/rallyracing.com.br/www.autotrader.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal