Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Mecânica / Direção Elétrica

Direção Elétrica

Direção Elétrica – O que é

PUBLICIDADE

Direção Elétrica
Direção elétrica reduz esforço do motorista e proporciona precisão

Alguns visionários andam exagerando e apregoando aos quatro ventos que a direção hidráulica está com os dias contados.

Exagero?

Nem tanto. Os entendidos dizem que esse importante sistema que dá manobrabilidade aos autos de fato sairá de cena, mas isto é para o futuro, bem lá na frente, esclarecem.

Nada de pressa. No centro da discussão está a direção elétrica, um dos mais recentes avanços técnicos da indústria automobilística mundial.

A ampliação do conceito de energia limpa e a tendência de, no futuro, os veículos utilizarem a mesma energia são alguns dos motivos que deram margem a esse desenvolvimento, explica Marcelo Arronilas, supervisor de Engenharia da TRW Automotive. Além disso, os recursos de controle via software contribuíram para tirá-la do papel, finaliza.   

Direção eletricamente assistida, ou, em inglês, EPAS-Electric Power Assisted Steering. Esse é o nome de batismo da novidade, um salto tecnológico que ganhou as pranchetas em 1995 pela mãos da LucasVariety, em Sheirley, na Inglaterra. Coube à Itália a primazia de principiar na prática o uso do novo sistema, isto em 2001, inovação que desembarcou ao Brasil em 2003 com o Fiat Stilo.

A direção elétrica já chegou ao Citroën C3 e ao Mégane, da Renault.        

Por se tratar de um equipamento ainda de valor elevado para o bolso do brasileiro, ele equipa por ora apenas alguns poucos modelos.

O sistema é importado e sua nacionalização não é viável no momento, dado o pequeno volume da demanda no Brasil. Arronilas diz que nas nações mais desenvolvidas, os veículos populares ainda continuam saindo de linha equipados com direção hidráulica convencional. Os outros modelos, contudo, já estão sendo lançados com sistemas elétricos, esclarece.

AUTOCENTRALIZAÇÃO – Mas, pergunta-se, como tudo isso funciona?

O técnico da TRW explica: Um motor elétrico é solidário a um eixo sem-fim, que engrena a uma coroa  que, por sua vez, é solidária à coluna de direção. Um sensor de torque e posição também é solidário à coluna de direção, onde os sinais são interpretados pela ECU (Central Eletrônica), que controla o motor elétrico.

Ele afirma que no caso do Stilo, graças a uma tecla chamada City o sistema se apresenta extremamente leve para manobras de estacionamento até 36 km/h.

Em outras palavras, o sistema tem assistência variável: conforme a velocidade se eleva, o nível de assistência é reduzido, visando proporcionar maior segurança ao dirigir. Isso evita o efeito que decorre da direção muito leve quando em altas velocidades.

Arronilas acentua que o sistema também possui o recurso de auto-centralização. Algumas geometrias de suspensão não proporcionam o retorno ao centro de maneira balanceada e eficaz, já o sistema de direção elétrico é capaz de reconhecer a condição de retorno ao centro. Ou seja, a assistência ao retorno é total.

Mas, não é apenas isso. O sistema em franca evolução mundo afora ainda tem a qualidade de atenuar um outro efeito que é decorrente do ato de acionar e posteriormente liberar o volante, a tal pendulação. É quando, em vez de atingir a posição central e estabilizar, o volante passa do ponto e origina aquele vaivém que muitas vezes desestabiliza o veículo.

Tem mais. Arronilas salienta que um dos mais acentuados benefícios do EPAS é proporcionar economia de combustível, pois quando o sistema não está em uso o consumo de energia é extremamente reduzido. Esse funcionamento é diferente dos sistemas convencionais, em que a bomba hidráulica é constantemente acionada pela correia do motor, gerando dissipações de energia.

O sistema promove extrema facilidade à calibração das montadoras para o comportamento estático e dinâmico do veículo, pois esse comportamento é definido via programação e, em minutos, há a possibilidade de definição de sistemas completamente distintos.

CARTA NA MANGA – As vantagens permitidas pela direção eletricamente assistida não param por aí. Segundo Arronilas, podem ser enumerados outros ganhos, tais como conforto, uso de energia limpa (sem riscos de contaminação com óleo) e ajuste pelo motorista (City).

Isso sem contar a futura interação do sistema com a dinâmica veicular. Vai ser possível fazer manobras de baliza sem a dependência da presteza do motorista, pois a direção eletricamente assistida ajuda nas correções das possíveis instabilidades do auto graças exatamente à interação com outros sistemas do veículo, diz.

Ele lembra que outra carta na manga da tecnologia EPAS diz respeito à ligação mecânica entre o volante e o sistema que aciona as rodas. Os aviões já são conduzidos por sistemas elétricos sem ligações mecânicas entre o manche e os flaps (flying by wire).

É tudo uma questão de tempo: um dia essa tecnologia será aplicada aos veículos (Steering by wire Direção por fios).

No futuro, garantem, o controle da direção elétrica vai operar integrado aos sistemas de suspensão e frenagem. O supervisor de Engenharia da TRW Automotive conta que já foram desenvolvidos sistemas protótipos nos quais o veículo passa pela vaga e realiza a baliza, sem o motorista tocar no volante.

Há um outro controle de estabilidade do veículo em que os sistemas estão integrados. Dizem que a direção elétrica pode ser instalada em veículos que não foram originalmente montados com o sistema.

Arronilas é meio cético, pois essa mexida enfrenta alguns empecilhos: as colunas produzidas atualmente não possuem memória reprogramável e os ajustes necessários para adaptação se tornam impossíveis no EPAS.

Além disso, é necessário que o veículo seja dotado de rede CAN. Há a possibilidade de um sistema eletrônico externo simular a rede CAN, mas o instalador deverá conhecer o protocolo e os endereços onde o EPAS buscará as informações dados que apenas o fabricante possui, finaliza.    

As vantagens da direção elétrica

Precisão nas manobras e menor esforço. Estas são as principais vantagens da direção com assistência elétrica, um sistema em que um motor elétrico substitui a bomba hidráulica da assistência convencional.

Entre as vantagens está o menor consumo de energia do motor, ausência de fluido (o que reduz a manutenção e é benéfico ao meio ambiente) e a facilidade ao fabricante de ampliar a assistência quando desejado, como no sistema Dual Drive do Fiat Stilo (um botão no console aciona a função City, que torna a direção 50% mais leve).

A direção elétrica proporciona mais leveza nas manobras com o carro parado e mais segurança em velocidades mais altas. Esse tipo de direção é um sistema totalmente elétrico, independente do motor. Apresenta melhor eficiência na utilização do espaço do compartimento do motor, operação menos danosa ao meio ambiente, maior flexibilidade de projeto e maior economia de combustível, graças à redução das perdas de energia do motor.

Este projeto elimina bombas e mangueiras e reduz o tempo de trabalho manual na montagem. A direção elétrica possui uma regulagem mais fina. Na assistência hidráulica, utilizada na maioria dos veículos, a força é feita por uma pressão hidráulica. Esta, está sujeita a vazamentos de fluido hidráulico, o que não acontece na elétrica”, explica Paulo Lozano, Diretor Técnico da AEA (Associação de Engenharia Automotiva).

Veículos como o Fiat Stilo e o Cintroën C3 são equipados com a chamada direção elétrica.

A direção elétrica possui sensores que informam a velocidade do veículo e a rotação aplicada pelo motorista ao volante a uma central de controle (UCE).

Com estas informações, a central determina a direção e a intensidade da assistência e controla um motor elétrico que atua na coluna de direção.

Este motor elétrico possui um torque que varia de acordo com a necessidade da assistência calculada pela central. Existem diferentes opções de dirigibilidade aumentando (ex.: manobras com o veículo parado), ou diminuindo (ex.: estradas), o grau de atuação do motor elétrico.

A UCE possui autodiagnóstico que checa todas suas funções, monitorando qualquer problema. Em alguns países, a direção elétrica já pode ser instalada em um veículo que não possua este dispositivo instalado em sua fabricação.

Num futuro próximo o controle da direção estará integrado com os sistemas de suspensão e frenagem, proporcionando aos motoristas maior segurança e estabilidade.

“Hoje ainda poucos veículos utilizam a direção elétrica. As diferenças entre ele e a hidráulica são mínimas. Prevalecerá aquela que apresentar melhor custo e desenvolvimento tecnológico”, explica Lozano.

Entenda um pouco mais sobre a direção com assistência elétrica:

A direção elétrica é um sistema independente do motor, totalmente elétrico;
Sua função é auxiliar o motorista, reduzindo seu esforço e proporcionando maior conforto e mais precisão nas manobras;
Dispensa a tradicional bomba hidráulica e fluido utilizados nos antigos sistemas de direção hidráulica. Por isso é considerada ecologicamente correta;
A direção elétrica possibilita uma economia de combustível de até 5%, por não consumir potência direta do motor e não estar ligada diretamente a ele por nenhum tipo de correia. Proporciona também redução de ruídos e do peso do veículo.

Direção Elétrica – Sistema

Direção Elétrica

A direção elétrica é um sistema totalmente elétrico, independente do motor.

Apresenta melhor eficiência na utilização do espaço do compartimento do motor, operação menos danosa ao meio ambiente, maior flexibilidade de projeto e maior economia de combustível, graças à redução das perdas de energia do motor.

Este projeto elimina bombas e mangueiras e reduz o tempo de trabalho manual na montagem.

Direção Elétrica – Funcionamento

Direção Elétrica
Fiat Stilo – Direção Elétrica

O funcionamento é totalmente independente do motor, dispensa bomba hidráulica, fluido e todas as correias que fazem a bomba de óleo funcionar, comum nos carros com direção assistida hidraulicamente.

Esse equipamento não retira potência do motor, o que além de melhorar o desempenho, também proporciona economia de combustível. Ainda é visto como ecologicamente correto, pois não utiliza o óleo e também minimiza ruídos.

Existem direção elétrica onde a caixa de direção possui um motor elétrico e existem coluna de direção elétrica,  onde a caixa de direção é mecânica e a coluna que reduz os esforço ao esterçar  a direção

Ex: Fiat stilo, Renault megâne, Kia soul..

Fonte: www.hidraucar.com/www.diarioweb.com.br/www.sincopecas.org.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Embreagem

Embreagem, Carro, Automóvel, Veículo, O que é, Tipo, Sistema, Componente, Partes, Câmbio, Mecânica, Rodas, Função, Embreagem

Câmbio

Câmbio, Carro, Veículo, Automático, Manual, Automóvel, Sistema, Dualogic, Marcha, Caixa, Manutenção, Dirigir, O que é, Câmbio

Diferencial

Diferencial, Carro, Tipo, Sistema, O que é, Componentes, Veículos, Mecânica, Engrenagens, Velocidade, Rodas, Como Funciona, Diferencial

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+