Breaking News
Home / Mecânica / Suspensão a Ar

Suspensão a Ar

Suspensão a Ar – O que é

PUBLICIDADE

Suspensão a Ar é um tipo de suspensão do veículo alimentado por uma bomba de ar elétrica ou acionado pelo motor ou compressor.

Este compressor bombeia o ar dentro de um fole flexível, geralmente feito de borracha com reforços têxteis.

A pressão do ar infla o fole, e levanta o chassis a partir do eixo.

Suspensão a Ar é um tipo de suspensão utilizadas nos veículos que ao invés de utilizar feixe de molas ou molas helicoidais, e colocada bolsas de borracha (parecem um pneuzinho) no lugar e essas bolsas são cheias de ar. Aí existe um compressor no motor que sempre mantém as pressões destas bolsas constantes.

Estas suspensões são mais estáveis e proporcionam mais conforto além de proporcionarem em alguns veículos a alteração da altura do carro apenas apertando botões. Normalmente é mais ulilizada em ônibus , mas hoje em dia temos em caminhões e carros de passeio.

Suspensão a Ar
Suspensão a Ar

Assim como a suspensão de rosca, a suspensão a ar não é legalizada.

Em caminhões ela é permitida, mas isso é uma longa história.

A suspensão a ar é composta normalmente por: bolsas, compressor, cilindros, válvulas solenóides e alguns metros de mangueira.

Tudo isso instalado, permite alterações bruscas na altura do carro com o toque de um botão no painel, ou até por controle remoto.

Carros com suspensão a ar chamam a atenção por onde passam, são destaques em vários locais mas também oferecem perigos.

Mais uma vez eu digo: engenheiros planejam um veiculo para rodar em certas situações, não com bolsas de ar. A estabilidade vai embora facilmente, o carro pode capotar em curvas simples.

O valor é mais alto, vai fazer você ocupar espaço no interior do carro para guardar o compressor ou cilindros e suas quebras e vazamentos podem ser freqüentes. Não quero criticar a suspensão a ar ou quem utiliza, inclusive, adoro ver em alguns carros. A questão a ser ponderada é a segurança.

Suspensão a Ar – Carro

A suspensão a ar, que hoje é tão conhecida e utilizada não é tão nova assim.

Na década de 40 alguns engenheiros americanos estudavam uma maneira de garantir mais estabilidade em certos veículos de competição e após aplicarem a suspensão a ar nos primeiros carros, eles perceberam que tinha tudo para dar certo e começaram a realizar mais investimentos neste conceito de suspensão.

Um exemplo deste investimento foi a Plymouth disponibilizar como opcional em alguns modelos uma bolsa de ar que podia elevar a altura do veiculo quando o mesmo estivesse com muita carga.

Este tipo de suspensão é constituído basicamente de: Bolsas de ar (feitas em borracha), Compressor ou cilindros, Válvulas Solenóides e Manômetros (relógios) de controle. Em alguns casos chega a ser aplicada junto com a suspensão original do carro.

O Compressor armazena o ar, quando o condutor do veículo aciona o sistema para levantar o carro, as válvulas solenóides deixam o ar entrar para as bolsas, deixando estas mais cheias e o veículo fica mais alto em relação ao solo. Para deixar o veículo mais baixo, é basicamente o mesmo processo, porém as válvulas se abrem e o ar é disperso. Como o sistema dotado de compressor é mais caro, outra alternativa é utilizar cilindros, mas estes precisam ser recarregados constantemente.

Para controlar a altura da suspensão o proprietário pode contar com manômetros de ar, os famosos relógios. Eles podem marcar a pressão de cada bolsa, ou do sistema todo em BAR ou PSI. Como o mundo automobilístico é uma caixinha de surpresas, as pessoas foram inovando a suspensão a ar, hoje podemos utilizar controles remotos, ligar a suspensão a um relê e fazer o veiculo baixar ao acionar o alarme, também é possível instalar um sistema independente, com mais válvulas e podendo alterar a altura de cada bolsa.

O mercado das suspensões reguláveis teve um grande crescimento após o filme Velozes e Furiosos, no começo eram pouquíssimas empresas trabalhando com este tipo de suspensão no Brasil, pois até então era utilizada apenas em caminhões e ônibus. Muitas pessoas começaram a fazer instalações alternativas, utilizando as bolsas de ar de caminhões, mas isso não trazia o conforto esperado.

Hoje temos muitas empresas que montam e instalam kits de suspensão a ar, mas nem todas são confiáveis. Se você deseja modificar seu veiculo e instalar uma suspensão a ar, procure por indicações de pessoas que já instalaram, ao chegar na loja, tente verificar outros serviços que já foram realizados no estabelecimento e seja feliz!

Suspensão a Ar – Vantagem

Suspensão a Ar
Suspensão a Ar de Pistão

Esse conceito de suspensão embora seja de longa data conhecido e muito usado na Europa e Estados Unidos, encontra-se somente agora em fase de grande expansão no Brasil.

As vantagens apresentadas são amplas e justificam o valor do investimento inicial.

A vantagem que inicialmente mais desperta a atenção de quem se interessa por um sistema de suspensão a ar, é da absorção dos impactos da rodovia e por conseqüência a não transferência dos mesmos ao veículo e a carga transportada.

Porém uma série de outras vantagens e benefícios são facilmente identificadas:

Uma vez que a distribuição da carga sobre os eixos e por conseqüência aos jogos de pneus é feita por igual, existe uma extensão considerável da vida útil dos freios e pneus.

Hoje uma boa parte dos caminhões dispõe de uma série de equipamentos eletrônicos tais como: rastreadores de satélite, GPS, computadores de bordo, freios ABS, ar condicionado, carrocerias térmicas ou frigoríficas… A suspensão a ar trabalha nesses casos como substancial proteção desses equipamentos.

Os caminhões e semi-reboques tanque para transporte de líquidos ou gazes – quando com suspensão mecânica de molas – passam por severas torções no quadro do chassi, que por conseqüência provocam a torção do respectivo tanque, fazendo com que as soldas e estrutura do tanque se rompam com bastante freqüência.

A suspensão a ar, mantém o quadro do chassi na maior parte do tempo sempre nivelado, fazendo com que essas torções sejam minimizadas, evitando os constantes reparos do tanque.

Outra grande vantagem é a total ausência de lubrificação.

A segurança e estabilidade propiciada por um sistema de suspensão a ar são outros fatores de relevante importância.

Por possuir na maioria dos casos um peso inferior a uma suspensão de molas, um conjunto de suspensão a ar propicia outra substancial vantagem – que na maioria dos casos se torna um fator decisivo para sua compra – pois possibilita o aumento da carga útil transportada, devido à redução da tara em um semi-reboque de 03 eixos.

É cada vez maior o número de embarcadores   que exigem que suas cargas e produtos sejam só transportados por veículos equipados com suspensão a ar, pois tem eles a  certeza que seus produtos chegarão ao destino sem os danos que freqüentemente ocorrem quando transportadas em veículos com suspensão convencional de molas.

Frotistas com suspensão a ar em seus veículos oferecem um diferencial bastante significativo ao dono da carga.

Hoje em dia, cargas sensíveis tais como computadores, eletrônicos , equipamento de telefonia, eletrodomésticos, móveis, vidros, roupas, animais vivos, alimentos, bebidas, flores, enlatados, etc…. são cada vez mais transportadas em veículos equipados com suspensão a ar.

Porém um sistema de suspensão a ar não é restrito somente a esse tipo de carga.

Contrariando o que, para muitos pode parecer que uma suspensão a ar só se destina a esse tipo de transporte ou carga, muitos dos semi-reboques prancha do tipo carrega-tudo e graneleiros já estão se utilizando das vantagens de um sistema de suspensão a ar.

Com toda a certeza, também no Brasil, as suspensões a ar conquistarão o seu espaço no mercado de transporte de cargas, tornando-se como na Europa e nos Estados Unidos um equipamento standard para a maioria dos caminhões e semi-reboques.

Suspensão a Ar – Veículo

Você pode pensar que a suspensão a ar é algo recente, mas este tipo de suspensão, também conhecida como  suspensão pneumática, existe desde mais os anos 40, quando se buscava alternativas para estabilidade em autos de competição no final dessa década, nos Estados Unidos.

Eis que a suspenção começou a ganhar novas aplicações. Na década de 50 a empresa Plymouth, começou a oferecer a suspensão a ar como opcional, em um sistema simples de bag calibrável a ar que tinha a função de nivelar o carro.

Basicamente, a suspensão a ar é a aplicação de bolsas de material elastômero, normalmente borracha sintética trefilada ou poliuretano, inseridas em conjunto ou substituindo a suspesão mecânica original de um veículo. São apresentadas em diversos formatos, tamanhos e capacidades de carga.

Estas bolsas ou air bags podem ser infladas, deslocando o conjunto original, para que se obtenha compensação de carga adicional ou reboque, nivelando o veículo. Pode-se também obter maior performance quando o intuito for o de dosar o movimento da suspensão ou de aumentar a estabilidade, se o auto apresentar problemas de rolagem demasiada. Esse sistema é chamado de helper springs, pois atua no auxílio de situações específicas ajudando e trabalhando em conjunto com as suspensões originais dos veículos em que são instalados, que podem ser autos de passeio, pick-ups e furgões.

Uma outra vertente de suspensão a ar que surgiu a pouco tempo é a de sistemas de suspensão 100% a ar, que começaram a ser utilizados em ônibus e caminhões, mas agora pode ser encontrado em carros de passeio com a suspensão mecânica é substituída completamente por cilindros pneumáticos.

Daimler-Chrysler, BMW e Land Rover já oferecem suspensão a ar há alguns anos. São suspensões a ar, totalmente automatizadas e programáveis.

Como funciona a suspensão a ar?

A suspensão a ar é formada pelas partes: compressor, cilindro, relógios, bolsas.

No lugar das molas do veiculo são colocadas bolsas que, quando o sistema é acionado, prendem o ar, fazendo assim com que o veiculo levante.

Quando o sistema é acionado novamente o ar é jogado de dentro das bolsas pra fora, fazendo assim com que o veiculo se rebaixe totalmente.

Existe a necessidade de um sistema que regule a altura de rodagem. É a valvula niveladora, que preferencialmente deve ser eletrônica, pois o condutor dificilmente consegue fazer essa regulagem.

Fonte: shockmotors.com/www.hbz.com.br

Veja também

Transmissão Manual

Transmissão Manual, Carro, Veículo, Câmbio, Tipo, Sequencial, Cuidado, Benefícios, Mecânica, Marchas, Componente, Manutenção, Sistema, Transmissão Manual

Transmissão CVT

Transmissão CVT, Carro, Tipo, O que é, Câmbio, Veículo, Mecânica, Sistema, Tecnologia, Motor, Componente, Partes, Transmissão CVT

Suspensão

Suspensão, Sistema, Molas, Carro, O que é, Tipo, Veículo, Automóvel, Mecânica, Amortecedor, Componente, Manutenção, Suspensão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.