Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Lazio

Lazio

PUBLICIDADE

Províncias: Roma (capital). Frosinone, Latina, Viterbo e Rieti.

A cozinha do Lazio, se tem algum prato característico local, pode-se resumir àqueles de Roma. É uma singular cozinha com profundas raízes rurais, salvo pelo conceito de alta cozinha de um tempo.

O povo romano, é de civilização milenar, rico em sabedoria e adverso a qualquer complicação, pobre de fantasia no campo culinário.

Come-se bem na região, porém não com o refinamento de outras regiões da Itália.

O Lazio é rico no repertório dos espaguetes: alho e óleo, a carbonara, a matriciana, etc. São também populares os minestrones e as sopas.

Fonte: digilander.libero.it

Lazio

Acrópoles megalíticas de origens enigmáticas, estradas etruscas talhadas no tufo, igrejas românicas ricas em afrescos, fontes barrocas, brilham sem ser ofuscadas pela beleza da capital.

A história do Lazio, e as vicissitudes do seu desenvolvimento urbano, poderiam muito bem ser separadas entre as de Roma e do restante da região, que por mais de dois milênios se alternaram e entrelaçaram.

Os primeiros habitantes das áreas meridionais e orientais foram povos itálicos, enquanto os Etruscos, de origens até hoje desconhecidas, ocuparam o norte. No centro, surgiu Roma (convencionalmente, em 753 a.C.), que cedo ganhou a supremacia, submetendo todo o Lazio (Séc. III – II a.C.).

Com isto, a atividade de construção, que antes se estendia à inteira região (como atestado pelos chados etruscos e os ciclópicos restos de muralhas itálicas), passou desde então a concentrar-se quase exclusivamente em Roma.

E, só na alta Idade Média, após a queda do império e da sua capital, a região teve considerável retomada, com o surgimento de dezenas de centros agrícolas e a expansão de inúmeros outros povoados.

Entretanto, desde o Séc. VIII, com as doações dos Francos ao Papado, vinha tomando forma o Estado da Igreja, que porém exercia um poder não mais do que fraco, deixando ampla autonomia às Comunas, pelo menos até o retorno do Papado do exílio de Avignon (1377).

Daí em diante, os feudos e as muitas senhorias da região entraram em franca decadência, que chegou ao seu termo no Séc. XV, quando todo o desenvolvimento urbano voltou a concentrar-se em Roma, assim permanecendo mesmo após o fim do Estado da Igreja, e sua anexação ao Reino da Itália (1870).

De fato, só o fascismo, no seu apogeu antes da II guerra, executou uma série de obras no território, saneando áreas pantanosas ao norte e ao sul de Roma, criando centros agrícolas e fundando novas cidades, que deram lugar a uma forte imigração de camponeses do centro-norte da Itália, especialmente do Veneto.

Se Roma foi o centro da urbanização, a região é por sua vez uma sucessão de extraordinários ambientes naturais, que foram determinantes para a localização e o tipo de assentamentos humanos.

Assim, ao norte, a Túscia lacial, antigo território dos Etruscos, é um dos lugares mais belos e fascinantes da Itália, feito de colinas de calcário, de profundos desfiladeiros escavados por torrentes tortuosas, de vegetação baixa e verdejante, de povoados sem tempo que se revelam de improviso aninhados no alto dos montes: criando um cenário tão típico a ponto de ser chamado de “posição etrusca”.

Na realidade, os centros mais isolados e de difícil acesso remontam, sim, aos Etruscos – e foram deixados intocados pelos conquistadores romanos -, mas o seu aspecto atual é alto-medieval, de uma Idade Média pobre, primitiva, românica, feita de casas de tufo que se confundem com o ambiente.

Muito diferente é a paisagem dos lagos de origem vulcânica, pois nos quase perfeitos cones de antigos vulcões hoje preenchidos pelas águas dos lagos de Bolsena, de Vico e de Bracciano, cresce uma mata intricada e rareiam os povoados: aqui também, em sua maioria, medievais, porque foi nessas encostas que os habitantes procuraram refúgio contra as invasões dos bárbaros.

Deve ser lembrado, ainda, o Lazio apenínico a leste e a sul de Roma, com suas vilas no alto dos montes, umas pobres e ainda hoje isoladas, outras ricas de suntuosos parques e mansões: como, em Tivoli, a monumental Villa D’Este – erguida na segunda metade do Séc.XV por vontade do cardeal Ippolito II d’`Este – e Villa Adriana, magnífico complexo arquitetônico construído a mando do imperador Adriano segundo uma simbologia hermética até hoje pouco decifrada; e ainda, ao sul, Frascati.

Outra paisagem característica é a das rasas planícies saneadas, como dito, pelo fascismo, no extremo sul da região (Agro Pontino), onde ainda sobrevivem alguns dos originários pântanos costeiros.

Cortando pela metade a região, do norte para o sul, passando por Roma, corre o mitológico rio Tibre, de curso amplo, lento e sinuoso, por séculos insalubre mas, apesar disso, sempre aproveitado como principal eixo de penetração para o interior, com seus numerosos atracadouros servindo aos povoados nas colinas (como Gallese).

Ao longo da orla do mar Tirreno, ao contrário, por causa dos baixios costeiros, sempre escassearam os bons portos: assim, além de Óstia (o porto da antiga Roma, hoje aterrado a vinte quilômetros do mar), há só Civitavecchia, ao norte, e Gaeta, ao sul; enquanto as restantes melhorias costeiras são recentes e com fins predominantemente turísticos.

Finalmente, há duas partes do Lazio que sempre estiveram ligadas à Itália meridional e ao Reino das Duas Sicílias: a área montanhosa de Rieti, a nordeste de Roma, ligada à confinante região dos Abruzzi (tanto a ser chamada de “Abruzzo ultra”), de que ressente claramente a influência; e o Lazio meridional, uma área de baixos montes ao sul do eixo Sora- Terracina, definível como “lazio campano” por causa da planta das cidades e do estilo da arquitetura, e por ter sido por séculos parte da Terra di Lavoro do Reino de Nápoles.

Dos Etruscos, que privilegiaram a crença na vida após a morte, chegaram até nós numerosas necrópoles de variada configuração, como em Tarquinia, Cerveteri e Norchia, enquanto, como dito, nada sobrou de suas cidades; e também raros são os restos de outras ocupações pré-romanas.

Os Romanos, ao contrário, influíram fortemente na região, desenvolvendo a capital e as áreas limítrofes, abrindo um leque de artérias de comunicação saindo de Roma – as vias Áppia, Aurélia, Cássia, Flamínia, Salária, Tiburtina, Tuscolana.. -, e povoando os centros preexistentes.

Fora de Roma, porém, seus marcos hoje sobrevivem só em algumas cidades ao longo da via Áppia, para o sul, como Terracina e Fondi, e em alguns edifícíos.

Ainda mais rica é a história urbanística medieval que, diferentemente da antiga, espalha-se em um sem número de exemplos, até menores ou mínimos, representando um período único da história da Itália. Assim, vários centros redescobriram as antigas acrópoles pré-romanas – delas fazendo o núcleo da expansão urbana – e, às vezes, também as ciclópicas muralhas: como em Anagni, Ferentino, Alatri, Segni, Veroli, todos a sudeste de Roma.

No Lazio, são também incontáveis os castelos, erguidos para defesa de cada feudo em uma região só nominalmente unitária, sendo que a cada castelo ligava-se um burgo: em Bracciano como em Soriano, em Bomarzo como em Bolsena, em Rocca Sinibalda como em Palombara Sabina e Fumone. Outros exemplos de povoados medievais são: Sermoneta, com sua famosa abadia, Ninfa, Sperlonga, Gaeta e Formia.

Na Renascença, ao contrário, escassearam as iniciativas urbanísticas, exceto em casos especialíssimos. Neste sentido, devem ser lembradas a nova Óstia e a ampliação das muralhas de Nettuno, ambas por razões de defesa da costa e, portanto, para maior proteção a Roma.

Uma história à parte têm a cidade e a província de Viterbo, no norte do Lazio, graças à presença do ducado autônomo de Castro, surgido em 1535 sob o papa Paolo III Farnese, e que durou por mais de um século, até 1649.

Nele, os Farnese chamaram para trabalhar dois arquitetos de renome, Sangallo o Jovem e Vignola, que deixaram em muitos refazimentos e ampliações a marca do seu estilo maneirista.

Se Castro caiu, e foi mandada destruir por Innocenzo X, as grandes obras continuaram nas vizinhas Caprarola, Ronci- glione, Soriano, e no novo burgo e jardins de Bomarzo, com suas grotescas esculturas em pedra. Além do que, palácios, castelos e fontes dos mesmos arquitetos adornam todos os centros da redondeza.

Outro caso à parte é o de Tuscânia, que no Quinhentos adquiriu um perfil renascentista, mas que ficou muito menor do original centro medieval, tanto que foram abandonados inteiros bairros da época já inclusos nas muralhas, como atestado pelas ruínas ao redor da igreja de S. Pedro.

Entretanto, entre 1585 e 1590, Sisto V realizou em Roma, em poucos anos de pontificado, um extraordinário plano urbanístico, abrindo estradas retilíneas entre as principais basílicas, em cujas extremidades mandou colocar obeliscos a fim de ressaltar a perspectiva.

Contemporaneamente, ocorreu a primeira grande sistematização das praças, como piazza Farnese e o Campidoglio, esta obra de Michelangelo.

A época das principais intervenções urbanísticas foi todavia o Barroco, quando em Roma se realizaram os mais representativos projetos da história da arquitetura: de piazza San Pietro a piazza Navona, de piazza di Spagna a piazza del Popolo, a Roma monumental que conhecemos e que a todos encanta.

Fonte: www.portalitalia.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+