Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Marche

Marche

PUBLICIDADE

Províncias: Ancona (capital), Ascoli Piceno, Macerata, Pesaro e Urbino.

Três são as zonas geográficas que compõe Le Marche: a costeira, o das colinas e da montanha, por isso tem pratos típicos dos pescadores, dos camponeses e dos pastores.

O prato base da gastronomia regional, típico de toda a costa é a caldeirada de peixes, de Ancona, sopa famosa que contém uma vasta variedade de peixes, que muda de aspecto e sabor, segundo o lugar: ao norte com tomate, ao sul com açafrão.

Das colinas existem o renomado leitão, a caça, o frango “caipira”, os pombos, as codornas, o suíno de onde retiram o presunto que vem servido cortado grosso e as azeitonas grandes e suculentas.

Da montanha é originário o queijo pecorino doce, de sabor natural do bosque, e uma rica variedade de queijos de leite bovino, mas sobretudo dos feitos de leite de ovelha.

Fonte: digilander.libero.it

Marche

Quietas colinas olhando para o mar, vales que serpeiam calmamente, rios caudalosos e os tantos povoados nos cumes, em uma terra de antigas tradições.

O nome “Marche” vem do germânico Mark, que significa território de fronteira, pois já no final do Séc.X existiam várias delas entre o Apenino Central e o mar Adriático, como a Marca de Camerino e, mais tarde, as de Ancona e de Fermo.

Com efeito, foi sempre uma região de difícil acesso, quase só montanhosa, com um só lado para o mar, rasgada por um leque de vales transversais à costa, sulcadas por rios: orografia que determina até hoje o andamento da rede rodoviária, com uma auto-estrada ao longo do litoral, e somente cinco passos de montanha para as regiões vizinhas.

Quanto aos acontecimentos históricos, eles foram complexos, mutáveis e diversificados. Habitada desde a mais remota antiguidade pelos Picenos, a região passou ao império romano em 268 a.C. e, após a queda deste, foi dominada por Godos, Bizantinos e Longobardos.

A área brevemente sob influência bizantina foi dividida em duas cincunscrições administrativas, as Pentapoli: a marítima, que incluía as cidades costeiras de Rimini (hoje na Emília), Pesaro, Fano, Senigallia e Ancona; e a do interior, formada pelas cidades de Urbino, Fossombrone, Cagli, Gubbio (hoje na Úmbria) e Jesi.

No Séc. VIII, os Longobardos, que haviam suplantado os Bizantinos, foram por sua vez derrotados pelos Francos, cujo rei, Pipino il Breve, fez doação do território ao Papado.

Assim, por um curto período, o poder religioso sufocou a vida civil, mas logo, com o advento do feudalismo, teve início um carrossel de rivalidades e de lutas recíprocas.

O Trezentos e Quatrocentos foram o palco de um emaranhado de acontecimentos envolvendo autonômias comunais, supremacia da Igreja e expansão do poderio de algumas famílias.

Entre o Quatrocentos e Quinhentos, foram estabelecidos vários feudos e estados, na maioria sujeitos a Roma, mas também, em alguns casos, autônomos.

Entre 1797 e 1800 a região foi ocupada pelos Franceses – que a mantiveram por mais algum tempo após a queda de Napoleão – e em seguida, de 1849 a 1857, pelos Austríacos. Finalmente, em 1860, a região foi anexada ao Reino da Itália.

Naturalmente, o desenvolvimento urbano da região está estritamente ligado à sua conturbada história política.

Os Romanos, por exemplo, privilegiaram as comunicações rápidas entre Roma e a costa adriática, abrindo grandes estradas e executando obras imponentes – como o corte do Furlo, na famosa garganta do mesmo nome.

Eis porquê as cidades romanas são ou litorâneas (como Fano e Senigallia), ou assentadas no leito dos vales (Helvia Ricina), enquanto subsistem ainda hoje muitos vestígios de paradouros ao longo das estradas.

Mas só na Idade Média ocorreu o arranjo urbano definitivo – tal qual chegou, praticamente intacto, até os nossos dias -, quando os camponeses, para defender-se, se juntaram em aldeias plantadas no topo das colinas ou nas escarpas mais íngremes ao longo dos rios, mesmo longe do campo.

As Comunas, por sua vez, fortificaram-se com muralhas e, em alguns casos, até com castelos. As muralhas, todas elas construídas em tijolos, com um contraforte muito alto e ínclinado (Jesi, Corinaldo, Ostra e, ao sul, Ripatransone e Acquaviva Picena), às vezes munidas de um caminhamento coberto (como em Serra S. Quirico e Morro d’Alba).

Desenhou-se assim a típica paisagem das Marche, feita de uma sem fim de colinas – cada qual com um povoado no cume -, e de imponentes castelos e fortalezas.

Por sua vez, a vitalidade das Comunas, antes, e dos feudos, depois, fez com que cada cidade possuisse a sua própria praça cívica, o palácio comunal, prédios nobiliários, uma construção civil de bom nível, hospital, hospedaria, teatro… Pela importância urbana e urbanística, é com efeito necessário citar as praças de Ascoli Piceno, S. Severino Marche, Offida, Fermo, S. Ginesio, Fabriano; a universidade de Camerino; o Hospital dos Peregrinos, em S. Ginesio; os palácios nobiliários de Matelica e Cingoli; e o extraordinário número de teatros, grandes e pequenos, que desde o Setecentos alegraram também os centros menores: em Jesi, Camerino, Corinaldo, Matelica, Urbania.

Também extremamente rico e diversificado é o panorama artístico da região. A arquitetura românica, amplamente difundida, está entre as mais articuladas por tipos e formas, daquelas de influência lombarda, aos modelos bizantinos, às cúpulas de inspiração oriental.

O mesmo pode ser dito quanto ao estilo gótico – que em S. Ginesio reflete até influências germânicas -, ou para o período renascentista, no qual confluíram as escolas dálmata, toscana, romana, bem como a grande pintura veneziana.

A rica tradição da arquitetura militar inspirou por sua vez o talento do grande arquiteto Francesco di Giorgio Martini, que atingiu seu apogeu nos projetos de algumas impressionantes fortalezas, cujas plantas compõem uma figura de animal sempre diferente, segundo um particular gosto intelectualista: San Leo, Sassocorvaro, Sant’Agata Feltria, Mondavio.

Em todas, na falta de outros materiais, foram usados quase só tijolos à vista, trabalhados com grande habilidade, exceto as molduras em pedra dos portais, que tornaram-se assim o emblema de cada dinastia.

Mas os centros interessantes das Marche são em número muito maior da limitada seleção feita com o intuito de expor uma certa variedade de tipos. Assim, entre as cidades costeiras, além de Fano, merece ser lembrada Senigallia, por sua antiga planta urbana, o cenográfico desfile de fachadas ao longo do porto, e o magnífico fórum de época romana.

Entre as cidades de altura, além dos já citados San Leo, Corinaldo, Cingoli, Camerino, Fermo, Serra S. Quirico, temos Sarnano, a Recanati do grandíssimo poeta Giacomo Leopard, Osimo, Moresco, Gradara, Torre di Palme; enquanto, nas encostas dos rios, há Tolentino, Matelica e Pergola.

Mas se poderia deixar de mencionar também muitos outros centros, como Treia, Visso, Amandola, Montefortino, Arcevia, Castelfidardo, Montegilberto, Montelupone…, todos nas colinas, e o extraordinário núcleo de Urbania, parcialmente planejado.

Finalmente, um caso à parte é o povoado de Servigliano, construído ex-novo pelo Estado da Igreja, no Setecentos, no lugar do anterior, arrasado por uma enchente.

Fonte: www.portalitalia.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+