Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Umbria

Umbria

PUBLICIDADE

Províncias: Perugia (capital), Terni.

A gastronomia desta verde região de colinas amenas, de clima ameno, mesmo que não banhada pelo mar, conserva uma marca de simplicidade um pouco rústica, mas genuína.

O suíno, a trufa e o azeite são os ingredientes principais desta cozinha característica.

De origem umbra é o leitão, de preparação jamais conhecida em toda Itália: é o leitão inteiro, temperado internamente com sal, alho e ervas, e, assado sobre fogo de lenhas aromáticas, que trata-se de famosíssima receita.

Fonte: digilander.libero.it

Umbria

Em uma terra permeada por um sopro místico, vivem numerosas cidades históricas ricas de arte e de arquitetura, que convidam ao descanso e à meditaçãº

Situada no coração da península, a Úmbria é uma das regiões de maior apelo para o turismo cultural, por resguardar vivos e intactos os lugares do saber medieval e umanístico.

Este aspecto é ainda mais valorizado pela harmoniosa relação com uma paisagem doce e meditativa, em grande parte formada por colinas tapeçadas por cultivos e bosques, por oliveirais e vinhedos: um cenário que deu fama à Úmbria, e inspirou nos séculos seus artistas.

O sistema hidrográfico da região tem seu cerne no rio Tibre, que neste trecho corre em cachoeiras. Um de seus afluentes, o rio Nera, após a confluência do rio Velino, pouco antes deTerni, forma a espetacular Cascata delle Marmore, a mais alta da Itália: a qual, surpreendentemente, não é natural, mas sim o resultado do desvio do curso do Velino para o Nera, feito pelos Romanos para sanear a planície paludosa de Rieti, no vizinho Lácio.

Outro recorde é o lago Trasimeno, que forma a mais ampla bacia da Itália peninsular, e do qual já em época romana foi derivado um emissário artificial, em parte subterrâneo, no curso dos séculos repetidamente aterrado e reativado.

O nome “Úmbria” deriva da população que, junto com os Etruscos, ocupava o território antes da conquista romana, e da qual temos poucas notícias históricas.

Em todo caso, esta denominação veio a desaparecer quando a região foi englobada no ducado de Spoleto, instituído pelos Longobardos e, mais tarde, no Estado da Igreja, reassumindo o seu antigo nome só após a unificação da Itália, em 1861.

Algumas das principais cidades úmbras, como Perugia, Orvieto, Todi, Assisi e Spoleto, têm origens muito antigas, tendo sido de importância já na época dos Úmbros e dos Etruscos.

Após a conquista romana, surgiram numerosos povoados, tanto com fins agrícolas (villa), que de defesa (vallum), mormente ao longo da via Flamínia, cujo traçado segue os vales dos rios Nera, Topino e Tibre: são exemplos, Bevagna, Narni e Foligno.

A partir do Séc. X, iniciaram a ser fortificadas também as villae, junto com as curtes de origem carolíngia. O fenômeno do encastelamento intensificou-se no decorrer do Séc XIV quando as Comunas, prósperas econômica e culturalmente, mas cada vez mais ávidas de poder, deram início a um período de lutas sangrentas para o domínio de sempre maiores extensões do território.

A tipologia do castelo úmbro (entre os mais significativos, Fossato, Tordibetto, Pantalla, Campello Alto…) é muito particular, consistindo em micro-cidades no alto das colinas, cintadas por muralhas e com finalidades essencialmente agrícolas.

Entre os diversos tipos de aldeamento presentes na região (de cume, de encosta, de fundo vale, de planície), prevalecem amplamente os primeiros, preferidos pelo clima mais ameno e salubre, além de mais defensáveis em caso de ataque.

Em contraste, devido ao sistema de meação das terras prevalecente na região, era significativa a parcela da população que vivia isolada em casebres no campo, muitos deles encimados por uma torre de observação quadrada, dita palombara (pombal).

Um aceno à parte merece o Val Nerina, o vale do já citado rio Nera, em que vários povoados conservam o original aspecto medieval, como Ferentillo, Scheggino, Castel S. Felice, Triponzo (este, com singular cinta triangular).

E de fato, circundada pelos ásperos montes da zona de Spoleto, pouco fértil e de difícil cultivo, o vale do rio Nera sempre permaneceu à margem do restante da região, guardando assim intactos os antigos aldeamentos, com suas tôrres e muralhas.

Aldeias com arquitetura nativa são outrossim Stroncone, fundado no Séc. X pelos monges da abadia de Farfa, e outros pequenos povoados do Apenino Úmbrico.

As tipologias urbanas mais interessantes da Úmbria foram ditadas pela forma das colinas, ou pela presença de uma ou mais estradas de grande comunicação.

Ao primeiro grupo perecem os povoados ditos a gradoni (em degraus), como Assisi e Gubbio; os do tipo a cascata, como Trevi e, em parte, Montefalco; e o tipo a fuso, que se molda ao planalto em que está situado, como Orvieto.

Ao segundo grupo pertencem ao invés tanto os centros articulados segundo um traçado em estrela ao longo de duas o mais estradas (como Perugia, Todi, Cittá della Pieve), quanto os que se assentam ao longo de uma só diretriz, como Monteleone d’Orvieto, Ficulle e Baschi (este, pequeno mas bem conservado ambiente medieval em província de Terni).

A lembrar também outros povoados com planta em elipse tipicamente alto-medievais, como Panicale e Montefalco, no centro da região, e S. Vito e Cittá della Pieve, na divisa com o Lácio, respectivamente a Toscana: zona, esta, onde prevalece o uso da terracota, em lugar da pedra como no restante da região.

A privilegiada posição geográfica entre Lácio e Toscana – ou seja, entre os dois principais pólos artísticos de Roma e Florença – fez da Úmbria uma região extremamente vital no campo das artes figurativas, especialmente a pintura, de que foi o inexaurível berço de grandes talentos.

De fato, graças principalmente a Giotto de Bondone e seu magistral ciclo de afrescos na basílica de San Francisco de Assis – que, pelo realismo e força de suas figuras, representam uma inovação estilística fundamental com relação à tradição do gótico flamejante -, a Úmbria adquiriu um papel de primeiro plano na pintura italiana do Trezentos, atraindo para Assisi artistas das mais diversas escolas.

Tanto que, no Quatrocentos, tomou corpo uma específica “Scuola Umbra”, que teve como principais mestres Perugino e Pinturicchio.

Também a arquitetura, à parte alguns vestígios da época romana, quais as portas de Spello, os anfiteatros de Spello e de Gubbio, o templo do Clitumno, viveu sua mais vibrante estação entre Idade Média e Renascença (apesar de um dos maiores arquitetos do neo-classicismo italiano do Setecentos, o Piermarini, nasceu em Foligno, mesmo tendo sempre praticado em outras regiões).

Exemplos muito significativos de arquitetura medieval são vistos em Perugia – na via Bagliona, englobada pelo castelo, na via delle Volte e na via Appia.

Em algumas cidades, como Narni e Trevi, prevalece a arquitetura românica, caracterizada por edifícios baixos, esquadrados, simplemente justapostos entre si; em outras, como Gubbio, a arquitetura é gótica – com casas-tôrres, edifícios altos, e espaços públicos centrados em alguma simbologia geométrica ou astronômica.

Entre as numerosas igrejas desta região mística, o gosto românico inspirou os domos de Assisi e de Foligno, os claustros das abadias de Sassovivo e de S. Pietro in Valle, além de muitas igrejas menores espalhadas por toda parte; enquanto o domo de Orvieto e as basílicas de S. Francesco e de Santa Chiara, em Assisi, são jóias do estilo gótico.

A construção civil floresceu entre os Séc. XIII e XIV, em paralelo ao consolidar-se das Comunas. De fato, os palácios comunais da Úmbria – como aqueles da vizinha Toscana – são exemplares do período das grandes autonomias cívicas (Séc. XII – XIV), caracterizando as cidades como símbolos de liberdade e independência: entre os exemplos mais significativos, Todi, Orvieto, Gubbio e muitos outros.

A destacar também as praças medievais, daquelas típicas de Assisi, com planta em X, às de Todi e de Gubbio – esta, sustentada por poderosos arcos modulares -, à extraordinária esplanada que leva ao domo de Spoleto; sem esquecer as muito menores, mas bem resolvidas praças de Bevagna e Montefalco.

A Renascença exprimiu-se por sua vez, além que em muitas obras menores, na igreja de S. Maria degli Angeli, em Assisi, e na de S. Maria della Consolazione, fora de Todi, excepcional exemplo de simetria central, mas que ao mesmo tempo sinaliza o ocaso da grande arte umbra pois, desta quadra em diante, a estrela nascente da Roma dos Papas passaria a atrair, de todo canto do Estado da Igreja, os melhores talentos artísticos.

Não se deve de fato esquecer que a Úmbria foi pátria de grandes santos, entre os mais conhecidos e venerados do Catolicismo: San Francesco e Santa Chiara, cujas lembranças permeiam a vida de Assisi e arredores; San Benedetto, originário de Norcia; e Santa Rita, venerada em Cascia.

Em resumo, procedendo a uma não fácil seleção, lembramos as mais significativas cidades históricas da Úmbria, especialmente Perugia, Assisi, Orvieto, Spoleto, Todi e Gubbio, seis verdadeiras jóias pela preciosidade de suas obras de arte e conservação do tecido urbano medieval. E também alguns centros altamente sugestivos e quase intactos em sua aparência medieval, como Narni e Spello.

Cittá della Pieve e Norcia são lembradas por suas particularidades: a primeira inteiramente construida em terracota, ao passo que a segunda é um singular conjunto de muralhas medievais e edificios neoclássicos. E, ainda, mais ecléticos, mas igualmente fascinantes pela convivência de construções de várias épocas: Trevi, Amelia, Bevagna, Foligno e Cittá di Castello.

Merece enfim ser citada como curiosidade a aldeia de Cospaia, pelo particular episódio que protagonizou. À época da demarcação das fronteiras entre a Toscana e o Estado da Igreja, no Séc. XV, estipulou-se como linha divisória naquela zona o torrente Rio.

Mas, devido à presença de dois cursos com o mesmo nome, entre os quais situava-se Cospaia, decidiu-se para evitar desentendimentos ergue-la à condição de Estado autônomo, dignidade que manteve até 1826.

Fonte: www.portalitalia.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+