Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia do Amante  Voltar

Dia do Amante

 

22 de Setembro

Dia do Amante

No Aurélio, encontramos o significado da palavra amante , como aquele que ama

Historicamente falando a traição sempre existiu , embora considerada moralmente errado em diversas sociedades , ela persistia talvez por causa de uma propensão inata para o comportamento polígamo dos seres humanos.

Entre os antigos hebreus uma mulher tinha de ser virgem, na noite de seu casamento e depois permanecer fiel para sempre a seu leito conjugal porém , aos homens era permitido o acesso sexual a prostitutas , concubinas , viuvas e criadas domesticas.

Só lhes era interditado o relacionamento sexual com mulheres casadas pois, Deus dizia : Não cobiçaras a mulher do próximo.

Sem dúvida , esta foi a razão pela qual a proibição divina do adultério foi incluída nos 10 mandamentos , a tendência inata dos homens para a infidelidade.

Xeiques árabes possuem haréns com diversas mulheres , o velho testamento contém inúmeros exemplos de comportamento polígamo (Abraão , Isaác , Jacó , Daví e Salomão )

De um modo legal quando um homem se casa com varias mulheres ele não pode mais ser considerado um adúltero portanto , a poligamia é uma discriminação contra o adultério.

Pesquisas mostram um índice maior de gravidez na relação de uma mulher com seu amante do que com seu marido , a explicação para este fato reside no prazer maior desfrutado durante o sexo proibido o que provocaria mais contrações uterinas facilitando a penetração dos espermatozoides para dentro da cavidade uterina .

Dizem que um (a ) bom (a ) amante é capaz de salvar um casamento que não tem mais sabor , pois é capaz de anestesiar a crise , melhorando um pouco à tensão no lar.

Devemos distinguir adultério , que tem mais a ver com lei e religião da infidelidade que é mais ligada a quebra da monogamia.
O sexo entre os seres humanos racionais deixou de ser puramente reprodutivo significando hoje em dia domínio, submissão , poder, aceitação , profissão e até mesmo amor.

Podemos mesmo admitir a gravidez como um acidente do exercício da sexualidade.

Monogamia é uma opção, não existe pacto para fidelidade (?). Muito interessante é o adultério emocional, que envolve um sério relacionamento emocional com uma terceira pessoa que se encontra fora do casamento, sem praticar ato físico.

O comportamento poderoso do hormônio testosterona faz com que o homem procure uma mulher para alívio de sua tensão sexual.

Com efeito, a tendência dos homens a masturbar-se com muito mais frequência do que as mulheres mostra que o impulso sexual masculino é mais intenso.

Os homens tendem a excitar-se sexualmente com mais rapidez do que as mulheres , porém as mulheres quando excitadas tem condição de sustentar esta excitação muito mais tempo que os homens.

Esta impulsividade dos homens faz com que haja uma probabilidade maior de adultério por parte destes.

Em geral as mulheres buscam amor e apoio já os homens buscam uma frequência e uma variedade maior de parceiras.

Porém em todas as épocas a sociedade sempre castigou as mulheres e eximiu os homens de penalidades , sendo inclusive considerado sinal de virilidade possuir muitas mulheres.

Entre as mulheres ,tem-se notícias de que no século XVII prescrevia-se sangrias para cura de excitação , e que entre algumas tribos da África a penalidade para a traição feminina seria a morte ou a retirada do clitóris.

Entre os esquimós emprestar a esposa é sinal de hospitalidade,

Na Índia uma esposa infiel não tinha o direito de permanecer viva, os hindus tinham a permissão de matar sua esposa adultera , na China e no Japão a esposa deveria cometer o suicídio

Sternberg psicólogo norte americano, explica todo relacionamento entre um par como um triangulo , nomeando os vértices como amor, sexo e objetivos.

No início de um relacionamento o que mais rola é sexo, depois entra o amor e por último os objetivos.

Porém sexo é um tipo de relacionamento importante e equilibrado em que as trocas precisam ser exatamente iguais , ou seja o par precisa sentir-se querido e amado em igual intensidade.

O problema é que temos libido diferente uns dos outros ,e se as recusas forem constantes , a auto estima do outro vai lá em baixo

É mais fácil trocar de parceiro que terminar com o sonho do amor ideal que existe dentro de todos nós . Nas crises , ou quando a paixão diminui devemos sempre através do dialogo franco rebuscar o amor , pois é a única maneira do casal iniciar um novo ciclo de convivência.

Magoas ou Fingimentos não levam a nenhum crescimento, podendo mesmo ocorrer o rompimento de uma relação ou a infidelidade , pois a incompreensão mútua diminui a auto estima e o desejo sexual.

Um procedimento muito simples pode ajudar você a superar suas crises conjugais: Nunca vá dormir zangado com seu par, você terá pesadelo.

Fonte: www.amaurysexologo.med.br

Dia do Amante

22 de Setembro

O amante é um personagem um tanto mitificado que faz parte de piadas e das tragédias pessoais de muita gente. No entanto, o amante não é somente aquele que faz parte de uma traição. Ele pode ser simplesmente alguém que ama muito e que oferece um amor incondicional, seja ele o marido, a esposa, o namorado e ou a namorada.

A literatura sempre se voltou aos amantes e produziu um vasto leque de definições para o amor. Nesse dia, o importante é lembrar da pessoa a quem se ama, seja ela quem for. Agora, se você já foi traído, é bem provável que não tenha muito que comemorar hoje.

Fonte: UFGNet

Dia do Amante

22 de Setembro

Dia do amante: prepare sua casa para receber o amor.

Você vê na mídia que o 22 de setembro é o Dia do amante. Um dia para amar mais e, também, ser amado. Daí surge a ideia tentadora: por que não preparar algo especial e restrito a você e seu parceiro?

O momento é especial e por isso requer alguns cuidados. Comece com a decisão de onde será montado o ninho de amor. E saiba que não é preciso ir muito longe, a sua casa pode se transformar num perfeito destino, basta caprichar no bom gosto e na imaginação sexual.

Nossa casa é o local onde nos sentimos mais seguros, certo? Ela que guarda nossos segredos, sonhos e esperanças. E o mais importante, nosso lar possui a nossa energia. A vibração do amor está em todos os ambientes, ou pelo menos deveria estar. Caso você queira "turbinar" esse aspecto, preste atenção nas dicas do Feng Shui para deixar sua casa mais romântica e com um leve ar de ternura.

Prepare sua casa para o Dia do amante:.

1- Nas horas que antecedem o grande encontro, insinue ao parceiro que você está preparando uma surpresa amorosa em um local muito especial. Só não diga onde é. Se preferir, envie flores ao seu amor com um bilhete do tipo: "Tenho uma surpresa para você". Use o mesmo tipo das flores enviadas para decorar a sala. Flores são puro romantismo. Mas atenção, nada de produtos artificiais, flores devem ser naturais!

2- Arrume a casa. Deixe os ambientes bem organizados.

3- Decore os cômodos com porta-retratos com fotos de vocês.

4- Atmosfera romântica é essencial. Espalhe velas acessas pelos ambientes - eles devem ficar na penumbra e só iluminados pelas "chamas da paixão".

5- Se você não que ascender velas, use lâmpadas de baixa potência. É possível ousar ainda mais no quarto, com uma iluminação nas cores vermelha ou roxa.

6- Nada de interferências no momento do encontro. Desligue os telefones, celular e a capainha. Avise ao porteiro do prévio que você "não está". Mande seu cão para casa de sua mãe, vizinha ou amiga.

7- Durante o jantar, deixe algumas velas acessas sobre a mesa para criar um ar sensual e instigante. Use uma toalha vermelha para insinuar a "paixão do encontro". Não se esqueça do vinho tinto ou champagne.

8- Perfume os ambientes algumas horas antes do amado chegar. Borrife fragrâncias ou ascenda incensos de alfazema e lavanda para purificar a casa. Durante o encontro, queime, em um canto da casa, incensos de flores.

9- Quer arrasar? Jogue pétalas de flores pelo chão, entre a sala e o quarto, indicando o ninho do pecado.

10- Cuidado com a seleção musical. Nada de rock, samba ou pagode, coloque músicas românticas para dançar e amar a dois.

11- Crie uma atmosfera toda especial no quarto. Espalhe almofadas em cores quentes e exóticas: vermelho, lilás, turquesa, esmeralda e laranja. Use uma roupa de cama especial, em seda ou cetim.

Fonte: www.cadaminuto.com.br

Dia do Amante

22 de Setembro

O que significa ser amante ?

É mais do que apenas estar casado ou estar fazendo amor com alguém. Milhões de pessoas estão casadas, milhões de pessoas fazem sexo - mas poucos são amantes verdadeiros. Para ser um amante verdadeiro, você deve criar e participar de uma dança perpétua de intimidade com sua parceira.

Você é um amante, quando aprecia o presente que sua parceira é, e celebra aquele presente a cada dia.

Você é um amante, quando lembra-se de que sua parceira não lhe pertence.

Você é um amante, quando sabe que nada do que acontece entre vocês pode ser insignificante, que tudo o que você diz no relacionamento tem o potencial de causar alegria ou tristeza na pessoa amada, e que tudo o que você fizer poderá fortalecer sua ligação ou enfraquecê-la.

Você é um amante, quando entende tudo isto, e assim acorda a cada manhã cheio de gratidão por você ter outro dia para amar e curtir sua parceira.

Quando existe uma amante em sua vida, você está abençoado. Foi lhe dado o presente que é uma outra pessoa que escolheu andar ao seu lado. Ela compartilhará seus dias e suas noites, sua cama e suas aflições. Sua amante verá partes secretas de você que ninguém mais vê. Ela tocará pontos de seu corpo que ninguém toca. Sua amante lhe encontrará onde estiver escondido e criará um refúgio para você com braços seguros e amorosos.

Sua amante lhe oferece uma abundância de milagres a cada dia. Tem o poder de encantá-lo com seu sorriso, sua voz, o cheiro de seu pescoço, a forma como anda. Tem o poder de banir sua solidão. Tem o poder de transformar a rotina em sublime momento. É sua entrada no céu aqui na terra.

Fonte: cleitonbasso.com.br

Dia do Amante

22 de Setembro

Dia dos Amantes: Os 10 mandamentos para ser a amante de seu marido

Que tal comemorar o Dia dos Amantes sendo amante do seu marido? Consultora dá dez dicas para um casamento sexy.

Hoje é comemorado o Dia dos Amantes. E, ao contrário do que muitas mulheres pensam, é dia de celebrar com seu marido e parceiro, sim!

Não é raro ver casamentos que, combalidos pela rotina, se tornam relações de companheirismo e respeito – mas sem paixão. Claro que isto não precisa acontecer; no entanto, como o dia-a-dia é sempre tão cheio de tarefas, é preciso prestar atenção para manter o romantismo e o tesão sempre acesos.

A consultora de sensualidade Suzana Leal listou algumas dicas práticas para que as mulheres mantenham o casamento apimentado e se tornem verdadeiras amantes dos maridos.

1. Não deixe que o dia-a-dia tire o encanto da relação. Em termos práticos: use o banheiro de porta fechada e mantenha sua privacidade.

2. Mesmo nas brigas e discussões, fale baixo. Evite palavras ásperas e de baixo calão, pois ao longo do caminho elas fazem com que o respeito acabe.

3. Cuide de você. Faça cursos, atividades, cultive amigos. Mantenha sua autoestima elevada, pois para ser amada e admirada pelo parceiro você tem que se gostar primeiro.

4. Mantenha o ambiente da casa e, principalmente, do quarto de vocês cheiroso, com flores e lençóis com detalhes vibrantes: vermelho, laranja e amarelo são cores que aumentam a libido.

5. Apesar dos filhos, enteados e trabalho, tenha na agenda semanal de vocês umas horas sozinhos. Pode ser um cineminha, um jantar a dois. Se não der tempo nem para isso, reserve pelo menos uma taça de vinho para relaxar no final do dia.

6. Saiba ouvir com atenção aquilo que é importante para seu parceiro e mostre a ele seu interesse e companheirismo.

7. Mantenha-se sempre antenada com assuntos sobre, economia, política, cultura, assim os assuntos domésticos saem um pouco de cena e o papo pode fluir com mais variedade!

8. Saiba que é preciso sempre beijar na boca; o começo de tudo vem com um bom beijo.

9. Nunca frustre o parceiro quando ele quiser discutir sobre a relação. Embora muitas vezes cansativa, a famosa DR evita que um pingo d’água transborde uma taça.

10. É fundamental usar a imaginação e, por que não, brinquedinhos sexuais: óleos de massagem, vibradores, anel peniano, uma lingerie sexy. A noite começa engraçada a principio, depois dá uma turbinada e vocês terão sensações inimagináveis.

Sexo tântrico, sem nenhum mistério

Os hindus ensinam: na hora do amor, música suave, perfumes, flores, petiscos, tudo à luz de velas...E mais: há exercícios milenares que prometem ajudar você a extrair o máximo de sua noite de amor. Quer um conselho? Leia a dois.

O êxtase amoroso, a verdadeira porta para encontrar o divino: na tradição tântrica da Índia antiga, a energia sexual era vista como uma ferramenta para o desenvolvimento humano. Daí nasceram técnicas supersofisticadas com o obejtivo de extrair o máximo de prazer na vida sexual. Técnicas, diga-se de passagem, repetidas e imitadas até hoje.

Nos anos 1950, o médico americano Arnold Kegel fez uma releitura das técnicas tântricas, adaptando-as para nossa visão ocidental. Desta abordagem nasceram os exercícios conhecidos como Kegel, cujo objetivo é melhorar o funcionamento do músculo pélvico, chamado pubococcygeus, o PC.

O bom funcionamento deste músculo, segundo o médico de Los Angeles, além de melhorar o desempenho sexual, facilita o orgasmo e, no caso das mulheres, ajuda a fortalecer a musculatura do períneo depois do parto.

Hoje, na esteira de Kegel, muitos terapeutas usam alguns dos princípios e lições dos antigos mestres tântricos para tratar desajustes sexuais bem modernos – frigidez, ejaculação precoce, traumas psicológicos, diferenças de ritmo entre os parceiros, entre outros.

Por outro lado, não dá para deixar de observar que os ensinamentos desta filosofia milenar foram bastante banalizados. E os requintados textos hindus sobre o assunto acabaram virando reles manuais de posturas sexuais.

Na verdade, esta verdadeira Arte do Sexo vem sendo praticada há milhares de anos não apenas na Índia, mas na China e no Tibet. E seus ensinamentos vão muito além dos aspectos sexuais, incluindo inúmeros outros aspectos de vida psíquica e espiritual dos seres humanos.

É bom que se saiba, a ênfase dos rituais e exercícios não era colocada no orgasmo, ao contrário do que poderíamos pensar. Muitas das técnicas tinham como objetivo justamente retardar (e até mesmo reter) a ejaculação, de modo a intensificar e fazer durar por um tempo indeterminado o êxtase. Sofisticações do Oriente que vêm inspirando muitos de nós, na cama, aqui no Ocidente...

RECUPERAMOS PARA VOCÊ ALGUNS SEGREDOS (PRÁTICOS) DO TANTRA. ACOMPANHE AQUI.

O sexo é uma meditação a dois e qualquer ato sexual, um acontecimento sagrado. Durante o ritual tântrico de amor, a mulher se transforma na deusa Shakti e o homem, em Shiva, seu consorte. Juntos, eles se misturam à energia do universo. A deusa Shakti é o coração do Tantra. Ela é o poder e a intensa energia feminina que conduz ao êxtase e à iluminação. Identificada com a Grande Mãe ou Mãe Divina, é ela que apóia todas as formas de vida -- mental, afetiva, biológica -- do planeta.

Prepare o seu corpo. Os ensinamentos tântricos não deixam escapar nenhum detalhe na hora de fazer do amor uma arte. Isto começa pela higiene pessoal. Unhas cortadas e lixadas para não provocar arranhões e enfeites e perfumes no corpo são parte importante do ritual.

Prepare o ambiente. Os tantrismo acredita que a energia erótica nasce de vários tipos de estímulo. Os mais diretos, relacionados ao ato sexual propriamente dito, e aqueles mais sutis, como música suave, perfumes, alguma bebida excitante (talvez), flores (sempre), e frutas e outras comidinhas. Tudo isto arrumado com carinho, cria o cenário ideal para usufruir do amor.

Não esqueça também de providenciar para que o lugar tenha uma luz agradável, mas jamais forte. O ritual tântrico nunca é praticado no escuro. Mesmo porque perceber o belo e suas formas é um elemento fundamental do Tantra.

A luz deve de preferência vir de velas, mas lâmpadas coloridas podem ser utilizadas: vermelha para ativar a sexualidade masculina; violeta, para estimular o desejo feminino.

Antes de começar, os parceiros devem ficar em silêncio, relaxando e visualizando o aspecto divino um do outro. Nos rituais tântricos, isto é feito sobre uma mandala ou um yantra, que são símbolos propícios para a meditação e para o encontro com o divino.

Lembre-se de que o corpo é considerado sagrado. Isto não tem nada a ver com a atenção meio idólatra que nós ocidentais dedicamos a ele. Para o Tantra, o corpo é um instrumento para a elevação espiritual.

Durante o maithuna (coito) tântrico, o foco da atenção não é a ejaculação, ao contrário, a idéia é retardar este momento o máximo possível. Segundo os adeptos não só do Tantra, mas também de algumas teorias mais modernas referentes à sexualidade, a ejaculação, de certa forma, “mata” o amor, fazendo o homem não desejar mais qualquer proximidade com a mulher e impedindo o prolongamento do prazer. No Tantra, o orgasmo é descrito como um estado abençoado de expansão da consciência, muito parecido ao êxtase religioso. Deve, portanto, ser lenta e cuidadosamente preparado e usufruído.

No Tantra, o homem-Shiva “não copula com uma órgão genital feminino, mas se une a um ser total, à mulher física, psíquica e cósmica, ou seja, a encarnação da Shakti”. A energia sexual deve sair dos órgãos sexuais e percorrer todo o corpo, cada célula deve vibrar e, assim, despertar a serpente Kundalini que dorme na base da nossa coluna vertebral, segundo a visão hindu.

Para os hindus, Kundalini é a energia criativa que está na base da nossa consciência (por isso a imagem de que ela dorme enroscada na base da nossa espinha). Quando estamos impregnados desta energia criativa, então estamos vivendo plenamente nosso potencial. Esta é a base do Yoga Tântrico. Não admira que o êxtase sexual seja considerado um estado alterado de consciência!

“O maithuna é uma dança, na qual cada Shiva desposa o ritmo da sua Shakti”. O truque aqui é concentrar-se e manter o foco nas sensações. Parece simples, mas não é tanto assim. Nossa mente vive escapando do momento presente, vagueando por vários outros assuntos.

A lição tântrica é: tente manter o foco naquilo que está acontecendo. Se você está acariciando as costas da sua mulher-Shakti, então perceba, sinta, experimente cada movimento. E se outros pensamentos passarem por sua mente, não se aborreça e volte sua atenção de novo para o gesto, a sensação, o instante.

Por isto se diz que o sexo tântrico é uma meditação a dois. Isto fará com que os homens-Shiva possam estar mais receptivos ao ritmo de suas parceiras e a relação, afirmam os estudiosos, ganha novas dimensões.

Dois exercícios clássicos para você praticar todos os dias e fortalecer os músculos pélvicos, e que também funcionam para estimular o desejo. Nesse caso, experimente fazer a dois, durante seu ritual de amor.

1- Exercício Kegel

A primeira coisa que você deve fazer antes de começar o exercício é localizar na sua pélvis o tal do músculo pubococcyneus, o PC, responsável por boa parte dos movimentos nessa região do corpo. Imagine que ele é uma fita entre suas pernas, que vai dos genitais até o orifício retal (ajuda se você pensar que é o assoalho pélvico do seu corpo). O músculo que vai ser treinado, tente percebê-lo assim, é aquele que você usa para interromper o fluxo de urina. Mas atenção: ao tentar interromper o fluxo de urina, verifique se não está usando os músculos abdominais ou os dos esfíncteres. Use apenas o músculo pélvico.

Os homens podem treinar em frente ao espelho, fazendo seu órgão genital masculino se mover para cima e para baixo a cada contração do PC. As mulheres podem inserir delicadamente o dedo no órgão genital e contrair o músculo. A órgão genital vai fazer um movimento de “engolir” o dedo.

Fortaleça o músculo fazendo 20 contrações de 20 segundos cada. Você pode treinar uma ou duas vezes por dia. O ideal é que você chegue a fazer sem esforço 75 contrações duas vezes por dia.

2-Exercício tântrico: o mûla bandha

Este exercício também pode ser praticado por homens e por mulheres. Deitada(o) ou sentada (o), coloque seu pensamento na região retal . Respire com tranquilidade. Depois de alguns minutos tentando manter a concentração, contraia delicadamente o primeiro esfíncter do orifício retal, o mais externo.

Depois, apertando um pouco mais, dirija sua concentração para o segundo anel muscular; enfim, contraia o eretor do orifício retal, levando assim os dois esfíncteres anais para dentro e para cima. Lenta e gradualmente, distinguem-se bem estes três níveis, mesmo na primeira tentativa.

Depois, aperte com toda a força que puder até fazer vibrar toda a região retal . Mantenha esta contração ao máximo, retendo o fôlego, por no mínimo 6 segundos. Depois relaxe, mantendo a concentração. Repita no mínimo 5 vezes seguidas. (exercício extraído do livro Tantra, o culto da feminilidade, de André Van Lysebeth, da Summus Editorial).

Fonte: delas.ig.com.br

Dia do Amante

22 de Setembro

Mitos e verdades sobre a traição

É um senso comum entre as mulheres que o amor é capaz de funcionar como uma vacina contra a infidelidade. Mas o que poucas querem encarar é que, na verdade, esse fato nada mais é do que um mito bem mentiroso.

Mirian Goldenberg, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que pesquisa o tema há quase 20 anos, é taxativa: “A ala masculina considera que a infidelidade faz parte de sua natureza poligâmica. Os homens podem amar a esposa e desejar outras mulheres sem grande conflito. Já as mulheres, tradicionalmente educadas para associar sexo e amor, consideram que traição só é possível quando não se ama mais o parceiro, e sim outra pessoa."

Confira o que os especialistas têm a dizer sobre os mitos que envolvem a vida de amantes e o tema traição:

Mito

Quem ama de verdade não trai

Pode trair, sim. “Mesmo que ame sua mulher, o homem justifica a infidelidade pelo desejo de novidade e aventura, porque surgiu a oportunidade, por crises pessoais ou no casamento”, observa Mirian. Já as mulheres dizem trair por sentirem falta de carinho e atenção ou por achar que não são mais desejadas pelo marido. Há também aquelas que traem para revidar as escapadas do parceiro. “Mesmo pessoas felizes no casamento às vezes traem por curiosidade, para testar o poder de sedução ou para chamar a atenção do cônjuge”, afirma a psicóloga Ana Maria Zampieri.

Mito

Mesmo amando o companheiro, a vontade de trair pode surgir

Verdade. Quando a convivência transforma a paixão em rotina é natural buscar algo diferente. Dê mais atenção às fantasias e procure descobrir se essa vontade vem de uma ânsia por novas sensações ou de pura necessidade de auto-afirmação. Por fim, tenha convicção de seus sentimentos pelo companheiro. Pondere se essa escapada valerá a pena, pois sua relação estará em risco.

Mito

A traição é quase inevitável em relações de longo prazo

Nem sempre. Para Ana Maria Zampieri, existem etapas críticas que deixam os casamentos mais vulneráveis à infidelidade: nos dois primeiros anos, quando a paixão perde o fôlego; por volta dos dez anos, quando o sexo costuma ficar mais morno; e em torno dos 20 anos, sobretudo se o casal não resolveu bem crises anteriores.

Mito

Existe certo tipo de pessoa que trai

Não há um perfil único, pois a ocasião também faz o infiel. “Quando a oportunidade se apresenta, as pessoas mais impulsivas podem ter dificuldade de resistir ao desejo”, diz Ana Maria. Por outro lado, há um tipo com maior predisposição. “É o caso da figura muito narcisista, que tem dificuldade de criar vínculo afetivo e é movida pela necessidade de testar continuamente o seu poder de sedução”, define outra psicóloga, Arlete Gavranic. “Seja homem ou mulher, em geral é alguém com auto-estima bastante comprometida, que procura se afirmar por meio das conquistas.”

Mito

A mulher é tão infiel quanto o homem

Não, pelo menos no Brasil, é o homem que trai mais. Há controvérsias sobre quanto a mais. Em estudo realizado entre 2002 e 2003 pelo Projeto Sexualidade (Pro-Sex), do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, com 7.103 voluntários também de ambos os sexos, nas cinco regiões do país, o índice de traição masculino ficou em 50,6% e o feminino em 25,7%.

Fonte: www.abril.com.br

Dia do Amante

22 de Setembro

Os prós e os contras de ser amante.

Entenda por que algumas mulheres aceitam ser "a outra" e veja como sair de uma situação assim.

Aceitar ou não ser a outra

Quando uma mulher se apaixona por um homem comprometido, de cara, tem que aceitar uma espécie de contrato: aceitar ou não ser a amante. "Pela minha experiência, as que se negam de imediato têm mais chance de ficar com o amado. As que dizem sim, na esperança de que um dia mudarão a situação, viram mesmo a segunda opção", diz a psicóloga Claudia Guglieri.

Se a mulher só quiser mesmo diversão, não terá grandes conflitos nessa hora. Mas se sonha com uma relação estável, a coisa complica. "Quando ambos estão satisfeitos, tudo bem. E se há expectativas frustradas, uma das partes sofrerá", assinala.

O lado bom e o ruim de ser amante

"Quando uma mulher aceita sair com um homem comprometido sabe dos prós e contras", diz Marcelo Puglia, autor de "Mulheres que se Apaixonam por Homens Comprometidos"(Ed. Madras, R$ 24,90). Cabe a ela avaliar o quanto isso pesará na sua vida emocional.

Prós

independência
possibilidade de sair com outros
pouca ou nenhuma discussão, só divide os momentos bons
comodismo, devido à falta de expectativas

Contras

não pode telefonar quando quer
não passa datas importantes ao lado do amado
finais de semana solitários
encontros clandestinos
sofrer preconceito social

Por que elas vão atrás de homens casados?

Sexo

Muitas só querem mesmo saber "daquilo". Elas podem até ter outros parceiros também, mas adoram um casadão "bom de cama".

Solidão

Neste grupo estão as solitárias ou as que vivem relações frustradas. Ela busca no novo parceiro a atenção e o carinho. Não importa se o cara é casado ou não.

Defesa

São aquelas que optam por uma relação "impossível", porque já sabem que será difícil levá-la para frente. O motivo? O medo de se envolver, amar e sofrer.

Virilidade

Algumas creem que casados são melhores no sexo. Uma pesquisa americana revelou que eles são quatro vezes mais atraentes para às mulheres do que os solteiros.

Traumas

As que já passaram por uma relação infeliz, com pais ou amigos, creem que parcerias são assim mesmo, deficientes. E se conformam em embarcar em outras.

A hora de dizer chega

Quem sofre no papel de amante vive a fantasia de que um dia será a parceira oficial de seu amado. Por isso, romper o sonho é o primeiro passo para se libertar do problema.

"Ao se recusar a prosseguir em tal posição, a vida melhorará. Seja porque forçará o homem a tomar uma decisão, que pode ser a de ficar com ela, seja porque, caso ele opte pela esposa, ela estará livre para viver uma relação de verdade".

E a esposa dele?

Muitas amantes acham que a esposa é a verdadeira "outra", rotulando-a como submissa, covarde e até perversa. "A outra é a que não tem o amor e desejo do parceiro. O real, para elas, é o sentimento entre os amantes", diz a antropóloga Mirian Goldenberg, autora de "A Outra".

Há também as que sentem culpa e até solidariedade para com a traída. Mas, tal compaixão não abala sua consciência quando está com o parceiro: viver este amor vence o remorso.

Fonte: mdemulher.abril.com.br

Dia do Amante

22 de Setembro

Explicando de forma simples e sem frescura, amor é a afeição profunda, o sentimento que impele os seres para o que lhes parece belo, digno e grandioso, embora o vocábulo também possa ser definido como o conjunto de fenômenos afetivos e cerebrais que constituem o instinto sexual, o desejo carnal, a sensualidade.

Em outras palavras, amante, como adjetivo, é a pessoa que ama alguém ou alguma coisa, ao passo que, na forma de substantivo, identifica quem mantém relações ilícitas, ou vive em concubinato, procedimento esse que pouco a pouco vem sendo aceito como padrão normal de comportamento nesta nossa terra em que se plantando tudo dá, conforme Pero Vaz Caminha informou ao rei de Portugal nos idos de 1500.

Alguém já disse que o amante, substantivo, não deve ser visto como a pessoa que comete um ato de traição, porque sendo o amor entendido como o afeto de um indivíduo por outro, de sexo diferente, permite as mais variadas explicações.

Para uns, ele não passa de um sentimento carnal e de ambição; para outros, é a força que preside a ordem no mundo; muitos o consideram um apetite, mesmo vendo nele uma paixão nobre e generosa, enquanto não são poucos os que o encaram como mera função física.

Definições à parte, a verdade é que o preceito bíblico de “crescei e multiplicai-vos” - como forma de garantir a preservação da espécie humana - redundou no ato sexual que agrada a todos, razão pela qual ele de há muito deixou de lado a sua divina razão de ser e transformou-se em simples busca de prazer, um jogo de amor em que os parceiros procuram cada vez mais a completa satisfação corporal de um e outro, por considerá-la essencial e importante em seu próprio gozo.

Ao contrário dos outros animais terrestres, aquáticos ou alados, que continuam na base do pim, pam, pum... e pronto.

Em razão disso surgiram os sexólogos e terapeutas do amor, gente especializada em avaliar e consertar as disfunções ou distorções que eventualmente possam prejudicar a saúde sexual do casal, impedindo o sucesso de homens e mulheres nesse convidativo, saudável e estimulante embate corpo-a-corpo.

O que explica as pesquisas regularmente feitas a pedido de gente do ramo, visando descobrir o que pode ser feito, ou produzido, para estimular a performance individual dos amantes e permitir-lhes alcançar o ai-ai-ai em todas as relações amorosas que praticam. 

Uma delas foi desenvolvida pela Bayer Shering Pharma para traçar o perfil do homem “vitalsexual”, termo criado por ela para denominar quem valoriza a qualidade de sua vida amorosa.

E concluiu que esse indivíduo é ativo, com mais de 40 anos; considera fundamentais o amor e a satisfação de sua parceira, mantendo com ela um relacionamento estável; acredita que a espontaneidade nas relações amorosas é essencial, deseja ter uma vida sexual ativa e prazerosa pelo maior tempo possível, idêntica à de quando era mais jovem; provavelmente já teve dificuldades de ereção uma vez, ou mais, e por isso estaria disposto não só a utilizar medicamentos caso tivesse novamente esse tipo de problema, como também a conversar sobre ele com sua parceira e com seu médico.

Um estudo feito pelo Instituto IPSOS-Opinião, a pedido da Bayer-Schering Pharma, revelou que 53% dos mil brasileiros entrevistados (8.000 mil em diversos países das Américas e Europa) se enquadram nesse conceito.

No que diz respeito à mulher, a pesquisa revelou que a “vitalsexual” também tem mais de 40 anos, é independente, considera o sexo fundamental, quer espontaneidade nas suas relações íntimas, mais diálogo, e acredita na importância da satisfação do parceiro. 

Em “Mapa do Amor”, obra cuja apresentação diz que “Embora existam muitos livros sobre o amor, poucos se baseiam no conhecimento científico. Este foi escrito tendo como base centenas de estudos nacionais e internacionais sobre o tema, o que lhe confere amplitude e seriedade.

O autor aborda, entre outros assuntos, a capacidade de amar, os caminhos para iniciar um relacionamento amoroso, a seleção de parceiros, além de analisar como as pessoas flertam e os fatores que limitam o envolvimento, como a timidez.

Obra indicada para todos os que estão iniciando relacionamentos amorosos e também para aqueles que estão tendo dificuldades nessa área, pois nela poderão encontrar os esclarecimentos de suas dúvidas”, seu autor, o psicólogo Ailton Amélio da Silva, esclarece que a beleza se fundamenta na harmonia de traços, e por isso elas, as mulheres, desejam homens bonitos, altos e de voz forte, com ombros e quadris proporcionais, maxilar largo, tórax desenvolvido e sem cintura fina. Além disso, devem ter olhos meigos e pele macia, pequenos detalhes que servem para suavizar sua masculinidade.

Pesquisa realizada a esse respeito verificou que na opinião preponderante das entrevistadas, isso é verdade, porque essa história de beleza interior é um “conto da carochinha” que embora tenha tido a sua vez e época, hoje pertence ao passado.

No dizer de todas elas, “é claro que queremos um namorado legal, mas ele tem que agradar visualmente, pois não existe nada mais estimulante do que abrir os olhos e deparar com um ‘gato’ deitado ao nosso lado”.

O dia dos amantes é comemorado a cada 22 de setembro, mas não custa nada encurtar esse prazo para o mínimo possível. Como o casal só tem a ganhar com isso, é sempre válido experimentar, não é mesmo?

Fonte: www.fernandodannemann.recantodasletras.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal