Breaking News
Home / Folclore / Zumbi

Zumbi

PUBLICIDADE

Diz o povo que índio, chegando a completar cem anos, especialmente sendo pajé, não morre.

Aí fica perambulando de tribo em tribo, tal qual um finado.

Não fala, não come nem bebe.

Zumbi puro.

Zumbi – Criaturas

Zumbis são fictícias criaturas mortas-vivas regularmente encontradas em trabalhos temáticos.

São descritos tipicamente como cadáveres reanimados com fome de carne humana, e em particular para os cérebros humanos em algumas representações.

Zumbi – Mitos e lendas

Um zumbi é o resultado de um ser humano trazido de volta dos mortos, geralmente por artes proibidas ou magia negra, muitas vezes para servir como escravo de um feiticeiro conhecido como “Necromante”.

A palavra vem originalmente da religião vodu do Caribe e pode derivar da palavra africana nzambi, que significa deus, ou zumbi, que significa carne.

Certos ramos do vodu haitiano e da África Ocidental, ou vodu, acreditam que um espírito ou feitiço pode trazer um cadáver de volta à vida para realizar trabalhos pesados ou más ações para seu mestre, um feiticeiro.

Existem muitos rituais de zumbis no folclore do vodu e na América do Sul, principalmente no Brasil. Aparentemente, por causa do descaso do país com os mortos, há muitos cadáveres nas selvas amazônicas, o que pode encorajar a realização de artes malignas do vodu.

Zumbi – Aparência

Os zumbis se parecem muito com o seu eu humano quando ainda estavam vivos. Alguns estão em melhores condições do que outros, com todos os seus zumbis andando como robôs.

Um zumbi permanecerá em um estado de robô indefinidamente.

Um zumbi é uma criatura cujo esteriótipo define-se nos livros e na cultura popular tipicamente como um morto reanimado, usualmente de hábitos noturnos, que vive a perambular e a agir de forma estranha e instintiva; um morto-vivo; um ser privado de vontade própria, sem personalidade.

Histórias de zumbis têm origem no sistema de crenças espirituais e nos rituais do Vodu afro-caribenhos, que contam sobre trabalhadores controlados por um poderoso feiticeiro.

O que pouca pessoas sabem é que existe uma lenda no folclore brasileiro sobre zumbi.

O ‘corpo-seco’ como é conhecido é uma criatura que ataca as pessoas na estrada.

O ‘corpo-seco’ é um personagem do folclore brasileiro comum no interior dos estados de São Paulo, Minas Gerais e região Centro-Oeste.

De acordo com a lenda, o corpo-seco foi um homem muito malvado que vivia prejudicando as pessoas. Era tão ruim que maltratava e batia na própria mãe.

Zumbi

Características de Zumbi

Um zumbi, de acordo com a cultura pop e o folclore, geralmente é um cadáver despertado com um apetite voraz ou alguém mordido por outro zumbi infectado com um “vírus zumbi”.

Os zumbis são geralmente retratados como seres fortes, mas robóticos, com carne podre. Sua única missão é alimentar. Eles normalmente não têm conversas (embora alguns possam resmungar um pouco).

Origem dos zumbis

Os gregos antigos podem ter sido a primeira civilização aterrorizada pelo medo dos mortos-vivos.

Arqueólogos desenterraram muitas sepulturas antigas que continham esqueletos presos por rochas e outros objetos pesados, supostamente para impedir que os cadáveres reanimassem.

O folclore zumbi existe há séculos no Haiti, possivelmente originado no século 17, quando escravos da África Ocidental foram trazidos para trabalhar nas plantações de cana-de-açúcar do Haiti.

Condições brutais deixaram os escravos ansiando por liberdade. De acordo com alguns relatos, a vida – ou melhor, a vida após a morte – de um zumbi representava a terrível situação da escravidão.

Fonte: ifolclore.vilabol.uol.com.br/www.history.com/www.universozumbi.com.br/mythus-fandom-com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Como Surgiram as Fogueiras de “São João”

Como Surgiram as Fogueiras de 'são João', Lendas E Mitos Do Folclore, Como Surgiram as Fogueiras de 'são João'

Bode Preto

Bode Preto, Lendas e Mitos do Folclore, Bode Preto

Tarrasque

Tarrasque, Região Sul, Lendas E Mitos Do Folclore, Tarrasque, Região Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.