Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Culinária / Culinária Venezuelana

Culinária Venezuelana

PUBLICIDADE

Culinária Venezuelana

A gastronomia venezuelana é uma expressão da simbiose das raízes indígenas, européias e até africanas, que virou uma cultura culinária autóctone, com características próprias, rica em aromas e sabores.

Como nação de gado, a cozinha deste país sul-americano está baseada na abundância de pratos com carnes e também sobressai o uso da farinha de trigo, o milho, os tubérculos e os condimentos, que derivam em pratos extraordinários. Os mais representativos na Venezuela são arepas, cachapas, Pabellón Criollo, hallaca, tequeños e empanadas.

Originário de Caracas, o Pabellón Criollo é considerado o prato nacional, muito consumido pela classe alta durante o período colonial. Está integrado por arroz, feijão preto e carne e pode ser servido com bananas maduras fritas, o qual lhe dá um gosto singular. Sustento de numerosas famílias venezuelanas, as arepas, atribuídas aos indígenas, são feitas com milho e sua cor varia em dependência do grão utilizado.

Este prato vai acompanhado de manteiga e é costume comê-lo recheado com diferentes produtos, entre eles presunto, queijo, atum, frango, salsichas, feijão ou ovos. Daí toma a grande variedade de nomes como Reina Pepeada, a Dominó e a de Queijo Amarelo. Quando se faz com mandioca, se chama de Casabe.

As arepas são elaboradas de várias maneiras, em depedência do território de origem: delgadas na região andina, mais grossas na central e grandes na zona oriental. Da mesma massa que se obtém a arepa se fazem as empanadas, que também se recheiam com carnes, presunto e outros produtos, enquanto da farinha de trigo se obtêm os tequeños, uns rolinhos com queijo, muito degustados antes de uma comida ou como complemento a uma bebida.

Por sua vez, a hallaca, é um prato representativo do Natal venezuelano e embora com muitas variantes, o guisado é praticamente o mesmo, com milho, carne de cerdo, galinha, azeite, cebola, alho ‘porro’, cebolinha, alcaparreira, pimentão vermelho, pimenta doce, produtos em conserva de mostarda, vinagre e sal. Esta massa, após ser moida, é introduzida nas folhas de banana, para depois fervê-las.

Segundo expertos, o vocábulo hallaca provém do guarani e deriva da palavra ‘ayúa’ ou ‘ayuar’, que significa misturar ou revolver, embora para outros procede de alguma língua aborígene do ocidente do país, cujo significado é envoltório. Para muito, foi ideada pelos escravos negros que trabalhavam nas cozinhas das famílias brancas, ao utilizar a massa de milho dos índios e os guisados que sobravam dos amos.

No Natal também se consome o Pão de Presunto, recheado desse produto, azeitonas e passas. Os fervidos ou ‘sancochos’ são uma sopas com um grande conteúdo de ingredientes como tubérculos, legumes e carnes, acompanhadas de temperos e são servidos como preâmbulo do prato forte. No entanto, em cada região venezuelana existem também comidas características, signo de costumes e expressões autóctones, arraigadas profundamente.

No estado de Táchira, um desses pratos é sem dúvida a Pisca Andina, sopa composta por batata, leite, água, cebola e queijo, que é degustada no café da manhã. Aliás, se consome a Almojabana, realizada com uma base de queijo e amido; na Venezuela só se conhece em Mérida, mas sua origem se remonta à cozinha árabe.

Entanto, no estado de Barinas se prepara o Entreverado Llanero, um prato feito com as vísceras dos bois (fígado, coração, bofe), as quais são envolvidas com a pele que cobre as costelas e assado em brasa.

Do mesmo jeito, nos chãos se consome o Pisillo, preparação de carne fibrosa, geralmente de boi, que depois de cozinhada se divide em fios muito finos, se tempera com cebola, alho, pimenta, cominho e sal e se frege até estar completamente seca e dourada escura.

Os pratos típicos de Lara são a Acema Tocuyana, o Mute de Chivo, o queijo de bola, o Tacarí de Bode, as Catalinas, as Paledonias, as Roscas e Pão de Forno. Entre os doces que se degustam na Venezuela destacam os buñuelos e o quesillo que se afirma é uma versão do flã, embora o primeiro leve ovos inteiros e o flã só a gema.

A gastronomia deste país sul-americano é um reflexo dos costumes da população venezuelana, um híbrido de povos e tradições que criou uma cultura culinária própria.

Roberto Castellanos

Fonte: www.prela.nexus.ao

Culinária Venezuelana

Culinária Venezuelana
AREPAS são a maior expressão culinária da Venezuela

A América do Sul é farta. Em manifestações culturais, em temperos e ingredientes. Fala-se muito de Chile, Argentina, México e Peru como destinos turísticos imperdíveis. Mas basta uma olhada no mapa da região para constatar uma ausência e tanto no nosso passaporte. Existe uma Venezuela, sim, um país que reserva diversidade instigante. Na semana em que o país celebrou o 198º aniversário da independência declarada contra os colonizadores espanhois, em 5 de julho, a equipe de Sabores participou de um jantar preparado pela cônsul geral do país no Nordeste, Coromoto Godoy, que recepcionou com dois dos pratos mais típicos da sua terra natal – arepas e bollitos (fala-se bojitos) – e muito rum caribenho. E descobrimos que Brasil e a Venezuela de Simon Bolívar têm muito mais em comum à mesa do que se possa imaginar.

A paisagem é mista. De um lado, a Cordilheira dos Andes, do outro, o litoral caribenho. Contornos naturais distintos, climas, idem. Já na sacola da feira de venezuelanos dos quatro cantos, muitos itens apreciados por aqui em território nacional. O milho é, disparado, a primeira das instituições culinárias de lá. Também celebrada no Nordeste do Brasil, principalmente, onde em época de São João – ponto de culminância da safra – protagoniza receitas salgadas e doces tão obrigatórias nas mesas quanto o pão francês de cada dia.

Lá, no nosso vizinho, a principal forma de consumo do milho é como farinha fina, branca ou amarela, sendo base das populares arepas e dos bollitos. É tão popular que o próprio governo criou empresa para produção do produto, com a finalidade de baratear o preço final. Pobres e ricos comem arepas feitas da mesma marca de farinha de milho, chamada Venezuela Socialista.

Cor também é ingrediente constante na cozinha venezuelana. O pré-preparo de muitos pratos salgados é feito de um refogado à base de pimentão vermelho, alho e cebola. O coentro também está na lista dos condimentos “mais mais”. Do consumo de frutas, a laranja local, dizem, é excelente. Não dispensam ainda manga, banana e melancia. Dividem seu apreço por carnes, entre as vermelhas e entre os frutos do mar, tudo em pé de igualdade. Na região oriental do país, uma sopa chamada sancocho, feita de cabeça de peixe e legumes (cenoura, batata-inglesa, além de banana verde) cozida por cinco horas, é iguaria, bem como um bom churrasco acompanhado de mandioca cozida. Arepa, um capítulo à parte
A variedade culinária é grande, mas o emblema da Venezuela é mesmo a arepa. Os bolinhos fritos ou grelhados são crocantes por fora, têm recheios diversos, são a base do café da manhã e dos lanches. Sua versão cozida em água, e em formato semelhante ao quibe, é o bollito.

Tem forma achatada circular e cerca de dez a vinte centímetros de diâmetro. É um prato tradicional também no Panamá e Porto Rico. Conseguiu uma dispersão significativa nas Ilhas Canárias, consequência do regresso de imigrantes provenientes da Venezuela. Nestas regiões, é utilizada para acompanhar outros pratos, como o pão. Além de sozinha, também é costume comê-la recheada. Sua preparação remonta aos antepassados indígenas que plantavam, colhiam e processavam o milho. Moíam-no entre duas pedras – uma lisa e outra plana – e, em seguida, criavam pequenas bolas que assavam em um “aripo” (espécie de placa de argila com leve curvatura, que é utilizada para cozinhar), daí a derivação da palavra arepa.

Vanessa Lins

Fonte: www.folhape.com.br

Culinária Venezuelana

Nada de pizzas, hambúrgueres e cachorros-quentes em Caracas. A fast food preferida dos venezuelanos é a arepa, um tipo de pão de farinha de milho, assado, em formato circular e achatado. É um lanche substancioso: cada uma tem de 10 a 20 cm de diâmetro e pode ser recheada com o que você quiser.

Culinária Venezuelana
Arepa

Em Caracas há muitas lanchonetes que servem as deliciosas arepas. Se você for à noite, saiba que estarão lotadas. Como é uma comida querida e barata, o sucesso é garantido.

O cardápio é vasto. A massa pode levar pimenta ou não. De recheio tem de tudo: salgados – lagarto desfiado, queijo, presunto, frango, berinjela etc – e alguns doces. Podem ser servidas como acompanhamento ou prato principal em jantares, mas o consumo mais comum mesmo é como comida rápida: fechada, como um sanduíche, ou aberta, como pizza. Também pode ser saboreada no café da manhã, quentinha, com a manteiga derretendo por cima…

A arepa é uma receita dos timoto-cuicas, índios nativos do Norte dos Andes, que viviam principalmente na área de Caracas. Mas a comida é tradicional também na Colômbia, onde os modos de preparo variam de acordo com a região.

Apesar de a origem da massa de milho ser conhecida, não há consenso sobre sua etimologia. Alguns estudiosos acham que a palavra arepa derive de “erepa”, termo que os índios cumanagotos usavam para se referir ao milho. Mas há também os que acreditam que venha de “aripo”, uma placa de barro na qual os nativos coziam o milho.

Fonte: www.jblog.com.br

Culinária Venezuelana

Grãos sagrados

Os povos indígenas da América Latina já conheciam os encantos do sabor do milho muito antes da chegada dos colonizadores europeus. O cereal era adorado como um presente divino e até hoje é um importante meio de sustento dos povos latino-americanos.

O milho foi tão venerado que seu culto acabou sendo incorporado pela religião cristã. No dia de San Isidro Labrador é costume semear grãos de milho em homenagem aos agricultores venezuelanos.

Desde as épocas pré-colombianas, diversos pratos são preparados com o grão amarelo. É o caso da cachapa, um tipo de panqueca que se pode comer pura, com manteiga ou queijo.As origens deste tradicional prato venezuelano são indígenas, como quase todos os pratos feitos com milho.

A Cachapa é uma torta redonda e fina, feita de milho moído e cozida em uma frigideira. É uma receita típica da região central da Venezuela, mas consumida em todo o país.

Fonte: milpovos.prefeitura.sp.gov.br

Culinária Venezuelana

Arepa

Arepa é um alimento elaborado a partir da farinha de milho, típico da gastronomia da Venezuela e em menor grau da Colômbia.

Cada arepa apresenta uma forma circular achatada com cerca de dez a vinte centimetros de diâmetro. Pode servir de acompanhamento a outros alimentos ou então ser o prato principal de uma refeição.

Etimologia

Para alguns estudiosos a palavra arepa deriva de erepa, palavra que os índios Cumanagotos usavam para se referir ao milho. Segundo outra perspectiva a palavra derivaria de aripo, uma placa de barro onde os índios coziam o milho.

Forma de preparação

O método atualmente mais utilizado para preparar arepas é utilizar farinha de milho pré-cozida disponível no mercado (existem duas variantes de farinha, a branca e a amarela). A farinha é misturada com água (de preferência morna) e sal; algumas pessoas podem acrescentar um ovo e/ou leite. Depois de esta mistura ter sido amassada, de modo a se alcançar uma massa compacta, retiram-se dela pequenos bolos que são achatados com as mãos podendo estes ser fritos, cozidos ou assados.

Uma vez pronta a arepa pode ser consumida simples ou então pode ser aberta com uma faca para lhe ser acrescentada manteiga, fatias de queijo ou fiambre ou outros alimentos que estejam de acordo com a imaginação, gosto e tradição local.

Arepa

Ingredientes

1 xícara de chá de farinha de milho amarela.
½ colher de sobremesa de sal.
1 colher café de pimenta-do-reino branca moída
1 colher de sopa de alho em pó
½ colher sopa de fermento químico em pó
1 ovo
1 xícara de Água fervente
mussarela ralada agosto
manteiga agosto

Modo de Preparar

Em uma tigela, misture a farinha de milho, o sal, a pimenta e o fermento. Acrescente o queijo e misture mais um pouco. Com um garfo misture a massa adicionando a água fervente.

Junte o ovo e continue misturando com o garfo até que a massa desgrude das laterais da tigela. Amasse a massa com as mãos apenas até formar uma bola. Molde pequenos pedaços da massa na forma de hambúrgueres grossos.

Em uma panela anti-aderente, aqueça um pouco de manteiga e coloque as arepas até que fiquem douradas dos dois lados. Sirva as arepas quentes com queijo ralado ou molho de tomate ou creme azedo se preferir.

RECHEIO

Rechear ao seu gosto.

BIEN ME SABE

Ingredientes

Para o biszcochuelo (bolo)

05 ovos
150 gramas de açúcar
Casca de ¼ de limão
01 pitada de sal
01 pitada de baunilha
150 gramas de farinha

Para o creme

03 cocos grandes
03 xícaras de água quente
18 gemas de ovo
01 pitada de sal
03 ½ xícaras de açúcar
½ copo de vinho doce

Para o merengue

03 claras de ovo
½ xícara de açúcar
Canela a gosto

Modo de Preparar

Antes de tudo, faça o bizcochuelo, que é um tipo de bolo. Bata na batedeira os ovos, o açúcar, a casca de limão e o sal por cerca de sete minutos, até que a massa fique bem grossa. Depois, ponha a baunilha e bata por mais sete minutos. Em seguida acrescente a farinha aos poucos e misture lentamente com uma colher de pau. Coloque em uma fôrma e leve ao forno por 30 a 40 minutos.

Logo após, parta os cocos, tire a polpa e coloque no liquidificador. Acrescente duas xícaras de água quente e triture bem. Em seguida coe com uma peneira bem fina e coloque as gemas e o sal. Mexa e reserve a mistura.

Depois, ponha em uma panela o açúcar e uma xícara de água e cozinhe em fogo alto sem mexer, até formar uma calda a ponto de fio. Desligue o fogo e acrescente a mistura de leite de coco e ovos que foi reservada anteriormente. Bata energicamente até formar um creme homogêneo. Coloque de novo no fogo e mexa devagar até que levantar a fervura. Retire e deixe esfriar um pouco.

Corte o bizcochuelo em fatias finas e coloque em um pirex, fazendo uma camada. Regue com um pouco do vinho doce e em cima coloque uma camada do creme. Faça várias camadas nesta ordem, sendo que a última camada deve ser a de creme.

Prepare o merengue batendo as claras em neve com açúcar e coloque sobre o creme fazendo ligeiros picos. Ponha um pouco de canela por cima e sirva bem frio.

LA CACHAPA

Ingredientes

12 milhos verdes bem macios
01 pitada de açúcar
01 pitada de sal
125 gramas de queijo branco suave
Leite
Azeite

Modo de Preparar

Tire todos os grãos do milho verde e moa até ficarem muito finos e sair o leite do milho. Rale o queijo bem fininho e misture com o milho. Depois coloque o açúcar mascavo e o sal até obter uma massa lisinha. Se ficar muito grossa, coloque um pouco de leite.

Em uma frigideira bem quente, untada com azeite, coloque um pouco da mistura, fazendo uma camada bem fina. Deixe dourar, vire e deixe dourar também o outro lado. As cachapas devem ser comidas bem quentes, puras ou com manteiga. Outra dica é colocar um pedaço de queijo no meio da cachapa e dobrar.

Uma delícia feita com coco

Doces feitos com coco são preparados na Venezuela desde os tempos coloniais. Um exemplo é o Bien me sabe, uma receita tradicional da cozinha venezuelana que leva vinho doce, leite de coco, suspiro e outras delícias.

Pabellón Criollo

Este prato é composto por 4 partes diferentes que são servidas em conjunto:

Carne mechada (carne desfiada)
Caraotas negras (feijão preto)
Tajadas (banana pão frita)
Arroz blanco (arroz branco)

Carne mechada – Ingredientes

800g de carne de vitela
2 cebolas médias
2 pimentos, 1 verde e 1 vermelho
4 dentes de alho
4 tomates grandes bem maduros (congelar primeiro)
Pimentão doce q.b
1 cubo de caldo Knorr de galinha
Azeite, sal, louro, pimenta preta em grão e pimenta q.b

Preparação

Cozinhar a carne numa panela de pressão com: água temperada de sal, louro e grãos de pimenta. Depois de começar a rodar deixar ferver 40 minutos. Escorrer a carne e deixar arrefecer.

Depois de fria, desfie a carne com os dedos em fios finos.

Corte os restantes ingredientes em juliana.

Refogue a cebola, os pimentos e o knorr. Junte o tomate e deixe refogar 5 minutos.

Adicione a carne deixe refogar até formar um molho.

Se necessário rectifique os temperos.

Caraotas negras – Ingredientes

500g de feijão preto
2 cebolas médias
1 pimento vermelho
4 dentes de alho
Pimentão doce q.b
cominhos q.b
200g de chouriço ou carne fumada

Preparação

Num tacho coloque água suficiente para cobrir o feijão, quando a água começar a ferver junte o feijão, tempere de sal e junte a carne/chouriço.

Deixe cozinhar +/- 1hora.

Faça um refogado com a cebola, o alho, o pimento, pimentão doce, sal e uma pitada de cominhos.

Quinze minutos antes de retirar o feijão do lume junte-lhe o refogado, mexa e tape até que a água desapareça, mas não por completo.

Tajadas – Ingredientes

2 banana pão, bem maduras e grandes
azeite q,b

Preparação

Descasque as bananas e parta-as em 4, no sentido do comprimento.

Frite-as em azeite até ficarem bem douradinhas. Retirar com cuidado para não partirem.

Arroz blanco – Ingredientes

1 copo de arroz
2 copos de água
azeite q.b
sal

Preparação

Lave bem o arroz. Frite-o depois em azeite e tempere de sal.

Quando começar a ficar translucido junte a água, deixe ferver em lume não muito alto por 10 minutos.

Tape a panela e deixe secar por 5 minutos com o lume no mínimo.

Hallacas

Ingredientes

3 xícaras de milho verde fresco (ou enlatado)
1 xícara de banha
Sal

Recheio

1 e ¼ xícara de pimentão verde em tirinhas
1 e ½ xícara de cebola picadinha
½ xícara de alcaparras
½ xícara de óleo
3 colheres (sopa) de passas sem sementes e deixadas de molho
1 colher (sopa) de cominho
2 colheres (sopa) de açúcar
1 quilo de frango cozido, desossado e sem pele, cortado pedacinhos
½ quilo de carne de porco sem gordura e cortada em cubinhos
½ quilo de carne bovina cortada em cubinhos
4 tomates sem pele e sem sementes picados
25 azeitonas, verdes recheadas
Sal e pimenta a gosto
Salsa picada

Modo de Preparar

Cozinhar o milho em água. Coar, depois de bater no liquidificador ou depois de passar pelo moedor. Misturar com a banha e o sal. Amassar até obter uma massa lisa e homogênea. Reservar. À parte, dourar as carnes de porco e de boi, no óleo. Depois de bem douradas, retirar com a escumadeira. No mesmo óleo, refogar a cebola e o pimentão. Juntar os tomates e cozinhar até obter um molho espesso. Acrescentar as carnes, as alcaparras, o açúcar, o cominho, o sal e a pimenta. Cozinhar em fogo baixo por 15 minutos. Juntar o frango e a salsa. Retirar do fogo. Cozinhar 3 colheradas da massa reservada no centro de uma folha de papel manteiga (na Venezuelaa se usa folha de bananeira) e estenda-a até obter um retângulo, de 15 cm de largura por 18 cm de comprimento. Colocar no centro, 3 colheradas de recheio, 4 a 5 passas e 1 azeitona. Dobrar cuidadosamente o papel (que naturalmente deverá ser maior do que a massa estendida), fechando promeiro as bordas pela largura e depois pelo comprimento. Envolver com outra folha de papel e amarre com um fio. Para aquecê-las, colocar sobre uma peneira e mergulhe em caldo fervente, por 10 minutos. Retirar, deixar escorrer um pouco e tirar o papel. Abrir com cuidado, a outra folha também. Se quiser usar folhas de bananeira, lavar com água e uma esponja, com cuidado e sempre no sentido das nervuras, para que não rasguem. Cortar a folha do tamanho adequado (cerca de 25 cm de lado) e seque com um pano.

Hallaca

Culinária Venezuelana

Um dos pratos mais reconhecidos presente na gastronomia venezuelana é sem dúvida a Hallaca. Presente nos pratos mais tradicionais, e que também enfeitam as festividades natalinas na Venezuela.

Culinária Venezuelana

A receita para preparar hallacas se divide em três partes:

A preparação do Cozido
A preparação da Massa e preparo das folhas de bananeira.
A confecção da hallaca e amarre.

Ingredientes Para 50 hallacas Cozido

1 Kg. de pernil picado
2 Kg. de carne de boi picada
2 Kg. de frango cozido e picado sem osso
½ Kg. de Bacon picado
1 ½ Kg. de cebolas
½ Kg. de alho
¼ Kg. de cebolinha
¾ xícara de alho triturado
½ xícara de alcaparras pequenas
1 Kg. de pimentões sem sementes em rodelas
2 Kg. de tomate sem sementes triturado
1 xícara de uva passa
¼ xícara de pimenta de cheiro picada
1 xícara de vinagre tinto
½ Kg. de rapadura moída
2/3 xícara de farinha de milho
Sal
Pimenta
Azeite

Adorno

Culinária Venezuelana

1 Kg. de pimentão em rodelas
½ Kg. de bacon cozido cortado em tiras de ½ cm. x 5 cm.
½ Kg. de Carne de porco cortado em tiras de ½ cm. x 5 cm.
½ Kg. de peito de frango sem osso em tiras
½ Kg. de cebola em rodelas
200 grs. de alcaparras
400 grs. de azeitonas recheadas
½ Kg. de uvas passas

Hojas

Culinária Venezuelana

50 pedaços de folha de bananeira de 30×30 cm.
50 pedazos de folha de bananeira de 20×20 cm.
50 tiras de folha de bananeira de 15×20 cm.
1 rollo de pabilo

Masa

Culinária Venezuelana

2 ½ pacote de farinha de milho pré-cozida
5 xícaras de banha de porco
3 xícaras de caldo de galinha
2 xícaras de água
Sal
Semente de onoto

Culinária Venezuelana

Cachapa ou panqueca venezuelana

Ingredientes

2 espigas de milho
Açúcar a gosto
1 colher de óleo
1 pitada de sal
800 g de queijo mussarela ou branco
Leite se a massa ficar muito firme

Modo de Preparar

1.Separe alguns grãos de milho
2.Bata o restante no liquidificador, com os outros ingredientes
3.Unte ligeiramente uma frigideira com óleo
4.Esquente e coloque um pouco da massa
5.Doure os dois lados
6.Recheie e sirva bem quente

Cachapa

Ingredientes

1 kg de massa de milho
tempero a gosto

Rrecheio:(opcional)

frango
queijo
carne

Modo de Preparar

Em uma frigideira untada com óleo, coloque um pouco da massa de milho, abra como se fosse uma panqueca! Coloque o recheio por cima e quando a massa estiver consitente dobre para feichar o recheio e esta pronta!

Tempo de Preparo

15 min

Rendimento

10 porções

Lombo de porco à Venezuela – Costiliar de cerdo a la venezolana

Ingredientes

½ xícara de vinagre branco
1/3 xícara de salsa picada
¼ xícara (chá) de pimenta
¼ xícara de óleo
2 dentes de alho picados ou amassados
2 e ½ quilos de lombo de porco
1 pimentão verde picadinho
1 cebola (grande) picada
Sal a gosto.

Modo de Preparar

Misturar a cebola com o pimentão, o alho, a salsa, o vinagre, o óleo e apimenta. Reservar. Com uma faca, fazer cortes cruzados na superfcie da carne, de 1 cm de profundidade. Colocar a carne num recipiente, despejar o tempero em cima, cobrir e deixar tomar gosto, cerca de 2 horas. Retirar a carne do tempero e seque ligeiramente, tirando os pedaços de vegetais (reservando o tempero). Colocar a carne sobre a grelha ligeiramente untada cerca de 10 a 15 minutos, sobre o carvão incandescente. Deixar assar, passando de vez em quando o tempero reservado, cerca de 2 horas ou até que, enfiando um termômetro no centro da carne, no lugar mais grosso, ele registre 170ºC. Cada ½ hora, alimentar o fogo com 5 a 6 pedaços de carvão, para que mantenha temperatura constante. Cortar a carne em fatias finas e prove o sal. Aquecer o tempero restante e servir como molho. Rende 10 a 12 porções.

Queijinhos de abacaxi – Quesillos de piña

Ingredientes

1 e ½ xícara de suco de abacaxi
1 e ½ xícara de açúcar
½ xícara de água
1 lata de leite condensado
2 gemas
3 ovos

Modo de Preparar

Preparar um caramelo escuro com 1 xícara de açúcar e a água. Despejar numa fôrma de pudim e espalhar bem, rapidamente. Deixar esfriar. Num recipiente, bater os ovos com as gemas até ficar consistente. Juntar, aos poucos, o leite condensado, o suco de abacaxi e o açúcar restante, sem parar de bater. Passar pela peneira e despejar na forma caramelizada. Cozinhar em banho-maria, em forno médio, preaquecido, até ficar pronto. Deixar esfriar bem, passar uma faca nas bordas e desenformar. Cobrir com o caramelo que ficou no fundo da fôrma.

Salada à venezuelana – Ensaiada a la venezolana

Ingredientes

1 colher (sopa) de salsa picada
Azeite, vinagre, sal, pimenta a gosto
100 gramas de azeitonas verdes
½ quilo de ervilhas frescas
2 pepinos (médios)
Folhas de alface
4 ovos cozidos
2 ervas-doces
2 cebolas
4 tomates
4 cenouras
4 batatas
1 beterraba

Modo de Preparar

Cortar os ovos em rodelas. Cozinhar as ervilhas, as cenouras e as batatas em água e sal. Cozinhar a beterraba separadamente. Cortar todos os legumes em rodelas. Espalhar as folhas de alface, numa saladeira. Cortar as cebolas, os tomates, os pepinos e as ervas-doces em fatias. Colocar os legumes sobre a alface. Bater bastante azeite com o vinagre, a salsa picada, o sal e a pimenta. Temperar a salada com este molho e decorar com as rodelas de ovo cozido e as azeitonas.

Torta de banana – Torta de platano

Ingredientes

7 a 8 colheres (sopa) de manteiga
3 colheres (sopa) de açúcar
2 xícaras de queijo branco
3 bananas maduras
Canela
3 ovos

Modo de Preparar

Cortar as bananas em rodelas e fritar na manteiga. Quando estiverem douradas, retirar e escorrer sobre papel absorvente. À parte, misturar o queijo com o açúcar e canela. Em outro recipiente bater as gemas até que fiquem cremosas. Misturar as gemas com as claras. Despejar ¼ da mistura numa fôrma, untada e enfarinhada. Espalhar em cima 1/3 das rodelas de banana e cobrir com 1/3 do queijo. Repetir as operações, sendo a última camada de gemas e claras. Levar ao forno médio, preaquecido, cerca de 30 minutos. Pode ser consumido quente ou frio, diretamente da fôrma ou desenformado. Na Venezuela é muito apreciado como acompanhamento de pratos de carne, porém pode ser servido como sobremesa.

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Paranormal

PUBLICIDADE Paranormal é  uma experiência difícil de explicar por conhecimentos científicos. Os eventos paranormais são …

História do Salame

PUBLICIDADE O salame é de origem italiana. A história conta que os salames eram feitos …

Regras de Etiqueta

Regras de Etiqueta, Boas Maneiras, Básicas, Profissional, Traje, Crianças, Casamentos, Social, História, Regras de Etiqueta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+