Breaking News
Home / Arte / Dança Indiana

Dança Indiana

PUBLICIDADE

 

Dança Indiana – O que é

A Dança Indiana compreende os variados estilos de danças do país.

Tal como acontece com outros aspectos da cultura indiana, as diferentes formas de danças originou em diferentes partes da Índia, desenvolvido de acordo com as tradições locais e também absorviam elementos de outras partes do país.

As danças folclóricas são numerosos em número e estilo, e variam de acordo com a tradição local das regiões e respectivo estado, étnicas ou geográficas.

Características da dança indiana

Um movimento do corpo estilizado

O que primeiro chama a atenção é o ritmo da dança. É um ritmo que poderíamos qualificar como estranho, longe das danças europeias e africanas mais familiares. Qualquer dança tem, por definição, um ritmo inerente, mas aqui toda a dança é construído em torno do ritmo. Dança Africano também pode ser muito rítmico, mas o ritmo é menos geométrico, mais humano. O ritmo da dança indiana aparece como não-humano.

Podemos reconhecer diretamente dança indiana entre outras danças tradicionais, porque é um movimento muito estilizado do corpo.

Seu primeiro objetivo é um visual: os gestos são muito artísticas e agradável de se ver. Gestos, traje e ornamentos estão todos lá para agradar aos olhos.

Enquanto traje e ornamento são apenas acessórios, o movimento alcança além olho do observador e marca o ritmo em sua percepção. Dança indiana é orientada para o público. Se humano ou sobrenatural, visível ou invisível, a audiência é em delírio. Cada gesto sucessivo do bailarino é uma surpresa para os olhos. Em frente a dançarina, que pode ser de espanto constante, quase hipnótico fascínio.

Dança indiana não faz uso de gestos naturais do corpo. Todos os gestos são completamente transformada. É uma nova linguagem para aprender, um sistema técnico e estético de memorizar. A dança não reproduz, gestos cotidianos ordinários do organismo.

Esta é uma alusão à definição da dança: tem um ritual, dimensão sobrenatural e divina. Diferencia-se das atividades banais. Mesmo quando um gesto doméstico é reproduzida, quando descreve uma cena, ela é executada de uma forma estilizado, integrado no ritmo da dança e qualidade estética. Andar a pé e outros tais ações comuns são muito diferentes dos seus equivalentes dançavam. Dança indiana nunca desiste retratos realistas.

Dança Indiana – Origem

Dança Indiana
Dança Indiana

Segundo a tradição hindu, a dança não foi uma criação humana, mas divina. De acordo com os Vedas, textos sagrados do hinduísmo, a humanidade aprendeu a dançar aravés da relação divina.

Os deuses eram excelentes dançarinos, e a sua arte marcava todos os momentos da existência ao longo das eras. A dança não era apenas uma expressão da dinâmica universal, mas a própria dinâmica em si.

É quase impossível, portanto, dissociarmos a dança de valores eternos advindos da religião.

Existem várias versões sobre a origem da dança vamos sinetizar em quatro:

1 – O conquistadores Arianos afirmam que a dança foi criada por Brahmam.
– Os povos que viviam na Índia antes da invasão ariana os Dravidianos afirmam que a dança foi criada por Shiva. O mais antigo deus da Índia seu culto é mais popular no Sul. Segundo a mitologia, foi na cidade de Chidambaram, Estado de Tamil Nadu –Sudeste da índia-, que Shiva teria colocado o universo em movimento por meio de sua dança. Shiva Nataraja – o Senhor dos Dançarinos.
3
 – A filisofia Vaishnava aponta Krishna como criador da dança.
– O sistema devadasi. As mulheres celestiais, apsara, como criadoras da dança hindu. Dançavam nas festividades dos céus, e visitavam a terra.

Todas as versões tem de agum modo, suas raízes nos dois tratados de dança Natya Shastra e Abhinaya Darpanam, considerados os textos mais antigos sobre a dança hindu.

NATYA SHASTRA =(tratado sobre o Teatro). Escrito pos vola do século II a.C., é o mais antigo existente sobre as artes cênicas. Enciclopédia sobre teatro, detalhando todos os aspectos envolvidos em uma apresentação artística, por exemplo, as cores adequadas para a maquiagem, os tipos de movimentos de cada parte do corpo e a maneira correta de construir o palco em suas proporções exatas.

ABHINAYA DARPANAM = de Nandikesvara – é um manual de gestos e posturas de dança e drama datado do século III d.C.. A palavra chave é Abhinaya, ligada à comunicação de um sentimento a uma platéia.

Abhinaya significa o despertar dos 9 sentimentos chamados navarasa por meio das expressões faciais: surpresa, repulsa, coragem, amor, medo, fúria, serenidade, compaixão.

A palavra abhinaya pode também significar o desvelamento da beleza ou dos vários aspectos da representação por meio das palavras, gestos, maquiagem, figurinos, cenários, etc. DARPANAM = espelho,que ajuda o expectador ver toda a linguagem articulada no palco e compreender sua condição pessoal.

ADAVU = CORPO EM AÇÃO – é a unidade básica da estrutura da dança Bharatha Natyam, os movimentos do corpo, por meio dos quais a dança é criada. A paravra “adu” significa “jogar” ou “dançar” nas línguas do sul da India.

Adavu simboliza o movimento básico ou passo de dança. Os adavus resultam das combinações de “anga”, “upanga” e “pratyanga”.

Estas são as três partes em que, segundo a tradição da dança, o corpo humano pode ser dividido. Anga se refere ao um conjunto formado por cabeça, mãos, tórax, cintura, bacia e pernas.

Pratyanga se refere aos ombros, braços, estômago, coxas, joelhos e punhos. Upanga se refere a olhos, sobrancelhas, pálpebras, boca, mandíbula, lábios, língua, queixo, nariz. Os adavus fundamentais, segundo o Natya Shastra, são Sthanaka e Nritta Hasta.

Sthanaka é a posição inicial da dança, com pés unidos e pernas esticadas. Ardha Mandi ou Ayata Mandalam posição com pés e joelhos voltados para fora (joelhos em grande flexão).

O conjunto de movimentos de mãos, pés e todo o corpo quando o bailarino realiza o adavu recebe o nome de chari.

Dança Indiana – Clássica

Dança Indiana
Dança Indiana

dança na Índia é de pelo menos 5000 anos. Uma estátua de uma menina dançando foi encontrada nas ruínas de Mohenjodaro e é datado do século 2 aC aproximadamente.

Muitos grupos dessa dança representam sequências das pinturas da cavernas Bhimbetaka de Madhya Pradesh. O apsaras (Celestials) dançarinos estão esculpidos no gateways de Sanchi.

As pinturas de Ajanta e Ellora, as esculturas de Khajuraho, paredes de templos da dinastia Hoysala, é ampla evidência de popularidade da dança indiana desde os tempos antigos.

Através dos séculos as danças têm sido utilizadas como um veículo de culto e de expressão de emoções na Índia. Os bailarinos (Devadasis) levaram uma vida muito austera, a fim de executar danças sagradas para agradar aos deuses e deusas.

O sistema ainda é prevalente em alguns estados da Índia. Em Karnataka são dedicado à Deusa Yellamma de Savadatti. Em Orissa, são nomeados para executar várias atividades do templo.

O Português viajante, Domingo Paes visitou o Vijayanagar reino em 1520-22 dC e deixou para trás uma vívida descrição dos bailarinos que ele viu no reino. Suas crônicas originais foram preservadas na Bibliothèque Nationale de France, em Paris.

Ele visitou salas especiais de dança onde os jovens bailarinos do sexo feminino foi dada uma formação intensiva. As paredes estavam decoradas com pinturas representando várias danças que ajudaram a coloca os dançarinos para corrigir os seus passos.

O rei, Krishna Devaraya é muito interesse na sua dança educação e esse local é visitado periodicamente pelos bailarinos. Durante as celebrações da Festa Navaratri a dança foi dada grande importância.

Os dançarinos eram enfeitados com inúmeros ornamentos, feitas de ouro, pérolas e diamantes. “Às vezes as jóias que usavam eram tão pesado que os bailarinos eram apoiados pelas demais mulheres que os acompanhavam”.

Dança na Sociedade Indiana

Nataraja, o deus Shiva dançando, é a suprema manifestação da dança indiana. A lua que adorna em sua cabeça, o símbolo que é o controle completo dos sentidos.

As serpentes ao redor do corpo dele é a prova de seu controle completo sobre forças vitais. Seus pés elevados é um símbolo de triunfo sobre o ego.

O seu conteúdo temático são baseados na mitologia do país. A técnica é baseada na dança de alguns antigos tratados, como o Natya Shastra do sábio Bharata, que foram escritos há quase dois milênios.

A dança indiana consiste em três tipos distintos. “Nritta” é pura e simples dança com movimentos de tronco e pernas. “Nritya” está relacionada com expressões faciais, gestos manuais e corpo simbólico. “Natya” tem os elementos de um drama que é introduzido através da utilização fala muda. Todos os tipos envolvem o uso de “mudras”, que são tipos de gestos bem desenvolvidos durante a dança.

Os bailarinos utilizam todo o seu corpo para se comunicar com o público.

As principais danças clássicas indianas são: Bharata Natyam, Kathakali, e Kathak manipuri, Kuchipudi, Odissi e Mohini Attam. Além disso, existem inúmeras danças folclóricas e tribais espalhadas por todo o país.

Dança Indiana – Clássica

Dança Indiana
Dança Indiana

A dança indiana clássica, uma das mais antigas expressões teatrais do mundo, nunca esteve tão atual como nos dias de hoje.

Para aprender a dança indiana, a bailarina precisa não apenas de uma grande dedicação técnica, mas, principalmente, de uma profunda e perfeita integração entre o corpo, a mente e o espírito.

Entre as modalidades clássicas de danças indianas, o Bharatanatyam, cujos movimentos foram detalhadamente descritos no Natya Shastra, considerado o mais antigo texto existente sobre teatro, é a mais tradicional.

Escrito em sânscrito, por volta do ano 2000 A .C., o Natya Shastra, composto de 36 capítulos com 6.000 versos e algumas passagens em prosa, tem sua autoria imputada ao sábio Bharata Muni, embora na Índia sua concepção seja atribuida ao próprio deus Brahma.

O primeiro ensinamento do Natya Shastra diz que “o corpo inteiro deve dançar” e todas as posturas da dança indiana, com centenas de expressões corporais, possuem um significado simbólico e uma relação com a milenar cultura hindu.

Vinculado ao culto de Shiva, o Bharata-Natyam indica “vinte e quatro movimentos para a cabeça inteira, quatro para o pescoço, seis para as sobrancelhas, vinte e quatro para os olhos, cinqüenta e sete para as mãos, nove movimentos de pálpebras, seis movimentos de nariz, seis de lábios, sete de queixo…”

Além do Bharata Natyam, as principais danças clássicas da Índia são: Kathakali, Kathak, Manipuri, Kuchipudi, Odissi ou Orissi e Mohini Attam.

Há também inúmeras danças indianas tribais em todo o país, danças folclóricas e esportivas, como o Mallakhamb, uma espécie de yoga praticada em um poste de madeira com cordas, que deu origem à Pole Dance, hoje em dia muito praticada no Ocidente.

Dança Indiana
A dança indiana Bharata Natyam tem seis movimentos de nariz

Fonte: alek.zipzap.ch/www.suryanatyam.com/www.dicasdedanca.com.br/www.brasilazul.com.br

Veja também

Arte Marajoara

Arte Marajoara

PUBLICIDADE A arte marajoara é uma das culturas dos povos amazônicos com alto grau de …

Arte Plumária

Arte Plumária

PUBLICIDADE O que é arte plumária? Arte plumária, como o nome indica, se refere aos …

Antologia

PUBLICIDADE Na publicação de livros , uma antologia é uma coleção de obras literárias escolhidas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.