Breaking News
Home / História Geral / Papa João Paulo II

Papa João Paulo II

PUBLICIDADE

Quando o Vaticano anunciou o sucessor do papa João Paulo 1º no dia 16 de outubro de 1978, católicos de todo o mundo tiveram uma grande surpresa. Pela primeira vez desde 1522, o mais alto posto da hierarquia da Igreja Católica era ocupado por um religioso que não havia nascido na Itália.

Ainda abalados pela morte prematura de João Paulo 1°, que ficou no poder apenas 34 dias, os cardeais com direito a voto escolheram o polonês Karol Józef Wojtyla para ser o 264º papa (263º sucessor de Pedro).

João Paulo 2º, que adotou o nome para homenagear o seu predecessor, era a verdadeira imagem de um esportista quando foi saudado pelos fiéis que aguardavam a nomeação do comandante do catolicismo na praça de São Pedro.

Papa João Paulo II
Karol Józef Wojtyla – Papa João Paulo II

Aos 58 anos, Wojtyla transpirava saúde e energia -na juventude, praticou montanhismo, natação e futebol. Antes de ingressar na vida religiosa, o papa trabalhou em uma mina e em uma indústria química na Polônia, justamente na época em que o país era ocupado por tropas nazistas.

Nomeado pelo papa Pio 12 bispo titular de Ombi e auxiliar da Cracóvia (Polônia), Karol Wojtyla participou do Concílio Vaticano 2º. Seu pontificado, um dos três mais longos da história, sofreu um grande susto no dia 13 de maio de 1981, quando foi baleado pelo turco Mehmet Ali Agca durante uma missa que celebrava na praça São Pedro.

Levado de emergência para a Clínica Agostino Gemelli, o papa foi submetido a uma cirurgia que durou cinco horas e meia, onde recebeu três litros de sangue e perdeu 55 centímetros do intestino.

O atentado terrorista marcou o início de seus problemas de saúde. No mesmo ano, Wojtyla foi internado novamente para se tratar de uma infecção derivada da operação. Na década de 90, foi operado de um tumor benigno no cólon, perdeu a vesícula biliar, fraturou o fêmur e passou a conviver com o mal de Parkinson.

Desde que assumiu o seu posto, João Paulo 2º manteve o conservadorismo na Igreja Católica, editando encíclicas contra o aborto, homossexualidade, controle de natalidade, fertilização in vitro, engenharia genética e eutanásia.

Peregrinação

Ao contrário dos seus antecessores, João Paulo 2º fez muitas viagens, inclusive para países socialistas, o que representa um marco para a Igreja Católica. A sua primeira visita ao Brasil aconteceu em 1980.

Ao meio-dia do dia 30 de junho, o papa desembarcou no país e percorreu 13 cidades em apenas 12 dias. A maratona teve um total de 30 mil quilômetros e momentos inesquecíveis, como a celebração de uma missa campal para 160 mil pessoas no Maracanã.

A segunda viagem ao Brasil aconteceu entre 12 e 21 de outubro de 91. O papa não costumava beijar o solo de um país que ele já tinha visitado, mas no Brasil ele quebrou a tradição. Visitou sete cidades e fez 31 discursos e homilias.

Esteve pela terceira vez no Brasil entre 2 e 6 de outubro de 1997. Em seu papado, João Paulo 2º visitou mais de 120 países.

Outro momento marcante do seu pontificado aconteceu em 2000, quando a igreja comemorou 20 séculos de história. Em missas e pregações, o papa pediu perdão pelos pecados cometidos pelos católicos.

Apesar de não mencionar fatos específicos, cardeais com forte relação de amizade com o pontífice disseram que João Paulo 2º estava se referindo às injustiças acontecidas durante as Cruzadas e Inquisição.

Autor dos livros “Atravessar o Umbral da Esperança”, “Dom e Ministério: no Qüinquagésimo Aniversário do Meu Sacerdócio”, “Tríptico Romano” e “Levante-te, Vamos”, entre outras publicações, o papa celebrou mais de 150 cerimônias de beatificações e mais de 50 canonizações, entre as quais a de Amabile Lucia Visitainer, a Madre Paulina do Coração Agonizante de Jesus, a primeira santa brasileira.

Italiana, nascida na região de Trento, Visitainer veio para o Brasil com apenas 10 anos. Sua primeira Encíclica, “Redemptor Honoris” (Redentor dos Homens, 1979) explica a redenção por Cristo e a dignidade humana.

Encíclicas posteriores falaram sobre o poder da misericórdia na vida dos homens, a importância do trabalho como formas de “santificação”, os efeitos destrutivos da rivalidade entre as superpotências e a necessidade de conciliação entre o capitalismo e a justiça social.

Após anos de convivência com o mal de Parkingson e com uma série de problemas de saúde, Wojtyla morreu aos 84 anos em seus aposentos no Palácio Apostólico do Vaticano (Roma), às 21h37 (16h37 de Brasília) do dia 2 de abril de 2005.

Fonte: educacao.uol.com.br

Papa João Paulo II

Sua Santidade João Paulo II

Karol Józef Wojtyla , conhecido como João Paulo II desde sua eleição ao papado em outubro de 1978, nasceu em Wadowice, uma pequena cidade a 50 km. a partir de Cracóvia, em 18 de maio de 1920.

Ele era o caçula dos três filhos de Karol Wojtyla e Emilia Kaczorowska. Sua mãe morreu em 1929. Seu irmão mais velho Edmund (médico) morreu em 1932 e seu pai (oficial do exército) em 1941. Sua irmã Olga morreu antes de ele nascer.

Ele foi batizado pelo padre Franciszek Zak 20 de junho de 1920 na igreja paroquial de Wadowice, aos 9 anos, fez sua Primeira Comunhão e foi confirmada em 18.

Após a formatura no ensino médio na escola Marcin Wadowita em Wadowice, matriculou-se em 1938 na Universidade Jagiellonian em Cracóvia e uma escola de teatro.

Quando as forças de ocupação nazista fecharam a Universidade, em 1939, o jovem Karol teve que trabalhar em uma pedreira e depois uma fábrica química (Solvay) para ganhar a vida e evitar a deportação para a Alemanha.

Desde 1942, quando sentiu uma vocação para o sacerdócio, ele começou a cursos no seminário clandestino de Cracóvia, dirigido pelo Arcebispo de Cracóvia, Cardeal Adam Stefan Sapieha. Ao mesmo tempo, foi um dos pioneiros do “Teatro Rapsódico”, também clandestino.

Após a Segunda Guerra, ele continuou seus estudos no Seminário Maior de Cracóvia, recém-inaugurado, ea Faculdade de Teologia da Universidade Jagiellonian, até sua ordenação sacerdotal em Cracóvia, em 01 de novembro de 1946 de Dom Sapieha.

Ele foi então enviado para Roma, onde, sob a direção do dominicano francês Garrigou-Lagrange, um doutorado em teologia em 1948 com uma tese sobre o tema da fé nas obras de San Juan de la Cruz (de fide apud Sanctum Doutrina Ioannem um Cruce).

Naquela época, durante as férias, ele exerceu seu ministério pastoral entre os imigrantes poloneses da França, Bélgica e Holanda.

Em 1948 voltou à Polônia e foi vigário de diversas paróquias de Cracóvia, assim como capelão para estudantes universitários até 1951, quando retomou seus estudos em filosofia e teologia.

Em 1953, a Universidade Católica de Lublin uma tese sobre “Avaliação da possibilidade de fundar uma ética católica sobre a base do sistema ético de Max Scheler”. Mais tarde ele se tornou professor de Teologia Moral e Ética Social no seminário maior de Cracóvia e na Faculdade de Teologia de Lublin.

Em 04 de julho de 1958 pelo Papa Pio XII nomeou Bispo titular de Olmi e auxiliar de Cracóvia. Foi ordenado bispo em 28 de setembro de 1958 na Catedral de Wawel (Cracóvia), das mãos de Dom Eugênio Baziak.

Em 13 de janeiro de 1964 foi nomeado arcebispo de Cracóvia pelo Papa Paulo VI, que fez dele um cardeal em 26 de junho de 1967, com o título de San Cesareo em Palatio, Diakonia elevada pro illa vice para os sacerdotes título.

Além de participar do Concílio Vaticano II (1962-1965), com uma contribuição significativa na elaboração da Constituição Gaudium et spes, o Cardeal Wojtyla participou em todas as assembléias do Sínodo dos Bispos, antes de seu pontificado.

Os cardeais reunidos no Conclave foi eleito Papa em 16 de outubro de 1978. Ele tomou o nome de João Paulo II e em 22 de outubro começou formalmente seu ministério petrino como o sucessor 263 ao Apóstolo. Seu pontificado foi um dos mais longos da história da Igreja, durou quase 27 anos.

João Paulo II exerceu o ministério Petrino com incansável espírito missionário, dedicando todas as suas energias, impulsionada pela Sollicitudo omnium “todas as Igrejas e caridade aberta a toda a humanidade. Ele fez 104 visitas pastorais fora da Itália e 146 no interior da Itália. Como Bispo de Roma visitou 317 das 333 paróquias.

Mais do que todos os seus antecessores reuniu o povo de Deus e os líderes das nações: mais de 17.600.000 peregrinos participaram no 1.166 audiências gerais realizadas às quartas-feiras.

Ou seja, sem contar as outras audiências especiais e cerimônias religiosas realizadas [mais de 8 milhões de peregrinos durante o Grande Jubileu do ano 2000] e os milhões de fiéis que o Papa encontrou durante as visitas pastorais na Itália e no mundo.

Devemos lembrar também as personalidades do governo numerosos que ele encontrou durante 38 visitas oficiais, 738 audiências e encontros com chefes de Estado e 246 audiências e encontros com primeiros-ministros.

Seu amor pelos jovens levou-o a iniciar em 1985 as Jornadas Mundiais da Juventude. Nas 19 edições da Jornada Mundial da Juventude realizada durante o seu pontificado, reuniu milhares de jovens de todo o mundo. Além disso, a sua atenção para a família revelou a Encontros Mundiais das Famílias, que iniciou em 1994.

João Paulo II promoveu o diálogo com os judeus e com os representantes de outras religiões, ele várias vezes convidada para reuniões de oração pela paz, especialmente em Assis.

Sob sua direção a Igreja se aproximou do terceiro milénio e celebrou o Grande Jubileu do ano 2000, no sentido indicado por ele na Carta Apostólica Tertio Millennio adveniente da Igreja, em seguida, enfrentou a nova época, recebendo suas instruções na Carta Apostólica Novo millennio ineunte, que mostrou aos fiéis a sua trajetória futura.

Com o Ano da Redenção, o Ano Mariano eo Ano da Eucaristia, promoveu a renovação espiritual da Igreja.

Fabricado canonização e beatificação numerosos para mostrar inúmeros exemplos de santidade, hoje, servem como incentivo para as pessoas hoje comemorou 147 cerimónias de beatificação durante a qual ele proclamou 1338 beatos e 51 canonizações, num total de 482 santos. Ele fez Thérèse de Lisieux, Doutora da Igreja.

Expandiu significativamente o Colégio dos Cardeais, criando 231 Cardeais (mais um “in pectore”, cujo nome não foi divulgado antes de sua morte) 9 consistório. Ele também pediu 6 reuniões do Colégio de Cardeais.

Presidiu a 15 Sínodos dos Bispos: seis geral ordinária (1980, 1983, 1987, 1990, 1994 e 2001), uma Assembléia Geral Extraordinária (1985) e 8 especiais (1980, 1991, 1994, 1995, 1997, 1998 (2) e 1999).

Entre seus principais documentos incluem 14 encíclicas, 15 exortações apostólicas, 11 constituições apostólicas e 45 cartas apostólicas.

Promulgou o Catecismo da Igreja Católica, à luz da Tradição como autorizadamente interpretada pelo Concílio Vaticano II. Alterado o Código de Direito Canónico eo Código dos Cânones das Igrejas Orientais e reorganizou a Cúria Romana.

Também publicou cinco livros, como médico particular, “Cruzando o Limiar da Esperança” (outubro 1994), “Dom e Mistério: No Cinquentenário da minha ordenação sacerdotal” (Novembro 1996), “Tríptico Romano – Meditações” de livros, de poemas (Março 2003), “Levanta-te! Come on! “(Maio de 2004) e” Memória e Identidade “(fevereiro 2005).

João Paulo II morreu em 2 de abril de 2005, às 21,37, enquanto terminava no sábado, e já tínhamos entrado na oitava da Páscoa e domingo da Divina Misericórdia.

A partir dessa noite, até 08 de abril, dia em que realizou o funeral do saudoso Pontífice, mais de três milhões de peregrinos prestou homenagem a João Paulo II, até 24 horas na fila para ter acesso à basílica de São Pedro.

Em 28 de Abril, o Papa Bento XVI dispensou o tempo de cinco anos após a morte de começar a causa de beatificação e canonização de João Paulo II. A causa foi oficialmente aberto pelo Cardeal Camillo Ruini, vigário geral da diocese de Roma, em 28 de junho, 2005.

Fonte: www.vatican.va

Veja também

Populista

Populista

PUBLICIDADE Definição Populista, em geral, é uma ideologia ou movimento político que mobiliza a população …

Corrida Espacial

Corrida Espacial

PUBLICIDADE Definição A corrida espacial da Guerra Fria (1957 – 1975) foi uma competição na exploração do …

Caso Watergate

Caso Watergate

PUBLICIDADE Watergate Watergate pode ser a história mais famosa na história americana de jornalismo investigativo. Isso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.