Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Ciências Da Computação  Voltar

Ciências da Computação

O perfil profissional do Bacharel em Ciências da Computação é:

Identificar problemas do mundo real;

Propor soluções inéditas ou melhorar as já existentes;

Construir e implementar modelos computacionais;

Constante interação com a comunidade científica, a fim de desenvolver novos conhecimentos e técnicas computacionais;

Promover o desenvolvimento científico da computação através de pesquisas inovadoras;

Promover o desenvolvimento tecnológico, através da aplicação de conhecimentos científicos adquiridos;

Modelagem e especificação dos problemas do mundo real relacionados à Informática;

Validação da solução de um problema de forma efetiva e contextualizada ao problema original;

Implementação de sistemas de grande porte.

Ciências da Computação

 

Áreas de Atuação do Bacharel em Ciências da Computação

Científica

Pós-graduação - Mestrado e Doutorado

Pesquisa em Computação e áreas afins

Comercial / Industrial

Concepção e desenvolvimento de sistemas computacionais

Desenvolvimento e programação de microprocessadores

Projetista de softwrae

Consultor de tecnologia

Projetista de hardware

Gerente de área / empresa tecnológica

Mercado de Trabalho:

Empresas usuárias de sistemas computacionais

Empresas produtoras de computadores e de software (software-houses)

Empresas de consultoria

Centros de processamento de dados de empresas públicas e privadas

Grupos financeiros

Universidades, Institutos de pesquisa

Fonte: www.rc.unesp.br

Ciências da Computação

O egresso deste curso atua no desenvolvimento de software, gerência e administração da área de informática (iniciativa pública ou privada) ou prossegue estudos em pós-graduação, visando à pesquisa e ensino de terceiro grau (universitário).

Na área de software básico, desenvolve componentes de sistemas operacionais, compiladores, sistemas gerenciadores de bancos de dados, protocolos de comunicação para redes; na área de software aplicativo, projeta e desenvolve sistemas de informação e automação para empresas públicas ou privadas, como aplicações para internet e intranet.\\

Duração

4 anos

Fonte: www3.pucrs.br

Ciências da Computação

Tem uma formação abrangente para o estudo, pesquisa e o desenvolvimento de software, permitindo atuar de forma efetiva tanto no desenvolvimento de sistemas e aplicações, quanto no suporte ao ambiente operacional de novas tecnologias em Informática.

O Bacharel em Ciência da Computação

Desenvolve softwares básicos como Windows e o DOS, que servem para rodar outros programas.

Analisa e projeta sistemas administrativos e financeiros, automação de escritório e projetos científicos.

Desenvolve modelos matemáticos, auxiliando especialistas de outras áreas como médicos, engenheiros e arquitetos na resolução de seus problemas, traduzindo para a linguagem do computador.

Desenvolve softwares aplicativos, ou seja, programas para uso específico como processadores de texto, planilhas e programas de multimidia.

Controla o fluxo de informações de uma empresa.

Está habilitado a solucionar problemas teóricos dos micros e seu funcionamento como equipamento (hardware).

Ciências da Computação

Onde Pode Trabalhar

Automação Industrial.

Computação Gráfica.

Análise de sistemas junto a pequenas empresas ou grande multinacionais do setor.

Magistério de 2.º e 3.º graus.

Auditorias e Consultorias.

O Curso

O currículo é composto primeiramente por disciplinas de formação básica como Álgebra Linear e Geometria Analítica, Aspectos Formais da Computação e Algoritmos, Cálculo Diferencial e Integral, Fundamentos de Informática e outras.

Depois, entram as disciplinas de formação geral como Teoria da Computação, Linguagens Formais e Autômatas, Teleinformática, Arquitetura e Organização de Computadores, Projeto de Softwares Básicos, dentre outros.

E em uma terceira área, entram as disciplinas de formação específica onde o aluno cursará Inteligência Artificial, Compiladores, Banco de Dados, Computação Gráfica, Pesquisa Operacional e Simulação, Administração de Empresas e outras.

DURAÇÃO

04 anos

Fonte: www.cfh.ufsc.br

Ciências da Computação

Com o intuito de estimular e contribuir para a preparação de mão-de-obra especializada e indispensável à política de desenvolvimento nacional, o bacharel em Ciência da Computação tem sua formação focada, principalmente, para o projeto e desenvolvimento de produtos de software (que se transformarão em ferramentas auxiliares, e de apoio, ao desenvolvimento de sistemas de informação) e na criação/manutenção do ambiente tecnológico da organização (banco de dados, sistemas operacionais, redes de computadores, etc.).

O campo da Ciência da Computação não se restringe aos computadores. Inclui também o desenvolvimento de trabalhos práticos no setor.

Por isso, cabe ao bacharel em Ciência da Computação dedicar-se aos aspectos científicos, trabalhando no desenvolvimento e adaptação de sistemas importados, no processamento de dados científicos e técnicos, bem como na criação de novas linguagens de programação e novas arquiteturas de hardware.

Para atingir o objetivo, o curso é dividido em três partes:

Ciclo Básico

Ciclo Programação

Ciclo Suporte Técnico.

No Ciclo Básico, comum aos cursos de Sistemas de Informação e Ciência da Computação, são lecionadas as disciplinas que dão base ao aluno, capacitando-o a acompanhar as disciplinas dos outros ciclos.

É finalidade do Ciclo Básico, também, fazer a transição entre o curso secundário e a parte profissionalizante de um curso universitário propriamente dito.

No Ciclo Programação constam as disciplinas que abrangem desde os aspectos básicos de programação de computadores até o enfoque sistêmico de problemas e suas soluções.

No Ciclo Suporte Técnico, procura-se fazer com que o aluno adquira os conhecimentos necessários sobre os ambientes de hardware e software, de forma a poder propor soluções.

As características necessárias para atuar na área são: raciocínio lógico, exatidão, concentração, organização e iniciativa.

Para atender às solicitações de profissionais dessa área, o currículo pleno do curso inclui disciplinas que abrangem os aspectos mais avançados da computação, possibilitando ao egresso cumprir o seu papel com dinamismo, objetividade e eficiência.

Ciências da Computação

Atividades Principais

Desenvolver programas para uso específico (softwares)

Detectar erros e problemas em sistemas operacionais e de bancos de dados

Estudar os fundamentos e técnicas da informática, criando novos sistemas operacionais e produtos de software.

Mercado de Trabalho

As perspectivas atuais são ótimas para os cientistas da computação, principalmente nas empresas privadas, universidades, órgãos governamentais, fabricantes de software e hardware e consultorias.

Como consequência do contínuo aumento na venda de computadores e equipamentos de informática, verifica-se um aumento crescente na demanda por especialistas para esta área.

A atuação do cientista computacional é requisitada em laboratórios de pesquisas e desenvolvimento industrial, em empresas que desenvolvem interfaces, simulações, aplicativos, softwares e afins, em empresas que realizam manutenção, alterações, suporte, perícias e auditorias e também na área acadêmica, como professor ou pesquisador, entre outras.

A tendência mundial na área de computação é a terceirização e, atualmente, estão em alta todas as áreas do setor relacionadas com as telecomunicações, banco de dados, multimídia e computação gráfica.

Fonte: www3.unip.br

Ciências da Computação

Concepções e finalidades

De forma coerente com a trajetória da instituição, a proposta de implantação do curso de Ciência da Computação não surgiu do acaso. Ela foi gerada durante um razoável tempo, no momento em que a nossa região começava a tomar ciência da viabilidade e necessidade da utilização da informática dentro dos seus mais variados segmentos socioeconômicos.

Atualmente, concebe-se-o como um curso preocupado com a formação do informata, com base numa visão sistêmica e holística, que privilegia não só os conhecimentos necessários à formação de um bom profissional (técnico), mas também o desenvolvimento de habilidades relativas à compreensão humanística do mundo e atitudes baseadas em sólidos princípios éticos, sociais e legais.

A finalidade do curso de Ciência da Computação é, portanto, a formação de cientistas em computação para que atuem em ambientes comerciais, industriais e científicos.

Ciências da Computação

 

Além de propiciar o contato com os fundamentos e as tecnologias da computação, fornece o conhecimento sociocultural e organizacional necessário para uma prática ética e de visão humanística das questões sociais e profissionais.

Tomando como base a fundamentação das Ciências da Educação, internamente relacionadas com os aspectos socioeconômico-político-culturais do aluno inserido na realidade em que vive, esse curso propõe assegurar maior competência nos aspectos gerais, técnicos e ético-sociais que compõem o perfil profissional do egresso de um curso de atividade fim da área de informática.

Objetivos

Formar cientistas da computação para atuar na análise, projeto e desenvolvimento de software e/ou sistemas computacionais complexos, visando suprir as necessidades dos ambientes comerciais, industriais e científicos da área de abrangência da instituição.

Preparar profissionais com amplo conhecimento técnico e científico capazes de adaptar-se às constantes mudanças tecnológicas e sociais, bem como de aplicar seus conhecimentos de forma independente e inovadora, respeitando princípios éticos e de acordo com uma visão humanístico-crítica de sua atuação profissional na sociedade.

Proporcionar ao profissional em formação o domínio dos fundamentos da computação, das tecnologias da computação, dos sistemas de informação, bem como desenvolver a sua capacidade de abstração, raciocínio lógico e a habilidade para aplicação de métodos científicos, capacitando-o, assim, a solucionar problemas na atividade-fim da informática dentro dos setores produtivos da sociedade atual.

Justificativa

O mundo atual está marcado por grandes avanços científicos e tecnológicos. A cada dia novas pesquisas são iniciadas com a finalidade de melhorar a qualidade de vida humana ou para atender as necessidades criadas pelo próprio homem. Em todas essas iniciativas, conta-se de forma imperativa com o auxílio do computador.

Hoje, já não é mais possível pensar em comunicação, saúde, educação, etc., sem a aplicação da informática. A computação está tão presente em nossa sociedade que sua importância é inquestionável.

À Universidade de Passo Fundo, que está sediada numa cidade pólo regional do Rio Grande do Sul, cabem muitas responsabilidades. A formação de profissionais atualizados nas mais variadas áreas para suprir as demandas das cadeias produtivas locais é uma das mais importantes.

Evidentemente, o tecido produtivo e as instituições de pesquisa regional necessitam estar em sintonia com os grandes avanços tecnológicos para a conquista e avanço em seus domínios de atuação.

Para tanto, o uso e a aplicação da informática são fundamentais logo, a existência do curso de Ciência da Computação na instituição justifica-se plenamente. As pesquisas de vanguarda desenvolvidas no ambiente universitário e nas instituições de pesquisas, bem como a agroindustrial e as diversas empresas de informática existentes, são apenas alguns exemplos da necessidade de formação local de profissionais formados para desempenhar a informática como atividade-fim na região de abrangência da Universidade de Passo Fundo.

Justifica-se também a existência do curso através da análise do resultado do estudo de mercado realizado para subsidiar ações do Programa de Expansão da Educação Profissional - Proep.

O referido levantamento desenvolvido sobre o mercado de trabalho profissional no Rio Grande do Sul descreve que "a análise das informações produzidas pela Paer [Pesquisa da atividade econômica regional - Fundação SEADE] sobre as características da indústria gaúcha, suas intenções de investimento e suas necessidades de qualificação dos recursos humanos reforçam as evidências de que há oportunidades para a expansão da educação profissional no Estado".

O estudo também cita que "as perspectivas de investimento apontadas, com ênfase em determinadas divisões, aliadas à progressiva difusão de equipamentos baseados em tecnologias da informação, ajudam a explicar porque, na avaliação das empresas, deverá ocorrer um crescimento da demanda por profissionais que atualmente são considerados escassos no mercado de trabalho gaúcho.

Nesta situação se destacam alguns grupos de ocupações. Em segundo lugar, encontra-se o grupo de ocupações não-ligadas à produção, com ênfase na demanda atual e futura na contratação de técnicos em processamento de dados".

Por fim, a conclusão do estudo do Paer destaca também o alto nível de informatização dos serviços no estado e que dessa forma "as decisões envolvendo a oferta de educação profissional no Rio Grande do Sul devem levar em consideração, de um lado, a dispersão geográfica de alguns segmentos do setor serviços pelo Interior do Estado".

Perfil

O profissional formado pelo curso está capacitado para analisar, projetar e desenvolver software e/ou sistemas computacionais complexos para ambientes comerciais, industriais e científicos.

É capaz de dimensionar as necessidades de hardware e software nos mais diversos tipos de computadores. É também qualificado para o desenvolvimento de pesquisas científicas em informática e em áreas afins, podendo atuar em instituições de ensino e pesquisa.

Um curso que tem a computação como atividade-fim deve preparar profissionais capacitados a contribuir para a evolução do conhecimento do ponto de vista científico e tecnológico e a utilizar esse conhecimento na avaliação, especificação e desenvolvimento de ferramentas, métodos e sistemas computacionais.

As atividades desses profissionais englobam: (a) a investigação e desenvolvimento de conhecimento teórico na área de computação; (b) a análise e modelagem de problemas do ponto de vista computacional e (c) o projeto e implementação de sistemas de computação.

Ciências da Computação

O perfil profissional dos egressos do curso pode ser dividido em três componentes, englobando aspectos gerais, técnicos e ético-sociais, analisados abaixo.

a) Em relação aos aspectos gerais, os egressos do curso devem ser profissionais com as seguintes características:

Capacidade para aplicar seus conhecimentos de forma independente e inovadora, acompanhando a evolução do setor e contribuindo na busca de soluções nas diferentes áreas aplicadas

Formação humanística, permitindo a compreensão do mundo e da sociedade, e o desenvolvimento de habilidades de trabalho em grupo e de comunicação e expressão

Formação em negócios, permitindo uma visão da dinâmica organizacional

Preocupação constante com a atualização tecnológica e com o estado da arte

Domínio da língua inglesa para leitura técnica na área

Conhecimento básico da legislação trabalhista e de propriedade intelectual

b) Em relação aos aspectos técnicos, os egressos do curso devem ser profissionais com os seguintes conhecimentos técnicos:

Processo de projeto para construir a solução de problemas com base científica

Modelagem e especificação de soluções computacionais para diversos tipos de problemas

Validação da solução de um problema de forma efetiva e contextualizada ao problema original

Projeto e implementação de sistemas de computação

Critérios para seleção de software e hardware adequados às necessidades empresariais, industriais, administrativas de ensino e de pesquisa.

c) Em relação aos aspectos ético-sociais, os egressos do curso devem conhecer e respeitar os princípios éticos que regem a sociedade, em particular os da área de computação. Para isso devem:

Respeitar os princípios éticos da área de computação

Avaliar os possíveis impactos sociais da computação e buscar soluções para as questões que representam conseqüências negativas para a sociedade

Implementar sistemas que visem à melhoria das condições de trabalho dos usuários, sem causar danos ao meio ambiente

Facilitar o acesso e a disseminação do conhecimento na área de computação

Ter uma visão humanístico-crítica

Duração, regime, seleção e turnos de funcionamento

Fonte: www.upf.br

Ciências da Computação

O curso de Ciências da Computação da FURB tem como objetivo formar o profissional com conhecimento científico e base sólida em computação, atendendo de forma pró-ativa e ética às demandas da comunidade regional.

Diferenciais do Curso

A FURB agrega uma tradição de mais de 30 anos em Computação.

Os professores possuem experiência e conhecimento sólido na área, sendo 90% mestres e doutores.

O corpo docente qualificado, a infra-estrutura exclusiva e a tradição no ensino de Computação permitem a formação do profissional que, antes mesmo da conclusão do curso, encontra inúmeras oportunidades no mercado de trabalho.

O aluno pode atuar tanto na área acadêmica, participando de projetos de pesquisa na FURB, quanto no setor empresarial, uma vez que Blumenau é um pólo de software reconhecido nacionalmente, com grande demanda de empregos.

Campo Profissional

O Bacharel em Ciências da Computação tem ampla oportunidade no mercado de trabalho, uma vez que a informática está cada vez mais presente no dia-a-dia das pessoas. Pode atuar nos setores de tecnologias das empresas (pesquisa e desenvolvimento) e também como desenvolvedor de sistemas que exijam a diversificação de integração tecnológica (hardware e software). Outra opção é atuar como empreendedor, montando sua própria empresa de base tecnológica, ou, ainda, como consultor e assessor de informática.

Após dois anos de curso, 80% dos alunos estão empregados na área e, ao término, um total de 100%.

Fonte: www.furb.br

Ciências da Computação

O curso de Bacharelado em Ciências da Computação tem por objetivo a formação teórica e prática em computação ou informática.

A formação do aluno abrange a compreensão do campo científico da computação que permitirá a sua aplicação na solução de problemas da sociedade e no desenvolvimento de conhecimento e tecnologias que permitam a evolução da computação.

Entende-se que o campo da computação é formado por áreas de conhecimento específicas, com seus respectivos conteúdos, que podem ser distribuídas em diversas matérias.

Dentre as áreas de conhecimento que caracterizam a computação podemos citar:

1. Computação, Algoritmos e Programação

2. Linguagens de Programação e Compiladores

3. Arquitetura de Computadores

4. Sistemas Operacionais, Sistemas Distribuídos, Redes de Computadores e Sistemas Paralelos

5. Engenharia de Software, Engenharia de Requisitos, Concepção e Especificação de Software

6. Sistemas de Informação e Banco de Dados

7. Inteligência Artificial

8. Interação Humano-Computador

9. Computação Gráfica e Processamento de Imagens

O curso garante uma formação básica nestes conceitos fundamentais que pode ser aprofundado em matérias das áreas de conhecimento específicas da computação de acordo com o perfil desejado pelo aluno.

Ciências da Computação

 

A formação abrange também o estudo dos aspectos profissionais, éticos e sociais da computação e de outras áreas do conhecimento, como, por exemplo, matemática, física, economia, administração, direito e outras, tal como propõe as diretrizes propostas pela Comissão de Especialistas em Educação em Computação e Informática (CEEInf) do Ministério da Educação.

Fonte: www.dimap.ufrn.br

Ciências da Computação

Objetivos

O objetivo do curso é preparar profissionais de nível superior capacitados a utilizar as modernas tecnologias da área de informática e interagir com as demais áreas na orientação sobre a melhor aplicação destas tecnologias.

Além de fornecer ao estudante uma forte base científica, o que o habilita a continuar estudos avançados em nível de pós-graduação, pretende, também prepará-lo, realisticamente, para o mercado de trabalho regional e nacional.

Titulação

Bacharel em Ciência da Computação.

Fonte: inf.ufpel.edu.br

Ciências da Computação

O curso de Ciência da Computação tem por objetivo formar profissionais aptos a desenvolver e adaptar sistemas de programação, projetando e desenvolvendo softwares básicos.

O campo da Ciência da Computação não se restringe aos computadores. Inclui também o desenvolvimento de trabalhos práticos no setor.

Por isso, cabe ao bacharel da Computação dedicar-se aos aspectos científicos, trabalhando no desenvolvimento e adaptação de sistemas importados, no processamento de dados científicos e técnicos, bem como na criação de novas linguagens de programação e novas arquiteturas de hardware.

Ciências da Computação

As características necessárias para atuar na área são raciocínio lógico, exatidão, concentração, organização e iniciativa.

Para atender às solicitações de profissionais dessa área, o currículo pleno do curso inclui disciplinas que abrangem os aspectos mais avançados da computação, possibilitando ao egresso cumprir o seu papel com dinamismo, objetividade e eficiência.

Atividades Principais

Desenvolver programas para uso específico (softwares), montando e programando redes de computadores em empresas e escritórios

Desenvolver programas de uso genérico, tais como planilhas eletrônicas, programas de multimídia etc.

Detectar erros e problemas em sistemas operacionais de bancos e grandes organizações

Estudar os fundamentos e técnicas da informática, criando novos sistemas operacionais e arquitetura de computadores.

Mercado de Trabalho

As perspectivas atuais são ótimas para os cientistas da computação, principalmente nas empresas privadas, universidades, órgãos governamentais, fabricantes de softwares e hardwares e consultorias.

De fato, com a expansão da economia, houve um conseqüente aumento na venda de computadores e equipamentos de informática, o que vem acarretando um sensível aumento na demanda de especialistas dessa área.

Duração do Curso

4 anos

Fonte: www.curso-objetivo.br

Ciências da Computação

OBJETIVOS DO CURSO

Forma profissionais aptos a desenvolver e adaptar sistemas de programação, projetando e desenvolvendo softwares básicos. O campo da Ciência da Computação não se restringe aos computadores.

Ciências da Computação

Inclui também o desenvolvimento de trabalhos práticos no setor. Por isso, cabe ao bacharel de computação dedicar-se aos aspectos científicos da atividade, trabalhando no desenvolvimento e adaptação de sistemas importados, no processamento de dados científicos e técnicos, bem como na criação de novas linguagens de programação e novas arquiteturas de hardware.

MERCADO DE TRABALHO

As perspectivas atuais são ótimas para os cientistas da computação, principalmente nas empresas privadas, universidades e órgãos governamentais, fabricantes de softwares e hardwares e consultorias.

Os setores relacionados com as comunicações, multimídia e computação gráfica, têm absorvido estes profissionais.

DURAÇÃO DO CURSO

8 semestres

Fonte: www.cesufoz.edu.br

Ciências da Computação

O curso de Bacharelado em Ciências da Computação tem por objetivo a formação teórica e prática em computação ou informática.

A formação do aluno abrange a compreensão do campo científico da computação que permitirá a sua aplicação na solução de problemas da sociedade e no desenvolvimento de conhecimento e tecnologias que permitam a evolução da computação.

Ciências da Computação

Entende-se que o campo da computação é formado por áreas de conhecimento específicas, com seus respectivos conteúdos, que podem ser distribuídas em diversas matérias.

Dentre as áreas de conhecimento que caracterizam a computação podemos citar:

Computação, Algoritmos e Programação

Linguagens de Programação e Compiladores

Arquitetura de Computadores

Sistemas Operacionais, Sistemas Distribuídos, Redes de Computadores e Sistemas Paralelos

Engenharia de Software, Engenharia de Requisitos, Concepção e Especificação de Software

Sistemas de Informação e Banco de Dados

Inteligência Artificial

Interação Humano-Computador

Computação Gráfica e Processamento de Imagens

O curso garante uma formação básica nestes conceitos fundamentais que pode ser aprofundado em matérias das áreas de conhecimento específicas da computação de acordo com o perfil desejado pelo aluno.

A formação abrange também o estudo dos aspectos profissionais, éticos e sociais da computação e de outras áreas do conhecimento, como, por exemplo, matemática, física, economia, administração, direito e outras, tal como propõe as diretrizes propostas pela Comissão de Especialistas em Educação em Computação e Informática (CEEInf) do Ministério da Educação.

Fonte: www.dimap.ufrn.br

Ciências da Computação

O curso de Ciência da Computação visa formar profissionais para atuarem na construção dos sistemas de informações das empresas e no desenvolvimento científico e tecnológico da computação.

O profissional formado terá amplo campo de atuação no mercado de trabalho, frente à demanda crescente de informatização da sociedade moderna.

A graduação apresenta disciplinas específicas de informática desde o seu início, sem a separação entre os ciclos básico e profissional.

Ciências da Computação

O objetivo é aliar a teoria à prática, despertando no aluno a motivação para o bom desenvolvimento do curso.

São estudadas com profundidade as técnicas de programação, os métodos de projeto e análise de sistemas, bem como as tecnologias nas áreas de bancos de dados, as redes de computadores e os sistemas operacionais.

O graduado estará apto a assumir a responsabilidade geral de desenvolver, implementar e gerenciar uma infra-estrutura de tecnologia de informação (computadores e comunicação em redes entre os mesmos), dados (internos e externos) e sistemas que abrangem toda a organização.

Terá também a responsabilidade de fazer a prospecção de novas tecnologias de informação e auxiliar no processo de incorporação destas às estratégias, ao planejamento e às práticas da organização.

Destaque para as aulas práticas em modernos laboratórios e a realização do estágio supervisionado, que une a teoria à prática.

Fonte: www.fumec.br

Ciências da Computação

Descrição

A Ciência da Computação tem como objetivo final o próprio computador, seja como produto tecnológico, seja como recurso para processamento da informação. O Cientista da computação estuda a máquina nos aspectos técnicos:

Hardware e os programas: Softwares.

Esta ciência faz uso da Matemática e da Lógica para o desenvolvimento das aplicações de caráter científico ou tecnológico destes sistemas.

O profissional da Ciência da Computação deverá estar habilitado para analisar, definir e implantar sistemas de processamento de dados; desenvolver sistemas de programação, de redes e de segurança.

Ciências da Computação

Currículo Básico

Cálculo Integral, Geometria, Álgebra Linear, Física, Introdução à Probabilidade e Estatística, Introdução à Ciência da Computação, Laboratório de Programação, Técnicas e Linguagens de Programação, Princípios de Enumeração, Análise Numérica, Programação Matemática, Estrutura de Dados, Sistemas Operacionais e Lógica Matemática.

Aptidões Desejáveis

É preciso ter espírito investigativo e interesse em descobrir e trabalhar com o novo, num mercado em grande mutação. Fundamental ter habilidade numérica e lógica.

Especializações possíveis

Área Científica, Comercial e de Aplicação. Bancos de Dados, Redes de Computadores, Segurança de Redes, Análise de Sistemas.

Campos de Atuação

Empresas Públicas e Privadas, Empresas de Computação, na área de desenvolvimento de Software e Hardware, Pesquisa em instituições científicas, Magistério.

Fonte: www.guiadasprofissoes.com.br

Ciências da Computação

Criar programas de informática é a principal atribuição desse profissional. Para isso, ele analisa as necessidades dos usuários, gerencia equipes de criação e instala sistemas de computação.

É esse cientista quem elabora softwares, desde programas básicos de controle de estoque até os mais complexos sistemas de processamento de informações, como os utilizados nas pesquisas espaciais e na medicina genética. Dá assistência aos usuários, mantém redes de computadores em funcionamento e assegura as conexões com a internet.

Em indústrias e institutos de pesquisa, implanta bancos de dados e instala sistemas de segurança para as operações de compra e venda pela rede. Além do conhecimento em computação, o mercado precisa de profissionais na área de vendas, com desenvoltura para negócios.

Por conhecer a parte técnica, o cientista tem mais sucesso ao oferecer o produto de forma customizada ao cliente, explica Luiz Angelo DAmore, 36 anos, analista de sistemas da Telemática Sistemas Inteligentes, de São Paulo (SP). DAmore trabalha no desenvolvimento de soluções voltadas ao controle de acesso e identificação de pessoas, destinadas principalmente ao governo.

Se um visitante chega a um local controlado, por exemplo, recebe um crachá com microtransmissores que são rastreados. Isso permite mapear sua locomoção. Elaboramos a solução completa, desde a tecnologia usada nos crachás até os sistemas de monitoramento em vídeo com câmeras para reconhecimento facial, conta o analista.

Como as demandas de cada cliente são diferentes, nunca um trabalho é igual ao outro. O cientista da computação coleta os dados da empresa, levanta suas necessidades e, no escritório, desenvolve o produto. Os prazos geralmente são curtos e o trabalho exige viagens constantes.

O mercado de trabalho

A carência de profissionais da área de Tecnologia da Informação no país aumentou a demanda. Algumas estimativas apontam um déficit mundial de cerca de 300 mil profissionais, sendo 50 mil só no Brasil, diz Luís Fernando Friedrich, coordenador do curso de Ciência da Computação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Graças à abrangência da formação, esse bacharel pode atuar em diversos segmentos do mercado. As maiores chances de colocação estão em empresas de auditoria, de telecomunicações e da área financeira, além de consultorias e empresas de informática, como Accenture e IBM, respectivamente.

Nelas, o profissional trabalha principalmente com suporte, desenvolvimento de sistemas e implantação de novas tecnologias e softwares. Além disso, a expansão do uso de redes de computadores e de softwares nas áreas médica e educacional amplia o mercado de trabalho para o graduado, afirma Luís Friedrich.

As vagas se concentram em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis e Manaus, onde há pólos de produção de softwares.

Na região Nordeste, especialmente nos estados de Pernambuco e Paraíba, a demanda é crescente. No setor público, em menor escala, há concursos para o especialista atuar na instalação e no gerenciamento de infra-estruturas de informática, que são essenciais para qualquer área do governo funcionar.

Os recém-formados podem ainda montar suas próprias empresas, nas quaisdesenvolvem sistemas para companhias maiores A especialização em engenharia de software e banco de dados também garante boa colocação no mercado.

O curso

O curso, que dura em média quatro anos, exige que você tenha facilidade para raciocínios abstratos e fazer contas, pois ele é uma maratona de cálculos.

As disciplinas básicas incluem matemática, física, eletricidade, eletrônica, fundamentos da computação e linguagens formais. Fique preparado para se envolver também em atividades que buscam o aprimoramento da capacidade de expressão e do relacionamento humano.

Entre as matérias optativas estão princípios de interação homem-computador e informação, comunicação e a sociedade do conhecimento. Para que o estudante possa gerenciar o próprio negócio, a maioria dos cursos inclui no currículo disciplinas de administração e empreendedorismo. Na conclusão do curso é exigida uma monografia.

O que você pode fazer

Banco de dados

Criar programas de computador que organizem, classifiquem, façam a indexação e permitam acesso à informação.

Desenvolvimento de softwares e aplicativos

Elaborar programas de computador, adaptando-os às necessidades do cliente.

Marketing e vendas

Divulgar e vender softwares. Analisar e planejar novos produtos que atendam às necessidades dos usuários.

Suporte

Assessorar usuários na compra de equipamentos e programas. Dar manutenção a sistemas e redes de computadores

Fonte: guiadoestudante.abril.com.br

Ciências da Computação

A área de informática, que engloba segmentos como computação e análise de sistemas, exige aprimoramento constante. "O mercado de trabalho na área de computação está bem aquecido, em parte, devido ao crescimento da economia verificado nos últimos anos", diz o coordenador do curso de Ciências da Computação da Universidade de Campinas (Unicamp), Ricardo da Silva Torres.

O profissional atua no desenvolvimento de produtos de software e também em áreas cujo foco principal é a informática. As vagas aparecem, normalmente, em empresas de produção de computadores, produção de software, grupos financeiros, centros de pesquisa e desenvolvimento, universidades, estabelecimentos de ensino e serviços públicos.

Ciências da Computação

Mercado

Atualmente, os profissionais mais bem-remunerados trabalham na área de telecomunicações e de desenvolvimento de soluções para empresas.

Está em expansão a área de desenvolvimento de aplicativos para integração de tecnologias (celular com Internet, TV com Internet, celular com satélite, entre outros). Empresas de informática especializadas em segurança na comunicação de informações estão ampliando seus quadros de analistas.

Companhias de médio e grande portes vêm formando, cada vez mais, equipes de helpdesk, ampliando o mercado para profissionais em início de carreira.

Conforme Torres, antes de escolher o curso, o estudante deve prestar atenção na qualidade do corpo docente, estrutura (elenco de disciplinas, carga didática e currículo), infra-estrutura oferecida pela universidade, oportunidades de emprego na região e visibilidade do curso no mercado de trabalho.

O professor explica que a remuneração inicial depende da experiência prévia em estágios e da região do País. Um recém-formado pode ganhar entre R$ 1.500 e R$ 3.000, em média.

É pra você?

Você pode deslanchar na área se tiver espírito investigativo e interesse em descobrir e trabalhar com inovações, em um mercado que está em constante atualização.

É interessante também ter habilidade com números, raciocínio lógico, interesse por eletrônica e desenvolvimento de processos.

O que vem por aí

Apesar da demanda crescente por profissionais da área de computação no Brasil e no mundo, tem se verificado uma redução na procura pelos estudantes.

Diante deste cenário, vários cursos na área de computação vêm sendo modificados. Uma tendência é a estruturação dos cursos em modalidades. Os alunos têm que cursar um grupo de disciplinas básicas (que apresentam conceitos na área de computação) e, em seguida, optar por modalidades que tratam de temas mais específicos (resolução de problemas, engenharia de software, teoria da computação, etc).

Uma outra tendência aponta a inclusão de disciplinas nos cursos de computação que contribuam para uma formação mais e multidisciplinar dos alunos.

Diferencial

Um dos caminhos para aproveitar ao máximo a faculdade é participar de projetos de pesquisa na iniciação científica ou em estudos dirigidos sob orientação de professores.

Fique de olho na abertura de programas de estágio de empresas. Atividades extracurriculares também podem contribuir para a complementação da formação e, conseqüentemente, para que o aluno se destaque durante o curso.

Exemplos de atividades deste tipo são: participação em entidades estudantis como centro acadêmico, atlética e empresas juniores.

Fonte: noticias.terra.com.br

Ciências da Computação

O Ciêntista da Computação pode optar por atuar em diversas áreas dentro da computação. Tendo um forte embasamento matemático, seu raciocínio lógico é desenvolvido ao longo do curso, além de se integrar com as principais ferramentas e linguagens de programação.

Sendo um profissional de tecnologia, é indispensável aptidão com novos recursos, e aprendizagem rápida para absorver as novas técnicas do mercado. Sua versatilidade também pode ser focada nas grandes áreas: desenvolvimento, manutenção e gerenciamento de empresas de TI.

O Curso de Ciência da Computação

O Cilclo básico do curso de ciência da computação é semelhante ao de engenharia, pois os primeiros 2 anos, o jovem graduando tem carga horária voltada para a matemática.

Ciências da Computação

Fato imporante é que o aluno esteja ciente deste foco inicial do curso, pois muitos desistem por achar que estão seguindo a profissão errada. Juntamente com a matemática nos primeiros anos, é dado início no desenvolvimento da programação e processamento de dados. Nos anos seguintes, o curso fica voltado na área, abrindo o leque de ramos de atividades:

banco de dados, redes, servidores, computação gráfica, etc.

Data Center

Centro de armazenamento de dados.

Grade Básica do Curso de Ciência da Computação:

Cálculo Integral e Diferencial

Geometria Analítica / Álgebra Linear

Física Geral

Introdução Programação

Estrutura de Dados

Organização/Arquitetura de Computadores

Sistemas Operacionais

Redes de Computadores

Inteligência Artificial

Linguagens Formais e Autômatos

Pontos Positivos da Carreira de Cientista da Computação

A Principal vantagem é estar ligada com a tecnologia, e estar sempre atual. Tendo um vasto mercado de trabalho para se situar.

Pontos Negativos da Carreira de Ciêntista da Computação:

A principal vantagem da ciência da computação é também o seu ponto negativo. O profissional tem que estar sempre atento ao mercado, sempre na frente conhecendo as novas tecnologias. Os estudos do profissional nesta área nunca cessam.

Fonte: www.guiadacarreira.com.br

Ciências da Computação

O que é

O profissional de Ciência da Computação é responsável pelo desenvolvimento, manutenção e aprimoramento de programas de computador, como softwares e aplicativos. Instala redes de computadores nos mais diversos tipos de organização.

Presta assistência técnica aos usuários.

Áreas de atuação

Muitas empresas utilizam o profissional para criar bancos de dados, por exemplo para cadastrar clientes, controlar estoques, entre outras atividades.

O desenvolvimento de programas é uma área que emprega muitos especialistas. Eles também são essenciais no suporte técnico a indivíduos, órgãos do estado e empresas.

Outro setor que utiliza seus serviços são as telefônicas e os provedores de internet. Esse profissional também cria mecanismos de segurança para operações bancárias e vendas online.

Mercado de trabalho

Está em crescimento, mas o aumento no número de cursos pode levar a uma estagnação dentro de alguns anos.

As empresas de consultoria, auditoria e das áreas financeira e de informática são as que oferecem mais postos de trabalho. No setor público o profissional encontra trabalho na criação e manutenção de infra-estrutura de redes de comunicação, presentes em todos os setores do governo.

Especialistas em bancos de dados e desenvolvimento de softwares sempre encontram oportunidades.

Fonte: carreiras.empregos.com.br

Ciências da Computação

Ciência da computação é o estudo dos algoritmos e suas aplicações, bem como das estruturas matemáticas indispensáveis à formulação precisa dos conceitos fundamentais da teoria da computabilidade e da computação aplicada.

Desempenha por isso um papel importante na área de ciência da computação a formalização matemática de algoritmos, como forma de representar problemas decidíveis, i.e., os que são susceptíveis de redução a operações elementares básicas, capazes de serem reproduzidas através de um qualquer dispositivo mecânico/eletrônico capaz de armazenar e manipular dados.

Um destes dispositivos é o computador digital, de uso generalizado, nos dias de hoje, pelo custo reduzido dos componentes eletrônicos que formam o seu hardware.

Ciências da Computação

Os estudos oriundos da Ciência da Computação podem ser aplicados em qualquer área do conhecimento humano em que seja possível definir métodos de resolução de problemas baseados em repetições previamente observadas.

História

Início da computação

A primeira ferramenta conhecida para a computação foi o ábaco, cuja invenção é atribuída a habitantes da Mesopotâmia, em torno de 2400 a.C.. Seu uso original era desenhar linhas na areia com rochas. Versões mais modernas do ábaco ainda são usadas como instrumento de cálculo.

No século V a.C., na antiga Índia, o gramático Panini formulou a gramática de Sânscrito usando 3959 regras conhecidas como Ashtadhyayi, de forma bastante sistemática e técnica. Panini usou meta-regras, transformações e recursividade com tamanha sofisticação que sua gramática possuía o poder computacional teórico tal qual a Máquina de Turing.

Entre 200 a.C. e 400, os indianos também inventaram o logaritmo, e partir do século XIII tabelas logarítmicas eram produzidas por matemáticos islâmicos. Quando John Napier descobriu os logaritmos para uso computacional no século XVI, seguiu-se um período de considerável progresso na construção de ferramentas de cálculo.

Algoritmos

No século VII, o matemático indiano Brahmagupta explicou pela primeira vez o sistema de numeração hindu-arábico e o uso do 0. Aproximadamente em 825, o matemático persa Al-Khwarizmi escreveu o livro Calculando com numerais hindus, responsável pela difusão do sistema de numeração hindu-arábico no Oriente Médio, e posteriormente na Europa.

Por volta do século XII houve uma tradução do mesmo livro para o latim: Algoritmi de numero Indorum. Tais livros apresentaram novos conceitos para definir sequências de passos para completar tarefas, como aplicações de aritmética e álgebra. Por derivação do nome, atualmente usa-se o termo algoritmo.

Lógica binária

Por volta do século III a.C., o matemático indiano Pingala inventou o sistema de numeração binário. ainda usado atualmente no processamento de todos computadores modernos, o sistema estabelece que sequências específicas de uns e zeros podem representar qualquer número, letra ou imagem.

Em 1703 Gottfried Leibniz desenvolveu a lógica em um sentido formal e matemático, utilizando o sistema binário. Em seu sistema, uns e zeros também representam conceitos como verdadeiro e falso, ligado e desligado, válido e inválido.

Levou mais de um século para que George Boole publicasse a álgebra booleana (em 1854), com um sistema completo que permitia a construção de modelos matemáticos para o processamento computacional.

Em 1801 apareceu o tear controlado por cartão perfurado, invenção de Joseph Marie Jacquard, no qual buracos indicavam os uns, e áreas não furadas indicavam os zeros. O sistema está longe de ser um computador, mas ilustrou que as máquinas poderiam ser controladas pelo sistema binário.

Engenho analítico

Foi com Charles Babbage que o computador moderno começou a ganhar forma, através de seu trabalho no engenho analítico. O equipamento, apesar de nunca ter sido construído com sucesso, possuía todas as funcionalidades do computador moderno.

Foi descrito originalmente em 1837, mais de um século antes que qualquer equipamento do gênero tivesse sido construído com sucesso. O grande diferencial do sistema de Babbage era o fato que seu dispositivo foi projetado para ser programável, item imprescindível para qualquer computador moderno.

Durante sua colaboração, a matemática Ada Lovelace publicou os primeiros programas de computador em uma série de notas para o engenho analítico. Por isso, Lovelace é popularmente considerada como a primeira programadora.

Nascimento da ciência da computação

Antes da década de 1920, computador era um termo associado a pessoas que realizavam cálculos, geralmente liderados por físicos em sua maioria mulheres. Milhares de computadores, eram empregados em projetos no comércio, governo e sítios de pesquisa.

Após a década de 1920, a expressão máquina computacional começou a ser usada para referir-se a qualquer máquina que realize o trabalho de um profissional computador, especialmente aquelas de acordo com os métodos da Tese de Church-Turing.

O termo máquina computacional acabou perdendo espaço para o termo reduzido computador no final da década de 1940, com as máquinas digitais cada vez mais difundidas. Alan Turing, conhecido como pai da Ciência da Computação, inventou a Máquina de Turing, que posteriormente evoluiu para o computador moderno.

Trabalho teórico

Os fundamentos matemáticos da ciência da computação moderna começaram a serem definidos por Kurt Gödel com seu teorema da incompletude (1931).

Essa teoria mostra que existem limites no que pode ser provado ou desaprovado em um sistema formal; isso levou a trabalhos posteriores por Gödel e outros teóricos para definir e descrever tais sistemas formais, incluindo conceitos como recursividade e cálculo lambda.

Em 1936 Alan Turing e Alonzo Church independentemente, e também juntos, introduziram a formalização de um algoritmo, definindo os limites do que pode ser computado, e um modelo puramente mecânico para a computação.

Tais tópicos são abordados no que atualmente chama-se Tese de Church-Turing, uma hipótese sobre a natureza de dispositivos mecânicos de cálculo. Essa tese define que qualquer cálculo possível pode ser realizado por um algoritmo sendo executado em um computador, desde que haja tempo e armazenamento suficiente para tal.

Turing também incluiu na tese uma descrição da Máquina de Turing, que possui uma fita de tamanho infinito e um cabeçote para leitura e escrita que move-se pela fita.

Devido ao seu caráter infinito, tal máquina não pode ser construída, mas tal modelo pode simular a computação de qualquer algoritmo executado em um computador moderno.

Turing é bastante importante para a ciência da computação, tanto que seu nome é usado para o Turing Award e o teste de Turing. Ele contribuiu para as quebras de código da Grã-Bretanha na Segunda Guerra Mundial, e continuou a projetar computadores e programas de computador pela década de 1940; cometeu suicídio em 1954.

Ciências da Computação

Shannon e a teoria da informação

Até a década de 1930, engenheiros eletricistas podiam construir circuitos eletrônicos para resolver problemas lógicos e matemáticos, mas a maioria o fazia sem qualquer processo, de forma particular, sem rigor teórico para tal. Isso mudou com a tese de mestrado de Claude E. Shannon de 1937, A Symbolic Analysis of Relay and Switching Circuits.

Enquanto tomava aulas de Filosofia, Shannon foi exposto ao trabalho de George Boole, e percebeu que tal conceito poderia ser aplicado em conjuntos eletro-mecânicos para resolver problemas de lógica.

Tal idéia, que utiliza propriedades de circuitos eletrônicos para a lógica, é o conceito básico de todos os computadores digitais. Shannon desenvolveu a teoria da informação no artigo de 1948 A Mathematical Theory of Communication, cujo conteúdo serve como fundamento para áreas de estudo como compressão de dados e criptografia.

Realizações para a sociedade

Apesar de sua pequena história enquanto uma disciplina acadêmica, a ciência da computação deu origem a diversas contribuições fundamentais para a ciência e para a sociedade.

Esta ciência foi responsável pela definição formal de computação e computabilidade, e pela prova da existência de problemas insolúveis ou intratáveis computacionalmente.

Também foi possível a construção e formalização do conceito de linguagem de computador, sobretudo linguagem de programação, uma ferramenta para a expressão precisa de informação metodológica flexível o suficiente para ser representada em diversos níveis de abstração.

Para outros campos científicos e para a sociedade de forma geral, a ciência da computação forneceu suporte para a Revolução Digital, dando origem a Era da Informação. A computação científica é uma área da computação que permite o avanço de estudos como o mapeamento do genoma humano.

Fonte: pt.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal