Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Estatística  Voltar

Estatística

O que é Estatística ?

O que modernamente se conhece como Ciências Estatísticas, ou simplesmente Estatística, é um conjunto de técnicas e métodos de pesquisa que entre outros tópicos envolve o planejamento do experimento a ser realizado, a coleta qualificada dos dados, a inferência, o processamento, a análise e a disseminação das informações.

O desenvolvimento e o aperfeiçoamento de técnicas estatísticas de obtenção e análise de informações permite o controle e o estudo adequado de fenômenos, fatos, eventos e ocorrências em diversas áreas do conhecimento. A Estatística tem por objetivo fornecer métodos e técnicas para lidarmos, racionalmente, com situações sujeitas a incertezas.

Desde a Antiguidade

Apesar da Estatística ser uma ciência relativamente recente na área da pesquisa, ela remonta à antiguidade, onde operações de contagem populacional já eram utilizadas para obtenção de informações sobre os habitantes, riquezas e poderio militar dos povos. Após a idade média, os governantes na Europa Ocidental, preocupados com a difusão de doenças endêmicas, que poderiam devastar populações e, também, acreditando que o tamanho da população poderia afetar o poderio militar e político de uma nação, começaram a obter e armazenar informações sobre batizados, casamentos e funerais. Entre os séculos XVI e XVIII as nações, com aspirações mercantilistas, começaram a buscar o poder econômico como forma de poder político. Os governantes, por sua vez, viram a necessidade de coletar informações estatísticas referentes a variáveis econômicas tais como: comércio exterior, produção de bens e de alimentos.

Até nossos dias

Atualmente os dados estatísticos são obtidos, classificados e armazenados em meio magnético e disponibilizados em diversos sistemas de informação acessíveis a pesquisadores, cidadãos e organizações da sociedade que, por sua vez, podem utilizá-los para o desenvolvimento de suas atividades. A expansão no processo de obtenção, armazenamento e disseminação de informações estatísticas tem sido acompanhada pelo rápido desenvolvimento de novas técnicas e metodologias de análise de dados estatísticos.

As aplicações da Estatística

Grande parte das informações divulgadas pelos meios de comunicação atuais provém de pesquisas e estudos estatísticos. Os índices da inflação, de emprego e desemprego, divulgados e analisados pela mídia, são um exemplo de aplicação da Estatística no nosso dia a dia. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, ao qual a Escola Nacional de Estatísticas está vinculada, é o órgão responsável pela produção das estatísticas oficiais que subsidiam estudos e planejamentos governamentais no país.

Uma ferramenta multidisciplinar

Os conceitos estatísticos têm exercido profunda influência na maioria dos campos do conhecimento humano. Métodos estatísticos vêm sendo utilizados no aprimoramento de produtos agrícolas, no desenvolvimento de equipamentos espaciais, no controle do tráfego, na previsão de surtos epidêmicos bem como no aprimoramento de processos de gerenciamento, tanto na área governamental como na iniciativa privada.

Na prática, a Estatística pode ser empregada como ferramenta fundamental em várias outras ciências. Na área médica, por exemplo, a Estatística fornece metodologia adequada que possibilita decidir sobre a eficiência de um novo tratamento no combate à determinada doença. A Estatística permite identificar situações críticas e, consequentemente, atuar em seu controle, desempenhando papel crucial no estudo da evolução e incidência de uma doença como a AIDS. Na área tecnológica, o advento da era espacial suscitou diversos problemas relacionados ao cálculo de posição de uma astronave, cuja solução depende fundamentalmente de conceitos e teorias estatísticas mais elaborados, considerando que estas informações, como sinais de satélite, são recebidas de forma ruidosa e incerta.

Um conhecimento cuja demanda cresce dia após dia

O crescente uso.

Fonte: www.ence.ibge.gov.br

Estatística

Típicas questões no dia a dia levam a tomadas de decisão. Qual a quantidade de cereal a ser produzida no próximo ano? O acusado é culpado ou inocente? O fumo causa câncer? Pode determinado medicamento reduzir o risco de ataque cardíaco? A cotação do dólar deve aumentar na próxima semana? O crânio encontrado pelo arqueólogo é de um homem ou de uma mulher? Quem escreveu o poema, Shakespeare, Bacon ou Marlowe? Qual a localização exata de um certo tumor cerebral? A que árvore linguística pertence determinado idioma? Qual será o preço do ouro no final deste ano? O uso do cinto de segurança realmente protege o motorista em caso de acidente? A produção industrial tem influência no aumento dos preços? A introdução de uma nova tecnologia diminui o custo de fabricação de certo produto? Qual a forma mais justa de se cobrar determinado imposto? Qual o melhor investimento a ser feito nas universidades públicas?

Nenhuma destas questões pode ser resolvida de forma absolutamente precisa por quaisquer teorias existentes. Tomadas de decisão correspondentes às respostas das perguntas acima estarão sujeitas a erro, significando, com isto, que devemos tentar respondê-las de forma a minimizar o risco envolvido. A Estatística é a ferramenta que permite extrair dos dados a informação necessária para que possamos trabalhar com o mínimo de risco possível. O profissional em Estatística pode trabalhar em diversos setores da atividade acadêmica ou em diversos setores do mecado de trabalho, utilizando-se de idéias e métodos estatísticos que permitam o planejamento eficiente e a análise eficiente de dados. Para tanto, é preciso que o estudante de graduação em Estatística tenha uma boa básica teórica, dentro de um contexto atualizado e uma boa noção sobre como aplicar os conceitos aprendidos durante o curso.

O profissional formado em Estatística tem ainda ampla oportunidade de aplicar seus conhecimentos em diversos setores da atividade ou na área acadêmica. O mercado de trabalho atual demanda cada vez mais profissionais que sejam capazes de tomar decisões de forma rápida e eficiente. As tomadas de decisão, tanto no mercado de trabalho quanto no ambiente acadêmico, requerem que lidemos com incerteza, sendo que a natureza da incerteza depende do problema específico com o qual estamos lidando. O trabalho do estatístico como profissional consiste na análise da informação disponível, sujeita a determinado grau de incerteza e no planejamento e obtenção de resultados relevantes a partir da análise da informação. Neste sentido, o profissional a ser formado pode trabalhar em praticamente qualquer setor da atividade acadêmica ou empresarial. De fato, as aplicações da Estatística se estendem a praticamente todas as áreas do conhecimento, tais como Física, Química, Engenharia, Medicina, Biologia, Economia, Administração, Psicologia, Arte e Literatura. Isto pode ser demonstrado na diversidade de exemplos que temos abaixo:

Para o governo de um determinado país, a Estatística é ferramenta fundamental para que se possa traçar planos sociais e econômicos e projetar metas para o futuro. Técnicas estatísticas sofisticadas permitem prever com um bom grau de precisão variáveis como tamanho da população, taxa de desemprego no país, demanda por determinados bens e serviços e formular planos para atingir uma taxa razoável de progresso no bem-estar social. Com a imensa quantidade de dados e indicadores sócio-econômicos e demográficos que hoje em dia são facilmente coletados pelos diferentes institutos de pesquisa (públicos ou privados) e o grau de sofisticação a que chegaram as técnicas estatísticas, a importância do estatístico deverá ser cada vez maior, tanto na tomada cada vez mais precisa de decisões a nível nacional, como no monitoramento constante da modelagem utilizada para manter o bom desempenho das políticas adotadas.

Na pesquisa científica, a Estatística desempenha importante papel na obtenção de dados relevantes, em testes de hipóteses, estimação de parâmetros e interpretação dos resultados. O próprio Método Científico mostra que a Ciência funciona, de forma geral, como um ciclo onde o conhecimento dos fenômenos naturais é sempre aprimorado. Este conhecimento é que permite prever resultados experimentais e fornece a base do avanço tecnológico. A partir daí temos a relatividade geral de Einstein, a teoria quântica de Planck, o modelo de Bohr para o átomo, as leis de Mendel da hereditariedade, o modelo de dupla hélice do DNA e tantos outros. Neste ciclo da Ciência, a Estatística é quem permite a coleta eficiente de dados relevantes (planejamentos de experimentos), bem como a verificação de uma teoria através da análise dos dados obtidos e testes de hipóteses (inferência). A Estatística permite, assim, ao cientista, verificar se sua teoria modela a realidade de acordo com os fatos observados.

Na indústria, técnicas estatísticas extremamente simples são utilizadas para que a qualidade dos produtos possa ser mantida dentro de um determinado nível. A importância desta aplicação é realçada por C. R. Rao, um dos mais importantes estatísticos deste século: “É experiência comum no mundo inteiro que nas indústrias onde os métodos estatísticos são explorados a produção aumentou em cerca de dez a cem por cento sem nenhum investimento adicional nem expansão industrial. Neste sentido, o conhecimento estatístico é considerado um recurso nacional. Não é surpreendente que um livro recente sobre invenções modernas liste o controle estatístico de qualidade como uma das grandes invenções tecnológicas do século vinte. De fato, raramente houve uma invenção tecnológica como o controle estatístico de qualidade, que é tão amplo em aplicações, mas tão simples em teoria, que é tão efetivo em resultados, mas tão fácil de adotar e que gera um retorno tão alto, mas requer um investimento tão pequeno.”

No mercado financeiro, os métodos estatísticos são empregados para previsões de taxas de juros e preços de diferentes bens e para desenvolvimento de estratégias de investimentos que maximizem os lucros.

No comércio, a Estatística pode ser usada para previsão de demandas, planejamento da produção e implantação de técnicas administrativas eficientes que garantam o melhor lucro.

Na Medicina, os princípios de planejamento de experimentos são utilizados em análises de drogas e em ensaios clínicos. A informação que é fornecida por um grande número de testes bioquímicos é acessada estatisticamente para diagnósticos e previsões de possíveis causas de doenças. A aplicação de técnicas estatísticas tornou o diagnostico médico mais objetivo, combinando-se a sabedoria dos melhores experts com o conhecimento das diferenças entre doenças indicadas pelos testes clínicos.

Na Literatura, os métodos estatísticos podem ser usados para quantificar os estilos de diversos autores, o que pode ser útil para se decidir a autoria de determinada obra, em casos de disputa autoral.

Em alguns estudos arqueológicos, técnicas estatísticas de comparação entre diferentes objetos encontrados têm representado um eficiente método de se determinar a que cultura pertenciam antigos artefatos e de colocar tais artefatos em ordem cronológica.

Nas cortes de justiça, evidência estatística na forma de probabilidade de ocorrência de eventos pode ser uma importante informação trazida por uma das partes em um tribunal.

Em Administração, a análise estatística funciona como uma importante ferramenta para se diagnosticar problemas de gerenciamento em diferentes setores de uma empresa e para propor políticas de investimento mais eficientes dentro da própria empresa.

O papel desempenhado pela Estatística como valioso instrumento em quase todas as atividades é observado por C. R. Rao: “Parece não haver atividade humana cujo valor não possa ser melhorado injetando-se idéias estatísticas no planejamento e usando-se métodos estatísticos para análise eficiente de dados e acesso dos resultados para realimentação e controle.”

Fonte: www.de.ufpe.br

Estatística

Em 2025, o Brasil terá a quinta maior concentração de pessoas idosas do mundo, segundo o IBGE (Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Dez por cento da população mundial é dependente de álcool, assegura a Organização Mundial de Saúde. Nos Estados Unidos, 34,8% da população já consumiu psicotrópicos, garante o governo norte-americano. Dados como esses, imprescindíveis para nortear planos de ação em vários setores da sociedade, são coleta dos pelo profissional de Estatística.

Utilizando rigorosa metodologia científica, esse profissional organiza e analisa dados quantitativos que levam a previsões confiáveis em qualquer ramo de atividade. Lidar com cifras e complicadas operações matemáticas faz parte de sua rotina. Mas é importante que esse expert em cálculos tenha também base humanística e aguçado senso crítico para poder analisar os números dentro do seu contexto. “O estatístico tem de ser versátil porque é solicitado a aplicar seus conhecimentos em diversas áreas como medicina, psicologia, economia, ciências sociais”, afirma Cláudia Peixoto, professora do Departamento de Estatística da USP.

Face a essa abrangência, é difícil precisar quais os campos que mais absorvem o profissional de Estatística. “Não é exagero afirmar que o fantasma do desemprego passa longe da categoria. Antes de terminar o curso de graduação, a maior parte dos alunos já tem emprego garantido, com salários iniciais de R$ 2.500”, diz Cláudia.

Para os institutos de pesquisa, o estatístico é um profissional imprescindível – é ele quem garante a fidedignidade dos dados colhidos. Esse profissional também é solicitado por órgãos das áreas de educação e saúde, para estudos sobre evasão escolar ou sobre a incidência de doenças em certas regiões, por exemplo. Nas companhias de seguro, os estatísticos são capazes de fazer avaliação de riscos.

Em agências do governo, como IBGE ou Ipea (Instituto de Planejamento e Estudos Ambientais), a participação dos estatísticos determina o planejamento de pesquisas socioeconômicas ou demográficas. Outros campos de trabalho são os institutos de análise, como o Instituto Pasteur, o Adolfo Lutz, e as companhias de distribuição de água e energia.

Na atividade industrial – farmacêutica, química, siderúrgica, têxtil, alimentícia e de bens manufaturados – também há várias oportunidades. Sem o estatístico praticamente não há metodologias confiáveis em pesquisa de mercado e controle de qualidade. Da mesma forma, as instituições financeiras dependem do estatístico para fazer previsões a partir da análise de balancetes e estabelecer estratégias para a concessão de empréstimos, num trabalho paralelo ao do economista. A afinidade entre as duas áreas explica por que muitos alunos de economia acabam fazendo pós-graduação em Estatística. Essa proximidade, aliás, gera certa concorrência com economistas pelas mesmas fatias do mercado, em especial o financeiro. “Mas isso já está mudando. A procura por pessoas com formação específica em Estatística é grande e tende a crescer”, revela Cláudia. E, quem quiser operar com independência pode abrir uma empresa de consultoria, com perspectivas de ganhar bem, por conta do pequeno número de especialistas na área.

Duração média do curso

Quatro anos.

A profissão

O estatístico envolve-se em todas as etapas de uma pesquisa. Ele planeja e coordena o levantamento de informações por meio de questionários, entrevistas e medições. Organiza, analisa e interpreta os resultados para explicar fenômenos sociais, econômicos ou naturais. Cabe a ele montar bancos de dados para os mais diversos usos, como controle de qualidade da produção de uma indústria, recenseamentos populacionais, pesquisas eleitorais ou lançamento de novos produtos no mercado de consumo. Na indústria, também acompanha os testes de qualidade dos produtos e ajuda a fazer a previsão de vendas. Em laboratórios, cria tabelas que sistematizam os resultados de experimentos e pesquisas.

Características que ajudam na profissão

Visão crítica, facilidade de lidar com números e cálculos, interesse por questões científicas e sociais, concentração, atenção para detalhes.

Fonte: www1.uol.com.br

Estatística

É a área da Matemática que coleta, analisa e interpreta dados numéricos para o estudo de fenômenos naturais, econômicos e sociais. O estatístico planeja e coordena o levantamento de informações por meio de questionários, entrevistas e medições. Organiza, analisa e interpreta os resultados para explicar fenômenos sociais, econômicos ou naturais. Cabe a ele montar bancos de dados para os mais diversos usos, como controle de qualidade da produção de uma indústria, recenseamento populacional, pesquisa eleitoral ou lançamento de produtos no mercado de consumo. Na indústria, acompanha os testes de qualidade, ajuda a fazer previsão de vendas e desenvolve modelos matemáticos para ajustá-los a situações práticas. Em laboratório, cria tabelas para sistematizar os resultados de experimentos e pesquisas.

O mercado de trabalho

Nos últimos anos, tem crescido muito a procura por estatísticos. A maioria dos recém-formados é contratada ao sair da faculdade com bons salários, principalmente por bancos, empresas de cartão de crédito e seguradoras. As vagas se concentram em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Nas instituições bancárias, os profissionais trabalham com modelagem financeira e econômica, para compreender como funciona toda a movimentação financeira. Eles analisam como se comporta o crédito, a inadimplência e a movimentação de ações, por exemplo. A demanda por esse profissional cresceu muito também em empresas de pesquisa e opinião pública, que são cada vez mais procuradas por indústrias e companhias de diversos setores para realizar enquetes sobre novos produtos e os serviços ofertados.

O curso

Conta é o que não falta no currículo, fundamentado em conhecimentos de matemática, métodos estatísticos, cálculo e teoria das probabilidades, entre outros. Para isso, é necessário que o estudante tenha raciocínio lógico e muita disposição para lidar com números. Há aulas, também, centradas em metodologia de pesquisa. Entre as matérias aplicadas estão atuária, demografia, sociometria, biometria e econometria. Alguns currículos oferecem conteúdos que associam a estatística a outras áreas, como Ciências Biológicas. É necessário apresentar um trabalho de conclusão de curso (TCC).

Duração média

Quatro anos.

O que você pode fazer

Bioestatística

Determinar os métodos e organizar os dados de pesquisas científicas nas áreas de ciências biológicas e da saúde.

Computação

Elaborar programas de estudos estatísticos.

Controle de qualidade

Analisar amostras colhidas nas várias fases de produção, a fim de detectar eventuais erros, e escolher métodos para aprimorar a qualidade de um produto.

Internet

Elaborar e gerenciar programas de busca. Montar bancos de dados digitais.

Perfil de consumidores

Levantar as características de consumidores de produtos e serviços para agências de publicidade e propaganda e para departamentos de vendas.

Pesquisa clínica

Coordenar e controlar testes de eficácia de medicamentos.

Pesquisa de mercado

Levantar as características de consumo de determinada região, classe social ou idade. Montar e gerenciar bancos de dados com as informações coletadas.

Fonte: guiadoestudante.abril.com.br

Estatística

Descrição

É a área da Matemática que lida com dados numéricos relativos a fenômenos coletivos, naturais ou sociais. O estatístico trabalha a partir da coleta, organização e análise dos dados obtidos. Faz projeções e análises que transformam dados numéricos quantitativos em informações que vão permitir o planejamento racional para o processo decisório.

Currículo Básico

Matemática, Metodologia Científica, Planejamento e Pesquisa, Cálculo, Estatística, Teoria das Matrizes e Funções Ortogonais e Análise Estatística.

Aptidões Desejáveis

É necessário que o Estatístico tenha capacidade de análise e interpretação de dados. São requisitos fundamentais: Base matemática, raciocínio abstrato, interesse por pesquisas, além de exatidão e atenção concentrada.

Especializações possíveis

Estatística Econômica, Estatística Social, Estatística Matemática, Estatística Biológica, Estatística Agrícola, Estatística Médico Sanitária, Estatística Demográfica, Estatística Industrial, Estatística Educacional.

Campos de Atuação

Institutos de Pesquisa, Órgãos Públicos, ONGs, Consultorias, Marketing. O campo de atuação está ligado às mais diversas profissões já que pode trabalhar em pesquisa e investigações para Ciências Sociais, Medicina, Economia, Psicologia entre outros.

Fonte: www.guiadasprofissoes.com.br

Estatística

Perfil do curso

Formar profissionais para atuar nas áreas de Controle de Qualidade, Demografia, Bioestatística, Estatística Espacial, Análise de Dados Longitudinais, Estatísticas em Políticas Públicas , Métodos de Previsão, Pesquisa de Mercado e Opinião e Planejamento de Experimentos.

Perfil do profissional

Aptidão numérica, raciocínio lógico e abstrato desenvolvidos, assim como interesse por investigações científicas.

Área de Atuação

Empresas públicas e privadas, indústrias, escolas, universidades, empresas de publicidade e institutos de pesquisa.

Fonte: www.uerj.br

Estatística

Estatístico

"Profissional responsável pela coleta, organização e análise de dados, obtendo resultados sobre um tema específico"

O que é ser um estatístico?

O estatístico é o profissional responsável pelo planejamento, coordenação e supervisão de estudos que envolvem a coleta de informações e dados, com o objetivo de avaliar contextos ou situações específicas. A estatística é a ciência que utiliza a matemática para a análise de situações e obtenção de resultados que expressem, em números a realidade de um contexto. É papel do estatístico desenvolver e escolher métodos e ferramentas de coleta de dados mais adequados a cada caso, além de organizar e analisar os resultados da pesquisa, aplicando-os ao tema foco da estatística. Nesse processo, o profissional da estatística deve determinar correlação entre dados e informações coletadas, podendo tirar delas suas conclusões ou explicações para algum evento.

Quais as características necessárias para ser um estatístico?

Para ser um estatístico é necessário que o profissional se interesse pela ciência matemática e por suas aplicações.

Outras características interessantes são:

capacidade de observação

capacidade de organização

capacidade de análise de dados

responsabilidade

metodologia

visão de projeto

capacidade de interpretação de números

raciocínio lógico

agilidade

Qual formação necessária para ser um estatístico?

Para ser um estatístico é necessário diploma de curso superior em Estatística, com a duração média de quatro anos. Algumas das matérias que fazem parte da grade curricular do curso são: cálculo; álgebra linear; análise de regressão; técnicas de amostragem; planejamento e pesquisa; assessoria estatística; cálculo numérico; probabilidade; inferência; teoria da informação; demografia; econometria; programação linear; simulação de sistemas; matemática financeira; entre outras. O curso também requer horas de atividades supervisionadas e estágios.

Principais atividades

analisar o contexto que será o tema da estatística
elaborar ferramentas e métodos de coleta dos dados, escolhendo para cada caso o mais adequado
coordenar e supervisionar a coleta dos dados
organizar e analisar as informações obtidas
separá-las em grupos, se necessária, estabelecendo relações entre as informações
aplicar a matemática aos dados
analisar os resultados obtidos
aplicar os resultados à temática na qual a estatística está focada, podendo até tirar conclusões
fornecer informações, estatísticas e teorias probabilísticas aos que requisitarem seus serviços

Áreas de atuação e especialidades

O profissional da estatística fornece informações valiosas para diversas outras áreas, por isso, pode trabalhar em empresas de qualquer setor, seja financeiro, agrícola, industrial, científico e social.

Algumas das áreas mais comuns são:

Companhias de seguros: elaborando estatísticas ligadas ao ramo securitário, fornecendo assim bases para a criação de planos, de padronizações estatísticas e de modalidades de seguros

Agências de marketing ou publicidade: realizando pesquisas e análises de mercado e de opinião pública

Empresas governamentais: como por exemplo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) ou a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias), realizando pesquisas sobre a realidade brasileira, e produzindo, em cima dos resultados, análises da população e da qualidade de vida. O maior exemplo do trabalho dos estatísticos é a realização do Censo do IBGE

Instituições financeiras: pode trabalhar fornecendo informações à instituições financeiras, para a elaboração de planos de investimentos

Institutos de análise de controle de qualidade: realizando pesquisas de produto e de opinião pública, além de analisar a qualidade do mesmo produto de diversas marcas, produzindo selos de garantia e obrigando as marcas que tenham produtos inadequados a se regularizarem

ONGs (Organizações Não-Governamentais): produzindo estatísticas que ajudem os projetos sociais a atingirem o problema de maneira mais efetiva e eficaz

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para o profissional da estatística é amplo, pois ele fornece informações para qualquer setor que requisitar. Uma área que cresceu muito nos últimos anos é o de pesquisa de opinião e mercado, pois a grande concorrência faz com que as empresas tentem, cada vez mais, adequar seus produtos a vontade dos consumidores. Os mercados mais comuns, que utilizam a estatística tão extensivamente recebem terminologia diferentes são: Bioestatística; Estatística Física; Estatística Econômica; Estatística Comercial; Estatística Financeira; Estatística Populacional; Estatística Psicológica; Estatística Social; Análise de Processo; Quimiometria; entre outras.

Curiosidades

Tendo em vista principalmente interesses militares e tributários, desde o início das civilizações os governos têm interesse nas informações sobre a população e sobre as riquezas, principalmente as do Estado, e das regiões controladas por ele. Há indícios que, 3.000 a.C. já eram realizados Censos na Babilônia. Confúcio relatou dados coletados na China há mais de 2.000 anos antes de Cristo. Os faraós, no Egito Antigo, utilizavam informações de caráter estatístico, principalmente na medição das riquezas obtidas. Também o fizeram as civilizações pré-colombianas, os imperadores romanos, macedônios, reis absolutistas ingleses, entre muitos outros. Porém, foi no Renascimento, impulsionada pelo mercantilismo, que a aplicação dos dados coletados começou a ser utilizado na administração pública. Os maiores exemplos dessa época são: a obra pioneira do italiano Francisco Sansovini, de 1561, que orientava descritivamente a estatística italiana, e, o reconhecimento da compulsoriedade dos registros de batismos, casamentos e óbitos por parte da Igreja Católica, no Concílio de Trento (1545-1563).

Os estudos mais importantes, que criavam um vocabulário estatístico, foram feitos pelo alemão Gottfried Achenwall em 1746. No século XVII ocorreu na Inglaterra a primeira tentativa de tirar conclusões a partir de dados numéricos, que foi chamada de Aritmética Política, atualmente chamada de demografia. Foi somente no século XX que surgiu a estatística moderna, considerada uma disciplina.

A partir daí, a ciência matemática aplicada à estatística só evoluiu e, passou a ser utilizada pelos mais diversos setores da sociedade como forma de obtenção de informações e bases de dados.

Fonte: www.brasilprofissoes.com.br

Estatística

O PROFISSIONAL

O estatístico estuda, pesquisa e analisa a concorrência de fenômenos coletivos sociais, políticos e científicos. Cada vez mais as tomadas de decisões se valem de um estatístico.

Quer no setor público, quer no privado, a aplicação de políticas e a avaliação de seu impacto social ou de mercado dependem cada vez mais da utilização adequada da estatística.

O profissional pode ser encontrado realizando e planejando censos, fazendo levantamentos oficiais por amostragens, pesquisando a opinião pública ou de mercado, até controlando estatisticamente a qualidade de um produto.

O MERCADO DE TRABALHO

“Mercado em alta. O estatístico, além de uma enorme facilidade de lidar com números, está altamente capacitado a fazer avaliações e projeções, e é disso que o mercado precisa.

Com a globalização, as empresas precisam ser cada vez mais competitivas, por isso estão contratando o estatístico. As que mais contratam são as farmacêuticas, automotivas e financeiras.

Na indústria, é ele que controla a quantidade a ser produzida, através das análises dos índices de aprovação do produto. Outra área em alta é a de pesquisa de mercado e opinião pública.”

Prof. Celso Pimentel - USP

A profissão é regulamentada pela Lei 4.739, de 15/07/1965. Os profissionais são representados pelos Conselhos Regionais de Estatística.

Fonte: educaterra.terra.com.br

Estatística

É a área da Matemática que coleta, organiza e analisa dados, desenvolvendo métodos para tirar conclusões e fazer previsões.

O Estatístico

Implanta pesquisas dentro de planejamentos previamente determinados.

Atua na estruturação e realização dos projetos de coleta de dados, organizando cronogramas de cumprimento destes dados, orientando e supervisionando os vários passos do levantamento estatístico, da análise dos dados e da sua sintetização tabular e gráfica.

Analisa dados, em indústrias, levantados na linha de fabricação para melhorar ou manter o padrão de qualidade do produto.

Elabora metodologia adequada para pesquisar e avaliar a atitude dos consumidores em relação a determinado produto.(Pesquisa de Mercado).

Pesquisa a tendência de voto para fazer a previsão dos resultados de uma eleição (Análise de Eleições).

Tem como característica a universalidade de suas ações, pois pode atuar em todos os ramos da ciência onde sejam estudados fenômenos que possam ser mensurados ou contatos.

Dessa maneira, é um profissional que executa levantamentos por amostragem (seja qual for a área) como pesquisas de opinião, previsão de safras, recenseamento populacional, entre outros.

Assim, faz projeções dos dados levantados, executa análises probabilísticas de decisões, desenvolve técnicas de investigação, planeja modelos de experimentação e otimiza modelos de previsões probabilísticas.

Onde Pode Trabalhar

Encontra trabalho adequado em todos os ramos de aplicação da ciência e da tecnologia.

Órgãos Públicos como Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT); Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO); Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Instituições particulares de pesquisa opinião de mercado.

Indústrias — área de controle de qualidade e de confiabilidade de instrumentos e aparelhos.

Em todas as entidades que comportem investigações, pesquisas, projeções e determinações de fenômenos.

O Curso

Ideal para quem gosta de números e tem raciocínio lógico, pois este curso oferece, acima de tudo, a Matemática Aplicada.

Na primeira fase o aluno faz quase uma revisão do 2.º grau com disciplinas como Cálculo com Geometria Analítica, Noções de Lógica, Álgebra Linear, Estatística Geral, Cálculo de Probabilidades e outras.

Na segunda fase, então, o aluno passa a fazer demonstrações de fórmulas, análise e conclusões de dados, onde são ofertadas disciplinas de Estatística Computacional, Pesquisa Operacional, Estatística não Paramétrica, Processos Estocásticos, Técnicas de Amostragem, Análise de Correlação e Regressão, Planejamento de Experimentos, Análise de Dados Discretos, Análise Multivariada, Técnica de Pesquisa entre outras.

DURAÇÃO

04 anos e 09 semestres.

Fonte: www.cfh.ufsc.br

Estatística

Sobre a profissão

É o campo da matemática que lida com a interpretação das quantificações numéricas. Esse profissional coleta dados, analisa e faz projeções a partir das teorias de probabilidade. O objetivo dessa ciência é desenvolver o conhecimento da realidade através da interpretação numérica dos fenômenos que nos cercam.

O estatístico trabalha no planejamento e na coordenação das informações através da aplicação de questionários, enquetes, entrevistas e medições. Esse profissional também é responsável pela interpretação dos resultados obtidos nesses trabalhos de campo.

Todos os ramos do conhecimento e do desenvolvimento teórico acerca de fenômenos, tanto sociais quanto naturais, físico ou químico, utilizam a estatística para comprovar seus experimentos. Quando um comunicólogo quer fazer um estudo de recepção de mídia, pro exemplo, precisa do estatístico para ajudá-lo a definir a representatividade de seu campo de ação, ou seja, precisa do estatístico para definir quantas e quais pessoas são suficientes para tornar a pesquisa cientificamente aceita, pela sua representatividade frente ao universo social completo.

É definida por alguns teóricos como um ramo da ciência matemática aplicada, e sua utilidade vai além da pesquisa científica. Pesquisas de opinião política, de comportamento de consumo, de taxas de saúde e muitas outras, são fundamentais para o desenvolvimento das sociedades. São os dados estatísticos que orientam a maioria das políticas públicas.

Tipos de Curso

a) Nível Superior

Bacharelado

Duração média de 4 anos. A grade curricular é amplamente baseada nas disciplinas da área de exatas como matemática, matemática aplicada, cálculo, álgebra, lógica. As disciplinas específicas como cálculo de probabilidades, atuaria, demografia, sociometria, psicometria, biometria ou econometria, complementam a formação desse profissional, que também recebem aulas como metodologia de pesquisa, teoria da pesquisa e sociologia. As escolas podem oferecer aulas optativas que orientam a formação profissional ou ainda uma habilitação específica como Estatística Econômica.

b) Nível Médio

Curso Técnico

Existem cursos que dão treinamento técnico em estatística, não diplomam para o ensino médio, mas dão capacitação para lidar com as quantificações numéricas.
Mercado de Trabalho

O mercado de trabalha anda super aquecido para os estatísticos. Na era do controle da informação é cada vez mais comum que empresas de todos os ramos recorram ao profissional para analisar sua produção, seus balanços comerciais, riscos de investimentos, comportamento de consumo de seu público ou ainda para medir o sucesso de políticas administrativas.

O mercado é amplo porque o profissional pode trabalhar em diversos ramos, pode se especializar em pesquisas demográficas e trabalhar em autarquias do governo como o IBGE. Quando especializado em pesquisas de opinião trabalha em institutos como Datafolha, Ibope ou Voxpopuli.

Os bancos também dependem desses analistas, que fazem projeções para o mercado de valores, analisam risco de crédito, interpretam comportamentos financeiros e elabora modelos matemáticos que auxiliam na compreensão do comportamento do mercado financeiro.

Ofertas de Emprego

As ofertas estão concentradas nos grandes centros financeiros, nas capitais e em cidades pólo do interior. Bancos como Itaú, Santander, Unibanco, Bradesco são os maiores empregadores.

As agências de marketing também contratam a assessoria dos estatísticos para elaboração de enquetes referentes à opinião pública ou comportamento de consumo. Podem trabalhar como profissionais liberais, prestando consultoria.

A recente adesão de várias empresas aos serviços das instituições de pesquisa e opinião pública, em busca da legitimação da qualidade de seus produtos ou serviços, fez aumentar as vagas para estatísticos nos institutos que prestam esse tipo de trabalho.

Para quem tem pós-graduação o magistério no ensino superior é um vasto mercado de empregos. Muitos cursos têm disciplinas de estatística, aplicada às diversas áreas do conhecimento. Por isso a procura por profissionais aptos para dar aulas é sempre grande.

Fonte: www.cursocerto.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal