Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Filosofia  Voltar

Filosofia

Objetivo do Curso

·Formar intelectuais professores aptos a ministrar conhecimentos que compreendem não apenas a Filosofia, mas, também, outras disciplinas das ciências humanas.

·Possibilitar ao aluno um desenvolvimento intelectual fundamentado em uma prática pedagógica interdisciplinar. O resultado deste processo será um intelectual professor versado em Filosofia, que conseguira ultrapassar as barreiras que estabelecem as particularidades entre as ciências humanas, e até mesmo exatas e biológicas.

·Dominar o conteúdo interno da Filosofia e estabelecer contato com as outras ciências humanas.

·Formar profissional capaz de organizar e transmitir um pensamento complexo e racional, interprete e formador de opinião.

Você sabia?

Considerando o amplo sentido da palavra filosofia, é conveniente que se esclareça, em primeiro lugar, que, no seu sentido estrito, acadêmico, filosofia designa uma reflexão sobre a natureza das coisas, que teve origem na Grécia, no século VI a.C., e que, sem aniquilar outras formas de pensamento, impôs-se sobre elas, e tornou-se um componente essencial da visão de mundo e da maneira de ser do Ocidente. É a esta forma de pensamento que devemos nossas ciências e, em grande parte, nossa maneira de nos sentir no mundo. A força desse tipo de pensamento provém do profundo comprometimento que ele tem com a racionalidade e com sua característica de impor-se como o instrumento último na busca de explicações sobre a natureza das coisas. Isso tudo que está sendo dito não explica ainda o que é filosofia. Mas será que isso é possível?

Há saberes que são definidos pelo campo de objetos que estudam, mas a filosofia não tem objetos próprios. Qualquer coisa pode ser objeto de investigação filosófica. Pois o que caracteriza a filosofia não é o tipo de coisa que ela investiga, mas o tipo de questão que ela levanta e a maneira como ela tenta responder a essa questão. São questões sobre os fundamentos e sobre o sentido último de todas as coisas que nos cercam, do que somos, do que fazemos e do que pensamos. Questões de um tipo que, sabemos de antemão, não permite respostas definitivas, mas que são importantes demais para que fiquem sem uma reflexão. Se ainda não está claro o que é filosofia, no seu sentido acadêmico, é porque só é possível chegar a uma compreensão do que ela é ao se entrar em contato com o que ela produz. E é isso, em grande parte, o que um curso de filosofia propicia: ler os textos dos grandes filósofos, conhecer as grandes questões que já foram levantadas, a variedade das respostas que foram apresentadas por aqueles que são reconhecidos como grandes pensadores, e entender que nenhuma delas é a resposta final, mas que as questões continuam todas lá, a suscitar outras respostas e outras questões, à espera de nossa própria reflexão.

Perfil Profissional

O curso de Filosofia prepara seus alunos não só para a tarefa do ensino desta disciplina, mas também para a atividade de investigação teórica em diferentes áreas do conhecimento científico. Este último aspecto, na medida em que desenvolve no aluno a capacidade crítica e reflexiva, permitirá também ao formando aproveitar os instrumentos proporcionados pelo curso no exercício de outras atividades profissionais.

Principais Atividades

O objetivo da filosofia é o de suscitar perguntas, levantar o porque das coisas, instigando a respostas as diversas, por este motivo, enriquecedoras e atuais. Respostas iguais destituiriam a filosofia de seu próprio cerne. O ser humano se enriquece quando em contato com as diferenças de outro ser humano, em que os pensamentos se interagem, amoldando-se. As diferenças são o que igualam o ser, levando-o à busca do conhecimento, e, na medida em que é alcançado, o desenvolvimento se favorece.

Áreas de Atuação

O mercado de trabalho para o filósofo não é demasiadamente amplo, mas é bastante estável. Muito relacionada ao magistério, a Filosofia está presente como disciplina obrigatória em diversos currículos do Ensino Médio e Superior, o que ajuda a aquecer o mercado de trabalho para os filósofos.

Mesmo com as recentes mudanças no relacionamento da sociedade com a filosofia, é no magistério que ainda se concentra a maioria das vagas de emprego. Os postos de trabalho se espalham por todo território nacional, principalmente nas capitais e cidades interioranas de médio e grande porte. O Filósofo licenciado pode dar aulas para o Ensino Fundamental e Médio. Para dar aulas nas Universidades é preciso que se tenha um curso de pós-graduação.

Além do magistério o filósofo também pode trabalhar na análise crítica de obras artísticas, como peças de teatro, programas de televisão, livros, textos acadêmicos. Ele está apto a escrever artigos sobre o desenvolvimento do conhecimento e sobre a obra de outros autores.

Na Pesquisa Científica, o filósofo também tem cadeira cativa. Tanto pode desenvolver estudos sobre o comportamento do fazer científico da contemporaneidade, quanto pode trabalhar na revisão das teorias já cunhadas.

Como consultor ético pode trabalhar em instituições hospitalares, na revisão de processos judiciais e em Organizações Não Governamentais (ONGs)de incentivo de projetos sociais e culturais.

Fonte: www.unoeste.br

Filosofia

O profissional

O curso forma professores (licenciatura plena) habilitados para lecionar Filosofia nos diversos níveis de ensino. Forma, também, pesquisadores capazes de promover avanço teórico nas áreas filosóficas, desenvolver o espírito crítico e explorar as relações entre a Filosofia e os outros campos do saber, como Educação, Ciência, Ética, Arte, Linguagem, Religião e Política. Ao concluir o curso, o profissional estará habilitado tanto para atuar como professor de Filosofia na educação básica, como para prosseguir seus estudos em nível de pós-graduação – especialização, mestrado e doutorado.

Conforme a legislação vigente, o professor formado neste curso poderá, também, lecionar a disciplina História na educação básica.

Mercado de trabalho

A atividade docente com alunos dos ensinos Fundamental e Médio é um campo de trabalho em franca expansão no Estado de São Paulo e em todo o país, além de ser um dos principais campos de atuação para os formados na área. O profissional, entretanto, pode direcionar sua atuação ao aprofundamento da interdisciplinaridade, a partir de uma abordagem filosófica com as diversas vertentes de linguagem científica e artística.

Outra possibilidade é o desenvolvimento de projetos de estudo em instituições de ensino e pesquisa. A Filosofia ainda permite o desenvolvimento de uma competência ética e teórica para assessoria em áreas como política, ética, estética e científica, em âmbito legislativo, editorial, executivo e jurídico, curadoria artística, no terceiro setor e na cooperação internacional.

Fonte: www.metodista.br

Filosofia

Senhora da indagação

Preocupada com o uso da razão, Filosofia ensina que perguntas podem ser mais importantes que respostas

O tempo intrigava Igor Mota Morici, de 24 anos, quando ainda criança. Ele se perguntava se seria possível, ou não, uma viagem pelo tempo, mas não podia prever que dúvidas como essa tomariam nova consistência quando se tornasse adulto. “Minha tendência sempre foi a de me interessar por questões que envolviam muito mais as especulações que as investigações empíricas”, atesta Igor, que acaba de concluir o curso de Filosofia e se prepara para as provas de mestrado. Certo de que conciliará a carreira de pesquisador com a de professor, Igor lembra que teve dúvidas, e muitas, ao optar pela Filosofia, mas essas se dispersaram quando decidiu que deveria seguir uma profissão que lhe desse prazer, além de condições de sobrevivência.

“É um curso difícil, mas que não tem segredo. Quem quiser aproveitá-lo, para não se tornar um profissional fajuto, tem que ser muito aplicado. Se a leitura significar sofrimento, então, pode desistir, porque será besteira prosseguir. Ler muito é essencial, inclusive em outras línguas”, avalia Igor, um estudioso de grego antigo. A Filosofia foi apresentada a ele pelas aulas de um professor de Português, quando estava no segundo ano do Ensino Médio. “Era interessante, porque o professor nos ajudava no caminho das buscas”, lembra.

No início do curso, Igor pretendia seguir a licenciatura, caminho alterado quando experimentou a pesquisa, no terceiro período, no, então, Programa Especial de Treinamento, em que os alunos participantes desenvolviam pesquisas próprias e discutiam em grupo problemas comuns. Ao se aprofundar nos textos de Aristóteles, ele percebeu que seria necessário adotar a pesquisa até o final da graduação e, mesmo, além dela. Por isso mudou para o bacharelado, sem abdicar da idéia de ser professor do Ensino Médio. A Filosofia, diz Igor, não se fecha na carreira de professor, mas esse é o mercado de trabalho mais provável. Ele se interessa, também, por traduções. “Fora do Brasil, é comum filósofos se dedicarem a traduções, porque, no caso da Filosofia, elas sempre exigem um nível de interpretação.”

Por quase 30 anos, a Engenharia Mecânica foi o ganha-pão de Flávio Netto Fonseca, de 50 anos. A vida começou a mudar em 1999. Ele enfrentou um novo Vestibular e escolheu a Filosofia como sua nova área de atuação. Desde então, Flávio é professor em diferentes colégios e faculdades na capital mineira, uma trajetória iniciada num momento de crise profissional e pessoal, quando ele tentou encontrar explicações para a rejeição, pelo mercado de trabalho, de profissionais com mais experiência e que tinham, em média, 40 anos. “Li muitos livros de Psicologia e de Filosofia, tentando entender o fenômeno que, muito comumente, causava uma grande baixa estima em quem passava pelo problema”, lembra.

Muito antes dessa época, entretanto, Flávio já havia se interessado pelos textos filosóficos, por causa da militância política. “Foi um retorno aos estudos e uma reviravolta que trouxe mudanças para muito melhor”, testemunha. “A Engenharia me dava retorno financeiro, mas a educação me oferece muito mais”, diz, contando que seu próximo passo será a realização do mestrado, também em Filosofia. Para ele, a descoberta principal que pode ser feita na Filosofia é a de que ela é uma ciência em que as perguntas são muito mais importantes do que as respostas.

Flávio elegeu o tripé “estética, cognição e ética” para permear as discussões travadas nas salas de aula, que podem nascer de “simples” propagandas na televisão. “É impossível imaginar a quantidade de fatos do cotidiano que servem de exemplos para discussões feitas à luz da Filosofia e é disso que mais gosto, porque dou aulas para jovens. O que tento ensinar a eles é que precisam ser pessoas críticas, porque essa característica nos distingue como seres humanos. A contribuição dos conceitos filosóficos para essa formação é inestimável”, atesta o professor.

Paixão pela crítica

A reflexão e a crítica são companheiras inseparáveis de quem apostar na Filosofia. Junte-se a elas uma enorme disposição para estudar e receber como um prêmio o desenvolvimento da capacidade de ver e analisar o fazer humano e o desenrolar do mundo de uma forma diferenciada, afastada do senso comum e apoiada no conhecimento aprofundado das idéias, do pensamento. Acerta em cheio quem pensa que o curso de Filosofia é denso, reflexo de uma leitura dirigida de textos históricos e contemporâneos complexos.

Tais características não devem afastar os candidatos, avisa o coordenador do Colegiado de Graduação, professor Ernesto Perini Santos, pois o curso, normalmente, surpreende e incentiva o interesse pelos conhecimentos que vão se acumulando. A sólida base histórica e filosófica oferecida resume um enorme potencial de compreensão dos tempos atuais e de questões que se revelam no cotidiano.

O que atrai os estudantes para a Filosofia?

O aluno de Filosofia se interessa, primeiro, pelas Ciências Humanas. Ao entrar no curso ele tem uma idéia vaga do que é Filosofia e manifesta muita vontade de estudar e de ler. No geral, ele se surpreende e não se frustra com o curso. No momento em que percebe a riqueza do mundo filosófico, o aluno dedica-se e aprende a ter rigor e disciplina grandes, necessários aos estudos de textos e de conceitos.

Ainda prevalece uma idéia romântica a respeito da Filosofia?

Os alunos se surpreendem exatamente porque, muitas vezes, têm a idéia de que a Filosofia não se desenvolve de maneira acadêmica. Não existe nada de errado em se lerem textos filosóficos de maneira livre, mas, no curso, os estudantes percebem que a Filosofia exige o estudo sistematizado e uma disciplina a que eles terão que se acostumar.

E como é o curso de Filosofia na UFMG?

O curso tem dois eixos. Um histórico, que trata das filosofias Grega, Medieval, Moderna e Contemporânea. O outro é temático e inclui disciplinas mais voltadas para as discussões sobre temas como ética, teoria do conhecimento e estética.

Onde os filósofos se enquadram no mercado de trabalho?

Eles, basicamente, dão aula, pois empregos em empresas são poucos, apesar de existir uma pequena demanda, que considero pouco representativa. O mercado para professores cresceu muito com a inclusão da Filosofia como disciplina no Ensino Médio e até no Fundamental, com a exigência da matéria em provas de Vestibulares de outros cursos que não o de Filosofia e, ainda, com a ampliação das instituições de Ensino Superior.

O curso de Filosofia é muito procurado por alunos de cursos bastante heterogêneos, na UFMG. Por que eles se interessam pela Filosofia, a ponto de lotarem praticamente todas as disciplinas ofertadas como optativas?

Eles sentem a necessidade de ampliar a visão de mundo e acreditam que a Filosofia lhes possibilitará uma compreensão mais crítica e questionadora de acontecimentos do dia-a-dia.

Fonte: www.ufmg.br

Filosofia

O curso tem por objetivo capacitar o aluno a:

planejar, executar e avaliar as atividades pertinentes ao ensino da Filosofia

levar em consideração as expectativas dos estudantes em relação ao programa de ensino de Filosofia

manter a coerência entre o conteúdo de Filosofia ministrado e o conteúdo programado

colocar a disciplina Filosofia a serviço da formação humana e profissional dos alunos

estabelecer e comunicar, de forma clara, os objetivos do ensino de Filosofia

estabelecer e comunicar, de forma clara, os objetivos do ensino de Filosofia

apresentar domínio do conteúdo de Filosofia a ser ensinado

adotar uma metodologia de ensino de Filosofia, coerente com os objetivos estabelecidos no plano da disciplina, centrada na participação dos estudantes, favorecendo um ambiente de aprendizagem cooperativa entre os estudantes

comunicar com clareza as orientações de aprendizagem

adequar a complexidade das atividades de aprendizagem ao nível de desempenho dos estudantes

utilizar adequadamente os recursos de aprendizagem, incluindo a adoção de novas tecnologias (como vídeo, internet e recursos de informática) aplicadas ao ensino da Filosofia

receber e fornecer "feedback" aos estudantes, sobre seu desempenho no processo de aprendizagem de Filosofia

estabelecer um relacionamento positivo com os estudantes de Filosofia

localizar e orientar o acesso dos estudantes a recursos bibliográficos e demais fontes de informação relacionados ao estudo da Filosofia

organizar e implementar um sistema de avaliação da disciplina de Filosofia, a serviço da aprendizagem dos estudantes

Área de Atuação

O curso de Filosofia da Faculdade Salesiana pretende formar, antes de tudo, um profissional do magistério de filosofia, que seja também um profissional do conhecimento, do confronto entre teorias, realidade e comportamento.

É também um profissional a serviço do ensino, da pesquisa, capaz de dar orientação, consultoria e assessoria em instituições culturais e artísticas, assim como nas áreas de saúde (ética e bioética), jurídica (ética e lógica), e organizacional em projetos específicos, em empresas de comunicação, no mercado editorial (conselho editorial e editoração), em órgãos de planejamento social, educacional, econômico e político.

O mercado de trabalho

É a prática de análise, reflexão e crítica na busca do conhecimento do mundo e do homem. O filósofo dedica-se a investigar e questionar com profundidade e rigor metodológico a essência e a natureza do universo, do homem e de fatos. Estuda as grandes correntes do pensamento e a obra dos filósofos. Faz reflexões sobre questões éticas, políticas, metafísicas e epistemológicas, além de buscar a compreensão teórica de conceitos, como os de espaço, tempo, verdade, consciência e existência. Desenvolve pesquisas, dá aulas e presta consultoria para instituições científicas, artísticas e culturais. Também está habilitado a implantar projetos educacionais em escolas e empresas.

O mercado de trabalho para esse profissional é promissor. Com o interesse do público leigo por cursos livres de Filosofia e áreas afins, aumenta a demanda pelo profissional em centros culturais de grandes metrópoles. Eles são encarregados de organizar e ministrar esses cursos. Apesar desse nicho em ascensão, a maior parte dos formados ainda atua como professor em faculdades e escolas de Ensinos Médio e Fundamental. Há vagas em escolas particulares e publicas em todo o Brasil onde filosofia é disciplina obrigatória nas escolas de Ensino Médio. Há vagas ainda em alguns órgãos públicos, ONGs voltadas à área social, e complexos hospitalares para atuar geralmente como consultor ético. As empresas de recursos humanos ou com investimento em projetos culturais costumam contratar filósofos para dar consultoria a equipes.

Perfil do egresso

O curso de Filosofia da Faculdade Salesiana de Vitória pretende formar, antes de tudo, um profissional do magistério de Filosofia, que seja também um profissional do conhecimento, do confronto entre teorias, realidade e comportamento. É também um profissional a serviço do ensino, da pesquisa, capaz de dar orientação, consultoria e assessoria em instituições culturais e artísticas, assim como nas áreas de saúde (ética e bioética), jurídica (ética e lógica), organizacional em projetos específicos, em empresas de comunicação, no mercado editorial (conselho editorial e editoração), em órgãos de planejamento social, educacional, econômico e político.

Fonte: www.faculdadesalesiana.edu.br

Filosofia

Quais as características que favorecem a profissão? Onde o profissional formado em filosofia atua?

O filósofo busca desvendar e explicar a personalidade e a conduta do ser humano, acompanhando a evolução do pensamento desde os primórdios.

Cabe ao filósofo despertar a reflexão nos homens, diante de si, de seus atos, da sociedade, e do mundo.

Espírito investigativo, capacidade de análise, capacidade de reflexão, gosto pela pesquisa são algumas características que favorecem a profissão.

O filósofo pode trabalhar como professor no ensino universitário ou de 2º grau, prestar consultoria a empresas para a aplicação de palestras junto aos funcionários, no setor editorial, escrevendo e analisando artigos e reportagens para revistas, jornais e outras publicações, etc.

O que é abordado no curso de filosofia?

Estética, História da Filosofia Antiga, História da Filosofia Medieval, História da Filosofia Moderna e Contemporânea, Lógica, Ética e Filosofia Política, são algumas das disciplinas do curso.

Durante o curso, o aluno terá muita leitura antiga e contemporânea, trabalhos e pesquisas.

Uma vez formado, o aluno poderá iniciar seus estudos a nível de pós-graduação, desta forma, aumentando as suas chances de no mercado de trabalho, além de aumentar seus conhecimentos.

No curso de Filosofia, o universitário aprende a conhecer todas as questões levantadas pelos grandes pensadores, alimentando a sua própria reflexão. São quatro anos de estudos e o estágio é obrigatório para as disciplinas pedagógicas. O estudo filosófico tem a intenção de ampliar incessantemente a compreensão da realidade, no sentido de aprendê-la na sua amplitude, buscando conceitos e classificações.

Mercado de trabalho

A grande maioria dos Filósofos atua no ensino de 2º e 3º graus.

Os melhores empregos estão junto aos jornais, editoras, empresas de rádio e TV, para atuar como escritor ou crítico.

A consultoria a grandes e médias empresas também oferece boas oportunidades de emprego.

Fonte: br.geocities.com

Filosofia

O homem não passa de um caniço, o mais fraco da natureza, mas é um caniço pensante. Blaise Pascal, filósofo francês do séc. 17, sintetiza com essa breve frase a potencialidade que transforma o ser humano em um animal sublime.

Artista do pensamento, o homem pinta no belo quadro da vida uma infinidade de nuances misturando as cores fortes da virtude e da coragem ao efeito tênue e delicado das equações racionais. O produto desta complexa mistura é uma obra de arte repleta de enigmas, labirintos, caminhos e descaminhos – o chamado conhecimento.

Como não se espantar com esta beleza? Como não se apaixonar pelo mistério velado em cada ínfima coisa? Qual é nossa tarefa nessa grande obra de arte? Por que, para que e como pertencemos a ela?

Questões como essas e tantas outras só vêm a endossar o que já desconfiava o velho Aristóteles (384-322 a.C.) há milhares de anos; postulava ele: “O homem tende, por natureza, ao conhecimento”. E mais do que isso, talvez endosse também o que pensava Nietzsche (1844-1900) ao afirmar que: “Nosso tesouro está onde estão as colméias do nosso conhecimento”.

Atividade primordial da razão humana, a filosofia vem justamente investigar o tesouro do conhecimento humano, examinar a existência em seus limites mais profundos e recônditos, num jogo provocante em que o brilho de uma resposta oculta o mistério de cem novas perguntas. Por essa razão “Viver sem filosofar é o que se chama ter os olhos fechados sem nunca os haver tentado abrir” (Rene Descartes, 1596-1650).

Não há dúvidas de que, como desconfiava Shakespeare, “Há mais mistérios entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia”. Contudo, também não há dúvida de que a pequena parcela deste grande enigma da vida, que a filosofia é capaz de nos revelar, torna a existência muito mais saborosa, estimulante e digna de ser vivida, pois, como dizia Lou Andréas-Salomé (1861-1937): “Acredite: a vida lhe dará poucos presentes; se queres uma vida, aprenda a roubá-la!”.

CAMPO DE ATUAÇÃO

O campo de atuação do profissional de Filosofia, sobretudo do licenciado, foi consideravelmente expandido nos últimos anos.

A primeira grande possibilidade é a docência no Ensino Médio, que a partir do ano de 2008, com a alteração do artigo 36 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), de 20 de dezembro de 1996, tornou-se obrigatória em todo o território nacional.

Por ter ficado distante dos currículos obrigatórios por décadas, os cursos de Filosofia tiveram seu número reduzido, consequentemente os profissionais desta área ainda são muito escassos. Ocorre que, com a volta da obrigatoriedade, este profissional voltou a ser extremamente valorizado, de forma que, o hoje, o professor de filosofia está muito bem cotado.

Por sua característica universalista e crítica de investigação da realidade, a Filosofia ainda permite a atuação em diversas áreas e segmentos.

Apenas para exemplificar podemos citar os mais comuns: consultorias e assessorias em empresas, jornais, revistas, editoras, meios de comunicação em geral, organizações não-governamentais, pastorais, iniciativas acadêmicas, científicas, políticas e pedagógicas.

Há, ainda, a possibilidade da carreira acadêmica e pesquisas em nível de pós-graduação (Especialização, Mestrado e Doutorado)

CURRÍCULO

O currículo do curso de Licenciatura em Filosofia Ead está estruturado para fornecer um embasamento sólido e abrangente tanto para a formação do professor quanto para a do especialista na área.

Tendo como eixo norteador a História da Filosofia, o curso abrange ainda inúmeras outras áreas de investigação filosófica como Ética, Metafísica, Estética, Religião, Lógica, Ciência, Política, Sociologia, Antropologia etc.

As disciplinas do currículo contemplam, também atividades práticas que promovem a atuação e conhecimento do aluno em relação às exigências e possibilidades da profissão. Nesse sentido, inserem-se os Estágios, que colocam o aluno em contato direto com o seu campo de atuação, preparando-o para o mercado de trabalho.

Para alunos que já cursaram cursos livres em seminários e afins, e mesmo para aqueles que possuem conhecimento na área, há a possibilidade de análise curricular ou prova de proficiência para dispensa de disciplinas.

Fonte: www.claretiano.edu.br

Filosofia

É a prática de análise, reflexão e crítica na busca do conhecimento do mundo e do homem. O filósofo dedica-se a investigar e a questionar com profundidade e rigor metodológico a essência e a natureza do Universo, do homem e de fatos. Estuda as grandes correntes do pensamento e a obra dos filósofos. Faz reflexões sobre questões éticas, políticas, metafísicas e epistemológicas, além de buscar compreensão teórica de conceitos, como os de espaço, tempo, verdade, consciência e existência. Desenvolve pesquisas, dá aulas e presta consultoria para instituições científicas, artísticas e culturais. Também está habilitado a implantar projetos educacionais em escolas e empresas.

O mercado de trabalho

O mercado de trabalho é promissor. Com o interesse do público leigo por cursos livres de filosofia e áreas afins, aumenta a demanda pelo profissional em centros culturais de grandes metrópoles, como a Casa do Saber, de São Paulo (SP), e o Sophia +, de Brasília (DF), onde o filósofo encarrega-se de organizar e ministrar cursos. Apesar desse nicho em ascensão, a maior parte dos formados ainda atua como professor em faculdades e escolas de ensino médio e fundamental. A área de educação está aquecida, pois desde 2007 entrou em vigor uma lei federal que torna a filosofia disciplina obrigatória em todas as escolas públicas e privadas de ensino médio do país.

Em São Paulo, as ofertas de trabalho com maior remuneração estão nas faculdades particulares, para lecionar em cursos como Administração, Direito, Ciências Sociais, Jornalismo e Medicina. Para isso, no entanto, é necessário ter pós-graduação. Há oportunidades ainda em alguns órgãos públicos, em ONGs voltadas para a área social e em complexos complexos hospitalares para atuar geralmente como consultor ético. Empresas de recursos humanos ou com investimento em projetos culturais também costumam contratar filósofos para realizar palestras ou prestar consultoria.

O curso

Prepare-se para ler e escrever muitas dissertações e monografias, além de participar de seminários e palestras. É preciso mergulhar de cabeça em obras de mestres como Platão, Kant e Hegel. No primeiro ano, o currículo é baseado em matérias mais básicas, nas quais você estuda introdução à filosofia e filosofia geral. No decorrer do curso entram as disciplinas temáticas, como história da filosofia (antiga, medieval, moderna e contemporânea), lógica, teoria do conhecimento, filosofia da ciência e da linguagem, estética, filosofia da arte, ética e filosofia política. É obrigatória a apresentação de um trabalho de conclusão ao final do curso.

Duração média

Quatro anos.

O que você pode fazer

Crítica

Analisar e julgar obras artísticas e literárias, escrevendo artigos para jornais, revistas e outros meios. Analisar a sociedade em questões éticas, políticas e epistemológicas.

Ensino

Lecionar em escolas de ensino médio, com licenciatura. Para o ensino superior, é preciso ter pós-graduação.

Pesquisa

Desenvolver estudos acadêmicos sobre diversos temas nas áreas de lógica, filosofia da ciência, ética, estética, filosofia da arte ou da política, entre outros.

Fonte: guiadoestudante.abril.com.br

Filosofia

Perfil do profissional

A Filosofia tem importante papel em nossa sociedade. Reflete sobre o mundo, o homem e tudo que diz respeito a eles, ou seja, a sociedade, a ciência, a violência, a arte, a vida, a morte, as relações entre os homens e do homem consigo mesmo, a religião.

Mercado de trabalho

Escolas de ensino médio, tanto públicas quanto privadas. A tendência é de crescimento do mercado, já que o MEC determinou que, a partir de 2008, a disciplina de Filosofia será obrigatória no ensino médio.

Fonte: www.estacio.br

Filosofia

Essa é pra quem gosta de ler e de pensar. Mas quem pensa que vai encontrar um curso cheirando a mofo na Filosofia está muito enganado. "A Filosofia nos ajuda a constituir uma visão ampla e crítica para nos ajudar a viver e entender o tempo e o mundo no qual vivemos hoje", garante o coordenador do curso da Universidade do Vale do Sinos (Unisinos), no Rio Grande do Sul, Celso Azambuja.

Entre os conceitos teóricos vistos na faculdade, estão disciplinas como ética, estética, lógica e as filosofias política, social, da religião, entre outras. Mas o curso não é meramente teórico, alerta o professor. "Toda a teoria, na filosofia, é um convite à vida, a entender a vida e o sentido da vida", entusiasma-se.

Mercado

A área de trabalho mais comum para os filósofos é o ensino. Segundo o professor Celso Azambuja, o profissional pode atuar no Ensino Médio e, no caso de seguir uma carreira de pesquisa, pode atuar também no ensino superior. A partir de 2008, os estados comeaçaram a cumprir uma legislação federal que obriga as escolas a oferecerem o ensino da Filosofia no Ensino Médio. Assim, as vagas para os licenciados devem aumentar a cada ano. "Há também a possibilidade de atuação profissional com consultor em instituições públicas e privadas", lembra.

É pra você?

É preciso adorar ler, escrever e estudar bastante para se dar bem na Filosofia. "Se você gosta de participar de debates, refletir sobre as questões importantes do momento, se interessa pelos temas da política, da ética, da estética, da ciência, tem uma visão crítica, criatividade intelectual, sensibilidade e abertura para as diferentes forma de ver e viver, o curso é pra você", garante Azambuja.

O que vem por aí

Além da crescente contratação de professores do Ensino Médio, garantida por lei, para o professor gaúcho, na emergente sociedade do conhecimento, "o filósofo terá, certamente, cada vez mais espaço e ganhará importância, na medida em que sua atividade principal consiste precisamente em cultivar o conhecimento e buscar a verdade". "Estes dois fatores associados farão crescer as atividades de ensino e pesquisa em filosofia no Brasil", afirma.

Diferencial

Dedicação é importante. É preciso ler os textos e livros solicitados pelos professores, mas também não se deve deixar de procurar novas bibliografias. "Outras fontes de informação são importantes", diz Azambuja. Envolver-se com grupos de pesquisa, participar das atividades, eventos e debates filosóficos na sociedade também são boas dicas. "O aluno deve dedicar-se de corpo e alma à busca da sabedoria e da verdade", garante.

Fonte: noticias.terra.com.br

Filosofia

Descrição

Do grego philos-sophia que significa “amor à sabedoria”, Filosofia é o estudo contínuo do conhecimento, da compreensão da realidade sobre todos os aspectos, através da análise, da reflexão e da crítica. O filósofo investiga e questiona em profundidade e com rigor metodológico os fatos, o homem e sua essência. Lida com os conceitos de pensamento, consciência e a razão. O filósofo procura organizar o conhecimento contribuindo para o desenvolvimento do homem e suas ciências.

Currículo Básico

História da Filosofia, Lógica, Teoria do Conhecimento, Ética, Filosofia Geral , Ciências Humanas.

Aptidões Desejáveis

É preciso gostar de leitura, de pesquisa e de escrever. É fundamental raciocínio abstrato, espírito investigativo, capacidade de análise e interpretação.

Campos de Atuação

Magistério e Pesquisa.

Fonte: www.guiadasprofissoes.com.br

Filosofia

Filósofo

"Individuo que estuda a natureza de todas as coisas e suas relações entre si; os valores, o sentido, os fatos e princípios gerais da existência, bem como a conduta e destino do homem"

O que é ser filósofo?

Do grego philos-sophia que significa "amor à sabedoria", Filosofia é a prática de análise, reflexão e crítica na busca do conhecimento do mundo e do homem. Este profissional procura compreender a realidade do mundo natural e da condição humana, questionando valores, significados e projetos, sejam eles pessoais, sejam sociais. Faz isso estudando o pensamento de grandes filósofos e desenvolvendo o senso crítico sobre as diversas realidades que observa. Pode trabalhar em instituições de difusão científica, artística e cultural ou implantar projetos educacionais em escolas.

Quais as características necessárias para ser um filósofo?

É preciso gostar de leitura, de pesquisa e de escrever. É fundamental raciocínio abstrato, espírito investigativo, capacidade de análise e interpretação.

Características desejáveis:

  • senso de observação
  • raciocínio abstrato
  • espírito investigativo
  • facilidade de argumentar e transmitir idéias
  • capacidade de análise crítica e imparcial
  • Qual a formação necessária para ser um filósofo?

    Para ser um filósofo é importante um curso superior de Filosofia, a pesquisa aplicada em várias áreas é o principal campo de trabalho dos graduados em Filosofia que precisam, para isso, conhecer dois idiomas, no mínimo, além do português.

    Principais atividades de um filósofo

    O filósofo dedica-se a investigar e a questionar com profundidade e rigor metodológico a essência e a natureza do Universo, do homem e de fatos e conceitos como pensamento, consciência e razão. Estuda as grandes correntes do pensamento e a obra dos filósofos. Desenvolve pesquisas, dá aulas e presta consultoria em instituições científicas, artísticas e culturais. Também está habilitado a implantar projetos educacionais em escolas e empresas.

    Áreas de atuação e especialidades

    Crítica

    Analisa e julga obras artísticas e literárias, escrevendo artigos para jornais, revistas e outros meios. Analisa a sociedade em questões éticas, políticas e epistemológicas.

    Ensino

    Leciona em escolas de ensino médio, com licenciatura. Para o ensino superior, é necessário ter pós-graduação.

    Pesquisa

    Desenvolve estudos acadêmicos sobre diferentes temas nas áreas de lógica, filosofia da ciência, ética, estética, filosofia da arte, da política, entre outros.

    Mercado de trabalho

    O mercado de trabalho para o filósofo já foi restrito, mas vem se modificando devido ao aproveitamento da função no crescente meio das comunicações e com o aumento do número de entidades de ensino. Há profissionais trabalhando em projetos de urbanização, reforma do ensino, reforma política e etc. Esses fatores geram vagas no setor público e privado. A elaboração de artigos para jornais, revistas e principalmente para a Internet é uma boa fonte alternativa de ganhos. O mercado editorial está em crescimento e a demanda de trabalho na área deve aumentar. A atividade de consultoria tem sido bem recebida pelos executivos que, independente da área em que atuam, sentem necessidade de atualização. Empresas que possuem comissões de ética costumam contratar filósofos para integrá-las. Os concursos públicos são raros, mas há vagas com contrato temporário. O mercado para professores de ensino médio e fundamental também está em crescimento.

    Curiosidades

    A filosofia ocidental é baseada no estudo de pensadores gregos que viveram nos séculos IV e V aC.: Sócrates, Platão e Aristóteles. No entanto, povos tão antigos quanto os gregos, como os chineses, hindus, persas, índios americanos, hebreus, árabes e africanos já tinham grande cultura e pensamentos filosóficos.

    Os chineses, por exemplo, criaram uma filosofia profunda sobre a oposição e a existência das coisas, o chamado Yin e Yang. Entretanto a cultura ocidental incorporou as tradições gregas, e tem uma tese a respeito do pensamento filosófico: teve início no século VI aC. e o primeiro filósofo foi Tales de Mileto.

    No século XVIII a filosofia se expandiu, abrangendo vários outros campos, como por exemplo, a filosofia da arte e a da história. Já no século XX surgiram a filosofia da ciência e da linguagem, sendo também estes campos muito amplos de trabalho.

    Fonte: www.brasilprofissoes.com.br

    Filosofia

    Perfil do curso

    Formar profissionais aptos a desenvolver pesquisa na área de filosofia e habilitá-los a ministrar cursos de nível médio e superior.

    Perfil do profissional

    Habilidade para a investigação filosófica, reflexão crítica, capacidade de dedução e poder de síntese.

    Área de Atuação

    Instituições de pesquisa, universidades e estabelecimentos de ensino médio, público e privado, consultorias, participação em palestras, etc.

    Fonte: www.uerj.br

    Filosofia

    É a busca contínua do conhecimento do Homem e sua realidade em todos os aspectos, através da análise, reflexão e da crítica.

    O Filósofo

    Utiliza a razão e a argumentação para investigar o “vai-e-vem” entre o pensar e o agir, para compreender a realidade sob seus vários aspectos.

    Torna-se especialmente importante quando a sociedade passa por grandes mudanças e crises de valores éticos e morais. Com seu questionamento, ele ajuda a humanidade a pensar, perceber e definir seus limites e competência.

    Realiza o exame aprofundado, análise e julgamento de obras literárias, artísticas ou científicas. Pode escrever livros, artigos para jornais, revistas, editoras e empresas de comunicação (Crítica).

    Investiga problemas como a natureza e existência de Deus e origem do Homem.

    Faz estudos sobre temas, problemas e conceitos filosóficos a serem utilizados em investigações científicas. Nessa área, associado a institutos científicos, de pesquisa e de ensino, faz reflexões sobre os valores que regem a existência e o comportamento do homem. (Pesquisa).

    Pode dar aulas no 1.º e 2.º graus e em nível universitário.

    Onde Pode Trabalhar

    Área de jornalismo— em jornais e revistas escrevendo ensaios e críticas.

    Magistério— ensino de 1.º, 2.º e 3.º graus.

    Área de pesquisa — ligada a instituições de nível superior ou instituições como Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), ou Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

    O Curso

    Por ter um mercado de trabalho limitado, este curso prepara seus alunos para atuar nas mais variadas áreas da vida nacional, da Cultura, da Educação, da Política e da Administração, pois busca desenvolver a reflexão, a análise crítica e a construção de uma nova consciência, a partir da interpolação da realidade atual. É formado por disciplinas que dividem em dois campos: o da tradição filosófica, em conteúdos como História da Filosofia Antiga, Medieval, Moderna e Contemporânea, assim como História do Pensamento Filosófico no Brasil. O segundo campo engloba disciplinas ditas instrumentais, destinadas a preparar o aluno para realizar uma análise crítica da realidade. Neste campo são concluídos conteúdos como Lógica, Ética, Metafísica, Psicologia Social e da Educação, Antropologia Filosófica, Teoria do Conhecimento e Estética, entre outras. Existem ainda, disciplinas específicas da licenciatura, que permite ao formado dar aulas

    DURAÇÃO

    04 anos

    Fonte: www.cfh.ufsc.br

    Filosofia

    Sobre a profissão

    É o campo da ciência que se ocupa da investigação, análise e reflexão dos ideais de mundo e de existência que temos. As inquietações do homem a respeito da construção de sua realidade e do seu pensamento foram o ponto de partida para o surgimento da prática filosófica, articulada ainda na antiguidade.

    O filósofo dedica-se à investigação e ao questionamento profundo e metodológico da essência pura da natureza, do conhecimento, do comportamento filosófico e da própria existência. São cinco grandes campos de conhecimento dos quais se ocupa a filosofia: Lógica, Metafísica, Epistemologia, Ética e Estética.

    No estudo da Lógica o filósofo investiga o desenvolvimento do pensamento e da articulação argumentativa, é a Lógica que se encarrega de dar sentido cognitivo às nossas idéias. A Metafísica, por sua vez, se encarrega do estudo do campo que está além do que os ensinamentos da física podem abstrair, ela investiga a noção de realidade concreta que temos.

    No campo da Epistemologia se concentram os questionamentos sobre o modo de se fazer a investigação científica, funciona como uma teoria da construção do conhecimento. Já a Ética, grosso modo, se encarrega da distinção entre o comportamento e a ação devida e não devida. Por fim, a Estética é o campo que trata da nossa conceituação de belo, já foi chamada de filosofia da arte.

    Tipos de Curso

    a) Nível Superior

    Bacharelado

    Duração média de 4 anos. Como é uma ciência muito antiga, a filosofia tem uma vasta e complexa bibliografia consagrada. O aluno de filosofia deve estar preparado para a leitura de todas essas obras. Autores como Platão, Kant, Hegel, Aristóteles, Sócrates acompanham todo o curso, que tem um primeiro ano introdutório com disciplinas de filosofia geral. No decorrer do curso o aluno entra em contato com todos os campos da filosofia, estuda metafísica, lógica, ética, epistemologia e estética.

    b) Nível Superior

    Licenciatura

    Duração média de 4 a 5 anos. O curso de Filosofia Licenciatura segue a mesma grade curricular do curso de bacharelado, acrescido das disciplinas pedagógicas que permitem que o profissional se encarregue do magistério da disciplina no ensino fundamental e médio.

    c) Cursos Livres

    Nos últimos anos a Filosofia tem encontrado espaço de articulação em diversos cursos livres. Escolas, Instituições Ong’s, Associações e outras comunidades articuladas têm oferecido cursos livres de filosofia, com o propósito de popularizar esse conhecimento e incentivar o desenvolvimento do pensamento.

    Mercado de Trabalho

    O mercado de trabalho para o filósofo não é demasiadamente amplo, mas é bastante estável. Muito relacionada ao magistério, a Filosofia está presente como disciplina obrigatória em diversos currículos do ensino médio e superior, o que ajuda a aquecer o mercado de trabalho para os filósofos.

    Mas foram instituições como a Casa do Saber, em São Paulo, e Sophia +, no Rio de Janeiro, que deram o ponta pé inicial em um processo de popularização dos ensinamentos filosóficos. Mesmo tendo uma vocação para o atendimento das classes mais abastadas financeiramente, esses centros de estudo incentivaram uma discussão sobre a filosofia fora dos centros acadêmicos tradicionais, culminando na criação da série Ser ou Não Ser, exibida pelo Fantástico, na Rede Globo.

    Esse aumento da proximidade entre o público leigo e a filosofia auxiliou no alargamento do mercado de trabalho do filósofo, que alcançou uma maior intensidade de trabalho fora das escolas.

    Ofertas de Emprego

    Mesmo com as recentes mudanças no relacionamento da sociedade com a filosofia, é no magistério que ainda se concentra a maioria das vagas de emprego. Os postos de trabalho se espalham por todo território nacional, principalmente nas capitais e cidades interioranas de médio e grande porte. O Filósofo licenciado pode dar aulas para o ensino fundamental e médio. Para dar aulas nas universidades é preciso que se tenha um curso de pós-graduação.

    Além do magistério o filósofo também pode trabalhar na análise crítica de obras artísticas, como peças de teatro, programas de televisão, livros, textos acadêmicos. Ele está apto a escrever artigos sobre o desenvolvimento do conhecimento e sobre a obra de outros autores.

    Na pesquisa científica o filósofo também tem cadeira cativa. Tanto pode desenvolver estudos sobre o comportamento do fazer científico da contemporaneidade, quanto pode trabalhar na revisão das teorias já cunhadas.

    Como consultor ético pode trabalhar em instituições hospitalares, na revisão de processos judiciais e em organizações não governamentais de incentivo de projetos sociais e culturais.

    Fonte: www.cursocerto.com.br

    Filosofia

    O que é

    O filósofo busca o conhecimento do homem e do mundo. Ele investiga a fundo questões da arte, da ciência, da história, da política e da religião, entre outras. Por ser um estudioso por excelência, pode dar aulas e prestar consultoria para organizações culturais, científicas, educacionais. Produz teses acadêmicas, publica livros e escreve para a imprensa.

    Áreas de atuação

    O ensino é sua grande área de atuação, tanto no ensino médio quanto no superior. Para dar aulas em faculdades e universidades é preciso ter pós-graduação. Outro nicho de atividade é a pesquisa, também no âmbito acadêmico, produzindo teses e dissertações. Como crítico, colabora com artigos e resenhas para a imprensa escrita e participa de programas e debates televisivos.

    Mercado de trabalho

    A maior parte dos graduados encontra trabalho como docente. No ensino médio de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul a filosofia é disciplina obrigatória. Em São Paulo e em Brasília têm surgido cursos para leigos em casas de cultura. Os maiores empregadores são instituições de ensino superior, onde o professor encontra vagas em vários cursos na área de humanas. Empresas empregam o filósofo para lidar com questões de ética profissional e como consultores em projetos sociais e culturais.

    Fonte: carreiras.empregos.com.br

    Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal