Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Curiosidades / Dicionário de Tupi-Guarani

Dicionário de Tupi-Guarani

A

PUBLICIDADE

Aaru: Espécie de bolo preparado com um tatu moqueado, triturado em pilão e misturado com farinha de mandioca.

Abá: avá – auá – ava – aba – homem – gente – pessoa – ser humano – índio.

Ababá: tribo indígena tupi-guarani que habitava as cabeceiras do rio Corumbiara (MT).

Abacataia: peixe de água salgada, parecido com o peixe-galo – abacutaia – abacatuaia.

Abaçaí: pessoa que espreita, persegue – gênio perseguidor de índios – espírito maligno que perseguia os índios, enlouquecendo-os.

Abacatina: aracangüira – abacataia – peixe de água salgada, parecido com o peixe-galo. Abacatuaia: abacataia – aracangüira.

Abacatuia: aracangüira – abacataia.

Abaetê: pessoa boa – pessoa de palavra – pessoa honrada – abaeté.

Abaetetuba: lugar cheio de gente boa

Abaité: gente ruim – gente repulsiva – gente estranha.

Abanã: (gente de) cabelo forte ou cabelo duro.

Abanheém: awañene – língua de gente – a língua que as pessoas falam

Abaquar: senhor (chefe)do vôo – abequar – homem que voa (aba – ara – jabaquara – iabaquara).

Abaré: amigo -(aba – ré – rê – abaruna).

Abaruna: amigo de roupa preta – padre de batina preta – amigo preto – (abuna).

Abequar: – senhor (chefe)do vôo – abaquar.

Abati: milho – cabelos dourados – louro.

Abuna: abaruna – padre de batina preta.

Açaí: yasaí – fruta que chora – fruta de onde sai líquido – coquinho pequeno amarronzado, que dá em cachos no açaizeiro (palmeira com o tronco de pequeno diâmetro e folhas finas, que também produz palmito).

Acag: cabeça – (jaguaracambé).

Acamim: uma das espécies de pássaros; uma das espécies de vegetais (iacamim, jacamin).

Acará: garça, ave branca (acaraú).

Acaraú: acaraí, acará, rio das garças (i, acará, ara) (diz-se que a grafia com a letra u, com o som de i fechado, vem dos colonizadores franceses, que os portugueses representavam, às vezes, por y).

Acemira: acir, o que faz doer, o que é doloroso (moacir).

Açu: grande, considerável, comprido, longo (ant.: mirim) (iguaçu, paraguaçu).

Aguapé (tupi): awa’pé – redondo e chato, como a vitória-régia – plantas que flutuam em águas calmas -uapé – (awa – pewa – peba – peua).

Aimara: árvore, araçá-do-brejo.

Aimará: túnica de algodão e plumas, usada principalmente pelos guaranis.

Aimbiré: aimoré; amboré.

Aimirim: aimiri, formiguinha.

Airequecê: aamo (xavante) – lua – iaé.

Airumã: estrela-d’alva.

Airy: uma variedade de palmeira.

Aisó: formosa.

Aiyra: filha.

Ajajá: aiaiá – ayayá – colhereiro (espécie de garça, de bico comprido, alargado na ponta e parecido com uma colher)

Ajeru: ajuru.

Ajubá: amarelo (itajubá).

Ajuhá: fruta com espinho.

Ajuru: ayu’ru – árvore de madeira dura, com frutos de polpa comestível – papagaio – ajeru – jeru – juru.

Akag: cabeça.

Akitãi: baixo , baixa estatura (irakitã – muirakitã).

Amana: amanda, chuva.

Amanaci: amanacy, a mãe da chuva.

Amanaiara: a senhora da chuva ou o senhor da chuva.

Amanajé: mensageiro.

Amanara: dia chuvoso.

Amanda: amana, chuva.

Amandy: dia de chuva.

Amapá: ama’pá – árvore da família das apocináceas (Parahancornia amapa), de madeira útil, e cuja casca, amarga, exsuda látex medicinal, de aplicação no tratamento da asma, bronquite e afecções pulmonares, tendo seu uso externo poder resolutivo e cicatrizante de golpes e feridas.

Amary: uma espécie de árvore.

Ama-tirí: amãtiti, raio, corisco.

Amboré: aimoré.

Amerê: fumaça.

Ami: aranha que não tece teia.

Anamí: uma das espécies de árvores.

Ananã: fruta cheirosa (ananás).

Anauê: salve, olá.

Anassanduá: da mitologia indígena.

Andira: o senhor dos agouros tristes.

Andirá: morcego

Anhangüera: aanhangüera, diabo velho.

Anhana: empurrado – impelido

Anama: grosso, espesso

Anomatí: além, distante

Antã, atã: forte

Anacê: parente

Anajé: gavião de rapina

Anãmiri: anão, duende

Aondê: coruja

Apicu: ape’kü – apicum.

Ape’kü: apicum – mangue – brejo de água salgada (à borda do mar) – apicu – picum – apecum – apecu.

Apecu: ape’kü – coroa de areia feita pelo mar.

Aapecum: ape’kü – apecu.

Apicu: ape’kü – apecu.

Apicum: ape’kü – apicu – apecu – apicum – mangue.

Apoena: aquele que enxerga longe

Apuama: andejo, que não para em casa, veloz, que tem correnteza

Aquitã: curto, pequeno

Ara: (de modo geral – com poucas exceções) relativo a aves, às alturas e (mais raramente) àquilo que voa (insetos) – pássaro – jandaia – periquito (ave pequena) – (arara – Ceará – aracê).

Araçary, arassary: variedade de tucano

Aracê: aurora, o nascer do dia, o canto dos pássaros (pela manhã).

Aracema: bando de papagaios (periquitos, jandaias, araras), bando de aves (ara, arara, piracema)

Aracy: a mãe do dia, a fonte do dia, a origem dos pássaros (v. aracê, cy, ara)

Aram: sol

Arani: tempo furioso

Aracangüira: peixe de água salgada, parecido com o peixe-galo – abacataia – abacutaia – abacatuaia – abacatuia – abacatúxia – abacatina – aleto – aracambé – peixe-galo-do-brasil.

Arapuã: abelha redonda.

Arapuca: armadilha para aves, consistindo numa pirâmide de gravetos (pequenos paus) superpostos

Arara: jandaia grande, ave grande.

Araraúna: arara preta (arara, una, araruna).

Ararê: amigo dos papagaios

Araruna: araúna, ave preta(araraúna, ara, una, itaúna).

Aratama, ararama, araruama: terra dos papagaios

Araueté: araweté ou araueté, povo de língua da família tupi-guarani, que vive na margem esquerda do igarapé Ipixuna, afluente do Xingu, na área indígena Araweté/Igarapé-Pixuna, no sudeste do Pará.

Araxá: lugar alto onde primeiro se avista o sol (segundo definição da cidade Araxá-MG) – lugar alto e plano – tribo indígena procedente dos cataguás (ses) – (ara).

Assurini: tribo pertencente a família lingüística tupi-guarani, localizadas em Trocará, no rio Tocantins, logo abaixo de Tucuruí/PA.

Ati: gaivota pequena – (atiati).

Atiati: gaivota grande – (ati).

Auá: avá – abá – homem – mulher – gente – índio.

Auati: gente loura – milho – que tem cabelos louros (como o milho) – abati – avati.

Aauçá: uaçá – caranguejo – auçá – guaiá.

Avá: abá, auá, homem, índio.

avanheenga: awañene – língua de gente – a língua que as pessoas falam, ao contrário dos animais – a língua geral dos tupis-guaranis – abanheenga – abanheém.

Avaré: awa’ré – abaré – amigo – missionário – catequista – (abaruna – abuna).

Avati: gente loura – milho – abati – auati.

Awañene: abanheém – língua de gente – a língua que as pessoas falam, ao contrário dos animais – a língua geral dos tupis-guaranis – abanheenga – avanheenga.

Awa: redondo – ava.

Awaré: avaré.

Aymberê: lagartixa.

Ayty: ninho (parati).

Ayuru: ajuru – árvore de madeira dura, com frutos de polpa comestível.

B

bapo: maracá – mbaraká – chocalho usado em solenidades – maracaxá – xuatê – cascavel.

baquara: mbaekwara – biquara – sabedor de coisas – esperto – sabido – vivo – (nhambiquara).

biquara: baquara – mbaekwara.

C

Caá: kaá – mato – folha.

Caapuã: aquele ou aquilo que mora (vive) no mato – caipora – kaapora.

Caba: marimbondo, vespa (v. cacira, laurare)

Caboclo: kariboka – procedente do branco – mestiço de branco com índio – cariboca – carijó – antiga denominação do indígena – caburé – tapuio – personificação e divinização de tribos indígenas segundo o modelo dos cultos populares de origem africana, paramentada, porém, com os trajes cerimoniais dos antigos tupis (folcl.) – atualmente, designação genérica dos moradores das margens dos rios da Amazônia

Caburé (tupi): kaburé – cafuzo – caboclo – caipira – indivíduo atarracado, achaparrado.

Cacira: vespa de ferroada dolorosa

caingangue: grupo indígena da da região Sul do Brasil, já integrado na sociedade nacional, cuja língua era outrora considerada como jê, e que hoje representa uma família própria – coroado – camé – xoclengues.

Caipora: caapora – kaa’pora.

Camb: peito – seio – teta.

Camé (jê): subtribo do grupo caingangue.

Camuá: palmeira de caule flexível, cheia de pelos espinhosos.

Camu-camu: fruta pouco conhecida que possui grande quantidade de vitamina C, e cuja produção vem substituindo, no Acre, a exploração dos seringais.

Canoa: embarcação a remo, esculpida no tronco de uma árvore; uma das primeiras palavras indígenas registradas pelos descobridores espanhóis; montaria (designação atual usada pelos caboclos da Amazônia); (ubá).

Capim: caapii – mato fino – folha delgada.

Carapeba: tipo de peixe – acarapeba – acarapeva – acarapéua – (acará – peba).

Cari: o homem branco – a raça branca.

Cariboca: kari’boka – caboclo – procedente do branco – mestiço de branco com índio – curiboca – carijó – caburé – tapuio

Carijó: procedente do branco – mestiço, como o galináceo de penas salpicadas de branco e preto – caboclo – antiga denominação da tribo indígena guarani, habitante da região situada entre a lagoa dos Patos (RS) e Cananéia (SP) – carió – cário – cariboca – curiboca caburá – tapuio.

Carió: procedente do branco – caboclo – antiga denominação da tribo indígena guarani, habitante da região situada entre a lagoa dos Patos (RS) e Cananéia (SP) – carijó – cário – cariboca – curiboca caburé – tapuio.

Carioca: kari’oka – casa do branco.

Cuica: ku’ika – espécie de rato grande com o rabo muito comprido, semelhante ao canguru – instrumento de percussão feito com um pequeno cilindro em uma de cujas bocas se prende uma pele bem estirada.

Curiboca: caboclo – kari’boka – procedente do branco – mestiço de branco com índio – cariboca – carijó – caburé – tapuio.

Curumim: menino (kurumí).

D

Damacuri: tribo indígena da Amazônia.

Damanivá: tribo indígena de RR, da região do Caracaraí, Serra Grande e serra do Urubu.

Deni: tribo indígena aruaque, que vive pelos igarapés do vale do rio Cunhuã, entre as desembocaduras dos rios Xiruã e Pauini, no AM. Somam cerca de 300 pessoas, e os primeiros contatos com a sociedade nacional ocorreram na década de 60.

E

Eçaí: olho pequeno.

Eçabara: o campeador.

Eçaraia: o esquecimento.

Etê: bom – honrado – sincero – eté.

G

Galibi: tribo indígena da margem esquerda do alto rio Uaçá (AP).

Geribá: nome de um coqueiro.

Goitacá: nômade, errante, aquele que não se fixa em nenhum lugar.

Guará (i): iguara, ave das águas, pássaro branco de mangues e estuários com grande amplitude de maré ou de fluviometria (i, ig, ara).

Guará (2): aguará, aguaraçu, mamífero (lobo) dos cerrados e pampas (açu).

Guarani(1): raça indígena do interior da América do Sul tropical, habitante desde o Centro Oeste brasileiro até o norte da Argentina, pertencente à grande nação tupi-guarani.

Guarani (2): grupo lingüístico pertencente ao grande ramo tupi-guarani, porém mais característico dos indígenas do centro da América do Sul.

Guaratinguetá: reunião de pássaros brancos.

Guariní: guerreiro, lutador.

I

I: água – pequeno – fino – delgado – magro

Iacamim: acamim (jacamim).

Iaé (kamaiurá): lua – aamo (xavante) – airequecê.

Iandé: a constelação Orion.

Iandê: você.

Iapuçá: uma das espécies de macacos (japuçá, jupuçá, jauá, sauá).

Iba (1): iwa – iua – iva – ruim – feio – imprestável – (paraíba).

Iiba (2): variação de ubá – madeira – árvore.

Ibi: terra.

Ibitinga: terra branca (tinga).

Ig: água – (i).

Iguaçu: água grande – lago grande – rio grande.

Indaiá: um certo tipo de palmeira

Ira: mel (Iracema, irapuã).

Iracema: lábios de mel (ira, tembé, iratembé).

Irapuã: mel redondo (ira, puã).

Iratembé: lábios de mel (Iracema, ira, tembé).

Irupé: a vitória régia.

Ita: pedra (itaúna).

Itajubá: pedra amarela (ita, ajubá).

Itatiba: muita pedra, abundância de pedras (tiba).

Itaúna: pedra preta (ita, una).

Ité: ruim – repulsivo – feio – repelente – estranho (abaité).

Iu: yu – ju – espinho – (jurumbeba).

Iua: iva – iua – iba – ruim – feio – imprestável – (paraíba).

Iuçara: juçara – jiçara – palmeira que dá palmito.

Iva: iwa – iua – iba – ruim – feio – imprestável – (paraíba).

Iviturui: – serro frio; frio na parte mais alta de uma serra.

Iwa: iva – iua – iba – ruim – feio – imprestável – (paraíba).

J

Jabaquara: – rio do senhor do vôo (iabaquara, abequar).

Jacamim: ave ou gênio, pai de muitas estrelas (Yacamim).

Jaçanã: ave que possui as patas sob a forma de nadadeiras, como os patos.

Jacaúna: indivíduo de peito negro.

Jacu: yaku – uma das espécies de aves vegetarianas silvestres, semelhantes às galinhas, perus, faisões, etc.

Jacuí: jacu pequeno.

Jaguar: yawara – cão – lobo – guará.

Jaguaracambé: cão de cabeça branca (ya’wara = cão)+(a’kãg = cabeça)+(peba = branco) – aracambé – cachorro-do-mato-vinagre.

Japira: mel, ira (yapira).

Japuçá: uma das espécies de macacos (iapuçá, jauá, sauá).

Jauá: japuçá (iapuçá, sauá)

Javaé: tribo indígena que habita o interior da ilha do Bananal, aparentada com os carajás, da mesma região.

Javari: competição cerimonial desportiva religiosa.

Jé: grupo etnográfico a que pertence o grosso dos tapuias – jê – gê.

Jeru: ayu’ru – árvore de madeira dura, com frutos de polpa comestível – papagaio – ajeru – ajuru – juru.

Ju: yu – iu – espinho – (jurumbeba).

Juçara: palmeira fina e alta com um miolo branco, do qual se extrai o palmito, típica da mata atLântica – piná – iuçara – juçara – (açaí).

Jumana: tribo do grupo aruaque, habitante da região dos rios Japurá e Solimões (amazônia Ocidental) – ximana – xumana.

Jumbeba: cacto (ou uma espécie de) – jurumbeba – (ju – mbeb).

Jupuçá: iapuçá; japuçá.

Juru: árvore de madeira dura, com frutos de polpa comestível – papagaio – ajeru – jeru – ajuru.

Jurubatiba: lugar cheio de plantas espinhosas (ju – ru – uba -tiba).

Jurubeba: planta (espinhosa) e fruta tida como medicinal (o fruto é, normalmente, verde e perfeitamente redondo, sendo muito amargo – é pouco maior que a ervilha) – jurumbeba.

Jurumbeba: folha chata com espinhos – cacto (ou uma espécie de) – jumbeba – (ju – mbeb).

K

Kaá: caá – mato.

Kaapora: aquilo ou quem vive no mato – caapora – caipora.

Kabu’ré: caburé – cafuzo – caboclo – caipira – indivíduo atarracado, achaparrado.

Kamby: leite – líquido do seio.

Kaluana: lutador de uma lenda da tribo kamaiurá.

Kamaiurá: camaiurá – tribo indígena tupi que vive na região dos formadores do Xingu, entre a lagoa Ipavu e o rio Culuene (MT).

Karioka: carioca – casa do branco.

Ki’sé: faca velha e/ou enferrujada e/ou cheia de dentes e/ou sem cabo – quicé – quicê – quecé – quecê.

Ku’ika: cuica – espécie de rato grande com o rabo muito comprido, semelhante ao canguru – instrumento de percussão

Kurumí: menino (curumim)

L

Laurare (karajá): marimbondo

Lauré (pauetê-nanbiquara): arara vermelha

M

Macaba: fruto da macaúba (comestível – coco de catarro

Macaúba: ma’ká ï’ba – árvore da macaba (fruta do sertão) – macaíba

Macaíba: macaúba

Manau: tribo do ramo aruaque que habitava a região do rio Negro

Manauara: natural de, residente em, ou relativo a Manaus (capital do estado do Amazonas) – manauense

Mairá: uma das espécies de mandioca, típica da região Norte; mandiocaçu; mandioca grande (mandioca, açu)

Maní: deusa da mandioca, amendoim (maniva)

Manioca: mandioca (a deusa Maní, enterrada na própria oca, gerou a raiz alimentícia), (v. mani, oca, mandioca, mairá)

Maniua: maniva

Maniva: tolete ou folha da planta da mandioca; usa-se na alimentação da região Norte, especialmente no Pará. (maniua, mairá)

Mandioca: aipim, macaxeira, raiz que é principal alimento dos índios brasileiros (v. manioca)

Maracá: mbaraká – chocalho usado em solenidades – bapo – maracaxá – xuatê – cascavel

Massau: uma das espécies de macaco, pequeno e de rabo comprido, comum na região amazônica – sa’wi – sagüim – sauim – soim – sonhim – sagüi – tamari – xauim – espécie de mico

Mbaracá: maracá – chocalho usado em solenidades – bapo – maracaxá – xuatê – cascavel

Mbeb: chato – achatado – mbeba (jurubeba)

Membira: filho ou filha (v. raira)

Moponga: mu’põga – Pescaria em que se bate na água, com uma vara ou com a mão, para que os peixes sejam desviados para uma armadilha – mupunga – batição

Motirõ: mutirão – reunião para fins de colheita ou construção (ajuda)

Mu’põga: moponga – mupunga – batição

Mutirão (port/tupi): motirõ

N

Nanbiquara: fala inteligente, de gente esperta – tribo do Mato Grosso (pauetê-nanbiquara – baquara – biquara)

Nhe: nhan – nham – falar – fala – língua

Nheengatu: nhegatu – língua boa – língua fácil de ser entendida (pelos tupis)

Nhenhenhém: nheë nheë ñeñë, falação, falar muito, tagarelice

O

oapixana: tribo do ramo aruaque do alto rio Branco (RR), nas fronteiras com a Guiana – vapixiana – vapixana – uapixana – wapixana – vapidiana – oapina

oapina: oapixana

Oca: cabana ou palhoça, casa de índio (v. ocara, manioca)

Ocara: praça ou centro de taba, terreiro da aldeia (v. oca, manioca, ocaruçu)

Ocaruçu: praça grande, aumentativo de ocara (v. açu, ocara)

P

Pará (1): rio

Pará (2): prefixo utilizado no nome de diversas plantas

Paracanã: tribo indígena encontrada durante a construçao hidrelétrica de Tucuruí, no rio Tocantins/PA

Paraíba (1): paraiwa – rio ruim – rio que não se presta à navegação (imprestável) – (para – iba)

Paraíba (2): parabiwa – madeira inconstante (variada)

Paraibuna: rio escuro e que não serve para navegar

Paraitunga: designação dada aos paracanãs pelos assurinis

Pauá (tupi): pawa – pava – tudo – muito (no sentido de grande extensão)

Pauetê-nanbiquara: – tribo da região do Mato Grosso (nanbiquara, nhambiquara)

Peba: branco – branca – tinga – peva – peua – pewa

Peua: peba

Peva: peba

Pewa: peba

Picum: ape’kü – apecum – mangue – brejo de água salgada

Piná: palmeira fina e alta com um miolo branco, do qual se extrai o palmito, típica da mata atlântica

Pitiguar: – potiguar

Poti: – camarão, piti (potiguar)

Potiguar: – pitiguar, potiguara, pitaguar, indígena da região NE do Brasil

Puã: – redondo (irapuã)

Puca: armadilha (arapuca, puçá)

Puçá: armadilha para peixes (e outros animais aquáticos)

Puçanga: mezinha, remédio caseiro (receitado pelos ajés)

Q

Quecé: faca velha e/ou enferrujada e/ou cheia de dentes e/ou sem cabo – ki’sé – quicê – quicé – quecê

Quibaana: tribo da região Norte

Quicé: faca velha e/ou enferrujada e/ou cheia de dentes e/ou sem cabo – ki’sé – quicê – quecé – quecê

R

Raira: – filho (v. membira)

Ré: – amigo – rê (geralmente usado como sufixo) (abaré, araré, avaré)

Rudá: deus do amor, para o qual as índias cantavam uma oração ao anoitecer

Ru: folha (jurubeba)

S

Sauá: uma das espécies de macacos – iapuçá – japuçá – jupuçá – sawá – saá

Sauim: sagüi

Sawi: sagüi

Surui: tribo do parque do Aripuanã, região do Madeira, Rondônia

T

Tapuia: tapii – tapuio – designação antiga dada pelos tupis aos gentios inimigos – índio bravio – mestiço de índio – índio manso (AM) – qualquer mestiço trigueiro e de cabelos lisos e negros (BA) – caboclo

Tapuio: tapii – tapuia – designação antiga dada pelos tupis aos gentios inimigos – índio bravio – mestiço de índio – caboclo

Tembé: lábios (Iracema, iratembé)

Tiba: tiwa, tiua, tuba, abundância, cheio

Tijuca: tiyug – líquido podre – lama – charco – pântano – atoleiro – tijuca

Tijucupaua: tiyukopawa – lamaçal – tijucupava

Timburé: uma das espécies de peixes de rio, com manchas e/ou faixas pretas (ximburé, timburê)

Timburê: Timburé (ximburé)

Tinga: branco – branca – peba – (ibitinga)

Tiririca: tiririka – arrastando-se (alastrando-se) – erva daninha famosa pela capacidade de invadir velozmente terrenos cultivados – estado nervoso das pessoas, provocado por um motivo que parece incessante

Tiyukopauá: tijucopaua – lamaçal – tijucupava

Tiyug: tijuca – líquido podre – lama – charco – pântano – atoleiro – tijuca

Tiwa: tiba, tiua, tiba, tuba, abundância, cheio

Tupi (1): povo indígena que habita(va) o Norte e o Centro do Brasil, até o rio Amazonas e até o litoral

Tupi (2): um dos principais troncos lingüísticos da América do Sul, pertencente à família tupi-guarani

Tupi-guarani: um das quatro grandes famílias lingüísticas da América do Sul tropical e equatorial; indígenas pertencentes a essa família

U

Uaçá: caranguejo – auçá – guaiá

Uaçaí: açaí – yasaí

Uaná: vagalume (urissanê)

Uapixana: tribo do ramo aruaque do alto rio Branco (RR), nas fronteiras com a Guiana – vapixiana – vapixana – vapidiana – wapixana – oapixana – oapina

Ubá: canoa (geralmente feita de uma só peça de madeira); árvore usada para fazer canoas (canoa)

Una: preto, preta

Urissanê: vagalume (uaná)

V

V ( Índice )

Vapidiana: tribo do ramo aruaque do alto rio Branco (RR), nas fronteiras com a Guiana – vapixiana – Vapixana – uapixana – wapixana – oapixana – oapina

W

Wapixana: tribo do ramo aruaque do alto rio Branco (RR), nas fronteiras com a Guiana – vapixiana – vapixana – uapixana – vapidiana – oapixana – oapina

Wa’riwa: guariba – macaco de coloração escura, barbado. Wasaí: açaí – uaçaí – yasaí

X

Xaperu: tribo da região Norte

Xauim: uma das espécies de macaco, pequeno e de rabo comprido, comum na região amazônica – sa’wi – sagüim – sauim – soim – sonhim – massau – tamari – sagüi – espécie de mico

Xavante: tribo indígena pertencente à família lingüística jê e que, junto com os xerentes, constitui o maior grupo dos acuéns. Ocupa extensa área, limitada pelos rios Culuene e das Mortes (MT)

Ximaana: tribo habitante da região do rio Javari, na fronteira do Brasil com o Peru

Ximana: tribo do grupo aruaque, habitante da região dos rios Japurá e Solimões (Amazônia Ocidental) – xumana – xumane – jumana

Ximburé: uma das espécies de peixes de rio (timburé)

Xoclengue: tribo caingangue do Paraná (rio Ivaí)

Xuatê: mbaraká – maracá – chocalho usado em solenidades – bapo – maracaxá – cascavel

Xumana: ximana – jumana

Xumane: – ximana.

Y

Yacamim: ave ou gênio; pai de muitas estrelas (jaçamim)

Yamí (tucano): noite

Yapira: mel (japira)

Yara: deusa das águas – mãe d’água – senhora – iara – lenda da mulher que mora no fundo dos rios

yasaí: açaí – fruta que chora – fronta de onde sai líquido – coquinho pequeno amarronzado, que dá em cachos no açaizeiro (palmeira com o tronco de pequeno diâmetro e folhas finas, que também produz palmito)

yawara (tupi): jaguar – cão – cachorro – lobo – gato – onça – jaguaracambé.

Fonte: educaterra.terra.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Fórceps

PUBLICIDADE Fórceps é um instrumento de metal com duas alças usadas especialmente em operações médicas …

Fake News

Fake News

PUBLICIDADE O que é fake news? A fake news (ou notícia falsa) é uma notícia que …

Grampo Cirúrgico

Grampo Cirúrgico

PUBLICIDADE Grampo Cirúrgico é um dos vários dispositivo cirúrgico usados para unir, prender, suportar ou …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+