Breaking News
Home / Filosofia / Confucionismo

Confucionismo

A Filosofia Chinesa

PUBLICIDADE

Entende-se por filosofia chinesa o pensamento desenvolvido pelas civilizações chinesas, com destaque para Lao Tsé (VI – IV a.C.) e Confúcio (551 – 479 a.C.), fundadores respectivamente do Taoismo e Confucionismo, sistemas filosóficos pouco conhecidos e/ou aceitos pelo pensamento ocidental.

Pensar a Filosofia Chinesa nos impõe, antes de tudo, superar o preconceito entre as teses ocidentalistas e orientalistas sobre o autêntico filosofar. A quase totalidade dos estudiosos consideram a Filosofia uma criação do gênio helênico (grego). Todavia, para além disso, cumpre salientar que o oriente teve sistemas filosóficos expressivos como o Taoismo e o Confucionismo.

Confucionismo

Diferentes não apenas nos métodos adotados, mas também nas conclusões a que chegaram os sistemas filosóficos orientais existem, e precisam ser encarados, para além da dissociação entre filosofia e religião (própria do ocidente) ou da univocidade ocidentalista atribuída ao termo “filosofia”que insiste em usar como régua para a delimitação do conceito de filosofia a produção especificamente ocidental a partir do legado grego.

Confucionismo

A professora Lúcia Helena Galvão, ressalta o modismo atual, no ocidente, de se falar em Confúcio, realidade não muito comum se pensado décadas atrás. Entretanto, sempre que se fala no Confucionismo deparamos com o grande problema ocidental que é a dissociação tradicional entre religião e filosofia. Daí o pensamento de Confúcio ficar no limiar entre ser uma filosofia moral ou religião.

Galvão defende a ideia de que há, no confucionismo, para além de uma metafísica ou ascetismo, uma filosofia moral prática muito diferente do Taoísmo, daí os Jesuítas não terem visto nenhum problema em trazer o pensamento de Confúcio, no século XVII, para o ocidente mesmo tendo eles como finalidade a expansão da fé cristã.

Confucionismo

Interessante ressaltar que, segundo Galvão, na própria China, o pensamento de Confúcio já fora considerado subversivo por dissociar a virtude moral da religiosidade chinesa. Pensamento que foi mudado ao longo dos tempos, sendo hoje seguido por mais de 20% da população chinesa, embora não considerado efetivamente uma religião no sentido atual do termo.

O confucionismo entende que o conhecimento deva conduzir o ser humano ao aprimoramento de si sem dar a isso um caráter meramente religioso. Daí virtude e sabedoria estarem entrelaçadas com o aprimoramento humanístico, que só se efetiva mediante a atitude da reciprocidade das ações, sintetizado em um de seus discursos na conhecida “regra de ouro”, segundo a qual: “um homem deve praticar o que prega, mas também deve pregar o que pratica”.

Fábio Guimarães de Castro

Referências Bibliográficas

BUENO, André. O que é a filosofia chinesa. Disponível em: http://criticanarede.com/fil_china.html. Acesso em: 27 de setembro de 2017.

GALVÃO, Maria Helena. A ética segundo Confúcio. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=cR-M1l7yf7w. Acesso em: 27 de setembro de 2017.

Imagem: https://www.theepochtimes.com/teachers-day-no-cause-for-celebration-in-china_950128.html

Veja também

Raciocínio Dedutivo

Raciocínio Dedutivo

PUBLICIDADE Definição de Raciocínio Dedutivo O raciocínio dedutivo é um processo lógico em que uma conclusão é …

Utopia

Utopia

A Utopia é a idealização de um mundo normalmente paralelo ao real, mas que é governado por princípios distintos.

Mito da Alma Gêmea

Mito da Alma Gêmea

PUBLICIDADE É bem provável que você já tenha tido contato com a expressão “alma gêmea”. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.