Breaking News
Home / Filosofia / Pensamento Crítico

Pensamento Crítico

PUBLICIDADE

Todos os dias somos bombardeados com uma quantidade infinita de informações que nos chegam pelos órgãos dos sentidos. Tudo isso nos afeta, nos transforma, servem de parâmetro para a forma como lidamos com o mundo.

Diante desse bombardeio de informações, cabe ao indivíduo saber selecionar o que irá lhe afetar, constituir a sua visão de mundo. Desse modo, pensar criticamente não é apenas sair criticando a tudo e a todos, nem reproduzir a tudo que vê ou ouve, mas antes ser capaz de posicionar-se frente às diversidades de ideias e informações.

E é nesse contexto que uma série de perguntas começam a borbulhar em nossas mentes quando nos deparamos com o pensamento crítico: o que é o pensamento crítico; que significa pensar criticamente;qual a necessidade/vantagem de pensar criticamente;quais as dificuldades encontram os indivíduos que optam por pensar por si? Essas e outras perguntas servirão de base para a compreensão do chamado pensamento crítico e podem ser respondidas se recorrermos a um valiosíssimo texto da filosofia alemã de autoria de Immanuel Kant.

Pensamento Crítico

Em seu texto Resposta à Pergunta: Que é esclarecimento? o filósofo nos apresenta a árdua passagem da menoridade (pensamento acrítico) auto imposta à maioridade (pensamento crítico). É claro que o filósofo não usou esses termos que colocamos em parênteses, mas eles são úteis para entendermos a diferença básica entre os conceitos de maioridade e menoridade quanto ao uso da razão, do pensamento crítico ou acrítico.

A menoridade seria o estágio em que o indivíduo delega ao outro a tutela sobre a sua vida. E é nesse momento que principia o controle mental exercido por morais dominantes dando início a uma jornada rumo ao aprisionamento do Ser, que aos poucos emudece, submete-se aos dizeres e fazeres retroprojetados por uma massa que se diz guardiã dos valores, sentidos e leis humanas.

O indivíduo que está na condição de menoridade intelectual recusa-se a pensar por si, opta de bom grado a seguir cegamente e sem nenhuma reflexão prévia às ideologias dominantes. Torna-se, por assim dizer, um alienado incapaz de ter consciência do seu processo de exploração e dependência.

Todavia, infelizmente, tal processo de dependência, submissão, subjugação, ideologização e despotismo moral, não é percebido pela grande maioria, pois tal sistema organizado age astuciosamente semelhante ao bote rápido e eficaz duma serpente traiçoeira que envenena para imobilizar suas presas e daí ter o absoluto domínio das artérias, intelecto, corpo e ações; inviabilizando seus esclarecimentos quanto à condição pérfida de seus dominadores e criando uma massa de menores incapazes de pensar, agir e tutelar sua existência.

É tão confortável ser menor! Tenho à disposição um livro que entende por mim, um pastor/padre que tem consciência por mim: então não preciso me esforçar. Não me é necessário pensar, quando posso pagar; nem estudar para a prova, quando amigos prontamente me passarão a resposta: outros assumirão a tarefa espinhosa por mim.

Percebam que embora pérfida a condição de menoridade ela é extremamente confortável a muitos indivíduos que se sentem bem em não fazer uso da sua racionalidade. Dificultando, por assim dizer, a passagem da menoridade à maioridade intelectual, onde o indivíduo é capaz de, abandonando a preguiça e a covardia, “servir-se de si mesmo” e legislar sua vida independente dos doutrinadores morais.

E é justamente na condição de maioridade intelectual que fixamos o pensamento crítico. Nesse estado o indivíduo recusa os tutores, não lhes permite o controle, domínio, direção de suas vidas, mas antes assume as rédeas da sua existência, passa a usar publicamente a sua razão, e deixa de absorver toda e qualquer ideologia só porque ela era a dominante. Daí o filósofo dizer que para o esclarecimento nada é exigido além da liberdade em fazer uso da própria razão em todas questões que afetam os seres humanos.

Pensamento Crítico na Música

A música AnotherBrick In The Wall, composta pelo baixista Roger Waters, da banda de rock inglesa Pink Floyd, reflete a repulsa ao controle mental exercido nas escolas, mas que pode ser estendido, sem perdas de sentido, às religiões, governos, organizações; que nos faz insignes tijolos a sustentar o palácio moral da tradição. Impedindo-nos de alçar voos profícuos rumo às potencialidades dos nexos humanos. No limite, inviabilizam o pensamento crítico, distanciando da real função da escola que é nos tornar cidadãos críticos da realidade em que vivemos.

Fábio Guimarães de Castro

Referências Bibliográficas

KANT, I. Resposta à pergunta: que é esclarecimento? In: KANT, I. Textos seletos. Petrópolis: Vozes, 1974.

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Justiça e Direito em Nietzsche

Justiça e Direito em Nietzsche

PUBLICIDADE O que é Justiça e Direito em Nietzsche? A justiça e o direito são abordados …

Behaviorismo Ryleano

Behaviorismo Ryleano

PUBLICIDADE O que é o behaviorismo ryleano? Gilbert Ryle, contrário à mente substancial cartesiana, defende …

Antropomorfismo

Antropomorfismo

PUBLICIDADE O que é antropomorfismo? Doutrina filosófica que interpreta toda a realidade seja ela física …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.